Вы находитесь на странице: 1из 109

l

te
en
Prof. Pim

Português

Rua João Nutti, 2195 Pq. Bandeirantes Ribeirão Preto - SP

(016) 3235-2900
Material produzido para uso e divulgação exclusivos da
Escola Prof. Pimentel
Autora:
Prof.a Salete da Graça Tanuri Lotti
Colaboradoras:
Prof.ª Andréa Maria Martins de Freitas
Prof.ª Patrícia Carla Miotto
ÍNDICE

Módulo 1 – Sinônimos, Antônimos, Polissemia, Homônimos e Parônimos ������������������������������������������������ 4


Módulo 2 – Acentuação Gráfica ��������������������������������������������������������������������������������������������������������������..7
Módulo 3 – Ortografia e Nova Ortografia ������������������������������������������������������������������������������������������������ 10

Módulo 4 – Estrutura e Formação de Palavras ���������������������������������������������������������������������������������������� 20

Módulo 5 – Classes de Palavras


Parte 1 – artigo, advérbio, conjunção, interjeição, numeral, preposição ................................................. 23
Parte 2 – substantivo ������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������� 28
Parte 3 – adjetivo������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������� 33
Parte 4 – pronome������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������ 36
Parte 5 – verbo����������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������� 43
Módulo 6 – Concordância
Parte 1 – Concordância Verbal ................................................................................................................. 50
Parte 2 – Concordância Nominal .............................................................................................................. 55

Módulo 7 – Regência
Parte 1 – Regência Verbal ......................................................................................................................... 58
Parte 2 – Regência Nominal ..................................................................................................................... 60

Módulo 8 – Colocação Pronominal �������������������������������������������������������������������������������������������������..������ 62

Módulo 9 – Sinal Indicativo de Crase ������������������������������������������������������������������������������������������������..���� 65

Módulo 10 – Sinais de Pontuação ����������������������������������������������������������������������������������������������������������� 70

Português • PP
Prof. Pimentel

Sinônimos, Antônimos
01 Módulo
Polissemia, Homônimos
e Parônimos
Anotações

Disponível em www.google.com.br/imagens. Acesso em 23/04/2016

4 Português • PP
Prof. Pimentel

Não te amo mais Anotações


Clarice Lispector
Não te amo mais.
Estarei mentindo dizendo que Você não significa nada.
Ainda te quero como sempre quis. Não poderia dizer jamais que
Tenho certeza que Alimento um grande amor.
Nada foi em vão. Sinto cada vez mais que
Sinto dentro de mim que Já te esqueci!
E jamais usarei a frase:
Eu te amo!
Sinto, mas tenho que dizer a ver-
dade
É tarde demais..
Sinônimos = palavras que possuem significados próximos. 
A sinonímia é a relação estabelecida entre duas palavras ou mais, apresentando
significados iguais ou semelhantes, ou seja, sinônimos.

Exemplos: casa - lar - moradia - residência


O uso de palavras sinônimas é muito bem-vindo nos processos de retomada de ele-
mentos que ligam as partes dos textos, a fim de não ocorrer a indesejada repetição
dos termos.

Antônimos = palavras que possuem significados opostos, contrários. Antonímia é


a relação estabelecida entre duas ou mais palavras que apresentam significados
diferentes, adversos, ou seja, antônimos.
Exemplos:
mal / bem
ausência / presença
claro / escuro
possível / impossível
Polissemia = propriedade que uma mesma palavra tem de apresentar múltiplos
significados, de acordo com o contexto em que está inserida.

Exemplos:
cabo (posto militar, acidente geográfico, cabo da vassoura)
O navio chegou ao cabo.
O cabo embarcou no navio.
banco (instituição comercial financeira, assento)
O rapaz trabalha no banco.
O banco está desocupado.
manga (parte da roupa, fruta)
Adoro manga.
A manga é longa.

Homônimos = palavras que possuem a mesma pronúncia (algumas vezes, a mesma


grafia), mas significados diferentes. Homonímia é a relação entre duas ou mais pala-
vras que, apesar de possuírem significados diferentes, possuem a mesma estrutura
fonológica, ou seja, homônimos.

Os homônimos são classificados em :


•• Homógrafos: iguais na escrita (grafia), mas a pronúncia e o significado são
sempre diferentes.

5 Português • PP
Prof. Pimentel

–– almoço (substantivo, nome da refeição) Anotações


–– almoço (flexão do verbo almoçar na 1ª pessoa do singular do tempo pre-
sente do modo indicativo)
–– colher (verbo)
–– colher (substantivo)

•• Homófonos: iguais na pronúncia e diferentes na escrita.


–– cessão (substantivo: aquilo que é cedido, doado)
–– sessão (substantivo: espaço de tempo de uma reunião, um espetáculo
de cinema ou teatro)

•• Homônimos Perfeitos (homófonos e homógrafos): possuem a mesma grafia


e o mesmo som.
Exemplos:
O verão traz dias quentes. (verão = substantivo)
Eles verão o amanhecer. (verão = verbo)
Eu cedo este lugar para a professora. (cedo = verbo)
Cheguei cedo para a entrevista. (cedo = advérbio de tempo)

Parônimos = palavras que possuem significados diferentes, mas são muito pareci-


das na pronúncia e na escrita. Paronímia é a relação estabelecida entre essas pala-
vras.
Dica de memorização: parônimos = parecidas
Exemplos:

deferir (atender) diferir (distinguir-se, divergir)


delatar (denunciar) dilatar (alargar)
descrição (ato de descrever) discrição (reserva, prudência)
descriminar (tirar a culpa) discriminar (distinguir)
emigrar (deixar um país) imigrar (entrar num país)
eminente (elevado) iminente (prestes a ocorrer)
soar (produzir som) suar (transpirar)
mandado (ordem judicial) mandato (procuração, incumbência)
espiar (observar) expiar (cumprir pena)

1. DENOTAÇÃO: sentido real das palavras, denotativo, sentido do dicionário.


O espetáculo do palhaço terá início às 20h00.

2. CONOTAÇÃO: sentido figurado, metafórico, conotativo.


Indicação de Leitura:
Ele se sentiu um palhaço quando soube da notícia. O vendedor de palavras,
de Fábio Reynol.
Essa crônica integra o livro “O
vendedor de palavras”, publi-
cado em 2008.
fonte: http://www.releituras.
com/ne_freynol_vendedor.asp

6 Português • PP
Prof. Pimentel

02 Módulo Acentuação Gráfica

ACENTO PROSÓDICO E ACENTO GRÁFICO Anotações

Todas as palavras de duas ou mais sílabas possuem uma sílaba tônica, sobre a qual
recai o acento prosódico, isto é, o acento da fala. Veja os exemplos:
es - per - te - za
ca - pí - tu - lo
Dessas duas palavras, note que apenas uma recebe o acento gráfico. Logo, conclui-
se que:

Acento prosódico: aparece em todas as palavras que possuem duas ou mais síla-
bas. É o acento da fala.
Acento gráfico: marca a sílaba tônica de algumas palavras. É o acento da escrita.

Na língua portuguesa, os acentos gráficos empregados são:


•• Acento Agudo (´): representa vogais das sílabas tônicas.
jacaré – Amapá
•• Acento Grave (`): indica as diversas possibilidades de crase.
às – àquelas
•• Acento Circunflexo (^): representa vogais tônicas, com timbre fechado.
vovô – vê-lo

Há também o sinal diacrítico til (~) que representa vogais nasais (A e O). O til não é
um acento gráfico!
mamãe – não – põe

Regras de Acentuação Gráfica


1. Monossílabos:
Acentuam-se os Monossílabos Tônicos terminados em:
a(s) pá, lá, cá, chá, má
e(s) pé, pés, mês, fé, ré, vê
o(s) só, pó, nós, nó, pôs
ditongos abertos éi, ói, éu (s) dói, sóis, véus, céu

Lembre-se: há monossílabos que são tônicos numa frase e átonos em outras.


Você trouxe seu livro para quê? (tônico)
O que há com você? (átono)

7 Português • PP
Prof. Pimentel

2. Oxítonas: palavras cuja sílaba tônica é a última. Anotações

Acentuam-se as Oxítonas terminadas em:


a(s) sofá, sofás
e(s) jacaré, vocês
o(s) paletó, avós
em ninguém
ens armazéns
ditongos abertos éi, ói, éu(s) anéis, troféu, anzóis
Atenção: alguns verbos combinados com pronomes oblíquos, produzem formas
oxítonas ou monossilábicas que devem ser acentuadas por assumirem alguma das
terminações contidas em suas regras. Exemplos:
beijar + a = beijá-la / fazer + o = fazê-lo
dar + as = dá-las / fez + o = fê-lo
3. Paroxítonas: palavras cuja sílaba tônica é a penúltima.
Acentuam-se as Paroxítonas terminadas em:
l fácil
n pólen
r cadáver
ps bíceps
x tórax
us vírus
i, is júri, lápis
om, ons iândom, íons
um, uns álbum, álbuns
ã(s), ão(s) órfã, órfãs, órfão, órfãos
ei (s) jóquei, túneis
Ditongos crescentes: ea, oa, eo, ua, ia, várzea, mágoa, óleo, régua, férias,
ue, ie, uo, io (s). tênue, cárie, ingênuo
Exceção: não são acentuados os prefixos terminados em “i “ e “r” (semi, super, anti,
inter).

4. Proparoxítonas: palavras cuja sílaba tônica é a antepenúltima.

Acentuam-se todas as Proparoxítonas


trágico último
xícara título
hidrográfica tônicas
máximo sólido
ângulo vocálicos
árvore gramática
patético relâmpago
romântica máquina
lágrima sílaba

8 Português • PP
Prof. Pimentel

5. Hiatos: acentuam-se o “i” e “u” tônicos quando formam hiato: Anotações


–– sozinhos na sílaba ou seguidos apenas de “s“;
–– que não sejam seguidos por “-nh”;
–– que não sejam precedidos por ditongo decrescente;
Com acento: Sem acento:
re - ú - so ra - i - nha
e - go - ís -mo fei - u - ra
ba- la- ús - tre

6. Verbos Ter e Vir


Acentua-se com circunflexo a 3ª pessoa do plural do presente do indicativo dos ver-
bos ter e vir e seus compostos (deter, conter, reter, advir, convir, intervir, etc.). Veja:
Ele tem Eles têm
Ela vem Elas vêm
Atenção: nos verbos compostos de ter e vir, o acento ocorre obrigatoriamente,
mesmo no singular. Distingue-se o plural do singular mudando o acento de agudo
para circunflexo:
ele detém - eles detêm
ele advém - eles advêm

7. Acento Diferencial: utilizados para diferenciar palavras homógrafas (mesma grafia).


Casos obrigatórios:
a) pôde (pretérito perfeito do indicativo do verbo poder)
pode (presente do indicativo do verbo poder)
b) pôr (verbo)
por (preposição)

Caso facultativo:
a) fôrma (substantivo)
forma (substantivo; 3ª pessoa do singular do presente do indicativo ou 2ª pessoa
do singular do imperativo do verbo formar)

9 Português • PP
Prof. Pimentel

03 Módulo Ortografia e Nova Ortografia

Ortografia = escrita correta das palavras. O termo deriva do grego: Anotações

ortho (correto) + graphos (escrita)


É um tópico frequentemente explorado em concursos. As regras são numerosas,
por isso, selecionamos aqui os assuntos mais pedidos.

Beck. Disponível em www.google.com.br/imagens.


(Acesso em 23/04/16).

EMPREGO DOS PORQUÊS

1. POR QUE:
•• sequência de uma preposição (por) + pronome interrogativo (que) em inter-
rogações diretas ou indiretas. Equivale a “por qual razão”, “por qual motivo“.

Desejo saber por que você voltou tão tarde para casa.


Por que você comprou este casaco?

•• sequência preposição (por) + pronome relativo (que), equivalendo a “pelo


qual” (ou alguma de suas flexões: pela qual, pelos quais, pelas quais).

Estes são os direitos por que estamos lutando.


O caminho por que passo é estreito.
2. POR QUÊ:
•• no final de uma frase, imediatamente antes de um ponto (final, de inter-
rogação, de exclamação ou de reticências), a sequência deve ser gra-
fada com acento, pois, devido à posição na frase, o monossílabo “que” passa
a ser tônico.

Estudei bastante ontem à noite. Sabe por quê?


Será deselegante se você perguntar novamente por quê!
3. PORQUE:
•• é uma conjunção, equivalendo a:  pois, já que, uma vez que, como. Costuma
ser utilizado em respostas, para explicação ou causa.

Vou ao supermercado porque não temos mais frutas.


Você veio até aqui porque não conseguiu telefonar?

10 Português • PP
Prof. Pimentel

4. PORQUÊ: Anotações
•• representa um  substantivo. Significa “causa”, “razão”, “motivo” e normal-
mente surge acompanhada de palavra determinante (artigo, por exemplo).
Aceita plural!
Não consigo entender o porquê de sua ausência.
Existem muitos porquês para justificar esta atitude.
Você não vai à festa? Diga-me ao menos um porquê.

Resumindo e descomplicando...

Forma Emprego Exemplos


• Em frases interrogati- Por que ele correu?
vas (diretas ou indire-
tas) Digam-me por que ele correu.

Por que
• Em substituição à Os museus por que passamos eram
expressão “pelo qual” interessantes.
(e suas variações) (por que = pelos quais)
Eles estão tristes por quê?
Por quê No final de frases
Eles não estudaram não sei por quê.
Em respostas, explicações Não foi à aula porque estava doente.
Porque ou causa Não foi à aula porque estava triste?
Porquê Como substantivo Ela sabe o porquê de sua felicidade.

Emprego de MAL e MAU


•• Mal = pode ser:
–– um substantivo (nomeia)
O mal que os excessos fazem.
–– um advérbio (indica circunstância)
Comi mal a semana toda.
•• Mau = é um adjetivo (qualifica)
Ele é um mau menino.

Dica:
B
MA L MAL ≠ BEM
M

B
MA U MAU ≠ BOM
M

11 Português • PP
Prof. Pimentel

Emprego de VIAGEM e VIAJEM Anotações


•• Viagem = é um substantivo, por isso sempre será possível encaixar o artigo
antes da palavra.
Eles farão uma viagem.

