Вы находитесь на странице: 1из 82

Relatório de Sustentabilidade – Brasil 2008/2009

Brasil 2008/2009
Relatório de Sustentabilidade
Sumário
Nosso Credo.................................................................................................................................................... 04
Apresentação................................................................................................................................................... 05
Mensagem da Presidência............................................................................................................................. 06
Panorama J&J................................................................................................................................................. 08
Sustentabilidade na J&J................................................................................................................................. 16
Valor nos Relacionamentos........................................................................................................................... 20
Trabalho na J&J.............................................................................................................................................. 30
Relações com a Comunidade........................................................................................................................ 42
Meio Ambiente............................................................................................................................................... 50
Práticas Responsáveis.................................................................................................................................... 70
Perspectivas & Compromissos..................................................................................................................... 78
Processo de Relato.......................................................................................................................................... 80
Índice Remissivo GRI.................................................................................................................................... 82
Informações corporativas ............................................................................................................................ 83

Relatório de sustentabilidade 3
Nosso Credo

Cremos que nossa primeira responsabilidade é para com os médicos, enfermeiras e pacientes,
para com as mães, pais e todos os demais que usam nossos produtos e serviços. Para atender
suas necessidades, tudo o que fizemos deve ser de alta qualidade. Devemos constantemente
nos esforçar para reduzir nossos custos, a fim de manter preços razoáveis.Os pedidos de nossos
clientes devem ser pronta e corretamente atendidos. Nossos fornecedores e distribuidores devem
ter a oportunidade de auferir um lucro justo.

Somos responsáveis para com nossos empregados, homens e mulheres que conosco trabalham
em todo o mundo. Cada um deve ser considerado em sua individualidade. Devemos respeitar
sua dignidade e reconhecer seus méritos. Eles devem sentir-se seguros em seus empregos.
A remuneração deve ser justa e adequada e o ambiente de trabalho limpo, ordenado e
seguro. Devemos ter em mente maneiras de ajudar nossos empregados a atender às suas
responsabilidades familiares. Os empregados devem sentir-se livres para fazer sugestões e
reclamações. Deve haver igual oportunidade de emprego, desenvolvimento e progresso para os
qualificados. Devemos ter uma administração competente e suas ações devem ser justas e éticas.

Somos responsáveis perante as comunidades nas quais vivemos e trabalhamos, bem como
perante a comunidade mundial. Devemos ser bons cidadãos – apoiar boas obras sociais e de
caridade e arcar com a nossa justa parcela de impostos.Devemos encorajar o desenvolvimento do
civismo e a melhoria da saúde e da educação. Devemos manter em boa ordem as propriedades
que temos o privilégio de usar, protegendo o meio ambiente e os recursos naturais.

Nossa responsabilidade final é para com os acionistas. Os negócios devem proporcionar


lucros adequados. Devemos experimentar novas ideias. Pesquisas devem ser levadas avante,
programas inovadores desenvolvidos e os erros reparados. Novos equipamentos devem ser
adquiridos, novas fábricas construídas e novos produtos lançados. Reservas devem ser criadas
para enfrentar tempos adversos. Ao operarmos de acordo com esses princípios, os acionistas
devem receber justa recompensa.

4 johnson & johnson 2009


Apresentação

Apresentação
Adams Estes Plorem Atium

A
Johnson & Johnson do Brasil apresenta neste primeiro relato
publicado no País, a análise das atividades da empresa sob a ótica
da sustentabilidade. Este é também o primeiro relatório de uma
unidade local a ser publicado no mundo

2.1

3.1

3.2

3.3

3.5

3.8

A elaboração deste relatório segue a metodologia da Global Reporting Initiative (GRI). Com periodicidade bienal, a
coleta de indicadores cobre as operações industriais e administrativas da empresa no Brasil, em suas três divisões – a
farmacêutica Janssen-Cilag, a Johnson & Johnson Medical Brasil e a Johnson & Johnson Produtos de Consumo –, nos
períodos de 2008 e 2009.
Os indicadores foram escolhidos em oficinas internas que identificaram temas relevantes para os negócios e para
as atividades industriais do setor. A construção do conteúdo teve ainda como base o conjunto de valores expressos
no documento Nosso Credo (transcrito na íntegra, no início do relatório), e que serve como diretriz para todos os
processos de tomada de decisão e para as atividades da empresa no mundo, desde 1943.
Com foco no processo de aprendizado de forma tão relevante quanto no produto final, o relatório vem promover a
reflexão sobre os diferentes aspectos da gestão dos negócios, assim como dos relacionamentos e impactos das operações
e produtos da empresa nos seus diversos públicos, em sua cadeia de valor.
Para facilitar a leitura, os indicadores, distribuídos ao longo do relatório, estão indicados graficamente nas bordas
das páginas referentes. Adicionalmente, o índice remissivo GRI, apresentado na página 82, informa a localização das
respostas nos textos.

Boa leitura.

Relatório de sustentabilidade 5
5
M ensagem da P resid ê ncia

Compromisso com a saúde


e com a sustentabilidade

A
pesar do notável avanço na qualidade de encontro dos valores da Johnson & Johnson. Elas trazem a
vida da população mundial nos últimos 50 oportunidade de relermos a carta de princípios sob uma nova
anos, a desigualdade social, que persiste, e a perspectiva e garantirmos que os pilares econômico, social e
crescente degradação ambiental são sinais claros de que ainda ambiental influenciem cada tomada de decisão na empresa.
estamos distantes da sociedade sustentável que almejamos. Trata-se de uma diretriz global, mas com compromissos e
Os reflexos desse quadro na saúde e no bem-estar das pessoas atuação locais, de acordo com a realidade do País.
são muitos: dietas alimentares pobres, que debilitam o sistema No Brasil, os dois últimos anos foram de importantes
imunológico; uma rede de diagnósticos precária; dificuldade avanços, especialmente para a compreensão do tema e
de acesso a medicamentos e tratamentos; diminuição da do papel da empresa nesse contexto. A incorporação da
disponibilidade de água potável; e aumento dos níveis de sustentabilidade marca uma evolução dos compromissos que
poluição atmosférica, entre outros. sempre tivemos e já mostra resultados efetivos, reunidos nesta
Como fabricante global de produtos de saúde e bem- publicação. Para apresentá-los de forma consistente, o relato
estar, presente em 57 países de cinco continentes, a Johnson & segue o padrão Global Reporting Initiative (GRI), o mesmo
Johnson assume um papel fundamental no desafio de oferecer utilizado pela matriz, e seu conteúdo acompanha a estrutura
melhores condições de saúde para todos. No Brasil, assim do Nosso Credo. Como primeiro relatório de sustentabilidade
1.1 como em outros países em desenvolvimento, o desafio se torna publicado por uma empresa local do grupo Johnson &
ainda maior pela carência de investimentos no setor e pelo Johnson, mais do que uma compilação de resultados, sua
1.2 grande número de pessoas vivendo em condições de pobreza. produção consistiu em um rico processo de aprendizado, com
Para enfrentar esse cenário e desenvolver produtos e serviços análises e diagnóstico internos.
que atendam da melhor forma às necessidades da sociedade, Impactos e oportunidades – Ao incorporamos
procuramos estabelecer diálogos sistemáticos com clientes, os conceitos de desenvolvimento sustentável na gestão da
fornecedores, profissionais de saúde e governos, entre outros empresa, identificamos grandes oportunidades, como a
públicos que fazem parte de nosso dia a dia. ampliação do diálogo e do engajamento de nossos principais
A publicação do primeiro Relatório de Sustentabilidade públicos de relacionamento: clientes (profissionais de
da Johnson & Johnson do Brasil marca a consolidação saúde e consumidores finais), funcionários, fornecedores,
desses esforços. Ao mesmo tempo, mostra que os valores revendedores, comunidade local e sociedade como um
que guiaram nossa atuação até aqui nunca foram tão atuais. todo. A natureza industrial do negócio motiva, ainda, uma
Desde 1943, o modelo de gestão de toda a empresa segue os atenção especial ao meio ambiente, com foco na redução dos
princípios descritos no Nosso Credo, um documento que impactos e preservação dos recursos naturais. Fundamentais
assume, como principal responsabilidade, o cuidado com os para o negócio, todos os temas são contemplados em nossas
consumidores, funcionários, comunidade e meio ambiente. estratégias de sustentabilidade, por meio de projetos e
Foi comprometida com o atendimento às necessidades programas específicos e com visão de longo prazo.
de cada público que a Johnson & Johnson cresceu e se Com o objetivo de contribuir para um mundo mais
consolidou como a maior e mais diversificada empresa de saudável, determinamos cinco frentes de atuação: pesquisa e
saúde do mundo. A visão de promover o bem-estar das desenvolvimento de medicamentos e de dispositivos médico-
pessoas todos os dias, desde a infância até a maturidade, diagnósticos para atender às necessidades dos pacientes e de
alimenta a constante busca pela inovação, tanto em produtos produtos que promovam bem-estar; ampliação do acesso
de higiene e beleza quanto em diagnósticos e tratamentos a produtos de saúde; melhoria contínua em qualidade e
de doenças de alta complexidade. No negócio, o conceito de segurança de produtos e processos; máximo rigor ético na
saúde traduz-se na atuação ética e nas práticas de cidadania, conduta dos negócios; gestão dos impactos ambientais. Todas
também previstas no Nosso Credo. as frentes são intensamente trabalhadas também no Brasil,
Por tudo isso, as recentes tendências corporativas, com destaque para a ampliação do acesso, tema sensível em
trazidas pelo movimento da sustentabilidade, vão ao países em desenvolvimento, que tem sido alvo de grandes

6 johnson & johnson 2009


investimentos da empresa. Entre as particularidades da Segurança nos negócios – Além das ações
unidade brasileira, destaca-se o trabalho intenso em educação socioambientais, o desempenho econômico no País é também
e disseminação de conhecimento em diferentes áreas da um destaque. Com infraestrutura moderna, eficiência nas
saúde, voltado a órgãos públicos, clínicas e hospitais públicos e operações e boa performance financeira, a unidade brasileira
privados, profissionais e consumidor final. é reconhecida pela matriz e tem recebido investimentos
Principais destaques – As conquistas da Johnson estratégicos. Entre eles, estão a estruturação de novas
& Johnson do Brasil no biênio 2008/2009 reafirmam nosso linhas de produção, a construção do Johnson & Johnson
compromisso nas três dimensões da sustentabilidade. No Medical Innovation Institute, um centro tecnológico de
período, fortalecemos a gestão do investimento social treinamento, e a criação de um departamento exclusivo para o
privado, por meio da atuação do Comitê de Contribuições desenvolvimento de embalagens, com atuação internacional.
do Brasil (criado em 2004) e, para garantir a integridade A realocação de recursos e a priorização de investimentos
do negócio, consolidamos o Programa Internacional de são processos contínuos e fazem parte do alinhamento com a
boas práticas no segmento da saúde (HCBI – Health Care estruturação global, visando ao futuro e à sustentabilidade da
Business Integrity), que garante a transparência em todas as organização, sempre contemplando o potencial de crescimento
esferas de relacionamento comercial. Na dimensão ambiental, da companhia no Brasil. Em 2009, o processo de estruturação
inauguramos o Prédio de Utilidades no parque industrial, global foi  acelerado pela crise econômica mundial, com
que segue conceitos de construção sustentável e concentra o anúncio de uma redução do quadro de funcionários da
o abastecimento de insumos de todas as fábricas, reduzindo empresa em todo mundo. A iniciativa teve baixa repercussão
o consumo total, os custos e as emissões de gases estufa. no Brasil, e os indivíduos diretamente afetados pelo processo
Também investimos fortemente na gestão de resíduos e no receberam apoio da empresa por meio de programas de
desenvolvimento de produtos de menor impacto ambiental. recolocação e compensação adicional. De maneira geral, as
Merecem destaque, ainda, dois grandes programas divisões do grupo, no Brasil, reagiram positivamente aos
globais implantados no País, que unem os compromissos em desafios do cenário macroeconômico mundial,  reinvestindo
saúde e em sustentabilidade. Em 2007, foi lançado o Healthy recursos internos em projetos que geram valor agregado para
Planet 2010 (Planeta Saudável), programa que estabelece nossos clientes, fortalecendo nossas operações comerciais e em
metas globais, não financeiras, a serem atingidas até 2010 com pesquisa & inovação.
o objetivo de reduzir o impacto das atividades industriais. Com base no aprendizado acumulado até aqui e nas
Com desempenho exemplar, as fábricas brasileiras têm projeções futuras, a Johnson & Johnson do Brasil reafirma
cumprido as metas parcialmente e até superado algumas delas. suas responsabilidades, previstas no Nosso Credo, e
Já com foco em pessoas, o Global Health 2012 (Saúde Global) reconhece que ainda há um longo caminho a percorrer.
estabelece metas para melhorar as condições de saúde dos O relatório marca a ênfase nesse processo, que deve ser
funcionários da empresa, com base em recomendações da constantemente atualizado, de acordo com cada novo desafio
Organização Mundial de Saúde. Apesar dos bons resultados, e oportunidade identificados. Dessa forma, cumprimos o
o programa ainda apresenta importantes desafios em sua compromisso de promover saúde e bem-estar e de cuidar de
implantação e é um dos focos prioritários da agenda de 2010. todos, um a cada vez. Para nós, isso é sustentabilidade.

Suzan Rivetti José Roberto Ferraz Regina Navarro,


Diretora Presidente da J&J Diretor Presidente da Diretora Presidente da
Produtos de Consumo Janssen-Cilag Farmacêutica J&J Medical Brasil

Relatório de sustentabilidade 7
Com investimento de R$ 4,5 milhões, o Prédio de Utilidades reduz o consumo de água, de energia e de
ar comprimido nas 11 fábricas do parque industrial

Destaques Johnson & Johnson do Brasil


Sociedade

• Gestão de investimento social privado por meio da atuação do Comitê de Contribuições do Brasil.

• Participação na pesquisa Sustentabilidade Global: Comparações Internacionais, para


compreender a percepção do consumidor, incluindo critérios socioambientais relevantes para os
países em desenvolvimento.

• Projeto Lean, que aplicou métodos industriais, baseados no aperfeiçoamento de processos para
aumentar a produtividade, em dois hospitais da rede São Camilo e no hospital São Luiz, em São Paulo.

• Lançamento do Prezista, em 2008, um potente medicamento para o combate do HIV/Aids, por


agir contra os vírus que já se tornaram resistentes a outros agentes antirretrovirais da mesma
classe. Foi utilizado, em 2009, por cerca de 4 mil pacientes.

Negócios

• Consolidação do Programa Internacional de boas práticas no segmento da saúde (HCBI – Health


Care Business Integrity).

•D
 esenvolvimento de produtos e de capacitação que permitem procedimentos cirúrgicos menos
invasivos, adequados às necessidades de áreas remotas e carentes no País.

• Reestruturação da inteligência de vendas no mercado de Consumo para atender melhor as


diferentes regiões do País e reduzir custos de logística e impactos ambientais.

 riação de um novo departamento que atua nos órgãos públicos e planos de saúde privados para
•C
ampliar o acesso da população aos medicamentos. Como resultado dos esforços do grupo, já está
disponível gratuitamente em todo o território nacional um medicamento para Alzheimer, além de
dois medicamentos para esquizofrenia, no estado de São Paulo.

Meio ambiente

• Inauguração do Prédio de Utilidades, que utiliza conceitos de construção sustentável e concentra


o abastecimento de vapor e ar comprimido do parque industrial, reduzindo custos e emissões.

 esenvolvimento de produtos e processos de menor impacto ambiental, como a escova de


•D
dente Reach Eco, o novo cartucho do Band-Aid e o STERRAD, esterilizador de artigos médicos
hospitalares que reduz o consumo de água e de energia.

8 johnson & johnson 2009


Pa n o r a m a

Uma empresa de saúde

M
arcada pela diversidade de seus produtos, a Johnson & Johnson tem
uma trajetória focada na promoção da saúde e do bem-estar. Investe
fortemente em pesquisa e tecnologia com a missão de crescer por
meio da satisfação do consumidor, cuidando das pessoas, todos os dias

A Johnson & Johnson é a maior e mais diversificada Para atuar com eficiência em todos os segmentos,
empresa do mundo no segmento de saúde e bem-estar. a empresa mantém uma gestão descentralizada, que
Fabrica e comercializa produtos farmacêuticos, médico- reúne três grandes linhas de negócio, nas divisões:
hospitalares e para uso direto do consumidor, que chegam a Janssen-Cilag, Johnson & Johnson Medical Brasil e 2.1
175 países e alcançam mais de 1 bilhão de pessoas no mundo, Johnson & Johnson Produtos de Consumo (descritas
diariamente. Suas 250 empresas, distribuídas em 57 países, em detalhe, a seguir). Juntas, mantêm um quadro de 2.3
empregam cerca de 115 mil funcionários. 5,3 mil funcionários, e de 6,8 mil quando somados aos
Com sede em New Brunswick (New Jersey), nos profissionais terceirizados. 2.4
Estados Unidos, tem capital aberto na bolsa de Nova Além de abastecer o mercado nacional, a empresa
York (New York Stock Exchange) desde 1944 e, em 2008, brasileira também exporta produtos de grande 2.6
teve o terceiro melhor desempenho no índice Dow Jones importância comercial, como o Band-Aid, entre outros.
Industrial Average, com faturamento de US$ 63,7 bilhões. Seus 910 mil metros quadrados de parque industrial, o 2.8
A afiliada brasileira, a Johnson & Johnson do Brasil, sediada maior parque industrial da América Latina, comportam
em São Paulo, iniciou suas operações em 1933, mantém 11 fábricas de alta tecnologia e um centro de pesquisa
capital fechado e é uma das maiores subsidiárias fora dos focado em inovação de produtos e processos.
Estados Unidos. Na América Latina, é a empresa com maior 
participação em vendas e lucratividade e é referência em áreas Conheça a história da Johnson & Johnson no Brasil, no
como pesquisa e desenvolvimento, manufatura e engenharia. endereço www.jnjbrasil.com.br/canal.asp?canal=9

Relatório de sustentabilidade 9
Panorama

J&J no Brasil
Mais de 5,3 mil funcionários no País, 3,7 mil
nas manufaturas
11 fábricas em São José dos Campos,
700 mil m2 de área verde nos
910 mil m2 do parque industrial
É o maior complexo industrial
da empresa no mundo
3 escritórios regionais de vendas
5 centros de distribuição
Faturamento de R$ 3,5 bilhões em 2009

10 johnson & johnson 2009


Empresas do grupo J&J no mundo

2.5

Relatório de sustentabilidade 11
Panorama

Janssen-Cilag Farmacêutica
Com foco no setor farmacêutico, iniciou as atividades no Brasil em 1937 e foi responsável pela introdução do primeiro
anticoncepcional no País, na década de 1960. A empresa atua nas áreas de infectologia, hemato-oncologia, saúde feminina,
saúde masculina, imunossupressão, sistema nervoso central, gastroenterologia e dor. Leva informações científicas e de
seus produtos a mais de 70 mil médicos por meio de aproximadamente 500 representantes em todo o território nacional e
comercializa mais de 50 marcas de medicamentos no País. Para os medicamentos produzidos no Brasil, possui uma fábrica
de líquidos e comprimidos integrada no parque de São José dos Campos. A Janssen-Cilag também desenvolve projetos como
a pesquisa clinicoepidemiológica, que permite aumentar o conhecimento sobre diversas condições clínicas na população
brasileira. Conta também com estrutura de suporte médico/científico nas diversas áreas terapêuticas, com uma área regulatória
de farmacovigilância e também de estudos farmacoeconômicos.

Além da comercialização, parte do processo de desenvolvimento de medicamentos ocorre no País com o trabalho da área de
pesquisa clínica. A área submete novos compostos a Ensaios Clínicos (EC) para avaliar a segurança e a eficácia do produto em
seres humanos. No Brasil, a empresa desenvolve projetos de pesquisa clínica de fases I, I e IV.

Johnson & Johnson Medical Brasil


A Johnson & Johnson Medical Brasil tem como diretriz a preocupação com a qualidade absoluta na prestação de serviços
e entrega de valor aos clientes, o que se reflete em todas as áreas da divisão. Com foco na inovação, concentra seus esforços
e investimentos na pesquisa, fabricação e comercialização de soluções em dispositivos médico-hospitalares, tanto para
diagnósticos quanto para cirurgias e tratamentos. Oferece uma ampla gama de produtos – de agulhas e suturas específicas a
equipamentos de alta tecnologia – desenvolvidos com o objetivo de reduzir a dor dos pacientes, permitir diagnósticos precoces
e reduzir o impacto de cirurgias com procedimentos minimamente invasivos.

No Brasil, a divisão atua junto a mais de 7 mil hospitais, atingindo uma média de 474 mil leitos e 245 mil médicos. A
participação no mercado é de aproximadamente 30%. Suas áreas-foco incluem monitoramento de glicose no sangue,
problemas circulatórios, diagnóstico, cirurgia minimamente invasiva, esterilização, tratamento da coluna vertebral, medicina
esportiva, suturas, cirurgia plástica, saúde da mulher e tratamento de ferimentos. São, ao todo, dez unidades de negócios.

12 johnson & johnson 2009


A Johnson & Johnson no Brasil As divisões

2.2

2.3
Johnson & Johnson Produtos de Consumo
2.7
Com grande destaque no varejo, a empresa fabrica e distribui produtos de higiene, beleza e medicamentos isentos de
prescrição médica, sempre com foco na saúde e no bem-estar do consumidor. Introduziu os primeiros curativos, hastes 2.9
flexíveis e filtros solares no Brasil, produtos hoje conhecidos pelos nomes das marcas Band-Aid, Cotonete e Sundown, além
de muitos outros produtos, especialmente da linha infantil. Líder em diversas categorias de produtos no mercado nacional,
está presente em 59% dos lares no País.

