Вы находитесь на странице: 1из 147

Como casar com um Principe

Kathryn Caskie

Serie Irmãs Royle - 03

LONDRES ,1815

UM SONHO DE CINDERELA
Princesas costumam usar uma tiara na cabeça.Sendo assim quando a tiara
lhe servir, não desista de usa-la.E é isso exatamente que Elizabeth Royle
pretende fazer.Afinal se não conseguiu ser reconhecida como a filha de um
principe o minimo que merece por direito é se casar com outro.
Elizabeth a mais nova das formosas irmãs Royle, quase perde os sentidos
quando encontra seu futuro marido, um homem que antes tinha visto
unicamente em sonhos , e que descobre tratar-se de um principe.Sua
alegria porem , dura pouco, pois ela logo fica sabendo que Leopold está
noivo de outra jovem,ninguém menos que a princesa Charlotte.
Qualquer outra mulher na mesma situação recuaria , mas não
Elizabeth.Afinal ,ela é uma Royle...Recusando-se a abrir mão de seu
sonho.Elizabeth assume a posição de dama de companhia de Charlotte,
determinada a se aproximar de seu par perfeito.Mas o homem que ela
deseja , não é quem parece ser...e somente depois de descobrir a verdade
ela encontra o amor pelo qual ela esperou a vida inteira...

Capítulo 1

Um casamento Royle

Estava chovendo ... um pouco.

Apenas um pouco, sua irmã havia dito.

Elizabeth Royle olhou para a saia bordada pingando de seu vestido de musselina
jaconet andando e tornou-se instantaneamente náuseas. Foi certamente arruinado.

Ela e Anne tinha apenas andado por dois minutos e já estava encharcado até os
joelhos. O guarda-chuva que compartilhavam não tinha feito nada para proteger o seu
vestido ou manto azul de crepe das folhas brancas de chuva descendo Pall Mall.

Sua Bourbon ensemble andar nunca mais seria a mesma.

Ever.

Teve sua irmã Anne não foram deixando para sua lua de mel em Brighton, no dia
seguinte, Elizabeth nunca teria concordado em comprar com ela por alguns
fundamentos indumentária em um dia tão horrível como esta.

Mas ela também precisa entender a sua irmã para o traje apropriado viajar. Elizabeth
tinha há muito tempo aprendeu a importância de aparecer vestida impecavelmente
limpos e em todos os momentos.

Porque, um gorro cuidadosamente escolhidas, por exemplo, poderia camuflar, não


apenas uma massa de menos de cabelo da moda vermelho, mas proteger a pele do
osso branco do sol e evitar a aspersão de sardas por todo o nariz e bochechas que
inevitavelmente acompanhar quaisquer acidental picotar da pele.

Então, quem melhor do que ela pudesse apreciar o valor de um guarda-roupa


especialmente selecionados para destacar os atributos físicos, enquanto distrai a
atenção de outras menos características desejáveis?

Pelo menos o passeio neste dia tinha lhe proporcionou a oportunidade de, antes de
Anne deixou a sua viagem, começar a dizer a sua irmã sobre o homem tinha a
intenção de se casar.

Afinal, era possível que Anne gostaria de adiar sua lua de mel, a fim de assistir ao
casamento. Embora, de Anne adiar sua viagem provavelmente seria mais provável se
Elizabeth tinha uma data para o casamento.

Ou, pelo menos, o nome do noivo.

"Oh, céus, Lizzy, que não significa nada. Foi apenas um sonho ", disse Anne, rolando
seus olhos âmbar.

"Não, não era. Era muito mais. "Elizabeth parou abruptamente, fazendo com que um
casal aborrecido com inesperadamente veer fora do pavimento úmido na lama
squishy orla da rua.
"Como assim?" Tom de Anne levantou com interesse falsa, e ela parecia estar
tentando sempre tão difícil estender os limites de sua paciência.

Elizabeth empurrou um bloqueio de cobre que pendiam soltas antes de seu olho
sobre o ouvido dela. "Juro para você, Anne, ontem à noite eu envolvi um pedaço de
seu bolo de casamento e colocá-la debaixo do meu travesseiro, exatamente como a
Sra. Polkshank tinha avisado, e funcionou, eu sonhei com ele, o homem que eu iria
casar."

Frustrado, Anne peladas uma névoa umedecido onda dos cabelos de ouro de sua
testa, em seguida, agarrou o braço da irmã e começou sua Pall Mall para baixo
novamente. "E ele era um príncipe ...?"

Heat subiu em face de Elizabeth. "Bem ... sim."

"Você não vê como absurda esta noção é? Como você está tão certo de que ele é
royalty? O que você viu em seu sonho? "Anne levantou uma sobrancelha cínico em
seu enquanto caminhavam, mas apenas esperou um momento para uma resposta
antes de tagarelas. "E, devo lembrá-lo, era apenas um sonho, um sonho, Lizzy."

"I-eu não vi nada que indicasse a sua capacidade real. Eu só ... senti-lo ", Elizabeth
tentou explicar. Como ela pôde fazer Anne entender quando ela própria não? Ela
apenas sabia.

"O que você vê, então? É inteiramente possível que você está apenas interpretando
mal o que você viu, você sabe. "Anne tinha obviamente notou seu constrangimento e
procurou acalmá-la.

"Que ele está gloriosamente bonito, embora haja um ar de força controlada sobre ele.
Eu podia vê-lo na forma proposital, mudou-se. A forma como outros se moviam ele,
adiada para ele. "Um sorriso tocou seus lábios.

"E sobre o seu cabelo, seu rosto? Ele tem um nariz comprido, uma toupeira com um
fio de cabelo projetando a partir dele, ou um queixo fraco, alguma característica que
possa ajudá-lo a identificá-lo no meio da multidão? "Anne sorriu impishly.

"Seu rosto é lindo. Perfeito. "Ela fez uma careta de Anne. "E eu o reconheceria em
qualquer lugar. Seus olhos são tão incomuns. "Elizabeth dobrados e olhou para cima,
passando pela borda do gotejamento de guarda-chuva. "Eles são como chumbo
cinzento como este céu, mas um fino anel de cerca de verão azul-los. Eu nunca vi
olhos como que, exceto no meu sonho. "

Elizabeth se afastado, perdido na memória de todos aqueles olhos de assombro.


Instintivamente, ela se virou ao som de uma parelha de cavalos clopping passado. Ela
se esforçou olhos, mas com a chuva eo nevoeiro espesso subindo da rua, ela não
conseguia ver nada, mas uma sombra enorme lentamente a passar por eles.

"Lizzy! Manter a pé. Estamos quase a loja de tecidos. "Anne apertou o braço de
Elizabeth e lhe pediu junto, conversando enquanto caminhavam. "Diga-me mais sobre
seu cavalheiro."

"Se você insistir." Ela sorriu. "Seu cabelo é grosso, escuro e ondulado, e sua pele é
quase de ouro, como se tivesse gasto uma quantidade considerável de tempo fora de
portas".
"Bem, é claro, então." Anne riu teasingly. "Está se casar com um agricultor." Ela
parou por um momento, então formado uma expressão de preocupação mock. "Oh,
querida, Lizzy. Seu tutor não gosto muito disso. "

"Anne" Isso não foi divertido Elizabeth em tudo.

"Gallantine eo Rakes Velha de Marylebone aceitará nada menos que um par do reino
para a única filha solteira secreto do príncipe de Gales." Ela fingiu um suspiro triste.
"Mas ... se você sonhava em casar com um fazendeiro, eu suponho que deve ser
verdade." O braço de Anne ganhou uma pitada de hard Elizabeth.

"Por favor, não me zoa com isso. E, eu lhe disse, ele é um príncipe, por isso vou ser
uma princesa. Tenho a certeza disso. Todos os meus desejos mais grandiosos estão
prestes a se tornar realidade. "

Um sorriso mal disfarçado contraiu os lábios de Anne. "A princesa, hein? Cuidado com
o que você deseja, Lizzy. Eu ouso dizer, a vida de uma princesa não é todas as bolas e
enfeites. "

"Eu não estou tomando essa premonição levemente, irmã."

"Oh, é uma premonição agora, não é?" Anne riu, obviamente, não compreender como
esse pressentimento vivo foi a Elizabeth. "Por favor, prometa que você não vai colocar
todas as suas esperanças em um sonho."

"Meus sonhos não vir a passar ... com freqüência, também." Elizabeth flicked uma
sobrancelha para cima em aborrecimento.

"Sim, é verdade, mas apenas a metade do tempo. E mesmo assim, você começa
geralmente a metade do que você vê de errado. Você faria bem lançar uma moeda de
um centavo para determinar seu futuro. "

Bah! Sua irmã estava apenas repetindo o que Maria, a mais velha (por poucos
minutos) do trigêmeos Royle disse. "Bem, continua a dúvida se você me deve. Mas
não vai ser um ganso depenado quando uma oferta for feita e eu casar antes do
Verão terminar. "

"Antes do verão ... thissummer? Oh, Elizabeth, você nem sequer conheceu o seu
marido-to-be ainda. Não há nenhuma maneira possível, você encontrará um anel de
casamento em seu dedo, em apenas dois meses. "

"Por que não? Você fez, e Maria também, e agora ela eo duque já tiveram um bebê. "

"Oh, querido, por favor, não definir o seu coração neste curso", confessou Anne.
"Você só vai ficar desapontado."

Elizabeth parou de repente, tirar sua irmã a uma parada junto com ela. "Gorblimey.
Anne, é ... ele. Ali mesmo. "

Ela levantou reticule antes dela para esconder o dedo, ela picou na direção de um
cavalheiro, coberto de nevoeiro desce do carro grandiosa Elizabeth já tinha visto.

Mas ele parecia ainda mais fina do que a carruagem dourada. Trançado dragonas de
ouro adornavam os ombros de seu casaco casimira. Várias medalhas militares
estavam presos a uma faixa de cetim vermelho que varreu dashingly em seu peito
largo de seu quadril magra. Duas linhas regimental reta de botões brilhantes,
demasiado brilhante para ser simples de latão, descia seu casaco azul-escuro.

"Certamente você não quer dizer que nobre?" Anne piscou a chuva de seus olhos e
olhou como se a avaliação dele. Claramente, ela não acreditava que este homem era
o de Elizabeth seria casar.

"Certamente, eu faço. Estou certo disso. "Elizabeth viravam a cabeça em sua direção.
"Ele é meu futuro marido."

"Bem, sua pele é um pouco de sol beijou, eu vou dar-lhe muito, mas ele claramente
não é um agricultor." A risada breathy escorregou por entre os lábios de Anne.

Elizabeth glowered a sua irmã. "Você disse que ele era um fazendeiro, e não eu!"

"Eu juro, eu acho que precisamos de um olhar mais atento para verificar a sua
identidade como seu futuro marido." Anne estava fazendo um jogo de presente.
"Venha, Lizzy, vamos segui-lo."

"Sim, vamos." Verdadeira motivação de sua irmã para seguir o senhor não se importa
um pouco de Elizabeth. Ela sabia com certeza que se ela pudesse observá-lo mais de
perto, ela estaria completamente certo, e Anne convencer da validade de seu sonho.

Quando Elizabeth voltou-se para peer-o novamente, porém, ele tinha ido embora.
"Oh, lud! Agora que perdemos ele. "

"Não, nós não temos." Anne inclinou a cabeça para a loja apenas quatro portas
abaixo Pall Mall. "Ele entrou em Hamilton e Companhia, apenas lá."

Elizabeth arregalou os olhos para ver através da neblina e da chuva, e apenas


vislumbrado dois lacaios de libré entrar em uma loja.

"Ah, joalheiro da coroa por nomeação real", acrescentou Anne, com os olhos
brilhando maliciosamente. "Ele é definitelynot um agricultor."

Elizabeth Anne's nervuras pago não mente. Ela apressou o passo, carregando a irmã
junto com ela. "Talvez ele tenha ido para dentro para escolher um anel para mim." Ela
deu a sua irmã uma piscadela brincalhona. "Você já considerou que, Anne?"

O brilho nos olhos de Anne's embotado, de repente, eo seu semblante tornou-se


sóbrio. "Não é em todos, e você não deve, tampouco." Ela exalado como sua
frustração com Elizabeth cresceu. "No entanto, gostaria de se abrigar da chuva, então
vamos para dentro."

Mas Elizabeth parou diante da porta da loja. Um fluxo constante de água despejada
da Hamilton Company e assinar acima, batendo o guarda-chuva, ela e Anne encolhido
embaixo como uma cachoeira que ruge.

Anne puxou-a pelo braço. "Elizabeth, estamos sendo encharcado. Por que você
demora? Ele está certo dentro. Venha comigo. "

Elizabeth tremeu. Se a sua premonição era verdadeira, o seu futuro estava um pouco
além, e ainda assim, ela não conseguia passar por cima do limite.

E se, como Anne afirmou, foi apenas um sonho, uma visão que ela tinha apenas
metade direita?
Antes que ela pudesse se preocupar sobre ele por mais um instante, sua irmã
pressionado o bronze trinco e abriu a porta da loja. Um sino soou como sobrecarga
Anne arrastou-a através da porta, anunciando ruidosamente sua entrada para o lojista
assustado.

O cavalheiro de cabelos de ébano perseguiram olhou para cima do pedaço


resplandecente de jóias que ele estava segurando em sua mão e virou bem. Seus
olhos cinzentos imediatamente bloqueado com Elizabeth.

Anne inclinou-se e sussurrou. "Piedade, que é um broche de diamante e rubi, ele está
considerando, Lizzy, e não um anel para você." Ela exalado. "Você sabe, eu não
consigo me lembrar se você gostou de rubis e esmeraldas. Qual você prefere? "

Elizabeth não respondeu. Não disse uma palavra. Ela não podia. Era ele.

Seu príncipe.

O dono da loja sorriu para Anne. "Boa tarde, senhora MacLaren, Miss Royle".

"Boa tarde, senhor", respondeu Anne distraidamente. "Vejo que você está ocupado,
mas não se preocupe. Minha irmã e eu estamos em nenhuma pressa para ser servido.
Na verdade, estaríamos mais conteúdo navegando em seus casos e prateleiras. "

"Absolutamente, Lady MacLaren." O comerciante sacudiu uma curva rápida. "Mas eu


terei meu filho Bertrum atender às suas necessidades neste momento."

Elizabeth arrancou seu olhar de seu destina-se e olhou cegamente na caixa de vidro
com um par de earbobs gota de âmbar, mas ela podia sentir o calor dos seus olhos
ainda em cima dela.

"Vem, Lizzy. Olhe para estas tiaras. Ora, eles estão aptos para uma princesa.
Impressionante, simplesmente deslumbrante. "

Tiaras? Suas bochechas ardiam agora, e ela correu para apanhar a sua irmã, que
tinha andado em toda a loja, profundo e estreito e estava quase apertando o nariz
contra o vidro para uma melhor aparência.

"End estes jogos de uma só vez, Anne," Elizabeth sussurrou quente no ouvido da
irmã. "Você não é o menos divertido e suas artimanhas são envergonhar-me."

"Estou só brincando, Lizzy." Anne sorriu para ela, mas quando seu olhar encontrou os
olhos irritáveis Elizabeth, ela percebeu a extensão do mal-estar da irmã.

"Por favor, pare." Peito de Elizabeth reforçou como ligações corset como seus nervos
desgastados mais.

"Eu peço desculpas. Realmente, eu faço. Embora essas tiaras ... são lindos, não são?
"Ela se virou e olhou por cima do ombro por um instante, depois abriu um grande
sorriso e falou calmamente por entre os dentes. "É ele?"

Elizabeth chupou os lábios em sua boca e deu-lhe um aceno de cabeça.

"Você tem certeza?"

"Sim." Ela apertou o pulso de sua irmã e puxou-a para mais perto. "Oh, Deus. O que
devo fazer? "
Anne olhou para o senhor de novo, hesitante e Elizabeth seguiu seu olhar. Agora ele
estava examinando um colar pingando gotas graduado de esmeraldas verdes e
pérolas de neve.

"Primeiro, tire o chapéu murchas." Anne whisked o capô Bourbon encharcado, com a
sua pena pingos branco, da cabeça de Elizabeth e empurrou-o sob o seu próprio
braço.

"Anne, você está esmagando-o," Elizabeth terreno fora entre os dentes. "E ele vai ver
o meu cabelo horrível."

Anne não respondeu. Seus olhos momentaneamente um tiro na direção do cavalheiro


bonito novamente, e então ela rapidamente arrancou quatro grampos de cabelo de
Elizabeth, o envio de uma cascata de cachos vermelhos caindo pelas costas.

Antes de Elizabeth pudesse protestar, Anne tinha enfiado os dedos pelos cabelos
emaranhados-capota na sua coroa para restaurar a plenitude de seus cabelos crespos
brilhantes. "Bem, agora, muito melhor."

Elizabeth empurrou as mãos da irmã longe e pegou o chapéu encharcado, mas Anne
virou para que ela não poderia recuperá-la.

"Estou apenas tentando ajudar. Você quer apresentar bem, Lizzy, você não? "

Uma voz masculina chamou twittering de trás da loja. "Oh, querida Lady MacLaren e
Miss Royle. Como é lindo você veio ao nosso humilde estabelecimento neste dia. "

Assustado com a intrusão, Elizabeth agarrou sua cabeça ao redor para ver um rapaz
com um casaco azul e closefitting ainda mais apertado, calças em tons de carvão
correndo na direção deles, acenando com as mãos com entusiasmo no ar. "Estou
chegando ao seu serviço, minhas senhoras bom. Não se preocupe! "

Elizabeth ângulo a cabeça para a irmã. "Como os lojistas sabem os nossos nomes?"

"Eles provavelmente lê-los em theTimes", respondeu um rico e ressonante voz


masculina vinda diretamente atrás dela.

olhos de Elizabeth widened.Gorblimey. Ela sabia que estava ali, tão perto que podia
sentir o calor que irradia de seu corpo.

Anne secretamente afundado um cotovelo para o lado de Elizabeth. "Vire-se", ela


sussurrou quase indetectável.

Lentamente, Elizabeth rodar a cabeça em sua direção, seguindo o seu ritmo com o
corpo de um segundo mais tarde escasso, até que ela encarou-o completamente e se
encontrou com seu olhar penetrante.

Ela não conseguia parar de olhar.

Lud, de proximidade, ela podia ver um anel de bordas azul claro a cinza prateado de
seus olhos. Ela suspirou e um tremor sacudiu através dela. Qualquer dúvida quanto à
sua identidade evaporado naquele instante.

Este homem que está à sua frente havia sido arrancada diretamente do seu sonho.
Não havia nenhuma pergunta. Ele foi o senhor que ela um dia iria se casar.

Anne girou sobre, provavelmente após ter ouvido a reação dela surpreso com o
homem. A irmã dela, piscou com espanto quando ela, também, distinguir a cor
incomum dos olhos-exatamente como Elizabeth havia descrito. Anne colocou a mão
ao peito. "I-Perdão, senhor, parece que nenhum de nós tinha consciência de sua
abordagem."

"Eu me desculpo, Lady MacLaren. Eu não queria assustá-lo ... ou Miss Royle. "Ele
exalava um ar áspero, como se um pouco embaraçado. "Miss Royle pediu ... e, bem,
eu só queria explicar-lhe que o seu casamento, Lady MacLaren, foi relatada em
theTimes. "

"E todos os jornais de outros no reino", disse o funcionário da loja jovem desabafou.
"Vi pelo menos quatro caricaturas de vocês dois. Seria difícil confundir seus rostos.
Porque, Lady MacLaren, o seu noivado em Almack bola ainda está a falar de Londres.
"

"Bertrum!" Mr. Hamilton assobiou, e enfiou o dedo na direção da despensa. "Há uma
transferência a ser inventariado. Por favor, veja a ele de uma vez. "Hamilton, o mais
velho, olhou para seus clientes. "Eu imploro seu perdão. Perdoe meu filho. "

Bertrum Hamilton, percebendo que ele tinha esquecido o seu lugar, voltou-se
desanimado nos calcanhares e começou lentamente para o fundo da loja quando
Elizabeth pretenso noivo inesperadamente chamado para fora. "Jovem".

Bertrum virou-se e encontrou seu pai olhar reprovador. Recebendo um aceno de


consentimento hesitante, ele aproximou-se novamente, com a cabeça pendurada
baixa. "Peço perdão, Sua Alteza Real. Como posso servir? "

Sua Alteza Real? Elizabeth engasgou novamente, e olhou imediatamente para Anne,
cujos olhos dourados tinha ido de largura.

"Sua Alteza Real? Não, não, você me engano para outro. "A vermelhidão distintas
varreu as maçãs do rosto do cavalheiro.

"Have I?" Testas de Bertram migrou para a ponte de seu nariz estreito. "Eu imploro
seu perdão ... o senhor é."

Elizabeth virou príncipe do funcionário, endireitou as costas, e peito expandido,


enquanto se preparava para abordar as mulheres. "Por favor, desculpe-me, Lady
MacLaren, Miss Royle, mas o seu comentário sobre as tiaras estar apto para uma
princesa me chamou a atenção. E eu acredito que você estava correto em sua
avaliação. As tiaras são lindas. "

"Sim, eles são." Elizabeth sorriu para o príncipe. Um filete de água escorria de um
cacho de cabelo e em seus cílios, tornando-flutter loucamente. Gads, ela deve
aparecer veriest de ridiculamente encantados misses.

Suas sobrancelhas ligeiramente levantada e ele retornou com um sorriso confuso.


"Quando me aproximei, minha querida senhora, eu havia pensado apenas para pedir
um pequeno favor. Eu não deveria mesmo ter pensado, ou falado com você, mas
agora que eu tenho, eu sou obrigado a dever-me fazer conhecida a vocês dois. Estou
Lansdowne, Marquês de Whitevale. "Ele curvou-se profundamente. "Eu espero que
você perdoe a minha impertinência anterior."
Da periferia de sua visão, Elizabeth viu o atendente rolar os olhos não acreditando.

Dentro de um punhado de momentos, Anne tinha polidamente introduzidas ambos.


"Meu senhor, o favor que você gostaria de pedir de nós? Seria uma honra para o
ajudar no que for possível. "

"Eu, eu ..." Ele apontou para o funcionário. "Essa tiara, lá. A uma das senhoras estava
a ver. "

Young Bertrum Hamilton chegou em caso de jóias e levantou uma tiara de diamantes
brilhantes de um tufo de veludo preto. "Esta, meu senhor?"

"Sim." Ele pegou a tiara incrustada de jóias do secretário e, em seguida, estendeu


para Elizabeth. "Você poderia tentar um presente para mim ... em apenas um
momento ou dois? Por favor. "

Elizabeth nervosamente forçou um sorriso educado e concordou. Ela chegou para a


tiara, mas o Senhor Whitevale repente acenou a mão.

"Permita-me, Miss Royle?", Perguntou ele.

Uma vez mais Elizabeth assentiu mudamente. Suas mãos tremiam tão violentamente
que ela provavelmente não seria capaz de posicioná-lo sobre a cabeça de qualquer
maneira adequada.

Ela não disse uma palavra. La, ela mal respirava, por medo de que ela gritava com
excitação. Seu coração batia forte como ele levantou a tiara brilhante e facilitou-nos
caracóis dos seus cabelos vermelhos como ele resolveu a questão sobre sua cabeça.

Seu sonho era tornar-se realidade. Ela sabia!

Bem, pelo menos, uma meia-verdade. Então, Senhor Whitevale não era um príncipe.
Mas isso era irrelevante. Aqui ela estava com uma tiara de diamantes brilhantes na
cabeça, colocado ali pelo homem dos seus sonhos.

Quem alguma vez teria pensado um dia tão miseravelmente infeliz se tornaria tão
brilhante? Ela levantou os lábios com o pensamento, ganhando um sorriso recíproco
do Senhor Whitevale, que aqueceu seu corpo refrigerados das pontas dos dedos
úmidos para a coroa da cabeça.

Então, sem aviso, ele delicadamente arrancou a tiara da cabeça e se virou para o
funcionário. "Sim, é isso. Será que você tem enviado para esta Cranbourne Lodge
neste mesmo dia? E coloque isso, você vai? "Ele retirou uma carta de dentro do
casaco e entregou a Hamilton jovens.

O caixeiro fez uma reverência. "Sim, Vossa Alteza Real, quero dizer, sim, meu
senhor."

"Meus agradecimentos, Miss Royle. Você fez a minha decisão para mim ", disse Lord
Whitevale. "Eu não tenho dúvida, isso vai servir-lhe perfeitamente."

Ela? Ele vai servir dela? Apenas quem é ele a falar?

Totalmente confuso, Elizabeth olhou para ele, esperando por uma explicação, mas ele
não se dignou a fornecer um. Ao contrário, ele e seu lance Anne boa tarde, então
abruptamente encerrar a loja e seus lacaios em seguida a chuva densa.
"Bertrum", disse Hamilton, o mais velho, murmurou um pouco alto. "Por que você
insiste em referir-se ao Senhor Whitevale como Sua Alteza Real?"

Bertrum não se incomodou baixando a voz. Seu tom de voz Elizabeth disse que ele
significava para eles para ouvir suas palavras. "Porque é que ele é. Eu vi o seu cortejo
chegar há dois dias. Eu estava na frente da multidão que se reunira para o espetáculo
e eu vi claramente. E aqui, olha o selo do lacre sua carta. "

Abruptamente, Bertrum pressionado a carta simples para o caso de vidro e realizou


uma pequena lâmpada a ele antes que seu pai poderia pegar a carta de distância. "Eu
sabia. Olhar de perto. Sua assinatura é visível através do papel almaço.

"Eu me desculpo, senhoras," Hamilton gaguejou o velho. "Eu lhe asseguro, não é esse
o jeito que eu realizar negócio. Toda compra é totalmente confidencial ".

Elizabeth não se importava com isso um figo. Ela derrotou a sua nova amiga Bertrum
com o mais grave de olhares. "Quem é ele ... realmente? Por favor me diga. Eu
preciso saber. "

Aparecendo mais se orgulha de suas habilidades dedutivas, Bertrum ergueu o queixo.


"Esse cavalheiro, Miss Royle, não era outro senão Saalfield Leopoldo de Saxe-Coburg-.

pernas de Isabel oscilava como se dar por debaixo dela, forçando-a a lutar por uma
cadeira nas proximidades. "Você não quer dizer ... PrinceLeopold de Saalfield-Saxe-
Coburg?

Bertrum sorriu. "Na verdade, eu faço."

Anne empalideceu e ela redirecionado o seu olhar para Elizabeth. "Não ouvimos a
vibração, a musicale Kirk eu acredito, que a princesa Charlotte criou recentemente o
seu boné para o príncipe Leopold?

"Oh, 'tis não apenas conversa, Lady MacLaren," Bertrum interveio. "TheTimes
informou que tem havido conversações secretas no Parlamento sobre apenas como
uma união entre as famílias. Embora nem todos os membros concordam. Eu, por
exemplo, iria escolher o príncipe Leopold para a princesa Charlotte. Você percebeu o
tamanho dele, porque ele é um líder nato, se eu nunca vi um. "

"Bertrum!" Hamilton o mais velho agarrou.

Um começou a latejar na cabeça de Elizabeth quando ela percebeu que esta


revelação realmente significava para ela. Ela trouxe a ponta dos dedos para seus
templos, esperando para esfregar fora a dor. Mas ela sabia que era inútil.

Sua rival para o seu pretendido afeto era ninguém menos que a Princesa de Gales.

Senhor, ajuda-la agora.

Capítulo 2

O Hotel Clarendon
Londres

"Damned infeliz de você me mandar sair nesse frio terrível sangrento". Sumner
Lansdowne, Marquês de Whitevale, acrescentou um toque final de conhaque para
cada um dos dois copos de cristal pesado antes dele. Ele virou-se e entregou uma a
seu primo ao lado dele, então, levantou o copo para outras seus próprios lábios e
bebeu.

"'Twas tudo em nome do amor." Leopold, Príncipe de Saxe-Coburgo-Saalfield, riu


silenciosamente em seu copo antes de olhar de soslaio para Sumner. "Alguém tinha
que sair. Além do mais, foi você quem insistiu para que eu permanecer nessa prisão
dourada de um hotel ... onde é seguro ".

"Você seria um tolo se aventurar em público após o evento de ontem." Sumner


empatou um grave olhar Leopold como ele trouxe o cristal na boca e, lentamente,
bebeu a aguardente.

"A bala poderia ter sido feito para você, Sumner, você já pensou nisso? Sobrancelha
esquerda arqueada como Leopold levantou a noção de ridículo. "Ou, simplesmente,
um folião na multidão disparando sua pistola no ar. Você deve aproveitar esta tão
sério? "

"Sim, eu devo. E assim que você deve, Leopold. Sua vida pode muito bem depender
dele. Nós não temos escolha, mas para exercer extrema cautela durante esta
missão ... que é ... durante a nossa estadia em Londres. "

"A missão, eh, primo?" Leopold lábios tremeram cima. "Você faz isso soar como uma
campanha militar. É preciso lembrar que estou em Londres para cortejar uma mulher,
não para usurpar o trono. "

"E eu estou aqui para garantir sua sobrevivência. Que o primo, é minha missão.
"Sumner derrubado para trás seu copo e puxou um longo gole de conhaque, em
seguida, cerca limpou a boca com as costas da mão.

Tanto quanto Leopold pretendia demitir o perigo de sua presença em Londres, ele
não era nada se não brilhante e calculista. Sumner estava bem consciente de que ele
sabia do risco para a sua própria vida pelo simples fato de aparecer sem convite real,
para ganhar a mão da princesa de Gales, especialmente quando um outro lugar de
apoio tanto nos escalões mais poderoso do Parlamento.

"Ou você pode ignorar as ameaças e divirta-se em Londres," o príncipe murmurou.

Sumner bateu com o copo na mesa. "Leopold, devemos proceder de acordo com a
premissa de que o tiro foi dirigido a você, e foi possivelmente disparado por alguém
associado com aqueles que enviaram as cartas ameaçadoras."

"Sempre o meu protetor." O príncipe olhou para baixo e pensativo rodou o conhaque
no copo. Pelo menos Leopold tinha ouvido falar dele. "Olhe aqui, Sumner, eu sei que
você está apenas fazendo o seu dever, mas isso é extraordinariamente difícil para
mim. Estou habituado a conduzir a carga em todo o campo, não cowering no treeline
".

"Você não está encolhida. Você está sendo prudente. "

"Então você diz." Leopold deixar seu olhar pista em toda a sala, onde fixa-lo para a
grande janela centrada ao longo da parede leste. Ela pode muito bem ter barras sobre
o vidro.

Sumner exalado, muito consciente do quanto ele irritou Leopold, um soldado


altamente qualificados em seu próprio direito, a ser vigiado e ordens de seu primo.
Para ser forçado a permanecer longe do perigo. Mas os acontecimentos ao longo dos
últimos dois meses fez uma guarda pessoal para o príncipe uma necessidade triste, e
Sumner era a única escolha lógica e prática. Suas reações foram imediatas, o seu
Inglês era perfeito, suas habilidades de arma afiada, e sua lealdade à família Coburg
incomparável. A família sabia que Coburg ele iria colocar a vida de Leopold, antes
dele, que era precisamente o que ele tinha sido confiada a fazer.

"Cartas ..." como se algo tivesse ocorrido de repente Leopold, ele desviou o olhar
para Sumner. "Falando de letras, meu bom homem, você com o meu incluído, o que
você escolheria?-Acho que eu deveria saber para que eu possa responder com
conhecimento de quando ela comenta sobre o meu dom."

"A tiara". Sumner suspirou baixinho, lembrando-se aos olhos do sedutor Miss Royle
desgastá-lo. "Foi uma tiara ... apto para uma princesa."

"Ah, sim", respondeu ele com um ar distinto de desinteresse entediado. "Tenho


certeza de que você fez uma escolha adequada. Mas, você fez incluir a letra, você
não? "

"Sim, Idid. "Sumner assentiu com a cabeça, espantado com a fluidez atenção do seu
primo tinha mudado a partir de tentativas de assassinato da princesa Charlotte. "E, eu
estava enganado rapidamente para você, mais uma vez. "

expressão Leopoldo escuras, Sumner olhos dele desde as raízes do seu cabelo escuro
para as pontas de suas botas brilhando. "Francamente, não vejo a semelhança. Está
pelo menos o comprimento de uma mão menor em estatura. "Sumner sorriu quando
ele teve um sabor persistente de seu conhaque.

"E com ombros do guerreiro e os braços de músculos atados", ele continuou, "você
não tem a elegância e requinte que possuo em abundância." Leopold olhou com
altivez pelo nariz aristocrático de seu primo, depois franziu os lábios e balançou as
sobrancelhas escuras .

Sumner tentou parar o carregamento gargalhada até sua garganta, mas Leopold,
sempre tão formal em público, apenas olhou tão maldito absurdo. espíritos Carmel-
hued vomitou tudo sobre as linhas de vidros duplos posicionados em cima da mesa de
madeira de cetim diante dele em um ataque de riso e tosse.

Sumner um vislumbre de movimento e olhou para os dois lacaios de libré posicionado


atrás da porta. "Peço desculpas, cavalheiros", disse ele. "Tenho medo do meu primo é
grande falta de boas maneiras."

"Eu?" Olhos de Leopold arredondado. "Sinto falta de boas maneiras?" O príncipe virou
para olhar para os lacaios ea empregada correndo para o quarto. "Ele é a culpa."
Leopold voltou a enfrentar o seu primo e se levantou na ponta dos pés para olhar
Sumner diretamente nos olhos. "Eu, senhor, sou o próprio modelo de um nobre
soberbamente educado." Ele caiu para trás sobre os calcanhares e olhou para os
lacaios, como se para garantir que eles tinham ouvido falar dele.

Não que ele deve ter importância para ele, pelo menos, mas a confundir constante
Sumner para o Príncipe de Saxe-Coburgo-Saalfield parecia rankle Leopold para
nenhum fim.

A empregada, olhos baixos demurely, corriam mais para arrumar a mesa, enquanto
os lacaios resolvidos os óculos brandy, salpicada em cima de uma bandeja para
remoção. Quando terminaram, os lacaios e curvou-se profundamente a empregada
deixou cair um pouco antes de reverência Sumner, e então todos os três viravam suas
cabeças em reconhecimento ao apoio antes de Leopold para fora da sala.

"Você notou isso? E você? "Leopold bufou. "Porque é que mesmo quando estamos
lado a lado, as pessoas assumem que você é o príncipe e não eu?"

"Eu disse a você", Sumner sorriu antes de terminar sua frase, "é a minha estatura
imponente." Ele bateu no ombro de Leopold e chamou-o para as duas cadeiras
douradas posicionadas de cada lado da lareira. "É por isso que meu plano vai
funcionar perfeitamente."

"Muito bem". Leopold soprou um fôlego de seus pulmões quando ele se sentou e
inclinou-se contra o encosto em tufos. "Diga-me, o que está na mente inteligente que
militares de vocês?"

Cavendish Square
Senhora da biblioteca Upperton

Elizabeth tentou arduamente evitar olhar para Lady Upperton desvaneceu-se os olhos
azuis como ela aceitou o prato de chá com ela. Ela não podia suportar mais uma
expressão do ceticismo de alguém que se preocupava, e muito menos do seu
patrocinador próprio. "Eu sei que isto é extremamente difícil de acreditar, Lady
Upperton, mas estou bastante certo de que ele é o homem que vai casar. Mesmo que
Anne está tão convencido. "

"Impossível." Lady Upperton ergueu a xícara própria para os lábios e bebeu dela
enquanto olha desconfiado sobre sua borda em Elizabeth. "A palavra turbilhão quarto
Almack do cartão na semana passada foi que o príncipe Leopold secretamente vir a
Londres para pedir a mão da filha do Príncipe Regente, Charlotte ... e que ela é mais
favorável ao jovem atenções, especialmente após o fracasso de um compromisso de
seu O pai havia orquestrado com o ganso magro, William de Orange ".

Elizabeth swished seu dedo indicador de lado a lado. "Eu não acredito nisso.
TheTimes informou que a princesa Charlotte não está mais em Londres. Mas o
Príncipe Leopold é. Anne e eu o vi. "

O vapor foglike levantando-se do copo Lady Upperton tinha uma qualidade de sonho
sobre ele, e ele enviou mente Elizabeth está girando para trás a misty Pall Mall e
depois para o momento em que ela olhou para cima nos olhos do príncipe de prata
como ele colocou a tiara na cabeça .

Não, ele não iria se casar com a princesa Charlotte. Ele marryher. Sabia que em cada
parte do seu ser.

Nunca antes se sentia tal conexão imediata com outro ser humano que ela tinha com
ele. Quando ela olhou em seus olhos pela primeira vez, ela teve a estranha idéia de
que ele era parte do que ela tinha faltado toda a sua vida. A peça que encheu o vazio
doloroso em sua alma. Mas como ela poderia nunca fazer qualquer um entender isso?
Não há palavras para expressar o que sentia conexão com ele.

"Então, querida, você viu o príncipe Leopold?" Lady Upperton resolvido seu prato de
chá sobre a mesa à sua frente e fez o possível para parecer muito confuso. "Por favor,
perdoe-me, querido. Eu pensei que você me disse que tinha encontrado ... oneLord
Whitevale. "Ela levantou as sobrancelhas nevadas e arregalou os olhos na
expectativa, como se ela não antecipar o que Elizabeth resposta seria.
Elizabeth tensos. Ela deve explicar o que havia acontecido de novo?

"Lady Upperton, eu te disse, ele só disse que era o Senhor Whitevale, mas o lojista
provaram sem dúvida que na verdade ele era o Príncipe Leopold. Ele nos mostrou o
selo real, e assinatura do príncipe era claramente visível através do pergaminho ...
"Ela deixou cair sua voz para um murmúrio. "... Quando o lojista realizada uma
lâmpada a ele." Elizabeth chucked queixo. "Digo-vos, o cavalheiro que eu conheci na
loja é o homem que vai casar."

"Oh, Elizabeth." Lady Upperton suspirou, descansando momentaneamente o rosto


com as mãozinhas. Quando ela olhou para cima novamente, a sua irritação era clara.
"Ponha sua esperança fantasia de sua mente, gel. Se aceita Prinny Príncipe Leopold,
uma união entre as duas famílias é uma garantia. "Ela se inclinou e colocou a mão em
cima de Elizabeth. "Você tem que aceitar isso, meu caro."

Houve um som estridente raspagem arrancando sua atenção para o coração frio. Lá,
uma estante como uma porta aberta e uma passagem secreta escuro tornou-se
visível. O ar foi sugado de repente na sala e na boca da porta secreta, tão certo como
se a própria biblioteca tinha inalado.

Lady fofo Upperton de sobrancelhas brancas levantou novamente e um sorriso


elevados os cantos de seus lábios pintados. "Ah, ele está aqui no passado."

Da escuridão da passagem secreta, a forma do Senhor Gallantine magra, idade


entrou pela porta e para a biblioteca à luz das velas. Ele ajeitou a peruca ruiva e, em
seguida, deu um puxão firme de cada manga verde-garrafa do casaco uma vez na
moda.

Ele olhou para as duas mulheres e depois fixou o olhar em cima de Elizabeth, e lá
permaneceu preso como ele se aproximou.

Seu tom não era jovial em tudo. Na verdade, ele parecia estranhamente irritado com
ela. "O que é isso que eu estou ouvindo dizer disparates, gel?", Ele perguntou,
parecendo mais um pouco irritado. "Um príncipe? Um príncipe de sangue? "

Elizabeth levantou-se e deixou cair o senhor idoso uma reverência. Ela fez uma
careta. "Não twaddle em tudo, meu senhor."

Gallantine voltou sua atenção para Lady Upperton tão rapidamente que a mulher
mais velha assustada. "Você foi capaz de falar qualquer sentido para ela?"

Lady Upperton sacudiu a cabeça. Ela jogou as mãos no ar defeatedly. "Ela


convenceu-se, e não se ouvirá qualquer argumento quanto à impossibilidade de
completar a idéia de um casamento real."

Um guincho pequena frustração escapou entre os dentes de Elizabeth. "Isso é porque


eu ainda não ouvi um argumento que prove que estou errado."

"Sério?" Este comentário pareceu intriga Lady Upperton. "Então me permitem


obrigar-lo, fornecendo um".

Elizabeth assentiu com a cabeça hesitante. Ela sempre teve a ver-se em torno de
Lady Upperton eo Rakes Velha. Ela tinha sido avisada sobre eles por sua irmã Maria
logo após seu primeiro encontro com o quarteto de idosos. Estavam todos tão amável,
charmoso e bem-humorada, que era natural que os outros iriam cair seu protetor,
quando deveriam estar em seu mais elevado de alerta para não havia um grupo mais
esperto de toda a Londres do que Lady Upperton ea Velha Rakes de Marylebone.

"Por uma questão de argumento, digamos que o senhor conheceu, de fato, o Príncipe
Leopold," Lady Upperton começou.

"Hewas!" Desabafou Elizabeth.

"Agora, agora, me deixe terminar." Seu patrocinador levantou a mão, o que levou
Elizabeth para fechar a boca. "Então vamos supor que o homem era Leopold. Você
sabia que o Príncipe Regente tem abrigado a filha em Cranbourne Lodge, em
Windsor ... que não está tão distante de Londres, como você bem sabe. "Lady
Upperton cruzou os braços e esperou a reação de Elizabeth.

"C-Cranbourne Lodge, em Windsor?" Ela engoliu o nó que havia subido em sua


garganta.

"Se não me engano, mas então, eu sou velho e minha memória às vezes falha-me ..."
Lady Upperton endireitou as costas e seu olhar tornou-se tão afiado como uma
navalha fresca do couro nitidez. "... Que a tiara, a um conjunto muito o homem em
cima de sua cabeça, era para ser entregue ao Cranbourne Lodge?"

"Y-Sim, foi," Elizabeth como ela balbuciou nervosamente arranhou a lateral do


pescoço. Esta notícia fez pouco de complicar as coisas.

Só um pouco.

Gallantine, que sentou-se, ajeitou a peruca acaju na cabeça. "Agora que você
entende que o príncipe provavelmente pretende se casar com Charlotte, e não você,
que possamos continuar com o negócio de você achar um jogo bom?"

Elizabeth baixou a cabeça e olhou para as folhas de chá rodando no fundo do seu
copo. Apesar das evidências em contrário, ela sabia que tinha sonhado com o futuro.
Como poderia ser esperado para simplesmente ignorar o seu sonho profético e
procurar uma correspondência com outra? Era uma impossibilidade.

O timbre da voz Gallantine mudou, e tardiamente Elizabeth percebeu que ele ainda
estava dirigindo ela.

"Não é uma esfera privada na noite Almack amanhã", ele estava dizendo. "A lista de
convidados é bem a conversa de Mayfair, você sabe."

Elizabeth olhou para cima de sua xícara de chá e balançou a cabeça. "Estamos
presentes. Eu me lembro. Lady Upperton já escolheu o vestido de cetim de esmeralda
para me vestir para a ocasião. Madame Devy prometeu que ela seja entregue no dia
seguinte. "

Gallantine bateu as mãos na knobby joelhos velho e empurrado sobre eles, enquanto
inclinando-se para o momento de ficar em pé. "Perfeito. Há alguém Lotharian Senhor,
Lilywhite, e eu gostaria que você se encontrar. "

Elizabeth olhou para baixo novamente e incidiu sobre as ondas de vapor saindo de
seu copo enquanto ela revirou os céus eyes.Good. Ela contou-lhes o seu curso foi
clara. Ela iria se casar com o príncipe. Não havia dúvida em sua mente.

Porque é que persistem com esse matchmaking sem sentido? Não tenho feito o meu
futuro perfeitamente liso?

Evidentemente que não.

Ela olhou para Lord Gallantine, que parecia bastante satisfeito consigo mesmo,
naquele momento, orgulhoso em qualquer partida, ele, Lord Lotharian e Lilywhite
tinha planejado, sem dúvida, com a ajuda Lady Upperton, sua coorte feminina nesta
loucura matchmaking constante.

Bem, eles poderiam ter conseguido orquestrar perfeitamente adequado para partidas
de suas irmãs, mas o destino estava do seu lado. E não havia nenhuma maneira
possível que ela estava indo para deixar o quarteto intromissão interferir. Ela não iria
de boa vontade junto com ele. E ela lhes diria assim ... em sua própria maneira.

"No entanto," Elizabeth tossiu em um punho fechado: "Eu pensei que poderia se
aposentar tranquilamente em casa ao invés de assistir à bola".

"O que é esse absurdo, Elizabeth?" Senhor Gallantine estreitou os olhos nela.

Elizabeth olhar caiu no chão e ali permaneceu. "Bem, senhor, é só que eu me senti
terrivelmente cansado desde que eu estava encharcado na chuva mais cedo ... e eu
temo que já pode ter um frio no meu peito."

Ela levantou a cabeça e arremessou o seu olhar para os olhos Gallantine, buscando
por qualquer indício de que esta história pode ganhar a sua licença a partir do evento
e qualquer correspondência que ele eo resto do Rakes Velha de Marylebone tinha
planejado para ela.

Gallantine cambaleou para trás longe dela. "Você está doente?" Worry beliscou a pele
enrugada em volta dos olhos, fazendo-o olhar muito mais velho do que seus setenta e
dois anos.

Oh, ela não deveria ter mencionado a doença, uma vez que não era verdade. Mas ela
sabia que doenças de qualquer espécie causados Gallantine tanto quanto, senão
mais, a ansiedade do que os livros não sejam perfeitamente alinhados na prateleira,
um pedaço de fio na lapela, ou desordem sobre a mesa. Foi cruel do que ela use sua
natureza contra ele, terrível, mas poderia pensar em mais nada e só então, lud, ela
teve seu futuro inteiro a considerar.

"Bem, se você estiver doente ..." Lady Upperton parou por um instante e olhou
desconfiado para Elizabeth. "... Trulyill, então você não deve assistir à bola".

Oh explosão. Seu patrocinador sabia, de alguma forma, que ela era apenas elaborar o
conto slapdash para desculpar-se da obrigação social. Ela podia ver nos olhos da
velha. Elizabeth sentiu seu corpo contraem-se e ela encolheu-se na almofada do sofá.

Senhor Gallantine inclinou a cabeça em concordância, fazendo com que a peruca de


escorregar para baixo de seu couro cabeludo para a ponte de seu nariz. Ele empurrou-
o de volta no lugar e depois olhou incisivamente em Elizabeth. "Pena que você não
pode comparecer, querida gel. Certa vez ouvi sobre sua premonição, eu teria pensado
que você iria atravessar a nado o Rio Tamisa para assistir a este baile particular.
"Virou-se com um suspiro alto e começou a voltar na direção da porta secreta na
parede de estantes.

O que é isso? Depois de ouvir minha intuição, ele pensa que eu gostaria de assistir a
bola no Almack é?
"Espere, senhor Gallantine. Por favor! "Elizabeth tiro na mão para a mesa de chá, e
ela de repente deixou cair o prato de chá, enviando-o para baixo ruidoso sobre a
superfície polida.

"Oh!" Lady Upperton pulou ao som e bateu a mão para acalmar o peito. "Gallantine,
você tem mexido muito com ela também. Não voltar e sentar-se. "

Elizabeth pulou e correu atrás dele. "Por favor, volte e explicar o que você quer
dizer?"

Gallantine parou de andar no momento em que bateu em seu ombro com os dedos.
Ele puxou o braço de distância, olhando para o lugar onde ela havia tocado, em
seguida, se virou lentamente para encará-la.

"I-Peço desculpa, Senhor Gallantine," Elizabeth escondeu as mãos atrás das costas,
"Eu não deveria ter colocado a mão sobre seu braço dado a minha doença yetunlikely
possível ...." Ela escorregou o pé para trás um ritmo para acalmá-lo. "Eu só queria
saber o que você quis dizer com seu comentário. Por que eu quiser se aventurar a
essa esfera particular? "

"Demorou Lady Upperton completamente uma quantidade considerável de fazer para


ver o seu nome para o lista de convidados de grande prestígio. "Lady Upperton
Gallantine deu um aceno de reconhecimento, um gesto para que ela respondeu na
mesma moeda.

"Eu não sabia." Elizabeth virou-se e deixou cair uma reverência ao seu patrocinador.
"Meus agradecimentos, Lady Upperton. Você é muito bom para mim. "Quando Lady
Upperton inclinou a cabeça em resposta, Elizabeth voltou sua atenção para o
cavalheiro e esperou que ele respondesse a pergunta que ela tinha colocado.

Levou vários momentos muito antes de ele se dignou a forçá-la. "Ora, eu pensei que
você tinha ouvido falar." Quando ele olhou através da biblioteca de Lady Upperton
mais uma vez, Elizabeth perseguiu o seu olhar com seus próprios.

Lady Upperton abanou a cabeça tristemente. "Eu digo, Gallantine, ela não deve
saber. Embora eu não vejo que vantagem há para dizer-lhe agora. Ela está muito
doente para comparecer, afinal de contas ".

"Por favor. Eu preciso saber. "Eles estavam brincando com ela, e ela estava
plenamente consciente deste fato. Alguém de grande importância e deve ir ao pé.
"Por favor, me diga." Elizabeth torceu as mãos.

Talvez até mesmo ... ele.

Oh, Deus, poderia ser verdade?

Incapaz de conter sua excitação crescente, ela deu um passo apressado em direção
Gallantine.

"Não, não." Alto, magro visconde sacudiu a cabeça, mandando a peruca de giro para
a esquerda, depois à direita, até que sentou-se obliquamente em sua careca. "Lady
Upperton está correta sobre o assunto. Se estiver doente, dizendo-lhe que o príncipe
Leopold é espalhado boatos para estar presentes no baile só desapontá-lo, filho. "

"Oh, Gallantine," Lady Upperton agarrou. "Você pode muito bem dizer-lhe tudo." Ela
fez um gesto com desdém no ar. Você já escorregou e disse-lhe o príncipe Leopold era
para ser a Almack's ".

"Eu?" Enfiou o dedo indicador debaixo da peruca e arranhado, em seguida, corrigiu a


monstruosidade acaju na cabeça. "Eu não me lembro ...", murmurou para si mesmo.

"Você fez." Ela exalou um longo suspiro, e depois deu de ombros como se derrotado.
"Agora ela vai se sentar na cama dela e de mau humor por não ser capaz de
familiarizar-se com seu futuro marido suposto. Mas isso não pode ser ajudado. "Ela
centrou seu olhar sobre Elizabeth. "Porque você está muito doente. Eu estou
terrivelmente arrependido, querido. "

Isabel balançou a cabeça para trás e para frente entre Lady Upperton e Gallantine
como se fosse afixada uma cadeia de hipnotizador. "Talvez eu sinta melhor no dia
seguinte. Sim, tenho a certeza se eu tivesse bastante descanso esta noite, e um dia
rotineiro de amanhã, eu estarei bem como a chuva vem hora de partir para a bola. "

Gallantine ergueu as sobrancelhas, e ela sabia que ele iria protestar contra sua idéia.
Então, segurando um punhado de saia curta, ela começou a se apressar na direção da
porta do hall de entrada.

Ela olhou por cima do ombro como se apressou a partir da biblioteca. "Lady Eve
Upperton Bom, Sir Gallantine".

Lady Upperton puxou a alavanca do lado do sofá e um banquinho pequeno tiro para
fora abaixo dele. A mulher mais velha diminutivo desceu do sofá e começou a
Elizabeth. "Minha querida, nós ainda não terminamos nosso chá. Onde você está indo
com tanta urgência? "

"Começo a Berkeley Square." Elizabeth olhos estavam fixos na porta aberta. Ela não
olhou para trás, com medo que ela iria ver Lady Upperton acenando de costas para o
sofá. "Se eu estou a assistir a bola amanhã, devo adiar a minha cama, sem demora!"

Em poucos minutos ela estava fora da porta e dentro de um hackney dirigiu-se para
Berkeley Square.

Tomorrow.La, sentiu-se tonto dentro positivamente no pensamento. Amanhã ela iria


encontrar seu príncipe na bola e provar a todos que seu sonho se tornar realidade.

Berkeley Square
Uma hora mais tarde

"Você não pode fazer isso, Lizzy." Anne nervosamente torceu-lhe o anel de
casamento e ao redor de seu dedo. "Por favor".

Elizabeth olhou Anne como ela estava no centro de sua tia-avó Salão de Prudence,
sua irmã olhando para ela como se ela estivesse completamente louco, ou pelo menos
não ser confiável. "Tenho certeza de que eu não sei o que dizer, Anne." Ansioso para
evitar a atenção da irmã, ela lhe permitiu olhar para flit levemente sobre ela, de
cabelos brancos tia-avó, que cochilava tranqüilamente na cadeira da lareira, uma gota
de baba que se estende desde o lábio para baixo em direção de seu ombro.

"Eu tenho uma idéia melhor para ocupar o seu tempo." Anne correu para a estante e
retirou a caixa de documentos de seu pai tinha deixado em cima de sua morte.

"Notthat, Anne." Elizabeth suspirou. "Por favor, não agora."


Mas sua irmã ignorado suas palavras e definir a caixa sobre a mesa. Ela alcançou
dentro e retirou uma chave de bronze.

"Anne, por favor." Elizabeth revirou os olhos como a irmã torcida fora aperto a tecla
do oval ornamentada para revelar um driver hexagonal, em seguida, usou-a para
liberar o fundo falso da caixa.

A partir dele, Anne removeu duas pequenas garrafas de láudano e âmbar,


permitindo-lhes clink juntos, entregou a Elizabeth, que exalou lentamente e segurou a
garrafa diante de seus olhos.

"Dois frascos marcados como 'láudano' com um crosshatch abaixo. Nenhum número
listado após a hachura, sem abreviaturas. Temos estudado tanto para essas pistas
durante horas, os últimos pedaços de pai chamados elementos, mas não encontramos
nada. Eles não oferecem nenhuma prova sobre os acontecimentos do nosso
nascimento. "

Anne suspirou. Ficou claro para Elizabeth que sua irmã não ia dar em tão facilmente.
"Lotharian disse-nos que o padre disse que o láudano tinha sido usado, por Lady
Jersey ou até mesmo a rainha, a droga durante a Sra. Fitzherbert nosso nascimento ...
ou pouco depois. E que o láudano não havia sido fornecido por nosso pai. "

Elizabeth pegou a mão de Anne e pressionou vigorosamente as garrafas de volta


para eles, não importando se o vidro quebrado no processo. "Mesmo se soubéssemos
que forneceu o láudano, que não iria provar se somos as filhas de verdade o Príncipe
de Gales e sua esposa segredo! É só comprovar, se a história é verdadeira em tudo,
que outro cirurgião estava envolvido em esconder o nosso nascimento. Então, essa
prova deveria não importa a todos. "Elizabeth caminhou até a lareira antes de
enfrentar Anne novamente. "Tenho me resignado ao fato de que nós podemos nunca
ter provas suficientes para provar que são filhas do Príncipe de Gales".

