Вы находитесь на странице: 1из 8

1

PROJETO AÇÃO SOCIAL INOVART

1.APRESENTAÇÃO

O presente projeto é uma ação social que será desenvolvida na Vila Cruzeiro-
localizada na zona norte do Rio de Janeiro / RJ, no dia 12 de Dezembro de 2010.Esta
ação atenderá crianças, em situação de risco ou não, trabalhando a cidadania e o
resgate da auto-estima através de atividades relacionadas à cultura e entretenimento
(lazer e arte). Visa demonstrar que a constituição de capital social e humano pode gerar
o desenvolvimento social e a emancipação em comunidades com histórico de violência
e risco. Acreditamos que esta ação se destina a aprimorar o gosto pela leitura, propagar
a cultura entre os habitantes da comunidade, e de certa forma aliar entretenimento e
arte por meio do Grafite, promovendo a possibilidade de uma futura profissão afastando
os beneficiados direta e indiretamente da criminalidade. O projeto se constitui de
oficinas de Grafite, Contadores de Histórias (leitura), Desenho Livre, Recreação e
intervalo para lanche.

2.TEMA

Nele as crianças irão interagir através de manifestações artísticas,


proporcionando o aumento do seu potencial, por meio do exercício da sensibilidade e
estimulando a criatividade; algo essencial para nossa sociedade contemporânea, pois
vivemos em um mundo de competitividade exacerbada, na qual é preciso estar sempre
buscando a diferenciação através de uma importante ferramenta, a inovação. Logo, o
nome do projeto: Inovart aplica-se ao elo existente entre os termos: inovar e arte,
promovendo a cultura e entretenimento, fortes aliados na luta contra a criminalidade e
violência, em nossas diversas comunidades que vem crescendo gradativamente
mediante a relativa ausência do Poder Público.
2

3.OBJETIVOS

3.1-GERAL

O projeto Ação Social Inovart caracteriza-se por ser temporário, tendo a duração
de um dia e é formado por crianças da comunidade. Ele busca basicamente tirar essas
crianças da situação de risco social, criando oportunidades para o desenvolvimento
pessoal, valorização da identidade, cidadania e auto-estima, ajudando também na
identificação de suas potencialidades.

3.2-ESPECÍFICO

Esse grupo, ou seja, conjunto de equipes está levando às crianças da Vila


Cruzeiro o contato com os livros, através da oficina de Contadores de Histórias, com o
entretenimento, subdividindo-se em: arte, através das oficinas de Grafite e Desenho
Livre; e lazer, por meio da Oficina de Recreação. De fato, é importante destacar que
esses conceitos estão interligados: cultura e entretenimento (lazer e arte) e juntos eles
direcionarão as crianças; retirando-as de uma vida ociosa e promovendo o resgate da
criatividade, colocando-as distantes do cenário violento que vivenciam.
Também se pretende incentivar e estimular o hábito da leitura, para que essas
crianças transformem-se em ávidos leitores e multiplicadores dessa ideia (cultura da
informação), tornando-os cidadãos esclarecidos e conscientes de seus direitos e
deveres.

4.JUSTIFICATIVA

Em um município marcado pela corrupção de policiais militares e pelos


constantes confrontos violentos sanguinários; e em uma comunidade carente de
recursos que sofre com a falta de investimentos principalmente na área da educação,
sem políticas públicas efetivas; faz-se necessário à implantação de projetos sociais
(ações sociais). A constante ocorrência de confrontos na região acarreta no fechamento
3

das escolas, tendo as aulas canceladas, prejudicando a população ali presente e


principalmente as crianças. Portanto, é preciso estimular o público infantil desde já,
para que através do entretenimento possam dar asas à imaginação, esquecendo por
um momento o cenário atual que vive e com o hábito da leitura, compreendam seus
direitos e deveres como cidadãos, podendo em um futuro próximo mudar essa cruel
realidade.

5.PÚBLICOS

O projeto atingirá as crianças na faixa etária de 3 a 12 anos, da Comunidade Vila


Cruzeiro, que freqüentam do pré-escolar à sexta série do ensino fundamental e estas
serão beneficiadas diretamente. Porém, como afetados indiretamente teremos os
habitantes da Comunidade e até mesmo de outras localidades que tenham vínculo
(contato) com essas crianças. Ex: familiares.

