You are on page 1of 31

Cartilha de Registro

E
X Conselho Regional de Fisioterapia e
P Terapia Ocupacional da Terceira Região
E
D CREFITO - 3
I
E EXPEDIENTE
N
T
E DIRETORIA

Presidente

Prof. Dr. Gil Lúcio Almeida - Ft

Vice Presidente

Dr. Mario César Guimarães Battisti - TO

Diretora - Secretária

Dra. Amélia Pasqual Marques - Ft

Diretora Tesoureira

Dra. Regina Aparecida Rossetto – TO

Comissão de Ética e Deontologia da Fisioterapia

Presidente

Dra. Normian de Oliveira Loureiro – Ft

Secretário

Dr. Reginaldo Antolin Bonatti - Ft

Vogais

Dr. Neilson G. P. Spigolon – Ft

Dr. Nivaldo Antônio Parizotto - Ft

2
Comissão de Ética e Deontologia da Terapia Ocupacional
E
Presidente X
P
Dra. Aline Rodrigues Bueno Momo - TO
E
Secretária D
I
Dra. Gabriela Cruz de Moraes - TO E
Vogais N
T
Dra. Osmari Virgínia M. Andrade – TO E
Dra. Maria Aparecida Zulian - TO

Departamento de Fiscalização - DEFIS

Coordenador

Dr. Neilson Spigolon – Ft

Membros

Dra. Aline Rodrigues Bueno Momo – TO

Dra. Osmari Virgínia M. Andrade - TO

Comissão de Tomada de Contas - CTC

Presidente

Dr. Ismael Fernando de C. Fatarelli - Ft

Secretário

Dr. Augusto C. de Carvalho - Ft

Vogal

Dra. Normian de O. Loureiro - Ft


3
Conselheiros Efetivos
E
X
Prof. Dr. Gil Lúcio Almeida - Ft
P
E Dr. Mario César Guimarães Battisti - TO
D
I Dra. Amélia Pasqual Marques - Ft
E
N Dra. Regina Aparecida Rossetto – TO
T
E Dr. Augusto C. de Carvalho - Ft

Dra. Normian de O. Loureiro - Ft

Dra. Aline Rodrigues Bueno Momo – TO

Dr. Neilson G. P. Spigolon – Ft

Dr. Ismael Fernando de C. Fatarelli - Ft

Conselheiros Suplentes

Dra. Anice de Campos Pássaro - Ft

Dr. José Luis Pimentel do Rosário - Ft

Dr. Nivaldo Antônio Parizotto - Ft

Dr. Rinaldo Roberto de Jesus Guirro - Ft

Dr. Reginaldo Antolin Bonatti - Ft

Dra. Maria Aparecida Zulian - TO

Dra. Osmari Virgínia M. Andrade - TO

Dra. Gabriela Cruz de Moraes - TO

4
INTRODUÇÃO
I
N
T
A lei 6316/75 criou o Conselho Federal e os Conselhos
R
Regionais de Fisioterapia e Terapia Ocupacional, para juntos O
atuarem na fiscalização e regularização da atividade destes D
U
regionais. Esta lei federal criou instituições em que são
Ç
empenhados recursos materiais e humanos, a fim de garantir Ã
O
que a população usuária desses serviços seja beneficiada.

O CREFITO-3 é o Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia

Ocupacional da Terceira Região, que abrange todo o Estado de


São Paulo. Consiste em uma autarquia pública federal vinculada

ao Ministério do Trabalho. Tem como competência primeira

fiscalizar o exercício profissional, expedir a carteira e o cartão


de identificação profissional aos profissionais inscritos, cumprir

e fazer cumprir as leis, resoluções, decretos e normas, ser um

tribunal regional de ética, estimular a valorização da profissão


e o bom prestígio dos profissionais de modo geral.

O CREFITO-3 disponibiliza informações sobre o andamento

gerencial e político nos seus veículos de comunicação (revista


e site). A via eletrônica também permite acesso aos

requerimentos, instruções e legislação relacionada aos serviços

de secretaria e de outros departamentos. Esta facilidade esta


à disposição na área restrita de cada profissional no site. Para

o acesso é necessário ter uma senha. Solicite a sua pelo e-mail

senha@crefito3.org.br.