Em 2006, a empresa adquiriu a área de produtos para a saúde do consumidor da Pfizer e agregou importantes marcas, como
Listerine, Nicorette e Mylanta. Em 2009, a divisão vendeu, para a Hypermarcas, a marca Jontex por questões estratégicas,
já que não comercializa a categoria de preservativos em nenhum outro país. A fabricação do produto continuará a ser feita
pela Johnson & Johnson. Jontex foi um dos primeiros preservativos comercializados no Brasil e era fabricado pela empresa
desde 1936.

Relatório de sustentabilidade 13
Panorama

Parque industrial
Diversidade e tecnologia em produtos e serviços

• Absorvente externo
• Protetores diários
• Absorvente interno
• Hastes flexíveis
Produtos de • Tiras adesivas
• Produtos de toucador
Consumo • Fio dental
• Escovas de dente
• Fitas adesivas
• Fraldas
• Listerine

• Suturas cirúrgicas
• Agulhas cirúrgicas
• OCD (analisadores clínicos)
Medical • Endo Surgery (suturas para cirurgias
endoscópicas)
• Esterilização por cobalto
• Esterilização por ETO (óxido de etileno)

Janssen- • Líquidos
• Cremes & géis
Cilag
• Comprimidos / Cápsulas

14 johnson & johnson 2009


Prêmios e Reconhecimento
• Empresas mais admiradas do Mundo – Forbes
Em 2009, pesquisa da revista em parceria com o Reputation Institute apontou a Johnson & Johnson como a empresa
norte-americana mais admirada no mundo e a terceira mais admirada entre todas as nacionalidades e todos os setores.

• Empresas mais respeitadas – Barron´s


Em 2008 e 2009, foi eleita a empresa mais respeitada do mundo pela revista Barron’s.

• Uma das cinco empresas mais admiradas - Fortune


De acordo com a revista Fortune, está entre as cinco empresas mais admiradas do mundo, em 2008 e 2009.

• Anuário Época Negócios das 100 Empresas de Maior Prestígio no Brasil


4º lugar entre as dez primeiras colocadas na classificação geral e 1º lugar entre as empresas do setor de Higiene e
Beleza, segundo a revista.

• Marcas mais Verdes do Brasil - ranking


3ª colocada no ranking de marcas mais verdes do Brasil, em 2009, segundo a pesquisa das consultorias Cohn & Wolfe,
Landor Associates, Penn, Schoen & Berland Associates e Esty Environmental Partners. A pesquisa ouviu mais de 5 mil
consumidores, em sete países – Brasil, Estados Unidos, Reino Unido, China, Índia, Alemanha e França.

• Programa Benchmarking Ambiental Brasileiro


Em 2009, a Johnson & Johnson do Brasil foi selecionada no ranking do Programa e sua gestão recebeu o Selo Verde,
que visa premiar as melhores práticas de responsabilidade socioambiental.

• Revista Consumidor Moderno


Em 2009, foi eleita Empresa do setor de Higiene e Beleza que mais respeita os consumidores. O levantamento foi
realizado pela Shopper Experience® e teve a participação de 1.350 consumidores, em seis cidades brasileiras. 2.10

• Empresas que mais investem em pesquisa - Booz & Co.


7ª empresa que mais investe em pesquisa e desenvolvimento, no mundo, segundo o ranking da consultoria Booz & Co.,
em 2009.

Compromissos
“Pacto pela Sustentabilidade”, criado em 2009 pelo Walmart, reúne 20 empresas e firma uma
série de compromissos em relação a temas como desenvolvimento sustentável da Amazônia,
redução de embalagens e desenvolvimento de cadeias produtivas mais sustentáveis.

Relatório de sustentabilidade 15
S u s t e n ta b i l i da d e na J & J

Nosso Credo, nosso


compromisso

E
scrita há mais de 60 anos, a carta de princípios reconhece as
responsabilidades da empresa e conduz suas ações. Utilizada como
ferramenta de gestão, garantiu o crescimento saudável do negócio,
baseado na ética e no relacionamento com seus públicos

Os valores que norteiam a atuação da Johnson &


Johnson e mantêm sua unidade cultural, em todo o mundo,
estão reunidos no documento Nosso Credo (apresentado no
início do relato). O texto foi publicado em 1943, por Robert
Wood Johnson, presidente da empresa de 1932 a 1963,
4.8 período da expansão internacional. Desde então, serve de
apoio à tomada de decisões e foi disseminado em todos os
4.12 setores e unidades locais, garantindo uma gestão unificada,
ética e responsável.
O documento é pioneiro por assumir compromissos
que, até aquela época, não eram atribuídos às empresas.
Estabelece uma série de responsabilidades no
relacionamento com os diferentes públicos, incluindo
clientes (como consumidores finais e profissionais da saúde),
fornecedores, distribuidores, funcionários, acionistas,
comunidade e também com as questões ambientais. Os
valores expressos no documento são incluídos de modo
transversal no modelo de gestão empresarial da Johnson
& Johnson e motivaram a assimilação de boas práticas,
ao longo de sua história. O crescimento dos negócios foi
acompanhado por preocupações sociais e ambientais,
que resultaram em diversas iniciativas positivas que
contribuíram para que a empresa pudesse alcançar as
dimensões e a vitalidade que tem hoje.
Atual nos conceitos e nas diretrizes que define, o Nosso
Credo guia a construção do conteúdo deste relatório, que o
analisa sob a perspectiva da construção da sustentabilidade
e da responsabilidade socioambiental corporativa – conceito
que prioriza a qualidade do relacionamento das organizações
com seus públicos como forma de atuação social, econômica e
ambientalmente responsável.

16 johnson & johnson 2009


16
Pensamento global, ação local 4.5

Ao analisar o Nosso Credo sob a ótica de São José dos Campos, onde mantém as atividades
contemporânea, a empresa entende que deve aplicar industriais. Em todas as divisões, dedica-se a
os princípios globais estabelecidos em ações locais, desenvolver soluções inovadoras de saúde e bem-
cuidando das áreas e das pessoas nas quais causa estar, conforme prevê o Nosso Credo. Associadas
impactos diretos e tem maior poder de influência. aos produtos que comercializa, promove ações de
Para incentivar essa premissa, adota critérios educação dos clientes, dos profissionais de saúde ou
rigorosos de ética e conformidade. Como escopo dos consumidores, de acordo com suas necessidades de
de atuação, identificou como prioritários os temas informação.
proteção ao meio ambiente, saúde, segurança do Reforçando nosso compromisso com a carta de
trabalho e responsabilidade socioambiental, para os princípios, a empresa tem como objetivo ampliar, de
quais estabeleceu metas que devem ser atingidas por forma gradativa, o compromisso com as práticas de gestão
todas as unidades da empresa, no mundo (veja mais sustentáveis, com um foco maior em meio ambiente e
informações no quadro, a seguir). Transformados em no acesso da população a melhores condições de saúde e
políticas e programas corporativos, foram incorporados higiene. Um exemplo disso é incluir uma oficina específica
às estratégias de negócio como indicadores de para estudar e analisar o documento do Nosso Credo
desempenho, somados aos resultados financeiros. no treinamento para novos funcionários de Customer
No Brasil, a empresa cria planos de ação para Development (Vendas), bem como nos treinamentos de
atingir as metas dos programas globais e desenvolve terceiros (Promotores de Merchandising, Equipes de Sell
ações locais, de acordo com a realidade dos seus Out e Distribuidores). Esse esforço representa o ponto de
públicos de relacionamento. Em função da postura partida de um processo progressivo de incorporação de
assumida desde sua chegada à região, ao longo dos uma visão estratégica de sustentabilidade, baseada nos
anos, construiu uma relação sólida com a população valores da cultura interna da empresa.

Relatório de sustentabilidade 17
17
Sustentabilidade na J&J

Ferramenta verifica a aplicação do Nosso Credo, no cotidiano


Para garantir que os valores do Nosso Credo se no planejamento estratégico global e no desenho
mantenham incorporados na gestão e guiando das ações de cada país. Nos anos que a intercalam, a
o processo de decisão, uma grande pesquisa, pesquisa é aplicada em uma versão reduzida.
confidencial e anônima, é realizada bienalmente, São também realizados workshops e treinamentos
com todos os funcionários Johnson & Johnson no do Nosso Credo para o público interno, de forma
mundo. São 80 questões, divididas nas categorias a garantir que estes valores sejam considerados nos
Engajamento, Colaboração e Confiança, Avaliação processos de tomada de decisão em todas as áreas
de Riscos e Exigências do Trabalho. Clima, da empresa. Esse é o modo encontrado para que o
satisfação, comprometimento e conduta ética são documento seja aplicado na prática cotidiana, no
alguns dos itens levantados. As respostas fornecem desenvolvimento das estratégias de cada divisão do
informações importantes, posteriormente utilizadas negócio e na correção de rumos, quando necessário.

18 johnson & johnson 2009


Ações corporativas

Objetivos Desempenho
Iniciativa global
e metas do Brasil

Desenvolver métodos
de mensuração e Foram criados planos
Programa Healthy controle dos impactos de ação em todos
Meio Ambiente Planet 2010 ambientais. Estabelece os temas (Meio
metas de melhoria até Ambiente).
2010 divididas, em dez
grandes temas.

Todas as iniciativas
Para promover a saúde da empresa foram
do público interno, mapeadas e
Saúde Global Health 2012 a empresa planeja reorganizadas para
oferecer 13 serviços atingir as metas
que melhorem a vida anuais até 2012
dos funcionários. (Trabalho na J&J).

Alinhar a gestão da
área em todas as O Brasil é líder em
Normas Mundiais divisões da empresa vários dos aspectos,
Segurança no trabalho de Saúde, Segurança no mundo, por meio inclusive no item
e Meio Ambiente de 26 normas a serem Direção Segura
cumpridas em todas as (Trabalho na J&J).
suas unidades.

Apoio a projetos
sociais com foco
Garantir ações que em educação para
promovam a saúde a saúde de jovens
de comunidades e famílias em
onde a empresa está comunidades de
presente, no mundo. baixa renda, por
Responsabilidade Comitê de Os principais meio de cursos de
Socioambiental
Contribuições compromissos são: educação afetivo-
educar profissionais, sexual, da formação
salvar e melhorar de agentes de saúde
vidas e prevenir e do tratamento
doenças. de doenças, como
verminoses e Aids
(Relações com a
Comunidade).

Relatório de sustentabilidade 19
“Cremos que nossa primeira responsabilidade é para com os médicos, enfermeiras e pacientes,
para com as mães, pais e todos os demais que usam nossos produtos e serviços.
Para atender suas necessidades, tudo o que fizermos deve ser de alta qualidade.
Devemos constantemente nos esforçar para reduzir nossos custos, a fim de manter preços razoáveis.
Os pedidos de nossos clientes devem ser pronta e corretamente atendidos.
Nossos fornecedores e distribuidores devem ter a oportunidade de auferir um lucro justo.”

(Trecho retirado do documento Nosso Credo)

Va l o r n o s r e l a c i o n a m e n t o s

Compromisso além
do produto

A
preocupação com a qualidade do produto estende-se a toda a cadeia
e motiva a geração de valor nos relacionamentos. Por atuar em
segmentos variados, aproxima-se de diferentes públicos e desenvolve
ações específicas, atendendo às necessidades de cada um deles

Oferecer melhores condições de saúde para todos provocará alterações no ar, na água, nos hábitos alimentares,
é um dos maiores desafios enfrentados pela sociedade na na longevidade e na distribuição geográfica das doenças.
atualidade. Nos países em desenvolvimento, em função Como fabricante de produtos de saúde e bem-
da carência de investimentos no setor e à desigualdade estar, a Johnson & Johnson exerce um papel relevante
social, o desafio é ainda maior. Com a perspectiva nesse cenário. Para desenvolver produtos e serviços de
do agravamento de problemas ambientais, como o qualidade, que atendam da melhor forma às necessidades
aquecimento global e a diminuição da disponibilidade de da sociedade, a empresa procura aprimorar o diálogo,
água, a promoção da saúde torna-se ainda mais sensível. de forma sistemática, com seus clientes, entre eles
De acordo com a Organização das Nações Unidas hospitais públicos e privados, clínicas particulares,
(ONU), atualmente, 1,1 bilhão de pessoas – uma em cada governos, grandes redes de varejo, profissionais de saúde e
cinco pessoas no mundo em desenvolvimento – enfrentam consumidores finais. O relacionamento com fornecedores
riscos diários de doença e morte diante da falta de “acesso e distribuidores, por sua vez, é pautado pela transparência
razoável” a água potável. As Nações Unidas definem como e pela geração de valor financeiro e socioambiental, para
a disponibilidade razoável a água o acesso a, pelo menos, que esses parceiros comerciais se desenvolvam e, eles
20 litros de água por pessoa por dia, de uma fonte a uma mesmos, produzam benefícios a serem distribuídos.
distância não superior a 1 quilômetro de sua residência. Já Veja, neste e nos próximos capítulos do relatório,
a Organização Mundial da Saúde alerta que o aquecimento como a Johnson & Johnson do Brasil aplica os
global, provocado pela elevação da emissão de gases princípios do Nosso Credo no relacionamento com
causadores do efeito estufa na atmosfera, entre outros fatores, seus principais públicos.

20 johnson & johnson 2009


Parcerias: Tratamento exclusivo
para cada segmento

A gestão descentralizada da Johnson & (HCBI – Health Care Business Integrity – apresentado em
Johnson contribui para o desenvolvimento de estratégias detalhes no Capítulo Práticas Responsáveis). Os princípios
comerciais, direcionadas a cada público – que possuem são descritos nos termos de contrato e reforçados por
características e necessidades específicas, nas três divisões treinamentos periódicos. Em linhas gerais, os clientes
da empresa. O método permite a aproximação com podem ser divididos em clínicas e hospitais públicos e
o cliente e a identificação das melhores formas para privados, varejo, profissionais de saúde distribuidores,
agregar valor no relacionamento, que tem como base os órgãos públicos (abordado também no capítulo Relações
princípios éticos determinados pela política do Programa com a comunidade) e consumidor final. Conheça, a seguir,
Internacional de Boas Práticas no Segmento da Saúde ações focadas em cada segmento.

Relatório de sustentabilidade 21
Valor nos relacionamentos

Hospitais e clínicas de saúde comercial, com equipes de análise de segmentos e suporte


Para melhor atender a hospitais e clínicas de saúde, a ao negócio, responsáveis por abastecer os profissionais de
Johnson & Johnson Medical Brasil, divisão de dispositivos vendas com informações de mercado.
médico-hospitalares da empresa, criou um departamento Outra ferramenta de destaque nos segmentos
exclusivo que gerencia o relacionamento corporativo de dispositivos médico-hospitalares, assim como nos
com os clientes e desenvolve parcerias estratégicas. Cada farmacêuticos, é a área de economia da saúde, formada
instituição é atendida por um gerente comercial que por técnicos que analisam o impacto econômico da
acompanha seu dia a dia e busca atender às demandas incorporação dos produtos de alta tecnologia, geralmente
específicas. Além do relacionamento com empresas mais caros, mas que compensam o investimento inicial
privadas, há uma equipe focada em processos de licitação pela eficiência dos resultados clínicos, reduzindo, por
para os hospitais públicos e, recentemente, tem sido exemplo, o tempo de internação ou a necessidade de
desenvolvido o relacionamento com planos de saúde, complementação do tratamento. A prática é muito utilizada
elo considerado importante na cadeia. Como apoio nas relações com o governo, na inclusão dos produtos nos
às vendas, a empresa mantém sistemas de inteligência programas de distribuição gratuita de medicamentos.

Inteligência de fábrica nos hospitais


A proximidade com os hospitais permitiu à Johnson Foram, então, formados grupos para mapear processos,
& Johnson Medical Brasil conhecer as dificuldades do identificar problemas e planejar formas de aperfeiçoar as
setor em organizar suas atividades operacionais. Daí operações.
nasceu o Projeto Lean, que aplicou métodos industriais Concluído em 2008, após dois anos, o projeto-piloto
modernos, baseados no aperfeiçoamento de processos, levou eficiência operacional à instituição-cliente,
para aumentar a produtividade, inicialmente em dois reduziu desperdícios e gerou economia. Os bons
hospitais da rede São Camilo, em São Paulo. resultados transformaram a Johnson & Johnson em
A implantação do projeto foi feita por uma equipe de um parceiro estratégico do hospital São Camilo. O
engenheiros da divisão, que já utilizava a metodologia sucesso motivou uma segunda edição do projeto
nas fábricas, com a ajuda de uma consultoria em 2009, em unidades selecionadas do grupo
especializada em processos hospitalares. Inicialmente, São Luiz. Para a divisão, a iniciativa agrega valor
foram oferecidos treinamentos de liderança aos ao relacionamento, com base na transferência de
profissionais de saúde e aos funcionários dos hospitais. conhecimento.

22 johnson & johnson 2009


Varejo consumidor, com foco especial nas mães, para abordar os
No setor de varejo, como supermercados, farmácias e cuidados com as crianças, como o chamado festival do Bebê.
perfumarias, uma das grandes preocupações da Johnson Na divisão farmacêutica o relacionamento acontece por meio
& Johnson é garantir que cada produto seja armazenado do programa “Janssen Direto”.
de acordo com as condições necessárias de conservação e Com um relacionamento consolidado, a agenda de
apresentado de forma adequada ao consumidor final, além ações com os grandes clientes é planejada anualmente. Em
da preocupação com margem justa de lucro e política de 2009, houve destaques relevantes na área, como um projeto-
comercialização transparente. Os produtos comercializados piloto para a instalação de postos de coleta seletiva nas
são acompanhados de campanhas publicitárias ou lojas de uma das redes e a publicação conjunta de anúncios
educativas, como as de o.b. (www.ob.com.br) e Nicorette publicitários educativos, com informações didáticas para o
(www.nicorette.com.br), que auxiliam na transmissão das consumidor. Com bons resultados, as iniciativas continuam
informações relevantes para garantir a qualidade do produto em 2010.
oferecido ao cliente. Na divisão farmacêutica, mais de 500 profissionais
Por isso, na Johnson & Johnson Produtos de Consumo asseguram que mensagens, produtos e projetos da empresa
foi criada uma área para atender exclusivamente as grandes cheguem de forma consistente aos diferentes públicos com
redes de supermercados, consideradas importantes parceiras que se relaciona. A estrutura cobre todo o território nacional
nos negócios e também na comunicação com o consumidor e conta com profissionais altamente especializados, em áreas
final. O relacionamento próximo permite que desenvolvam, como oncologia e HIV, e capacitados para atender cada
em conjunto, diversas campanhas de educação para o um dos segmentos, desde grandes distribuidores e redes

Guia de sustentabilidade para farmácias


Em março de 2010, a Johnson & Johnson lançou o descarte responsável de medicamentos vencidos que são
programa Farmácia Sustentável, em parceria com a trazidos pelos consumidores, como economizar energia
distribuidora Santa Cruz. A empresa é responsável e água, sacolas plásticas e reciclagem, entre outros
pelo atendimento de mais de 85% do mercado assuntos. Pioneiro no Brasil, o programa é apoiado por
farmacêutico nacional. Tylenol, Benalet, Resprin, Nicorette, Mylanta
No projeto, 32 mil farmácias independentes recebem O conteúdo do material é produzido em parceria com
gratuitamente, durante dez meses, um fascículo mensal o Instituto Triângulo. Os próximos passos do projeto
com informações sobre como diminuir impactos incluem o estudo de formas de auditar e reconhecer
socioambientais em suas atividades. O Guia aborda as farmácias que se destacarem na incorporação de
temas como o descarte correto do lixo farmacêutico, o práticas sustentáveis.

Relatório de sustentabilidade 23
Valor nos relacionamentos

de farmácias até serviços públicos de saúde, por meio de Na Johnson & Johnson, o Band-Aid foi o produto
secretarias municipais e estaduais e do Ministério da Saúde. escolhido para fazer parte do projeto por já incluir, em sua
No final de 2009, a Janssen-Cilag lançou um modelo cadeia produtiva, vários aspectos relacionados ao tema
inovador chamado Janssen-Direto. Por meio de uma sustentabilidade.
plataforma tecnologia inovadora que possibilita a conexão As embalagens são certificadas com o selo FSC
de pelo menos 25 mil farmácias de todo o País, a empresa (Conselho de Manejo Florestal), que assegura que a
mantém um relacionamento mais direto com o ponto de madeira utilizada na sua composição é proveniente
venda. A tecnologia permite consultas sobre condições de florestas manejadas de forma sustentável. O Band-
de compra, realização de pedidos e escolha do melhor Aid teve a sua embalagem reduzida, o que garantiu
distribuidor, de acordo com as necessidades de cada loja. economia de papel e permitiu que uma carga maior
Trata-se de um projeto pioneiro no setor, que permite o pudesse ser transportada em cada caminhão, o que
acompanhamento on-line da logística na entrega, garantindo diminui os custos de distribuição e o consumo de
a segurança do processo. combustíveis durante o transporte. As caixas de Band-
Aid oferecem também informações em Braile aos
Parceria na cadeia produtiva clientes.
A Johnson & Johnson integra, ao lado de outras nove A parceria inclui esforços de redução de impacto
empresas de diversos setores, como Unilever, Nestlé e Coca- desde o uso dos recursos naturais, passando pela
Cola, o projeto End-to-End, coordenado pela rede de varejo energia utilizada na produção, até o descarte ou o
Walmart. O End-to-End tem como meta garantir que todo reaproveitamento do produto. Desse modo, envolve todos
o ciclo de vida de um produto respeite os direitos humanos, os fornecedores de matéria-prima e garante inovação para
reduza impactos ambientais e seja viável economicamente. a sustentabilidade em produtos líderes de mercado.