6.DINÂMICA

O Projeto Ação Social Inovart é um projeto temporário voltado para crianças que
ficará disponível no dia 12 de Dezembro em horário noturno para toda a comunidade,
pois será realizado em duas salas da Igreja Assembléia de Deus na Penha(Vila
Cruzeiro). Como ressaltado anteriormente, teremos diversas atividades realizadas
dentro de cada oficina:
• Oficina de Grafite: O professor ensinará a História e alguns ensinamentos
básicos da arte do Grafite para as crianças maiores de 6 anos,e um integrante
do grupo(Gabrielle Alves) auxiliará, disciplinando-as de modo a existir perfeita
harmonia. Para a execução utilizaremos recursos materiais, tais como: papel,
lápis e borracha.
• Oficina de Contadores de História (leitura): Serão disponibilizados livros, sendo
um para cada criança, promovendo a inclusão social e disseminando cultura. E
para exercício da oficina, a equipe (Gabrielle Alves e Daniel Izidro) contará
4

simultaneamente diversas histórias visando também dissipar cidadania e


criatividade (imaginação).
• Oficina de Desenho Livre: Com o auxílio da equipe (Bruna Dias e Carla Proença)
serão distribuídas folhas (papel ofício), lápis de cor e/ou giz de cera como
material necessário para a realização da oficina. Estes darão assistência no que
se refere ao processo do desenho como entretenimento, utilizando também o
recurso da música e da dança.
• Oficina de Recreação: Será realizada em horário diferenciado, não podendo ser
concomitante a Oficina de Contadores de Histórias, umas vez que a equipe será
formada pelos mesmos componentes. Faremos algumas brincadeiras visando o
bem-estar das crianças e potencializando a auto-estima de cada uma. E como
brinde distribuiremos brinquedos, sendo bambolês para as meninas maiores de
seis anos, pipas para os meninos também maiores de seis anos e bichos de
pelúcia /arcos e varinhas de Princesas/ brinquedos que produzem bolhas de
sabão para os menores, e é claro com perfeita atenção e disciplina para que não
ocorra algo prejudicial aos beneficiados e ao projeto.

As oficinas de Grafite e Contadores de História serão consecutivas e realizadas


na mesma sala (primeiro andar) com os maiores de 6 anos,enquanto em outra
sala(segundo andar) e em horário concomitante teremos a oficina de Desenho
Livre;depois partiremos para o intervalo do lanche,no qual reuniremos todos na sala do
primeiro andar e por último realizaremos a oficina de Recreação no mesmo local.
Além destas, teremos o intervalo para a distribuição de lanches (biscoito salgado
e guaraná natural) propiciando mais uma vez o bem-estar do nosso público alvo.
Concomitante a todas as atividades, a equipe de filmagem e documentação do projeto
(Victor Ferreira, Daniel Izidro e Fábio Honorato) estará em pleno exercício de trabalho.

7.RECURSOS MATERIAIS E HUMANOS

Serão utilizados, como recursos materiais: a sala da igreja com carteiras;


brinquedos, sendo bambolês para as meninas, pipas para os meninos e recipientes que
5

reproduzem bolhas de sabão / bichos de pelúcia / arcos e varinhas de Princesas para


as crianças que estão na faixa etária de 3 a 6 anos;material para Grafite (papel,lápis e
borracha);lanche infantil (biscoito salgado e guaraná natural) e individual;folhas (papel
ofício) e lápis de cor e / ou giz de cera;e livros infantis. Tudo será adquirido com o
objetivo de atender as 50 crianças que vivenciarão o projeto.
Por outro lado, como recursos humanos: um professor de Grafite, uma equipe de
recreação (Bruna Dias, Carla e Gabrielle Alves), uma equipe de leitura (Gabrielle Alves
e Daniel Izidro), uma equipe de desenho livre (Bruna Dias e Carla Proença), e outra de
filmagem e documentação da ação (Victor Ferreira, Daniel Izidro e Fábio Honorato).

