Вы находитесь на странице: 1из 166

UMA VISÃO

DO MUNDO
M.V.M
MELKIZEDEK

UM CAMINHO
PARA A UNINDO O PASSADO
COM O FUTURO
LUZ NO PRESENTE
= O chamado às tradições =

MELKIZEDEK M.V.M.
M.V.M.
MELKIZEDEK

O CHAMADO
M.V.M. MELKIZEDEK

UM MUNDO
O SE R
SUPERIOR
H U MA NO
M.V.M.
M.V.M.
MELKIZEDEK MELKIZEDEK
Lua Cheia de Agosto de 2007
O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

O CHAMADO
Pelo M.V.M. Melkizedek

CONTEÚDO

PRELIMINARES 2
O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

PRELIMINARES

O CRISTO CÓSMICO APRESENTA O MESTRE MELKIZEDEK

Fala o Cristo Cósmico:


Mensagem:
Salve irmãos da Terra: bem-vindos sejam a este Monte Sagrado. Hoje a
humanidade festeja que o tempo é chegado, a conexão do céu com a Terra
começou e o vértice do Triângulo Divino é o que primeiro toca o vértice do
Triângulo humano.
Nosso irmão Melkizedek tomou posição em seu assento no meio do
Triângulo humano.
Agora podemos dizer que a Hierarquia espiritual está presente na Terra, em
um processo que se inicia e que transformará de maneira radical a vida da
humanidade.
Foi lançado um chamado (ver apêndice AI1, pag. 158) e nosso irmão iniciou
já um trabalho especial na Terra.
Está convocado o vértice do triângulo humano.
O chamado é para essa porção da humanidade consciente que, havendo
escutado o chamado, o tem respondido.
O que segue é formalizar os fios da rede que conforma o corpo de
manifestação do Logos Planetário na Terra. (ver apêndices AI2 pág. 161 y
AII1 pág. 163)
O Logos convoca e reúne a humanidade mais elevada, que haverá de guiar
os destinos da estirpe espiritual do Planeta. O que por tantos séculos se
anunciou hoje vemos culminar nesta sagrada cerimônia de Wesak 2007.
Hoje se marca o início de uma nova idade de luz e é o ponto em que a
humanidade começa a despertar.
Para esta cerimônia foram convidados todos aqueles que sentiram o
chamado e o responderam; a eles, hoje lhes damos uma bênção que lhes
permita fazer consciente o que sua alma lhes indicou.
Este é o momento para o qual nos preparamos por tanto tempo.
Quinta-feira 3 de maio de 2007

PRELIMINARES 3
O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

SAUDAÇÕES DO MVM MELKIZEDEK

Saudações irmãos e irmãs da Terra :


Este é um dia especial.
Hoje inicia uma revolução silenciosa. A revolução do espírito.
Hoje inicia a transformação da humanidade.
Hoje é o dia em que iniciamos nosso despertar.
Algo especial ocorreu na lua cheia de maio de 2007, durante a cerimônia de
Wesak.
Os que aí estiveram testemunharam.
O Cristo Cósmico falou para todos, discípulos e convidados. A todos lhes
dirigiu umas palavras onde explicava que os tempos haviam chegado. O que
tantas vezes se havia anunciado como o novo mundo, o que tantas vezes se
mal interpretou como uma catástrofe mundial ou como a destruição da
civilização, ontem se clareou como o princípio do processo da exteriorização
da hierarquia.
O triângulo divino foi conectado com o triângulo humano. O descer
progressivo do Reino de Deus na Terra tocou, por fim, o vértice da pirâmide
humana.
O triângulo descendente, encabeçado pelo Logos Planetário toca, por fim, o
triângulo ascendente encabeçado pelos discípulos e estudantes avançados
da humanidade.
Cheguei, finalmente, para ficar. Moro entre um grupo de discípulos do
mundo. Estou entre vocês e haverei de trabalhar, a par de todos, para criar
um mundo melhor, onde a luz do espírito possa brilhar por cima de todas as
vicissitudes humanas.
Um mundo onde a liberdade e a igualdade de todos os seres humanos seja
prioridade de todos.
O primeiro chamado foi lançado (ver apêndice AI1, pág. 158) e seu objetivo
era o reconhecimento de todos vocês. O encontro da alma com o espírito. O
reencontro de todos os que até agora vinham caminhando, seguindo uma
luz interna, porém, que às vezes sofriam da obscuridade que impera no
mundo atual.
Muitos perguntam: o que segue?

PRELIMINARES 4
O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

Hoje lhes respondo. Segue que sigam seus corações. Segue que agora
conectem suas mentes a seus corações para que despertem a luz interior,
desde onde eu vou estar guiando-os.
Não venho para trabalhar com ovelhas. Venho para trabalhar com os
discípulos do mundo que estão abertos ao chamado do espírito. Minhas
indicações estarão dando-se de maneira interna a cada um dos que são
capazes de captá-las. Por isto é necessário que cada um de vocês medite
profundamente. Desperte essa voz interior.
Neste momento soltou-se um movimento mundial coordenado pelas
diferentes hierarquias planetárias. Certamente, Shamballa está
coordenando este processo, mas, referimo-nos também a todas as
organizações terrestres que se encontram trabalhando na Terra e que estão,
cada uma desde seu próprio plano, desde seu próprio grupo, realizando os
labores coordenadamente.
Todos, sem exceção, receberam o chamado. Todos deverão tomar uma
decisão.
O Plano Mestre está se revelando pouco a pouco. Que ninguém busque a
liderança do movimento. Esta revolução será interior. Cada um receberá
instruções desde seu interno. Os labores que realizem os diferentes grupos
do mundo serão, evidentemente, coordenados quando convergirem em seus
objetivos. Aqueles que se separarem, de maneira evidente, dos objetivos
comuns, estarão fora do plano. Mas, aqueles que de pronto coincidam nas
causas que o Plano impulsiona, serão reconhecidos como participantes
deste movimento.
Por esta razão é que o chamado era para o reconhecimento. Saibam os que
de vocês responderam, saibam os que de vocês sentiram o chamado.
Conheçam-se entre vocês.
O que segue agora é fortalecer o vínculo interior. O laço que têm com o
espírito. Será dentro onde as instruções se darão. Fora só conhecerão vagas
indicações.
Haverá uma comunicação mundial por mês1 que completará o que
internamente estaremos indicando. Será um guia de luz, dedicada a
despertar e clarear o que deve ser clareado. Algumas vezes sentirão que é
para vocês e outras simplesmente sentirão que é para outros. Eu falo ao
mundo e cada sociedade tem diferentes necessidades.
Amor e compaixão para alguns, firmeza e disciplina para outros.

1
Refere-se aos comunicados 1 a 5 que conformam este livro.

PRELIMINARES 5
O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

Haverá um grupo de organizações trabalhando para que o plano se dê. Fiz o


chamado a todas. Porém, nem todas responderam.
A humildade não exige que o enviado tenha que falar o nosso idioma nem
se vista com minhas roupas nem provenha de um determinado planeta. A
humildade é a que reconhece na luz a única identidade infalsificável.
Não pretendo convencer ninguém, venho trabalhar unicamente com os que
sentiram o chamado.
Haverá os que me reconhecerão imediatamente e haverá outros que
esperarão saborear os frutos para unirem-se. Não importa, o único que
importa é que o Plano se dê, porque a hora é chegada.
Não peço que convençam ninguém, porém, se o espírito de um irmão sente
o chamado e a organização a que pertence não o sente, será indicador de
que é o tempo de buscar novos horizontes, conforme o que o espírito
reclama para si.
Falarei de liberdade sempre, porque esse tem sido o grande pecado da
humanidade. Venho para libertar uma sociedade escravizada em todas as
formas possíveis. Serei implacável quando falar de liberdade. Assim, faço
um chamado a todos aqueles que têm se unido a nós, para que lutem por
essa liberdade que estaremos aprendendo a viver.
Hoje lhes deixo com um escrito onde explico minha visão do mundo. Este
mundo que hoje recebo e pelo qual trabalharei. Não vou polemizar com
ninguém porque não obrigo ninguém a que me siga. Não entendo a
polêmica como uma ferramenta de aprendizagem, entendo-a como uma
escusa para continuar na luta e no conflito.
Meditem todas e cada uma de minhas palavras. É aí onde reside a luz que
busco promover.
Busquem-me em seu interior, todas as suas dúvidas as respondo dentro de
vocês, não fora.
Meus mensageiros poderão opinar, explicar, comentar o que eles pensam
sobre estes comunicados, estão no seu direito. Eles são livres para fazer o
que creiam ser mais conveniente. Só estejam conscientes de que serão eles
próprios opinando.
Esta será a forma de trabalhar. Não há melhor lugar para a instrução que
dentro da câmara secreta e sagrada que cada um de vocês tem próximo de
seu coração. Busquem-me aí. Não haverá dúvida para aquele que alcançar.
Deixem de buscar fora.
Eu Sou Melkizedek.

PRELIMINARES 6
I. UMA VISÃO DO MUNDO

UMA VISÃO
DO MUNDO

M.V.M. MELKIZEDEK
O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

I. UMA VISÃO DO MUNDO


Por MVM Melkizedek

Lua Cheia de maio 2007

INTRODUÇÃO

Quando o chamado provém do espírito, a alma e a personalidade calam.

Quando a força dos céus fala reclamando seu lugar na Terra, os oceanos se
abrem, as terras tremem e o homem estremece porque sabe que o reino de
Deus está próximo.

O mundo tem esperado por muito tempo para que a roda dos ciclos se
movesse, as engrenagens do grande relógio cósmico marcou a hora
suprema para a chegada da luz.

É o momento para falarmos de um mundo novo.

É o momento de nos abrirmos para o que será a concepção de uma nova


sociedade.

Vocês responderam ao chamado (ver apêndice AI1 pág. 158). Muitos foram
chamados, muitos foram convocados, porém, só vocês responderam.

Isto é para vocês.

Comunicado I: UMA VISÃO DO MUNDO 8


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

I1. A LIBERDADE

A Terra é a nossa casa. É a casa de todos, tua e minha. Nós devemos cuidar
dela e protegê-la.

Devemos protegê-la dos inconscientes que lhe causam dano e também


daqueles que o fazem de maneira consciente.

Porém, a humanidade tem vivido pensando que são os donos do mundo.


Que a Terra nasceu para que eles pudessem fazer o que querem com ela...
e, esse tem sido um grande erro.

A Terra foi repartida como se fosse uma botina de alguns; levantam muros
para separar os povos, levantam fronteiras artificiais para separar uns dos
outros como se eles fossem diferentes. Isto é falso.

A história da humanidade não é outra que a contínua luta por fazer que uns
se submetam a outros, primeiro fisicamente através da escravidão, depois
através de guerras para submeter povos inteiros a renderem tributos a
outros e depois, com as idéias para que os demais pensem como os
poderosos e, por fim, com o comércio, para que uns trabalhem para outros.
Sempre buscando a submissão de uns aos outros.

É chegado o momento para o homem crescer o suficiente, para entender


que a liberdade é o bem supremo com que Deus presenteia cada ser nesta
criação. Cada um tem o dom de eleger sua liberdade e vivê-la como o
deseje. Porém, esse dom, deve aprender a exigi-lo, deve aprender a vivê-
lo.

Um escravo tem que aprender a viver em liberdade, pois, do contrário,


buscará eternamente um amo a quem servir e a quem responsabilizar por
suas desditas.

O ser humano tem se escravizado de muitas formar, politicamente,


comercialmente, culturalmente, economicamente, sentimentalmente, etc,
etc, etc.

O ser humano não aprendeu a viver em liberdade, mesmo aqueles que,


orgulhosos, pretendem exportar sua visão de liberdade, não fazem senão
exportar suas próprias limitações e misérias humanas.

Vamos falar da liberdade e, por isso, a vocês que responderam ao chamado,


lhes digo agora. A liberdade, temos que descobri-la para que este mundo

Comunicado I: UMA VISÃO DO MUNDO 9


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

seja desde agora um mundo de homens e mulheres livres. Livres em seu


coração e livres em seu pensamento.

Os seres humanos temos construído o mundo que agora herdamos; porém,


o homem e a mulher atual temos que mudá-lo para a bênção das futuras
gerações.

Falo com a responsabilidade daquele que sabe. Falo com a consciência do


que vê o futuro com a claridade do presente.

O chamado foi para trabalhar.

Por isso hoje te convoco a trabalhar por este mundo que juntos haveremos
de construir.

Liberdade de Pensamento.

Isso é o que pretendo fazer contigo, dar-te liberdade para que penses como
homem e mulher livres, não como o escravo e escrava que aprenderam a
pensar como outros querem que pensem. Não.

Por isso não te vou dizer o que deves pensar, vou dizer-te o que deves
fazer. Não te vou dizer o que deves buscar, vou dizer-te como deves fazê-lo.

O ser humano tem sido, desde o princípio, um receptor de idéias alheias.


Toma-as e as faz suas e logo as defende como se fossem criação própria.
Porém, as idéias se difundem como os vírus. Infectam u’a mente e depois
outra e a outra. E a dependência se expande como se fosse uma rajada de
vento.

Porque no princípio, ao homem, lhe disseram que era pecador e para isso
necessitava de um Deus que o salvasse de um inferno. E o temor a algo que
ninguém via estendeu-se fazendo real e criando escravos mentais de um
amo que tampouco ninguém via.

Porém, o amo não era intangível, o amo estava na Terra. Detrás de


instituições, detrás de grupos que manejavam o temor por conveniência.
Sempre foi mais simples manejar escravos que manejar homens e mulheres
livres.

Depois houve aqueles que falaram de um mundo espiritual e o criaram


completo, com mestres, com anjos, com santos, com prêmios e castigos e o
chamaram a nova religião, o novo evangelho, o chamaram a nova era e os
descontentes das instituições religiosas mudaram de instituição. Deixaram a
escravidão anterior para seguir uma nova, mais atual e, aí falaram até
cansar do que não gostavam na anterior. E se sentiram os novos

Comunicado I: UMA VISÃO DO MUNDO 10


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

salvadores. Tinham que salvar o mundo das religiões aniquiladoras, dos


restos degenerados de uma religião que já não servia para guiar um homem
e uma mulher novos.

E, novamente, caíram em um jogo. O jogo dos cegos guiando os cegos.

Alguns voltaram aos céus e viram que esta era sua casa. Sentiram-se parte
das estrelas e, então, surgiram comandantes, seres do espaço que vinham
para evacuar a Terra antes do grande cataclismo. E novamente se explorou
o temor do homem. E houve milhares que prepararam malas, venderam
seus pertences e compraram uma passagem imaginária para o paraíso, que
não existia senão na mente daqueles que lhe falaram.

Depois quiseram terminar com o mundo e ainda o estão fazendo. Sempre


haverá alguma profecia, sempre haverá alguma interpretação, sempre
haverá algum ano, um pouco mais além, que possa explorar o temor
daqueles que pareciam querer fugir desta sua casa antes de arrumar o que
deve ser arrumado pelo próprio homem que foi quem desarrumou.

Somos responsáveis, não me refiro a ti em particular, refiro-me a todos nós


como humanidade. Somos responsáveis pelas guerras que tem manchado
de Karma toda a família humana, refiro-me às enfermidades epidêmicas
que têm surgido como parte dos ensaios químicos que a civilização
inconsciente tem feito ao longo de tantos anos. Somos responsáveis por
haver construído fronteiras separando homens e mulheres de seus irmãos.
Dando mais direitos a uns do que a outros. Somos responsáveis por criar
religiões para buscar uma paz interior, quando na realidade separam as
pessoas em classes e muitas vezes provocam guerras.

Temos nos separado pelas religiões, pelas linguagens, pelos bens que
possuímos, pelas fronteiras, por nossas formas de pensar; temos nos
separado por todas as formas possíveis e não aprendemos ainda a forma de
conviver e fazer deste mundo uma verdadeira casa onde possamos viver de
maneira harmoniosa como o faz a natureza em cada recanto de jardim.

Liberdade de Coração.

E talvez o mais triste de tudo é o homem escravizou-se em seu coração.


Desde a mais tenra infância o ser humano busca segurança nos ternos
braços de sua mãe e na força de caráter de seu pai, e o que obtêm são
fórmulas infalíveis para criar uma dependência permanente de seu coração
ao amor de outras pessoas.

O homem e a mulher não terminam de crescer emocionalmente. Sua


educação não o promove. Crescem para serem dependentes de outros.

Comunicado I: UMA VISÃO DO MUNDO 11


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

Crescem com a idéia de buscar alguém que os ame por obrigação. Inventa-
se uma cerimônia de matrimônio onde se firma um papel e se promove
amar obrigatoriamente um a outra e vice-versa.

Como se ao coração, se lhe pudesse obrigar a amar.

E depois o ser busca desesperadamente, através de sua insegurança, o


amor de alguém que o salve de sua solidão... porque nunca aprendeu a
viver e desfrutar de sua solidão.

Porque nunca aprendeu a amar-se a si mesmo, para depois amar de


maneira completa outro ser.

Concebe-se como uma metade de ser humano em busca de seu


complemento... e passa toda a vida buscando completar-se com outro ser
incompleto.

Essa é a tragédia.

O homem e a mulher do futuro que vejo e que vamos construir é um ser


humano completo que se sabe completo e que ama de maneira completa,
com esse amor que não escraviza, com esse amor que ama
responsavelmente, com esse amor que se une para construir famílias
completas, que educa crianças completas e sãs emocionalmente, esse é o
germe da nova semente. Essa semente que aporta o saber de que estamos
completos desde que nascemos e que tudo o demais são medos criados
pela inconsciência da ignorância.

Este é o momento em que havemos de construir o novo mundo, a nova


sociedade. Com a luz nova de um conhecimento que liberta e que permite
pensar e sentir desde uma plataforma livre do temor.

Só os escravos do pensamento buscam aprovação dos demais.

Só os escravos do coração buscam o amor que vem de fora.

Nós estaremos crescendo para pensar o que nos pareça mais correto e nos
sentir plenos e satisfeitos conosco mesmos, seja que estejamos em família
ou sozinhos.

O homem livre forma parte de um novo mundo ao qual já pertencem


milhares de escolhidos.

Este é o convite que te faço... Tu decides.

Comunicado I: UMA VISÃO DO MUNDO 12


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

I2. FALEMOS DA CIÊNCIA

A ciência do homem vem crescendo e desenvolvendo-se de forma acelerada


não dando tempo à humanidade para que questione a moral que vai
implícita em sua ciência.

O homem vem caminhando aproximando-se dos mistérios da natureza,


porém, tem se distanciado do que deveria ser o principal motivo de sua
investigação: o homem mesmo.

A ciência humanista não existe, existe a ciência capitalista, a ciência bélica,


a ciência do medo, a ciência da ambição. Essas são as ciências que existem.

O que se investiga não se faz pela investigação em si, faz-se porque o


homem teme ser atacado, faz-se porque o homem ambiciona ter mais
dinheiro e poder e faz-se porque “se não o fizer alguém mais o fará e,
então, devo submeter-me”.

Vivemos dias de insegurança, o homem teme o homem. O homem é


escravo do medo e esse medo configura tudo o que faz.

Criou uma ciência que pretende patentear, quer dizer apropriar-se do que a
natureza tem construído. Da mesma forma como o homem apropriou-se
das terras que a natureza generosamente lhe proporcionou e lhes chamou
nações e lhes pôs muros e cobrou impostos para poder viver nelas; da
mesma forma pretende agora se apropriar do genoma humano para depois
vendê-lo aos que pretendem ter filhos com tributos inventados em
laboratórios, manipulando genes e pretendendo corrigir a natureza.

Uma moral perdida em meio ao temor. Temor de sofrer enfermidades que o


próprio homem tem criado por apartar-se dos alinhamentos de sua
natureza, por alterar os alimentos com que se nutre agregando-lhes o que
seus maus hábitos lhes causam perdas. Colocando-lhes vitaminas que já
possuíam, porém, que ao processá-los para embalar perderam. Criando
dietas para seres humanos que perderam o saudável costume de comer
para saciar a fome e não para dar prazer ao paladar. Uma civilização que
busca substituir a natureza pensando que pode criar em laboratórios o que
a natureza levou milhões de anos para criar.

E o ser humano se encerra a trabalhar em oficinas, em espaços com ar


filtrado porque não convém respirar o ar das cidades cheio de poeiras e
contaminantes, e regulando a temperatura do quarto para que agrade seu
corpo, porque a roupa que usa o impede de transpirar e isso provocaria
mau gosto à sociedade que tem constituído. O nylon e o poliéster fabricados
em grandes laboratórios não foram feitos para o corpo humano, por isso é

Comunicado I: UMA VISÃO DO MUNDO 13


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

necessário ir aos ginásios e aos spas para dar ao homem e à mulher atual
um sentimento de saúde, quando na realidade o único que lhes dão é uma
dependência do artificial e carência de energia natural que proporcione
saúde e vida energética.

Por esta razão o ser humano se aterroriza quando ouve a respeito do


“aquecimento global” pensando que seus dias de conforto terminaram, terá
que se apartar de suas comodidades para não gastar tanto combustível
fóssil que contamina o mundo.

Porém, tudo isto não é senão uma conseqüência de uma longa vida
inconsciente; levaram umas tantas gerações desfrutando de uma ciência
sem moral para que a natureza reclamasse do Homem sua pretensão de
querer ser Deus.

É o momento de criar uma nova ciência. Uma ciência humanista que


investigue o homem. Que abra possibilidade a um novo terreno, uma
ciência ética que busque o que é bom no natural, que devolva ao homem e
à mulher o que lhes tirou, que os devolva à natureza, que os retorne ao
natural, que elimine tanta eletrônica e que lhes dê mais espaços, que tire
sua atenção do sexual e os coloque à reverência do elevado. O homem e a
mulher equilibrados são aqueles que se vêem a si mesmos como parte de
uma extensão do mundo, aqueles que vivem sua liberdade em meio a um
mundo que busca a transcendência de seus atos e não a mera satisfação do
imediato.

Necessitamos de um mundo que se mova em torno de valores que


transcendam, que acredite no amanhã, que não pense em termos de uma
só vida.

Que não investigue para modificar o que a natureza já provê ao homem,


mas, que investigue como pode o Homem aproximar-se mais da natureza
humana.

Que busque as respostas do porquê das emoções humanas, que busque os


porquês da vida, o que há por trás dos sentimentos místicos do ser
humano, o que há mais além da morte, que busque a maneira de igualar os
direitos dos seres humanos, que deixe de tomar como cobaias, porquinho
da índia, os povos pobres e que lhes conceda as mesmas oportunidades de
crescer e desenvolver-se que têm os demais.

Uma ciência que busque explicar o milagre da vida, porém, não em termos
de genes e cromossomos, não. Isso a natureza já o respondeu e o vem
fazendo desde sempre. Que explique por quê os pais devem cuidar dos
filhos, por quê o filho quer tanto a sua mãe. Por quê um pai pode dar a vida
por seu filho, por quê uma semente cresce até converter-se em árvore e

Comunicado I: UMA VISÃO DO MUNDO 14


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

depois dá mais sementes para que novas árvores sigam crescendo. Por quê
é assim a vida, por quê todas as espécies devem seguir vivendo. Quem
impulsiona toda esta vida em movimento.

Uma ciência que olhe mais além de seus olhos. Que interpreta à luz do
interno o que seus aparatos lhe indiquem.

Uma ciência que vai à raiz dos porquês. Que responda desde dentro e não
desde cânones que os pais do método científico lhes impuseram.

Só assim, poderemos aproximar-nos da verdadeira motivação da ciência.


Esse impulso misterioso que surge desde que se é criança e nos move a
descobrir como funciona o mundo... porém, para satisfazer ao espírito...
não a um corpo que quer viver mais cômodo e seguro.

Comunicado I: UMA VISÃO DO MUNDO 15


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

I3. A RELIGIÃO

Muito dentro do homem existe o impulso de buscar Deus. E isto ocorre


desde o princípio dos tempos, os seres humanos serem presas das
instituições religiosas.
O ser humano, como filho de Deus, recebeu os sinais completos para
regressar a Ele. Nasceu com um mapa inscrito em si mesmo, dentro de sua
própria essência que lhe indica o caminho de retorno...
Porém, o Homem não tem aprendido a olhar para dentro. O ser humano,
desde o primeiro instante de seu nascimento, abre seus olhos e sua
prioridade é sobreviver fora, seus pais o educam para que seja igual a cego
e surdo, que esta é sua realidade interior; o homem e a mulher aprendem a
viver no mundo exterior... e esquecem como devem viver dentro.
E depois... devem buscar uma religião que lhes recorde o que levam inscrito
em seus corpos, em suas mentes, em seus corações. E os seres humanos
chegam às religiões buscando essas respostas e só encontram advertências
e promessas.
Advertência de como não se deve viver, mandamentos do que não se deve
fazer e milhares de regras que lhes cortam as asas de seu espírito e o
enche de temores que não compreende.
Em princípio o amor a Deus talvez o traga à religião... e, é o temor a Deus o
que o mantém dentro dela.
Como crianças pequenas as religiões educam seus adeptos, inspirando
temor e cortando o raciocínio das mentes que, em busca de uma liberdade,
se submetem à escravidão.
Poucas são as mentes que se atrevem a questionar a divindade de uma
instituição ou ensinamentos de um livro sagrado sem sentir dentro delas um
temor reverente acerca do que pode chegar a passar-lhes.
Essa é a liberdade que buscavam em sua religião?
Porém, os homens mudam e as religiões também. Surgem novas idéias,
novos profetas que de tempo em tempo elevam sua voz para fazer a luz
onde a obscuridade já é insuportável.
E essas boas novas enchem de esperança os corações, não é verdade que o
homem deve lutar por uma salvação. Os únicos que deveriam buscar a
salvação seriam as instituições religiosas porque o tempo é chagado para
que os seres humanos possam ver novamente a luz.

Comunicado I: UMA VISÃO DO MUNDO 16


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

E basta de oprimir os corações com o temor de uma condenação eterna ou


uma destruição mundial! Já basta de atemorizar os pobres de espírito! O dia
da libertação se aproxima.
As religiões não têm cumprido com seu labor de aproximar o Homem.
Cada uma delas luta por sobreviver igual a um produto do supermercado,
que tem que fazer propaganda, como se conquistando o maior número de
pessoas tivesse maior validade o que prega.
A verdade do espírito é clara e diáfana para o que a vê. Não se trata de
polemizar o que é verdade incontestável. Cada um sabe o que percebe
dentro dele e essa será a sua verdade. Estando disposto a enriquecê-la
submetendo-a a prova, bem-vindo ao intercâmbio, se não o está tem todo o
direito, essa é a liberdade em que cada um tem de crer e sentir o que seu
coração lhe dita.
Porém, a sociedade não o entende assim. Milhares de povos exercem
pressão sobre seus habitantes para que cumpram com ritos religiosos.
Milhares de pais o fazem com seus filhos, muitos governos pressionam seus
votantes para que cumpram com determinada religião... E isto ocorre nos
países chamados democráticos... É isto o que as religiões ensinam? Não é,
porém, lamentavelmente é o que as religiões praticam.
Por esta razão as instituições religiosas estão condenadas a desaparecer. Os
profetas nunca desaparecerão, pois, são produto de uma humanidade que
se aproxima de Deus e que vai compreendendo-o cada vez melhor, porém,
as instituições que ficam depois que o profeta se foi, são as que se
degradam para converter-se em difusoras de um conhecimento e uma
verdade sagrada em construtores de ritos e dogmas que encadeiam as
massas de crentes.
A nova religião será individual, como o que é a percepção de Deus, da
mesma forma como a arte leva um pintor a expressar-se de uma maneira
única e total, da mesma forma como a música é feita pelo compositor
seguindo sua verdade interior, da mesma maneira a religião será pessoal e
única para cada ser humano.
Esperemos e trabalhemos para que seja assim.

Comunicado I: UMA VISÃO DO MUNDO 17


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

I4. FALEMOS DOS GOVERNOS

O ser humano criou uma sociedade regida por governos, às vezes elegido
pelo povo e outras vezes elegidos por armas.
O homem não alcançou a estatura para governar-se só. Não é possível
dirigir-se para um futuro harmônico. Por esta razão deve ter um governo
que o reja e lhe diga o que tem que fazer.
Um governo se constitui por seres humanos igualmente incompletos, com
visões particularmente curtas do que deve ser um povo e com aspirações
egoístas de interesses pessoais sempre postos por cima dos povos.
Porém, os homens e as mulheres de um povo não podem aspirar mais,
quando estão desconectados da luz que brilha em seu interior.
O Homem que não sabe pensar em outros não pode aspirar governá-los. O
Homem que não é capaz de sentir a necessidade de um povo não é capaz
de liderá-lo.
Tanto os ditadores como os presidentes têm metas pessoais, têm interesses
pessoais; os meios que utilizam para chegar ao poder são diferentes,
porém, seus seres internos estão igualmente enfermos de necessidade de
poder.
Um ditador talvez tenha uma necessidade maior de manter seu poder por
meio do medo e de todo um sistema de repressão ao povo; porém, um
presidente de um país democrático surge de um grupo de poder por meio
de alianças com outros grupos de poder; chega e conquista o voto do
povo..., porém,...
Estando no governo tem interesses que representar, tem compromissos que
pagar, tem promessas que cumprir, alianças que deve respeitar, e o povo...
O povo tem que esperar que todos esses pagamentos sejam satisfeitos para
que finalmente seja o povo a receber os benefícios.
Por esta razão urge uma reforma nos governos da sociedade. A chamada
democracia é uma bandeira já desgastada, em meio a uma classe política
que se apoderou de muitos países e impede sua evolução.
Não é possível que o mundo olhe de maneira impassível como um
presidente faz a guerra com um país só para ganhar votos e pagar certos
interesses econômicos que o levaram à presidência em seu próprio país.
O mundo não anda bem quando as Nações Unidas são reféns dos governos
poderosos que subsidiam seus programas de assistência social.

Comunicado I: UMA VISÃO DO MUNDO 18


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

Porém, na nova sociedade, nada disso pode ser permitido. O novo Homem
reclama um governo que o represente, que o consulte, que exerça a opinião
da maioria e que não o compre com promessas dessas feitas em
campanhas, para logo se esquecer de suas necessidades.
O novo ser humano se regerá por seu coração, será consciente de suas
responsabilidades como cidadão e entenderá que a maturidade de um país
estriba-se na forma como enfrenta seu futuro.
Quando um governo tomar decisões não pensando na próxima eleição, mas,
pensando nas gerações de crianças que, com esperança, pedem a seus pais
um mundo melhor onde elas possam viver.
Nossa revolução não é uma revolução violenta. É uma revolução de luzes, é
uma revolução de idéias, é uma série de mudanças surgidas na consciência
de um povo que desperta.
Não será com promessas que se conquistará um povo que pensa.
Não será com dinheiro que se comprará o voto de uma sociedade que sabe
tomar decisões e está consciente dos problemas que deve resolver.
Não será com campanhas que maquilam a biografia dos candidatos que
serão selecionados os melhores homens e mulheres para governar um povo
que sabe o que quer.
Por isso o ser humano deve despertar desde dentro de si mesmo. Deve
despertar o espírito.
Deve desligar a televisão e sujeitar-se à sua realidade interior. O que lhe
falta para ser feliz? O que lhe falta para educar com sabedoria seus filhos?
O que requer para ter satisfeitas suas necessidades básicas?
Perguntemo-nos: Não nos dá a Terra suficiente alimento para toda a
humanidade? Não nos proporciona a Terra suficientes riquezas para que
toda a humanidade seja feliz? Não há suficiente espaço para que todos
tenham uma casa digna de uma família?
O problema não é escassez, o problema é distribuição.
Todo o problema do homem é ter criado uma sociedade que permitiu que a
riqueza se acumulasse em alguns poucos. E agora o sistema permite que
esses poucos poderosos se façam mais poderosos e os pobres mais pobres.
Os sistemas atuais que a sociedade vem praticando não levam à igualdade
de oportunidades; é necessário criar uma nova economia com sentido
humanista e social que busque verdadeiramente o bem estar do ser
humano. Que explore os bosques, porém, no sentido ecológico; que
construa cidades, porém, respeitando os espaços que as pessoas

Comunicado I: UMA VISÃO DO MUNDO 19


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

necessitam; que criem fontes de emprego, porém, não para engrandecer


fortunas de uns poucos, mas, para que seja a sociedade que se beneficie
delas.
Tantos os empresários como os dirigentes sindicais, tantos os líderes
religiosos como os dirigentes de governos, todos eles buscam com egoísmos
enfermos, na maioria das vezes, manter sua posição à custa dos princípios
que manejaram enquanto trataram de chegar ali.
Porém, a nova sociedade busca algo diferente. A nova sociedade busca
despertar a consciência de um povo que tem esperado pacientemente que
amadurecesse. A semente cresceu. A luz interior finalmente começa a
vislumbrar um novo futuro. O espírito lança um olhar ao mundo onde possa
viver e de maneira tranqüila; preparar-se para pegar o enxadão, para arar
os corações e as mentes com os sulcos onde as novas sementes crescerão.
Chegou o momento de iniciar a semeadura.
Não é uma luta violenta, não é nem sequer uma luta, é simplesmente uma
mudança, radical, porém, no final, uma mudança.
Como se realiza uma revolução total?
Só quando o povo inteiro desperta e vê a luz que interiormente não havia
captado.
Um povo em trevas não pode caminhar. Porém, um povo que percebe em
suas mentes uma nova realidade inicia um caminho diferente e, cedo ou
tarde todas as suas instituições mudam e começam a refletir essa nova
sociedade que antes foi só um sonho.
O espírito requer um novo mundo. Um mundo onde as idéias sejam
luminosas, onde os problemas tenham solução, onde as vozes dos mais
fracos sejam ouvidas tanto como as dos mais fortes. Onde não exista um
problema de distribuição. Onde todos sejamos parte de uma solução e não
parte de um problema. Onde os corações se somam ao trabalho e as
condições sejam dignas para todos. Onde o respeito às idéias e a tolerância
às diferenças de opinião sejam a norma que reja a convivência social. Este
é o mundo que vamos construir.
Perguntarão como?
Eu lhes respondo... com a luz do espírito que está por despertar.

Comunicado I: UMA VISÃO DO MUNDO 20


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

I5. A EDUCAÇÃO

Não poderia terminar esta visão do mundo sem tocar na educação. É aí


onde reside a esperança dos povos.

Meu coração estremece quando vejo a situação que priva o mundo e onde
as crianças são, muitas vezes, as vítimas mais inocentes de toda esta
tragédia.

É uma tragédia o que ocorre nos países pobres onde são as crianças os que
trabalham para manter uma família onde o pai evadiu-se, ou está enfermo,
ou simplesmente morto.