EN27

Resultados do Band-Aid na redução de impacto


• Redução de 18% do uso de matérias-primas para a embalagem;
• Utilização de 30% de matéria-prima reciclada pós-consumo na embalagem;
• Utilização de 40% de matéria-prima reciclada pós-consumo na caixa de transporte do produto, com ganho equivalente a
1,8 milhão de caixas de papelão no transporte;
• Redução de 2.038 toneladas por ano de material em perdas no processo de produção;
• Redução de 1.192.000 kWh por ano de energia no processo de produção;
• Reciclagem de 50 toneladas por ano de resíduos de papel siliconado que deixaram de ser encaminhados para aterros industriais;
• Redução de 11.600 km em transporte de contêineres de produtos no Brasil e na América Latina mediante a redução da
embalagem;
• Redução no consumo de 3.228 paletes e de 72 contêineres por ano no transporte de produtos para os Estados Unidos e Canadá
em função da redução da embalagem.

24 johnson & johnson 2009


Profissionais de saúde Saúde como foco dos negócios
A Johnson & Johnson relaciona-se diretamente com A Johnson & Johnson Produtos de Consumo também
profissionais da saúde de diversas especialidades por realiza programas de relacionamento com profissionais
meio de equipes de vendas altamente qualificadas. de saúde. Dentre estes, destacam-se: a campanha de saúde
O contato tem como objetivos promover campanhas bucal de Listerine; a orientação oferecida pela equipe de
educativas e apresentar os produtos farmacêuticos Tylenol Infantil sobre os quadros febris das crianças
e de saúde de forma completa. Na Janssen-Cilag, os após a vacinação – que inclui visitas a 12 mil pediatras –;
representantes passam por capacitações constantes e e o programa informativo promovido pelas marcas Roc e
estão preparados a responder às questões dos médicos, Neutrogena, cujos representantes visitam cerca de 5 mil
atentando para efeitos colaterais, contraindicações e dermatologistas pelo Brasil, alertando para a importância do
métodos para potencializar os efeitos. uso de protetores solares para evitar o câncer de pele.
Os mais de 400 representantes da força de vendas Desde 1997, a divisão mantém ainda o Johnson’s
da Janssen-Cilag cobrem 80% do território nacional, Baby em Maternidades, que cobre 500 mil dos 3 milhões de
conforme o mapeamento de cada especialidade médica, nascimento por ano no Brasil, em todas as classes sociais.
e visitam cerca de 70 mil médicos mensalmente. Três São cerca de 470 hospitais e maternidades visitados pelos
vezes ao ano, todas as equipes reúnem-se e participam representantes da linha Baby, que distribuem um kit com
de cursos de reciclagem em Boas Práticas nas informações sobre os cuidados iniciais com o bebê e com a
Relações no Segmento de Saúde, capacidades técnicas saúde materna.
e gerenciais, comunicação e saúde e segurança no Em 2009, a divisão iniciou também um programa
trabalho, com ênfase em Safe Fleet (Direção Segura). de apoio à formação de residentes em dermatologia, em
Outra frente de atuação reúne os Consultores parceria com a Sociedade Brasileira de Dermatologia e que
Médico-Científicos (CMC), médicos especialistas já chega a 60 instituições e 300 estudantes, em todo o Brasil.
nas áreas terapêuticas, que atuam no campo com a No programa, os médicos do terceiro ano de residência
responsabilidade de estabelecer, desenvolver e cultivar que enviarem os dez melhores trabalhos científicos são
relações colaborativas entre a divisão e os formadores de contemplados com dois meses de residência na Europa ou
opinião, as instituições de ensino e pesquisa e também nos Estados Unidos.
as associações de pacientes. São principais atributos dos
Consultores disseminar conhecimento médico-científico
de forma customizada e gerar dados científicos com
objetivo de proporcionar o maior benefício dos produtos
Johnson & Johnson aos pacientes. Esse grupo de
profissionais atua na Janssen-Cilag há cerca de dois anos
em diferentes áreas terapêuticas (Psiquiatria, Oncologia/
Hematologia e Imunologia) e agrega valor às ações de
ensino e pesquisa, bem como a possibilidade de gerar
novas oportunidades e perspectivas à empresa.
Para complementar o trabalho, aproximadamente
2,5 mil profissionais de saúde participam de programas
educacionais apoiados pela divisão, todos os anos. Estes
programas visam à educação médica contínua nas áreas
terapêuticas de diferentes especialidades, aprimorando o
atendimento em todo Brasil.
A Janssen-Cilag também disponibiliza uma
linha 0800 e um espaço on-line no site, exclusivos
para o relacionamento com os profissionais de saúde.
Por meio dos canais, estes podem solicitar estudos
científicos, solucionar dúvidas e relatar possíveis reações
adversas dos pacientes, que são registradas e repassadas
internamente, chegando à matriz, nos Estados Unidos.
Anualmente, a divisão recebe cerca de 10 mil contatos.

Relatório de sustentabilidade 25
Valor nos relacionamentos

Equipada com tecnologia de última geração, a Sala de Cirurgia Integrada é uma das estruturas do Johnson & Johnson
Medical Innovation Institute, que treinará 4 mil profissionais de saúde em 2010

J&J Medical Innovation Institute: educação e tecnologia


A Johnson & Johnson Medical acredita ser desses profissionais sejam treinados já em 2010.
responsável não apenas por entregar produtos e O Instituto conta com uma moderna estrutura, que
serviços de alta qualidade, mas também por auxiliar inclui uma sala de cirurgia integrada, salas com
os profissionais de saúde a fazerem o melhor uso equipamentos de laparoscopia de alta definição, sala
deles. Alinhado a isso, em fevereiro de 2010, foi com sistemas de simulação de cirurgias por realidade
inaugurado, em São Paulo, o Johnson & Johnson virtual, entre outras tecnologias.
Medical Innovation Institute, o primeiro da América A construção do Johnson & Johnson Medical
Latina, criado com a missão de promover o avanço Innovation Institute foi antecipada pela transposição
contínuo dos padrões de cuidados com a saúde. das árvores originais do terreno e seguiu os mais
Seu objetivo é oferecer a médicos, enfermeiros, rígidos critérios de Segurança, Cuidados com a Saúde
técnicos, administradores hospitalares e de planos e com o Meio Ambiente. O prédio possui paredes de
de saúde dos diferentes países da região os mais vidro que aproveitam a luz natural, revestimentos com
modernos treinamentos em equipamentos médicos e material que evita o aquecimento solar durante o dia e
procedimentos diagnósticos. A previsão é que 4 mil aparelhos de ar-condicionado livres de gases CFC.

26 johnson & johnson 2009


Saúde visual:
inovação e educação profissional

A Johnson & Johnson Vision Care, com gestão Com o foco em saúde visual, a divisão investe
vinculada à Johnson & Johnson Medical, é responsável pelo fortemente em educação continuada, com apoio a
desenvolvimento da categoria de lentes de contato gelatinosas simpósios, congressos, cursos e eventos diversos, bolsas e
descartáveis, com a marca Acuvue. A Acuvue chegou ao suporte à pesquisa, além da produção científica de artigos
Brasil no início da década de 1990 e, desde então, mantém e estudos clínicos nacionais com lentes de contato de
sua posição de liderança no País. O Brasil é um mercado de novas tecnologias. Os oftalmologistas são atendidos por
grande potencial para o segmento, com uma economia em equipe especializada, dedicada e qualificada, que os atualiza
crescimento e numerosa população, da qual se estima que quanto às novidades tecnológicas do mercado. Nas óticas,
cerca de 55% necessitem de alguma correção visual. a preocupação é com o atendimento, que deve conhecer
Muitas vezes, o uso das lentes de contato é e transmitir as informações corretas e necessárias para o
motivado pela estética e pela praticidade, mas a primeira uso das lentes de contato e recomendar aos clientes que
responsabilidade da empresa é com a saúde visual, consultem regularmente um oftalmologista.
desenvolvendo constantemente novas tecnologias que visam A Johnson & Johnson Vision Care é também
resolver os maiores desafios do uso atual de lentes de contato. patrona do Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO) e
Um exemplo é a tecnologia Hydraclear Plus, que proporciona patrocinadora oficial da Sociedade Brasileira de Lentes de
conforto superior mesmo em situações desafiadoras às lentes Contato (Soblec), entidades com as quais mantém a pauta
de contato, como o uso de computador, ambientes poluídos de formar multiplicadores e, assim, levar informação e
ou com ar-condicionado. Já o Desenho de Estabilização conhecimento aos oftalmologistas, que pode, desta forma,
Acelerada, desenvolvido para a correção do astigmatismo, alcançar o consumidor final. Tem, ainda, parcerias com a
desafia a gravidade e oferece visão nítida e clara em todas as Associação Brasileira de Portadores de Olho Seco (Apos)
atividades, além de assegurar proteção contra os efeitos da e a Pan-American Association of Ophthalmology (Paao),
radiação UV. Por iniciativas como essas, as lentes de contato além das principais universidades e residências médicas
Acuvue tornaram-se sinônimos de inovação e de qualidade. brasileiras.

Relatório de sustentabilidade 27
Valor nos relacionamentos

Consumidor final Central de Relacionamento


Por meio do Serviço de Atendimento ao Consumidor com Consumidor (CRC)
(SAC), a divisão Johnson & Johnson Produtos para o A Johnson& Johnson possui um Serviço de
Consumo criou um banco de dados com mais de 1 milhão Atendimento ao Consumidor (SAC) desde a década
de consumidores no País. Nele, são registrados o perfil de 1980, que atualmente é chamado de Central de
do consumidor, de acordo com as linhas de produtos e Relacionamento com o Consumidor (CRC). A área
as regiões do País, e os históricos dos contatos – dúvidas, é responsável pelo atendimento de todos os contatos
sugestões ou reclamações. Os contatos diretos acontecem recebidos de consumidores e profissionais de saúde,
por telefone (0800), site ou formulários. As informações são por meio de números 0800 descritos nas embalagens
compartilhadas com a área de desenvolvimento de produtos, dos seus produtos, bem como dos serviços “Fale
em São José dos Campos, e utilizadas no lançamento ou Conosco”, disponíveis no portal Johnson& Johnson e
relançamento de produtos. websites das marcas.
Para ampliar o conhecimento sobre as necessidades Além do atendimento de informações, solicitações,
de seus consumidores, a divisão também realiza vários elogios ou reclamações, o CRC atua como um agente de
tipos de pesquisas, como entrevistas, grupos focais, teste mudanças, levando para a empresa as sugestões recebidas
de conceito, qualitativas & quantitativas e também as dos consumidores, que contribuem para o processo de
pesquisas diretas, por meio de visitas estruturadas às casas inovação de produtos e serviços, rotulagem etc.
dos clientes, as chamadas ações de “Proximidade com o A empresa mantém estreito contato com os
Consumidor”, além das “Jornadas de Inovação”. Em 2008, consumidores cadastrados, enviando informações
um abrangente trabalho de pesquisa desenvolvido pela sobre lançamento de novos produtos, promoções,
linha Baby, identificou 23 novas oportunidades de inovação, realizando pesquisas sobre hábitos de uso e consumo de
que incluem quesitos de sustentabilidade. Resultado de produtos e ainda provendo suporte aos programas de
PR5 demandas dos consumidores, os conceitos alimentarão relacionamento das principais marcas.
novos produtos da linha nos próximos cinco anos. Em 2009, A equipe da área é composta por 40 pessoas,
o mesmo processo foi aplicado em produtos dermatológicos. organizadas em grupos de atendimento especializado,
Os resultados ainda estão sendo analisados. supervisão, suporte e gestão da operação.

Na visão do consumidor
Em 2009, a Johnson & Johnson Produtos de Como destaque na condução da pesquisa, por
Consumo realizou uma pesquisa global no ação da divisão no Brasil, a classe C foi incluída na
formato Proximidade com o Consumidor, amostra nacional e foram acrescentadas questões
chamada Sustentabilidade Global: Comparações relevantes para os países em desenvolvimento,
Internacionais. O objetivo foi compreender as abordando temas como violência, moradia
diferentes visões a respeito de sustentabilidade insuficiente, baixa qualidade dos serviços públicos
no mundo, conforme definições dos próprios de saúde, crianças abandonadas, corrupção no
consumidores, suas atitudes e práticas. O conteúdo Governo Federal e no Congresso e trabalho infantil.
relaciona ao tema cuidados com a saúde e a Os resultados apontaram que, no Brasil,
percepção de imagem da Johnson & Johnson. sustentabilidade está associada à reciclagem,
A metodologia da pesquisa consistiu em discussões filantropia e envolvimento com a comunidade
em grupo e entrevistas pessoais, com homens e local. Mostraram também que a percepção da
mulheres na faixa de 25 a 45 anos. As informações Johnson & Johnson em relação à sustentabilidade é
levantadas foram utilizadas para identificar maior aqui do que nos demais países pesquisados –
oportunidades de atuação para a empresa e formular México, Reino Unido, Alemanha, França, China e
a estratégia global dos próximos anos. Coreia do Sul.

28 johnson & johnson 2009


279.898 contatos atendidos em 2009
Média mensal de 23.324 contatos, em 2009

93% de satisfação geral dos consumidores, de acordo com pesquisa semestral


100% dos dias com média abaixo de 30 segundos de tempo de resposta
ao cliente para ser atendido
Nas solicitações via intenet, 97% dos dias, com resposta dentro de 48 horas

Fornecedores
A Johnson & Johnson tem como compromisso manter fornecedores estrangeiros também são envolvidos nos
um relacionamento comercial justo e ético com seus mesmo processos, padronizados no mundo todo. As
fornecedores. Também é sua responsabilidade exigir reuniões mensais são realizadas virtualmente e, ao
produtos e materiais que atendam aos padrões de menos uma vez por ano, são presenciais.
qualidade, provenientes de operações que sigam os Para os próximos anos, o desafio é definir métricas
rígidos requisitos de ética, saúde, segurança e meio referentes aos serviços de fornecedores de materiais e
ambiente da Johnson & Johnson. serviços indiretos. Também estão em pauta questões como
Os fornecedores da empresa são classificados logística reversa, coleta de resíduos, melhoria das embalagens
nas categorias: materiais e serviços indiretos (como e estabelecimentos de novos critérios contratuais.
insumos de escritório ou consultorias), embalagens e
matérias-primas para os produtos fabricados e para os
produtos acabados. Os dois últimos contam com uma
série de iniciativas, que tem como objetivo garantir
a segurança dos funcionários, dos consumidores e
do meio ambiente. Antes de estabelecer a parceria
com os fornecedores de matérias-primas para os
produtos fabricados, estes devem apresentar uma
autoavaliação de seus processos, relacionada a saúde,
segurança e meio ambiente. Caso identifique riscos ou
vulnerabilidade, a Johnson & Johnson faz sua própria
auditoria. Já na categoria de produtos acabados, as
exigências são ainda maiores, e a auditoria é feita
independentemente dos resultados da autoavaliação. O
monitoramento do desempenho é periódico, e qualquer
suspeita de desvios é investigada e gera uma nova
demanda de análise, específica.
Em encontros mensais, a Johnson & Johnson
reúne seus principais fornecedores para discutir
questões relevantes, como condições de trabalho,
impactos ambientais e práticas comerciais.
Além dos altos padrões operacionais, os critérios
de seleção de um fornecedor Johnson & Johnson
também levam em conta a proximidade física. O fator é
relevante tanto para as questões de logística quanto para
o contato direto, que melhora os processos de auditoria
e o tempo de resposta a novas solicitações. Contudo,

Relatório de sustentabilidade 29
“Somos responsáveis para com nossos empregados, homens e mulheres que conosco trabalham em todo o mundo.
Cada um deve ser considerado em sua individualidade. Devemos respeitar sua dignidade e reconhecer seus
méritos. Eles devem sentir-se seguros em seus empregos. A remuneração deve ser justa e adequada e o ambiente
de trabalho limpo, ordenado e seguro. Devemos ter em mente maneiras de ajudar nossos empregados a atender
às suas responsabilidades familiares. Os empregados devem sentir-se livres para fazer sugestões e reclamações.
Deve haver igual oportunidade de emprego, desenvolvimento e progresso para os qualificados. Devemos ter uma
administração competente e suas ações devem ser justas e éticas.”

(Trecho retirado do documento Nosso Credo)

Trabalho na Johnson & Johnson

Saúde e segurança,
bem-estar e satisfação

A
lém de boas condições de trabalho, o compromisso com funcionários
inclui oportunidades de desenvolvimento integral. A companhia
investe pesado em saúde e segurança do trabalho, incentiva a
autonomia e estende o suporte em saúde e bem-estar para as famílias

A Johnson & Johnson sabe que sua missão de que aprimoram suas capacidades e estimulam sua
promover saúde e bem-estar deve começar dentro de autonomia, aumentando a autoestima do indivíduo e
casa. O compromisso está previsto no Nosso Credo, que a produtividade de toda a empresa. Os programas de
dedica um parágrafo exclusivo aos funcionários, inspira educação em segurança do trabalho são atualizados
políticas e procedimentos globais e guia toda a gestão de anualmente.
recursos humanos. Os bons resultados dos programas de segurança
Diversos programas de abrangência mundial para do trabalho, especialmente nas fábricas, são também um
promover a saúde e o bem-estar dos funcionários vêm destaque da empresa – como os 26 anos sem acidentes
sendo desenvolvidos e aperfeiçoados, ao longo do tempo. da fábrica de artigos de Higiene Oral. Outras fábricas
Lançado em 2009, o Global Health 2012 (apresentado também apresentam bons resultados, com mais de 10
em detalhes neste capítulo) estabelece metas e prevê anos sem acidentes graves.
atividades específicas que são realizadas localmente. O No dia a dia, a empresa incentiva a comunidade
objetivo do programa é criar uma cultura de saúde entre interna a adotar uma postura de diálogo no trabalho,
os funcionários, reduzir fatores de risco à saúde, assim com muitas formas de comunicação. Entretanto, no
como reduzir os riscos de saúde ocupacional. caso de haver conflitos de interesses, um hotline deixa o
O desenvolvimento integral dos funcionários funcionário confortável para se manifestar e garante a
é ainda incentivado por meio de treinamentos ética no relacionamento.

30 johnson & johnson 2009


Perfil do funcionário
Johnson & Johnson do Brasil

LA1

Distribuição dos funcionários por região

Região
Sudeste
Sul
4.935 Centro-oeste
Nordeste
Norte
Total 5.355

134
118
134
34
2008

Relatório de sustentabilidade 31
Trabalho na Johnson & Johnson

Composição e Jornada de trabalho, por categoria

2008
Classificação 2
Período Integral Meio Período1
Diretoria 451
Gerência 614
Administrativo 1.149 551
Produção 2.670 631
Trainees 163
Aprendizes 13
Estagiários 177
Total 5.355

1
Os 118 empregados classificados como meio período participam do programa J&J Para
Todos, Programa de inclusão e capacitação de deficientes.
2
A Johnson & Johnson possui políticas claras para regulamentar a contratação de terceiros.
Reconhece, porém, a necessidade de aprimorar seu sistema de gestão desses contratados.

LA1

32 johnson & johnson 2009


Global Health 2012

Com o intuito de melhorar as condições de saúde dos seus Para a gestão das atividades ligadas à segunda
funcionários em todo o mundo, a Johnson & Johnson criou meta do Global Health 2012 – que prevê reduzir fatores
o Programa Global Health 2012. A iniciativa procura atingir de risco entre os funcionários –, faz-se necessário ter
três grandes metas, até 2012: criar uma cultura de saúde entre os dados obtidos com o Perfil de Saúde. Desse modo,
os funcionários; reduzir fatores de risco identificados nessa a empresa não tinha informações suficientes, até o fim
população; e reduzir riscos de saúde ocupacional – este último de 2009, para avaliar seu desempenho nesse item. A
ponto já bastante desenvolvido no Brasil. avaliação será possível a partir de meados de 2010.
Como estratégia, foram estabelecidas 13 iniciativas A adesão dos funcionários ao programa é
que se traduzem em serviços de saúde com base em voluntária e confidencial. Não há pressão nem
recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS), discriminação daqueles que decidem não fazer parte
listados abaixo. das ações de promoção da saúde individual oferecidas
Dos 13 serviços previstos, dez já são oferecidos pela empresa. E, embora não exista resistência direta
no País. Dentre os restantes, além do Perfil de Saúde, por parte dos funcionários, a empresa identifica a
recém-lançado no último trimestre de 2009, um necessidade de reforçar ações educativas para incentivar
programa de educação em saúde e o de conscientização e motivar os funcionários a aderir ao serviço e preencher
sobre o câncer serão lançados em 2010. seu perfil de Saúde.