Anne olhou para ela irritado e, em seguida retornou as garrafas para seu esconderijo
dentro da caixa. "Eu apenas pensei que você poderia divertir-se, enquanto eu estiver
fora, tentando aprender mais sobre as garrafas. Você é tão inteligente. Estou certo de
que você pode encontrar o significado das garrafas. "

"Stop, Anne. Por favor, pare agora. "Trouxe os dedos para seus templos e esfregou-
los para aliviar a dor lá. Ela virou os olhos para Anne. "Você e Maria têm
aparentemente desistiu provando história do pai do nosso nascimento. Por que não
eu? Por que não devo ocupar-me com o meu próprio futuro perseguindo-as você e
Maria tem? "

Anne ficou na ponta dos pés e colocou a caixa no alto da prateleira. Quando ela se
virou, Elizabeth viu que seu rosto estava vermelho com a crescente frustração. "Laird
e eu estamos saindo no dia seguinte, Lizzy. É a nossa lua de mel. Por favor, prometa
que não vai abordar o Príncipe Leopold na bola e fazer ou dizer qualquer coisa sem
sentido. Você deve descartar essa noção de que ele é seu futuro marido. "

Elizabeth cruzou os braços sobre o peito. "Eu sei melhor, Anne", disse ela com
firmeza.

"Lizzy, todos de Londres é repleta de rumores de que ele quer se casar com a
princesa Charlotte do instante em que ele tem o apoio do Parlamento e do regente."

"Porque ele quer, ou isrumored a desejar, não significa que ele vai se casar com a
princesa." Elizabeth desdobrou os braços e definir as mãos nos quadris.

"Talvez não, mas isso não significa que ele irá wedyou, quer!" Anne expulsou um
rosnado de um fôlego. "Seja realista sobre este assunto, Lizzy!"

"Eu sei o que vi em meu sonho, Anne." Sim, ela sabia de tudo isso deve soar
completamente louco para o resto do mundo, mas não deve de Anne. Seus sonhos
eram proféticos, e ambas as irmãs tiveram a prova desse pessoal. Não só tinha ela
sonhou que sua irmã Maria se apaixonar e se casar com o duque de Blackstone,
apesar de suas afirmações de que ela o detestava acima dos outros, mas seus sonhos
também predisse corretamente que Ana se casaria Senhor MacLaren, embora ele
afirmou o desejo de outro ! Por que não Anne ouvi-la agora?

Anne avançou e agarrou as mãos de Isabel. "Vocês pensaram que poderia ter sido a
princesa Charlotte você viu casar com Leopold e não você, afinal? Se a história do
nosso nascimento é verdadeira, ela pode ser a nossa meia-irmã. Isso nos faria todas
as filhas do Príncipe Regente ".

Elizabeth pensou sobre as palavras de sua irmã, mas não sua influência. No sonho,
ela estava olhando profundamente em seus olhos. Segurando sua mão, ele apertou
um anel de ouro em seu dedo. Ela estava olhando através de seus próprios olhos, não
vendo o casamento de outro. Não em todos.

"Não Anne. Iam a noiva. Disso eu tenho certeza. "

"Mas você não entende? Seus sonhos são geralmente apenas metade da direita ".
Frustração Anne era palpável. "Poderia a metade que você tem de errado é que a
noiva é alguém, talvez até mesmo a sua meia-irmã?"

Elizabeth Anne quebrou manter na dela e caminhou até tia Prudence, cujas pálpebras
estavam agora abertos. Pelo olhar de intriga nos olhos dela, Elizabeth seria capaz de
apostar que ela foi ver e ouvir toda a troca sem deixar que ninguém sabe que ela foi
espionagem, como era o costume de fazer sempre uma conversa girou para baixo um
caminho interessante.

Cherie, o silêncio de limpeza-de-obra toda, deslizou silenciosamente para a sala e


passou entre ela e Anne com um copo de vinho tinto para a tia-avó Prudência. Era
estranho. Cherie tinha feito isso de novo, she'd sentiu uma necessidade antes de ter
sido realizado por qualquer pessoa. Esta incrível capacidade de a empregada francesa
nunca deixou de surpreender Elizabeth, suas irmãs, ou clientes em tia-avó Berkeley
Square Prudence da casa.

Grandes lábios tia Prudence ergueu na mira do claret e ela levantou a mão de seu
colo para agarrar a taça de cristal pequeno. Ela tomou um gole e depois derrubou o
vidro de trás e engoliu alguns claret baixo. Ela chamou os lábios em sua boca e
chupou qualquer claret restante deles, Elizabeth, em seguida, derrotou com seu olhar.
"Este Senhor Whitevale podem ou não ser um príncipe, Lizzy, mas se ele escolhe você
ou Charlotte, ele vai ser casar com uma princesa de sangue de uma forma ou de
outra, né?" Ela riu alegremente em seguida.

Elizabeth sorriu para a velha e ajoelhou-se diante dela para ajustar a colcha de tia-
avó de volta Prudence. "Esperemos que ele permite que o destino a escolher seu
companheiro, em vez de Prinny." Ela piscou para sua tia-avó, que riu bastante com
suas palavras, enviando todo o seu corpo tremendo e quase fazendo com que
derrame o pouco claret ela tinha deixado para braço de Elizabeth.
Elizabeth ergueu-se e beijou a bochecha tia Prudence. Mesmo agora, sua tia idosa era
uma mulher linda que poderia facilmente passar por dez anos mais jovens do que os
setenta e cinco anos, ela pretendia ser.

Prudence foi uma querida mulher se ocasionalmente addled e Elizabeth tinha


pensado que uma pena que eles não sabiam de sua existência até que seu pai faleceu
e as irmãs Royle foram enviados para morar com ela em Londres. Teria sido
maravilhoso para ela e suas irmãs para conhecer a sua família quando eles eram
jovens.

"Por favor, Lizzy, jura que não vai prosseguir enquanto o Príncipe Leopold Laird e eu
estiver ausente em Brighton," implorou Anne. Sua testa apertos na ponte de seu nariz
e três linhas de preocupação rugas apareceram na sua testa. "Tenho certeza de que
não será capaz de dormir uma piscadela enquanto eu estiver fora, se eu devo sempre
me preocupo com você fazer um bolo grande de si mesmo em público."

"Querido, Anne, espero sinceramente que donot dormir uma piscadela enquanto em
Brighton, mais temo sua lua de mel vai ser terrivelmente decepcionante para você e
Laird." Elizabeth olhou para a irmã aflita à sua tia-avó novamente. "Você não
concorda, Prudence?" Ela sorriu, mas a alegria dissolvido a partir de seus lábios.
Grande tia Prudence já tinha caído no sono novamente. Ou fingia estar dormindo.

Com um suspiro, Elizabeth caiu em cima de outra cadeira ao lado do fogo. "Não
temais, irmãos, eu não vou perseguir o príncipe no baile. Também vou casar com ele,
mesmo ele se pergunta. "Um sorriso manhoso avançou em seus lábios. "Isto é, até
você e seu querido conde voltaram a testemunhar o meu sonho. Para o que seria o
meu casamento sem ser tanto de minhas irmãs e seus maridos bonito no
atendimento? "

"Você é incorrigível, Lizzy", Anne todos, mas assobiava.

"Eu lhe dei minha palavra." Elizabeth sobrancelhas arqueadas avermelhado-colorido e


arregalou os olhos verdes inocentemente.

Anne olhou para ela com crescente desconfiança, mas Elizabeth manteve um
semblante sereno, sabendo que ela não estava mentindo.

Ela não iria perseguir o príncipe Leopold no baile amanhã à noite. Ela não precisaria.
Tudo que ela precisava fazer era colocar-se no seu caminho direto, e ela não seria a
persegui-lo. Ele estaria vindo para ela.

Assim como o destino tinha pretendido.

Capítulo 3

Na manhã seguinte

O sol subiu, mudando o céu de um cinza escuro para azul cerúleo, mas o ar ainda não
tinha sido aquecido por seu brilho, o dia ainda me sentia tão nítidas como uma manhã
de outono.

As cinzas foram ajuntadas do coração e reacendem o fogo da cozinha para cozinhar o


dia, mas frio da noite ainda pairava no quarto.

Elizabeth damasco envolto num xale mais apertado em torno dela, e ela estava antes
da mesa de trabalho na cozinha, examinando lista Sra. Polkshank de mercado,
tentando não cair no sono. Fechando as pálpebras, esfregou a ponta dos dedos sobre
eles, na esperança de reviver a si mesma. Ela não tinha dormido bem depois do sonho
preocupante teve na noite passada. Mas como poderia? Dizer-se que era apenas um
sonho teria feito nada de bom. Seus sonhos não eram sonhos, como muitas vezes
dela normal se tornou realidade e visão noturna na noite passada prometeu nada,
mas horror em seu futuro próximo.

No sonho, ela estava usando um vestido de baile de esmeralda, o que ela e Lady
Upperton tinha formado, com a modista Madame Devy, precisamente com as suas
especificações. De repente, algo golpeou, batendo o ar de seus pulmões. Lentamente,
ela olhou para baixo e viu liquido vermelho escorrendo corpete. E com esse momento
veio um sentimento de mau presságio tão hediondo, sentiu-se enojado com isso.

Até agora, apenas o pensamento de seu sonho deixou seu corpo dolorido e
refrigeradas até o osso.

Ela tentou afastar a sensação terrível de sacudindo a cabeça e os ombros, como se


poderia fazer para sacudir a neve de seu chapéu e casaco antes de ir para dentro,
mas foi inútil. E assim, ela tentou distrair-se interrogando a sra Polkshank sobre a lista
de mercado. "Não há assim muitos de nós agora, Cook, será que realmente
necessitam de carneiro tanto?"

"Uma perna de carneiro é Aleg. Não posso muito bem entrar e pedir um joelho, agora
eu posso? "Mrs. Polkshank cruzou os braços sobre os seios grandes e soltou seu
descontentamento com a nova amante da casa, a terceira em dois anos.

O cozinheiro doméstico, uma rapariga taberna antiga que tinha sido contratado por
tuppence-pinching Elizabeth irmã Mary, nunca tinha sido a sorte de realizar a sua
opinião para si mesma. No entanto, porque ela sempre conseguiu manter a família
bem alimentada com uma seleção de pratos divertidos, apesar de limitado orçamento
da família, que tinha mantido por ela.

Ou então Elizabeth tinha sido levado a crer por suas irmãs.

Ela só foi gerir os fundos da família para um sennight, talvez, uma vez que, como
Maria antes dela, sua irmã Anne também teve a sorte de casar e se mudar para
grande residência do marido. Agora, todas as responsabilidades domésticas
finalmente caiu para Elizabeth.

Que aprova a lista de mercado diário foi uma tarefa tediosa, assim como todas as
outras tarefas monótonas tinha herdado de suas irmãs, como o pagamento do pessoal
da casa, que aprova menus diários e atender a toda a correspondência e pedidos de
pagamento.

Mas esta semana o seu livro de despesas domésticas revelou uma interessante
mudança, em vez de descer os custos após a partida de ambas as irmãs, as despesas
semanais eram efectivamente a aumentar. Elizabeth olhou charily na casa da Sra.
Polkshank. "Existe alguma coisa ... menos caro?"

"É carne de carneiro, não é um lado da carne." Palavras da Sra. Polkshank cresceu
mais alto que sua frustração parecia crescer. "O que você teria a gente comer em vez
disso, Miss Elizabeth? Os pombos do parque? Os ratos do beco? "Ela bateu a palma da
mão para a mesa de trabalho, o ar tinha deslocado soprando a pele de uma cebola
que tinha sido anteriormente peeling em volta de Elizabeth. "Então, precisando,
vamos ser" um caçador de ratos, então? Eu posso ajudar com isso. Conheça uma
multa, eu faço. "
Elizabeth escovado a pele de cebola a saia e olhou para o livro mais uma vez. Ela não
ia permitir-se deixar distrair por antics Sra. Polkshank's. Ora, ela podia ver claramente
que as despesas alimentar das famílias aumentou, quase dobrou.

Em seguida, ocorreu-lhe, e ela estreitou os olhos. Sra. Polkshank estava tirando


vantagem de sua inexperiência com o manuseio de dinheiro da família. Ela olhou para
baixo na página.

Ela deve confrontá-la agora. Sra. Polkshank, evidentemente negam qualquer


irregularidade e não havia maneira de provar sua acusação sem caminhadas off-se ao
açougue e ao mercado para verificar os preços. E isso não iria acontecer. Pelo menos
não hoje. Ela tinha muitos preparativos a fazer antes que a bola esta noite. A bola
agora ela temia após o sonho que ela teve na noite passada. O sonho horrível.

"Porque, Miss Elizabeth, você está tremendo." A expressão tornou-se um cozinheiro


de preocupação. "O fogo está rugindo agora. A cozinha é Quentinho. Você pegou um
resfriado ou algo assim? "

"Não, não estou bem. Sra. Polkshank, por favor, pagar as minhas palavras não
acatam hoje. "Elizabeth descansou a cabeça nas mãos. "Eu simplesmente estou
exausta. Há uma bola na noite Almack ... e Príncipe Leopold podem estar presentes. "

Cook assentiu com a cabeça. "Oh, ele vai estar lá. Pelo menos, essa é a palavra do
belowstairs conjunto por toda a cidade. "

Elizabeth batido sua cabeça ao redor para olhar para ela. "Realmente?"

"Isso é certo. Ontem à noite eu ... conversei com uma de suas cintas lacaio jovens, eu
mesmo. Sua presença é o segredo pior guardado em toda a Londres. Eu prometo a
você, Miss Elizabeth, o príncipe vai estar lá. "

Seu coração dupla veio bater com estrondo no peito e cordialidade permeou o corpo
gelado. "Hewill estar em Almack's. E assim vai I. "O início de um sorriso nos lábios
puxado Elizabeth.

Sra. Polkshank resolvido seu forte, avermelhada mãos sobre os ombros de Isabel e
começou a massagear os músculos, como massa de pão grosseiro. "E você não é
nenhum frettin" sobre o que os outros dizem sobre seus sonhos, saudades. Eu não
acho que você está mad.I acredito em você. Para dizer a verdade, eu tive sonhos que
eu como de vez em quando. Acho que todos nós, a maioria só são muito medo de
admitir tanto quanto. "

Elizabeth arrancou de seu pescoço e olhou em torno de Cook. "Como é que você sabe
sobre o meu sonho?"

A mulher gorda riu deliberadamente. "Ninguém sabe mais sobre o que se passa nesta
casa, ou com os meus caros, que eu, Miss Elizabeth." Havia um movimento na porta e
só então olhou para a Sra. Polkshank como Cherie apareceu na cozinha. "Salvo", ela
inclinou a cabeça para a empregada, "talvez esse sapo inarticulado pouco ali."

Cherie estendeu a mão delgada e estendeu um boleto de venda. Elizabeth tomou


dela e passou o seu olhar sobre ele. Ela virou os olhos até Cherie. "B-Mas ... eu pensei
Madame Devy tinha o vestido entregue. Eu preciso hoje à noite. Ela sabia disso. "Um
formigueiro de pavor satirizaram através de sua pele.
A empregada muda-de-obra all-encolheu os ombros.

"Eu ia oferecer para pegá-lo para você, Miss Elizabeth, Cherie, mas é inútil quando se
trata de uma bolada toting perna de carneiro. Olhe para os braços ossudos dela.
Lamentável. E como ela é, ela tem suas próprias funções hoje, inclusive indo por toda
a cidade para fazer um pedido especial para claret sua tia-avó de Prudence. "Mrs.
Polkshank ergueu as sobrancelhas espessas.

Antes de Elizabeth foi capaz de expressar seu pensamento, a senhora Polkshank


tinha atravessado a opção off sua lista também. "MacTavish é polimento de todos os
prata esta manhã. Eu não acho que você quer que ele tocando seu vestido depois
disso. Não importa o quão bem ele esfrega depois, ele vai sujar a seda. "

Não, ela não estava disposta a arriscar qualquer coisa acontecer com seu vestido cor
de esmeralda. Especialmente depois do pesadelo que teve sobre ela na noite
passada.

Elizabeth bateu as mãos à mesa de trabalho madeira nua e empurrado para cima
para ficar. "Há tempo de sobra. Vou simplesmente ir para Madame Devy de mim. Por
favor, me desculpe. "Com um aceno de cabeça para a equipe, ela pisou fora da porta
e suba as escadas.

Nessa hora mais cedo que ela esperava encontrar uma pequena linha de Hackneys
espera para passageiros na esquina da Berkeley Square e Bruton, mas não havia
nenhum. Ela teria que caminhar para Madame Devy's. Andar a pé não seria tão ruim,
na verdade, a atividade pode até abalar algumas das cansaço dela. Afinal, a loja
estava perto o suficiente, e enquanto a chuva não caiu, ela ficaria bem.

Enquanto andava, ela olhou para os aglomerados de nuvens baixas drapejado sobre
os edifícios. O céu espreitar entre as nuvens cinzentas de fundo ainda era um azul
alegre. Seus passos abrandaram. Havia prova
velmente não precisa se preocupar com uma chuva esta manhã. Ela parou e olhou
para cima. Não, ela não queria arriscar perder um outro vestido de chuva. Girando,
ela correu de volta para baixo do pavimento e na casa para buscar o seu guarda-
chuva.

Elizabeth abriu a porta e quase colidiu com sua tia-avó, que estava, em linha reta-
backed e quase vigoroso, no centro da passagem. "A prudência!"

Vendo a mulher anda em qualquer lugar, exceto a sua câmara foi uma ocasião rara,
com certeza, mas Elizabeth nunca tinha visto sua tia-avó parecem tão ... sãos. Ela
sorriu para a velha. "Você deve ter tido um sono de boa noite. Você é tão ágil esta
manhã. "

Grande tia Prudence olhou de volta para Elizabeth, que se apressou a seu lado, em
seguida, ergueu o braço da velha por cima do ombro e começou-a para a sala. "Aqui,
permita-me fazer para ajudá-lo a sua cadeira. Eu posso pegar um livro para você.
Gostaria que? "

Cherie apareceu no final da passagem, vestida para sair para Piccadilly para colocar a
ordem Claret. No instante em que viu a mulher que estava velho no meio da
passagem, os olhos arredondados. Pressa para a frente, ela rapidamente aliviada
Elizabeth da Grã-tia peso Prudence.
"Ora, muito obrigado, Cherie, mas eu poderia ter conseguido. Eu não deveria desejar
para si mesmo a tensão. "Elizabeth ficou impressionado como ela viu o peso da petite
empregada apoio Great tia-prudência até que chegaram a cadeira ao lado do fogo.

Elizabeth olhou para a pequena criada, com os braços ossudos. O que poderia ter
sido Mrs. Polkshank pensando? Cherie era perfeitamente capaz de carregar uma
perna de carneiro! Pelo amor de Deus, ela apenas ergueu-se uma velha e quase
levou-a através da sala.

Cherie e Grã-tia Prudence trocaram um olhar rápido e significativo, em seguida, a


empregada doméstica Elizabeth pequeno correu passado, só para voltar um pouco
mais tarde com um guarda-chuva.

Como ela sabe que é isso que eu voltei para? Silenciosamente, Elizabeth assentiu
com a cabeça dela, graças, em seguida, entrou pela porta da frente e para fora da
praça.

Gorblimey. Prudence tão eficiente e gentil tia-avó Cherie como era, havia algo sobre
a menina que ela completamente nervosa.

Dentro de uma hora Elizabeth havia saído da loja Madame Devy com seu vestido de
baile requintado em tons de esmeralda. Foi certamente o vestido mais bonito que ela
agora pertence, e ela ficou muito contente quando Madame Devy tomou o cuidado de
envolver a confecção de seda chinesa multa em uma capa de linho para protegê-lo
dos elementos.

Elizabeth ergueu o olhar para o céu mais uma vez. As nuvens foram escurecendo e
agora só um ponto de tinta azul picou através de seus perímetros aqui ou ali.

Não, não arriscar. Gaste alguns xelins. Encontre um Hackney. Proteja o vestido.
Proteja o vestido.

Ela caminhou até a esquina jutting de Grafton Street e Bond Street e ficou na ponta
dos pavers de um scout Hackney. Ela olhou para baixo o comprimento do Old Bond
Street e New Bond Street, Hackney, mas não foi um ser tido. O envio só foi vista em
todas as cidade um carro bem sentado a uma curta distância fora do Hotel Clarendon.
Ela suspirou.

Mas quando ela olhou para o carro um pouco mais, uma idéia surgiu em sua mente.
Se o dono estava lá dentro, ela iria fazer um apelo para a sua assistência em vê-la em
Berkeley Square antes da chuva varreu a rua com ela e seu vestido lindo. Simples.

Havia sempre a possibilidade de que o proprietário não estava dentro do táxi, no


entanto. Se este for o caso, Elizabeth decidiu que ela seria apenas subornar o
motorista para levá-la a distância curta tia Prudence casa da cidade. Ele poderia estar
de volta na frente do hotel antes de o proprietário nunca percebeu que o carro estava
faltando. Ela sorriu para ela própria inteligência. Talvez sua associação com a astúcia
do Rakes Old Marylebone e Upperton Senhora tinha vantagens que ela nunca
imaginou.

Como Elizabeth caminhou até o carro, afrouxou os laços da bolsa. Era melhor estar
preparado. Ora, ela pode ser obrigado a mostrar o seu vestido de proprietário para
convencê-lo de sua grande necessidade de transporte protegido. Afinal de contas,
uma vez que ninguém viu a cor e qualidade incomparável da seda, que podia negar
seu apoio? Ninguém.

Com essa crença solidamente fixado em sua mente, ela correu para baixo New Bond
Street para o transporte e fez seu apelo a uma mulher agradavelmente caracterizado
jovem que se sentava dentro.

Elizabeth não espere ser solicitado, mas deixou cair o guarda-chuva que prendeu
debaixo do braço, em seguida, liberada a arcos no topo da capa de linho e revelou à
mulher o corpete de seu vestido esmeralda glorioso.

"Está bastante audaciosa jovem senhora, não é, querida?" Disse a mulher, sua
graciosa curva de elevação de sobrancelhas diversão ... ou talvez assombro. Elizabeth
não podia discernir o que.

"Não, minha senhora. Estou desesperada, "Elizabeth respondeu, e olhou para o céu
novamente assim como a primeira gota respingar em seu rosto. Ela suspirou e
empurrou o vestido para a frente, para a cabine, para protegê-lo. Mas então, para seu
horror, a mulher teve seu gesto de proteção como um convite para tocar na seda.

"É um vestido de cauda, ea cor de seus olhos partidas, mesmo sob essa luz baixa."

"Sim, minha senhora. Eu não posso permitir que ele seja arruinado. Não há outro
como ele. "Ela olhou para o guarda-chuva deitada no pavers. "Você vê, meu guarda-
chuva não é suficientemente grande para abrigar o vestido adequadamente." Cool
gotículas de água pontilhada de volta de Elizabeth, e ela se inclinou mais para dentro
da cabina. Ela olhou para o interior do carro grande e superior a roupa da mulher. "Eu
sei que você, de todas as pessoas possam entender. Por favor, você não vai me
ajudar? "

A mulher riu e deslizou através do banco de couro, acariciando-o com a mão


enluvada como um convite para entrar Elizabeth.

Ela colocou seu pé sobre a etapa e, em seguida, inclinou-se para organizar o vestido
cuidadosamente sobre a bancada oposta, para que não enrugar. Quando ela estava
satisfeita, Elizabeth sentou-se ao lado da mulher.

O lacaio fechou a porta para a cabine, mas por alguns momentos as rodas de carro
não se moveu. "Oh céus, por favor, me perdoe, eu estava tão preocupada com o meu
vestido que minha educação foi deixada no pavimento, tenho medo. Meu nome é Miss
Elizabeth Royle, atualmente de Berkeley Square, onde estamos indo. Muito obrigado
por me salvar, minha senhora. "

A mulher sorriu amplamente. "Ah ... uma das irmãs famosas Royle, é você?"

"Sim, minha senhora. Eu sou o caçula. Por vários minutos, ou assim que meu pai me
contou. "

"Ele era o príncipe de Gales médico pessoal." Olhos da mulher brilharam com o
conhecimento. Ela bateu na parede da cabine eo carro começou a rolar pela rua.

"Sim, ele era". Curiosidade Elizabeth foi despertado. "Peço-te perdão, mas eu devo
perguntar. Como você sabe tanto sobre mim? "

Era quase como se seu salvador tinha ouvido os pensamentos dela. "Porque eu sou
Miss Margaret Elphinstone Mercer, um dos camarilla princesa Charlotte de senhoras."
Ela sorriu um pouco depois. "Embora a maioria iria chamar-me um dos seus mais
queridos amigos e confidentes. Nós nos conhecemos uma vez, mas apenas por breves
instantes e não formal. Você estava deitado de costas na frente de Carlton House. "

"Oh minha palavra. Você estava com a princesa Charlotte do dia seu carro quase me
jogou pra baixo, "Elizabeth disse distraidamente. Então algo aconteceu com ela.
"Este ... este é o carro."

Miss Elphinstone riu. "Sim, é. E isso trouxe-nos juntos novamente. "

"E mais uma vez, de uma maneira, você está me salvar."

"Bem, eu não podia permitir que tal um vestido lindo para se tornar ruínas. Você me
disse-se, não há outro como ele. "A senhora deu-lhe uma piscadela brincalhona.

Elizabeth sentou-se quieto, completamente no temor de Miss Mercer Elphinstone. Ela


era inteligente e divertido, e regalou-la com histórias curtas de theton para os poucos
minutos que levou para chegar a Berkeley Square.

Elizabeth ficou tão desapontado por ter de deixar a senhora que por um instante
pensou que fingir que ela estava desorientada e não sabe onde sua casa da cidade tia
Prudence era para ser encontrado. Mas essa questão foi apenas uma fantasia do
desejo.

Quando em lacaio dos últimos abriu a porta, ela fez uma pausa. "Eu gostava muito de
reuniões você", disse Miss Elphinstone. "Eu espero que possamos falar de novo, a bola
na noite Almack, talvez?"

"Enquanto eu estou certo que nós nos encontraremos novamente, Miss Royle, não
estamos a assistir a este baile véspera. Na verdade, estou a regressar ao Lodge
Cranbourne de uma vez. "

Elizabeth então notou a folha de papel almaço dobrada a senhora tinha em suas
mãos uma carta estampada com o selo inconfundível de Leopoldo de Saxe-Coburg.
Percebendo o foco de Elizabeth sobre a carta, Miss Elphinstone whisked-lo de ver e
sub-repticiamente enfiou debaixo de seu manto paisley.

O lacaio entregue Elizabeth baixo e gentilmente a senhora levantou o vestido e tinha


acabado de entregar a ela quando ela acalmou. "Senhor acima! O isshe fazendo aqui?
"

"Quem?" Elizabeth virou, não sabendo o que esperar, mas tudo o que ela viu foi tia-
avó Prudência observá-los da janela da sala. Ela riu. "Isso é apenas a Sra. Winks,
minha tia-avó Prudence".

"Não, não, estou certo de que não é." A mulher se inclinou e olhou Prudence.

"Eu temo que você está enganado, pois essa mulher é realmente minha tia-avó
Prudência. Você talvez gostaria de fazer o seu conhecimento? "

Miss Mercer Elphinstone parou por um momento ou dois antes de agitar sua cabeça.
"Outra vez, talvez. Devo longe. "

A chuva estava caindo mais difícil, mas Elizabeth squinted através das linhas de
chuva por cima do ombro, mais uma vez para ter certeza de que eles estavam
realmente falando do mesmo a mulher. Mas ninguém estava à vista. Ela olhou ao
redor da rua. Na verdade, ninguém era visível em toda a Berkeley Square.
"Perdoe-me, Miss Royle," a senhora disse timidamente. "A chuva turva minha opinião,
'tis todos. Tenho certeza equivocada sua tia-avó de outra. Como fui idiota. "Miss
Mercer Elphinstone ainda parecia um pouco abalada quando ela entregou o vestido
para baixo para Elizabeth, que estava no pavimento molhado fora do carro. "Depressa
dentro agora, proteger o seu vestido." Com um sorriso de despedida, ela permitiu que
o lacaio de fechar a porta e, uma vez que o carro começou a rolar para a frente.

"Obrigado por sua generosidade", Elizabeth gritou. Ela sacudiu uma reverência
rápida, em seguida, virou-se e correu para a casa.

Capítulo 4

O Hotel Clarendon
New Bond Street

Sumner e Príncipe Leopold estava diante de um espelho do chão ao teto enorme,


admirando o esplendor dos seus enfeites vestido formal. Ou melhor, Sumner estava
admirando sua aparência; Leopold foi amarrado a ele.

Sumner se virou para a esquerda e para a direita enquanto olha criticamente sua
reflexão. "Não, não. Digo-vos que algo não está certo. "

"'Tis a faixa, o" príncipe Leopold suspirou como ele revirou os olhos. "Eu usaria uma
faixa vermelha para o evento."

Sumner se virou para ele e estendeu a mão. "Então, onde está?"

Leopold begrudgingly apontou para o seu criado, que desapareceu da câmara de


vestir-se e voltou um pouco depois com uma faixa vermelha de cetim.

O manobrista olhou para o príncipe, e quando Sua Alteza Real, balançou a cabeça, o
homem magro e grisalho antes pisou Sumner. Ele colocou no meio da faixa em cima
de seu ombro largo, então coberto metade do comprimento em suas costas e outro no
peito expansiva. O criado fechou as duas extremidades, juntamente com um broche
ornate militares das sortes, mas quando ele não conseguia persuadir a folha de armar
corretamente, ele começou novamente. Depois de várias tentativas de perfeição, ele
tirou o cinto e voltou ao Príncipe Leopold. "Sua Alteza Real, eu estou com medo, devo
informar que a faixa vermelha é muito curta para ser usado por ... este homem."

Curto demais? "Leopold olhou como se tivesse comido algo muito azedo. "Impossível.
Eu uso o cinto regularmente. "

"Ele significa que ele forme é muito curto." Sumner ergueu o rosto zombeteiro. "Estou
certo de que ele se encaixa perfeitamente a sua forma."

Leopold snarled no comentário. "A faixa vermelha, em seguida, outro. Buscá-la. "O
valet inclinou-se e saiu silenciosamente da câmara. "É para ocasiões de Estado mais
formal do que uma bola, mas deve ter o comprimento necessário para passar o seu
perímetro ridiculamente musculado".

Sumner riu. "Obrigado, querido primo".

O criado voltou um pouco depois e rapidamente a faixa sobre Sumner. Ele derrotou
as bordas juntos, então é ajustado através do formulário de Sumner. Quando ele
terminar, o valet soltou um suspiro de prazer. "Perfect".
"Não é bem assim. Algo que ainda não está correto. "Sumner olhou para o
manobrista. "Se o príncipe ir a bola no Almack, é assim que você teria roupa dele, até
ao mais ínfimo pormenor?"

"Não, Seu Royal" O valet estremeceu. "Não, meu senhor."

"O que mais então?" Sumner estendeu os braços para permitir que o valet de
completar o seu inventário de figurino.

"Gostaria de incluir ... medalhas. Você é um homem grande, imponente. Gostaria de


acrescentar muitos mais deles. "Enfiou um olhar nervoso periférico ao príncipe como
se aferir a reação real à sua declaração.

"Ah, dane-se, homem, o que você precisa", disse o príncipe latiu. Ele bateu no peito.
"Tome-los também. Tomá-los todos. Não tenho dúvidas de que levará cada um a
coverthat tórax. "Prince Leopold endireitou as costas e valet removido o painel de
medalhas de seu casaco.

Leopold sentou na cadeira dourada coberta com seda branca listrada com faixas
largas de índigo. Cruzou uma perna sobre a outra. "Vocês estão certos Charlotte não
vai estar presente? Nada mudou? "

"Não, nada mudou desde Miss Elphinstone partiu com sua resposta." Sumner
levantou o queixo como o valet ergueu a gola superior.

"Prinny condenável. Ele aprendeu que estou na cidade, de alguma forma, e proibiu
Charlotte para assistir a bola na noite Almack é isso. "Prince Leopold exalado.
"Felizmente, a Mercer foi capaz de fazer isso por nós conhecida."

"E que nós éramos tão rapidamente capaz de criar um plano de contingência." O
valet envolto no pano em volta do pescoço garganta Sumner, tornando difícil para ele
falar. "Vou assistir a bola em seu lugar, chamando a atenção integral da theton, e
quem tem tido em sua mente para ver o que você plantou."

"Só não galope sobre como você dança. Sociedade vai acreditar que sou o único que
precisa de um mestre de dança. "

"Eu não galope, Leopold. galope Horses ", Sumner quebrou.

"Exatamente." O príncipe ergueu a sobrancelha esquerda. "Eu vi você correr em toda


a pista de dança em várias ocasiões. Não nego isso. "

Sumner rosnou. "Não me permita continuar com a nossa estratégia para esta noite,
Leopold."

Leopold acenou com a mão, dando Sumner deixar para começar sem ser
interrompido por farpas.

"Enquanto eu estou certamente não-galope em Almack, Charlotte tenta encontro com


você, no lugar designado ao lado do Serpentine." Sumner calar as mãos do
manobrista por um momento, e então olhou para seu primo. "Tudo foi arranjado. A
Hackney foi contratado para chegar aqui às onze e meia ".

"Eu viajo em Hackney comum, enquanto você desfruta o esplendor de um carro?"


Rosto elegante Leopold revelou nenhuma emoção, mas sabia que seu primo Sumner
muito bem.

"É a única maneira de garantir a sua segurança. Um casaco azul simples, calças cinza
e Hessians vai impedi-lo de chamar atenção indevida. "Sumner disparou um olhar
para o valet para se certificar de que compreendeu as suas instruções de vestir.

"Oh, sim, estou certo de conquistar o coração de Charlotte está usando tais adornos."
Leopold deixou escapar um suspiro estranhamente abandonada.

"Ela quer vê-lo. Os progressos já foram feitos na direção de um sindicato. "

"Agora que ela se aposentou de seu interesse em Príncipe Augustus." Leopold


descruzou a perna e se recostou na cadeira. "Interessante como esse bocado de
informação encontrou seu caminho para os jornais, segregado como era."

Sumner permaneceu impassível. "Eu suponho que poderia ter ajudado o seu pedido
de seu favor ... um pouco. Como foi seu tio, o duque de Kent. "

"Existe algo que você não está me dizendo?"

"Nada do que você precisa preocupar-se com Leopold. Sua única tarefa é
encantadora princesa, e estou certo de que irá concluir esta tarefa com grande
facilidade. "

Quando o relógio caso de altura no canto tinged dez e meia, o príncipe chegou ao
seus pés. "Você deve estar desligado. Chamar a atenção de todos ao seu redor, mas
não olhar para sua própria segurança, e pelo amor de Deus não me envergonhar.
Lembre-se, não galope ". Ele queixo cortado Sumner, então estalou os dedos para o
valet para segui-lo. "O tempo não para o meu" homem comum "traje".

"Fantasiados ou não, você nunca será um homem comum, Leopold", Sumner


chamado por cima do ombro, e então virou-se para tomar um último olhar para si
mesmo no espelho. Ele teve que admitir, ele parecia muito real. E muito mais bonito
do que ruggedly Leopold já teve.

Antes de sua reflexão, Sumner praticado o arco mais galante. Era importante para ele
que seja tão elegante como um dos Leopold, por noite que pretende homenagear a
bela Miss Royle com tal um arco antes de sua primeira dança.

"Miss Elizabeth, Lady Upperton e os senhores estarão chegando em torno de verra


em breve", MacTavish, mordomo escocês da família, advertiu. "Se não dressin Cherie
'ye já?"

"Em um momento." Elizabeth ajeitou o cobertor de lã envolto por tia-avó de joelhos


Prudence. "Eu decidi que eu deveria vestir no último momento, então não haverá
oportunidade para que o vestido seja prejudicado."

"Esse é o meu gel inteligente", a velha respondeu, estendendo os lábios em um


sorriso orgulhoso.

Cherie apareceu na porta, e uma vez que ela tinha reclamado a atenção de Elizabeth,
virou a cabeça a ponto para o relógio na passagem da mesma maneira que soou a
meia hora.
"Estou pronto, Cherie." Elizabeth subiu ao início da passagem.

"Time for Claret," Great-tia Prudence gorjeou animadamente como o sino ping
desapareceu de audiência no último.

"Assim é," Elizabeth respondeu. "MacTavish, você vai, por favor, minha tia a honra de
encher um copo de vinho tinto por ela?"

"Sim, Miss Elizabeth." Tardiamente, o antigo mordomo decidiu arco, mas desde que
suas longas pernas já estavam movendo-se através do salão, sua tentativa sincera de
cortesia vez apareceu uma viagem desastrada.

Elizabeth sorriu e acenou com a valorização do gesto.

Quando Isabel entrou em seu quarto de dormir um minuto depois, ela quase se
engasgou com a beleza do vestido esmeralda Cherie tinha cuidadosamente
estabelecidas em cima de sua cama. Ela correu em direção a ela quando sair do canto
do olho viu escorregar Sra. Polkshank do mouser campeão na sala.

Dentro de um instante o gato saltou para o ar para a cama. Elizabeth jogou o corpo
entre as garras do gato e seu vestido esmeralda de uma vez, disposto a sacrificar a
sua pele para protegê-lo.

Quatro patas bateu as costas solidamente, garras e afundou-se a pele macia e


realizada, como o felino marmelada tentou freneticamente para não cair de volta no
chão.

Mas, como um anjo, Cherie apareceu à beira do leito. Ela pegou os braços sob a
barriga do gato para apoiá-la enquanto ela removeu cada garra individual de ardor
volta de Elizabeth.

Elizabeth poderia sentir os fios do seu andar vestido como afastando Cherie
trabalhava, mas valeu a pena a perda de seu vestido dia, se o vestido de seda verde
seria preservado.

No instante em que ela estava livre do gato malvado Sra. Polkshank, Elizabeth rolou
da cama. Seu coração batia forte dentro de suas costelas como ela correu
apressadamente as mãos sobre o vestido, alisando-a como ela é pesquisada por
qualquer dano possível.

Mas não havia nenhum. Nenhuma.

Ela exalou um suspiro de alívio puro. "Por favor, Cherie, pegue o gato para a cozinha
e feche a porta. Não posso arriscar alguma coisa acontecendo com este vestido. "

Cherie cair uma rápida reverência, em seguida, desapareceu do quarto com o gato.

Sentado no banco de reservas antes de sua penteadeira, Elizabeth apertou as mãos


de seu coração e tomou breaths.Lord profunda vários ajudá-la.

Ela só tinha que fazer à bola. Fate tomaria conta do resto.

Em quinze minutos antes da hora, ela desceu a escada. Seus cabelos longos cobre foi
varrido dos lados e presa com dezenas de brilhantes espumante, enquanto o resto de
seus cabelos caídos para trás. De alguma forma, contra a cor vibrante do vestido
esmeralda, seu cabelo não aparecem como garishly vermelho como normalmente
fazia. Esta noite ela realmente senti ... lindo.

O vestido de seda esmeralda era como o ar em seu corpo, e mesmo quando


combinada com blusa de orvalho fino, sentia-se quase como se ela usou nada. O
pensamento trouxe um rubor de cor em seu rosto enquanto ela entrou no salão, onde
Lady Upperton, Grã-tia Prudence, e The Rakes Velha de Marylebone esperou por ela.

Houve uma entrada comum de respiração como o grupo viu o seu pela primeira vez
em seu vestido. Um golpe de pura felicidade levado por ela, porque a reação deu-lhe
esperança de que o príncipe iria apresentar uma resposta semelhante, quando ela
entrou no salão na hora Almack de um daqui.

Um pouco abafado soluço caiu de boca tia Prudence. "Assim, tão bonita", ela
sussurrou, como uma lágrima escorreu pelo rosto. Ela ergueu as mãos enrugadas de
Elizabeth, acenando-la à sua cadeira.

Elizabeth levantou o trem de seu vestido curto bola sobre o seu pulso e correu para o
lado de sua tia-avó. "Dear Prudence, não chore. Esta noite promete ser uma das
ocasiões mais felizes da minha vida. Estou certo disso. Eu só queria que você pudesse
ficar comigo para compartilhá-lo e fazer a minha felicidade completa. "Inclinou-se e
fechar Prudence tia-avó beijou a bochecha dela.

"O vinho tinto!" Lady Upperton gritou. "Mrs. Winks, seu claret! "

Elizabeth olhou para baixo e viu, para seu horror que a tia-avó Prudence tinha
deixado cair o seu cristal de vinho tinto no chão.

Oh, lud, não bata o! Ela cambaleou para trás, braços abertos. Ela não conseguia
recuperar o fôlego.

"Perdidas". Tia Prudence estava sorrindo. "É falta."

Elizabeth olhou para baixo e viu que o vinho tinha realmente respingado sobre o
tapete eo impulso enviou um spray de vinho tinto floresceu ao longo da perna
esquerda da lareira.

Mas de alguma forma, pelos santos, tia-avó Prudence estava correta. Nem uma única
gota tocou seu vestido cor de esmeralda.

Elizabeth lançou sua respiração reprimida, e depois sorriu Prudence. Sua tia-avó riu
com prazer, um riso gutural profundo que, em um momento teve a todos na sala de
estar segurando os lados como se riu junto com ela.

Senhor Lotharian Elizabeth pegou a mão e colocou em seu braço. "Eu nunca vi uma
mulher mais bonita em todos os meus anos, Miss Elizabeth."

bochechas Elizabeth é preenchido com o calor. "Hoje eu vou levá-lo à sua palavra,
meu senhor." Ela inclinou a cabeça e olhou para ele através de seus cílios grossos.
"Embora eu tenha minhas suspeitas de que você compartilhou o sentimento mesmo
com metade das mulheres em Londres."

"Touché, minha querida." Lotharian sorriu. "Mas eu não exagerar. Juro para você,
ninguém será capaz de ignorar a sua beleza esta noite. "
"Eu concordo", ecoou Lilywhite. "Talvez um certo jovem pode inchar com a emoção
com a visão da nossa menina e fazer uma oferta muito esta noite."

Elizabeth liberado. "Eu só espero que o príncipe se lembra de mim."

"Oh, eu não estava referindo-se ao príncipe, Elizabeth," Lilywhite disse, "eu quis
dizer"

"Não vamos adiar por mais tempo", interrompeu Lotharian, cortando as palavras ao
lado do Lilywhite. "Os carros esperam. Vamos? "Ele ergueu a mão grande e gesticulou
em direção à passagem. Todo mundo na festa ofereceu tia Prudence boa noite e um
por um, eles se dirigiram para a porta da frente.
Eles todos tinham chegado a passagem quando Elizabeth percebeu que o Senhor
Gallantine não estava entre eles. Ela se virou e olhou de volta para a sala.

Cherie roçado como ela correu para a sala, ajoelhou-se ao lado da explosão de
molhamento sobre o tapete e começou a bagatela na mancha.

Lá, o visconde overtall com a peruca acaju estava fixo em seu lugar. Seu rosto magro
torcido em uma expressão de horror, enquanto olhava para a mancha no tapete e as
trilhas bloodlike de vermelho escorrendo da lareira. "Nós não podemos sair com claret
no chão. Não vai fazer. Não vai! "Ele gaguejava.

"Perdidas", repetiu a tia Prudence Gallantine Senhor, e depois novamente para


Cherie. "É falta."

Cherie olhou para a velha, em seguida, assentiu com a cabeça e sorriu.

"Senhor Gallantine, Cherie verá o derrame", disse Elizabeth. "Ela é muito hábil, e
quando voltamos, estou certo de que não haverá sinal de nunca ter sido claret sobre o
tapete ou sobre a lareira." Ela levantou a mão e apontou para ele. "Vem agora, nós
não queremos chegar atrasados. As portas serão fechadas pontualmente às onze.
"Levantou-se na ponta dos pés e sussurrou em seu ouvido. "E eu acredito que você
prometeu me apresentar a someonespecial".

"O quê?" Senhor Gallantine levantou a ponta de sua peruca com o seu dedo mindinho
e coçou a careca. "Oh, sim. Eu realmente. "Agora que ele estava distraído a bagunça
molhada, seu humor parecia quase flutuante. "E esperar até que você encontrá-lo.
Você e ele são feitos um para o outro. Na verdade, embora eu saiba que é um ácaro
cedo para prever, acho que um casamento Michaelmas pode estar em ordem. "

Do canto de sua visão, Elizabeth pensou que vi tia-avó Prudência estreito com os
olhos no Gallantine no momento em que ele mencionou um casamento.

Ela virou seu olhar para trás em cima Gallantine. "Bem, meu senhor, se esperarmos
muito tempo não vou ter a oportunidade de conhecer alguém esta noite." Tomou-lhe o
braço e puxou-o junto com ela para a passagem. "Vem, vamos embora."

As senhoras recolhidas a sua quebra, ventiladores e retículas da tabela de entrada,


eo quadro estava prestes a sair da casa quando a Sra. Polkshank chamou. "Elizabeth
Miss! Posso ter um momento antes de sair, por favor? "

Elizabeth virou a cabeça e olhou por cima do ombro de Cook, sentindo-se muito
confuso "Certamente."

"Hold ainda apenas um carrapato, miss. Há uma mancha escura em seu vestido.
"Mrs. Polkshank correu para a frente. "Oh, eu não iria intrometer em sua festa, mas eu
sei o quão importante este vestido é para você. Tudo deve ser perfeito ".

Elizabeth congelou, não ousar mover-se. "Tem certeza de que há um ponto? Eu não
vi nada. "

"Eu não vejo nada de estragar o vestido em tudo. Elizabeth parece perfeito para mim.
"Lady Upperton levantou um copo quizzing de seu retículo e olhou através dela. "O
que está acontecendo sobre, o cozinheiro?"

Sra. Polkshank puxou um pedaço de pano do cós do avental e tocou a sua língua,
então dabbed uma pequena área em volta de Elizabeth apenas abaixo de seu ombro.
"Parece uma mancha de sangue. Consegui, no entanto. O truque para obter uma
mancha de sangue fora nunca é deixar o sangue secar ".

Elizabeth suspirou e girou para olhar no espelho. O gato tinha arranhado suas costas.
Ela tinha sangrado até o vestido? Ela piscou os olhos, mas como a Sra. Polkshank
tinha dito, não havia nenhuma indicação de sangue no vestido.

Elizabeth estômago apertado e então pensou que poderia ficar doente. Para que não
havia sangue no vestido, que agora existe uma saliva mancha o tamanho ea forma de
uma cobaia.

'Ere agora, apenas manter o seu envoltório sobre seus ombros até que você chegue.
Vai tudo ser seco até então, e ninguém vai ser o mais sábio. "Sra. Elizabeth Polkshank
facilitou xale em torno dela. "Boa sorte, Miss Elizabeth." Ela piscou. "Embora você não
vai precisar dele, você vai? Eu acredito no seu sonho. Hoje à noite o seu príncipe virá
".

Lady Elizabeth Upperton transformou em torno dela e marcharam através da porta e


em um carro à espera diante da casa em Berkeley Square.

Tudo era para ser perfeito. Mas de repente ele não estava.

Algo não estava certo.

Elizabeth poderia ter uma sensação de pressentimento de vibração através de seu


corpo, como uma corda de violino arrancou demasiado apertado o momento antes
que quebre ... ea música morre.

Capítulo 5

Assembléia Almack's Rooms

Para um encontro exclusivo, Elizabeth foi bastante surpreendido pela magnitude do


número de convidados presentes. Para dizer a verdade, dentro de trinta minutos ela
estava totalmente convencido de que todo cidadão, até mesmo o menor
proeminência social esteve presente na noite Almack é isso.

Todos, isto é, exceto a pessoa que ela desejava ver: o seu príncipe.

Ela pegou um copo de ponche nau da bandeja de prata que passa de um lacaio, que
parecia totalmente focada na busca de uma trilha ao longo do perímetro da sala de
montagem superlotadas. O caminho da mudança praticamente assegurada eventual
colisão com um convidado, a maioria dos quais eram muito preocupado em ver e ser
visto a notar uma dúzia de chapinha líquido dirigido diretamente para eles.
Olhando ansiosamente para baixo em seu vestido preciosos, ela lembrou o momento
de horror em seu sonho, quando um fluxo de vermelho escorria sobre seu corpete e
uma sensação de arrepiar da desgraça caiu sobre ela como uma mortalha.
Estremecendo, Elizabeth afastou o lacaio, não querendo ver o desastre inevitável
indumentária.

"Aí está você, meu caro." Senhor Gallantine apertado a mão ao redor do pulso
Elizabeth, fazendo inclinar o copo de ponche precariamente em seus dedos
enluvados. Sua mão começou a tremer nervosamente quando ela apertou seu aperto
para forçar o nível de cristal novamente. "Estes são os senhores que eu estava tão
desejoso de que você conhece", Gallantine lhe disse, gesticulando diante dele.

Ela levantou os olhos de vidro e fabricado um sorriso agradável como ele iniciou
introduções Sir Henry Halford e seu jovem protegido, o honorável William Manton.
Deixou cair uma reverência cuidadosa aos senhores, mas não podia ajudar, mas
espero que os colegas em torno de um vislumbre de seu príncipe além.

"Sir Henry era um colega de seu pai, querida," Senhor Gallantine disse ela. "Anos
atrás, é claro. Hoje, Sir Henry é médico ordinário do rei. "

Sir Henry Halford era um baronete de aparência distinta, mas Elizabeth não se
importava com a maneira em que ele parecia estudá-la com aqueles olhos
perigosamente inteligentes. Nem para o filme de sua satisfação pesados sobrancelhas
escuras, que se destacaram em contraste com sua pele pálida e tinturas de cabelos
grisalhos, como o olhar fixo em uma determinada parte dela que parecia pegar o seu
interesse mais.

Em contrapartida, o honorável William Manton foi inteiramente bem-educado. Ele


estava com ombros largos e cabelos louros olhos azuis vivos, trazendo a imagem de
um Viking dias de idade em sua mente.

"Miss Royle, seu pai era um médico eminente, com a percepção excelente e bom
senso", disse o baronete disse ela. Uma sobrancelha levantada escuro, e Elizabeth de
alguma forma sabia que Sir Henry estava prestes a pedir algo dela. "Eu vou estar no
banho por vários dias, mas quando eu voltar, eu estou organizando um jantar para
alguns dos meus colegas do Royal College of Physicians. Gostaria de saber se você,
Miss Royle, e Senhor Gallantine, naturalmente, poderia rebaixar a se juntar a nós. Eu
consideraria uma honra ouvir sobre os anos misterioso Dr. Royle em Cornwall. A
quinta-feira duas semanas a partir de agora terno? "

Elizabeth não queria estar em qualquer lugar perto do smarmy Sir Henry, mesmo
depois de conhecê-lo para apenas dois minutos. Mas como ela poderia recusá-lo?
"Quinta-feira?" Ela gaguejou, peneiração furiosamente através de sua mente para
qualquer desculpa para mendigar fora do jantar.

Mr. Manton chegou mais perto e inclinou a cabeça baixa, para que ela possa ser
melhor ouvir suas palavras. "Eu sei que eu deveria saudar a chance de conhecer
melhor a linda filha do Dr. Royle com antecipação evenmore que Sir Henry."
Encontrou-se com Elizabeth de olhar e segurou firme até que, atrapalhado e um
pouco lisonjeado pela sua atenção, ela entregou o seu acordo para participar o jantar.

"Muito bem, quinta-feira duas semanas daqui." Elizabeth olhou para o Senhor
Gallantine. "Wegraciously aceitar o convite, não é mesmo?"

Senhor Gallantine sorriu para ela, obviamente, bastante satisfeito, e balançou a


cabeça. "Street Curzon, que é, Sir Henry?"

"Na verdade, é, às dez do relógio. Não ser rápido, pois tenho uma surpresa única para
mostrar que você quer. "Elizabeth Sir Henry varrido pela última vez com seu olhar
oleoso, fazendo seu desejo nada mais do que apressar-se para o banheiro para lavar a
retirada do filme da sua desconcertante atenção de sua pele. "Estou ansioso para vê-
lo tanto mais, então."

pele de Elizabeth foi positivamente rastreamento. Ela virou o seu olhar ao redor da
sala. "Eu tinha ouvido rumores de que o Príncipe Leopold estariam presentes esta
noite. É verdade? Ele está presente? ", Ela perguntou ao senhor Gallantine.

Sir Henry interrompido. "Eu tinha ouvido o rumor também, mas acredito que tudo isto
é que é. A palavra no tribunal, sempre a melhor fonte para a verdade de uma matéria,
é que o príncipe está secretamente em Londres, para cortejar a Princesa Charlotte e
ela está em Windsor. Se eu fosse o príncipe, eu não me arriscaria a Almack, se a
princesa estava fora da cidade, mesmo se eu fosse o convidado de honra sem nome ".

Elizabeth suprimiu uma scowl.He virá. Ele o fará. É o destino.

Ela tinha apenas derrotou o seu olhar sobre uma senhora e senhores, completamente
desconhecido para ela, ela decide fingir que eram amigos, quando o jovem médico
protegido de Sir Henry eliminados do seu copo de ponche, então ofereceu-lhe o braço.

"Miss Royle", William disse baixinho para ela ", posso ter essa dança?" Para oferecer
o seu braço antes que ela respondeu foi um ácaro presunçoso, de forma Elizabeth de
pensar, mas ela era realmente grato, pois no passado ela tinha um bom meios de
escapar de Sir Henry.

Ela levantou as bordas dos lábios e tomou o braço de Manton, oferecendo uma
recatada olhar para o Senhor Gallantine e Sir Henry. "Por favor, desculpe-nos,
senhores. Os convites pista de dança. "Ela riu como uma falta, para dar Gallantine a
impressão de que o regime de Rakes Old" matchmaking estava trabalhando, então se
permitiu ser levado para a pista de dança.

Eles tomaram seus lugares no canto inferior da praça e esperou que a quadrilha
francesa para começar. A selecção desta dança particular como seu escape de Sir
Henry era o mais infeliz. A dança tinha apenas sido introduzido por Lady Almack de
Jersey, o que significava que Elizabeth teve que concentrar sua atenção
exclusivamente sobre cada passo de modo a não acidentalmente volta ao outro
durante anglaise thechaise. E assim, durante alguns minutos miserável, ela se viu
incapaz de pesquisa na sala de montagem de seu príncipe.

