Вы находитесь на странице: 1из 37

Introdução

Símbolos de soldagem

importante meio técnico em engenharia para transmitir


informações.

fornecem todas as informações necessárias à soldagem, tais


como:

geometria;

dimensões do chanfro;

comprimento da solda;

se a solda ser executada no campo, etc. (Este item se baseia nas


normas AWS A2.1, AWS A2.4 e NBR 5874, que tratam
especificamente deste assunto).

Posicionamento dos símbolos

Os símbolos de soldagem são posicionados acima ou abaixo da


linha de referência, dependendo da localização da seta em
relação à junta, a saber:

Símbolo abaixo da linha de referência corresponde a uma solda


realizada no mesmo lado que a seta aponta.
Símbolo acima da linha de referência corresponde a uma solda
realizada do lado oposto ao que a seta aponta.
Soldas envolvendo operações em ambos os lados da junta,
possuem símbolo nos dois lados da linha de referência

Símbolos básicos de solda


A simbologia básica referente à soldagem, divide as soldas em:

solda em chanfro,

solda em Ângulo,

solda de fechamento ou de aresta,

solda de suporte e outros tipos de soldas.

Em geral, os símbolos são semelhantes à configuração da solda


a ser realizada.

Os símbolos de solda em:

ângulo com chanfro, em chanfros em meio V, em K, em J, em


duplo J e com uma face convexa a soldas de fechamento ou de
aresta entre uma peça curva ou flangeada e uma peça plana são:

sempre indicados com uma perna perpendicular à esquerda do


símbolo.
Veja a seguir os desenhos dos símbolos básicos de soldagem, os
quais, na prática, podem ser executados por meio de um
esquadro e alguns gabaritos correspondentes.

Símbolos suplementares de solda


São aqueles que detalham ou explicam alguma característica do
cordão de solda.

Em geral, são representados na linha de referência junto à linha


de chamada.
Representação dos Símbolos
A linha de referência deve estar na horizontal e a linha de
chamada deve fazer um ângulo de 60°, segundo a figura 3.6.

“Linha quebrada”
significa que a mesma para um membro específico da junta que
deve ser chanfrado.
Referências, onde anotá-las?
Referências, tais como:

especificações,

processos de soldagem,

número do procedimento,

direções,

e outros dados:

quando usados com um símbolo de soldagem, devem ser


indicados na cauda do símbolo.

Se tais referências não são usadas, a cauda poderá ser


dispensada

Dimensionamento das Soldas


Vejamos alguns exemplos práticos do dimensionamento de
juntas soldadas:

JUNTA DE ÂNGULO – SOLDA EM ÂNGULO


JUNTAS DE ÂNGULO – SOLDAS EM CHANFROS

JUNTAS DE TOPO

JUNTAS DE ÂNGULO EM “L” E EM “T” – SOLDAS EM CHANFRO


COMBINADA COM SOLDA EM ÂNGULO

SOLDA DE TAMPÃO EM FURO CIRCULAR

SOLDA DE FECHAMENTO OU DE ARESTA

SOLDA POR PONTO OU POR PROJEÇÃO

SOLDA DE COSTURA

SOLDA DE REVESTIMENTO

SOLDA EM CHANFRO COM UMA FACE CONVEXA OU COM


FACES CONVEXAS.

Postado em Aulas | Sem Comentários »

DESCONTINUIDADES EM FORJADOS e/ou


LAMINADOS
dezembro 20th, 2010 | Autor admin

Dobra – Descontinuidade localizada na superfície da peça,


resultante do caldeamento incompleto durante a laminação ou
forjamento.

Dupla-laminação – Descontinuidade bidimensional paralela à


superfície da chapa, proveniente de porosidade ou rechupe do
lingote que não se caldeou durante a laminação.

Lasca – Descontinuidade superficial alinhada proveniente de


inclusão ou de porosidade não caldeada durante a laminação.

Segregação – Concentração localizada de elementos de liga ou


de impurezas.