•• Viajem = é um verbo. Associe: viajem vem do verbo viajar


Que vocês viajem tranquilos.

Emprego de CESSÃO, SESSÃO, SEÇÃO (ou SECÇÃO)


•• Cessão = ato de ceder, passar os direitos para alguém.
A cessão de terras será feita pelos herdeiros.
•• Sessão = intervalo de tempo em que alguma coisa acontece (reunião, espe-
táculo, consulta).
A sessão de teatro demorou, mas valeu a pena.
•• Seção ou secção = repartição, separação, divisão.
Li a notícia na seção (ou secção) de esportes.
O metalúrgico fez a secção na peça, conforme o desenho.

Emprego de ONDE e AONDE


Onde = significa no lugar e equivale a “em que”, “no qual”.
O bairro onde fica a sua casa é maravilhoso.
Aonde = significa ao lugar e usa-se com verbos que expressam movimento.
A cidade aonde iremos é tranquila e agradável.

Emprego de SE NÃO ou SENÃO


Se não = equivale a “caso não”.
Se não vier, ficarei chateado.

Senão = equivale a “caso contrário, “de outro modo”.


Estude muito, senão a aprovação será mais difícil.

Emprego de TÃO POUCO e TAMPOUCO


Tão pouco = muito pouco.
Era tão pouco que não distribuíram a todos.
Tampouco = também não, nem.
Eles não vão, tampouco eu.

Emprego de ACERCA DE, A CERCA DE, HÁ CERCA DE


Acerca de = a respeito de, sobre.
Acerca do que houve, não opinarei.

12 Português • PP
Prof. Pimentel

A cerca de = perto de, próximo de. Anotações

O local da prova fica a cerca de 100 metros daqui.


Há cerca de = tempo decorrido.
Há cerca de 6 meses, comecei a estudar.

Emprego de A e HÁ
A = tempo a decorrer ou distância a percorrer.
Eu viajarei daqui a 2 meses.
A escola fica a 100 metros daqui.
HÁ = tempo decorrido ou distância percorrida.
Ele chegou aqui há 5 anos.
O posto ficou há 3 km daqui.

Atenção: Não se usa “há muitos anos atrás”

NOVA ORTOGRAFIA

Novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa:


•• desde 2009, as novas regras linguísticas entraram em vigor oficialmente;
•• a implementação integral da nova ortografia estava prevista para 1º/01/2013;
contudo, o Governo Federal adiou para 1º/01/2016, prazo estabelecido
também por Portugal;
•• o objetivo de adiar a vigência do Novo Acordo Ortográfico visa a alinhar o
cronograma brasileiro com o de outros países e oferecer maior prazo de
adaptação às pessoas.
•• segundo o Ministério da Educação, a medida deve facilitar o processo de in-
tercâmbio cultural e científico entre os países que falam Português e ampliar
a divulgação do idioma e da literatura portuguesa.
•• em Portugal, cerca de 1,6% das palavras serão alteradas. No Brasil, apenas
0,5%.

1 - ACENTO AGUDO

Disponível em: www.google.com.br. (Acesso em 23/04/2016)

13 Português • PP
Prof. Pimentel

O acento agudo desaparecerá em três casos: Anotações

a) Nos ditongos abertos “éi” e “ói” das palavras paroxítonas.


Exemplos: ideia, geleia, boia, jiboia, alcaloide, alcateia, apoio, assembleia, asteroi-
de, celuloide, colmeia, Coreia, epopeia, estreia, heroico, joia, odisseia, onomato-
peia, paranoia, plateia, proteico, etc.
Atenção: essa regra é válida somente para palavras paroxítonas. Assim, continuam sendo
acentuadas as palavras monossílabas e oxítonas terminadas em éi, éu e ói (seguidos ou
não de “s”).
Exemplos: papéis, herói, heróis, troféu, troféus, chapéu, chapéus, anéis, dói, céu, ilhéu.

b) Nas palavras paroxítonas com “i” e “u” tônicos formando hiato (sequência de
duas vogais que pertencem a sílabas diferentes), quando vierem após um ditongo
decrescente. Veja:
baiúca -> baiuca
bocaiúva -> bocaiuva
feiúra -> feiura
cheiínho -> cheiinho
saiínha -> saiinha
Taoísmo -> Taoismo

Atenção:
•• se a palavra for oxítona e o “i” ou o “u” estiverem em posição final (ou se-
guidos de s), o acento permanece. Exemplos: tuiuiú, Piauí, teiú.
•• se o i ou o u forem precedidos de ditongo crescente, o acento permanece.
Exemplos: guaíba, Guaíra.

c) Nas formas verbais que possuem o “u” tônico precedido das letras “g” ou “q” e
seguido de “e” ou “i”.
Esses casos ocorrem apenas nas formas verbais de arguir e redarguir. Observe:
argúis -> arguis
argúem -> arguem
redargúis -> redarguis
redargúem -> redarguem

2 - ACENTO DIFERENCIAL
O acento diferencial é utilizado para auxiliar na identificação de palavras homógra-
fas ou homófonas.
Com o acordo ortográfico, ele deixará de existir nos seguintes casos:
pára / para
péla(s) / pela(s)
pêlo(s) / pelo(s)
pólo(s) / polo(s)
pêra / pera
Atenção:
1. Existem duas palavras que continuarão recebendo acento diferencial:
pôr (verbo) -> para não ser confundido com a preposição por.
pôde (verbo poder conjugado no passado) -> para que não seja confundido com
pode (forma conjugada no presente).

14 Português • PP
Prof. Pimentel

2. É facultativo o uso do acento circunflexo para diferenciar as palavras forma/ Anotações


fôrma. Em alguns casos, o uso do acento deixa a frase mais clara.
Veja este exemplo: Qual é a forma da fôrma do bolo?

3 - ACENTO CIRCUNFLEXO
O acento circunflexo deixará de ser utilizado nos seguintes casos:

a) Em palavras com terminação “ôo”.


Exemplos: abençoo (abençoar) , coo (coar), coroo (coroar), doo (doar), moo (moer),
perdoo (perdoar), povoo (povoar), voos (plural de voo), zoo (zoar).

b) Nas terminações “êem”, que ocorrem nas formas conjugadas da terceira pessoa
do plural dos verbos ler, dar, ver, crer e seus derivados.
Exemplos: creem, deem, veem, descreem, releem, reveem.
DICA: credeleve
Atenção: os verbos ter e vir (e seus derivados) continuam sendo acentuados na
terceira pessoa do plural.
Eles têm três filhos.
Eles detêm o poder.
Eles vêm para a festa de sábado.
Eles intervêm na economia.

4 - TREMA

Disponíveis em: www.google.com.br. (Acesso em 23/04/2016).

O trema, sinal gráfico utilizado sobre a letra “u” dos grupos que, qui, gue, gui, deixa
de existir na língua portuguesa.
Lembre-se, no entanto, de que a pronúncia das palavras continua a mesma.
Exemplos: cinquenta, pinguim, aguentar, bilíngue, consequência, delinquente, fre-
quente, linguiça, sequência, sequestro, tranquilo, etc.
Atenção: o acordo prevê que o trema seja mantido apenas em nomes próprios de
origem estrangeira, bem como em seus derivados.
Exemplos: Bündchen, Müller, mülleriano.

15 Português • PP
Prof. Pimentel

5 – ALFABETO Anotações
O alfabeto passou a ter 26 letras. Além das atuais, foram incorporadas oficialmente
as letras k, w e y. Observe a posição das novas letras no alfabeto:
ABCDEFGHI
JKLMNOPQR
STUVWXYZ
Essas letras podem aparecer em siglas, símbolos, nomes próprios, palavras estran-
geiras e seus derivados.
Exemplos: km, playground, watt, Kafka, kafkiano, etc.

6 - HÍFEN

Disponíveis em: www.google.com.br. (Acesso em 23/04/2016).

NÃO SE USA O HÍFEN

1. Quando o prefixo terminar em vogal diferente da vogal que iniciar o segundo


elemento.
Exemplos: autoajuda, autoescola, agroindustrial, autoafirmação, autoaprendiza-
gem, autoestrada, autoimagem, contraindicação, contraoferta, extraoficial, infraes-
trutura, intraocular, intrauterino, neoexpressionista, neoimperialista, semiaberto,
semiárido, semiautomático, supraocular, ultraelevado, etc.

2. Quando o prefixo da palavra terminar em vogal e o segundo elemento começar


com as consoantes “s” ou “r”. Nesse caso, a consoante será duplicada.
Exemplos: ultrarromântico, antirrugas, antessala, antirreligioso, antissemita, au-
torretrato, antissocial, arquirromântico, autorregulamentação, contrarregra, con-
trassenso, extrarregimento, extrasseco, infrassom, neorrealismo, ultrarresistente,
ultrassonografia, semirreta, suprarrenal, minissaia, contrarrazões.

16 Português • PP
Prof. Pimentel

3. Nas palavras que, pelo uso, perderam a noção de composição. Anotações


Exemplos: paraquedas, mandachuva, paraquedista, paraquedismo, pontapé, girassol,
madressilva.

4. Em compostos que apresentam elementos de ligação.


Exemplos: pé de moleque, pé de vento, pai de todos, dia a dia, fim de semana, cor
de vinho, ponto e vírgula, camisa de força, cara de pau, olho de sogra.
Atenção: incluem-se nesse caso os compostos de base oracional.
Exemplos: maria vai com as outras, leva e traz, diz que diz que, deus me livre, deus
nos acuda, cor de burro quando foge, bicho de sete cabeças, faz de conta.
*Exceções: água-de-colônia, arco-da-velha, cor-de-rosa, mais-que-perfeito, pé-de-meia,
ao deus-dará, à queima-roupa.

5. Na formação de palavras com ”não” e ”quase”.


Exemplos:
(acordo de) não agressão
(isto é um) quase delito

USA-SE O HÍFEN
1. Quando a palavra for formada por um prefixo terminado em vogal e a palavra
seguinte iniciar pela mesma vogal.
Exemplos: micro-ônibus, anti-ibérico, anti-inflamatório, anti-inflacionário, anti-im-
perialista, arqui-inimigo, contra-ataque, micro-ondas, semi-interno, etc.
Atenção: se o prefixo terminar com consoante, usa-se hífen se o segundo elemento
começar com a mesma consoante:
hiper-requintado, inter-racial, super-resistente, super-romântico, etc.
Nos demais casos, não se usa o hífen: hipermercado, intermunicipal, superinteres-
sante, superproteção.

2. Nas palavras compostas que não apresentam elementos de ligação.


Exemplos: guarda-chuva, arco-íris, boa-fé, segunda-feira, mesa-redonda, vaga-lu-
me, joão-ninguém, porta-malas, porta-bandeira, pão-duro, bate-boca.
*Exceções: não se usa o hífen em certas palavras que perderam a noção de compo-
sição, como girassol, madressilva, mandachuva, pontapé, paraquedas, paraquedis-
ta, paraquedismo.

3. Em compostos que têm palavras iguais ou quase iguais, sem elementos de ligação.
Exemplos: reco-reco, blá-blá-blá, zum-zum, tico-tico, tique-taque, cri-cri, glu-glu,
rom-rom, pingue-pongue, zigue-zague, esconde-esconde, pega-pega, corre-corre.

4. Nos compostos entre cujos elementos há o emprego do apóstrofo.


Exemplos: gota-d’água, pé-d’água.

5. Nas palavras compostas derivadas de topônimos (nomes próprios de lugares),


com ou sem elementos de ligação.
Exemplos: 
Belo Horizonte = belo-horizontino
Porto Alegre = porto-alegrense
Mato Grosso do Sul = mato-grossense-do-sul/sul-mato-grossense
Ribeirão Preto - ribeirão-pretano/ribeirão-pretense

17 Português • PP
Prof. Pimentel

6. Nos compostos que designam espécies animais e botânicas (nomes de plantas, Anotações
flores, frutos, etc.) que tenham ou não elementos de ligação.
Exemplos: bem-te-vi, peixe-espada, peixe-do-paraíso, mico-leão-dourado, andori-
nha-da-serra, lebre-da-patagônia, erva-doce, ervilha-de-cheiro, pimenta-do-reino,
peroba-do-campo, cravo-da-índia.
Atenção: não se usa o hífen, quando esses compostos forem empregados fora de
seu sentido original. Observe: 
a) bico-de-papagaio (espécie de planta ornamental)
bico de papagaio (deformação nas vértebras)
b) olho-de-boi (espécie de peixe)
olho de boi (espécie de selo postal)

7. Com ”mal” usa-se o hífen quando a palavra seguinte começar por vogal, h ou l.


Exemplos: mal-entendido, mal-estar, mal-humorado, mal-limpo, etc.
Atenção:
•• Quando mal significa doença, usa-se o hífen se não houver elemento de
ligação. Exemplo: mal-francês.
•• Se houver elemento de ligação, escreve-se sem o hífen.
Exemplos:  mal de lázaro, mal de sete dias.

8. Usa-se o hífen com sufixos de origem tupi-guarani que representam formas


adjetivas, como açu, guaçu, mirim.
Exemplos: capim-açu, amoré-guaçu, anajá-mirim.

9. Usa-se o hífen para ligar duas ou mais palavras que ocasionalmente se combinam,
formando não propriamente vocábulos, mas encadeamentos vocabulares.
Exemplos: ponte Rio-Niterói, eixo Rio-São Paulo, etc.

10. Para clareza gráfica, se no final da linha a partição de uma palavra ou


combinação de palavras coincidir com o hífen, ele deve ser repetido na linha
seguinte.
Exemplos:
Na cidade, conta-
-se que ele foi viajar.

O diretor foi receber os ex-


-alunos.

ESPECIAL ATENÇÃO PARA O USO DO HÍFEN COM PREFIXOS


As observações a seguir referem-se ao uso do hífen em palavras formadas por:
•• prefixos (anti, super, ultra, sub etc.)
•• elementos que podem funcionar como prefixos (aero, agro, auto, eletro,
geo, hidro, macro, micro, mini, multi, neo, etc.).