Ela não tinha certeza se era o grau de concentração anormal da dança exigida ou o
grande número de convidados no salão de festas, mas pelo tempo a quadrilha francês
concluiu, sentiu seu rosto brilhante e úmido de suor.

"Obrigado, senhor Manton, para a dança. Eu gostei muito dele, "Elizabeth disse, e fez
uma reverência polidamente," mas eu vejo meu patrocinador, Lady Upperton, perto
da porta, e eu preciso de uma breve entrevista com ela antes que eu perca de vista
outra vez. "

Mr. Manton, a multa características olhando estranhamente perturbado, curvou-se


graciosamente à sua frente. "Eu espero que nós podemos dançar novamente antes do
adia evento, Miss Royle".

"Como eu, caro senhor." Com um aceno rápido e um sorriso fugidio, Elizabeth virou-
se e fez o seu caminho da pista de dança e através da sala de reunião lotada na
direcção da Senhora Upperton, que agora estava falando com o Senhor e Gallantine
Lilywhite.

Ela olhou para o Sr. Manton para garantir que ele se tinha reunido com Sir Henry e
não decidida busca dela. Quando olhou à sua frente, outro lacaio, segurando uma
bandeja grande de taças cheias de ponche de vinho, tinha apenas dois passos de
distância e foi direto para her.Blast! Ela teve sorte, mas nada mal esta noite e não era
sobre chance de ser regadas com vinho. Ela não iria tentar a sorte em chamá-la
própria destruição. Ou o vestido, seja.

Mamando em um grande bocado de ar, ela cuidadosamente apertos da saia de seda


esmeralda e levantou a barra do chão. Girando em torno à esquerda, ela cobrados na
multidão clustering, mas o lacaio habilmente transformados em sua esteira e ficou
atrás dela.

Gorblimey! Será que ela tem um alvo de tiro com arco preso à sua volta?

De repente, ela bateu em alguém. Cool escorre do que cheirava a vinho correu entre
os seios e para baixo seu vestido.

Ela suspirou e olhou para baixo, com medo de que ela iria certamente ver. Uma
explosão de umidade saturada o corpete elegante, transformando-o de esmeralda
brilhante ao mais escuro de verde da floresta. As costas dos seus olhos começaram a
arder.

Não, não é meu vestido. Meu vestido bonito.

Mas, estranhamente, apesar de ela se sentiu muito triste ao saber que seu vestido
estava arruinada, a esmagadora sentimentos de medo e pavor que sentia tão
fortemente em seu sonho estava ausente. Como pode ser isso?

"Eu imploro seu perdão", veio uma voz profunda e ressonante. Elizabeth ergueu a
cabeça e através dela lágrima turva os olhos percebeu que, num primeiro momento,
ela levou para ser uma parede azul-escuro. Ela deu um passo para trás enquanto ela
renovou seu fôlego em preparação para repreender um homem idiota para estragar
seu vestido.

Até que ela notou as medalhas.

Oh, Deus.e a faixa vermelha.

"Miss Royle! I-Não percebi ", veio a voz novamente.

Lentamente, ela se virou para olhar para cima, para baixo e obrigou a pedra enorme
que parecia ter aumentado em sua garganta. "Y-Sua Alteza Real."

Houve uma mão de repente pressionando para baixo em cima de seu ombro. Ela
olhou de soslaio para ver que o Senhor Lotharian agora estava um pouco atrás dela.
"Reverência, Elizabeth", ele sussurrou em um tom overloud assim ela poderia ouvi-lo
sobre o barulho da multidão.

E assim ela fez, desejando com todo o coração que ela poderia deixar seu olhar
turvado no chão para que ela não teria que olhar para cima novamente e deixe o
príncipe Leopold para ver seu rosto, que certamente eram brilhantes como o
vermelho brasas.

Dane-se tudo. Sumner tinha a intenção de procurar Miss Royle, esta noite, para
dançar com ela, para começar o namoro dela. Mas não é assim. Não esvaziando seu
champanhe para baixo entre ela, ele não poderia ajudar mas olhar para o seu integral,
peito branco.

Ele arrancou seu olhar indevida de seu decote para os olhos vibrantes, que apareceu
como o verde esmeralda como seu vestido, antes de ele ter arruinado.

"Eu imploro seu perdão, Miss Royle, I-Eu não vi a sua abordagem." Dobrado Sumner,
teve o braço fino e lançou-la de sua reverência muito, muito gracioso.

Quando ela olhou para ele, ele viu que seus olhos estavam cheios de lágrimas e seu
rosto corado com a cor envergonhado. Porra ele duas vezes. Das centenas de outras
pessoas na sala de reunião, ele tinha alguma encharcado e humilhado a única mulher
que tinha enchido o seu pensamento todos os anos desde sua primeira reunião de um
dia atrás.

Ela era mais bonita que qualquer mulher que ele já viu, mesmo usando um vestido
champagne, salpicada. Mesmo com os olhos vermelhos de lágrimas.

Ela foi perfeita em todos os way.For ele.

Do que ele tinha sido capaz de aprender sobre ela durante o curto período de tempo
desde que se encontraram, Miss Royle não tivesse nascido uma sociedade perder.
Mas se a conversa theton 's era para ser acreditado, ela era como ele. Como o azul do
sangue, mas não do nome.

Ele percebeu então que ele estava olhando para ela como um idiota mal-educado.
"Miss Royle, se me permite, gostaria de entrar em contato com a modista fashion
outro vestido para você."

Miss Royle sorriu e depois forçou um riso pequeno. "Minha matéria não bata, Sua
Alteza Real." Ela inclinou a cabeça, então, e viu que as lágrimas pareciam já mexeram
nos seus olhos.

Embora ele não podia compreender como, ao que parecia, tinha decidido perdoar a
sua ofensa desajeitado. Ela inclinou-se perto dele e ele sentiu sua respiração no rosto.

Uma dica de um sorriso tocou completa, lábios cor de rosa. "Ainda que eu havia
pensado", ela sussurrou: "quando nosso último encontro, que você disse que estava ...
Whitevale Senhor."

Uma onda de alarme disparado por Sumner momentarily.Bloody inferno. Quando se


conheceram, ele ainda não estava posando como Leopold! Instintivamente, olhou
para ter certeza de que ninguém estava perto o suficiente para tê-la ouvido identificá-
lo. Mas parecia que ninguém tinha. Ele exalou em relevo. declaração da Miss Royle
não há risco para a segurança de Leopold. Ainda assim, ele sabia que tinha de
garantir seu silêncio. E assim, ele colocou a boca para a orelha.
Apesar do champagne com o qual ele havia tomado banho, ela cheirava a flores de
laranjeira na Primavera. Ele chamou o cheiro dela, fechando os olhos para um piscar
de tempo, antes de responder. "Eu estava incógnito na loja do joalheiro. Posso confiar
em você para não revelar o meu alter ego? "

Ele sorriu brincalhão como ele endireitou as costas e olhou para ela. Seus olhos já
não eram brilhantes em todas as suas faces e acalmou a revelar a sua verdadeira
tonalidade cor-de-rosa, do jeito que ele se lembrava quando ele colocou uma tiara
sobre a cabeça de Hamilton e Companhia.

"Incognito?" Sua resposta foi considerada um sussurro. "Ah, agora eu entendo. Tudo
faz sentido. "Então, contraiu os lábios e os ombros começaram a tremer com diversão.
Rapidamente, ela segurou sua mão enluvada sobre a boca. Quando ela abaixou
alguns segundos depois, seu rosto lindo estava impassível. "Claro, sua Alteza Real.
Você pode confiar na minha total discrição. "

Foi então que tardiamente tomou conhecimento da altura, senhor idoso de pé um


ritmo atrás dela. "Perdoem a minha lentidão na resolução de você. Eu não acredito
que tive a honra, senhor. "

Miss Royle quebrou dentro "Sua Alteza Real, permitam-me a honra de dar a conhecer
a você Earl Lotharian. Ele é um dos meus guardiões. "

Senhor Lotharian dobrados em uma curva galante, que teve vários segundos de
grunhidos e suspiros para desengatar. "Sua Alteza Real."

"Estou honrado em conhecê-lo, Senhor Lotharian". Sumner engoliu em seco. O


homem, embora no final de ano e, certamente, nenhuma ameaça física, estava
olhando para ele bastante ameaçador.

O velho não voltou a brincadeira, mas deu um passo e outro, até que o espaço entre
sentia muito limitado. "Dizem que você está em Londres para pedir a mão da princesa
Charlotte," o velho impetuosamente afirmou. "True?"

"Senhor Lotharian!" Miss Royle ofegante. Por um instante pensei que ele Sumner
detectado algo mais em resposta chocado Miss Royle para as palavras de seu tutor.
Raiva, não era? Certamente não é vergonha, que era o que ele poderia ter esperado
sua reação ao ser.

Senhor Lotharian não abandonar o seu teimoso olhar. Ele permaneceu fixa em
Sumner enquanto aguardava uma resposta.

E assim, ele decidiu contar a verdade. "Esta noite, meu único pensamento era a
suplicar Miss Royle para uma dança. Nada mais. "Senhor Lotharian era alto, quase tão
grande como a si mesmo, e quando Sumner dirigiu-se ao senhor de cabelos grisalhos,
ele olhou diretamente nos olhos.

Lotharian Senhor não disse uma palavra, mas por alguns momentos Sumner teve a
nítida impressão de que ele estava estudando ele. Mas chegou um momento quando
ele já não podia suportar a seriedade do Conde. Voltou-se para Miss Royle, que agora
parecia um pouco abalada com a intensa troca de atenção entre ele e Lotharian
Senhor.

Sumner sorriu agradavelmente, na esperança de acalmá-la. "Eu gostaria de ter


pedido uma dança ..." Ele olhou para o corpete, voltou seu olhar para o seu belíssimo
olhos verdes. "... Mas desde que eu tenho embebido seu vestido, Miss Royle, gostaria
de saber se você poderia me fazer a honra de deixar Almack por um tempo curto para
um passeio ao ar à noite. Seu vestido vai secar ea relativa calma da rua à noite é
muito mais propício para a conversa que esta multidão de foliões. "Ele olhou para o
Senhor Lotharian momentaneamente. "Isto é, se me permitem, meu senhor." Seu
olhar caiu sobre Miss Royle novamente.

Ela estava piscando para ele como se ela não conseguia acreditar no que estava
fazendo dela. Ela virou-se, aparecendo envoltos em seus nervos, olhou para o Senhor
Lotharian e esperou em silêncio para ele dar-lhe permissão para deixar a bola por um
tempo curto.

O velho olhou mais uma vez Sumner, e depois no Miss Royle. "Muito bem, meu caro.
Mas não tardará demasiado longa. Lady Upperton vai querer falar com você. "

"Obrigado, meu senhor." Miss Royle excitadamente saltaram na ponta dos pés por
um instante, mas logo renovou sua compostura ladylike.

Sumner ergueu o braço para ela, e como ela levou, um grande sorriso iluminou o
rosto dela. Juntos, enquanto caminhavam de braços dados no meio da multidão, ela
parecia não conhecimento do vinho florescendo em todo o corpete. Em vez disso, ela
parecia extraordinariamente feliz. E isso agradou imensamente Sumner. De alguma
forma, ele havia sido resgatado.

Eles tinham acabado de descer as escadas e um lacaio de libré abriu as portas para
os afastar das salas de montagem, quando ocorreu a Elizabeth que olhar por cima do
ombro. "Não há guardas?"

O príncipe balançou a cabeça. "Não há necessidade desta noite. Além disso, eu sou
um soldado treinado. Sei exatamente o que fazer em caso de um ataque. Então, eu
adverti-lo, não tryanything. Fui educado na arte de defesa. "

Ela riu e, inesperadamente, ele sentiu apertar a segurar em torno de seu bíceps. "Eu
não tenho dúvida de que você tem", disse ela, olhando através de seus chicotes
luxúrias para ele.

"Felizmente, a menos que esteja secretamente planejando um ataque, eu não


acredito que haverá qualquer necessidade de chamar a minha formação militar em
serviço esta noite bem". Sentia-se a suavidade do seu peito pressionando contra o seu
braço, e até mesmo em relação a frieza da noite tornou-se consciente do calor
crescente abaixo.

Ela inclinou a cabeça e olhou para ele, enquanto caminhavam. "Por que você se
apresenta como Senhor Whitevale quando nos conhecemos?"

"Eu disse que eu era anônimo." Ele virou a cabeça e sorriu para ela, antes de olhar
em frente novamente. "Eu não queria chamar a atenção não desejada."

"Claro que não," ela admitiu. "Como eu disse, você pode colocar sua fé em mim."

Suas pernas eram longas, e pela primeira vez em sua vida ela teve de duplo passo
para manter-se durante um passeio. Depois de alguns minutos do trote, eles se
voltaram para o trecho familiar Grande do Pall Mall. Um ponto de esforço lado
esquerdo Elizabeth doía, e de seu embaraço, ela foi obrigada a parar de andar, até
que passou.
"Peço desculpas", disse ela. "Eu fui na companhia principal de soldados por tanto
tempo que eu"

Elizabeth acenou fora de seu comentário. "Não precisa se desculpar.


Verdadeiramente. "Foi então que ela notou a longa fila de carros forro Pall Mall.
Apenas três de volta foi um carro decorado com o brasão da Upperton arms.Oh,
graças a Deus. "Gostaria de ... para descansar por um minuto ou dois? transporte Meu
patrocinador é apenas lá. "Olhou para cima sem se preocupar em esconder o
articulado em seus olhos. Ela não podia corrida ao longo da rua agora.

Ele riu-se com isso. "Muito bem. Ele permitirá que você algum tempo para pegar o
vento em suas velas novamente. Mas eu adverti-lo novamente, sem ataques. "Com a
graça maior, quase como se fosse um passo de dança, ele chamou o seu próximo e
virou na direção do carro.

Ele não libertá-la imediatamente. Em vez disso, eles estavam agarrados juntos. Ela
não queria para ele soltá-la e assim ela segurou para ele e olhou em seus olhos.

Ela sentiu o peso da sua respiração, como os pulmões expandidos e contraídos,


pressionando sua dura, peito musculoso contra ela. Sua respiração acelerada,
também. Ela baixou o olhar para sua boca, e sem pensar nisso, correu a ponta da
língua sobre os lábios. Era tarde quando percebeu quão óbvia seus desejos
românticos tornou-se a ele.

Sua expressão se tornou de repente muito sério. Ela ouviu sua respiração engate um
segundo antes de ele escassa a mão em concha atrás da cabeça e puxou a boca para
a dele.

Seus lábios quentes provaram o champanhe como se moviam delicadamente sobre a


dela. Seus braços levantado e, por vontade própria, deslizou até debaixo dos braços
para as costas e puxou-o em seu abraço apertado.

Sua boca brincava com ela, sua língua, quente e lisa, incitou os lábios separados, e
então deslizou para dentro, onde se misturavam em uma dança antiga, com seus
próprios.

Como ele gemia de prazer, um som da saudade brotou de dentro dele. Ela sentia que
a vibração em seu meio ... mas desta vez mais baixos também.

Só então houve o som de tiros, seguida por um assobio, ao lado de sua cabeça. De
repente, bateu as costas sobre o pavimento. forma pesada o príncipe caiu em cima
dela.

Ele foi baleado. Sua cabeça latejava como ela lutou para esquivar-se de baixo him.Oh
meu Deus. Oh meu Deus. Ele não pode ser morto, ele não pode. Ela bateu a mão para
os pavers cool e tentou levantar, mas seu peso tornou impossível para ela se mover.

Um outro tiro soou, perfurando o carro ao lado deles. Ela choramingou com medo.

"Não se mova. Fique onde está, Miss Royle. Vou protegê-lo. "Sua respiração estava
quente no ouvido dela.

"Você está machucado?", Ela sussurrou.

"Não. Ainda permanecem. "Ele levantou-se dela, então dobrado em um


agachamento. Cautelosamente, examinou a rua, depois veio a seus pés.

Elizabeth permaneceu de costas, como tinha ordenado, até que viu o movimento em
uma janela superior de uma loja de vinte passos abaixo Pall Mall.

"Na janela! Ele está lá! "Ela virou para os pés e porta da carruagem escancarou
Upperton Lady's.

Ela pegou o pulso do príncipe e puxou, milagrosamente, batendo-o de seu pé e para


a cabine aberta. Ela empurrou-o para o chão da cabine assim como um apartamento
terceiro tiro o ar ainda de noite. Desta vez, o príncipe não se mexeu.

O baque de pisadas na pavers chamou a atenção de Elizabeth, e quando ela olhou


para cima, ela viu uma figura escura correndo em sua direção. Seu coração estava
batendo no tempo com o pulsar em seu head.Oh, meu Deus!

Sem demora, ela soltou o príncipe mais para dentro, e estava no trabalho dobra suas
longas pernas para forçá-los no táxi quando o driver antigo Lady Upperton, Edmund,
correu até o carro e apareceu ao lado dela. "Oh, graças a Deus que é você", ela
suspirou.

"Inferno sangrento, Miss Elizabeth! O que está acontecendo? "

"Não fique aí parado gawking. Ele foi baleado. Por favor, me ajude! ", Ela confessou.
"Temos de distância. Agora! "

Edmundo entrou no táxi e puxou o príncipe completamente dentro, posicionando-o


no banco em frente. Ele estendeu a mão e puxou para dentro Elizabeth. "Ele está
sangrando feroz, miss."

"Eu sei. Eu sei. "Seus nervos estavam gritando, sua mente uma confusão completa.
"Você pode levar-nos daqui, de uma vez? Eu sei que é perigoso para nos ajudar agora,
Edmund, mas eu preciso de você para subir em cima do carro e levar-nos daqui.
Alguém está tentando matar o príncipe. "

"Sim, senhorita. Eu sou seu servo ". Edmund deu um olhar de despedida ao príncipe,
em seguida, mexidos da cabine e trancou a porta atrás dele. "Onde?", Ele ligou de
volta.

"Hyde Park. A Serpentine ", veio a voz baixa do príncipe. "Pressa".

"Hyde Park, Edmund. De uma vez! "Elizabeth se ajoelhou no chão ao lado do príncipe
como o carro balançou para a frente e saiu da fila de transporte.

Ele abriu os olhos quando ela alisou os cabelos para trás de seu rosto, em seguida,
descascadas abrir seu casaco e sua camisa do gramado. Ela deslizou a mão direita
debaixo dele e sentiu um buraco redondo na parte de trás do casaco. Ela exalou.

O príncipe fez uma careta quando ela escorregou de seu dedo ao redor da abertura
do buraco, e então ele tentou se sentar.

"Não tente a aumentar", disse ela enquanto ela rasgou uma faixa de seda de sua saia
e balled-lo. "Você foi atingida logo abaixo do ombro. Parece ter atravessado limpa,
mas você está sangrando muito. "

Através de sua dor, ele conseguiu dar um sorriso fraco. "Como você vir por sua
perícia médica, Miss Royle?" Ele mordeu o lábio inferior como o carro inclinado,
arredondando um canto.

Ela forçou um sorriso da enfermeira praticado no seu paciente e começou a bater tão
calma deu lugar a grande preocupação. "Eu disse-lhe que o meu pai era um médico?
Minhas irmãs e eu trabalhei a seu lado quando estávamos crescendo. Digo isso
porque eu posso ajudá-lo. Você estará se sentindo muito melhor em breve. "Ela olhou
em seus olhos semi-abertos. "Só o que devo fazer agora vai doer. Por favor,
permanecem ainda como você pode. Estou indo para curativo você retardar o
sangramento. "

Ela rasgou um pedaço de segunda a saia e posicionou uma das almofadas de seda
que ela tinha formado sobre a ferida de entrada e outra em cima do lugar em suas
costas quando saiu. Ela retirou a fita azul escuro que rodeavam suas costelas e
amarrou-o em torno dos dois blocos. Ele mal chegou.

O príncipe piscou para ela e suspirou. "Peço desculpa por estragar seu vestido para
uma segunda vez." Ele tentou rir, ela sabia, mas seu esforço soou como um gemido
do momento em que deixou a sua boca. "Eu sangrei todo o seu vestido. Desta vez, eu
temo um pouco de ar não é suficiente para uma solução. "

Elizabeth olhou para baixo e viu um filete de sangue escorrendo de seu corpete. Ela
tocou a umidade e seguiu-o para cima ao longo do pescoço, a orelha, e um lugar
pulsante apenas acima de seu templo. Cautelosamente, ela instalou o dedo em cima
dela. Dor gravado através de seu crânio, fazendo seu tonturas e náuseas. O sangue
em seu vestido não era dele. Foi ela própria.

"Tenho medo ... desta vez", ela murmurou, "você não estava em falta."

"Querido Deus." Seus olhos foram de largura, com preocupação. "Você foi um tiro?"

"Não é nada", respondeu ela, não querendo que ele se preocupe pois sua lesão era
mais grave. "É apenas um arranhão. cortes menores na cabeça são notórios por
sangramento. "Mas, então, sentiu-se esmagadora medo. Doom.

Seu pesadelo se tornou realidade.

Capítulo 6

Isabel ouviu crack do condutor chicote de couro no ar da noite como ele pediu a sua
equipa para a frente, mais rápido. Levou apenas uma embreagem de minutos para
chegar às portas de Hyde Park, e, em seguida, o príncipe conseguiu sentar-se ereta
apoiada no banco.

Sua força e coragem, depois de ser literalmente baleado, Elizabeth atônito. Ora, ela
quase acreditava que ele tinha ordenado por pura vontade a cor para começar a
retornar aos seus lábios e bochechas.

Ele não tinha sido tão bem sucedida, no entanto, esconder suas emoções após o
ataque. fronte do príncipe foi elaborada no respeito e ele estava mordendo o lábio
inferior, com dor ou ansiedade, não sabia. Ele estava aflito olhando para fora da janela
enquanto o carro acelerou em direção à Serpentine.

"Nós temos escapado." Elizabeth estremeceu como a primeira palavra alijado de sua
boca. Mesmo o menor movimento do queixo enviou uma pontada de dor na cabeça
dela. "Você não precisa se preocupar mais."
Ele lentamente se virou para olhar para ela, então, sem uma palavra silenciosamente
retornou ao seu vigília na janela. Quando finalmente ele falou um pouco mais tarde,
ele a surpreendeu. "Quanto tempo antes de chegarmos ao Serpentine, onde se
encontra a água Long?" Suas palavras foram cortadas, e inalou uma profunda
respiração órtese depois que ele terminou a sua pergunta.

"Só alguns minutos mais, eu acho." Ela estendeu a mão e gentilmente colocou sua
mão sobre o joelho. "Por que nós devemos acelerar o Serpentine, Sua Alteza Real?
Você precisa ser examinado por um médico. "

Novamente ele se afastou da janela para olhar para ela. Mesmo na fita larga de luar
para o interior da cabine, ela podia ver a sua pergunta alarmou de alguma forma. Ele
parou por alguns momentos, como se a ganhar força antes de responder. "Eu me
preocupo com a segurança do meu primo. Ele está aqui. "

"Seu primo? Mas por que seu primo há qualquer perigo? As balas eram claramente
destinado para você. Eu vi o atirador na janela. Sua arma foi treinado em você. "

O príncipe tornou-se o olhar sombrio sombrio. "Você viu o atirador?"

Elizabeth assentiu. "Eu fiz." A idéia golpeou com frieza. Ela o viu, não que ela poderia
atribuir qualquer detalhe de sua aparição, devido à escuridão. Mas se viu, isso
significava que o atirador provavelmente viu bem, especialmente se ele tivesse sido
seguindo-os. "Sua Alteza Real, como ele sabia que estaria andando Pall Mall?

O príncipe balançou a cabeça lentamente. "Eu não sei. Até que eu derramei o
champagne em seu vestido, meu único pensamento foi passar a noite em Almack e,
possivelmente, para dançar com você. "

Em sua palavras de incentivo, uma emoção pouco sacudido por Elizabeth.

Ele queria dançar com ela. Ele tinha a intenção de procurá-la no baile. Ele admitiu
ele.

Ela recostou-se fora do alcance da luz da lua brilhante que ele não iria observar o
sorriso espalhando seus lábios, apesar da dor na cabeça.

"O que significa", ele conseguiu dizer, "fomos seguidos."

"Seguido?" Elizabeth plissados sua testa. "Mas ele estava em uma janela do primeiro
andar acima de uma loja."

"Eu acho que é provável que ele arrastou-nos Almack e, possivelmente, decidiu que
precisava de altura para afetar um tiro bom." Ele chupou em uma respiração profunda
antes de continuar. "Então, ele quer encontrar uma porta aberta, ou invadiu uma loja
escura e abriu caminho para uma janela no primeiro andar de frente para a Pall Mall."
O príncipe ficou em silêncio. Sua respiração saía em calças e suspiros agora.

"De qualquer maneira, ele provavelmente estava no baile desta noite. O que significa
que, talvez ... ele era de theton. "Conforme Elizabeth olhou para o príncipe para
qualquer reação a essa revelação, as rodas de um carro colidiu com um buraco na
terra húmida da Rotten Row, causando-lhe a careta.

Instintivamente, ela levantou a mão para a cabeça doendo. Ela já não sentiu um fluxo
proveniente da área logo depois seu templo. Agora, havia apenas um processo lento,
por gotejamento contínuo de queda a partir da borda do queixo e espirrando sobre o
corpete de vez em quando. Mas isso foi uma evolução favorável. A coagulação
sanguínea foi agora.

Felizmente, o príncipe é muito mais grave ferida estava fazendo o mesmo.

A poucos minutos depois, a carruagem parar. O meio de transporte saltou, ganhando


doía gemidos de ambos os ocupantes, como Edmund pulou do veículo e abriu a porta.
"Estamos aqui, Miss Elizabeth." Ele entregou-lhe para baixo e depois rastejou para
dentro da cabine para ajudar o príncipe a seus pés.

Como o príncipe desceu e ganhou seu pé sobre a terra úmida de Rotten Row, ele
ajeitou a sua altura máxima. Só então Elizabeth avistou dois homens correndo a
frente a partir da ponte sobre o Serpentine. O príncipe agarrou-a e puxou-a contra ele,
envolvendo o seu forte braço ao redor para protegê-la.

O luar peguei o brilho de espadas em seus lados, e como eles se aproximaram,


Elizabeth viu que cada homem brandia uma pistola. "Eles estão armados", ela
suspirou, e jogou seu peso leve contra o príncipe, com urgência esperando para
empurrá-lo dentro do carro, mais uma vez. Mas ele não se mexeu.

Ele apertou seus braços sobre ela, em seguida, ergueu o braço direito e gritou para
os homens. "Não há necessidade de pânico. É I. "Os homens pareceram reconhecer o
príncipe e desacelerou para uma caminhada antes de finalmente parar
completamente. Quando o fizeram, cada um deles curvou-se profundamente diante
dele.

Em seguida, um senhor de fraque negro, e que Elizabeth teve de ser uma mulher
camuflada, emergiu das sombras e encaminhou-se para eles.

"O que é isso, primo?" O homem gritou. "Devo ficar alarmado?"

O príncipe olhou através das águas espumantes escuro da Serpentine, não se dignar
a falar até que o senhor e sua mulher estavam em pé diretamente diante dele. Só
então ele libera sua presa em Elizabeth de fecho braço do primo de apoio. Ele segurou
a voz baixa, e seu tom foi mortalmente séria. "Thereis necessidade de alarme.
Devemos voltar, uma vez ".

Então, essa era primo do príncipe, Elizabeth pensou que ela estudou o menor
homem. Sim, isso mesmo. Mesmo na escuridão, ela podia ver a semelhança familiar
entre os dois. Mas a mulher. Quem era?

Elizabeth dobrado em seus joelhos e tentaram em vão distinguir a identidade da


mulher. Seu rosto estava parcialmente encoberto pelo capuz de seu manto. O que ela
podia ver seu rosto estava inundado de uma mancha azul do luar, a definição de suas
características, mas perdeu todas.

A mulher ficou olhando para ela, assim, ea julgar pela forma como ela de repente
enrijeceu, Elizabeth era quase certeza que ela reconheceu.

"Você está ferido", disse o primo, exclamou, apontando para abrir o casaco do
príncipe e da mancha de sangue escuro preto brilhando à luz do luar em sua camisa
branca.

"Assim é ela", acrescentou a mulher, inclinando-se para Elizabeth. Ela estendeu a


mão e levantou o bloqueio de sangue amortecida de cabelo de Elizabeth rastrear a
origem do sangramento. "Temos de levá-los tanto para um médico." Olhou para o
príncipe e, depois, o primo dele, à espera de acordo.

"Nós estaremos bem", respondeu o príncipe. "É mais importante que vamos voltar
para o hotel."

"Você não está bem, e você quer ver um médico", a mulher praticamente ordenado.

Elizabeth tentou mais uma vez ver seu rosto. A julgar pelo seu tom imperativo, ela
era uma senhora de cerca de destaque, habituados a ter o seu próprio caminho, ela
seguiu as ordens.

"Meu próprio cirurgião mora perto, e ele pode ser confiável. Ele tende a todos da
minha família. Até meu pai confia nele, e ele não confia em ninguém. "A mulher olhou
para os dois homens armados perto e levantou o braço. Um dos homens assobiaram,
e por trás de uma cortina de bordos twiggy rolou um reluzente carro negro.

Elizabeth olhou para Edmundo e estava prestes a dirigi-lo quando a mulher


misteriosa falou novamente.

"Você pode demitir o motorista. Meu carro vai servir a todos nós ", disse ela com
altivez. "Fazê-lo agora."

Elizabeth correu sobre a Edmund. "Obrigado, meu caro. Você deve retornar para a
senhora Upperton agora. Temos transporte alternativo. "

Ele inclinou a cabeça, e Elizabeth virou sobre o seu calcanhar para voltar ao outro
quando um pensamento entrou em sua mente. Ela girou de volta. "Não limpe as
bancadas e, por favor, por favor, não menciona nada a Lady Upperton. Eu vou falar
com ela no dia seguinte e explicar tudo. "

"Sim, senhorita." Edmund subiu em cima do carro, estalou o chicote no ar, e os


cavalos virou um semi-círculo e desceu Rotten Row na direção que eles tinham vindo.

Se ela tivesse sabido que a mulher destina-se a levá-los à Curzon Street,


sangramento da cabeça ou não, ela teria voltou a Berkeley Square.

Mas ela tinha conhecido, também, que estava sendo trazido para a residência de Sir
Henry Halford, médico ordinário do rei e por um conjunto de circunstâncias
extraordinárias para esta mulher tão bem que ela teria saltado do carro em que
correu através de ruas de Londres.

Elizabeth estava sentada diante de um fogo de carvão de baixa, eo belo protégé de


Sir Henry, o Sr. Manton, foi enxugando uma pomada na ferida perto de seu templo.

Seu toque era suave, ea maneira como ele ocasionalmente se virou para olhar em
seus olhos a certeza de que ele não estava causando sua dor era um pouco ... bem,
cativante.

"O destino foi com você, Miss Royle", disse ela. "A bala atingido de raspão sua
cabeça. Você pode ter sido morto. "

Elizabeth sorriu. "O destino é sempre do meu lado, meu caro senhor."
Ele olhou intrigado com sua resposta, ela podia ver, mas ele não quiz ela sobre isso
ainda.

"Você viu o maníaco que ateou fogo em cima de você?" Ele se inclinou para trás de
sua tendência e esperou pela sua resposta.

"Não ... Quero dizer, sim. Eu vi ele ".

Seus olhos azuis arredondados. "Então, temos de chamar um investigador de uma só


vez."

"Eu ouso dizer, eu não acho que o príncipe iria concordar com você," Elizabeth
respondeu suavemente. "E quando eu vi o homem, eu não poderia te dizer uma única
coisa sobre ele. Era muito escuro e ele foi longe demais. Eu vi pouco mais de uma
silhueta de um homem com a pistola na mão. "

A mulher desceu as escadas e se dirigiu diretamente para a porta da frente tão


rapidamente que mal Elizabeth registrado que ela estava passando.

Empurrando-se para cima da cadeira em que ela estava sentada, afiou sua distância
em torno de Mr. Manton para alcançar a mulher. "Será que ele vai se recuperar? Você
sabe? ", Ela gritou desesperadamente ant
es que a mulher poderia sair.

A mulher puxou o manto sobre a cabeça e chamou-o baixo sobre os olhos


lentamente, antes de se virar. Só o nariz e os lábios eram visíveis Elizabeth. "Sim. A
bola passou limpa. "

Elizabeth músculos relaxados com a notícia. "Posso vê-lo? Você sabe, Sir Henry vai
permitir isso? ", Perguntou ela, tentando não expressar seu desespero.

A mulher ignorou o seu comentário completamente, embora a audiência, o lacaio


abrir a porta para ela, ela adicionou um comentário à partida. "A Hackney estará
esperando na rua para você uma vez o Sr. Manton terminou tendendo a sua ferida,
Miss Royle. Os pedidos príncipe não, I. Ele disse que não deve desejar para a sua
família para se preocupar. Você deve se sentir honrado que ele está mostrando que
tal consideração. "

"Eu faço. E eu te agradeço por me informar a condição do príncipe ", Elizabeth


conseguiu, mas antes que ela pudesse perguntar para saber quem era ela, a mulher
desapareceu pela porta.

"Graças a Deus ela sabia que para trazer-lhe aqui os dois," Mr. Manton disse em
algum lugar atrás dela.

Elizabeth virou-se. Uma onda de vertigem assaltado e ela cambaleou, travando-se


contra o batente da porta ornately esculpidas.

"Eu vou acompanhá-lo até sua casa, Miss Royle." Mr. Manton apressaram-se a
emprestar-lhe o braço de apoio. "O príncipe está bem. Não há necessidade de
preocupação. Você parou o sangramento precoce. Você pode ter ainda salvou sua
vida. "

Elizabeth respirou um suspiro de alívio. "Obrigado por tendendo para mim, caro
senhor, mas ..." Ela olhou para o Sr. Manton com toda a seriedade. "... Eu poderia
perguntar ... só que era aquela mulher?"
"Você realmente não sabe? Sir Henry profundas, a voz quase zombando emergiu da
escuridão da escada.

Assustado, Elizabeth apreendido no batente da porta e se virou para vê-lo. "Eu não
Sir Henry. Por favor, você não vai me dizer? "

"Eu vou, na verdade." O Barão riu baixinho e, em seguida apontou para si mesmo
com orgulho. "Afinal, eu a conheço bem. Eu tenho tendência para ela e os membros
de sua família por vários anos. "Ele fez uma pausa para o que parecia ser o simples
propósito de fazer Elizabeth antecipar a divulgação de sua identidade ainda mais a
mulher. "Isso, minha querida, não era outro senão a princesa Charlotte".

"A princesa? Wooziness" nublado cabeça de Isabel, e ela sentiu os joelhos dar abaixo
dela.

Capítulo 7

Berkeley Square

Na manhã seguinte, Elizabeth abriu os olhos para encontrar-se escondido em sua


própria cama testador. Pelo menos, ela assumiu que era de manhã. O quarto estava
inundado por luz azul esfumaçado. Ela poderia apenas fazer uma bandeja com uma
xícara de chá e um prato de fatias de maçãs verdes sentado na mesa ao lado dela.

Mas, então, de repente, as cortinas foram abertas e lá, em pé diante da janela em


plena luz do sol, foi Cherie.

"Como é que eu chegar em casa?" Um pulsar ritmado dolorosa no templo de


Elizabeth. "I can't c de lembrar."

Cherie ergueu as sobrancelhas graciosamente curvada, como se persuadindo-a a se


esforçar mais para lembrar os acontecimentos da noite anterior. Enquanto a
empregada pequena esperou, ela derramou um prato de Elizabeth chá e guiou-o em
suas mãos.

Aumentar o teacup para os lábios, Elizabeth deixar o bafo de vapor em seu rosto. Ela
respirava o perfume acolhedor de chá e imediatamente o reconheceu.

Hyson! Qual foi a Sra. pensando Polkshank? Hyson era demasiado caro para um
pequeno-almoço familiar mero. As folhas caras estavam destinadas a ser reservado
para tomar chá com convidados ilustres. Não admira que os gastos domésticos foram
aumentando. Tal desperdício! Bem, ela teria que falar com a Sra. Polkshank sobre isso
neste mesmo dia.

Então aconteceu. breves flashes de imagens inesperadamente apareceu no olho de


sua mente. Uma pequena multidão de cavalheiros reunidos em torno dela, erguendo-
a. Abrindo os olhos em um carro escuro balançando. As batidas de um coração.
Esfregando o nariz, porque uma faixa de tecido vermelho jingling estava agradando.
Forte, capaz de armas carregando ela. Sendo colocado em cima de sua cama por ...
por-

"Deus do céu!" Elizabeth sobressalto, enviando o chá em sua xícara chapinha para o
lado. Cherie estendeu as mãos e salvou o prato. "O príncipe me trouxe aqui? Ele
colocou-me na minha cama? "Ela olhou incrédulo com a empregada.
Cherie sorriu, então encolheu os ombros.

"Não, ele foi ferido. Impossível. Impossível! "Elizabeth zumbia os dedos sobre o lábio
inferior. Mas as imagens eram tão claras. Ela estendeu a mão e envolveu seus dedos
ao redor do pulso pequena da empregada. "Será que isso acontecer, Cherie? Fez isso?
Ou eu estava sonhando? "

A empregada sacudiu a cabeça. As bordas dos lábios puxados para baixo. Era claro
que ela não sabia.

Mas alguém no seu agregado familiar deve.

Alguém tinha deixado ela, e quem trouxe a sua casa em Berkeley Square, em casa.
Ela teria sua explicação na hora. De alguém.

"Cherie, por favor, me ajude a se vestir." Elizabeth jogou as pernas sobre a beirada
da cama e começou a ficar quando uma onda de tontura forçou-a a sentar-se
imediatamente em cima do colchão novo. Ela ergueu os olhos para a empregada
assustou o futuro. "Eu estou bem, Cherie. Não há motivo para se preocupar. Eu só
preciso mover um pouco mais lento até que eu esteja completamente desperto. "

Cherie ofereceu-lhe o prato de chá mais uma vez, que ela tomou, sem hesitações.
Talvez a Sra. Polkshank estava certo em que fermenta a full-bodied, chá hissom
pungente esta manhã. Sim, provavelmente foi apenas a coisa para sua constituição
debilitada. Como Cook foi sábio.

Cherie vê-la beber o Hyson com uma expressão de preocupação e surpresa


misturada, até que a única coisa que resta a teacup Elizabeth foi algumas folhas de
chá torcida.

Ela precisava saber como ela chegou aqui, e que o príncipe, na verdade, estava bem.
E ela teria sua resposta. Só que desta vez ela decidiu que não seja tão apressado. Ela
entregou a empregada dela xícara de chá, então lentamente se levantou, atravessou
o quarto de dormir, e facilitou para baixo antes de sua penteadeira.

Quando ela olhou no espelho, ela compreendeu horrorizada expressão Cherie.


sangue seco o cabelo emaranhado em todo o lado direito da cabeça.

Deus do céu! Ela deve ter sido muito mais gravemente ferido do que ela imaginava.
Tanto sangue. Sua mão tremia enquanto ela se levantou e puxou várias correntes
grossas de cabelo cor de cobre, para que ela possa observar a ferida.

Inclinada para a frente para a prata do espelho, ela olhou de perto para ele. Nenhum
gesso tinha sido aplicado, o que a surpreendeu pois não havia essa quantidade
grande de sangue. Mr. Manton, no entanto, haviam administrado algum tipo de
pomada de cheiro desagradável ao raspar crostas escuras vermelho, sobre o
comprimento ea largura do seu dedo mindinho.

Seu estômago virou um pouco, o que debilitou sua.

Ao assistir o seu pai ao longo dos anos, ela nunca tinha aversão à visão de sangue.
Parou mesmo uma ferida jorrando girando um torniquete bem, enquanto o médico
costura corte de um fazendeiro perna fechada. Em toda a sua vida, ela nunca tinha
sequer pestanejou na visão ou o cheiro de sangue ... bem, talvez uma vez quando um
spray fanned em seu rosto, mas ela teria feito o mesmo tinha sido a água líquida, de
modo que nada incidente anunciado.
Mas desta vez era diferente. Desta vez foi o seu próprio sangue.

"Cherie, gostaria de lavar meus cabelos." Com um suspiro desgostoso com sua
própria aparência, ela retirou as travas emaranhado prendeu volta no lugar.

A empregada sacudiu a cabeça com veemência e olhos escuros olhou suplicante a


reflexão de Isabel no espelho.

"Lud, Cherie, por favor, consulte o aquecimento da água. Por favor. "Ela exalou um
suspiro duro. "Você sabe muito bem que eu não posso sair de casa olhando como se
eu tivesse escapado da faca um assassino louco. Devo tomar banho e vestir o meu
vestido fino de manhã se eu quiser saber sobre a saúde do príncipe deste dia. "

Cherie assentiu com a cabeça, sacudiu uma reverência rápida, e então se apressou a
partir do quarto de dormir.

Elizabeth virou a cabeça e olhou a posição do pastejo. Hmm. Suas abas largas chapéu
de palha, o embelezada com rosas pálidas e um impressionante fita verde de cetim,
que cobri-lo perfeitamente.

Ela sorriu para si mesma no espelho e apertou suas bochechas para animar sua
palidez. Que sorte ela estava a ter um sentido tão agudo do estilo.

Duas horas mais tarde

Descendente dois lances de escada provou mais difícil do que Elizabeth tinha
antecipado, ele fez sua bobble a cabeça, e cada movimento minúsculo machucar com
tanta certeza como se alguém tivesse batido a cabeça dela. Não importa. Ela seria
simplesmente perguntar a Sra. Polkshank para localizar o pó de salgueiro para a dor
na cabeça, depois que ela agradeceu o revigorante ainda-muito-caro-para-uso-para-
fins, como o chá hissom. Então, ela seria a porta e se dirigiu para o Hotel Clarendon,
onde ela tinha ouvido rumores de que o príncipe, e, provavelmente, o primo dele,
foram hospedagem.

Ela tinha acabado de liquidada a mão no post newel e entrou para o chão na
passagem de entrada quando ela ouviu a voz do Senhor Gallantine chamada para fora
do salão.

"Não acho que, meu caro", disse ele, em que, surpreendentemente, soou como uma
voz bastante severo.

Elizabeth fez uma careta. Que ele estaria zangado com ela, principalmente depois de
sua provação última noite, não faz sentido. Então ela empurrou aviso absurdo
Gallantine em sua cabeça. Ele foi provavelmente falando Cherie enfim ... ou alguém.
Certamente não é ela. Ele provavelmente tinha sido informado de que ela vestia e
nem sequer sabia que ela estava presente no primeiro andar ainda. E assim ela
decidiu se apressar para continuar sua busca para o pó de salgueiro, antes de fazer o
seu caminho até a sala para ver a sua chamada.

"Elizabeth, pomba", veio a voz doce de Lady Upperton. "Nós ouvimos o som de
passos na escada passos. Não entram na sala. "

Blast.Elizabeth congelou em seus passos e apertou os olhos fechados. Ela teria vindo,
logo após a participação do pó do salgueiro. Lentamente, ela abriu os olhos e suspirou
profundamente. Depois de verificar sua aparência no espelho, a ferida estava
perfeitamente escondida sob um duplo twist de cabelo, puxado para cima e, em
seguida, fixado na parte traseira de sua cabeça, ela ergueu um sorriso bonito e,
segurando sua cabeça como o nível e constante quanto possível, deslizou para a sala.

Sua cabeça sacudiu dolorosamente o momento em que ela viu que não só foram
Gallantine e Lady Upperton presente, mas também foram Lotharian Senhor,
Lilywhite ... e, claro, cochilando a sua tia Prudence. "Eu me desculpo. Eu não tinha
percebido que alguém tinha chamado e queria uma entrevista comigo. "

"É isso mesmo, Elizabeth?" Senhor Lotharian olhou para os olhos através estreitada.
"Depois da nossa carga é perseguido por um homem armado pelas ruas de Londres
com o príncipe Leopoldo de Saxe-Coburgo, nem menos e disparou em seguida,
porque, ora, poderemos vir a falar com você?"

Um rosto de Elizabeth flush aquecida. "É só uma ferida superficial. Como você pode
ver, estou bem o suficiente. "Ela engoliu. "Tem ... Alguém já ouviu falar sobre a
condição do príncipe deste dia?"

"Só que ele sobreviveu. Mas então você sabe que, não é, gel? "Lotharian disse, ainda
observá-la dessa maneira perturbadora dele.

"Sim." Ela baixou o olhar, na esperança de libertar a atenção excessivamente


centrada na Lotharian. "Eu só perguntava"

"Você pode ter sido morto, Elizabeth!" Lilywhite bati, abafando suas palavras. Ele
apressou-se até a Tântalo, e embora ele ainda era muito cedo no dia de beber, por
theton s 'ou qualquer outra pessoa padrões, ele se serviu de um copo de brandy.
"Qualquer pessoa gosta de um bocado de alimento líquido calmante?"

Seus olhos de tia-avó abriu imediatamente. "Eu faria isso." Ela levantou a mão e
acenou para um copo. Lilywhite obrigado ela quase que instantaneamente, e ela
tomou o conhaque e começou a beber alegremente.

Elizabeth acomodou-se em uma cadeira vazia chinelo perto da porta. "H-... Como
você ficou sabendo sobre o incidente da noite passada?" Oh. Direita. Edmund.
Esquecendo-se, ela bateu a palma da mão em sua cabeça. "Damn!" Ela olhou para
cima e foi imediatamente se reuniu com olhares chocados do grupo de idosos. "Por
favor, perdoe o meu desabafo. 'Tis a minha cabeça ... muito, muito dolorido ".

Cherie flitted na passagem de uma exploração bandeja um copo de água turva. Antes
que ela pudesse entrar na sala, ela foi imediatamente interrompido pelo mordomo
MacTavish, que tinha apenas tomado uma posição de sentinela à porta. Ele olhou
intrigado com a empregada pouco até que ela apontou para sua cabeça e depois para
o vidro.

Elizabeth, que, a partir da periferia de sua visão, foi observado o atraso na recepção
de todo o seu pó salgueiro muito necessária, estava prestes a primavera de sua
cadeira e arrancar o vidro quando o mordomo entrou no salão e, finalmente, ofereceu-
dela.

Ela bebeu o amargo em pó, mas sabendo que iria demorar algum tempo para aliviar
sua dor, ela começou a considerar juntar Lilywhite e prudência de uma libação meio-
dia.

"Na verdade, 'Twas Miss Margarida Mercer Elphinstone que transmitiu a notícia
espantosa de suas aventuras com o príncipe na noite passada," Lady Upperton
revelado. "Você se lembra dela, não é? companheiro princesa Charlotte de senhora? "

Elizabeth ficou sentado em silêncio, tentando juntar os eventos que possam trazer
Miss Mercer Elphinstone a porta Upperton Lady's.

"Você fez seu conhecimento. Ontem, na verdade, "Lady Upperton acrescentou. Ela
ergueu as sobrancelhas brancas fofo animadamente. "E você deve ter feito uma
impressão."

"Mais, por favor." Tia Prudence levantou seu copo vazio na direção de Isabel. "Chop,
chop, Lilywhite".

Elizabeth, aturdido pela afirmação Lady Upperton, começou a levantar-se para


reabastecer seu copo tia-avó quando ela se sentiu a mão pesada Lilywhite sobre seu
ombro.

"Eu vou buscá-lo para o seu gel,", disse ele. "Fancy uma reciclagem para mim, de
qualquer maneira."

Elizabeth olhou diretamente para Lady Upperton. "Em minha palavra, eu não sei
como eu poderia ter feito uma boa impressão em todos no Miss Elphinstone. Nosso
tempo juntos foi tão curto. "Nada neste dia parecia fazer sentido a Isabel, e ela
começou a me perguntar, fugazmente, se ela tinha alguma lesão sacudiu seu cérebro.
"Por contacto didshe você?"

Senhor Gallantine se levantou do seu lugar no sofá ao lado de Lady Upperton e


chegou a estar diante de Elizabeth. "Você deve ter feito algo de extraordinário,
querida. Somethingvery extraordinário. "

Elizabeth inclina a cabeça para trás e olhou para ele. "Por que você diz que,
Gallantine? Você parece tão confiante no seu cargo. "

"Porque, Elizabeth, ela chamou a luz pela primeira vez com uma carta da princesa
Charlotte." Fez uma pausa, em seguida, como se Elizabeth já deve saber o conteúdo
da referida missiva. Mas ela não fez, e, lud, desejou que todos eles parariam de
dançar a quadrilha em torno dos fatos e dizer-lhe tudo!

"A princesa pediu que você se juntar a ela em Cranbourne Lodge,


temporariamente ... só até Michaelmas," Senhor Gallantine acrescentou.

"Junte-lhe a princesa?" Elizabeth mudou a cabeça desta maneira e que a par em


torno Gallantine, esperando, rezando, alguém poderia esclarecê-la quanto a este
turno extraordinariamente estranha de eventos. "Mas por quê?"

"Para agir como um de seus companheiros-dama como a senhorita Elphinstone, ela


mesma," Lady Upperton oferecidos.

"Mas porquê ... eu?"

"Bem, não sei, querida," Lady Upperton admitiu. "Esperávamos que você poderia nos
fornecer esta informação vital. Naturalmente, nós concordamos em seu pedido e
enviado de volta ao Miss Elphinstone a princesa com a notícia feliz. "

Esse pedaço de notícia impulsionou Elizabeth direto para os pés. "Y-Está de acordo?"

"Você deixa o primeiro da próxima semana, se você estiver bem o suficiente. E


parece que por sua aparência neste dia que você já está apto. Então, está tudo
arranjado. "Lady Upperton sorria orgulhoso. "Sabíamos que ia ser o que você queria.
Sabíamos que seria muito feliz de conhecer a princesa. Afinal, você mesmo disse, ela
é provavelmente a sua meia-irmã. "

Elizabeth sentou-se novamente, sua força drenado de seu membros com essa
revelação. Esta foi a loucura total!

Sim, nos últimos meses, ela se perguntava sobre a princesa Charlotte, seu meio-
irmão provável. Tinham fantasiado sobre o que seria viver como uma princesa, tinha
as circunstâncias do seu nascimento foi diferente.

Mas agora ... agora tinha se tornado o destino lhe revelou. Ela foi se casar com o
príncipe. Ela não podia sair de Londres e seu futuro marido para trás. Agora não.

Parecia, porém, que seus guardiões já tinha selado o destino dela, concordando que
ela serviria Princesa Charlotte.

Lilywhite realizou um copo de brandy no ar. "Aposto que você gostaria de um desses
agora, Elizabeth, hein?"

Elizabeth levantou a mão para levá-lo.

Deus acima, por favor deixe isso tudo ser um sonho.

No prazo de sete dias, ela tinha certeza de que ela não estava sonhando. Seu curso
foi muito claro agora. Durante esta semana, ela não tinha recebido nenhuma palavra
como a condição do príncipe. E quando ela saiu da casa para saber mais sobre ele no
Hotel Clarendon, onde ele teria sido de alojamento, ela foi educadamente disse que o
príncipe não estava na residência no momento.

Elizabeth ficou se perguntando se ele tinha voltado para Paris, ou mesmo Coburg,
dependendo da gravidade de sua ferida.

De qualquer maneira, o seu sonho, sua visão nítida do seu casamento eventual,
estava se tornando rapidamente senão uma fantasia wishful sumindo com o vento a
cada hora que passa.

Quando o dia da sua partida para a temida Cranbourne Lodge chegou, ela espera por
um reencontro com seu príncipe havia desaparecido.

Cherie tinha trazido uma maleta com as necessidades, e vi que ela estava amarrada
em cima de troncos de transporte. Para o embaraço de Elizabeth, dois troncos
robustos tinham sido obrigados, por Lady Upperton tinha tomado a seu cargo a ver
que os vestidos que a Sra. Devy tinha sido contratado anteriormente para criar seria
entregue antes de sua partida, apesar de sete costureiras adicionais tiveram que ser
empregadas para completar a costura.

Elizabeth única tarefa tinha sido para descansar, para que ela seria revigorado
quando chamado a servir a princesa. Mesmo agora, ela ainda não tinha nenhuma
pista quanto ao que o seu serviço implica, que era mais do que um pouco
desconcertante.

Após uma viagem acidentada três horas de Londres, tendo o seu transporte e todos
os seus pertences mundanos contornou a última curva da estrada, e Cranbourne
Lodge entrou em exibição no passado.

Elizabeth suspirou a pensar que ela era realmente a residir em uma estrutura tão
imponente.

A casa grande de tons pálidos parecia absorver o sol da tarde de ouro, transformando
a apresentação da enorme torre em uma coluna de ouro. Ela se esforçou o pescoço
em sua tentativa de ver o alto da torre da janela, e quando ela viu, finalmente,
imaginei que fosse ela a estar em cima dele, ela seria capaz de ver Londres, cerca de
vinte quilómetros de distância.

Não parece ser um lugar tão ruim para passar de um dia, se era isso que você queria,
embora ela não para Cranbourne Lodge foi agradavelmente situado, não longe do
Castelo de Windsor, à beira de um jardim repleto antiga ladeado pela exuberância da
floresta de Windsor. Sua beleza e história era inquestionável.

Sendo a oportunidade de vir a conhecer a princesa Charlotte foi um presente


inimagináveis ... tinha ela ainda queria.

Para viver como uma princesa, para ser livre de responsabilidades domésticas e triste
a tarefa de cuidar de sua família, tinha sido o seu sonho maior desde o momento em
que ela e suas irmãs chegaram em Londres. E agora esse sonho foi se tornando
realidade.

Elizabeth só podia discernir um problema em ser em aqui em Cranbourne Lodge, e


que foi que o príncipe não era.

Nem era a princesa, que parecia. Princesa Charlotte tinha ido para Windsor para
visitar suas tias ea rainha, e não era esperado para retornar ao Cranbourne Lodge até
tarde da noite.

Elizabeth perguntou se a rainha sabia que ela estava aqui. Princesa Charlotte,
Elizabeth assumiu, deve ter ouvido a rumores theton sobre as irmãs Royle linhagem
"e, em seguida, percebeu, se ela acreditava que a história, que ela e as irmãs foram
Royles metade. A princesa sabendo da sua ligação de sangue possível ao menos
explicar o seu interesse por um plebeu de Cornwall. E o melhor poker a tortura de seu
pai poderoso com que seu bastardo?

