Вы находитесь на странице: 1из 15

UNIP – ALPHAVILLE

ENGENHARIA DA PRODUÇÃO – 6º 7º SEMESTRE 2011.1


CONTABILIDADE DE CUSTOS – PROF. J. L. MEDEIROS
AULA Nº 3 = BALANÇO PATRIMMONIAL LEI 11.941/09

BALANÇO PATRIMONIAL

LEI Nº 11.941/09

CONCEITOS
(ATIVO, PASSIVO, PATRIMONIO LIQDUIDO)

EQUAÇÃO FUNDAMENTAL

BALANÇOS SUCESSIVOS

REGIME DE COMPETENCIA

REGIME DE CAIXA

1
UNIP – ALPHAVILLE
ENGENHARIA DA PRODUÇÃO – 6º 7º SEMESTRE 2011.1
CONTABILIDADE DE CUSTOS – PROF. J. L. MEDEIROS
AULA Nº 3 = BALANÇO PATRIMMONIAL LEI 11.941/09

I - PRINCIPAIS CONTAS PATRIMONIAIS, COM SEUS RESPECTIVOS


GRUPOS:

Balanço Patrimonial

Empresa ABC

___/ ___/ ___

ATIVO PASSIVO

Ativo
Circulante Passivo
circulant
Curto Prazo e
Curto Prazo

Passivo
não
- ativo realizável a circulante
longo prazo
Ativo
Não - capital social
circulante - reservas de
capital
- ajustes de
- investimentos avaliação
patrimonial
- reservas de lucros
- imobilizado PATRIMONIO - ações em
LÍQUIDO tesouraria -
prejuízos
acumulados
Aplicações Origens de
de Recursos Recursos

2
UNIP – ALPHAVILLE
ENGENHARIA DA PRODUÇÃO – 6º 7º SEMESTRE 2011.1
CONTABILIDADE DE CUSTOS – PROF. J. L. MEDEIROS
AULA Nº 3 = BALANÇO PATRIMMONIAL LEI 11.941/09

II – PRINCIPAIS GRUPOS DE CONTAS DO BALANÇO:

 ATIVO CIRCULANTE = (Contas de Natureza Devedora –


Saldos Devedores):

(QUALQUER CONTA DO ATIVO)


DÉBITO + CRÉDITO -
$ Aumentos $ Diminuições

Caixa e Bancos  Representa o numerário existente na empresa


e depositados em contas bancárias de livre movimentação;

Aplicações de Liquidez Imediata  Representa os recursos


aplicados no mercado financeiro;

Duplicatas a Receber  Também denominadas: Contas a


Receber, e Clientes, representam títulos gerados pelas vendas a
prazo ou pela prestação de serviços faturados;

Saques de Exportação  Representam os direitos gerados pelas


vendas no mercado externo;

Duplicatas Descontadas  Contas credoras representativas de


operações de descontos de títulos junto aos bancos comerciais.
Enquanto os títulos não forem liquidados pelos sacados
(clientes), essas contas constituem um passivo (obrigações) da
empresa, porém devem ser demonstrados no ativo, para
evidenciar o saldo líquido das contas a receber de clientes;

P. C. L. D. (Provisão para Créditos de Liquidação Duvidosa) 


Conta credora que destina cobrir possíveis perdas com valores a
receber de clientes;

3
UNIP – ALPHAVILLE
ENGENHARIA DA PRODUÇÃO – 6º 7º SEMESTRE 2011.1
CONTABILIDADE DE CUSTOS – PROF. J. L. MEDEIROS
AULA Nº 3 = BALANÇO PATRIMMONIAL LEI 11.941/09
Títulos e Valores Mobiliários  Representam as aplicações
financeiras em certificados ou recibos de depósitos bancários a
prazo fixo, letras de câmbio, títulos da dívida pública;

Impostos a Recuperar  Correspondem aos impostos pagos que


serão compensados no futuro com tributos da mesma espécie
(IPI, ICMS, IRRF);

Estoques  Registra os valores referentes às compras efetuadas


de fornecedores, e podem ser subdivididas em: Matéria-Prima,
Materiais Auxiliares, Materiais de Embalagens, Materiais de
Manutenção, Peças de Reparos, Mercadorias, etc.

Despesas do Exercício Seguinte, Pagas Antecipadamente 


Parcelas a serem apropriadas aos resultados proporcionalmente
ao período dos benefícios correspondentes: Prêmios de seguros a
vencer; assinaturas de publicações; anuidades pagas a
instituições diversas; inclusive encargos financeiros cobrados
antecipadamente nas operações nas operações de descontos
bancários.