5
I INSCRIÇÃO
N
S
A inscrição no CREFITO-3 deverá ser solicitada pelos
C
R fisioterapeutas e terapeutas ocupacionais após colação de grau
I da graduação e antes de iniciar suas atividades profissionais
Ç
à no Estado de São Paulo.
O A inscrição pode ser solicitada de duas formas: Licença

Temporária de Trabalho (LTT) e Inscrição Definitiva.

1- Licença Temporária de Trabalho

A LTT é uma inscrição que habilita o profissional para atuar

no período em que ainda não possui o diploma. Para obter a


LTT é necessário ter o certificado de conclusão de curso

constando data de colação de grau e a seguinte documentação:

• Requerimento de Licença Temporária de Trabalho;

• 4 fotos 3x4 iguais e recentes;

• Certificado de conclusão, constando dia, mês e ano

de colação de grau (cópia autenticada);

• Certidão de nascimento (cópia autenticada);

• Certidão de casamento, com desquite averbado,

quando for o caso (cópia autenticada);

• Carteira de identidade (cópia autenticada);

• Título de eleitor (cópia autenticada);

• Comprovante de votação da última eleição (cópia

autenticada);

6
• CPF (cópia autenticada); I
• Certificado de reservista( cópia autenticada); N
S
• Comprovante de pagamento do emolumento de
C
inscrição, licença e anuidade, a ser emitido pelo R
I
CREFITO-3, após o recebimento da documentação
Ç
acima. Ã
O

Após processamento dos documentos, a LTT será expedida

e terá validade de um ano. Antes do vencimento o profissional

deverá entrar em contato com o CREFITO-3 para regularizar


sua situação de habilitação. A atuação com LTT vencida

caracteriza exercício ilegal da profissão.

O porte da LTT é obrigatório para atividade profissional.

2- Inscrição Definitiva:
A inscrição definitiva é a habilitação permanente do

fisioterapeuta e terapeuta ocupacional. Para solicitá-la é

necessário que o profissional tenha seu diploma original e a


seguinte documentação:

• Diploma original e cópia simples;

• Requerimento para inscrição definitiva;

7
I • Cópias autenticadas dos seguintes documentos (que já
N podem ter sido entregues na inscrição de LTT):
S
ƒ Certidão de nascimento;
C
R ƒ Certidão de casamento;
I
ƒ Carteira de identidade;
Ç
à ƒ Título de eleitor;
O ƒ Comprovante de votação da última eleição;

ƒ CPF;

ƒ Certificado de Reservista;

• Comprovante de pagamento do emolumento de inscrição,

carteira, cédula e anuidade, a ser emitido pelo CREFITO-3,

após o recebimento da documentação acima.

Após recebimento da documentação, o diploma será enviado


ao Conselho Federal de Fisioterapia e Terapia Ocupacional -

COFFITO para registrá-lo e obter o número de inscrição definitiva.

A fase seguinte consiste na emissão da carteira e a cédula de


identidade profissional pelo CREFITO-3.

A cédula de identidade é um documento de validade em todo

território nacional e que substitui os documentos de registro


geral (RG), cadastro de pessoa física (CPF) e título eleitoral. O

porte é obrigatório para o exercício profissional e será exigido

durante ato fiscal.


A carteira de identidade profissional é um livreto onde deverão

constar todos os registros sobre a vida profissional.

8
OBRIGAÇÕES PECUNIARIAS O
B
R
O registro no CREFITO-3 gera taxas e emolumentos. As taxas I
são referentes ao pagamento da anuidade, emissão da carteira e G
A
cédula de identidade profissional e outros serviços. Os
Ç
emolumentos são os pagamentos efetuados para aquisição de Õ
inscrição e certidões. Os valores das taxas e emolumentos são
E
S
determinados anualmente pelo COFFITO e publicados no Diário
Oficial da União, e são respeitados por todos os CREFITOS. P
E
O pagamento das taxas e emolumentos é explicado pela
C
característica de funcionamento e razão de existência do U
CREFITO-3 (autarquia). N
I
O pagamento da anuidade é obrigatório e necessário para o A
funcionamento do sistema COFFITO - CREFITO-3, que deverá R
I
ser paga até o dia 31 de março de cada ano, exceto a primeira
A
que deverá ser paga no ato da inscrição. S

BAIXA:

A baixa da inscrição interrompe o vínculo com o CREFITO-3,


cessa a atividade profissional e determina a interrupção de

cobrança de anuidade dos anos subseqüentes.