Além de produzir radiografias de alta qualidade, o radiologista


deve ser igualmente hábil na interpretação radiográfica. A
interpretação de radiografias acontece em três etapas básicas: (1)
detecção, (2) interpretação e (3) avaliação. Todas estas medidas
fazem uso da acuidade visual do técnico de radiologia. Acuidade
visual é a capacidade de resolver um padrão espacial em uma
imagem. A capacidade de um indivíduo para detectar
descontinuidades em radiografia também é afetada pela condição
de iluminação do local de exibição, e o nível de experiência para
reconhecer as várias características da imagem. O material a
seguir foi desenvolvido para ajudar a desenvolver uma
compreensão dos tipos de defeitos encontrados em soldagens e
como eles aparecem em uma radiografia.

Colo frio é um estado em que o enchimento de solda de metais


não corretamente fundir com o metal de base ou passar o
material anterior solda (INTERPASS colo frio). O arco não derrete
o metal base suficiente e faz com que a poça de água
ligeiramente derretido a fluir para o material de base, sem ligação.

Porosidade Cluster é causado quando o fluxo de eletrodos


revestidos são contaminados com a umidade. A umidade se
transforma em gás quando aquecido e se torna presa na solda
durante o processo de soldagem. Porosidade cluster aparecem
apenas como porosidade regular na radiografia, mas as
indicações serão agrupados juntos.

Inclusões de escória são aprisionadas material não metálico


sólido no metal de solda ou entre o metal de solda e de base. Em
uma radiografia, escuro, recortadas formas assimétricas na solda
ou ao longo das áreas de solda comum são indicativos de
inclusões de escória.

Penetração incompleta (IP) ou falta de penetração (LOP) ocorre


quando o metal de solda não penetrar na articulação. É uma das
descontinuidades mais censurável solda. Falta de penetração
permite um riser stress natural do que uma trinca pode se
propagar. O aparecimento de uma radiografia é uma área escura
com o bem-definidos, bordas retas que se segue a terra ou o
rosto de raiz para baixo do centro da soldagem.

Fusão incompleta é um estado em que o enchimento de solda de


metais não corretamente fundir com o metal base. Aparência na
radiografia: geralmente aparece como uma linha escura ou linhas
orientada no sentido da costura de solda ao longo da preparação
da solda ou aderir a área.
Concavidade interna ou chupar volta é uma condição em que o
metal de solda foi contratado como esfria e foi elaborado na raiz
da solda. Em uma radiografia de ter um aspecto semelhante a
uma falta de penetração, mas a linha tem bordas irregulares e
muitas vezes é bastante amplo, no centro da imagem de solda.

Interno ou raiz inferiores é uma erosão do metal base junto à raiz


da solda. Na imagem radiográfica ele aparece como uma linha
escura irregular deslocamento da linha central da soldagem. Dos
preços não é tão afiado como hetero LOP porque não seguem
uma borda chão.
Externa ou coroa inferiores é uma erosão do metal base junto à
coroa da solda. Na radiografia, ele aparece como uma linha
escura irregular ao longo da borda exterior da área de solda.

Offset ou incompatibilidade termos estão associados a uma


condição em que duas peças sendo soldadas não são
devidamente alinhados. A imagem radiográfica mostra uma
notável diferença de densidade entre as duas partes. A diferença
de densidade é causado pela diferença de espessura do material.
O escuro, a linha reta é causado pela falha do metal de solda para
fundir com a área de terra.

Reforço de solda inadequada é uma área de solda, onde a


espessura do metal de solda depositado é menor do que a
espessura do material de base. É muito fácil determinar pela
radiografia, se o reforço de solda foi inadequada, porque a
densidade da imagem na área de inadequação suspeita será
maior (mais escura) do que a densidade da imagem da base
material circundante.
Reforço de solda em excesso é uma área de um metal de solda
que tem solda adicionada em excesso do que o especificado pelo
desenhos de engenharia e códigos. O aparecimento de uma
radiografia é uma área localizada mais leve na solda. Uma
inspeção visual será fácil determinar se o reforço de solda é
superior à especificada pela engenharia de requisitos.

