Вы находитесь на странице: 1из 2

Disciplina: Economia Política 1

Estudo básico sobre Taxa de câmbio, Taxa de juros e Inflação

IEmonit. Apostila de Introdução à Economia. Impressão UnB – 2010.

Wikipedia: Inflação. Online. Disponível em <http://pt.wikipedia.org/wiki/Infla%C3%A7%C3%


A3o>. Acesso em 28 de março de 2011.

Wikipedia: Taxa de câmbio. Online. Disponível em <http://pt.wikipedia.org/wiki/Taxa_de_ c


%C3%A2mbio>. Acesso em 28 de março de 2011.

Domingues, Ronaldo. Portal Brasil: Economia. Online. Disponível em


<http://www.portalbrasil.net/economia_colunista_2003_junho.htm>. Acesso em 28 de março de
2011.

Em economia, a taxa de câmbio pode ser entendida como o valor da unidade


monetária de determinada moeda em relação a outras moedas.

O câmbio, em sua essência, é uma importante variável para a macroeconomia. Ele


está presente em qualquer negociação internacional. A Taxa de câmbio nesse sentido é
traduzida em quantas unidades da moeda de determinado país são necessárias para
comprar uma unidade da moeda de outro país.

A taxa de juros é o valor que detentor de determinada quantia de dinheiro recebe


para conceder um empréstimo. A taxa básica de juros é determinada pelo governo e
norteia a economia de determinado país.

Apesar de muitas vezes relacionado ao aumento de preços, esse não é


verdadeiramente o real sentido da palavra inflação. No sentido estrito da economia, a
inflação tem o sentido de evolução decrescente do valor de mercado de determinada
moeda, ou seja, de seu poder de compra.

Dentre os processos inflacionários, tem-se a chamada Inflação por Demanda, um


processo gerado pela evolução crescente do consumo. Dessa forma, pela própria lei de
mercado (demanda x oferta), ao aumentar-se a demanda, aumenta-se a escassez do
produto – uma vez que a oferta não acompanha a demanda - elevando também os preços
de tais produtos.
No caso da inflação por demandas, conseguimos claramente observar o
relacionamento dos conceitos de taxa de câmbio e taxa de juros em seu controle:

a) como esse tipo de inflação também é gerado pela emissão sem controle de
moeda, ou seja, gerando uma desvalorização de determinada moeda em
relação a outras (taxa de câmbio), a consequência disso é que haverá muito
dinheiro para pouca mercadoria, o que pode ser controlado reduzindo a oferta
da mesma moeda com alteração em sua taxa de câmbio. A consequência é
uma redução no crédito.

a) Outra alternativa seria o aumento dos impostos, as restrições de crédito e a


elevação da taxa de juros. Com o aumento da taxa de juros a consequência é
diminuição das compras por excesso de crédito, o que reestabeleceria maiores
níveis de oferta que demanda acarretando em uma sequencia decrescente de
inflação – desinflação (não confundir desinflação, diminuição da inflação, com
deflação, que é o contrário de inflação).

b) A própria alta na taxa de juros atrai investimento. Ao investir em títulos de


determinados país, seus detentores acabam ganhando com a alta de juros. A
atração dos investimentos usando juros altos impede a disparada da inflação,
afinal os preços para ao consumidor também sofrerão a influência dessa
alteração no cambio.