A baixa pode ocorrer, por determinação do CREFITO-3, como


resultado de processo administrativo-fiscal, processo ético,

transferência para outro CREFITO, óbito ou encerramento

voluntário.

9
O Para requerer a baixa é necessário a seguinte documentação:
B
• Requerimento de baixa da inscrição;
R
I • Original da Licença Temporária de Trabalho (quando for baixa
G da inscrição de licença temporária);
A
Ç • Originais do diploma, carteira e cédula de identidade

Õ profissional(quando for baixa de inscrição definitiva);


E
• Comprovante de inatividade como: cópia autenticada da carteira
S
de trabalho e/ou declaração assinada por dois colegas de
P profissão, inscritos no CREFITO-3 e quites com o mesmo, que
E
conste a data desde que o profissional não está mais em atuação
C
U e até a presente data.
N
Observação: O profissional que solicita a baixa deverá ter todas as
I
A obrigações pecuniárias quitadas.
R
I
A
S
TRANSFERÊNCIA:

A transferência ocorre quando o profissional muda sua área de


atuação da jurisdição de um CREFITO para outro.

Inicialmente o profissional deverá solicitar inscrição no CREFITO

de destino, este requerimento inicia a comunicação entre os


CREFITOS envolvidos que trocarão informações cadastrais e

financeiras, até o término do processo que deverá ser a

transferência do prontuário de uma jurisdição (origem) para outra


(destino).

10
A transferência requer a substituição dos documentos de O
habilitação profissional e transferência de dívidas caso elas
B
R
existam. I
G
A
Ç
Documentação necessária (para CREFITO de destino): Õ
• Requerimento de Transferência de outros regionais;
E
S
• Originais do diploma e cópia autenticada;

• carteira e cédula de identidade profissional; P


E
• 2 fotos 3x4 recentes;
C
• 1 cópia autenticada do RG, CPF, título de eleitor (caso U
tenha alterado alguns desses documentos). N
I
Observação: É possível realizar a transferência de licença
A
temporária – LTT. R
I
A
S

Se o profissional necessitar atuar em duas jurisdições, que


pode ocorrer nas fronteiras de Estados, o fisioterapeuta ou

terapeuta ocupacional é obrigado a inscrever-se na segunda.

A atuação em outra jurisdição, pode ser autorizada por 90


dias sem a inscrição local, para isso é necessário encaminhar

solicitação ao Presidente do CREFITO que se pretende atuar.

11
O APOSTILAMENTO:
B
R Quando há uma alteração no nome, advindo da mudança de
I seu estado civil, o apostilamento deverá ser solicitado para
G
alteração nos documentos de habilitação profissional.
A
Ç
Õ
E
São necessários os seguintes documentos:
S
• Requerimento de apostilamento (casamento ou
P separação);
E
C • Original do diploma;
U • Originais da carteira e cédula de identidade;
N
• 1 foto 3x4;
I
A • 1 cópia autenticada da certidão de casamento (com a
R averbação se for o caso de separação)
I
A • 1 cópia autenticada do RG, CPF, título de eleitor

S • Comprovante do pagamento de taxa ao CREFITO-3.

RECONHECIMENTO DE CERTIFICADOS, DIPLOMAS E TÍTULOS:

O COFFITO reconhecerá os Certificados obtidos em cursos de


especialização e aperfeiçoamento, mestrado, doutorado e livre

docência, desde que sejam outorgados por Instituição de Ensino

Superior ou Instituição Científica de Referência Nacional.

