Вы находитесь на странице: 1из 7

UNIVERSIDADE METODISTA DE ANGOLA

FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÓMICAS E EMPRESARIAIS

Trabalho De Investigação De
Sociologia do Trabalho e das Organizações

TEMA:

Mundialização Das Organizações

Curso: Gestão E Administração De Empresas


Ano: 2ª

O Docente: Emingarda António

Luanda
2020
Trabalho De Investigação De
Sociologia do Trabalho e das Organizações

TEMA:

Mundialização Das Organizações


Agradecimentos

Agradecemos inicialmente à
Dedicatória

Dedicamos este Trabalho à


Resumo

A origem das organizações internacionais contemporânias remotam dos meados do


secúlo XIX, com a criação de mecanismos institucionais que facilitavam a cooperação
tecnica entre as entre as grandes potencias Europeias da época. Muito embora as releções
internacionais já existisssem, estas, passam a ser realizadas com mais vigor após a II
guerra Mundial e a Guerra Fria, com as mudadanças que se deram no sector productivo”f”
criando forte impacto na económia, na política e no mercado trabalhista à nível mundial. Por
esta altura, começam a florecer diverças organizações internacionais reorganizadas ou
formalmente criadas, á partir de acordos ou tratados nas mais variadas áreas, que de um
modo coperativo trabalhavam em conjunto buscando avanços económicos, sociais e
políticos para os países membros.

Estas intituições como a ONU(1945), OMS(1948), OIT(1919), FMI(1945) e muitas


outras vinham dar resposta aos varios problemas de forum das políticas de administração
pública, políticas económicas, politicas do mercado de trabalho(mas propiamente para os
sindicatos dos trabalhadores), etc, para evitar a repetição das desastrosas políticas nestes
âmbitos que reflectiam a conjuntura vivida naquele cenário.

De lá pra cá, as cooperações entre os países foram se intensificando e cada vez mais sendo
aceleradas. Desde o início dos anos 1990 (ano em que se deu a abertura económica), as
empresas começaram a sentir a necessidade de aumentar não só a sua produtividade mas
também, a de elevar a qualidade dos seus produtos, pois estavam agora a se colocarem em um
mercado muito maior onde a competitividade dava passos mais largos.

É óbvio que tanto quanto, ou talvez menos, as empresas recebem incentivos para venderem os
seus produtos ao exterior, elas também encontram impasses marcados pelas barreiras
alfandegárias e aduaneiras(encargos, taxas, tarifas), burocracias excessivas, custos dos
transportes, legislação pouco efectiva e muito complexa, e ainda os tributos pagos para
exportação.

Ao longo do deste trabalho investigativo procuraremos abordar então todos estes factores.
INDICE
Introdução

Mundialização é a troca cultural, de informações e conhecimentos entre sociedades,


vizinha ou não, com incidência política, económica, cultural, tecnológica, e até religiosa, foi
acelerado na segunda metade do século XX. É um movimento crescente de trocas aceleradas,
contínuas e ao mesmo tempo desiguais dependendo da aproximação, do acesso a línguas,
culturas, etc. Representa a consciência de que os fenómenos se apresentam inter-
relacionados, independentemente das fronteiras territoriais, das diferenças étnicas,
linguísticas, religiozas etc.
A mundialização não implica a ausência de independência”” entre as sociedades. Embora as
trocas de conhecimento e informação são muito abrangentes, ainda assim, mantêm-se a
“individualidade” de cada uma destas mesmas sociedades. Sociedades estás, que são
essencialmente formadas por organizações.
.

Na nossa perspectiva, importa que se desdobre o tema, encetando sobre conceito de


Organização, como e porquê surgiu, classificando-as, abordando sua evolução histórica e
finalmente a internacionalização ou Mundialização destas estruturas organizacionais.