Serviços de saúde incluídos nas metas do Global Health 2012

1. Política Mundial de Ambiente de Trabalho Livre do educação e na conscientização sobre hábitos de vida saudável
Tabaco 8. Programa de Treinamento em Resiliência e
2. Política Mundial para HIV/Aids Gerenciamento do Estresse
3. Mapa pessoal de Riscos de Saúde (Perfil de Saúde) 9. Programa de Prevenção e Conscientização sobre o Câncer
4. Programa de Assistência ao Empregado (PAE) 10. Programa sobre Alimentação Saudável e Refeitório
5. Estímulo para Atividade Física (acesso a academias de Saudável
ginástica, pista para caminhada ou programa de reembolso 11. Programa para Retorno ao Trabalho em função
de despesas similares) alternativa ou modificada
6. Vigilância Médica baseada no risco, em conformidade 12. Processo para acompanhamento de doenças e
com legislação local e requerimentos da J&J absenteísmo
7. Programa Geral de Promoção à Saúde, focado na 13. Saúde para os Viajantes

Metas do Global Health 2012


• Criar, promover e sustentar uma cultura de saúde na organização
Implantação dos 13 serviços de saúde previstos no Programa

• Reduzir fatores de risco entre os funcionários


75% de toda a população Johnson & Johnson deve apresentar, no máximo, dois fatores de risco dentre os 11 principais
fatores definidos pela OMS

• Identificar e gerenciar riscos em saúde ocupacional


Manutenção de um programa de acompanhamento médico periódico

Relatório de sustentabilidade 33
Trabalho na Johnson & Johnson

Apoio ao funcionário funcionários. Hoje, somam-se sete programas que


O Programa de Assistência ao Empregado (PAE) nasceu atendem 17% do público interno anualmente, em todo
em 1980, para oferecer tratamento a funcionários e o País, e a área ainda desenvolve cursos de resiliência e
familiares diagnosticados como dependentes químicos. A acompanhamento de funcionários afastados por mais de
eficiência do PAE deu espaço para que surgissem novas 15 dias. Quem está distante dos escritórios da empresa
demandas ao longo do tempo, levadas pelos próprios pode acessar o serviço gratuitamente, por telefone.

Programas do PAE
Dependência química - Tratamento especializado para recuperação de dependentes de substâncias psicoativas,
como álcool e outras drogas

Tabagismo - Tratamento a quem deseja parar de fumar, com suporte terapêutico e de medicamentos

Atendimento psicossocial - Apoio a funcionários em dificuldades, como problemas de relações


familiares e desequilíbrio orçamentário

Reeducação alimentar - Apoio e orientação a pessoas que queiram adotar uma dieta saudável para perda
de peso. Inclui distúrbios como anorexia e bulimia

De PAE para filhos - Orientações aos pais quanto à prevenção de situações de riscos para os filhos, ao
incentivo de uma vida saudável e à busca de valores que guiem suas condutas

LA8
Apoio em situações de infortúnio - Apoio psicológico em situações de instabilidade emocional, como
luto e acidentes

Avaliação de Saúde Mental (Screening for Mental Health) - Ferramenta on-line, interativa
confidencial, que promove autoconhecimento e prevenção de problemas de saúde mental

O cardápio oferecido nos restaurantes da empresa é balanceado, seguindo orientações de nutricionistas

34 johnson & johnson 2009


Ambiente saudável, livre de tabaco o negócio da empresa. No Brasil, todos os funcionários
O combate ao tabagismo como promoção de saúde é uma são cobertos pelo Programa de Assistência ao Empregado
preocupação antiga da Johnson & Johnson. No Brasil, em (PAE), extensivo aos familiares, além de contarem com
2000, o Programa de Assistência ao Empregado (PAE) criou assistência médica, odontológica e convênio com farmácias.
um projeto para ajudar no abandono do vício, baseado no Para as mamães, além dos requisitos legais, há salários-
apoio emocional e incentivo a uma vida saudável, que já maternidade, que incluem auxílio na aquisição de fraldas e
atendeu mais de 400 pessoas. a Caixa Maternal, que contém diversos produtos da linha
Em 2005, a matriz instituiu a Política Mundial de Baby. Após o término da licença-maternidade, a creche em LA13
Ambiente de Trabalho Livre de Tabaco e, em 2007, proibiu o São José dos Campos recebe os bebês até os 18 meses de
consumo de cigarros em todas as dependências da empresa vida, gratuitamente.
no mundo. A norma é levada a todos os locais em que se Na Loja J&J, os funcionários podem adquirir todos
realizam convenções ou reuniões da empresa e foi também os produtos fabricados pela empresa com custos reduzidos
incorporada como cláusula contratual com terceiros. e, em casos de doença grave, têm desconto de 50% sobre
A iniciativa apoia os esforços da Organização Mundial esses valores. Entre os benefícios financeiros, destacam-
de Saúde, e sua implantação no País coincidiu com a se o programa J&J Prev, que complementa o valor da
campanha antitabagista do governo estadual de São Paulo. aposentadoria, e a cooperativa de crédito Cooper Johnson,
Como resultado, a Johnson & Johnson conquistou o 1º Selo fundada em 1973 pelos próprios funcionários. Quanto
Ambiente Livre de Tabaco do País, outorgado pela Secretaria aos planos de pensão, a empresa possui dois modelos. O
Estadual de Saúde após auditoria da Aliança de Controle do primeiro é um plano de benefício definido não contributivo,
Tabagismo (ACT), organização não governamental parceira isto é, totalmente custeado pela organização e que garante,
do governo do estado. juntamente com o benefício do INSS,  40% do salário do
Como disseminação da boa prática, a empresa funcionário. A participação neste plano é automática e
patrocinou a publicação Ambientes de Trabalho Livres oferecida a todos os funcionários. O segundo é denominado
do Fumo – Manual para Tornar sua Empresa mais poupança incentivada, complementar ao plano de benefício
Segura e Saudável, produzida pela ACT e disponível no definido, sendo a participação do funcionário voluntária.  O
site www.actbr.org.br. Também realizou uma campanha funcionário pode contribuir com até 5% do salário, e a
de prevenção na Prefeitura de São José dos Campos e empresa participa com mais 50% do valor da contribuição
coordenou na cidade a implantação do ambiente livre de do funcionário.  O objetivo é incentivar o empregado a
tabaco no Hospital Pró-Visão. constituir uma reserva complementar, de acordo com os
planos particulares de vida e disponibilidade financeira
Ao alcance de todos individual. O modelo de benefício definido é, atualmente,
Os benefícios oferecidos pela Johnson &Johnson aos seus um plano superavitário, não havendo necessidade de
funcionários têm como foco o respeito à saúde e à família – complementos ou aportes pela empresa.

Relatório de sustentabilidade 35
Trabalho na Johnson & Johnson

Transparência no relacionamento

Seguindo diretriz global, a gestão de Recursos comportamentais e, de acordo com suas notas, podem
Humanos no Brasil tem se reestruturado com o objetivo pleitear novas vagas, divulgadas abertamente pelo setor de
de proporcionar aos funcionários da empresa a mesma recursos humanos.
experiência de pertencer à Johnson & Johnson – com iguais
benefícios e política de carreira. Em 2008, foi consolidado o Time AUTOGERIDO
plano de carreira e de meritocracia para os funcionários das O Time Autogerido (TAG) é um novo modelo de gestão de
fábricas, modelo já adotado nos setores administrativos. pessoas implementado pela Johnson & Johnson do Brasil,
As medidas ampliam as oportunidades de com o objetivo de dar mais autonomia e poder de decisão
desenvolvimento profissional, assim como a possibilidade aos funcionários das áreas operacionais. Iniciado em 2007,
de inclusão social. O processo de meritocracia permite que já está implementado em todas as fábricas da empresa.
o funcionário tanto possa concorrer a vagas disponíveis O programa inclui treinamento comportamental
nos processo de seleção interna, como ter seu trabalho e técnico para os funcionários, sobre temas como
reconhecido ao receber um percentual de aumento salarial liderança e relacionamento, e o aprimoramento
LA11 com base em seu desempenho. O aumento vai além do que dos gestores, que se transformam em consultores e
determinam os acordos sindicais. ajudam a promover o desenvolvimento profissional
HR5 O pilar da meritocracia inclui, ainda, programas de seus subordinados. Mais capacitados e seguros, os
de reconhecimento, que premiam o desenvolvimento funcionários podem melhorar os processos industriais
LA4 de inovação em produtos e processos. Por meio dele, e assumir responsabilidades, como contratar e desligar
os funcionários são incentivados a adotar uma postura componentes da equipe.
participativa e contribuir com melhorias à empresa. O resultado do novo modelo é o ganho em
Outra importante reestruturação aconteceu em eficiência, com equipes mais enxutas, diminuição
2009, quando a empresa identificou uma oportunidade dos níveis hierárquicos e aproximação de gestores e
de melhoria no sistema de automação dos processos de subordinados, o que torna o processo de tomada de
gestão de pessoas (Our Source). Um plano de ação já foi decisão mais dinâmico. São previstos, também, aumento
desenvolvido para colocar a ideia em prática. da produtividade e redução dos custos na operação.

Desenvolvimento profissional Relações sindicais


Para a Johnson & Johnson, profissionais mais preparados Para cuidar do relacionamento com os sindicatos, a
significam melhor desempenho nos negócios. Para os Johnson & Johnson do Brasil possui um departamento
profissionais, capacitação significa oportunidade de específico de Relações Sindicais, que dialoga com 70
usufruir da política de meritocracia, que toma por base sindicatos, de diferentes áreas, em todo o País.
seu desenvolvimento. A qualificação acontece por meio Em suas operações, a empresa não identifica elos em
do treinamento (técnico e comportamental), concessão de que exista o risco à liberdade de associação e à negociação
bolsas de estudo e planejamento de carreira para todos os coletiva, exercida pelos empregados, seguindo seus
níveis funcionais. As bolsas contemplam os níveis técnico, critérios individuais de avaliação.
médio, superior e pós-graduação. Todos os empregados (100%) da empresa têm
Os programas de educação e qualificação são assegurada a inclusão na Convenção Coletiva de Trabalho
definidos anualmente, com consulta aos gestores de ou Acordo Coletivo de Trabalho – respeitadas as suas
cada área e de acordo com o perfil e as expectativas categorias profissionais. A Convenção amplia benefícios
do funcionário na empresa. Ao final de cada ciclo, para os funcionários e é feita diretamente entre a empresa
os empregados passam por avaliações técnicas e e o Sindicato dos Químicos do Estado de São Paulo, que

36 johnson & johnson 2009


abrange 80% do público sindicalizado. As resoluções são Ainda assim, o cenário macroeconômico e o mercado
replicadas às demais áreas, como forma de garantir os de trabalho brasileiro, em 2008, levaram a uma grande
mesmos direitos e benefícios a todos os funcionários. pressão sobre as negociações sindicais, resultando em
Por esses meios, a Johnson & Johnson do Brasil uma paralisação. As negociações resultaram em acordo e,
mantém um ambiente de diálogo com seus funcionários. em 2009, não houve paralisação.

Treinamento em vendas
As equipes de vendas têm recursos exclusivos para realizados 2 mil cursos de reciclagem de produtos, o que
treinamentos, pois o contato direto com o cliente, ou facilita o acesso ao conhecimento.
profissionais de saúde, é essencial para o entendimento Os módulos são direcionados não somente a vendedores,
e o manuseio adequados dos produtos. Os treinamentos mas também a distribuidores, responsáveis por
são customizados para cada segmento e perfil, merchandising nos pontos de venda e profissionais de
demandando investimentos financeiros e de tempo logística, que, embora não sejam funcionários da divisão,
variáveis. No caso de vendas de medicamentos ou mantêm contato direto com os clientes. As metas de
de dispositivos médico-diagnósticos, as capacitações capacitação são definidas anualmente, e, ao final do ciclo,
abordam tanto o produto quanto a postura adequada são levantados o desempenho de cada pessoa e os pontos
diante de profissionais ou de instituições de saúde. que precisam ser mais bem trabalhados no ano seguinte.
Alguns módulos de treinamento, porém, são comuns em Já na Janssen-Cilag, para assegurar a sustentabilidade
todos os segmentos, como o de Programa Internacional das mensagens a médicos e pacientes, os quase 500
de Boas Práticas no Segmento de Saúde (HCBI – Health profissionais de vendas passam por um programa
Care Business Integrity), essencial para uma conduta de treinamento baseado em três pilares: Formação
ética nas relações comerciais. (novos colaboradores e lançamentos), Reciclagem
Com ampla estrutura de vendas, a divisão de Produtos e Desenvolvimento. O treinamento é realizado pela
de Consumo desenvolveu modelos de treinamentos Universidade Janssen-Cilag, que oferece programas
presenciais, por meio de multiplicadores, e on-line, com focados em educação, em aspectos técnico-clínicos
ferramentas eletrônicas, tais como a Universidade J&J e a dos produtos, em habilidades de vendas e no
Business School, uma escola da divisão focada na equipe desenvolvimento de competências (Rep Diamond, DM
de Customer Development (vendas). Em 2009, foram Excellence e GC Excellence).

Relatório de sustentabilidade 37
Trabalho na Johnson & Johnson

Reconhecimento em segurança

A Johnson & Johnson é modelo em Saúde & Programa global de ergonomia


Segurança no Trabalho no mundo todo. Movida pelo A Johnson & Johnson tem uma preocupação especial
Nosso Credo, ao longo de sua trajetória desenvolveu com a segurança e a eficiência do processo de trabalho
procedimentos e tecnologias com o objetivo de proteger de seus funcionários. A atenção é redobrada nas fábricas,
os funcionários de acidentes no trabalho. A premissa onde os riscos de doenças ocupacionais são maiores, mas
determina que todos são responsáveis por manter um também contempla a sede administrativa. Para evitar a
ambiente seguro. Para isso, contam com o suporte de ocorrência de lesões, o programa global Ergo determina
uma área dedicada aos temas de Saúde, Segurança e Meio diretrizes de atuação para o Departamento de Saúde,
Ambiente que segue políticas globais. Segurança e Meio Ambiente e desenha uma Escala de
Assegurar que todas as ações estejam em Maturidade ergonômica, com sete degraus (ou passos) até
conformidade com a legislação local, incluindo as a consolidação de uma cultura ergonômica na empresa –
normas reguladoras de cada setor envolvido, é o primeiro sendo 6 o nível mais elevado de construção da cultura.
requisito observado. Em seguida, a atuação deve garantir No Brasil, o programa Ergo está no passo 5 da escala
a implantação das 26 políticas definidas pela Johnson & de maturidade proposta, que consiste em auditorias internas
Johnson mundialmente. e identificação de oportunidades de melhorias. O próximo
LA6 As necessidades de cada setor são atendidas de forma desafio é passar por auditorias externas e consolidar a
direta e eficiente, como provam os 26 anos sem acidentes cultura ergonômica por toda a empresa.
da fábrica de artigos de Higiene Oral, entre outros bons Em 2009, foi lançada uma nova ferramenta
resultados alcançados pelas demais fábricas da empresa, em tecnológica de análise, que torna a avaliação mais precisa
São José dos Campos. por reunir um maior número de informações em uma
O esforço apoia-se nos comitês de Saúde & mesma plataforma. Todas as empresas do grupo Johnson
Segurança constituídos pelos próprios colaboradores, & Johnson no mundo receberam treinamento específico
nas Comissões Internas de Prevenção de Acidentes para a implantação do sistema.
(Cipas) e em outros grupos mais específicos, como o No parque industrial, o tema é tratado pelos Comitês
Comitê de Segurança Biológica e o Comitê de Substâncias de Ergonomia, formados por representantes de cada unidade
Químicas. As Cipas atendem a requisito legal (NR-5), fabril. Eles são responsáveis por mapear as condições de cada
quanto ao número de participantes da empresa, e também posto de trabalho, desenvolver soluções e treinar funcionários
mantêm as brigadas de incêndio, que contam com 838 de todos os níveis. No dia a dia, contam com o apoio das
funcionários treinados anualmente. equipes de segurança das fábricas para monitorar as ações e
Nas sedes administrativas, os aspectos de segurança modificá-las, se necessário. Como medida preventiva, cada
passaram a receber mais atenção em 2009. As ações são novo equipamento adquirido, assim como grandes projetos
coordenadas por um departamento próprio e, embora estruturais, são avaliados do ponto de vista ergonômico.
sejam de natureza bastante distinta em relação às
atividades das fábricas, o procedimento de trabalho é o Safe Fleet
mesmo: identificar os maiores riscos de acidentes e lesões Com o programa Safe Fleet (Direção Segura), a política de
e desenvolver planos de ação. segurança do funcionário ultrapassa as dependências da
As preocupações em Saúde e Segurança também se empresa. O programa começou, formalmente, em 1981 e
estendem aos funcionários terceirizados e temporários, que foi reformulado em 1990, com diretrizes mundiais e metas
recebem orientações sobre como devem se portar em todas estipuladas localmente. Desde então, todos os profissionais
as dependências da Johnson & Johnson para prevenção de de vendas e os executivos, que utilizam carros da empresa
acidentes, de acordo com o tipo de serviço prestado. em seu dia a dia, recebem treinamentos no momento da

38 johnson & johnson 2009


Gestão de riscos tóxicos
A Johnson & Johnson segue padrões complexidade, neste caso, diz respeito à inexistência de
internacionalmente aceitos para o reconhecimento, o limites de exposição já determinados – e que exigem
controle e a gestão dos riscos ocupacionais em todas grandes investimentos para sua determinação – e à
as suas fábricas. A diversidade e a complexidade dos necessidade do desenvolvimento de métodos analíticos
processos e atividades industriais da empresa são específicos e de estudos toxicológicos. Ainda, os níveis
mapeadas, os riscos são reconhecidos qualitativa e aceitáveis de exposição de ingredientes ativos são muito
quantitativamente, e medidas de controle são adotadas menores do que aqueles estabelecidos para os produtos
para a proteção da saúde de seus colaboradores e para químicos em geral.
a conservação do meio ambiente. A gestão dos riscos na área farmacêutica é centrada
Na área farmacêutica, os riscos de toxicidade estão diretamente no controle da exposição do trabalhador
relacionados à utilização de substâncias cujos danos à à fonte original (o ativo farmacêutico), que inclui seu
saúde ainda não são totalmente conhecidos, diante das enclausuramento e a utilização de Equipamentos de
limitadas informações existentes na literatura. A Proteção Individual.

integração, passam por cursos práticos de direção defensiva Com o melhor desempenho em todo o grupo de
BTW e depois se atualizam (tanto os usuários como seus empresas da Johnson & Johnson no mundo, o Brasil é
familiares) por meio de capacitações via internet (www.e- modelo em Safe Fleet. Ano a ano, mantém-se abaixo do
segurancaparatodos.com), pelo Business School e por games limite máximo de acidentes por quilômetros rodados,
que estimulam a lembrança constante das diretrizes da mesmo com os novos usuários que o programa recebe.
direção defensiva. Os números são reportados à matriz em conjunto com
Os profissionais são também responsáveis pelas toda a América Latina, e, bienalmente, uma auditoria
manutenções periódicas dos automóveis. Aqueles que externa avalia o andamento do programa em cada país, de
receberam mais de uma multa grave em seis meses passam acordo padrões internacionais.
por novos treinamentos.

Número de acidentes por milhões de milhas rodadas (América Latina)

2005 2006 2007 2008 2009


Limite APMM* 3,30 3,20 3,10 3,40 3,50
Consumo 2.94 2.87 2.38 2.83 3,44
Medical 2,94 2,87 2,38 2,83 3,35
Janssen-Cilag 3,15 2,92 3,19 5,31 6,52

*Acidente por milhão de milha percorrida

Relatório de sustentabilidade 39
Trabalho na Johnson & Johnson

Construindo a diversidade

Oferecer igualdade de oportunidade de emprego socioculturais, mas merecem tratamento interno por meio
e de desenvolvimento é o conceito aplicado na política das ações corporativas. Para enfrentar o problema, a filial
global de inclusão da Johnson & Johnson e que deve ser brasileira incentiva o desenvolvimento profissional das
formalizado com ações específicas em cada país. No Brasil, mulheres por meio da disponibilização de bolsas de estudo,
os indicadores mostram que a questão da inclusão ainda treinamentos e acompanhamento dos planos de carreiras em
precisa ser trabalhada pela empresa, mas algumas ações já todos os níveis, operacionais e administrativos.
estão em andamento, como o programa Johnson & Johnson A mesma análise é feita sobre a presença de
Para Todos (descrito, a seguir), que capacita portadores de negros no quadro funcional, ainda baixa. Para ampliar a
deficiências físicas para o trabalho na empresa. discussão sobre o tema e identificar formas de aumentar
As diferenças que persistem nas questões de gênero, os programas de inclusão, de um modo geral, o setor de
especialmente nos quesitos cargos de liderança e valores recursos humanos estimula a realização de ações com
salariais, refletem, no entender da empresa, questões foco em diversidade.

Pesquisas apoiam Comitê de Diversidade e Inclusão


A Johnson & Johnson Produtos para Consumo conta com trabalho. Desde 2007, são realizados levantamentos
LA13 um Comitê de Diversidade e Inclusão para a América de gênero para verificar como está a representação de
Latina, que define estratégias e atividades relacionadas ao homens e mulheres na divisão, além de avaliar o número
tema. Formado por funcionários de áreas, países e níveis de mulheres em posições de liderança. Em 2009, uma
hierárquicos variados, segue os princípios do modelo pesquisa qualitativa foi realizada para investigar quais
estratégico de diversidade, criado em 2008, pelo time global. são as necessidades das mulheres contratadas. Entre
São duas as frentes de trabalho do Comitê: Força de os assuntos abordados pela pesquisa estão objetivos
Trabalho, que trata dos assuntos relacionados à diversidade de carreira, prováveis barreiras e o desenvolvimento
em si, como gênero e situação socioeconômica, no qual profissional das mulheres.
está inserido o Programa Jovem Aprendiz; e Ambiente de O próximo passo do Comitê será implantar, em 2010,
Trabalho, diretamente ligado às questões culturais, com ações baseadas nos resultados dos estudos realizados,
destaque para a valorização e o respeito às diferenças. que refletem o maior conhecimento das necessidades,
O Comitê tem como diretriz desenvolver estudos para e as sugestões de mudanças apontadas pelos próprios
aprofundar o conhecimento sobre o perfil da força de funcionários.

