Вы находитесь на странице: 1из 20

Prólogo

O CALOR DESPERDIÇADO DO INÍCIO

—Isso não é, realmente não é bom.

Sentindo a textura dura do chão contra o rosto, ele percebeu que caiu
de bruços no chão. Ele não conseguia se mexer, mesmo quando
tentava, e ele já não conseguia sentir os dedos. O que ele sentiu foi um
certo calor, e ferveu seu corpo inteiro.

—É quente, quente, quente, quente, quente, quente, quente.

No momento em que abriu a boca em uma tentativa de gritar, tudo o


que saiu foi o seu sangue. Tossindo, seu sangue . Sua boca começa a
espumar enquanto ele vomita sangue. Com sua visão nebulosa, ele vê o
chão manchado de vermelho.

—Você... deve estar brincando comigo... tudo isso é meu?

Sentindo como se todo o sangue em seu corpo tivesse esvaziado, ele


alcançou uma mão trêmula para tentar encontrar a fonte de calor
queimando em seu corpo. Quando as pontas dos dedos alcançaram o
grande corte no estômago, ele entendeu.
Não é de admirar que estivesse tão quente. Seu cérebro deve ter
confundido dor com calor. O corte em seu torso era tão profundo que
quase o cortou ao meio. Apenas pedaços de pele ainda o seguravam.
Em outras palavras, ele recebeu um “xeque-mate” em sua vida.
Assim que ele percebeu isso, sua consciência começou a se afastar dele.
Diante de seus olhos, ele viu uma bota preta descer, fazendo
ondulações na poça vermelha de seu sangue fresco.
Alguém estava lá, e aquele alguém... provavelmente foi quem o
matou. Mas ele nem pensou em olhar essa pessoa de frente. Não
importava mais.
—A única coisa que ele desejava era que ela, pelo menos, estivesse
segura.

— “baru?”
CAPÍTULO 1

O FIM DO COMEÇO

—"Isso realmente vai ser um problema.”

Sem dinheiro e sem ideia do que fazer, ele repetiu o pensamento


várias vezes em sua mente.
Bem, não era totalmente correto dizer que ele não tinha dinheiro. A
carteira em seu bolso estava cheia de todo o dinheiro que ele possuía, o
suficiente para ir às compras um pouco se fosse necessário—sob
circunstâncias normais. Mas, neste caso, ‘sem dinheiro’ é realmente a
única maneira de descrever sua situação.

“Sim, mas o sistema monetário aqui é completamente


diferente, não é…”

O jovem jogou sua rara moeda de dez ienes no ar e deu um suspiro


profundo.
Ele realmente não tinha nenhuma característica na qual se destacasse.
Ele tinha cabelo preto e curto e altura mediana, não sendo nem baixo
nem alto. Ele era um pouco musculoso, como se estivesse malhando, e o
agasalho cinza barato que ele usava realmente o convinha muito bem.
Ele tinha íris pequenas, então o branco de seus olhos se destacava, mas
agora, do jeito que seus olhos estavam abatidos, ele não tinha nenhum
olhar muito agressivo ou defensivo para ele.
Ele parecia médio o suficiente para se perder tão facilmente em meio à
multidão, mas agora, a maioria dos que passavam o olhava pelo canto
dos olhos, como se estivessem olhando para algo estranho que nunca
tinham visto antes.
Mas isso era de se esperar. Afinal, entre todos os espectadores,
nenhum deles tinha cabelo preto, nem nenhum deles vestindo agasalho.
Eles tinham cabelos loiros, ruivos, e cabelos castanhos... alguns até
tinham cabelos azuis ou verdes, entre outros, e usavam armaduras, ou
mantos pretos ou do tipo de traje que uma dançarina poderia usar... esse
tipo de coisa.
Enquanto estava diante das ondas de olhares abertos, o jovem cruzou
os braços e não teve outra opção senão aceitar a verdade.

—"Isso tem que ser um daqueles...”

Ele disse estralando os dedos e apontando para a multidão de


espectadores. “Um daqueles chamados ‘eu fui invocado em outro
mundo’, certo?” ele disse observando um veículo parecido com uma
carroagem puxada por uma coisa gigante semelhante a um lagarto
cruzado na frente dele.