 ATIVO NÃO CIRCULANTE:

A.) - REALIZAVEL A LONGO PRAZO: (contas de natureza


devedora):-

Integram este grupo os direitos realizáveis após o termino do


exercício seguinte, (vencimento com prazo superior a 360 dias)
bem como os derivados de vendas, adiantamentos ou empréstimos
a sociedades coligadas ou controladas, diretores ou acionistas, que
constituírem negócios usuais na exploração do objeto da empresa.
Desta forma, além de algumas contas já relacionadas no Ativo
Circulante, podemos encontrar neste grupo:

4
UNIP – ALPHAVILLE
ENGENHARIA DA PRODUÇÃO – 6º 7º SEMESTRE 2011.1
CONTABILIDADE DE CUSTOS – PROF. J. L. MEDEIROS
AULA Nº 3 = BALANÇO PATRIMMONIAL LEI 11.941/09

Contas a Receber de Coligadas e Controladas; Contas a Receber


de Diretores e Acionistas  Referem-se a empréstimos,
adiantamentos etc. que devem figurar neste grupo mesmo que
sua liquidação esteja programada para o exercício seguinte.

Empréstimos Compulsórios da Eletrobrás e Outros Empréstimos


Compulsórios, Investimentos Temporários  Participações não
permanentes no capital de outras empresas, investimentos com
incentivos fiscais, etc.

B.1.) - INVESTIMENTOS:

Contas representativas de participações permanentes (não


destinadas à negociação) em outras sociedades e contas que
reflitam direitos de qualquer natureza, não classificáveis no ativo
circulante e que se destinem à manutenção das atividades da
empresa, a saber:

Participações em Coligadas e Controladas  Inversões de


recursos de caráter permanente em ações de empresas as quais
tenha interesse em participar de seu controle;

Participações em Outras Empresas  Inversões de recursos de


caráter permanente e ações de empresas, porém não há interesse
de participar em seu controle;

Outros Investimentos  Constituídos por obras de arte, imóveis


para futura utilização ou para renda, etc;

Provisão para Perda  Conta de natureza credora destinada a


efetuar a equiparação dos investimentos ao valor de mercado.

B.2.) - IMOBILIZADO:

5
UNIP – ALPHAVILLE
ENGENHARIA DA PRODUÇÃO – 6º 7º SEMESTRE 2011.1
CONTABILIDADE DE CUSTOS – PROF. J. L. MEDEIROS
AULA Nº 3 = BALANÇO PATRIMMONIAL LEI 11.941/09
Constituído por inversões de recursos em direitos que tenham por
objeto bens destinados a manutenção das atividades da empresa,
ou exercidos com essa finalidade, inclusive os de propriedade
industrial ou comercial, representados pelas seguintes contas:

Terrenos e Edificações; Maquinas e Equipamentos; Peças e


Conjuntos de Reposição; Ferramentas; Instalações; Veículos;
Móveis e Utensílios; Marcas e Patentes; Florestamento e
Reflorestamento; e, as contas de natureza credora, Depreciação,
Amortização e Exaustão Acumuladas.

B.3.) - INTANGÍVEL:

Compreende as aplicações de recursos em despesas que


contribuirão para a formação do resultado de mais de um exercício
social, inclusive juros pagos ou creditados aos acionistas durante o
período que anteceder o inicio das operações sociais:

Gastos com Implantação e Gastos Pré-Operacionais; Pesquisa e


Desenvolvimento de Produtos; Gastos com Implantação de
Sistemas e Métodos; Gastos de Reorganização;

Amortização (conta de natureza credora).

OBS:- Conforme a Lei 11638/07, o saldo existente nesse subgrupo


em 31.12.07, poderá:

a.) ser baixado no Balanço de Abertura de 2008


contra Lucros ou Prejuízos acumulados (efeitos
fiscais controlados no LALUR);

b.) Alocado em outra conta (Intangível ou


Imobilizado, ou manter sua classificação até sua
amortização.

C.) - PASSIVO CIRCULANTE, E NÃO CIRCULANTE:

6
UNIP – ALPHAVILLE
ENGENHARIA DA PRODUÇÃO – 6º 7º SEMESTRE 2011.1
CONTABILIDADE DE CUSTOS – PROF. J. L. MEDEIROS
AULA Nº 3 = BALANÇO PATRIMMONIAL LEI 11.941/09
As obrigações (origens dos recursos da empresa), devem ser
classificados no Ativo Circulante quando vencerem no exercício
seguinte (até 360 dia.