Crianças sem infância.

É uma tragédia quando as crianças são maltratadas por seus próprios pais
que as obrigam a trabalhar para remediar o que eles não podem prover.

É uma tragédia quando trocam o estudo pelo trabalho.

Porém, também é uma tragédia quando os filhos recebem uma educação


para aprender a manejar um fuzil ou uma pistola, quando o que recebem na
escola é um ensinamento que os ensinam a odiar os inimigos de seus pais e
de seus mestres. Quando semeiam ódio em seus corações inocentes. Essa é
a tragédia dos povos governados pela violência e pelas guerrear.

Povos inteiros sacrificando suas crianças para criar soldados que defendam
uma terra, uma religião, um modo de vida. Isto é uma tragédia.

O mundo sabe disto e cala muitas vezes.

O mundo sabe do que se vive na África e cala. Das misérias que provocam
mortes de milhares de crianças sem ter sequer oportunidade de ver um
brinquedo ou de conhecer alguma vez uma televisão.

De certo lhes digo que há tragédias que se escrevem todos os dias,


enquanto em outra parte do mundo há crianças desfrutando de uma sessão
de cinema.

Um mundo de contrastes.

Onde está a solução destes problemas? Na infância.

Na educação das crianças. Aí está a solução dos problemas que a


humanidade sofre.

Comunicado I: UMA VISÃO DO MUNDO 21


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

Não ocultem os problemas de seus filhos, não lhes pinte um mundo que não
existe, façam os ver os contrastes e permitam-lhes participar com idéias na
solução dos problemas.

Uma criança que cresce sabendo dos problemas que afligem o mundo tem
tempo para ir amadurecendo soluções que podem estar prontas quando
tiver a idade de pô-las em prática. A humanidade conta com vocês para
resolver seus problemas. O maior patrimônio da sociedade reside em seus
filhos.

Porém, para isto se requer uma nova forma de educar.

E, para educar de uma maneira diferente requer-se um novo tipo de


mestres.

Mestres que possam ver o potencial do quê as crianças podem fazer. Que
não vejam as crianças como indefesas ou como seres que não sabem fazer
nada e que os estão instruindo.

Que vejam as crianças como sementes dos grandes homens e mulheres que
serão amanhã. Que os eduquem tendo em mente que quem está sentado
brincando agora, pode ser um grande líder que resolverá o problema de
escassez de água amanhã.

Que vejam os líderes do futuro, que vejam os grandes cientistas, os


grandes governantes, os líderes religiosos que guiarão um povo para novos
horizontes que hoje sequer suspeitamos.

A magia das idéias se faz realidade quando um mestre vê com amor seus
alunos e respeita o ser que está crescendo dentro.

A magia do ensinamento se desencadeia quando um mestre vê através da


carinha doce de uma menina a grande senhora que, talvez, dirija
universidades no futuro.

As escolas são os templos onde se forja o espírito das crianças.

Por esta razão, os mestres são os grandes escultores de sonhos, são os


grandes escultores que ensinam a escrever futuros nas mentes das
crianças.

Por esta razão, os mestres devem ser respeitados e ter um lugar primordial
na sociedade.

Por esta razão as crianças são a esperança de um futuro que a humanidade


espera e necessita.

Comunicado I: UMA VISÃO DO MUNDO 22


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

Aquele que, com amor, ensina, termina por formar o que a família lhe
entrega, seus filhos.

E se entendermos que a responsabilidade de educar não reside


exclusivamente nas escolas, mas, também nos lares, e cada pai deve
entender sua função como formador, então a sociedade estará muito
próxima de entender a transcendência da educação e estará semeando um
futuro promissor para todos.

A educação não termina quando termina a escola, a educação é uma


disciplina tão importante como o desporto que fortalece o corpo; a
educação fortalece os valores e são os valores que nos suportam quando a
vida nos presenteia com problemas.

Esta é a função da educação e esta é a esperança da humanidade.

A nova educação dos seres humanos promoverá os valores que


transcendem; entendam que se é importante lutar para construir um
patrimônio para a família, também o é construir um patrimônio para toda a
humanidade. A educação deve dar ênfase na transcendência das metas que
se buscam para a humanidade.

A criança deve sentir-se co-responsável do que se passa em lugares


distantes, deve sentir-se com a capacidade para resolver os problemas do
mundo, a criança deve sentir-se como parte de todo o mundo para que,
realmente, suas idéias possam ter este alcance e, quando for maior, não os
veja como um problema alheio.

O mundo tem se encolhido. Os problemas agora são de todos, a natureza


faz fluir o ar e a água por todas as nações do mundo e o ar que hoje se
respira no México, ontem se respirou na Sulamérica e talvez amanhã se
respirará na Ásia.

Da mesma forma, a água que hoje cai em chuva na China, cedo ou tarde
estará de volta na América ou na Austrália. O mundo se une em muitos
sentidos e da mesma forma devem unir-se as mentes das crianças por uma
educação que as faça sentir-se como uma grande família onde todos podem
ajudar-se mutuamente.

Esta é a esperança da educação. Uma educação que forme os seres


humanos que criarão a nova humanidade.

Com isto terminamos esta visão parcial do mundo. Em futuras


comunicações falaremos de como deve ser um caminho para a luz.

Comunicado I: UMA VISÃO DO MUNDO 23


II. UM CAMINHO PARA A LA LUZ

UM CAMINHO
PARA A
LUZ
MELKIZEDEK
M.V.M.
O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

O Cristo Cósmico
O Grande Mestre da Hierarquia Cósmica
Diretor do Programa de Exteriorização da Hierarquia
Planetária que o M. V. Mestre Melkizedek coordena.

Comunicado II: UM CAMINHO PARA A LUZ 25


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

II. UM CAMINHO PARA A LA LUZ


Por MVM Melkizedek
Primeira Lua Cheia de Junho de 2007

INTRODUÇÃO
Saudações Queridos Irmãos e Irmãs.
Grandes inquietações causou meu escrito anterior... este era um dos
objetivos.
Os outros são internos. Não pretendo que estejam de acordo com tudo.
Pretendo marcar um guia sobre onde podemos pôr ênfase para melhorar o
estado interno da humanidade.
O mundo vive uma vida física. Grande parte de sua experiência humana se
baseia nos sentidos físicos; para eles orienta praticamente toda a sua vida e
seus esforços.
Porém este é o verdadeiro problema.
A vida dos sentidos é tão somente uma pequena parte da verdadeira vida.
As condutas das pessoas são tão somente a ponta do iceberg que nos deixa
entrever a realidade do que é um ser humano.
Desta vez vamos falar de uma nova forma de viver.
Este comunicado fala de uma maneira diferente de viver a vida.
Livre de temores.
Livre de prejuízos.
Livre de paradigmas.
Porém comprometidos com a luz.
Comprometidos com a evolução.
Comprometidos com o despertar da humanidade.
Vamos falar de um caminho para a luz.
Para a luz verdadeira que emana de onde a “Vontade de Deus é conhecida”.
Este é o caminho das grandes almas.
Desfrutem-no.
Melkizedek

Comunicado II: UM CAMINHO PARA A LUZ 26


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

II1. AS 3 MISSÕES DO SER HUMANO

Todo ser humano ao nascer inicia um caminho.

Um caminho cujo roteiro desconhece nesse momento.

Um caminho que está a cargo, primeiro de sua memória biológica.

O corpo sabe perfeitamente o que deve fazer para crescer e manifestar toda
a grandeza e perfeição que leva inscrita em seus genes.

O Homem possui um corpo físico biológico que é o culmen2 da evolução; é a


obra de arte com que a natureza coroa o longo caminho de ensaios e
pacientes modificações que levaram a mais tosca rocha a construir, não só
uma maravilhosa máquina biológica capaz de responder com inteligência e
precisão, as mais sutis mudanças tanto externas (alheias aos humanos)
como internas (causadas pelos humanos).

O ser humano, ao nascer, é dotado desta maravilha de precisão que é o


corpo humano.

Completo, perfeito e com uma grande missão a cumprir.

Desde aí o homem e a mulher recebem sua primeira grande missão: devem


honrar esse corpo que receberam como um presente da Natureza.

A honra se constitui mediante uma vida sã e livre de hábitos destrutivos ou


nocivos para o corpo.

Honra-se o corpo levando uma vida balanceada e em equilíbrio com a


natureza; com seus ciclos, com suas mudanças de estações, convivendo
harmoniosamente com o resto das criaturas que estão compartilhando este
maravilhoso mundo.

O ser humano honra a sua raça mostrando-se como um ser compassivo,


como um pastor de outros seres menos evoluídos, como um semeador de
bosques e construtor de nichos ecológicos a serviço da natureza.

O homem e a mulher nascem com a missão de honrar o planeta onde


nasceram.

E essa honra se constrói dia a dia. Com suas ações, com seus pensamentos,
com suas palavras.

Nesse dia, nesse primeiro dia de seu nascimento na Terra, o ser humano já
recebe uma missão. E esta missão é a missão inscrita no ser vivo, dentro de
2
Culmen: ponto mais alto de uma coisa.

Comunicado II: UM CAMINHO PARA A LUZ 27


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

sua genética biológica. Essa é a missão que lhe concede a Terra no


momento de dar-lhe o que, com tanta paciência, construiu por tantos
milhares e milhões de anos.

Porém, essa não é a única missão que o ser humano recebe.

O homem e a mulher nascem com emoções. Não são unicamente carne e


ossos. Ha um ser humano sentindo e gerando emoções desde antes de seu
nascimento. A criança, mesmo antes de nascer, já tem e experimenta
emoções; no princípio as mesmas da mãe, porém, pouco a pouco a criança,
mesmo antes de nascer, começa a diferenciar-se de sua mãe ao
experimentar suas próprias emoções. Começa a crescer emocionalmente de
maneira independente de sua mãe.

O choro da criança é produto de emoções que experimenta sem conhecer as


razões; a criança ri e brinca sem saber o que faz. E, tudo isso o faz muitas
vezes dentro da mãe... e o continuará fazendo e não saberá por quê, depois
de nascer.

O ser humano maduro chora, ri, brinca e se diverte, sofre e deseja, anseia e
se angustia e passa sua vida tratando de explicar suas emoções. Porém elas
não podem ser explicadas porque não pertencem ao mundo da mente, não
podem ser racionalizadas. As emoções se explicam vivendo-as. As emoções
se compreendem e se manejam vivendo-as. Porque as emoções são outras
das manifestações dessa perfeição que o ser humano recebe ao nascer.

O ser humano recebe ao nascer corpo emocional e com ele... também


recebe uma missão. O ser humano recebe uma missão transcendental. Algo
que até agora não tem compreendido de tudo.

A missão do ser humano ao chegar à Terra é alcançar a felicidade. Esta


sublime emoção que, apesar de o ser humano a ter experimentado em
algum momento, não lhe dedica atenção suficiente para chegar a
compreendê-la e saber como é possível manifestá-la de forma permanente.

Na manifestação da felicidade tudo se torna nobre, tudo se pinta de rosa e o


ser humano vive em equilíbrio ecológico consigo mesmo e com os demais.
Diminuem-se os conflitos, o próprio corpo se sente são ou começa a se
curar e, pouco a pouco o equilíbrio se restabelece com tudo o que se
encontra fora e dentro dele.

Assim, até agora o ser humano possui duas missões importantes para levar
a cabo nesta vida e, a ambas as tem desde o próprio momento de seu
nascimento.

Porém, o ser humano não é unicamente carne, ossos e emoções. O ser


humano tem um espírito.

Comunicado II: UM CAMINHO PARA A LUZ 28


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

E, esse espírito tem também uma missão.

Como espírito o ser humano recebeu o dom maior que qualquer criatura
possa receber: O dom da vida, o dom de poder chegar a honrar seu pai
criador.

Ao honrar o Homem a natureza ao viver em equilíbrio com ela, então o


Homem honra a Deus ao viver em equilíbrio com ele, conforme seus
princípios divinos.

Ao receber o ser humano uma carga genética que o impulsiona a crescer


conforme a informação que lhe proporcionaram seus pais, agora, como
espírito vivendo dentro de um corpo, o ser humano recebeu um código
genético que lhe proporcionou seu Pai-Mãe criador. E, nesse código não há
muitas instruções, não requeremos decifrar nenhum genoma para saber o
que está inscrito dentro desse código genético espiritual.

Dentro desse código só há uma instrução: cresce e evolui igual ao teu Pai-
Mãe. Como filho ou filha Dele-Dela, recebeu em herança a capacidade de
crescer tão grande como Ele-Ela.

E, assim, o ser humano recebe outra missão, a maior de todas. Deve honrar
a imagem de seu Pai-Mãe.

E é nesta honra que o ser humano inicia: UM CAMINHO PARA A LUZ.

Estas são as três missões que o ser humano recebe.

No restante deste escrito descreverei o que entendo por um caminho para a


luz.

Não falo desde uma plataforma de uma escola particular, nem de uma
religião específica. Não promovo afiliações a escolas nem a religiões. Não
pertenço a nenhuma rede particular nem tenho representantes. Eu falo para
todos, porque reconheço a todos como meus irmãos.

Busco fazer a luz nas mentes de todos os que estejam dispostos, porém,
convido-lhes a meditar, a encontrar dentro de vocês o que, por muito tempo
talvez, estejam buscando fora.

Recebam esta mensagem e façam-na suas, busquem dentro suas


respostas.
Nas seguintes páginas descreveremos este Caminho Para a Luz.

Comunicado II: UM CAMINHO PARA A LUZ 29


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

II2. OS DOIS CAMINHOS


Um Caminho para a Luz começa no mesmo lugar onde começa a vida.

Uma vida física que nada mais é que o símbolo do início de um novo ciclo.

Tudo no Universo se move em ciclos. Desde as galáxias que giram em


tempos descomunais, até os pequenos átomos que para coexistir requerem
estar movendo-se em pequenos ciclos de vibração. E o ser humano não é
exceção. O ser humano evolui em ciclos.

O ser humano já existe desde antes de nascer em outro estado de


existência com outra natureza, porém, já vive, já vibra, já é consciente de
si mesmo.

Quando nasce na Terra passa a um novo ciclo de existência. O ser humano


passa de uma existência espiritual a uma existência material. E toda a sua
vida nada mais é que uma metáfora que deve decifrar, na qual seu ser
interior trata continuamente de recordar-lhe sua natureza espiritual,
enquanto vive em uma sociedade que tenta por todos os meios captar sua
atenção para ensinar-lhe a viver uma vida superficial de satisfação de seus
sentidos.

O caminho para a luz começa quando o ser se questiona da validade de


tudo o que vê à luz de tudo o que sente.

Quando confronta a vida externa com a vida interior e surgem os conflitos e


a insatisfação, quando observa imparcialmente que a satisfação dos
sentidos não concede tudo o que o ser interior pede, então, o ser humano
inicia uma busca que o levará cedo ou tarde à luz.

Assim, todos os seres humanos, mais cedo ou mais tarde, se fazem as


mesmas perguntas: do quê necessito para ser completamente feliz? Por quê
somos tão diferentes os seres humanos? Por quê as pessoas são tão
distintas de mim? Por quê sou diferente? Por quê tenho que sofrer? É isto o
que Deus quer para mim? E muitas perguntas mais que o levam a iniciar
uma busca nas religiões, entre os amigos, com seus confidentes ou onde
quer que encontre pessoas que crê lhe possam responder estas
interrogações.

E é assim que se descobre a outra realidade. O mundo interior.

O ser humano começa a conceder importância essencial ao que vive


internamente. Inicia uma busca para chegar até onde seu ser interno lhe
pede.

Comunicado II: UM CAMINHO PARA A LUZ 30


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

No princípio não percebe claramente do que necessita, só sabe que o que


está fora não o satisfaz. Sente um chamado, porém, não o identifica. É aqui
onde os homens e mulheres tratando de responder a esta necessidade
formam para si uma filosofia própria: ou iniciam uma busca real para o seu
interior, ou calam essas vozes dizendo crer que a única coisa que
verdadeiramente importa é o mundo dos sentidos e suas satisfações e,
então, preenchem esses desejos com drogas, dinheiro, diversões, com o
que lhe oferece a vida externa.

E nessa decisão se vai conformando o futuro.

A primeira das grandes decisões que o ser humano toma é se acede buscar
as respostas de que necessita iniciando um caminho para dentro de si
mesmo, ou inicia uma busca fora de si.

É aí onde a primeira das grandes bifurcações do caminho tem lugar. Ambas


levam a lugares muito distintos, ambas estão cheias de lições e em ambas o
ser humano encontra respostas, ainda que não tem em ambas os mesmos
aprendizados, como veremos mais adiante.

Comunicado II: UM CAMINHO PARA A LUZ 31


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

II3. O SEGUNDO CHAMADO

Cada ser humano, homem ou mulher, menino ou menina vive sua vida
buscando algo.

Todos buscam a felicidade, o bem estar, divertir-se, ser aceitos, ser


respeitados, ser reconhecidos, todos buscamos amor.

E nestas buscas permanentes tomam-se decisões.

E estas decisões têm repercussões.

E as repercussões são os frutos com os quais depois se têm que viver às


vezes por toda a vida.

E é aí que as lições da vida levam o homem e a mulher novamente a


questionar-se: esta é a vida que devo levar? É para isso que nasci? Este era
o plano que Deus havia preparado para mim?

E nestas perguntas se encontra escondido o segundo chamado.

Um chamado do espírito que, desde dentro, faz esforços por superar a voz
da personalidade que já tem respostas e teorias para quase todas as
perguntas, porém, que na maioria das vezes falha em encontrar a felicidade
de que se necessita.

É o momento em que o mundo desaba, todas as teorias, todas as


explicações, todas as recomendações que o ser vinha seguindo não o
levaram a encontrar-se consigo mesmo.

E, então, se a pessoa escuta atentamente, se é capaz de calar essa mente


inquieta que o chama a rebelar-se, a renunciar a tudo, a sair fugindo do que
o faz sofrer, se é capaz de se sentir humilde e escutar seu espírito que com
uma débil voz, porém, insistentemente o chama... escutará o segredo dos
segredos.

Tu nasceste para ser feliz.

Tu nasceste para honrar a Deus dentro de ti.

Tu nasceste para viver uma vida plena.

Porém,... tens que me escutar.

Tens que aprender a viver contigo.

Comunicado II: UM CAMINHO PARA A LUZ 32


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

Não fora de ti.

A televisão, os amigos, a família, as revistas, tudo o que encontras fora não


são mais que distrações do que verdadeiramente importa. Todos te
recomendam coisas para comprar, viagens a realizar, livros para ler, igrejas
aonde assistir... porém, ninguém te recomenda que penses e sintas o que
teu ser interno te pede.

Ninguém te recomenda que te escutes.

Vivemos em um mundo onde todos são espertos em resolver os problemas


alheios.

Um mundo de juízes que se crêem capazes de julgar tudo e todos.

E nós nos submetemos a esses juízos.

Os escutamos e os seguimos às vezes.

Outras vezes nos ferem e maltratam... porque os escutamos e seguimos.

Em todos os casos o ser humano tem renunciado a sua liberdade para


submeter-se ao juízo dos espertos em vidas alheias.

E esta é nossa vida. Similar a um pequeno barco que, golpeado pelas ondas
da vida, viaja aos trancos, dirigido por mil capitães que crêem saber qual é
o melhor destino que nos convém seguir.

Por isso é que lhes digo... meditem, meditem, meditem.

Retomem o controle de suas vidas.

Dêem a seu ser espiritual interno o controle do que desejam fazer.

Eu lhes proponho cumprir suas missões.


1º. Honrem seu corpo físico.
2º. Sejam felizes.
3º. Honrem a Deus com suas vidas.

Este é o caminho que me proponho explicar.

Comunicado II: UM CAMINHO PARA A LUZ 33


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

II4. HONREM SEU CORPO FÍSICO

Este é o primeiro degrau do Caminho Para a Luz.


O corpo humano, essa maravilha da criação é ignorada, maltratada e
castigada sem misericórdia pelo ser que vive inconsciente de que seu corpo
é o lugar onde ele trabalha.
Uma das grandes razões pela qual o ser humano castiga seu corpo é porque
é o único lugar onde ele pode experimentar a sua liberdade.
Cansado de ter que respeitar regras e conselhos, leis e exigências por parte
da sociedade, de seus pais, de seus parceiros, de seus filhos, das
autoridades, de todo mundo que o rodeia, a pessoa sente que sobre a única
coisa que tem liberdade é sobre como usar o seu corpo físico, sobre o que
pode fazer com ele.
E então, se dá a liberdade de comer um pouco mais... de fumar um cigarro,
de tomar mais um copo, de relaxar-se ou drogar-se, ou qualquer coisa que
lhe permita pensar: ao menos posso fazer isto porque é minha vida e
ninguém me pode obrigar a que não o faça... “um pequeno ato que me
permite experimentar um espaço de liberdade a que tanto anseio, porém,
que não tenho nos demais campos de minha vida”.
E então, o ser humano se torna obeso, vicioso, enfermo. O corpo, nascido
para servir ao ser humano como uma maquinaria de precisão maravilhosa
com todo um sistema perfeito para manter a saúde do ser, se torna uma
máquina defeituosa, maltratada e cheia de necessidades que adoecem o ser
humano e o torna agora um escravo.
Cada ação reclama seu efeito, cedo ou tarde.
Por isso o primeiro ato consciente que nos aproxima da luz é honrar nosso
corpo.
O corpo é o lugar onde trabalhamos para que nos aproximemos do mundo
de onde viemos, é o instrumento perfeito para que o ser possa aceder com
liberdade ao exercício supremo do ser humano: Trabalhar para Criar. Igual a
Deus.
O corpo é o laboratório que transforma tudo o que lhe damos em energia.
O propósito principal da alimentação é proporcionar energia para que o
corpo siga funcionando de maneira adequada.
O propósito da alimentação não é satisfazer ao paladar. O sentido do gosto
tem uma função esquecida pelo Homem: tem a função de proteger o ser
para não ingerir algum alimento que lhe possa fazer dano. Porém, está tão
atrofiado que só algumas poucas pessoas realmente podem detectar
aqueles alimentos que estão decompostos ou que fazem mal ao corpo.

Comunicado II: UM CAMINHO PARA A LUZ 34


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

Sendo a energia que proporciona a alimentação, entendamos que a energia


primeira que sustenta a vida no Planeta é a energia solar. Aqueles alimentos
ricos em energia solar são os que proporcionam energia de melhor
qualidade ao corpo humano.
Em nenhum momento estou proibindo nada, só recomendo que os
alimentos de origem vegetal sejam os primeiros da lista de uma
alimentação que dê ao ser humano maior qualidade de energia. Os
alimentos derivados de animais têm já processada a energia solar em um
nível de menor qualidade; eles a tomaram das plantas e depois o Homem a
toma deles quando já se encontra mais degradada.
A água que bebe o ser humano deve ser limpa e livre de contaminantes tão
freqüentes na civilização. A água dos rios originalmente vem rica de energia
que vai percorrendo os campos e os atravessa e a fortalece em muitos
sentidos. A água é um dos melhores alimentos que o ser humano pode
tomar, tanto por seu conteúdo energético como pelos processos que dentro
do corpo a água efetua; a água limpa desintoxica, magnetiza e provê ao ser
humano de um meio de condução de energia limpo e excelente para que
realize muitos outros processos superiores que deve fazer como mais
adiante explicaremos.
Faço um esclarecimento de que nas cidades a água que viaja pela rede de
serviços municipais é água muitas vezes livre de contaminantes, porém,
pobre em energia. Não dana o corpo, mas, tampouco lhe dá a energia que a
água originalmente provia ao corpo humano. Por isso o ser humano deve
buscar energizar a água enviando-lhe pensamentos de harmonia e bênçãos
antes de ser consumida.
Em toda casa deveria haver um recipiente onde continuamente tivesse água
benta e magnetizada com bons desejos e pensamentos dos membros da
família, e de onde eles a estivessem bebendo. A forma de magnetizá-la é
tão simples como abençoá-la ou pedir a Deus que a encha de toda a sua
força.
A água possui propriedades muito além do que o ser humano possa supor;
suas capacidades são apenas reconhecidas por algumas poucas pessoas e a
ciência apenas está iniciando uma investigação para atender estes
chamados “fenômenos” por eles.
Outro aspecto fundamental é a respiração.
A respiração é uma operação simples que o ser humano pratica desde que
nasce. Porém, que não exercita de maneira adequada.
A respiração deve encher a caixa torácica, deve encher a parte baixa do
ventre e deve encher a capacidade pulmonar ao menos por alguns minutos
diários. O ser deve praticar estes exercícios de respiração completa ao
menos por alguns minutos diários. Séries de 10 respirações praticadas ao

Comunicado II: UM CAMINHO PARA A LUZ 35


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

menos 3 vezes ao dia pode proporcionar ao ser uma vida completamente


distinta e o encher de satisfação por estar vivo. Porém, cuidemos para que
o ar esteja livre de contaminações tão comuns na sociedade atual.
O exercício físico é outro dos elementos que o ser deve praticar para manter
seu corpo funcionando. Cada músculo de seu corpo foi colocado ali pela
natureza sabendo que cumpre uma função importante para o ser. Nenhum
músculo está demais e cada um deles pode atrofiar-se se não for
exercitado. Novamente afirmo que o exercício é vital para que a pessoa
possa viver em paz consigo mesma. A sensação de bem estar que segue a
uma curta sessão de exercícios físicos permite ao homem e à mulher
recordar que conta com seu corpo, que está a serviço do ser superior e não
o contrário.
O descanso é também um elemento a cuidar. Ao corpo requer descansar de
forma completa periodicamente, não unicamente para que os músculos
possam estar livres do cansaço, mas, para que certas funções mentais e
químicas possam ser feitas enquanto o corpo dorme. Pouco descanso
incrementa o estresse e faz funcionar de maneira inadequada muitos dos
processos do corpo que ao longo do tempo gera instabilidade emocional,
enfermidades e uma baixa energia em geral.
Em resumo, os hábitos diários são os que asseguram à saúde ou à
enfermidade das pessoas.
Maus hábitos são a causa raiz de muitas das enfermidades humanas.
O equilíbrio colocado em cada um dos atos de nossas vidas ajuda a manter
esse estado de bem estar tão importante para caminhar harmoniosamente
para a luz.
Honrar o corpo físico é viver uma vida harmoniosa, respeitando suas
necessidades e desfrutando de suas capacidades.
“O corpo é o altar onde se honra a Deus”. Esta é uma das frases que
muitas das antigas tradições mantinham presente. O corpo é um presente
da Mãe Terra. É o primeiro presente que recebemos ao chegar à Terra. E é o
último que entregamos ao terminar nossa existência e por isso mesmo é um
dom com o qual vivemos toda a nossa vida.
Por isto é que lhes digo o Caminho Para a Luz requer honrar nosso corpo
físico.

Comunicado II: UM CAMINHO PARA A LUZ 36


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

II5. SEJAM FELIZES

Assim como o ser humano deve honrar seu corpo físico, deve fazê-lo
também com a Mãe que o deu ao ser; e não estou me referindo a sua mãe
biológica, estou falando da Mãe Terra.

A Mãe Terra lhe concedeu o melhor que possuía, o mais seleto de seu
material para que fosse construído seu corpo físico; e, este ato de amor
deve ser recompensado através de um respeito à natureza. A Mãe Terra
requer de todos os seus filhos respeito a seus processos, respeito a seus
mares e bosques, respeito às suas montanhas e vales. Respeito às suas
criaturas, que não estão aqui para servir o Homem; que estão aqui, da
mesma forma que ele, para aprender a serem seres orgânicos superiores
para alcançar o equilíbrio na natureza.

Cada ser orgânico deve estar consciente de que seu lugar dentro da
natureza está resguardado e seguro enquanto não viole as leis da
convivência harmônica; ecológica diriam os cientistas. Porém, a ecologia é
uma ciência demasiado nova para a moral e os hábitos humanos. É aqui
onde o chamado para todos aqueles que seguem este caminho para a luz se
faz mais forte. A Terra necessita de todos os seus filhos conscientes para
retomar esse caminho de equilíbrio que está perdendo por causa do avanço
cego que nos últimos 200 anos o Homem vem dando à sua civilização.

Estamos agora a tratar do tema felicidade.

Dissemos que o ser humano nasce para ser feliz.

E nesta frase se resume todo um caminho de simplicidade. As crianças o


manifestam e elas não são mestres de sabedoria.

São simplesmente crianças.

Porém as crianças não perderam o que os adultos perdem quando crescem


escutando os demais.

A criança não perdeu sua inocência.

A criança, todavia, escuta seu ser interno e porque o escuta sabe o que
quer... e o pede, o busca, e não se separa de seu objetivo até que o
encontre e, então, regressa a seu estado de felicidade interior.

Comunicado II: UM CAMINHO PARA A LUZ 37


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

Caso a criança se ofenda busca não estar ofendida, se a criança sofre busca
não sofrer, se a criança perde o sorriso busca encontrá-lo na diversão, nas
brincadeiras, em todas as suas ações.

Assim, simples é a vida.

Porém, os adultos...

Os adultos sofremos e buscamos a raiz de nosso sofrimento fora; e então,


encontramos que nossa vizinha, nosso chefe, nossos filhos, alguém... fez
algo muito ruim ... e por isso estamos ofendidos. Eles são os culpados, eles
ofenderam-me.

Os adultos nos alegramos, porém, guardamos recordações... essas


recordações é que nos ensinam a não confiar nessas pessoas que nos têm
feito sofrer.

E, então, na próxima vez que as vir saberei que não devo confiar nelas.

E assim vivemos.

Guardando pedras em nosso coração.

Uma pedra para cada pessoa que me tenha feito sofrer; outra pedra para
cada coisa que a vida me tem dado como problema; e mais outra para
aquelas coisas que desejo na vida e não tenho conseguido.

E vamos pela vida carregando esta carga de pedras

Queixando-nos de que a vida é fatigante.

Quando chega um momento de felicidade desejamos que não termine


nunca; porém, internamente estamos convencidos de que terminará e isto
nos angustia em meio à felicidade que experimentamos; angustiamo-nos
porque sabemos que não será para sempre. Ou recordamos alguém a quem
gostaríamos que estivesse conosco desfrutando desse momento e, então,
nos entristecemos porque essa pessoa não está.

E o momento de felicidade se nos passa entre a angústia de que está


passando e a nostalgia das recordações que reclamam um lugar em nossa
mente.

O presente é um espaço de tempo curto, demasiado curto para ser


desperdiçado entre um futuro que não chega e um passado povoado de
fantasmas.

E no presente é o único tempo que se pode desfrutar da felicidade.

Comunicado II: UM CAMINHO PARA A LUZ 38


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

Por isso o caminho para a felicidade não é um caminho largo, não é que
precisamos nos esforçar para sermos felizes... devemos deixar de nos
esforçar e sermos como as crianças... sensíveis... simples... vivendo o
momento... desfrutando de cada coisa que a vida nos dá... aceitando o que
temos e não desejando até a obsessão o que não temos ou o que não
somos.

O Homem se esforça para não ser feliz.

Luta para ter todo o controle de sua vida e ao não conseguí-lo perde a
felicidade.

Ser feliz implica em desfrutar-se do que se tem, como as crianças que


brincam com pedras, com sua imaginação, com suas mãos, com o que têm
à vista.

Desfrutar do que se é. Sem desejar ser como outros, sem desejar mudar a
cor dos olhos e a forma dos cabelos.

O aceitar-se como se é não implica em mudar. O aceitar-se como se é o


primeiro passo para a felicidade.

Na busca da felicidade o ser humano inventa fórmulas e estratégias que o


têm levado a perder o mais importante... O homem e a mulher estão
perdidos de seu contato com seu ser interior.

Por muito tempo estão sendo chamados os homens e as mulheres das


escolas e organizações espirituais para que meditem. E, normalmente tenho
escutado que não sabem meditar e me pedem fórmulas, receitas mágicas
para conseguir estabelecer o contato com seu ser interno.

Pensam que se escutar não tem sentido porque crêem que meditar é
pensar, e não percebem a diferença entre estes dois atos.

Porém, meditar não é pensar.

Meditar é transcender.

Pensar é trivial.

Meditar é aprofundar-se no mais interno do ser, perguntar, perguntar,


perguntar e voltar a perguntar... e depois, quando as perguntas cessam ...
escutar, escutar, escutar... e voltar a escutar.

Deixar que o coração fale. Que a personalidade cansada de buscar


respostas fora, cansada de escutar comerciais de televisão dando conselhos

Comunicado II: UM CAMINHO PARA A LUZ 39


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

contraditórios para que as pessoas vivam uma vida que não têm e se
convertam em pessoas que não são; deixe, finalmente, que o coração fale.

E, talvez, não lhe diga muito, talvez só lhe diga: “busca Deus dentro de ti”,
ou talvez só lhe diga “não sofra, eu estou contigo”.

Ou talvez surja a convicção de que: “não tens porquê seres o que não és”
ou “não tens que ter isso para ser feliz”... porém, o ganho será imenso,
porque a alma falou e foi escutada.

Este é o primeiro passo, o primeiro degrau para encontrar-se consigo


mesmo; a meditação é o exercício mais valioso que um discípulo pode fazer
para restabelecer o contato com sua alma.

Porém deve fazê-lo com disciplina. Deve fazê-lo com a mesma regularidade
com que tomam seus alimentos. Deve fazê-lo como parte de sua vida.

A felicidade não é algo inalcançável, a felicidade é um estado natural do ser,


é um estado onde o ser humano honra a Deus. A felicidade atrai saúde,
normaliza as funções do corpo, gera energia positiva na vida da pessoa e
das que a rodeiam. É uma fonte contínua de vida às claras, de bom humor,
de bem estar.

E não implica em que as pessoas não devam sofrer; a vida vem,


inevitavelmente, carregada de lições; porém, a pessoa que aprendeu a ser
simples; toma o sofrimento que a vida lhe dá e se pergunta: qual é a lição
que se esconde por trás deste sofrimento?

Quando esta pergunta é respondida o sofrimento se torna menos pesado. Já


compreendemos o que nos o causou e, agora, podemos trabalhar nas
outras perguntas importantes: Por que me dói tanto? Que parte de mim
devo fortalecer para que não me doa tanto?

O ser humano deve aprender a amar sem apegos. O amor é um sentimento


que proporciona a liberdade. Amar em sua forma mais pura é liberdade.

Amar com apegos é necessidade. E a necessidade é sintoma de que algo


nos falta para estarmos completos.

As dores da alma muitas vezes se devem à incompreensão, não dos


demais, que não entendem “o que eu faço por eles”, mas, da pessoa que
sofre porque não entende que deve amar as pessoas por elas mesmas e
não pela esperança de que algo as mude.

