Вы находитесь на странице: 1из 21

Rodrigo Cardoso Teixeira Chaves

Profª Jarbene de Oliveira Silva (e-mail: jarbenes@bol.com.br)

1) Qual o objeto de estudo específico da PSICOLOGIA e do DIREITO

- Os dois o objeto de estudo É O HOMEM. Sendo que A diferença é que o


“olhar” é visto de forma diferente, no DIREITO se preocupa com a
NORMATIZAÇÃO DOS COMPORTAMENTOS que fazem parte das
relações sociais(serve para impor LIMITES). Já a PSICOLOGIA busca a
COMPREENSÃO da INTERRELAÇÃO DE FATORES
DETERMINANTES DOS COMPORTAMENTOS PATOLÓGICOS
(doentio).

2) O que é SENSO COMUM e CIENCIA

- Ciência e SENSO COMUM: é através do conhecimento do SENSO


COMUM que se constrói um conhecimento científico. O SENSO COMUM é o
conhecimento intuitivo, espontâneo e de tentativas e erros (EXEMPLO: palavras
confortáveis na hora certa para consolar o “corno”, conforme exemplo dado em
sala de aula..rsrs. A CIÊNCIA é a atividade reflexiva, busca compreender,
elucidar e alterar o cotidiano através do seu estudo sistemático.

3) Quais os critérios para um estudo ser considerado CIENTÍFICO:

a) Objeto de estudo: A ESCOLHA DO OBJETO DE ESTUDO.


b) LINGUAGEM PRECISA E RIGOROSA: qualquer construção
científica tem que se fazer entender.
c) CONHECIMENTOS OBTIDOS DE FORMA PROGRAMADA,
SISTEMÁTICA: é para avaliar a fidedignidade.

4) Segundo LEILA, como é descrito OBJETO DE ESTUDO DA ᴪ:

 Ela descreve o objeto de estudo de uma forma muito simples, mas ao


mesmo tempo muito abrangente. Ela diz que estuda o homem em todas as
suas expressões: as visíveis (GESTOS E COMPORTAMENTOS); as
invisíveis (PENSAMENTOS, EMOÇÕES E SENTIMENTOS); as
genéricas (TODAS CARACTERISTICAS PERTENCENTES AO
SER HUMANO) e a singular (É PECULIAR AO SUJEITO, É O
TORNAM DIFERENTES UNS DOS OUTROS).

5) Quais são as PRÁTICAS NÃO PSICOLÓGICAS:

a) Tarô;
b) Quiromância ≠ Quiropraxia (ciência. Prática praticada pelos
fisioterapeutas);

sprite@infonet.com.br
Rodrigo Cardoso Teixeira Chaves
Profª Jarbene de Oliveira Silva (e-mail: jarbenes@bol.com.br)

c) Numerologia;
d) Práticas místicas;
e) Clarividência

- BREVE HISTÓRICO DA ᴪ

O senso comum, isto é, o conhecimento intuitivo, espontâneo de


tentativas e erros, constrói o conhecimento científico. A psicologia surge com
intuito de buscar a compreensão da interrelação de fatores determinantes dos
comportamentos patológicos.
Muitos filósofos gregos contribuíram para o surgimento da psicologia
através do estudo da alma, ou seja, TUDO AQUILO QUE É IMATERIAL
NO HOMEM, pensamentos, sentimentos e crenças. Entre eles, podemos citar,
Sócrates, Platão e Aristóteles entre outros. No entanto, todos tinham a mesma
finalidade, que era a compreensão da mente humana.
A psicologia moderna nasce com as abordagens teóricas, que são
modelos desenvolvidos ao longo dos anos para explicar o comportamento
humano.
No século XIX, três grandes correntes se destacam: Funcionalismo;
Estruturalismo e Associacionismo. Já no século XX, Behevorismo; Gestalt e
a Psicanálise foram as principais abordagens desenvolvidas nesse período.
Apesar de WUNDT ser o Pai da psicologia, quem se destaca como o tal, é
FREUD, devido a tamanha importância de suas teorias sobre o
funcionamento da mente e o aprimoramento da psicanálise.
Na atualidade a psicologia adentra em diversas áreas de atuação, como
clínica, escolar;educacional, organizacional, psicometria e a psicologia social.

- Logos: Razão

- Psyché: Alma. A psicologia estuda a imaterialidade humana.

- Alma: é tudo aquilo que é imaterial no homem (pensamento, sentimento, e as


crenças).

PARTICIPAÇÃO DOS FILÓSOFOS GREGOS JUNTO À PSICOLOGIA

- SÓCRATES: consistência a ᴪ. Ele reconhece a razão como peculiaridade


humana; Peculiaridade humana: Razão. A razão diferencia o homem do animal.

sprite@infonet.com.br
Rodrigo Cardoso Teixeira Chaves
Profª Jarbene de Oliveira Silva (e-mail: jarbenes@bol.com.br)

- PLATÃO: lugar da razão na matéria: cabeça; Cisão corpo-alma (mente).


Quando o corpo morre a alma fica viva e livre para ocupar outros corpos. Se
Platão afirma que o corpo morre (matéria morre), em grau de importância, a
alma é mais superior.

- ARISTÓTELES: mente e corpo: integrado. Aristóteles não concorda com a


visão de Platão, que quando o homem morre a alma fica, para Aristóteles
quando o corpo morre a alma morre também, no entanto, enquanto esse corpo
vive ele é regido pela alma. A pessoa vive porque tem a psiqué.

• PSIQUÉ: princípio ativo da vida;


• ALMA VEGETAL: capacidade de se alimentar e reproduzir;
• ALMA ANIMAL: se alimentar, reproduzir e sentir;
• ALMA HUMANA: tem a capacidade de se alimentar, reproduzir, sentir e
a capacidade pensante. O que torna essa alma tem importante é a
capacidade pensante.