(QUALQUER CONTA DO PASSIVO)


DÉBITO + CRÉDITO -
$ Diminuições $ Aumentos

C.1.) - PASSIVO CIRCULANTE:

Fornecedores  Refere-se a duplicatas a pagar a fornecedores


nacionais ou a outros títulos representativos de dívidas para com
fornecedores estrangeiros;

Empréstimos  Parcela a vencer no curto prazo referente a


operações contratadas com instituições financeira e outros
agentes.

Impostos, Taxas e Contribuições a Pagar, ou a Recolher 


Valores correspondentes aos encargos da empresa, para com o
governo (Imposto de Renda, Contribuição Social, ICMS, IPI,
ISS, PIS, COFINS etc) se incluído também as contribuições
sociais dos empregados (INSS, FGTS);

Contas a Pagar ou Obrigações a Pagar  Salários, comissões,


juros e encargos financeiros a paga, etc;

Adiantamento de Clientes  Valores recebidos de clientes por


conta de futuros fornecimentos contratados;

Provisões Diversas  Relativas a férias, 13º. Salário,


contingências, etc;

Participações Estatutárias,Imposto de Renda a Pagar (PJ);


Dividendos a Pagar  Valores relacionados com a distribuição
dos lucros do exercício;

Debêntures  São títulos emitidos pela empresa com garantia de


certas propriedades, bens ou aval do emitente; São negociáveis e

7
UNIP – ALPHAVILLE
ENGENHARIA DA PRODUÇÃO – 6º 7º SEMESTRE 2011.1
CONTABILIDADE DE CUSTOS – PROF. J. L. MEDEIROS
AULA Nº 3 = BALANÇO PATRIMMONIAL LEI 11.941/09
conferem a seus titulares direitos sobre a empresa emitente nas
condições da escritura de emissão e do certificado, podendo ser a
curto e a longo prazo;

C.2.) - PASSIVO NÃO CIRCULANTE:

Obrigações contraídas pela empresa cujo prazo de vencimento se


dá em um prazo superior a 360 dias.(Suprimido o Grupo Exigível a
Longo Prazo)

Financiamentos em Moeda Nacional ou Estrangeira  É


utilizado o critério de segregar os financiamentos em moeda
nacional e estrangeiras a fim de facilitar o controle e determinar
as contas sujeitas à atualização por correção monetária ou
variação cambial.
Essas contas registram as obrigações da empresa (origem de
recursos a longo prazo = capital de terceiros) junto a instituições
financeiras do país e do exterior, cujos recursos podem ser
aplicados (destinados) tanto para financiar o Permanente,
quanto o capital de Giro (circulante).

Debêntures  Vide explicação acima;

Provisão para Imposto de renda Diferido  Refere-se à


tributação sobre o lucro não realizado (ex: vendas da construção
civil, cujo recebimento se dará a longo prazo);

Outras Obrigações e Provisões  Valores classificáveis a longo


prazo, cujo pagamento se dará em prazo superior a 360 dias;

D.) - PATRIMONIO LÍQUIDO: (Origem de recursos próprios =


capital próprio)

(CONTAS DO PATRIMONIO LIQUIDO)


DÉBITO + CRÉDITO -

8
UNIP – ALPHAVILLE
ENGENHARIA DA PRODUÇÃO – 6º 7º SEMESTRE 2011.1
CONTABILIDADE DE CUSTOS – PROF. J. L. MEDEIROS
AULA Nº 3 = BALANÇO PATRIMMONIAL LEI 11.941/09
$ Diminuições $ Aumentos

No balanço patrimonial, a diferença entre o valor dos ativos e dos


passivos representa o Patrimônio Líquido, que é o valor contábil
pertencente aos sócios ou acionistas.

A Lei 11.941/091 em relação a composição do “PL” introduziu as


seguintes contas: Capital Social; Reservas de Capital; Ajustes de
Avaliação Patrimonial; Reservas de Lucros; Ações em Tesouraria;
e, Prejuízos Acumulados.

 Capital Social = É o investimento efetuado na


empresa pelos acionistas, é representado pelo
Capital, que abrange não só as parcelas entregues
pelos acionistas como também os valores obtidos
pela sociedade e que, por decisões dos
proprietários, se incorporam ao Capital Social, tais
como: Reservas de Capital, Reservas de lucros,
Ajustes de Avaliação Patrimonial, Ajustes
Acumulados de Conversão <Prejuízos
Acumulados>.