Comunicado II: UM CAMINHO PARA A LUZ 40


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

O amor é algo pessoal; não se pode esperar que outra pessoa sinta
exatamente o mesmo que nós sentimos. Elas são livres para sentir como
seu coração lhes ditar, porém, há algo que não devemos esquecer:

no grau de amor que concedemos a outras pessoas


estará o grau de amor que receberemos delas
ou o tamanho da lição que deixaremos em suas vidas.

Há muitas ocasiões em que as pessoas às quais amamos não nos dão a


mesma qualidade de sentimento, porém, em algum momento de suas vidas
elas saberão que houve alguém que as amou profundamente e isto lhes
estará ensinando uma lição de amor... e se o nosso amor por elas é
suficientemente grande ao deixar-lhes esta lição deve ser suficiente para
que nós encontremos consolo ao saber que fizemos algo por elas.

A felicidade é, então, o segundo passo para se chegar a esse caminho para


a luz.

Recordem que nesta senda em que juntos andamos, primeiro iniciamos uma
mudança interior e pouco a pouco começa a dar-se uma mudança exterior.

Primeiro se é e logo se faz. Primeiro se transforma o ser e depois se


transforma o mundo em que se vive.

Seguir o caminho para a luz é seguir uma das maiores aventuras que o ser
tenha empreendido em sua vida.

É encontrar a penugem de ouro que... como Ulisses... a encontrou depois


de vencer muitas batalhas.

Comunicado II: UM CAMINHO PARA A LUZ 41


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

II6. HONRAR A DEUS

O caminho para a luz é como o caminho do guerreiro.

Um guerreiro mantém sua mente e seu corpo preparados para a luta em


todo momento. O inimigo espreita... pode estar em qualquer lugar, pode
aparecer inclusive quando o guerreiro dorme. Por isso se mantém
preparado.

Suas armas são a disciplina a que submete seu corpo, alimentando-se


corretamente, exercitando-se de maneira adequada, mantendo o equilíbrio
com a natureza e entende que seu corpo obedece também a estes ciclos,
não maltrata o corpo com vícios nem com maus hábitos, respeita a noite
para dormir e se levanta cedo como o sol para criar com suas mãos e sua
mente o que corresponda ao dia.

O guerreiro sabe que a luta que salva é contra si mesmo.

Contra os hábitos que a sociedade semeia nele.

Contra os pensamentos alheios que aderem em sua mente, derivados da


publicidade e da forma de vida antinatural que o homem e a mulher atual
constroem.

O guerreiro não precisa estar em uma montanha para buscar sua harmonia
interior. A luta é interna, onde quer que esteja ou vá, sabe que os
fantasmas se encontram dentro, não fora. As ruas das cidades não são
senão campos onde se reflete a batalha, porém, as lutas são internas.

Dentro é onde se tomam as decisões.

É dentro onde o coração chama e a mente ignora.

É dentro onde a alma grita enquanto a consciência distraída pretende


encontrar fora o que a alma tem.

A luta é interna... e as lições também.

Por isso neste Caminho Para a Luz devemos estar alerta.

Meditando.

Todos os dias.

Em cada momento.

Comunicado II: UM CAMINHO PARA A LUZ 42


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

Escutando essa parte de cada um de nós que sempre esteve ali. Esperando
para ser notada.

Eu estou falando por ela... em seu nome... uso suas palavras porque eu a
escuto.

E a percebo por trás das máscaras que todos os homens e mulheres do


mundo usam.

Máscaras que só servem para enganar-se e enganar os demais.

Máscaras que refletem sentimentos que não sentem, porém, que são os que
a sociedade aceita como corretos.

Máscaras que lhes fazem tomar decisões que sabem incorretas, viver uma
vida que não lhes satisfaz, levantarem-se a cada manhã sabendo que há
algo importante que não está conseguindo. Deitarem-se a cada noite com a
sensação de que suas vidas não lhes estão dando o que suas almas
reclamam.

Uma sensação de vazio e confusão que só lhes levam a levantar suas vistas
a Deus e pedirem-lhe um pouco de luz para caminhar seus passos pela
senda correta.

Eu lhes digo agora... Deus já lhes tem respondido.

Ele lhes tem dado todas as respostas.

Levam-nas dentro do seu coração.

Levam-nas inseridas dentro do seu código genético espiritual.

As respostas estão dentro, não fora.

Buscam nas religiões receitas mágicas. Assistem psicólogos para que lhes
ajudem a responder as perguntas que são de vocês.

Falam com sacerdotes que nunca foram casados para perguntar-lhes como
devem educar seus filhos, ou como tratar seu parceiro.

Afiliam-se a escolas filosóficas e pretendem tirar dali todas as respostas a


suas perguntas.

E nunca se perguntam a seu próprio interior...

Sendo que é ele o único que tem todas as respostas.

Comunicado II: UM CAMINHO PARA A LUZ 43


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

Ele, que lhes conhece mesmo antes de terem nascido.

Ele, que tem vivido todas e cada uma de suas decisões.

Que sofreu quando vocês tomaram essas decisões equivocadas e agora


tomam em lições de vida o que lhes faz sofrer.

Que sofreu quando em sua consciência perderam o rumo de suas vidas e


sabia que esse caminho só lhes traria mais sofrimento.

Ele, que sabia que esse sofrimento talvez lhes levasse a perguntar a si
mesmos: por quê? Por que? Por que? E nessa busca de respostas talvez
deram uma oportunidade para escutá-lo.

Porque Deus, esse Deus que todos buscam... fala dentro de vocês.

Essa voz que só na meditação se capta é a voz de Deus que lhes indica por
onde devem dirigir seus passos.

Por isso eu lhes digo... Meditem, meditem, meditem.

Perguntem o que necessitam saber. Agora mesmo, depois de deixarem esse


escrito... tomem a si um momento... fechem os olhos... percebam a
sensação de saber que já têm chegado... têm a resposta a suas
perguntas... só basta escutá-las.

Estão aí, dentro de vocês mesmos.

Todas as respostas.

Inclusive as respostas daquelas perguntas que, todavia, ainda não


formularam.

A Luz da alma se manifesta dentro do ser humano.

Porque todo ser humano tem uma alma, embora seria mais correto dizer...
toda alma tem um ser humano. Porém, esta última forma não é correta
porque há almas que não estão vivendo na Terra, por isso não podemos
afirmá-lo. O importante é entender que somos almas passando por uma
experiência humana.

Almas que esquecemos nossa natureza espiritual.

Almas amnésicas, sofrendo de esquecimento porque nada em nossa


civilização nos recorda de nossa origem divina, só algumas religiões o
recordam debilmente... porém, o entorpecem quando nos ensinam a
respeito de Deus, que temos que encarcerá-lo dentro de seus códigos de

Comunicado II: UM CAMINHO PARA A LUZ 44


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

leis, que dispuseram apenas para engrandecer a instituição. Todas o


obscurecem quando nos ensinam a temer mais do que amar.

Devemos honrar a Deus. Sim. Porém, a Deus não se honra, quando


submetemos nossa mente a dogmas irracionais.

A Deus não se honra, quando buscamos escapar de nossa realidade e nos


afiliamos a escolas que prometem um futuro esplendoroso em outros
mundos.

Tampouco não se honra, quando o guia ou sacerdote nos consola dizendo


que não nos preocupemos por justiça, porque no céu há um Deus que tudo
vê e que nos colocará próximo Dele chegado o momento.

Estamos no mundo porque vimos aprender uma série de lições que nos
permitam sermos felizes no mundo, não no céu.

É o momento de entender que Deus tem uma vontade inviolável, é verdade.


Ninguém pode violar a Lei Divina.

Porém, as leis divinas deixam liberdades ao Homem. Liberdade que lhes


permite aprender a forma correta de viver.

É o momento de exercer a liberdade.

O ser humano submete sua mente quando o temor toma o apanha.

Como é possível falar de condenação eterna?

Como é possível conciliar um Deus de amor com a advertência de que


existe um ser maligno nos acercando todo o tempo?

As instituições religiosas têm criado toda uma série de ensinamentos para


aprisionar as mentes das pessoas através do medo.

Ninguém é mais dócil do que uma pessoa temerosa.

Povos convertidos em rebanhos.

Essa tem sido a herança de religiões degeneradas pelo desejo de poder e


controle que têm exercido seus dirigentes.

A mesma estratégia seguem os que pregam o fim do mundo.

Inserem o medo e ganham o controle.

E então agora o povo busca-os... e busca-os... e busca-os.

Comunicado II: UM CAMINHO PARA A LUZ 45


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

Busca-os para escutar algo que lhe tire o medo, que lhe tranqüilize...
porém, isto só se alcança assistindo à sua igreja, fazendo caso ao que eles
lhe dizem e dando a eles algo de seus pertences.

Não crêem que é o momento de despertar?

Não sentem que já é o momento de deixar de falar de terror e começar a


falar de amor?

Distanciem-se de tudo aquilo que lhes rouba a tranqüilidade de seus


espíritos. Não promovam mais temor, falem de liberdade.

Falem de criar um mundo cheio de oportunidades.

Um mundo que lhes abra as portas às suas maravilhas.

A maravilha de saber-se com o poder de Deus para criar.

Para devolver à natureza o que lhe temos tirado.

Para fazer de nossa casa uma casa que renda honras à harmonia ecológica.

Onde possamos ter um pequeno jardim que seja nosso vínculo com a Mãe
Terra; e, ali, nesse jardim possamos agradecer à Terra o que tem feito por
nós. E, se não tem jardim poderá ser um vaso, um arbusto, uma plantinha,
um ser que nos recorde que a Terra nos tem dado um espaço para viver e
por isso a abençoamos.

Por isso todas as manhãs, ao despertar, levantamos nossa vista ao céu e


fechamos nossos olhos para dizer desde nosso interior. Grato. Grato por
outro dia, por outra oportunidade para aprender o que viemos aprender,
outra oportunidade para servir.

Gratos pelo corpo que recebemos da Terra e que alimentamos graças à


Terra todos os dias.

Gratos por nossa família, por nossos pais, por nossas montanhas, pelo mar
e por tudo o que vocês gostem.

E depois de haver agradecido... façam silêncio, respirem fundo... e deixem


um espaço de tempo... para sentir o prazer de estar vivo e em conexão com
Deus, com seu interior, com sua alma.

Isto é pela manhã.

Porém, à noite... haverá outro momento especial.

Comunicado II: UM CAMINHO PARA A LUZ 46


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

Já terá finalizado uma jornada mais.

Um dia em que aprendemos lições, convivemos com pessoas, pudemos


trabalhar por algo, seja em casa, nas repartições, nas ruas, no campo, onde
tenha sido nossa atividade.

Encerramos um capítulo mais de nossas vidas.

Nos dispomos a virar a página do dia de hoje.

É o momento de nos perguntar... o que aprendemos?

Qual foi a lição de hoje? A quem devo agradecer pelo que me permitiu
aprender hoje?

O que foi que eu escrevi no livro de minha vida hoje?

Este momento mágico de intimidade o podemos fazer antes de fechar


nossos olhos, o podemos fazer com os olhos cerrados. O podemos fazer sós
ou acompanhados, podemos torná-lo um trivial, ou o podemos converter
em uma experiência familiar, que ensine algo importante a nossos filhos.

A vida é um livro onde lemos as lições que Deus quer que aprendamos.

Um dia sem meditar é um dia sem ensinamento.

Um dia sem falar conosco mesmos é um dia em que perdemos a


oportunidade da fazer contato com nosso interior. O único que nos conhece
perfeitamente.

Por isso O Caminho Para a Luz é o caminho da meditação.

É o caminho que nos conduz para dentro. Para poder caminhar fora.

É o caminho que revela a luz da alma para iluminar a escuridão que priva
nos labirintos que a sociedade tem construído no mundo.

Escutemos a alma. Concentremo-nos dentro de nós mesmos e estaremos


seguindo esse caminho que nos levará até encontrarmo-nos com a
verdadeira luz interior.

Comunicado II: UM CAMINHO PARA A LUZ 47


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

II7. O PROPÓSITO DESTE COMUNICADO

Não quero terminar este segundo escrito sem antes lhes dizer o que
pretendo com ele.

Todos os seres humanos viemos à Terra em cumprimento a uma disposição


divina, porém recordemos que:

Deus não tem religião.

Deus não fala em um idioma particular.

Deus não tem cor de pele.

Deus não é homem ou mulher.

Deus não tem nacionalidade.

Não tem preferidos nem a quem condenar.

Deus não tem pressa para cumprir sua vontade.

Deus não sente crises nem as sentiu antes.

Deus não se preocupa com o aquecimento global.

Nem se aflige com as decisões que nós tomamos.

Deus tem, além da nossa, outras milhões de galáxias às quais deve atender.
Em cada uma delas há milhões de sóis que podem ter vários planetas onde
há pessoas como nós, buscando entendê-lo... e exigindo que os escute.

Deus é muito maior do que todos nós seres humanos possamos pensar
juntos.

Por isso podemos afirmar...

Caso exista um livro divino onde Ele tenha imprimido Sua Vontade...

Não é a Bíblia, nem o Alcorão, nem a Torah, nem o Chilam Balam, nem o
Baghavad Gita. Não.

O único livro onde Deus escreveu sua Vontade é no livro da Criação.

Comunicado II: UM CAMINHO PARA A LUZ 48


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

Suas leis estão inscritas em meio dos astros, das nebulosas, das
montanhas, dos rios e dos mares.

Estão inseridas dentro de cada átomo de Criação.

E, nós somos parte dessa Criação.

E temos átomos como as estrelas e os sóis e todos os rincões do Universo.

E são os mesmos átomos.

Por isso as respostas as temos dentro...

Porém, cada pessoa, em sua busca particular, encontra algumas respostas.


E, em ocasiões...

As sente tão grandes que se enche de gozo.

Sente a plenitude de haver encontrado Deus... quando só tem encontrado


algumas respostas.

E, em seu entusiasmo por haver chegado a escalar um só degrau dessa


escada que leva ao contato interno... o pronuncia a todos.

E se forma um grupo... e logo uma organização.

Que o segue porque ele tem algumas respostas.

E o vêem diferente.

E, então o convertem em profeta, em iluminado, em um ser que pode falar


com Deus.

E ele lhes ensina como devem viver.

E as pessoas lhe perguntam tudo... e ele lhes responde, e lhes responde.

E as pessoas deixam de pensar.

Deixam de buscar porque já encontraram alguém que pode responder suas


inquietações.

E para chegar a mais pessoas... cria-se uma instituição. Uma escola, uma
religião.

E o Homem como espécie humana... detém-se. Deixa de evoluir. Segue


vivendo fora, buscando as respostas às perguntas que tem dentro.

Comunicado II: UM CAMINHO PARA A LUZ 49


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

Esta é a razão do porque “Um Caminho Para A Luz” ensina que devemos
meditar.

Este é o propósito que busco.

Reorientar.

Sigam perguntando, não se cansem de perguntar...

Porém, façam-no à sua alma.

Muito breve regressarei a conversar com seus seres internos a respeito da


herança que o passado lhes deixou e como esta se une ao futuro que lhes
espera, para conseguir fazer que o presente tenha um sentido especial.
Falaremos de como os caminhos espirituais do passado e do futuro podem
se fazer incidir no presente do ser humano.

Melkizedek

Comunicado II: UM CAMINHO PARA A LUZ 50


III. UNINDO O PASSADO COM O FUTURO NO PRESENTE

UNINDO O PASSADO
COM O FUTURO
NO PRESENTE
= O chamado às tradições =

M.V.M.

MELKIZEDEK
O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

III. UNINDO O PASSADO COM O FUTURO NO PRESENTE


= O chamado às tradições =
M.V.M. MELKIZEDEK
Segunda Lua Cheia de Junho 2007

INTRODUÇÃO

Todo caminho tem um início e um final.

Toda senda tem uma meta… ou várias.

O caminhar do espírito na Terra é um caminhar multidimensional.

Caminha na Terra com seu corpo… e seus pés o dirigem até onde sua mente
o leva... ainda que sua mente não saiba muitas vezes aonde ir.

Caminha com seu coração até a felicidade… ainda que muitas vezes pareça
que se distancia e em outras, quando crê que a tenha alcançado, não saiba
como cuidá-la e a volte a perder.

Caminha com sua alma para Deus… e busca orações e templos, faz
penitências e promessas, segue conselheiros e mestres, sacerdotes e
gurus... porém, Deus parece às vezes estar próximo e outras vezes
distante.

E neste caminhar multidimensional o ser humano inventou coisas para


sentir-se próximo de Deus.

O ser humano observou a natureza e a reconheceu como o livro onde Deus


escreveu sua vontade.

Assim nasceram as tradições... o ensinamento divino revelado aos sábios.


Tão público que sempre estava à vista de todos... e às vezes tão secreto
que ninguém podia entendê-lo.

E essas tradições foram sendo passadas de lábios a ouvidos... porque


ninguém confiava nas palavras escritas.

Jamais uma palavra poderia expressar o que o Sol nos diz quando aparece
no horizonte e inicia seu diário registrado pela abóbada celeste.

Comunicado III: UNINDO O PASADO COM O FUTURO NO PRESENTE = O chamado às Tradições = 52


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

Como explicar em palavras o que sente a alma quando observa a águia a


percorrer seus domínios nas alturas das montanhas.

E cada povo leu no livro sagrado da Terra as lições que Deus deixou para
seus filhos em cada criatura, em cada nuvem e montanha da natureza.

Os povos das neves leram na neve e nos lagos o que Deus deixou para eles.

E os povos da selva encontraram suas lições em meio às árvores milenares


e cascatas escondidas.

As gentes da tundra e da savana as buscaram entre rochas e pedreiras, em


meio de vales sagrados e grutas misteriosas.

Sempre esteve Deus próximo deles e sempre estiveram eles próximos Dele.

Porém, os céus mudaram, as estrelas se moveram, muitas luas passaram...


o peso dos séculos foi se acumulando sobre a história do Planeta.

E nasceram as cidades, as ruas e os edifícios.

Os homens deixaram as peles e se vestiram com roupa de fábricas.

Distanciaram-se da natureza e a encerraram em parques... e disseram que


era para protegê-la.

E o ser humano começou a viver em um mundo inventado por ele.

Já não estava o irmão castor para ensinar-lhe os mistérios dos rios, nem a
irmã águia para mostrar-lhe como devia voar. Já não era possível falar com
as árvores para descobrir seus segredos, agora todos eles estavam
encarcerados em parques e zoológicos... para protegê-los.

E o ser humano? ...

O ser humano se havia construído uma cela ainda maior... e chamou-a


civilização, chamou-a cidade, chamou-a sociedade... porém, era uma cela e
não se dava conta.

O Homem criou, então, escolas e institutos. Para ensinar seus filhos a viver
dentro da cela... para ensinar-lhes como ser felizes ainda que estivessem
presos.

E sentir um ar de liberdade... ainda que não pudessem sair nunca de suas


celas.

Por isso nasceram os homens que queriam ser livres, os que sim, se davam
conta da tragédia.

Comunicado III: UNINDO O PASADO COM O FUTURO NO PRESENTE = O chamado às Tradições = 53


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

Os que gritavam aos quatro ventos que a humanidade havia perdido o


caminho.

Porém, eram considerados loucos, e às vezes até os queimavam em


fogueira.

Por isso os homens livres tiveram que se esconder e se reunir em pequenos


grupos... à margem da sociedade que os separava.

E desde então ensinaram a verdade.

E criaram as tradições.

Que logo passaram de lábios a ouvidos.

Poucas vezes escreveram em livros suas verdades... era demasiado


perigoso.

Tiveram que se esconder para viver sua liberdade.

E essas tradições ainda permanecem... na posse de uns poucos. E o


Homem, apesar de estar perdido,... possuía uma alma que vibrava e lhe
falava de Deus... de horizontes perdidos que desejava... de recordações
escondidas em sua alma.

E isso o levou a buscar... e a buscar... e a buscar.

E desenvolveu a ciência.

Uma que buscava nas estrelas chamou-a astronomia... talvez perseguindo


uma recordação de uma viagem na origem dos tempos, que haviam feito
seus antepassados... talvez como buscando uma casa abandonada em
algum tempo distante.

Outra que buscava em meio aos átomos e partículas subatômicas chamou-a


física. Esta a inventou tratando de descobrir a origem da matéria, talvez aí
se encontrava o mistério de Deus.

Uma mais se dedicou a buscar em meio às células humanas, dentro das


partículas que formavam o corpo humano, talvez querendo encontrar Deus
mesmo disfarçado de cromossomo... e não descansou até decifrar o
genoma humano... agora sim, já podia brincar de ser Deus. Já podia
inventar seres humanos e fazê-los da cor que mais gostasse.

Porém, sem que alguém se desse conta... o ser humano estava inventando
um novo caminho.

Era a mesma busca da natureza que haviam iniciado seus antepassados;


novos olhos para os mesmos mistérios. Uma nova espiral na trama da vida.

Comunicado III: UNINDO O PASADO COM O FUTURO NO PRESENTE = O chamado às Tradições = 54


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

Novas portas que conduzem às mesmas metas.

O mesmo espírito, a mesma interrogação com novos instrumentos e novas


linguagens.

E o homem e a mulher sem se dar conta...

Estavam criando as novas tradições, porém, agora com microscópios e


telescópios, reunindo-se em universidades e institutos, em laboratórios de
pesquisa.

Mesmas almas, agora com aventais de laboratórios em lugar de peles de


animais.

Uma ronda nova no mesmo mundo que conhecemos.

A vida milagrosa seguindo uma espiral mais na viagem infinita da evolução.

Até quando? ... Desde quando?

Acaso importa?

Bem-vindos a esta síntese do caminhar do ser humano.

Uniremos o passado com o futuro... E o faremos agora, no presente.

Melkizedek

Comunicado III: UNINDO O PASADO COM O FUTURO NO PRESENTE = O chamado às Tradições = 55


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

III1. AS PRIMEIRAS PERGUNTAS

Somente quando a luz da alma ilumina a consciência humana, pode


começar o Homem a buscar respostas.

A mente é uma fábrica constante de perguntas. E a própria mente humana


não pode responder ao que ela mesma pergunta.

Porque as respostas que vêm do mesmo espaço mental que pergunta não
são mais que labirintos que conduzem ao ponto de partida. São respostas
que não matam a sede, somente a adiam.

As respostas que fazem crescer o homem e a mulher devem provir do


espaço da alma. Devem ser o fruto de uma meditação profunda onde a
alma pode iluminar a consciência... então, as respostas são de outra
natureza.

E o homem e a mulher crescem em consciência... seu entendimento se


expande, seu olhar muda, sua alma toma por uns momentos o controle da
vida e se experimenta uma sensação de estar mais próximo de entender os
segredos de Deus.

E no passado remoto houve mentes que puderam conectar-se com suas


almas, sempre tem havido... sempre houve, há e haverá.

Eles e elas são os guardiões das tradições. Almas velhas em corpos


humanos. Olhos que vêem mais além do que as formas projetam.
Pensamentos que iluminam o que a vista descobre no vale de sombras que
nos envolve a todos.

Essas mentes iluminadas por suas almas puderam explicar o mundo que
viam. Viram o que impulsionava os rios ao descer das montanhas para
correr ligeiro até o mar que pacientemente os esperava em algum lugar
mais além das vertentes e vales.

E isso lhes ensinou porque o ser humano buscava desesperadamente a


Deus.

Puderam entender porque a águia voava placidamente tão alto e só de vez


em quando se projetava, como um raio, até o solo para apanhar algum
animal que pudesse servir de alimento a seus filhotes.

E isso lhes explicou o mistério dos domínios. Há os que nasceram para


dominar um pequeno rincão da natureza, enquanto outros nasceram
reinando em grandes extensões de terra. Uns nascem para arrastar-se
como a serpente e outros nascem para voar.

Comunicado III: UNINDO O PASADO COM O FUTURO NO PRESENTE = O chamado às Tradições = 56


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

Logo se perguntou... Quais são os meus domínios?

Olhava as montanhas imponentes... nunca se moviam, nunca se


angustiavam, nunca riam, estavam sempre ali para protegê-lo dos ventos,
ou para castigá-lo com avalanches se não respeitavam seu solo... Entendeu
que eram guardiãs. Cuidavam da natureza e cuidavam do homem e da
mulher... então, fez-se amigo delas e as adorou.

Viu o mar... impassível às vezes, outras irascível, porém sempre se


movendo em ciclos rítmicos intermináveis. Ondas que vem e vão, sempre o
mesmo rumor das ondas golpeando a praia, trabalhando, desenhando novas
faces nas costas, inventando a geografia.

E então soube que o mar era o lugar de destino de todos os rios do mundo.
Soube que daí partiam todas as nuvens que depois umedeciam os campos e
faziam crescer as flores e as árvores, e estas davam vida aos vales de onde
os animais se alimentavam.

O mar era a resposta.

Era daí, de onde tudo havia saído.

E enamorou-se do mar... porque o mar lhe falava em silêncio, sem palavras.

O mar lhe falava à sua alma... e lhe dizia: desperta!, desperta!

E a alma respondia.

Então pensaram... “o mar é de onde provenho.

O mar é como o lugar de onde saiu o meu espírito.

A ele tenho que regressar algum dia.

A vida do espírito é como a vida no mar profundo... quieta, em paz.

A vida da mente é como o mar nas praias... sempre em movimento,


sempre inquieta, golpeando aqui e retirando-se lá. Escavando as rochas,
fazendo espuma e rompendo em brisa que logo se dissipa.

Por isso tenho que encontrar a forma de chegar à fonte de onde saiu meu
espírito... tenho que buscar a Deus.”

E criaram-se as tradições. Sistemas de conhecimento sagrado que


encerravam as respostas que os homens encontravam

Comunicado III: UNINDO O PASADO COM O FUTURO NO PRESENTE = O chamado às Tradições = 57


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

III2. AS PERGUNTAS CORRETAS

O ser humano do passado viveu no meio da natureza e a viu como mãe. A


Mãe Terra, o ser mais maravilhoso que Deus podia nos haver dado. A que
nos alimentava, a que nos dava o vento para refrescar nossos corpos, a que
nos dava chuva para alimentar nossos campos, a que nos dizia quando
armazenar alimentos porque chegava o inverno e era a época que ela
utilizava para renovar o vestido dos campos, eliminar o que já era velho.

Logo nos mandava a primavera e pintava os campos de flores para que


recordássemos que mais além de todos os problemas, mais além de todos
os invernos, sempre havia uma primavera a nos esperar. Por mais cruel que
fosse a vida, por mais forte que soprassem os ventos gelados, sempre
haveria um momento em que o sol apareceria novamente e as flores
votariam a iluminar nossas vidas.

A Mãe Terra sempre cheia de lições, sempre nos ensinando.

Como a astúcia do lobo que nos ensinou a força da manada, que nos falava
de que em grupo podíamos fazer mais que quando atuávamos sozinhos.

A laboriosidade das abelhas que vivem em colméia; dão sua vida por ela e
no final triunfam sobre seus inimigos porque todas trabalham
diligentemente fazendo o que devem fazer.

A liberdade dos patos que quando sentiam chegar o inverno simplesmente


marchavam para outras terras, sem apegos nem remorsos, sabendo que o
mundo era sua casa.

Cada animal vivendo a sua vida. Nascendo e morrendo, satisfeitos de haver


vivido de acordo com o que a natureza lhes marcava.

Porém o ser humano se perguntava que tanto a natureza podia ensinar-lhe.

Qual era a vontade de Deus para o ser humano? Esta era a pergunta das
perguntas. O que queria Deus que o ser humano fizesse?

Deus havia dado garras ao leão, força ao elefante, asas às aves...


pensamento ao humano.

Por quê?

Por quê o pensamento do ser humano era mais poderoso que as garras e a
força? Por quê o ser humano podia voar mais alto que as águias com seu

Comunicado III: UNINDO O PASADO COM O FUTURO NO PRESENTE = O chamado às Tradições = 58


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

pensamento? Por quê o Homem podia vencer os tigres sem ter suas garras
nem seus caninos? Qual era o mistério que Deus queria que o ser humano
decifrasse?

Estas eram as perguntas dos primeiros sábios da humanidade.

Eles, os que se preocupavam em agradar os Deuses. Os que pensavam


mais além da caça e da pesca, os bruxos e os xamãs, os anciões e os
curadores, esses formaram uma nova classe de ser humano.

E estas foram as perguntas que deram lugar à sabedoria humana. As que


depois se transformaram em medicina, em psicologia, em religião.

Eles foram os primeiros pensadores da humanidade. A eles devemos tudo.

Porém, ... uma era a mente que perguntava. E outra... era a alma que
respondia.

Nem sempre a alma respondia.

Para que a alma responda deve ser feita a pergunta correta.

A verdade não se encontra nas respostas... encontra-se nas perguntas.

Cada pergunta é uma porta que o ser humano fabrica... e que logo busca
abrir.

De nada serve uma porta que não nos conduz à meta que queremos chegar.

Por isso há que se fazer as perguntas corretas.

De nada adianta perguntar-se... Por quê acontece isso comigo? Por quê me
querem fazer mal? Por quê eu?

As respostas estão encerradas sob o fantasma de que a vida é injusta. É


perguntar sabendo de antemão as respostas.

Respostas limitadas à mente ingênua que crê conhecer a vida.

Perguntar-se: O que posso aprender desta situação? Como posso proteger-


me desta pessoa? São perguntas que lançam a mente em outra direção.
Perguntas de poder, perguntas que abrem a mente a outras possibilidades.

Estas eram as perguntas que se fizeram os sábios da antiguidade.

Assim abriram as portas corretas.

Comunicado III: UNINDO O PASADO COM O FUTURO NO PRESENTE = O chamado às Tradições = 59


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

Fabricaram caminhos.

Como o que ensinava o mistério da árvore...

Aquele que usava o velho xamã quando dizia a seu jovem aprendiz: “Uma
árvore inteligente nasce próxima das pedras... assim não pode ser comida
pelos animais quando ainda é tenra e pequena. Quando jovem é flexível e
os ventos não podem quebrá-la, pois se dobra em lugar de querer resistir à
sua força. Faz raízes profundas para que não possam arrancá-la facilmente
quando alguém tente extraí-la. Logo cresce e se rodeia de uma casca que a
protege das formigas e outros insetos que sempre querem lhe tirar algo. No
final de sua vida solta sementes, que busca sempre proteger encerrando
nelas o que a árvore aprendeu com a vida, assim seus filhos serão mais
fortes e sábios que ela”.

E o jovem aprendiz não podia fazer perguntas, o xamã já tinha falado... o


aprendiz devia observar, observar e observar.

Devia aprender a ser como a árvore. Proteger-se em alguma pedra, como o


xamã que era seu protetor, devia ser flexível para que os ventos não o
quebrassem, nunca ser teimoso com seus pensamentos porque,
seguramente, sua estupidez o tombaria, devia proteger-se à medida que
crescesse com os valores e a disciplina que lhe ensinava o velho xamã,
porque só assim poderia evitar ser molestado pelas demais pessoas e, no
final de sua vida, teria que buscar algum aprendiz que quisesse ser como
ele, a quem deveria ensinar tudo o que ele mesmo havia aprendido
observando a natureza.

Abrir o canal à sua alma, era o que o xamã lhe estava ensinando.

Os xamãs sabiam e apreciavam a sabedoria do silêncio.

Porque o que fala não pode escutar o que sua alma diz.

E a alma explica o que a vida lhe mostra.

A mente pretende saber, pretende explicar usando o que recorda do que


tem lido, do que tem escutado.

Por isso os Homens muitas vezes pretendem ser sábios, quando tudo o que
fazem é repetir verdades alheias.

Letras mortas que utilizam como se fossem suas, porém, que são incapazes
de explicar porque não nasceram de sua experiência.

Só o que a alma ensina nos faz crescer.

Comunicado III: UNINDO O PASADO COM O FUTURO NO PRESENTE = O chamado às Tradições = 60


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

A mente repete o que tem escutado ou lido.

A alma fala sempre o recente, sempre é nova. Com a sabedoria do que está
conectado com o infinito.

Os eruditos são como livros com patas e com língua.

Os sábios são pessoas que falam desde a alma.

Os eruditos se vangloriam do que recordam.

Os sábios dão graças por estarem vivos e serem felizes.

Os eruditos buscam falar, falar e falar.

Os sábios buscam observar, observar e observar.

Dois caminhos diferentes. Os dois válidos... para diferentes propósitos.

O erudito serve à mente.

O sábio venera a alma.

Há muitos eruditos nos foros mundiais e em grandes assembléias. Vestem


trajes e viajam em aviões de primeira classe. Escrevem livros com palavras
que recordam e frases que tomam emprestadas de alguém. Têm muitos
livros em suas bibliotecas e competem com outros eruditos para ver quem
escreve mais rápido a maior quantidade de livros.

Os sábios não estão sob refletores, nem nas grandes assembléias;


encontram-se calados em algum lugar da Terra, felizes por poder aprender
da vida, da natureza; talvez não tenham livros, nem biblioteca; talvez
nunca escrevam um único livro em sua vida, porém cada palavra deles vale
mais que milhares de livros que os eruditos escrevem.

A diferença entre um erudito e um sábio é a mesma que há entre um


charco de água estancada e um rio que desce alegre da montanha.

As tradições nos deram a sabedoria da natureza, a sabedoria do único livro


que Deus escreveu para todos nós. Um livro escrito na linguagem mais
sagrada e mais poderosa que todas. Um livro que não necessitava ser
traduzido porque todos podiam entendê-lo se o desejassem.

Um livro que podia ser explicado quando o ser humano abrisse a porta que
conduzia a sua alma.

Por isso digo que é importante saber perguntar... as perguntas poderosas,

Comunicado III: UNINDO O PASADO COM O FUTURO NO PRESENTE = O chamado às Tradições = 61


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

as perguntas que abrem as portas corretas. As perguntas que só a alma


pode responder.

Por isso sempre lhes direi... meditem, meditem, meditem.

Formulem as perguntas corretas e aí estarei eu respondendo através de sua


alma.

Comunicado III: UNINDO O PASADO COM O FUTURO NO PRESENTE = O chamado às Tradições = 62


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

III3. AS GUERRAS

O homem e a mulher do passado criaram as tradições para caminhar para


Deus. Sabiam que havia alguém muito grande que lhes havia criado,
sentiam-se submissos a uma vontade superior que dominava os elementos,
que movia a seu capricho as forças da natureza. Tinham esse contato com
sua realidade interior que não podiam explicar, porém, que lhes movia a
encontrar um elemento mágico na trama da vida.

Ante cada surpresa que a vida lhes oferecia eles se perguntavam: O que
temos feito para que Deus nos castigue ou nos premie assim? Ainda que era
evidente que havia muitos deuses, alguns queriam o melhor para eles, eram
amigos dos seres humanos, enquanto outros eram malignos e, portanto,
sempre que havia uma luta entre eles os mortais eram os afetados.