Casos gerais
1. Usa-se o hífen diante de palavra iniciada por ”h”.
Exemplos: anti-higiênico, macro-história, mini-hotel, proto-história, sobre-humano,
super-homem, ultra-humano, sub-humano*
*Atenção: o VOLP atesta duas possibilidades de grafia: sub-humano e subumano,
sub-humanidade e subumanidade.

18 Português • PP
Prof. Pimentel

2. Com os prefixos ”sub” e ”sob”, usa-se o hífen também diante de palavra iniciada Anotações


por “r” , além de “b” e de “h” (neste caso, respeitada a excepcionalidade da dupla
possibilidade).
Exemplos: sub-região, sob-roda, sub-humano, sub-bibliotecário.

3. Com os prefixos circum e pan, usa-se o hífen diante de palavra iniciada por “m”, “n”


e vogal.
Exemplos: circum-murado, circum-navegação, pan-americano

4. Usa-se o hífen com os prefixos ex, sem, além, aquém, recém, pós, pré, pró, vice.
Exemplos: além-mar, além-túmulo, aquém-mar, ex-aluno,ex-diretor, ex-hospedeiro,
ex-prefeito, pós-graduação, pré-história, pré-vestibular, pró-europeu, recém-casa-
do, recém-nascido, sem-terra, vice-rei.

5. O prefixo  co junta-se com o segundo elemento, mesmo quando este se inicia


por “o” ou “h”. Neste último caso, corta-se o “h”. Se a palavra seguinte começar
com “r” ou “s”, dobram-se essas letras.
Exemplos: coobrigação, coedição, cofundador, coabitação, coerdeiro, corréu, cosseno

6. Com os prefixos pre e re, não se usa o hífen, mesmo diante de palavras começadas


por “e”.
Exemplos: preexistente, preelaborar, reescrever

7. Na formação de palavras com ab, ob e ad, usa-se o hífen diante de palavra


começada por “b”, “d” ou “r”. Exemplos: ad-digital, ad-renal, ob-rogar, ab-rogar,
ab-rupto*.
*Atenção: o VOLP atesta duas possibilidades de grafia: ab-rupto e abrupto.

Mapa mental - Hífen

Fonte: google.com.br/imagens.
Acesso em 23/04/2016. Autor desconhecido.

19 Português • PP
Prof. Pimentel

04 Módulo
Estrutura e Formação
de Palavras

Estrutura das palavras Anotações


Para conhecer os elementos formadores das palavras é essencial estudar sua estru-
tura. A partir daí, compreende-se melhor o significado de cada uma delas, o que
se torna um grande aliado na hora da prova!
Vamos analisar a palavra “bonequinhas“. Nessa palavra observamos a existência de
quatro elementos:
1. bonequ - é o elemento base da palavra, ou seja, aquele que contém o significado.
2. inh - indica que a palavra é um diminutivo
3. a - indica que a palavra é feminina
4. s - indica que a palavra se encontra no plural

Morfemas: unidades mínimas de caráter significativo.


São elementos mórficos:
1) Raiz, radical, tema: elementos básicos e significativos
2) Afixos (prefixos, sufixos), desinência, vogal temática: elementos modificadores
da significação dos primeiros
3) Vogal de ligação, consoante de ligação: elementos de ligação ou eufônicos.

Uma breve definição de cada um desses elementos:


•• Raiz: elemento originário e irredutível em que se concentra a significação das
palavras da mesma família etimológica. Exemplo: a raiz noc (vinda do latim =
prejudicar) tem significação geral de gerar danos.
•• Radical: elemento básico das palavras.
•• Afixos: elementos secundários (geralmente sem vida autônoma) que se
agregam a um radical ou tema para formar palavras derivadas. Classificam-
se em:
–– Prefixos: colocados antes do radical;
–– Sufixos: surgem depois do radical.
•• Desinências: elementos terminais indicativos das flexões das palavras. Existem
dois tipos:
1. Desinências Nominais: indicam as flexões de gênero (masculino e feminino) e
de número (singular e plural) dos nomes.
alun-o aluno-s
alun-a aluna-s
2. Desinências Verbais: indicam as flexões de número e pessoa e de modo e tem-
po dos verbos.
–– compr-o = desinência número-pessoal, pois indica que o verbo está na
primeira pessoa do singular
–– compra-va = é desinência modo-temporal: caracteriza uma forma verbal
do pretérito imperfeito do indicativo, na 1ª conjugação.

20 Português • PP
Prof. Pimentel

•• Vogal Temática: é a vogal que se junta ao radical, preparando-o para receber Anotações
as desinências. Nos verbos, distinguem-se três vogais temáticas:

A = caracteriza os verbos da 1ª conjugação.


amar, falar, nadar
E = caracteriza os verbos da 2ª conjugação.
correr, moer, varrer
I = caracteriza os verbos da 3ª conjugação.
sorrir, proibir, abolir
•• Tema: grupo formado pelo radical mais vogal temática.
ama-r, corre-r, sorri-r
•• Vogais e Consoantes de Ligação: são morfemas que surgem por motivos
eufônicos, ou seja, para facilitar ou mesmo possibilitar a pronúncia de uma
determinada palavra.
parisiense
(paris= radical, ense=sufixo, vogal de ligação=i)

Formação das Palavras: há dois processos básicos e principais pelos quais se for-
mam as palavras:
1. Derivação = um único radical
2. Composição = sempre haverá mais de um radical

Derivação: processo pelo qual se obtém uma palavra nova, chamada derivada, a
partir de outra já existente, chamada primitiva. Observe o quadro abaixo:

Palavra Primitiva Palavra Derivada

Mar marítimo, marinheiro, marujo


Terra enterrar, terreiro, aterrar

Tipos de Derivação:
1. Derivação Prefixal ou Prefixação: resulta do acréscimo de prefixo à palavra pri-
mitiva, que tem o seu significado alterado.
crer- descrer
ler- reler
capaz- incapaz

2. Derivação Sufixal ou Sufixação: resulta de acréscimo de sufixo à palavra primiti-


va, que pode sofrer alteração de significado ou mudança de classe gramatical.
alfabetização
Aqui, o sufixo -ção transforma em substantivo o verbo alfabetizar que, por sua vez,
já é derivado do substantivo alfabeto pelo acréscimo do sufixo -izar
alfabeto - alfabetizar - alfabetização
(substantivo) (verbo) (substantivo)

21 Português • PP
Prof. Pimentel

3. Derivação Parassintética ou Parassíntese: quando a palavra derivada resulta do Anotações


acréscimo simultâneo de prefixo e sufixo à palavra primitiva. Por meio da parassíntese
formam-se nomes (substantivos e adjetivos) e verbos.

Palavra Inicial Prefixo Radical Sufixo Palavra Formada


mudo e mud ecer emudecer
alma des alm ado desalmado
Atenção: não confundir!!!
Na derivação parassintética o acréscimo de sufixo e de prefixo é obrigatoriamente
simultâneo. Ao contrário de palavras como desigualdade que, se retirarmos o sufi-
xo, a palavra igualdade ainda continua com sentido.
4. Derivação Regressiva: quando uma palavra é formada por redução. Veja:

Palavra Inicial comprar (verbo) beijar (verbo)


Palavras derivadas compra (substantivo) beijo (substantivo)
Dica: para descobrir qual é o derivado e qual é o primitivo:
–– se o substantivo denota ação, ele será a palavra derivada;
–– se o substantivo denota objeto ou substância, ele será a palavra primitiva.
5. Derivação Imprópria: quando determinada palavra, sem sofrer qualquer acrésci-
mo ou supressão em sua forma, muda de classe gramatical.
Alguns exemplos:
Os bons serão convocados.
(adjetivo que vira substantivo)
O badalar dos sinos soou na capela.
(verbo que vira substantivo)
Composição: processo que forma palavras compostas, a partir da junção de dois ou
mais radicais. Existem dois tipos:

1. Composição por Justaposição


Junção de duas ou mais palavras ou radicais, não ocorrendo alteração fonética.
passatempo, quinta-feira, girassol, couve-flor

2. Composição por Aglutinação


União de dois ou mais vocábulos ou radicais, ocorrendo perda fonética.
embora (em boa hora)
hidrelétrico (hidro + elétrico)

Outros processos de formação de palavras:


•• Redução: forma reduzida da palavra ou siglas, mantendo o significado original.
Observe:
auto (automóvel)
cine (cinema)
km (quilômetro)
•• Hibridismo: na palavra em cuja formação entram elementos de línguas dife-
rentes.
auto (grego) + móvel (latim)
•• Onomatopeia: vocábulos que reproduzem aproximadamente os sons e as
vozes dos seres e da natureza.
miau, zum-zum, cocoricar, etc.

22 Português • PP
Prof. Pimentel

05 Módulo Classes de Palavras

MORFOLOGIA – PARTE 1 Anotações

ARTIGO, ADVÉRBIO, CONJUNÇÃO, INTERJEIÇÃO,


NUMERAL, PREPOSIÇÃO
A classificação das palavras, isoladamente, é uma das áreas de estudo da Morfologia.
Há 10 classes de palavras ou classes gramaticais:
1. Substantivo 6. Verbo
2. Artigo 7. Advérbio
3. Adjetivo 8. Preposição
4. Numeral 9. Conjunção
5. Pronome 10. Interjeição
Nossos estudos serão assim divididos:
Parte 1 – artigo, advérbio, conjunção, interjeição, numeral, preposição
Parte 2 - substantivo
Parte 3 - adjetivo
Parte 4 – pronome
Parte 5 – verbo

1. ARTIGO:
Definição: palavra que modifica o substantivo.
•• Artigo indefinido: generaliza e refere-se a um ser desconhecido.

um, uma, uns, umas


•• Artigo definido: individualiza e refere-se a um ser conhecido.

o, a, os, as
Flexão = número e gênero.
Observação importante: os artigos são capazes de substantivar outras palavras que
não sejam substantivos. Veja:

Não gosto de receber flores.


substantivo
Não gosto de receber um não.

⇓ ⇓
artigo advérbio
substantivado

23 Português • PP
Prof. Pimentel

2. ADVÉRBIO Anotações
Definição: palavra invariável que indica circunstância. Pode modificar o verbo, o
adjetivo e o próprio advérbio.

Flexão:
•• número e gênero = advérbio é invariável
•• grau = alguns advérbios são variáveis (superlativo e comparativo) Ex.: tarde/
tardíssimo
Locução adverbial: união de duas ou mais palavras que funcionam como advérbio.
Normalmente fazemos uma pergunta ao verbo para encontrarmos o ADVÉRBIO.
Veja:

Chegou muito cedo.

Chegou quando?
Cedo: adv. de tempo Muito: adv. de intensidade

Atenção: a pergunta é dispensada em caso de advérbios de afirmação, negação,


dúvida e intensidade.

Principais Classificações
Advérbios e locuções adverbiais
Tempo agora, hoje, ontem, cedo, tarde, à tarde, à noite, já, no dia seguinte,
amanhã, de manhã, jamais, nunca, sempre, antes, breve, de repen-
te, de vez em quando, às vezes, imediatamente, etc.
Lugar aqui, ali, aí, lá, cá, acolá, perto, longe, abaixo, acima, dentro, fora,
além, adiante, distante, em cima, ao lado, à direita, à esquerda, em
algum lugar, atrás, etc.
Modo bem, mal, assim, pior, melhor, depressa, devagar, à toa, às pressas,
à vontade, rapidamente, calmamente, infelizmente (e a maioria dos
advérbios terminados em -mente), etc.
Negação não, absolutamente, tampouco, nunca, de modo algum, de forma
alguma, etc.
Afirmação sim, realmente, deveras, certamente, sem dúvida, efetivamente,
com certeza, de fato, etc.
Intensidade muito, pouco, bastante, suficiente, demais, mais, menos, tão, etc.
Dúvida talvez, possivelmente, provavelmente, quiçá, etc.
Interrogação onde, quando, como, etc.
Exclusão apenas, exclusivamente, salvo, senão, etc.
Inclusão ainda, até, mesmo, inclusivamente, também, etc.

Atenção: dois ou mais advérbios terminados em -mente, pode-se sufixar apenas o


último.
Ex.: Ela discursou calma e respeitosamente.

24 Português • PP
Prof. Pimentel

3. CONJUNÇÃO Anotações
Definição: palavra invariável que liga duas orações ou dois termos semelhantes de
uma mesma oração. As conjunções não exercem propriamente uma função sintáti-
ca: são conectivos.
Flexão: invariável
Locução Conjuntiva: conjuntos de palavras que atuam como conjunção. Essas locu-
ções geralmente terminam em “que“ (visto que, desde que, ainda que, etc.)
Classificação das Conjunções
Podem ser classificadas em:
•• Conjunções Coordenativas: ligam orações de sentido completo e indepen-
dente ou termos da oração que têm a mesma função gramatical.
•• Conjunções Subordinativas: ligam duas orações, dependentes uma da outra.
Dividem-se em:
–– integrantes: introduzem orações subordinadas substantivas
–– adverbiais: introduzem orações que indicam uma circunstância adverbial
relacionada à oração principal.

Conjunções coordenativas

Classificação Sentido Principais conjunções

Aditivas adição, soma e, nem, mas também

Adversativas oposição, contraste mas, porém, contudo, todavia, entretanto

Alternativas alternância, exclusão ou, ou...ou, ora...ora, já...já, quer... quer

Conclusivas conclusão explicação quer logo, pois (posposto ao verbo), portanto

Explicativas justificativa pois (anteposto ao verbo), porque, que

Conjunções subordinativas
Classificação Sentido Principais conjunções
Integrantes sem valor semântico que, se
específico, apenas
ligam orações
Causais causa, motivo porque, como, já que, visto que
Condicionais condição se, caso, desde que, contanto que
Consecutivas consequência que (precedido de tão, tal, tanto), de
modo que
adverbiais

Comparativas comparação como, que (precedido de +/-), assim


como
Conformativas conformidade como, conforme, segundo
Concessivas concessão embora, se bem que, mesmo que,
ainda que
Temporais tempo quando, assim que, antes que, de-
pois que
Finais finalidade para que, a fim de que, que
Proporcionais proporção à medida que, à proporção que

25 Português • PP
Prof. Pimentel

4. INTERJEIÇÃO Anotações
Definição:  é a palavra invariável que exprime emoções, sensações, estados de es-
pírito, ou que procura agir sobre o interlocutor, levando-o a adotar certo comporta-
mento sem que, para isso, seja necessário fazer uso de estruturas linguísticas mais
elaboradas.