Fissuras pode ser detectado em uma radiografia, apenas quando


propagação em um sentido que produz uma mudança na
espessura que é paralela ao feixe de raio-x. Cracks aparecerá
como irregulares e por vezes muito ténue linhas irregulares.
Cracks às vezes pode aparecer como “coroa” em inclusões ou
porosidade.

Descontinuidades na solda TIG


As descontinuidades seguintes são próprias para o processo de
soldagem TIG. Estas descontinuidades ocorrem na maioria dos
metais soldados pelo processo, incluindo alumínio e aço
inoxidável. O método de soldagem TIG produz uma solda limpa
homogêneos que, quando radiografadas é facilmente
interpretado.

Inclusões de tungstênio. O tungstênio é um material frágil e


inerentemente densa utilizada no eletrodo na soldagem de gás
inerte de tungstênio. Se os procedimentos de solda inadequada
são utilizados, de tungstênio pode ser aprisionado na solda.
Radiograficamente, o tungstênio é mais denso que o alumínio ou
aço, pois aparece como uma área mais clara com um contorno
diferente na radiografia.

Inclusões de óxido são normalmente visíveis na superfície do


material a ser soldado (alumínio principalmente). Óxido de
inclusões são menos densos do que o material circundante e,
portanto, aparecem como escuras de formato irregular
descontinuidade na radiografia.

Descontinuidades na Gas Metal Arc Soldas (GMAW)

As descontinuidades que se seguem são mais comumente


encontrados nas soldas GMAW.
Bigodes são fios de arame de solda eletrodo, visíveis na
superfície superior ou inferior da solda ou contida dentro da
solda. Em uma radiografia que aparecem como a luz, “o fio
como” indicações.

Burn-Through results when too much heat causes excessive weld


metal to penetrate the weld zone. Often lumps of metal sag
through the weld, creating a thick globular condition on the back
of the weld. These globs of metal are referred to as icicles. On a
radiograph, burn-through appears as dark spots, which are often
surrounded by light globular areas (icicles).

Fusão incompleta – A descontinuidade de solda em que não


ocorreu a fusão entre o metal de solda e fusão faces adjacentes
ou cordões da soldagem.

Mordedura – Um derretimento no metal base adjacente à perna ou


raiz da solda não preenchida pelo metal de solda.

Sobreposição – O abatimento do metal de solda para além do


dedo da perna ou raiz da solda.
Preenchimento incompleto – A condição em que a face da solda
ou superfície radicular estende abaixo da superfície adjacente do
metal base.

Penetração incompleta Comum – A condição de uma raiz comum


no sulco de soldagem em que o metal de solda não se estende
através da espessura conjunta

Parcial soldas groove conjunta de penetração são normalmente


especificados na humilde estruturas carregado. No entanto, a
penetração incompleta comum quando um conjunto de
penetração total é necessária, como descrito acima, seria motivo
para a rejeição. Uma correção para um conjunto de penetração
incompleta seria a volta goiva e solda do outro lado. Outro
conjunto de penetração aceitável parciais é mostrado abaixo.
Parcial penetração conjunta sobre a
esquerda, sem descontinuidades é uma condição aceitável se for
caso disso. Decisões de engenharia adequados precisam ser
aplicados para determinar que tipo de articulação deve ser
especificado para uma determinada aplicação.

Engenharia deve ser contatado para determinar se a penetração


parcial das juntas de penetração total são apropriadas para uma
situação particular.

Acima de várias representações diferentes de solda Cracking

Abaixo está uma representação de um filete de solda convexo,


sem descontinuidades.

Postado em Aulas | Sem Comentários »


DESCONTINUIDADES EM FUNDIDOS
dezembro 20th, 2010 | Autor admin

Chapelim - Descontinuidade proveniente da fusão incompleta dos


suportes de resfriadores ou machos.

Chupagem - Ver termo preferencial: rechupe.

Crosta - Saliência superficial constituída de inclusão de areia,


recoberta por fina camada de metal poroso.

Desencontro - Descontinuidade proveniente de deslocamento das


faces de contacto das caixas de moldagem.

Enchimento incompleto – Insuficiência de metal fundido na peça.