Nos vales nórdicos os Deuses eram guerreiros e os espíritos dos Homens


que faziam honras às guerras eram recebidos nos céus como heróis.

O ser humano honrou a guerra. Seus deuses assim o mandavam. Entre os


Astecas foi o mesmo e também entre os Romanos e muitos dos povos da
América do Sul, África e Austrália. Até mesmo os muçulmanos honravam as
guerras que faziam em defesa da fé. Os próprios cristãos empreenderam
suas cruzadas pela mesma razão.

O ser humano moderno tem feito o mesmo; os povos árabes invocam a


guerra santa quando se trata de defender seus interesses e os Estados
Unidos invocam seu próprio Deus quando buscam proteger seus soldados. O
Humano não tem deixado de honrar as guerras. Como se desta forma
pudesse lavar sua consciência que lhe grita como está equivocado ao lutar
contra seu irmão por causas que nada têm de nobreza.

É necessário mudar dentro do ser humano o paradigma que o move a lutar


quando a comunicação falha.

Enquanto os governos pensarem que ao lutar o fazem por seu próprio país,
enquanto pensem que podem ganhar uma guerra e que isto beneficiará
seus povos. O mundo seguirá em guerra.

O que é necessário para todos os homens e mulheres do mundo é entender


que em uma guerra... todos perdemos.

Perde o que ganha, porque deverá arrastar em sua consciência o sangue de


todos os seres humanos que matou. Perde porque deve carregar toda sorte
e o ódio dos povos que submeteu. Perde porque seus próprios soldados

Comunicado III: UNINDO O PASADO COM O FUTURO NO PRESENTE = O chamado às Tradições = 63


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

adoecem de ódio, de remorso, de dor e essa doença fica em suas famílias


que depois são passadas a seus filhos e pouco a pouco vão criando uma
sociedade onde a guerra é justificada e o inimigo não é unicamente o
soldado estrangeiro, o inimigo é todo aquele que for diferente, que não
pense como eles. Já não há diferença entre o inimigo estrangeiro e o
vizinho que pensa diferente.

Perde o que é vencido e tem que se levantar das cinzas do que sobrou de
seu povo e carregar a dor de seus filhos que perguntam: por quê? E
recebem um silêncio como resposta. Perdem a guerra e voltam a perder
quando seus filhos crescem com ódio em suas veias por esses soldados que
levaram seus pais de seu próprio país, eles, os invasores vieram e os
mataram, destruíram seus povos, mataram seus seres queridos e logo se
foram deixando tudo feito cinzas e tudo... por quê?

Não há resposta válida.

Não há uma que satisfaça a dor do coração de uma mãe ou de um filho a


quem mataram o pai.

Como não há resposta para a mãe do soldado morto em um país


estrangeiro onde foi para lutar numa guerra que não era sua, que não
entendia e que no final, quando já estava a ponto de expirar, a luz se revela
ante seus olhos e entende que tudo era uma simples luta por ganhar voto
nas seguintes eleições.

Porém, não foram sempre assim as guerras; houve um tempo em que as


guerras eram para defender a honra de um povo que era humilhado por um
inimigo, para defender a sorte de um povo ameaçado por um poder
ambicioso.

As guerras o Humano as tem visto como uma tradição. Dentro do exército


existem tradições, tradições de honra, tradições de lealdade, de códigos de
guerra. O soldado que as honra é um soldado que merece a homenagem do
povo.

Mas, o soldado que vive com honra é o que defende seu povo... não o que
ataca a outro.

Não há honra quando se luta em um povo alheio. Não há honra quando se


mata o irmão de sua própria casa.

Não há justificativa possível quando alguém esgrimindo sua própria


segurança mata todos os que lhe parecem ameaçadores.

Deve entender-se que o assassino também mata por medo. Não há nada

Comunicado III: UNINDO O PASADO COM O FUTURO NO PRESENTE = O chamado às Tradições = 64


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

mais perigoso que um governo pequeno dentro de um povo grande.

Por esta razão o ser humano tem buscado desde sempre um guia que lhe
marque o rumo que o leve de volta a seu Criador.

O ser humano busca o caminho de volta. E desgraçadamente... o ser


humano tem tomado muitas vezes o caminho da guerra.

Porém, quando se entende que vivemos em um mesmo mundo e que o ar


que respiramos em nossa cidade é o mesmo ar que amanhã estará em
outro país sendo respirado por nossos irmãos...

Quando entendemos que a água viaja pelo mundo em forma de nuvens, de


rios, de mar, sem ter que usar passaporte nem falar diferentes línguas,
quando aprendemos que as aves cruzam fronteiras sem perguntar em que
país estão, compreendemos que vivemos em uma grande aldeia. Viajamos
em uma mesma nave, compartilhando a mesma sorte com todos os nossos
irmãos.

Quando entendemos que os problemas da China são nossos problemas, que


os problemas de Java, da Austrália, dos Estados Unidos, do México, da
Venezuela são nossos próprios problemas; quando entendemos que se
alguém mata uma baleia todo o mundo perde; se alguém maltrata um
animal maltrata a todos; se entendermos que quando alguém corta uma
árvore o mundo sente... então, estaremos nos aproximando a essa
consciência que devemos despertar em todos nós.

Não há diferença entre o aborígine da Austrália, os índios quéchuas do Peru,


os maias de Yucatan. Eles vivem da mesma forma como os jovens
executivos de Wall Street ou os soldados do Irã. Todos têm um coração que
ama e que teme. Todos têm uma família da qual cuidam e filhos que
esperam ver crescidos e felizes.

O ser humano vem seguindo um caminho de volta. Todos a sua maneira.

Entre as eternas neves da Groenlândia, entre as selvas da Amazônia, em


meio aos desertos da África ou entre as ruas estreitas da Turquia. O ser
humano vive sem escutar sua alma, porque se o fizesse, entenderia que o
caminho não é a guerra... o caminho é o amor.

Meditem, meditem, meditem.

Aí encontrarão o caminho.

Comunicado III: UNINDO O PASADO COM O FUTURO NO PRESENTE = O chamado às Tradições = 65


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

III4. O CAMINHO DO RETORNO

No passado o ser humano descobriu um caminho para aproximar-se de


Deus.

Não era o da guerra, esse não o aproximava de Deus, ele sabia. A guerra
era algo necessário.

A luta pela sobrevivência primeiro foi para defender-se dos animais que o
atacavam... logo para defender sua família de outras tribos que queriam o
que eles haviam conseguido, suas mulheres, suas peles, suas cavernas.

Por isso o Humano viu a guerra como algo normal em sua vida... porém,
isso não o aproximava de Deus.

O que o aproximava de Deus era a oração.

Muito cedo o ser humano achou que a Deus há que lhe falar.

E Deus escuta... e sempre responde.

Porém as respostas nem sempre são o que o ser humano espera.

Por isso aqueles que sabiam interpretar a linguagem de Deus, pronto


converteram-se em sacerdotes.

Os sacerdotes sabiam quando Deus falava. Quando Deus respondia às


petições dos homens e das mulheres. Encontravam as respostas nas
nuvens, na água de uma tigela, no vento ou no fogo.

Mas, o sacerdote sabia que a resposta mais certa era a que ele recebia no
coração.

Deus respondia sempre... porém, dentro do coração.

E o silêncio também era uma resposta.

Às vezes Deus calava e isso significava que a pergunta não era do seu
agrado, ou a resposta não era a que o ser humano esperava.

Assim, nasceram os primeiros oráculos. E, com os oráculos, nasceram os


profetas, os magos e as sacerdotisas.

E começaram muitas tradições... todas querendo penetrar os mistérios


divinos... averiguar o que Deus queria para seus filhos.

Comunicado III: UNINDO O PASADO COM O FUTURO NO PRESENTE = O chamado às Tradições = 66


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

Alguns perguntavam coisas triviais... se o marido regressaria, se seu filho


se curaria.

Outros perguntavam se deviam ir à guerra, se deviam levantar armas... por


isso, às vezes os oráculos escreviam a história dos povos.

As coisas não têm mudado muito em nossos dias. Agora os oráculos são
rodeados de cristais, de incenso, de fotos enigmáticas. Grimorios3 estranhos
e linguagens esquecidas no tempo.

Os seres humanos seguem consultando o futuro... nas cartas, nas taças de


chá, na fumaça do cigarro, nas linhas das mãos.

Os governantes consultam seus oráculos... eles os chamam agora junto


com os chefes do exército, da inteligência militar, sentam-se nas mesmas
poltronas... todos seguem esperando que o céu aprove suas decisões.

Porque o ser humano continua sendo temeroso a Deus.

Sabe que é um ser espiritual que deve render contas quando sua vida se
acabar.

Entende sua responsabilidade de governar...e não quer equivocar-se.

A sociedade moderna nos revela, aos mesmos homens e mulheres do


passado, com instrumentos modernos e tecnologia avançada, porém, com
os mesmos temores e inquietações de antanho.

A tecnologia talvez tenha avançado muito... porém, o ser humano continua


tendo os mesmos temores e sentimentos que no passado remoto...

Por isso hoje as igrejas usam tecnologia virtual e fazem as missas por
televisão. Porém, os pecados escutados em confessionários continuam
sendo os mesmos há milhares de anos.

O passado nos revela algo impactante.

O ser humano tem mudado o mundo exterior. O tem enchido de tecnologia,


de máquinas que voam e exploram o espaço. Janelas que mostram o que se
passa do outro lado do mundo no mesmo instante em que se passa e
aparatos com os quais se podem falar e ver outra pessoa ainda que esteja
nesse momento em outro país...

Porém, em seu mundo interior..., continua sendo a mesma criança temerosa


que deseja, que sofre, que chora e que ri.
3
Grimorio: livro antigo de rituais mágicos.

Comunicado III: UNINDO O PASADO COM O FUTURO NO PRESENTE = O chamado às Tradições = 67


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

Segue querendo que o mundo o reconheça como alguém importante e


valioso; segue necessitando de alguém que o ame. Quer sentir-se seguro e
protegido.

Alguns encontram tudo isso na família... buscam-na, constituem-na,


protegem-na e vivem felizes ou, ao menos tranqüilos.

Outros não a encontram e se refugiam na religião. Muitas das igrejas do


mundo estão cheias de fracassados da sociedade; pessoas que buscam
escapar de uma realidade que não lhes satisfaz.

Por esta razão muitos dos líderes religiosos pregam com a frustração que
suas vidas lhes têm deixado.

Porém, há outros que encontram na fé o caminho de volta.

Conseguiram estabelecer uma família ou alcançar a paz consigo mesmo.


Conseguiram sós ou com seus filhos e o casal. Eles são os que estão livres
para voar pelo céu do espírito.

O que busca Deus O encontrará em alguma das tradições que o ser humano
construiu.

• Na arte... dando rédeas soltas à expressão de seu espírito que se volta


à música ou à pintura que explora e se expande enquanto sua arte vai
tomando sentido em uma obra mestra de expressão de sua alma.

• Na religião, onde encontra Deus, às vezes, na voz de um líder cujas


palavras fazem eco de suas próprias inquietações e que sente que lhe
orientam nas coisas cotidianas da vida. Outras vezes na oração que,
como veículo veloz, o leva até as moradas internas, onde pode ter
conversações íntimas e privadas com esse Deus a que venera.

• No serviço ao próximo, muitos homens e mulheres de hoje, encontram


no serviço o caminho de volta. Há instituições que servem
altruisticamente e esse é o melhor campo para servir, no exercício desse
amor o ser encontra Deus no rosto e nas mãos dos irmãos a que serve.

E os que buscam mais além. Os que sabem que Deus é algo mais tangível e
menos misterioso...
Esses o encontram em sua alma.

Comunicado III: UNINDO O PASADO COM O FUTURO NO PRESENTE = O chamado às Tradições = 68


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

III5. A LUTA ATUAL

E nesta busca para encontrar o caminho de volta a Deus, o ser humano


segue as tradições.

Há os que se mantêm firmes em seu passado.

Os irmãos da América, que sentem que os espanhóis lhes arrebataram suas


crenças e lhes obrigaram a aceitar um Deus de pele branca, o qual não era
o que eles adoravam.

Os judeus e os muçulmanos que, para defenderem suas crenças,


sufocaram-se totalmente nelas a ponto de entregarem suas vidas na defesa
de seu Deus contra os deuses de estrangeiros que visavam apoderar-se de
seus domínios.

E assim como eles, muitos outros têm em seu passado uma história de
lutas e opressão que repercute na forma como hoje sentem Deus e
caminham para Ele.

Hoje, lhes falo a todos eles...

É o momento de esquecer.

Esquecer afrontas e perdoar.

A maior homenagem a Deus é a que nasce da alma que é capaz de amar


aqueles que a tenham ofendido.

O leão que mata a sua presa não o faz por maldade, o faz para comer. E aos
filhos sobreviventes da presa não cabe o ódio pelo leão, o que cabe a eles é
a lição de sobrevivência que a mesma natureza lhes permite aprender.

O ser humano não guarda lições, guarda rancores e isso é uma tragédia.

Ainda há indígenas na América vivendo ser conquistados já não pelos


espanhóis, mas, agora por outros personagens de sua realidade atual.

Ainda se podem ouvir sacerdotes lutando contra mouros em suas mesmas


cruzadas.

Ainda se vive o ódio dos judeus contra os alemães, ou dos muçulmanos


contra os judeus.

Ainda há quem continua vendo seus irmãos com o mesmo ódio herdado de

Comunicado III: UNINDO O PASADO COM O FUTURO NO PRESENTE = O chamado às Tradições = 69


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

seus ancestrais que sofreram na mão de seus opressores.

O ódio do passado continua afetando a humanidade do presente.

E isso é uma tragédia.

Por isto é necessária uma revolução silenciosa.

Uma revolução que limpe o ódio do coração dos humanos e mulheres.

Uma revolução que comece por libertar das cadeias do passado as vidas dos
seres humanos do presente.

Muitas religiões são inspiradas na moral dos povos do passado. Enchem


suas liturgias de conselhos e práticas que se faziam há milhares de anos.
Entretanto, a humanidade hoje lida com novos desafios que a obrigam a
pensar em novos termos.

A eutanásia, o aborto, a engenharia genética, os clones, o aquecimento


global, todos estes são termos de um presente que exige novas formas de
pensamento.

E... no entanto, há povos pensando nos conflitos de 500 ou mil anos atrás.

O presente exige de todos os irmãos da terra que façam uma parada.

Deixar de olhar para trás para defender o Planeta da maior ameaça jamais
concebida sobre o seu destino desde que ele foi criado.

Antigamente, nas primeiras tradições, a Terra era vista como a mãe


amorosa provedora da casa, vestes e do sustento dos seres humanos.

Hoje os governos a enxergam como um ativo do qual pretendem tirar o


maior proveito enquanto dure seu mandato.

Saqueiam-se bosques, eliminam-se mangues, secam-se lagos sempre que


qualquer empresário se disponha a pagar ao governo impostos que lhe
permitam fazer “grandes obras” e deixar seus eleitores contentes para
ganhar nas próximas eleições.

E o futuro?

O governante só governa para o povo que tem à sua frente... porque,


desgraçadamente, as gerações futuras não contam.

Tomam decisões agora às quais deverão pagar as crianças de amanhã...


somente porque elas não votam hoje e nem nas próximas eleições.

Comunicado III: UNINDO O PASADO COM O FUTURO NO PRESENTE = O chamado às Tradições = 70


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

Hipoteca-se o futuro adiando-se as soluções para que o mundo do amanhã


as resolva, quando o preço a pagar será enorme.

Por isso é necessário criar as novas tradições.

O mundo necessita dos quéchuas, dos maias, dos toltecas, das tribos hopi,
dos aborígines da Austrália, dos druidas da Irlanda, de todos os povos que
honraram a Terra. Necessitamos unir nossas vozes para dar voz à Terra e
defendê-la contra a inconsciência dos que tomam as decisões.

Hoje o mundo está alarmado porque o petróleo está terminando. Esgotaram


em poucos anos o que a natureza levou milhões de anos para formar.

A atmosfera está mudando a combinação de gases que a conformam


porque existe uma grande quantidade de gases de combustão que antes
não existiam flutuando no ambiente.

Hoje existem níveis de radiação que antes não havia, porque na natureza a
radiação só era devida a produtos naturais que decaíam em seu processo
para converter-se em elementos estáveis. Porém, o ser humano tem
agregado uma infinidade mais de contaminantes radiativos derivados de
provas nucleares e de plantas de fissão nuclear que geram eletricidade em
vários países industrializados.

O planeta tem os seus próprios mecanismos de regulação. Claro! A


natureza é sábia e aprendeu ao longo de milhões de anos de sua existência.
Tem os bosques e o plâncton marítimo que regulam e limpam de
contaminantes tanto a atmosfera como a água que cobre os três quartos da
superfície do planeta...

Porém...

Os bosques estão sendo sacrificados para a obtenção de emprego e


habitações. E o mar é o grande receptáculo de todos os desperdícios
gerados pela civilização.

O planeta necessita não de filhos que, todavia, vivam os conflitos de sua


história, necessita de irmãos que vivam nos tempos atuais e pelejem suas
próprias lutas, não as de seus pais.

Hoje a Terra necessita de todos. Nosso planeta reclama uma nova


consciência global. É o tempo de levantar a voz por uma civilização que viva
para o amanhã, de governos que semeiem a prosperidade do amanhã.
Necessitamos reorientar os caminhos.

Que os cidadãos do mundo saibam que um sacrifício hoje poderá trazer uma

Comunicado III: UNINDO O PASADO COM O FUTURO NO PRESENTE = O chamado às Tradições = 71


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

garantia de vida a seus filhos de amanhã.

Não sacrifiquem suas florestas!

Sacrifiquem um pouco as suas vidas hoje, porém, pensem no futuro que


caberá as seus filhos viverem amanhã.

Esta é a verdadeira luta dos povos autóctones da Terra. A luta pela terra de
seus filhos.

Por isso, hoje eu lhes repito..., estamos iniciando uma revolução silenciosa.
Uma revolução que nasce dentro do coração, que orienta esforços, alinha
propósitos, direciona rumos... e define ações.

Comunicado III: UNINDO O PASADO COM O FUTURO NO PRESENTE = O chamado às Tradições = 72


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

III6. O CHAMADO AOS GUARDIÕES

Hoje a Terra fala através de minha boca.

A todos os amam o meu solo. A todos os que amam as minhas nuvens e


montanhas.

A todos os que desejam os campos livres de contaminantes; como quando o


bisão podia correr livre pelas pastagens porque eram suas, quando os
peixes saltavam da água alegres de ter uma água limpa onde viver.

A todos os que, todavia, recordam de quando as flores dos campos eram o


melhor vestido da natureza, de quando Deus cantava nos gorjeios dos
pássaros que faziam seus ninhos em qualquer árvore, porque todas eram
suas para isso.

Aos que viveram o deleite de dormir no meio da mata, sabendo que


conviviam com a natureza pura e sem mácula.

A todos eles hoje lhes convoco.

Porém, chamo também àqueles que vivem tudo isso apenas em livros e
filmes. Aos filhos da cidade, do asfalto, das grandes lojas que já não têm a
oportunidade de conhecer um bosque que não necessite ser protegido,
porque ninguém o danifica.

Aos que têm passado suas vidas empilhados em pequenos quartos junto
com seus pais; aos que fugiram de um campo que já não produzia para
viver.

Aos que lêem isto com lágrimas em seus olhos, sabendo que este tesouro
da Terra lhes pertencia e a inconsciência dos que viveram antes o destruiu.

A todos vocês também lhes chamo hoje à nossa revolução silenciosa.

Hoje o Homem acautela-se do próprio Homem.

Depredador contra depredador.

Quem é a presa e quem é o caçador?

O ser humano destruiu a sua casa, contaminou o seu ar e a sua água.


Agora tem que comprar a água que consome; tirá-la dos rios e limpá-la
para tomar. Mais tarde, talvez tenha que engarrafar o ar para respirá-lo.

Comunicado III: UNINDO O PASADO COM O FUTURO NO PRESENTE = O chamado às Tradições = 73


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

Por esta razão, hoje lhes chamo para dizer que é o tempo de iniciar um
novo caminho.

É o tempo de unir esforços.

O passado com o futuro.

Os filhos do futuro são hoje a nossa esperança.

Não é o ser humano que vive com os paradigmas do passado que


recuperará o planeta.

São o homem e a mulher conscientes de sua herança os que tomarão as


rédeas de sua vida e reorientarão as forças e os cursos das ações.

Hoje convoco para formar novas tradições.

Que o índio do passado se una aos jovens do futuro.

Que os anciões guardiões das tradições tomem seus bastões do comando,


seus cachimbos, seus cajados, seus defumadores, suas tigelas e suas
plumas das aves sagradas para iniciar uma nova e decisiva jornada.

A última das lutas.

A luta pela liberdade da Terra.

Porém, as suas vozes encontrarão eco, não nos governos atuais. Não.

Não é aí onde a luta se liberará. Essa luta está perdida, porque o coração
dos homens do comércio não entende das águas que dançam nos rios, nem
da águia que vigia desde o espaço.

Os políticos não entendem do irmão urso que guarda as montanhas, nem


do castor que constrói os diques onde se protegem os peixes pequeninos.

Não, a luta não será aí.

A luta é pelos corações dos jovens do amanhã.

Eles são a última esperança de uma humanidade destinada a despertar.

Eles são os que inaugurarão as novas tradições.

Essas onde a águia voe com o condor e habitem a mesma montanha.

Essas onde o lobo ainda seja o rei da tundra.

Comunicado III: UNINDO O PASADO COM O FUTURO NO PRESENTE = O chamado às Tradições = 74


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

Essas onde os iaques e as cabras do monte não necessitem se esconder.

Estes jovens são os que se há de encontrar.

Os que vestirão os jalecos de laboratório. Os que elevarão sua voz no meio


das universidades e dos fóruns mundiais de comércio.

Os que algum dia terão que gritar no meio dos estabelecimentos comerciais
que com a natureza não se comercializa. Os que haverão de levantar suas
vozes para falar a favor do futuro.

Eles são os que os veneráveis anciãos do bastão haverão de encontrar.

Esta é uma nova luta.

Uma luta que não se ganhará com gritos nem com ódios do passado.
Ganhar-se-á com a luz dos corações conscientes de que o amanhã, tão
esperado por todas as raças, chegou.

Esse dia que sempre se anunciou, quando o “Grande Espírito falaria com a
voz de trovão” chegou.

Mas, o trovão não é nos céus.

O trovão é nos corações dos que escutam esta verdade.

É o momento de nos unirmos em torno de uma revolução silenciosa.

Que cada povo tome um punhado de sua terra. Empreenda uma


peregrinação sagrada em busca da águia que, parada sobre um nopal4,
devora uma serpente e, todos juntos, aí onde o sinal lhes chame, unam
suas terras como símbolo dos povos que se unem.

Mas, não o façam em silêncio.

Chamem os periódicos, chamem os políticos, chamem os jornalistas; não


temam aos que vivem na inconsciência. É a hora dos sábios falarem, é a
hora dos anciões tomarem a palavra e levantem a voz, como o fez o chefe
Seattle quando o presidente dos Estados Unidos quis comprar as suas
terras.

Por acaso alguém pode vender a terra?

Por acaso alguém pode vender a terra de seus ancestrais? Esta terra onde
estão descansando os corpos dos que tanto a defenderam?
4
Nopal (Opuntia ficus-indica): Planta desértica espinhosa. O Nopal junto com a águia e a serpente fazem parte do
simbolismo do nascimento do México, e estão presentes no escudo e bandeira mexicanos.

Comunicado III: UNINDO O PASADO COM O FUTURO NO PRESENTE = O chamado às Tradições = 75


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

Não, irmãos. Não é o momento de calar. É o momento de falar.

Porém, quando estiverem as câmeras e os microfones ligados, quando as


senhoritas de caras pintadas lhes fizerem perguntas tontas e tenham que
falar... Olhem para as câmeras e falem às crianças. Não escutem os donos
das emissoras de televisão, eles não entendem as causas da Terra. Falem às
crianças, aos jovens, aos que vêem a Terra como sua casa. Falem a eles da
beleza das selvas, dos bosques, do espírito da montanha que voa a cada
manhã para saudar o novo sol. Falem a eles da sabedoria da serpente e dos
conselhos da coruja. Das árvores que resguardam o planeta.

E quando disserem tudo o que tinham a dizer, façam silêncio. Não


respondam com o ódio, não caiam no jogo dos entrevistadores. Eles
buscam a notícia e para eles será tão somente mais um evento que estarão
reportando.

A revolução já começou e a mensagem deve chegar limpa e pura aos novos


corações.

Para isto é este manuscrito.

Para isto é que eu lhes chamei.

Eu sou Melkizedek, o guardião de todas as tradições.

Comunicado III: UNINDO O PASADO COM O FUTURO NO PRESENTE = O chamado às Tradições = 76


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

III7. O ESPÍRITO DA MONTANHA

Deixem-me contar-lhes uma história:

Uma história do futuro.

Isto é algo que já ocorreu. Mas, ainda não se passou.

Por isso a chamo história do futuro.

Houve um jovem que entendeu a montanha.

Um jovem que descobriu o Espírito da Montanha dentro de uma gruta.

E o espírito lhe falou.

Falou-lhe da importância de cuidar de cada pedra do caminho.

Falou-lhe da importância de cuidar do curso dos rios.

Falou-lhe das árvores que cuidam da Terra, dessas que têm mais de mil
anos de existência.

Revelou-lhe o segredo dos segredos.

Disse-lhe que a Mãe Terra o estava preparando e, por isso, lhe falava.

Disse-lhe que a Mãe Terra necessitava dele porque tinha que dizer algo para
que a humanidade despertasse de um sonho.

Mas, estas palavras deveria guardá-las, bem dentro do peito, para que não
saíssem antes do tempo.

O Grande Espírito lhe havia dito que, chegado o momento, teria que falar.

Mas, o rapaz era só um rapaz.

O que ele poderia fazer para despertar alguém?

O Espírito calou. Já havia dito tudo.

E o rapaz calou também.

Por muitos anos. Tantos, que esqueceu que isso havia ocorrido.

Até hoje... quando lê estas palavras.

E sua mente retorna àquela gruta, onde o Grande Espírito lhe falou.

Comunicado III: UNINDO O PASADO COM O FUTURO NO PRESENTE = O chamado às Tradições = 77


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

Hoje não é um rapaz. É um ancião.

Tem um bastão, ou talvez um cachimbo, ou um caracol.

Este rapaz não é só um.

São muitos, porque houve muitos espíritos que falaram a muitos jovens.

E eles estão escutando agora... não estas palavras. Estão escutando os seus
corações.

Deixem que as suas lágrimas brotem. Tomem seus cajados, seus paus de
chuva, tomem seus tambores ou seus guizos.

Agora já é a hora.

A Terra lhes chama a seus destinos.

A mensagem deve ser escutada.

Porque o que vocês têm que dizer, o escutarão outros jovens.

Os anciões do amanhã. Os guardiões do futuro.

As tradições do campo, do vale, da montanha, já se cumpriram.

Agora o futuro se escreve nos laboratórios, nas feitorias, nos escritórios dos
arranha-céus.

Agora devemos entregar a palavra do coração aos novos guardiões.

Deixem-me falar agora da segunda parte da história... a parte do futuro.

Haverá um rapaz ou uma moça, talvez sejam muitos, toda uma geração que
escutará o som do grilo... e não o matará. O escutará e lhe parecerá
interessante.

E entre as notas de seu canto entenderá algo que não havia entendido em
sua escola.

Ouvirá a voz da Terra.

A Terra pedindo-lhe ajuda.

Dir-lhe-á que é o tempo de parar o mundo.

De que não basta deter a contaminação... há que se limpar o que está sujo.
Há que se devolver o que foi tirado da Terra.

Comunicado III: UNINDO O PASADO COM O FUTURO NO PRESENTE = O chamado às Tradições = 78


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

Há que se voltar a construir os bosques onde estavam.

Dir-lhe-á que foi uma bobagem tentar brincar de Deus e substituir a


natureza. As montanhas não podem ser movidas sem que se pague um
preço, os rios não podem ser detidos sem que se pague um preço, as
árvores não podem ser cortadas sem que se pague um preço, o petróleo
não pode ser extraído sem que se pague um preço. E a Terra cobrará o
preço todo junto.

Ou se paga antes que a Terra cobre, ou o ser humano sofrerá as


conseqüências de sua inconsciência.

E os jovens entenderão.

Os laboratórios deixarão de construir armas.

Não se podem construir armas para depois ter de usá-las porque já estão
feitas e é preciso pagá-las.

Não se podem inventar inimigos para fazer batalhas que só servem para
beneficiar alguns.

Não se pode enganar um povo que escuta a Terra.

Os governos são como insetos que destroem tudo, se lhes permitem.

Eles não pensam senão em comida e mais comida.

Não guardam nada para o amanhã, querem tudo agora.

Por isso é preciso falar com os homens importantes do amanhã.

Por isso o grilo fala só aos jovens.

A esses que conhecem o campo unicamente nos filmes e nas fotos de


revista, mas, que nunca passearam na vereda do rio e que nunca viram as
formigas trabalharem de manhã para levar a seus ninhos o alimento de que
precisam.

Nunca viram uma águia voar por seus domínios. Só a viram na televisão.

Eles são os que trarão o amanhã ao presente.

Muito cedo observarão o futuro que os espera e não irão desejá-lo.

Um futuro onde todos os campos serão protegidos por Homens deles


mesmos.

Comunicado III: UNINDO O PASADO COM O FUTURO NO PRESENTE = O chamado às Tradições = 79


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

Um futuro onde o campo se chama parque e há trilhas de onde não podem


sair porque está proibido, para proteger os animais.

Um futuro onde o normal é consumir água em garrafas de plástico. Plástico


que não se destrói, que contamina novamente.

Um futuro onde as casas são construídas no quinto ou sexto piso. Onde


ninguém tem um pátio onde se possa plantar uma árvore.

Este é o futuro que o ser humano constrói agora.

E os jovens não o querem.

Por isso escutam o grilo.

Por isso escutam a Terra.

Por isso escutarão vocês.

E por isso hoje lhes digo que é o momento de falar.

Hoje é o momento.

Que soem os caracóis americanos, os tambores africanos, os paus de chuva


do sul e as flautas do norte.

Que dancem as cascavéis e soem as castanholas.

Que os povos do passado ensinem os jovens do futuro. Falem-lhes daquilo


que por tantos anos guardaram com tanto zelo.

Da sabedoria do bosque.

Que repitam o que o Espírito da Montanha lhes disse naquela tarde há


muitas luas atrás.

Eu, Melkizedek, lhes peço que falem para que o futuro lhes escute.

Comunicado III: UNINDO O PASADO COM O FUTURO NO PRESENTE = O chamado às Tradições = 80


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

III8. CHAMADO AOS JOVENS

Agora vou falar aos jovens. A estes que por fora são jovens, mas, por
dentro são tão velhos como as árvores guardiãs.

Vocês receberam uma Terra que morre. Uma Terra doente.

Cada um de vocês representa o melhor da humanidade.

Cada um de vocês veio com uma missão: deter a destruição do futuro.

A humanidade anterior a vocês veio destruindo o futuro.

Cada geração herda da anterior menos campos e mais cidades.

Recebem cada vez menos bosques e mais asfalto.

O ser humano já não é um filho da Terra das flores e do rio que canta, é
mais um filho do aço e do asfalto.

Os jovens já não encontram diversão no eco da montanha, nem nas pedras


do rio que rebatiam 5 vezes na superfície da água quando eram lançadas
rente ao solo.

Já não há interesse em dormir em meio ao campo, ver alguma estrela fugaz


e observar as estrelas girarem no céu.

Porém, a Terra está morrendo. E vocês são a última esperança.

Por isso vocês têm uma missão especial.

Uma missão que só vocês conhecem. Cada um é parte da solução. Cada um


recebeu indicações precisas sobre o que teria que fazer.

Porém, vocês não o sabem. Apenas intuem que são partes da solução. E
isso está bem.

Porque assim se protegem... e protegem o plano de resgate.

A primeira parte do que se deve fazer é conectar-se com a alma da raça.

Porque dentro de toda raça existe o amor à natureza. O amor à mãe que
lhe deu a vida.

Este amor, vocês o levam dentro de si. Primeiro terão que descobri-lo.

Comunicado III: UNINDO O PASADO COM O FUTURO NO PRESENTE = O chamado às Tradições = 81


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

Logo terão que manifestá-lo, todos os dias, todas as manhãs, a cada vez
que vêem uma flor, uma árvore, um animal, recordando que todos são
filhos da mesma mãe da qual vocês saíram. Da natureza, da Terra.

Quando fizerem disto um ritual, quando se acostumarem a agradecer à Mãe


Natureza por tudo o que Ela lhes dá... começará a falar-lhes em sua língua.

E certas idéias começarão a surgir em suas cabeças.

Idéias de como se pode ajudar de maneira efetiva.

Idéias de como as suas vozes podem ser escutadas e atendidas.

Idéias de como os laboratórios podem começar a trabalhar pela Terra em


vez de destruí-la.

De como os prêmios Nobel, ou outros que imaginarem, podem redirecionar


a ciência rumo a uma nova consciência, até uma nova ética científica.

E dessas idéias o plano irá surgindo.

O plano que foi inserido dentro em seus corações.

E dele cada um recebeu apenas uma parte.

Porém, será uma realidade incensurável quando reunirem as peças de todos


aqueles que escutaram o grilo, regaram a árvore e sorriram ao sol e às
nuvens quando os viram pelas manhãs.

Então, um novo movimento despertará a consciência dos partidos políticos


enriquecidos por jovens conscientes, que logo serão governos, que atuarão
responsavelmente... Atendendo as massas que exigirão um novo rumo.

O urânio e o átomo deverão ser deixados em paz.

A energia do núcleo não é a de que a natureza necessita. Ela contamina


mais do que todas as outras juntas e os seus efeitos são de muito longo
prazo. As armas nucleares são um exemplo de estupidez. Cada país criando
o seu próprio veneno, o veneno com o qual envenenarão os seus próprios
filhos.

Em um planeta onde a natureza une todos os povos em uma só aldeia,


esperar que se possa matar um inimigo com veneno e não ser alcançado
pelo mesmo veneno é tão infantil, quanto estúpido.

Por esta razão, há que se mudar o rumo.

Comunicado III: UNINDO O PASADO COM O FUTURO NO PRESENTE = O chamado às Tradições = 82


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

Por isso este chamado é para os jovens.

Entendam que as cidades são um mundo criado pelo ser humano. Sem o
campo, a cidade morre. Não haveria alimentos, não haveria energia, não
haveria modo de viver sem a natureza.

