Вы находитесь на странице: 1из 2

desenvolvimento

urbano
I N S T I T U T O P Ó L I S

IDÉIAS PARA A AÇÃO MUNICIPAL

DU No 137 1999

a gestão democrática das diretrizes urbanísti- implementação das diretrizes e critérios apro-
cas, vários municípios criaram Conselhos de vados por lei. Da mesma forma, o Conselho
CONSELHOS Desenvolvimento Urbano.
Incentivando a criação de um Conselho de De-
pode fixar os compromissos com procedimen-
tos ligados ao Orçamento Participativo, caso

DE DESEN- senvolvimento Urbano, o governo municipal traz


a público as posições dos diversos setores da
sociedade, inclusive de agentes de muito poder
esta seja uma prática do poder local.
Cada município terá as atividades de seu Con-
selho de Desenvolvimento Urbano definidas de
VOLVIMENTO econômico, e, assim, dificulta as práticas clien-
telistas que poderiam minar todo o conjunto de
acordo com as demandas locais. Municípios
com parcelas significativas de seu território sob

URBANO políticas urbanas de um município. regulação de preservação ambiental terão as


atividades do Conselho mais focadas no acom-
panhamento da ocupação dessas áreas. Outros,
que estejam enfrentando grande crescimento
Ao tornar públicos os inte- O QUE É? populacional, terão um Conselho mediando

O
conflitos em torno da ocupação do solo urba-
resses conflitivos em torno Conselho Municipal de Desenvolvi- no, e buscando minimizar a segregação urbana
do uso e ocupação do solo ur- mento Urbano é um organismo de re- que pode resultar do crescimento. Municípios
bano, a prefeitura envolve a presentação da sociedade civil na gestão de sua onde estão se instalando indústrias poderão ter
política urbana. Representa um dos canais de seus conselhos gerindo as tensões e conflitos
população na tomada de de- comunicação entre a sociedade civil e a admi- de usos e monitorando a poluição sonora e
cisões e dificulta as práticas nistração local no que diz respeito à política ambiental provocada pelas indústrias.
clientelistas. urbana do município. É onde se expressam as
diferentes forças e interesses da sociedade, e

O
onde são elaborados os pactos sociais em tor-
s municípios em geral enfrentam mui- no das diferentes questões na área. COMPOSIÇÃO