Gota fria – Glóbulos parcialmente incorporados à superfície da


peça provenientes de respingos de metal líquido nas paredes de
molde.

Inclusão - Retenção de pedaços de macho ou resfriadores no


interior da peça.

Inclusão de areia – Areia desprendida do molde e retida no metal


fundido.

Interrupção de vazamento - Ver termo preferencial: metal frio.

Metal frio – Descontinuidade proveniente do encontro de duas


correntes de metal fundido que não se caldearam.

Porosidade – Conjunto de poros causado pela retenção de gases


durante a solidificação.

Queda de bolo – Descontinuidade proveniente de esboroamento


dentro do molde.

Rabo de rato – Depressão na superfície da peça causada por


ondulações ou falhas na superfície do molde.

Rechupe – Vazio resultante da contração de solidificação.

Segregação – Concentração localizada de elementos de liga ou


impurezas.
Trinca de contração – Descontinuidade bidimensional resultante
da ruptura local do material, causada por tensões de contração,
podendo ocorrer durante ou subsequentemente à solidificação.

Postado em Aulas | Sem Comentários »

DESCONTINUIDADES EM JUNTAS SOLDADAS


dezembro 13th, 2010 | Autor admin

Abertura de arco – Imperfeição local na superfície do metal de


base resultante da abertura do arco elétrico.

Ângulo excessivo de reforço – Ângulo excessivo entre o plano da


superfície do metal de base e o plano tangente ao reforço de
solda, traçado a partir da margem da solda.
Cavidade alongada – Vazio não arredondado com a maior
dimensão paralela ao eixo da solda, podendo estar localizado:

(a) na solda (2a);

(b) na raiz da solda (2b).

Concavidade excessiva – Solda em ângulo com a face


excessivamente côncava

Convexidade excessiva – Solda em ângulo com a face


excessivamente convexa
Deformação angular – Distorção angular da junta soldada em
relação à configuração de projeto (Figura A.6), exceto para junta
soldada de topo (ver embicamento).

Deposição insuficiente – Insuficiência de metal na face da solda.

Desalinhamento – Junta soldada de topo, cujas superfícies das


peças, embora paralelas, apresentam-se desalinhadas,
excedendo à configuração de projeto.
Embicamento – Deformação angular da junta soldada de topo.

Falta de Fusão – Fusão incompleta entre a zona fundida e o metal


de base, ou entre passes da zona fundida, podendo estar
localizada:

(a) na zona de ligação (Figura a);

(b) entre os passes (Figura b);

(b) na raiz da solda (Figura c e d).


Inclusão de escória – Material sólido não metálico retido no metal
de solda ou entre o metal de solda e o metal de base podendo
ser:

Alinhada, isolada e agrupada.


Inclusão metálica – Metal estranho retido na zona fundida.

Inclusões de tungstênio. O tungstênio é um material frágil e


inerentemente denso utilizado no eletrodo na soldagem TIG. Se
os procedimentos de solda são inadequados , o tungstênio pode
ser aprisionado na solda. Radiograficamente, o tungstênio é mais
denso que o alumínio ou aço, pois aparece como uma área mais
clara com um contorno diferente na radiografia.

Inclusões de óxido são normalmente visíveis na superfície do


material a ser soldado (alumínio principalmente). Óxido de
inclusões são menos densos do que o material circundante e,
portanto, aparecem como escuras de formato irregular
descontinuidade na radiografia.

Mordedura – Depressão sob a forma de entalhe, no metal de base


acompanhando a margem da solda.
Mordedura na raiz – Mordedura localizada na margem da raiz da
solda.
Perfuração – Furo na solda (Figura a) ou penetração excessiva
localizada (Figura b) resultante da perfuração do banho de fusão
durante a soldagem.

Poro – Vazio arredondado, isolado e interno à solda.


Porosidade é o resultado do aprisionamento de gases no metal
ao solidificar. Porosidade pode assumir muitas formas de uma
radiografia, mas muitas vezes aparecem como manchas escuras
ou redondo irregular ou manchas que aparecem individualmente,
em grupos ou em linhas. Às vezes, a porosidade é alongada e
pode parecer ter uma cauda. Este é o resultado da tentativa de
fuga de gás, enquanto o metal está ainda em estado líquido e é
chamada de porosidade vermiforme. Toda porosidade é um vazio
no material e vai ter uma maior densidade radiográfica do que a
área circundante.