Mas, não se protegem a natureza limitando-a com uma cerca e dando-lhe o


nome de “Parque Protegido”. Isto é encarcerar o que é por definição livre.
Melhor seria pôr uma cerca nas cidades e revistar cada pessoa que deseje
sair ao campo para que não leve armas nem contaminações.

Houve um tempo em que o homem e a mulher viviam no campo. No meio


do campo. E seus pés pisavam a terra, recebiam as vibrações da Terra pela
sola de seus pés. E isso lhes permitia entender o Planeta.

Agora os pés vão fechados em sapatos e debaixo dos sapatos há o asfalto e,


debaixo do asfalto, tubulações e resíduos de outras construções. Até os
insetos tornaram-se urbanos. As moscas da cidade não poderiam viver no
campo, pois lá rapidamente seriam alimento de outros animais.

Há um planeta que espera que esta mensagem seja escutada.

Os jovens de hoje e os de amanhã são a resposta às necessidades da Mãe


Terra.

Alguns deles já foram dotados com a solução. São o exército da salvação.


Trazem internamente uma porção desta solução.

Foram enviados para despertar.

Por isso necessitam escutar os pais das tradições.

Por isso devem atender ao chamado dos caracóis.

Por isso quando escutarem o tambor ressoar com um ritmo melancólico


devem aproximar-se. Há uma mensagem para vocês.

Os anciões falam... Há que escutá-los.

Eles lhes falam em outra linguagem que talvez não entendam com sua
mente.

Mas, entenderão com o espírito.

Porque será a Mãe Terra falando por meio da sua música.

Será a Mãe Natureza que lhes estará chamando para que despertem a

Comunicado III: UNINDO O PASADO COM O FUTURO NO PRESENTE = O chamado às Tradições = 83


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

lembrança daquilo que o grilo lhes anunciou, do que foi implantado no DNA
de suas próprias células.

Não haverá amanhã se o presente não atua agora.

Por isso as ações se realizam agora.

Um pensamento, uma reflexão, uma meditação agora, formarão um plano


amanhã.

Uma carta, uma canção, uma pintura agora, formarão todo um movimento
amanhã.

Um grupo, uma conferência, um congresso agora, serão as idéias que


assegurarão a solução amanhã.

As ações são agora... Para poder ter um amanhã.

Comunicado III: UNINDO O PASADO COM O FUTURO NO PRESENTE = O chamado às Tradições = 84


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

III9. EPÍLOGO

Uma revolução silenciosa começa com um coração aceso.

Uma revolução silenciosa começa com uma mente que pergunta e uma
alma que responde.

Uma revolução silenciosa começa quando a mesma resposta aparece em


vários corações, ao mesmo tempo.

E nessa resposta há um chamado à ação.

E nessa ação há uma semente de união.

Que germinará em um amanhã mais promissor.

Mais consciente da responsabilidade de viver para todos.

A humanidade não a formam só os seres humanos vivos.

As crianças de amanhã também são parte da humanidade. Os que ainda


não nasceram e os que não terão a oportunidade de nascer também devem
ser levados em conta.

E esta revolução silenciosa também vela pelo Planeta.

Com seus animais e com suas plantas... aos que se há de cuidar.

Como se cuidam das crianças... sabendo que são elas que escreverão o
futuro.

Como se cuidam do rio e da montanha para que eles cuidem de nós.

Nossa revolução haverá de formar uma nova ciência.

Uma ciência que atenda às perguntas importantes.

Que não responda aos interesses da guerra.

Porque a maior liberdade do ser humano reside no poder de decisão que


existe em sua mente.

E os cientistas de amanhã serão conscientes de que o poder do dinheiro


submeteu as mentes dos cientistas do passado.

Comunicado III: UNINDO O PASADO COM O FUTURO NO PRESENTE = O chamado às Tradições = 85


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

Obrigou-os a trabalhar para a guerra.

É uma indústria que não produz... Que destrói. Que se enriquece da morte
dos irmãos.

Por isso os novos cientistas formarão as novas tradições.

E se farão as mesmas perguntas que os velhos sábios da antiguidade se


fizeram.

Eles, assim como os xamãs e bruxos, buscarão explicar Deus.

Talvez com equações ou com aparelhos, que importa, se afinal, a resposta


sempre será recebida nos corações?

Os bastões de mando serão substituídos pelos títulos universitários. Que


importa? Afinal, o poder quem concede é a Terra quando alguém a entende
e lhe fala em seu idioma, quando se respeita a montanha e se conversa
com as plantas antes de cortá-las.

Esta é a voz da humanidade, falando por mim.

Falo do passado porque o vivi e falo do futuro porque o vi.

Unamos o passado com o futuro e façamo-lo agora, no presente.

A Terra o pede.

Eu sou Melkizedek

Comunicado III: UNINDO O PASADO COM O FUTURO NO PRESENTE = O chamado às Tradições = 86


IV. O SER HUMANO

O SER
HUMANO
M.V.M.
MELKIZEDEK
O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

IV. O SER HUMANO


Por M.V.M. MELKIZEDEK

Lua Cheia Julho 2007

INTRODUÇÃO

Queridos Irmãos e Irmãs do mundo:

Percorremos juntos parte do caminho.

No comunicado “UMA VISÃO DO MUNDO” apresentei-lhes o que considerava


uma parte do cenário mundial que necessitava ser revisado à luz do
espírito. Mostrei-lhes como é o velho mundo. Essa é minha visão. Não
pretendi em nenhum momento que a aceitassem totalmente; o que
buscava, tal como mencionei, era criar em vocês a semente de uma nova
necessidade: a de meditar.

Este mesmo objetivo o busquei no ensaio intitulado “UM CAMINHO PARA A


LUZ”; nele comentei que o ser humano é um ser que nasce com uma
missão luminosa que pode ser vista como 3 caminhos: 1) O caminho de
honrar seu corpo físico e, através desta busca, honrar a Terra; 2) o caminho
da felicidade, que é o caminho que conduz pela aceitação de quem se é e
do que se tem para buscar melhorar-se e superar-se; 3) o caminho de
honrar Deus e por isso estudar sua criação para compreendê-Lo e honrá-Lo
através de se levar uma vida equilibrada em todos os sentidos.

Comentei que meu propósito ao publicar estes manuscritos é iniciar uma


“Revolução Silenciosa”, um movimento que mova à ação em silêncio. Que
motive a iniciar uma busca pelo ser interior de cada um. É um caminho que
se percorre dentro de cada um de nós mesmos.

No manuscrito passado fiz um chamado às tradições antigas. Busquei


convocá-las a um ato mágico. Necessitamos conectar o Homem do passado
com o Homem do futuro.

Porém, uma integração da humanidade não se pode dar pensando


unicamente em unir pessoas de várias latitudes, não se trata unicamente de
unir geografias, trata-se de integrar a história com o futuro que, todavia,
não se escreve.

Comunicado IV: O SER HUMANO 88


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

Por esta razão tive que convocar os guardiões do passado e os levei até
onde estava o germe da nova humanidade: a juventude.

Porém, não qualquer juventude, não qualquer jovem, levei-os a comunicar-


se com os jovens que serão a luz do futuro.

Assim como todos os dias não são iguais na vida dos indivíduos, assim,
tampouco, todos os jovens são iguais e representam para a humanidade o
mesmo.

Há dias que escrevem a história de nossas vidas, que mudam nosso


destino; assim, também há jovens que têm sido chamados a mudar o
destino da humanidade.

E foram eles a quem chamei.

E estou seguro de que o chamado foi escutado.

A revolução silenciosa está em marcha.

Há muito mais pessoas neste momento meditando e tratando de captar a


mensagem de seu espírito... e isto está bem.

Agora vou falar com vocês.

Esta mensagem é tua, é para ti que lês estas linhas. Aqui não descrevo o
que tem ocorrido no mundo, nem descrevo panoramas do passado ou
cenários do futuro.

Vou falar-te a ti. Falo ao teu ouvido, ao teu coração. Não desenhes em tua
mente pessoas estranhas ou imagens de situações hipotéticas que possam
servir a outras pessoas. Não te digas: “oxalá que alguém mais leia isto”,
não. Não deixes que tua mente intervenha a deslocar culpas ou
responsabilidades, esta mensagem é para ti.

Vou falar do Homem como um termo genérico que, certamente, inclui a


mulher.

Não vou fazer distinção de gênero, uma vez que tira a agilidade das idéias
que apresento. Cada vez que mencione Homem com maiúscula, estarei
referindo-me ao ser humano em suas duas versões de homem e mulher. E
vou falar como se tu estivesses frente a mim, que, geralmente, será assim,
salvo nos casos em que se dê leitura pública a meu manuscrito. Assim,
prepara os teus ouvidos e trata de calar um pouco a tua mente, deixa que
minhas palavras penetrem teu ser e despertem o que deve ser despertado.
Além disso, será parte de um crescimento natural que sobrevirá pelo

Comunicado IV: O SER HUMANO 89


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

simples fato de que isto que vou dizer-te, não o havia dito a ninguém antes
desta forma. Será o catalisador espiritual que acelerará o crescimento das
sementes com que foste dotado desde antes de nascer. É o combustível que
teu ser interno necessita para terminar de despertar.

Por isso vou falar-te de partes de ti que não conheces, porém, que
reconhecerás quando as escutar em tua voz interior.

Esta será u‘a meditação dirigida, porque ao ler estarás repassando tua vida
e teu ser, iluminarás tuas alcovas interiores, onde tens guardado tantas
coisas que havias esquecido que as tinha. Vais revisitar mansões internas
onde moraste antes, porém, que tua própria vida te tem obrigado a deixar
para trás. Vamos vê-las com a luz do espírito. E, asseguro-te que vais se
compreender como nunca antes o havia feito.

Ao final desde escrito encontrarás uma chave. Guarda-a zelosamente. É


tua, de ninguém mais, não serve a ninguém além de ti. É o que encontraste
ao longo desta oficina vivencial, porém, ajudar-te-á a viver uma vida cheia
de significado espiritual, mudar-te-á o futuro.

Assim, pois:

Bem-vindos a esta viagem pela consciência!

Inicia a magia do autodescobrimento.

Passa a conhecer-te.

Eu Sou Melkizedek

Comunicado IV: O SER HUMANO 90


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

IV1. A TRAMA DA VIDA

Antes de vir ao mundo tu já existias.

Que não te importe o que tenhas aprendido na escola ou nas revistas.


Escuta-me bem...

Tu já existias.

E eras algo mais que um pensamento na mente de teus pais.

Já eras tu. Antes que teus pais te concebessem, antes que teu corpo
começasse a se formar... Tu já eras.

Porém, ao nascer começaste um treinamento.

Treinaram-te para ser outro ser humano similar aos que já viviam na Terra.

Programaram-te para que pensasse e atuasse como todos os demais.

Por isso perdeste muitas coisas de tuas recordações.

Por isso dormiste para tudo aquilo de que não necessitavas nesta vida.

Mandaste ao arquivo morto, ao desvão do esquecimento, todas as


lembranças que tinham a ver com tua existência espiritual.

Pouco a pouco foste te identificando com a personagem que teus pais


criaram para ti.

Na grande trama da vida tu chegaste a ser uma personagem dentro do


livreto de teus pais. Tu chegaste como parte de uma a obra teatral que teus
pais estavam escrevendo para eles e tomaste o lugar de uma personagem
que eles te designaram.

Ou, talvez teus pais não te receberam e se retiraram rápido e cresceste sob
o cuidado de outro alguém. Não importa, tu chegaste e começaste a atuar.

Para isso treinaram-te.

E isso aprendeste muito bem.

Tão bem que esqueceste que tu eras um ator, não uma personagem.

Um ator pode tomar vários papéis em sua vida. Pode decidir se gosta de tal
ou qual personagem, pode escolher em que obra atuar.

Mas, uma personagem está presa pela vida à obra para a qual foi criada.

Comunicado IV: O SER HUMANO 91


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

No mundo há muitas obras apresentando-se.

De fato a vida é um grande teatro com múltiplos cenários.

Cada Homem está seguindo sua própria obra.

Porém, não tem opções... porque se crê personagem.

Não se dá conta de que é um ator.

E isto é uma tragédia.

Faz muito, muito tempo. Quando tu eras pequeno ou pequena, alguém te


escolheu um nome. Puseram-te o como etiqueta.

Ninguém te perguntou se gostavas, apenas o escolheram para ti.

E desde então, alguém mais começou a delinear teu futuro, decidiram o que
serias quando grande, como seria tua personagem.

E assim, educaram-te... semeando sementes desse futuro que eles


decidiram para ti.

E nunca te perguntaram.

E mesmo que o tivessem feito... não pudeste responder nada.

Por isso agora vives uma vida na qual muitas vezes te sentes alheio.
Desejas uma mudança. Uma liberdade que não tens desfrutado.

Por isso, agora que lês estas linhas, te digo.

Tu és um ator ou atriz. Tens a liberdade de mudar a personagem. Tens a


liberdade de mudar a trama de tua obra teatral.

Este manuscrito te ajudará a fazê-lo, se esta é tua vontade, se decidires


seguir interpretando o papel que já tomaste, está bem. Esta é tua
liberdade, porém, entendas que és um ator não uma personagem.
Interpretas o papel que desejas, mas, faça-o com a liberdade do ator que
busca desempenhar o melhor papel de sua vida. Atua como se fosses
ganhar o Oscar da atuação... e nunca... nunca... permitas que o roteiro que
tenha escolhido escravize teu caminhar pelo mundo.

É o ator que escolhe a personagem, não o inverso.

Comunicado IV: O SER HUMANO 92


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

IV2. ATOR OU PERSONAGEM

Vives em um teatro. Estás atuando tua própria obra. Mas, o fazes sem
estar consciente.

E quando estás com teus amigos eles te forçam a que atues de acordo com
suas obras, eles te designam um papel. Para eles tu podes ser aquele que
os diverte, aquele que lhes responde, o mais atrevido ou o mais cauteloso.
Estás em suas obras representando um papel que eles te dispensaram... e
tu o aceitaste.

Porém, logo a vida te coloca em tua família. E aí representas outro roteiro.


Um diferente. Mas, é um roteiro que cada um deles considera teu. Eles te o
designaram. Talvez sejas um salvador, ou talvez o que provê o sustento;
talvez o que chama a acordar ou o que castiga. Qualquer que seja o roteiro
que representes... tu o aceitaste. Tu o vens representando faz anos.

E talvez não desejas fazê-lo mais.

Porém não sabes como mudá-lo. Porque tu crês que és a personagem, e


uma personagem não tem poder na obra, a personagem atua de acordo
com o livreto que o escritor decidiu.

Quando te sentes personagem em uma obra alheia és tão somente um


títere sem decisão, condenado a seguir um livreto alheio.

Mas, quando tomas consciência de que somente tu decides em que obra


atuar, quando retomas o controle de tua vida, começas a escrever tua
própria obra e decides em quais outras obras atuar.

É quando chegam os rompimentos: de relações, de promessas sem sentido,


de compromissos escravizantes, rompimentos com o passado.

É provável que acabes muito machucado, é provável que o coração te doa


muito... porém, muito no fundo... começas a saborear o doce sentimento da
liberdade.

Por anos sentiste que era importante que todos pensassem que tu eras uma
pessoa agradável ou valiosa, que pensassem que eras inteligente e
trabalhadora, alguém responsável, digno de confiança. Isso te levou a
esforçar-te além da conta... Talvez o conseguiste, conseguinte uma posição
respeitável junto a todos, ou talvez, todavia, o segues tentando.

Mas, hoje te digo... tu já eras importante.

Comunicado IV: O SER HUMANO 93


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

E não necessitas que alguém mais te o diga.

Não necessitas atuar de acordo com as obras que os demais te impõem só


para conseguir sua aprovação.

Não necessitas que uma igreja te salve, não necessitas que um homem te
ame ou que uma mulher te respeite, não necessitas que teus filhos temam
a ti ou que o teu chefe te admire.

Não necessitas atuar nos papéis que os outros gostariam de te ver.

És livre. És ator ou atriz. Não és uma personagem presa.

Primeiro necessitas dar-te conta disto.

Saborear esse ar de liberdade de poder decidir como atuar.

Olhar para trás e recordar quantas vezes sofreste para manter esse roteiro
que te designaram.

Dar-te conta de que não por ser a mamãe estás condenada a ser a super
mulher que resolve tudo na família, ou o super papai que nunca descansa.

Não por ser o filho mais velho deves cuidar de todos os teus irmãos, ou por
ser o que trabalha deves sustentar todos os que não o fazem.

Sintas a liberdade de poderes decidir o rumo que tomarão tuas ações.

Nasceste livre... mas, prenderam-te.

A vida é um teatro onde sobram os papéis e abundam os diretores que te


perseguem para contratar-te. Determinam-te nos roteiros sem que tu o
peças e depois te acusam de ser um mal ator, porque não atuaste como
eles esperavam que o fizesses.

Tacham-te de mau amigo, mau filho, má esposa, mãe enjoada, etcétera ...
detrás de cada qualificativo que ganhas está um roteiro que alguém te
designou sem que tu o soubesses.

E esses qualificativos... preocupam-te.

E, então, modificas teu comportamento... buscas ajustar-te ao roteiro que


te reclamam.

Já não queres ouvir que és mau ator.

E começas a ser um pouquinho escravo.

Comunicado IV: O SER HUMANO 94


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

Vendeste tua liberdade a troco de um elogio, de um sorriso, de um “te


quero”.

E isso está bem...

Sempre e quando o tenhas feito consciente.

Não há nada mal em querer ser a pessoa ideal para o outro. Sempre e
quando se o faça consciente.

Há escravidão quando se entrega a liberdade de maneira inconsciente e


depois se sofre por estar preso sem saber como se livrar.

Há entrega e crescimento quando a pessoa, por amor ao serviço, atua


conscientemente de acordo ao que outra pessoa necessita.

No primeiro caso é a personagem que sofre... no segundo é o ator que


triunfa.

Pensa e pensa muito. Quantos roteiros representas em tua vida que estão
te fazendo sofrer? Quantos desfrutas? Quantos tomaste conscientemente e
quantos herdaste ou te designaram sem te perguntar?

Nas respostas e nas decisões que tomares daqui em diante pode estar a tua
liberdade.

Comunicado IV: O SER HUMANO 95


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

IV3. TENS SIDO PROGRAMADO

Agora me escuta com atenção.

Quando nasceste chegaste só. Teu processo de nascimento o fizeste só.


Ainda que tenhas nascido como gêmeo o processo de nascer o fizeste só.
Somente te ajudou a natureza. Tua mãe, que nesse momento talvez estava
assustada ou fascinada pelo milagre que estava ocorrendo em seu corpo era
a única que te acompanhava e tratou de fazê-lo o melhor que pôde.

Porém, chegaste só.

Quando morreres, o mais provável é que o faças só.

É outro processo necessário e parte integral da vida que deves morrer só.

Chegaste só e partirás só.

Mas, no transcurso da vida muitos seres te acompanharão, muitos já o


fizerem. Alguns foram importantes e muitos mais passaram sem que tu o
recordes.

Tens idéia de quantas pessoas estiveram próximas de ti até agora?

Entendes a trama da vida?

Todos eles são parte de tua vida, suas vidas se cruzam com a tua, alguns
só por uns momentos e outros te acompanham por mais tempo. Alguns já
se foram deste plano e outros o farão depois que tu o tenhas feito.

No mesmo caminho todos buscavam algo, todos buscavam um lugar no


mundo. Buscavam ser feliz, buscavam encontrar os segredos da vida...
Como conseguir as metas. Tinham uma maneira de pensar própria, sentiam
que a vida era de uma determinada maneira. Lutavam, sofriam, riam,
convidavam-te a ser como eles, quiseram unir-te a suas causas,
compartilharam contigo momentos que de alguma forma conseguiram te
enriquecer... e partiram.

Agora segues tu vivendo. Em teu próprio caminho. Lutando por tuas metas,
pelo que crês que vale a pena... Observando em cada amanhecer a glória
de Deus com a esperança de que seja um melhor dia. O que se leva deste
dia? O que me deixou este dia?

Comunicado IV: O SER HUMANO 96


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

Esta é a vida. Uma coleção de momentos e lições. Um colar de pérolas que


encerra em cada uma delas a semente de um futuro que intuímos, mas que
não acertamos adivinhar completamente.

Somos felizes ou sonhadores, lutamos por viver a vida à nossa maneira,


tentando convencer o mundo de que tem que mudar. De que é necessário
fazer algo para que as coisas melhorem.

Entendo-te.

Entendo o que sentes, porque vivo dentro de ti.

Entendo tua angústia, teu desespero, tua impotência por fazer entender aos
demais a importância de tomar consciência de para aonde vamos como
humanidade, como pessoas, como planeta.

E quero dizer-te... está bem que sintas isso.

Não és o único.

Estamos vivendo o despertar do espírito.

Hoje as amarras da personalidade que têm escondido o espírito por tanto


tempo começam a soltar-se.

O espírito começa a crescer e sente a personalidade como um traje


demasiado apertado que lhe impede de mover-se livremente.

Por que tenho que me limitar no que quero fazer só porque aos demais lhes
vou parecer um pouco raro? Por que devo seguir as regras que outros
impuseram só para guardar um pouco do que eles chamam de bons
costumes? Por que só as crianças podem se divertir livremente? Por que os
adultos devemos seguir tantas e tantas normas que foram impostas por
alguém interessado em calar os impulsos naturais da vida?

Neste momento talvez tua mente esteja se perguntando aonde te quero


levar.

Porém, o que importa verdadeiramente é que sintas o que te digo. Não que
teus medos e teus prejulgamentos se incomodem por desafiá-los.

Entende que tens sido educado e programado sem descanso desde que eras
pequeno.

Comunicado IV: O SER HUMANO 97


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

Nem teu nome, nem tua religião, nem tua primeira escola foram decisões
tomadas por ti. Tu não elegeste teus pais, nem teus irmãos, tu não elegeste
o país em que nasceste, não elegeste o tempo em que querias nascer.

Tens aprendido o que teus mestres te têm ensinado, o que os escritores


têm posto nos livros que leste; pensas que pensas; mas, teus pensamentos
não são teus, alguém mais os pensou antes. Crês que tomas decisões
próprias, porém, a realidade é que tens sido condicionado por todo
ensinamento que recebeste.

Desde o primeiro momento em que te etiquetaram deixaste de ser tu.


Começaste um treinamento que te tem levado a pensar que és uma pessoa
muito original, quando, na realidade, és fruto de uma sociedade que te tem
treinado para que vivas de acordo com as suas regras.

Tudo isso enquanto teu espírito jaz dormindo ou meio dormindo dentro de
ti.

Agora, espera um momento.

Respira fundo. Detenha-te na leitura deste manuscrito que apenas estás


começando.

Podes estar ou não de acordo com o que digo.

Mas, há algo que não deves esquecer:

Teus juízos estão matizados pelo que aprendeste antes.

À tua mente dificilmente lhe parecerá agradável dar-se conta de que tem
vivido equivocada.

Tudo aquilo que pensavas ser teu. Todo esse sentimento de segurança que
te dava saber que eras uma pessoa com idéias próprias e únicas, que se
sabia diferente, que se havia esforçado para ter uma opinião particular
sobre temas importantes. Agora te dás conta de que o que tens feito todo
esse tempo é ruminar pensamentos de outros.

Vivemos em uma atmosfera psíquica que nos obriga a compartilhar as


idéias de todos os que viveram antes que nós. Tomamos o que nos
deixaram as gerações anteriores e o trabalhamos para adaptá-lo às nossas
necessidades.

Não há conhecimento atual, novo, sob o sol.

São as mesmas idéias postas em mentes diferentes.

Comunicado IV: O SER HUMANO 98


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

Só o que vem do espírito pode ser novo.

Só o espírito pode se conectar a essa fonte de sabedoria interior e aportar


algo novo para a humanidade.

Por isso venho motivando-te a meditar. Meditar é o ato de conectar-se com


essa fonte de infinita sabedoria que nos chega desde o mais íntimo do ser e
nos deixa uma sensação de liberdade.

Por isso nossas vidas vão se perdendo às vezes em labirintos que não
acertamos decifrar. Buscamos os porquês e só encontramos mais perguntas
como respostas.

Por isso na trama da vida às vezes nos assombramos com as coincidências


que nos levam de um evento incrível a outro mais incrível ainda.
Maravilhamos-nos e o comentamos com outros, porém, sem nos deter a
pensar que essas coincidências foram sinais provenientes do interior. Desse
espaço mágico e misterioso donde mora nosso ser interno.

Esse é o espaço aonde queremos chegar na meditação.

Comunicado IV: O SER HUMANO 99


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

IV4. A HIPNOSE COLETIVA

Tens dentro de ti o poder maior a que um ser humano possa aspirar.

Tens dentro de ti o poder que sempre tens desejado.

Mas, não o tens encontrado porque o tens buscado fora de ti.

Entendo que essa necessidade de se sentir seguro o leva a buscar onde


outros já buscaram, entendo que não queres se sentir só quando se trata de
decidir a tua vida. Entendo que sempre tenhas tomado decisões
perguntando a teus amigos, a teus pais, ao sacerdote ou às pessoas que
estavam próximas de ti quando tinhas que tomá-las. Entendo-te.

Por isso te disse antes: quando nasceste o fizeste só e quando fores o fará
seguramente também só.

Sabes? Na vida das aves há um momento muito crítico pelo qual todas elas
devem passar. Está em sua lei isto. É o momento em que se jogam à vida.
É quando voam pela primeira vez.

Nesse momento elas devem abandonar o ninho. Não têm outra


oportunidade para fazê-lo. Ou voam ou caem do ninho ficando a mercê dos
predadores. Podes imaginar o que passaria pela mente de um ser humano
se tivesse que fazer isto? E o fazem quando ainda são pequenas.

O ser humano deve aprender a viver tomando decisões só. As decisões


baseadas no que a maioria faz só te levam a ser igual à maioria.

E tu és diferente.

Sei que desde que tomaste este manuscrito tens te dado conta de que és
diferente.

Os seres humanos são seres treinados pela sociedade para fazer com que a
sociedade sobreviva. E isso está bem.

Por isso em meu comunicado anterior chamei a iniciar uma luta pela Terra
do futuro.

Mas, agora te falo a ti.

O grande paradoxo deste caminho é saber que os seres humanos são iguais
em essência e diferentes em manifestação.

Comunicado IV: O SER HUMANO 100


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

Tenho que te fazer consciente de que és um ser único e diferente de todos


os demais para que te separes do inconsciente coletivo que tem te
hipnotizado como à maioria dos seres humanos do planeta e entres em
contato com esse tesouro que tens reservado em teu ser interno.

E uma vez que tenhas contatado te darás conta de que todos os seres
humanos somos iguais em essência.

Separo-te de quem tu crês que és para levar-te a quem realmente és.

Só que este caminho não deves percorrer somente tu. E apenas te marco
um rumo.

Não estou aqui para dizer-te que veneres tal ou qual religião, mestre ou
corrente filosófica, nem sequer te peço que te afilies a um movimento
particular, não me interessa contar quantos estão participando destas
comunicações, só me interessa que a humanidade, como um ser coletivo,
desperte a uma realidade superior.

Eu trabalho desde dentro de cada ser humano.

Não me interessa trabalhar com afiliados, com organizações, com mesas


diretivas ou em congressos.

Deixo isto àqueles que estão organizando a difusão destes comunicados.


Esse é seu labor. A minha é falar-te a ti. Trabalhar contigo desde dentro.

Quando o faças, quando respondes a este chamado que por agora faço
desde fora de ti, então estaremos tu e eu juntos. E tua vida começará de
novo.

Será o despertar mais glorioso que possa experimentar um ser humano.

E a magia começará.

Dar-te-ás conta do poder tão grande que tens tido o tempo todo dentro de
ti.

O poder de viver a vida que sempre tens desejado. De tornar realidade os


teus sonhos.

Mesmo seguramente o que hoje aspiras e sonhas mudará quando


perceberes o valor real das coisas.

Porém, certas coisas começarão a ocorrer quando estiveres te aproximando


a esse momento.

Comunicado IV: O SER HUMANO 101


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

O mundo te parecerá mais interessante e misterioso.

Parecer-te-á que as coisas começam a tomar uma cor diferente. Que as


pessoas já não são como eram antes, Notarás algo distinto em sua forma
de ser.

Começarás a compreender os motivos ocultos do porquê as pessoas atuam


como atuam.

Começarás a compreender os pequenos porquês da vida, compreenderás o


que há detrás das coisas que te acontecem e uma alegria interior começará
a surgir ainda antes de experimentares esse contato interno com tua alma.

Alguns eventos externos ocorrerão de imediato, os quais estão ligados com


o propósito que buscas em teu caminho; chamam-se sincronias, eventos
aparentemente desconectados imediatamente se conectarão e te
surpreenderás tanto que não poderás senão atribuí-los a este caminho que
escolheste tomar.

Coisas pequenas que desejavas intensamente as verás realizadas; pessoas


queridas com as quais tinhas muita empatia de pronto te parecerão que
agora são diferentes de ti, enquanto outras das quais não te havias
aproximado antes, agora te parecerão bem mais interessantes.

O mundo te parecerá diferente, mas não o é. O mundo continua sendo o


mesmo, és tu que tens mudado... e isso está bem.

Isto quer dizer que estás caminhando.

Essa é a senda do autodescobrimento. Esse é o caminho que te venho


propondo.

É por isso que estou aqui.

É por isso que te venho falando no pessoal.

Basta já de seguir perguntando aos outros o que deves ou não fazer.

Basta já de seguir verdades alheias e crer nelas a ponto de ajustar tua vida
ao que elas te indicam.

Basta já de seguir uma vida que não é tua, só porque alguém te disse.

É o momento de encontrar o teu próprio caminho.

Comunicado IV: O SER HUMANO 102


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

É o momento de meditar e descobrir o que há por trás das etiquetas, por


trás das verdades compradas, por trás das hipnoses que vens tendo
inconscientemente por tantos anos.

Dentro de ti estão todas as portas.

Pergunta-te: o que quero para mim? Como quero viver minha vida? O que
vale a pena buscar? O que me diz meu ser interno?

E, quando esse ser interno te responder... segue-o.

Só assim poderás dar-te conta de que és real. És tu, o verdadeiro tu. O que
ficou enclausurado quando te ensinaram que tu eras João ou Maria, ou
como te tenham posto a etiqueta.

Não importa se de princípio não escutas bem e sentes que te equivocaste,


não importa se de imediato teu ser interno te peça algo um pouco
irracional, o que importa é que já estás em comunicação com ele.

Caso haja alguma patologia psicológica em tua mente e, de imediato


escutes vozes dizendo loucuras como que deves destruir algo ou manchar
alguma pintura famosa... tenha por certo que não é teu ser interno.

Teu ser interno jamais te pedirá algo que complique tua vida. Jamais porá
em perigo tua vida nem a dos demais. Jamais te pedirá que faças algo
violento ou que viole o direito dos demais de pensar como eles o desejem.

Dá-te conta de que em nenhum momento estou te obrigando a fazeres o


que te peço?

Há leis universais que impedem de violar o livre arbítrio dos seres humanos
e por esta razão a isto estou chamando de uma revolução silenciosa, porque
é uma revolução que inicia no interior e se propaga ao exterior quando o
ser, consciente de seus atos, muda a sua conduta e começa a formar uma
nova sociedade.

Porém, sempre através da harmonia e congruência entre sua paz interior e


a conduta firme e consciente de sua personalidade.

Comunicado IV: O SER HUMANO 103


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

IV5. O TEMOR

Há muito temor guardado em teu inconsciente.

Tua mente vem alimentando-se de uma grande dose de temor.

Quando eras pequeno assustavam-te com pessoas que roubavam crianças


ou com monstros, assustavam-te com demônios e fantasmas.

Um pouco maior assustavam-te com as coisas que se passam na vida. Com


drogas, com as enfermidades, com a polícia, com tudo aquilo que podia
deter tua tendência normal de experimentar fora dos limites estabelecidos
pela sociedade.

Talvez agora de grande teus maiores temores sejam como educar teus
filhos para que não se percam no caminho, como guiá-los agora que os
sente um pouco desgarrados.

Talvez agora compreendas porque teus pais te educaram infundindo-te


temor. A mesma impotência que sentes ao não poder controlar o
crescimento de teus filhos é a mesma impotência que eles sentiram
tratando de te educar.

O temor é a arma mais efetiva para controlar uma vida.

E esse temor cresce contigo.

Agora o vês real. São teus fantasmas noturnos.

São os que aparecem cada vez que teus seres queridos tardam além da
conta para chegar em casa. São os mesmos que cruzam por tua mente
quando te perguntas o quê acontecerá com tua filha ou com teu filho
quando crescerem. Estarão bem quando tu não estiveres perto?

São esses fantasmas os que te impedem de cruzar as linhas que te


marcaram teus mentores espirituais.

Esses são os mortos vivos que te atormentam porque tu lhes dás guarida
em tua mente e não os tem expulsado.

O temor é o maior inimigo da humanidade.

E é a arma dos que te controlam.

A igreja te controla com o temor.

Comunicado IV: O SER HUMANO 104


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

O governo te controla com o temor.

Teus filhos ou teus pais te controlam com o temor.

Teus chefes ou teus empregados te controlam com o temor.

E as notícias da televisão ou do jornal te pegam pelo temor.

É o temor e só o temor o grande inimigo da liberdade.

Por isso hoje te digo que o temor se vence atuando.

Queres aprender a viver livre de temores?

Aprende com as crianças. Observando-as cuidadosamente. Elas vivem em


liberdade. Faça a prova um dia, só um dia.

Observando-as sem lhes dizer “Não”, deixando-lhes que atuem.

Observa como enfrentam a vida. Observa como atuam para aprender


enquanto se divertem.

Sua vida é eterna diversão, está em sua natureza divertir-se e aprender.


Elas sabem o que fazem porque estão seguindo seus impulsos naturais,
todavia, não estão contaminadas pelo temor.

São dotadas pela própria natureza de um sentido comum que as protege de


alguns perigos, obviamente não de todos, mas, elas vivem felizes enquanto
aprendem.

Nem se angustiam pelo que acontecerá amanhã, nem sentem


ressentimento por coisas que fizeram ontem. Vivem seu presente.

Em compensação tu.

Ensinaram-te que deves planejar tua vida para evitar que passes por tal ou
qual tragédia. Tens que planejar teu futuro, decidi-lo, angustiar-te porque
deves resolver as coisas antes que te ocorram.

E também aprendeste que deves examinar teus equívocos para que não
sofras novamente a experimentar a dor de haver se equivocado cada vez
que te seja possível.