A
tas dificuldades com a gestão cotidia- Para que seja um órgão efetivo e permanente o
na dos processos de ocupação e crescimento ur- Conselho Municipal de Desenvolvimento Ur- lei municipal que cria o Conselho Mu-
bano: desde problemas ambientais decorrentes bano deve ser criado por meio de lei munici- nicipal de Desenvolvimento Urbano
de ocupação indevida, tensões em torno do solo pal, sendo inserido, por exemplo, no texto da deve atribuir suas funções, determinar o nú-
urbano envolvendo diferentes classes sociais, Lei Orgânica. Além disso, o poder local deve mero de participantes, suas procedências, a
conflitos relativos à convivência de usos (como garantir o funcionamento do Conselho, proven- duração de seu mandato e a forma de escolha e
indústrias poluentes e bairros residenciais), até do-o de uma estrutura mínima de funcionamen- eleição dos participantes.
a proliferação de ocupações irregulares e em si- to, como espaço para reuniões, trabalho de se- Além do poder público, devem participar do
tuação de risco. A regulação urbanística e seus cretariado, recursos mínimos para material de Conselho representantes de todos os grupos que
instrumentos – o Plano Diretor, a Lei de Uso e divulgação, e garantindo seu custeio. possuam interesse na condução da política de
Ocupação do Solo, a Lei de Parcelamento – Não existe determinação constitucional quan- desenvolvimento urbano: associações de bair-
muitas vezes são omissos, apresentam proble- to às características do Conselho, de forma que ro, movimentos de moradia, entidades profis-
mas de interpretação ou são inadequados em cada município pode definir um modelo: pode sionais, empresários do setor imobiliário, em-
relação a novos usos que vão surgindo com o ser consultivo, emitindo apenas pareceres em presários da indústria, sindicatos, comercian-
passar do tempo. Estas leis e normas são, na relação às diretrizes municipais; ou deliberati- tes. É importante que essa pluralidade de inte-
verdade, um instrumental que requer uma polí- vo, com poder de definir essas diretrizes. Quan- resses seja obtida com um número reduzido de
tica que as implemente e faça a sua gestão. to maior for o poder do Conselho na formula- participantes, pois um conselho grande demais
A Constituição Federal de 1988 estabelece sis- ção da política local, maior será o caráter de- pode traduzir-se em um estrutura ineficiente e
temas de gestão democrática em várias áreas mocrático e participativo da gestão. O Conse- pouco ágil. Não há um número ideal de repre-
da administração pública. Dentre elas, o pla- lho de Desenvolvimento Urbano pode, inclu- sentantes no Conselho, mas municípios meno-
nejamento participativo firma a cooperação no sive, administrar um Fundo Municipal de De- res tenderão a possuir conselhos menores, e
planejamento local das associações represen- senvolvimento Urbano. Tanto o Fundo quanto municípios de maior porte – pela própria cons-
tativas como um preceito a ser observado pe- as diretrizes de aplicação de seus recursos de- tituição mais complexa da sociedade – tende-
los municípios (Art. 29, XII). Como resposta à vem ser estabelecidos por lei municipal. Nesse rão a possuir mais entidades de representação
determinação constitucional, e para viabilizar caso, o Conselho deve ser o responsável pela e, portanto, necessidade de conselhos maiores.
Independentemente de seu tamanho, alguns as- Obras, eventuais legislações de preservação Conselho. Deve ser feito um amplo processo
pectos devem ser levados em conta quando da ambiental, para que suas determinações sejam de divulgação, atingindo toda a população do
definição da composição do Conselho. Pode cumpridas ou revistas; município. O trabalho deve ser cuidadoso, pois
ser paritário, ou seja, possuir o mesmo número - interpretação desses instrumentos legislativos, os diferentes segmentos da população possu-
de representantes do poder público e da socie- em casos omissos ou contraditórios; em seu repertório e linguagem específicos, sen-
dade civil. Outra possibilidade é a de uma com- - acompanhamento da eficiência de atividades do muitas vezes necessário elaborar material
posição tripartite, ou seja um terço de repre- cotidianas da Prefeitura, como a concessão de de divulgação diferenciado para cada grupo.
sentantes do poder público, um terço de repre- alvarás e habite-se, projetos urbanos, aprova- É interessante que o Conselho seja precedido
sentantes dos usuários do espaço urbano – so- ção de loteamentos; pela constituição de um fórum, onde a compo-
ciedades de bairro, movimentos de moradia – - estabelecimento de diretrizes para a política sição e o relacionamento entre os diferentes ato-
e um terço de representantes dos produtores urbana local; res possa ser exercitada até que haja maturidade
desse espaço – empresários do ramo imobiliá- - viabilização e garantia da existência de canais para a formalização de uma estrutura operativa.
rio, incorporadores, etc. de comunicação para que a população se faça Deve-se atribuir grande importância à cria-
Se não for garantida uma composição equilibra- ouvir em caso de protesto ou reivindicação; ção do Conselho, para que a população se
da, o Conselho pode perder sua função de canal - acompanhamento da elaboração de pareceres mobilize e exponha com clareza os agentes e
de comunicação entre o poder público e a socie- e Relatórios de Impacto Ambiental sobre pro- forças que deverão ser representados. Os se-
dade civil. No município de São Paulo, por exem- jetos – públicos ou privados – que virão a cau- tores importantes não devem estar superre-
plo, o CNLU – Conselho Normativo da Legisla- sar impacto sobre a infra-estrutura ou a vizi- presentados no Conselho, pois podem adqui-
ção Urbana – possui maioria da Prefeitura Muni- nhança do local onde se implantam; rir poder demais. Da mesma forma, setores
cipal, transformando-se, na prática, em mais um - fiscalização da aplicação dos recursos con- importantes não devem estar ausentes, pois
órgão municipal. Por outro lado, se a representa- forme o orçamento municipal; podem passar a questionar a representativi-
tividade da sociedade civil for muito elevada, - acompanhamento das atividades da Câmara dade do Conselho. Estas questões devem ser
corre-se o risco de o poder público perder o com- Municipal na área da política urbana; tratadas o quanto antes: é sempre difícil mo-
promisso com as determinações do conselho. - organização de plenárias e audiências públi- dif icar a composição de um conselho já con-
É fundamental que os representantes do Exe- cas, sempre que necessário, para a discussão solidado, pois isso implica em perdas e gan-
cutivo sejam capazes de levar ao Conselho a de projetos e diretrizes do poder público; hos de poder, e disputas internas que podem
visão e o projeto de desenvolvimento urbano - manutenção de canais de comunicação com imobilizar suas atividades.
da equipe da Prefeitura. Devem ser capazes de outros órgãos da administração cujas compe- A Prefeitura deve ter claro que a existência do
debatê-los e de trazer aos órgãos governamen- tências influam na condução da política urba- Conselho – assim como qualquer mecanismo
tais o resultado dos debates e as deliberações na local – incluindo outros conselhos – garan- de participação popular na administração pú-
do Conselho. tindo assim unidade nas ações da Prefeitura; e blica – implica uma partilha de poder. A popu-
aprovação de projetos que se utilizam de recursos lação, adquirindo voz ativa na gestão da cida-
do Fundo Municipal de Desenvolvimento Urbano. de, pode expressar posições contrárias às do
executivo, que deve estar preparado para nego-
ATRIBUIÇÕES ciar e ceder em alguns pontos. As tensões e
CRIAÇÃO DO disputas serão tanto maiores quanto maior for
Dentre as atribuições do Conselho de Desen- o poder atribuído ao Conselho.
volvimento Urbano podemos listar: CONSELHO Abrindo mão de parte do poder, a Prefeitura
- gestão de diretrizes municipais globais, como ganha na medida em que a sociedade se envol-
o Plano Diretor, a Lei de Uso e Ocupação do É importante que a Prefeitura tenha clareza de ve nos processos, responsabiliza-se pela ges-
Solo, a Lei de Parcelamento, o Código de seus objetivos e das implicações da criação do tão e trabalha por ela.