Subaru Natsuki era um garoto extremamente comum, nascido na


Terra, de uma família de classe média no país do Japão. Se você
resumisse seus quase dezessete anos de vida, a frase anterior de Theo
seria suficiente para descrevê-lo, e se você sentisse a necessidade de
acrescentar mais alguma coisa a frase extra: “Ele era um aluno do
terceiro ano do ensino médio com tendência a não aparecer na aula”
seria o suficiente.
Colocado em uma encruzilhada na estrava da vida, como “se deseja
seguir um diploma universitário ou pular direto para um trabalho,” as
pessoas geralmente são forçadas a tomar uma decisão de uma maneira
ou de outra. Esse tipo de tomada de decisão é algo que todos têm de
lidar por parte do que chamamos de vida, mas no caso de Subaru, ele era
um pouco melhor do que os outros em fugir do que detesta. Ao evitar tal
decisão, o número de suas ausências injustificadas havia se acumulado
e, antes que percebesse, era um verdadeiro mentiroso, do tipo que os
pais choram.

—"E ainda por cima, agora fui convocado para um mundo


totalmente diferente. Isso conclui bem. Eu sou um abandono do ensino
médio agora. Mas sério, o que diabos está acontecendo?

Ele sentiu como se estivesse tendo um sonho, mas mesmo depois de


beliscar as bochechas e bater a cabeça na parede, ele não acordava.
Subaru suspirou. Ele se afastou de onde estava, recebendo todo tipo de
olhares curiosos, e agora estava sentado contra uma parede em um beco
ao lado da estrada principal.

—"Supondo que eu realmente fui invocado para um mundo de


fantasia... o estado da civilização me parece medieval. Até agora, eu
não vi nada mecânico, mas as estradas são muito bem pavimentadas...
e, claro, não posso usar meu dinheiro”.

Quanto a saber se ele poderia se comunicar com as pessoas daqui e


com relação ao valor das mercadorias, essas eram as coisas que Subaru
verificou imediatamente ao perceber que havia sido convocado para um
mundo diferente. Felizmente, ele não teve nenhum problema de
comunicação e conseguiu confirmar que o comércio era realizado em
uma moeda de ouro, prata e moedas de cobre. Seu primeiro contato, um
comerciante em uma banca de frutas, não foi tão acolhedor parar ele,
embora.
Quanto ao motivo pelo qual Subaru foi tão rápido em aceitar e
entender sua situação atual, o fato de ele ser um jovem japonês moderno
viciado em anime e jogos teve algo a ver com isso, e por isso ficou
muito agradecido. Não seria exagero dizer que, na adolescência, esse
tipo de convocação sobrenatural era o tipo de coisa que você sonha que
aconteceria com você, mas nesse caso...

“Sem um pouco mais de uma rede de segurança social, um cara


descontraído como eu não será capaz de lidar, sabe?” Subaru reclamou.

Dada a situação atual e o lamentável equipamento inicial, ele não pode


evitar.
Seus pertences consistiam em um telefone celular (com pouca bateria
restante), uma carteira (cheia de cartões de membro de locadoras), um
copo de ramen instantâneo que ele havia comprado em uma loja de
conveniência (osso de porco e sabor de milho de soja), uma sacola de
lanches crocantes comprado na mesma loja (sabor de sopa de milho),
seu agasalho cinza favorito (sem lavar) e tênis bem usados (dois anos).
Bem isso.

—“Nem sequer recebo uma Excalibur? Terminei. O que eu devo


fazer neste traje?”

Bem, há muito que você pode esperar quando for convocado para um
mundo diferente no caminho de volta da loja de conveniência. Isso
aconteceu em um piscar de olhos.
Subaru já estava com fome e comeu metade da única coisa que ele
tinha que poderia ter sido útil—seu pacote de lanches crocantes—antes
de perceber que acabara de passar por sua única fonte de comida. Mas
se preocupar com isso não iria ajudá-lo agora.