Exemplos: Oh!, Ah!, Ó, Ô, Oba!, Olá!, Claro!,


Meu Deus!, Ora bolas!, Droga!

Flexão: invariável

5. NUMERAL
Definição: numeral é a palavra que indica os seres em termos numéricos, isto é, que
atribui quantidade aos seres ou os situa em determinada ordem. Possuem normal-
mente a função adjetiva, mas podem ser substantivados.

Flexão:
•• Cardinais = variam em gênero:
–– um/uma, dois/duas e os que indicam centenas de duzentos/duzentas
em diante.
–– os demais cardinais são invariáveis: quatro, cinco, cem, etc.
•• Ordinais = variam em gênero e número: primeiro(a) (s)
•• Coletivos = variam em número: dúzia(s)
•• Multiplicativos:
–– são invariáveis quando atuam em funções substantivas.
Ex.: Fizeram o dobro do esforço.
–– flexionam-se em gênero e número quando atuam em funções adjetivas.
Ex.: Teve de tomar doses triplas do medicamento.
•• Fracionários = variam em gênero e número: meio(a), um terço/dois terços.

Classificação dos Numerais


1. Cardinais: indicam contagem, medida (um, dois, etc.)
2. Ordinais: indicam ordem numa série dada (primeiro, etc.)
3. Coletivos: designam um conjunto (dúzia, milhar, etc.)
4. Multiplicativos: ideia de multiplicação (dobro, quíntuplo, etc.)
5. Fracionários: indicam parte de um inteiro (meio, terço, etc.)
Atenção: ambos/ambas são considerados numerais. Significam “um e outro”, “os
dois” (ou “uma e outra”, “as duas”) e são muito utlizados para retomar pares de
seres aos quais já se fez referência.

Gustavo e sua irmã foram à escola. Ambos estudaram muito.

26 Português • PP
Prof. Pimentel

6. PREPOSIÇÃO Anotações
Definição: estabelece uma relação entre dois ou mais termos da oração. Há dois
tipos:
•• Preposições essenciais: atuam exclusivamente como preposição.

a, ante, após, até, com, contra, de, desde, em, entre, para, per,
perante, por, sem, sob, sobre, trás
•• Preposições acidentais: palavras de outras classes gramaticais que podem
atuar como preposições.

como (= na qualidade de), conforme (= de acordo com),


segundo (= conforme), consoante (= conforme), durante,
salvo, fora, mediante, tirante, exceto, senão, visto (=por).
•• Locuções prepositivas: conjunto de duas ou mais palavras que têm o valor de
uma preposição. A última palavra dessas locuções é sempre uma preposição.

abaixo de, acerca de, além de, ao lado de, etc.


Flexão: invariável

Quando as preposições a, de, em e per unem-se a certas palavras, formando


um só vocábulo, essa união pode ocorrer por:
–– Combinação: não há perda fonética, mantendo todos os seus fonemas.

ao = a + o

–– Contração: sofre modificações na sua estrutura fonológica, havendo


perda fonética.

do = de + o
Atenção: as formas pelo (s), pela (s) resultam da contração da arcaica preposi-
ção ”per” com os artigos definidos.
Exemplo: per + o = pelo

Há três situações que costumam ser exploradas pelas bancas organizadoras.


Veja:
1. Não se usa preposição no sujeito: se o elemento posterior à preposição
funcionar como sujeito, o artigo deverá ficar isolado.
Apesar de a crise ainda existir, cresceremos muito.
sujeito
Todos chegaram antes de o sol nascer.
sujeito

2. Distinção entre Preposição, Pronome e Artigo:


- Preposição: Preposição liga Palavras e não admite plural.
- Pronome Pessoal Oblíquo: substitui um substantivo.
- Pronome Demonstrativo: a + que = aquela que
- Artigo: antecede um substantivo, determinando-o.
Rosa foi a que mais estudou. A escola premiou-a com uma viagem a Brasília.

27 Português • PP
Prof. Pimentel

3. Preposições expressando relações. As principais relações estabelecidas pe- Anotações


las preposições são:
–– Autoria - Este livro é de Pâmela.
–– Lugar - Estou em casa.
–– Tempo -Eu viajei durante as férias.
–– Modo ou conformidade - Vamos decidir por sorteio.
–– Causa - Estou tremendo de frio
–– Assunto - Não gosto de falar sobre política.
–– Fim ou finalidade - Eu vim para dar aula.
–– Instrumento - Ele feriu- se com o canivete.
–– Companhia - Hoje sairei com minha família.
–– Meio - Andarei a cavalo.
–– Matéria - A pulseira é de prata.
–– Posse - Este é o carro de Aparecido.
–– Oposição - A disputa será: meninos contra meninas.
–– Conteúdo - Tomei um copo de (com) água.
–– Preço - Vendemos o carro a (por) R$ 15.000,00.
–– Origem - Você descende de família humilde.
–– Especialidade - Paula formou-se em Fisioterapia.
–– Destino ou direção - Olhe para frente!

PARTE 2 - SUBSTANTIVO
Definição = palavra variável que nomeia objetos, pessoas, lugares, plantas, animais,
sentimentos, ações, qualidades, etc.
Flexões:
–– Número = singular ou plural
–– Gênero = masculino ou feminino (com ou sem mudança de significado)
–– Grau = aumentativo ou diminutivo (designam extensão/tamanho ou ex-
pressam sentimentos: afeto, desdém)

Classificação dos Substantivos


1- Substantivos Comuns e Próprios
–– Substantivo Comum: designa os seres de uma mesma espécie de forma
genérica.
mesa, casa, cidade, homem, mulher, cachorro
–– Substantivo Próprio: designa os seres de uma mesma espécie de forma
particular.
Brasil, Rafael, Luna, São Paulo
2 - Substantivos Concretos e Abstratos
–– Substantivos Concretos: designam seres do mundo real e do imaginário
com existência própria, independentes de outros seres.
casa, saci
–– Substantivos Abstratos: designam estados, qualidades, ações e senti-
mentos dos seres, dos quais podem ser abstraídos, e sem os quais não
podem existir.
rapidez (qualidade), viagem (ação), saudade (sentimento).

28 Português • PP
Prof. Pimentel

3 - Substantivos Coletivos: é o substantivo comum que, mesmo estando no singular, Anotações


designa um conjunto de seres da mesma espécie, expressando, assim, ideia de plural.
abelha - enxame, cortiço, colmeia
ator - elenco
avião - esquadrão, esquadra, esquadrilha
boi - boiada, abesana, armento, cingel, jugada, jugo, junta, manada,
rebanho, tropa

4 - Substantivos Simples e Compostos


–– Substantivo Simples: formado por um único elemento (um radical).
mesa, cadeira

–– Substantivo Composto: formado por dois ou mais elementos (dois ou


mais radicais).
guarda-chuva, girassol

5 - Substantivos Primitivos e Derivados


–– Substantivo Primitivo: não deriva de nenhuma outra palavra da própria
língua portuguesa.
cabeça

–– Substantivo Derivado: é aquele que se origina de outra palavra da língua


portuguesa.
cabeceira

FLEXÃO DE GÊNERO
Divide-se em:
1. Substantivos Biformes (= duas formas):   ao indicar nomes de seres vivos,
geralmente o gênero da palavra está relacionado ao sexo do ser, havendo, portanto,
duas formas, uma para o masculino e outra para o feminino. Observe:
gato - gata
homem - mulher
bode - cabra
2. Substantivos Uniformes:  apresentam uma única forma (tanto para masculino
como para feminino). Classificam-se em:
–– Epicenos: têm um só gênero e nomeiam bichos.
a cobra macho - a cobra fêmea
o jacaré macho - o jacaré fêmea

–– Sobrecomuns: têm um só gênero e nomeiam pessoas.


a criança, a testemunha
a vítima, o cônjuge
–– Comuns de Dois Gêneros: indicam o sexo das pessoas por meio do artigo.
o colega - a colega
o artista - a artista

29 Português • PP
Prof. Pimentel

Atenção: Anotações
Gênero Incerto: alguns substantivos apresentam gênero incerto, ainda não rigoro-
samente determinado, sendo usados:
•• com a mesma significação, ora como masculinos, ora como femininos. Al-
guns exemplos:
o personagem - a personagem
o diabete(s) - a diabete(s)
a modelo - o modelo
o laringe - a laringe

•• com significação diferente quando varia de gênero. Alguns exemplos:


o rádio (aparelho receptor) - a rádio (estação emissora)
o capital (dinheiro) - a capital (cidade)

FLEXÃO DE NÚMERO - Substantivos Simples


(aqui incluem-se os substantivos compostos escritos sem hífen: girassol, passatem-
po, aerossol)
•• terminados em vogal, ditongo oral e n  = + s
•• terminados em m = troca-se m por ns
•• terminados em r e z = + es
•• terminados em al, el, ol, ul = troca-se l por is
(exemplo: aerossol – aerossóis)
Exceções: mal e males, cônsul e cônsules.

•• terminados em il  =
–– oxítonos = troca-se il por is.
–– paroxítonos = troca-se il por eis.
Exceção: répteis ou reptis (pouco usada)

•• terminados em s =
–– monossilábicos ou oxítonos = + es (ases, retroses)
–– paroxítonos ou proparoxítonos = invariáveis (ônibus, lápis)

•• terminados em x = invariáveis (xerox, xérox, látex, fênix)

•• terminados em ão = troca-se o ão por ões, ães ou ãos

As palavras terminadas em –ão podem formar plural de três modos: -ões, -ãos
ou –ães. Não há uma regra específica para se fazer esse plural, pois pode variar entre
os três e dependerá unicamente da origem da palavra, ou seja, de sua etimologia.
A maioria dos substantivos e adjetivos terminados em –ão fazem o plural em –ões.
balão – balões / limão – limões / paixão – paixões

30 Português • PP
Prof. Pimentel

Quando a terminação –ão recai sob a sílaba átona (sem tonicidade, pronun- Anotações
ciada mais fracamente) o plural obedece à regra básica: acrescenta-se “s” no final:
Bênção – bênçãos / Órgão – órgãos
Observe que as palavras acima são paroxítonas. Mas, entre algumas oxítonas e
monossílabas, acontece o mesmo:
mão – mãos / irmão – irmãos / artesão-artesãos
Poucos vocábulos têm seu plural em –ães:
cão – cães / capitão – capitães / escrivão – escrivães
Outras palavras aceitam mais de uma forma de plural:
anão – anões e anãos
ancião – anciãos, anciães e anciões
corrimão – corrimãos e corrimões
guardião - guardiães e guardiões

Decorar não é a maneira ideal de assimilar esses plurais, já que há muitas ex-
ceções. Assim, a prática é a melhor opção! É difícil esquecer algo com que se está
acostumado e que já faz parte da rotina.

FLEXÃO DE NÚMERO - Substantivos Compostos


1. Os dois elementos são flexionados:
–– dois substantivos = cartas-bilhetes (Neste caso, pode-se optar em co-
locar apenas o primeiro elemento ou ambos no plural)
–– substantivo + adjetivo = cobras-cegas
–– adjetivo + substantivo = gentis-homens
–– numeral + substantivo = quintas-feiras

2. Só o segundo elemento é flexionado:


•• substantivos compostos com prefixo
grão-duques, vice-presidentes
•• verbo ou palavra invariável + adjetivo ou substantivo
abaixo-assinados, beija-flores, Pepsi-colas
(marca = 1º elemento é considerado substantivo próprio)
•• três ou mais elementos sem preposição
bem-te-vis, bem-me-queres

•• elementos repetidos ou imitativos


tico-ticos, tique-taques

3. Só o primeiro elemento é flexionado:


•• ligados por preposição (mesmo que subentendida)
cavalos-vapor, pés de moleque, águas-de-colônia

31 Português • PP
Prof. Pimentel

•• segundo elemento exprime ideia de fim (finalidade), de semelhança (espe- Anotações


cifica a função ou o tipo do termo anterior)
palavras-chave, salários-família
mangas-rosa , peixes-boi
*Atenção: nesse último caso, O VOLP aceita duas possibilidades de plural:
somente o primeiro termo é flexionado;
os dois termos são flexionados.

4. Permanecem invariáveis:
•• verbo + advérbio
o bota-fora e os bota-fora
•• verbo + substantivo no plural
o saca-rolhas e os saca-rolhas

Atenção:
•• Plural dos Nomes Próprios Personativos: nomes próprios de pessoas são
pluralizados sempre que a terminação se preste à flexão.
Os Napoleões também são derrotados.
As Raquéis e Esteres.

•• Plural dos Substantivos Estrangeiros:


–– não aportuguesados: subordinam-se às regras das línguas de que fazem
parte
–– aportuguesados: seguem as regras de nossa língua:
as toaletes / os chopes / os jipes
Exceção: gol - gols

Particularidades sobre o Número dos Substantivos


a) Há substantivos que só se usam no singular:
o Sul, o Norte, o Leste, o Oeste, a fé, etc.
b) Outros só no plural (do latim “pluralia tantum”):
os parabéns, as núpcias, os óculos,
as costas (parte do corpo humano), os pêsames.
c) Outros, enfim, têm, no plural, sentido diferente do singular:
bem (virtude) - bens (riquezas)
honra (probidade, bom nome) - honras (homenagem, títulos)
d) Usamos, às vezes, os substantivos no singular mas com sentido de plural:
Aqui morreu muito soldado.

32 Português • PP
Prof. Pimentel

PARTE 3 - ADJETIVO Anotações

Definição: palavra que se junta a um substantivo, qualificando-o ou classificando-o.


Flexão: gênero, número e grau.
Locução Adjetiva = união de dois ou mais termos que equivalem a um adjetivo.