Talvez ninguém te tenha ensinado exatamente com estas palavras, porém,


o fazem freqüentemente.

Comunicado IV: O SER HUMANO 105


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

Tua mente viaja entre o passado que não podes mudar e o futuro que ainda
não chegou... só para sofrer.

Tudo isto enquanto o presente te escapa das mãos, perdendo a


oportunidade de aprender as lições que surgem à tua frente.

Faça uma contabilidade de todos os teus temores.

Anota-os em papéis separados.

Descreve-os cuidadosamente sem estender-te muito.

Quando já os tenha todos; saia ao ar livre onde tenha um pouco de sol e


faça-se as seguintes perguntas:

a. É racional este temor? Realmente pode ocorrer? Se a resposta for sim


faça-se agora a seguinte pergunta:

b. O que faria se isto acontecesse? Realmente pode acontecer? Se a


resposta for sim, faça-se agora a seguinte pergunta:

c. O que faria se isto acontecesse?

Uma vez respondidas passe ao seguinte papelzinho.

Continua com todos eles até terminarem todos. Agora sabes o que farias se
ocorresse cada um dos teus temores maiores.

Pergunte-se: terminou o temor? Pois agora já tens respostas para cada um


deles.

Supondo que os temores não tenham terminado, acabas de descobrir a


verdadeira natureza do temor.

O temor não se vence raciocinando.

A uma pessoa não se pode convencer de que o temor é algo irracional.

Por isso te digo que o temor se vence atuando.

Tendo medo de fazer algo, faça-o. Só assim poderás vencê-lo.

Da mesma maneira como venceste o temor de afogar-te enquanto


aprendias a nadar, ou de chocar enquanto aprendias a conduzir auto, ou o
temor de cair enquanto aprendias a patinar. O temor se vence atuando.

Agora de digo: Medita. Medita. Medita.

Comunicado IV: O SER HUMANO 106


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

Não tenhas medo de não receber resultados ou de receber os que já


estejam fora do contexto.

Não tenhas medo de ti.

Faça-o. Cerra teus olhos ou contempla um pôr de Sol, põe música ou


incenso, entra em uma igreja ou acomoda-te em tua poltrona favorita, mas
medita. Fala com tua alma. Ela te está esperando.

O universo inteiro sabe que algum dia tua alma te chamará e tu


responderás. É um evento que está marcado em teu DNA espiritual. É parte
do crescimento que terás no futuro. Não proteles algo que sentes vir.

Eu sou apenas o que está recordando teu caminho.

Tu sentiste o chamado.

Tu perguntaste o que devias fazer.

Agora te estou respondendo.

O temor é só uma arma que todos os seres humanos tem usado para
proteger a espécie para sua sobrevivência. O temor tem uma função, mas,
não deixes que se torne teu carcereiro.

Libera-te!

Comunicado IV: O SER HUMANO 107


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

IV6. TEUS SEGREDOS

Há dentro de ti segredos que só tu podes descobrir.

Segredos que pertencem ao ser humano como espécie.

Segredos que esperam pacientemente que um ser humano acerte em


descobri-los para que logo sejam difundidos e passem a ser patrimônio da
humanidade consciente.

Esses segredos foram colocados aí pelos mentores da humanidade.

Não me refiro a seres espirituais ou místicos.

Refiro-me aos grandes sábios que escreveram os mais valiosos livros que a
humanidade possui.

Aqueles que têm configurado o saber humano. Os grandes filósofos, os


grandes cientistas, os grandes líderes espirituais que têm marcado os rumos
na história da humanidade.

Todos eles depositaram dentro de ti as sementes da mais alta sabedoria que


alcançaram quando estiveram entre nós.

O saber universal não está escrito em linguagem verbal. Esta é um


instrumento que os seres humanos inventamos para transmitir
conhecimento à mente.

O saber universal, o que permitiu à raça humana triunfar sobre seus


depredadores, está inscrito no DNA celular.

Porém, houve um tempo em que o ser humano competiu pela sobrevivência


e domínio de seu entorno. E essa luta já acabou.

Já não se luta mais contra os animais ou contra os elementos. Essa luta


terminou.

O inimigo do Homem agora é o próprio ser humano.

Nem sequer as enfermidades representam para o ser humano um inimigo


poderoso. Ao nível de espécie o ser humano tem sido dotado com as armas
necessárias para vencer as epidemias, ainda que às vezes lhe custe
milhares de vidas.

Agora o principal inimigo do ser humano é ele mesmo.

E é necessário entender que esta ameaça só se pode vencer através de


criar consciência de quem somos e o que buscamos no mundo.

Comunicado IV: O SER HUMANO 108


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

O egoísmo não é outra coisa que uma forma de inconsciência. A ambição e


desejo de poder levam o Homem a tentar contra a vida de seus irmãos em
um monumental ato de estupidez. E isso não é senão uma forma de
inconsciência.

Por isso agora estou chamando a uma revolução silenciosa.

Uma revolução de consciência.

Um movimento que não aspira a ser dirigido por líderes visíveis.

Uma organização como não existiu outra na Terra.

É um movimento das massas conscientes da humanidade.

Haverá quem suspeite que por trás deste movimento se esconde alguém
que reclamará o poder no final, quando for evidente que o movimento
tenha ganhado presença no mundo.

E é claro que o haverá! Mas, não para reclamar o poder, nem para reclamar
riquezas, nem para reclamar refletores.

Isso é algo com que, certamente, tenho muito cuidado.

O importante é que quando houver um grupo consciente atuando na Terra,


com o número suficiente de pessoas, algo mudará no mundo.

De fato já está acontecendo.

Isso foi o que me permitiu chegar.

E isto é o que estou fazendo. Acelerando este despertar da consciência de


quem somos.

Por isto te digo que tens segredos guardados que só tu podes descobrir.

E me interessa que os descubras o quanto antes possível.

De nada serve que eu os revele. Tornariam-se verdades alheias com o


mesmo valor que têm as verdades que tens aprendido nos livros que lês.

Não me refiro a essas verdades.

Refiro-me aos segredos que descobriram os grandes homens do passado e


que guardas em forma de cadeias bioquímicas em teu cérebro.

Há certas idéias semeadas pelo inconsciente coletivo dentro de ti.


Pertencem à sabedoria universal, a uma entidade psicológica coletiva que
governa sutilmente o comportamento das massas humanas, porém, que se
dissolve quando buscas estudá-la individualmente.

Comunicado IV: O SER HUMANO 109


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

O que descobriram os grandes da antiguidade vai se transformando em


mudanças a nível bioquímico, em pequenas fissuras a nível cerebral que
influem nos caminhos neurais que seguem os impulsos elétricos cerebrais e
que te fazem pensar de determinada forma.

Por isso o conhecimento da antiguidade ficou guardado de certa forma


dentro do cérebro humano e em ocasiões podes encontrar as mesmas
verdades que os sábios antigos descobriram e o fazes seguindo teus
próprios caminhos.

Esses são segredos que só se desdobre em meditação.

E nesses segredos estão guardadas tanto as deliberações de Sócrates como


as de Jesus Cristo ou Buda.

O pensamento de Einstein talvez não o tenhas em teu DNA por ser recente
e não estar nas linhas ascendentes de teus antepassados, porém a
influência que suas idéias tiveram te afetam de muitas formas e seus
aportes são do domínio público porque é provável que também tenhas parte
de seu saber.

És o depositário de todo o saber da humanidade.

E só te falta meditar para descobri-lo.

Quando o fizeres começarás a sentir a benevolência de conectar-te contigo


mesmo. Não esperes desenvolver teorias quânticas ou escrever discursos
sobre a “Crítica da razão pura”5; aspira a ter essa paz interior que te
prepara para observar o mundo e que deixa a mesa posta para que teu ser
interno se revele em toda a sua plenitude.

Esta é a meta que buscamos

Este é o propósito que sigo quando te peço que medites.

Deixa-me dizer-te que existe um grande número desses seres humanos que
já pertencem a esta porção consciente da humanidade. Que já têm
despertado essa sabedoria interna e fazem parte do círculo menor que
observa e trabalha desde dentro.

Eles estão te esperando.

Não os faças esperar.

5
“Crítica da Razão Pura” Livro do filósofo alemão Emmanuel Kant.

Comunicado IV: O SER HUMANO 110


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

IV7. QUEM SOIS?

Vou ler para ti o teu futuro.

Isto é algo que te interessa.

Porque ao lê-lo para ti vou começar a conduzir-te por uma senda que
desejo te mostrar, da mesma forma que venho te mostrando desde que
começaste a ler.

Tu és um ser que deseja a luz, a verdade; que busca, à sua maneira, tudo o
que os seres humanos tem buscado desde o princípio dos tempos.

Tens muitas perguntas e este escrito vai te responder algumas. Há outras


que terás que responder só.

Como os demais irmãos de tua raça, tu és um ser de luz que aspira à


encontra-la fora, mas, sabes que a levas dentro.

Estás atento ao que ocorre no mundo porque te interessa; porém, buscas


com afã dentro de ti, em tuas ponderações, os porquês do importante que
ocorre fora.

Lestes meus outros escritos e te têm intrigado; sentes que são diferentes
dos demais que lestes, porém, não sabes porquê.

Intriga-te saber se estou vivo ou se sou uma entidade como tantas outras
que passam comunicados desde o mundo espiritual.

Inquieta-te que afirme coisas como se fosse porte de teu mundo, porém, às
vezes as afirmo como se fosse alguém que as vê desde o mundo espiritual.

E tua inquietude nasce de que minhas palavras desafiam teus paradigmas.

Afirmasse eu que sou uma entidade espiritual tu ficarias muito tranqüilo,


pensarias que tudo está bem, que já o havias adivinhado e, portanto,
classificarias estes comunicados nas gavetas que tens em tua mente com
um rótulo: “coisas que se anunciam e que algum dia acontecerão”,
entenderias que tua responsabilidade está limitada a estar inteirado do que
foi dito nestas linhas e continuarias vivendo da mesma forma como fazes
até agora. Talvez porias mais interesse nelas e até as recomendarias como
algo bastante bom para teus companheiros de caminho.

Comunicado IV: O SER HUMANO 111


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

Mas, se pelo contrário, aceitas que sou alguém como tu, que vivo no
mesmo plano que tu. Então sou alguém que vim para desafiar tudo o que
tu sabes; teus pensamentos discorreriam mais ou menos assim: como um
ser humano como eu pode afirmar tudo o que afirmas com essa autoridade
que dizes ter? Como te atreves a pôr em dúvida o que aprendi antes? Como
ousas dizer que alguns dos caminhos que dia após dia são demonstrados
que funcionam estão equivocados? Falas como se só o que dizes é certo e
todos os demais estão equivocados.

O simples fato de me chamar Melkizedek tem desafiado o que tu


acreditavas que sabias.

Porém...

Eu não obrigo ninguém a crer no que digo.

Eu não te forço a ler o que estás lendo.

Nem forço teus pensamentos a te inquietarem da forma como o fazem.

Eu te avisei que minhas palavras iam remover coisas de ti que pensavas já


resolvidas; que iam pôr à prova o que tu pensavas que sabias.

E este é meu propósito.

Não posso colocar encima de verdades equivocadas as verdades que te


venho trazer.

Não resistiriam.

Há muitas coisas se vinham dizendo sobre o mundo espiritual que


necessitam ser corrigidas.

Já chegou esse tempo.

Mas, não me toca falar hoje sobre as verdades espirituais equivocadas, nem
das entidades supostamente espirituais que vêm guiando alguns irmãos
com grande capacidade de crer.

Meu propósito não é gerar comunicados que, como noticiários, só anunciem


coisas que nunca acontecem, mas, que mantêm o espectador atento a seu
computador. Não sou amarelista, no sentido em que o público qualifica os
que dão anúncios espetaculares.

Meu propósito já foi anunciado, estou aqui para iniciar uma revolução
silenciosa e para isto estou dando instruções que permitem aos que as

Comunicado IV: O SER HUMANO 112


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

seguem descobrir dentro deles o verdadeiro saber espiritual. O que nasce


dentro deles, não o que vem de emissários de origem duvidosa.

Sim, vim para desafiar coisas que crês saber, porém, não te preocupes, a
única que se angustia é tua mente, não tu. Tu és um ser que possui a
verdade dentro de ti. Essa é a verdade que desejo despertar. Ainda que isso
requeira fazer um pouco de higiene mental.

Tenho que remover tuas verdades mais profundas, por isso é necessário pôr
em dúvida teus paradigmas se quiseres ter a flexibilidade que se requer
antes de poder iniciar um crescimento interior.

Tenho tido conversações com muitos de vocês, maravilhosas.

Tenho lhes escutado. A todos aqueles que me têm chamado. Saibam que
lhes tenho escutado. Também lhes tenho respondido, porém, estamos em
processo de que aprendam a reconhecer as respostas. Estou tão próximo de
vocês que têm sentido minha presença e isto lhes confunde mais, como se
ao fazer as práticas que tenho recomendado só as fazem para demonstrar
que eu estou equivocado.

Mas, não sou uma entidade espiritual no sentido que vocês dão a ela.
Palavra. Sou tão real como vocês e tão espiritual como vocês. Creio que
estariam mais contentes se pudessem ver uma foto minha, ou talvez, se
pudessem falar comigo de boca a ouvido.

Eu também estaria. Estaria muito contente se tudo isto pudesse acelerar-se


e eu pudesse estar com vocês compartindo momentos juntos. Mas, não vim
para passar dias de campo ou reuniões de fraternidade aonde
simbolicamente se fazem coisas para melhorar o mundo.

Vim para trabalhar.

Por centenas de anos, por milhares de anos tenho estado trabalhando junto
com vocês.

E hoje venho para estar com aqueles que são trabalhadores conscientes,
mais interessados em trabalhar do que em “sentir-se próximo de um
mestre”.

Para gerar esses sentimentos podem recorrer a outros cuja função seja
essa.

Meu papel é outro e não vou gerar falsas expectativas.

Comunicado IV: O SER HUMANO 113


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

No momento e até que não aconteçam coisas que estou esperando


acontecerem, meu lugar de reunião com vocês será o ser interior. Aí, nesse
lugar que venho citando desde o primeiro comunicado.

Não espero aparecer publicamente até que não se gerem certas condições
de que necessito. Volto a afirmar: não tenho conexão, nem ligação alguma
com algum outro Melkizedek que tenha chegado até vocês antes de mim,
seja em forma de pessoa ou de organização. Não julgo seus trabalhos, nem
seu labor. Eles são livres para seguir seus caminhos.

O que, sim, afirmo e isto é para aqueles que perguntam muitas vezes. Eu
Sou Melkizedek. O responsável pela evolução da humanidade.

Entendo que aprenderam muitas coisas sobre questões espirituais, entendo


que escutaram muito sobre hierarquia e entidades espirituais que talvez
estejam sendo desafiadas aqui.

Entendo-o, e por esta razão vou dedicar o último de meus escritos desta
primeira faze6 a este tema.

Por enquanto interessa-me que recordes que tudo o que disse, o disse para
ti.

Tu me interessas.

Não tua mente nem seus conflitos, já os tem tido bastante ao longo de tua
vida, como para que este novo conflito entre o que crias saber e o que
agora te digo te inquiete.

Estás suficientemente treinado para resolvê-lo. Eu o necessitava fazer se


em verdade esperas ter essa clareza mental requerida para escutar tua voz
interior.

Quando tenho te falado de teus desejos e sofrimentos, de tuas inquietações


e teus medos tens te identificado plenamente. Sempre que te falo desde teu
coração não tens problemas em identificar-se, porém, quando desafio o que
cria tua mente saber te moves e te sentes agredido. Tranqüiliza-te... é só
tua mente defendendo sua ingênua ignorância. Sempre atuará assim. Ela só
se preocupa em pôr em ordem o que crê. Ela tem a função de te fazer
sentir-se seguro; para isso é tua mente e se de imediato tem que aceitar
que eu estou aqui isso lhe traz muitas inquietações porque te obrigará a
fazer algo.

6
Este é o quarto comunicado de MVM Melkizedek; ele anunciou que só publicará 5, o último leva por título “O
Mundo Superior“; a partir daí ele passará a outra etapa do seu trabalho.

Comunicado IV: O SER HUMANO 114


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

Para quê continuo estudando outras religiões, outras filosofias se já chegou


aquele a quem esperava?

Pertencendo a uma escola que não aceite Melquizedek, o quê faço eu?

Tendo chegado já o responsável pela humanidade, o que tenho que fazer?


Busco-o? Espero? Divulgo-o? Sempre me considerei um buscador espiritual
e agora vem alguém me dizer que ele sabe o que todos andamos buscando.
Onde fica meu caminho?

Todas estas perguntas são inspiradas por u’a mente que teme.

Mudar é algo que inspira temor. Eu sei. Não te preocupes.

Por isso quero tornar mais fácil tuas decisões, pedindo-te que me busques
aí, aonde não podes temer. Dentro de ti. É o lugar mais seguro que tens. Só
aí podes estar seguro de que o que se passa é teu. Pois aí se gerou: dentro
de ti. Tudo o demais que tenhas escutado fora, tudo o que tens aprendido
de outros, tudo o que tens lido vem de fora. Não é teu... ainda que tua
mente pense que sim.

Comunicado IV: O SER HUMANO 115


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

IV8. O SINAL MÍSTICO

Mas, tenho que te falar de teu futuro.

Porque neste comunicado, o quarto da primeira série de cinco que anunciei,


busco atrair para mim todos aqueles que vinham esperando um sinal
místico.

Vim para todos aqueles que me esperavam. Estou aqui para júbilo dos que
sabiam e para pesar dos que criam saber.

Teu espírito sabe. Tua mente o intui. Eu Sou o que esperavam.

Sou o arauto que chega anunciando a grande idade de ouro.

Venho para preparar o caminho.

Mas, não deixes que teu escasso entendimento de sinais te confunda.

Não sou o anticristo.

Esse já veio e já se foi.

E foi muito efetivo o que fez.

Encheu de confusão tua mente e teu coração.

Agora há uma série de vozes com autoridade clamando aos quatro ventos
que eles têm a verdade, só eles.

O problema é que essas verdades colidem com as que outros dizem ter.

E em meio a este mar de confusões tua mente busca desesperadamente


aferrar-se a algo que lhe dê segurança.

Por isso resiste em aceitar que o momento já chegou. Mesmo que


internamente deseje participar na festa de boas vindas.

Mas, já estou aqui. Eu Sou Melkizedek, o mesmo que inaugurou o


sacerdócio místico no princípio dos tempos. O que tem sob seu resguardo a
semente do Homem. O que vem preparar o caminho para que o Pai tome
posse do reino.

Não trabalho em mundo público.

Trabalho em mundo interno.

Comunicado IV: O SER HUMANO 116


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

Esse é meu lugar preferido de reunião contigo.

Esse continuará sendo nosso lugar de reunião. Por um tempo.

O grande problema que deves resolver em tua mente é: O que farás agora
que sabes que estou aqui?

Mudas? Segues-me? Aonde? Onde estou realmente?

Volto a repetir... não te preocupes. Não tens que mudar nada de maneira
drástica.

Só medita.

Faça-o intensamente. Faça-o com a mesma paixão com que buscarias


encontrar-te com tua amada ou amado depois de uma longuíssima espera.

Porque quando chegares a esse místico lugar algumas coisas acontecerão.

Tua vida não será a mesma.

Já terás tua própria luz interna.

As palavras dos que te vêm guiando soar-te-ão ocas. Sem essência. Sem
conteúdo.

Encher-te-ás de esperança e verás as coisas com a clareza de u’a mente


livre.

Não com a mente do que se atemoriza ao escutar as pessoas que sem me


conhecer criticam-me.

É fácil dizer que eu não existo.

É fácil falar do que não se conhece.

Porém, são palavras inspiradas pelo temor.

O reinado da escuridão está por terminar.

O reinado daqueles que supostamente criam saber o que diziam está por
terminar, e agora só ficará a luz para iluminar.

Não temas. Entendo que buscas discernir entre o que sentes que é certo e o
que escutas contra mim.

Observa e escuta.

Vê se eles, os que me criticam, podem falar sem o temor em suas faces.

Comunicado IV: O SER HUMANO 117


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

Escuta se suas verdades podem contradizer o que eu te digo.

Observa e escuta.

E depois deixa que teu coração julgue.

Logo. Quando tua mente te disser que isto não pode estar acontecendo.

Escuta e sente.

Escuta a tua mente e seus argumentos. E analisa se as verdades que


argumentam contra isto que lês são verdades autênticas ou aprendidas de
outros caminhantes iguais a ti. Analisa se são verdades próprias ou alheias.

E logo sentes se tua mente fala e se resiste por temor a crer, ou porque
sinceramente é demasiado bom para ser certo.

Porque estás a ponto de dar um passo definitivo.

Tuas crises de consciência só estão anunciando que estás a ponto de passar


a esse estado mental de aceitação onde poderemos, finalmente, nos
comunicar sem travas.

Esforça-te por meditar todos os dias à mesma hora. Tu a escolhes.

Só deixa que tua mente sonhe um pouco com o encontro. Imagina como
será esse encontro, deixa que tua mente viaje na imaginação e não importa
o que ela invente para ti. O que importa é que estejamos próximos o
suficiente para que possas receber minhas respostas a tuas perguntas.

Escolhe uma pergunta, a que mais te interesse... lança-a desde o coração.


Com a força do amor. Recorda que o amor é o maior dos sentimentos que
pode um Homem gerar. É o que sublima o ser humano. É o amor que
constrói pontes e janelas, como é o temor que as fecha.

Porém, agora é o momento para abrir tua mente livre de pré julgamentos,
com o amor do teu coração como chave. Não importa que sejas ministro de
igreja, não importa que te faças chamar como eu, não importa que teu
passado esteja cheio de mentiras ou de desejos insatisfeitos, não importa
que até agora não tenhas sido alguém importante segundo tu... Eu venho
por todos.

Venho por todos aqueles que esperavam minha chegada.

Mais tarde virei também para os demais.

Por hora necessito criar uma revolução silenciosa. Estou agrupando meu
povo e o povo de meu Pai.

Comunicado IV: O SER HUMANO 118


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

Meu povo é o que me esperava.

O povo de meu Pai é todo o mundo.

Com meu povo iniciaremos a revolução silenciosa.

Com o povo de meu Pai iniciaremos a ascensão.

Meu Pai e Eu somos Um. Meu povo e o povo de meu Pai é o mesmo povo.

Há um só coração palpitando no mundo.

Há uma só anima mundi7.

Há um só caminho e hoje está aberto.

E esse caminho passa pelo coração de meu povo.

Por isso é desde aí que devo falar-lhes.

Por isso é aí onde se faz o encontro místico do filho com o Pai.

Por isso lhes tenho pedido desde o começo que meditem, meditem e
meditem.

A cidade das sete colinas ficou no passado.

A besta que todos temiam faz tempo que se retirou.

O mundo passa pelo Apocalipse e o seguem esperando como se fosse


permanente.

Percam o medo. Sacudam-se do controle. É a hora da liberdade.

É a hora do júbilo.

É a hora de meditar no amor.

7
Do latim: anĭma mundi significa “alma do mundo”. Expressão antiga usada pelos filósofos e alquimistas, para
referir-se à essência divina que habita e energiza toda a vida no universo tangível e percorre toda a escala de
criação material, desde o micro até o macrocosmo, e isto inclui o planeta e todos os seus habitantes de todos os
reinos.

Comunicado IV: O SER HUMANO 119


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

IV9. O REGALO

Este é teu regalo:

Faz milhões de anos, uma luz desceu dos céus.

Era uma luz maravilhosa.

Bela e pura, pura e bela.

Havia nascido do próprio decreto de Deus.

Esse decreto do qual nasceram todas as coisas.

Um Fiat Lux8 poderoso que partiu em dois o Universo inteiro.

Uma majestosa chuva de cores apareceu de imediato em meio à escuridão


que envolvia tudo o que havia...ainda que esse tudo não era nada.

Foi a primeira palavra pronunciada no Universo.

E dessa palavra surgiu a luz.

Uma luz que primeiro apareceu completa, branca, majestosa, mas que
prontamente começou a tomar cores e formas e sons.

As luzes se separaram, se tornaram multicoloridas. Dançaram com música


celestial em torno daquele que as havia convocado.

Era uma majestosa festa de cores e sons que só podia desfrutar Aquele que
a havia criado.

Porém, o Universo esperava.

Só era um rincão o que estava em festa. Mais além, só um pouco mais além
havia escuridão.

E isso foi o que percebeu o Criador.

Por isso houve um momento de espera. De meditação. De contemplação


criativa.

E outra palavra foi pronunciada.


8
Fiat Lux: Ordem verbal de Deus que se traduz como: “Faça-se a Luz!”. Esta frase “Fiat Lux” provém da tradução
do latim da versão grega da Bíblia, que por sua vez foi da tradução hebraica (ver Génesis 1:30).

Comunicado IV: O SER HUMANO 120


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

E as luzes partiram pressurosas a iluminar o Universo inteiro.

Foi uma grande explosão.

Como de milhões de sóis.

E o Universo nunca foi o mesmo, jamais.

Agora havia estrelas e galáxias.

Em cada galáxia havia milhões de sóis.

E cada sol podia emanar milhões de luzes.

E de um desses sóis partiu nossa chispinha.

E viajou e viajou por milhões de anos.

Até que um dia desceu à sua casa.

Era um belo planeta... De cor azul.

Com nuvens e mares, com bosques e montanhas.

E aí se enamorou. Era a casa de seu Pai.

Era a casa com que o havia presenteado.

E entendeu muitas coisas.

Havia chegado com outras chispinhas. Juntas deveriam cuidar dessa casa.

Deveriam torná-la bela e completar tudo o que o Criador lhes havia indicado
que fizessem.

Tinham, pois, uma missão.

A missão de fazer desta casa um lugar como Deus queria.

Quando isso ocorresse... Ele as visitaria.

Deus mesmo desceria para estar com elas e desfrutarem juntos disso que
elas haviam construído para Ele.

E, então, trabalharam com afã.

Por milhões de anos.

Comunicado IV: O SER HUMANO 121


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

E como parte desse trabalho. Nasceram novos animais e novas plantas,


nasceram os seres humanos e as cidades.

E as chispinhas entraram nos corpos de alguns homens e mulheres... e


conviveram com os outros homens e mulheres que haviam nascido de
outras chispinhas que não haviam feito a mesma viagem.

Porém, todos juntos desfrutavam o mesmo belo planeta azul.

Até que alguns começaram a recordar que tinham que preparar a casa para
que a visita que Deus havia prometido pudesse dar-se.

E então o trabalho começou a acelerar-se.

Houve um grande alvoroço e alegria. Deus viria visitar.

Alguns queriam trabalhar, mas outros disseram que era uma mentira. Que
Deus não podia descer a um planeta tão insignificante. Se não o havia feito
durante tantos anos não o iria fazer agora.

Então, só uns poucos começaram a trabalhar.

E outros muitos a criticar.

Até que o tempo os alcançou.

E desceu o enviado que Deus havia mandado para preparar as coisas.

E esse enviado chamou os que sabiam da visita para organizar tudo.

Não chamou os que não criam.. Para quê? ... eles não criam.

Só trabalhou com os que sabiam que Deus viria.

A primeira coisa que fez foi ver como estava o mundo. Foi uma primeira
visão.

Daí reconheceu os que sabiam e estavam trabalhando para que Deus


chegasse rápido.

Logo, decidiu marcar um caminho. Isso era importante porque havia muita
confusão e muitas vozes falando ao mesmo tempo e diziam muitas
barbaridades.

Depois fez um chamado aos que recordaram. As chispinhas, todavia,


vibravam dentro dos homens e das mulheres. Chamou-os para que

Comunicado IV: O SER HUMANO 122


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

falassem às novas chispinhas que começavam a crescer, e lhes disseram


que o tempo da visita havia chegado. Que havia que arrumar a casa.

Depois considerou que havia que lhes falar a todos ainda que não
entendessem muito, porém, era necessário que sacudissem algumas coisas
que tinham em suas mentes e lhes confundiam.

No final, em sua última mensagem. Este enviado quis deixar claro como
eram as coisas no céu. Teve que tirar muitas máscaras. E houve muitos que
se indignaram. Sentiram-se agredidos. Porque suas mentiras eram belas e
lhes davam muitos seguidores. Faziam sentirem-se importantes.

Mas, não podia haver nada mais belo que a verdade. E a luz não pode
conviver com a escuridão.

Depois suas palavras mudaram, o trabalho havia começado.

E não iria haver mais chamados.

O grupo de chispinhas originais havia sido identificado.

Todas elas trabalhavam juntas com a mesma alegria que sentiram naquele
mágico momento quando Deus as criou.

Agora estavam ocupadas preparando a visita.

Enquanto outras muitas chispinhas, sem saber o que se passava


continuavam a inventar histórias onde a fantasia e o erro combinavam-se
para divertir a todos.

Eu Sou Melkizedek

Comunicado IV: O SER HUMANO 123


V. UM MUNDO SUPERIOR.

UM MUNDO
SUPERIOR
M.V.M.
MELKIZEDEK
Lua Cheia de Agosto de 2007
O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

V. UM MUNDO SUPERIOR
Por M.V.M. MELKIZEDEK

Lua Cheia de Agosto de 2007

INTRODUÇÃO

Este é meu último comunicado público. Já reuni os que responderam ao


chamado. A partir da próxima lua começarei a trabalhar com eles.

Cada um de meus comunicados buscava um propósito que mencionei e que


gostaria de repetir agora:

O primeiro chamado foi para fazer o chamado.

O segundo serviu para confirmar a quem duvidava.

O terceiro foi para convocar os que tinham algo a dizer e os que deviam
escutar.

O quarto foi uma conversa tranqüila com o centro de teu ser. O propósito
foi despertar-te para a luz de teu poder interno.

E aí terminou essa fase.

Este quinto escrito é totalmente diferente dos outros. Este não vai dirigido
aos que responderam, este vai dirigido aos que ostentam o poder espiritual
nas mentes dos homens.

Quer dizer que não vou falar às massas. A elas já lhes falei e responderam
os que deviam responder. Neste escrito vou dirigir-me aos líderes espirituais
do mundo.

Estas palavras vão dedicadas a eles.

Caso tu não és líder de escolas, de grupos espirituais ou espíritas, ordens


esotéricas ou religiões estas linhas talvez te pareçam ocas ou demasiado
duras, porém, entende que não vão dirigidas a ti.

Aos líderes vou falar-lhes claro porque sei que me entendem, mesmo que
entendimento não implica em aceitação. Vou conversar com vocês, com

Comunicado V: UM MUNDO SUPERIOR 125


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

suas consciências e, às vezes, com suas almas. Algumas partes lhes


parecerão confusas, sem sentido, porém, levam a outro destinatário, falo-
lhes às suas almas. E à alma não se comunica com linguagem comum. À
alma se fala em símbolos. Para que não haja interferência da mente que
teme perder sua hegemonia.

Há um espaço para a mente e outro para a alma; ambos coincidem dentro


do ser humano, mas, muitas vezes não se tocam, a mente não permite.

Este escrito o fará.

Assim, não temas ler o que te abrirá à tua alma. Caso no caminho sintas
que não podes terminar de lê-lo, não te preocupes, significa que não será
teu tempo. Significa que as palavras levam um poder maior do que tua
mente possa resistir.

Mas, se terminares de lê-lo e depois de um certo tempo entrares em crise


dentro de tua fé ou de teu caminho, tampouco te preocupes, significa que
chegou o tempo para que decidas se teu compromisso é com a verdade ou
com a instituição a que serves.

Eu Sou Melkizedek, o guardião da luz.

Comunicado V: UM MUNDO SUPERIOR 126


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

V1. AOS QUE SE DIZEM PASTORES DE HOMENS

Houve um tempo em que o mais alto serviço a Deus era guiar suas ovelhas.
Isso foi, faz muitíssimos anos, quando o homem era outro, quando outras
eram suas necessidades e não havia maneira para que a educação espiritual
chegasse a todos por igual. Foi antes da invenção da imprensa, dos livros,
dos computadores e das televisões.

Agora é diferente. Os Homens não são ovelhas.

Mas, muitos guias espirituais continuam sendo pastores.

E os pastores só sabem falar com as ovelhas. Guiam-nas com varas para


que retomem o rumo que o pastor quer, pois, do contrário, receberão
golpes corretivos.

As ovelhas atendem ao pastor e não devem sair do rebanho, pois, elas não
têm liberdade, pertencem a esse pastor.

Só ele pode guiar sabiamente suas ovelhas e se indispõe caso alguém ouse
arrebatá-las.

Às ovelhas não se podem dar as razões do porquê são pedidas certas


coisas, e, de sua parte, as ovelhas não podem entender seu pastor, só
sabem obedecer.

Porém, as que não eram ovelhas terminam sendo-o. E as que já eram


vivem felizes ao lado de seu pastor que, primeiro as assusta, e depois as
abriga quando têm medo.

Por isso os pastores não servem a Deus, só servem a seu ego que, por
necessitar sentir-se útil, busca oferecer um serviço, a seu juízo nobre e
agradável a Deus, ainda que, na realidade, o único serviço que fazem é
escravizar as mentes dos homens e criar-lhes uma dependência de sua
pessoa.

Caso tu te fazes chamar por pastor entre teu rebanho, tenha cuidado para
não cair nesta categoria de líderes, pois, estas equivocando o caminho.

Também houve um tempo em que os guias deviam cuidar de seu povo para
que não caísse em tentações. E lhes falavam dos 7 pecados capitais. No
mundo havia tantas tentações que era muito difícil passar limpo pelo vale
do pecado.

Comunicado V: UM MUNDO SUPERIOR 127


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

Nascias do pecado e, portanto, devias ser purificado. O mais leve


pensamento saído de tua mente impura e terrena te condenava. Mas,
graças a que existia a igreja, podias contar com o perdão de Deus.

Nada te podia salvar exceto tua entrega incondicional a Deus e à sua igreja.

O paraíso já estava separado pela igreja. Ninguém chegava ao pai se não


fosse através de seu filho e, por suposto, de sua igreja que, como
representante de seu filho, podia em seu nome, perdoar a quantos o
pedissem.

Triste mundo o dos homens e mulheres que, desde que nasciam eram
condenados ao pecado e ao inferno a menos que se acolhessem na igreja,
que era a única que podia salvá-los da condenação eterna.

Triste herança de uma igreja que se cobriu de crosta, inspirando o medo e


tratando de ganhar o controle das mentes dos homens.

Quantos dos filiados vão à igreja pelo prazer de escutar a palavra divina e
quantos o fazem por temor de cair em pecado? Quantos mais por hábito?

E, esta é a igreja que busca salvar os homens?