Elizabeth fez uma careta. Mesmo que a princesa Charlotte sabia quem ela era, ou
poderia ser, a rainha não deve assumir-história de seu pai era autêntico. Se fosse
verdade, a rainha foi esquecido o fato de que as irmãs tinham sobrevivido, apesar
dela e melhores esforços Lady Jersey. Ou simplesmente a rainha não sabia que ela
estava em Cranbourne. Havia muito mais em risco para a sua neta, a princesa
Charlotte, de gastar tempo com um dos bebês a rainha tentou matar a alegação de
proteger o futuro de seu filho na Coroa.

Elizabeth considera que a sua estadia em Cranbourne Lodge pode trazer. A


observação da própria rainha? A reunião? Ela permaneceu no pensamento.

Apenas uma apresentação formal à rainha, um momento para que a rainha


realmente perceber quem era, e Isabel ficou convencido de que ela saberia a verdade
sobre o assunto de imediato, pelo olhar nos olhos da mulher.

Apenas, foram como uma coleção de momentos que possível, ela não sabia se
poderia suportar reunião do olhar da mulher que teria visto a morte dela.
Isabel sacudiu o pensamento de refrigeração. Não importa a razão pela qual tinha
sido convocado para Cranbourne Lodge, boa ou má, ela havia sido devidamente
cuidada. Ela havia sido localizado em um quarto pequeno mas confortável, com uma
janela arqueada e vistas deslumbrantes sobre um prado verdejante, atualmente
pontilhada com pequenos coelhos mastigando a grama nova.

Já havia ocorrido a ela que o tempo se moveu em um ritmo terrivelmente lento aqui.

Para ocupar-se, trabalhou ao lado de uma senhora de limpeza para descompactar


seus troncos e agitar seus vestidos novos de dobras a sua viagem. Ela mexeu com os
bloqueios de cabelo enrolado escondendo seu crostas de feridas mais e, em seguida
colocado para fora dela pós, perfumes, pinos e escovas em cima da penteadeira.

Então, com nada para fazer, Elizabeth decidiu se aventurar até o estábulo e pegar
emprestado um cavalo de um dos noivos. Seria mais um desvio, para fazer uma curta
viagem em torno das terras antes do pôr do sol.

Deer levantou a cabeça da grama macia e balançou a cauda nervosamente a baía de


Elizabeth trotou pela estrada de barro embalados longe do líder Cranbourne Lodge.

Por vários minutos, o pensamento de andar todo o caminho de volta a Londres


nagged em seu cérebro. Mas ela sabia que fazendo uma coisa tão irresponsável que
arremessar la no papel de pária social e, em seguida, se ela nunca mais encontrar o
seu príncipe, um futuro entre eles seria impossível. E assim ela contrariou-se acima e
resignou-se a suas funções temporárias para a Coroa.

O ar estava mais quente do que ela esperava seria a esta hora da tarde. Ela freou em
seu cavalo por um momento para desatar seu fichu. Mexendo-lo, ela acenou que
antes de sua face. Mas a circulação de ar quente não proporcionou alívio do calor
perto.

O bater de cascos na estrada chamou sua atenção, e ela puxou as rédeas e guiar seu
cavalo sob a cobertura de árvores. Lá, ao longe, avançou um jovem em cima de um
cavalo castrado preto enorme.

Quando ele se aproximou, viu que ele não usava um pano no pescoço. Sua camisa
gramado billowed aberto, revelando montes de músculos no peito firme.

Gotas de suor nervoso surgiu em Elizabeth fio como o cavalo galopava mais perto, e
ela enxugou a testa com ela fichu rendas como ela estudou a forma de cavalheiros.
Sua forma muito familiar.

Ele não usava um casaco no calor da noite de verão, nem dragonas de ouro que
vibram no ar com cada ascensão e queda dos cascos do seu cavalo castrado. Nenhum
faixa escarlate coberto por cima do ombro para baixo e atingir toda a sua anca magra.

Mas ainda assim, embora ele estivesse vestida como o fazendeiro veriest país, ela o
conhecia.

Ele era seu príncipe.

O truque da luz é esta?


Sumner freou seu cavalo enorme a um impasse. Ele levantou a mão contra o brilho
do sol baixo pendurado e apertou os olhos para a figura quase escondida sob o sol
dappled debaixo de uma árvore de carvalho maduro.

Um tremor pulsante através de seus músculos. Ele sentiu a sensação muitas vezes
antes. A excitação, quando o primeiro canhão disparou. Quando a primeira espingarda
soou, enviando o seu corpo em movimento. Quando a bateria de uma grande
procissão militar disparou.

Mas nunca com a visão de uma mulher.

"Miss Royle?" Sua voz tremeu, mas ele pensou que tinha controlado sua reação
inteiramente demasiado visceral para ela. "Pode ser?"

Ela cutucou sua frente baía, inclinando-se sobre o punho enquanto ela passava
debaixo de um aglomerado de ramos frondosos. Como montar o seu totalmente
surgiu a luz do sol, Miss Royle ajeitou para trás e sorriu. Suas bochechas estavam
vermelhas, com cor rosada e foram brilhantes, a partir do calor do dia, ou talvez de
um passeio vigoroso, ele não sabia, mas a visão de seu agitado algo profundo dentro
dele.

"Você está bem?" Ela estava em causa no início, mas depois levantou a mão e cobriu
sua boca enquanto ela riu baixinho. "Que pergunta mais idiota. Olhe para você. Você
é glorioso. "Seu cavalo deu um passo adiante e ela abaixou sua mão e agarrou as
rédeas com força. O sorriso evaporou de seus lábios uma só vez. "Perdoe-me, Sua
Alteza Real. Eu não quis dizer ... quer dizer ... você parece estar em saúde glorioso ".

"Como você, Miss Royle." Que era um eufemismo. Ela estava linda. Mesmo no calor
do verão, após um passeio, ela estava deslumbrante. Perfeito.

Ela desviou o olhar e murmurou algo que soava muito como "glorioso" em sua
respiração. Quando se encontrou com seu olhar de novo, a curva de seus lábios foi
fabricado, obviamente nascidos de embaraço. "Obrigado, Sua Alteza Real".

Lá estava ele novamente, Sua Alteza Real. Uma pontada de culpa esfaqueado
profundamente na sua consciência. Ele queria ir com ela, a confessar e explicar os
motivos por trás da charada. Mas ele não podia agora. Ele e Leopold tinha concordado
sobre este ponto. Tinha que ser desse jeito. Por enquanto, de qualquer forma, para a
segurança Leopold, bem como a Miss Royle.

Instintivamente, Sumner apertada grip as pernas sobre o cavalo, e avançou até as


cabeças de seus cavalos em paralelo. "Que força dos céus poderiam ter trazido esse
acaso como um alegre encontro você na estrada?"

Uma brisa rápida agitaram as nuvens de poeira de terra seca ao seu redor, mas ao
invés de fechar as pálpebras contra o estouro, ela encontrou seu olhar, seus olhos
brilhando como brilhante esmeraldas ao sol da tarde. "Eu não sei se o céu tinha nada
a ver com esta reviravolta dos acontecimentos felizes", disse ela, uma pitada de
alegria erguendo a voz, embora eu acredito que talvez possamos agradecer Miss
Elphinstone a coincidência fortuita de nossa presença em Windsor ".

sobrancelhas Sumner se aproximava. "O que você quer dizer, Miss Royle?"

Ela evitou convenientemente a sua pergunta momentaneamente e, em vez colocado


o seu próprio. "Você já tomou hospedagem no castelo?" Ela parecia estranhamente
desconcertado com a pergunta muito ela posou, mas era, evidentemente, de alguma
forma obrigado a pedi-lo.

"Não, claro que não. Nossa presença aqui ... "Ele abaixou a cabeça e concentrou-se
ridiculamente sobre uma pedra perto de sua montaria pata direita, desejando que ele
poderia simplesmente dizer a ela. "... É um segredo muito bem guardado."

"Não é tão perto", ela exclamou, "para eu tropecei através de você, não eu? É seu
primo sobre? "

Leopold? Por que ela perguntar sobre ele? O peito apertado. "Por que vocês estão
aqui, Miss Royle?" Ele se inclinou em sua sela e olhou ao seu redor. "Não vejo outros,
não impedem de alimentos para indicar uma permanência tarde para o país".

Sua gelding pouco e freio tilintavam, e ele olhou para baixo para ver o seu cavalo
nuzzling a garganta da baía da senhorita Royle. Ele sentia-se estranhamente
embaraçado por isso. Ou talvez ele só queria que os pilotos estavam fazendo o
mesmo por baixo do Tamisa em um cobertor, sem um cuidado entre elas. Mas a
propriedade e sua necessidade de foco na segurança Leopoldo impediu.

"Não há nenhuma cesta, sem os outros." Ela se virou e olhou para a estrada. "Eu sou
residente em Cranbourne Lodge. A partir de hoje, eu sou uma senhora princesa
Charlotte companheiros. "

"Está em Cranbourne? Sumner sentiu que sacudida ímpar de emoção novamente.

"Sim, Vossa Alteza Real, eu sou."

Sumner senti um sorriso de antecipação em seus lábios. "Então vou te ver esta
noite."

Miss Royle levantou as sobrancelhas em surpresa aparente. "Meu, meu, você é um


homem muito confiante, não é?"

"Perdoe-me, Miss Royle. Eu quis dizer que eu te ver ... no jantar. "Que beguiling corar
o rosto cheio de novo, e por um instante que ele desejava que ele tivesse sido rakish
suficiente, só então, para dizer o que ela supunha.

Então, ele olhou para ele com timidez falsa. "Assim, posso supor que você está
alojamento ... secretamente ... perto?"

"Você pode na verdade, secretamente, é claro, Miss Royle".

Miss Royle inadieu derrubou sua cabeça. "Boa tarde, Sua Alteza Real. Espero que
falaremos de novo muito em breve ".

Sumner acenou com a cabeça para ela, e vi Miss rebocador Royle as rédeas e
transformá-la na direção da baía de Cranbourne Lodge. "Vamos, Miss Royle. De que,
estou certo. "

Quando ela desapareceu na curva da estrada, ele puxou as rédeas e galopou para
dentro da floresta.

Ele tinha que falar com Leopold.

De uma vez.
Capítulo 8

Cranbourne Cottage

Quando se aproximou Sumner cabana do guarda florestal, com telhados de palha é


na beira da floresta de Windsor, Leopold estava sentado no parapeito da janela do
piso superior para ter no ar. Apesar do calor, ele estava vestindo uma camisa branca
engomada gramado e um pano amarrado no pescoço flexível cerulean, se tivesse pelo
menos teve o bom senso de renunciar a seu revestimento.

"Pouco quente para um pano no pescoço, Leopold, hein?"

Príncipe Leopold, que era sempre tão formal em suas roupas com o seu público como
forma, acenou fora comentário Sumner. "A princesa Charlotte está próximo", seu
primo chamado baixo da janela. "Eu pretendo ser apresentável que ela deveria me
honra com a sua companhia."

A groomsman jovem veio correndo para a casa de campo, empurrando seu


indisciplinados, suor umedecido com manteiga de cabelo cor de seus olhos. Sumner
balançou a perna sobre o cavalo e desmontou, em seguida, entregue o cavalo
castrado para o jovem. O groomsman inclinou em silêncio, nunca levantando os olhos
para Sumner, o príncipe ou então o rapaz obviamente acreditava.

Assim como deve ser.

Assim como sempre foi, posando como um outro para a protecção dos outros. Foi
uma triste verdade que apenas dois outros neste mundo sempre soube a verdadeira
identidade de Sumner ... e nenhum deles foi Leopold. Mesmo para este dia. Leopold
ele acreditava ser seu primo, e que era a verdade vivida por Sumner.

Em sua juventude, eles eram treinados como soldados juntos. Leopold estudada
estratégia e história, enquanto a brutalidade, dor, e testes de inteligência testada
Sumner corpo ea mente para a sua posição final como um guerreiro no exército. Mas
seus caminhos sempre correram em paralelo, e eles estavam do outro lado, através
de campanhas e batalhas.

Como se fosse hoje.

Sumner esperou até o groomsman tinha trote do cavalo clara do quintal, antes que
ele respondeu a Leopold. "Ela não deve nunca chegar a casa de campo, apesar de sua
propensão para a desobediência. Muito arriscado para ela. "Ele se abaixou, através da
entrada e antes que ele fechou a porta atrás dele prancha, Leopold tinha aparecido na
parte inferior da escada. "Não fique tão atingidas tristeza. Conheci Miss Elphinstone
no vale e está tudo bem. Estamos a jantar com a princesa e seus companheiros neste
exato véspera em segredo. "

"Seus companheiros? Qual é esse absurdo? "Leopold praticamente rosnou. Ele


atravessou a sala e sentou em cima de um banco de carvalho ao lado de uma janela
da frente, lançada ampla para capturar qualquer brisa pequenas que possam
abençoar a casa neste dia sufocante. "Ninguém deve saber que estamos aqui. Poderia
ser uma questão de vida ou a minha morte! "

"Eu disse que o jantar será secreta conductedin. Apenas alguns membros de
confiança do pessoal da princesa, Miss Elphinstone e Princesa Charlotte sabe que
foram fornecidos com refúgio aqui no Cranbourne Lodge. "Ele deu uma pausa. "Oh, e
não há outro." Ele ergueu os olhos a ponto de Leopold.

O verdadeiro príncipe chegou ao seus pés. "Por que você demora? Quem é?
Deveríamos estar preocupados? "

Sumner sacudiu a cabeça. "Acho que não. É Royle Miss Elizabeth. "

A surpresa era visível nos olhos de Leopold. Ele não disse nada por alguns momentos
antes de falar novamente. "Seria sábio ... para informá-la da nossa presença,
Sumner?"

Sumner encolheu os ombros. "Por causa dela, eu não sei. Por sua causa, eu arriscaria
dizer que a miss não representa qualquer ameaça ".

Leopold dobrado os joelhos e sentou-se novamente.

"Mas você pode decidir que para si esta noite primo."

"Ela está aqui?" Leopold sentada muito quieta por alguns segundos, depois balançou
a cabeça lentamente. "Por que você pergunta a ela aqui? Você sabe como é perigoso.
Ela já foi baleado na cabeça, simplesmente por causa de sua associação com você! "

Sumner levantou a mão para interromper discurso do príncipe. "Eu não pedi a ela
para Windsor, e ela ainda está aqui. Eu a conheci no caminho para a Cranbourne
Lodge apenas vinte minutos passados. "

"Como, então?" Leopold esticou o braço e descansou no no peitoril da janela.

"Pelo que percebo, ela foi contratada pelo seu querido amigo, Mercer, como
acompanhante de uma senhora para a princesa Charlotte".

"Companheiro Miss Royle, uma senhora de? Odd escolha. "Leopold baixou o braço e
apoiou os cotovelos sobre os joelhos. "A direção certamente veio da princesa
Charlotte. Ninguém poderia ser convidado a aderir à princesa, e não mais
especialmente agora, enquanto estamos aqui, sem que seja ela expressa ordem real
".

"Ou o Príncipe Regente". Sumner ergueu as sobrancelhas. "Embora eu acho que


estamos de acordo que, se o Príncipe Regente sabia nada sobre Miss Royle, ou suas
irmãs, ele não permitiria que ela em qualquer lugar perto de sua Charlotte teimoso."

Leopoldo assentiu com a cabeça, depois olhou intrigado até a Sumner. "Você acha
que a princesa Charlotte sabe sobre seu parentesco com possíveis Miss Royle? Ou
será que ela pode simplesmente ter detectado um carinho de sua parte para o Miss
Royle e queria jogar o matchmaker? "

"Eu não tenho dúvida de que ela ou Mercer pode ser conduzido por uma medida de
tédio e desejo de jogar no matchmaking". Sumner esfregou o queixo enquanto
pensava sobre isso. "Eu acho que é mais provável que a princesa Charlotte sabe
exatamente o que pode ser Miss Royle, e que, aliás, é por isso que um simples plebeu
foi contratado como companheiro para a princesa."

Leopold descansou a cabeça nas mãos por alguns instantes e pareceu considerar o
que Sumner tinha teorizado. Ele balançou a cabeça, lentamente no início, depois mais
rápido, ele agarrou a noção mais firmemente. "Eu acredito que você tem o direito
dele, Sumner. Mas a minha pergunta é esta, pois eu não sou conhecida, mas por uma
alma muito poucos, em Londres, além de nome, muito poucas pessoas na cidade me
conhece de vista. "

Sumner acordado e se afundou em uma cadeira ao lado da lareira fria. "Todos na


Almack parecia acreditar que eu era o Príncipe Leopold. Mesmo Miss Royle, a quem eu
me apresentei inicialmente como Sumner Lansdowne, Senhor Whitevale, acredita que
eu sou ... bem, você. "

"Exatamente.

"Então, qual é a sua pergunta, Leopold?

Levantando o dedo indicador, ele bateu no ar várias vezes na direção de Sumner,


antes de continuar. "Por que isso?"

"Por que é o quê?" Sumner estava se tornando cada vez mais exasperado por meio
de Leopold round-the-faixa de fazer uma pergunta.

"Por audiência, depois de seus próprios lábios que você arenot príncipe Leopold, que
ela ainda acredita que você é?"

Sumner deixar cair seu olhar para o chão de pedra limpa. "Eu não sei ao certo." Ele
ergueu os olhos para Leopold. "No Almack, ela me perguntou por que eu fingia ser
Whitevale quando nos conhecemos na joalheiros. No baile, era evidente que ela
acreditava que eu era o Príncipe Leopold. Então, eu brincava com ela, dizendo-lhe que
eu tinha sido incógnita '. "

"E você estava incógnito, no baile". Leopold sorriu um pouco. "Não é quando você
pela primeira vez."

"Eu tive que dizer-lhe algo para conter a sua curiosidade e, felizmente meu pedido
atendido. O que ela viu a bola foi mais forte do que ela ouviu a ourivesarias ".
Mandíbula Sumner apertados. "Qual é o ponto desta discussão?"

Leopold sentou calmamente.

"Você suspeita Miss Royle de alguma coisa?" Mente Sumner estava rodando. Se ele
tivesse perdido alguma coisa? Teve sua atração por ela, suas emoções, ensombradas
seu pensamento crítico e colocar o Príncipe Leopold em perigo? Não. Não. Ele sempre
teve um senso apurado sobre as naturezas das pessoas. E ele estava certo de uma
coisa que ele podia confiar Miss Royle com sua vida. Ela já salvou uma vez, depois de
tudo. "Você está errado sobre ela, Leopold."

"Eu não disse nada." Leopold ergueu-se lentamente e virou-se para colegas fora da
janela.

"Ela acredita que eu sou o príncipe, e vou manter esta farsa até voltamos a Paris, ou
eu estou convencido de sua vida não está mais em perigo". Sumner percebeu naquele
momento que sua respiração estava vindo rapidamente. Suas palavras foram
cortadas. Seu temperamento tinha queimado.

Ele desenhou em vários goles profundos do ar em seus pulmões. Seu destacamento


fresco, seu controle, que sempre lhe permitiu tomar decisões cruciais, quer no campo
de batalha ou para garantir a segurança do príncipe Leopold, já tinha sido
comprometida por suas emoções.
Isso não faria. Não faria nada.

"Vocês não precisam temer, Leopold." Ele tomou uma outra respiração profunda.
"Não vou permitir que meus sentimentos para ter um lugar em sua proteção. Eu juro.
"

Leopold virou-se e dirigiu-se para a porta da frente. Como ele passou Sumner, ele
bateu-lhe no ombro. "Nunca tive nenhuma dúvida."

Uma hora até meia-noite


Cranbourne Lodge

Um rugido alto emanava estômago Elizabeth. "Oh, querida. Há gatos selvagens na


floresta de Windsor? "Ela olhou por cima do ombro na direção da janela, e então virou-
se para os outros três que estavam sentados diante do quadro expansivo no fulgor,
baixa insuficiente de apenas duas velas tremeluzentes.

Princesa Charlotte lançou um sorriso mal disfarçado no sentido da sua confidente


Mercer. Ela só tinha acabado de voltar de uma visita sua avó e tias no castelo, o que
implicou o atraso da refeição. "Sim, Miss Royle, eu acredito que existem. Lebres e
texugo, também, embora eu diria que eu não ouvi um pio deles esta noite. "

Mercer sacudiu os ombros levemente, e Elizabeth percebeu que tinha enganado


ninguém. Suas bochechas aquecida com cor.

"Eu ouvi um gato selvagem da mesma forma que elaborou antes de apresentar",
primo do príncipe disse. "Você não, Leopold?

O príncipe não demonstrou nenhuma emoção, e ainda assim ele concordou. "Eu na
verdade, primo. Deve haver um bom número deles na floresta. "

Elizabeth nervosamente dabbed seu guardanapo aos lábios. Ela olhou para o primo
do príncipe. "Não me perdoe, mas com todos os acontecimentos da noite do baile, eu
não registrar o seu nome, senhor."

O príncipe voou para olhar seu primo. O primo do olhar tiro a princesa Charlotte, que
completou, de olhos arregalados, a Mercer.

"Eu me desculpo", disse Elizabeth com nenhum grau pouco de suspeita de que algo
desconhecido para ela estava em andamento. "Já pedi uma coisa que eu não
deveria?" Os três continuaram lançando olhares de esguelha silenciosamente uma à
outra.

A princesa finalmente encontrou os olhos de Elizabeth. Ela estendeu a mão e pegou


sua mão. "Dear Miss Royle, primo do príncipe é ... o Marquês de Whitevale." Ela
ergueu os olhos surpresos com o príncipe e depois para o primo em jeito de
introdução.

"L-Whitevale Senhor?" Elizabeth murmurou. Ela se virou na cadeira para enfrentar o


príncipe. "Mas, Sua Alteza Real, apresentou-se como Whitevale quando nos
encontramos em Hamilton e Companhia."

Cor de alta desnatado faces do príncipe. "Como eu lhe disse que nas salas de
reunião, Miss Royle"

"Ah, sim", ela me interrompeu, "incognito". "Entendo".


"Miss Royle," Miss Margarida Mercer Elphinstone interrompeu ", e não ligue para mim
Mercer, todo mundo faz, e agora que você é um de nós, assim será você, eu espero.
Como você acha Cranbourne Lodge? "Ela sorriu lindamente em Elizabeth como ela
posou sua pergunta.

Miss Margarida Mercer Elphinstone era uma mulher espetacularmente bonita, com
pele pálida e suave, olhos arregalados, cabelo negro e brilhante. Ela apresentou-se,
em ambos os forma e aparência, como há vários anos mais velho que tanto a princesa
e Elizabeth. Ou talvez o seu equilíbrio, polonês e sofisticação só fazia parecer mais
madura. A partir do que Elizabeth tinha sido dito pela senhora Upperton, Miss Mercer
Elphinstone foi muito bem respeitado na sociedade de Londres e um dos favoritos no
derrotas e festas, conhecida por seu charme, larga e conexões variadas, e
sagacidade.

"Acho que é muito ..." Oh, lud, como se ponha esta bem? "... Propício ao
pensamento." Elizabeth sorriu para a conclusão da sua intervenção, bastante
satisfeito, ela conseguiu se expressar e de seu significado tão graciosamente.

Isto é, até a princesa Charlotte Mercer e começou a rir alegremente em sua resposta,
fazendo com que Elizabeth se perguntam se ela pisou em algo que ela não deveria
voltar.

"Dear Miss Royle, refrescante como você é. Mas nós sabíamos que seria, "Princesa
Charlotte disse a ela, suas palavras pontuado com risos missish. "Estou tão feliz por
você ter vindo. Você é tão diferente da minha governanta terrivelmente maçante. "

"Querida Charlotte, onde estão os guardas prisão de idade? Você embalado-los em


algum lugar para que uma possibilidade que está a tomar para trazer os nossos
estimados hóspedes a apresentar esta noite ", disse Mercer com toda a seriedade. "Se
o seu pai foi para ouvir isso, ele pop de volta fora de Warwick e eu teria um tempo tão
de tentar vê-lo."

O príncipe e Lord Whitevale empurrado para cima da mesa e feito para sair, mas
antes que qualquer um poderia dizer uma palavra, a princesa Charlotte tinha pulado a
seus pés e foi abertamente gesticulando para os senhores para se sentar novamente.

"Não há necessidade de se preocupem. Embora eu saiba que as circunstâncias o


exigirem que o Leo e Whitevale deve residir na proteção da floresta por um tempo
para sua própria segurança, não vou ter o meu futuro ... meu ... o Leo, tendo o seu
jantar em recanto um guarda-caça toda noite. "Charlotte olhou para Mercer, definir as
mãos com orgulho sobre seus quadris e espalhar seus pés, fazendo-a parecer muito
semelhante a um menino obstinado. "Além disso, ninguém vai ser o mais sábio. Meu
governantas foram incentivados a permanecer no castelo, depois de terem desfrutado
taça após taça do primeiro-Madeira dotado para a minha família pelo próprio
Wellington. Agora, peço-vos tudo, como eles poderiam recusar? "Princesa Charlotte
inclinou a cabeça para trás e deu uma gargalhada. "Eu, eu, na verdade, fez um jogo
de brincar de mãe, mas com a Madeira, em vez de chá." Charlotte soltou uma risada
mais unprincesslike.

"Você é mau, Charlotte. Positivamente maus ", disse Mercer, sem nenhuma
pretensão de formalidade com a princesa em tudo. "É por isso que você e eu chegar
em tão famosa." Ela virou o olhar inteligente sobre Elizabeth. "E porque eu tenho uma
suspeita Miss Royle será uma adição interessante para o nosso número."

Incômodo não chegou a descrever o modo como ela se sentiu ao perceber que tinha
sido shoe-horned em seu grupo íntimo como um bobo da corte significou para o seu
entretenimento.

Ainda assim, Elizabeth virou a cabeça para levee um sorriso alegre em direção a
Princesa Charlotte. Mas quando ela fez, ela viu que a princesa já estava bem olhar fixo
nela. Foi uma instrução, quase desconfiado olhar. Um lado que ela dirigiu ao "Leão", a
propósito, bobo demais familiares, ela tinha enviado o príncipe esta noite.

A princesa Elizabeth percebeu a consciência de sua observação quase ao mesmo


tempo. "Miss Royle"

"Oh, não ligue para mim Elizabeth", implorou a todos. "Afinal, estamos a ser amigos."
Oh, la, que parecia realmente repugnante. Que coisa inane a dizer! Eu não combinar
bem com a realeza. O que eu tinha pensado quando embarquei no carro esta manhã?
O golpe de cabeça fez-me completamente louco.

"Muito bem, Elizabeth," Princesa Charlotte começou novamente. "O que você acha do
Leo, aqui?" Ela inclinou a cabeça para o príncipe, quase como se cutucando a atenção
de Elizabeth com ele.

Mercer se inclinou em sua cadeira, lambendo o lábio inferior, em antecipação da


resposta.

Elizabeth olhou para o príncipe. Ele não cumpria o seu olhar. Na verdade, ele parecia
doente imediatamente à vontade e empurrado para trás em sua cadeira.

"I-Eu acho que o príncipe é muito gentil, muito corajoso e forte ...," Elizabeth
stammered.Lud, que esta noite nunca terminar?

"Ele é muito bonito também", acrescentou Mercer, "assim como seu primo." Mercer
piscou um sorriso manhoso secreta em direção a Princesa Charlotte antes de olhar
para trás para Elizabeth. "Você não concorda, Elizabeth?

Elizabeth sentiu seus olhos alargam-se. "Eu ... eu ... bem, sim. Ele cortou uma boa
forma. "Onde é que atirador? Aqui estou eu. Vem, vem me filmar agora. Qualquer
coisa era preferível a esta tortura!

O príncipe fixar as mãos sobre a mesa e se levantou. "Por favor, você me desculpa?
Eu acredito que deve ter um pouco de ar. "Ele olhou de soslaio para Elizabeth, em
seguida, derrubou um arco para cada uma das senhoras antes de a pé da sala de
jantar.

Whitevale um tiro rápido, quase imperceptível carranca na direção da Mercer. Claro,


ele não se dignou a lançar tal expressão à princesa, que afinal era a verdadeira causa
do mal-estar do príncipe. Não Mercer em tudo. "Elizabeth ..." Ele fez um gesto na
direção da porta. "Eu não gostaria que ele fosse sozinho. Quer se juntar a ele, por
favor? "

Elizabeth sacudiu a cabeça. "Eu imploro, por favor, não me peça para fazer uma coisa
dessas. É evidente que o príncipe deseja ser sozinho. "

Whitevale olhou para a princesa Charlotte. "Ele pode, mas ele foi ferido tão
recentemente, não gostaria de deixá-lo para si mesmo e se eu fosse, ele iria me
acusar de coddling-lo."

Princesa Charlotte fez uma careta e se levantou. "Iwill ir, então."


Whitevale, seu primo, balançou a cabeça. "Por favor, deixe Elizabeth, Sua Alteza
Real." Ele sorriu para ela, e ela deu uma risadinha. "Eu gostaria de discutir a caça na
floresta com você."

Charlotte braço dela caída sobre as costas da cadeira. "Bem, senhor, você já sabe há
uma abundância de gatos selvagens aproximadamente." Ela boca um rugido
silencioso e patas no ar, então riu ruidosamente.

Elizabeth ergueu o rosto para o visor. Era isso. A princesa tinha obviamente partaken
da Madeira si mesma. La, ela poderia muito bem seguir o príncipe durante a noite.
conversa desta noite foi muito complicada para tal uma falta simples como ela
compreender.

"Não desculpa, eu", disse ela, levantando-se da cadeira e empurrando-o para trás
abaixo da tabela. "Acredito que veremos o príncipe depois de tudo. Tem toda a razão,
Senhor Whitevale, ele não deveria estar sozinho. "

Mercer balançou as sobrancelhas graciosamente arqueadas na princesa Charlotte. "E


eu acredito que deve se aposentar para a noite. Um dia tão longo. "Levantou-se e,
como ela passou Charlotte, apertou a mão da princesa. "Boa noite".

Mercer looped o braço em volta de Elizabeth. Curiosamente, o gesto íntimo senti


muito natural, para Mercer tinha um jeito fácil sobre ela que fez com que todos se
sintam confortáveis, mesmo, ao que parece, quando ela estava sendo maldoso.
Juntos, eles caminharam em direção ao hall de entrada.

"Querido, Elizabeth", disse ela enquanto caminhavam. "Está em Cranbourne Lodge


por uma razão, e isso não tem nada a ver comigo."

sobrancelhas de Elizabeth aproximou. "Que razão pode ser que então, Mercer? Por
favor, partilhá-lo comigo. "

"Isso é para você aprender", respondeu Mercer como ela desprendida a segurar, mas
a descoberta de que a razão será a metade da diversão. "À medida que Elizabeth
estava perto da porta da frente, Mercer indo para a grande escadaria. "Miss Royle,
não perca esse dom. Seu tempo é curto aqui. Faça bom uso do que você tem. "

"I-eu ..." Elizabeth esforçou para as palavras certas, mas antes que ela pudesse
apreendê-las, Mercer havia desaparecido até a escadaria escura.

Um antigo lacaio de libré abriu a porta para Elizabeth. Ela respirou um suspiro
profundo, limpeza, em seguida, entrou a noite.

Cerca de vinte passos da porta, o príncipe estava em uma coluna de luz da lua azul.
Sua volta foi para ela e que não parecem estar cientes ninguém tinha vindo a
apresentar.

Mercer estava certo. Este foi um presente. Ela pensou que tinha perdido uma vez,
mas o destino tinha dotado la com outra chance.

Ela não teria chance de perdê-lo novamente.

À perda de oportunidades. Ou até mesmo a princesa Charlotte.

Confiança, Elizabeth levantou a bainha de seu vestido do chão e caminhou


silenciosamente por trás dele.

Ela gentilmente colocou sua mão sobre seu ombro.

Ele virou-se com um pouco de um começo e olhou em seus olhos, como se ele não
podia acreditar que ela estava lá. "Elizabeth", ele respirou.

Capítulo 9

Cranbourne Lodge
Norman jardim

Elizabeth.

Um estrondo como um trovão de uma tempestade distante balançou por Sumner


como o seu olhar encontrou os olhos brilhantes de Elizabeth. Suas mãos batiam, a
necessidade de estender a mão, para desenhá-la a ele. Seus lábios tremeram com a
falta de sentir o calor de sua boca na dele.

Mas, como sempre tinha sido o seu caminho, sua mente tamped para baixo suas
necessidades físicas e desejos. Seu dever steeled seu corpo contra ela.

Se ele pudesse fazer o mesmo com seu coração.

"Eu queria ficar sozinho." Sumner levou os ombros em suas mãos, e que ele sentiu
amolecer e magra, em ele, estende os braços, forçando-a a recuar. "Por favor, volte
dentro e juntar aos outros. Você pode dizer ao meu primo, se foi ele quem lhe
mandou, que eu estou bem e que ... que eu não preciso de um lembrete apontou que
os meus desejos estão em segundo lugar. Eu sei que o meu dever. "Deixou cair as
mãos e resolver a seu lado.

"Conheça os seus direitos ...?" Não é Elizabeth, admitindo, pisou na direção dele
novamente. "Eu não sei o que isso significa. Seu primo me pediu para ficar com você.
Vim porque queria estar com você. Eu ... eu precisava estar aqui. Com você. Você não
consegue entender isso? "

O interior do estrondoso Sumner transformada a partir de uma tatuagem de um


constante bater estrondoso dentro do peito. "Agora não é hora. Por favor, deixe-me,
Elizabeth. "

"Nowis o tempo." Ela deu mais um passo mais perto. Ele podia sentir o calor do seu
corpo enquanto ela se aproximava. Ele não teve tempo para retirar-se para seu
movimento, ou talvez fosse sua vontade que estava faltando.

Ela atingiu uma pequena mão para cima e, lentamente, acariciou sua bochecha. Sua
mão direita assente em cima de seu coração.

Algo dentro de Sumner quebrou naquele momento. Ele não havia sido preparado
para a sua ternura para seu toque de carinho verdadeiro, aquele tipo que enche o
coração escuro, espaços ocos como um bálsamo de cura.

Heat picadas nas costas de seus olhos, surpreendendo e envergonhar-lo de uma vez.
Seu dever era Leopold. Ela, e que ela o fazia sentir, era uma responsabilidade. Que ele
não podia pagar quando a vida de Leopold estava em jogo.

Ele tentou dizer-lhe, novamente, para explicar, mas as suas palavras brotam
duramente vez. "Eu tenho a minha duty.Go! "

Ela estremeceu contra ele cambaleou para trás e um ritmo. Ele não queria assustá-la,
feri-la. Suas mãos se levantou do seu lado, chegando para ela, mas ele forçou-a para
baixo.

Elizabeth não sabia ... ela tinha chegado muito perto. Ele precisava muito dela.

Mas ... o seu dever era Leopold. Ele não podia deixar sua fraqueza para Elizabeth
comprometer a segurança do príncipe ou sua união estratégica com a princesa
Charlotte.

Seus olhos se tornaram brilhantes e molhados, brilhando à luz do luar. Seu queixo
tremeu, mas ela estava forte, de frente para ele, segurando-a firme posição. "Você
acha que eu não tenha ouvido falar que o belo Príncipe Leopold em Londres
secretamente corte princesa Charlotte? Isso significa que ele se casar com ela? "

Sumner abriu a boca para responder, mas as palavras não vieram. Como ele poderia
responder a essa verdade?

Ela levantou um dedo para ele. "Você chama isso de seu direito-dever seu o que,
Saxe-Coburg?

Ele estava atordoado, e virou a cabeça dela. Ele não conseguia olhar para ela. Não
agora, quando ele sabia tudo o que ele diria para ajudar na sua causa seria machucá-
la. Ele olhou para o tapete de flores brancas iluminadas pelo luar.

"Por que não pode ser o seu primeiro dever a si mesmo?", Perguntou ela. Houve
desesperança em sua voz. "Eu sei que o nosso beijo significa algo para você. E eu
posso ver as suas reações por que a princesa Charlotte não. "

Sumner ouviu as solas dos chinelos no saibro antes que ela o alcançou. Girando ao
redor, ele agarrou-a e puxou-a contra ele. Ele inclinou a cabeça em direção a sua boca
e reclamou avidamente com os seus próprios.

Os dedos moles de ambas as mãos atravessaram seu rosto, em seguida, recuou


sobre as têmporas e wriggled através de seus cabelos.

Sentiu seu corpo endurecer com ela, senti sua falta dela.

Seu dever.

Esta singular pensamento reviveu seus sentidos.

Ele pegou suas mãos e puxou-los de seu cabelo. "Você não entende, Elizabeth? Eu
tenho minha duty.This não pode ser. "Apertou-lhe as mãos, e depois os soltaram.
"Wecannot ser!"

O que ele esperava que sua reação ao ser, ele não sabia, mas não era o sorriso em
seu rosto. Não era uma expressão de coragem falsa. Ele não era de gesso para evitar
um fluxo de emoções estrangulada. Era um sorriso.

"Isso é onde você está errado. Nós podemos ser ", disse ele. "E não importa o que
você faz, ou demandas de seus direitos, estaremos juntos." Trouxe as mãos para o
coração dela e apertou-los lá. "Eu sinto que, aqui ... e você também. Eu sei que você
faz. "
Ele estava em solo vulnerável agora. Qualquer palavra que ele falou, qualquer passo
em frente que ele fez, seria errado. E assim ele fez o que nunca tinha sido treinado
para fazer. Ele se virou e partiu para o estábulo em retiro.

"O destino decide", ela chamou por ele. "Você e eu somos feitos para estarmos
juntos. E assim será. "

Sumner alongou seus passos, mas não conseguia superar suas palavras.

O destino decidiu.

Como ele desejava que ele podia acreditar. Como ele ansiava por um futuro com esta
mulher bonita, compassivo.

Se apenas fosse possível.

Mas ele sabia que não era.

Ele deve sua existência ao pai Leopold. Ele não deixou que o príncipe ou a sua família
para baixo.

Ever.

Em vez de retornar diretamente para a pousada, Elizabeth andou mais em Norman


descontroladamente no jardim coberto, onde encontrou um banco de mármore
pequena para sentar em cima. Resolução de suas mãos para trás, ela se inclinou para
trás e ficou olhando para a lua enorme, brilhante no céu.

Ela ainda estava sorrindo ... para Fate havia realmente decidido. Ela e aquele homem
que teimoso, bonito homem estava a ser acompanhado. Forever.

Se houvesse qualquer dúvida, ele desapareceu no momento em que a agarrou e


beijou-a com uma paixão que até agora fez seus joelhos se sente fraco e mole, como
uma vela deixada por muito tempo em uma janela ensolarada.

Elizabeth levantou a mão e tocou os lábios com a ponta dos dedos. Sua boca foi
ainda proposta, e um pouco inchado, talvez a partir do fervor com que ele alegou que
com a sua própria. Ela passou a língua em seu lábio inferior cheio. Ela poderia ainda
gosto dele um pouco. Ela chupou um pouco os lábios em sua boca. Salgado com
apenas uma sugestão de vinho.

Ela abaixou a mão e piscou um sorriso cheio para a lua. E ele queria. Isso foi bem
evidente, também.

Sua dureza, pressionou intimamente contra ela, tinha assustou no início, até que ela
percebeu exatamente o que significava que ele estava sentindo por ela. Em seguida,
seu corpo responde, agrupamento abaixo de calor, tornando seu desejo de donzelas
coisas não deveria sequer considerar ... mesmo à luz do luar com um príncipe.

Inclinado para a frente, Elizabeth apoiou os cotovelos sobre os joelhos eo queixo nas
mãos. Tudo seria tão mais fácil para ambos, pensou ela, se não fosse por sua crença
ardente no seu dever so-called.
Ela suspirou. Embora ela sabia que seus sentimentos de atração iria crescer no amor
e no final o seu amor iria florescer e prevalecer, ela também sabia que, drat tudo, ele
realmente acreditava que ele tinha o dever-se casar com a princesa Charlotte para o
benefício de Saxe- Coburg e Inglaterra.

Elizabeth endireitou suas pernas e se levantou. Ela tinha uma tarefa bastante
hercúlea diante dela.

O que ela poderia propor a um príncipe que iria convencê-lo a casar com ela, um
plebeu dos confins da Cornualha ... em vez de uma mulher que um dia seria rainha da
Inglaterra?

Vagueou pelo jardim ponderar essa questão muito até que ela subiu um ligeiro
aumento e veio em cima de um labirinto pavimentadas com bagaço de conchas de
ostras branco.

Elizabeth olhou para a lua, e, em seguida, no labirinto circular à sua frente. Era como
se a lua e rodeado teia de trilhos foram imagens de espelho um do outro, com uma
notável diferença: enquanto ela poderia simplesmente olhar para cima para o corpo
celeste brilhante e pesar as diferentes opções para ganhar o príncipe em sua mente, o
labirinto foi feito a ser percorrido durante a meditação.

E então ela pôs um pé diante do outro como ela ponderou sobre a questão de que ela
poderia fazer para conquistar o príncipe. E ao redor as voltas do movimento enorme
labirinto ela ritmo, cada vez mais perto do centro e iluminação certeza.

No passado, ela finalmente chegou ao centro do labirinto. Ela levantou as mãos para
fora seu lado e inclinou a cabeça para trás para apanhar a luz do luar, esperando
pacientemente para a iluminação, que com certeza virão depois de andar em círculos
tantas vezes que sua cabeça girava.

Ela atraiu uma respiração saudável e fechou os olhos. E esperou ainda algum tempo.
E depois mais alguns minutos. "Mostre-me o caminho", ela sussurrou para a noite.
"Por favor".

Após estar lá, pelo menos, um quarto de hora, os braços doíam e seus músculos
tremiam tão violentamente como se ela tivesse sido praticado tiro todos os dias. Ela
deixou cair os braços flácidos de seus lados.

Seu destino estava predestinado. Ela tinha visto em seus sonhos. Senti-lo em seu
beijo. Por que não iria responder a vir com ela? Ela deveria saber disso. Ela deve!

Ela olhou para a lua e incidiu sobre o estragar escuras em sua superfície brilhante.

De repente, Elizabeth percebeu que ela já sabia a resposta destino.

Claro que sim. Era tão claro para ela agora!

Qualquer coisa que ela fez a partir deste momento em diante era para acontecer,
porque eles iriam se casar antes que o verão acabou. Ela tinha visto.

Ela levado as mãos à boca para reprimir o riso de realização brotando em sua
garganta.

Não houve necessidade de se preocupar em tudo.


Não há necessidade de duvidar que qualquer curso de ação que ela escolheu não
seria um direito, porque seria. Tinha de ser.

Sua cada ação, cada palavra, já estava predestinado a trazer o príncipe para ela.

Elizabeth saltou sobre seus dedos com entusiasmo, em seguida, correu do labirinto e
correu em direção ao alojamento. Ela tinha que dormir um pouco, afinal.

Ela tinha um príncipe para conquistar pela manhã.

Capítulo 10

Em sua primeira manhã na Cranbourne Lodge, Elizabeth acordou antes do sol se


tinha totalmente ressuscitado. Embora ela tentou ficar na cama dela, ela não podia.
Ela estava muito animado em saber que seus deveres como companheira uma mulher
seria, e como eles diferem da governanta da princesa.

O momento em que ela se mexeu de sua cama testador, a porta do quarto se abriu
ea empregada uma senhora bonita de cabelo dourado é apressado com uma jarra de
vapor de água, roupas e toalhas, e começou a preparar-se para assistir Elizabeth, com
ministrações sua manhã.

"Tem surgido a princesa?", Ela perguntou a empregada quando ela toweled o rosto
seco.

"Oh não, senhorita. Ela não vai subir por mais algumas horas. "Seu olhar sobre flitted
Elizabeth, mas seus olhos rapidamente transferido para o armário do outro lado da
câmara, e ela correu para ele.

"Oh, muito bem." Elizabeth me senti como um ganso. Certamente que ninguém
estaria acordado a esta hora mais cedo, mas o pessoal da casa que foram obrigados a
fazê-lo e, claro, uma dama de companhia de overeager.

Quando a jovem virou-se novamente para enfrentar Elizabeth, ela estava corando
violentamente.

"Há algo de errado?" Elizabeth perguntou, querendo saber se, mesmo que ela só foi
sair da cama por dois minutos, ela já tinha feito algo errado.

"Oh não, senhorita." A empregada deixou cair o olhar baixo.

Apesar de sua coloração apareceu pronunciado, Elizabeth decidiu que, para evitar um
surto de preocupação desnecessária, ela diria que o flush era apenas o reflexo do céu
da manhã recém-rosa nas bochechas da empregada e nada mais.

"O vestido rosa de manhã, miss?" A empregada pediu, segurando um de confecções


novas Madame Devy's.

"Tem bastante thatgown graves?" Elizabeth pensou que o vestido vermelho mais
adequado para uma soirée musicale ou. La, as mangas não se estender até o
cotovelo, eo decote era ... bem, não a recatada pouco menos.

Ela suspirou interiormente, supondo que aqui, na companhia da princesa de Gales, as


regras de vestimenta adequada estavam em um avião totalmente diferente. Ela deu
um aceno entusiasmado, certo de que a empregada seguramente melhor do que ela
sabia o que seria adequado para a manhã de ... bem, algum tipo de funções
companheiro ... em Cranbourne Lodge.

Uma vez que não havia mais ninguém sobre os cabelos e depois de forma estavam
vestidos, Elizabeth tomou um café da manhã leve de frutas e chá em seu quarto de
dormir, e então decidiu dar um passeio para ver o jardim durante o dia.

Embora ela questionou a sabedoria de usar um vestido tão ousado para andar no ar
fresco da manhã, ela sabia que seu manto cobriria o seu vestido e ela não seria muito
confortável, mesmo que ela se sentia um ácaro overdressed para um passeio.

Enquanto andou através da abertura na ruína do que tinha, obviamente, uma vez que
foi uma parede de pedra alta e no jardim, ela não podia ajudar, mas suspiro na sua
beleza simples. O orvalho da manhã ainda brilhava na grama e as flores roxas fading,
branco e rosa das luvas Fox, que ficou como "guardiões" natural apenas no interior do
jardim Norman. No começo, ela quase pensou que podia ouvir as flores em forma de
sino tocar no dia, mas depois, como ela atravessou o jardim, o tilintar dos sinos fraco
se transformaram em tinindo.

Agarrou seu vestido em seu punho, para protegê-la da bainha do capim molhado, e
acelerou em direção ao labirinto, onde os sons pareciam emanar.

A distância à frente, ouviu o arrastar de botas, gemidos e grunhidos baixos se


misturaram com os ecos de alta-frequência de passagem de metal violentamente
metal.

"Maldito seja o inferno, Sumner! Você está muito rápido para o homem o seu
tamanho ", veio a voz de um homem rindo como Elizabeth abordou o surgimento e
veio em cima do labirinto.

Ali, diante dela, dois homens sem camisa, com seus corpos brilhando de suor,
balançou as espadas uns nos outros.

Leopold e Whitevale Senhor.

O ataque parou o momento os nobres viram-la. Então eles abaixaram suas espadas.

Ela piscou em astonishment.Sumner deve ser o nome dado Whitevale. Certamente é


assim. Como é estranho que ela não tinha reconhecido a voz que tinha ouvido. Mas
então, eles estavam no meio de esgrima. Tensão e esforço foi provavelmente a causa
de seu tom de voz alterado. Certamente, essa foi a razão.

"Eu, eu peço desculpas por perturbar a sua luta," ela gaguejou, tentando não olhar
para a definição da forma do príncipe, duro muscular. "Acordei cedo e resolvi da
r um passeio."

O príncipe não parecem importar-se olhando foi educado ou não. Com o olhar preso
nela, ele imediatamente perseguido em linha reta na direção dela.

Meu Deus, o que eu fiz agora? Elizabeth instintivamente brigaram para trás.

Quando ele chegou ela, não havia nenhuma maneira possível que ela poderia evitar o
olhar de seu peito largo. Ele estava simplesmente a respiração muito difícil, eo
movimento era muito perturbador para ela manter um desinteresse ladylike.

Ele estendeu a mão, em seguida, inclinou-se e recuperou o seu manto da terra.


Lud, ela não tinha sequer percebeu que tinha escorregado de seus ombros. Sorriu
quando ele entregou a ela.

Heat parecia bem até debaixo de sua blusa, atirar-se sobre o peito e se estabelecer
em seu rosto. Horrorizada, ela olhou para o céu, e viu que sua cor rosada anterior
tinha transmogrified a um glorioso azul vibrante.

"Bom dia, Sua Alteza Real." Por que a sua coragem, que ela possuía em grande
abundância, apenas vésperas passado, de repente, evaporou mais rapidamente do
que o orvalho da manhã? "Tal forma legal você mostrar."

Ele levantou uma sobrancelha divertido.

Dash tudo. "Quero dizer ... seu avanço, é claro. Deliciosa ".

"Você perdeu o seu envoltório, Miss Royle. Eu só procurou recuperá-lo para você. "

"O quê? Oh, não, não ". Gads. Elizabeth parou de falar por tempo suficiente para
recolher o seu juízo sobre ela, juntamente com o seu manto. "Eu estava me referindo
à sua frente Balestra movimento seu. Mas, sim, muito obrigado por retornar a capa
para mim. "Deixou cair uma reverência instável.

"Foi um prazer, Miss Royle". Inclinou-se para ela. Instintivamente, Elizabeth perseguiu
com sua boca antes de perceber, tarde demais, ele só foi se curvar a ela, e não para
dobrar um beijo.

Ela estava mortificada, mas não apenas a pé. Qualquer coisa que ela fez, ela lembrou
a si mesma, independentemente de termos ou não, estava destinado a happen.Fated.
"W-Você gostaria de se juntar a mim para um passeio, Sua Alteza Real", ela
perguntou, satisfeito com o seu súbito aumento de bravura.

"Eu lamento que eu não posso, Miss Royle".

"Elizabeth. Por favor, me chame de Elizabeth. "

Seus olhos arredondados momentaneamente. "Sim, Elizabeth. Estou no meio de uma


luta apenas agora com ... "Ele virou-se para gesto de seu primo. Mas ele se foi. O
labirinto estava deserta. Sua mão caiu ao seu lado. "Com qualquer um, ele aparece."

"Então, vamos?" Elizabeth não esperar por uma resposta, mas roçou-lhe e dirigiu-se
para o centro do labirinto. Ela pegou a camisa descartados e trouxe de volta a ele. "É
um dia tão bom, não é?" Ela levantou as sobrancelhas com a expectativa. "Mas um
pouco frio, nesta hora mais cedo."

O príncipe tomou a camisa dela, sorrindo como ele aliviou-lo sobre sua cabeça, então
coloquei a espada na cinta em seu quadril. "Seria uma honra para mim andar com
você de volta para Cranbourne Lodge, Miss-Elizabeth".

Maldito seja, Leopold. Sumner cerrou o punho como seus olhos digitalizados da linha
das árvores para seu primo pobre. O príncipe sabia que ele não tinha desejo de ser
deixado sozinho com a senhorita Royle ... ou melhor, Elizabeth.

Na verdade, ele tinha o desejo, que era o problema. Ele tinha muito disso, razão pela
qual seria servi-lo, e melhor Leopold, se ele simplesmente ficou tão longe de Elizabeth
possível.

Ele queria muito. Precisava dela ainda mais. E ela foi muito bem sangrento de uma
distração de um que poderia facilmente se tornar uma distração fatal se ele fosse
incapaz de cumprir seu dever e proteger o príncipe.

Sumner olhou para Elizabeth, que caminhava muito lentamente ao lado dele. Nesse
ritmo, seriam necessários pelo menos dez minutos para voltar a ela para o lodge.

Seu cabelo era cobre dourado com o sol, tornando-se no brilho da luz da manhã. Seu
olhar seguiu um bloqueio espiral de seu templo para onde o seu fim turvado no vinco
do seu decote. O que ela estava pensando quando ela vestiu um vestido de inspiração
francesa para um passeio matinal?

Ele engoliu em seco e forçou seu olhar para o caminho diante deles. Ele não podia
permitir-se a insistir em sua beleza, seu fascínio. Ou como ele queria abraçá-la contra
ele. Para sentir os seios cheio pressionado, quente e macio, contra o peito.

Inferno sangrento. Ele sentiu-se enrijecer, e foi imediatamente gratos que ele não
tinha tido tempo para arregaçar a camisa do gramado em seu calção.

Sumner levantou a cabeça e olhou para a frente, não se atrever a olhar para baixo.
Ele tinha certeza de sua camisa gramado cobriria qualquer evidência de seu interesse
por ela, mas se ele olhou para baixo para ter certeza, o seu olhar pode seguir, e ele
não queria correr o risco de que o embaraço.

Quando sua atenção pousou no caminho, mais uma vez, ele percebeu que sua
desatenção tinha conduzir a um erro fatal. Eles não estavam indo na direção de
Cranbourne Lodge em tudo. Havia transformando a pista ao longo do rio Tamisa, na
direção oposta. Isso não era sábio.

"Se não voltar a Cranbourne Lodge, Elizabeth?" Ele parou e se afastou dela, fingindo
olhar para o Thames na distância próxima. "Será que a princesa se levantar
rapidamente e gostaria de sua ajuda?"

Ela veio e ficou ao lado dele, tão perto que podia sentir o calor do seu corpo. "Dama
de me informou que a princesa não vai subir por algumas horas ou mais." Ela colocou
a mão em seu braço e virou-lhe o rosto.

Seu toque inocente seared-lo como uma marca, e ele sentiu seu pênis twitch com
antecipação dentro das calças.

"Parece que ela e seu primo ficaram extasiados em conversação até o início nas
primeiras horas da manhã." Suas pálpebras foram realizadas baixas sobre sua
brilhante olhos de esmeralda contra o sol, e mesmo quando ela parou de falar, sua
boca ficou entreaberta, como se quer de um beijo.

Um beijo como o que ele mal, talvez estupidamente, evitou na borda do labirinto
minutos atrás.

Ele virou a cabeça de um sedutor aos olhos dela e começou a descer a trilha do rio
novamente. Ele tinha que limpar sua mente. Tinha de se concentrar em seu dever.
Nada mais.

Seus passos eram longos e rápidos, cada etapa de envio de bits de cascalho
estalando sob a força de suas botas no caminho.
Blast him.Why ele está fazendo isso é tão difícil? Elizabeth de subir as saias e trotou
atrás dele. Ela falou com ele, onde a pista após uma curva, o rio correu por alguns
metros abaixo da borda do passeio. "Eu não posso acompanhá-lo, Sua Alteza Real. Por
favor, você não vai abrandar o seu ritmo de apenas um ácaro?

Ele girou em torno inesperadamente. "Vocês por favor pare de me referindo a como
Sua Alteza Real?", Ele agarrou.

