You are on page 1of 4

OS INCAS

Época : viveram aproximadamente de 3000 AC até 1500 DC

Região : Peru (Cordilheira dos Andes)

Cultura Inca
- Conheciam e faziam objetos de ouro
- Criavam Lhamas, Alpacas e Vicunhas
- Fizeram terraços para agricultura

Arquitetura
- Utilização de pedras / estradas nas montanhas / canais de irrigação

Sociedade
- Sapa Inca : imperador e proprietário de tudo
- Sacerdotes / Chefes do Exército / Administradores / Artesãos / Camponeses
- Lenda do Viracocha : O criador de tudo

Ciência e religião
- O Quipo: instrumento de contagem dos incas
- A Religião Politeísta : acreditavam em vários deuses (trovão, Lua, Mar,
estrelas e etc )
- Faziam sacrifícios de animais
- Mais importante: deus Sol – Inti

Machu Pichu
- o Vale Sagrado

Atual povo indígena do Peru


- são descendentes dos incas

Civilização Inca

Os incas viveram na região da Cordilheira dos Andes (América do Sul )


nos atuais Peru, Bolívia, Chile e Equador. Fundaram no século XIII a
capital do império: a cidade sagrada de Cusco. Foram dominados pelos
espanhóis em 1532.

pintura: arte inca

O imperador, conhecido por Sapa Inca era considerado um deus na


Terra. A sociedade era hierarquizada e formada por: nobres
(governantes, chefes militares, juízes e sacerdotes), camada média
( funcionários públicos e trabalhadores especializados) e classe mais
baixa (artesãos e os camponeses). Esta última camada pagava altos
tributos ao rei em mercadorias ou com trabalhos em obras públicas.

Na arquitetura, desenvolveram várias construções com enormes blocos


de pedras encaixadas, como templos, casas e palácios. A cidade de
Machu Picchu foi descoberta somente em 1911 e revelou toda a
eficiente estrutura urbana desta sociedade. A agricultura era
extremamente desenvolvida, pois plantavam nos chamados terraços
(degraus formados nas costas das montanhas). Plantavam e colhiam
feijão, milho (alimento sagrado) e batata. Construíram canais de
irrigação, desviando o curso dos rios para as aldeias. A arte destacou-se
pela qualidade dos objetos de ouro, prata, tecidos e jóias.

Domesticaram a lhama (animal da família do camelo) e utilizaram como


meio de transporte, além de retirar a lã , carne e leite deste animal. Além
da lhama, alpacas e vicunhas também eram criadas.

A religião tinha como principal deus o Sol (deus Inti). Porém, cultuavam
também animais considerados sagrados como o condor e o jaguar.
Acreditavam num criador antepassado chamado Viracocha (criador de
tudo).

Criaram um interessante e eficiente sistema de contagem : o quipo. Este


era um instrumento feito de cordões coloridos, onde cada cor
representava a contagem de algo. Com o quipo, registravam e somavam
as colheitas, habitantes e impostos. Mesmo com todo desenvolvimento,
este povo não desenvolveu um sistema de escrita.

Os incas por Rainer Souza - http://www.historiadomundo.com.br/inca/

Fixados na região dos Andes, os incas constituem uma grande civilização que dominou uma ampla faixa
de terras pelo território sul-americano. De acordo com um relato de natureza mítica, o povo inca se fixou
inicialmente na região de Cuzco e teve como primeiro grande líder Manco Capac. Por causa das
condições geográficas mais favoráveis, a presença inca se concentrou primeiramente na região central
dos Andes.
Por volta do século XV os incas estabeleceram um processo de expansão territorial que buscou os
planaltos encravados entre as montanhas andinas e as planícies do litoral Pacífico. Sob a tutela do
imperador Pachacuti Yupanqui, outras populações foram militarmente subordinadas ao poderio inca. Com
isso, a civilização passou a tomar a feição de um grande império.
“O Inca” era a mais importante autoridade política entre o povo inca. Venerado como o descendente do
deus-sol Inti Raymi, o imperador era o principal guardião de todos os bens pertencentes ao Estado,
incluindo a propriedade das terras. Os terrenos cultiváveis eram divididos em três parcelas distintas: a
terra do Inca, destinada ao rei e seus familiares; a terra do deus-sol, controlada pelos sacerdotes; e a
terra da população.
Em um âmbito geral, a elite da sociedade inca estava composta pela família real e os ocupantes dos altos
cargos político-administrativos (sacerdotes, chefes militares, juízes, governadores provinciais e sábios).
Logo abaixo, em posição mediana, temos os comerciantes e artesãos que garantiam a circulação de
mercadorias que atestaram a presença de uma rica cultura material.
Os camponeses se organizavam através de um extenso grupo familiar que ficava conhecido com o nome
de ayllu. Cada ayllu tinha o trabalho agrícola, o serviço militar e suas demais obras organizadas por um
líder mais velho chamado curaca. Geralmente, cada uma dessas unidades de produção era dotada de um
grande armazém que estocava alimentos e roupas utilizados em qualquer eventualidade.
A religiosidade dos incas era marcada pela adoração de vários elementos da natureza, como o sol, a lua,
o raio e a terra. No sistema de valores da religião inca, todos os benefícios alcançados deveriam ser
retribuídos com algum tipo de sacrifício que expressava a gratidão dos homens. Por esse fato,
observamos que os incas organizavam vários rituais onde os sacrifícios, inclusive de humanos, eram
comuns.
Para interligar as cidades de integravam o Império Inca, uma série de estradas em pedra foi construída
com o objetivo de facilitar a comunicação e o deslocamento entre as pessoas. Vale ressaltar que as
cidades incas contavam com vários projetos arquitetônicos complexos que incluíam a construção de
palácios, fortalezas, e templos com dimensões surpreendentes.
No século XVI, momento que marca a chegada dos espanhóis à América, a civilização inca sofria com
uma série de conflitos de ordem interna. Aproveitando dessa instabilidade, os colonizadores europeus
empreenderam um violento processo de dominação. No ano de 1571, os remanescentes desta civilização
foram subordinados após a morte de seu líder, Tupac Amarú I.