RESULTADOS
A existência de um Conselho de na sobre todas as questões re- tor e zonas de preservação am- de governar: o Conselho é uma
Desenvolvimento Urbano pode ferentes à regulação urbanísti- biental, sendo o promotor de di- instância permanente de acompa-
ampliar a participação da po- ca e sobre projetos de grande im- versas discussões e embates en- nhamento das atividades do po-
pulação nas intervenções do pacto junto ao meio ambiente e tre os setores. der local, e dessa forma pode-se
Executivo. a infra-estrutura urbana. Tem Outro resultado da atuação de um evitar abusos de poder. O Conse-
O Conselho pode produzir uma tido papel importante nas dis- Conselho eficiente é o aperfeiço- lho pode impedir abusos na pos-
cidade ambientalmente mais cussões relativas ao Plano Dire- amento de formas democráticas se da terra, como a instalação de
sustentável, intervindo com agi- condomínios fechados em áreas
lidade em problemas de inva-
PROPOSTA DE COMPOSIÇÃO DE UM CONSELHO TRIPARTITE centrais, que prejudicariam a cir-
sões ou ocupações de áreas de Poder Público Sociedade civil culação na cidade. É por excelên-
Legislativo municipal Associações de bairros cia o canal por onde a sociedade
ecossistemas frágeis, como en- Executivo Municipal – secretarias en- Movimentos de moradia
costas, beiras de córregos ou áre- volvidas com as questão urbana (pla- ONGs expressa reivindicações e denún-
as de mananciais. Pode monito- nejamento, obras, saneamento, ha- Entidades ambientalistas cias. Em Vila Velha-ES, o Conse-
rar permanentemente a emissão bitação, meio-ambiente) IAB lho Comunitário é um dos fóruns
Órgãos Estaduais (instâncias metro- OAB
de poluentes por parte de indús- politanas ou regionais, recursos hí-
mais importantes para a popu-
Setores empresariais lação local. Em um episódio de
trias, mobilizando a população dricos, órgãos do meio-ambiente) Associações de industriais
contra eventuais abusos. Em Na- Universidade Associações de comerciantes desvio de um financiamento por
tal-RN, o CONPLAM – Conselho da Incorporadores imobiliários parte da Prefeitura, o Conselho
Planejamento e Meio Ambiente SECOVI entrou na Justiça e conquistou a
SEBRAE
– é o órgão gestor do sistema de posse de um grande terreno para
planejamento e da política am- Autor: Renato Cymbalista - Consultores: Raquel Rolnik, Nelson a construção de habitação de bai-
biental municipal. Aprecia e opi- Saule Jr. , Maria do Carmo A. A. Carvalho xa renda.
Instituto Pólis- Rua Cônego Eugênio Leite, 433 - São Paulo - SP - Brasil
CEP 05414-010 - Telefone: (011) 853-6877 - Fax: (011) 852-5050
- e-mail: polis@ax.apc.org

Оценить