Elizabeth boca caiu aberta. "Como, então ... Quer dizer, eu pensei ... como é que vou
referir a você? Príncipe Leopold? Ou simplesmente ... Leopold?

"Não!" Seus olhos se arregalaram e sua explosão parecia mesmo assustar-se. "Por
favor ... só ... não se referem a mim em tudo." Ele virou e cobrada a trilha novamente.

"Bem, eu não posso muito bem fazer isso, agora eu posso? Nós dois estamos aqui em
Windsor e os nossos caminhos, certamente cruz. "Elizabeth pegou novamente as saias
e correu atrás dele.

Ele acalmou o seu passo, em seguida, parou no meio da pista e levantou as mãos às
têmporas.

"Senhor ... não gostaria de me apresentar como inconveniente a sua presença",


acrescentou, consciente de que ela foi frustrante, mas ele não conseguiu parar o seu
próprio participante.

Ele abaixou as mãos e ficou em silêncio por alguns instantes antes de se virar
lentamente para encará-la.

"Sumner." Seus olhos estavam piscando, mas com raiva, frustração, ou qualquer
outra coisa, ela não poderia dizer. "Se você tem de dirigir-me em particular, Sumner.
Só por favor deixem de me chamar Sua Alteza Real, enquanto aqui em Windsor. Eu
não tenho uma coroa sobre a minha cabeça, eu? "Ele olhou para longe dela.

Elizabeth piscou várias vezes. "Sumner", repetiu ele. Ela observou os ombros
facilidade enquanto ela falava o nome. "Sumner.

Ele olhou para ela silenciosamente por um longo momento antes de falar novamente.
"É ... é uma família e um nome que só os mais próximos para me usar." Ele fez uma
pausa novamente. "Só quem não me conhece verdadeiramente jamais pensar em
mim como" Leopold ".

Isso não fazia sentido para ela em tudo, mas ela foi honrada que ele considerava o
seu próximo o suficiente para usar um nome de família privado em vez de seu título.
Como um cidadão comum, ela não conseguia entender por que ser referido como
"Sua Alteza Real" foi tão penoso para o homem.

A única conclusão que ela poderia dar qualquer crédito era que Leopold era um
príncipe menor na medida em que o mundo estava em causa. Enquanto a princesa
Charlotte ... bem, ela era a verdadeira filha do príncipe de Gales-hislegitimate filha, ao
contrário de si mesma e suas irmãs. Se a linhagem irmãs Royle "nobre jamais foi
provado ou não, a Inglaterra nunca vê-los como algo real, mas ... by-golpes.
Ela só esperava que ninguém aqui em Windsor reduziria sua complicada
circunstância de nascimento para que Descritor horrível. Pelo menos não na presença
de Sumner.

Blast. Sumner estava fora a trilha novamente. "Espere por mim!"

Não é muito à frente um caminho acessório que loop de volta na direção de


Cranbourne Lodge se juntar a trilha ao longo do Tâmisa. Foi onde ele dirigido.

"Espere Sumner,".

Dane-se tudo. Por que diabos ele tinha lhe dado o nome de sua cristã? Porque ela
pediu? Agora que estava mostrando o domínio de habilidades counterinterrogation,
não foi?

"Sumner. Mais lento, por favor. "

Deus, por que ela continua dizendo o nome dele? Para lembrá-lo que ele tinha
esquecido completamente a sua educação militar, se esqueceu do seu dever para
com o príncipe?

"Por favor, não me deixe sozinho aqui na floresta", gritou. "Eu não sei o caminho de
volta para o alojamento."

Ele estava agindo muito tolo, não era? Sua mente estava confusa com tanta emoção,
que não só ele tinha esquecido a sua formação como um soldado, mas como
cavalheiro também. Sumner calar de forma abrupta. "Eu não te deixarei, Elizabeth."
Ele virou.

Ele não tinha percebido que ela tinha vindo tão rápido em cima dele.

Surpresa lhe encheram os olhos e ela tropeçou para trás até que ela balançou a
bordo de fuga. Seus braços balançavam ao redor nos círculos selvagens enquanto
tentava manter o equilíbrio.

Ele pulou para a frente para agarrá-la, mas seus movimentos bruscos parecia roubar
os últimos resquícios de sua concentração e ela desapareceu, os pés sobre a cabeça
para o lado.

"Elizabeth!" Sumner puxou a espada de sua cintura e pomba fora da borda após sua
fuga.

Quando Elizabeth abriu suas pálpebras, ela estava olhando para cima em causa
Sumner olhos cinzentos. Levou um momento mais para perceber que ele embalava
ela em seu forte, capaz de armas ... e algumas respirações mais por isso a madrugada
em cima dela que tanto ele quanto ela estava molhada com a pele.

O que exatamente tinha acontecido? Lembrou-se em queda, a água do rio correndo


sobre ela ... então nada. Até agora.

"Graças a Deus, você está respirando." Ele inclinou a cabeça para trás e olhou
através da árvore de copa para o céu azul acima. Água rolou pelo seu rosto e pingava
do queixo angular, para espirrar em seu pescoço e escorrem entre seus seios.

"O que você quer dizer? Por que não eu estaria? "Elizabeth disse, mas suas palavras
conheci o ar fresco em uma grelha rouca. Sua garganta ardia com tanta certeza como
se tivesse engolido uma taça inteira de aguardente. Ela levou a mão à garganta. As
sobrancelhas avançou em direção a ponte de seu nariz na confusão. O que
aconteceu?

Ele olhou para ela, e vi que seus olhos brilhavam com sentimento. Antes que ela
poderia dizer outra palavra, ele ergueu a cabeça e esfregou o rosto molhado, então,
sem aviso movia os lábios sobre os dela com ternura, com paixão.

Ela gemia com a sensação de sua boca quente de sua língua deslizando entre os
lábios e contorcendo-se contra ela própria.

Este não foi um beijo de alívio. Era uma necessidade.

Ele concha com a cabeça na mão grande e virou a mais em seu beijo, alegando que
todas as partes da boca, mergulhando e retirando-se na sua conquista dela.

Elizabeth deslizou sua mão em seu pescoço e segurou-o firmemente, não querendo
que este momento nunca acabar.

Seus olhos permaneceram fechados, mas ela sentiu que estava sendo baixado. Ela
abriu a tampa de volta quando liquidada em uma manta de musgo macio e suas
bocas relutantemente se separaram.

Sumner tentou inclinar para trás dela, em seguida, mas ela não iria liberar a segurar
a volta em torno do seu pescoço. Ela puxou-o para ela novamente, e para seu
espanto, ele não resistiu.

Em vez disso, ele descansou seu peso ao lado dela e beijou-a suavemente,
pressionando seu mais profundo do leito de musgo esponjoso.

Sua mão esquerda escovado alguns fios de seu cabelo úmido, de onde eles se
apegaram a sua cara. "Elizabeth ... eu ... eu sinto muito."

"Eu escorreguei. Isso é tudo. "Ela sorriu. "Vocês não têm culpa do meu vestido
encharcado ... desta vez." Sua voz era quase um sussurro, mas as palavras não eram
realmente necessárias naquele momento. Seus corpos não pareciam sentir a
necessidade para eles.

Elizabeth estendeu a mão, pelado volta a camisa do gramado encharcado da pele


Sumner, então facilitou a palma da mão para dentro para aquecer seu peito
musculoso. Rolling na direção dele, ela o braço envolto em torno de sua cintura e
puxou-a firmemente contra o seu corpo.

Ele estava tão duro como pedra onde seu corpo abutted dela no ápice de suas coxas.
Heat atravessou seu na realização. Em vez de recuar, o seu corpo levou-a e ela
empurrou contra ele, querendo mais.

Querendo mais. Querendo tocá-lo. Querendo tocá-la.

Sumner jurou sob sua respiração. Desejo disparados dentro dele e ele não se conteve
mais. Suas mãos deslizaram ao longo de seu quadril em concha e um peito forte,
facilitando o seu polegar sobre seu mamilo pert, conduzindo-a para um pico rígido.

Ela gemeu roucamente e empurrou sua ereção. Sumner respiração soava trabalhou
até seus próprios ouvidos como ele apertou seu ombro mais alto de volta à terra. Ele
não desperdiçou um instante em persuadir seus peitos suaves da umidade do corpete
decotado francês e abrindo a boca para atrair o ponta-de-rosa cabochão. Seus dentes
levemente puxado para ele como a sua língua escorregadia flicked o pico do peito em
rápido, esforçado lambe.

Elizabeth arqueado para trás e enfiou os dedos pelos cabelos, levando-o


corajosamente a seu outro peito que ela engasgou com prazer.

Inclinou-se para cima e beijou-a mais difícil desta vez, sua língua mergulhando
profundamente em sua boca, sugando suavemente, em seguida, antes de deslizar
para fora, e fazer tudo de novo e de novo.

Ela torceu em seus quadris e tentou, sem sucesso, para pressionar contra sua ereção
latejante. Ele era quase estúpido com a necessidade dela, ea mão instintivamente
deslizou até abaixo dela encharcada saias.

Elizabeth em uma respiração ofegante áspero como os dedos pastoreio sua coxa, e
depois novamente como ele levantou o joelho e empurrou-o entre os dela, levantando
a camisa.

Ele olhou em sua jóia olhos verdes como ele parted as coxas de seu toque. Palma de
sua mão pressionada contra os cachos vermelho entre as pernas e ele aliviou um
dedo entre seus lábios inchados do sexo feminino e para o calor de sua umidade.

Ele estava tocando seu mais sensíveis dos lugares, a sua fixação na língua dela,
excitando-lhe tudo de uma vez. Elizabeth poderia sentir sua dureza vacilar e latejante
contra seu quadril em um movimento que fez a sua urgência deseja retirá-lo contra
ela, dentro dela.

Seu dedo molhado com sua essência slick, deslizou para cima e acariciou a rosa
pérola entre os lábios em câmara lenta, círculos rítmica. Ela resistia contra a sua mão
como a sua excitação aumentava.

Seus dedos escavadas em seus ombros. "Eu quero te sentir dentro de mim,
Sumner.Please".

"Mas eu posso." Sua voz era profunda. Seus músculos estavam tensos e duros, e ela
sabia que seu pedido foi nada mas uma mentira. Ele queria que ela tanto quanto ela
queria. Ela sabia disso.

"Sim, você pode. Eu-quero-lo. "Elizabeth tentou recuar de seu dedo provocando,
querendo-o dentro de her.Him. Agora.

Mas ele não forçá-la. Não exatamente.

Ele a beijou novamente, e sem tirar os lábios dela, apertou as pernas ainda mais
vasto. Ela se preparava, prendendo a respiração enquanto ela antecipou sua duração
endurecido entrando em seu piercing e ela como ele violou a cabeça-de solteira.

Em vez disso, ela sentiu o que parecia ser dois ou três dedos deslizando dentro dela,
mergulhando nela antes de deslizar para fora do seu calor, enquanto o polegar
maddeningly rodeada seu núcleo.

A sensação de plenitude, provocada por seu toque de provocação, foi vertiginosa. Ela
suspirou contra sua boca, arqueando as costas, pressionando seus peitos contra ele.

Um gemido andava de boca em sua como uma onda batendo de ecstasy lavados
através de seu corpo. Ela apertou suas coxas fechados, tremendo de prazer,
segurando sua mão até que ela ainda conseguia pensar com clareza outra vez.

Ele a beijou delicadamente, e depois de alguns instantes deslizou os dedos dela. Ela
sentiu a umidade em suas coxas como uma brisa agitou a bainha das saias ainda
agrupados em torno de seus quadris.

Sumner sentou-se e, em seguida, puxou para baixo as saias para cobrir as coxas. Ele
olhou para os dedos por um longo momento, depois de Elizabeth. Ela olhou para
baixo, também, e viu o sangue em seus dedos.

"Elizabeth" A expressão em seus olhos era nada menos do que horror. "Eu não queria
dizer"

Ela sabia que ele queria dizer, e tirou a mão de sombreamento para a cabeça,
fechando os olhos. "Eu, eu não senti nenhuma dor. Eu sempre ouvi dizer que ia doer. "

Sumner pegou seu pulso e puxou-a com os olhos. "Lamento, Elizabeth. Eu pensei que
se eu fosse cuidadoso, delicado ... se eu não "Parecia que os olhos dela estavam
procurando as palavras certas.

"Isso não importa." Elizabeth ergueu-se e descansou seu peso por trás dela nos
cotovelos. "Você não fez nada errado, Sumner.

"Sim, eu fiz, Elizabeth." Era como se a vergonha que sentia, evidentemente, impediu-
o de olhar para ela.

"Não, você não." Ela sentou e colocou a mão em seu rosto. "Você não fez nada que
eu não queria que eu não me pedir."

"Mas eu arruinei você."

"Arruinado? Dificilmente. "Ela bufou uma risada de pequeno porte. "Quer dizer,
tocando-me? O que um ganso mais nobres que sejam. E mesmo se você tivesse me
arruinado, não importa a todos. Nós vamos casar em breve. "

"Não, Elizabeth. Por que você acredita nisso? "Sumner veio de joelhos, em seguida,
empurrou a um stand. "Você não entende? Nós não podemos estar juntos. Tenho o
meu dever. "

Elizabeth olhou fixamente em branco em Sumner, incapaz de compreender o que ele


quis dizer. Certamente, ele não quis dizer ... depois de esta manhã ... que ele ainda
procurou a mão da princesa Charlotte's?

Certamente que não.

Ele estendeu a mão, tomou-lhe o braço e puxou-a para seus pés. Ainda assim, ele
não olhou para ela. "Venha, Elizabeth. É tarde. Você deve retornar ao alojamento e
vestuário. A princesa será aumentar em breve. "
Um caroço subiu em sua garganta e ameaçava sufocá-la.

Por que isso foi acontecer? Por quê?

Silenciosamente, cega pelas lágrimas de germinação, ela seguiu a trilha.

Ele não pode dizer isso.

Ele simplesmente não pode.

Em seu coração e na mente dela já estavam wed. Ela não iria desistir agora. Ela era
uma Royle, afinal. E Royles não dar dentro Ela faria tanto como de suas irmãs haviam
feito, quando as circunstâncias se torna difícil, eles se tornaram criativas. E assim que
ela.

Não importa o que levou, ela simplesmente teria de mudar de idéia, e ela poderia
fazê-lo. Afinal, o destino estava do seu lado, ela lembrou a si mesma. O destino estava
do seu lado.

Capítulo 11

Cranbourne Lodge

Miss Margarida Mercer Elphinstone ficou horrorizado. Depois de ouvir a história de


Elizabeth de sua manhã agitada, ela bateu as mãos sobre a boca, abafando um
suspiro, quando ela olhou para baixo, em Elizabeth, que estava sentado antes de
vestir-se da dama de ordenado um banho quente a ser desenhado por ela. "Deus do
céu, querida, você poderia ter se afogado, se não tivesse te salvou!"

Elizabeth arrancou um pedaço de musgo morto indicadores de seu cabelo castanho e


sub-repticiamente ele caiu no chão, em seguida, selou seu chinelo molhado para
baixo em cima dele. "Eu realmente não me lembro de muita coisa sobre o que
aconteceu. Um momento em que eu estava andando na trilha do rio, eo seguinte, eu
estava olhando para cima nos olhos cinzentos Sumner. "

"Sumner?" Testa franzida Mercer. "Eu pensei que você disse, você disse ... Sumner?"

Elizabeth assentiu, então se virou para olhar para Mercer. "O príncipe. Ele me pediu
para se abster de se referir a ele como Sua Alteza Real ao mesmo tempo em Windsor,
mas 'twas em deferência a maior pé Princesa Charlotte, eu assumo. "

Mercer parecia mais pensativo por alguns instantes e, em seguida ela mesma parecia
feliz a surgir novamente. "Sim, eu tenho certeza que você está completamente certo
sobre o assunto. Já ouvi chamar-lhe seu primo Sumner uma ou duas vezes. Ele deve
se sentir muito à vontade com você. Embora, se eu fosse você, Elizabeth, eu não seria
digna de ser tão familiar quanto ao uso do nome, na presença de ninguém além de
nós quatro. "

"Sim, ele disse exatamente a mesma coisa. E vou cumprir a sua vontade, é claro.
"Quando Elizabeth olhou para o espelho de vestir novamente, Mercer veio e ficou
atrás dela, estabelecendo-se a mão sobre a manga amarrotada do vestido vermelho
carmesim.

Ela empurrou para trás um bloqueio errante sable atrás da orelha e olhou para o
vestido encharcado de Elizabeth. "Pena que está estragado. Deve ter olhado
impressionante em você. "Beliscou um pedaço de tecido, uma vez lindo entre os
dedos, em seguida, inclinou-se e olhou para o decote. "Elizabeth, você disse que o
acidente ocorreu ... thismorning, você não?"

Elizabeth assentiu com a cabeça quando ela passava uma escova de cerdas de javali
com sua espessura, cabelo emaranhado vermelho. "Eu não conseguia dormir, e
levantou-se cedo. Eu decidi fazer uma pequena caminhada para passar o tempo até a
princesa acordou. "

"E você escolheu esse ... thisgown como seu vestido de manhã para sua caminhada?
Interessante a seleção, meu amigo. "

"Oh, não. Eu não escolhi isso. "Um pequeno galho quebrado capturado no final de seu
cabelo, e então inesperadamente disparou como uma flecha para o chão sob a força
do seu pincel. Elizabeth seguiu sua trajetória com o seu olhar e seu chinelo virado ao
redor da área, na esperança de encontrá-lo e empurrá-lo sob a bainha de seu vestido.
"Eu sou apenas uma falta de Cornwall, sem conhecimento do que poderia ser
consideredà la mode de manhã, na presença de uma princesa."

Mercer virou a cabeça dela como empregada da senhora entrou na sala com duas
empregadas domésticas que idolatravam outros grandes baldes de água quente para
o banho de quadril. "Você escolhe Miss vestido Royle'smorning este dia, Aida?

A senhora empregada brilhantemente as faces coradas e ela pôs os olhos no chão.


"Não, senhora. I-Eu só ofereceu como opção. Miss Royle escolheu o vestido de si
mesma. "

Mercer soltou um grande suspiro. "E quem mandou você escolhas misdirect Miss
Royle em seu vestido? O vestido é francês e não é adequado para a manhã de tudo
como você bem sabe. "

dama de não dizer uma palavra, mas sacudiu a cabeça lentamente, adicionando um
pequeno encolher de ombros.

Mercer swiped um dedo nela. "Não se preocupe, Aida, eu sei que o culpado e vou
falar com ela diretamente. Você não pode discutir suas ordens, mas também não vou
confiar em você para assistir Miss Royle novamente. Ter ido; enviar o meu Georgiana
tendem a Miss Royle. Pelo menos eu knowshe pode ser confiável. "

Com um espirro, Aida slinked de dormitório de Elizabeth.

Atordoado com o que ela acabara de ouvir, Elizabeth ainda estava olhando para a
reflexão da Mercer no espelho quando Aida fechou a porta. "Alguém perguntou Aida
me vestir de forma inadequada? Quem faria uma coisa dessas, e por quê? "Ela se
virou no banco para olhar diretamente para Mercer.

Mercer riu resignadamente. "Bem, a nossa querida Charlotte, é claro."

"B-Mas, por que a princesa deseja embaraçar-me assim?" Elizabeth de repente senti
a sua posição casa era tão precária como seu pé estava na trilha do rio.

"Oh, meu inocente, Elizabeth." Mercer ajoelhou diante dela e tomou os ombros em
suas mãos. "Charlotte é a minha querida amiga, mas ela também pode ser infantil,
mal-educado e brincalhão, às vezes. Você faria bem para estar na sua guarda durante
a sua estadia em Cranbourne Lodge ".
"Eu não entendo, Mercer. Por que ela deseja para mim participar dela como
companheira uma mulher, se ela só quer me má sorte? "

Mercer chegou a seus pés rapidamente. "Eu não disse que ela deseja-lhe mal. Só que
ela é muito brincalhão e completamente entediado, sendo restrita aos limites de
Windsor. "Andou em todo o dormitório, mergulhou seu dedo indicador na banheira e
puxou-o para fora. "Muito quente. Melhor esperar alguns minutos. "Ela olhou para
Elizabeth. "Pelo menos é melhor aqui do que em Warwick House. Lá, tive a sorte de
ver uma ou duas letras de Charlotte. Mas Leopold foi astuto o suficiente para chamar
para o chá em cima dela lá, embora Prinny estava na residência em Carlton House,
apenas a poucos passos de distância. Coragem ou loucura, ou poderia ser realmente o
amor? "

Amor? Respiração Elizabeth parecia congelar em seus pulmões. "Prince Leopold


chamado Princesa Charlotte, em Londres?" Ela estava se sentindo cada vez mais
inquieto, percebendo que ela não tinha considerado que Leopold tinha um passado
com a princesa.

"Oh, sim. Ele conseguiu escapar antes de Prinny ouviu a notícia, que foi mais feliz,
porque o pai de Charlotte era roiling louco quando ouviu que o príncipe tinha tomado
chá com a sua daughteralone ".

Elizabeth não se importou com a maneira seletiva intonedalone Mercer. Seu templo
scabbed começou a latejar e esfregou em todo o ferimento, tentando acalmar sua
cabeça enquanto ela lutava para encontrar uma forma de relacionamento com
desconto Sumner com a princesa.

"Se o príncipe de Gales sabia que o príncipe Leopold chamada sobre a filha solteira
sem o seu conhecimento", disse ela, "que eu assumiria seria tomado como uma
demonstração de desrespeito, como pode Sumner ... er, o Príncipe Leopold esperança
para conseguir a aprovação para casar com a princesa? "

Mercer riu bastante e correu para Elizabeth. Ela pegou sua mão e apertou-a em sua
excitação. "Porque Charlotte mentiu, ela disse a seu pai que ela não estava sozinha e,
além disso, que o príncipe que foi chamado de Príncipe Leopold Augustus não, como
ele havia assumido." Mercer riu. "E ele acreditava que ela! Charlotte é um talentoso
contador de histórias, quando ela escolhe. "

"Oh". Espíritos Elizabeth afundou. Só esta manhã e ela acreditava que o príncipe
estava fadado a ser marido e mulher. Agora, ela só me senti como um idiota.

Anne tinha razão. Ela deveria desistir dessa idéia boba que tinha sonhado com o
futuro, e aprender a viver a verdade, que o príncipe Leopoldo de Saxe-Coburg casaria
com a princesa Charlotte.

E não havia nada que pudesse fazer para fazê-la feliz para sempre com o príncipe de
seus sonhos.

"... Mas agora que seu pai abandonou sua noção ridícula de se casar com a princesa
fora para o holandês, que ele considera Cranbourne Lodge uma prisão segura o
suficiente para o momento. Que brincadeira, né? A uma fortaleza que ele acredita ser
seguro e Príncipe Leopold caminha para a direita dentro "

Elizabeth sentiu um puxão forte no braço dela e percebeu que tinha sido olhando
cegamente no espelho, sentindo pena de si mesma, e não tinha apanhado de tudo o
que a Mercer lhe tinha dito.
"Estás a ouvir-me, Elizabeth? Mercer perguntou, parecendo mais irritado.

"Uh, sim." Elizabeth virou completamente em seu banco e inclinou-se perto de


Mercer. "Eu estava apenas querendo saber o que Prinny faria se ele pegou o Príncipe
Leopold e seu primo aqui em Cranbourne Lodge".

"Oh, ele ficaria furioso, certamente. É por isso que eles não podem ficar por mais
tempo. Ele Foi mais de uma semana agora. Eu tentei avisar Charlotte sobre dar o
refúgio príncipe aqui em tudo, mas ela não quis ouvir falar nisso. Alguém quis matar o
príncipe, e Charlotte era inflexível que ela lhe oferecer segurança, até que outras
modalidades poderiam ser feitas. E, felizmente, eles foram seguros. "

Elizabeth endireitou as costas. "Você está me dizendo que eles estão saindo ...?

"Sim". Mercer foi imediatamente distraída, e não disse mais nada sobre o príncipe
deixando Cranbourne, quando sua empregada senhora próprio entrou no quarto.
"Georgiana, por favor, ajudar Miss Royle. Ela está pronta para seu banho. "

Georgiana exibidos os belos cabelos escuros, pele clara, olhos azuis e do País de
Gales. Ela também tinha os braços muito fortes. Sem pedir Elizabeth para ficar, ela
arrancou-a do banco. Passando em torno dela, Georgiana começou a tira seu vestido
de Elizabeth irremediavelmente arruinada.

Elizabeth estava prestes a questão Mercer mais sobre a partida do príncipe e seu
primo, quando ouviu rir Mercer.

"Vou deixá-lo para o seu banho agora." Começou a porta, mas virou a cabeça e olhou
por cima do ombro antes de alcançá-lo. "Charlotte vai esperar para vê-lo na sala de
manhã, depois que ela quebra o jejum. Ouça o som do relógio para a hora do meio-
dia. Vem em seguida. "

Mercer abriu a porta, em seguida, virou novamente. "Georgiana, você terá a certeza
de remover todo o musgo de cabelo Miss Royle, não vai?"

"Sim, senhorita."

"Bom dia, Elizabeth ..." ela gritou que ela fechou a porta atrás dela.

"Boa manhã" Oh aborrecimento. Porque até mesmo dizer as palavras? O que


começou como a mais brilhante das manhãs agora era o pior dia da sua vida.

Quando Isabel entrou na sala de manhã, a princesa Charlotte estava envolto em um


sofá com uma flanela úmida dobrada na sua testa. Uma perna ficou pendurada no
banco, o seu sapatinho de cetim azul pendurado precariamente de seu dedão do pé.
"Não feche a porta rapidamente, seja você quem for," ela gemeu. "Minha cabeça dói-
me."

"É que eu, Miss Royle," Elizabeth sussurrou baixinho quando ela começou a fechar a
porta, só para ter um lacaio de libré idosos aproveitem o punho dela e fechou a porta
mesmo.

"Elizabeth!" Princesa Charlotte puxou o pano da cabeça e ele caiu no chão.


A jovem empregada correu para o sofá com furo no pano em suas mãos, em seguida,
retornou para o canto da sala, onde um lacaio deitou água numa bacia para começar
embeber um pano fresco para a princesa.

"Mercer disse-me do seu calvário, esta manhã. Como terrivelmente emocionante


deve ter sido para você! "A princesa praticamente gritou.

"Na verdade, eu poderia ter feito sem que a emoção de esta manhã com bastante
facilidade." Elizabeth sorriu, em seguida, quando viu a princesa não respondeu, ela
riu.

Princesa Charlotte parecia confuso por um momento, até Mercer, que estava sentado
em uma escrivaninha perto, começou a rir estrondosamente. "Oh, você tinha gente lá,
Elizabeth", disse Mercer. "'Tis o sonho de toda mulher a ser resgatada por um nobre,
alto e bonito".

Princesa Charlotte riu também. "Para pensar que eu pensei que você fosse sério. Mas
vejo agora que você estava apenas tendo-nos. Oh, você é o mais divertido, Elizabeth.
Mas peço-te-dizer-nos sobre o momento em que despertou em seus braços. Por favor,
Elizabeth. Minha vida é tão terrivelmente chato. Nada é tão brilhante que nunca me
acontece. "

"Oh, nojo posh, Charlotte", disse Mercer. "Você correu para a rua e escapou de um
príncipe muito bravo do País de Gales em Hackney hackney-a! Você já ouviu falar de
algo tão ousado, Elizabeth?

"Nunca!" Elizabeth exclamou. Quando a princesa olhou para Mercer, Elizabeth


plissados seu brow.Riding em Hackney? Essa é a definição da princesa Charlotte de
excitante? E quanto a reunião royalty coroado de toda parte do mundo? Dançando na
brilhante bolas?

Tendo o príncipe mais bonito do mundo que desejam se casar com você?

"Ainda assim," a princesa Charlotte alterado ", na semana passada, Elizabeth foi
baleado na cabeça"

Elizabeth ergueu o queixo. "Bem, é atingido de raspão o meu templo."

"-Então, esta manhã, ela cai de um barranco e é arrastado pela água gelada do rio
Tamisa. Peço-lhe, que vive a vida mais emocionante, aquela jovem de Cornwall ou eu?
"

"W-Bem, você, de longe," Elizabeth murmurou.

As bordas dos lábios da princesa Charlotte de retirada. "Oh, você brincadeira. Você
nunca iria querer trocar sua vida pela minha, mesmo para um dia. "

"Certamente, eu!", Exclamou Elizabeth, sabendo que por algum motivo, a princesa
precisava ter certeza de que sua vida era um ser invejado.

"Você é apenas ter-me, Elizabeth." Princesa Charlotte olhou Mercer, e pela primeira
vez desde que ela entrou na sala, Elizabeth percebeu que um outro jogo estava em
andamento. Um tinha sido até agora completamente cego.

"Não, não." Perguntou-se se ainda dizer que foi muito, para a princesa Charlotte
saltou a seus pés, quase tropeçando em seu chinelo descartados.
"Você ouve que, Mercer? Ela gostaria de fazê-lo. Ela disse isso, agora. "Princesa
Charlotte definir-lhe a mão na cintura e deu um aceno com a cabeça bem firme.

"Ela não aceitou nada, Charlotte, exceto que ela trocaria a vida com você se for dada
a oportunidade." Mercer Elizabeth deu um olhar cheio de desconfiança.

Charlotte andou a Isabel, tão perto que a princesa, sendo um menor mulher, estava
no nariz ao queixo com ela. "E se eu te deu essa oportunidade, Elizabeth, de apenas
um dia?"

"Deu-me a oportunidade ... de viver a sua vida por um dia?" Elizabeth sabia que ela
gaguejou e soou como um eco persistente nas falésias da Cornualha, mas ela não se
conteve.

"Sim". Princesa Charlotte lançou um olhar de soslaio para Mercer, antes de olhar para
Elizabeth com uma expressão muito séria. "Hoje, na verdade."

"T-Hoje?" Elizabeth sabia que ela não podia negar a princesa, mas o que a princesa
Charlotte havia planejado estava fazendo ela se sentir muito, muito desconfortável.

Elizabeth ficou muito ainda como Mercer montado um turbante na cabeça, tendo o
cuidado de qualquer material exposto tendril vermelho do cabelo sob a touca
matronly. "Isso nunca vai enganar ninguém. Tenho pelo menos uma cabeça mais alto
do que a princesa eo nosso semblante não são nem remotamente semelhante. "

"Oh, eles são mais parecidos do que você talvez perceber", respondeu Mercer. "E isso
é trabalho." Ela ficou para trás e examinou o seu trabalho. "O que você pensa,
Charlotte?"

Princesa Charlotte arremessou seu corpo superior sobre o braço do sofá e deixa os
braços balançam a partir dele. "Isso vai funcionar perfeitamente", ela lamentou. "É
tempo, não vamos?"

"Quase". Mercer olhou para Charlotte. "Está enrugar o vestido. Você deseja aparecer
maduro e completo no comando de sua vida. Um vestido amassado não comunicar
que o primeiro-ministro. "

Charlotte está reunido com o Primeiro-Ministro? Oh, querida. thought.What Elizabeth


foi esta astúcia e por que ela tinha acordado com ele?

Princesa Charlotte deslizou de volta a seu assento, e então se levantou para arrumar
o vestido, antes de plopping volta para o sofá.

Mercer olhou criticamente Elizabeth. "Agora, as modistas são franceses e nunca


conheceu a princesa. Eles foram instruídos a não falar ou olhar diretamente no rosto.
Elas só vão pinos se encaixam os vestidos, por isso não há motivo para você falar,
qualquer um. "

Elizabeth sentia como torcida com os nervos como os rolos de tecido em volta da
cabeça. "Não seria mais fácil simplesmente o horário de trabalho modistas" para outro
dia? "

Princesa Charlotte bufou. "Não. Está faltando o ponto, Elizabeth. Fui informado pelo
meu governantas que estarão envolvidos na montagem do sol pelo menos até, e
depois vou me aposentar cedo, porque estou sempre completamente esgotado depois
de ter assim muitos vestidos montados em minha forma. "

"Seu posando como Charlotte com as modistas, depois de se aposentar para a noite,
Charlotte vai dar o tempo que ela precisa viajar para Londres para se encontrar
reservadamente com Lord Liverpool e voltar novamente", explicou a Mercer.

Elizabeth estava completamente confusa. "Por que a reunião permanecer um


segredo? Não estou entendendo. Você é a princesa de Gales, depois de tudo. "

Princesa Charlotte huffed a sua frustração com Elizabeth e disparou um olhar Mercer,
como se sua ordenação para lidar com a falta de Cornwall maçante em seu nome.

Mercer intercedeu. "Charlotte planos para informar o Primeiro-Ministro que ela deseja
se casar com o Príncipe Leopold."

"Oh, oh, deixe-me mostrar-lhe tanto o discurso que eu planejei." A princesa primly
dobrou suas mãos em seu colo. "Lord Liverpool, o meu tempo na Cranbourne Lodge
tem sido propício ao pensamento ..." Ela olhou com orgulho para Isabel. "Você me deu
aquele bocado." Princesa Charlotte ajeitou para trás e imediatamente limpou toda a
emoção de seu rosto. "Eu sei que é meu dever e no interesse do meu país, como a
filha do príncipe de Gales, para fazer um casamento vantajoso. Eu, portanto,
decidiram que eu deveria escolher entre aqueles que eu considero ser o candidato
mais apropriado para o marido, e destes, tenho selecionado. E eu apenas gostaria de
confirmar que estar muito mais sábia do que eu para julgar tais como combinar um
afetaria o país politicamente, sustentar a minha decisão. Colocando o meu critério
pessoal de lado, e os do meu país em primeiro lugar, eu escolhi o príncipe Leopoldo
de Saxe-Coburg.

Elizabeth olhou para a princesa, aturdido com o que estava ouvindo. Se o Parlamento
Europeu apoiou um jogo entre Charlotte e do príncipe, a sua própria tópicos última
esperança seria fácil.

manchas escuras começaram a dançar diante de seus olhos. Ela caiu em cima de
uma cadeira de chinelo e olhou devidamente a princesa Charlotte, que estava
sorrindo de orelha a orelha.

"Oh, eu sei, Elizabeth", a princesa disse, dirigindo seu ataque de desmaio. "Meu
discurso era poderoso, na verdade. Eu era mais convincente, foi que eu não? "Ela
olhou para Mercer para a reação dela. "Eu pensei que o bit de buscar seu sábio
conselho foi um toque perfeitamente manipuladora, você não concorda, Mercer?

"Eu realmente." Mercer olhou para Elizabeth, que ainda estava sentado
estupidamente no centro da sala. "Oh, céus, Elizabeth. Você não acabou de ouvir a
minha advertência para Charlotte? Levanta-te, antes que você enrugada que vestido.
"

Elizabeth levantou-se, mas logo sentiu-se balançar e cair.

Quando ela abriu os olhos, depois de perder a consciência, pela segunda vez naquele
dia, Mercer estava de pé sobre ela procurando mais interessados. "Você está bem?
Talvez você deve deitar-se no sofá e descansar por um tempo antes de chegar as
modistas. Seu corpo tem certamente sido tributada a partir de seu acidente de hoje. "

"Eu estou bem. Eu acredito que só precisa se sentar por um momento, "Elizabeth
respondeu suavemente, pois ela não podia admitir que o plano de audiência princesa
Charlotte de endereço Lord Liverpool foi muito mais um duro golpe para o seu corpo
do que mergulhar nas águas do Tamisa.

"Não se preocupe demasiadamente, Mercer. Este por sua vez realmente aumenta o
nosso plano mais excelente para o ardil, "Charlotte estava dizendo. "Por isso me deu
outra idéia. Eu vou ter a certeza de ter Aida relatório à governanta que eu estava tão
terrivelmente cansado, mas não parece ser o menos mal, que eu desmoronei e
requerem repouso. Perfeito! Oh, você é uma maravilha, Elizabeth. "

Mercer ajudou Elizabeth em sua cadeira. "Devo ficar aqui com você?"

mente Elizabeth estava começando a clara e uma desculpa para desmaio na


presença da princesa, de alguma forma fez o seu caminho através do nevoeiro em
seu cérebro. "Não, não, eu estava acostumado a simplesmente usar estadias longas.
Eles são muito mais restritiva do que a respiração curta, não são? "

Ao som da roda de carro a caminho da frente da casa, a princesa Charlotte correram


para a janela. "Rápido, Mercer, dá-me o seu casaco e gorro empregada cigana. É
tempo. "

"Sim, é." Mercer levantou o pacote sentado na borda de uma mesa brilhante perto da
porta e entregou-o à princesa, que com entusiasmo constante da tampa em cima de
sua cabeça e rodaram o manto nos ombros, obscurecendo a visão do vibrante vestido
de cetim azul afiado com as camadas de renda marfim espumoso. "Agora, respire
fundo, minha querida Charlotte. Para hoje, pode muito bem ser o único dia mais
importante de sua jovem vida. "

A princesa sorria animadamente e respirou pulmão de enchimento e, em seguida,


com um brilho nos olhos, virou-se e correu para a porta da Mercer em seus
calcanhares.

Na porta, a Mercer se voltou para Elizabeth uma última vez. "Eu sou a entender que
você concordou em assumir lealmente o seu papel como a princesa neste dia
importante?"

"Você pode contar comigo", disse Elizabeth confiança, embora ela se sentia nada,
mas confiante. "Eu sou o servo mais leal da princesa."

Ela sabia que não havia nenhuma maneira possível que ela poderia continuar fora
desta armadilha mal pensado-out.

Capítulo 12

A cabana é Gamekeeper
Cranbourne Lodge

Leopold cruzou uma perna sobre a outra. "A princesa é como um potro de ouro, cheio
de espírito e energia, mas, infelizmente, completamente sem disciplina, controle e
contenção." Ele descansou o cotovelo no braço da cadeira e fez um gesto, a palma
para cima, para Sumner, que se sentou na o presidente companheiro um passo de
distância. "A única maneira de trazer a minha querida Charlotte potencial cheio, a sua
graça e elegância, está quebrando ela."

"Eu não ouvi uma palavra do que você sobre sua atração por ela, ou do amor", disse
Sumner. O cheiro acre do coração frio ao lado dele irrita o nariz, mas ele não se
afastar. Ele precisava de uma resposta. "Como você pode desejar, tão
profundamente, para casar com ela? Eu não entendo. "

Leopold sacudiu a cabeça, como se estivesse prestes a inutilmente explicar seu


raciocínio óbvio nesta matéria para uma criança. Primo, eu sou o primeiro a admitir
que, após anos de reuniões da princesa Charlotte, em Londres passado, eu não tinha
nenhuma razão para acreditar que havia uma chance de ganhar a mão dela. Ela
estava no amor com outro, e seu pai ainda tinha aspirações, e ainda pode, que ela se
casar com o holandês, William de Orange. "Levantou uma laranja estufa machucado
da taça pequena de fruta na mesa ao lado, deu-lhe um pouco squeeze, em seguida,
ele retornou ao seu lugar. Pelo olhar ligeiramente danificado dele, não era a primeira
vez Leopold segurou o laranja dessa forma.

Sumner levantou-se e encher o vidro de Leopold, em seguida, devolveu a garrafa


para a mesa, ganhando um suspiro satisfeito com seu primo.

"Tudo mudou no momento em que recebeu uma carta da Mercer aconselhando-me


que se eu ainda tinha aspirações a respeito de Charlotte que eu deveria retornar a
Londres diretamente. A princesa, muito provavelmente, responder favoravelmente a
minha atenção. "

"Mas você não voltou, então?"

"Certamente que não, o nosso regimento estava em serviço ativo no momento e


Napoleão estava em marcha com um exército de um quarto de milhão forte", disse
Leopold, fazendo Sumner sentir que sua pergunta tinha sido tomada como uma
afronta pessoal à personagem do príncipe. Ele ergueu um olhar afiado para Sumner.
"Eu tenho o meu dever, apesar de tudo."

Sumner estreitou os olhos, perguntando se comentário Leopold foi um lembrete de


não tão sutis significava para ele. Mas ele iria colocar os interesses de Saxe-Coburg
primeiro. Ele sacrificaria sua felicidade, talvez até mesmo sua vida, para ajudar a
alegação de mão Leopold Princesa Charlotte em casamento. "Por que você não
informar-me da presente carta?" Ele se inclinou frente e aguardava resposta do primo.
Nunca houve segredos entre eles desde que eram crianças.

Exceto um-um segredo muito grande.

"Porque Charlotte foi rumores de ser extremamente inconstante. Eu sabia que vir
correndo para ela era o caminho certo para vê-la do meu tímido avanço. "Leopold
sorriu para si mesmo. "E parece que o meu atraso foi a decisão certa. Depois de
Waterloo e minha posterior instalação em Paris, recebi outra carta da Mercer,
informando-me que Charlotte havia estabelecido o coração dela em me casar. Minha
demora em entrar em contato com ela e cruzando o Canal fez-me muito mais
desejável. Porque, eu não sei. A princesa é um romântico, ao que parece. "Ele bebeu
profundamente do cristal.

Sumner olhou para baixo em seu copo de conhaque intocado. "Você sabia, porém,
que agora era a hora de fugir de Paris para solidificar a sua reivindicação para sua
mão."

"Eu fiz". Leopold descruzou as pernas e inclinou-se para Sumner, sibilando ao lado de
seu copo agitada com o dedo indicador. "Eu imploro, não me julguem por aquilo que
você não entender tão claramente como I. Minha família perdeu vastas de Napoleão, e
só agora estamos em condições de recuperar o que foi feito. Mas eu aprendi uma lição
valiosa com isso. Um príncipe menor, de modo bom e muito bonito características ",
ele sorriu sobre o seu copo de Sumner" tem a capacidade de fazer um casamento
vantajoso e nunca risco explorações ancestral de sua família novamente. "

"Eu vejo". Sumner levantou os olhos e olhou diretamente para Leopold. A pergunta
seguinte foi muito importante. "Assim, apesar das aparências em contrário, não há
amor entre vocês dois."

"Oh, não". Leopold riu confiança. "Ela me ama muito caro, ou que tenha se
convencido de que ela faz. E por que não ela? "

"Talvez, mas não a ama."

Leopold deixou cair a cabeça para trás contra o resto. "Uma vez que ela está
alinhado, tenho certeza que será um dia vir a amá-la imensamente. Mas meus
sentimentos não têm lugar nesta matéria. O meu dever com a minha família, eo
principado, deve vir em primeiro lugar. "Fez uma pausa por alguns momentos,
acrescentando peso a suas palavras. "Eu sei que você, de todos os homens, pode
compreender que, Sumner.

Sumner permaneceu em silêncio e balançou a cabeça solenemente.

Na verdade ele fez. Tudo muito bem.

Cranbourne Lodge
aposentos da princesa Charlotte

Nada menos que nove Drapers francês e modistas lotados cerca de Elizabeth,
beliscar tecido em torno de sua cintura. Torcendo e puxando os braços dessa maneira
e que, prendendo e picar, e, acidentalmente, esfaqueando-a três vezes com suas
agulhas de costura, que trabalhou para assegurar que cada vestido de hábito, andar
vestido, andar vestido de manhã e se encaixam perfeitamente ....

próprio quadro de Elizabeth slim.

Não é menor a princesa Charlotte, mais curvo figura real.

Eles foram apenas para o pino vestidos, não conseguir completar a montagem, com
linhas e agulhas. Charlotte havia explicado isso claramente para ela. Preocupado com
o problema, Elizabeth tentou se queixam de que ela precisou de mais espaço para
circulação, e que eles só devem fixar o tecido, mas o seu francês se limitava a
algumas frases da moda, cortesia da Senhora Upperton, e esses foram, infelizmente,
insuficientes para comunicar o seu necessidades. Ela pegou uma almofada de
alfinetes e estendeu-a a eles, mas as modistas levou apenas os pinos dela e colocá-las
fora de seu alcance. Agitando os braços e batendo-lhe a cintura, ela tentava gesticular
para ajudá-los a compreender suas palavras, mas esta tentativa também foi em vão.
Eles não olhar diretamente para ela, pois haviam sido instruídos a evitar fazê-lo.

Depois de suportar sete horas de sua tortura sem fazer-se entender sequer uma vez,
Elizabeth, em última instância decidiu que a princesa tinha que ter esperado que o
uso de uma mulher mais alta, fina como a forma de uma costureira para o pino
encaixe-se-ia resultar em mais tempo, os vestidos mais fino corte e ensembles. E la,
ela não poderia impedi-los de seu arranjo final. Eles eram simplesmente demasiado
rápido e eficiente.

Simplesmente não havia maneira de parar as modistas ocupado de forma abrupta,


sem marcha a partir do quarto de dormir e destruir a ilusão de que ela era a princesa
Charlotte. E ela não era tão ousada como a ira tirar a princesa da Moody's fazendo
isso.

Não, ela iria aderir-se ao plano da princesa e simplesmente esperar pelo melhor.

Quando os grilos começaram a piar como a noite caiu, e as modistas partiu, Elizabeth
sab olhando para fora da janela do quarto de dormir da princesa como os lampejos de
luz laranja passado afundou abaixo da linha de árvores no horizonte.

Não foi bater à porta do quarto. Elizabeth olhou para cima e esperei. Três batidas
mais. Era o sinal de Aida, que tinha sido condenada a realizar serviço de sentinela,
para avisar Elizabeth que ela deveria afastar-se a porta para sua refeição nocturna
pode ser trazido ao portador sem perceber que ela não era a verdadeira princesa.

Elizabeth permaneceu imóvel e continuou a olhar para o céu à noite sem nuvens. Ela
cheirou como o aroma de carne bovina passou pelo nariz, fazendo-a rosnar estômago
vazio. Foi triste que comer sua carne seria a sua maior diversão durante toda a tarde
e à noite.

Após apenas um dia de fingir ser a princesa, a princesa Elizabeth já teve pena
Charlotte. Mesmo que ela mal podia acreditar.

Ela, a mais comum a partir de Cornwall, pena da princesa grande. A mesma mulher
que iria colocar um fim rápido para o seu sonho. O real jovens que, mesmo agora,
estava a trabalhar para angariar o apoio do Parlamento para seu próprio casamento
com o Príncipe Leopold.

Mas pena dela, Elizabeth fez.

Cranbourne Lodge, tão grande e bonito, era senão uma gaiola dourada aprisionar o
jovem real. Liberdades eram poucos, e apenas, de que Elizabeth se tinha
testemunhado, reivindicada pela princesa mais frequentemente através de engano e
maldade dos outros. De todas as contas dos funcionários da casa e até mesmo
confidente mais próximo dela, a Mercer, foi uma vida triste e cansativo a princesa
levou a maioria dos seus dias.

própria mãe da princesa Charlotte, incapazes de suportá-la, fugiu da corte e seu


casamento com o Príncipe de Gales, para uma vida de liberdade no continente. Não
admira que a princesa estava tão mal-educado, Elizabeth concluiu. Ela seria, também,
se tivesse de suportar a vida como um prisioneiro, mesmo que ela pudesse usar uma
tiara de brilhantes em cima de sua cabeça.

De repente, ela percebeu que não teve uma vez que ela visita a tiara que o príncipe
tinha enviado a princesa Charlotte de Hamilton e Companhia. Ela pulou para seus pés
e começou a procurar discretamente dormitório da princesa, até que ela veio em cima
de uma caixa marcada com o nome da empresa aninhada sob penteadeira da
princesa.

Ela levantou a tampa da caixa, prendendo a respiração, esperando que a esperança


estava dentro da tiara. Sua tiara. O Sumner um tinha colocado em sua cabeça. Seu
coração bateu mais forte que desatei a laçada do saco de roupa dentro do box e
chegou dentro. Seus dedos desceram de uma vez em cima de pedra e metal frio e
arrebatou-lo.

Cuidadosamente, ela ergueu a tiara de seu esconderijo e olhou para ele com
admiração por alguns minutos, antes de se sentar na mesa de vestir-se, com a
intenção de fazer o impensável.

Ela olhou no espelho e imaginou Sumner estava segurando a tiara nas mãos, ela
baixou-a para baixo em cima de sua cabeça. Ela exalou suavidade que ela viu a sua
imagem.

Calmamente, ela estudou o seu reflexo, querendo agarrar a memória do dia, ela
conheceu seu príncipe. Querer preservá-la, antes de a princesa regressou esta noite,
o momento foi a apreensão da torcida do Destino e colocado nas mãos do Parlamento.

Uma lágrima brotou no canto mais íntimo de um de seus olhos, pois ela sabia que já
era tarde demais. Até agora a princesa Charlotte havia obtido a promessa do Senhor
Liverpool de apoio. Foi apenas uma questão de tempo antes de Prinny seria
convencido a fazer o mesmo e Príncipe Leopold casaria Princesa Charlotte.

Elizabeth engoliu um soluço que ela levado a tiara da cabeça e substituiu-o na caixa
abaixo da penteadeira. Ela apoiou os cotovelos sobre a superfície da mesa, em
seguida, descansou o rosto nas mãos e deixar as lágrimas que ela tinha lutado fora
finalmente se voltam.

Pouco depois da meia-noite, Elizabeth decidiu que seria permitido retornar a seu
próprio dormitório. Princesa Charlotte e Mercer seria sem dúvida voltar de Londres em
breve, depois de tudo. Calmamente, ela facilitou abrir a porta, para encontrar Aida
caiu contra o batente da porta. A boca da empregada foi agape e um ronco leve
conheceu o ar com seu cada expiração.

Elizabeth apertou seu ombro, acalmando a empregada assustou quando ela acordou
com um suave "Hush". Elizabeth estabeleceu um dedo sobre os lábios acalmar, depois
acenou boa noite e se dirigiu até um outro lance de escadas para o quarto de seu
próprio.

Ela mudou de roupão da princesa e em seu próprio e, em seguida sentou-se na beira


da cama testador. Ela estava muito agitado para dormir, no entanto. Ela não
conseguia livrar sua mente de pensamentos virando de um futuro sem Sumner.
Levantando da cama testador, ela percorreu o quarto de dormir antes de finalmente
perceber que, lud, se ela se manteve dentro da vida sufocante lodge mais um
momento, ela certamente gritar.

Pisando em chinelos, Elizabeth apressada de seu quarto de dormir, descendo a


escada escura, através da porta, e então correu para a noite.

Uma leve brisa parted a abertura de seu roupão e soprou os lados atrás dela como
grandes banners brilhantes de azul. Ela não se preocupou em esconder sua camisa de
seda, para ninguém, mas um companheiro da senhora perturbada seria
aproximadamente a esta hora.

Para a segunda noite, a lua, fixados sobre uma manta de veludo preto bejeweled, foi
brilhante e quase perfeitamente redondo. Ela suspirou, lembrando-se de pé à beira do
jardim com Sumner apenas uma noite e antes de ver a mesma imagem acima.

Ela estava tão cheia de esperança. Então, cheio de emoção para a crescente
possibilidade de uma vida em conjunto com Sumner.
Mas tudo mudou agora.

Foi uma decisão tola de que ela fez em seguida, Elizabeth sabia, mas com a lua como
seu guia, ela caminhou a partir da apresentação até que encontrou o caminho do rio.
Porque ela anda como uma perigosa trilha agora, ela não sabia. Era como se ela
queria ir para o último lugar que ela e Sumner estavam juntos ... sozinho.

Parecia algo chamou-la, chamou-a lá.

O mais perto que ela chegou à curva do caminho, o mais profundo, ela caiu em luto o
que poderia ter sido. Suas costelas sentiu contratadas, as partes traseiras de seus
olhos ardiam com o calor.

Seu sentimento de perda eminente cresceu a cada passo, até que ela podia sentir o
cheiro do Tamisa, ouvir sua pressa logo abaixo da trilha. Lágrimas deslizaram por sua
face enquanto ela arredondado curva do caminho e estava prestes a vir em cima do
lugar onde ela e Sumner tinha deitado. Juntos.

Ela prendeu a respiração até que ela podia ver ao redor das árvores para o trecho de
musgo macio. Sua cama.

Então ela parou.

Ela apertou os olhos contra a luz do luar, mas não havia nenhuma pergunta. Lá, em
um banho de luar de prata, era o seu príncipe.

"Sumner.

Sumner estava sentado na cama macia de musgo, um braço envolto em torno de um


joelho erguido, quando ouviu seu nome na brisa sobre o rugido do rio.

No início ele pensou que o jogo da noite e apressando-se, borbulho Thames, mas
então ele viu, sua Elizabeth, em pé, um dedo azul do luar.

Ele piscou os olhos, incapaz de acreditar verdadeiramente que seus olhos viram. Era
como se o seu desejo sincero de dizer adeus, de algum modo conjurou-la da cama
para este ponto de luar.

"Elizabeth?" Ele murmurou.

"Sumner!" Ela correu para ele, braços estendidos.

Empurrando até seus pés, ele avançou e encontrou seu caloroso abraço. Sem
pensamento consciente, com os braços para cima e veio embrulhado em torno dela.
Ela estremeceu contra ele, e seu pacote ainda mais firmemente.

Ele não perguntou por que ela estava na trilha do rio agora. Não importa. O que foi
que ela estava aqui, nos braços, onde ele queria que ela fosse. Necessário que ela
seja.

Assim que, se Deus ajudar, ele poderia dizer-lhe adeus. Uma punhalada de corte
relutância doeu em seu coração. "Elizabeth I"

Ela se inclinou um pouco para trás, para que ela pudesse olhar para ele. Lágrimas
molhado seu rosto e seus olhos brilhavam. "Não diga isso. Eu já sei ", ela disse, com
voz cheia de emoção. "A princesa Charlotte foi para ver o primeiro-ministro." Um
soluço rompeu com os lábios e perfurou suas palavras seguintes.

Sumner puxou na direção dele novamente. "Shh, Elizabeth, não chore, por favor", ele
sussurrou em seu cabelo, que a luz do luar parecia um manto vermelho-sangue sobre
os ombros.

"I-eu não posso parar. Eu sei que ela está ali para ganhar o apoio do Parlamento e
que isso significa para nós. "Ela atraiu uma respiração irregular.

"Silêncio, agora, meu querido." Ele cupped o queixo com uma mão e beijou-a
delicadamente na testa.

Ela ergueu o queixo superior, e que ele beijou uma lágrima que tinha começado a
rolar para baixo sua bochecha. E então, colocando as pontas dos dedos na ponta do
queixo e inclinando a boca para a dela ... ela apertou a boca do concurso para os
lábios.

"Eu pensei que você tinha ido. Que eu nunca ver você de novo ... que eu iria em
breve tornar-se nada mais que um momento esqueceu de você. "Suas palavras, senti
um hálito quente contra os lábios entreabertos.