http://www.suapesquisa.com/astecas/

Idioma

O idioma quéchua serviu de instrumento unificador do império inca. Como não


tinham escrita, a cultura era transmitida oralmente. Com um conjunto de nós e
barbantes coloridos, chamados quipos, os incas desenvolveram um engenhoso
sistema de contabilidade. Na matemática, utilizavam o sistema numérico decimal.
Os artesãos eram peritos no trabalho com o ouro. Mesmo sem conhecer o torno,
alcançaram um bom domínio da cerâmica. Seus vasos tinham complicadas formas
geométricas e de animais, ou uma combinação de ambas. A religião inca era uma
mistura de culto à natureza (sol, terra, lua, mar e montanhas) e crenças mágicas.
Os maiores templos eram dedicados ao Sol (Inti). Realizavam sacrifícios tanto de
animais como de humanos.

Casamento

A idade para o casamento era aos 20 anos para o menino e 16 para a menina.
Quando chegavam a essa idade, eram dispostos em duas colunas e um funcionário
os casava. A escolha entre eles já havia sido feita anteriormente cabendo ao
funcionário apenas resolver conflitos em caso de uma mesma mulher ser escolhida
por dois homens. Realizada a cerimônia, o casal recebia terras da comunidade a
qual estavam ligados.
Se o procedimento desses casamentos não nos causa surpresa o mesmo não
podemos dizer do processo pelo qual algumas mulheres eram escolhidas em uma
comunidade para serem enviadas a Cuzco.
De tempos em tempos reuniam-se em um distrito todas as meninas de 10 anos
sendo escolhidas as mais inteligentes e bonitas. Em seguida eram mandadas para
Cuzco onde iam aprender cozinhar, tecer e outras prendas mais que consideravam
necessárias. Depois de alguns anos, outra escolha definiria aquelas que seriam
distribuídas como esposas secundárias (do Inca ou de nobres), e aquelas que
deveriam permanecer em celibato.
O que é importante observar nesta política de casamentos é a criação de laços
inter-étnicos, aproximando mulheres originárias de grupos étnicos diferentes do
universo cuzquenho.

Educação

Entre os Incas existia uma elite formada por funcionários, chefes valorosos e
mesmo por chefes vencidos que haviam sido integrados ao império. O filhos desta
elite eram educados nas escolas de Cuzco onde aprendiam história, astronomia,
agrimensura, respeito a um deus supremo. Também lutavam, corriam, fabricavam
armas e sandálias.
A educação era severa, compreendendo jejuns e exercícios violentos que poderiam
até resultar em morte.
Terminado este período, o menino era apresentado ao Inca que lhe furava a orelha
passando a ser este um símbolo de sua distinção social.

Deuses dos Incas

VIRACOCHA: (Ilha Viracocha Pachayachachi), (Esplendor originário, Senhor,


mestre do mundo), foi a primeira divindade dos antigos Tiahuanacos, proveniente
do Lago Titicaca. Como o seu homônimo Quetzalcoatl, surgiu da água, criou o céu e
a Terra e a primeira geração de gigantes que viviam na obscuridade. O culto do
Deus criador supunha um conceito intelectual e abstrato, que estava limitado à
nobreza. Semelhante ao Deus Nórdico Odín, Viracocha foi um deus nômade, e como
aquele, tinha um companheiro alado, o condor Inti, grande profeta.
INTI: (o Sol), chamado "Servo de Viracocha", exercia a soberania no plano superior
ou divino, do mesmo modo que um intermediário, o Imperador, chamado "Filho de
Inti", reinava sobre os homens. Inti era a divindade popular mais importante: era
adorado em muitos santuários pelo povo inca, que lhe rendiam oferendas de ouro,
prata e as chamadas virgens do Sol.
MAMA QUILLA: (Mãe Lua), Esposa do Sol e mãe do firmamento, dela se tinha uma
estátua no templo do Sol. Essa imagem era adorada por uma ordem de
sacerdotisas, que se espalhava por toda a costa peruana.
PACHA MAMA: "A Mãe Terra", tinha um culto muito idolatrado por todo o império,
pois era a encarregada de propiciar a fertilidade nos campos.
MAMA SARA: (Mãe do Milho).
MAMA COCHA: (Mãe do Mar)

http://www.doismiledoze.com/mitologia-inca-rituais-e-festas/

Related Interests