“representam valores recebidos pela empresa, ou


por ela gerados, e que estão formalmente
incorporados ao capital”

9
UNIP – ALPHAVILLE
ENGENHARIA DA PRODUÇÃO – 6º 7º SEMESTRE 2011.1
CONTABILIDADE DE CUSTOS – PROF. J. L. MEDEIROS
AULA Nº 3 = BALANÇO PATRIMMONIAL LEI 11.941/09

a.) – ESTRUTURA PATRIMONIAL:

ELEMENTOS POSITIVOS ELEMENTOS NEGATIVOS


ATIVO = APLICAÇÕES PASSIVO = ORIGENS

BENS ORIGENS DE TERCEIROS


E
DIREITOS ORIGENS PROPRIAS

DÉBITOS CRÉDITOS

b.) MECANISMO DE DÉBITO / CRÉDITO

EFETUA-SE:
CONTAS DO: DÉBITOS CRÉDITOS
AUMENTA DIMINUE
PELA PELA
ATIVO ENTRADA SAIDA
DIMINUE AUMENTA
PEAL PELA
PASSIVO SAIDA ENTRADA
DIMINUE AUMENTA
PELA PELA
PATRIMONIO LIQUIDO SAIDA ENTRADA

10
UNIP – ALPHAVILLE
ENGENHARIA DA PRODUÇÃO – 6º 7º SEMESTRE 2011.1
CONTABILIDADE DE CUSTOS – PROF. J. L. MEDEIROS
AULA Nº 3 = BALANÇO PATRIMMONIAL LEI 11.941/09

CONFIGURAÇÃO DOS ESTADOS PATRIMONIAIS:

ATIVO  BENS, DIREITOS DA EMPRESA, REPRESENTAM APLICAÇÕES


DOS CAPITAIS, CUJA NATURESA CONTABIL REPRESENTAM OS
VALORES DEVEDORES;

PASSIVO  OBRIGAÇÕES CONTRAIDAS PELAS EMPRESAS (NATURESA


CREDORA) FONTE DOS RECURSOS NECESSÁRIOS PARA MANUTENÇÃO
DAS ATIVIDADES EMPRESARIAIS;

PATRIMONIO LÍQUIDO  É A DIFERENÇA ALGEBRICA ENTRE O ATIVO


E O PASSIVO REPRESENTA OS INVESTIMENTOS INICIAIS DOS SOCIOS
(CAPITAIS PROPRIOS) ACRESCIDOS DOS RESULTADOS POSITIVOS
DECORRENTES DAS ATIVIDADES DA EMPRESA.

 OS ELEMENTOS PATRIMONIAIS, PODEM ASSIMIR OS SEGUINTES


VALORES:

 BASE DA EQUAÇÃO (A – P = PL)

1º) QUANDO A > P ,  TEREMOS; PL > 0

Ativo = Passivo + Patrimônio Liquido

ATIVO $ PASSIVO $

Bens e Obrigações 40,00


Direitos 100,0 Patrimôni
0 o 60,00
Liquido

11
UNIP – ALPHAVILLE
ENGENHARIA DA PRODUÇÃO – 6º 7º SEMESTRE 2011.1
CONTABILIDADE DE CUSTOS – PROF. J. L. MEDEIROS
AULA Nº 3 = BALANÇO PATRIMMONIAL LEI 11.941/09
TOTAL 100,00 TOTAL 100,00

REVELA EXISTENCIA DA RIQUESA PROPRIA

2º) QUANDO A > P; e P = 0, TEREMOS PL > 0

Ativo = Patrimônio Liquido

ATIVO $ P. L. $

Bens e Capital
Direitos 100,0 Próprio 100,00
0
TOTAL 100,00 TOTAL 100,00

REVELA INEXISTENCIA DE DIVIDAS (PASSIVO), LOGO,


PROPRIEDADE PELA DE ATIVO

3º) QUANDO A = P; TEREMOS PL = 0

ATIVO = PASSIVO

ATIVO $ PASSIVO $

Bens e Capital de
Direitos 100,0 Terceiros 100,00
0
TOTAL 100,00 TOTAL 100,00

REVELA INXISTENCIA DE RIQUEZA PROPRIA, COMO, POR


EXEMPLO, ACONTECE COM O INDIVIDUO QUE POSSUI BENS À SUA
DISPOSIÇÃO MAS OS DEVE PAGAR TOTALMENTE

4º) QUANDO P > A, TEREMOS PL < 0

12
UNIP – ALPHAVILLE
ENGENHARIA DA PRODUÇÃO – 6º 7º SEMESTRE 2011.1
CONTABILIDADE DE CUSTOS – PROF. J. L. MEDEIROS
AULA Nº 3 = BALANÇO PATRIMMONIAL LEI 11.941/09