12
O COFFITO registrará o título. A seguir o CREFITO-3 fará a O
B
anotação na carteira de identidade profissional. R
I
G
A
Documentos necessários: Ç
• Requerimento de registro de certificados, diplomas e Õ
E
títulos;
S
• original do Certificado;

• cópia autenticada do Histórico escolar, Corpo docente


P
E
com titulação vinculada; C
• carteira de identidade profissional original. U
N
I
A
SEGUNDA VIA DE DOCUMENTO R
I
Toda documentação emitida pelo Conselho Regional poderá A
ter a segunda via expedida mediante solicitação e comprovação S
de necessidade que poderá ser Boletim de Ocorrência ou o

documento original danificado.

13
R REGISTRO DE EMPRESA
E
G
I Todo profissional que desejar abrir um consultório ou empresa
S deverá conhecer a legislação.
T
As empresas do Estado de São Paulo, que ofereçam serviços
R
O de Fisioterapia ou Terapia Ocupacional, têm a obrigação de serem

registradas junto ao CREFITO-3.


D
E

E
“É obrigatório o registro nos Conselhos
M
P Regionais das empresas cujas finalidades estejam
R ligadas à fisioterapia ou terapia ocupacional, na forma
E
estabelecida em regulamento” Lei 6.316/75 -
S
A Parágrafo único.

Esta obrigatoriedade aplica-se às empresas cuja finalidade


básica ou complementar esteja ligada à Fisioterapia ou Terapia

Ocupacional. Entre elas: consultórios, clínicas, hospitais,

entidades filantrópicas, órgãos públicos, prestadoras de serviços,


indústrias, comércio ou locação de equipamentos dessas áreas,

empresas que mantém locais de atendimento para seus

funcionários e dependentes.
É proibido ao profissional atuar em empresas que não

possuam registro junto ao CREFITO-3.

14
R
Resolução COFFITO nº10/78 – art. 8º E
“é proibido ao Fisioterapeuta e ou Terapeuta G
I
ocupacional.
S
XII -trabalhar em empresa não T
registrada no Conselho Regional de Fisioterapia e R
O
Terapia Ocupacional da região.”
D
E

E
REGISTRO DE CONSULTÓRIOS E CLÍNICAS M
P
R
O fisioterapeuta ou terapeuta ocupacional deverá escolher entre E
S
a abertura de um consultório ou empresa. Alguns fatores serão
A
determinantes para a definição do empreendimento:

1- O propósito operacional do local de trabalho,

especificamente à quantidade de atendimento


O consultório é estabelecido para atendimento exclusivo

da clientela do profissional, ou seja, o local poderá servir

a vários profissionais, porém não poderá ocorrer


atendimento simultâneo no mesmo espaço físico.

Caso a necessidade seja de atendimentos simultâneos,

com dois ou mais profissionais atendendo, o local deverá


ser destinado a instalação de empresa (pessoa jurídica).

15
R 2- Faturamento
E O consultório é utilizado por um profissional autônomo,
G
I que recolhe seus impostos e taxas do CREFITO-3. As taxas
S de consultório são de menor valor comparadas às de
T
empresa, assim como os impostos que incidem sobre a
R
O atividade autônoma, porém a atividade autônoma possui
limitadores quanto ao faturamento.
D
E O governo estabelece faixas de faturamento e suas

respectivas incidências de imposto de renda, sendo assim,


E
a partir de um valor, a atividade autônoma gera o
M
P recolhimento de impostos tão ou mais onerosos que uma
R empresa.
E
A escolha entre consultório ou empresa poderá ser
S
A orientada pelo CREFITO-3 (Secretaria de Registro de

Empresa) ou por profissionais especialistas, tais como,


economistas, contadores e advogados.

INCRIÇÃO DE EMPRESAS (PESSOA JURÍDICA) EM FASE DE

ABERTURA

A empresa (Pessoa Jurídica) deve ser constituída por meio de

instrumento de Contrato Social, o qual pode ser providenciado


por qualquer contador ou advogado, para todas as atividades

relacionadas à Fisioterapia e/ou Terapia Ocupacional.