Diversidade em números – 2009


(percentuais em relação ao total de trabalhadores)

Mulheres Homens Deficientes


Diretoria 21,43% 78,57%
Gerência 32,86% 67,14% 0,1%
Administrativo 49,73% 50,27% 1,02%
Produção 23,73% 76,27% 3,66%
Aprendizes 23,08% 76,92%
Trainees 51,32% 48,68%
Estagiários 61,26% 38,74%

40 johnson & johnson 2009


Proporção do salário médio entre Funcionários negros – 2009
homens e mulheres (R$) - 2009 (percentuais em relação ao total de trabalhadores, por gênero e categoria)

Categoria Mulheres Homens Categoria Mulheres Homens


Diretoria 29.748,84 35.004,67 Diretoria - 0,02%
Gerência 12.603,53 12.959,79 Gerência 0,12% 0,22%
Administrativo 5.175,49 5.383,937 Administrativo 1,5% 0,85%
Produção 1.615,19 2.236,998 Produção 2,46% 3,68%
Trainees 3.611,11 3.550,301 Aprendizes 0,06% -
Estagiários 1.588,33 1.507,293 Trainees - 0,02%
Terceiros, temporários Estagiários 0,24% 0,05%
(Aprendizes) 1.012 759

Johnson & Johnson Para Todos Na Janssen-Cilag, a parceria com o Lar Escola
Motivada pela lei de cotas para pessoas com deficiência, São Francisco, da Universidade Federal de São Paulo
em 2006 a empresa lançou o programa Johnson & (Unifesp), já capacitou 20 deficientes físicos e visuais em
Johnson Para Todos. Mas a proposta vai além da áreas como informática e administração. Do total, sete já
conformidade jurídica e incentiva o desenvolvimento trabalham na empresa, como auxiliares administrativos
de potenciais funcionários por meio da educação. O em diferentes áreas. Uma nova turma, com dez alunos, foi
programa foi desenhado para atender aos perfis das vagas formada em 2009.
de cada divisão de negócios e inclui mais pessoas do que No parque industrial, a parceria com o Senai LA14
se pretende absorver, com o intuito de contribuir para a ofereceu treinamento em áreas técnicas, como
profissionalização e a inclusão de deficientes no mercado mecânica e elétrica. Contratados como funcionários
de trabalho. Os novos funcionários ocupam vagas de da empresa, os alunos passam a jornada de trabalho
auxiliares administrativos e funcionários de fábricas. de meio período no curso, que dura 18 meses e pode
Na fábrica de Produtos de Consumo, uma consultoria ser estendido por mais um período. Após a conclusão,
especializada desenvolveu um curso específico na Uni podem ser absorvidos nas fábricas, de acordo com as
Sant’Ana, alinhado com a Secretaria e o Ministério da vagas disponíveis.
Educação. Os candidatos devem ter Ensino Médio Para receber os mais de 100 trabalhadores portadores
completo e passam por capacitação e processo seletivo. de deficiências físicas leves e dificuldades auditivas que
As aulas incluem matemática, português, informática, existem hoje no parque, as fábricas passaram por adaptações
comportamento e conhecimentos gerais. estruturais, previstas na lei.

Inclusão da Diversidade
A percepção de que um ambiente de trabalho rico em No Brasil, um dos temas priorizados foram mulheres
diversidade se torna mais produtivo pela coexistência de grávidas ou em fase de amamentação, com a criação
diferentes opiniões e perspectivas focadas em objetivos de programas de apoio. Foram também criados
comuns incentivou a Johnson & Johnson Medical a workshops de conscientização sobre a importância da
desenvolver o programa Inclusão da Diversidade. Cada inclusão, voltados para os funcionários, e um folder
unidade da Johnson & Johnson Medical, no mundo, que explica o contexto da diversidade no Brasil,
formou seu comitê, que se reúne mensalmente para entregue a todos os executivos estrangeiros, de outras
identificar oportunidades de fomento à integração dos empresas do grupo Johnson & Johnson, que visitam a
funcionários e criar planos de ação. divisão no País.

Relatório de sustentabilidade 41
“Somos responsáveis perante as comunidades nas quais vivemos e trabalhamos,
bem como perante a comunidade mundial.
Devemos ser bons cidadãos – apoiar boas obras sociais e de caridade
e arcar com a nossa justa parcela de impostos.
Devemos encorajar o desenvolvimento do civismo
e a melhoria da saúde e da educação.”
(Trecho retirado do documento Nosso Credo)

Relações com a comunidade

Parceria e desenvolvimento

C
om foco em pessoas, a Johnson & Johnson tem como desafio construir
relacionamentos cada vez mais sólidos com as comunidades em que
está presente. Os impactos diretos tornam-se uma oportunidade para
contribuir com o desenvolvimento econômico e social, aproveitando seus
conhecimentos para promover qualidade de vida

O compromisso com o desenvolvimento


social e com as comunidades localizadas no entorno
de suas operações é parte relevante das práticas de
responsabilidade socioambiental da Johnson & Johnson. A
diretriz está incorporada nas unidades locais da empresa,
que desenvolvem diferentes ações sociais, de acordo com
as necessidades regionais e de forma alinhada às diretrizes
globais para o investimento social.
Além das ações locais, o País recebe recursos do
Comitê de Contribuições Corporativo para apoiar projetos
sociais na área de saúde. Em cada país, os comitês apoiam
projetos que atendam aos princípios definidos globalmente
e respondam às demandas da comunidade local. No
modelo de gestão do investimento privado adotado pela
Johnson & Johnson, os líderes do negócio são também
lideranças no Comitê de Contribuições locais, responsáveis
pela decisão de como e em que projetos investir. O modelo
reflete a preocupação com a assimilação gradativa desses
valores como parte da gestão da empresa.
De modo a aprofundar a percepção dos seus
impactos – positivos e negativos – sobre a comunidade e o
meio ambiente, a Johnson & Johnson do Brasil tem como
desafio ampliar seus canais de diálogo e de engajamento
com seus diversos públicos, especialmente com aqueles que
vivem nas proximidades de suas unidades operacionais. Para contribuir com a comunidade do entorno da sede, a
empresa participa do Projeto Pomar, no rio Pinheiros

42 johnson & johnson 2009


Fortalecendo o pilar social

Com 90% do orçamento financiado pela empresa, a Fundação Escola de Enfermagem R. W. Johnson forma 30 técnicos
especializados anualmente

Presente há 76 anos no País, a Johnson & Johnson absorveram e desenvolveram a mão de obra local.
do Brasil destaca-se pelo investimento contínuo no A Johnson & Johnson do Brasil apoia diversos
pilar social. A percepção das demandas locais vem projetos que contribuem para a geração de renda e a
principalmente das relações que a empresa cultivou promoção da saúde. Também realiza campanhas de
com a comunidade, ao longo dos anos. Em especial mobilização, como a campanha de doação de medula, que
com a vizinha São José dos Campos, onde os impactos conseguiu reunir mais de 300 doadores em um único dia,
da presença da empresa são ainda maiores e mais todos funcionários do parque.
diretamente sentidos, em função do porte e da natureza Entre os projetos de maior repercussão, estão o
das atividades realizadas no parque industrial. projeto Arte de Viver, a Fundação Escola de Enfermagem
A chegada da empresa motivou o crescimento R. W. Johnson e os investimentos na organização não
econômico e político da região ao atrair novos governamental Criança Segura. Confira, a seguir, alguns
investimentos e gerar centenas de empregos, que dos principais projetos.

Relatório de sustentabilidade 43
Relações com a comunidade

Contribuição social das divisões no Brasil 2008/2009

Organização apoiada 2008 2009


Fundação Escola de Enfermagem R. W. Johnson R$ 518.150,00 R$ 300.000,00
Fundação Cultural Cassiano Ricardo R$ 6.450,00 R$ 6.500,00
Associação Junior Achievement R$ 15.000,00 R$ 18.000,00
JAM (organização social de jovens aprendizes) R$ 344.150,00 R$ 300.000,00
GAMT (organização social de jovens aprendizes) R$ 52.128,00 R$ 54.000,00
FUNDHAS (organização social de jovens aprendizes) R$ 175.789,00 R$ 750.000,00
Criança Segura – Safe Kids R$ 540.000,00 R$ 455.250,00
Projeto Pomar R$ 56.050,00 R$ 39.000,00
CPA (organização social de jovens aprendizes) R$ 19.652,00 R$ 112.000,00

O programa Arte de Viver promove a reintegração social de pacientes com esquizofrenia, estimulando atividades produtivas
em pintura e literatura
44 johnson & johnson 2009
Arte de viver O Programa Arte de Viver, promovido tem como objetivo prevenir acidentes com crianças e
pela Janssen-Cilag, estimula a reintegração social de adolescentes de até 14 anos. Como uma das fundadoras
portadores de esquizofrenia por meio de atividades e mantenedoras da ONG, a Johnson & Johnson trouxe
produtivas. A esquizofrenia é uma doença mental a instituição para o Brasil, em 2001, e é responsável por
crônica que atinge aproximadamente 2 milhões de cerca de 60% de sua receita total no País.
pessoas no Brasil. A adaptação das ações para a atuação local foi
Além dos medicamentos, fundamentais para o desenvolvida com a participação dos voluntários
sucesso do tratamento, as abordagens psicossociais, que da Johnson & Johnson. Em parceria com a ONG,
incluem atividades artísticas, contribuem bastante para a definiram uma metodologia de trabalho apropriada às
melhoria da qualidade de vida dos pacientes. particularidades nacionais, testada no projeto-piloto
O programa organiza um concurso cultural, anual, Criança Segura na Escola, em São José dos Campos.
além de “Tardes de Pintura”, que reúnem pacientes de Dentre os projetos desenvolvidos pela ONG, destacam-se
esquizofrenia nos hospitais. Em 2009, pacientes de todo ainda o Programa Criança Segura no Carro e o Programa
o País receberam mais de 3 mil kits, com pincéis, tintas Pedestre.
e tela, e foram incentivados por médicos e profissionais Os acidentes são a principal causa de morte de
especializados em saúde mental a produzir obras de pintura crianças entre 1 e 14 anos. Segundo o Ministério da
e literatura. O júri do concurso é formado por artistas, Saúde, cerca de 6 mil crianças morrem e 140 mil são
psiquiatras e professores de artes plásticas. As três melhores hospitalizadas por ano, com estimativa de gasto de
obras recebem prêmios e as cem mais votadas, em pintura e R$ 63 milhões na rede do Sistema Único de Saúde.
literatura, são publicadas nos livros do projeto. Entretanto, 90% dos acidentes poderiam ser evitados
Em 2009, o projeto foi reconhecido ao receber o com iniciativas simples, como o uso de cadeirinhas nos
Prêmio “Lupa de Ouro”, de responsabilidade social, do veículos. A medida foi foco de uma campanha da ONG
Grupemef. no Brasil, que virou lei federal em 2008.

Fundação Escola de Enfermagem R. W. FIRST Robotics Competition Com o intuito de


Johnson A Fundação Escola de Enfermagem R. W. incentivar o interesse dos jovens brasileiros em ciência
Johnson funciona dentro do parque industrial e já formou e tecnologia, a Johnson & Johnson do Brasil levou um
790 profissionais. Inaugurada em 1976, a instituição campeonato mundial de robótica para São José dos
tem 90% de suas atividades financiadas pela empresa. Campos. O First Robotics Competition (For Inspiration
O restante é complementado pelo pagamento de uma and Recognition of Science and Technology), que reúne
mensalidade simbólica. estudantes do mundo todo, com o objetivo de criar robôs
O curso dura dois anos e se divide em mil horas de manipulados por controle remoto.
estágio e 1,2 mil horas de conteúdo teórico. Os 30 técnicos A iniciativa de promover o First no Brasil e
de enfermagem formados anualmente são acompanhados levar os vencedores à final, em Atlanta, contou com a
a cada cinco anos por meio de pesquisa de egressos, e o parceira da prefeitura de São José dos Campos e recebeu
índice de empregabilidade é de 95%. A fundação oferece recursos do Departamento de Engenharia. Desde que
também bolsas de estudo para os alunos de baixa renda. se iniciou no Brasil, em 2003, a competição já envolveu
A Escola promove cursos de especialização para diretamente 200 alunos e 30 engenheiros voluntários da
técnicos, nas áreas de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e empresa, desenvolveu dez robôs e recebeu 25 prêmios.
de Centro Cirúrgico, e, em parceria com a prefeitura de São Entre os prêmios mais comemorados de 2008, estão
José dos Campos, cursos de aprimoramento para auxiliares o de envolvimento da comunidade, recebido pela
e técnicos de enfermagens de instituições de saúde. primeira vez por uma equipe fora dos Estados Unidos,
e o de neutralização de carbono, feito com o plantio
Criança Segura Criança Segura é uma organização de árvores. Em 2009, os prêmios de destaque foram de
não governamental, criada nos Estados Unidos, que inovação e controle e de espírito de equipe.

Relatório de sustentabilidade 45
Relações com a comunidade

Diretrizes globais, benefícios locais

Com o objetivo de estruturar e sistematizar uma Seguindo a metodologia proposta, o Brasil


política corporativa de gestão de investimentos em projeto constituiu um comitê, composto pelas lideranças dos
sociais foi criado, em 2004, o Comitê de Contribuições do três segmentos – farmacêutico, médico-diagnóstico e
Brasil, seguindo diretrizes globais. Ele define três pilares de produtos de consumo –, responsável por buscar e
temáticos, afinados com os valores do Nosso Credo e com avaliar os projetos. Em reuniões semestrais, são definidos
os nichos de atuação da Johnson & Johnson: capacitar os focos e os valores de investimento e é relatado
profissionais de saúde, salvar e melhorar vidas e prevenir o andamento das ações, para garantir que estejam
doenças. Em cada pilar, foram definidos de quatro a seis cumprindo, efetivamente, os compromissos assumidos
linhas estratégicas, e cada divisão avalia as que são mais nos pilares.
importantes para a sua realidade. Das estratégias propostas Dentre os projetos selecionados, destacam-se os de
globalmente, o Comitê foi o responsável por identificar as educação para meninas e os de prevenção e tratamento do
que melhor atendem às necessidades locais e buscou definir HIV/Aids. Todas as instituições financiadas passam por
projetos que as representem. avaliação, de acordo com regulamentações internas da área.

Projetos apoiados pelo Comitê Corporativo de Contribuições no Brasil 2008/2009 (US$)

ec1
Programas regulares 2008 2009
Renascer (saúde da mulher e educação para saúde para meninas) – RJ 90.000 60.000
Inmed (educação para saúde para meninas) – SP 70.000 50.000
Instituto Kaplan (educação para saúde para meninas) – SP 60.000 40.000
Unibes (saúde e programa educacional para jovens em situação de risco social) – SP 45.000 35.000
Cria (saúde e educação para adolescentes) – BA 45.000 35.000
Gol de Letra (educação para saúde para meninas) – SP 40.000 30.000
Cata Sampa (educação e saúde para catadores) 0 30.000
Instituto Rã Bugio (educação ambiental para crianças de escolas públicas) 0 30.000
Núcleo de Estudos em Esportes e Ortopedia 0 30.000
Fundação Julita 0 30.000
United Way (apoiar mulheres em risco de abuso e violência) 0 30.000
Hospital Antoninho da Rocha Marmo 55.000 0
Total 405.000 400.000

Projetos relacionados ao HIV/Aids 2008 2009


Alia (prevenção e educação quanto ao HIV/Aids para adolescentes em risco social) – Londrina 98.000 80.000
Ambulatório do Aidético 80.000 80.000
(programa de apoio ao tratamento do HIV/Aids para pacientes não internados) – Rio
ASF Fortaleza 75.000 70.000
Unas/United Way Brasil (comunidade, mulheres e prevenção ao HIV/Aids) 0 18.000
Programas voltados ao HIV/Aids – Total 253.000 248.000

Auxílio em situação de crise 2008 2009


Inmed (educação para prevenção de doenças causadas pela água contaminada das enchentes) 0 50.000
Total 0 50.000
Comitê de contribuição do Brasil (BRCC) – Total 658.000 698.000

46 johnson & johnson 2009


Pilares e estratégias do Comitê de Contribuições na companhia

Pilar I – Capacitar Pilar II – Salvar e Pilar III – Prevenir


profissionais de saúde melhorar vidas doenças

Estratégias*

Apoiar parto seguro


Suprir a necessidade de
e cuidados com o Prevenção de HIV/Aids
profissionais de saúde no mundo
recém-nascido

Incentivar liderança e gestão Capacitar jovens Doação de produtos

Desenvolver programas de
Apoiar mulheres e crianças Gestão ambiental e de
treinamento para profissionais de
em risco de abuso e violência higiene
saúde, baseado em competências

Gerar oportunidades de
Reduzir o impacto de
desenvolvimento e educação Preparar para enfrentamento
doenças crônicas e da
para a saúde para membros da de desastres
obesidade
comunidade

Reduzir a
Atendimento de emergência
institucionalização e o
em áreas atingidas por
abandono de pessoas com
desastres
doenças crônicas terminais

Fortalecimento econômico

*As estratégias destacadas são as aplicadas no Brasil

Por meio da arte cênica, a ONG Centro de Referência Integral de Adolescentes (Cria), na Bahia, leva educação e saúde a
jovens e influencia a formulação de políticas públicas sobre o tema
Relatório de sustentabilidade 47
Relações com a comunidade

Aproximação com o poder público

Para a Johnson & Johnson, o relacionamento licenciada, e, durante esse período, não há um instrumento
com o governo inclui os objetivos de contribuir para o legal que proteja a propriedade intelectual contra cópias.
desenvolvimento da comunidade global e buscar formas O único recurso daquele que a detém é notificar o
para aprimorar sua atuação no mercado. concorrente do risco de ter seu produto recolhido do
Em 2006, a Johnson & Johnson orientou as empresas mercado. A falta de agilidade dos mecanismos legais atuais
do grupo a estruturar um departamento exclusivo pode significar um risco para o setor. A empresa apoia a
para abordar as relações governamentais, de forma a instalação do Instituto Linked, que impediria o registro
sistematizar o trabalho de comunicação e relacionamento de um produto na Anvisa, caso ele já tenha um pedido de
com esse público. Os departamentos locais reportam-se patente, além da ampliação e da capacitação técnica dos
diretamente à matriz e seguem diretrizes internacionais, grupos responsáveis por avaliar os pedidos de patentes.
incorporando as adaptações locais. Ao criar uma instância Outra prioridade da área é promover o diálogo sobre
que representa a Johnson & Johnson institucionalmente, a atuação da Anvisa e discutir a participação do setor
sem interesses comerciais diretos e sem distinção entre as empresarial na regulamentação do mercado. Já a terceira
divisões, a medida trouxe mais foco às ações e aumentou a é a parceria na formulação de políticas públicas mais
eficiência e a transparência no relacionamento. efetivas na área de saúde, que deem suporte ao governo
No Brasil, são três as prioridades de atuação da na tomada de decisões. A ampliação do acesso a produtos
área. O desenvolvimento de mecanismos para aumentar de saúde é um dos assuntos mais trabalhados pela
So5 a eficiência de aplicação da política de patentes do País é Johnson & Johnson no tema. A atuação baseia-se em levar
a primeira. Com base na Lei de Patentes, de 1996, uma conhecimento técnico aos órgãos governamentais, sobre
patente pode demorar por volta de 15 anos para ser assuntos específicos que sejam relevantes à saúde pública.

48 johnson & johnson 2009


Programas de Educação Janssen-Cilag
A área de Educação Médica da Janssen-Cilag apoia o A área de acesso da Janssen-Cilag promove ainda
desenvolvimento de programas médicos educacionais o Programa Anual de Workshops e Palestras para
que são relevantes para os profissionais de saúde das os administradores públicos de saúde referente a
áreas terapêuticas relacionadas aos seus produtos. Os Economia da Saúde. O programa tem o objetivo de
programas visam preencher as necessidades de educação fornecer subsídios para ajudar os administradores
médica dos profissionais de saúde e da comunidade a encontrar o melhor equilíbrio entre a eficácia de
científica. Essas atividades educacionais contribuem um tratamento e o seu custo, priorizando recursos
de forma direta para melhorar o cuidado com os e encontrando maneiras para que profissionais de
pacientes no Brasil e estão em conformidade com todos saúde e pacientes tenham acesso aos tratamentos. Os
os requerimentos regulatórios atuais. Os programas cursos, as palestras, os eventos e os simpósios ligados
educacionais da divisão são vistos pelos profissionais de à área de Economia da Saúde auxiliam os gestores
saúde como atividades médicas com alta credibilidade, no processo de tomada de decisão, levando em conta
independentes e livres de influências comerciais diretas. eficácia, custos e desfechos clínicos.

Relatório de sustentabilidade 49
“Devemos manter em boa ordem as propriedades que temos o privilégio de usar, protegendo o
meio ambiente e os recursos naturais.”

(Trecho retirado do documento Nosso Credo)

Meio Ambiente

Saúde para o indivíduo e


para o planeta

C
onsciente de sua responsabilidade, a Johnson & Johnson estabelece
metas globais que se refletem em ações locais para conservar os
recursos naturais. O objetivo é melhorar processos para reduzir o
uso de insumos e a geração de resíduos, mantendo a qualidade dos produtos

A Johnson & Johnson do Brasil tem como prática


desenvolver ações com foco na melhoria da qualidade
do meio ambiente. A empresa investe em projetos de
desenvolvimento de boas práticas e de minimização dos
impactos causados pelas operações industriais, em todo o
processo produtivo.
Ao longo dos anos, com o aumento do conhecimento e
dos questionamentos sobre os impactos socioambientais
das atividades humanas, as ações da Johnson & Johnson
foram atualizadas e fortalecidas. Como exemplo, a
preocupação com a gestão das emissões de gases de efeito
estufa passou a ser um item relevante para a empresa.
Ainda no princípio da década de 1950, o Projeto de
Recuperação Ambiental do Parque Industrial de São
José dos Campos garantiu a manutenção de uma área
verde de 700 mil m2, nos 910 mil m2 de extensão do
parque. O compromisso de cuidar do meio ambiente e
da comunidade local motiva ainda a participação em
diversas iniciativas na região do entorno do parque, como
o Projeto de Revitalização das nascentes do rio Paraíba do
Sul, de caráter educativo, e o plantio de espécies nativas
nas nascentes dos rios da região.