Mesmo se ele quisesse colocar suas esperanças na possibilidade de


que isso estivesse sendo encenado como parte de um reality show, os
grandes carro-lagarto e a aparência de todas as pessoas que passavam o
beliscavam pela raiz. “O fato de ninguém parecer estar prestando
atenção neles significa que provavelmente são normais... tanto os
lagartos gigantes quando os meio-humanos”.
Subaru resmungou e olhou como pessoas com roupas estranhas e
cabelos coloridos passando, mas dentre todas elas, quem realmente o fez
perceber que foi convocado para outro mundo foram os meio-humanos.
Sem ter que olhar muito, Subaru podia ver pessoas com orelhas de
cachorro e orelhas de gato, e havia até alguns que pareciam homens
lagartos. Mas é claro que também havia seres humanos comuns, assim
como Subaru.

—“Portanto, este é um mundo com meio humanos... e


provavelmente guerras e aventuras também. Quanto a saber se há
algum animal com o qual estou acostumado... não tenho certeza, mas,
considerando essa coisa de carro-lagarto... parece que eles usam
animais da mesma maneira que nós”.

Depois de juntar tudo isso, Subaru soltou um longo suspiro. Se as


coisas desenrolassem da maneira que ele havia fantasiado antes sobre a
convocação de outro mundo, ele deveria poder usar seu conhecimento
da civilização moderna para dominar todos os outros... mas havia muitas
coisas que ainda não faziam sentido.

—“A verdade é que não tenho ideia do que fazer a seguir e


ainda não faço ideia de como ou por que fui convocado. Não me lembro
de pisar em um espelho ou cair em um lago, e se devo acreditar que
este é o padrão de convocação sobrenatural que estou acostumado,
onde está a garota bonita que me convocou?”

A falta da heroína principal nessa convocação sobrenatural foi um


buraco na trama. Se estivesse ocorrendo em um mundo 2D, alguém do
departamento de criação estava seriamente relaxado. Se Subaru foi
realmente convocado sem motivo e depois abandonado assim, ele o
colocou no mesmo nível dos bens descartável de uso único.
Subaru, depois de verificar a situação, não tinha mais nada a fazer
além de fugir da realidade.

—“Acho que se eu continuar assim, não seria diferente de me


trancar no meu quarto em casa”.

O pensamento de seus pais passou por sua mente, mas agora ele não
estava em uma posição em que pudesse apenas ficar sentindo saudades
de casa. Pensando que ele tinha que fazer algo sobre sua situação atual,
ele se levantou e voltou para a estrada principal, mas... Assim que
Subaru estava prestes a sair para a estrada principal, ele quase esbarrou
em alguém que se afastou na frente dele.

—“Oh. Desculpa aí.”

Subaru pediu desculpas e tentou continuar andando, mas...

—“Espere aí!”

…ele foi agarrado firmemente pelo ombro e puxado de volta para o


beco. Quase caindo sobre si mesmo quando ele se virou, Subaru olhou
para cima para ver que a pessoa que o puxou era um homem enorme.
Atrás do homem estavam dois de seus comparsas, e os três impediram
Subaru de sair do beco na estrada principal.
Subaru tinha um mal pressentimento sobre isso, pois não parecia ser a
primeira vez que esses homens faziam isso.

—“Umm... posso perguntar o que vocês três bons colegas


planejam fazer comigo?”

“Oh, parece que este aqui é inteligente! Bem, não se preocupe.


Passa tudo que você tem e não vamos te machucar.”

—“Então é isso, hein? Sim, é o que parece. Ha ha... isso é


realmente péssimo”.

Os olhares dos homens estavam cheios de desprezo. Eles pareciam ter


vinte e poucos anos, com a sua mesquinhez de suas personalidades
refletida em seus rostos e aparências sujas. Eles não pareciam ser demi-
humanos, mas certamente não são gentis.
Encontrar esses eventos clichês só poderia significar uma coisa...
“Merda, eu acionei um evento obrigatório”

Now then, how did this [Urban Legend] come about? It started as any
ordinary [Rumor]. But it became a rumor that was so unrealistic that it
changed from a [Rumor] to an [Urban Legend]. And that kind of
[Rumor] is like this one.

There was a rumor that had spread on the internet about a gamer named
『 』[1]. According to more than 280 Online Game Rankings, there was
a player with an undefeated record that always stood proudly at top of
the rankings with 『 』 as his name. "There is no way something like