16
Para o registro, observar os seguintes itens:
R
E
• Antes do registro em CARTÓRIO ou JUCESP, o Contrato G
I
Social constitutivo da empresa pode ser enviado ao CREFITO-3
S
em pelo menos 3 (três) exemplares originais de igual teor, T
devidamente assinado pelos sócios, testemunhas e vistado por
R
O
um advogado, para análise deste Regional (visto prévio

recomendado) juntamente com o formulário de Declaração de D


E
Responsabilidade Técnica (disponível no site www.crefito3.org.br).

E
Observação: M
P
No protocolo do contrato, serão emitidas taxas e emolumentos R
sobre o serviço de registro de empresa. E
S
Após o visto do CREFITO-3 no Contrato Social, o mesmo será
A
devolvido, mediante apresentação dos comprovantes de
pagamento dos emolumentos e taxas. Nesta fase será entregue

o requerimento de registro de empresa que será preenchido pelo

empresário e protocolado na secretaria do CREFITO-3 (prazo


45 dias).

Junto com o requerimento preenchido, deve ser anexado a

cópia dos documentos citados a seguir:

• Cópia autenticada do Contrato Social,


devidamente registrado em Cartório ou na Junta

Comercial (JUCESP);

17
R • Cópia do comprovante de inscrição no CNPJ/
E MF (pode ser a certidão emitida via internet).
G
I
S Observações:
T
É importante citar quais as áreas (especialidades)
R
O de atendimento na Fisioterapia e/ou Terapia
Ocupacional no formulário fornecido pelo
D
Crefito-3.
E
É imprescindível acrescentar na qualificação dos sócios
E Fisioterapeutas e/ou Terapeutas Ocupacionais, o
M
P seu respectivo número de CREFITO.
R
E
S
A
EMPRESA (PESSOA JURÍDICA) EM ATIVIDADE

Para Empresas que já atuam em outro ramo, ou seja, já

existem juridicamente e estão incluindo as atividades de


Fisioterapia ou Terapia Ocupacional, os responsáveis legais

deverão solicitar a inscrição por meio do envio do requerimento,

da declaração de responsabilidade técnica disponíveis no site


www.crefito3.org.br e os seguintes documentos:

18
• Original dos formulários de registro devidamente preenchidos e R
assinados;
E
G
• Cópia autenticada do instrumento de Contrato Social, I
devidamente registrado em Cartório ou na Junta Comercial S
T
(JUCESP);
R
• Cópia autenticada das Alterações Contratuais que houverem, O
devidamente registradas em Cartório ou na Junta Comercial
D
(JUCESP); E
• Cópia autenticada do cartão de inscrição no CNPJ (Ministério da
E
Fazenda).
M
P
R
E
S
CONSULTÓRIOS (PROFISSIONAIS AUTÔNOMOS) A

Os formulários para inscrição de consultório encontra-se

disponível no site www.crefito3.org.br, e a documentação

necessária é:

• Original dos formulários de registro (requerimento e declaração

de responsabilidade técnica), devidamente preenchidos e

assinados;

• Cópia autenticada do comprovante de inscrição no ISS (Imposto

Sobre Serviços) e o comprovante de recolhimento;

19
R • Cópia autenticada do alvará ou inscrição municipal, expedido
E pela prefeitura local, em nome do profissional (na Capital, pode
G
I ser o Cadastro de Contribuinte Mobiliário - CCM);

S • Cópia do comprovante de recolhimento da taxa de Certificado


T
de Registro.
R
O • Cópia autenticada do comprovante de inscrição junto ao INSS

(Previdência Social) e o recolhimento.


D
o Obs.: No caso da Contribuição do INSS do profissional
E
que trabalhar em outro local com registro em carteira,
E
poderá ser cópia do Holerith, ou outro documento que
M
P comprove o recolhimento deste tributo.
R
E
S
A
ÓRGÃOS PÚBLICOS E AUTARQUIAS

Os formulários para inscrição de órgão público encontra-se


disponível no site: www.crefito3.org.br, e a documentação

necessária é:

• Original dos formulários de registro (requerimento e declaração

de responsabilidade técnica), devidamente preenchidos e

assinados;