50 johnson & johnson 2009


Healthy Planet 2010

Em 2006, a matriz da Johnson & Johnson lançou qualificados específicos. As metas devem ser cumpridas até
o Healthy Planet 2010 (Planeta Saudável), um amplo 2010, de acordo com as particularidades dos cenários. No
programa que define objetivos e metas globais, não Brasil, as metas têm sido cumpridas, e algumas, superadas,
financeiras, para incentivar a melhoria na gestão e tornando o parque industrial de São José dos Campos um
diminuir o impacto ambiental das atividades da empresa. exemplo para outras integrantes do grupo no mundo e um
O programa é dividido em dez temas, que contemplam dos fornecedores preferências da organização. No local, a
toda a cadeia de produção, conformidade legal, inauguração do Prédio de Utilidades é um dos principais
educação e divulgação das iniciativas, a fim de engajar os destaques, como modelo de gestão de energia, ar comprimido
funcionários, as empresas parceiras e o setor industrial. e de controle de emissões de gases de efeito estufa (GEE).
Internamente, todas as áreas foram envolvidas Em função do grande volume de atividades de
e reunidas em grupos (fábricas, centro de pesquisas, manufatura, a maior parte das iniciativas para atender
escritórios, entre outros), que são responsáveis por analisar ao Healthy Planet concentra-se no parque, onde os
o cenário, mapear desafios e oportunidades, criar e executar impactos ambientais são mais relevantes. Mas os prédios
planos de ação. administrativos também têm desenvolvido ações de
Para cada tema (como água, energia, redução de ecoeficiência, algumas por iniciativas dos próprios
resíduos, entre outros, descritos em detalhe, a seguir), funcionários, como o Ecomitê. Um grande plano de gestão
foram estabelecidas ações práticas e formas de medição dos do uso de recursos está sendo desenhado e terá andamento
resultados, que ficaram sob a responsabilidade de grupos em 2010, em São Paulo.

Relatório de sustentabilidade 51
Meio Ambiente

Metas

• 7% de redução absoluta em emissões de CO2 a partir de fontes estacionárias


• 30% de aumento na eficiência de consumo de combustível nos veículos da frota
Energia

Metas

• 10% de redução absoluta na geração de resíduos perigosos


• 10% de redução absoluta na geração de resíduos não perigosos
Redução de
resíduos

Metas

• D
 esenvolvimento e execução do programa “Além da Conformidade” para melhorar
o desempenho ambiental dos principais fabricantes e fornecedores externos

Manufatura
externa

Metas

•A umentar o uso de embalagens e de papel de escritório derivados de florestas


certificadas ou fabricados de materiais reciclados
Embalagem • Eliminar o PVC das embalagens, conforme as metas de franquia
e papel

Metas

• 10% de redução absoluta no uso de água


• 25% de redução absoluta no uso de água nas instalações em área de escassez de água
• Implementação de melhores práticas ampliadas para a conservação da água
Água

52 johnson & johnson 2009


Programa Healthy Planet 2010

Metas

• 1 00% dos parques industriais divulgam publicamente os seus programas


sustentáveis e desempenho
Transparência

Metas

• Ampliar a educação ambiental para todos os empregados J&J

Educação
Ambiental

Metas

• Ampliar a biodiversidade nas áreas controladas ou sob sua influência

Biodiversidade

Metas

• Zero descarga de emissões reportadas


• Zero violação notificada pelo governo
• Zero ultrapassagem de licenças
Conformidade

Metas

• 1 00% dos produtos com componentes eletrônicos oferecidos com retorno para
reciclagem ou remanufatura
•C  ada centro de Manufatura e Centro de Pesquisa & Desenvolvimento irá utilizar a
Administração ferramenta “Projeto para o Meio Ambiente” para melhorar o perfil ambiental dos
do produto produtos e o processo

Relatório de sustentabilidade 53
Meio Ambiente

Energia

O que diz o programa

Metas • 7% de redução absoluta em emissões de CO2 a partir de fontes estacionárias


• 30% de aumento na eficiência de consumo de combustível nos veículos da frota

Medidas • Redução nas emissões de CO2


EN18 • Aumento na eficiência do uso de combustível na frota

Progresso • 1990-2010 para fontes estacionárias


• 2003-2010 para fontes da frota

Grupos envolvidos • Fábricas, centros de pesquisa e desenvolvimento, escritórios, vendas e


marketing, centros de distribuição

A implantação do Healthy Planet 2010 emissões de SOx. A transformação do gás para vapor é
acelerou uma série de melhorias em ecoeficiência no realizada por apenas uma caldeira, com 95% de eficiência
parque industrial da empresa no Brasil. Uma delas foi o na queima, contra 85% das duas caldeiras anteriores. O
novo modelo de gestão de insumos de produção – que novo equipamento também tem capacidade para processar
compreendem energia, ar comprimido e água –, que, até óleo e gás GLP, preservando, assim, as atividades no caso de
então, era administrado pelas fábricas, individualmente. eventuais variações no mercado de combustíveis.
Desde junho de 2009, todos os processos de Com o novo sistema, a Johnson & Johnson do
recepção, produção e distribuição dos insumos estão Brasil ultrapassou a meta de redução de emissão de CO2
concentrados no Prédio de Utilidades, equipado com prevista. O prédio ainda reserva um espaço para trabalhar
máquinas de alta tecnologia, resultando em maior com biomassa, um projeto que está sendo estruturado
rendimento, menos desperdícios e menos emissões de para que se inicie em 2010. Chamado Waste to Energy
GEE (gases de efeito estufa). (Do Desperdício à Energia), o projeto vai aproveitar todos
Além de centralizar a gestão da energia em todo os resíduos orgânicos das áreas verdes do parque e todos
o parque, ele também trouxe a substituição do óleo os resíduos gerados nas indústrias, que não tiverem uma
combustível por gás natural, que emite menos CO2 e zera destinação adequada, para a produção de energia.

54 johnson & johnson 2009


Prédio de utilidades: gestão unificada e eficiente
• Investimento
O projeto de construção do prédio obteve financiamento integral da matriz, nos Estados Unidos.
Os R$ 4,5 milhões investidos, com retorno previsto em dois anos, cobriram também o treinamento dos antigos
funcionários, que aprenderam novas funções para atender ao modelo.

• Construção Sustentável
O Prédio segue o conceito de construção sustentável para galpões industriais, de acordo com o Green Building
Council. Utiliza apenas luz natural durante o dia e aproveita a ventilação natural, dispensando o uso de ar-
condicionado e ventiladores, mesmo com o calor emitido pelos equipamentos. Possui sistema de aproveitamento
da água da chuva, canalizada para resfriar os compressores e a caldeira, e é contornado por calçada permeável,
feita de blocos de concreto. A remoção de sete árvores existentes no terreno foi compensada com o plantio de 185
mudas de espécies nativas na área de reflorestamento do parque. As iniciativas de construção sustentável do prédio
serão replicadas nos próximos projetos no local.

• Ar comprimido
Por demandar muita energia em sua produção, o ar comprimido é um insumo caro e grande emissor de CO2.
Para melhorar o desempenho da empresa nesse quesito, o Prédio de Utilidades substituiu os 30 compressores
utilizados nas 11 fábricas por três máquinas modernas e 25% mais eficientes. Outra vantagem das tubulações é o
fato de serem externas e facilmente removíveis, facilitando o controle de vazamentos, a manutenção e a eventual
remodelação da estrutura, conforme as demandas das fábricas.

• Ecoeficiência na produção
Outra novidade da gestão de insumos é mensurar e monitorar o quanto envia de materiais para cada manufatura,
oferecendo instrumentos para que ela conheça sua produtividade, relacionando quanto usa de insumos por item
fabricado. Dessa forma, é possível mapear o consumo no processo de cada fábrica e criar metas próprias em suas
linhas, levando ecoeficiência a toda a cadeia de produção.

Relatório de sustentabilidade 55
Meio Ambiente

Consumo de Energia (por fonte de energia)

Parque Industrial (SJC)


Fonte de energia 2008 2009
Energia elétrica (kWh) 93.781.601 87.523.025
GLP (kg) 66.000 38.466
Óleo combustível (litros) 2.223.871 1.064.015
Gás natural (consumo
- 1.194.127
iniciado em junho de 2008)
Energia solar (kWh) 20.240 20.240

Parque Industrial (SJC)


Fonte de energia 2009
Energia elétrica (kWh) 2.668.942
GLP (kg) 9.000

Emissões diretas e indiretas de GEE (tonelada CO2)


EN3
Parque Industrial (SJC)
EN4 Tipo de Emissão 2008 2009
Emissão direta e indireta 14.700 13.106

EN16
Sede administrativa (SP)
Fonte de energia 2009
EN29
Emissão direta e indireta 225

1. Resultados de medições diretas de fontes estacionárias que utilizam


combustíveis fósseis (caldeiras).
2. Cálculo indireto da conversão de combustíveis fósseis em CO2
(restaurante).
3 . Cálculo indireto por meio do uso de energia elétrica, utilizando fator de
conversão adequado para a matriz energética da região (% proveniente de
hidroelétrica, % de termoelétrica etc.).

Bicombustíveis no combate ao aquecimento global


Desde junho de 2008, a Johnson & Johnson busca apenas um mês, o uso da gasolina caiu 30%. Em 2009,
diminuir a emissão de gases causadores do efeito 98% dos motoristas já optavam por abastecer seus
estufa, substituindo a frota de veículos movidos a veículos flex com álcool.
gasolina por automóveis flex. A medida começou Apesar dos bons resultados alcançados até o
a ser implantada com o convite aos profissionais momento, a empresa ainda enfrenta o desafio de
de vendas e de marketing para que utilizem álcool ampliar a medida para que novos veículos sejam
em vez de gasolina nos carros bicombustíveis, que adquiridos levando em conta, além de outros
representam 64% da frota. Como resultado, em atributos, a emissão de carbono por modelo.

56 johnson & johnson 2009


Redução de resíduos

O que diz o programa

Metas • 10% de redução absoluta na geração de resíduos perigosos


• 10% de redução absoluta na geração de resíduos não perigosos

Medidas • Peso dos resíduos perigosos e não perigosos gerados EN22

EN26
Progresso • 2005-2010 para geração de resíduos
• 2006-2010 para melhores práticas

Grupos envolvidos • Fábricas, centros de pesquisa e desenvolvimento, escritórios

Diminuir os resíduos gerados é sinônimo de Central de Reciclagem de Resíduos – CRR


maior eficiência dos processos industriais, menos custos Quando foi criada – em 1996 –, a Central de Reciclagem
e menores impactos ambientais. No Brasil, as principais de Resíduos já garantia a destinação adequada de 34% do
iniciativas têm como foco a melhoria nos processos e a total de resíduos gerados no Parque Industrial. Em 2009,
aquisição de máquinas que permitam diminuir a perda das mil toneladas produzidas mensalmente, 82,3% são
de material durante a fabricação. A análise sob essa recicladas, 2,3% são incineradas, 13,4% vão para aterros
ótica começa já no desenho de novos produtos e de seu industriais e 1% são resíduos líquidos, destinados à
modelo de manufatura. estação de tratamento de esgoto.
Uma forma de minimizar as perdas é o Os resíduos que chegam à Central incluem produtos
reaproveitamento das aparas e resíduos industriais na das fábricas que não atenderam aos rigorosos padrões de
própria fábrica, na composição de outros produtos. qualidade da empresa, além daqueles recolhidos dos centros
Como exemplo, em 2009, a Johnson & Johnson lançou de distribuição ou do mercado, que estejam danificados
a escova de dente Reach Eco, com 40% da haste ou próximos da data de vencimento. O desafio da equipe
produzida a partir de resíduos industriais, evitando gestora – formada por cinco profissionais e apoiada por 53
o uso de 11 toneladas de plástico virgem (veja mais colaboradores terceirizados – é encontrar soluções para o
detalhes sobre o produto no final deste capítulo). descarte adequado de cada tipo de material.

Relatório de sustentabilidade 57
Meio Ambiente

Para isso, pesquisam empresas de reciclagem em todo


o País, como a fabricante pernambucana que desenvolveu
um método de transformar papel com resina de silicone,
utilizado no Band-Aid, em guardanapos. Outros resíduos
vendidos a parceiros também voltam ao mercado sob a
forma de novos produtos, prolongando seu ciclo de vida.
Com o foco em inovação, em 2008, o setor passou
a utilizar, com o auxílio de um parceiro, uma técnica
de coprocessamento, que permite dar um novo destino
a 700 toneladas de materiais até então enviados para
incineração. O produto resultante é um combustível
alternativo, que gera energia térmica. A novidade
significou, ao mesmo tempo, elevação do índice de
reciclagem, redução de 53% nos custos de incineração e,
ainda, produção de energia alternativa.
Além da redução dos impactos ambientais e da
geração de lucro, a Central também contribui com projetos
sociais, atuando nos três pilares da sustentabilidade.
Um deles é a campanha de coleta de óleo de cozinha do
refeitório, no parque, que posteriormente é transformado
em novos produtos. Já para a Fazenda Esperança, que abriga
ex-dependentes químicos, doa plástico dos Cotonetes e das
escovas de dente para a produção de madeira plástica.

EN22

Reciclagem de óleo de cozinha


Com o objetivo de evitar os danos causados pelo especializada em coleta de produtos para
descarte do óleo de cozinha ao meio ambiente e reciclagem, que encaminha o óleo para uma
contribuir para a conservação dos corpos d’água, a indústria química para ser tratado e reaproveitado.
Johnson & Johnson recicla todo o óleo utilizado em seu Entre as muitas possibilidades de reciclagem do
refeitório. O processo de reciclagem existe há um ano e óleo de cozinha estão a produção de resina para
permite coletar entre 50 a 80 litros de óleo, por mês. tintas, de sabão, de detergentes, de glicerina, de
O resíduo é recolhido pela Lírum, empresa ração para animais e de biodiesel.

Resíduos Sólidos (tonelada)

Parque Industrial (SJC)


2008 2009
Destino Perigosos Não perigosos Perigosos Não perigosos
Reciclagem 9.208,9 9.406,4
Incineração (1) 380,6 304,9
Aterro Industrial 234,7 1.827,3 88,3 1.717,3
Coprocessamento (2)
748,241 1.419,3
(Recuperação energética)
(1)
Esse resíduo é incinerado e não é utilizado após incineração, nem mesmo como combustível.
(2)
É uma mistura homogênea (Blend) que permite o aproveitamento dos resíduos industriais combustíveis, nos seus diferentes estados
físicos, como um combustível alternativo em substituição parcial ao combustível fóssil não renovável, utilizado no processo de
produção de clínquer.

58 johnson & johnson 2009


Manufatura externa

O que diz o programa

Metas • Desenvolvimento e execução do programa “Além da Conformidade” para melhorar


o desempenho ambiental dos principais fabricantes e fornecedores externos

Medidas • 100% dos fabricantes externos têm um programa “Além da Conformidade”

EN26
Progresso • Início em 2006 e término 2010

Grupos envolvidos • Fábricas, centros de pesquisa e desenvolvimento, escritórios, vendas e


marketing, fabricantes externos e fornecedores

A Johnson & Johnson é bastante criteriosa com


seus fornecedores, especialmente no quesito qualidade
dos produtos e conformidade legal. Ao mesmo tempo,
tem a postura de trabalhar em parceria com eles,
criando um relacionamento que permita engajar as
empresas e incentivá-las a desenvolver iniciativas
de menor impacto ambiental e de cumprimento de
legislação de saúde e de segurança ocupacional.
Para cumprir uma das metas de utilização
adequada de papel de escritório e embalagens, por
exemplo, a empresa conversou com seus principais
fornecedores, que ainda não possuíam certificação de
origem da matéria-prima e, em conjunto, realizaram
um trabalho de rastreamento de toda a cadeia. Hoje,
90% de todo o papel utilizado no parque é certificado.

Relatório de sustentabilidade 59
Meio Ambiente

Embalagem e papel

O que diz o programa


• Aumentar o uso de embalagens e de papel de escritório derivados de florestas
Metas certificadas ou fabricados de materiais reciclados
• Eliminar o PVC das embalagens, conforme as metas de franquia

•A umentar a quantidade de embalagens fabricadas à base de papel e de papel de


Medidas escritório originadas de florestas certificadas
• Eliminação de 100% de embalagens com PVC, exceto de medicamentos e de
produtos médicos

Progresso • Início em 2006 e término em 2010

Grupos envolvidos • Fábricas, centros de pesquisa e desenvolvimento, escritórios, vendas e


marketing, fabricantes externos e fornecedores

Nos últimos anos, as embalagens receberam os possíveis riscos à saúde e à segurança do funcionário,
atenção especial da Johnson & Johnson, com a criação do consumidor final e do meio ambiente. Atualmente, os
do Departamento de Embalagem, em 2007. Estruturado principais focos no desenvolvimento de embalagens são
de forma global, os quatro principais centros ficam nos a redução máxima do uso de matéria-prima, a utilização
Estados Unidos, França, China e Brasil. O modelo de de materiais recicláveis e reciclados e a possibilidade de
gestão confere agilidade e flexibilidade ao setor, que reutilização do item pelo consumidor.
incorporou rapidamente as metas do Healthy Planet, de Quanto às metas do programa, o Brasil já cumpriu a
forma unificada em todo o mundo. A área está envolvida eliminação de PVC em todos os produtos e certificou 90%
nos temas: emissão de dióxidos de carbono, redução de de sua cadeia fornecedora de papel com selo FSC. O papel
resíduos, relacionamento com manufaturas externas, papel e é utilizado nos escritórios, na fabricação de cartuchos e das
embalagens e água. caixas que transportam os itens.
Para desenvolver projetos inovadores de baixo Da aproximação com o mercado de reciclagem
impacto ambiental e atender as metas, o departamento brasileiro, surgiu o trabalho realizado no pilar social da
adotou o Design for Environment, que visa desenvolver sustentabilidade. Trata-se do estímulo ao desenvolvimento
produtos com o mínimo necessário de material, e à profissionalização do setor, por meio da criação de um
sem perder a qualidade, e dá preferência a matérias- selo que garanta a qualidade e a eficiência dos recicladores,
primas recicláveis e recicladas – além de priorizar os tanto como fornecedores de matérias-primas quanto como
fornecedores locais. clientes, que adquirem os resíduos das fábricas. Pioneira
O Design for Environment prevê etapas para o no mundo, a iniciativa está sendo formatada por uma
processo, do planejamento à fabricação, rastreando as consultoria americana, para que possa ser utilizada por todo
cadeias das matérias-primas e o mapeamento de todos o mercado, sem vincular o selo à marca Johnson & Johnson.

60 johnson & johnson 2009


Água

O que diz o programa

• 10% de redução absoluta no uso de água


Metas • 25% de redução absoluta no uso de água nas instalações em área de escassez de água
• Implementação de melhores práticas ampliadas para a conservação da água.

Medidas • Volume de água usado

Progresso • Início em 2006 e término em 2010 EN8

Grupos envolvidos • Fábricas, centros de pesquisa e desenvolvimento, escritórios EN9

EN21

A meta de 10% de redução do uso de água é a Captação e descarte de água


mais desafiadora na empresa, em função da natureza de Toda a água utilizada nas fábricas e nos prédios
suas atividades industriais. Mas muitas ações já estão em administrativos em São José dos Campos vem de
andamento. O Prédio de Utilidades, por exemplo, que cinco poços semiartesianos, distribuídos pelo parque.
centraliza a distribuição do insumo, possui um sistema que A empresa tem licença do Departamento de Água e
capta a água das chuvas e reutiliza-a para o resfriamento Energia Elétrica para captar o insumo e utiliza menos de
da caldeira e dos compressores de ar. Para as próximas 50% do total permitido, conservando o lençol freático.
construções, está prevista a instalação de mais sistemas como Periodicamente, reporta as extrações ao órgão e recebe
esse e de outras tecnologias, como as descargas econômicas. visitas técnicas que verificam as informações. O descarte
Uma das iniciativas mais efetivas já implantadas é de água residual também está em conformidade com
o projeto-piloto de Ecoeficiência na produção realizado a Cetesb (Companhia Ambiental do estado de São
na fábrica de artigos de toucador, manufatura que mais Paulo). A Johnson & Johnson possui sua própria Estação
consome água e insumos no processo produtivo. Consiste de Tratamento Biológico de Esgoto, que, com 90% de
em medir o quanto a fábrica recebe de água, mapear eficiência, lança a água no córrego da Ressaca – um
todos os processos, verificar se há desperdícios e planejar afluente do rio Paraíba do Sul – mais limpa do que a do
de que forma esse processo pode se tornar mais eficiente. próprio córrego.