Caso pertences a uma igreja que para ganhar o controle de seus filiados te
inspire temor, seria melhor que ponderasses e retomasses o caminho do
amor, porque o tempo chegará em que te será pedido contas, não pelo
número de pessoas às quais falastes, mas, pelo número de pessoas nas
quais inspirastes o amor a Deus.

Caso sejas dos que pertencem a religiões que falam mais dos demônios do
que de Deus. Caso em teus discursos invocas mais o demônio que a Deus,
então não estranhes que no dia de teu final o que te recolha não seja eu ou
um de meus enviados, mas, o próprio demônio que tantas vezes
mencionastes.

As igrejas estão cheias de homens e mulheres de boa vontade que tinham


sonhos de servir a Deus, porém, terminaram servindo à sua igreja.

Desejam servir homens e mulheres do povo e terminam obedecendo a seus


hierarcas.

Esta é a tragédia das instituições religiosas: Nascem um dia servindo a


Deus e às suas criaturas, depois crescem e amadurecem, e os que antes
amavam o serviço sentem agora que devem amar a igreja que lhes permitiu
prestar esse serviço.

Comunicado V: UM MUNDO SUPERIOR 128


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

Logo, esse amor à instituição lhes vai induzindo a cuidar dela mais do que
do serviço. A instituição cresce nas mãos daqueles que foram beneficiados
por ela e agora a defendem de morrer; pouco a pouco se vai perdendo o
verdadeiro sentido da igreja e chega o dia em que a instituição cresceu
tanto que é mister cuidar dela para que se mantenha forte; tem então o
sacerdote ou o pastor dois amos: o Deus do céu a quem nunca deixa de
orar e sua igreja que agora necessita dele mais do que nunca.

Por isso a hierarquia eclesiástica é formada por homens e mulheres que


melhor servem à instituição... não a Deus.

Mas, cedo ou tarde, todo sacerdote deve decidir entre seguir o Deus que
sente dentro dele, em sua alma, ou a igreja que lhe pede fazer coisas que
não são as que ele deseja. Aí começa a crise do novo sacerdote.

Mas, a igreja tem séculos de tradição e lhe sobra experiência para atender a
essas crises. Tem respostas para cada crise possível que possa aparecer na
pobre alma atribulada de um humilde sacerdote que só deseja servir a
Deus.

Rápido aparecem seus mentores, o ancião e nobre sacerdote que lhe


aconselhará que mortifique sua alma para que se aparte dele essas dúvidas
mortais que só podem provir do demônio que o está submetendo à prova.

Novamente o temor... para ganhar o controle.

Por isso hoje lhes venho dizer: Não temam, dentro de toda igreja existem
guardiões da verdadeira tradição, ou da verdadeira fé, aqueles que sabem
em seu coração dos desvarios da organização. E são a eles a quem hoje
falo:

Antes da igreja está teu Deus, antes da tua igreja está a verdade eterna.
Antes que a igreja existisse o Homem já existia no mundo.

Comunicado V: UM MUNDO SUPERIOR 129


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

V2. AOS HIERARCAS DAS RELIGIÕES

O Homem quer honrar a Deus de muitas maneiras e em seu desejo de


simplificar as coisas entrega sua inocência às igrejas.

As religiões são instituições erigidas para aproximar de Deus à humanidade.


Todos nasceram de seres inspirados muito especiais, que se mostraram ante
o mundo como filhos de Deus, realizaram grandes coisas e ensinaram o
caminho.

Eles fizeram o caminho. Eles eram o caminho. Eles eram a mostra de como
se deve viver na Terra. De como se deve amar a Deus, de como se deve
servir os homens.

Depois chegaram aqueles que defendiam o profeta. Aqueles que foram


seguidores dele, do Messias, do que lhes mostrou o caminho.

Depois o seguiram os estudiosos, os que interpretavam tudo, os que


escreveram o que o profeta disse ou os que interpretaram o que o profeta
quis dizer, ou os que adaptaram os ensinamentos do profeta para os tempos
em que estavam vivendo, ou os filósofos, teólogos e pensadores que
conformaram um sistema de vida, de pensamento, construíram uma fé e
sentiram a necessidade de que esse ensinamento não se perdesse, que
transcendesse e que pudesse ser recebido por todos os filhos da Terra nos
anos por vir e, assim, pouco a pouco se foram construindo as igrejas.

E viveram sãs, até que houve alguém que, querendo melhorar a igreja
adaptou alguma passagem, algum ensinamento que lhe parecia belo e
necessário, em uma regra. Mas, essa regra levou a outra e a outra. E, nas
justificativas que se davam, foi necessário falar do que aconteceria se a
regra não fosse respeitada, então, nasceram as admoestações e daí o
código de ética e o regulamento... os seres humanos começaram a cuidar
da “igreja de Deus”. E, ao mesmo tempo, os homens e mulheres
começaram a esquecer “a Obra de Deus”.

E, em algum momento surgiram os descontentes, os que, motivados pelas


injustiças que viram dentro da instituição se separaram, algumas vezes
inspirados por sua alma e outras apenas por seu descontentamento e
fundaram novas correntes, novas formas de adorar Deus e o ciclo voltou a
começar.

Esta é a história repetida uma e outra vez. Os seres humanos são os


mesmos, os que falam italiano, árabe, inglês ou francês.

Comunicado V: UM MUNDO SUPERIOR 130


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

Mas, a hora chegou. A revolução silenciosa iniciou. Por hora só lhes é pedido
que façam uma mudança em seu interior. Não façam nada que lhes revele
como parte deste movimento. Apenas meditem. Meditem muito,
entreguem-se à sua alma. Aí estarei eu. Esta é minha promessa desde o
primeiro comunicado, aí lhes estarei esperando.

E lhes prometo que breve, mas breve do que imaginem, receberão


instruções aí, em seu interior, nossa revolução é formada de almas
entregues ao serviço, que amam a Deus e sabem que Ele as escuta.

Saibam em seu interior que acima da instituição a que pertencem se


encontra a humanidade e acima da humanidade se encontra Deus.

Estas linhas são para vocês, que, todavia, vibram com amor. A vocês lhes
chamo.

Porém, se tu que lês isto fazes parte dos que defendem a igreja. Caso tu
sejas um dos que pensam que este escrito é inspirado pelo demônio. Deixa-
me dizer-te que faz muito tempo, o demônio já se apoderou de ti. E é ele
quem te impede de ver a luz. É ele quem te disse que protegendo tua
instituição proteges o mundo, é ele quem te move os lábios para falar e te
inspira o temor que logo difundes em teus discursos aos que têm o
infortúnio de escutar-te.

Responda-me só umas perguntas:

De onde tem saído as centenas de regulamentos (em algumas religiões


milhares) com que se protegem as igrejas? Foram inspirados por Deus?

De onde têm saído as disciplinas com que encadeias os que professam tuas
crenças, de Deus?

Explica-me como a vida simples e de amor que viveu aquele em quem


baseias teu ensinamento se transformou na instituição complexa, cheia de
poder e riqueza, em meio de máfias e traições na qual hoje trabalhas?

Observa a vida que levas: Quanto de teu tempo dedicas à obra de Deus e
quanto à igreja?

Então... a quem serves: a Deus ou à tua igreja?

Não te enganes. Faz muito tempo que decidiste servir à igreja e deixar tuas
inquietações pessoais para que o tempo as resolva.

Já deixaste de ser o noviço que buscava estar próximo dos seres humanos e
servir a Deus através do serviço aos demais.

Comunicado V: UM MUNDO SUPERIOR 131


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

Converteste-te em hierarca. Fazes parte de uma instituição antiga que se


torceu.

Por suposto, estou falando de todas as religiões, uma vez que todas elas
têm mais de 200 anos desde que foram criadas.

Este será o último chamado que faço publicamente. Todavia tens tempo
para recapacitar e entregar-te a esta revolução silenciosa. Ninguém se
inteirará, os avisos são o coração de cada um. Ninguém escutará o que
digas nem o que pensas, ninguém saberá que dentro de ti a chispa reviveu
e volta a iluminar a senda de tua alma.

Caso decidas encontrar-me, busca-me apenas dentro de teu coração, todas


as noites, aí estarei, tem paciência, eu te falarei.

Eu Sou Melkizedek... o que conhece todas as religiões porque as vi nascer,


crescer e torcer-se.

Comunicado V: UM MUNDO SUPERIOR 132


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

V3. SERVES A DEUS OU À TUA IGREJA?

Porém, não unicamente as religiões têm doutrinado no mundo. Também as


ordens monásticas cresceram ensinando o serviço e promovendo o amor à
humanidade.

Para elas também tenho algumas palavras.

O Homem facilmente perde a orientação entre o que é o caminho espiritual


e a necessidade de manter forte a instituição que o faz possível.

Um é o caminho que o ser humano sente no coração e que o leva a buscar


Deus e outro, muito diferente, é o que oferecem as instituições que
interpretam de maneira particular essa necessidade e constituem um meio
para servir à humanidade.

Toda instituição de serviço requer administradores. Eles estão aí para dirigir


a instituição, para assegurar sua sustentabilidade, sua permanência, sua sã
economia e ainda os requerimentos que as leis de cada país exigem. Mas,
eles não podem ditar as ações que se devem dar no caminho do serviço,
que originalmente as inspirou a formarem-se. Essas ações devem ser
inspiradas pelo amor a Deus, nessa entrega mística que só aqueles que são
movidos pelo fogo e pela paixão ao serviço podem experimentar.

Os primeiros servem à instituição, os segundos são os que podem servir


como guias dos que iniciam, são os verdadeiros servidores de Deus.

Não se pode servir a dois amos.

O administrador deve ter sua mente posta na organização.

O servidor a deve ter posta em Deus.

Os primeiros devem estar às ordens dos segundos, porque primeiro está


Deus e depois a instituição que lhe serve. Mudar a ordem significaria que
Deus atende à sua igreja primeiro e a seus filhos depois e ninguém pode
impor a Deus uma prioridade que não tem.

Sempre está primeiro a humanidade e depois as organizações construídas


por ela. Primeiro o ente físico e depois o moral.

Cada religião e ordem monástica tem um conselho religioso, alguém que


decide, no máximo nível, as ações que devem ser empreendidas. Mas,
dentro desse órgão máximo é fácil ver que os que o dominam estão

Comunicado V: UM MUNDO SUPERIOR 133


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

possuídos pelo desejo de poder, de domínio. É normal que as almas mais


sensíveis às irradiações do amor de Deus, aqueles que “sabem” a vontade
de Deus e a percebem não sejam almas desse cunho nem as que dominam
esses conselhos. É natural que aquele que detém o posto seja uma pessoa
de caráter forte e firme, que cuida das coisas segundo a ordem
estabelecida, o problema é que sempre prevalece “a ordem como ele a
entende”.

Esta é uma conseqüência natural da forma como as organizações são


construídas na Terra. Sempre dominará aquele que pode falar mais alto, o
que é capaz de assumir ações mais radicais e que de alguma maneira tenha
adquirido o poder sob quaisquer tipos de manobras, nem sempre muito
honestas.

No final o hierarca é designado seja como coordenador de uma junta de


conselhos ou como máximo diretor de uma instituição, mas, sempre haverá
um administrador. Àquele que cuida da instituição, sempre a sua
preocupação será a instituição e depois Deus.

Porém, esses administradores, quando ficam sós, em um cantinho de sua


casa. Quando as luzes já se apagaram, quando não tenham ninguém mais
que seus pensamentos e sua oração a Deus, eles se justificam dizendo que
tudo o que fizeram foi necessário pela sua igreja. Que tudo o que têm feito
é pela igreja que é de Deus. Que, se têm cometido algum pecado, é por
amor a Deus e à sua obra... e esperam... e esperam... um sinal, algo que
lhes indique que Deus lhes escutou.

... porém, só o silêncio recebem como resposta.

Porque a Deus não lhe interessa uma igreja que para manter-se viva entre
os Homens tenha que violar seus direitos, ou construir intrigas, levantar
falsos testemunhos e tantas e tantas coisas mais.

Por isso é que se requer uma revolução silenciosa.

As igrejas estão em crise, as grandes organizações religiosas então em crise


porque é chagado o tempo para que a humanidade desperte.

Caso pudéssemos comparar a história humana com as estações do ano,


diríamos que a primavera está próxima e os brotos começam a despontar
entre as ramas.

Milhares de homens, mulheres e crianças começam a despertar em todo o


mundo. Eles não requerem educação espiritual, não do tipo que as igrejas
repartem. O que eles requerem é um mundo de amor e de paz. Um mundo
de mãos enlaçadas e trabalhando para resolver os conflitos do passado.

Comunicado V: UM MUNDO SUPERIOR 134


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

Para eles é para quem vamos armar esta revolução silenciosa. Este
movimento de transformação social.

Um movimento livre de fronteiras, de egoísmos, de fanatismos, de classes


sociais. Um movimento que parta do mais fundamental: O Ser Humano com
todas as suas necessidades e desejos.

É a nova sociedade que vem despertando e que se prepara para brotar com
tal plenitude que não haverá ninguém no mundo que possa parar a
quantidade de transformações que se gerarão simultaneamente, em
cascata, em todas as ordens da vida.

Porém, é mister falar do mundo superior. O mundo de onde procede a vida.

E, por isso, mando este escrito.

Para dizer ao mundo o que deve escutar e o que deve identificar como
mentira. O que deve reconhecer como uma invenção humana que busca
ganhar adeptos e reconhecimento.

Comunicado V: UM MUNDO SUPERIOR 135


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

V4. OS MECANISMOS DA MENTE

O ser humano sempre tem requerido instrução espiritual.

Porém, a busca mais no externo do que no interno. Esse é seu erro.

É aqui onde as religiões, as ordens religiosas, as escolas esotéricas e


demais organizações espirituais o confundem.

O mundo espiritual não se revela de maneira total e simultânea, a revelação


é gradual e depende do desenvolvimento do que é percebido.

A humanidade é uma entidade em evolução; desde o princípio dos tempos o


ser humano tem se aproximado de Deus e pouco a pouco vêm se revelando
seus mistérios. Por esta razão é que há diferença entre a fé que guiava o
Homem da caverna e a que hoje inspira o ser humano moderno. Por esta
mesma razão, as religiões têm que ir transformando seus ensinamentos
para adaptá-los às necessidades mais atuais.

Porém, nesta busca de compreensão, o ser humano tem desenvolvido uma


série de opções que lhe permitam caminhar em paz consigo mesmo e com
os demais. Estas sendas são sérias e muito necessárias, pois, correspondem
à verdade que gradualmente o ser humano vai desvelando da divindade.
Correspondem aos seguintes capítulos da permanente revelação que o céu
concede ao Homem.

Porém, também há as que buscam o espetáculo e a surpresa. Captar a


atenção dos crentes e mantê-los atentos a qualquer informação que lhes
emitem. Grupos e organizações que não ensinam nada, que não
desenvolvem seu seguidor e só o enche de temores e inquietações. Fazem
alardes com uma linguagem pseudocientífica e só confundem os que não
têm formação suficiente para desmascará-los ou descobrir a falsidade do
que afirmam.

Estou referindo-me aos mestres espirituais que se apresentam com nomes


estranhos e como pertencentes a dimensões de existência superiores que
falam de coisas impactantes e eventos que nunca se realizam, porém,
mantêm os crentes atentos a todas as suas palavras.

Alguns deles falam de sucessos que nunca podem ser demonstrados ou


então dão explicações de coisas recém ocorridas, mas, nunca com
possibilidade de demonstrá-las.

A eles é que quero dirigir-me. E não tão a eles, mas aos homens e mulheres

Comunicado V: UM MUNDO SUPERIOR 136


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

que se dizem inspirados por eles.

Em primeiro lugar desejo recordar que todos eles buscam servir. Com
efeito, todos eles têm o firme desejo de servir à humanidade, mas, não têm
tido o guia adequado para entender o que lhes está ocorrendo.

Têm grande capacidade para conectar-se com uma parte de seu cérebro
que é capaz de gerar esse tipo de informação e com a suficiente
independência de sua mente consciente que os faz crer firmemente que
estão recebendo informação desses seres estranhos a eles mesmos. A
realidade é que é a sua própria mente que lhes faz experimentar esses
próprios estados.

Não há um problema quando se busca de maneira sincera a verdade


espiritual. Há quando no caminhar a pessoa se sente com capacidade para
ensinar a outros o caminho e tanto ela como os seguidores são enganados
por esse fenômeno próprio.

Comunicado V: UM MUNDO SUPERIOR 137


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

V5. AOS CANALIZADORES

O ser humano possui em sua mente capacidades que, todavia, não


terminam de estudar-se. Uma delas é a capacidade de viver várias
existências em uma só.

A mente humana pode criar outras realidades dentro de sua cabeça e


pensar firmemente que elas são tão válidas como a que está
experimentando fisicamente.

O ser humano pode criar outros seres com aparente independência de sua
própria mente e fabricar toda uma série de experiências que conformem
uma filosofia do espírito. Para ele, tudo o que afirme será válido e real; ele
não terá a capacidade de ver o que para um observador alheio e objetivo
será obvio.

O Homem pode ser enganado facilmente por sua própria mente a fazê-lo
pensar que está sendo guiado por inteligências superiores. Assim é como
têm aparecido toda uma série de supostos mestres espirituais que vêm
guiando os sinceros buscadores da verdade. Sinceros, porém, ingênuos.

Por isso é que, nesta ocasião, desejo dirigir-me a estes irmãos que vêm
canalizando essas comunicações que circulam por todo o mundo entre os
crentes e seguidores da filosofia espiritual.

Não vou dirigir-me aos seguidores, minhas palavras vão para os


canalizadores, contatados, médiuns ou pessoas que se sentem tocadas por
esses seres superiores.

Digo-lhes que a mente tem uma enorme capacidade para criar realidades
diferentes das que normalmente percebemos. Digo-lhes que vocês podem
ser vítimas de sua própria mente a fazer-lhes crer que têm sido contatados
por seres espirituais que lhes trazem anúncios e mensagens de coisas
importantes que o mundo deve saber.

Eu afirmo que efetivamente esses contatos existem, mas, na atualidade a


maioria dos que se dizem contatados estão sendo enganados por sua
própria mente.

Peço-lhes, em honra da verdade e de seu compromisso com o serviço que


decidiram prestar à humanidade, que façam as seguintes provas a seus
supostos mestres espirituais.

Primeiro observem o tipo de comunicações que estão recebendo: leiam-nas

Comunicado V: UM MUNDO SUPERIOR 138


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

de maneira tal que extraiam todo o ensinamento que lhes têm comunicado.
Busquem nas entre linhas e vejam se esses escritos aportam
“ensinamento”, verifiquem se há verdades ali que realmente lhes façam
mais sábios, que lhes permitam compreender melhor a vida e que lhes
deixem mais em paz consigo mesmo.

Segundo: agora vejam se a essência das mensagens ou comunicados são


os anúncios. A maioria dos supostos mensageiros gosta de anunciar coisas
como se fossem noticiários do espiritual: energias novas que chegam, dons
que se outorgam, chegadas de seres espirituais na Terra, ascensões de
seres importantes, conspirações misteriosas que nunca se revelam na
realidade, etc. Caso sejam estas as verdadeiras naturezas de teus escritos,
pergunta-te se não estará sendo enganado por tua própria mente que busca
reconhecimento. Porque este tipo de comunicações, a única coisa que fazem
é captar crentes que sempre estão esperando que lhes digam que o mundo
vai acabar ou que grandes acontecimento e eventos espetaculares estão
prontos a ocorrer, porém não aportam ensinamento.

Estes são os noticiários do espiritual. Nunca se podem demonstrar o que


afirmam, na maioria das vezes se equivocam, nunca anunciam os grandes
eventos que comovem o mundo, mas, os explicam com perfeição uma vez
que tenham ocorrido. Só predizem o que não pode ser demonstrado.

Caso sejas tu um desses geradores de anúncios, tenho algo a te dizer.

Não estás sendo contatado por nenhum mestre espiritual. Todo esse tempo
tem sido a tua mente que está trabalhando, criando anúncios para
alimentar todos esses seguidores que crêem em ti. Agora te sentes
comprometido com eles e de alguma maneira lhes deve muito o
reconhecimento que te têm dado, porém, não é certo nada do que tens
afirmado.

Sei que sentes a necessidade de comunicar-te com essa “inteligência


superior” para conhecer sua opinião a respeito disso que estou dizendo...
Não o faças ainda. Deixa-me dizer-te algo mais.

Quero que recordes o que afirmei no princípio deste capítulo. A mente


humana tem a capacidade de criar mundos alternativos, tuas próprias
criações, dentro de tua mente. De antemão te afirmo que teu “ser
espiritual” vai se defender dizendo que ele é tão real como tu ou como eu. A
mente trabalha para defender sua própria visão da realidade; fará o que for
necessário para não mudar sua própria forma de pensar. Porém, o que tens
feito demonstra que tens a capacidade de aceder a esta faculdade mental

Comunicado V: UM MUNDO SUPERIOR 139


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

que poucos seres humanos têm desenvolvido: a de desconectar sua mente


consciente e entrar em outra realidade mental onde funcionam novos
mecanismos e onde tuas possibilidades são muitas, como te mencionarei a
seguir.

Primeiro: tenho que te dizer algo ainda que te pareça duro, porém, é a
verdade. Deixa já de perder tempo criando mensagens que não provêm de
nenhum ser espiritual, senão de tua própria mente conectada a outra
realidade e começa a investigar o que tua mente pode fazer desta outra
maneira.

Já que podes criar esta nova realidade, tuas possibilidades são infinitamente
maiores para conectar-te com o verdadeiro saber da Terra e da
humanidade. É na mente onde reside a possibilidade de que o ser humano
se conecte à sabedoria acumulada de todas as gerações que lhe tem
precedido. Dito conhecimento reside nestas regiões ainda não descobertas,
porém, que a ciência começa a estudar dentro do cérebro.

Faça a seguinte prova. Relaxe e fale com esse suposto mestre que agora
sabemos que foi criado por tua própria mente; ele te levará até onde se
encontra o verdadeiro conhecimento da humanidade, ao chamado
inconsciente coletivo por algumas correntes de psicologia, porém que
resume uma infinidade de conhecimentos acumulados pela sabedoria dos
séculos vividos pela humanidade.

Peça a esse mestre que te fale do que tu já sabes, de tua história. Que te
ajude a iniciar uma série de escritos ou gravações; usa qualquer meio para
deixar plasmado o que te fala e onde vais reunir tudo o que sabes na vida.

Começa por quem tu és, onde nasceste, quem são teus pais, tua família,
etcétera. Continua, assim, reunindo todos os dados. Que teu mestre te
ajude, reprime a tentação de que este mestre te dê dados que não possas
comprovar, essa pode ser a inércia do mesmo que hoje desejas corrigir.

Depois de várias sessões, observarás que começas a descobrir coisas, a


recordar coisas que já tinhas esquecido. Começarás a dar-te conta de que
podes compreender as pessoas de uma maneira que te impressionará,
estarás iniciando teu próprio caminho para o outodescobrimento e o que é
mais importante, agora sim, estarás adquirindo conhecimento novo de ti
mesmo e dos demais.

Segue com estas práticas pelo espaço de vários meses; faça-o diariamente,
vale a pena. Muito breve estarás sendo chamado para que passes ao
seguinte círculo interno de irmãos conscientes de sua natureza espiritual.

Comunicado V: UM MUNDO SUPERIOR 140


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

Comunicado V: UM MUNDO SUPERIOR 141


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

V6. O GOVERNO INTERNO DO MUNDO

Tal como nas ocasiões anteriores quando tenho afirmado que o ser humano
busca fora o que leva dentro, da mesma maneira o ser humano vem agora
ensaiando desenvolver toda uma série de contatos com supostos seres
espirituais que estão enchendo rapidamente a realidade que o Homem
constrói em sua vida.

Anjos, bruxos, magos, mestres, seres mitológicos, deuses e deusas da


antiguidade agora são parte da realidade que o ser humano tem construído.
Vêem-se na televisão, no cinema, nas revistas, nos cursos abertos e
fechados, estão por toda parte e agora são os protagonistas do
ensinamento que conduzirá o ser humano a uma nova sociedade.

Porém, o ser humano tende a confundir o maravilhoso com o real. Ele quer
crer que a vida é como ele imagina. A fé e a esperança em um mundo
melhor tendem a ser os motores de muitos dos ensinamentos das novas
correntes espirituais.

Mas, a vida não se ajusta aos caprichos das pessoas. Não é necessário
abundar neste fato inobjetável. O poder dos “decretos” tem se exagerado e
as filosofias simplistas que afirmam que uma pessoa pode criar para si o
mundo que deseje apenas com desejá-lo, não podem demonstrar suas
afirmações, ainda que, por suposto, convoquem uma imensa maioria de
pessoas que buscam crer no que em sua opinião é certo.

O ser humano está brincando de converter-se em Deus. As últimas


correntes filosóficas espirituais dão ênfase às faculdades humanas para
lograr criar uma realidade mais de acordo com os princípios do espírito. Eu
afirmo que a direção é a correta, mas, a metodologia está equivocando o
caminho.

A necessidade de reconhecimento por parte dos guias destas correntes os


tem levado a falsear as verdades e exagerá-las para fazê-las mais
espetaculares e atrativas à humanidade. Os discípulos perdem a seriedade
de suas investigações para envolverem-se no glamour das conquistas fáceis
e da magia dos decretos.

Entendamos de uma boa vez. O poder da realização do verbo, a


visualização criativa e a vontade inteligentemente enfocada para influir no
físico são ganhos que o caminho outorga só àquele que tem feito de sua
vida um ato congruente de harmonia com o espírito. Não são joguetes que
se dêem só porque a pessoa assistiu a um curso com algum contatado.

Comunicado V: UM MUNDO SUPERIOR 142


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

Com efeito, o caminho bem levado conduz o ser humano a toda uma série
de ganhos espirituais que podem ser comprovados na realidade física, mas,
os discípulos que o alcançam não necessitam do reconhecimento público
para validar o que já fazem, por esta razão estes verdadeiros discípulos ou
mestres espirituais caminham na sombra, ao albergue do glamour dos
grandes cenários e dos públicos ávidos de fenômenos.

Há toda uma hierarquia de seres humanos que vêm caminhando de maneira


séria na senda espiritual, o fazem sempre na sombra, em meio à solidão
que representa o compreender tudo o que ocorre ao seu arredor, sem poder
comparti-lo com as pessoas com as quais convivem, eles são os verdadeiros
guias da humanidade, não os pseudos mestres espirituais que só repetem o
que encontram dentro da mente dos próprios canalizadores sem aportar
elementos novos de ensinamento que ajudem a elevar o nível de
compreensão dos eventos do mundo e dêm a clareza que se requer para
tomar as decisões corretas.

Estes seres que desde a sombra representam o governo interno do mundo,


vêm trabalhando faz milhares de anos sob esta organização. Muitos sabem
de sua existência, muitos querem descobri-la, porém todos têm fracassado
pela simples e singela razão de que eles são os que governam as “pequenas
vontades dos homens”; convivem no mundo, mas, são inacessíveis para
aqueles que os buscam por razões equivocadas. São eles que têm sob sua
responsabilidade as grandes decisões do mundo, trabalham desde esse
ponto “onde a vontade de Deus é conhecida”, porque suas ações são
realizadas sem duvidar e coordenadas pela hierarquia espiritual do mundo.

Têm uma estrutura que se pode descrever como círculos concêntricos aonde
cada um deles identifica aquelas pessoas que alcançaram um certo nível de
evolução pessoal. À medida que se percorre nos círculos para o centro, a
luz, a compreensão e evolução destes seres é maior. No centro dos círculos
se encontra a ânima mundi. O arquétipo humano, o análogo de Cristo na
Terra.

A ele corresponde dizer o que hoje estou dizendo.

Comunicado V: UM MUNDO SUPERIOR 143


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

V7. A HIERARQUIA HUMANA

Algumas das grandes personagens da história pertencem a esta hierarquia


de seres, porém, nenhuma delas se têm feito pública.

A constituição desta hierarquia constitui a garantia de que a humanidade


não se encontra perdida nem abandonada. São eles os que, de quando em
quando, aparecem no meio do mundo e o fazem para recordar àqueles que
detêm o poder, de que a humanidade não está só e que são observados
permanentemente.

Caso caiba o termo, podemos dizer que são eles os verdadeiros anjos
guardiões da humanidade, porém, distam muito de serem os anjos místicos
ou etéreos com que às vezes se identificam as visões dos discípulos
envoltos no glamour da espiritualidade.

Não busco, neste breve comunicado, ditar uma cátedra que explique porque
os discípulos sinceros se desviam do caminho, já outros têm explicado
amplamente este tema, senão chamar sua atenção àqueles que, sendo
presas das travessuras de sua mente ou seu ego, envolvem outros em suas
loucuras e criam grandes movimentos que, para dizer suavemente, fazem
perder o tempo a grandes grupos de pessoas.

Todos os que assumem a responsabilidade de guiar um grupo de seres, seja


pessoalmente ou através de comunicações psíquicas, devem saber o que
estão semeando. O que devem averiguar é se semeiam confusão ou
sabedoria, se semeiam luz ou temor, verdade ou mentira, se estão
cultivando em seus seguidores o desejo de superação ou, simplesmente, o
mórbido saber de qual é a conspiração que neste momento se está
gestando, ou quais são os anúncios que, de maneira espetacular, vão ser
revelados na seguinte mensagem.

Todos os canalizadores ou mensageiros espirituais sabem que o público que


os segue espera grandes anúncios deles, grandes promessas, grandes
revelações que lhes permita satisfazer sua curiosidade, desejo de aprender
ou simplesmente sua morbidez. Sabem também da angústia que eles
mesmos sentem quando seus guias calam. Sabem que muitas pessoas
estão pendentes da seguinte instrução, para que lhes digam o que têm que
fazer.

Sabem da grande satisfação que experimentam quando recebem alguma


grande mensagem e também da angústia que causa dar algum anúncio que
não se realiza.

Comunicado V: UM MUNDO SUPERIOR 144


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

É sob essa pressão que os canalizadores, médiuns ou mensageiros devem


tomar uma grande decisão: ou são sinceros e enfrentam seus seguidores
para informar-lhes que seus guias em ocasiões decidem calar (ainda que,
na realidade sejam outras as razões que nada têm a ver com os guias, tema
no qual não vou aprofundar), ou, então, continuam forçando um pouco a
sua imaginação, ainda que à custa de falsificar alguns anúncios e sacrificar
seu desenvolvimento espiritual em troca de satisfazer essa necessidade de
guia que motiva as massas que o seguem.

Comunicado V: UM MUNDO SUPERIOR 145


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

V8. OS RISCOS

Por esta razão este comunicado é dirigido a essas pessoas que vivem essas
decisões todos os dias.

Estou me dirigindo a elas para dizer-lhes que os fenômenos da mente são


infinitamente maiores do que imaginam. Os supostos guias espirituais são
símbolos criados pela mente do canalizador e esta necessidade humana de
receber esperanças de um mundo superior que não entende e do qual
sempre se quer formar uma idéia.

Isto foi compreendido faz muitíssimos anos, desde a época de Moisés,


quando foi dado o ordenamento de que “não deveria formar o ser humano
nenhuma imagem do que se encontra no céu”. Deliberadamente foi
traduzida e interpretada como “não se formar imagens de pedra ou
madeira” quando, na realidade, a advertência era para evitar desviar-se do
caminho que estava sendo indicado por estes seres do governo interno.

Venho para dizer-lhes que essa capacidade de poder trabalhar com os níveis
mentais, extraindo informação de zonas da mente que podem perceber
extratos do conhecimento universal, e me refiro a esse que subjaze na
psique da humanidade como raça, é uma vantagem que bem utilizada pode
conduzir o Homem pela senda correta da evolução espiritual.

A entrada em cada círculo interior é guiada por algum de nossos enviados


que contata a pessoa para conduzi-la. Pouco a pouco o Homem entrará em
contato com esta realidade e deixará de lado a busca psíquica de realidades
que não são demonstráveis, e que só fazem desviar a atenção das coisas
verdadeiramente importantes para a evolução da humanidade.

Hoje eu faço um convite a todos aqueles que são contatados por entidades
superiores para que observem e estudem seus escritos com um espírito
crítico e analítico.

Desassociem-se de vocês mesmos e vejam o que fazem, olhando-o com


olhos de alguém que lê pela primeira vez o que vocês recebem.

Agora se perguntem: “essa pessoa” realmente aprende? Fá-la mais sábia?


Convida-a a melhorar-se? Situa-a para que dê o próximo passo em sua
evolução? Liberta-a dos medos que estorvam ou mais ainda a enchem de
temor? Os anúncios podem ser demonstrados? Informam sobre energias
novas e misteriosas que estão chegando e causam sentimentos de
ansiedade, inquietações e tédio nas pessoas sensíveis do mundo?

Comunicado V: UM MUNDO SUPERIOR 146


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

Estas últimas frases está claro que se cumprirão sempre, independente de


quê momento sejam pronunciadas; são tantas as pessoas do mundo que
para algumas delas esses anúncios serão certos sem importar se tais forças
existem ou não. É a isto que me refiro quando digo que as habilidades da
mente são tantas que mesmo os canalizadores resultam enganados por
suas próprias palavras.

Quando a humanidade decidiu caminhar satisfazendo seus sentidos


externos em lugar de buscar satisfazer suas necessidades espirituais,
definiu uma senda que a levou a desenvolver enormemente sua ciência, sua
tecnologia e sua mente racional. Porém, a tem tornado incrivelmente
insensível às necessidades do espírito. O ser humano continua sendo
analfabeto em ternos do espiritual. E é nestes caminhos do espírito que o
ser humano deveria voltar a estudar as antigas tradições e alguns dos
povos indígenas que cresceram de maneira natural seguindo as
necessidades de seu ser interno. Eles puderam desenvolver capacidades
que agora se supõem incríveis para os cientistas, mas, que são apenas a
conseqüência natural de atender aos chamados do ser interno.

E são estes chamados que agora quero reprisar.

Como guias de multidões ou de pequenos grupos devem entender que


vocês estão satisfazendo às necessidades de aprendizagem e de
conhecimento daqueles que lhes seguem. Tudo o que vocês digam ou
publiquem, afirmando serem vocês mesmos ou seus guias, será seguido e
escutado atentamente pelos que estão atentos às suas vozes e em suas
penas. Entendam a responsabilidade que têm neste processo. Sei que
muitos de vocês são sinceros no que fazem e sei também que muitos não
são.

Agora vou explicar a responsabilidade destes feitos em termos claros para


que levem em conta cada vez que publiquem o que recebem.