• Cópia autenticada da lei que instituiu o órgão, departamento

ou autarquia. Caso contrário, emitir uma declaração assinada

20
pelo responsável do órgão (Prefeito, Secretário Municipal, etc.), R
E
citando a data em que o setor foi criado e a finalidade.
G
• Cópia autenticada do cartão de inscrição no CNPJ (Ministério da I
fazenda). S
T
R
O

D
OUTROS REGISTROS E

E
1- Entidades filantrópicas (Apae’s, Santa Casa,
M
Associações sem fins lucrativos) P
R
2- Indústria, comércio ou arrendamento de produtos
E
relacionados à área (Fabricação, comercialização S
e aluguel de equipamentos) A
3- Empresas que mantém ambulatório para

funcionários ou associados (Metalúrgicas, Bancos,


Escritórios, Firmas de Grande Porte, Hotéis, Spas,

Clubes de Campo, Clubes Desportivos, etc.)

4- Clínicas de faculdades e universidades (Clínica-


Escola)

Os requerimentos para inscrição dos estabelecimentos descritos

encontram-se disponíveis no site www.crefito3.org.br, e a


documentação necessária é:

21
R • Original dos formulários de registro (requerimento respectivo e
E
G declaração de responsabilidade técnica), devidamente
I preenchidos e assinados;
S
• Cópia autenticada do Estatuto Social, Ata de assembléia,
T
R Regimento Interno, Contrato Social e Alterações posteriores ou
O outro documento hábil que criou a entidade ou empresa,

D devidamente registrado em Cartório ou Jucesp;


E • Cópia autenticada do cartão de inscrição no CNPJ (Ministério da

Fazenda.);
E
M • No caso de entidade filantrópica, anexar cópia autenticada do
P Certificado de Entidade Beneficente de Assistência Social (CNAS)
R
E ou da Lei que declarou a Entidade de Utilidade Pública;

S • No caso de entidade filantrópica, anexar cópia autenticada do


A
comprovante de entrega da isenção do Imposto de Renda.

22
VALORIZAÇÃO DA FISIOTERAPIA E DA V
TERAPIA OCUPACIONAL
A
L
O
R
I
1 - Tenha uma atitude ética com seus colegas frente aos
Z
pacientes e a sociedade. A
Ç
Ã
2 - Considere seu concorrente direto como um estímulo O
para você crescer e não um inimigo a vencer.
D
A
3 - Invista na profissão, em tecnologias, no aprimoramento

do conhecimento, no paciente e na gestão do seu P


R
negócio.
O
F
I
4 - Participe efetivamente das entidades representativa de
S
classe. S
Ã
O
5 - Sempre que solicitado, exerça conscientemente o

direito do voto dentro de nossas entidades de classe.

6 - Não aceite jamais honorários aviltantes, responsável

técnico que não seja Fisioterapeuta ou Terapeuta

Ocupacional ou qualquer situação que concorra para o


desprestígio das profissões.

23
V
A
L
7 - Em ano eleitoral prestigie os candidatos que estão
O
R verdadeiramente comprometidos com a classe de
I Fisioterapeuta e Terapeuta Ocupacional.
Z
A
Ç 8 - Denuncie aos órgãos competentes atos que vão contra
Ã
as normativas profissionais.
O

D 9 - Façamos todos um trabalho eficiente em nossa região e


A
sejamos modelo para todo país.

P
R
O
F
I
S
S
Ã
O

24
INFORMAÇÃO IMPORTANTES I
N
F
1. Jornada de trabalho: O
30 horas semanais - Lei 8.856/1994 R
M
A
2. Piso salarial: consulte o Sindicato Ç
Õ
E
3. Referências:
S
• Lei Federal nº 6316/75

• Lei Federal nº 6836/80


I
M
• Resolução COFFITO nº 08/78 P
• Resolução COFFITO nº 10/78 O
R
• Resolução COFFITO nº 186/99
T
• Resolução COFFITO nº 187/99 A
• Resolução COFFITO nº 37/84 N
T
• Resolução COFFITO nº 207/2000 E
• Resolução COFFITO Nº 208/2000 S