Consumo de água (m3/ano) Descarte de água (m3)

Parque Industrial (SJC) Parque Industrial (SJC)


2008 2009 2008 2009
666.656 586.934 474.569 438.614

Relatório de sustentabilidade 61
Meio Ambiente

Transparência

O que diz o programa


Metas • 100% dos parques industriais divulgam publicamente os seus programas
sustentáveis e desempenho

Medidas • Distribuição do sumário anual (impresso ou on-line) para o público


• Inclusão do programa de conservação da biodiversidade na JNJ.com

Progresso • 50% dos principais parques industriais em 2006


• 100% de todos os parques industriais em 2007

Grupos envolvidos • Fábricas, centros de pesquisa e desenvolvimento, escritórios

Cumprindo a meta de transparência do público, por meio do site da empresa. Dessa forma,
Healthy Planet 2010, a Johnson & Johnson do Brasil todas as empresas do grupo podem trocar experiências
divulga suas ações e desempenho para a redução e replicar as melhoras práticas, uma cultura que
dos impactos ambientais mundialmente. Os dados contribui para o fortalecimento da organização em
são enviados à matriz e colocados à disposição do dimensões globais.

62 johnson & johnson 2009


Educação Ambiental

O que diz o programa


Metas • Ampliar a educação ambiental para todos os empregados J&J

• 1 00% dos parques industriais contam com um programa de educação ambiental


Medidas sustentado pela alta gerência
• No mínimo um módulo de instrução oferecido por ano, com o envolvimento de
80% dos empregados

Progresso • Início em 2006 e término em 2010

Grupos envolvidos • Fábricas, centros de pesquisa e desenvolvimento, escritórios, vendas e


marketing, centros de distribuição

O Brasil segue o programa de treinamento anual por meio da comunicação interna. Em 2009, a
orientado pela matriz e que, em 2009, dedicou parte campanha que acompanhou a inauguração do Prédio
do conteúdo ao tema sustentabilidade. A iniciativa de Utilidades apresentou, de forma didática, o novo
contribuiu para disseminar a consciência ambiental modelo de gestão dos insumos que abastecem os
pela empresa e incentivar novas ações com esse foco. parques e os prédios administrativos, com ênfase às
Além das diretrizes globais, a Johnson & Johnson consequentes reduções dos impactos ambientais.
do Brasil desenvolve ainda programas próprios. Em Estendendo as iniciativas de educação
2009, tiveram destaque as visitas de funcionários para públicos externos, a Johnson & Johnson recebe
das fábricas à Central de Reciclagem de Resíduos, escolas, empresas e outras entidades interessadas
onde conheceram o trabalho de descaracterização em conhecer suas inovações em processos mais
do produto, de coprocessamento e as diferentes sustentáveis. As visitas incluem, principalmente, o
destinações dos resíduos gerados nas manufaturas. Prédio de Utilidades, a Central de Resíduos e a Estação
A educação dos funcionários é complementada de Tratamento de Esgoto.

Relatório de sustentabilidade 63
Meio Ambiente

Biodiversidade

O que diz o programa


Metas • Ampliar a biodiversidade nas áreas controladas ou sob sua influência
EN12
Medidas •P
 lanos formulados e aprovados para conservação da biodiversidade, e
EN13
implementação em andamento

Progresso • Início em 2006 e término em 2010

Grupos envolvidos • Fábricas, centros de pesquisa e desenvolvimento, escritórios

O terreno que hoje abriga o parque industrial prepara 7 mil mudas de árvores para replantio por
da Johnson & Johnson era uma antiga fazenda de gado, ano. Além de abastecer o parque, as plantas são doadas
degradada pelas pastagens e com alguns fragmentos de para funcionários, visitantes, entidades filantrópicas,
Mata Atlântica. Paralelamente às primeiras construções, prefeituras e projetos de reflorestamento no entorno,
em meados da década de 1950, foi desenhado o Projeto de como o das nascentes do rio Paraíba do Sul.
Recuperação Florestal da área, registrado no Departamento As 10 mil árvores plantadas no parque até hoje já
Estadual de Proteção de Recursos Naturais (DEPRN). atraíram diversos animais, como saguis, tatus, biguás,
Foram plantadas espécies nativas que permitiram unir cachorros-do-mato, bichos-preguiça, lagartos e dezenas
os fragmentos da mata original, e também foram criados de espécies de pássaros. O plano diretor 2008-2010
bosques de árvores exóticas, como pinheiros e eucaliptos, e prevê o plantio de mais 6 mil mudas. Atualmente, os
alamedas de espatódeas, grevilhas e jacarandás. 700 mil m2 de áreas verdes não somente embelezam
A dificuldade de encontrar as espécies requeridas, o parque, como também sequestram carbono da
definidas a partir de pesquisas e consulta às normas atmosfera – com destaque para o jatobá (Hymenaea
técnicas de recuperação florestal, incentivou a criação do courbaril), apontado por estudos científicos como uma
viveiro Oficina Verde, em 1997. Atualmente, o viveiro das espécies brasileiras que mais absorvem CO2.

64 johnson & johnson 2009


A vegetação do parque industrial
• Mata nativa – 117mil m²
• Mata mista (nativa e exótica) – 30.600 m²
• Bosques (árvores sobre gramado, espaçamento de 10 e 40 m) – 292.400 m² aproximadamente
• Gramado livre – 200 mil m2 aproximadamente
• Pasto – 60 mil m²

Criado para cultivar espécies específicas de árvores, o viveiro Oficina Verde prepara 7 mil mudas por ano, para replantio
na área verde do parque industrial e para doações
Relatório de sustentabilidade 65
Meio Ambiente

Conformidade

O que diz o programa


• Zero descarga de emissões reportadas
Metas • Zero violação notificada pelo governo
• Zero ultrapassagem de licenças

• Número de relatórios de não conformidade com as autoridades


Medidas • Número de notas, notificações e advertências do governo, violações, imposições,
multas, penalidades, NOVs, pedidos
• Número de eventos de não conformidade

Progresso • Anualmente, 2006-2010

Grupos envolvidos • Fábricas, centros de pesquisa e desenvolvimento, escritórios, vendas e


marketing, centros de distribuição

Conformidade é uma das primeiras preocupações


da Johnson & Johnson em cada novo projeto que
planeja. O Brasil segue a premissa à risca, respeitando
toda a legislação local e as diretrizes da organização
mundial. Exemplos disso são a captação e o descarte
de água, monitorados pelo Daee, já descritos (leia na
página 61).

66 johnson & johnson 2009


Administração do produto

O que diz o programa


• 100% dos produtos com componentes eletrônicos oferecidos com retorno para
reciclagem ou remanufatura
Metas • Cada centro de Manufatura e Centro de Pesquisa & Desenvolvimento irá utilizar a
ferramenta “Projeto para o Meio Ambiente” para melhorar o perfil ambiental dos
produtos e o processo

Medidas •M
 ateriais de alta prioridade identificados e cronograma para a eliminação ou
reformulação mediante programação

Progresso • Início em 2006 e término em 2010

Grupos envolvidos • Fábricas, centros de pesquisa e desenvolvimento, escritórios, vendas e


marketing

A Johnson & Johnson do Brasil não produz itens equipes de engenharia foram desafiadas a desenvolver
de base eletrônica, mas os importa e comercializa. produtos e processos mais ecoeficientes, adquirindo
Já a melhoria de produtos e processos com foco em novos conhecimentos e atingindo resultados efetivos.
redução de impactos ambientais tem sido cada vez As iniciativas principais são a busca por matérias-
mais trabalhada no parque. Para aumentar a eficiência, primas alternativas, menos agressivas ao meio
as equipes de Pesquisa & Desenvolvimento e de ambiente, o redimensionamento dos produtos e
Engenharia alinham seus projetos, para que, juntas, embalagens e a readequação das operações.
consigam resultados mais inovadores.
Com tecnologia avançada e profissionais
especializados, a nova perspectiva atribui mais
competitividade à empresa. Em 2009, diferentes

Relatório de sustentabilidade 67
Meio Ambiente

EN6 Inovação em produtos de baixo impacto


• Esterilizador STERRAD
Sterrad é um equipamento usado para esterilizar materiais médicos hospitalares a baixa temperatura, sem
consumir água e com baixo gasto de energia. O esterilizador funciona como uma autoclave que usa um agente
esterilizante não tóxico, o peróxido de hidrogênio. Seu desenvolvimento foi motivado pela necessidade de
substituir outras tecnologias que utilizam agentes químicos nocivos à saúde do usuário e dos pacientes expostos
a elas, como o óxido de etileno e o formaldeído. O equipamento supre também a necessidade de esterilização
rápida, à baixa temperatura para artigos termossensíveis. O novo equipamento recebeu o selo verde na 7ª Edição
do Programa Benchmarking Ambiental Brasileiro, realizado pelo instituto Mais, em setembro de 2009. Para
ilustrar a vantagem no uso do Sterrad, se 120 hospitais fizerem um único ciclo de esterilização no equipamento
economizarão 48 mil litros de água e 2.040 kW de energia. Segundo a Organização Mundial de Saúde, um ser
humano necessita de 110 litros diários para sua necessidade de higiene e alimentação. Assim, um ciclo dessas
máquinas economiza o equivalente em água suficiente para suprir as necessidades diárias de 437 pessoas.

• o.b.®, absorventes íntimos


Os absorventes íntimos da marca o.b.® são compostos de 95% de fibras naturais e biodegradáveis, além do cordão
de algodão e do celofane, que o embala e protege e é também reciclável. Por serem esses materiais biodegradáveis,
podem ser decompostos e reabsorvidos pelo meio ambiente em até 30 dias. E o processo de fabricação industrial
aproveita quase 100% da matéria-prima.
Ainda, a partir de 2010, os cartuchos das embalagens de o.b.® foram certificados com o selo do Conselho de
Manejo Florestal (FSC), que garante que os materiais usados desde o plantio e a colheita da madeira até a
impressão na gráfica seguem as boas práticas socioambientais. A sua fabricação adota também processos de baixo
impacto, como a reciclagem dos resíduos pré-consumo, que permite reduzir a emissão de poluentes e evita o uso
de insumos agressivos. Para assegurar o alto nível de segurança e higiene do produto, o.b.® não utiliza, porém,
materiais reciclados pós-consumo.

68 johnson & johnson 2009


• REACH® JOHNSON & JOHNSON ECO
A nova escova de dente REACH® JOHNSON & JOHNSON ECO equilibra redução de impacto ambiental a um
baixo custo final para o consumidor. A escova utiliza 40% de polipropileno e polietileno reciclados pré-consumo na
composição de sua haste. Desse modo, estima-se que se evite o consumo de 19 toneladas de petróleo, a cada ano.
O material utilizado é proveniente de sobras de outros processos industriais. Esses resíduos são comprovadamente
atóxicos, totalmente seguros para o uso em itens de higiene oral. A comunicação do produto – como primeira
escova dental com cabo reciclado – é uma oportunidade para educar a população, trazendo, na embalagem, dicas
de hábitos mais econômicos e ambientalmente corretos.
A REACH® ECO é ainda uma das mais baratas do mercado, com preço sugerido na embalagem de R$ 1,49,
mas sem perder a qualidade. A escova mantém as características de marcas sofisticadas, com cabo ergonômico,
limpador de línguas, dois níveis de cerdas, além de resistência e durabilidade, com ótimos resultados na escovação.
Com o produto, a empresa espera aumentar o acesso da população a uma higiene bucal de qualidade, já que 25%
dos R$ 660 milhões anuais movimentados pelo mercado de escovas dentais é composto por produtos vendidos a
até R$ 1,99. A REACH® ECO foi lançada em setembro de 2009 e, até o fim do ano, foram vendidos 2 milhões de
unidades itens. Para 2010, a expectativa de vendas é de 3,3 milhões de unidades.

• Clean & Clear MiniKits sem PVC


Os minikits de Clean & Clear reúnem em um nécessaire três produtos importantes para a rotina de cuidados
diários da pele – um sabonete líquido facial (60 ml), um adstringente limpeza profunda (60 ml) e um gel secativo
antiacne (22 g). Com o objetivo de diminuir o impacto ambiental do produto, os spassaram ser comercializados
em miniembalagens livres de PVC. Os frascos passaram, em 2009, a ser feitos de PET e a bolsinha foi substituída
por um cartucho de polipropileno, alternativas que causam menor impacto à saúde ambiental por não conter cloro
em sua composição.

Relatório de sustentabilidade 69
“Nossa responsabilidade final é para com os acionistas.
Os negócios devem proporcionar lucros adequados.
Devemos experimentar novas ideias.
Pesquisas devem ser levadas avante, programas inovadores desenvolvidos
e os erros reparados.
Novos equipamentos devem ser adquiridos, novas fábricas construídas
e novos produtos lançados.
Reservas devem ser criadas para enfrentar tempos adversos.
Ao operarmos de acordo com esses princípios,
os acionistas devem receber justa recompensa.”
(Trecho retirado do documento Nosso Credo)

P r át i c a s r e s p o n s áv e i s

Transparência e confiança

V
alores sólidos orientam o modelo de negócio e a governança
da empresa, de forma estratégica e responsável. Eles inspiram a
consolidação de boas práticas e o desenvolvimento de ferramentas
de gestão, que garantem ética e eficiência em todas as atuações

Adotado como base da governança corporativa, características de mercado. A Johnson & Johnson do Brasil
o Nosso Credo foi a primeira forma de sistematização tem sido escolhida para abrigar novas linhas de produção e
de políticas e processos da Johnson & Johnson e departamentos estratégicos.
orienta os modelos de gestão de todas as áreas de forma Como país emergente, o Brasil foi pouco atingido
transversal. Seus princípios favoreceram o crescimento pela crise econômica mundial, assim como a unidade local
internacional consistente da empresa, baseado no respeito da Johnson & Johnson, e representa um grande potencial
às particularidades de cada país e no compromisso de de consumo, o que o insere nas estratégias de expansão da
promover a saúde de modo integral. empresa, com foco nas classes C e D.
Os valores mantiveram-se na conduta dos negócios Os resultados econômicos positivos não somente
e nas estratégias de crescimento, garantidos por diretrizes geram lucro para a empresa, mas permitem que o
mundiais de gestão e pela sistematização de processos, valor gerado seja distribuído à sociedade, por meio do
fundamentados nos valores do Nosso Credo. A disseminação pagamento de impostos, das relações comerciais em
foi facilitada pela estrutura de governança adotada, em diferentes níveis, do relacionamento com funcionários.
que os diferentes segmentos da empresa (as divisões) são A segurança nos negócios serve ainda de estímulo para a
gerenciados de forma vertical, respondendo diretamente à continuidade dos esforços e dos investimentos em pesquisa
matriz. O modelo permite à organização desenhar estratégias e desenvolvimento, com foco em inovação, de produtos e
globais de atuação, identificando desafios e oportunidades processos que possam trazer melhorias em saúde e bem-
para os negócios e a melhor forma de distribuir os recursos. estar para todos.
No cenário atual, o Brasil é um importante destino Compartilhando os benefícios gerados, a Johnson
de investimentos, tanto pela estrutura que consolidou, & Johnson do Brasil busca cumprir os compromissos
com eficiência e qualidade nas operações, quanto pelas descritos no Nosso Credo.

70 johnson & johnson 2009


Governança
A estrutura de governança da Johnson na Conduta dos Negócios, que inclui requisitos da Lei
& Johnson do Brasil reflete o modelo de gestão Sarbanes-Oxley e orienta uma atuação ética no mercado.
descentralizada, desenhado para dar mais foco às três Fundamentalmente, ela determina a conformidade com
divisões – farmacêutica, médico-diagnóstica e de produtos todas as leis locais e regulamentações setoriais, nas áreas de
de consumo. O Conselho administrativo, que reúne dez saúde, meio ambiente, trabalho e finanças.
membros eleitos anualmente pelos acionistas, e o CEO
global da organização (William C. Weldon) indicam Ética como diferencial competitivo
os principais executivos, que são os responsáveis pela Em 2005, a Johnson & Johnson determinou que todas as
condução dos negócios e das operações. empresas do grupo no mundo estruturassem uma área
Os líderes regionais (América Latina) e locais (Brasil) de Health Care Compliance, responsável por garantir a
em cada divisão ficam subordinados à estrutura global. As aplicabilidade do programa. O conteúdo do programa
áreas que atendem os três setores simultaneamente – está baseado na lei americana Foreign Corrupt Practices
como o departamento Jurídico e o departamento de Acts (FCPA), aplicável às subsidiárias ou afiliadas de
Assuntos Governamentais – mantêm estruturas paralelas, empresas americanas situadas fora dos EUA para que
com reporte direto à matriz. Atualmente, nove membros estejam em conformidade com as regulamentações locais 4.1
do conselho podem ser considerados independentes, de e sejam éticas e transparentes no relacionamento com
acordo com as regras do New York Stock Exchange, dos clientes e poder público. 4.2
Estados Unidos. De acordo com o modelo, a sistematização A estruturação da área é também mais uma forma
dos processos segue a trajetória global-regional-local, de manter a imagem e a credibilidade da Johnson & 4.3
delimitando objetivos específicos, mas com flexibilidade Johnson, trazendo vantagens competitivas. No Brasil, a
para as adaptações necessárias em cada país. área já está bem consolidada, com formação de comitês, 4.4
Todos os funcionários, operacionais e administrativos, treinamentos, campanhas de comunicação, auditoria
gerentes e diretores têm o compromisso de seguir os interna e monitoramento. Os próximos passos são 4.6
valores do Nosso Credo e aplicar as políticas, as diretrizes a construção de ações disciplinares e de sistemas de
e os padrões da empresa. Dentre eles, destaca-se a Política correção aos problemas detectados. 4.8

Relatório de sustentabilidade 71
Práticas responsáveis

Os treinamentos podem ser presenciais ou on-line Canal direto para os funcionários


e são direcionados a todos os funcionários de vendas, A Johnson & Johnson mantém uma política de portas
intermediários de logística e distribuidores no País. O abertas, que deixa o funcionário confortável para
conteúdo trata do relacionamento com profissionais se reportar diretamente aos superiores, caso sinta
de saúde e com agentes públicos, explicando o que é necessidade. Já como forma de gerenciar conflitos de
permitido e o que compromete uma conduta ética. interesses, a empresa oferece o Employee Hotline, que
Além de garantir uma interação ética entre recebe denúncias anônimas de violação aos princípios
funcionários, clientes e poder público, os comitês de Boas do Nosso Credo, em assuntos de finanças, relativos a
Práticas nas relações no segmento de saúde (Health Care política de Boas Práticas nas Relações no Segmento
Compliance) também têm a função de validar campanhas de Saúde, regulamentações, meio ambiente, saúde e
publicitárias, aprovar doações e investimentos em causas segurança, operação, privacidade, recursos humanos,
sociais, elaborar políticas e procedimentos, estruturar entre outros.
os projetos de educação continuada para profissionais O serviço é oferecido, gratuitamente, via
de saúde e melhorar processos que apresentem riscos à telefone e internet, nos idiomas de todos os países
empresa em um contexto geral. Cada vez mais forte, o onde a empresa está presente. Pelo website, é possível
trabalho da área de Health Care Compliance tem sido acompanhar o encaminhamento da denúncia. O
divulgado em toda a cadeia de produtos Johnson & hotline atende à Lei Sarbanes-Oxley e é comunicado a
Johnson e também em entidades setoriais, com o objetivo todos os empregados, com orientações sobre por que e
de replicar as boas práticas. como utilizá-lo.

72 johnson & johnson 2009


Responsabilidade pelo produto

Garantir condições de segurança a todos os informações de consumidores, promoção e patrocínio,


envolvidos na fabricação, comercialização, uso e em todas as operações. Todos os rótulos estão de acordo
descarte dos produtos que oferece é um compromisso com as legislações em vigor e respeitam as resoluções
assumido pela Johnson & Johnson, em todas as suas relacionadas a produtos para a saúde, medicamentos,
áreas de atuação. saneantes, definidas pela Anvisa.
Na divisão de Produtos para o Consumo, desde o A Anvisa publicou ainda recentemente vários
desenvolvimento do conceito e durante todas as etapas regulamentos relacionados a área de farmacovigilância,
de projeto e execução – da fábrica ao uso e descarte dos promoção de medicamentos, bulas, entre outras. A Janssen-
produtos –, são levados em consideração todos os fatores Cilag tem participado desse esforço no desenvolvimento
que podem colocar em risco a saúde e a segurança do dos marcos regulatórios do País, colaborando na discussão
consumidor e dos operadores ao longo do processo. dessas políticas através do canal de consultas públicas ou
Nas divisões Medical e Janssen-Cilag, desde da associação Interfarma. A divisão está preparada para
a elaboração do conceito até a conclusão do incorporar esses novos procedimentos em conformidade
desenvolvimento dos produtos, incluindo matérias- com as determinações locais.
primas, materiais de embalagem e todas as etapas do
processo produtivo são certificados e cumprem a política pr1
mundial da empresa, bem como o que é preconizado pela
agência reguladora nacional. Os produtos são submetidos pr2
a estudos que garantem a estabilidade da formulação e a
seleção adequada das embalagens para mantê-los íntegros
pelo período declarado no registro e divulgado aos
consumidores.