- SANTO AGOSTINHO: falar da psicologia no império romano era relacionar


diretamente a RELIGIÃO, pois nesta época surge o cristianismo. A detentora
do saber nessa época era a igreja. Santo Agostinho também acreditava nas
idéias de Platão, ele supervalorizava a alma. Ele dizia que a alma é a
representação divina do homem. A alma é quem dá a condição do homem
conversar com deus. Inclusive essa alma é sede do pensamento, compõe o
pensamento humano. Estudando a alma consequentemente estuda o
pensamento.

• ᴪ no império romano: religião;


• Cristianismo;
• Cisão;
• Alma: sede do pensamento

- SÃO TOMÁS DE AQUINO. Protestantismo: Nessa época foi o surgimento


de muitas crises (econômica, social) que chegaram a ABALAR A FÉ DAS
PESSOAS. Diante de tantas desgraças as pessoas começaram a questionar os
dogmas da igreja. Se as pessoas desacreditassem, as pessoas também não iriam
acreditar na existência da alma. São tomas de Aquino com seu poder se
persuasão fez com que as pessoas voltassem a acreditar na existência da
alma, do pensamento, manutenção do surgimento da psicologia;

• Crises;
• Justificou os dogmas da igreja.

sprite@infonet.com.br
Rodrigo Cardoso Teixeira Chaves
Profª Jarbene de Oliveira Silva (e-mail: jarbenes@bol.com.br)

- +/-200 anos após a morte de São Tomás de Aquino, época do renascimento,


foi que começou a existir a SUPERVALORIZAÇÃO HUMANA COM A
ESCRITA etc.

- Renascimento:

• RENI-DESCARTES: ajudou na ciência como um todo. Ele afirma que


um homem sem alma é apenas uma maquina, não é nada. Ele perde a
sua capacidade pensante. Ele conseguiu mais uma vez supervalorizar a
imaterialidade humana e desvalorizando a matéria. Com isso ele
colaborou com a fisiologia, anatomia e psicologia.

 O pai da psicologia é Wundt. Se as pessoas tem dificuldades para


acreditar naquilo que no vê, a psicologia já tinha o objeto de estudo que
era o homem, já tínhamos a linguagem, faltava apenas o passo-a-passo
para chegar a conclusão que existe imaterialidade do homem. Wundt
criou o primeiro laboratório para o estudo da psicologia. Ele pegou
cadáveres e estudou sistema límbico, por ser matéria ficou fácil de
observar, pois estava materializado. A matéria é responsável por
desenvolver suas emoções.

• “Homem s/alma: máquina”;


• Fisiologia, anatomia e Psicologia.

6) Quais as ABORDAGENS TEÓRICAS DO SEC. XIX:

 Psicologia moderna: a psicologia a partir de agora é ciência. Para explicar


de maneira própria, surgem apenas 03 abordagens/correntes teóricas. A
partir dessas 03 surgiram várias correntes teóricas.

• FUNCIONALISMO: William James. Os funcionalistas entendiam que


para explicar a consciência humana teria antes que entende-los, para
depois entender o comportamento humano.
a) Consciência; Como funciona? Se conseguissem responder a isso
também saberiam como as pessoas se comportavam de uma
determinada forma.

• ESTRUTURALISMO: Edward Techenes e Wilhelm Wunatt. Eles


surgem diante da indagação de que como saber como funcionar o
comportamento se não sabe como é a ESTRUTURA do mesmo. Eles

sprite@infonet.com.br
Rodrigo Cardoso Teixeira Chaves
Profª Jarbene de Oliveira Silva (e-mail: jarbenes@bol.com.br)

surgem também para estudar a consciência mas antes tem que entender a
estrutura da mesma.

• Consciência
• Aspectos estruturais

• ASSOCIACIONISMO: Edward Thondike. Eles unem todas as


informações (ESTRUTURA E COMPORTAMENTO) para entender
como ele utiliza essa consciência, que o homem tem capacidade de
aprender fazendo uso da consciência. Chegam a conclusão que o
homem aprende com a associação de idéias.

 O homem aprende por uma associação de idéias”...

7) Quais as correntes teóricas do século XX

 BEHAVIORISMO: Termo inglês que quer dizer comportamento. Eles se


preocuparam em estudar o comportamento humano. Eles acreditavam
que precisam observar o homem indivíduo com o seu ambiente.
Prestando atenção eles acreditavam que poderiam entender o
comportamento humano. Eles precisavam entender a relação do homem
com seu meio. Diante desta observação eles identificaram que o
HOMEM RESPONDE AO ESTÍMULO DO AMBIENTE. Responder
para psicologia é emocionalmente também, não só por respostas. Diante
disso pareceu que o behaviorismo era mecânico, com isso gerou uma
interrogação. Se o homem responde ao estímulo ao ambiente, porque um
pode responder de uma forma e a outra de outra forma no mesmo
ambiente? Isso surge porque ANTES DE RESPONDER ELE
INTERPRETA-SE O AMBIENTE, A PERCEPÇÃO DO
AMBIENTE. A INTERPRETAÇÃO É ALGO INDIVIDUAL. Eles
trazem a informação que a gente aprende comportamento como também
desaprende comportamentos.

Ex do bem estar em algum lugar tipo praia..

• John Watson;
• Indivíduo (∆): ambiente;
• Relação: S-R

 GESTALT – interpretar as situações, tudo a nossa volta. A sua


interpretação também depende da prioridade que vc estabelece.
Relação FIGURA X FUNDO, ex. da festa, duas pessoas q foram a
sprite@infonet.com.br
Rodrigo Cardoso Teixeira Chaves
Profª Jarbene de Oliveira Silva (e-mail: jarbenes@bol.com.br)

mesma festa, uma pode ter gostado e outra não, por seus motivos
particulares.
Crença disfuncional: as pessoas desde a infância nos ensinam a entender o
mundo elas nos apresentam o mundo, essa forma vai nos influenciar nesta
apresentação.A gente não apenas respondemos ao estimulo do ambiente,
respondemos de maneira diferenciada em uma mesma situação.

