Вы находитесь на странице: 1из 13

Aula 6 – Indutores e Transformadores

2007-2 1

O Indutor
• Corrente elétrica passando em um condutor → campo magnético
– Neste caso o densidade de fluxo magnético gerado é

µ 0 .i
B=
2π .r
– Onde
• i  é a corrente que circula pelo fio
• r  é a distância do fio onde o campo é medido
• µ0  é a permeabilidade magnética do espaço (ar / vácuo)

N  T.m 
µ 0 = 4π ×10 −7  
A2  A 

2007-2 2

1
• No caso de um solenóide a seqüência de espiras
concentra as linhas de campo aumentando o
campo magnético no interior do mesmo
– Neste caso campo magnético é dado por

N
B = µ 0 .n.i → n =
L
• Se for inserido um núcleo de material
ferromagnético no interior do solenóide o campo
magnético será aumentado em função das
propriedades do material empregado
– Então o campo magnético poderá ser escrito como

B = k .µ 0 .n.i
– Onde k é a permeabilidade magnética relativa do
material empregado

2007-2 3

Definição de Indutância

• Indutância pode ser definida como o comportamento de uma bobina resistindo á


variação da corrente que circula nela.
• Baseado na lei de Faraday a indutância pode ser escrita em termos da tensão
gerada em oposição à variação da corrente

2007-2 4

2
Indutância de uma bobina
• Lei de Faraday

2007-2 5

2007-2 6

3
• Materiais magnéticos
– Compostos por domínios magnéticos
– Ao ser aplicado um campo externo os domínios se alinham gerando uma magnetização dada
por
r r
M = χ m .H
– Onde
• M  é a magnetização do material
• χm  é a suscetibilidade magnética do material
• H  é o intensidade do campo magnético externo aplicado

r r r r
( )
B = µ 0 . H + M = µ 0 .(1 + χ m ).H = µ .H
– Mas
µ
µ = k .µ 0 → k =
µ0
– logo

χ m = (k − 1)

2007-2 7

Magnetic permeability & susceptibility for selected materials

Medium Susceptibility Permeability (µ


µ)
Mu-metal 20,000 25,000 µN/A2 at 0.002 T
Permalloy 8000 10,000 µN/A2 at 0.002 T
Transformer iron with ρ=0.01 µΩ·m 4000 5000 µN/A2 at 0.002 T
Steel 700 875 µN/A2 at 0.002 T
Nickel 100 125 µN/A2 at 0.002 T
soft ferrite with ρ=0.1 Ωm source, ferroxcube 5000 µN/A2 < 0.1 mT
soft ferrite with ρ=10 Ωm source, ferroxcube 2500 µN/A2 < 0.1 mT
Platinum 2.65 × 10−4 1.2569701 µN/A2
Aluminum 2.22 × 10−5 1.2566650 µN/A2

Hydrogen 8× 10−9 or 2.2 × 10−9 1.2566371 µN/A2

Vacuum 0 1.2566371 µN/A2


Sapphire −2.1 × 10−7 1.2566368 µN/A2

Copper −6.4 × 10−6 or −9.2 × 10−6 1.2566290 µN/A2

Water −8.0 × 10−6 1.2566270 µN/A2

A permeabilidade depende de B e varia com a freqüência


From Wikipedia
2007-2 8

4
• Coercividade e Remanência

Material Coercivity (T) Remanence (T) (BB0/µ0)max(kJ/m3)


BaFe12O19 0.36 0.36 25
Alnico IV 0.07 0.6 10.3
Alnico V 0.07 1.35 55
Alcomax I 0.05 1.2 27.8
MnBi 0.37 0.48 44
Ce(CuCo)5 0.45 0.7 92
SmCo5 1.0 0.83 160
Sm2Co17 0.6 1.15 215
Nd2Fe14B 1.2 1.2 260

Data from hyperphysics


2007-2 9

O indutor real

• Símbolo
– Núcleo
A. Ar
B. Ferrite
C. Ferro laminado
• Valores
– nH  nano-Henrys
– µH  micro-Henrys
– mH  mili-Henrys
• Tolerâncias
– Mais comum + 10%
• Esquema Interno 
• Aplicações
– Filtros RL
• Passa baixa
– Circuitos tanque LC
• Osciladores

2007-2 10

5
Associação de Indutores
• Série
– Como a corrente que circula por ambos os indutores é a mesma a tensão
gerada à uma variação de corrente será

di di di +
V = V1 + V2 = − L1− L2 mas V = − L
dt dt dt
L1
di di di
então − L = − L1 − L2 e
dt dt dt -

L = L1 + L2 V +

L2

2007-2 11

• Paralelo
– A tensão gerada por ambos os indutores em oposição à uma variação de
corrente será dada por

i = i1 + i2
1 1 1
i=
L1 ∫ V .dt + ∫ V .dt mas i = ∫ V .dt
L2 L
1 1 1
então
L ∫ V .dt = ∫ V .dt + ∫ V .dt e
L1 L2
1 1 1
= +
L L1 L2 + +