Seja que o tenham recebido, inventado ou imaginado, vocês são


responsáveis por tudo o que enviam à mente dos demais. Cada idéia que
sai de suas mentes (independente de que sejam próprias ou alheias) leva a
responsabilidade daquele que a afirma. Vocês são semeadores de idéias e
não importa quem fixa o que vocês digam, vocês são os mensageiros e isso
admite uma responsabilidade, da mesma forma como isto que escrevo me
confere uma responsabilidade, a mim, que o estou dizendo.

Esta responsabilidade leva inevitavelmente a conseqüências na evolução


pessoal de vocês. Semeando confusão colherão confusão, semeando
verdades colherão verdades, semeando luz colherão luzes.

Comunicado V: UM MUNDO SUPERIOR 147


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

Volto a repetir, não estou afirmando que todos os comunicados espirituais


ou que todos os guias etéreos sejam falsos, de nenhuma maneira. Afirmo
que mais de 90% do que é distribuído no mundo como mensagens de
autores espirituais não têm como autor quem afirmam ter. O que a
mensagem diga pode ser ou não falso, mas, os autores, na maioria das
vezes, são os próprios canalizadores ou médiuns fazendo uso dessa
faculdade especial que não têm sabido aproveitar.

Agora quero comentar sobre o mundo espiritual e de sua hierarquia, tanto


nos mundos superiores como em nosso mundo.

Comunicado V: UM MUNDO SUPERIOR 148


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

V9. COMO TRABALHAMOS

O ser humano é a máxima criação em manifestação na Terra.Tem em seu


ser grandes faculdades que desconhece e só as começou a vislumbrar agora
que a consciência da humanidade se torna mais aberta e necessitada de
guia interno.

As religiões falham em sua maioria para satisfazer necessidades urgentes


porque desviaram o caminho ao servir mais à instituição do que ao Homem.

As novas correntes filosóficas espirituais crescem em grande média


desorganizadas e guiadas por seres que desprezam em seu momento as
disciplinas das tradições para lançarem-se solitários pelo caminho e têm
despertado de maneira silvestre, sem o guia de alguém que possa
compartilhar as experiências próprias do despertar espiritual. Têm cometido
o erro de pensar que qualquer mensagem proveniente de seu espírito é
verdadeira, sem deter-se a pensar que o despertar é gradual e cheio de
riscos, que devem ser cuidadosamente atendidos por alguém que já os
tenha vivido antes.

Hoje, muitos consideram um motivo de orgulho declarar-se livre pensador e


não pertencer a nenhuma escola ou organização. Esta maneira de pensar é
ingênua e só revela um desejo de caminhar sem responsabilidades.

Existem tradições que por milênios conduzem o ser humano até as portas
de seu ser interior, a verdadeira e única Universidade Interna, aquela
formada pelos seres humanos que transcendem suas limitações físicas e se
reúnem com o etéreo para orientar-se nas necessidades da família humana
e aprender o que seja necessário até converter-se em um verdadeiro
servidor do mundo. Porém, estas tradições não se encontram debaixo de
refletores. Não fazem campanhas para obter alunos, não filiam ao que o
deseja, só se chega por convite de alguém que já está dentro.

Estes homens e mulheres espirituais servem de maneira calada no mundo


desde milhares de anos, e só de quando em quando se fazem públicos para
alguma missão particular que é mister realizar, porém, imediatamente
voltam, sendo-lhes possível, ao abrigo da solidão para continuar nesse
caminho que é mil vezes mais valioso que qualquer refletor do mundo
exterior.

Afirmei que a senda ao centro do mundo é formada por círculos


concêntricos de consciência. Em cada um deles se localiza um grupo de
seres que alcançaram um nível de consciência necessário para manterem-se

Comunicado V: UM MUNDO SUPERIOR 149


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

trabalhando aí. É desde aí que se influencia no mundo. É desde aí que se


trabalha para conduzir as nações. Aí se tomam decisões que têm a ver com
o porvir do mundo. Aí se entendem as crises e desde aí se observa o ser
humano.

Sei que suas mentes perguntam porque há tantos problemas no mundo se


está sendo dirigido por seres sábios e espirituais. A resposta é simples. Nós
não podemos vir contra o livre arbítrio de cada ser humano; nós somos uma
porção consciente da humanidade que sabe as conseqüências de cada ato e
decisão que se tome, nós intervimos através de conselhos que temos em
muitos partidos políticos e, às vezes, através de presidentes de países que
temos podido colocar no meio da sociedade, mas competimos com outros
seres humanos que também têm suas próprias idéias e, ainda quando nós
propagamos ações específicas, a humanidade pode decidir fazer outra coisa.
Nosso trabalho se divide em projetos que vamos planejando segundo a
prioridade que tenham em cada comunidade em que participamos, porém,
não decidimos tudo o que se faz no mundo.

Nossa organização concêntrica é análoga à hierarquia que existe no céu


onde os guias espirituais da humanidade, encabeçados pelo Cristo Cósmico,
tomam decisões sobre a melhor maneira de guiar o mundo. Eles não podem
intervir na humanidade por não serem parte dela, eles atuam só através de
nós que somos seu reflexo e mãos trabalhando no mundo.

Eles concedem guia e instrução a grupos de irmãos ao redor do mundo, têm


seus próprios discípulos, porém seus comunicados sempre têm o propósito
de guiar e educar a humanidade. Os guias da humanidade que não educam
trabalham com propósitos específicos em missões especiais e jamais
perdem tempo nem energia revelando anúncios que só desviam a atenção
dos seres humanos e os enchem de incertezas sem nenhum propósito
superior. Além disso, eles se retiram tão logo a missão esteja terminada.
Não há razões importantes para se manterem na Terra se não há um fim
específico alinhado à Vontade de Deus.

Da mesma forma posso afirmar que os guias que distribuem instrução na


Terra, através de mentes de irmãos que alcançaram essa capacidade,
sempre apresentam ensinamentos que gradualmente irão subindo o tom
vibracional dos que os seguem. Sempre haverá um propósito de
transcender através da instrução. Quando o grupo não é obediente ou dócil
à instrução, o guia se retira para dar tempo a que o grupo amadureça seus
propósitos e reconsidere a disposição de trabalhar; dificilmente encontrarão
um guia verdadeiro que tenha trabalhado por mais de 30 anos com algum
discípulo particular, ainda que os e as houve no passado.

Comunicado V: UM MUNDO SUPERIOR 150


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

V10. O SALTO QUÂNTICO

A Hierarquia Humana vem se reunindo desde o princípio dos tempos para


decidir a melhor forma de guiar a humanidade no descobrimento de suas
capacidades e cumprimento de sua missão como raça. Nestas reuniões
escrevem-se muitas vezes os destinos do mundo. Nelas se atendem crises
que a própria humanidade tem gerado, basicamente por sua ingenuidade e
desejo de poder.

Somos nós que temos resguardado a sabedoria do mundo; somos nós que
temos iniciado as verdadeiras tradições espirituais da humanidade, e
mantemos um vínculo com muitas delas através de guardiões que nós
mesmos enviamos com esse propósito. Atuamos por detrás da cena pública,
não buscamos reconhecimentos nem necessitamos autenticar nada, não
demonstramos quem somos, nem estamos interessados em debater nossas
formas de trabalho, não há necessidade. De quando em quando alguém de
nós sai ao mundo para relembrar que há uma hierarquia de seres
conscientes vigiando o mundo e lhes pedimos que reconsiderem alguma
coisa. Assim é como se têm escrito alguns livros que falam de contato
conosco.

Desta vez é diferente.

Nesta ocasião os tempos marcam um momento importante que devemos


todos conhecer, e é por esta razão que me faço presente para dizer-lhes isto
de maneira clara e sem deixar dúvidas.

Nestes cinco comunicados mencionei o que considero mais importante para


todos vocês. Todos eles levam o propósito de orientar certos grupos de
pensadores e pessoas influentes na sociedade, juntos formam o caminho
para a consciência. Neles se tem vertido todo o sentido do caminhar
espiritual de maneira muito sintética. Todos os estudantes, guias e líderes
espirituais do mundo fariam muito bem em estudá-los com atenção porque
cada palavra é medida em suas conseqüências e leva encerradas certas
chaves que quando postas em prática revelam toda sua plenitude.

O Mundo Superior a que me refiro no título deste último comunicado tem a


ver com a Hierarquia Cósmica que dirige os destinos deste planeta.

Nós somos o reflexo deles na Terra e, como mencionei, muitos de nós, não
necessito repetir o mesmo para falar deles. Devo dizer, entretanto, que
neste trabalho que se vem desempenhando desde o princípio dos tempos,
cada um dos que lêem estes escritos tem um rol que deve cumprir. A cada

Comunicado V: UM MUNDO SUPERIOR 151


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

um de vocês corresponde um fio dentro do tecido cósmico que todos vimos


tecendo. Somos uma grande família que viemos crescendo em número e
em consciência. O crescimento é natural para certas leis cósmicas que
devem cumprir-se; o despertar de consciência vai inscrito no DNA espiritual
que cada ser humano traz ao nascer e que como o corpo, governa os
tempos em que o organismo humano deve desenvolver tal e qual função,
assim, na raça humana, decide o momento justo em que a humanidade
deve despertar tal ou qual conhecimento.

A evolução da espécie humana é regida desde a gênesis por leis cósmicas


que escapam à compreensão humana, simplesmente porque o Homem
decidiu estudar melhor o mundo dos sentidos em lugar de estudar o mundo
interior. Esta é a única razão, os tempos indicam que o ser humano agora se
prepara para um salto quântico de consciência. Todavia, gostaria de clarear
o significado de salto quântico.

A evolução da espécie humana é gradual, o tenho afirmado, e neste sentido


é fácil vê-lo na evolução da sociedade. Entretanto, como ocorre nas
mutações da biologia, de pronto aparecem espécies que se diferenciam das
predecessoras em algo significativo “que não foi gradual”, a isto chamamos
salto quântico da evolução; diz-se na ciência que nem todas as mutações
são benéficas para a espécie e muitas delas morrem; nós dizemos que
esses não são saltos quânticos, são simplesmente ensaios que falharam.

A espécie humana tem tido muitos desses ensaios que têm falhado em
produzir saltos na evolução, estão presentes na história; o último deles
produziu o que vocês chamaram segunda guerra mundial. Porém, o tempo
já produziu a experiência adequada, os preparativos estão terminando, este
é, de fato, um dos últimos preparativos.

Minha chegada e meus cinco comunicados são parte já não dos anúncios
que se deram desde princípios do século passado, mas, na mostra de que
efetivamente a mudança começou.

Comunicado V: UM MUNDO SUPERIOR 152


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

V11. PALAVRAS FINAIS

Muitas coisas estão acontecendo que lhes farão recordar estes


comunicados. A humanidade está vivendo momentos especiais de decisões
importantes. Dentro dos laboratórios, dentro dos governos há decisões que
hoje mais que nunca definirão os rumos que a humanidade tomará como
espécie humana.

A pesquisa genética e os investimentos para a busca e o desenvolvimento


de novos combustíveis fixarão os novos caminhos que a humanidade irá
tomando no futuro imediato. Este tipo de decisões que se dão à sombra das
pequenas repartições de alguma resolução de governo, ou na escuridão
privativa dos chefes de grandes laboratórios são as que determinam os
rumos da história que a humanidade escreverá no futuro. É aí onde nós
buscamos influir. Uma vez que a decisão seja tomada, o resto é simples
trâmite burocrático.

Nossos enviados estão por todo o mundo, fazem-se presentes em muitas


companhias que trabalham em criações que definirão o amanhã e nos
governos que buscam soluções para os males de seus povos. Nós atuamos
desde a raiz do problema, muitas vezes antes que os próprios protagonistas
sequer suspeitem que irão ter que decidir entre duas opções importantes
para a humanidade. É por isso que dificilmente saímos à cena pública, os
refletores apontam para os frutos maduros e nós buscamos semear as
sementes adequadas ou retirar os maus frutos antes que façam danos.

Quero dedicar minhas últimas palavras ao verdadeiro buscador da verdade


espiritual. Mais além de se vestir um simples saial9 ou uma luxuosa túnica
de seda ou linho.

O caminho é o mesmo para as sandálias e para as sapatilhas de cristal.

As provas são as mesmas para o peregrino e para o lider de multidões.

Os irmãos maiores não fazemos distinção entre a vida pública e a privada


que cada um dos irmãos realiza; interessa-nos as conquistas privativas que
cada um realiza em seu coração e que refletem em sua alma.

Não há mérito especial em dirigir uma organização mundial se não se faz


com a luz inspirada da alma e a obediência que nasce da humildade.

Nós somos tua família e estamos te esperando. A tarefa já entrou em suas

9
Saial: Peça confeccionada com tela muito áspera e rude feita a base de lã.

Comunicado V: UM MUNDO SUPERIOR 153


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

etapas finais, faltam-nos teu coração, teus pés e tuas mãos.

O diálogo é com tua alma. Aí estamos e aí estaremos. Não te preocupes se


em princípio só recebes solidão e silêncio. Essas são as primeiras etapas
que conduzem à luz da alma, há que percorrê-las para chegar até onde te
esperamos.

Não tentes buscar os que estão difundindo estes comunicados, eles são tão
somente os difusores, a eles se lhes encarregou desta tarefa. Eles não estão
trabalhando diretamente comigo, têm outras missões. Fui eu quem me
aproximei deles e lhes pedi este trabalho. Eles o realizarão e muito breve
vão deixar este projeto para seguir seu caminho.

Não te faças mais perguntas vãs, simplesmente entra em meditação e


começa a percorrer o caminho.

Comunicado V: UM MUNDO SUPERIOR 154


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

V12. O FUTURO IMEDIATO

Vou te falar do futuro imediato.

Nada especial acontecerá nos próximos dias a chegar. Não te vou falar de
anúncios espetaculares nem de profecias que te mantenham assomado ao
monitor ou à televisão. Não. Vou te falar de teu futuro imediato.

Não me interessam os acontecimentos que ocorrem fora do teu ser.


Interessa-me o que ocorre dentro de ti.

Teu futuro é o único que me importa. Estando, de verdade, em busca do


Reino de Deus, já te deixei as instruções sobre como achá-lo. Tua mente
está ferida de morte. Semeei sementes que a transformarão. Pouco a pouco
essas sementes irão crescendo conforme fores vendo os sinais.

Sinais que sempre estão, mas, que agora começaras a observar. O mundo
te parecerá diferente. A verdade espiritual se assomará à tua vida e breve
encontrarás um sentido diferente a cada uma das coisas triviais que faças.

O mundo espiritual deixou de ser uma mera aventura intelectual para


transformar-se em uma realidade próxima de ti, porém, invisível para os
demais. Reconhecer-te-ás como um caminhante espiritual que viaja pelo
mundo seguindo a luz interna, sabendo que alguém te espera. Reconhecer-
te-ás ator ou atriz de muitos roteiros que agora representarás divertindo-te
porque prontamente começas a saborear a liberdade de saber que o que
fazes é opcional. Que tu tens a decisão de manter-te nesta obra ou
escolher outra. Verás teus irmãos como companheiros de viagem, talvez
dormindo, porque não aceitam descobrir que tudo o que se vive no mundo é
fantasia da mente, ela tem criado e logo transformado o único mundo que
vês. São escravos de suas próprias criações.

Essa é a liberdade que começarás a saborear, e com essa consciência pouco


a pouco te perguntarás se tudo isto que tens lido, em realidade, se pode
cumprir em tua vida. Começarás a considerar que talvez o que te diziam os
comunicados era certo e há alguém te esperando. Pouco a pouco estarás te
aproximando desse diálogo místico que só os que caminham podem
desfrutar. Tua mente começará primeiro a analisar possibilidades e depois
se voltará a um desejo imenso de que se faça realidade; talvez chegues ao
ponto de obsedar-te com o fato de que há irmãos que te observam, tão
somente para esperar que dês o passo definitivo para chegar e apresentar-
te ante à verdadeira irmandade da luz.

Comunicado V: UM MUNDO SUPERIOR 155


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

Quero que saibas que se tudo isto te ocorre... estás perto.

Vou te pedir paciência. A mente representa também um papel importante


no momento em que estás te aproximando. Recorda que tudo é questão de
vibração. À porta se bate com a nota adequada, somente se a nota está
correta a porta se abre. Por isto é importante a atitude, a firmeza, o
preparo, a disposição de trabalhar e não tanto o desejo de chegar.

Há um momento em que se é criança espiritual e se busca ao papai Deus


que conceda tudo por amor. Nessa etapa, a Deus se vê nos sonhos, nas
fantasias e nas orações. Há outra etapa onde se alcança a adolescência
espiritual, o ser se sente capaz de mudar o mundo, se sente impaciente por
arrancar o trabalho, se sobre-estima em suas capacidades e pensa que ele
é necessário aos irmãos do interno, não entende porque não lhe abrem a
porta. Nessa etapa as respostas que recebes são as de que já estás quase
chegando e que não desesperes em seu intento. Depois vem a etapa da
maturidade, é a idade adulta, é quando o ser sente que não necessita estar
do lado de dentro da porta para trabalhar pela humanidade e é justo aí que
a porta se abre. Quando o desejo de entrar já estiver removido pelo desejo
de trabalhar, esta é a nota correta, esta é a chave que abre a porta. Por
esta razão hoje te explico que o teu futuro está neste chamado que fazes a
teu ser interior.

Vês por que não me interessa falar de eventos externos? Vês por que não
me interessa prognosticar guerras ou descobrimentos, terremotos ou
tsunames? Esses eventos nada mais são que oportunidades para que as
pessoas como tu possam demonstrar-se que já estão prontos para servir
nos círculos internos da humanidade.

Falo-te com todo o meu amor e com o grande desejo de que possas tomar
destas linhas tudo o que necessitas para retomar teu caminho.

Como deves ter observado esta não é uma obra como as demais. Este é um
trabalho cuidadosamente planejado desde o interno para ser entregue à
humanidade que busca ser consciente de sua realidade espiritual. É uma
mensagem que orienta e marca rumos. Define o que se deve fazer e não
regateou palavras de correção quando foram necessárias.

Retiro-me, a mensagem está concluída com este último comunicado. Retiro-


me para trabalhar com os que responderam. O que segue será comunicado
aos que têm se atrevido a buscar-me em seu interior. Há uma comunidade
de irmãos que no externo estarão coordenando trabalhos e difundindo
certas coisas que envio. Porém o verdadeiro trabalho será dentro de vocês.

A revolução silenciosa está em marcha, já nestes momentos muitos

Comunicado V: UM MUNDO SUPERIOR 156


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

responderam e meu povo começa a chegar. Com eles começo a trabalhar.


Os preparativos para a grande Ascensão deu partida, o que não quer dizer
que se realizará na próxima semana. Não confundam os tempos do espírito
com os tempos do calendário, mesmo que lhes pese o que vou dizer, nada
tem a ver de extraordinário que se reúnam em várias datas, vários 7 ou
vários onze. O calendário é uma criação humana que nada tem a ver com
momentos cósmicos, novamente são pegos por veleidade da mente. O
tempo espiritual vem marcado por um relógio que caminha segundo as
decisões que a humanidade tome. O tempo que verdadeiramente importa é
o que é regido pelas mudanças na vibração da humanidade. Os ponteiros do
relógio espiritual se movem cada vez que alguém na humanidade desperta,
toma uma decisão importante ou faz uma abdicação que muda seu tom
vibratório; é aí quando o céu se veste de festa e se pode dizer que a
humanidade avança em seu caminho de volta.

Separemos as festas humanas que ocorrem em datas que vocês gostam,


seja porque mudaram certas cifras ou porque coincidam com algum evento
especial, das festas do céu que se celebram cada vez que o mundo faz algo
verdadeiramente importante. Caso através de datas especiais o mundo
possa chegar a estar mais próximo de Deus, bem-vindas estas festas,
porém, não é necessário que ensaiem explicações complicadas para
justificar uma convocação que a vocês lhes pareça conveniente.

Envio-lhes meu amor e minha promessa de que lhes estarei esperando. Não
se confundam. Eu não enviarei mais comunicados através destas vias.

Meu amor e minha paz ficam com vocês.

Melkizedek

Comunicado V: UM MUNDO SUPERIOR 157


O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

APÊNDICES

AI1. O PRIMEIRO CHAMADO


Cerimônia de Wesak, sexta-feira, 27 de Abril de 2007

Faz tempo que o mundo espera um chamado, faz tempo que os arautos da
luz vêm anunciando minha chegada. A suprema engrenagem cósmica deu
uma volta mais na sagrada espiral e o tempo agora chegou.

Venho para dizer-lhes que já estou entre vocês.

Há um Plano que pouco a pouco vem sendo revelado. Pouco a pouco as


pequenas chispas de luz, representadas por cada um dos servidores, vêm
fazendo seu trabalho. Pouco a pouco vem se formando um fio que entretece
as mentes e os corações de todos aqueles que dedicaram suas vidas a
servir à humanidade. E este fio, sem pressa e com muita diligência, formou
a rede de luzes que se requeria para minha chegada.

Todas as escolas e grupos do mundo sabiam que devia chegar, todos me


esperavam, todos receberam em seu foro interno o chamado da estrela de
Belém, novamente a estrela da anunciação se havia acendido e aqueles de
mente aberta e de coração aceso captaram o aviso. Hoje faço o primeiro
chamado.

O plano deve passar por muitas provas, não porque há espíritos contrários,
não porque tem que vencer obstáculos, não; o Plano levou em conta tudo
isso e não há força no universo que possa opor-se à luz. Não, os obstáculos
que o Plano tem que vencer são os que os próprios servidores da luz têm
posto no caminho.

As escolas, os líderes e os grupos de serviços do mundo não têm


reconhecido, muitas vezes, que “seu plano” não é “O PLANO”, que “sua
verdade” não é “A VERDADE”, que eles não são os únicos a salvar o mundo.
O momento da Grande Comunhão de luzes se aproxima, porém, este
primeiro chamado é tão somente para despertar a consciência daqueles que
me têm esperado.

Para todos aqueles que “sabiam” que já estava aqui, para todos aqueles que
perceberam este momento, para todos aqueles que me buscavam, hoje lhes
anuncio: Já estou aqui.

APÊNDICES 158
O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

Quis esperar até este festival de Wesak para fazer este chamado. Os
verdadeiros discípulos “sabem” que no sagrado vale de Wesak o Plano será
revelado em suas partes essenciais.

O mundo esperou desde faz centenas de anos a chegada deste momento.


As “Tradições Sagradas da Humanidade”, “Os Guardiões dos Quatro Pontos”,
“Os Guias das 4 Raças Raízes”, “Os Encarnados dos 7 Raios” “Os
Responsáveis Pelos Portais Terrestres”, “Os Semeadores das Estrelas”, "Os
Observadores”, “Os Guias das Escolas e Religiões do Mundo”, “Os que
Cuidam dos Caídos”, “Os Legionários”, “Os Essênios Verdadeiros”, “Os
Gnósticos Milenares”, “As Raças Autênticas”, “Os Mahachohans”, “A Agartha
Misteriosa”, “A Estrela Siloé”, “A Golden Dawn”, “Os Seguidores das
Profecias”, “Os Que Cuidam dos Guardiões”, “As Crianças de Deus”, "As
Virgens da Luz”, “A Suprema Ordem Egípcia”, “As Mãos de Maitreya”, “Os
Verdadeiros Cristãos”, “Os Maçons”, “Os Guardiões dos Centros Magnéticos”,
“As Legiões de Ashtar”, “Os Judeus”, “Os Que Aguardam na Sombra”, “Os
Laços de Amor”, “Os Cultivadores da Luz”, “Os Espíritos da Montanha”, “A
Grande Fraternidade Universal”, “A Igreja do Único”, “Os da Cruz de
Gólgota”, “a Fraternidade Secreta do Vaticano”, “Os Irmãos de Cristo”, “Os
Novos Budistas”, “As Valkírias”, “Os Cruzados”, “os Guardiões da Arca” e
todos os demais que escutaram minha voz anunciando-me sabiam que o
chamado estava para fazer-se.

Hoje é o dia do primeiro chamado. Não haverá muitos, a rede de luz está
formada e venho utilizá-la. Minha Ordem já está trabalhando, esta é a
primeira vez que dou um anúncio público, não me confundam, jamais estive
entre o público, até agora não fiz nenhum anúncio público, não dou cursos,
não faço curas, não tenho nenhum interesse em nada econômico, não
caiam em confusões. Este é o primeiro chamado que faço abertamente
utilizando a rede, porque este é o instrumento que nós concedemos à
humanidade para que fosse utilizado no momento marcado para a chegada
da luz.

Quem sentir que o chamado é para ele, somente responda. Nada mais é
pedido. Neste primeiro chamado só é pedido que responda.

Onde está minha Ordem? Está em algum lugar da América.

Quem faz este chamado? O faço eu, através das 15 organizações que
compõem este primeiro contato. Porém, aos que têm dúvida em responder,
só lhes peço que sigam seu coração.

Desde quando estamos trabalhando? Vimos nos reunindo faz 10 anos, (ver
apêndice AI2, pág. 161) porém, espiritualmente o vimos fazendo com
muitos de vocês faz centenas de anos.

APÊNDICES 159
O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

Este primeiro chamado é para o reconhecimento. Quem sentir o chamado


da luz que responda.

Wesak foi um momento crucial, a partir dali estão sendo dadas as respostas
para todos que tiverem dúvidas. Os verdadeiros discípulos e estudantes da
luz têm sabido reconhecer-me quando me vêem desde essa magna reunião.
Perguntem suas dúvidas e todas elas serão respondidas no coração.

Este é o primeiro chamado, o chamado do reconhecimento. Que o responda


quem sentir o chamado. Utilizem a mesma via pela qual receberam esta
comunicação.

APÊNDICES 160
O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

AI2. ATIVIDADES DA VENERÁVEL ORDEM DE MELKIZEDEK

No ano de 1997 foi convocado pela Hierarquia Superior do Planeta um


grupo de 7 irmãos/mestres, representantes das mais diversas correntes
espirituais (rosa-cruz, maçonaria, inca, etc.) para participar sob o guia e a
presença de meu muito Sublime e Divino Mestre, Diretor da Hierarquia
Espiritual: o Cristo Cósmico e de Sanat Kumara, o mui Venerável Mestre
Melkizedek, no estabelecimento e exteriorização para os altos desígnios do
Altíssimo.

Durante este tempo a Hierarquia Superior os tem instruído e vem


desenvolvendo alguns programas e trabalhos de importância para a
Hierarquia Planetária.

A Ordem de Melkizedek, sob o guia da Hierarquia, desenvolve e projeta


trabalhos em diversas áreas.

Desenvolvimento e educação nas diversas etapas da Iniciação Real, como


são:
• A Iniciação Humana.
• A Iniciação Planetária.
• A Iniciação Solar.
• A Iniciação Cósmica.
• O trabalho dos guardiões dos pontos Geomagnéticos do Planeta.
• Capacitação em diversas áreas de cura energética.
• A rede de servidores do mundo.
• Difusão dos ensinamentos dos mestres de sabedoria.
• Difusão dos princípios e valores universais.
• Integração das verdadeiras tradições iniciáticas no mundo
(atualmente mais de 15 ordens iniciáticas).
• Outras atividades de índole iniciática.

O órgão diretor e coordenador de nossas atividades da Ordem de


Melkizedek é o Honorável Colégio de Anciões conformado por diversos
Mestres das distintas tradições iniciáticas.

Algumas delas são:


• Antiga e Tradicional Ordem Mística Inkaica de Goanakauri.
• Divina Ordem da Bodhisattva Kwan Yin.
• Divina Ordem da Mãe Kósmica.
• Escola de Vida Solar.
• Fraternidade Estrela Siloé.
• Ordem de Miguel Arcanjo.
• Ordem dos Servidores do Divino Mestre.

APÊNDICES 161
O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

• Ordem do Divino Mestre Cristo Cósmico.


• Ordem do Reiki Divino de Kwan Yin.
• Ordem do Vale Sagrado.
• Ordem Maya-Aum.
• Ordem Metatron do Mundo Angélico.
• Ordem Mesoamericana do Mestre Kocona.
• ORO*MÚ, Centro de Estudos Espirituais.
• Tiawanaku Sublime e Soberana Ordem.
• Soberana Ordem Solar Maçônica de Iniciação Real.

Adicional a este primeiro grupo se encontram organizações civis e culturais


aderidas à nova dinâmica de exteriorização da verdadeira Hierarquia
Superior do Planeta, cujos nomes não são mencionados.

APÊNDICES 162
O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

AII1. COM O CRISTO CÓSMICO

Quinta-feira, 31 de maio de 2007

Saudações irmãos e irmãs do Mundo:

Cumpriu-se a data e os comunicados de Melkizedek estão prontos e


difundindo-se no mundo.

Desejo comunicar-lhes duas coisas que são importantes para entender o


processo que hoje estamos vivendo.

Na maioria das escolas, grupos e religiões do mundo, responsáveis de


promover uma sociedade espiritual com valores transcendentes, têm
recebido avisos que anunciam que estes são dias especiais.

Muitas pessoas do mundo estão esperando meu reaparecimento. Muitos


têm anunciado a chegada dos irmãos do espaço ou o término de ciclos e
idades cósmicas.

Alguns esperam uma chegada espetacular que monopolize os refletores e a


imprensa mundial, outros pensam que chegarei depois que grandes
cataclismos tenham devastado a Terra. E há muitos que pensam que aquele
que aparecer e convocar o mundo a uma era de paz e harmonia será na
realidade o Anticristo, uma vez que assim está anunciado no Apocalipse;
primeiro chagará ele e depois virá o Cordeiro para retomar seu reino.

Esses dias tão anunciados chegaram, porém, não no sentido em que as


profecias tem sido interpretadas.

A mudança começou.

Os grandes cataclismos têm se dado, porém, não simultaneamente, nem


tampouco a nível global.

Os grandes profetas que iriam encher o mundo de confusão dizendo que


eles eram o Messias esperado passaram, vêm sendo feito desde o século
passado; tampouco têm aparecido todos ao mesmo tempo. Os profetas
quando Vêem o futuro, Vêem-no compactado e a seus olhos tudo parece
ocorrer ao mesmo tempo e em todo o mundo quando, na realidade, o que
vêem ocorre ainda que em distintos lugares em distintos tempos.

Porém, nenhuma das profecias lhes preparou para reconhecer o que agora
está ocorrendo. Todas alertavam de que deviam estar preparados, mas,
nenhuma lhes dizia exatamente o quê deviam fazer.

APÊNDICES 163
O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

“Pelos frutos os reconhecereis”, esta frase mística e milenar não é


suficiente para discernir ao ser humano que alberga o temor em seu
coração, ou para o que é guiado por um líder espiritual que sente o futuro o
chama às contas e pode perder seus seguidores.

Esses frutos só podem ser reconhecidos por um coração que ama a Deus e
a sua obra.

Hoje convoco todos os irmãos e irmãs do mundo que sentem amor pela
humanidade.

Convoco todos os que sentem que o mundo necessita de uma mudança.

Que sentem uma responsabilidade de trabalhar para o mundo.

Hoje necessito deles.

Nosso irmão Melkizedek iniciou a obra. Uma revolução silenciosa.

Ele lhes chama a encontrar dentro de vocês o caminho de volta a sua


Divindade.

Sua bandeira é “meditem, meditem, meditem”, aí encontrarão a


confirmação de suas palavras.

Nos próximos dias receberão comunicados meus orientando sobre a atitude


correta que devem tomar ante a problemática mundial.

Que a paz do espírito inunde seus corações.

O Cristo Cósmico.

APÊNDICES 164
O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

AII2. AVISO

O Colégio de Anciões da Venerável Ordem do M.V.M. Melkizedek deseja


notificar que a partir desta publicação estará enviando comunicados
periódicos a todos os irmãos e irmãs que se têm inscrito como parte deste
projeto que encabeça Melkizedek.
A todas as organizações e pessoas que desejem ter una participação mais
ativa dentro de programas específicos da Ordem, suplicamos-lhes que nos
façam saber por meio de um e-mail dirigido aos moderadores das listas,
para que lhes enviemos informação relacionada com os distintos programas
disponíveis.

Nesta ocasião e pela natureza mundial do trabalho que o Mestre nos está
pedindo, necessitamos buscar pessoas, em cada país do mundo, para um
trabalho particular com os centros magnéticos e cerimoniais.

Por esta razão solicitamos-lhes se por um e-mail podem nos informar os


seguintes dados pessoais de vocês:

1. Nome:
2. Sexo:
3. Cidade de residência:
4. País:
5. Tem disponibilidade para viajar dentro e fora* de seu país?
(* isto é, no caso em que o centro magnético a trabalhar não se
encontre em seu país):

6. Pertence a alguma escola ou organização de ensinamento espiritual?


(Caso seja afirmativa sua resposta, gostaríamos de saber o nome de sua
organização):
Qualquer outra informação que desejem agregar será bem-vinda.
Caso não estejam interessados em trabalhar com os centros cerimoniais,
pode nos informar no e-mail.
Caso não desejem mandar esta informação não há nenhum problema, há
muitas outras formas de trabalhar que o Mestre estará indicando. De
maneira alguma perderão privilégios na rede que formamos.
Muito breve receberão mais informação a respeito.

Colégio de Anciões da Venerável Ordem de Melkizedek

APÊNDICES 165
O CHAMADO (Comunicados do M.V.M. Melkizedek)

CONTATOS

Grupo em Português: http://br.groups.yahoo.com/group/discipulos_do_melkizedek


Informação: Maria*Paz (criar@netsite.com.br) e
Raio*Solar (rosangelasc47@hotmail.com)
Entrar no grupo: discipulos_do_melkizedek-subscribe@yahoogrupos.com.br
Para permutar comentários:
http://groups.msn.com/OrdendeMelquizedek/ordemdomelkizedek.msnw

Grupo en Español: http://www.egrupos.net/grupo/discipulos_melquizedek


Suscripción: http://www.egrupos.net/grupo/discipulos_melquizedek/alta
Informes: Angel* Lux (soporte.melquizedek@gmail.com) y
Red*Ant (redant33@gmail.com)
Intercambio de comentarios:
http://groups.msn.com/OrdendeMelquizedek/ordenmelquizedek.msnw

Group in English: http://www.zoomgroups.com/group/disciples_melchizedek


Subscription:
http://www.zoomgroups.com/group/disciples_melchizedek/subscribe
Information: Red*Ant (redant33@gmail.com)
To make or exchange comments, go to:
http://groups.msn.com/OrdendeMelquizedek/ordermelchisedekenglish.msnw

Groupe en Français: em web : http://fr.groups.yahoo.com/group/disciples_melkizedek


Souscription em email: disciples_melkizedek-subscribe@yahoogroupes.fr
Informations: Memfre*Sua (memfre_sua@hotmail.com)
Pour échanger des commentaires:
http://groups.msn.com/OrdendeMelquizedek/tupginaweb.msnw

APÊNDICES 166