Max Werthumer,
S(estimulo) P(percepção) R(resposta)
RELAÇÃO FIGURA E FUNDO.

8) Como surgiu a PSICANÁLISE

SIGMUND FREUD
- é considerada uma teoria (com material sistematizado) desenvolvida por Freud.

 Psiqué – mente humana (funcionamento)


 Teoria
 Método de Investigação
 Prática profissional - porque freud pegou todas essas técnicas e colocou
em pratica, os 7 terapeutas.

9) Explique a 1ª TEORIA DO APARELHO PSÍQUICO:

• INCONSCIENTE: Conjunto de conteúdos não presentes no campo atual


da consciência . No inconsciente não temos o controle para lancarmos
esses conteúdos. Ex de mecanismos de defesa: o desmaio (situação de
extremo estress o corpo apaga no intuito de não ter q suportar tamanha
dor). Recalque ou repressão- suprimir uma parte da realidade, a
capacidade q a mente tem de interpretar no sonho(inconsciente).

• PRE-CONSCIENTE: Conteúdos acessíveis a consciência.A partir


daqui se tem controle, eh algo voluntario. São informações q na são
precisas no momento, mas em qualquer outro momento se precise. A
lembrança q fica no consciente mas em algum momento fica vaga. Ex.
lembrar do carro estacionado no shopping depois de muito tempo após as
compras.

• CONSCIENTE: sistema do aparelho psíquico que recebe ao mesmo


tempo informações do mundo EXTERIOR e INTERIOR.

sprite@infonet.com.br
Rodrigo Cardoso Teixeira Chaves
Profª Jarbene de Oliveira Silva (e-mail: jarbenes@bol.com.br)

10) O q quer dzer SEXUALIDADE INFANTIL seg.(FREUD)

 FREUD afirmou q existia uma sexualidade infantil, a criança tem o


corpo erotizado.(da mesma forma q nos adultos nos desenvolvemos
fisicamente, a mentalidade também, de acordo com o desenvolvimento
alteramos os desejos)

11) Quais as FASES DA SEXUALIDADE INFANTIL

 FASE ORAL- fase da saciação do prazer esta na fase oral(mamar) no


intuito de matar a fome e resolver a impaciência , retornando a fase de
normal, de equilíbrio.

 FASE ANAL-controle dos esfíncteris, controlar fezes e urinas. (primeiro


contato com a capacidade de controlar)

 FASE FÁLICA – é a fase q a crianca comeca a perceber suas diferencas


físicas, nas partes sexuais, se comparando.

 PERIODO DE LATENCIA

 FASE GENITAL

12) Explique O COMPLEXO DE ÉDIPO:

 COMPLEXO DE ÉDIPO – MASCULINO e FEMININO ou de


(ELÉCTRA). Por q o nome Complexo de Édipo: porque o q a crianca
desenvolve nessa fase, que o menino começa a DISPUTAR O AMOR
DE SUA MÃE COM SEU PAI, nessa disputa ele observa o pai , na
intenção de copiar algumas particularidades do pai pra se semelhar, no
intuito da disputa, para pelo menos parecer com ele (MODELAGEM)
copiar o comportamento.
- SENTIMENTO DE CULPA
- ESTRUTURAÇÃO DA PERSONAGEM;
- FORMAÇÃO DO SUPEREGO.

13) Explique a 2ª TEORIA DO APARELHO PSÍQUICO:

Id: reservatório de energia psíquica (nossos desejos)

sprite@infonet.com.br
Rodrigo Cardoso Teixeira Chaves
Profª Jarbene de Oliveira Silva (e-mail: jarbenes@bol.com.br)

PULSÃO DE VIDA – a motivação para viver, vontade de construir,


equilíbrio.
PULSÃO DE MORTE – apresenta a limitação humana, por
exemplo, chegar na janela do prédio e cristalizar, a motivação de
limitação para não pular seria essa pulsão de morte.

14) Explique quais são e para q servem MECANISMOS DE DEFESA

 “MECANISMO DE DEFESA FREUD”: Ainda dentro da psicanálise


Freud percebeu que a mente da gente em situações que poderiam
causar DANO PSÍQUICO (Surto) esquisofrenia, TRANSTORNOS
EM SI, a nossa mente fazia uso de mecanismos, chamado de
mecanismos de defesa, desenvolvidos no EGO = Sistema do aparelho
psíquico que estabelece o EQUILIBRIO.
Existem mecanismos de defesa que são conscientes, ou seja n´s temos
ciência deles, eles são espontâneos, salientando que é diferente de
controle. Existem mecanismos que não temos ciência sobre ele.

SUPEREGO: comando interno de limites; proibições; princípios


moral; exigências sociais (a gente segue essas exigências); culpa. Quando
a gente se permite a não realizar determinado comportamento por ter
esses princípios equilibrado. A FUNÇÃO DO SUPEREGO É DIZER
NÃO AO ID. Não!Não pode, pois o id é totalmente impulsivo aos
desejo real.

15) O que é o RECALQUE

 É a Supressão de uma parte da realidade Foi explicado no conteúdo do


inconsciente. Retira parte da realidade, não necessariamente levando
para o inconsciente toda parte da realidade.

• Ex: uma mulher estuprada foi para a delegacia contar o fato, e a mesma
esquece de parte do ocorrido. Isso ocorre por causa do recalque.
Comprometendo o entendimento, ameniza o sofrimento .É a mente que
se encarrega de lançar.