ATIVO + PATRIMONIO LIQUIDO = PASSIVO

ATIVO $ PASSIVO $

Bens e
Direitos 60, Capital de
Patrimônio Terceiros 100,00
Liquido 40,
TOTAL 100,00 TOTAL 100,00

REVELA MÁ SITUAÇÃO, EXISTENCIA DE “PASSIVO A DESCOBERTO”


(NOME TECNICAMENTE MAIS CORRETO DO QUE “PATRIMONIO
NEGATIVO”)

5º) QUANDO P > A, e A = 0; TEREMOS PL < 0

PATRIMONIO LIQUIDO = PASSIVO

P. L. $ PASSIVO $

Capital Capital de
Próprio 100,0 Terceiros 100,00
0
TOTAL 100,00 TOTAL 100,00

REVELA INEXISTENCIA DE ATIVO, INEXISTNCIA DE BENS E/OU


DIREITOS. APENAS DIVIDAS (OBRIGAÇÕES)

OBSERVAÇÕES:- OS ESTADOS PATRIMONIAIS (4 e 5) RARAMENTE


OCORREM, NA REALIDADE , PRINCIPALMENTE O ULTIMO.

13
UNIP – ALPHAVILLE
ENGENHARIA DA PRODUÇÃO – 6º 7º SEMESTRE 2011.1
CONTABILIDADE DE CUSTOS – PROF. J. L. MEDEIROS
AULA Nº 3 = BALANÇO PATRIMMONIAL LEI 11.941/09

REGIME DE COMPETENCIA X REGGIME DE CAIXA:

1. O PRINCIPIO DO CUSTO COMO BASE DE VALOR:

“... O CUSTO DE AQUISIÇÃO DE UM ATIVO OU DOS INSUMOS


NECESSÁRIOS PARA FABRICÁ-LO E COLOCÁ-LO EM CONDIÇÕES DE
GERAR BENEFÍCIOS PARA A ENTIDADE REPRESENTA A BASE DE
VALOR PARA A CONTABILIDADE, EXPRESSO EM TERMOS DE MOEDA
DE PODER AQUISITIVO CONSTANTE...”

2. PRINCIPIO DA REALIZAÇÃO DA RECEITA:

“A RECEITA É CONSIDERADA REALIZADA E, PORTANTO, PASSÍVEL DE


REGISTRO PELA CONTABILIDADE, QUANDO PRODUTOS OU SERVIÇOS
PRODUZIDOS OU PRESTADOS PELA ENTIDADE OU PESSOA FÍSICA
COM A ANUÊNCIA DESTAS E MEDIANTE PAGAMENTO OU
COMPROMISSO DE PAGAMENTO ESPECIFICADO PERANTE A
ENTIDADE PRODUTORA...”

3. O PRINCIPIO DA COMPETÊNCIA:

“AS RECEITAS E A S DESPESAS DEVEM SER INCLUÍDAS NA APURAÇÃO


DO RESULTADO DO PERÍODO EM QUE OCORREREM, SEMPRE
SIMULTANEAMENTE QUANDO SE CORRELACIONAREM,
INDEPENDENTEMENTE DE RECEBIMENTO OU PAGAMENTO “

4. CAIXA:

14
UNIP – ALPHAVILLE
ENGENHARIA DA PRODUÇÃO – 6º 7º SEMESTRE 2011.1
CONTABILIDADE DE CUSTOS – PROF. J. L. MEDEIROS
AULA Nº 3 = BALANÇO PATRIMMONIAL LEI 11.941/09
“AS RECEITAS E DESPESAS SOMENTE SERÃO RECONHECIDAS
CONTABILMENTE NO ATO DO SEU RECEBIMENTO (RECEITAS), OU DO
SEU PAGAMENTO (DESPESAS), INDEPENDENTEMENTE DA DATA DA
OCORRÊNCIA DO EVENTO”

BALANÇOS SUCESSIVOS:

EXERCICIOS:

São Paulo, Fevereiro de 2011


Professor JLMedeiros.-

15