Вы находитесь на странице: 1из 3

BIOÉTICA: A QUESTAO DA INTERDISCIPLINARIDADE E

TRANSDISCIPLINARIDADE

Marlene Boccato e Gláucia Rita Tittanegro

BIOÉTICA – O QUE É E COMO SURGIU?

• Elio Sgreccia, em “O Manual de Bioética” (talvez o primeiro manual que temos à disposiçao), a
define, acima de uma disciplina, como um Movimento de Idéias.
Seria correto então, definí-la como um movimento de idéias, que em caráter inter e transdisciplinar,
busca construir uma sociedade mais justa, preocupada não só com o ser humano, mas com todos os
seres vivos e com o meio ambiente.
• 1970 – Surge o termo Bioética, em um artigo de Van Potter. À partir daí, este movimento de idéias
ou disciplina assumiu proporções surpreendentes. Ele é considerado o pai da Bioética – postura,
decisão, vocação.
• 1974 – Congresso Americano convoca estudiosos em ação interdisciplinar para construir
“Comissão Nacional” com objetivo de repensar as bases éticas necessárias no estudo com seres
humanos.
• 1978 – Warren Reich organizou a “Encyclopedia of Bioethics” - o termo Bioética passa a ser
definitivo. Publicação do Relatório de Belmont, baseado na Declaração de Helsinque, que é uma
revisão do Código de Nuremberg.
• Tom L. Beauchamp e Childress acrescentam o princípio da Não-Maleficência, que era considerado
por eles como independente – não fazer mal é imperativo e obrigatótio.
• A Bioética é notoriamente dividida em Americana ou anglo-saxônica (cunho fortemente positivista,
preocupação pragmática, normativa) e Européia (essencialmente humanista, classificação de
procedimentos como bons ou maus). Na América Latina ela emerge destes dois pensamentos,
criando um discurso próprio e contextualizado.
• Diego Gracia escreve a história de Bioética desde Hipócrates até os dias atuais, dedicando-se
principalmente à evolução do paternalismo médico para uma relação entre médico-paciente,
respeitando princípios como Autonomia, beneficência e Justiça.
• O avanço da biotecnologia, a bioética assume papel central no âmbito das profissões, abarca todas
as áreas e profissionais, que só estarão preparados para o exercício profissional se tiverem, além da
formação técnica, competências para o reconhecimento e análise crítica dos dilemas éticos e morais
e suas implicações na tomada de decisões relacionadas a seus semelhantes, aos outros seres vivos e
ao meio ambiente. Isto tudo a faz campo de ação e interação de profissionais das mais diversas
áreas.
MULTIDISCIPLINARIDADE, INTERDISCIPLINARIDADE E
TRANSDISCIPLINARIDADE

MULTIDISCIPLINARIDADE: Para a solução de um problema é necessário obter informações de


duas ou mais ciências ou setores do conhecimento, sem que as disciplinas envolvidas sejam
modificadas e/ou enriquecidas.

INTERDISCIPLINARIDADE: O nível de interação entre várias disciplinas ou setores da mesma


ciência conduz à reciprocidade nas trocas – enriquecimento mútuo.

TRANSDISCIPLINARIDADE: Envolve a interação ou reciprocidade entre projetos especializados


de pesquisa sem limites entre as disciplinas.

• Pensando o ensino de bioética por intermédio destas definições de Piaget, podemos afirmar que
ela não é mul;tidisciplinar porque “não implica modificações nem das atitudes nem dos
saberes”. - Guy Durand

Segundo Eliane Elisa de Souza Azevedo, a complexidade da bioética consiste justamente na


diversidade de saberes e em seu objetivo didático que é “Abrir horizontes para a percepção de
responsabvilidades morais”. Assume que a bioética é um movimento interdisciplinar.

Ana Paula Pacheco Clemente defende a idéia que “a forma transdisciplinar de trabalho em bioética
proporcionou uma forma de ensino/aprendizagem, na qual profissionais das diversas áreas do
conhecimento, puderam compartilhar situações vivenciadas no cotidiano e buscar soluções mais
justas e adequadas para os problemas muitas vezes negligenciados por serem visualizados sobre um
enfoque específico.”
A bioética é importante para a construção de uma sociedade mais justa, preocupada não só com o
ser humano mas com todos os seres vivos e com o meio ambiente, visto que ao destruir o meio
ambiente estamos nos destruindo, pois dependemos dele para “sobreviver”ou “viver”.Não busca a
padronização de comportamentos mas uma reflexão ponderada das relações que estabelecemos com
os outros, segundo Márcio Fabri uma das condições fundamentais é “garantir um método de
reflexão que seja capaz de ouvir a voz dos vulneráveis e e dos excluídos de participação social.
Conforme nos colocamos em polos diferentes do poder, teremos também, percepções diferentes dos
problemas.
A universalização da educação com qualidade para todos é um caminho para auxiliar no resgate da
autonomia, na diminuição da exclusão, sendo que o reconhecimento da inter ou da
transdisciplinaridade da bioética poderá ajudar para que todos possam fazer e viver bioética.
BIOÉTICA: A QUESTAO DA INTERDISCIPLINARIDADE
E TRANSDISCIPLINARIDADE
Marlene Boccato e Gláucia Rita Tittanegro

Eliete de Arruda Vasconcelos


Lilian Aparecida Fabris
Fernanda
João Batista
Márcia Fátima Folador
Ângela Ruth Furquim Teixeira