Códigos e regulamentos
A Johnson & Johnson do Brasil está devidamente
certificada quanto às boas práticas de fabricação
para todos os produtos que comercializa, atendendo
rigorosamente à regulamentação vigente (Anvisa e ISO,
quando aplicável). Como resultado, não ocorreram, no
período coberto pelo relatório, quaisquer condenações
judiciais, questionamentos de órgãos administrativos
(como a Agência Nacional de Vigilância Sanitária
– Anvisa, o Ministério da Agricultura Pecuária e
Abastecimento – Mapa, a Comissão Nacional de
Energia Nuclear – CNEN) ou multas relacionadas aos
produtos da empresa, no que diz respeito à rotulagem
e aos impactos causados na saúde e na segurança dos
consumidores.
Tampouco foram registrados, no período coberto
pelo relatório, casos de não conformidade com
regulamentos e códigos voluntários de comunicação
e marketing, incluindo publicidade, privacidade das

Relatório de sustentabilidade 73
Práticas responsáveis

Iniciativas Johnson & Johnson

Para trabalhar a saúde e a segurança do • Todos os produtos dessa natureza possuem uma
consumidor de produtos que não necessitam de receita área de raspagem de metal na embalagem que garante
médica para a venda: a originalidade do produto e a qualidade Johnson
& Johnson e um adesivo que se rompe na abertura,
• Possui dentro do serviço de atendimento ao evitando que um produto aberto seja vendido.
consumidor um grupo específico de atendentes para • Todos os lotes de medicamentos da empresa são
esses produtos, desde janeiro de 2008. rastreados. Dessa forma, a Johnson & Johnson sabe
• Em caso de emergência médica ou reações exatamente onde eles estão sendo vendidos, caso seja
adversas ao uso dos produtos, a empresa dispõe de necessário realizar um recall rapidamente.
atendimento de suporte médico 24 horas, 7 dias por • A distribuição de medicamentos e amostras grátis
semana, desde fevereiro de 2007. destes só é realizada por distribuidora que possui
• Em concordância com as leis de empresas que alvará da Anvisa para armazenar e distribuir produtos
comercializam esses medicamentos, possui um serviço dessa natureza. Dessa forma, garante que o produto
de farmacovigilância que, durante 2008, recebeu 820 chegue em perfeito estado ao local de destino.
relatos de eventos adversos de seus produtos que • Todos os centros de distribuição da empresa
requerem vigilância. Todos os eventos são relatados ao que trabalham com medicamentos dessa natureza
Centro de Vigilância Sanitária de São Paulo (CVS-SP), possuem um farmacêutico responsável para fazer o
reportados por profissionais da saúde, de acordo com controle de qualidade dos produtos.
portaria CVS-4 aplicável às atividades da empresa. • Vários dos medicamentos produzidos pela empresa
• É patrocinadora da Criança Segura, organização que não necessitam de receita médica para a venda
não governamental, sem fins lucrativos, que tem possuem atributos de segurança para evitar acidentes
como missão promover a prevenção de acidentes com e ingestão acidental. Exemplos são Tylenol Sinus,
crianças e adolescentes. Tylenol Criança, Tylenol Bebê, Talco J&J, Listerine.

74 johnson & johnson 2009


Inovação e responsabilidade
nos novos negócios

Seguindo as motivações descritas no Nosso ano de 2009, mais de 40 procedimentos cirúrgicos


Credo, que inspiram ações como ampliar o acesso foram realizados, beneficiando pacientes de casos de
da população a produtos de saúde e oferecer novas urgências e de traumas.
soluções em processos e produtos, a Johnson & Johnson Por meio do projeto, a Johnson & Johnson
do Brasil investe no desenvolvimento de estratégias e pretende levar saúde e bem-estar a um número maior
práticas inovadoras de negócios que alinham resultados de pessoas, em diversas comunidades carentes e
econômicos positivos à melhoria das condições de vida remotas, unindo tecnologia avançada, conhecimento e
e de saúde de diferentes elos da rede social. Conheça, a boas práticas de negócio.
seguir, exemplos de projetos que demonstram como o
compromisso é aplicado na prática.

Ampliação do acesso
como modelo de negócio
A Johnson & Johnson Medical Brasil vem trabalhando
em um projeto cujo principal objetivo é ampliar
o acesso, levando tecnologia e capacitação técnica
de profissionais da saúde em áreas carentes do
País, distantes dos grandes centros. Com foco em
procedimentos cirúrgicos minimamente invasivos,
os produtos são especialmente desenvolvidos para
reduzir os custos e manter o alto padrão de qualidade
da Johnson & Johnson. Uma equipe especializada é
responsável por apresentar os dispositivos a médicos,
enfermeiras e demais profissionais, por meio de um
trabalho técnico detalhado. Em seguida, são realizadas
cirurgias demonstrativas, lideradas por médicos
da comunidade local, em hospitais públicos ou
filantrópicos.
Dessa forma, a iniciativa contribui para
aperfeiçoar cirurgias e tratamentos, atender às
necessidades dos pacientes e melhorar a qualidade de
vida da população nessas regiões. Lançado no Brasil
em 2009, o projeto é coordenado por uma empresa
matriz da Johnson & Johnson Medical nos Estados
Unidos. Seus lideres reúnem-se trimestralmente com
representantes do Brasil para, com base nas respostas
das comunidades envolvidas, discutir o andamento
do trabalho e definir os passos seguintes. Durante o

Relatório de sustentabilidade 75
Práticas responsáveis

Reestruturar para atender melhor


Monitorando constantemente a participação de para entender suas diferentes necessidades. Objetiva
seus produtos no mercado, a Johnson & Johnson ainda intensificar a presença nos pontos de venda,
Produtos para o Consumo percebeu a necessidade promover melhorias na logística de distribuição
de atuar de maneira mais focada em cada região do e o aumento da eficiência nas operações. Como
Brasil. Em 2009, dividiu toda a estrutura de vendas consequência da maior qualidade do atendimento,
em cinco unidades, sediadas em Recife (para o a reestruturação visa incentivar a expansão dos
atendimento das regiões Norte e Nordeste), no Rio negócios a partir de 2010, contribuindo para a
de Janeiro (atendimento do Sudeste e Centro-Oeste), estratégia global da divisão de crescer nos mercados
em Porto Alegre (região Sul), além de duas em São emergentes, especialmente nas classes C e D. Como
Paulo (responsáveis por atender a capital e o interior suporte ao modelo, a política comercial foi revista,
do estado e grandes contas corporativas). a fim de garantir mais transparência aos contratos e
A iniciativa aumenta a proximidade com os clientes justa margem de lucro aos comerciantes.

76 johnson & johnson 2009


Melhorar, prolongar e salvar vidas Pesquisas clínicas com foco nas
A diversidade de produtos da Johnson & Johnson reflete necessidades brasileiras
o investimento em pesquisa e desenvolvimento de toda O grupo de pesquisa clínica da Janssen-Cilag tem como
a empresa. A Janssen-Cilag, divisão responsável pelos objetivo principal desenvolver, promover, estimular e dar
produtos farmacêuticos, concentra os investimentos em suporte tanto científico quanto operacional à realização
várias áreas terapêuticas, como virologia, sistema nervoso de pesquisas clínicas/científicas de acordo com padrões
central (SNC), oncologia e imunologia. Nessas áreas éticos e legais recomendados. Os protocolos de pesquisa são
são desenvolvidos produtos inovadores em condições desenvolvidos no Brasil pelos mais destacados profissionais
clínicas extremamente complexas, como o HIV/Aids, a de saúde para responder a questões médicas de interesse
esquizofrenia, várias formas de cânceres e o transplante nacional. Assim, a divisão contribui com informações que
de órgãos. preenchem lacunas em relação a certas condições clínicas
Em média, cada novo medicamento lançado leva de e também com aquelas específicas sobre a utilização dos
oito a dez anos para ser desenvolvido, com investimentos produtos que fabrica para a população brasileira.
em torno de US$ 1 bilhão. Conheça, a seguir, exemplos dos projetos
Entre 2008 e 2010, serão lançados, ao todo, 16 desenvolvidos pela área de pesquisas clínicas da divisão,
novos produtos. Entre eles, o Prezista, já lançado 2008, no Brasil.
um agente retroviral da classe de inibidores da protease,
muito potente e que age até mesmo contra os vírus que já Projeto Epidor: Pesquisa epidemiológica realizada no
se tornaram resistentes a outros agentes da mesma classe. município de São Paulo, a partir de entrevistas por telefone,
O Prezista foi utilizado, em 2009, por cerca de 4 mil com o objetivo de estimar a prevalência de dor crônica,
pacientes. Combinado com o Intellence (outro agente visando a identificar impacto da dor crônica na maior cidade
antirretrovial), que será lançado em 2010, poderá auxiliar brasileira. Seus resultados foram divulgados não só para a
ainda mais pessoas. Em 2009, o Brasil possuía cerca de comunidade científica, mas também para a população em
200 mil pacientes em tratamento do HIV/Aids, e estima- geral, por meio de mídia impressa e televisiva.
se que sejam cerca de 630 mil vítimas em todo o País.
Dentre os medicamentos na área de sistema Estudo RisConsta: Pesquisa clínica sobre a
nervoso central, destaca-se também o Risperdal Consta, substituição de antipsicóticos orais por risperidona de
o primeiro medicamento antipsicótico atípico injetável liberação prolongada (Risperdal® Consta) em pacientes
de longa ação. Aplicado de 15 em 15 dias, garante a esquizofrênicos com má adesão ao tratamento, tendo como
adesão do paciente com esquizofrenia, o que reduz o objetivos, entre outros, avaliar a percepção do paciente
risco de recaída e melhora a perspectiva de longo prazo em relação a medicação, qualidade de vida e recaídas nos
desses doentes. pacientes com esquizofrenia em várias cidades brasileiras.

Relatório de sustentabilidade 77
Perspectivas & Compromisso

A
partir do aprendizado conquistado até aqui e dos princípios
descritos no Nosso Credo, a empresa espera contribuir cada vez
mais com a sociedade por meio da promoção de saúde e da atuação
sustentável. Para isso, delimita metas claras de curto, médio e logo prazo para
poder cuidar, também, das futuras gerações

78 johnson & johnson 2009


Sociedade
• Avançar na implantação das metas previstas no Programa Global Health 2012
• Garantir a continuidade do projeto de criação do selo de qualidade e eficiência dos recicladores que
trabalham com a divisão, sob responsabilidade do Departamento de Embalagens
• Desenhar e implantar um programa de incentivo ao voluntariado

Meio ambiente
• Cumprir integralmente as metas do Healthy Planet 2010
• Implantar projeto Waste to Energy (Do Desperdício à Energia), que prevê o reaproveitamento de Biomassa,
no prédio de Utilidades
• Ampliar projeto-piloto de ecoeficiência na produção
• Estabelecer modelo de gestão de energia e resíduos, na sede administrativa, em São Paulo
• Desenvolver ações educativas para promover ações ecoeficientes na sede administrativa, em São Paulo

Negócios
• Promover a expansão dos negócios no segmento de Produtos de Consumo a partir de 2010, contribuindo
para a estratégia global da empresa de crescer nos mercados emergentes, especialmente nas classes C e D
• Consolidar o processo de implantação dos TAGs (Times Autogeridos), como modelo de gestão nas manufaturas
• Ampliar as pesquisas para o desenvolvimento de inovação em processos e produtos, com foco estratégico
em sustentabilidade (ex.: escova Reach Eco)
• Concluir o lançamento de produtos inovadores nos segmentos de antirretrovirais e antipsicóticos
• Modificar as embalagens de Sundown, que serão produzidas com plástico verde a partir de 2010, em
parceria com a Brasken
• Promover programa de educação em sustentabilidade para o público interno, fornecendo oportunidade de
acesso a conhecimentos que permitam planejar e tomar decisões na gestão sustentável do negócio

Relatório de sustentabilidade 79
Processo de relato

O relatório de sustentabilidade da Johnson & As respostas aos indicadores EC1, HR5, LA1, LA4,
Johnson do Brasil, primeiro publicado pela empresa no LA6, LA13, PR1 e PR2 representam os valores consolidados
País, atende ao nível C de aplicação GRI (veja tabela na das operações no País. Os indicadores LA1 e LA14 foram
página 81). respondidos parcialmente, pois o sistema de gerenciamento
Com periodicidade bienal, a coleta de indicadores de pessoas passa por um momento de reestruturação na
refere-se aos anos de 2008 e 2009 e abrange as operações coleta de dados. O LA13 não foi monitorado em 2008, pois a
industriais e administrativas da empresa no Brasil, em suas empresa realiza a pesquisa de diversidade bienalmente.
três divisões – a farmacêutica Janssen-Cilag, a Johnson & Os indicadores LA7 e LA8, em função das
Johnson Medical Brasil e a Johnson & Johnson Produtos de características específicas do processo de gestão das variáveis,
3.1 Consumo. são apresentados em resultados diferenciados por unidade
Os indicadores respondidos nesta edição foram geográfica – parque industrial, localizado em São José dos
3.3 escolhidos por meio de discussões e oficinas internas que Campos – SP, e sede administrativa, na capital paulista. Assim
identificaram temas relevantes para os negócios, os processos como os indicadores EN3, EN4 e EN16, cujas respostas
3.6 e as operações do setor. são apresentadas separadamente por unidade geográfica.
Por ser o primeiro relato no formato GRI publicado Nesses três casos, o processo de gestão permitiu a coleta das
3.7 pela empresa no Brasil, não são destacadas mudanças informações na sede, em São Paulo, apenas em 2009.
significativas, limitações ou reformulações que possam afetar Quanto às respostas aos indicadores EN8, EN21,
3.8 a compreensão dos dados relatados. EN22 e EN26, apresentam dados referentes apenas às
Ainda, por se tratar de um processo de relato que operações realizadas no parque industrial. O processo
3.9 teve como propósito principal o aprendizado interno, não de gestão que permitiria a coleta de informações e dados
foi realizada verificação externa para os indicadores GRI referentes a esses indicadores na sede administrativa, em
3.10 respondidos. Não foi realizada também, pelo mesmo motivo, São Paulo, não está implementado. Contudo, ao considerar
a avaliação externa dos temas abordados, em consulta aos a natureza e os impactos das atividades realizadas no parque
3.11 stakeholders. O engajamento dos públicos de relacionamento industrial, a empresa priorizou o relato dos dados referentes
é um objetivo da Johnson & Johnson, no Brasil, e a esses indicadores de desempenho ambiental, na localidade,
3.13 resultará da continuidade do processo de incorporação da neste primeiro ciclo de relato. Coletar todos os indicadores
sustentabilidade na gestão, que inclui a ampliação do diálogo também na sede administrativa é meta da empresa para o
4.14 com os diferentes setores da sociedade. próximo ciclo de relato.

4.15

80 johnson & johnson 2009


Comentário específicos redução esta que impactou positivamente nos resultado em
EN3 – Consumo de energia foi reportado nas mesmas 2009 (mais detalhes no capítulo Meio Ambiente). O valor
unidades utilizadas para o relato do Energy Usage Report reportado para esse indicador (ver capítulo Meio Ambiente)
– Corporate, utilizando padrão internacional da divisão. é uma medição absoluta. As informações reportadas
Não há consumo de gasolina, diesel e outros combustíveis referem-se à produção da Johnson & Johnson Produtos
para movimentação interna ou funcionamento de para o Consumo. A metodologia utilizada pela empresa
geradores e maquinário. globalmente para medição do dado é a conversão dos
EN4 – A energia solar é utilizada no vestiário central do valores com base nos insumos utilizados pelos países para a
Parque Industrial, em São José dos Campos. A definição da realização dos cálculos das emissões.
unidade utilizada no relato segue a definição da Renewable EN21 – O Tratamento Biológico utilizado no parque
Energy Information – The Pulse. industrial segue determinação da legislação estadual,
EN8 – No Parque Industrial, 100% do consumo de água regulada pela Cetesb, que define, por meio da Lei 8468/76,
provém de poços semiartesianos. O volume de água coletado artigo 18, que a estação de tratamento de efluente industrial
e armazenado passou a ser monitorado pelo Central de deve garantir que a carga orgânica medida após o tratamento
Utilidades, em 2009. Ainda não estão disponíveis dados para seja, no mínimo, 80% menor que a carga orgânica medida na
o relato. entrada da estação de tratamento. A estação de tratamento
EN16 – Em junho de 2009, a Johnson & Johnson do Brasil da Johnson & Johnson, em São José dos Campos, tem média
implantou uma nova casa de máquinas, que apresentou de eficiência superior a 90% na remoção da matéria orgânica
uma redução significativa de emissões de CO2 (3.100 t/ano), presente no efluente.

GRI - nível de aplicação 3.12

C C+ B B+ A A+
conteúdo
do relatório Responder a todos os critérios
Responder aos itens:
elencados para o Nível C mais:
1.1;
1.2; O mesmo exigido para o
2.1 a 2.10;
Resultado

3.9, 3.13; Nível B


3.1 a 3.8, 3.10 a 3.12;
Perfil da G3 4.5 a 4.13,
4.1 a 4.4, 4.14 a 4.15;
4.16 a 4.17

Informações sobre a Forma de Forma de Gestão divul-


Com Verificação Externa

Com Verificação Externa

Com Verificação Externa


Resultado

Informações Não Exigido Gestão para cada Categoria gada para cada Categoria
sobre a Forma de de Indicador de Indicador
Gestão da G3

Responder a cada Indica-


Responder a um Responder a um mínimo de 20
dor essencial da G3 e do
mínimo de dez Indica- Indicadores de Desempenho,
Indicadores de Suplemento Setorial* com
dores de Desempenho, incluindo pelo menos um de
Desempenho a devida consideração ao
Resultado

da G3 incluindo pelo menos cada uma das seguintes áreas


Princípio da Materialidade
& Indicadores de um de cada uma das de desempenho: econômico,
de uma das seguintes
Desempenho do seguintes áreas ambiental, direitos humanos,
Suplemento formas: (a) respondendo
de desempenho: práticas trabalhistas, socie-
Setorial ao indicador ou (b)
social, econômico e dade, responsabilidade pelo
explicando o motivo da
ambiental. produto.
omissão.

Relatório de sustentabilidade 81
Índice remissivo GRI
A tabela a seguir apresenta e a localização das respostas aos indicadores GRI
consolidadas neste relatório. Conheça o conteúdo detalhado de cada indicador no endereço eletrônico:
www.globalreporting.org

Indicadores de Perfil Página Indicadores de Desempenho Página

1.1. Mensagem da presidência 6e7 Desempenho Econômico


1.2. Impactos, riscos e oportunidades 6e7 EC3. Cobertura das obrigações do plano de
35
2.1. Nome da organização 9 pensão
2.2. Marcas, produtos e/ou serviços 13 Desempenho Ambiental
2.3. Estrutura operacional 9 EN3. Energia direta 56
2.4. Localização da sede da organização 9 EN4. Energia indireta 56
2.5. Atuação geográfica 11 EN6. Iniciativas para fornecer produtos e ser-
68
2.6. Natureza jurídica 9 viços com baixo consumo de energia
2.7. Mercados atendidos 13 EN8. Água por fonte 61
2.8. Porte da organização 9 EN9. Fontes hídricas significativamente afeta-
61
das por retirada de água
2.9. Mudanças no ano 13
EN12. Descrição de impactos significativos na
2.10. Prêmios e certificações 15 63
biodiversidade de atividades
3.1. Período coberto pelo relatório 5 e 80
EN13. Hábitats protegidos ou restaurados 63
3.2. Relatório anterior 5 e 80
EN16. Emissões diretas de GEE 56
3.3. Periodicidade 5
EN18. Iniciativas para reduzir as emissões
3.4. Dados para contato 2 e 83 de gases de efeito estufa e as reduções 54
3.5. Definição do conteúdo 5 obtidas
3.6. Limite do relatório 80 EN21. Descarte de água 61
3.7. Escopo do relatório 80 EN22. Peso total de resíduos 57 e 58
3.8. Base para a elaboração do relatório 5 e 80 EN26. Mitigação de impactos de produtos/ 57 e 59
3.9. Técnicas de medição e bases de cálculos 80 serviços

3.10. Consequências de reformulações 80 EN27. Percentual de produtos e embalagens


24
recuperados
3.11. Mudanças significativas 80
EN29. Impactos ambientais referentes a trans-
3.12. Sumário GRI 82 56
porte de produtos e de trabalhadores
3.13. Verificação externa 80
Desempenho Social
Governança, Compromissos e Engajamento
LA1. Perfil dos trabalhadores 31 e 32
4.1. Governança 72 LA3. Comparação entre benefícios a empregados 35
4.2. Identificação dos principais executivos 72 LA4. Negociação coletiva 36
4.3. Conselheiros independentes 72 LA6. Comitês de segurança e saúde 38
4.4. Canais de comunicação com o Conselho 72 LA8. Doenças graves 34
4.5. Remuneração por sustentabilidade 17 LA11. Programas para gestão de competências
36
4.6. Processos para assegurar que conflitos de e aprendizagem contínua
72
interesse sejam evitados LA13. Diversidade 40
4.8. Valores, códigos e princípios internos 16 LA14. Relação de salário homens/mulheres 41
4.12. Cartas, princípios e iniciativas 16 HR5. Liberdade de associação 36
4.14. Relação de stakeholders 80 PR1. Avaliação de impactos 74
4.15. Identificação de stakeholders 80 PR2. Não conformidades 74
PR5. Práticas relacionadas à satisfação do 29
cliente, incluindo resultados de pesquisas
SO5. Posições quanto a políticas públicas 48

82 johnson & johnson 2009


Informações corporativas

Johnson & Johnson do Brasil


Rua Gerivatiba, 207
Butantã – São Paulo - CEP 05501-030
e-mail: relatoriosustentabilidade@its.jnj.com

Expediente

Coordenação Geral
Gerência de Responsabilidade Social da Johnson & Johnson

Coordenação editorial e de design


Report Comunicação

Revisão
Assertiva Produções Editoriais

Fotografias
Marcelo Soubhia
Páginas 7, 26, 37, 42, 44, 47, 55: Banco de imagens
Página 21: ©iStockphoto.com/andrewmedina
Página 27: ©iStockphoto.com/Andrew Manley
Página 47: Ede Marcus

Impressão e acabamento
Pancrom Indústria Gráfica Ltda
3.4
3.4 Fale conosco
Convidamos os leitores a enviar sugestões sobre as informações
contidas no relatório para relatoriosustentabilidade@its.jnj.com
As contribuições nos ajudarão a avaliar nossas ações e servirão de guia
para a elaboração da próxima edição do relatório.
johnson & johnson 2009