Classificação dos Adjetivos, quanto à formação


•• Adjetivo simples: formado por um só radical.
brasileiro, escuro, magro, cômico
•• Adjetivo composto: formado por mais de um radical.
luso-brasileiro, castanho-escuro, amarelo-canário
•• Adjetivo primitivo: dá origem a outros adjetivos.
belo, bom, feliz, puro
•• Adjetivo derivado: deriva de substantivos ou verbos.
belíssimo, bondoso, magrelo
•• Adjetivo Pátrio (gentílicos): indica a nacionalidade ou o lugar de origem do
ser. Podem ser simples ou compostos. Veja alguns exemplos:

Adjetivo Pátrio Simples

Acre acriano
Amazonas amazonense ou baré
Campinas campineiro ou campinense
Estados Unidos estadunidense, norte-americano ou ianque
Guatemala guatemalteco
Índia indiano ou hindu (os que professam o hinduísmo)
Israel israelense ou israelita
Mongólia mongol ou mongólico
Somália somali, somaliano e somaliense

Adjetivo Pátrio Composto

Na formação do adjetivo pátrio composto, o primeiro elemento aparece na


forma reduzida e, normalmente, erudita. Alguns exemplos:
Origem 1º elemento Exemplos
Alemanha germano ou teuto Competições teuto-inglesas
Bélgica belgo Acampamentos belgo-franceses
China sino Acordos sino-japoneses
Espanha hispano Mercado hispano-português
Inglaterra anglo Letras anglo-portuguesas
Japão nipo Associações nipo-brasileiras
Portugal luso Acordos luso-brasileiros
Península Ibérica ibero Tratados ibero-americanos

33 Português • PP
Prof. Pimentel

LOCUÇÃO ADJETIVA: A equivalência entre adjetivos e locuções adjetivas é mais Anotações


uma ferramenta para o aprimoramento dos textos, oferecendo possibilidades de
variação vocabular. No entanto, há duas particularidades:

1. Há locuções adjetivas que não possuem um adjetivo correspondente, com o


mesmo significado.
Vi as alunas do 9º ano.
O muro de tijolos caiu.
A caixa de papelão rasgou.

2. O significado pode sofrer severa alteração com o uso de locuções adjetivas ou


seus respectivos adjetivos, e vice-versa.
Exemplo: “Contrato leonino” é uma expressão usada na linguagem jurídica para se
referir a um contrato elaborado privilegiando uma das partes contratantes.
Havendo a substituição de “leonino” pela locução adjetiva “de leão” o valor semân-
tico é alterado. Veja:
Os interessados assinaram um contrato leonino.
Os interessados assinaram um contrato de leão.

Alguns exemplos:

Locução Adjetiva Adjetivo

de águia aquilino
de bode hircino
de bronze brônzeo ou êneo
de criança pueril
de fogo ígneo
de enxofre sulfúrico
de gesso gípseo
de ilha insular
de paixão passional
de serpente viperino

FLEXÃO DE GÊNERO: De forma semelhante aos substantivos, classificam-se em:


•• Biformes - têm duas formas, sendo uma para o masculino e outra para o
feminino.
ativo – ativa / judeu - judia
•• Uniformes - têm uma só forma tanto para o masculino como para o femi-
nino.
menino feliz - menina feliz
Se o adjetivo é composto e uniforme, fica invariável no feminino. Exemplos:
conflito político-social / desavença político-social

34 Português • PP
Prof. Pimentel

FLEXÃO DE NÚMERO Anotações

1. Adjetivos Simples: acrescenta-se -s nas duas palavras (substantivo + adjetivo)


blusas verdes
carros brancos
Atenção: substantivo usado como adjetivo fica no singular. Veja:
blusa vinho = blusas vinho
carro cinza = carros cinza
tom pastel = tons pastel
tecido palha = tecidos palha
camisa abóbora = camisas abóbora
calça gelo = calças gelo
2. Adjetivos compostos
•• Regra geral: apenas o segundo elemento varia.
cabelos castanho-escuros
olhos azul-claros
camisas verde-claras
Exceções:
1) Se o 2º elemento for substantivo = singular
blusas verde-limão
calças amarelo-ouro
2) Invariáveis
–– azul-marinho / azul-celeste / ultravioleta / qualquer adjetivo composto
iniciado por cor-de-...
Exemplos: ternos azul-marinho /camisas azul-celeste
meias cor-de-rosa (*) / blusas cor de vinho
raios ultravioleta
–– caso um dos elementos que formam o adjetivo composto seja um substan-
tivo adjetivado, todo o adjetivo composto ficará invariável.
Exemplos: camisas rosa-claro / paletós verde-mar
(*) Novo Acordo Ortográfico = compostos que apresentam elementos de ligação
deixam de receber hífen. Uma das exceções: cor-de-rosa.

3) Os dois elementos variam


SURDO-MUDO
PELE-VERMELHA

FLEXÃO DE GRAU
1. COMPARATIVO: compara elementos
•• de Inferioridade: menos.....(do) que...
Sou menos alto (do) que você.
•• de Igualdade: tão....quanto...
Sou tão alto quanto você.
O segundo termo da comparação de igualdade é introduzido pelas palavras como,
quanto ou quão.

35 Português • PP
Prof. Pimentel

•• de Superioridade Anotações
–– Analítico: mais .... (do) que ...
Sou mais alto (do) que você.
–– Sintético: maior (do) que a ...
Sou maior (do) que você
Alguns adjetivos possuem, para o comparativo de superioridade, formas sintéticas,
herdadas do latim. São eles:

Adjetivo Forma sintética Adjetivo Forma sintética


(latim) (latim)

Bom Melhor Pequeno Menor


Mau Pior Alto Superior
Grande maior Baixo Inferior

Observe que: 
a) As formas menor e pior são comparativos de superioridade, pois equivalem a
mais pequeno e mais mau, respectivamente.
b) Bom, mau, grande e pequeno têm formas sintéticas (melhor, pior, maior e
menor), porém, em comparações feitas entre duas qualidades de um mesmo
elemento, deve-se usar as formas analíticas mais bom, mais mau, mais
grande e mais pequeno.
Gabriel é maior do que Lucas.
(comparação de dois elementos)

A sala é mais grande que pequena.


(comparação de duas qualidades de um mesmo elemento)

2. SUPERLATIVO
•• Superlativo Absoluto: um elemento não comparado a outro
–– Sintético (uma palavra) = Ele é inteligentíssimo
–– Analítico (há advérbio) = Ele é muito inteligente

•• Superlativo Relativo: há relação entre um elemento e outros


–– Superioridade = Ele é o mais inteligente da turma.
–– Inferioridade = Ele é o menos estudioso da classe.
Atenção: é necessário o artigo.

PARTE 4 - PRONOME
Definição:  é a palavra que se usa em lugar do nome, ou a ele se refere, ou ainda,
que acompanha o nome qualificando-o de alguma forma.
Flexão: gênero e número.
Existem seis tipos de pronomes: pessoais, demonstrativos, relativos, posses-
sivos, indefinidos e interrogativos.
Daremos ênfase aos três primeiros, por serem mais presentes em concursos.

36 Português • PP
Prof. Pimentel

1. Pronomes Pessoais: substituem os substantivos, indicando diretamente as Anotações


pessoas do discurso.

PESSOA CASO RETO CASO OBLÍQUO


DO (sujeito) (complementos: OD/OI)
DISCURSO
1ª Eu me, mim, comigo
singular

2ª Tu te, ti, contigo


3ª Ele (a), você o, a, lhe, se, si, consigo
1ª Nós nos, conosco
plural

2ª Vós vos, convosco


3ª Eles (as), vocês os, as, lhes, se, si, consigo

•• SE, SI, CONSIGO: além de serem usados para a 3ª pessoa, como nos mostra
o quadro anterior, podemos usar também em voz reflexiva, ou seja, quando
o sujeito pratica e sofre a ação.
Ele feriu-se com a faca.
O aluno trouxe o livro consigo.

eleMESMO
Dica: pense em 
elePRÓPRIO

Atenção: Podemos encontrar provas com comandos do tipo: “Uniformize a pessoa


do discurso”. Portanto, cuidado com o emprego dos pronomes abaixo:
Aparecido, preciso falar com você.
Estás triste demais hoje, gostaria de falar contigo.
(Tu)
•• No 1º caso, usa-se COM VOCÊ, já que não há referência da 2ª pessoa do
discurso.
•• No 2º caso, há referência do sujeito “tu” (2ª pessoa) através da conjugação
verbal. Assim, usa-se CONTIGO.

Os pronomes oblíquos podem ser:


•• Átonos
–– Singular: me, te, se, o, a, lhe
–– Plural: nos, vos, se, os, as, lhes
–– não possuem sentido quando usados sozinhos;
–– são empregados sem preposição.
Indaguei-lhe acerca do acontecido.
•• Tônicos
–– Singular: mim, comigo, ti, contigo, si, consigo
–– Plural: nós, conosco, vós, convosco, eles, elas, si, consigo
–– possuem sentido próprio;
–– são obrigatoriamente regidos por preposição.
Disseram a mim toda a verdade.

37 Português • PP
Prof. Pimentel

EMPREGO DOS PRONOMES Anotações

1ª REGRA: Norma culta não admite frases iniciadas com pronomes oblíquos.

2ª REGRA: Pronomes pessoais do caso reto têm função de sujeito e não podem ter fun-
ção de complementos verbais. Vamos relembrar o que são complementos verbais:
•• Objeto Direto = vem após um verbo transitivo direto, ou seja, não pede
preposição.
•• Objeto indireto: vem após verbo transitivo indireto, ou seja, pede preposição.

3ª REGRA: Objetos Diretos (OD) = o(s), a(s)


Objetos Indiretos (OI) = lhe(s)

4ª REGRA: Verbos terminados em:


•• - R, S, Z + o (s), a (s) = LO (s), LA (s)
Qui S + o = qui-lo
Fi Z + a = fi-la
Amar + o = amá-lo
5ª REGRA: Verbos terminados em:
•• - M, ÃO, ÕE + o (s), a (s) = NO (s), NA (s)
fizeram + o = fizeram-no
põe + a = põe- na
dão + o = dão-no
6ª REGRA: Uso de MIM e EU:
eu (sujeito)
mim (complemento)

ATENÇÃO: Na regra 6, temos três pontos muito importantes a destacar:


•• Usa-se EU apenas quando o pronome possuir função de SUJEITO.
Para isso, é necessário haver um verbo após o pronome:

Aquele livro é para MIM.


Aquele livro é para EU ler.

Quem irá ler? Eu é o sujeito do verbo posposto ao pronome.


Assim sendo, usamos a forma reta.

38 Português • PP
Prof. Pimentel

•• A preposição “entre” repele o pronome do caso reto “eu”. Anotações


Não há problemas entre MIM e ele.
Não há problemas entre ele e MIM.

NUNCA USE:
Entre eu e ele!
Entre você e eu.

Exceção: Qual o problema entre eu pagar a conta ou você fazer isso?

•• Inversão: oração na ordem indireta. Muito cuidado!


É fácil para mim acreditar na aprovação.

Temos aqui uma grande “pegadinha” de concurso: um caso típico de inversão da


oração. A oração está na ordem indireta.
Oração iniciada por
VERBO SER + ______ + PARA = MIM

(ou qualquer verbo de ligação)


ATENÇÃO:

1. Os pronomes oblíquos átonos podem exercer a função de sujeito de um verbo no


infinitivo. Mas, nunca sujeito da oração.

Deixe-me falar.
Sujeito do verbo falar = “me” (eu)
Sujeito da oração = você

2. Os pronomes pessoais do caso reto podem atuar como complemento verbal,


desde que sejam antecedidos por preposição.
Ex.: Entreguei o relatório a ela.
VTDI OD OI

Pronomes de tratamento: pertencem ao grupo de pronomes pessoais e são em-


pregados no trato com as pessoas. Constituem formas corteses de tratamento, ex-
pressões de reverência e títulos honoríficos. 
Há duas considerações:
1. O pronome de tratamento concorda com o verbo na 3ª pessoa. Assim, os verbos,
os pronomes possessivos e os pronomes oblíquos empregados em relação a eles
devem ficar na 3ª pessoa.
Basta que V. Ex.ª cumpra suas promessas, para
que seus eleitores lhe fiquem reconhecidos.

2. Empregamos:
•• “Vossa(s)”: quando falamos com a pessoa.
Espero que V. Ex.ª, Senhor Governador, compareça.

•• “Sua(s)”:quando falamos a respeito da pessoa.


Sua Majestade, a rainha da Inglaterra, chega hoje ao Brasil.

39 Português • PP
Prof. Pimentel

Anotações
Vossa Excelência

Presidente da República, Vice-Presidente da República, Minis-


tros de Estado, Governadores e Vice-Governadores de Estado
e do Distrito Federal, Oficiais-Generais das Forças Armadas,
Poder Executivo
Embaixadores, Secretários-Executivos de Ministérios e demais
ocupantes de cargos de natureza especial, Secretários de Esta-
do dos Governos Estaduais, e Prefeitos Municipais.
Deputados Federais e Senadores, Ministro do Tribunal de Con-
tas da União, Deputados Estaduais e Distritais, Conselheiros
Poder Legislativo
dos Tribunais de Contas Estaduais e Presidentes das Câmaras
Legislativas Municipais
Ministros dos Tribunais Superiores, Membros de Tribunais, Ju-
Poder Judiciário
ízes e Auditores da Justiça Militar
Atenção: o vocativo a ser empregado em comunicações dirigidas aos Chefes de
Poder é Excelentíssimo Senhor, seguido do cargo respectivo. Ex.: Excelentíssimo
Senhor Presidente da República,
As demais autoridades serão tratadas com o vocativo Senhor, seguido do cargo
respectivo. Ex.: Senhor Senador,

Pronome de
Destinatário Vocativo
Tratamento
demais autoridades e Senhor Fulano de Tal,
para particulares
•• Fica dispensado o emprego do superlativo ilustrís-
simo para as autoridades que recebem o trata-
mento de Vossa Senhoria e para particulares. É su-
ficiente o uso do pronome de tratamento Senhor.
•• “doutor” não é forma de tratamento, e sim título
Vossa Senhoria acadêmico. Evite usá-lo indiscriminadamente.
Como regra geral, empregue-o apenas em comuni-
cações dirigidas a pessoas que tenham tal grau por
terem concluído curso universitário de doutorado.
É costume designar por doutor os bacharéis, espe-
cialmente os bacharéis em Direito e em Medicina.
Nos demais casos, o tratamento Senhor confere a
desejada formalidade às comunicações.
Vossa Magnificência Reitores de universidade Magnífico Reitor,
Vossa Santidade Papa Santíssimo Padre,
Vossa Eminência ou Cardeais Eminentíssimo Senhor
Vossa Eminência Cardeal, ou
Reverendíssima Eminentíssimo e Reveren-
díssimo Senhor Cardeal,
Vossa Excelência Arcebispos e Bispos Excelentíssimo e
Reverendíssima Reverendíssimo Senhor
Arcebispo (ou Bispo)
Vossa Monsenhores, Cônegos e Reverendíssimo Monse-
Reverendíssima ou superiores religiosos nhor (ou Cônegos, etc.),
Vossa Senhoria ou Reverendíssimo Senhor
Reverendíssima Cônego,

Vossa Reverência Sacerdotes, clérigos e Reverendo Sacerdote (ou


demais religiosos Clérigo, etc.)