16) O que quer dizer com FORMAÇÃO REATIVA SUBSTITUIÇÃO


DE COMPORTAMENTOS E SENTIMENTOS CONTRÁRIOS AO
DESEJO REAL.

sprite@infonet.com.br
Rodrigo Cardoso Teixeira Chaves
Profª Jarbene de Oliveira Silva (e-mail: jarbenes@bol.com.br)

 Vamos dizer que alguém tem um relacionamento com alguém, mas de


repente a esposa pega o marido na traição. O marido aguarda e no outro
dia o marido tenta se explicar. Em primeiro momento a esposa diz que
odeia o marido. A mesma no dia anterior dizia apaixonada, ate amaná. O
sentimento de amor não acaba de repente, mesmo com toda situação
ocorrida. Com isso ocorre o conflito de reação, pois como a esposa pode
dizer que ama alguém que fez muito mal. Com isso ela externaliza o
contrario do que ente para que ela se convença que não ama mais o
marido. Não que as pessoas sejam falsas, é uma defesa.

 PROJEÇÃO: o indivíduo ( ) atribui algo de si no mundo


externo.Mundo externo porque pode atribuir as pessoas, as
situações.Sempre é algo negativo. Existem pessoas em que todo lugar que
chega acha tudo ruim, como também as pessoas do lugar. É mecanismo
de defesa, pois a característica é dela, mas ela se defende ao projetar no
outro, pois se ela se identifica como antipatica, é mais fácil lançar para o
outro.

 RACIONALIZAÇÃO: afastar emoção e trazer razão para que possamos


tomar decisões na vida para não sofrermos tanto.

17) Quais as ÁREAS DE ATUAÇAO DA PSICOLOGIA

 CLÍNICA: Na área clínica o psicólogo atua junto as pessoas com alguma


psicopatologia (doença de ordem emocional) Diagnóstico - 1 passo é
formular um diagnóstico. Um diagnóstico falho pode comprometer
uma intervenção. Com isso existe um diagnostico diferencial (parece
mas não é ) intervenções são diferenciadas por isso o diagnostico é
importante.
Tratamento
Pesquisa: desvendar o paciente, associar os sintomas com as teorias.

 PSICOLOGIA ESCOLAR;EDUCACIONAL – é diferente de


psicopedagogo que esse não precisar ser necessariamente psicólogo.
Se trabalha não apenas com crianças . Tudo aquilo que pode
favorecer ou comprometer o aprendizado é de fundamental
interesse do psicólogo escolar.
- Espaço Físico – compromete a relação de aprender.
-Treinamento – em necessidade gritantes tem-se que priorizar algo.
Se o professor não conseguisse ministrar em tal turma, o trabalho do
psicopedagogo é analisar o trabalho do professor e treina-los.

sprite@infonet.com.br
Rodrigo Cardoso Teixeira Chaves
Profª Jarbene de Oliveira Silva (e-mail: jarbenes@bol.com.br)

-Palestras – com finalidade de trazer as famílias apara as escolas.


É muito comum solicitar que os pais dos alunos ofereçam sugestões
temas a serem trabalhados, pois os trabalhos sugeridos fazem parte do
cotidiano dos mesmos. Desta forma , os psicólogos orientam.
-Encaminhamento (não é interessante nem ético o profissional fazer
tratamento clinico na escola, tem que se observar o todo, se percebe
q um determinado aluno tem um défict tem q ser para um todo e não
para um individualmente.)

PSICOLOGIA ORGANIZACIONAL

 Prazer => motivação => Saúde – uma das formas de motivar um um


funcionário é em aumento de salário, mas se em uma empresa
aumentar o salário ela pode falir. Por isso existem outros meios de
motivação. O psicólogo vai buscar transformar o ambiente de
trabalho prazeroso, atrapalhando a produtividade. Não é
preocupação com os funcionários é comprometimento com a empresa.
Funcionário saudável produz, na realidade a empresa esta
preocupadíssima com a produtividade. Existem varias formas de
motivar o funcionário. Em algumas repartições e empresas existem
fotos de funcionário do mês, isso eh uma forma de reconhecimento.

Recrutamento e Seleção - >

PREVENÇÃO: tem uma síndrome chamada de KAROSHI (no japao


uma empresa fez uma pesquisa e percebeu q tinha um percentual na
empresa morrendo , morte súbita, apesar de níveis saudáveis, depois
chegaram a conclusão que elas estavam recebendo uma carga de
estress que o organismo parou ESTRESS ALTISSIMO, tipo carga
horária de trabalho, a cobrança sobre a produtividade, horários de
alimentação etc... dinâmica doentia, outra chamada de BURNOUT
(atinge as classes de professores , médicos etc. A diferença e que esse
estimo depressor encontra-se no AMBIENTE DE TRABALHO ,
vai se desenvolvendo cada vez demais, perde a capacidade de
armazenar algo memória de curto prazo) e DEPRESSÃO. Existem
algumas patologias sendo desenvolvidas no contexto do trabalho.
Existem pessoas que não tem perfil de liderança., de delegar funções.
Quando ele faz essa seleção ele faz com que o funcionário fique com
um sentimento desconsertáveis . TRICOTILOMANIA – vem da
ansiedade, diária, inadequada de aliviar a tensão arrancando pelos

sprite@infonet.com.br
Rodrigo Cardoso Teixeira Chaves
Profª Jarbene de Oliveira Silva (e-mail: jarbenes@bol.com.br)

PSICOMETRISTA
 Desenvolve instrumentos que avaliam e mensuram habilidades e
capacidade mental. São profissionais da psicologias

1) Psicologia Social

 Estudos e pesquisas que possibilitem a compreensão da participação


do Social na alteração do comportamento, ou seja a participação
do todo alterando o individuo. Ex. a compra de um apartamento ao
invés da casa, apesar da preferência da casa compra-se o apt no intuito
de segurança.