L1 L2
V
- -

2007-2 12

6
Comportamento do indutor num circuito CA
• Como vimos na aula de circuitos a tensão gerada no indutor é dada por
di
v = L.
dt

No capacitor

2007-2 13

• Neste caso a potência que atravessa o indutor é menor que para um resistor em função da
defasagem

2007-2 14

7
Reatância Indutiva
• Como no resistor ao ser submetido a uma diferença de potencial CA uma corrente
vai circular através do indutor
– Difere do resistor pois depende da Freqüência da fonte
– A reatância de um indutor será dada por

X L = ω.L = 2π . f .L

Reatância de um indutor de 10 mH

Freqüência (Hertz) Reatância (Ohms)

60 3,7699
120 7,5398
2500 157,0796

2007-2 15

Fator de Mérito de um Indutor


• Considerando o circuito real de um indutor
– O fator de mérito (Qualidade) será dada por

XL
Q=
R

2007-2 16

8
Tipos de Indutores

• Núcleo de Ar

• Núcleo de ferrite

2007-2 17

• Núcleo de ferrite toroidal

• Ajustável

2007-2 18

9
• SMD

Data sheet

2007-2 19

Transformadores

• Transfere energia elétrica de um circuito para o outro através de um campo


magnético compartilhado
– A tensão induzida em uma bobina devido à uma variação do fluxo magnética é
dada por (Lei de Faraday)

V=N
dt
– Em um transformador o fluxo magnético é o mesmo tanto no circuito primário
quanto no secundário

dφ dφ
VP = N P e VS = N S
dt dt
– então

VP VS VS N S
= ou =
NP NS VP N P

2007-2 20

10
• Transferência de Potência
– Ligando o secundário a uma carga a transferência de potencia é praticamente unitária
– Eficiência > 95 % (uma das maquinas elétricas mais eficientes)
– Logo
Pin = VP .iP = Pout = VS .iS
– então
VS N S iP
= =
VP N P iS
– Isto implica em:
• A tensão no secundário é menor que no primário  a corrente no secundário é maior que no
primário
• Vale o oposto também

2007-2 21

• Perdas de fluxo
– Algumas linhas de fluxo saem do núcleo reduzindo a eficiência
– Se manifesta como uma auto-indutância
– Em alguns casos é interessante empregar transformadores com
elevada perda de fluxo
• Usados em cargas que apresentam resistência negativa
– Lâmpadas de descarga em gás
– Soldadores a arco

• Efeito da Freqüência
– Como a tensão induzida no transformador aumenta com a freqüência
de acordo com a equação
V = 4,44. f .N .a.B
• Onde
– f  freqüência
– N  número de espiras
– a  área da secção transversal do núcleo
– B  densidade de fluxo magnético
– Em função disto
“ Skin effect” para o Cobre
• Quanto maior a freqüência de operação
Skin
– Maior impedância do primário / secundário  menos enrolamento Freqüência
Thickness
– Fluxo varia mais rápido  menor chance de saturação  menor volume 60 Hz 8.57 mm
10 kHz 0.66 mm
– Aumento do “skin effect”  aumenta a dissipação
100 kHz 0.21 mm
– Em aviões f = 400 Hz  menor volume/peso de transformadores 1 MHz 66 µm
10 MHz 21 µm

2007-2 22

11
• Perdas de energia
– Resistência do enrolamento
• Aquecimento resistivo
• “skin effect”
• Efeito de proximidade (interação entre correntes de enrolamentos diversos)
– Histerese
• A inverter o campo é necessário eliminar o campo remanente no núcleo
– Correntes de Foucault (Correntes de Fuga, Eddy currents)
• Surgem quando o fluxo de campo magnético varia sobre um condutor
• Gera aquecimento resistivo
– Magnetostricção
• Variações dimensionais do núcleo induzidas pela variação do fluxo
– Perdas Mecânicas
• Provocada pela atração magnética entre primário e secundário
– Perdas espúrias
• Linhas de campo interceptando estruturas metálicas externas geram
correntes de fuga e calor

2007-2 23

Tipos de Transformadores

• Normais
– Símbolos
A. Núcleo de ar (1:1)
B. Núcleo de ferro ( redutor)
C. NF – Secundário duplo – um com derivação
• Autotransformador
– Símbolo

• Transformadores ressonantes
– Bobina de automóvel
– Fly-back (televisores)

2007-2 24

12
• Transformadores de instrumentação
– Transformadores de corrente
• Medida de corrente em circuitos elétricos CA

– Transformadores toroidais
• Mais eficientes
– Menos perdas

2007-2 25

FIM

2007-2 26

13