Poro superficial – Poro que emerge a superfície da solda.


Porosidade alinhada – Conjunto de poros dispostos em linha,
segundo uma direção paralela ao eixo longitudinal da solda.

Porosidade vermiforme – Conjunto de poros alongados ou em


forma de espinha de peixe situados na zona fundida (Figura A.20)
Rechupe de cratera – Falta de metal resultante da contração da
zona fundida, localizada na cratera do cordão de solda.
Rechupe interdendrítico – Vazio alongado situado entre dendritas
da zona fundida.

Reforço excessivo – Excesso de metal da zona fundida,


localizado na face da solda.

Respingos – Glóbulos de metal de adição transferidos durante a


soldagem e aderidos à superfície do metal de base ou à zona
fundida já solidificada.
Sobreposição – Excesso de metal da zona fundida sobreposto ao
metal de base na margem da solda, sem estar fundido ao metal
de base.

Solda em ângulo assimétrica – Solda em ângulo, cujas pernas


são significativamente desiguais em desacordo com a
configuração de projeto.
Trinca – Tipo de descontinuidade planar caracterizada por uma
ponta aguda e uma alta razão comprimento e largura.
Trinca de cratera – Trinca localizada na cratera do cordão de
solda, podendo ser:

(a) longitudinal (Figura a);

(b) transversal (Figura b);

(c) em estrela (Figura c).

Trinca em estrela – Trinca irradiante de tamanho inferior à largura


de um passe da solda considerada (ver trinca irradiante).

Trinca interlamelar – Trinca em forma de degraus, situados em


planos paralelos à direção de laminação, localizada no metal de
base, próxima à zona fundida.
Trinca irradiante – Conjunto de trincas que partem de um mesmo
ponto, podendo estar localizada:

(a) na zona fundida (Figura a);

(b) na zona afetada termicamente (Figura b);

(c) no metal de base (Figura c).


Trinca longitudinal – Trinca com direção aproximadamente
paralela ao eixo longitudinal do cordão de solda, podendo estar
localizada:

(a) na zona fundida (Figura a);

(b) na zona de ligação (Figura b);

(c) na zona afetada termicamente (Figura c);

(d) no metal de base (Figura d).


Trinca na margem – Trinca que se inicia na margem da solda,
localizada geralmente na zona afetada termicamente.

Trinca sob cordão – Trinca localizada na zona afetada


termicamente não se estendendo à superfície da peça.
Trinca transversal – Trinca com direção aproximadamente
perpendicular ao eixo longitudinal do cordão de solda, podendo
estar localizada:

(a) na zona fundida (Figura a);

(b) na zona afetada termicamente (Figura b):

(c) no metal de base (Figura c).


Cavidade alongada– Vazio não arredondado com a maior
dimensão paralela ao eixo da solda, podendo estar localizado:
(a) na solda (2a);
(b) na raiz da solda (2b).
Postado em Aulas | 1 Comentário »

TERMINOLOGIA DE DESCONTINUIDADES
dezembro 13th, 2010 | Autor admin

Esta norma define os termos empregados na denominação de


descontinuidades em materiais metálicos semi-elaborados,
oriundos de processos de fabricação e/ou montagem; soldagem
por fusão, fundição, forjamento e laminação. .

Nesta mesma norma é também encontrado um glossário de


termos Português – Inglês e Inglês Português sobre
descontinuidades.

Descontinuidade é a interrupção das estruturas típicas de uma


peça, no que se refere à homogeneidade de características
físicas, mecânicas ou metalúrgicas. Pode ocorrer no metal base,
material de solda ou zona termicamente afetada. Não é
necessariamente um defeito. A descontinuidade só deve ser
considerada defeito, quando, por sua natureza, dimensões ou
efeito acumulado, tornar a peça inaceitável, por não satisfazer os
requisitos mínimos da norma técnica aplicável.