2 UNIDADE
18) Faça um BREVE HISTÓRIO DO SURGIMENTO DA
PSICOLOGIA JURÍDICA.

1- Final do século XIX: a primeira aproximação entre a psicologia e o


direito surgiu no final deste século. O nome era PSICOLOGIA DO
TESTEMUNHO, pois, deve ter havido alguma necessidade no objeto
jurídico para ‘pedir’ apoio a outra ciência. O que era apenas duas
intervenções, hoje existe várias intervenções na área da psicologia no
ramo do direito. Na psicologia do testemunho só tinha duas funções, quais
sejam:

a) avaliar a veracidade/fidedignidade do relato do sujeito envolvido


em causas com a justiça: tinha que investigar se o testemunho da pessoa
era verdadeira ou não ou até mesmo saber se o agente tinhas problemas
mentais ou não, procurando saber até que ponto é real, não sendo apenas
algo criado pela pessoa. Eles acreditavam que o universo jurídico não
tinha competência para avaliar;

sprite@infonet.com.br
Rodrigo Cardoso Teixeira Chaves
Profª Jarbene de Oliveira Silva (e-mail: jarbenes@bol.com.br)

a) analisar os comportamentos passíveis de ação jurídica: apresentar


ao mundo jurídico quem é este ser, saber ate que ponto o
comportamento do sujeito está dentro de um padrão de normalidade,
até porque para que se julgue alguém tem que saber se o agente e
imputável, inimputável ou semi-imputável, e a ciência jurídica não
tinha competência sobre tal fato, isso altera não sua condição, ou seja,
como o agente irá pagar a sua pena. No processo de ressocialização do
sujeito, em alguns fatos o mesmo precisa de acompanhamento
medicamentoso, pois o direito penal no Brasil tem caráter retributiva e
ressocializadora;

2- CONSIDERAÇÕES INICIAIS: a psicologia não realiza intervenções


apenas na área clinica, temos um leque de opções até que se chegue a
psicologia jurídica. Inicialmente foi dito que não era possível entrar o
conceito de psicologia jurídica sem saber o que seria a psicologia em si.
Em 1980-1985 foi uma data muiti importanto, pois um grupo de recém
formandos se uniram e foram oferecer o seu trabalho no TJ/SP e
encontravam uma certa dificuldade, pois seria um trabalho voluntário,
mesmo assim eles aceitaram. Não existia uma aceitação no universo
jurídico com outras ciências. Eles ficaram 06 meses. A primeira vista a
única visão da psicologia era o atendimento. Foi criado um ponto de
atendimento, eles realizam um trabalho de conciliador, quando tratava-se
em litígios em direito de família. Com o passar do tempo eles começaram
a entrar no universo jurídico, avaliando as penas. Desta feita, eles ficaram
05 anos, sendo que em 1985 surgiu o primeiro cargo de psicólogo jurídico
no TJ/SP, reconhecendo que a área de psicologia pode contribuir com a
ciencia do direito.

19) Diferencie PSICOLOGIA FORENSE de PSICOLOGIA


JURÍDICA

-> Na PRÁTICA não existe diferença, a psicologia jurídica é o


profissional psicólogo atuando junto a área do direito. Na argentina diz-se
psicologia forense, pois os profissionais atuam mais em fóruns. No Brasil
utiliza a psicologia jurídica por ser mais amplo, não importando onde o
mesmo atua. É muito comum alguns profissionais afirmar que são
psicólogos forenses, mas conceitualmente é a mesma coisa.

20) Conceitue : PSICOLOGIA JURÍDICA.

• É a área de especialidade da psicologia que trabalha junto ao direito,


atuando em diferentes setores através da análise do estudo do

sprite@infonet.com.br
Rodrigo Cardoso Teixeira Chaves
Profª Jarbene de Oliveira Silva (e-mail: jarbenes@bol.com.br)

comportamento e visa informar, acompanhar e promover a saúde mental


dos que estão evolvidos em causas na justiça.

21) Explique o PAPEL DA PERÍCIA para os psicólogos jurídicos e


QUAIS OS SEUS CRITÉRIOS?

3- Perícia: avaliar o comportamento do sujeito, avaliar o transtorno do


agente.

a) ANALISAR A VERACIDADE DOS INSTRUMENTOS


UTILIZADOS: os instrumentos realizados em perícia ou avaliação
psicológica são os testes. Quem pode tornar o instrumento falho é o
avaliador.

Ex1.: Um psicólogo foi a São Paulo avaliar um colega, e foi


percebido que o mesmo avaliava um instrumento de forma muito
interessante. Esse psicólogo achou interessante e resolveu levar para
o seu Estado.

Isto não pode fazer, pois existem testes que são regionalizados. Os
testes globais podem sim. Tem que haver muito cuidado, pois existem
alguns comportamentos que quando se avaliar a normalidade e
anormalidade, respeitando a ética.

Ex.2: Existem alguns comportamentos que em Sergipe é normal, e


em outros locais não são normais, como o caso do pai que beijou a
filha na piscina do hotel.

Nem todo comportamento anormal não é ilegal, no entanto nem todo


comportamento normal é legal (tirar xérox de livros, pois trata-se de
plágio). Levando isto em consideração, existem situações que levam o
psicólogo a fazer testes específicos e globais. Se o teste não poderia ser
aplicado e foi, pode alterar até mesmo a vida de alguém.

b) ESTRUTURAÇÃO TEMPORAL: até o tempo do teste. Se passar o


tempo necessário, esse teste será invalidado. Se o teste foi feito para
durar 5 minutos, não pode ser ultrapassado. Não pode tirar cópia de
teste psicológico, pois até as cores influenciam no mesmo.

Ex.: A professora não sabia que uma pessoa seria aluno dela, e esta
pessoa estava discutindo com um determinado rapaz numa festa. A
professora se aproxima juntamente com um psicólogo, e esta

sprite@infonet.com.br
Rodrigo Cardoso Teixeira Chaves
Profª Jarbene de Oliveira Silva (e-mail: jarbenes@bol.com.br)

profissional fecha um diagnóstico sobre a pessoa. Isso é uma


avaliação completamente equivocada.