40 Português • PP
Prof. Pimentel

2. Pronomes Demonstrativos Anotações


Há três possibilidades de uso.
Espaço:
–– Este, esta, isto......................... AQUI - próximo a mim
–– Esse, essa, isso........................ AÍ - próximo a você
–– Aquele, aquela, aquilo............. LÁ - distante de ambos
Tempo
•• Este ano está sendo bom para nós.
(ano presente)
•• Esse ano que passou foi razoável.
(passado próximo)
•• Aquele ano foi terrível para todos.
(passado distante)

Ideias (Texto/Discurso):
•• Esse, essa, isso - retoma ideia: ANÁFORA
•• Este, esta, isto - cita ideia: CATÁFORA
(e normalmente tem dois-pontos!)
Dica: “t”
Observação: É bastante comum utilizar os pronomes demonstrativos para retomar
elementos:
–– este(a), esse(a): elemento mais próximo do pronome
–– aquele, aquela: elemento mais distante do pronome

Di Cavalcanti e Portinari retrataram o povo brasileiro:


aquele deu ênfase à sensualidade lírica e este focou o
aspecto social.

3. Pronomes Relativos
Retomam e substituem seu antecedente, ou, no caso de “cujo”, referem-se ao ter-
mo posterior.

invariáveis variáveis
QUE, QUEM, ONDE O QUAL, CUJO, QUANTO
⇓ ⇓ (e suas flexões)
para para
pessoa lugar

CUJO: refere-se ao termo posterior e repele o artigo.


Assim, não existem as formas:
cujo o, cuja a, o cujo
Cuidado: para confundir, algumas bancas podem afirmar que “cujo” indica posse do
termo anterior, o que, de fato, é pertinente.
QUANTO: é pronome relativo quando tem por antecedente um pronome indefinido: 
tanto (ou variações) e tudo

41 Português • PP
Prof. Pimentel

Exemplos: Anotações
Emprestei tantos quantos foram necessários.
antecedente
Ele fez tudo quanto havia falado.
antecedente
Dicas:
•• sempre que aparecer o pronome relativo “QUE”, substitua-o por:
o qual / os quais
a qual / as quais
Se a substituição for possível, trata-se mesmo de um pronome relativo. Caso con-
trário o “QUE” pode ser uma conjunção.
•• o(a) + que = aquele, aquela
Pronome Pronome
Demonstrativo Relativo

Exemplo: Ela foi a que mais estudou.


aquela que
A seguir, vamos exercitar a “desconstrução da oração”. Tudo ficará mais claro! Te-
mos 3 exemplos a seguir:
Exemplo 1
Conheço o lugar onde ela mora.
Ela mora no lugar.
Quem mora, mora EM algum lugar.
A preposição EM é pedida.
Então, teremos 3 opções corretas para construir a oração:
–– Conheço o lugar onde ela mora.
–– Conheço o lugar em que ela mora.
–– Conheço o lugar no qual ela mora.

Exemplo 2
São artigos a que sou favorável.
Sou favorável aos artigos.
Quem é favorável, é favorável a algo.
A preposição A é pedida.
Então, teremos 2 formas corretas:
São artigos a que sou favorável.
São artigos aos quais sou favorável.

Exemplo 3
Aquela é a atriz a cujo filme me referi.

Eu me referi ao filme.
Quem se refere, refere-se A algo.
A preposição A foi pedida.
Atenção: usando o “cujo” teremos apenas 1 possibilidade de construção da oração.

42 Português • PP
Prof. Pimentel

4. Pronomes possessivos: indicam posse (atenção: podem expressar sentimentos!!!) Anotações


–– O livro é meu. (posse)
–– Sente-se, “meu” senhor! (respeito)
–– Todo país é vítima dos “seus” bacanas. (ironia)
(meu, teu, seu, nosso, vosso + flexões de gênero e número)

5. Pronomes interrogativos: usados para formular interrogações.


–– Qual o melhor caminho?
(que, quem, qual, quanto, etc.)

6. Pronomes indefinidos: referem-se à terceira pessoa do discurso de forma vaga,


imprecisa ou genérica.
–– Alguém levou os presentes.
(alguém, ninguém, outrem, algum, etc.)

PARTE 5 - VERBO
Verbo Ser
Que vai ser quando crescer?
Vivem perguntando em redor. Que é ser?
É ter um corpo, um jeito, um nome?
Tenho os três. E sou?
Tenho de mudar quando crescer? Usar outro nome, corpo e jeito?
Ou a gente só principia a ser quando cresce?
É terrível, ser? Dói? É bom? É triste?
Ser; pronunciado tão depressa, e cabe tantas coisas?
Repito: Ser, Ser, Ser. Er. R.Que vou ser quando crescer?
Sou obrigado a? Posso escolher?
Não dá para entender. Não vou ser.
Vou crescer assim mesmo.
Sem ser Esquecer.
(Carlos Drummond de Andrade)
Definição: indica ação, estado e fenômenos da natureza.
Flexão:
•• pessoa: 1ª, 2ª ou 3ª;
•• Número: singular e plural;
•• Tempo: Presente, Pretérito Perfeito, Pretérito Imperfeito, Pretérito
Mais-que-perfeito, Futuro, Futuro do Presente, Futuro do Pretérito;
•• Modo: Indicativo, Subjuntivo e Imperativo, além das formas Nominais;
•• Voz: Ativa, Passiva e Reflexiva.
Locução verbal: dois ou mais termos que, juntos, possuem valor de verbo.
Os verbos dividem-se em três conjugações:
•• 1ª conjugação: verbos terminados em -ar
•• 2ª conjugação: verbos terminados em -er
•• 3ª conjugação: verbos terminados em -ir

43 Português • PP
Prof. Pimentel

Observação: o verbo pôr, assim como seus derivados (compor, repor, depor, etc.), Anotações
pertencem à 2ª conjugação, pois a forma arcaica do verbo pôr era “poer”. A vogal
“e”, apesar de haver desaparecido do infinitivo, revela-se em algumas formas do
verbo: põe, pões, põem, etc.

CLASSIFICAÇÃO VERBAL
•• Regulares: não sofrem alteração no radical.
canto, cantas, canta
DICA: Os verbos terminados em “-iar” são todos regulares, exceto cinco verbos
cujas iniciais formam a palavra “Mario”. O verbo intermediar, derivado de mediar,
deve ser conjugado da mesma forma descrita abaixo.

Mediar Ansiar Remediar Incendiar Odiar


Eu medeio Eu anseio Eu remedeio Eu incendeio Eu odeio
Tu medeias Tu anseias Tu remedeias Tu incendeias Tu odeias
Ele medeia Ele anseia Ele remedeia Ele incendeia Ele odeia
Nós Nós
Nós mediamos Nós ansiamos remediamos incendiamos Nós odiamos

Vós mediais Vós ansiais Vós remediais Vós incendiais Vós odiais
Eles Eles
Eles medeiam Eles anseiam Eles odeiam
remedeiam incendeiam
•• Irregulares: sofrem alteração no radical ou na desinência.
peço, pedes
•• Anômalos: possuem mais de um radical em sua conjugação.
ser (sou, és, é, somos, sois, são)
ir (vou, vais, vai, vamos, ides, vão)

•• Defectivos: não apresentam conjugação completa. Abaixo suas classifica-


ções e alguns exemplos:
a) Impessoais: não apresentam sujeito, sendo conjugados sempre na 3.ª
pessoa do singular. Os principais verbos impessoais são: o verbo haver, (no
sentido de existir), verbo fazer (indicando tempo decorrido) e verbos que
indicam fenômenos da natureza (chover, nevar, ventar, anoitecer, etc.)
Havia poucos ingressos à venda.
Faz dez anos que cheguei aqui.
Choveu a semana toda.
Atenção: verbos que indicam fenômenos da natureza empregados no sentido figu-
rado deixam de ser impessoais.
Choveram candidatos à vaga. (Sujeito: candidatos)
b) Unipessoais: verbos que apresentam sujeito, mas que são conjugados
apenas na 3.ª pessoa (singular ou plural). Os principais verbos unipessoais
são: cumprir, convir, custar e verbos relacionados com as vozes dos animais:
latir, miar, cacarejar, etc.
Cumpre trabalharmos. (Sujeito: trabalharmos)
O cachorro latia sem parar.(Sujeito: o cachorro)

44 Português • PP
Prof. Pimentel

c) Pessoais: não são conjugados em todas as pessoas verbais, devido a Anotações


fatores semânticos ou fonéticos.

Eu --- Eu --- Eu ---


Tu --- Tu --- Tu ---
Ele --- Ele --- Ele ---
Nós Falimos Nós computamos Nós Reavemos
Vós Falis Vós computais Vós Reaveis
Eles --- Eles computam Eles ---

•• Auxiliares: entram na formação dos tempos compostos e das locuções ver-


bais. O verbo principal, quando acompanhado de verbo auxiliar, é expresso
numa das formas nominais: infinitivo, gerúndio ou particípio. Os verbos auxili-
ares mais usados são: ser, estar, ter e haver
Exemplo: Vou andar pela praia.
⇓ ⇓
(verbo auxiliar) (verbo principal no infinitivo)

•• Abundantes: são verbos que possuem duas formas no particípio.

Particípio
Verbo Irregular Regular
(curto) (longo)
imprimir impresso imprimido
eleger eleito elegido

Como utilizar as formas regulares ou irregulares do particípio dos Verbos Abundantes?

–– Ao lado de SER ou ESTAR, usamos as formas curtas

–– Ao lado de TER ou HAVER, usamos as formas longas


Muita atenção:
PAGAR, GASTAR E GANHAR ao lado de TER e HAVER admitem as duas formas (regu-
lar e irregular).
Tinha / havia pago – pagado
ganho – ganhado
gasto – gastado
Mais atenção ainda: CHEGO não existe!!!!
Existe apenas CHEGADO.

•• Pronominais: verbos conjugados com os pronomes oblíquos átonos (me, te,


se, nos, vos, se) na mesma pessoa do sujeito. Veja:
a) Essenciais: reforçam a reflexibilidade já implícita no radical do verbo. São
poucos: abster-se, ater-se, apiedar-se, atrever-se, dignar-se, arrepender-se, etc.
Arrependi-me de ter estado lá.
b) Acidentais: expressam reflexibilidade, pois o sujeito faz uma ação que
recai sobre ele mesmo.

Maria se penteava.

45 Português • PP
Prof. Pimentel

A reflexibilidade se diz acidental, pois a ação reflexiva pode ser exercida também Anotações
sobre outra pessoa.

Maria penteou-me.

MODOS VERBAIS: formas assumidas pelo verbo na expressão de um fato. Há três


modos: 
1. Indicativo - indica uma certeza, uma realidade.

Eu sempre estudo.
2. Subjuntivo - indica uma dúvida, uma possibilidade.

Talvez eu estude amanhã.
3. Imperativo - indica uma ordem, um pedido.

Estuda agora, menino.

FORMAS NOMINAIS: além desses três modos, o verbo apresenta ainda formas que
podem exercer funções de nomes (substantivo, adjetivo, advérbio).
•• Infinitivo Impessoal:  exprime a significação do verbo de modo vago e in-
definido, podendo ter valor e função de substantivo.
•• Gerúndio: o gerúndio pode funcionar como adjetivo ou advérbio.
•• Particípio: indica geralmente o  resultado de uma ação terminada.
TEMPOS VERBAIS: tomando-se como referência o momento em que se fala, a ação
expressa pelo verbo pode ocorrer em diversos tempos.

Tempos Verbais do Modo Indicativo Tempos Verbais do Modo Subjuntivo

Presente Presente
Pretérito Perfeito
Pretérito Imperfeito Pretérito Imperfeito
Pretérito-mais-que-perfeito
Futuro do Presente Futuro
Futuro do Pretérito

INFINITIVO: GERÚNDIO: PARTICÍPIO:


amar amando amado

PRETÉRITO PRETÉRITO
PRESENTE IMPERFEITO PERFEITO
EU amo amava amei
TU amas amavas amaste
ELE/ELA/VOCÊ ama amava amou
NÓS amamos amávamos amamos
VÓS amais amáveis amastes
ELES amam amavam amaram

46 Português • PP
Prof. Pimentel

Anotações
PRETÉRITO FUTURO DO FUTURO DO
MAIS-QUE-PERFEITO PRESENTE PRETÉRITO
EU amara amarei amaria
TU amaras amarás amarias
ELE/ELA/VOCÊ amara amará amaria
NÓS amáramos amaremos amaríamos
VÓS amáreis amareis amaríeis
ELES amaram amarão amariam

SUBJUNTIVO:

PRETÉRITO
PRESENTE IMPERFEITO FUTURO
QUE EU ame SE EU amasse QUANDO EU amar
QUE TU ames SE TU amasses QUANDO TU amares
QUE ELE ame SE ELE amasse QUANDO ELE amar
QUE NÓS amemos SE NÓS amássemos QUANDO NÓS amarmos
QUE VÓS ameis SE VÓS amásseis QUANDO VÓS amardes
QUE ELES amem SE ELES amassem QUANDO ELES amarem

IMPERATIVO:

AFIRMATIVO NEGATIVO
- -
Ama TU NÃO ames TU
Ame ELE/ELA/VOCÊ NÃO ame ELE/ELA/VOCÊ
Amemos NÓS NÃO amemos NÓS
Amai VÓS NÃO ameis VÓS
Amem ELES/ELAS/VOCÊS NÃO amem ELES/ELAS/VOCÊS

TEMPOS VERBAIS E SEUS ASPECTOS

INDICATIVO

Presente indica ação que acontece no momento da fala; hábito.