"Eu nunca poderia te esquecer, Elizabeth. Nunca ". Sentia uma dor no peito. Desejou
com todo seu coração, ele poderia poupar essa dor por dizer a verdade a ela que ele
não era Leopold. Que era seu dever solene de proteger o príncipe, seu primo, não
importa o custo.

"E eu não podia suportar a idéia de nunca mais vê-lo novamente. Eu te amo, Sumner.
"Ela se virou e olhou para cima e em seus olhos. "Eu te amo".

Ele prendeu a respiração em sua garganta e calor searing subiu em seus olhos.
Sumner empurrado para trás dela e foi embora. Ele não poderia deixá-la vê-lo assim.
Tão vulnerável.

Sua mão tocou seu lado, e ele cambaleou para a frente até chegar a um carvalho
antigo. Ele se inclinou a cabeça e uma mão contra a árvore de apoio.

Ninguém jamais disse isso a ele antes.

Ever.

Ele não havia sido preparado para o efeito avassalador das palavras simples. Pelo
jeito que abalou sua mente e seu corpo tão dis-ablingly.

"Por favor, não me deixe." A voz dela veio apenas a uma curta distância atrás dele,
mas ela poderia ter sido uma légua de distância naquele momento. "Sumner, por
favor."

"Eu tenho que ir." Sua voz falhou e ele endureceu suas palavras. "É meu dever
juramentado."

O thrash de folhas secas sob os pés anunciava a sua chegada por trás dele. mãos
Soft facilitado em torno de sua cintura e colocou a cabeça dela contra suas costas. Ele
não se virou. Não foi possível, agora.
"Se você deve ir, lembre-se que eu te amo." Sua voz era suave, mas até agora ele
podia ouvir a crueza no seu tom. "E se você puder, algum dia, por favor, volte para
mim."

Sumner corpo enrijeceu-se em suas palavras.

Volte para ela.

Seus dedos escavadas na casca do carvalho. Uma vez que o acordo para o
casamento estava garantido e com segurança Leopold de volta a Paris, ele poderia
voltar para Elizabeth. Sim, ele devia muito a família e estava disposta a sacrificar sua
vida por Leopold, para protegê-lo como o príncipe realizou o seu direito próprio. Mas
uma vez que Leopold estava segura, ele pode renunciar a sua comissão e, embora até
agora nunca tinha considerado uma vida para além dos militares, ele poderia deixá-lo.

Ele poderia voltar para ela.

Ele podia começar uma nova vida.

Sumner virou tão rapidamente que seus braços se manteve em torno dele. Ele
agarrou-a para si e segurou-a firmemente.

"Eu voltarei para você", disse ele, mais alto do que ele pretendia. "Eu vou".

Elizabeth virou os olhos brilhando para ele. As lágrimas correram pelo rosto de novo
bom, mas desta vez as lágrimas eram de felicidade.

Ele se inclinou e beijou-a profundamente, sentindo mais alegria do que ele já havia
conhecido.

Capítulo 13

Elizabeth estava relutante em voltar para Cranbourne Lodge, mesmo sabendo que
ela tem. Seu coração sentiu ponderada com preocupação, já que ela e seu príncipe
havia deixado o santuário da floresta, que os espinhos da realidade seria punção seu
sonho do futuro que eles compartilham e rasgar a sua promessa de voltar para ela.

Sumner escovado uma mecha de cabelo do rosto dela e beijou-a suavemente na


porta do alojamento assim como o céu começou a mudar a partir de ébano escuro
para um cinza fria. "Confie em mim, Elizabeth. Eu voltarei para você. Acredite em
mim. Nós vamos estar juntos. De alguma forma. Algum dia. Em breve. "

Elizabeth assentiu com a cabeça, já sentindo o sorriso que ela aposta nos lábios para
Sumner começam a se dissolver. Ela olhou para cima em seus olhos cinzentos, mas
fixou sua atenção na vibrante anel azul em torno deles. Ela tinha de acreditar em seu
sonho. Tinha que acreditar em Sumner e no seu amor crescer. Ela tinha que ter fé. "Eu
confio em você, Sumner. Volte para mim ... em breve ".

Ela inclinou a cabeça para trás e seus lábios se encontraram novamente em um beijo
cheio de promessas. Desejando nunca deixá-lo ir, tinha os braços envolvidos em torno
dele, quando ouviu os parafusos que está sendo liberado na porta. Seus olhos se
arregalaram. As portas tinham sido bloqueados em algum momento depois que ela
saiu. "Sumner. Eu amo você ", ela sussurrou. "Mas você deve ir. Pressa. "

Ele se inclinou e apertou os lábios ao dela em um beijo inebriante apenas uma última
vez, em seguida, virou-se e desapareceu no nevoeiro matinal paira sobre o gramado.

O lacaio velho abriu a porta só então, sonolenta adapta a peruca branca sobre a
cabeça. Ele acenou para ela. Ele deu um passo para trás, e sem dizer uma palavra
que lhe permitiu entrar na loja.

Como Elizabeth subiu lentamente as escadas para seu dormitório e caiu sob sua
colcha, um sorriso feliz mellowed sobre os lábios. Ela acreditaria em Sumner.

Sim, ele partiria para Londres hoje para casa Sir Henry Curzon Street, onde ele e seu
primo foram convidados a permanecer em reclusão, se quisessem, por uma quinzena.

Mas ela não desgastasse sobre Sumner está saindo.

Ela fechou os olhos com o gosto do beijo ainda Sumner doce nos lábios. Sleep viria
facilmente para ela agora, pois ela sabia que seu sonho se tornaria realidade.

Sumner tinha prometido que eles estariam juntos de alguma forma, e não importa o
que aconteceu, ele voltaria para ela.

Quando o relógio na passagem tingido de dez horas por dia, Elizabeth abriu os olhos
para encontrar a princesa Charlotte sentado em sua cama, com os braços firmemente
cruzados ea boca se num esgar rígido.

"Você voltou." Elizabeth balançou vertical. "Estava bem sucedido?"

A princesa olhou. "Nenhum dos meus vestidos caberá mim agora. Aida suspeita
tanto, mas é claro que eu não estava convencido. Mas então ela tentou me vestir em
dois, um após o outro, e nem poderia ser laçada fechada. Os vestidos eram apenas
para ser montados pinos não terminou! "

"Oh ..." Elizabeth suspirou. "Eu me desculpo, mas as modistas francesas insistiu
montagem dos vestidos e conjuntos perfeitamente. Eu não tenho nenhuma francês, e
foi incapaz de convencê-los a parar uma vez a pinagem tenham sido concluídas ou
mesmo para deixar mais espaço para a liberdade de movimento ".

Princesa Charlotte não falava, mas seus olhos cresceram mais escuro com raiva.

"Eu estava bastante preocupado, Sua Alteza Real, até que percebi que, na sua
sabedoria, confeccionando o plano, você deve ter considerado as diferenças em
nossas formas e decidiu que os vestidos foram o preço de sua fuga para Londres."
Preocupação começou a serpente acima da coluna de Elizabeth. A princesa não
estava amaciando.

"Você decidiu que, não é?" Princesa Charlotte saltou da cadeira chinelo. Ela ampliou
sua posição e definir os punhos nos quadris. "Apesar da intervenção da rainha em
meu nome, oração e Henry Brougham é menos do que convincente sobre a
necessidade de aumentar a minha parte, minha renda não aumentou. Ela já não é
suficiente para suportar meu modo de viver, muito menos o meu pessoal. "

"Eu, eu não tinha conhecimento." Elizabeth engoliu em seco.

"Tenho medo de você é muito grande um gasto, Miss Royle". Princesa Charlotte girou
e fortemente perseguida até a porta.

"Eu me desculpo com muita humildade" Elizabeth começou, mas a princesa Charlotte
não estava ouvindo.

Antes de sair do quarto de dormir, a princesa empurrou ao redor. Suas bochechas


estavam brilhando como um sol e ela cuspiu bastante quando ela entregou sua
próxima mensagem. "Voltar a Weshall Warwick House no week.You voltará a Berkeley
Square, onde você não terá a oportunidade de fazer outras decisões caro em meu
nome."

Aproveitando a porta, sem o auxílio do lacaio chegar para o punho, a princesa bateu
a por
ta do quarto se fechou atrás dela.

Elizabeth sentou-se, assustado, por alguns momentos.

Então ela encostou-se no travesseiro e sorriu.

O que isso importa? Como o seu príncipe, ela estava voltando para Londres.

Sua felizes para sempre foi fechar a mão. Ela podia sentir isso.

Cavendish Square
Senhora da biblioteca Upperton

"Bem, pomba, eu estou feliz em ter você de volta com todos nós, mais uma vez, mas
eu ouso dizer, você acha que a princesa estava irritando a melhor maneira de atingir o
seu regresso a casa?" Lady Upperton olhou de soslaio para cada um dos Rakes Velha,
que sentou-se sobre o sofá em uma linha perfeita, como os corvos-escuro
emplumada.

"Irritando a princesa estava prestes a acontecer. Fazendo sua furiosa era inevitável.
Ela é altamente volátil e mais infantis. "Elizabeth apertou as mãos antes dela,
esperando que eles pudessem entender. "Foi só uma questão de tempo."

"Eu ouso dizer, a sua boa opinião de vocês é provável ida para sempre. Ela é bem
conhecida dentro da sociedade para a realização de um rancor. "Lady Upperton
mordeu o lábio inferior com preocupação. "Rezo para que ela não pretende solo do
seu nome".

Elizabeth não se importava, pelo menos o que a princesa pensou ela, mas ela sabia
que ela deveria fazer. Princesa Charlotte poderia facilmente fazer dela uma pária na
sociedade, se ela era capaz de escapar de sua gaiola o tempo suficiente para fazê-lo.
"Eu juro, eu não sou a única falta que irrita ela. Na verdade, a única mulher que ela
parece ser capaz de tolerar é Mercer, quero dizer, Miss Elphinstone e por que ela
tolera a princesa está além da minha compreensão. "

"É possível, Elizabeth, que seus sentimentos em relação a princesa Charlotte poderia
ser de cor vermelha por seu próprio ciúme?" Gallantine perguntou como ele esfregou
o crescimento da barba curta cinza no queixo.

"M-meu ciúme?" Elizabeth ficou surpreso que ele poderia sugerir uma coisa dessas.
"Se alguma coisa, foi ela quem nutria sentimentos de inveja para mim. Afinal, tenho o
coração do príncipe. "
Senhor Lotharian conheceu Lady Upperton está preocupado olhar. Após um momento
de silêncio entre as declarações dos dois, ele se dirigiu Elizabeth. "O Parlamento
Europeu apoia o casamento entre a princesa Charlotte e Príncipe Leopold. O único
obstáculo é a bênção de Prinny, que ele vai conceder, em tempo. "

"Ele não vai se casar com ela." Elizabeth sorriu, pretensioso. "Ele me ama."

"Caro gel", disse Lilywhite, distraidamente esfregando a barriga redonda, "mesmo


neste dia, amor e casamento não são mutuamente exclusivas."

"Mas eu lhe contei o meu sonho." Elizabeth exalava um ar frustrado. "Por favor,
acredite em mim. Nós vamos casar ".

Gallantine encolheu os ombros. "Existe a possibilidade de que o gel pode estar certo.
Seus sonhos vêm ... perto de chegar a bom termo. E o príncipe ainda para receber a
bênção Prinny, e há aqueles que afirmam que ele ainda deseja um casamento entre
sua filha e Guilherme de Orange. "Ele deu uma risada inadequado.

"O que diverte assim, Gallantine? Sobrancelhas hawkish Lotharian avançou na


direção do seu nariz.

"Só que se o regente controla tal união, ele pode pegar o gel fora para a Holanda e
ser feito com ela e palhaçadas. O povo ama melhor que ele, e ele é sem dúvida bem
conscientes disso. "

Lady Upperton scowled e agitou um dedo minúsculo mais indelicadeza dele. "Não
fomentar idéias de Elizabeth, Gallantine. O que você está pensando? "

"Estou apenas dizendo que é possível que o jovem príncipe tem um carinho para o
nosso gel, aqui. E pode ser omissa, não de nós para explorar essa possibilidade.
"Gallantine rosa dura do sofá e circulou o grupo como ele considerava a sua própria
declaração. "Afinal, nós fizemos jurar Royle veríamos a felicidade de suas filhas e de
bem-estar que todos nós concordamos inclui o casamento. Qual o melhor jogo
poderíamos conseguir para Elizabeth que a um príncipe, né? "

Elizabeth percebeu que tinha encontrado um aliado em sua busca pelo príncipe. "O
príncipe e seu primo foram convidados a permanecer na casa de Sir Henry Halford na
Curzon Street. Mercer tinha deixado escapar que a princesa Charlotte orquestrado
várias entrevistas para ele com o duque de Kent e de vários ministros no Parlamento,
para ajudar a construir o apoio a uma união. "Elizabeth de repente senti difícil tirar a
respiração. "Embora eu acredite que o príncipe vai me escolher, eu acredito, também,
que eu devo fazer a minha parte. Se eu puder encontrar uma maneira de se encontrar
com o príncipe, ainda mais uma vez antes que ele retorna a Paris por um tempo "

Gallantine começou a cochilar. "Sim, sim. Há o jantar na casa de Sir Henry na quinta-
feira à noite. "A expressão sly ergueu características flacidez. "Miss Elizabeth e eu
fomos convidados a participar."

"Sim, sim, você está certo, meu senhor." Elizabeth saltou de sua cadeira.
"Certamente, o príncipe e seu primo estará no comparecimento."

"Eu tenho um sentimento desconfortável sobre isso, devo admitir." Lotharian zumbia
os dedos em seu joelho, mas olhou para uma ou duas vezes até a Elizabeth, que fez o
seu melhor para defender seu caso com os olhos. "Será que o seu protegido, Manton,
participar também?"
Gallantine assentiu. "Ele fez menção de que ele também iria participar. Tenho a
noção que ele imagina a nossa Elizabeth. "

Elizabeth coloridas. "Mr. Manton é bonito e bom e verdadeiro, ele é herdeiro de uma
viscondado, mas ... Eu amo Sumner.

atenção Lotharian de picadas até o momento em que ela pronunciou o nome. "Quem
você caiu no amor com?"

"Sumner," Elizabeth disse muito lentamente, perguntando se a audição do velho não


era tão afiado quanto era uma vez.

"Oh, você está se referindo ao primo, o príncipe, o jovem Lord Whitevale". Lotharian o
olhar parecia furo nela. "Seu pai era uma vez um colega de White. Não posso dizer
que eu o conhecia bem ainda. Não sei que alguém fez. "

"Não, não. Não é seu primo ... o príncipe. Sumner, ele me disse, é o único nome
aqueles que o conhecem intimamente chamá-lo ", respondeu Elizabeth. "É uma
espécie de nome de família, eu acredito."

"E ele lhe permite dirigir a ele como Sumner?" Lady Upperton perguntou, com uma
expressão curiosa em seu rosto redondo.

"Sim. Ele pediu-lo. "Elizabeth sentiu o calor bochechas. "Nós ... nós nos tornamos
muito próximos, Sumner e I."

"Sumner, hein?" Lotharian apoiou os cotovelos sobre os joelhos e ligeiramente


curvada, para rodar alguns fios de uma de suas sobrancelhas grossas e cinzentas. Ele
olhou para Lady Upperton, que estava balançando a cabeça loucamente.

"Eu digo, eu acho que ela deve comparecer ao jantar." Ela olhou para os outros para
um acordo. "Afinal, o príncipe provavelmente será no atendimento."

Lotharian skewered Gallantine com seu olhar. "Meu bom homem, você acha que pode
garantir um convite adicional para patrocinador de Isabel? Acho oportuno que Lady
Upperton estar lá, pois, a partir daquilo que ouvi, os outros convidados serão
senhores. "

"Tenho certeza de que pode gerenciar algo, Lotharian", Gallantine disse.

"Bom, bom. Concordo que Elizabeth devia pelo menos ter sua chance com ... Sumner.
Lotharian deslocou seu olhar intenso para Elizabeth. "Não é isso que você chamou,
querida?"

"Sim." Elizabeth pesquisados Senhor Lotharian e Lady Upperton através dos olhos se
estreitaram.

Algo que não era como parecia, ela só não sabia o que era. Mas não importa. Ela
estava indo ver o seu príncipe na quinta-feira.

Berkeley Square

Elizabeth sentou-se na mesa da cozinha limpo pinheiro rever o orçamento doméstico


e uma lista Sra. Polkshank no mercado. Ela foi rápida em nota que, durante o curto
período de tempo que ela esteve em Cranbourne Lodge, os gastos foram ainda
maiores do que antes de sair. Mas hoje ela não iria deixá-lo a preocupá-la
excessivamente.

Ela estava tão feliz de estar em casa, com suas próprias responsabilidades e tarefas a
realizar, em vez de sentar-se inativa em esplendor real.

Entregar a lista de mercado, juntamente com uma pequena bolsa tilintar das moedas
a sra Polkshank, ela começou a partir da cozinha para ver a tia-avó Prudência.

Sra. Polkshank aceitou a lista ea bolsa, mas parecia totalmente confuso. "O quê, você
não está desejando discutir o custo do pão e da carne?"

Elizabeth parou e virou. "Não é de hoje, a Sra. Polkshank." Ela lançou-lhe um sorriso
brilhante e, em seguida, começou a subir as escadas para o salão.

Ela encontrou sua tia-avó Prudência em sua poltrona favorita, posicionada entre a
lareira ea janela olhando para fora em Berkeley Square. Ela estava totalmente
desperto.

Um pequeno livro estava no colo da velha, que ela tentou se esconder entre a perna
eo braço da cadeira quando Isabel entrou na sala. Ela deu um sorriso toothy Elizabeth,
enquanto sua mão paralisada fumbled para esconder o livro mais completo.

"Chatter em casa diz que você vai estar presente um jantar com Sir Henry Halford",
disse a velha.

Elizabeth puxou outra cadeira próxima e sentou-se perto de sua tia-avó. "Sim, entre
outros, incluindo o meu príncipe." Ela levantou os lábios discretamente.

"Como você acha que baronet enguia-backed, Sir Henry?"

Elizabeth riu disso. "Meu Deus, onde você ouviu que a descrição dele?"

"De um colega de seu pai, outro cirurgião do rei, Wardrop era o nome dele", disse
Prudence. "Certo, isso foi anos atrás. Ainda assim, ele não confia nele, e eu só
mencionei isso porque talvez você não deve nem gel. "

"Eu não tive nenhuma oportunidade de confiança ou desconfiança Sir Henry, eu lhe
garanto." Que coisa de sua tia-avó a dizer. "Como você está se sentindo hoje,
querida? Você parece muito bem. "

"Assim como uma mulher da minha idade pode sentir, eu suspeito."

Elizabeth chegou-se entre a velha ea braços e retirou o livro que ela tinha colocado
lá. "Eu vejo que você está lendo." Ela começou a abrir o tomo quando sua tia-avó
pegou a mão dela.

"Cherie theTimes trouxe-me esta manhã. Eu tenho lido isso também. O jornal relata
que o Liverpool e ao Parlamento o apoio de um casamento entre o príncipe andyour
princesa. "

Elizabeth definir o livro em seu próprio colo e disparou um olhar para fora da janela.
"Não é nada."

"Não, é algo agreat. Ele ea princesa só precisa que o consentimento do Prinny


gárgula. "Ela enfiou um dedo no joelho ossudo Elizabeth para fazer seu ponto.
"Ele não vai se casar com ela," Elizabeth insistiu.

"Ele vai. É seu dever para com seu país. "

Elizabeth estava atordoado. "Por que você menciona ..." seu dever "?

"Porque esse é o caminho do que com os homens, especialmente aqueles formados


nas forças armadas. É sempre assim. "Tia Prudence inclinou-se e tocou o dedo sobre o
pequeno livro sobre a volta de Elizabeth. "Abra. Existe um cartão dentro. "

Elizabeth não tinha certeza do que estava prestes a prudência, mas ela fez como
indicado e abriu o livro. No centro ela encontrou um convite e uma seca, desbotada
rosa desabrochando. Ela olhou para o rosto Prudence é tudo muito sério. "Eu não
entendo."

Passando os olhos para baixo, para o cartão amarelado na mão, ela começou a ler.
Era um convite para um almoço de casamento, para celebrar a união de Miss
Prudence Smythe eo Excelentíssimo Senhor Clarence Winks. Ela ergueu os olhos para
olhar para a tia para maiores explicações.

Prudence desvaneceu-se os olhos azuis estavam cheios de lágrimas, mas nem um


único violado seus cílios. "Ele saiu para a batalha que o verão. Foi hisduty, ele me
disse. E então ele foi morto exatamente um ano depois da batalha de Quebec City, ao
lado de seus homens, e General Wolfe si mesmo. "

Elizabeth sentiu rush lágrimas em seus próprios olhos. "E você tem"

"Sozinho, desde então." Ela forçou um sorriso de força. "Isto é, até você e suas irmãs
vieram para ficar comigo." Ela apertou a mão de Elizabeth é o melhor que podia. "O
que eu quero que você entenda é que enquanto os nossos homens vão amar-nos com
todo o coração, quando se trata de uma questão de amor ou dever para o país, a
honra de um homem sempre vai forçá-lo a escolher ... dever."

Um aperto dolorido no coração apertou Elizabeth. Rapidamente, antes que ela


dissolveu-se em lágrimas, ela cuidadosamente estabelecido no cartão e uma rosa
entre as páginas do livro e devolveu-o à sua tia-avó.

"Obrigado por me dizer isso", Elizabeth começou, sua voz quebrada ", mas eu tenho
que acreditar que nós estaremos juntos no final. Eu não posso suportar a vida sem
ele. Eu simplesmente não posso. "

Curzon Street
Residência de Sir Henry Halford

O jantar planejado por Sir Henry foi mais íntimo do que Elizabeth tinha antecipado.
Ninguém do Royal College of Physicians estava presente, como ele disse a ela e
Gallantine quando ele ofereceu o seu convite na Almack's.

E ninguém, com exceção de Sir Henry, e possivelmente seu protegido Mr. Manton,
parecia satisfeito com a ordem do assento.

Senhor Gallantine sentou-se em uma extremidade da grande mesa retangular, que


pareceu irritá-lo bastante, devido à sua incapacidade de ouvir Sir Henry, que estava
sentado na outra ponta. Elizabeth estava sentada entre o primo do príncipe,
Whitevale e Manton Sr., enquanto Sumner e Lady Upperton sab diretamente através
deles.
"Não é nenhum segredo, Miss Royle, abundam os rumores de que através da
sociedade que você e suas irmãs poderia ser a filha ilegítima do príncipe de Gales e
Fitzherbert Maria."

Elizabeth bastante balançou em sua cadeira. Sir Henry parecia não ter idéia de que
ele era seu rótulo um bastardo na mesa de jantar.

"Há muitos que sustentam que Prinny e Sra. Fitzherbert eram casados, Sir Henry."
Senhor Gallantine apertou seu aperto tão fortemente em torno de sua faca que
parecia o sangue a escorrer de sua mão. "Alguns viram a prova de que a união".

Elizabeth forçou um sorriso. "Você sabia que o meu pai, Sir Henry. Ele era um
cirurgião real, como você. "

"Sim, sim, mas thestory", Sir Henry empurrou ", não existe qualquer evidência para
apoiá-lo? Há rumores de que tinha provas Royle de alguma sorte. "

expressão Lady Upperton deixou nenhuma dúvida a Elizabeth que ela não gostou do
rumo da conversa tinha tomado. "Sir Henry, por favor, pense sobre as implicações de
suas perguntas. Miss Royle é um hóspede em sua casa esta noite. "

Sir Henry fez uma careta, então aplicado um sorriso, mancha oleosa aos lábios. "Eu
imploro seu perdão, Miss Royle. As pessoas amam uma boa história, verdadeira ou
não. "

"Sim, é verdade, Sir Henry," Sumner respondida. "Mas, eu penso que eu falo para a
maioria de nós nesta sala, nesta véspera, a fofoca não tem lugar na sociedade
educada."

Sir Henry blanched ligeiramente, e então sua expressão mudou bruscamente. "Eu
prefiro histórias verdadeiras de emoção, eu mesmo." Olhou para Elizabeth repente.
"Cuidar de um pouco de sal, Miss Royle?", Perguntou ele. Sua sobrancelha esquerda
pesada contraiu em antecipação.

"Não, obrigado", Elizabeth respondeu, pensando em toda a sua vida não acolhimento
jamais sugeriu que o sal de seu alimento.

"Você tem certeza?"

"Completamente". Foi então que Elizabeth percebeu que, ao contrário das caves
prata, sal a configuração de cada hóspede, o dela era branco, e quando volta, não
estava perfeitamente formada.

Sir Henry olhou permaneceu focada em Elizabeth, completamente irritante dela.


Finalmente, quando parecia que se ela não provar o sal que ele não iria nunca
remover a atenção dela, ela levantou a mão para alcançar a colher na adega.

mão esquerda o Sr. Manton é baleado e capturado dela. Então, gentilmente, ele
pressionou a palma da mão para a mesa. "Por favor, não, Miss Royle".

Elizabeth viu volta Sumner endireitar e testa low draw momento Manton tocou. Por
um breve instante ela pensou que ele ia pular sobre a mesa para Manton, mas ele não
fez nada mais. Ela se virou e olhou interrogativamente Manton.

Sir Henry riu alto. "Agora, agora, Manton, você está estragando a minha diversão."
"Se você continuar, senhor, eu não acho que Miss Royle dormia a noite toda esta",
Manton respondeu com firmeza.

"Oh, eu duvido disso. Nossa Miss Royle foi corajoso o suficiente para tentar salvar a
vida do príncipe. "Ele se inclinou para frente e parecia estar a resolver sozinho
Elizabeth. "Duvido muito que ela iria encolher de osso touchinga. "

"Um osso?" Olhos de Elizabeth deslocada para o saleiro. "Será que ... oh, céus, isso
não pode ser." Olhou para Sir Henry. "É uma vértebra que ...?"

sobrancelhas Sir Henry formou um montículo peludo. "Ela é filha de Royle, não é ela,
Manton? Você tem um olho afiado médica. Na verdade, é, Miss Royle-vértebra cervical
um ser humano. "

"Oh, meu Deus!" Lady Upperton gritou, tapando a boca com as mãos. "Por que você
iria colocar uma coisa sobre a mesa e diante de nossos Elizabeth jovens?"

Sir Henry baixou a voz para quase um sussurro. "Porque eu suspeitava que ela
poderia ser fascinado por aquilo que vou admitir a todos vocês que vem. Mas você
deve jurar para não dizer uma alma viva meu segredo. "Ele olhou ao redor, todos na
mesa e esperou sua balança a cabeça, que foram dadas por todos, exceto um.
Sumner apenas revirou os olhos, que, ao que parece, foi bom o suficiente para Sir
Henry, que olhou para o Sr. Manton e gesticulou para ele começar.

Manton suspirou em aborrecimento. "Em 1649, Charles o primeiro foi decapitado e


sepultado no jazigo mesmo que o grande Henry VIII. Os caixões, no entanto, foram
perdidos até dois anos atrás, quando foram redescobertos e do príncipe de Gales
pediu que uma autópsia será realizada para confirmar a identidade dos esqueletos. As
autópsias foram realizadas por Sir Henry ". Manton exalado. Ele apertou seu punho
sobre a mesa. Sua mão começou a tremer. "Senhor, você deve terminar a recontagem
porque não será parte horrível as senhoras."

"Muito bem, se você for incapaz de continuar." Sir Henry glowered no Mr. Manton.
"Como ele teria sorte, eu fui deixada sozinha com os restos de um bom tempo antes
de os caixões foram fechados novamente. Eu era capaz de confirmar as identidades ...
mas eu também era capaz de roubar secretamente um único osso pagamento pelos
meus serviços, se você quiser. "Ele inclina o nariz para o saleiro. "Vértebra cervical
Charles o primeiro, que, como você pode ver por si mesmos, foi limpa cortada por um
machado."

face Lady Upperton cresceu muito pálido e começou loucamente abanando-se com
seu guardanapo.

"Faz um saleiro adorável. Você não concorda, Miss Royle? Sir Henry sorriu para ela.

Lady Upperton pálpebras começaram a tremer e seus olhos pareciam que iriam rolar
para trás em sua cabeça. Sua cabeça pendeu e de repente ela caiu para frente,
acertando a testa da borda da mesa.

Elizabeth saltou da mesa e correu em torno do passado Senhor Gallantine para


alcançá-la. Até o momento que ela fez, Sumner já ergueu o corpo de Lady Upperton
pequeno inconsciente em seus braços.

"Vou levá-la para a sala e deixá-la descansar no sofá, se eu puder", disse ele. Sem
esperar, ele cobrado a partir da sala de jantar, com Elizabeth reboque.
Elizabeth estava ajoelhada ao lado de Lady Upperton quando Mr. Manton correu para
a sala um pouco mais tarde com um lenço umedecido da tabela Sir Henry em sua
mão. Ela saiu do seu caminho e permitiu que o jovem médico a ver com ela.

Deu-lhe uma análise rápida e, em seguida, suspirou de alívio. "Não se preocupe, Miss
Royle. Ela só desmaiou ", disse ele suavemente.

"Então, ela vai se recuperar em breve." Elizabeth olhou preocupada para o Sr.
Manton.

"Oh, sim, sim. Tenho visto Sir Henry causar esta reação mesmo em outras senhoras,
pelo menos, uma dúzia de vezes antes. Eu aconselhei-o a fazer contra isso e outra
vez. Um vinagrete vai levá-la ao redor completamente. Vou buscar um momento.
"Com isso, ele se apressou a partir da sala, deixando Elizabeth Sumner e permanente
sobre Lady Upperton.

No momento em que ele se foi, Sumner estendeu para Elizabeth. "Você vai me
encontrar na Serpentine amanhã ao pôr do sol? Quando nos encontramos o meu
primo e da princesa, você sabe o lugar. Precisamos conversar ".

Elizabeth assentiu fervorosamente. "Sim, mas porque"

Sumner agarrou-a em seus braços e beijou-a, com um desespero cargo de


necessidade.

De repente, de fora da porta, ouviram o barulho e rolo de algo caindo no chão.


Poucos momentos depois Manton entrou no quarto com uma garrafa na mão
vinagrete. "Perdoem a minha demora. O frasco escorregou dos meus dedos para o
chão, em seguida, rolado em uma tabela. Não quebrou, entretanto. "

Lady Upperton olhos estavam semi-abertos, mas uma onda rápida, ou dois vinagrete
picante totalmente reviveu-la imediatamente. "Por favor, tirar isso", ela retrucou,
golpeando em frasco de Manton.

"Eu vou, Lady Upperton, mas por favor, mantenha o pano sobre a testa um pouco
mais", avisou. "Um choque pequeno aumento, nada de se preocupar mais. Você bateu
a cabeça na borda da mesa, eu estou com medo. "

Ela olhou para Elizabeth. "Você é um bom cara. Fetch Gallantine, você vai? Tenho
medo da minha cabeça me dores, e eu gostaria de voltar à minha casa. Você vai se
juntar a mim na carruagem, não vai, querido? "

"Eu, Lady Upperton, estou à noite bytomorrow certeza, se não for antes, será
completamente a si mesmo novamente." Elizabeth apontou uma rápida olhada em
Sumner, e atirou-lhe um ligeiro aceno. "Eu informará Senhor Gallantine como os
nossos planos alterar para a noite. Por favor, desculpe-me, Vossa Alteza Real, o Sr.
Manton. "Ela mergulhou uma reverência a cada um, e depois correu de volta para a
sala de jantar.

Ela tentou esconder o sorriso confiante que puxou os lábios como ela fez suas
desculpas a Sir Henry e informou Senhor Gallantine da sua saída antecipada do
Curzon Street.

Foi ainda mais difícil façanha de esconder a sua alegria como o transporte
transmitida ambos em casa, por Lady Upperton capacidade de ler um rosto era
apenas a segunda do Senhor Lotharian.

Ainda assim, os nervos da senhora estavam em frangalhos e esgarça após o jogo


macabro Sir Henry, e ela não parecia o menos consciente de que Elizabeth
comportamento tinha mudado em tudo.

Mas ele tinha. Para depois beijo apaixonado Sumner, Elizabeth sabia que antes que
as águas cintilantes da noite de amanhã Serpentine, Sumner diria a ela que sua única
obrigação era ... o seu amor.

Capítulo 14

Hyde Park
Rotten Row

"Isto não é sábio, Leopold." Sumner freou seu cavalo protetora mais perto do
príncipe, como eles orientaram suas montagens baixo Rotten Row através da espessa
neblina. Era como se as nuvens tinham descido do céu e se estabeleceram
misteriosamente em cima da estrada. "Nós podemos facilmente tomar
conhecimento."

"Eu não posso ficar tampadas por dentro por mais tempo", o príncipe respondeu
categoricamente. "Além de estar no Salão de Sir Henry, montando a esta hora mais
cedo por esse miasma de cinza é provavelmente o lugar mais seguro que eu poderia
ser. Se não pode ver a aproximação do outro, duvido que pode ser visto, também. "

"Mas nós podemos ser ouvidos. Você está tão perto de conseguir este jogo. Por que
você arrisca tudo por inutilmente se aventurar? Sumner sabia que a sua frustração
com Leopold foi claro em sua voz, e ele não tenta escondê-lo. Ele estava colocando
um fim a sua vida enquanto Leopold trabalhou diplomaticamente para manipular este
casamento com uma mulher que não amava.

"Eu não posso permanecer viva como um prisioneiro durante a minha estadia em
Londres."

"Então vamos voltar a Paris." Sumner sabia que era demais esperar para Leopold
para sair antes do Príncipe de Gales, tinha-lhe dado um aceno de cabeça, formal ou
incentivo, mas ele tinha que tentar. "Em Paris, você estará livre para vagar pelas ruas
durante a realização do restante da campanha por meio de expedições."

"Eu não posso, porque nada está resolvido. Nada! "Leopold ficou em silêncio por
alguns instantes depois, o peito arfante e trabalhando com sua agitação claro. "Eu
tomei uma caixa no Drury Lane Theatre para hoje à noite", ele finalmente disse
bruscamente. "Estaremos presentes. Eu não vou ouvir qualquer argumento em
contrário. "

Leopold voz era firme e estável. Ele não estava sugerindo uma noite no teatro. Ele já
tinha planejado isso.

"Tonight?" Sumner tensos. "Você não pode considerar isso".

"Sim, esta noite." Houve um curtness a forma do príncipe que nunca tinha visto,
exceto no calor da batalha. "Eu compreendo as implicações para a minha segurança.
Mas eu devo ir. Charlotte estarão presentes. Eu não tenho escolha. "

"Você não pode aparecer em público com a princesa. É muito perigoso. "E foi, mas
não havia mais a sua posição contra a ir ao teatro naquela noite. Sumner tinha
passado a noite antes de se preparando, ensaiando, para a tarefa desagradável de
admitir a sua verdadeira identidade para Elizabeth esta noite.

É verdade que as necessidades de segurança Leopold não tinha alterado, nem tinha
lealdade próprio Sumner jurado e responsabilidade para o príncipe.

O que estava prestes a mudar foi preciso Elizabeth para confiar nele, acreditar com
todo seu coração que iria voltar para ela, apesar das aparências em contrário.

Mas, para ela colocar tanta fé nele, ele deve colocar sua confiança em seu primeiro, e
admitir que ele não era o Príncipe Leopold em tudo, mas seu primo, que jurou
protegê-lo em todos os custos durante a campanha para garantir cada vez mais
perigoso uma união entre Inglaterra e-Saxe Coburgo.

Tinha tomado uma boa medida de tempo, mas finalmente ele havia chegado à
conclusão de que talvez se Elizabeth sabia que o seu verdadeiro dever, seu coração
não seria quebrado cada vez theTimes relatou movimento no romance do príncipe
Leopold e Princesa Charlotte. E que ela iria entender que em breve o príncipe deve ir
para Paris, mas que ele voltaria para ela. Como ele havia prometido.

"Eu percebo o perigo. Charlotte não estará vendo o desempenho de mim, mas será
abrigado em uma caixa de vizinhos dentro de exibição. Vou trocar olhares de desejo
melancólico com ela. Nada mais. "

"Você está arriscando muito para não ganhar." Sumner huffed na idéia de o príncipe
ea princesa de negociação lua-eyed olhares, correndo o risco de vida do príncipe.

"O ganho será grande, se eu sou bem sucedido." Leopold cutucou sua montaria em
um trote rápido. "Minha intenção é provocar Charlotte em confrontar o pai dela sobre
o casamento."

Sumner fez ao lado de seu cavalo, combinando sua montaria passo para gelding do
príncipe. "Você acha que é sábio para fazer isso tão cedo?"

"Eu não posso esperar mais. Eu não sou cego ao fato de que a princesa Charlotte é
totalmente apaixonado por mim ... tal como ela foi com vários outros ao longo dos
últimos anos. Devo usar seus sentimentos apaixonado por mim agora, antes de
desaparecer. "

Sumner calou-se.

Leopold chamou de volta as rédeas. Sua bit gelding e freio tilintavam como o príncipe
puxou a montar uma parada empinando. "Meu primo, você é como meu irmão. Eu
entendo o que eu estou pedindo que você faça. Ao pé de mim, posando como o
príncipe Leopold, sua vida poderia estar em perigo. "

"E ainda você me pedir para fazer isso."

"Eu faço". Leopold olhou para a pista de terra molhada. "Saxe-Coburg foi saqueada
por Napoleão, porque não tínhamos a força eo poder para defendê-la. Um casamento
com a princesa Charlotte vai juntar as nossas famílias e Saxe-Coburg nunca será
demasiado pequeno ou impotente para defender-se novamente. Não peço que você
faça isso porque você é meu primo, minha família de sangue. Eu não lhe peço, porque
ninguém mais poderia representar-me tão bem como você. Peço que você faça isso
porque eu posso confiar em você, acima de tudo, para fazer o seu dever de Saxe-
Coburg. Você é um soldado, meu irmão de armas ".

"Eu sei que o meu dever."

"Eu sei".

"A neblina está se erguendo. Devemos voltar ao Curzon Street ", disse a Leopold, as
suas palavras um comando de frios e deliberada. "Se estamos a assistir ao teatro esta
noite, devo observar todas as ocorrências e contingências, em seguida, preparar-se."

Como os dois freou suas montagens ao redor, Sumner notou que Leopold estava
sorrindo. "Existe algo que eu deveria saber sobre este véspera?"

"Oh sim, há uma coisa de nota." Leopold ergueu as sobrancelhas mais inocente. "Eu
tenho anonimamente reservados caixa à nossa esquerda para a senhora Upperton,
Miss Royle, e Senhor Gallantine, embora eu tomei o cuidado de perguntar Mercer a
admitir a graça."

Sumner olhou Leopold. "Você não."

"Pensei que você talvez queira saber o planeamento de contingência ..., você sabe."
Leopold riu, em seguida, trouxe sua cultura para baixo em cima de seu cavalo flanco e
acusado baixo Rotten Row.

Berkeley Square

"Lady Upperton, eu não posso ir ao cinema com você e The Rakes Velha esta noite."
Elizabeth passeou na sala, com os braços envolvidos em torno de si mesma em um
abraço apertado. "Eu devo recusar ... Eu tenho outro compromisso."

"Bem, pomba, a menos que você me dê uma explicação razoável e justo por isso que
você deve recusar esse convite, eu temo que você deve quebrar o seu compromisso,"
Lady Upperton advertiu. "É por convite de ninguém menos que Miss Margarida Mercer
Elphinstone que o nosso partido foi fornecida uma caixa com o desempenho deste
véspera. É impossível você imaginar que não é ela quem realmente queria que você
assistir à performance, mas sim a princesa, que é graciosamente estender um ramo
de oliveira para você? "

Elizabeth virou-se e olhou criticamente para o seu patrocinador. "Como você chegou
a esta conclusão? Você me disse que o cartão não foi assinado. "

"Não foi. Mas quando eu mandei o meu criado ao redor para saber como o
proprietário da caixa, fui informado de Miss Elphinstone realizada a inscrição. "

"A Mercer é uma querida." Elizabeth desdobrou seus braços. "Ela poderia ter enviado
o convite, porque ela ficou triste sobre o jeito que eu era rejeitado pela princesa
quando o evento foi todo incitação, de modo algum culpa minha."

"Sim, isso poderia ser uma explicação, exceto por uma coisa: o cartão de salientar
que tanto o príncipe Leopold ea princesa Charlotte vai estar presente neste
desempenho." Lady Upperton balançou as pernas curtas e para trás a partir da borda
do sofá.

Elizabeth parou de andar. "Prince Leopold vai estar no Drury Lane Theatre esta
noite?" Não é a Serpentine ... onde ele lhe pedira para encontrá-lo?
"Sim, o príncipe, assim como a princesa Charlotte. Eu não me fazer ouvida, gel? "

Elizabeth olhou para Lady Upperton. Qual foi o significado disso? Se ele tivesse
mudado de idéia sobre ela, ou se tivesse sido simplesmente incapaz de livrar-se de
um convite para o desempenho da princesa? Cheio de nervos, pouco Elizabeth em seu
lábio inferior.

De qualquer maneira, Mercer tinha tomado o cuidado de incluir a menção do príncipe


e da princesa-atendimento. Talvez ele pediu a ela para fazê-lo. Uma mensagem para
ela que não poderia encontrá-la na Serpentine como planejado. Era uma possibilidade.

E essa possibilidade, ela teve que se agarrar.

"Muito bem, então, Lady Upperton," Elizabeth cedeu, "Eu vou acompanhá-lo feliz e os
senhores no teatro esta noite."

Enquanto estava lá, ela tornaria sua missão de falar com Sumner. Ela iria encontrar
uma maneira, se matou.

Drury Lane Theatre

Elizabeth inclinou-se sobre o assento do banco e olhou o melhor que podia para baixo
o nível das caixas privado. A luz do lustres acima foi baixa, fazendo exigências
características de qualquer indivíduo quase impossível.

Seu príncipe, vestido com trajes militares formal, e dada a sua notável altura, estaria
fora das vagas de todos os senhores vestidos de modo semelhante em seus casacos
escuros e caudas, toalhas engomadas e pescoço branco. Apenas, ela não vê-lo em
qualquer lugar.

Ela inclinou-se para Lotharian Senhor, que nunca perdeu nada. "Você viu a
princesa ... ou o príncipe, para esse assunto? O jogo está prestes a começar e eu não
ter visto qualquer partido chegar. "

"E você não deve, até que o jogo não começa". Lotharian apontou para duas grandes
caixas vazias a uma curta distância. "Eles, sem dúvida, ocupar o seu lugar lá ou talvez
em que a casa ao lado. É uma precaução de segurança, que é tudo, que eu não iria
elevar suas esperanças. "

"Elevar a minha esperança?" Elizabeth plissados nariz. "Eu não sei o que você quer
dizer."

"Por que, que a princesa Charlotte não chega. Eu sei que vê-la aqui, especialmente
na companhia do príncipe, será mais difícil para você. "

"Eu não dou a figueira se a princesa goza o jogo desta noite ou não. presença do
príncipe é o meu único interesse. "Elizabeth colocou a mão enluvada no trilho e olhou
para as fileiras da atregoers abaixo. Então, preguiçosamente, ela permitiu que seu
olhar à deriva para a caixa à direita da sua própria. "Oh, Zeus, ela sussurrou
asperamente. "Heis aqui."

Lady Upperton capturados ao corrimão com ambas as mãos e se levantou do banco


para ver Elizabeth passado. "Quem, querida?"

"Sir Henry. Ele está apenas tomando seu lugar. "


"Quem é que disse? Eu não posso te ouvir, gel. "Lady Upperton dobrados sobre o
trilho.

"Shh.Sir Henry." Elizabeth inclinou a cabeça para a direita. "Só lá."

"Querido, ninguém pode ouvir o que você está dizendo, especialmente comigo. Há
muito palavrório audiência demais. "Lady Upperton ergueu binóculo mãe-de-pérola e
olhou para Elizabeth que teve um gesto. "Oh, sim, e ele está com o caro Sr. Manton,
também. Ele tem um coração gentil, que o homem jovem. "Lady Upperton agarrou o
pulso de Isabel. "Eu disse-lhe que o Sr. Manton enviou uma nota que seria ir esta
noite?"

"Não." Elizabeth fez uma careta. "Tenho certeza de que iria se lembrar se você
tivesse me dito isso."

"Mr. Manton perguntou sobre o seu cartão se ele poderia chamar antes do jogo para
ter certeza de que eu estava bem após o incidente com a adega ... horrível osso sal. "

Elizabeth virou no banco de reservas para enfrentar o seu patrocinador. "E ele?
Certamente, Sir Henry não se atrevia a pôr o pé em cima de sua porta. "

"Não, não o fizeram. Não foi necessário. Voltei um cartão de deixá-los saber que nós
estaríamos aqui. Pena que Sir Henry chegou hoje também, mas eu suspeito que ele o
faria. "De sua reticule frisado ela retirou um pano dobrado e entregou a Elizabeth. "No
intervalo, você poderia por favor devolva o guardanapo de Sir Henry? Eu não posso
suportar ter nada a ver com aquele homem, e este tecido é um lembrete do jantar e
sua maneira untuoso ".

Embora Elizabeth não teve nenhum desejo de se envolver em todos os Sir Henry, ela
teve que admitir que Lady Upperton tinha sofrido o pior da última noite, e assim ela
concordou e definir o guardanapo no colo até o intervalo.

A orquestra no fosso abaixo começou a tocar, e Edmund Keane subiu ao palco, ao ser
cumprimentado pelo barulho ensurdecedor de aplausos entusiasmados.

Elizabeth virou a cabeça para a direita, para ver, assim como Lotharian previra, o
príncipe e seu primo, Whitevale, entrando na caixa à sua direita e tomando seus
lugares antes de Sir Henry e Manton sr.

Elizabeth se inclinou para frente para ver o passado de Lord Lotharian o príncipe. Só
então, Sumner sash, parecendo tão bonito totalmente no seu casaco azul escuro e
azul celeste que Elizabeth sentiu seu coração inchar, tocou seus lábios, fingindo que
tosse, e virou a mão em sua direção.

Twin blooms de calor subiu em seu rosto, e ela pôs os olhos discretamente para
baixo. Quando ela olhou para cima, o Sr. Manton estava olhando para ela. Ele deu um
sorriso quente, para que ela educadamente viravam a cabeça em confirmação, e
então voltou seu olhar para ela Sumner bonito mais uma vez.

Apenas um minuto mais tarde, a princesa Charlotte, Mercer, e várias mulheres mais
velhas, que Elizabeth teve de ser Charlotte tias, entrou na caixa à direita do príncipe.
Ela tomou seu assento em uma cadeira acolchoada, obviamente colocado ali para ela
usar, então se inclinou e sorriu para o príncipe, que lhe pagou absolutamente
nenhuma atenção.
Elizabeth ficou exultante. Seu gesto de tocar os lábios e jogar para ela não princesa
Charlotte-lhe contara tudo. Ele não queria sua expedição em favor da princesa. O
evento de teatro só tinha feito a sua reunião na Serpentine impossível esta noite.
Ficou claro por ignorar o seu atenções Charlotte na caixa ao lado dele que ele tinha
feito sua escolha.

Ele tinha escolhido.

Elizabeth coração estava dançando. Ela não podia esperar para falar com ele, lud,
mesmo acidentalmente escovar contra ele estaria esperando por toda a performance
no palco cansativa vale a pena.

O jogo pareceu durar uma eternidade, e que o público gostava bastante expressivo
dramatics Keane, Elizabeth esperou impacientemente para o intervalo.

Bateu guardanapo Sir Henry em seu colo e, em seguida, em seu tédio, sacudiu-o de
suas dobras e definir sobre refolding-lo novamente. Em um canto, ela sentiu um
pequeno nódulo sob seu dedo enluvado.

Elizabeth olhou para cima para ver se a princesa Charlotte olhou para ela. A princesa
tinha apoiado os dois braços no trilho e se transformou completamente a direção da
casa do príncipe, sorrindo sappily. Sua devoção a ele era gritante a todos.

Elizabeth dedo distraído preocupado com o caroço no guardanapo. Levantando os


olhos em direção ao palco, ela não se atreveu a fazer algo tão mal-educado como
para levantar o pano sobre os olhos para ver o que foi que ela estava sentindo,
especialmente se o dom da caixa de teatro, esta noite foi realmente fornecido como
uma oferta pedido de desculpas da Princesa Charlotte. Em vez disso, ela escorregou a
luva da mão dela e seguiu a costura levantou com seu dedo. Sentiu-se dois conjuntos
de linhas paralelas que se cruzaram.

E então ocorreu a ela. Foi duas letras H, um virou-se para atravessar o outro. Foi
insígnias Sir Henry Halford, ordenadamente bordado em branco no canto do
guardanapo. Isso fez sentido.

De repente, o teatro estava cheio de palmas e as cortinas fechadas. No passado, o


intervalo. E Lady Upperton tinha fornecido la com a desculpa perfeita para introduzir o
príncipe caixa retornando guardanapo bordado Sir Henry.

Sumner corpo zumbia de sua consciência de que Elizabeth estava tão próximo. Ele
tinha tomado uma chance de vazamento discretamente a mensagem de um beijo seu
caminho. Mas, para alguém ver, ele assumiu a sua acção teria realizado nenhum
significado.

Mas, enquanto a princesa Charlotte foi nas proximidades de Leopold, ele teve que se
abster de qualquer outro contato com Elizabeth.

Desde o momento em Charlotte chegou, patronos e os ministros do Parlamento tanto


giravam em seus lugares e se inclinando de suas casas para ver o príncipe e princesa.
Ele podia ver o entusiasmo em seus olhos, à espera de alguma dica que o jornal
relatórios e caricaturas inteligente dos dois reais amantes secretos eram todas
verdadeiras.

Sumner não estava disposto a dar-lhes algo para fofocar sobre. Não é Elizabeth
quando ainda não sabia a verdade sobre sua identidade. Da periferia de sua visão, ele
poderia ver Elizabeth vê-lo. Ele sabia também que ele não podia tanto como a
princesa dar uma olhada sem ferir Elizabeth.

Ele não podia dar ao luxo de adiar por muito mais tempo. Ele sabia que tinha de
confessar a sua identidade com ela em breve. Poderia ter sido hoje à noite se Leopold
não precisava do fantasiados perfeitamente falso príncipe para estar no lugar.

Leopold estava sentado ao lado dele, olhando melancolicamente ao longo do tempo a


princesa Charlotte. Ele jogou o pretendente apaixonado tão bem que não tinha
conhecido Sumner coração de seu primo não era verdadeiramente empenhados, ele
teria acreditado que o seu desempenho.

Então, aplausos inchou dentro do teatro, e Sumner rosa ao mesmo tempo,


imaginando como ele poderia escapar para ver Elizabeth, mesmo que por um
momento, sem chamar a atenção de toda a audiência.

E então ela apareceu na abertura de sua caixa, segurando um pano branco na mão.
Ela fez uma reverência a ele, olhando-se através de seus cílios espessos como ela
levantou-se, um sorriso secreto nos lábios. Mas então ela redirecionou sua atenção
para Sir Henry.

"Sir Henry." Ela ofereceu uma cortada reverência a ele, e depois para o seu
protegido, o Sr. Manton. "Lady Upperton desejava para mim voltar isso para você", ela
virou-se brevemente para o Sr. Manton ", e agradecer-lhe, caro senhor, por sua ajuda
e preocupação." Ela levantou o pano branco na mão, mas quando Sir Henry estendeu
a mão para que ela puxou-o para trás e olhou mais de perto dele.

"É ... é uma hachura." Seus olhos arredondados e ergueu a cabeça para olhar para Sir
Henry.

Sir Henry balançou a cabeça. "Não, é minha insígnia. Minha primeira, um H, e outro
sobreposto ao seu lado. Mas outros têm-me dito que minha marca se assemelha a um
axadrezado. Você não é o primeiro. "Estendeu a mão outra vez e levou o pano dela.

Sumner percebeu que Elizabeth estava tremendo um pouco. Sem um cuidado para
aqueles que estão assistindo, ele pegou seu braço.

Quando ela olhou, viu uma mistura perturbadora de raiva e medo nos olhos dela. "As
cruzadas", disse sob seu fôlego. "É o crosshatch dos frascos. É Washim Sir Henry ".

"O que é que você está dizendo, Miss Royle? Sir Henry olhou subitamente abalada
mesmo.

"Não permitam-me para acompanhá-lo de volta ao seu patrocinador, Miss Royle,"


Sumner disse baixinho para ela.

Ele conheceu Leopold julgar olhar como eles começaram a partir da caixa, mas ele
olhou para baixo. Ele não sabia o que tinha assustado Elizabeth-lo, mas ele não iria
abandoná-la quando ela precisava tão claramente o seu apoio.

Sem perder um instante, ele levou-a partir da caixa. Mas ao invés de retornar a ela
para Lady Upperton como tinha prometido, ele a puxou para baixo a passagem
exterior e por detrás de uma espessa cortina carmesim no final do corredor.

"Por que estás tão assustado? O que é que Sir Henry fez? "
Elizabeth tentou responder. Seus lábios se moviam, mas não palavras vieram da
boca.

Sumner esmagou seu corpo contra o dele e segurou-a firmemente, acariciando seus
cabelos de cobre até que seu corpo parou de tremer. Só então a sua libertação.

Quando ela levantou a cabeça a ponto para ele, seus olhos estavam brilhando com
lágrimas não derramadas.

"As cruzadas ... era a sua marca", ela murmurou. "Eu vi-o em dois frascos marcados
como 'láudano." Ele deu o láudano de Lady Jersey e da rainha. Ele sabia. Tenho
certeza que ele sabia o que pretendia fazer. Provavelmente ainda aconselhou-os em
forma de administrá-lo de Maria Fitzherbert ".

"Elizabeth, eu ouvi as histórias que cercam seu nascimento e que você e suas irmãs
podem ser filhas do Regente. Mas esta é a primeira vez que ouvi falar de um possível
envolvimento Sir Henry. Está certo isso? "

"Sim ... não. Como posso ter certeza de nada disso? Os frascos com as cruzadas
foram deixados para trás pelo meu pai como prova para ajudar a provar a nossa
linhagem. "Um calafrio deslizou sua espinha, fazendo todo o seu corpo tremer de
novo. "Mas nós nunca vamos prová-lo, nunca sabe de nada, exceto para alguns que o
láudano pertencia a Sir Henry, cirurgião real."

Sumner ternura resolvidos os dedos no queixo e virou a boca até a dele. Seus lábios
se moviam ao longo dela macia e suavemente, acalmando-a, acalmando-a.