Com isso, essa estruturação poder ser conceituado como identificar a


vida pregressa da pessoa, saber como é o comportamento do agente.
Não pode avaliar só o momento, e sim o todo.

c) ÉTICA: no sentido das informações. Se o juiz quiser saber o que o


acusado comentou com você nos contatos que vocês tiveram. Só pode
passar para o juiz que seja relevante para a decisão, não pode entrar em
detalhes das informações prestadas em cada encontro. Pode-se
comentar com outro profissional com o objetivo de trocar
experiências, não dizendo o nome do paciente;

d) CONSIDERAR ASPECTOS BIOLÓGICOS DE


PERSONALIDADE, SÓCIO-HISTÓRICOS: quando se vai realizar
uma avaliação em um ser humano não pode considerar só o
psicológico, o meio social ou biológico. Enquanto seres humanos
somos o todo, por isso uma avaliação seria todos os profissionais.

22) Quais as ÁREAS DE INTERVENÇÃO DA PSICOLOGIA

1- Art. 145: os psicólogos ficam a mercê da decisão do juiz. O juiz é quem


solicita o perito. No art. 145, do CPC, afirma que, quando não for da
competência do juiz, ele fica a mercê da solicitação do perito. Não tem
nada que obrigue o juiz solicitar. Mas se não tem condições técnica, teoria
e cientifica, deve-se solicitar a opinião de um perito. De certa forma não
tem nada que obrigue, mas de acordo com o artigo se ele não responde
nem tecnicamente nem cientificamente, o mesmo deverá recorrer ao art.
145, do CPC. Como foi visto no ‘id,’, ‘ego’ e ‘superego’, se a pessoa não
tem o superego, a pessoa é movida a puro desejo. Com isso alguém pode
fingir um comportamento para fazer o que foi feito anteriormente, como
em alguns casos de pessoas com anomalia como os pedófilos, por isso a
importância do perito.
Art. 145. Quando a prova do fato depender de conhecimento
técnico ou científico, o juiz será assistido por perito, segundo o
disposto no art. 421.

sprite@infonet.com.br
Rodrigo Cardoso Teixeira Chaves
Profª Jarbene de Oliveira Silva (e-mail: jarbenes@bol.com.br)

2- DIREITO PENAL: vai fazer avaliação da inimputabilidade. Apresentar


ao juiz quem é este ser, como também apresentar o diagnostico,
lembrando que não precisa entrar em detalhes, só precisa saber se o seu
comportamento influencia na patologia.

a) AVALIAÇÃO DA INIMPUTABILIDADE: o inimputável não


responde pelos seus atos, os esquizofrênicos;

b) PERSONALIDADE CRIMINOSA: como exemplo, o semi-imputável é


o pedófilo. Saber qual a possibilidade de reincidência, para avaliar um
criminoso eventual de um habitual. O laudo rico seria um laudo de uma
equipe. O psicopata também é classificado como semi-imputável. O semi-
imputável tem uma capacidade relativa, ele sabe que está fazendo algo
errado mas não tem controle.

3- NO JUIZADO DA INFÂNCIA: vai realizar avaliação do estado


psicológico.

a) AVALIAÇÃO DO ESTADO PSICOLÓGICO:


a.1) adotantes: existem motivações diferenciadas para uma adoção. Ex.:
um casal não pode ter filhos, e adotam a criança para ‘segurar o
casamento’, com isso mostra a função que a criança tem.

a.2) adotados: quando os adotantes entram em processo de adoção, eles


devem ser apresentados a terceiros, para perceber se existe algum
patologia, para não ocorrer uma rejeição. Às vezes a criança sofre de
alguma patologia, que precise de uma condição financeira muito boa,
sendo que não é a condição financeira que define a adoção, e sim os
vínculos afetivos. Existem 07 contatos com o psicólogo antes do processo
se concluído.

a.3) situação risco: quando a criança é adotada, no 1º ano deveria existir


visitas, e na prática não acontece isso. Como existe um processo de
adequação, muitas situações podem ocorrer. Ex.: Se um militar é
aprovado no concurso, mas na hora de tomar posse de uma arma se perde,
muda a sua personalidade. O papel desse profissional é fazer esse
acompanhamento.

a.4) indicação de medidas sócio-educativas: faz um trabalho junto ao


SENAM, que são medidas que ajudam a alterar a falta de pensar desses
sujeitos. São trabalhos de tirar meninos da rua, ou seja, é uma forma de
canalizar o pensamento para algo mais construtivo.

sprite@infonet.com.br
Rodrigo Cardoso Teixeira Chaves
Profª Jarbene de Oliveira Silva (e-mail: jarbenes@bol.com.br)

4- DIREITO DO TRABALHO

a) ‘acidentes’ de trabalho: acidente da uma conotação física, não seria


físico, mas qualquer situação que venha gerar seqüelas emocionais. Se
alguém alega que desenvolveu determinada patologia ou
psicopatologia terá que solicitar um laudo para confirmar ou negar a
afirmação da pessoa.

b) Incapacidade funcional: existem algumas psicopatologias que podem


tornar o ser incapaz (burnout). Na prática, a principal demonstração de
incapacidade funcional será para o mesmo receber as suas verbas
trabalhistas.

c) Readaptação funcional: uma vez que já está em caráter, se for


constatado que existe uma psicopatologia, se for indicação do
psicólogo do trabalho e aceito pelo juiz, no momento que o sujeito
retorna, a pessoa irá assumir outro cargo, pois existem patologias que
incapacita, destrói, com isso não tem como a pessoa retornar ao
mesmo cargo.