Pretérito Perfeito ação concluída (iniciada e concluída no passado).
ação prolongada, contínua (iniciada no passado,
Pretérito Imperfeito
mas que não foi completamente terminada).
fato ocorrido antes de outro já terminado (passado
Pretérito-mais-que-perfeito
2 vezes!).
Futuro do Presente ação futura certa (amanhã).
ação que poderia ter ocorrido posteriormente a um
Futuro do Pretérito
determinado fato passado. (tempo condicional).

47 Português • PP
Prof. Pimentel

Anotações
SUBJUNTIVO
Presente indica hipótese, dúvida.
(Que)
Pretérito Imperfeito expressa um desejo ou fato passado, mas posterior a outro
já ocorrido; (tempo condicional).
(Se)
Futuro ação futura duvidosa, ato que pode ocorrer num momen-
to futuro em relação ao atual.
(Quando)

ATENÇÃO: VERBOS VER E VIR

Pretérito Imperfeito do Subjuntivo Futuro do Subjuntivo

VER VIR VER VIR

Se eu visse Se eu viesse Quando eu vir Quando eu vier

Se tu visses Se tu viesses vires vieres

Se ele visse Se ele viesse vir vier

Se nós víssemos Se nós viéssemos virmos viermos

Se vós vísseis Se vós viésseis virdes vierdes

Se eles vissem Se eles viessem virem vierem

Correlação Verbal: coerência que deve haver entre as formas verbais utilizadas
numa frase ou num período. Alguns exemplos:

Tempos verbais Exemplos

Futuro do Subjuntivo +
Quando você fizer a tarefa, descansarei.
Futuro do Presente do Indicativo
Pretérito Imperfeito do Subjuntivo + Se você fizesse a tarefa, eu leria suas
Futuro do Pretérito do Indicativo respostas.
Presente do Indicativo +
Exijo que faça a tarefa.
Presente do Subjuntivo

VOZES VERBAIS
Há 3 vozes verbais:
1. Voz reflexiva: o sujeito, que pratica e sofre a ação, é retomado pelo pronome “se”
que terá função de Objeto Direto.
Ele feriu-se.
Dica: sempre caberão os termos “ mesmo” e “próprio”.
Atenção: a voz reflexiva pode ser recíproca, ou seja, quando há dois sujeitos que
praticam a ação um no outro.
2. Voz Ativa: o sujeito pratica a ação.
O presidente governa o país.
sujeito VTD OD
Dica: para passar uma oração da Voz Ativa para a Voz Passiva, o objeto direto é
obrigatório.

48 Português • PP
Prof. Pimentel

3. Voz Passiva: o sujeito sofre a ação. Há 2 tipos de voz passiva: Anotações

a) ANALÍTICA: SER + PARTICÍPIO


Aquela prova foi feita pelos candidatos.
sujeito paciente ser + partic. agente da passiva

V. A. = Os candidatos fizeram aquela prova.


sujeito VTD objeto direto

+ SER
V. P. = Aquela prova foi feita pelos candidatos.
sujeito paciente ser + particípio agente da passiva

b) SINTÉTICA: VTD + SE = VP (sujeito)


Aluga-se sala. → V.P. sintética
V.T.D. + se = VP sujeito
Sala é alugada. → V.P. analítica

No plural, a oração correta é: Alugam-se salas.


Lembre-se: sujeito no plural = verbo no plural
Atenção:
–– VTD + se = VP
–– VTI + se = índice de indeterminação do sujeito

Dica: para passar uma oração da Passiva para Ativa ou vice-versa, lembre-se:

VOZ ATIVA  VOZ PASSIVA (+ ser)


1 verbo 2 verbos
2 verbos 3 verbos

VOZ PASSIVA  VOZ ATIVA (– ser)


2 verbos 1 verbo
3 verbos 2 verbos

Observações importantes:
Além do verbo ser, existem outros verbos auxiliares que, embora menos fre-
quentes, podem formar a voz passiva analítica (estar, ficar, andar, viver, etc.)
Indicação de leitura:
O estudante ficou marcado pelo sucesso.
O Verbo For
•• O agente da passiva geralmente é acompanhado da preposição por, mas
pode ocorrer a construção com a preposição de. João Ubaldo Ribeiro
A casa ficou cercada de soldados. Essa crônica, de autoria de João
Ubaldo Ribeiro, foi publicada no
•• O agente da passiva pode não estar explícito na voz passiva analítica. jornal “O Globo” (e em outros
jornais) na edição de domin-
A exposição será aberta amanhã. go, 13 de setembro de 1998 e
•• O agente da passiva não costuma vir expresso na voz passiva sintética. integra o livro “O Conselheiro
Come”, Ed Nova Fronteira - Rio
Abriram-se as inscrições. de Janeiro, 2000, pág. 20.

49 Português • PP
Prof. Pimentel

06 Módulo Concordância

PARTE 1 – CONCORDÂNCIA VERBAL Anotações

CONCORDÂNCIA: correspondência de flexão entre dois termos, podendo ser verbal


ou nominal.

1. CONCORDÂNCIA VERBAL: Ocorre quando o verbo se flexiona para concordar


com seu sujeito.
Eu estou motivado.
Sujeito simples Verbo
1ª p. singular 1ª p. singular

O aluno está motivado.


Sujeito simples Verbo
3ª p. singular 3ª p. singular

O aluno e o professor estão motivados.


Sujeito composto Verbo
3ª p. plural 3ª p. plural

Regra geral: o verbo concorda com o sujeito em número e pessoa.

Casos Particulares:

SUJEITO SIMPLES – CASOS PARTICULARES


Sujeito simples formado por: Regra Exemplos
- expressão partitiva + substantivo verbo no A maioria dos eleitores vo-
ou pronome no plural (parte de, uma tou/votaram.
- singular
porção de, o grosso de, metade de, a
Um bando de aves chegou/
maioria de, a maior parte de...) - plural
chegaram.
- coletivo + substantivo plural
expressão que indica quantidade verbo Mais de um professor parti-
aproximada + numeral e substantivo concorda cipou do simulado.
(cerca de, mais de, menos de, perto com o
de...) substantivo
Mais de um + verbos que exprimem reci-
procidade = verbo no plural
Ex.: Mais de um carro chocaram-se.

50 Português • PP
Prof. Pimentel

Anotações
nomes que só existem no o artigo manda na Os Estados Unidos exportam
plural concordância ciência.
artigo plural = Estados Unidos exporta ciência.
verbo plural As Minas Gerais são inesque-
cíveis.
Minas Gerais é inesquecível.
pronome interrogativo ou verbo concorda Quais de nós são capazes?
indefinido plural + “de nós” com: Quais de nós somos capazes?
ou “de vós” - 1º pronome (3ª Alguns de vós sabiam?
(quais, quantos, alguns, p. do plural) Alguns de vós sabíeis?
poucos, muitos, quaisquer, - pronome pessoal
vários)
expressão que indica por- verbo concorda 25% do eleitorado não votou.
centagem + substantivo com o substantivo 85% dos eleitores votaram.
1% da classe faltou.
1% dos alunos faltaram.
expressão que indica porcentagem não seguida de
substantivo = verbo concorda com o numeral.
Ex.: 45% votaram contra o plebiscito.

pronome relativo “que”  verbo concorda Fui eu que comprei o livro.


em número e Fomos nós que compramos o
pessoa com o livro.
antecedente do
pronome
expressão “um dos que” verbo no Você é um dos que incentivam
– plural a cultura.
– singular Você é um dos que incentiva a
cultura.
pronome relativo “quem” verbo Fui eu quem comprou o livro.
- na 3ª terceira p. Fui eu quem paguei a conta.
do singular
- concorda com o
antecedente do
pronome

pronome de tratamento verbo na 3ª p. do Vossa Excelência comparecerá?


singular ou plural Vossas Excelências comparece-
rão?

bater, dar e soar  verbo concorda Bateu uma hora no relógio.


com o numeral
Bateram cinco horas no relógio.
Caso o sujeito da oração seja a palavra relógio,
sino, torre, etc., o verbo concordará com esse
sujeito.
Ex.: O relógio da praça bate doze horas.
verbos Impessoais: verbo na 3ª pes- Havia muitas pessoas.
– Haver no sentido de existir; soa do singular Faz dois meses que parti.
– Fazer indicando tempo; Chovia ontem à tarde.
– Verbos que indicam fenô-
meno da natureza.

51 Português • PP
Prof. Pimentel

Anotações

SUJEITO COMPOSTO – CASOS PARTICULARES


Sujeito composto Regras Exemplos
formado por:
anteposição ao verbo no plural Mãe e filha conversaram.
verbo

a 1ª p. do plural prevalece Teus irmãos, tu e eu decidire-


sobre a 2ª p., que preva- mos. (Nós)
pessoas gramaticais lece sobre a 3ª Tu e teus irmãos decidireis. (Vós)
diferentes Quando o sujeito é composto, formado por um elemento
da 2ª pessoa e um da 3ª, é possível empregar o verbo na
3ª p. do plural. Ex.: Tu e teus irmãos tomarão a decisão.
o verbo pode estabelecer Existem sorte e azar.
concordância com o nú- Existe sorte e azar.
cleo do sujeito mais pró-
ximo. Isso é uma opção, e
posposição ao verbo não uma obrigação.
Quando ocorre ideia de reciprocidade, no entanto, a con-
cordância é feita obrigatoriamente no plural.
Ex.: Ofenderam-se o jogador e o árbitro.
núcleos sinônimos verbo no Descaso e desprezo marcam /
ou quase sinônimos – plural marca seu comportamento.
– singular
núcleos dispostos o verbo pode ficar no plu- Com vocês, meus filhos, uma
em gradação ral ou concordar com o hora, um minuto, um segundo
último núcleo do sujeito me enche/enchem de alegria.
núcleos unidos por - declaração contida no Drummond ou Bandeira repre-
"ou" ou "nem" predicado atribuída a sentam a essência da poesia
todos os núcleos = verbo brasileira.
plural Ou você ou ele será escolhido.
- núcleos excludentes =
verbo singular
expressões "um e verbo no Nem um nem outro tinha/ti-
outro" e "nem um – plural nham razão.
nem outro" – singular
núcleos do sujeito o verbo pode ficar no O pai com o filho montaram o
unidos por "com" plural (com = e) brinquedo.
O verbo pode ficar no singular se a ideia é enfatizar o
primeiro elemento. Aqui, o sujeito deixa de ser composto,
pois “com o filho” será adj. adv. de companhia. Ex.: O pai,
com o filho, montou o brinquedo.
núcleos do sujeito verbo no plural Não só a disciplina, mas tam-
unidos por expres- bém a dedicação são essenciais
sões correlativas: aos estudos.
"não só...mas ainda",
"não somente"...
elementos resumi- a concordância é feita Dedicação, disciplina, determi-
dos por um aposto com o termo resumidor nação, tudo isso é essencial aos
recapitulativo estudos.

52 Português • PP
Prof. Pimentel

Anotações

OUTROS CASOS
1) VERBO + PARTÍCULA “SE”
índice de indeterminação o "se" acompanha os Precisa-se de cozinheira.
do sujeito verbos intransitivos, Confia-se em teses seguras.
transitivos indiretos e Era-se mais feliz no passado.
de ligação = verbo na 3ª
pessoa do singular.
pronome apassivador o "se" acompanha Construiu-se uma casa.
verbos transitivos Construíram-se casas.
diretos (VTD) e transiti- Não se pouparam esforços
vos diretos e indiretos para construir a casa.
(VTDI) na formação da Não se devem poupar esfor-
voz passiva sintética = ços para construir uma casa.
verbo concorda com o
sujeito da oração

2) EXPRESSÃO “HAJA VISTA”


invariável  Haja vista as lições dadas por ele. ( = por exemplo)
(seguida ou não de pre- Haja vista aos fatos explicados por esta teoria.
posição) ( = atente-se)
verbo haver pode va- Hajam vista os exemplos de sua dedicação.
riar (desde que não ( = vejam-se)
seguido de preposição),
considerando-se o termo
seguinte como sujeito.

3) VERBO “PARECER”
admite duas concordân- Alguns colegas pareciam cho-
cias: rar naquele momento.
ocorre variação do (construção corrente)
verbo parecer e não se Alguns colegas parecia chora-
flexiona o infinitivo rem naquele momento.
não ocorre a variação do (construção literária)
seguido de infinitivo
verbo parecer e o infiniti-
vo é flexionado
Atenção: com orações desenvolvidas, o verbo ”pare-
cer” fica no singular.
Ex.: As paredes parece que têm ouvidos. ( = Parece que as
paredes têm ouvidos.)

4) VERBO “SER” – Conforme a regra geral, a concordância verbal se dá sempre


entre o verbo e o sujeito da oração. No caso do verbo ser, excepcionalmente,
essa concordância pode ocorrer também entre o verbo e o  predicativo do su-
jeito. É isso que veremos neste quadro.
O verbo SER concordará com o PREDICATIVO DO SUJEITO:
sujeito  representado pelos pronomes  Isso são lembranças inesquecíveis.
- isto, isso, aquilo, tudo, o - e o predi- Aquilo eram problemas sérios.O que eu
cativo estiver no plural admiro em você são os seus olhos azuis.