8.DIVULGAÇÃO

A abordagem será direta, feita ativamente com as crianças que participam de


atividades do Ministério de uma igreja localizada na Vila Cruzeiro. Portanto, será uma
divulgação específica, com um grupo certo de 50(cinqüenta) crianças, e também
utilizaremos alguns elementos de promoção e merchandising, tais como: banners e
cartazes; excluindo o uso de flyers, caracterizando-se como uma ação social limpa, livre
do uso excessivo de papéis e de qualquer material que agrida a natureza.

9.CRONOGRAMA

Projeto Ação Social Inovart


Data: 12/12/2010
Atividades Horário Local
Oficina de Grafite 18 h 30 às 19 h 30 Sala da igreja (1ºandar)
Oficina de Contadores de 19 h 30 às 20 h 30 Sala da igreja (1ºandar)
Histórias
Oficina de Desenho Livre 19 h 30 às 20h30 Sala da igreja (2ºandar)
Intervalo para lanche 20 h 30 às 21 h Sala da igreja (1ºandar)
Oficina de Recreação 21 h às 21 h 30 Sala da igreja (1ºandar)
6

10.RESULTADOS ESPERADOS

Espera-se que os objetivos (geral e específico) sejam alcançados por meio de


nossa efetiva dinâmica, com a formação de capital social e humano. E que se propague
à cultura da informação bem como a criatividade em todas as etapas do projeto.

ANEXOS:

“O ANTES “.

Penha - Vila Cruzeiro


Na foto vemos as primeiras casas da Vila Cruzeiro, em terreno que pertencia à Irmandade da Igreja da
Penha, e que foi doado à prefeitura para construção de um cemitério, mas que não foi levado adiante.
Foto do acervo do Santuário da Penha.

“E DEPOIS”
7

Helicóptero da PM sobrevoa o Complexo do Alemão, onde está a Vila Cruzeiro; segundo os moradores,
conflitos no local são normais, mas o atual confronto chamou a atenção depois que um helicóptero
semelhante foi abatido por bandidos.
Vila Cruzeiro

A Vila Cruzeiro é uma favela localizada no bairro da Penha, na cidade do Rio de


Janeiro.

História

Essa favela surgiu no século 19 e os primeiros moradores eram escravos fugidos


que ficavam no local sob a proteção de um padre abolicionista da Igreja da Penha. Até
hoje as terras onde fica a favela são de propriedade da Igreja.
Hoje, o predomínio dos afro-descendentes está presente em toda parte: no
samba, no futebol e até nos salões de beleza. Apesar da falta de informações mais
precisas, pode-se estimar que boa parte dos 70 mil residentes de Vila Cruzeiro e
Parque Proletário (segundo estimava da associação de moradores) sejam negros.
“Em finais do século 19, um certo padre Ricardo, republicano e abolicionista,
capelão da irmandade da Penha, costumava abrigar em sua casa escravos fugidos das
redondezas. O lugar terminou conhecido como Quilombo da Penha”, diz Alberto
Barbosa (editor e fundador do jornal A voz da Penha).
Alberto conta ainda que expressões da cultura negra sempre foram fortes na
Penha e em suas comunidades. “A capoeira continua sendo tradicional desde o século
19 até hoje. E um dos grupos mais fortes de Folia de Reis na cidade, que saía nos anos
50, era daqui da região, entre Vila Cruzeiro e Merindiba.
Outro fator que demonstra uma expressão da cultura negra na comunidade é a
escola mirim Petizes da Penha.
Uma outra coisa que caracteriza a Vila Cruzeiro é o Campo do Ordem e
Progresso, um campo de futebol que é umas das formas de lazer do local. Esse campo
foi criado por volta dos anos 50 pelo um morador antigo célebre chamado Sebastião
Benedito. No Campo do Ordem e Progresso que surgiu o conhecido jogador de futebol
Adriano Leite Ribeiro. Adriano até hoje frequenta a comunidade onde nasceu, cresceu e
tem muitos amigos.
8

No campo Ordem e Progresso situava o espaço Criança Esperança, com o fim, o


projeto foi substituído pelo projeto IBISS.

Vila Cruzeiro na atualidade

Atualmente, a Vila Cruzeiro é vista como um local perigoso, porém os moradores


e lideranças comunitárias estão se organizando para revigorar o "espírito cultural" do
local, marcado por episódios como o assassinato do jornalista Tim Lopes, da Rede
Globo.