5- DIREITO DE FAMÍLIA:

a) Redução de danos emocionais: essa função do psicólogo na área de


família, se torna o objetivo geral em qualquer âmbito que o profissional
psicólogo vai atuar. É mais um suporte emocional.

b) Separação: No caso de separação o juiz pede que as partes conversem


com o psicólogo. Geralmente quando se separa uma das partes não quer, e
reage de uma maneira diferenciada, e muitas das vezes usam os filhos,
chamado de síndrome de alienação parental. Existe um questionamento
chamado de perguntas chaves, e faz com que o individuo venham a pensar
se realmente é isso que eles querem para evitar danos emocionais,
principalmente os filhos;

c) Guarda dos filhos: Depois da separação se preocupa com a guarda dos


filhos. Hoje há a guarda compartilhada, que precisa haver o diálogo, o
respeito. A guarda compartilhada é a tentativa de manter o contato da
criança com os seus referenciais (pai e mãe). Se a criança assiste
discussões, é melhor que não aconteça (a guarda compartilhada). A
preocupação com a síndrome de alienação parental, que em sua maioria
era melhor o casal entrar em um consenso, percebendo que não ocorre

sprite@infonet.com.br
Rodrigo Cardoso Teixeira Chaves
Profª Jarbene de Oliveira Silva (e-mail: jarbenes@bol.com.br)

isso, foi percebido que muitas das vezes a parte rancorosa se sente traída,
e ela(e) começa a utilizar o filho, dificultando o encontro do filho com o
pai, e o pior, essa síndrome quer dizer implantação de falsa memória, de
idéias, falsas.

6- PSICOLOGIA CARCERÁRIA OU PENITENCIÁRIA:

a) Recluso: o profissional vai lhe da com recluso, colaborando


demonstrando que é este ser, se é inimputável, se vai cumprir pena em
hospital psiquiátrico, etc. Deveria existir profissional psicólogo
permanente nos presídios, mas a demanda é muito grande para os
profissionais concursados. Existe um remanejamento em função e nem
todo profissional do âmbito jurídico que trabalhar em presídio, até porque
no presídio o risco é bem maior. Quando convoca o profissional é para
fazer uma avaliação psicológica no momento da soltura do preso. São
profissionais mal remunerados, como também os trabalhos que tentam
realizar são boicotados;

b) Agentes: existem algumas profissões que algumas psicopatologias são


comuns. Policial que desenvolve a mania que está sendo vigiado, seguido,
etc. Desenvolve também a agressividade, estendendo o modo agressivo
com os seus familiares;

c) Família: Quando a pessoa sai para cumprir pena, essa pessoa é censurada
o tempo todo pela família.

7- VITIMOLOGIA: VIOLÊNCIA CONTRA À MULHER

Familiares: o psicólogo deve atuar junto com a mulher e seus familiares.


Hoje com a lei Maria da penha, terceiros podem prestar queixa. As
mulheres são movidas pelo medo, acreditando que pode se repetir, como
também a justiça é desacreditada por elas.

23) EXPLIQUE AS TEORIAS DO COMPORTAMENTO


CRIMINOSO

1- ESCOLA CLÁSSICA: sofreu influencia do iluminismo quem vem de


luz, quer dizer razão, se o homem é dotado de razão, ele é dotado de livre
arbítrio. Quando ele comete um crime, foi apenas porque ele fez mal uso
de sua liberdade. Se deixa subentendido que o homem teve a capacidade

sprite@infonet.com.br
Rodrigo Cardoso Teixeira Chaves
Profª Jarbene de Oliveira Silva (e-mail: jarbenes@bol.com.br)

de escolha, e os inimputáveis escolheu fazer mal uso de sua liberdade? A


sua doença mental gerou o comportamento de sua conseqüência.

a) Livre-arbítrio

2- ESCOLA POSITIVA (Cesare Lombroso): a idéia clássica era tido


como loucura. Cesare é pai da antropologia criminal, que afirma que o
criminoso já nasce criminoso, a idéia é totalmente contrária à escola
clássica.

a) Teoria do Criminoso Nato (TCN): Lombroso na visão de muitos


estudiosos chegou a extrapolar, ele disse que conseguia identificar um
criminoso na sociedade. Ele dizia que ao nascer se identificasse
características que ele descreve de um criminoso, ela devia ser contida.
b) Aspectos genéticos;

c) Beccaria: ‘Homem, conheça a justiça’. Quer dizer que uma vez que
esse homem faz mau uso da sua liberdade, ele será apresentado a
justiça.

d) Lombroso: ‘Justiça, conheça o homem’. Se ele diz que o criminoso


nasce criminoso, a justiça identificando-o tem que tirar do convívio
social.

24) Quais as EXPLICAÇÕES ou PARAMETROS PARA O


COMPORTAMENTO CRIMINOSO?

3- Parâmetros: Nós somos a soma dessas partes. Se a causa não é biológica,


no mínimo influenciou, e assim sucessivamente.

a) Biológico: genética. É a teoria de Lombroso. Se existe alguma


alteração no fisiológico que representasse um comportamento
criminoso. Filtrando as informações de Lombroso, chegou ao aspecto
genético.

b) Psicológico: anomalia, lesão moral, ética. Existe um autor chamado


Garofalo diz que o criminoso tem uma espécie de anomalia moral,
ética, que é lesão do superego. De tanto as pessoas se questionarem
sobre todo crime, foi analisado um estudo sobre doença mental e
crime.

c) Social.

sprite@infonet.com.br
Rodrigo Cardoso Teixeira Chaves
Profª Jarbene de Oliveira Silva (e-mail: jarbenes@bol.com.br)

25) Qual a RELAÇÃO CAUSUAL ENTRE DOENÇA MENTAL E


CRIME E TRANSTORNO DE PERSONALIDADE?