"Sua linhagem não importa, Elizabeth." Correr seus polegares em seu rosto, ele
limpou as lágrimas dos seus olhos. "Princesa de sangue ou órfãs, não importa. Eu te
amo, ele sussurrou. "Eu queria te dizer ... que você saiba."

Sua respiração ofegante e ela olhou para ele como se não confiar em seus ouvidos
com o que ouviu.

"Eu te amo", repetiu ele, sua voz clara e ressonante.

Lágrimas correram nos olhos de Elizabeth novamente.

O som de aplausos Sumner retornou até o momento. "Agora, você tem que parar de
chorar, minha querida, pois temos que voltar para as caixas."

Elizabeth riu por entre as lágrimas. "Estou tão feliz. Eu pensei ... oh, não importa.
"Levantou-se na ponta dos pés e beijou-o. "Eu te amo, Sumner.

Ela puxou uma luva da mão dela e esfregou as lágrimas de seu rosto, em seguida,
virou-se para sair. Ela olhou para trás momentaneamente. "The Serpentine, amanhã
ao pôr do sol?"

"Ao pôr do sol. Eu estarei lá ". Sumner pegou pelo braço e puxou-a para um último
beijo antes de liberá-la aquecida através da cortina. Ele desenhou uma respiração
profunda antes que ele saiu de trás dela, tomando cuidado para endireitar a faixa que
atravessava o coração cheio.

De repente, algo bateu contra o peito, e então a dor searing esfaqueado por ele. Ele
caiu no chão, abriu os olhos e viu uma lâmina deitada ao lado dele.
Rolling à sua volta a escuridão, já está começando a obscurecer sua visão, ele viu a
silhueta de um homem abrir a cortina e ir embora.

"Elizabeth", ele gritou fracamente.

Elizabeth estava fora de sua casa, alisando seu cabelo e vestido antes de entrar,
quando ela pensava que Sumner ouviu chamá-la.

Ela entrou na sua caixa de e sentou-se no banco. Ainda assim, sentia-se


desconfortável. Inclinada, olhava para Sumner. Mas ele não veio.

Seu primo, lançou um olhar significativo para ela, para que ela balançou a cabeça.
Whitevale pulou da cadeira e correu na caixa.

Algo estava errado. Sumner tinha realmente chamado para fora dela?

Elizabeth se levantou, rasgou a partir de sua casa e correu pelo corredor. Quando ela
chegou ao final, Whitevale Sumner estava segurando em seus braços.

O sangue escorria as medalhas de brilhante preso ao casaco Sumner e já estava


saturando a faixa azul no peito.

"Get Sir Henry!" Whitevale gritou.

"Sir Henry? Mas "Elizabeth gaguejou.

"Ele precisa de um médico! Go ".

Ela virou, pegou a saia e correu até a passagem.

Mr. Manton estava fora da casa real. "O que é isso? Posso ajudar? "

"Sim, por favor. O final da passagem. O príncipe foi ferido. "Sem outra palavra,
Elizabeth entrou no caixa e pegou lapela Sir Henry. "Vem comigo agora", ordenou. Ela
puxou duro e ele ficou, mas não move um passo a mais.

"Miss Royle, você está fazendo um espetáculo de nós dois", protestou Sir Henry. Um
silêncio tomou conta da platéia, e até mesmo os atores no palco, não se movem como
eles assistiram a exibição na caixa.

"Vem comigo agora." Elizabeth tentou puxá-lo para a frente.

"Eu exijo saber por que razão", disse ele em voz alta, certamente em benefício
daqueles que os cercam.

"Porque alguém tentou matar o Príncipe Leopold", ela gritou de volta, não importando
quem ouviu ou o que pensavam dela. Seu príncipe precisava de ajuda.
Princesa Charlotte gritou da caixa de vizinhos, ea platéia urrou com o pânico como
palavra de ataque a disseminação através do teatro.

No último Sir Henry cedeu e veio com ela. Elizabeth correu-lhe pelo corredor escuro.
Quando chegaram os dois homens, Sir Henry se ajoelhou ao lado do príncipe.
Agarrando a mão antes de Sir Henry poderia tocar o príncipe, Elizabeth olhou-o morto
no olho. "Você vai fazer o que é certo, Sir Henry. Youwill salvá-lo. Você vai. "

Capítulo 15

Berkeley Square

Elizabeth Salão do ritmo com a força implacável, sacudindo a carta que ela realizou
no ar antes dela. "Tem sido dias e dias, Anne, e ainda, tudo que eu tenho é esta nota
de Whitevale me dizendo que o príncipe irá sobreviver. Nada mais ", ela disse, com
voz trêmula. Ela empurrou a carta para a irmã pequena, então se sentou em cima do
sofá.

Anne pegou a carta e levou-a aos olhos. Ela levantou-se e assumiu a estimulação
para Elizabeth. Quando ela terminou de ler, ela deixou cair a mão ao seu lado. "Ele diz
que o que poderia ter sido um impulso de matar a lâmina foi desviado pelas medalhas
no peito. A ferida é profunda, mas superficial. Sua vida não está mais em perigo. "Ela
franziu as sobrancelhas. "O que você quer dizer com isso é tudo que você tem? O
relatório é muito, muito bom. Ele estava muito feliz, Lizzy. "

Elizabeth assentiu silenciosamente, em seguida, cobriu os olhos com a mão


tremendo. Um soluço escapado lábios.

"Ele vai se recuperar, Lizzy. La, você deve estar no mais alto dos espíritos. "Anne
sentou-se no sofá ao lado dela. "Por que você sofrer assim?"

"Devido a isso." Estendeu o braço e puxou um jornal dobrado a partir da mesa de


chá. "Uma fonte de theTimes alega que os dois atentados contra a vida do príncipe
Leopold foram dirigidos por uma facção dentro do Parlamento que apoia a união entre
a princesa Charlotte e Guilherme de Orange." Ela olhou para Anne. "É tudo uma
vantagem sobre política e poder, não é?"

"Eu acho que é bastante óbvio que é no melhor interesse da Inglaterra para garantir
a união mais vantajosa para a princesa. O apoio à Silly Billy sempre foi forte, mesmo
que você deve estar ciente disso. O príncipe de Gales se é mesmo relatado para trás
um casamento entre a princesa Charlotte eo holandês. "Anne suspirou. "Estou com
medo Inglaterra não ganhar muito com um casamento entre a princesa Charlotte e
Príncipe Leopold, embora o príncipe estará para ganhar muito."

"Quer dizer, é seu dever fazer o casamento vantajoso para o bem de Saxe-Coburg."
Elizabeth fungou, não querendo que sua irmã para confirmar sua indicação.

"Eu não disse isso, mas também não posso negar." Anne abraçou a irmã dela. "Lizzy,
eu sinto muito sobre o que tem acontecido enquanto estávamos fora. Voltamos de
Brighton o momento que eu vi o seu nome impresso no jornal. Você pode imaginar
como eu estava com medo de que algo tinha acontecido com você também, mas que
não foi relatado por causa do alto nível dos outros envolvidos. "

"Eu sei que você, Anne. E eu lamento que você sentiu a necessidade de retorno de
sua lua de mel por causa de mim. Você me pediu para não perseguir o príncipe. "As
bordas dos lábios de Elizabeth virou para baixo. "Eu deveria ter escutado o espírito de
sua advertência, ao invés do imperativo ouvi, em suas palavras. E agora, veja o que
aconteceu com o príncipe. Tudo por causa de mim. "

Anne Elizabeth tomou ombros e virou-los de modo que ela enfrentou seu. "O que
aconteceu com o príncipe não foi culpa sua."
Elizabeth começou a chorar mais. "Sim, foi. Ele não teria sido sozinho na escuridão,
se não fosse para mim. "

"O que está em cerca de tagarelas, Lizzy?" Anne apertou os ombros como se quisesse
forçar uma resposta. "Eu não entendo o que você quer dizer."

"Eu tinha estado com ele só por um momento antes de ela acontecer. Ele foi me
acalmando para baixo, me beijando e me dizendo que me amava. "Ela enterrou os
olhos sobre o ombro de Anne. "É tudo minha culpa."

"Lizzy". Anne Elizabeth mudou-se para longe e foco um olhar preocupado sobre ela.
"Eu acho que você deve dizer-me sobre o que aconteceu quando eu tinha ido embora.
Tudo ".

E assim para as próximas duas horas, enquanto a tia-avó Prudência dormiu


profundamente em sua cadeira, Elizabeth confessou tudo, desde Almack, para
Cranbourne Lodge ea trilha do rio, a festa Sir Henry jantar macabro, a insígnia de
hachura, e Drury Lane Theatre . Ela não deixou nada para fora, mas como ela
recontou os acontecimentos dos últimos dias ultrajante e testemunhou manifestações
cada vez mais chocado Anne, ela desejava que ela tinha omitido uma ou duas coisas.

Quando ela terminou, Elizabeth sentiu completamente descarregada no corpo e no


espírito.

Anne soprava um longo suspiro por entre os lábios franzidos. "Eu, eu mal sabia o que
dizer, Lizzy."

"Apenas me diga o que fazer. Por favor, "Elizabeth implorou ela.

"Isso, eu não posso fazer. Do que você me diga, ele te ama, mas que ele mesmo
afirma que seu direito deve vir em primeiro lugar. "Anne apertou a mão de Isabel e
ficou. "A lógica diz-me que ele deve se casar com a princesa se ela consente pai para
a partida. É para o bem maior. "

"Mas o que seu coração lhe diz?"

Anne deu um sorriso triste. "Isso, por vezes, seus sonhos se tornam realidade ... e
que esse sonho merece um pouco mais de tempo. Espere por ele, Lizzy. Fale com ele.
Você saberá o que fazer quando a hora de agir vem. "

Minutos depois, Elizabeth assistiu pela janela enquanto sua irmã saiu para o
pavimento e entrou no carro da cidade reluzente que a aguardava.

Aguarde, Anne disse. Se fosse assim tão fácil.

Três dias depois, Elizabeth decidiu que já esperou tempo suficiente. Sua paciência foi
gasto. Afinal, uma quinzena cheia tinha passado e, certamente, o príncipe poderia
receber um visitante até agora.

Vestiu-se em um vestido de cambraia branca andando aparado na bainha com


babados agudos do trabalho francesa que swished bem quando ela entrou. Na
cabeça, ela colocou um gorro de cetim branco, coberto com plumas brancas, que
amarraram bonita com uma fita azul celeste.
Não foi por acaso que escolheu o vestido que ela deu a menor impressão de
inocência noivas, mas para cortar o efeito, ela drapejado em torno de seus ombros um
manto de seda azul sarja com lírios do vale do bordado em cada extremidade com
sedas sombreadas.

A sorte parecia estar do lado dela nesse dia, de Hackney caiu não um passageiro três
portas da casa da sua tia-avó e ela foi capaz de assegurar o serviço de motorista sem
nunca arriscar uma partícula de poeira em seu conjunto esplêndida.

Quando o Hackney chegou Curzon Street, ela pediu ao motorista para esperar, no
caso o príncipe não pôde recebê-la, mas quando ela perguntou sobre a condição do
príncipe na porta da frente, o mordomo de Sir Henry levou diretamente para a sala de
espera.

Somente, não era o príncipe, que cumprimentou-a. A sombra ameaçadora caiu


Elizabeth, dando-lhe um novo sentido de mau agouro. Era ninguém menos que Sir
Henry si mesmo.

"Estou tão contente que vim chamar, Miss Royle", disse ele, movendo-se rapidamente
por todo o salão em direção a ela.

Elizabeth sentou-se em linha reta, percebendo tarde demais não houve recuo para
ela. Ele ficou diretamente sobre ela, muito perto para ela ficar. "Sir Henry. Eu vim para
saber sobre a saúde do príncipe. Ele está bem? "

"Quando eu vi pela última vez, há uma semana, ele estava fazendo muito bem. Não
houve infecção, eo ferimento foi vinculativo bem. "

Elizabeth hesitou até ao baronete. "Desculpe-me, mas você disse ... uma semana?"

"Eu fiz". Sir Henry condescendeu dar um passo atrás dela no passado, mas a
mudança de posição não foi para melhor, porque ele tomou o seu lugar ao lado dela
no sofá. "Ele e Whitevale foram instalados em Carlton House recentemente. Você não
sabia? "

"Obviamente, senhor, eu não, senão eu não teria incomodado." Elizabeth olhou ao


redor Sir Henry, traçando a sua fuga.

"Estou feliz que você fez, Miss Royle, pois eu gostaria de falar mais com você ... sobre
o seu pai e alguns contos inacreditáveis que ouvi nos últimos tempos."

estômago Elizabeth cerrados. Ela teve que extrair as informações que ela poderia
partir do baronete, e depois ir embora o mais rapidamente possível. "Você disse que o
príncipe e Whitevale foram instalados em Carlton House ... a convite do Príncipe de
Gales, eu presumo?"

"Oh, minha querida Miss Royle. Então você realmente não ouvi. "Sorriu cockily. "Após
o atentado contra o príncipe, a princesa Charlotte imediatamente acusou o primeiro-
ministro com um ultimato ao ser comunicada ao seu pai."

"Um ultimato para o Príncipe Regente?" Elizabeth não queria ouvir mais nada, mas
ela tinha que ficar, no caso de o relatório não foi tão condenável quanto ao seu
destino, ela antecipou.

"Oh, sim. Ela foi muito encorajado pela ameaça à vida de Leopold. Como tenho a
certeza, mesmo, entender muito bem. "

Elizabeth lutou contra um clarão daggered. "Por favor, Sir Henry. Conte-me sobre o
ultimato ".

"Muito bem, querida. Lord Liverpool foi para aconselhar Prinny que o atentado contra
a vida do príncipe Leopold se acreditava ser feitas pelos apoiantes de uma união entre
ela e William de Orange-causar um regente-se abertamente apoiado. Portanto, tendo
em consideração a segurança do príncipe Leopold, a princesa exigiu que o primeiro-
ministro aconselha a seu pai que ela selecionou Príncipe Leopold como seu marido. Se
o Príncipe Regente indeferiu o seu nome, ela não iria considerar uma outra, e
continuarão a ser para todos os seus anos de uma solteirona ".

Elizabeth engoliu em seco. "E como o Regent responder a este ... ultimato?

"Ninguém sabe ao certo, claro. Embora o Prince of Wales teve de comando que o
príncipe se mudou para o Carlton House até a volta de Prince Leopold de Paris. "Em
um gesto muito corajoso e mal-educado, ele deu um tapinha no joelho de Elizabeth,
ignorando completamente o seu grito de desaprovação. "Agora, talvez ele fez isso
para garantir a segurança do príncipe. Talvez o Regent simplesmente queria ficar
mais familiarizado com o nobre que pode um dia se casar com sua filha. De qualquer
maneira, o príncipe tem o interesse do Regent's agora, não é mesmo? Eu acredito que
um casamento entre a princesa Charlotte e Príncipe Leopold é inevitável. Você não
concorda, Miss Royle? "

Elizabeth pulou do sofá, ou seja, para encerrar a presença de Sir Henry


imediatamente, mas ele estava muito rápido e pegou seu pulso.

Ela puxou contra ele. "Não me libertar, Sir Henry."

"Eu não sonho com você saindo tão cedo, minha querida Miss Royle, e não quando
temos muito mais para discutir."

"Não tenho nada para discutir withyou." Elizabeth torceu-lhe o pulso, mas não
conseguiu libertar-se.

"É aí que discordamos, havemuch falar ... começando com sua menção de garrafas
de láudano seu pai e sua crença de que eu tinha alguma ligação com eles."

"Deixá-la ir, senhor." Mr. Manton estava na porta. "A senhora gostaria de deixar."

"Manton. Eu não esperava de volta tão cedo ". Sir Henry lançado braço de Isabel e ela
descartou em direção à porta, onde o Sr. Manton estava.

Mr. Manton punho levantado Elizabeth e olhou para baixo para ela. "Você está ferido
em tudo, Miss Royle?"

Ela balançou a cabeça vigorosamente. "Não, não. Eu só ... deve sair agora. "

"Por favor, permitam-me a acompanhá-lo em casa", disse ele galantemente.

Elizabeth deu um olhar caçados por cima do ombro no Sir Henry antes de responder
ao Sr. Manton. "Eu agradeço muito, Sr. Manton, mas eu tenho um driver hackney
aguardando meu retorno. Bom dia, Sr. Manton. "Ela sorriu para o jovem como ela fez
uma mesura, em seguida, retirou-lhe a mão de seu aperto suave. Virando-se
rapidamente, ela precipitou no hall de entrada e fugiu pela porta da frente, ignorando
totalmente Sir Henry.

Capítulo 16

Quando chegou à rua, drat tudo isso, a Hackney estava longe de ser visto. Elizabeth
não tinha realmente esperava que seria, mas o comentário tinha lhe permitiu libertar-
se do Sr. Manton.

Ela olhou para a porta e correu para baixo da trilha antes de seu galante Mr. Manton
poderia vir em seu socorro, uma vez mais, pois nesse momento ela não podia
suportar ter seus olhos compassivos em cima dela. Nem ela podia voltar para casa,
pelo mesmo motivo. Ela simplesmente dissolve-se em lágrimas.

O Príncipe de Gales certamente daria uma união entre a princesa Charlotte e Príncipe
Leopold sua benção agora.

As lágrimas já rolaram, não derramadas, nos olhos dela. Anne entenderia. Como ela
desejava que ela poderia ir com ela. Mas a casa de sua irmã em Cockspur Street foi
apenas um passo de Warwick House, onde a princesa Charlotte foi agora apresentado
e Carlton House também, quando o príncipe tinha sido instalado.

Se ela fosse a Ana, ela não poderia suportar, mesmo por um momento, sabendo que
o homem que amava, mas estava a poucos passos de distância, possivelmente sendo
entrevistado pelo Príncipe Regente em consideração de se casar com a princesa.

Ela simplesmente não podia suportá-lo.

E assim andou e andou, lojas passado e praças, gramados verdes, até que ela se
encontrava às portas do Hyde Park e da Serpentine além.

Enxertadas em lágrimas de seus olhos e percebeu que seu coração perturbado


levaram a ela. Para o lugar onde ela e Sumner foram para atender a noite do evento
fatídico que arranharia sua vida para sempre.

Lentamente, ela caminhou até a ponte e ficou no trilho em seu centro, olhando para
as profundezas do Serpentine.

Elizabeth pensou sobre sua tia-avó de uma jovem de sua idade exatamente, quando
havia roubado seu dever de marido. Prudence tinha avisado a ela. Dissera-lhe que, no
final, o imposto seria sempre vêm em primeiro lugar para um homem.

Ela deve ter ouvido a sua tia-avó, ela disse a si mesma, e poupou-se a angústia de
perder o homem que amava.

Ela deve ter ouvido a Anne, que não podia negar que Leopold que um dia se casar
com a princesa Charlotte de dever de Saxe-Coburg.

Ela deve ter ouvido a Mercer, que lhe disse, em nenhuma palavra incerta, que
Charlotte tinha definido o seu boné no Príncipe Leopold e quis casar com ele.

Ela deve ter ouvido a princesa Charlotte ela, quando ela voltou vitorioso depois de
garantir o apoio do Parlamento para uma união entre ela e Príncipe Leopold.

Mas ela não fez.

Em vez disso, ela ouviu seus sonhos. Ela ouviu seu próprio coração.
E onde havia começado a ela? Estando sozinho, olhando para os redemoinhos de
boas-vindas a Serpentine abaixo.

Elizabeth pensou em voltar a manhã não muitos dias atrás, quando ela caiu da pista
para o rio Tamisa. Lembrou-se da água fria correndo sobre seu rosto e como a luz
brilhante na superfície da água esmaecido como se afundou mais e mais nas
profundezas do rio.

Só agora, se ela caiu, Sumner não estaria ali para puxá-la das profundezas.

A pesada lágrima escorreu pelo rosto e pingava de sua mandíbula para as ondas de
água abaixo da ponte. Ele chamou a luz, como ele caiu, e no mais breve instante em
que brilhava como um diamante, antes de ser engolido pela escuridão da Serpentine.

Aguarde, Elizabeth. Anne sábio conselho de repente encheu sua mente.

"Espere." Ela ouviu isso claramente agora.

"Espere." As palavras vinham de seus próprios lábios. "Ele vai voltar. Confia nele. "

Elizabeth afastou-se do gradeamento e esfregou as lágrimas de suas bochechas. Ele


tinha dito a ela que a amava e que ele voltasse para ela.

E ela acreditou nele. Apesar da lógica. Apesar do que os outros lhe disse. Apesar do
Parlamento Europeu e do príncipe de Gales.

Ela acreditava em Sumner e que ele havia prometido. Ela o fez.

Elizabeth pegou o seu pé saia na sua mão e correu a partir da ponte.

Ele voltaria para ela.

E quando o fez, ela estaria esperando.

Dois dias depois


Carlton House

"Você está bem o suficiente para assistir à festa, Sumner?" Leopold perguntou como o
criado que lhe são atribuídos escovado para baixo a parte de trás do seu casaco.

"Eu tenho apto para dia, e ainda os guardas não me permite deixar os motivos ou
mesmo enviar uma mensagem para ... ninguém." Sumner permitiu o valet botão para
o seu remate colete de cetim azul com fios de ouro, e até mesmo a aceitar a ajuda
com seu casaco, como um príncipe permitiria. Mas quando o criado começou a pino
fileira após a fileira de medalhas brilhante sobre o peito do casaco azul escuro, ele
encolheu-se na dor, pegou a bandeja de prata de medalhas da cômoda e reserve.

"A irritação do ácaro este dia primo?" Leopold olhou para o revestimento mais
elegante, e sorriu aprovando a sua própria reflexão e elegante. "Você não precisa ser.
Eu consegui enviar uma missiva a Mercer, pedindo-lhe para garantir que a senhorita
Royle freqüenta a festa neste dia, que ela deveria fazer o que for necessário para
levá-la dentro do jardim da casa de Carlton. "

Sob o casaco, ombros Sumner apertado, desconfortável. "Eu não queria que ela hoje
aqui."
"Mas apenas um momento atrás, você estava desgastando sobre não ser capaz de
enviar uma mensagem para ela." Leopold sentou-se num banco de tufos e permitiu
que o guarda-roupa para pentear o cabelo da moda em torno de seu rosto. "Enviei
para o Miss Royle, porque eu pensei que você quer.

"Eu não queria ela em Carlton House, porque se não houver outro ataque, não quero
arriscar o seu bem-estar."

"E você não deseja que ela vê-lo dançar com a princesa Charlotte," Leopold
acrescentou.

"E não é isso."

"Você não disse a ela" Leopold olhou para os criados numerosos, lacaios, e
assistentes na câmara e não terminar a frase.

"Não, eu não tenho. Eu tinha a intenção de explicar tudo para ela a noite que os
planos mudaram e nós atendemos o desempenho no Drury Lane Theatre. "Sumner
encolheu os ombros contra o tecido de casimira. O revestimento tiro era muito
apertado. Ele mal podia respirar. "Mas hoje a festa é o momento nem o lugar."

Primo, você não pode simplesmente ignorar Miss Royle. Ela estará no
comparecimento. "Leopold descansou sua mão sobre o ombro de Sumner.

"Eu devo." Quando o guarda-roupa veio em Sumner com um pente, o príncipe se


afastou. Sumner caiu em uma cadeira e begrudgingly lhe permitiu coif seu cabelo no
modo elegante Leopold. "Devo, para sua segurança."

"É provável que, desde o Príncipe de Gales está hospedando esta festa, e irá permitir-
me como a dança com a princesa Charlotte, que o William de Orange vai ver adeptos
a sua causa como derrotado. Porque eu acredito que tenha sido. O Príncipe Regente
dará o seu consentimento no tempo. Tenho a certeza disso. "

"Posso estar a salvo dos ataques, em outras palavras."

"Sim".

"Mas então, você pode estar errado. Se você estivesse morto, Leopold, um
casamento entre William e Charlotte ainda seria possível. "

"Embora agora ela entende que Prinny ultimato, eu não acho que eu estou errada em
minha previsão." Leopold
andou um círculo ao redor de Sumner, analisando suas roupas. "Um sapatinho azul
escuro", disse ele ao valet ", não o preto. É dia. O que os ingleses sabem de se vestir
bem? Pergunto-lhe isso. "

Sumner um vislumbre do elenco brilho do valet na verdade o Príncipe Leopold, e era


tudo o que podia fazer para não rir.

Carlton House
O jardim

Aos três do relógio, e Lady Elizabeth Upperton foram levadas para o luxuriante jardim
de um momento escasso antes do Príncipe Regente e da família real chegou.
Rolos de carne eram claramente visíveis Prinny sob as roupas, e ele era uma visão
surpreendente sem a ajuda de estadias. Ainda assim, ele emprestou-lhe o braço à
rainha e conduziu o resto da família real, incluindo a princesa Charlotte, no jardim.

Como Elizabeth seguiu os progressos da rainha por todo o gramado, a mulher que
pode ter tido ela e suas irmãs deixado para morrer após o nascimento, ela avistou
Lady Upperton olhando tristemente para ela.

"Eu sei que este dia é difícil para você, meu querido, mas não faça mais difícil de
habitação sobre o passado distante e que pode ou não pode ter ocorrido." Lady
Upperton estendeu a mão e apertou a mão de Elizabeth.

"Até a rainha chegou, eu teria dito que estava ansioso para este dia a partir do
momento que eu recebi o convite para participar." Elizabeth sacudiu a imagem escura
da rainha e Lady Jersey de sua mente. "Para que eu vou ver Sumner, Fate e vai ver o
resto."

Lady Upperton suspirou decepcionada, mas não prima Elizabeth para definir o seu
sonho de lado. "É lindo aqui, você deve concordar."

"Na verdade, eu faço." Elizabeth atraiu uma respiração refrescante e imediatamente


sentiu seu espírito de elevação. O Carlton House jardim era tão bonito como era
extensa. Enormes árvores e vegetação brilhante foram acionados por conjuntos de
brilhantes flores coloridas.

Senhoras estavam em traje completo, com penas, diamantes, e vestidos, exatamente


como se estivessem a assistir a uma sala de estar. Os cavalheiros vestiam casacos
equipados formal e calções brancos e fivelas. Foi um espetáculo para se contemplar.

Tendas foram erguidas aqui e ali, e abaixo deles, mesas de comida suntuosas e
bebida pode ser encontrada. Em uma extremidade do jardim uma orquestra foi
montada, e tinha apenas começado a dançar no gramado.

Elizabeth levantou-se sobre os dedos dos pés para procurar Sumner, mas Lady
Upperton agarrou seu braço e puxou-a para trás para baixo em seus chinelos.

"Ele está aqui, em algum lugar," Elizabeth murmurou para si mesma. "Certamente,
ele teria chegado antes da família real."

Lady Upperton ergueu lorgnette aos olhos. "Há. Ele está diante da orquestra. "Ela fez
um gesto com um toque de sua ocular com cabo em marfim.

Em um instante Elizabeth avistou Sumner, e sua respiração entrou em colapso em


seus pulmões. Em seu braço estava a princesa Charlotte, a cabeça ereta e orgulhosa
como ele a levou para o centro do terreno de dança.

Elizabeth testada a sua vontade, tentando desviar o olhar, mas ela não pode remover
os olhos do casal real enquanto dançavam uma dança animada Scotch.

Ela olhou, o seu sentimento de coração como se fosse quebrar como Sumner
Charlotte dotado com o mesmo joelho enfraquecendo-o olhar como ele tinha dado a
ela, o que ele dizia amar, no Drury Lane Theatre.

"Ele é um convidado na casa de seu pai. Estou certo de que é por isso que eles estão
dançando, "Lady Upperton oferecidos.
Elizabeth ficou em silêncio observando o príncipe ea princesa de dança. Que estavam
no perímetro do campo de dança foram cativados pela visão dos dois membros da
realeza bonito dança graciosa em um jardim celestial.

Era uma visão em linha reta fora de um conto de fadas.

Para Elizabeth, foi um pesadelo horrível.

Seus olhos começaram a aquecer, e antes que uma única lágrima pode ser
derramado, ela se atrapalhou dentro dela retícula para um lenço. Mas antes que
pudesse retirá-lo, Senhor Whitevale, prima golpear o príncipe, pegou sua mão e sem
pedir a permissão de qualquer maneira levou ao chão a dançar.

"Hoje não é um de preocupação e desgaste, Miss Royle", Whitevale disse ela. "É um
dia para fazer feliz." Girou em torno dela, sorrindo para ela o tempo todo.

Cantarolava a música dentro de Elizabeth, mas a tentativa como pôde, ela não
poderia incidir sobre a dança. Não com Sumner tão perto e ao mesmo tempo tão
longe.

Embora ela não pode remover o olhar dele, Sumner não olhar sequer uma vez
durante seu caminho na dança, mesmo quando eles foram chamados tochassé em
torno de um outro.

Sua garganta ficou grosso e cada respiração tornou-se tanto uma tarefa como
remanescente no solo dance um pouco mais.

À medida que a orquestra tocou a nota final, e os bailarinos eo público aplaudiu sua
aprovação, Elizabeth procurou a multidão para Lady Upperton. Ela tinha que encontrá-
la para que eles devem deixar de uma vez. Isso era muito difícil de suportar.

Por que Mercer foi tão insistente que ela veio, quando ela tinha que ter sabido que
isso aconteceria?

Talvez fosse essa a razão pela qual ela tinha sido convidada. Assim, ela pôde ver por
si mesma, compreender a escolha que o príncipe Leopold tinha feito para o bem de
Saxe-Coburg.

Elizabeth ergueu o sorriso mais autêntica, ela conseguiu reunir e agradeceu a Deus
Whitevale para a dança. Depois de largar uma reverência, ela virou-se para deixar o
chão dançando, mas Whitevale pegou de sua cintura e girou em torno dela
diretamente para o príncipe.

Sua cabeça ergueu e seus olhares reuniram-se para um momento muito significativo.
Sua mão estendeu a mão e firmou-la. No momento em que seus dedos tocaram-lhe o
braço, uma dor surda formada em sua barriga e calor começaram a associação entre
as pernas.

Tudo sobre este momento tão wrong.Wrong.

Tinha, sem dúvida, fez a sua escolha. A única que ele jamais poderia ter feito. O que
ela estava sentindo, com não mais do que um toque de provocação inocente, era
nada menos do pecado.

Seus dedos sentiram quente em seu braço, e ela sabia que se ela não sair de uma
vez, ela pôde fazer algo erupção, algo para convencê-lo a escapar por um curto tempo
para saciar seu desejo por ele.

Seus lábios queimados para todos, mas o seu beijo. Seus braços desejava abraçá-lo.

Prince Charlotte, o rosto todo brilhando, que circulem entre o príncipe e sua prima,
Elizabeth e enfeitado com um sorriso. "Estou tão feliz que você poderia assistir à
festa, Miss Royle. Eu considero esta celebração um segredo, você vê, para o meu pai
consentiu a considerar um casamento entre mim eo Leo com a devida seriedade ".

Elizabeth forçou um sorriso, mas ela não podia mantê-lo e se secou em seus lábios.

"Minha avó admite, no entanto, que o meu pai vai dar a sua benção em breve. Ele
requer apenas tempo suficiente para ter a impressão de que a idéia foi dele. "Princesa
Charlotte começou a rir. "Eu não me importo um pouco, contanto que ele dê o seu
consentimento antes que eu sou demasiado idoso para desfrutar de estar casada com
um homem tão bonito."

Senhor Whitevale, provavelmente sentindo tão inábil quanto Elizabeth fez no curso
da conversa íntima tinha tomado, branqueados. A orquestra tocou uma corda
novamente, e casais corriam até o chão dançando.

Senhor Whitevale curvou-se para a princesa. "Você acha que é admissível que a
dança, Sua Alteza Real?"

Princesa Charlotte, nunca sendo um monitor de um protocolo rigoroso, riu bastante


alto. "O que um homem querido, você é. Venha, vamos dançar. Que argumento
poderia, eventualmente, ter o meu pai contra a minha withyou dança? "

Elizabeth não sabia o que fazer. Ela certamente não confiar em si mesma. Seu
príncipe estava aqui, em frente dela. Ela era obrigada a dizer ou fazer qualquer coisa
para segurá-lo com ela.

"Elizabeth", disse ele, em um tom tão baixo orelhas mal registrado o som. "Não é
algo que eu devo dizer-lhe. Mas eu não posso fazê-lo aqui. Não é agora. "

"Eu não sei o que você poderia me dizer que não tenha já sido dito pela Princesa de
Gales." Suas palavras soaram palheta fina e tão frágil.

"Eu tenho muito a dizer. Muito a confessar. "

Elizabeth passou inquieto de um pé para o outro chinelo. Ela não ligava muito para o
confessar "prazo". Implicava infração intencional.

Ela virou seu olhar para cima e olhou em seus olhos cinzentos. Na luz do sol, o anel
azul em torno deles era tão brilhante e vibrante como o céu cerúleo acima do jardim.
Ela poderia negar-lhe nada. "Quando então vamos falar?"

"Dentro de dois dias." Parecia muito sério. "Ao pôr do sol. Você sabe onde ".

"Será que você realmente vir?" Elizabeth não tinha a intenção de dizer as palavras
em voz alta. Eles tinham simplesmente escorregou dos lábios espontaneamente.

Sumner apareceu ferido por esse comentário. "Eu irei." Ele baixou o tom de sua voz e
inclinou-se tão somente ela poderia ouvi-lo. "Eu juro que no meu amor por você".

Seu coração bateu duas vezes o tempo, e ela sentiu a súbita vontade de virar o rosto
para ele, desejando que ele iria beijá-la. Para fazer o seu saber, verdadeiramente
sabem, que em seu juramento de amor, que seja assim. Não importa as
circunstâncias.

Um grupo de senhoras curiosas sauntered perto, e era evidente que eles estavam
tentando ouvir o que o príncipe tinha a dizer a falta escandalosa de Cornwall. "Em dois
dias", ela repetia baixinho, não sabendo mais o que dizer.

"Foi maravilhoso vê-lo novamente, Miss Royle. E eu agradeço a sua atenção imediata
no teatro. "Era evidente que ele sentia a presença do bando de fofoqueiros atrás dele,
mas seus movimentos não deu nenhuma dica de que ele estava ciente delas. Ele
olhou fixamente, apaixonadamente, nos olhos de Elizabeth, e durante todo o tempo
fez conversa adequada. "Eu não poderia ter sobrevivido se tivesse não agiu de forma
rápida e segura um médico para cuidar da minha ferida. Você deve ser elogiada,
minha senhora. "

Elizabeth baixou a cabeça discretamente e deixou cair uma reverência baixo.

Sumner inclinou para ela, depois olhou por cima do ombro para onde Charlotte e seu
primo dançaram no gramado.

"Bom dia, Miss Royle. Por favor, envie Lady Upperton deseja o meu bem ", disse ele.

"Eu vou, Sua Alteza Real". Sumner.

Quando ele se virou, ele tocou seus lábios e lança um beijo secreto para ela mais
uma vez.

Elizabeth não sabia o que estava sentindo naquele momento. Seus olhos disse-lhe
que nada tinha mudado. Que a amava como ela lhe fez. Mas sua menção de que
necessitam para confessar algo petrificado ela.

Naquele momento, ela percebeu que estava olhando cegamente através multidão.
Centrando a sua atenção, e tentar o melhor que podia para escrever suas emoções,
Elizabeth olhou em volta até que viu Lady Upperton pé nas pontas dos pés para ver o
que delícias podem ser encontradas em direção à volta de uma mesa fartamente
abastecido.

Elizabeth traçado um caminho através da multidão ondulando para satisfazer seu


patrocinador. Cada passo era um esforço, pois foi afastando do seu príncipe, mas não
seria para sempre, ela disse a si mesma.

Ela ficaria com ele novamente.

Dentro de dois dias.

Capítulo 17

Berkeley Square

A porta da frente se abriu com tanta força que quase quebrou a partir de suas
dobradiças. "Elizabeth, onde está você?" Anne gritou para o corredor.

Elizabeth pulou da mesa na cozinha, onde ela estava sentada, revendo lista Sra.
Polkshank para o açougueiro. Ela batido sua cabeça ao redor e olhou para a escadaria
pela porta da cozinha. "Anne", ela ligou de volta. "Há algo de errado?"
Tudo ao mesmo tempo que soava como uma manada de bois estava sendo
conduzido para baixo os passos da escada e na cozinha. Ela ficou muito aliviado
quando viu que era apenas Anne.

"Lizzy, você leu o jornal hoje?" Anne estava ofegante, empurrando uma cópia do
theTimes em sua direção. Elizabeth não tinha sabido melhor, ela teria pensado que
sua irmã tinha corrido todo o caminho de Cockspur Street em Berkeley Square em
mão para ela.

"Eu não tive um momento livre durante toda a manhã." Elizabeth pegou o jornal de
Anne, em seguida, deu a Sra. Polkshank um olhar confuso.

Cook deu de ombros, parecendo tão clueless como a razão para a visita surpresa de
Ana como ela.

Elizabeth sentou-se à mesa e desdobrou o jornal.

Anne agarrou de suas mãos, bateu-o para a mesa, e correu o dedo indicador para
baixo na página da frente. "Há. Leia isto. "

Elizabeth pegou o jornal e levantou o artigo aos seus olhos. Mais uma vez Anne
agarrou theTimes de suas mãos.

"Oh, eu não posso esperar para que você leia o artigo theentire." Ela atraiu uma
respiração profunda, em seguida, sacudiu as mãos como se secá-los no ar. "Ele está
saindo para Paris hoje!"

"Quem é, miss?" Mrs. Polkshank perguntou.


Anne virou a cabeça dela em Cook, em seguida, voltar a Elizabeth. "Príncipe Leopold.
Hoje. Você está me ouvindo? Ele está saindo para Paris hoje. "

Elizabeth estava desnorteado. "Não, isso não pode ser. Eu só falei com ele ontem. "

Anne enfiou o dedo no jornal. "É como diz muito bem ali. Leia-o. "

Elizabeth baixou a cabeça e olhou para o artigo, mas Anne bateu a palma da mão
sobre ele.

"Não, não li", a irmã gritou de frustração. "Você não tem tempo!"

"Tenho certeza que tenho tempo. Príncipe Leopold não vai a lugar nenhum. Estamos
a reunir amanhã à noite no "Elizabeth pegou ela. "Em ... de ... bem, eu não sou a
liberdade de dizer. Precauções de segurança, você sabe. "

"Lizzy, o príncipe está deixando Carlton House hoje à tarde." Anne esperou por uma
resposta, mas continuou quando Elizabeth simplesmente sentou e ouviu. "A toupeira,
dentro de quadra, tem autoridade para dizer que o príncipe de Gales pediu Príncipe
Leopold para conversar com sua família Coburg sobre a conveniência de um
casamento entre as duas famílias. Uma vez que ele recebeu a confirmação de que a
família Coburg suporta tal união, ele vai dar o seu consentimento, se sua filha ainda
está solteiro naquela época. "

Elizabeth plissados sua testa. "E assim ..."

"Então, o príncipe está retornando a Paris, para retomar as suas funções militares,
enquanto o envio de remessas urgentes para o seu irmão e sua família. Ou, então
afirma essa fonte. "Anne balançou freneticamente as mãos novamente.

Não. Ele não era verdade. Ela tinha visto o olhar nos olhos de Sumner. Ele a amava e
que seria na Serpentine amanhã ao pôr do sol. Ela estava tão certa como foi que o sol
iria nascer na manhã seguinte.

"Venha comigo. Se sair agora, você pode ser capaz de falar com ele. "Anne Elizabeth
pegou o pulso e puxou-a.

"Por que você não vá, Miss Elizabeth," Mrs. Polkshank disse. "Prove que o mouse em
Carlton House errado". Cook cruzou os braços sobre o peito amplo e deu-lhe um
aceno de cabeça firme.

"Foi uma toupeira", Anne agarrou. "Não é um rato."

"Eu não me importo que tipo de vermes que é", respondeu Mrs. Polkshank esperta.
"Eu aprendi há muito tempo que você não pode confiar em um rato, não importa o
que ele chama a si mesmo."

Elizabeth empurrado para cima da mesa. "Eu concordo com o cozinheiro, e vou
acompanhá-lo pela razão, ela sugeriu. Nenhum outro. Pois eu não acredito por um
instante em que o príncipe é deixar a Inglaterra hoje. "

Carlton House

Anne mandou seu motorista carro para entregá-los para baixo na extremidade da
porta de entrada para Carlton House, em seguida, retornar à sua casa em Cockspur
Street esperar.

"Dessa forma, se o príncipe Leopold espiões nós, a partir de uma janela acima ... ou
possivelmente de um carro ..." Anne fez uma pausa enquanto pisou para a rua. "...
Podemos afirmar que estavam retornando de compras na Pall Mall e andando para a
minha casa."

"Você não é o inteligente? Você pensou em tudo. "Elizabeth suspirou como o lacaio
entregou-lhe para baixo a partir da cidade de carro para participar de sua irmã.

"Não há nenhuma necessidade de estar com raiva de mim. Eu não a pena do artigo
em theTimes! "Espinha Anne pareceu endurecer de tal forma que Elizabeth queria
saber como ela conseguiu caminhar.

"Eu não estou bravo com você, querido, estou furiosa comigo mesma por ter vindo
para Carlton House ao meio-dia." Elizabeth olhou para as janelas altas, logo abaixo do
telhado. Certa vez, ela tinha olhei para essas janelas mesmo saber se o príncipe de
Gales, seu pai natural em todas as possibilidade, estava olhando para ela no mesmo
instante. Agora, ela se perguntava se o seu príncipe, seu futuro marido, estava
olhando através de uma dessas muitas janelas. Como algumas semanas fez a
diferença.

Ela suspirou. Ela não devia ter vindo.

Foi apenas um desperdício de tempo.

A transgressão contra a confiança.


Na distância, um relógio soou a hora do almoço. Sem querer, Elizabeth prendeu a
respiração e esperou que a torre do sino de greve doze vezes.

Oito ... nove ... dez, e ainda sem carro atravessou as portas.

Onze ... doze anos.

Nada.

Ela lançou sua respiração reprimida e sorriu para a irmã como eles se aproximaram
do portão vigiado. "Eu disse a você, Anne, ele não está saindo de Londres."

"Tem que ter sempre tudo tão literalmente?" Anne parou ao lado do portão e fingiu
pescar algo dentro dela retícula. "Quando uma pessoa diz" meio dia "a que se referem
sometimearound doze do relógio. Não exatamente doze anos. "

Elizabeth se encostou na porta, enquanto Anne apregoava em, obviamente ganhar


tempo para provar o rato dentro na Carlton House tinha direito de tudo isso junto.

De repente, a porta começou a rumble e ela saltou para longe dele.

"Afaste-se, perder!" O guarda gritou. "Ficar de lado."

Anne correu e ficou ao lado de Elizabeth como o Príncipe de Gales brilhante fechou
rolou carro a uma parada no estande da guarda. Como a equipe de seis pranced no
local, Elizabeth ignorou o aviso do guarda e tomou um passo em frente para olhar
dentro do carro. Ela não se conteve. Ela tinha que ter certeza.

Um arrepio de frio e cortante como o gelo correu sua espinha e através do seu
coração. Há, dentro do carro, era a princesa Charlotte, e através dela o príncipe e seu
primo.

"Saia à rua, senhorita!

A chamada de aviso do guarda chamou a atenção daqueles dentro. Os olhos do


príncipe cresceu grandes e redondos como viu Elizabeth ali.

Tristemente, ela tocou o dedo aos lábios e, em seguida, abriu-lhe a mão inteira e
lançou o seu beijo.

A princesa Charlotte Elizabeth olhou para o príncipe e disse algo. O príncipe assentiu
com a cabeça uma vez na direção de Isabel e, em seguida, o carro atravessou os
portões e as Pall Mall.

Elizabeth coração bateu como uma chaleira de tambor em seus ouvidos e sua pele
tornou-se frio e úmido.

"Lizzy?" Anne tomou seu braço. Ela apertou-lhe a boca para o ouvido de Elizabeth.
"Fique de pé, irmã. Dignidade, lembra? Apenas um minuto mais, isso é tudo, e ele terá
desaparecido de vista. "

Elizabeth hesitou como ela numbly visto o movimento carro descendo a rua até que
ele se virou e desapareceu em St. James.

"Take me home, Anne."


"Longe demais. Nós vamos para minha casa. "Anne deslizou o braço em volta da
cintura de Elizabeth. "É apenas ao virar da esquina. Não muito longe. Basta uma curta
caminhada ... "Anne estava claramente preocupado com ela. Ela sempre vibraram
quando ela estava cansada e seus nervos estavam estressados.

"Eu posso controlar." Elizabeth afastou-se do braço da irmã e se concentrou


totalmente em pé. "Eu estou perfeitamente bem."

Ele vai voltar.

Ele o fará.

Berkeley Square
O dia seguinte

Grande tia Prudence não sair de seu quarto naquela manhã. Em vez disso, ela
sentou-se diante da escrivaninha pequena em seu quarto de dormir rabiscando notas
e tirando fotos que ela se recusou a permitir que qualquer pessoa, exceto Cherie, para
ver.

Elizabeth preocupado com sua idosa tia-avó quando Prudence não desceu para se
juntar a ela para a sua refeição do meio-dia. E assim ela esperava, já que ao meio-dia,
de acordo com Anne, não era um tempo preciso.

Mas em meia hora, temendo que algo estava errado com sua idade tia-avó, ela
começou a subir as escadas para perguntar como Prudence estava sentindo.

Cherie estava saindo bedchamber Prudence e apontou para Elizabeth que sua tia-avó
estava dormindo.

"Ela está bem? Quer que eu chame um médico? "Elizabeth perguntou.

Cherie balançou a cabeça vigorosamente, em seguida, acenou fora suas


preocupações com um sorriso bobo.

"Você vai chamar para mim se você tiver alguma dúvida sobre ela, você não vai,
Cherie?" Ela não estava deixando a passagem até que ela tivesse alguma garantia da
empregada doméstica silenciosa.

Cherie assentiu, virou-se em torno de Elizabeth e lhe deu um empurrão bem-


humorada para o corredor.

"Tudo bem, tudo bem." Elizabeth sorriu, e quando ela desceu as escadas percebeu
que era a primeira vez que ela sorriu desde meio-dia de ontem.

Ela tinha propositadamente mantinha ocupada durante toda a manhã, e até mesmo
tentou juntar-se a Sra. Polkshank como ela partiu para o açougueiro, embora Cook
disse a ela que a ajuda não era necessária. Então a Sra. Polkshank acrescentou que,
se ela não confiar nela para comprar a carne, talvez ela deveria transportar a casa
com seu açougueiro para rever o preço por quilo de carne com Miss-Can't confiar em
ninguém. Foi então que Elizabeth decidiu ficar em casa.

Agora, porém, ela estava funcionando baixo em formas de envolver a sua mente e as
mãos até anoitecer. Já a equipe pequena casa estava crescendo bastante irritado com
ela e ela não conseguia ocupar-se com a leitura ou escrever cartas. E recorrendo a
dormir para passar seu tempo não era uma opção. "Dormir, talvez sonhar, ay, lá está
o busílis." Ela deve ter ouvido a Shakespeare, também, um sonho havia amaldiçoado
seu apartamento com um coração em dois.

Arredondando o post newel na parte inferior da escada, Elizabeth tinha acabado para
o salão quando o bronze martelo desceu sobre a porta da frente.

Em vez de esperar MacTavish, que não estava escondendo a dúvida da sua amante
irritante na cozinha com a Sra. Polkshank, Elizabeth foi até a porta e abriu-a.

Os joelhos foram subitamente transformado em cera de abelha derretida e ela se


encontrava sentado no chão olhando para o príncipe.

Sumner olhou para Elizabeth, que estava sentado no chão, entrada, ainda levantou o
braço, segurando firmemente a mão na maçaneta da porta.

Inclinou-se e recolheu-la, mas ela não fez nenhum movimento para resolver os pés no
chão e ficar. Ela não disse nada, mas olhou para ele, sua boca totalmente agape.

"Eu não podia esperar até pôr do sol para ver você", ele disse a ela que ele se
abaixou e tirou a mão da maçaneta da porta, em seguida, chutou a porta se fechou
atrás dele.

Elizabeth ergueu o dedo e apontou, mudamente, para a sala.

"Dessa forma", questionou.

Ela assentiu, e então ele levou-a para o salão, resolvida a delicadamente sobre o
sofá, e depois voltou para fechar a abertura da porta para a passagem. Ele girou a
chave na fechadura. "Eu não posso suportar outra interrupção, se você não mente."

Finalmente, ela encontrou sua voz. "Eu não posso acreditar que você está aqui." Seus
olhos se encheram de repente. "Eu pensei, o jornal relatou que partiu para Paris
ontem."

"Eu prometi que ia voltar para você."

Ele se sentou ao seu lado, inconscientemente, tocando em seu bolso um pequeno


anel de esmeralda estava à espera.

"Elizabeth, eu te disse que não era algo que eu devo confessar, e devo fazê-lo agora."

Ela levantou a mão debilmente. "Eu não sei o que eu posso suportar uma confissão
neste dia. Vê-lo parado na minha porta da frente, depois que eu tinha visto sair
Carlton House para o que eu pensei foi ... para sempre, é sobre o limite de surpresa,
pode gerenciar em um dia. "

Sumner curvou a cabeça. Ele foi cruel para permitir que ela sofra como ela tinha. Mas
Leopold tinha segurança partiu de Londres e estava a caminho de Paris.

Agora foi a vez de admitir tudo para Elizabeth.

Ele abriu a boca para começar, mas uma vez ela estava em seus braços, seus lábios
pressionados contra his.No. Não, ele tinha para lhe dizer. Ele puxou de volta.
"Elizabeth, por favor. Eu devo confessar. "

"Eu não posso ouvi-lo. Agora não. Apenas deixe-me fingir um pouco mais. Por favor.
"Ela chegou para ele, mas ele pegou os pulsos dela e segurou-los.

"Pretend? Sumner abaixou a cabeça. "Não há nenhuma necessidade de fingir. Eu não


vou me casar com a princesa Charlotte. "Ele podia ver que ela não acreditou nele, e
depois o que tinha acontecido, ele não tinha culpa dela.

"A princesa Charlotte disse que seu pai o seu consentimento." Elizabeth puxou contra
ele, visivelmente precisando de um fim a qualquer conversa sobre este assunto, que
doía a ela. "TheTimes relatou que estava retornando a Paris para retomar o direito de
petição e de sua família para apoio de um sindicato."

As lágrimas golpeado a parede de seus cílios, ameaçando derramar. Ela lutou


fracamente a se afastar dele, mas Sumner sabia que se lançado, ela iria correr, e ele
teria uma outra cara demora a admitir o que ele precisa para acabar com sua dor.

"Você tem que me ouvir, Elizabeth. Eu preciso de muito para você entender. "

"Eu não posso." Seus olhos esmeralda brilharam e ela jogou seu peso para a frente
para quebrar suas garras, mas ele segurou firme e ambos caíram no tapete grosso.

Ela tentou rolar, mas ele atirou em suas costas e inclinou seu corpo contra o dela,
segurando-prisioneiro de suas palavras vinda.

"Eu nunca quis te enganar, Elizabeth. Eu nunca quis te machucar, ou causar qualquer
dor. "Ele levantou uma onda de cobre pesada de seu ombro enquanto ele se inclinou
e beijou-a calmingly. "Mas antes de dizer o que eu preciso, sabe que eu te amo, e eu
quero nada mais do que estar com você."

Uma lágrima escorregou pelo canto dos olhos e escorreu sobre seu templo, onde ele
desapareceu em seus cabelos, longos e grossos. "Por favor, não linger. Diga o que
você precisa e, em seguida, deixe-me chorar ".

"Não haverá luto. Não há necessidade, pois não vai se casar com a princesa Charlotte
... "Ele atraiu uma respiração profunda e fortificar. "... Porque eu amnot Príncipe
Leopold."

Elizabeth piscou várias vezes em sucessão, liberando as lágrimas em constante flui


para baixo ao lado de seu rosto. "O que dizer? Eu juro, eu não devo ter entendido
você. Eu não poderia ter. "

"Você fez, mas vou dizê-lo assim que você pode estar certo. Eu não sou Leopold. "

A confusão era evidente nos olhos dela como ela olhava para ele, como se ela fosse
vê-lo pela primeira vez.

"Quando eu conheci você e sua irmã na loja de jóias, eu estava em uma missão para
o príncipe Leopold, meu primo. Eu me apresentei como Lansdowne, o Marquês de
Whitevale. Eu sou ele. Lansdowne Sumner, Whitevale Senhor. "

olhos perplexos olhou para ele. "Mas eu vi você, todo mundo sabia que você seja o
Príncipe Leopold. Como pode o que você diz ser verdade? "

"Nem toda a gente me conhecia para ser príncipe Leopold. Princesa Charlotte, Mercer
e, claro, o príncipe de Gales se todos me conheciam como o primo Leopold, seu
confidente, e sua guarda. "

Elizabeth tinha parado por muito tempo lutando contra ele, mas segurando-a dessa
maneira como eles falavam era de longe preferível à forma como ele havia imaginado
este momento, com ela, abraçando-se para o conforto frio contra o trilho da ponte
Serpentine.

"H-guarda dele?" Ela franziu as sobrancelhas, mas como o tempo passava, a


compreensão gradual suavização suas características. "Você está me dizendo que
você coloca como Leopold ... para retirar os ataques de seu primo?"

"Sim". Sumner resposta veio como um suspiro aliviado. Ele fechou os olhos por
breves instantes e depois continuou. "Em nosso primeiro dia em Londres, um tiro foi
disparado de uma multidão. Nós não poderíamos ter certeza de que era para o
príncipe, mas ele tinha recebido cartas em Paris, antes de nossa viagem aqui, Leopold
aviso que, se persistisse em sua busca para a mão da princesa Charlotte havia quem
iria garantir que ele nunca seria bem sucedido ".

Seus olhos eram grandes e redondos. "Os apoiantes de Guilherme de Orange?

"Sim". Sumner sentiu a esmeralda facetada no anel em seu bolso pressionando entre
eles, distraindo-o. "Mas não havia mais letras. Nenhuma palavra de advertência. Ainda
assim, por uma questão de Saxe-Coburgo, o Príncipe Leopold de segurança tornou-se
minha prioridade só em Londres. "

Elizabeth baixou os olhos das suas.

"Até que eu conheci", acrescentou.

Seus olhos verdes varrido a sua, e ele sabia que a última vez que ela iria perdoá-lo.

Capítulo 18

Elizabeth apertou os olhos bem fechados, sem querer, pressionando a partir de seus
cílios úmidos um remanescente única lágrima.