4. Endereço do CREFITO-3

Rua Cincinato Braga, 59 – 4º andar


Bela Vista - São Paulo - SP – CEP :01333-909

Telefone-(0xx11)-5591-2255

Site: http://www.crefito3.org.br

25
5. Endereço das SUBSEDES
I
N Campinas
F
O Rua Dos Alecrins, 940, Executive Center, salas 4 e 5 - Cambuí
R
M CEP: 13024-410
A
Ç Tel: (19) 3295-9361
Õ
E
E-mail: sscampinas@crefito3.org.br
S
Marília
I
M
Rua Bahia, 165, sala 31 - Centro - CEP: 17501-080
P
O
R Tel: (14) 3454-4827
T
A E-mail: ssmarilia@crefito3.org.br
N
T Presidente Prudente
E
S Av. Cel. José Soares Marcondes, 871, Edifício Empresarial Pres.
Prudente, 5º andar, sala 51 - Bosque - CEP: 19010-080

Tel: (18) 3916-6919 / 3903-0814

E-mail: ssprudente@crefito3.org.br

São José do Rio Preto

Rua Cel. Spinola de Castro, 3.360 - Cj. 81 - Centro - CEP: 15015-500

Tel: (17) 3212-9381

E-mail: sssjriopreto@crefito3.org.br
26
Santos
I
N
Av. Bernardino de Campos, 562, sala 108 - Bairro Pompéia
F
O
CEP: 11065-000
R
M
Fone: (13) 3225-7670
A
Ç
E-mail: ffissore@crefito3.org.br / msouza@crefito3.org.br Õ
E
São José dos Campos S

Av. Dr. Nelson Davilla, 389, salas 121A e 122A - Jd. Aparecida I
M
CEP: 12245-030 P
O
Fone: (12)39119022 R
T
E-mail: caguiar@crefito3.org.br / lbertho@crefito3.org.br A
N
Ribeirão Preto T
E
Rua Eliseu Guilherme, 1.205 - Jd. Europa S

CEP: 14020-190

Fone: (16) 3911-1274

E-mail: ssribeirao.preto@crefito3.org.br

27
6. Órgãos relevantes
I
N
F Observação: consulte o órgão responsável em seu município.
O
R
M PREVIDÊNCIA SOCIAL – INSS:
A 0800-78 01 91 – site www.inss.gov.br
Ç
Õ
E VIGILÂNCIA SANITÁRIA (SÃO PAULO):
S
(0xx11) 3066-8000 - site www.cvs.saude.sp.gov.br

I
M PREFEITURA DE SÃO PAULO:
P
site www.prefeitura.sp.gov.br
O
R
T Pra Servir - Praça de Serviços Rápidos (CCM/ISS)
A
N Vale do Anhangabaú, 206 (ao lado do Viaduto do Chá).
T De segunda a sexta-feira das 7h às 19h;
E
aos sábados das 9h às 13h.
S
Tels.: 3225-5429 / 3225-5430 / 3225-5431 / 3225-5432 /
3225-5433 / 3225-5434 / 3225-5435

SEBRAE: site www.sebrae.com.br

CARTÓRIO DE REGISTRO DE TÍTULOS E DOCUMENTOS:

(0xx11) 3242-3171 - site: www.3rtd.com.br

28
Projeto e desenvolvimento da cartilha P
R
O
J
Secretaria de Registro – Crefito- 3 E
T
O
Dra. Amélia Pasqual Marques

Diretora Secretária do CREFITO-3 D


A

Dr. André Luis Oliveira C


Assessor Técnico Administrativo A
R
T
Editoração eletrônica e revisão I
L
H
Francine Altheman - MTb 42.713 A
Assessora de Imprensa do Crefito - 3

Colaboradores

Dr. Neilson Spigolon G. P. Spigolon

Coordenador do Departamento de Fiscalização

Dr. André Hideo Ito

Assessor Técnico Administrativo do Depto. de Fiscalização

29
P
R
O
J
Dra. Marina Telma Ciappina Gallerani Seguro
E
T Fiscal
O

D Ailton Alves Ferreira


A Chefe da Secretaria de Registro de Empresa

C
A Dr. Wander de Oliveira Villalba
R Delegado Subsede Campinas
T
I
L Dr. Hildebrando de Barros Ribeiro
H
Delegado Subsede Campinas
A