4- Relação causal entre doença mental, crime e transtorno de


personalidade: Inicialmente louco era visto como alguém que foi
possuído pelo demônio, o tratamento era na paulada para o demônio sai
do corpo. Tinham pessoas que chegavam a morrer ou os surtos
continuavam e cada vez mais severos. Depois foi tratamento de choque e
atualmente a medicação. Surgiram alguns estudiosos, um deles chamado
STONE, que dizia que iria comprovar se existia alguma relação entre
doença mental e crime. Ele foi ao manicômio judiciário, lá tinha pacientes
psiquiátricos que tinham histórico de agressividade. Primeiro, no
manicômio judiciário vai encontrar loucos criminosos, com isso ia
encontrar a relação causal. Para completar, tinha histórico de
agressividade, com isso, quem garante que o crime foi cometido pela
agressividade. Surge HADDS, ele critica pelo histórico de
agressividade, mas foi para o manicômio judiciário com criminosos, mas
tinha o uso das drogas. Diante disso surge o estudioso PAULO
SERGIO RIGONATTI, ele afirma que esses estudos não
levavam a nada, que tudo era loucura. Para Paulo Sérgio, se alguém quer
constatar um nexo causal entre doença mental e crime deveria ir ao
sistema penitenciário, onde lá veria realidade, sendo que lá tinha um
percentual de doentes mentais. Ele estudou homicidas e estupradores,
sendo que 97% desse pessoal não tinha doença mental, mas sofria do
transtorno chamado TPAS (transtorno da personalidade antissocial).
O primeiro nome dado a essa transtorno foi devaneio sem delírio
(psicopata). Apesar de parecerem loucos, quando se fazia avaliação
percebia que não eram loucos, faltava o delírio, que é quem não tem
ciência do que faz. Parecem loucos mas não são, não preenchem os
requisitos necessários. O segundo nome dado por Lombroso foi o
psicopata, o ‘pata’ vem de ‘patia’ (doença na mente), o ser nascia
criminoso. Outro termo foi o sociopata, que seria uma doença que recebe
influencia do meio. Tudo isto tanto faz, que estará se referindo ao TPAS.
Com isso deve existir classificação para esse criminoso, de acordo com
Rigonatti. Com isso, a ciência dividiu em primário e secundário. Ana
Beatriz dividiu da seguinte forma:

a) Leve: são os estelionatários.


sprite@infonet.com.br
Rodrigo Cardoso Teixeira Chaves
Profª Jarbene de Oliveira Silva (e-mail: jarbenes@bol.com.br)

b) Moderado: tem princípios, não mata, mas manda matar.

c) Severo: não manda, faz o serviço

Ana Beatriz dizia que existem diversas formas para destruir a vida de alguém
sem ser através de agressões, que seria destruir sonhos, esperanças, etc. Diante
disso, nós convivemos com essas pessoas. Existem algumas profissões que
chamam atenção desses transtornos, como os policiais.

25 – Quais são os níveis de PISICOPATIA?

a) Primário: a ciencia se sentiu na obrigação de esclarecer. O primário


existe ainda uma capacidade de sentimento. Tem uma capacidade de
racionalização muito grande, ou seja, nas situações corriqueiras da vida
afastar a emoção e viver somente com a razão. São pessoas que há uma
possibilidade de uma alteração.

b) Secundário:, no secundário existe uma incapacidade emocional. É por


isso que o primário ainda tem tratamento, o secundário nem tratamento
tem. O secundário são pacientes extremamente difíceis. O grau é muito
mais severo que o primário. Existe uma alteração no sistema límbico, que
o torna incapaz de amar. Deveria ser semi-imputável, mas é considerado
imputável, que responde por seus atos. Se ele for classificado como semi-
imputável, será reduzido a pena.

26 – CITE ALGUNS ASPECTOS PSICOLÓGICOS DO T P A S


( transtorno do psicopata anti-social)

Aspectos psicológicos do TPAS: não há necessidade de ter todas as patologias,


mas a maioria, ficando de fora apenas três características. Essas características
se apresentam de maneira esporádica e de forma continuada. Quem nunca teve
ausência de autopercepção? Em um momento ou outro nós somos, mas está
presente no dia a dia já não é normal. A maioria de forma continuada já é de se
preocupar. Como a pessoa tem incapacidade de amar, o mesmo não percebe
também em um terceiro.

1- Desprezo à obrigações sociais: tem dificuldades em cumprir horário, a


pessoa não consegue cumprir uma disciplina. Sai e sempre esquece a
carteira em casa. Acreditam que enganam à todos. Reforça a imagem que
é superior aos outros.

sprite@infonet.com.br
Rodrigo Cardoso Teixeira Chaves
Profª Jarbene de Oliveira Silva (e-mail: jarbenes@bol.com.br)

2- Egocentrismo patológico: todos já fomos egocêntricos. O patológico


surge com freqüência, sempre eles em primeiro lugar. A prioridade é
sempre ele, por isso não pensa em duas vezes em mentir, etc. O primário
mente, o secundário excede o limite.

3- Emoções superficiais: se enquadra no nível primário. Existe emoção mas


se torna superficial, eles resistem. No secundário inexistem. Como
racionalizam o tempo todo, o psicólogo vai apresentá-los a esses
sentimentos em quem está enquadrado no primário.
4- Falta de autopercepção;
5- Pobre controle da impulsividade;
6- Baixa tolerância à frustração: não aceitam um ‘não’. Faz a outra pessoa
se sentir culpado.
7- Ausência de culpa;
8- Cínicos;
9- Manipuladores;
10- Incapazes de manter uma relação duradora;
11- Déficit emocional.
12- Promiscuidade sexual;
13- Fluencia verbal;
14- Conversa agradável e divertida;
15- Respostas rápidas e inteligentes;
16- Auto valorização
17- Tendência ao tédio;
18- Distúrbio de conduta na infância;
19- Ausência de metas realistas a longo prazo;
20- Mentira patológica;
21- Fracasso em se responsabilizar pelos atos.

sprite@infonet.com.br

Оценить