Este era um sonho. Tinha de ser.

Em seu tédio, ela tinha adormecido no sofá e agora ela estava sonhando. Mas ... uma
vez, ela tinha sido dito que, se você perceber que está sonhando, o sonho acaba
nesse momento. Tanto quanto sabia, no entanto, ele não tinha. Ela podia sentir o
corpo quente Sumner contra a dela até agora.

Ela abriu os olhos rapidamente para ter a certeza, sabendo que se isso foi apenas um
sonho, Sumner teria ido e ela provavelmente encontrará a Sra. Polkshank é enorme, o
gato marmelada dormindo contra ela, compartilhando seu calor peludo.

Mas Sumner não tinha ido embora.

Ele estava debruçado sobre ela, beijando-a suavemente, apaixonadamente. Ela


sentiu-lhe deslocar o seu corpo como ele deslizou sua mão entre suas costas e no
tapete, e em seguida, pressionado contra a palma de sua mão pequena das suas
costas, puxando seu corpo firme contra ele.

Ele quebrou o beijo, então, e embora ela perseguido avidamente a boca com a sua
própria, ele escapou e, em vez varreu os lábios em sua bochecha e em seguida para
baixo sua garganta para o buraco raso debaixo de seu osso do ombro.

Ela suspirou quando sua boca moveu ainda, tentadora-la com a sua progressão
dolorosamente lenta, ela percebeu que seu destino final.

Sumner levantou a cabeça para ver como ele puxou a fita de cetim fina que cinched
corpete fechado. Ela não podia suportar por mais tempo. Ela não podia.

Elizabeth deslizou os dedos por seu cabelo grosso, escuro, em seguida, em concha
com as mãos atrás da cabeça e dificuldades para exortar a boca de volta para o dela.
"Kiss me", ela sussurrou enquanto ela apertou os lábios ao dele.

Sentiu-se sorrindo contra sua boca enquanto seus dedos no passado lançou seu cinch
fita e seu vestido de cambraia simples abertura de seu toque.

Suas mãos eram ásperas, mas quente contra sua pele, ele abaixou a blusa e um frio
ligeiro de prazer chamou arrepiado toda a pele que tinha descoberto. Seus mamilos
endureceram na sua antecipação.

Ser magro da forma, ela raramente usava um corset por um dia em casa, e agora,
como os lábios moveram-se sobre as ondas dos seios, ela estava agradecida, não
havia uma outra camada de roupa entre ela e seu úmido, buscando lábios.

Deitado com as mãos na encosta musculado dos ombros, Elizabeth cegamente


arrastou as palmas das mãos no peito e entre eles se atrapalhou para pegar nas
lapelas, na esperança de persuadir seu casaco, e mais, de seu corpo.

Sumner recebeu a mensagem silenciosa e inclinou-se até dar de ombros o casaco de


ombros largos. Seu desejo por ela pressionado duramente contra calças, formando
uma barraca tautly desenhada. Seu corpo respondeu com uma onda de calor entre as
coxas.

Mas então, para sua grande surpresa, dado o seu ardor eo estado de excitação óbvio,
ele cuidadosamente dobrado seu casaco e colocou-a no sofá ao lado deles.

Ele não revelou esse cuidado com a sua gravata, nem com o colete ou a camisa que
ele quase arrancou a partir de sua forma. Era como se ele não podia descascar as
camadas de seu corpo com rapidez suficiente.

Como ele inclinou-se novamente, ela não podia ajudar, mas roçar os dedos ao longo
das trincheiras rasas de seu nu, abdômen e ondulado ao longo dos montes firme do
seu peito.

Sumner fechou as pálpebras e suspirou com prazer que seus dedos levemente saltou
sobre seus mamilos, transformando-os em pedra sob o seu toque macio.

Ele se inclinou sobre ela e escovou a boca com seus lábios. Não se beijando, mas
zombar dela, fazendo com que ela corra atrás de sua boca. Mas ele não se render
apesar de seu avanço afirmativo.

Elizabeth gemia como sua dureza pressionada contra o lugar que ela queria me sentir
mais dele. Era enlouquecedor. Ela não queria nada mais do que no passado ele não
sente, os dedos ou a boca, ele, dentro dela. Suas coxas se separaram um pouco como
ela ergueu os quadris, forçando-o contra ela.
"Sumner", ela sussurrou: "Eu preciso de você".

Seus olhos brilhavam maliciosamente como ele agarrou-a e, sem dizer uma palavra,
facilitou seu vestido de verão e sua camisa a partir de seus ombros. Então ele puxou
para baixo a sua cintura, fazendo-a arfar com a pressa súbita do ar em sua pele. Sua
boca assentada sobre um peito e mamou enquanto que aproximadamente ele
abaixou seu vestido mais longe, para seus quadris.

Ele quebrou o vínculo entre eles a deslizar uma mão por trás dela, apertando um lado
da sua parte inferior e levantando-la, apenas o tempo suficiente para puxar o vestido
até os joelhos. Um momento mais e seu vestido encharcado debaixo dos seus pés. Ela
chutou chinelos fora. Seu corpo foi acesa com entusiasmo do que viria. Ela estava
pronta para sentir-se juntou com ele. Querendo assim tão mal para ele a facilidade
dentro dela, para sentir seus corpos se fundem num só ... no passado.

Ele não tocá-la por alguns minutos mais, e ela ergueu as pálpebras para ver que ele
estava agradecido ao seu corpo nu. Ela liberado de uma só vez, e até mesmo viu a cor
da sua ascensão constrangimento em seus seios, então senti que viajem para cima
para aquecer seu rosto.

Ela cruzou os braços sobre ela nu, os seios pinked, mas Sumner não teria isso. Ele
pegou seus pulsos e levantou os braços longe, estabelecendo-lhes em ambos os lados
da cabeça, balançando a cabeça lentamente. Ele não permitiria que ela esconde o
corpo dele.

Sumner o olhar dela caiu enquanto ele corria as mãos até os pulsos, braços, e sobre
seus mamilos, fazendo-os endurecer quase dolorosa. Seus dedos derivou para a
frente, arrastando para baixo a pele sensível ao seu lado, as ondas de envio de
arrepios sobre a totalidade do seu corpo. Suas mãos continuaram a exploração da sua
forma de lazer, deslizando para os quadris, em seguida, as pernas de lotação bainha.

Havia apenas um lugar que ele não tinha tocado, e sabendo disso Elizabeth deu uma
pontada de excitação latejante.

Inclinada para trás, Sumner pesquisados sua fome. Ele não disse nada quando ele
procurou traçar a curva de seu tremendo perna para cima sua meia de seda. Então
ele a mão em concha atrás de seu joelho e levantou-lo para que ele agora estava
ajoelhada entre as coxas dela se espalhar.

Seus dedos roçavam a enrolar no ápice de suas pernas, fazendo tremer seu corpo
com anticipation.Oh delicioso, por favor, deixe-me sentir você. Agora.

Elizabeth ergueu-se apenas o suficiente para pegar a parte de trás do pescoço com a
mão e puxá-lo duro para baixo em cima dela, a alimentação em sua boca, como eles
caíram de volta contra o tapete macio juntos.

Ela agarrou-se a Sumner como ele a beijou, tocou, levou-a em um frenesi, fê-la
contorcer-se na sensação de doce. Mas havia algo mais do que precisava. "Sumner,
por favor, faça-me o seu."

Ele parou por um instante, depois pareceu olhar para o casaco dobrado
ordenadamente no sofá, mas o que pensei foi em sua mente foi fugaz, pois ele se
virou para ela e ajoelhou-se menor entre as coxas dela se espalhar.

Seu corpo parecia de ouro, seu abdome, quadris, quase escuro, em contraste com a
brancura de suas coxas internas em cada lado dele. Bravamente, Elizabeth estendeu
a mão e se atrapalhou com os botões das calças até sua queda frente se abriu no
passado. Seu comprimento duro saltou para sua mão. Sua ereção pulsante e se
contorceu na palma da mão, excitando-la como nunca antes.

Ela não sabia exatamente como tocá-lo, como agradá-lo, mas sua ousadia jorrou
muito parecido com o calor dentro dela e afagou-lhe com os dedos ansioso, parando
quando ela se aproximou dele a ponta em forma de ameixa, explorando com o anel
de seu dedo polegar eo dedo indicador da crista grossa por baixo. Seu pênis seca, de
uma maneira que parecia agradá-lo. E assim ela deixou seu instinto guiá-la ainda
mais. Torcendo-lhe a mão ao redor, ela é tudo, mas fechou a mão sobre ele antes de
deslizar para baixo a sua extensão para o ninho luz de cabelo em sua base de
espessura.

Sumner estremeceu e se inclinou sobre ela novamente para beijá-la profundamente.


"Eu te amo", ele sussurrou contra seus lábios. Sua ereção pulsante. A urgência era
seu agora, e ele cutucou os joelhos mais largos entre si com o seu corpo.

Ele enfiou a mão entre as coxas e acariciou, mergulhando o dedo para o calor dela.
Ela arqueou contra ele.

Elizabeth agarrou-se a seus ombros largos. Sua empresa pênis cutucou


delicadamente entre as pernas até que ela pensou que iria enlouquecer se ela não
senti-lo dentro dela.

Sumner fechou os olhos enquanto ele mudou-se apenas a ponta entre os lábios
inferiores ingurgitadas. Ele gemia enquanto ele desnatado sua umidade. Ele apertou
dentro dela, apenas uma pequena porção, e seu corpo cinched em torno da parte
dele, querendo tirá-lo completamente por dentro.

"Eu te amo, Elizabeth", disse ele de novo como ele se inclinou para cima em seus
braços e se posicionou para dirigir nela.

Seus olhos estavam interrogatório, mas sua resposta estava certa. "Eu te amo,
Sumner, com todo meu coração. Eu quero você e eu preciso de você ".

Elizabeth tenso como ele mudou-se para ela. Ainda assim, não havia nenhuma dor,
como acontece com a primeira vez que tocou profundamente, apenas uma leve
picada como seu corpo lentamente estendeu a aceitá-lo plenamente. Ela deslizou as
mãos ao longo de suas coxas exterior para seus quadris, e depois agarrou seus
quadris e puxou-o mais profundo interior. Ela suspirou quando sentiu o empurrão
contra ela, no fundo dela.

Sumner lentamente puxado para trás, em seguida, mudou-se para ela novamente,
empurrando mais difícil, mais profunda, com cada movimento de balanço. Ela sentiu
seu corpo contraem-se em torno dele, formigamento, enchendo-a com a necessidade
inegável para elevar seus quadris com ele, pressione contra ele. Para cumprir o seu
impulso com cada um dos seus próprios.

Ela sentia como se ela tivesse muito vinho, e sua mente começou a girar. O
pensamento estava além dela. Havia apenas a sensação de Sumner se juntou com
ela. Ela fechou os olhos e deixar-se perder-se no centro descontroladamente fiação de
calor de fundição que cresce dentro dela, onde seus corpos conheceu e tornou-se um.

Sumner apoiou-se e levantou-se para vê-la como ele empurrou dentro dela, cada vez
mais difícil a cada vez. Gotas de suor na testa irrompeu como o seu ritmo mais rápido
crescimento, seu bombeamento em seu corpo fazendo-a bater e quase pulo do tapete
com cada impulso.

Elizabeth fechou os olhos e mordeu a carne do seu lábio inferior. Ela não conseguia
mais cumprir o seu movimento. Ele estava dirigindo muito rápido, muito difícil para
ela manter o ritmo. Suas pernas tremiam, e ela chamou-los em torno de seus quadris,
pressionando contra suas nádegas duro com os calcanhares, segurando-o para dentro
dela, virando um pouco para controlar a profundidade de seus impulsos, sua pressão.

Ela bucked contra ele e gritou como algo dentro dela queimado, enviando selvagens
chamas lambendo através de seu núcleo e para fora, para cada parte do seu corpo.

Sumner apertou os olhos com força. Ela sentia a tensão, e um sussurro de


propagação de calor úmido através do plano das costas enquanto ela se agarrava a
ele. Ele resmungou uma vez e depois outra vez antes de inclinava para beijá-la com
ternura, depois descansou no topo dela.

Elas estabelecem assim, os organismos privados de energia, descansando em braços


um do outro, por vários minutos abatido. Sumner finalmente rolou de costas e
Elizabeth voltou ao seu lado e aninhado contra ele, descansando a cabeça em seu
ombro. Ele envolveu os braços em volta de seu corpo e segurou lá. E o que sentiu
depois ... bem, ele foi perfeito. Parecia o destino.

Ela virou a cabeça apenas o suficiente para olhar para ele. Bliss encheu seus olhos e
ele estava sorrindo para ela.

"Diga-me que vai ser sempre assim", ela sussurrou, nunca querendo que o momento
para terminar.

Ele subiu e descansou seu peso sobre o cotovelo. "Pode ser. Se você tem a mim. "Ele
jogou o braço para trás e chegou até o sofá. Ele atrapalhou-se com seu casaco e, em
seguida, atirou a roupa que tinha tomado tal cuidado com o anterior, permitindo-lhe
cair em toda amassada perto da lareira apagada.

Ela riu, não se agarra a tudo o que ele estava fazendo.

Ele a beijou suavemente, em seguida, o seu ardor parecia crescer e seus beijos se
tornaram mais persistentes, como ele afirmou a sua boca. "Eu te amo, Elizabeth, e
quero sempre estar com você." Ele se inclinou para trás, levantou o punho e
deslizaram para um dedo na mão esquerda um anel de ouro adornado com um corte
brilhante esmeralda. "E eu espero que você desejar o mesmo. Se você fizer isso, eu
desejo que você usar este anel, que corresponde de modo o amor que eu vejo em
seus olhos, como um símbolo da minha fidelidade. "

Elizabeth prendeu sua mão antes de seu rosto e piscou para cima para ele. "Você
está me pedindo para"

"Eu estou pedindo que você se casar comigo, Elizabeth." O olhar nos olhos de
Sumner, então querer ainda tão incerto, mudou seu profundo dentro de seu coração.

"Eu nunca quis nada mais para ser sua esposa ... estar com você para sempre." Ela
colocou os braços ao redor de seu pescoço e seus lábios se encontraram e bloqueado.

Seu sonho era tornar-se realidade.

Hyde Park
O céu estava vermelho com licks de ouro brilhante como o sol. A escuridão da
Serpentine reflete as cores vibrantes do céu à noite, tornando-o parecido com uma
faixa infinita de ondulação de seda vermelho.

Sumner ficou com o braço em torno de Elizabeth no trilho da ponte, olhando o sol
rosa brilhante, uma vez que graciosamente cedeu cada vez mais perto para o
horizonte.

Ele olhou para ela.

Sentindo a sua atenção, Elizabeth virou a cabeça e olhou para ele. "O que é isso?",
Perguntou ela.

"Eu era um idiota. Eu deveria ter dito a você que eu realmente estava há muito
tempo. "Sumner tirou o braço do ombro e inclinou-se para descansar os antebraços
sobre o trilho. "Eu coloquei os dois de nós por tanto sofrimento desnecessário."

"Por que você me debruçar sobre isso?" Ela envolveu seu braço em torno de seu
bíceps e se aproximou, ao lado de seu corpo pressionado contra ele. "Nós estamos
aqui agora, e nós temos um ao outro e sempre será." Ela inclinou a cabeça. "E, além
disso, você não seria o homem que eu amo era algo direito poderá simplesmente
anular, quando as circunstâncias tornaram-se muito difícil. Mas você não fez isso.
Você não podia. Está guardado Príncipe Leopold e garantiu sua segurança para Saxe-
Coburg, mesmo quando isso significava eventualmente sacrificar sua própria vida.
Como eu poderia culpa-lo por sua bravura e senso de responsabilidade? "

Sumner jogou a cabeça para trás, puxou uma respiração longa e profunda, em
seguida, expirado. "Há algo mais que você deve saber. Algo que apenas outras duas
pessoas estão cientes de Leopold e não é um deles. "

Elizabeth olhou para ele interrogativamente. "Diga-me."

Ele fez uma pausa, já que ele nunca falou uma vez estas palavras em voz alta e não
era certo como ou por onde começar. "Eu tenho ouvido falar de sua possível relação
com o Príncipe de Gales, Elizabeth. E eu sei que, tanto quanto você tentasse desconto
comentários Sir Henry no jantar, pode haver alguma verdade a tagarelice da
sociedade. Você pode ser filha de Prinny ".

Ele podia sentir Elizabeth tenso.

"E, eu quero que você saiba que se você está ou não de questões descendência real,
não para mim. Eu acredito que eu amei você desde o momento que eu vi você andar
na joalheiros ... procurando um pouco afogado. "

Sumner olhou para ela e sorriu, em seguida, olhou para fora sobre a água. "Espero
que minha experiência, a minha verdadeira história, não afeta como você sente sobre
mim, também."

Elizabeth relaxado. "A menos que você é meu irmão secreto Prinny, nada que você
poderia me dizer o que mudar meus planos de me casar com você na nossa primeira
oportunidade. Eu te amo, Sumner.You ".

Ele engoliu em seco. Já era tempo. "A família de Leopold levou-me quando eu era
apenas um bebê. Ninguém nunca falou sobre a situação de quem eu era criança ou
como eu vim para a família Coburg. Logo, eu aprendi a não falar sobre isso já que o
assunto parecia preocupar o meu pais adotivos. Tudo que eu soube, depois de anos
de procurar a verdade, foi que minha mãe tinha morrido no parto e meu pai não tinha
sido capaz, ou talvez vontade, para cuidar de um bebê. "

"Mas você e Leopold sempre se referem um ao outro como primos."

"Sim. Toda a minha vida sempre foi referido como um primo. Quem poderia contestá-
la? Leopold e eu olhei tão parecidos. Mas sempre houve rumores de que não
estávamos tão primos distantes ... como meio-irmãos. "

"É verdade?"

"Eu não sei, exatamente." Sumner suspirou. "Mas quando cheguei à minha
maioridade, fui informado de que meu suposto pai, Lansdowne, havia morrido e eu
estava a tornar-se o Marquês de Whitevale".

"Então, você nunca soube que seu pai natural?"

"Não. Eu nunca sequer knewif ele era meu pai natural. As semelhanças entre Leopold
e me são impressionantes. Fomos criados juntos, educados juntos, lutaram juntos.
Para mim, Leopold é meu irmão. "
"E é por isso que protegê-lo foi tão importante para você."

Sumner suspirou mais uma vez. "Sim".

Elizabeth virou-lo em sua direção e, sem se importar que pôde ver, o beijou. "Nada
disso importa, Sumner. Mas agradeço-lhe para explicar sua ligação com o Príncipe
Leopold extraordinário. "

Ela estava certa, Sumner decidido. Circunstâncias do nascimento não importa.

O que foi que ele logo se casar com a mulher que ele amava com todo seu coração.
Sentia-se alegre de ter derramado o peso do seu passado de seus ombros.

"Eu estava pensando", começou ele, voltando-se Elizabeth para um passeio da ponte.
"Eu posso deixar os militares e retirar-se para Whitevale. Eu nunca vi isso, você pode
acreditar nisso? Você será minha esposa, assim que a decisão é verdadeiramente
nosso conjunto. "

Elizabeth riu enquanto pisou fora da ponte e na grama. "Como o seu logo-à-mulher,
gostaria de escolher alguma coisa que vai retirá-lo da linha de fogo ... e os pontos de
faca. Mas eu imagino ", ela acrescentou," como você vai se adaptar ao sóbrio,
tranqüilo de vida no país quando são usados para evitar balas e balas de canhão ".

"Com você, meu caro, eu não acho que a vida nunca vai ser" antiquado ".

Houve um flash de luz as sombras das árvores, e Isabel ouviu a frio, todos os demais
whiz familiar de uma bala passando entre ela e Sumner.

"Get down!", Gritou ele. Em vez de recuar para a tampa, ele cobrado diretamente
para o flash, desaparecendo na escuridão das árvores.

Elizabeth suspirou e levou os dedos aos lábios preocupado. Ela permaneceu


agachado por apenas alguns instantes e, lentamente, veio a seus pés. O sol acabara
de trás da linha das árvores, a luz no céu em noite de dissolução rápida.
Todo o seu corpo enrijecido, enquanto esperava para Sumner a surgir. Suas orelhas
estavam prontas para qualquer som, qualquer insinuação de que seu amor era
segura. Mas não havia nada.

Ela começou a andar em primeiro lugar, seguida correndo para as árvores,


preocupado com Sumner.

E depois houve um outro flash de luz eo som dos tiros. "Sumner", ela gritou,
abaixando-se em galhos e folhas de empurrar o rosto dela enquanto ela corria em
direção ao som.

Ela ouviu surra em frente, grunhidos e socos smack de desembarque, em seguida, ao


som de pisadas vindo diretamente em sua direção.

"Sumner?", Ela sussurrou debilmente, sabendo que se não fosse ele, ela estava em
grave perigo. "Sumner, por favor me responda."

"Estou indo. Volte para a ponte ", veio a voz de uma vintena de passos, além de onde
ela estava. "Go!"

Virando, ela fez como ele pediu e correu à luz em relação à beira da água dobrando.

Poucos momentos depois Sumner formam grande distinguíveis saiu da cobertura de


árvores. De sua posição, parecia que ele arrastou um outro homem, cujo braço ele
derrotou nas costas. Quando eles se aproximaram, viu que o outro homem era.

"Mr. Manton? "Elizabeth sputtered. "Não pode ser."

"É", Sumner confirmada.

"Ele foi o atirador? Dear Mr. Manton era o homem tentando nos matar? "

Manton sacudiu a cabeça ereta. "Não é tanto de you.Him." Olhou com desgosto a
Sumner.

"B-Por quê?" Elizabeth perguntou. Nada disso fazia sentido para ela. Mr. Manton
sempre pareceu uma alma gentil.

"Ele defende uma união entre Charlotte e Guilherme de Orange, eu suspeito." Anger
acendeu nos olhos Sumner como ele olhou para aquele homem que tinha
incansavelmente tentou matá-lo. Ele arrancou o braço Manton é maior por trás das
costas, fazendo-o gemer de dor.

"Eu não dou a mínima para William de Orange," Manton chorou.

"Então por que você fez isso?" Elizabeth aproximou. Apesar de sua exibição violenta,
ela ainda podia ver a ternura nos olhos de Manton.

Sua expressão suavizadas. "Por causa de ti. "

Sumner soltou sua presa para que ele pudesse virar o suficiente para enfrentar
Manton. "O que queres dizer, porque dela?"

"Desde a primeira vez que a vi num baile de um ano atrás, eu sabia que a amava",
admitiu ele, as sobrancelhas se aproximando quando ele olhou friamente para
Sumner. "E, recentemente, ela expressa afeto por mim. Mas thenyou entrou em sua
vida. Como eu poderia competir, quando ficou claro que um príncipe procurou o seu
afeto? "Sua expressão mudou abruptamente e olhou ansiosamente em Elizabeth. "Eu
nunca significou para você ser magoado. Isso foi um acidente. Você precisa acreditar
em mim, Miss Royle. Eu nunca iria prejudicá-lo. Não intencionalmente. "

"Você foi o atirador em Pall Mall, assim," ela disse categoricamente. É claro que ele
era. E então ocorreu a ela que tinha vindo com ele no corredor logo após a Sumner foi
esfaqueado. "Andin o teatro."

"Sim". Manton baixou o olhar, derrotado.

"E o tiro no meio da multidão quando chegou pela primeira vez em Londres?" Sumner
estimulada.

Manton sacudiu a cabeça. "Isso não era comigo, embora eu tenha lido sobre o
incidente em theTimes e as suposições sobre os apoiantes de Guilherme de Orange
estar em falta. Então, quando eu te vi, percebi que o homem era que tanto cativou
Elizabeth. Eu sabia que se eu ... se você estivesse morto, o culpado seria resolvido
mediante os adeptos do holandês, um grupo com o qual eu não tenho nenhuma
filiação. Era tão claro para mim que tinha de ser feito. "Sua face puxado em uma
carranca assustadora. "Só você não morre, não é?"

"E não será por muito tempo, agora que você tem sido apreendido," Elizabeth
bastante cuspiu.

"Vem comigo". Sumner puxou para a frente Manton e começou a levá-lo até Rotten
Row. "Vamos deixá-lo responder às autoridades." Sua voz tornou-se firme. "E não se
atrevem a falar com a Miss Royle novamente. Você entendeu? "Ele puxou seu braço.
"Nem uma palavra."

"Sim, Vossa Alteza Real", lamentavam Manton.

"Senhor Whitevale, se você quiser, senhor." Face Sumner permaneceu impassível,


mas em suas palavras, um pequeno sorriso inclinado nas bordas dos lábios de Isabel
para cima.

Capítulo 19

Berkeley Square

Quando Isabel entrou na casa, ela ouviu tia Prudence conclamando o seu nome do
salão. Ela correu para dentro, desde a sua tia raramente levantou a sua voz ... a
menos que o seu cálice de vinho tinto estava vazia.

Quando ela entrou na sala, a velha abriu um largo sorriso. "Eu vi você sair Conversar.
"

Elizabeth baixou os olhos e sorriu interiormente, mas ela podia sentir o sussurro de
um blush nas bochechas. "Eu fiz".

"Você vai se casar com ele." Prudence apontou um dedo ossudo na sua mão
esquerda.

Elizabeth levantou seu dedo e lhe mostrou o brilho de esmeralda que tinha dado a ela
como um anel de noivado. "Eu sou".
"Quando?" A velha tinha algo em que a mente dela, mas o que era, Elizabeth não
tinha noção.

"Em duas semanas." Elizabeth olhou desconfiado para sua tia-avó. "Embora nós ainda
temos que discutir com o Rakes e Upperton Old Lady, é claro."

"Good. Teremos bastante até lá. "Sua tia-avó suspirou feliz.

"Chega de quê?" Elizabeth scrunched sobrancelhas. Apenas o que foi Prudence está
falando?

"Ofeverything Enough. "Ela deu-lhe um aceno de cabeça, bem difícil, então piscou
Elizabeth um largo sorriso.

Muito bem, então. Elizabeth virou-se para se retirar para seus aposentos, mas pensou
melhor. Ela queria falar com alguém de Sumner. "Ele não é um príncipe, você sabe. Eu
só aprendi. "

"Oh?" Prudence respondeu. "Ele é um jardineiro?"

Elizabeth riu. "Não, ele é realmente o Marquês de Whitevale ... mas por que você iria
perguntar se ele é um jardineiro, Prudência?

"Porque você tem folhas e paus em seus cabelos, querida." Ela apontou para o alto
da cabeça.

Elizabeth mão voou para a sua coroa, quando sentiu um pequeno galho. Ela puxou-o
de onde ele tinha emaranhadas em seus cabelos e olhou para ele. Isso tudo foi muito
humilhante para ela havia sido deixado fora em Cockspur Street para dizer a sua irmã
Anne e seu marido Laird de sua notícia maravilhosa. Nenhum deles tinha dito uma
palavra sobre o galho e deixa em seu cabelo. Mas agora seus olhares vagamente
divertido fazia mais sentido. "Não é nada do que você pensa, Prudence. É realmente
completamente inocente. "Desta vez.

"Oh? E exatamente o que estou pensando, meu caro? "Sua tia-avó ergueu as
sobrancelhas brancas de neve. "Eu gostaria que você me diga. Eu gostaria de saber. "

"Isso ... é de carvalho." Deu Prudence que deve ter sido uma expressão
desconcertada. "Mas não é. É vidoeiro. erro simples de fazer. Já fiz isso uma vez ou
duas vezes por mim. "Elizabeth bateu a mão na testa e me virei. "Boa noite,
Prudence. É evidente que eu estou na necessidade de descanso ", ela murmurou
como ela sair do quarto e tomou as escadas até seu quarto de dormir.

Na manhã seguinte, Elizabeth foi belowstairs determinado a resolver o mistério das


despesas dos alimentos. Quando ela se casou com Sumner, ela deixaria Berkeley
Square, e não permitir que os fundos tia Prudence da casa a ser roubada de debaixo
de seu nariz.

Quando ela chegou na cozinha, ela esperava ver a senhora Polkshank. Ao invés disso
ela encontrou Cherie, segurando um caso muito pesado de vinho, e Prudence,
arregalou os olhos de surpresa, com um presunto debaixo do braço.

"O que é isso?" Elizabeth perguntou, levando o presunto de tia-avó Prudência, e em


seguida, o vinho de Cherie, e colocando-os sobre a mesa de pinho da cozinha limpo.
"Temos bastante agora", Prudence respondeu. "Plenty".

Sra. Polkshank, que obviamente tinha ouvido a troca, foi apenas vindo do porão com
uma lâmpada em sua mão. "Eu diria que ela tem bastante champanhe contrabando e
carnes fumadas para o seu príncipe regimento inteiro, ou para um pequeno almoço de
casamento." Ela acenou para Elizabeth. "Oh, venha, venha, Miss Elizabeth. Você vai
ficar querendo 'para ver o que você está me beliscar para cerca de dois meses. "

Elizabeth estava completamente confuso enquanto ela descia a escada de pedra e


terra. Sra. Polkshank realizou-se a luz piscando, iluminando o quarto grande. Há,
enchendo o porão, caso a caso, foi de champanhe francês contrabando, um caso de
claret prime, e carnes fumadas de qualquer tipo. "Assim, a gastos com alimentação
foram tão elevadas porque"

"Do seu casamento!" Sua tia-avó chamou para dentro do porão.

Elizabeth apressadamente subiu os degraus rasos, com a Sra. Polkshank atrás dela
segurando a vela para que a patroa não viagem na penumbra. Quando ambos
emergiram, Cook fechou o alçapão e arrastou um pequeno tapete trançado por cima
dele.

Elizabeth olhar foi direto para Prudence. "Mas como você soube que eu seria se
casar?"

"Porque você sonhou, gel. E seus sonhos se tornam realidade. Principalmente ".
Prudence sorriu. "Uma vez eu ouvi, eu sabia que não tinha tempo para se preparar,
mas Cherie Cook e me ajudou a coletar o que precisávamos para um pequeno almoço
de casamento bem."

Lágrimas vieram aos olhos. Ela tinha sido tão duro com a Sra. Polkshank sobre o
custo dos alimentos. E ela, Cherie, e querida tia-avó Prudência só tinha sido o
planejamento para o casamento eles acreditavam em si mesmo quando ela tinha
desistido. Abrindo os braços largos, Elizabeth apertou-los todos juntos em um abraço
sincero.

Duas semanas mais tarde


St. George's, Mayfair

"Nós não estamos indo ter o suficiente," Great-tia Prudence disse como ela se
inclinou em sua bengala e olhou para a igreja lotada. "Quanto você acha que eles vão
beber?"

Elizabeth riu. "É um pequeno-almoço, Prudência. Eles não bebem tanto como você
supõe. "Ela olhou para Anne e Mary. "Acho que estou pronto."

"Você não é menos cheio de nervos?" Mary definir uma mão reconfortante no ombro
dela, então fluffed o tule frilled ornamentada mangas curtas que seu vestido de
casamento.

"Não é, no mínimo. Fui testemunha a um casamento assim que muitas vezes nos
meus sonhos e na minha mente que se preocupar mesmo Prudence, da existência de
garrafas de muito poucos de champagne não me preocupa a todos. "Elizabeth
inclinou-se para Anne e sussurrou-lhe:" Você já viu ele? Ele está aqui? "

"Ficar perto da nave com o Príncipe Leopold ao seu lado." Anne engoliu em seco, em
seguida.

"O que está errado? Há algo que você não está me dizendo. "

"Nada de importante, apenas, quando você anda pelo corredor central, não olhe para
a direita quando você chegar na frente." Anne riscado nervosamente em seu pescoço.

Por que não já? "Elizabeth ajustado o babado de tule de linhas no pé da sua saia de
cetim branco, enquanto Mary apertou o nevado completa arcos fita nas costas.

"É só ... oh explosão, você deve saber. Princesa Charlotte chegou. "Anne se encolheu.

"Por que isso me incomoda? Sumner nunca ia se casar com ela, e ela nunca foi
apaixonada por ele. "Elizabeth sorriu. "Além disso, ela pode ser nossa irmã. A família é
sempre bem-vindos. "

"Eu suponho que você está certo, Lizzy." Anne ainda não parecem muito
convencidos.

Elizabeth chamou o filho luvas até os cotovelos, enquanto Anne liquidada uma coroa
formada de tule afiado com cetim branco em cima de sua cabeça.

"Lindo!" Anne e Mary soou como um todo.

Elizabeth se virou e olhou para o Senhor Gallantine, que parecia bastante o galã em
seu fraque escuro e gravata de seda twill. Ele ofereceu-lhe o braço e juntos
começaram pelo corredor central longo do St. George's.

cabelo nevado Lady Upperton é branco coberto com uma tampa que ostenta uma
pluma de avestruz overtall branca chamada Elizabeth olhar para a frente da igreja. Ela
poderia ver no banco da igreja casa da família que o Senhor Lotharian estava olhando
para ela com orgulho, e Lilywhite, já enxugando os olhos com um lenço de renda.

Elizabeth virou o seu olhar em direção à nave e ao mesmo tempo os olhos fechados
com Sumner. Ela engasgou, pois ela tinha visto ele de pé como essa antes ... em seu
sonho.

Ele era um espetáculo para ser visto com um casaco vermelho carmesim, com
dragonas douradas reforçar seus ombros largos. Em seu peito era uma faixa de cetim
branco ornamentado com várias medalhas de honra.

Quando ela se aproximou, ele ergueu a mão rapidamente para a boca, em seguida,
abriu a palma da mão e lança um beijo para ela, mandando uma vibração quente
através de seu corpo elegantemente vestida.

Quando chegaram à nave, o Senhor entregou Gallantine Elizabeth de Sumner. Seus


olhos encontraram os dele e de repente era se o mundo dissolvido em torno deles. Ela
podia ouvir o reitor, respondeu de forma adequada, mas nunca deixar que seu olhar
Sumner durante a cerimônia. Tudo estava exatamente como ela sonhou.

Até que aconteceu algo que ela não esperava, não sonhava sequer uma vez.

Neste momento, o reitor pronunciado Sumner Lansdowne, Marquês de Whitevale e


Miss Elizabeth Royle, marido e esposa, o Príncipe Leopold intensificados ao lado de
seu primo.

Lá, em um tufo de veludo carmesim, ela viu uma tiara brilhante. Confuso, Elizabeth
olhou mais perto, e reconhecido como a tiara mesmo bejeweled que Sumner tinha
colocado na cabeça no dia em que se conheceram.

Príncipe Leopold sorriu para ela. "Seu coração escolheu para você, meu caro, assim
que você deve tê-lo." Seu olhar mudou, e Elizabeth seguiu com a princesa Charlotte. A
princesa estava balançando a cabeça e sorrindo.

Elizabeth olhou para Sumner.

"Você é meu amor, minha esposa e minha princesa, e sempre será", disse ele.

Anne rapidamente avançou e levado a mantilha de tule de Elizabeth fechaduras de


cobre.

"Eu te amo, Elizabeth." Sumner abaixou a tiara para baixo em cima de sua cabeça e
inclinou-se para beijá-la.

Um momento depois aplausos ecoavam St. George's, restaurando Elizabeth e seu


marido até o momento. Juntos, eles se virou para a congregação, e começou a fazer o
seu caminho pelo corredor central.

Quando eles passaram a caixa onde a princesa e Miss Margarida Mercer Elphinstone
pé, a princesa Charlotte estendeu a mão e tocou o braço de Elizabeth.

Elizabeth fez uma pausa para olhar para ela.

"Ele sempre foi um príncipe entre os homens", sussurrou a princesa. "Ele nunca fingiu
o contrário."

Elizabeth sorriu e acenou com a compreensão, mas ela não exige a Princesa de
Gales, para lhe dizer isto.

Ela sempre soube disso.

Sumner era o seu príncipe de conto de fadas e sempre será.

Capítulo 20

Berkeley Square
O dia seguinte

Elizabeth olhou para o espelho no hall de entrada, tal como ela amarrou o capô
exuberante, cetim fita verde e fluffed o arco em sua garganta. MacTavish entregou-
lhe uma sarja cor-de-rosa manto franjado com pequenas franjas brancas e, em
seguida, abriu a porta para ela.

Ela tinha acabado através da porta quando ouviu a voz profunda Lotharian Senhor
está vindo de dentro da casa. Elizabeth mergulhou para dentro e seguiu os tons
baixos para a sala, onde ficou surpreso ao encontrá-lo falar, e muito animado, com tia
Prudence. Ambos se virou, aparecendo igualmente surpreso quando vi de pé,
boquiaberto, diante deles.

"Eu não sabia que você tinha chamado, Senhor Lotharian." Elizabeth olhou
desconfiado para ele. Nada jamais foi como ele apareceu com o rake inteligente de
idade. "Eu estava sob a impressão de que minhas irmãs e os nossos maridos estavam
a acompanhá-lo em Cavendish Square, na biblioteca Upperton Lady's. Eu estou
errada? "

Lotharian esboçou um sorriso encantador para ela. "Não, não, não em tudo, querida
Isabel. Desde que seu marido está vindo de sua reunião em Carlton House, eu pensei
que você pode estar na necessidade de transporte. "

"Porque, obrigado, meu senhor. MacTavish tem um Hackney espera lá fora, mas vou
pedir a ele para liberar o motorista. Não me desculpar. "Elizabeth sorriu, em seguida,
contornou a esquina e esperou um momento para a conversa dentro da sala para
reunir.

"Eu ouso dizer, ela é absolutamente seguro?" Lotharian pedia prudência. "Quando eu
fizer isso, será muito difícil de ser desfeita."

"Este era o plano o tempo todo, Lotharian. Uma vez que os géis foram muito bem
casado, que seria dito ... o appropriatetruth. "Voz Prudence foi forte, com convicção.
"Você vai dizer a eles neste dia, não vai?"

"Sim, sim". Lotharian soou, pela primeira vez, como se ele fosse superado com os
nervos. "Vou pedir-lhe para realizar arranjos para o meu funeral, uma vez que eles
ouvem o que eu digo a eles, os géis e os seus maridos, sem dúvida, do acelerador me
ao meu fim."

Grande tia-prudência que riu. "Você vai fazer muito bem Lotharian. Minha fé está em
você. "

Houve o som de passos pesados sobre o tapete. Lotharian estava por vir. "Se houver
qualquer mudança, você irá enviar imediatamente palavra."

Elizabeth mexidos até a passagem sobre os dedos de suas botas kidskin MacTavish
pedir a expedição de Hackney. Ela poderia apenas ouvir os dois queridos idosos além.

"Eu vou", disse Prudence. "Adeus e boa sorte, Senhor Lotharian".

"Obrigado, Sra. Winks, porque eu preciso toda a sorte que eu possa obter."

Cavendish Square
A biblioteca

assentos adicionais tinham sido criados em grande biblioteca Lady Upperton para a
ocasião. Que ocasião que poderia ser, mas ninguém sabia Lotharian Senhor. E muito
possivelmente tia Prudence.

Mas Elizabeth ouvira o suficiente para saber que tudo o que ele disse que mais uma
vez mudar suas vidas para sempre. Isso debilitou seu montante não pequeno, para o
Senhor Lotharian não fez nada pela metade.

Mary, Anne, e Elizabeth sab nervosamente, lado a lado em cima do sofá, enquanto
três cadeiras grandes tinham sido colocados por detrás de cada um deles para marido
de Maria, Rogan, o duque de Blackstone, novo marido de Anne, Laird, Conde de
MacLaren, e finalmente Sumner, Marquês de Whitevale, que tinha acabado de chegar.
Lady Upperton sentou-se diante dela servidor chá mecânica e divertiu o
recolhimento, fixando-o em movimento, de forma eficiente derramando prato apó
s prato de chá. Lady Upperton olhou para a porta escondida na estante mais próximo
da lareira. A pequena mulher estava visivelmente agitado e, a julgar pela forma como
ela apertou as mãos pequenas, se ela não tivesse inventado o servidor chá mecânica,
ela não teria sido capaz de assumir o papel de mãe se esse dia e deitar-se o chá.

De repente houve um clique metálico, e as chamas de cada vela no quarto apontou


para o coração como a porta escondida aberto, puxando ar o suficiente da biblioteca
que os tentáculos de cobre em fio de cabelo de Elizabeth levantou em direção à porta.

Lilywhite waddled pela porta primeiro, seguido pelo alto, bewigged Gallantine e,
finalmente, Lotharian, que usava uma expressão muito séria no rosto hawkish.

Lilywhite Gallantine e tomou a cadeira acolchoada alinhadas paralelamente às irmãs


Royle, mas Lotharian permaneceu de pé.

"Caro Lotharian", Maria começou, "por favor, não nos faz suportar a tortura de
esperar mais tempo."

Anne estava concordando. "Eu não era capaz de dormir na noite passada, para
quando você perguntar para uma reunião, muda completamente a vida de alguém."

"E agora que estamos os três felizmente casados, que foi a promessa que fez e
manteve a nosso pai," Elizabeth disse que, tendo em vista a troca, ela ouviu na sala
de estar Prudence ", só posso supor que você tem algo novo para relatar ou outro
esquema nas obras, para provar nosso direito inato. "

Lotharian de sobrancelhas vibrou com isso. "Você é bastante inteligente, Elizabeth.


Todos vocês são. "Ele olhou para cada um na sala, por sua vez, como se
propositadamente a tentar atrasar seu discurso. "Mas, ao que parece, nem tão astuto
como ... I."

Todos olharam uns aos outros para a compreensão, murmurando entre si, mas
ninguém ainda os outros dois Old Rakes de Marylebone, sabia o que estava Lotharian.

Apenas Lady Upperton não se mover ou falar. Ela simplesmente olhou para as mãos
trémulas.

Sumner chegou a seus pés. "Basta de jogos, meu homem. Diga às senhoras que você
quer dizer. Elizabeth e eu devo deixar para Whitevale antes de o sol se põe. "

Lotharian Sumner acenou para baixo, não se dignar a falar uma palavra até que
todos estava sentado e calado. Quando todos na última foi liquidada outra vez, ele
começou. "As irmãs Royle arenot as filhas do Príncipe de Gales e Fitzherbert Maria. A
história de seu nascimento, é tudo uma grande farsa, inventada por mim, sozinho,
para agitar o interesse no theton e confiança nos géis.

"Wh-O que é isso? Por que você diz uma coisa tão má? "Rogan exigiu, avançando e
liquidação de uma mão reconfortante no ombro de Mary.

"Eu prometi Royle eu veria que suas filhas estavam felizes e bem casados. Eu
consegui isso. "Lotharian começou a andar como ele falou, sua voz não é tão calmo e
até mesmo como normalmente estava na companhia de amigos. "Como mais três géis
de Cornwall, sem dinheiro e sem entrée ganho real conexões em Almack e nos
melhores salões em todos os de Londres? Se eu não conseguir, como eu poderia
igualar as irmãs Royle com cavalheiros de qualidade ", ele apontou para os maridos
das irmãs", como vocês? Sumner, aqui, foi o único jogo que eu não poderia prever,
mas tu, Senhor Whitevale, estavam no meio do seu próprio ardil da identidade
secreta, não estava? Lady Upperton e eu não sabia quem você era, até Elizabeth
mencionou o nome Sumner. Príncipe Leopold é conhecido por sua formalidade,
elegância, boas maneiras e superior. Desde nosso primeiro encontro, o senhor, não
refletem o refinamento que eu esperava, mas sim as qualidades de um guerreiro de
força e lealdade ".

Gallantine estava enfurecido. "Maldito seja, Lotharian! Você tem mentido para todos
nós, até Lilywhite e para mim, seus irmãos de confiança do Rakes Velha de
Marylebone. E você fez isso ... por quê? "

"Para o meu plano de trabalho, todos tinham que acreditar completamente."


Lotharian retirou a caixa de documentos que pertenciam a seu pai.

Ele deve ter ido para Berkeley Square para recuperá-la, Elizabeth percebeu, não para
transmitir-lhe que esta biblioteca como ele alegou.

"Felizmente, seu pai tinha muitas ligações na corte e pelo Parlamento. Ele fez favores
e segredos ... nesta casa. "

Lady Upperton falou no passado. "Lotharian me pediu para criar um fundo falso
mecânica no documento de caixa que eu fiz. Nela, ele se escondeu vários itens de seu
pai, pertences-itens do que ele podia tecer escuro, mas a história fantasiosa que três
jovens eram filhas segredo de Maria Fitzherbert, esposa do príncipe ilegal Católica ".

"Então, a senhora Upperton, você sabia deste plano o tempo todo?" Laird perguntou.

Ela assentiu com a cabeça. "Confesso que fiz. Na maioria das vezes, eu fiz. "

Maria sacudiu a cabeça violentamente. "Eu não acredito nisso. O xale de cashmere,
que não pertencia a Lady Jersey ".

"Sim, ele fez", Lotharian admitiu. "Royle salvou muitas coisas. Entre eles estava um
xale que Lady Jersey tinha usado para parar o sangramento Prinny após um
derramamento de sangue. Assim como ela disse. "

Elizabeth estudou Lotharian perto. Seu comportamento usual cool estava ausente.
Ele tinha que estar mentindo.

"A página do registo de casamento que encontramos dentro do livro?" Anne


perguntou com impaciência.

"Eu só colocou thebook de Maladies dentro da caixa, porque Royle tinha escrito todos
os tipos de notas enigmáticas nas margens. O abridor de carta, e que estava dentro
do livro, tanto uma surpresa completa para mim ", admitiu Lotharian triste.
"Claramente, você e suas irmãs tem um dom para o raciocínio dedutivo, bem como
uma boa dose de sorte."

"Porque, se isso é verdade, você incluir as garrafas de láudano?" Elizabeth sondado,


ainda sem acreditar muito nova história do Lotharian. "Eles foram marcados com a
insígnia Sir Henry."
"Seu pai tinha um grande número de garrafas e de poções. Ele foi um médico real,
como foi Sir Henry. Eu não tinha noção das garrafas furo marcar o baronete. Eu incluí
as garrafas láudano porque funcionou tão bem com a minha história inventada. Se
Maria Fitzherbert foi drogada, ela não saberia se os bebês nasceram vivos ou mortos.
Se não sabia, e você realmente fez a prova conclusiva de sua linhagem, duvidei algum
de vocês poderia ousar se aproximar dela com uma história tão estranha. "

Todos, exceto Lady Upperton, sua coorte disposto nesta mentira monstruosa de todas
as mentiras, a glowered Lotharian.

"O que eu não entendo, Lotharian", disse Anne, "é porque você foi para tantos
problemas para criar uma história fantástica para nós, um mistério a ser resolvido."

"Porque, se eu simplesmente disse que a história, você não estaria tão convencido,"
Lotharian explicou. "Se você descobriu a prova de seu suposto passado mesmo, você
seria muito mais propensos a acreditar que você fosse ... princesas de nascimento.
Digno da companhia do theton. "

Elizabeth levantou-se e definir as mãos firmemente sobre os quadris, o jeito que ela
tinha visto a princesa Charlotte do tantas vezes. "Por que deveríamos acreditar em
você agora? Este conto é tão fantástica quanto a primeira. "

"Porque seu pai pediu-me o favor de te ver feliz, ele sabia quem eu era. O que eu
estava. É por isso que, quando ele adoeceu, de todos os seus muitos amigos, ele veio
a mim em primeiro lugar. Ele sabia que eu iria doanything. Eu não iria parar até que
os três que estavam felizes e casados. Ele sabia, por causa do que eu estava, podia
confiar-me a cumprir o seu desejo de morrer. "

O quarto estava muito quieto.

"Eu não sei em que acreditar", disse Anne.

"O que é mais fácil acreditar, irmã?" Maria perguntou. "Que somos as filhas secreto
do príncipe de Gales e Fitzherbert Maria? Ou que algum pobre empregada fazenda na
Cornualha deixou três bebês na porta de nosso pai? "

Elizabeth impulso ambas as mãos para fora. "Não importa o que as circunstâncias do
nosso nascimento foram." Olhou para Sumner e sorriu. "Você não entende isso?
Estamos todos casados para os homens que amo profundamente. E, la, Mary, você já
foi abençoado com um bebê nascido de que o amor. "

Lady Upperton olhou então. "Elizabeth tem o direito dele. O que importa não é onde
você vem, é de onde você veio. O dom do seu pai deixou você está assegurando, por
qualquer meio, que cada um tinha suas filhas o amor em suas vidas. Lotharian,
embora seus métodos não eram pouco menos ortodoxa, feitos grandiosos desejo de
seu pai para os três de você se tornar realidade. "

Lotharian estava à beira do encontro, os braços magros protetora dobrada sobre o


peito.

Isabel atravessou a biblioteca eo abraçou. "Obrigado, Lotharian." Ela se virou e olhou


para Anne, que se levantou e veio Lotharian também.

"Embora houve vezes que eu teria torcido o pescoço se eu soubesse que você estava
fazendo, agora só posso agradecer. Para você alcançar meta de meu pai. Eu sou
apaixonado, sou amado, e eu estou mais feliz que eu já estive em minha vida.
"Abraçou Lotharian firmemente.

Maria ficou de braços cruzados, e olhou diretamente nos olhos Lotharian. "O que você
colocar todos nós através de ..."

"O amor vale mais para você, e suas chances são maiores de duração, se você tem
que trabalhar para isso", disse Lotharian. "Foi uma lição que você e Rogan precisava
aprender."

Mary exalava um pequeno riso. Ela fechou o espaço entre ela e Lotharian e abraçou o
velho.

"Tudo é perdoado", perguntou timidamente, em seguida, olhou para o Rakes Velha,


que veio e estendeu as mãos para ele.

Então Lotharian silenciosamente voltou para os três jovens. "Eu suponho que vocês
três vai me levar lá fora." Ele sorriu nervosamente.

"Só não podemos apertar sua mão aqui, bom companheiro", disse Sumner.

"Você nos trouxe a cada um grande dom", Laird acrescentou. "Eu sou grato."

"A comissão é um ancinho ... até que ele se casa", disse Rogan. "Eu deveria saber.
Então, como eu poderia possivelmente culpa pela sua menor do que os métodos
totalmente honrados? "Ele bateu Lotharian nas costas.

"Exatamente, rapaz", respondeu Lotharian. "Mas eu tenho vindo a acreditar que eu


vivi minha vida como um ancinho tempo suficiente." Demorou algum fazendo de seus
ossos antigos de gerir, mas ele se ajoelhou diante Lady Upperton. "Você, minha
senhora, faça-me a honra de se tornar minha esposa?"

"Oh, meu Deus." Olhos de Lady Upperton arredondado e ela colocou a mão ao peito.
A velha tirou um momento para firmar sua respiração antes de responder. "Você tem
o consentimento do meu pai?"

Lotharian piscou em confusão por um momento e depois sorriu. "Eu não, minha
senhora, então eu acho que será um casamento de Gretna Green para nós dois. Mas
eu preciso saber, meu caro gel, o quão rápido é o cavalo do teu pai e como é o seu
objetivo? "

Todos riram.

Isto é, até que eles perceberam Lotharian proposta não era farsa.

E que o tempo em dois dias a sua presença seria realmente necessário em Gretna
Green, para o casamento shot longo da temporada que a comissão de idade,
Lotharian Senhor e Senhora Upperton.

Epílogo

A chuva escorria dos vidros da janela, contorcendo-se e se contorcendo como os


vermes da terra Mrs. Prudence Winks tinha arremessado com seu bastão de
caminhada para o jardim encharcado fronteira residência da sobrinha que chegou
para sua visita.

Sua sobrinha sentada muito quieta. Sua expressão era tão sombrio como o céu da
tarde.

"Você pode mudar sua mente, Maria", disse Prudence. "O fato de os géis são todos
casados não significa nada. Você sempre pode vir para a frente e dizer-lhes. "

Maria Fitzherbert ergueu os olhos azuis de Prudence. "Não, eu não posso. Não há
necessidade. "

"Não é." Ela tinha colocado como tia das irmãs-grande para dois anos, e tinha vindo a
amá-los como se fossem seus próprios. "Eles gostariam de conhecê-lo."

Maria sacudiu a cabeça lentamente. "Não faria nenhum good.He iria ouvi-lo, a Igreja
iria aprender de sua existência, e sua vida nunca mais seria seu próprio novamente."

"Mas se pudesse escolher entre saber que você e uma vida de normalidade"

"Eles nunca terão a necessidade de escolher, Prudence. Eu escolhi para eles. "Uma
lágrima solitária escorreu pelo rosto de Maria. "Tomei minha decisão há mais de vinte
anos atrás. E todos nós devemos viver com essa escolha. "

"Mas Maria"

Os cantos da boca-de-rosa Maria levantada. "Eles estão felizes, você diz?"

Prudence sorriu suavemente. "Eles estão."

Ela virou seu olhar para as mãos cruzadas sobre o colo. "Então, eu não me arrependo
da minha decisão."

Heat picado olhos de Prudence. Não havia mais a ser dito.

Maria voltou os olhos para trás até Prudence. "Cherie pediu que ela permaneça com
você. Eu dei-lhe minha bênção. "

"Realmente?" Prudence swiped a lágrima da captura em seus cílios.

"Eu controlei bem o suficiente, sem os seus serviços como faxineira, mas eu vou
perder os nossos bate-papos semanais sobre as irmãs", admitiu Maria suavemente.

"Não há nenhuma razão que não pode continuar. Sem dúvida, ela e eu vou ver o gel
com frequência ", disse Prudence. "Embora eles possam ter para ajustar ao
conhecimento que Cherie pode falar, e só é muito calmo por natureza."

Maria riu silenciosamente. "Não é algo que quando alguém não fala, aqueles em
torno de esquecer que ela pode ouvir."

"Mesmo quando ela está dormindo ...". Prudence sorriu.

Como é triste que a sua parte no grande esquema Lotharian estava no fim. Mas as
relações que ela tinha gostado, não.

Prudence pressionou a ponta de sua bengala no tapete Aubusson e, lentamente, veio


a seus pés. Ela enfrentou seu querida sobrinha, uma última vez antes da partida.
"Obrigado, Maria."

A pele fina em torno dos olhos de Maria plissados. "Obrigado, Prudência? Para quê? "
"Não se preocupe, minha querida. Apenas ... muito obrigado. "

Como Prudence caned seu caminho pela porta da frente, as lágrimas turva a visão,
mas ela estava sorrindo.

Em tornando-se, em todos os sentidos, a tia das irmãs-grande, ela seria amada e


cuidada em seus anos finais, tal como tinha sido para as duas últimas temporadas
com as irmãs Royle.

Ela nunca estaria sozinho novamente.

E por que ela seria sempre grato pelo dom Maria lhe dera.