53 Português • PP
Prof. Pimentel

Anotações
sujeito no singular referindo-se a coi- Nosso piquenique foram só guloseimas. 
sas, e o predicativo for um substantivo Sua rotina eram  só decisões.
no plural Atenção:
•• admite-se concordância no singular
quando se deseja fazer prevalecer um
elemento sobre o outro) Ex.: Tudo é
cinzas.
•• se o sujeito indicar pessoa, o verbo
concorda com o sujeito. Ex.: Gustavo
é só alegrias.
sujeito representado por pronome Que são esses documentos?
interrogativo que ou quem Quem são aquelas meninas?
impessoal na indicação de horas, dias É uma hora. / São duas da manhã.
e distâncias, o verbo ser concorda Eram 25 de julho quando ele nasceu.
com o numeral. Daqui até a escola são três quadras.
Atenção: na indicação de dia, o verbo ser admite as seguintes concordâncias:
1) No singular: Concorda com a palavra explícita dia. Ex.: Hoje é dia quatro de março.
2) No plural: Concorda com o numeral, sem a palavra explícita dia. Ex.: Hoje são
quatro de março.
3) No singular: Concorda com a ideia implícita de dia. Ex.: Hoje é quatro de março.
quando o sujeito indicar preço, peso, Cinco quilos de açúcar é mais do que
medida ou quantidade e o predicati- preciso.
vo for uma expressão como: muito, Três metros de tecido é pouco para fazer
pouco, o suficiente, o mínimo, demais, seu vestido. 
menos de, mais de, etc., o verbo fica Sete anos de noivado foi muito.
no singular. Cem reais é o suficiente.
Um é pouco, dois é bom, três é demais.
quando um dos elementos (sujeito ou No meu setor, eu sou a única mulher.
predicativo) for pronome pessoal do Aqui os adultos somos nós.
caso reto, com este concordará o verbo
Atenção: sendo ambos os termos (sujeito e predicativo) representados por pro-
nomes pessoais, o verbo concorda com o pronome sujeito.
Ex.: Eu não sou ela. / Ela não é eu.
quando o suj. for uma expressão A grande maioria eram idosos.
de sentido partitivo ou coletivo e o O resto foram atitudes imaturas.
predicativo estiver no plural, o verbo
ser concordará com predicativo.

54 Português • PP
Prof. Pimentel

PARTE 2 - CONCORDÂNCIA NOMINAL Anotações


2. CONCORDÂNCIA NOMINAL: baseia-se na relação entre um substantivo (ou prono-
me, ou numeral substantivo) e as palavras que a ele se ligam para caracterizá-lo (ar-
tigos, adjetivos, pronomes adjetivos, numerais adjetivos e particípios). Basicamente,
ocupa-se da relação de concordância entre nomes.
Importante lembrar que, normalmente:

substantivo = núcleo de um termo da oração


adjetivo = adjunto adnominal

Regras gerais
Regras Exemplos
1) Adjetivo concorda em gênero e número As mãos trêmulas denunciavam o que
quando se refere a um único substantivo sentia.
a) Adj. an- Adj. concorda Achamos caídas as apostilas e os livros.
teposto aos em gênero Achamos caída a apostila e os livros.
subst. e número Achamos caído o livro  e as apostilas.
com subst. +
próximo
substantivos nomes próprios ou de parentesco = adjetivo plural
2) Adjetivo Ex.: As adoráveis Tati e Júlia vieram me visitar.
referindo-se Encontrei os simpáticos primos e primas na formatura.
a vários subs-
tantivos b) Adj. pos- Adj. concorda A loja oferece qualidade e preço perfeito.
posto aos com  subst. + A loja oferece preço e qualidade perfeita.
subst. próximo  A loja oferece qualidade e preço perfeitos.
ou com todos A loja oferece preço e qualidade perfeitos.
eles
substantivos do mesmo gênero = adjetivo singular ou plural.
Ex.: A beleza e a inteligência feminina(s). / O carro e o iate novo(s).
3) Expressões formadas a) adj. no masculino singular, se o Água é bom para
pelo verbo SER + adjetivo substantivo não for acompanhado saúde.
de nenhum modificador
“artigo manda na
concordância” b) adj. concorda com o substantivo, Esta água
se este for modificado por um arti- é boa para saúde.
go ou qualquer outro determinativo A água é boa para
saúde.
4) O adjetivo concorda em gênero e número com os prono- Bruno as viu ontem
mes pessoais a que se refere muito felizes.
5) Expressões formadas O adjetivo é usado no masculino Os homens/as
por pronome indefinido singular mulheres tinham
neutro (nada, algo, muito, algo de misterioso.
tanto, etc.) + DE + adj.
a) Equivalendo a “sozinho“ = Ela saiu só.
função adjetiva e concorda com o Elas saíram sós.
nome a que se refere
6) A palavra “só”
b) Equivalendo a “somente” ou “ape- Eles só desejam a
nas“ = função adverbial (invariável). aprovação.
Dica: A locução adverbial “a sós” é invariável.Ex.: Preciso
falar a sós com ele.

55 Português • PP
Prof. Pimentel

Anotações
7) Um único substantivo a) O substantivo permanece no Admiro a cul-
modificado por dois ou singular e coloca-se o artigo antes tura espanhola
mais adjetivos no singular do último adjetivo. e a portuguesa.
b) O substantivo vai para o plural e Admiro as cultu-
omite-se o artigo antes do adjetivo. ras espanhola e
portuguesa.

CASOS PARTICULARES
É proibido – É necessário – É bom – É preciso – É permitido
Regras Exemplos
Expressões formadas por verbo + É proibido entrada de animais. / É proibida a en-
adjetivo trada de animais.
Só variam se o sujeito vier prece- Agora, é necessário prudência. / A prudência
dido de artigo ou outro determi- é necessária.
nante. No verão, melancia é bom. / A melancia é boa.
É preciso paz. / São precisas várias medidas na
saúde.
Não é permitido saída. / Não é permitida a saída.
Dica: artigo manda na concordância.
Obrigado - Mesmo - Próprio - Incluso - Quite
Palavras adjetivas concordam em A garota agradeceu: - Muito obrigada. / As garo-
gênero e número com o subs- tas agradeceram: - Muito obrigadas
tantivo ou pronome a que se Segue incluso o documento. / Seguem inclu-
referem sos os documentos.Nós estamos quites. / Eu
estou quite.
Ela própria fará o trabalho. / Elas próprias farão
o trabalho.
Ele mesmo fará isso. / Eles mesmos farão isso.
Dica: quando “mesmo” for advérbio fica invariável.
Ex.: Ela viajará mesmo para Londres.
Eles viajarão mesmo para Londres.
Anexo - Bastante - Caro - Barato - Longe
•• invariáveis quando funcionam Seguem anexas as cartas. (adjetivo)
como advérbios ou locuções Segue anexo o documento. (adjetivo)
adverbiais (acompanham Seguem, em anexo, as cartas. (locução adverbial)
verbo, advérbio ou adjetivo) Segue, em anexo, o documento. (locução adver-
•• concordam com o nome a que bial)
se referem quando funcionam Nunca pensei que o estudo fosse tão caro.
como adjetivos ou pronomes (advérbio)
indefinidos. (acompanham As casas estão caras. (adjetivo)
substantivo) Achei barato este sapato.(advérbio)
Hoje as verduras estão baratas. (adjetivo)
”Vais ficando longe de mim ...” (Cecília Meireles)
(adv.)
”Levai-me a esses longes verdes,...”
(Cecília Meireles). (adj.)
Os atletas estavam bastante cansados. (advérbio)
Há bastantes pessoas insatisfeitas com o traba-
lho. (pronome adjetivo)
Há bastantes livros na prateleira. (adjetivo)
Vimos bastantes livros na biblioteca (pronome
indefinido)
Dica: muito = bastante
muitos = bastantes

56 Português • PP
Prof. Pimentel

Anotações
Meio - Meia
A palavra “meio” •• como Pedi meia porção de fritas. (adj.)
adjetivo A receita pede meio litro de vinho. (adj.)
concorda A aluna está meio nervosa. (adv.)
com o O menino está meio preocupado. (adv.)
nome a
que se Dicas:
refere meio + subst. = adjetivo (= metade)
•• como meio + adj.= advérbio (= um pouco)
advérbio
permanece
invariável
Alerta - Menos
•• A palavra alerta pode ser: ad- As crianças estão alertas. (adjetivo)
jetivo, substantivo (variáveis), Todos olhavam alerta. (advérbio)
advérbio ou interjeição (in- Os alertas foram ouvidos. (substantivo)
variáveis) Alerta, escoteiros!
•• A palavra menos sempre será
advérbio (invariável) Ela tem menos bonecas que sua amiga.
Havia menos gente hoje.

57 Português • PP
Prof. Pimentel

07 Módulo Regência

PARTE 1 – REGÊNCIA VERBAL Anotações


REGÊNCIA: relação de subordinação que ocorre entre um verbo ou um nome e seus
complementos. Estabelece relações entre as palavras, criando frases que expres-
sem efetivamente o sentido desejado, que sejam corretas e claras. Assim, temos:
•• termo regente = é o termo que exige o complemento.
•• termo regido = é o termo complementar.
Há dois tipos de regência: verbal e nominal.
REGÊNCIA VERBAL: estuda a relação que se estabelece entre os verbos e os termos
que os complementam (objetos diretos e objetos indiretos) ou caracterizam (adjun-
tos adverbiais).
Relembrando as transitividades:
•• Verbos Intransitivos: não possuem complemento. Costumam ser acom-
panhados de adjuntos adverbiais.
•• Verbos Transitivos Diretos: são complementados por objetos diretos. Isso sig-
nifica que não exigem preposição para o estabelecimento da relação de regência.
•• Verbos Transitivos Indiretos: são complementados por objetos indiretos.
Isso significa que esses verbos exigem uma preposição para o estabeleci-
mento da relação de regência.
•• Verbos Transitivos Diretos ou Indiretos: Há verbos que admitem duas
construções, uma transitiva direta, outra indireta, sem que isso implique
modificações de sentido. Assim, a transitividade não é um fato absoluto: um
mesmo verbo pode atuar de diferentes formas em frases distintas.
Transitivi-
Verbo Sentido dade Exemplos
Preposição
Residir, morar, - VI em Ele reside na Rua X.
situar Situado na Rua Y.
VTI a Custou ao aluno aceitar a nota.
VIT OI Or. Sub. Subst. Subj. Ted. Inf.
ser difícil
Custar VI Muito custa viver tão longe da família.
VI Or. Sub. Subst. Subj. Red. Inf.

Atenção: No sentido de ser difícil, demorar, só pode ser usado na 3ª pes-


soa do singular, tendo como sujeito uma oração reduzida de infinitivo.
Implicar acarretar VTD - Sua atitude implicará punição.
Namorar - VTD -
Elton namora Ana Paula.
- VTI a
O filho obedece ao pai e desobedece à mãe.
Obedecer,
desobedecer Atenção: Embora sejam VTI, admitem Voz Passiva: O pai é obedeci-
do pelo filho. A mãe é desobedecida pelo filho.

- com Eu simpatizo com a moça.


VTI
Simpatizar, Ela antipatiza com o rapaz.
antipatizar Atenção: não são verbos pronominais. As formas “me simpatizo/me
antipatizo” não existem.

58 Português • PP
Prof. Pimentel

Transitividade Anotações
Verbo Sentido Exemplos
Preposição
ver VI a Gustavo e o pai assistem ao jogo.
Assistir pertencer VTI a O direito de informar assiste ao chefe.
cuidar VTD - O médico assiste os pacientes.
mirar VTD - O caçador visou animal.
Visar vistar VTD - O gerente visou o cheque.
almejar VTI a Ela visa à promoção.
desejar VTD - Quero o livro.
Querer
estimar VTI a Quero à minha família.
inspirar VTD - Aspire o perfume.
Aspirar
almejar VTI a Aspiramos à aprovação.
Esquecer, - VTD - Esqueci o seu nome.
lembrar Lembrei o seu nome.
Esquecer-se, - VTI de Esqueci-me do seu nome.
lembrar-se Lembrei-me do seu nome.
Pediu licença e partiu.
VTD -
-
VTDI a Pediu à professora o gabarito.
Pedir pessoa = OI e coisa = OD
Atenção: exige a preposição “para” quando a palavra licença estiver
subentendida. Ex.: Pediu (licença) para sair. Ainda assim continua um VTD.

Preferir - VTDI a Prefere Português à Matemática.


declarar
VTD - Respondeu que não sabia o segredo.
resposta
Responder nomear
pessoa/coisa
VTI a Ele respondeu a todas as questões.
a quem se
responde
ajudar
VTD - Ajudei o aluno.
alguém
ajudar
alguém a +
Ajudar infinito Ele o ajudou a conseguir emprego.
ou VTDI a/em O filho ajuda o pai na loja.
ajudar
alguém em
+ subst.
solicitar
VTD - A mãe chamou os filhos.
presença

VTD - Chamei Pedro bobo. (chamei-o bobo)

Chamei Pedro de bobo. (chamei-o de


Chamar apelidar bobo)
VTI a, de Chamei a Pedro de bobo. (chamei-lhe
de bobo)
Chamei a Pedro bobo. (chamei-lhe
bobo)
invocar VTI por Chamou pelo filho.

59 Português • PP
Prof. Pimentel

Anotações
Informar - VTDI a, de Informei a data ao aluno.
Informo o aluno da data.
Paguei a conta a você.
Pagar, - VTDI a Perdoei-lhe os erros.
perdoar
coisa = OD e pessoa = OI
ter
VI - As fofocas não procedem.
fundamento
Proceder
executar VTI a Procederemos ao inquérito.

acariciar VTD - Ele agrada seu cão.


uma coisa
ser agradá- VTI a O concerto agradou ao público.
vel
uma pessoa
Agradar ser agradá- VTD - João agrada o chefe.
vel
satisfazer VI - O concerto não agradou.
gostar
VTI de Agradou-se muito do rapaz.
(pronominal)

Atender acolher VTD - O diretor atendeu os alunos.

dar atenção VTI a Atenda ao chamado do cliente.

PARTE 2 – REGÊNCIA NOMINAL

Regência Nominal: relação existente entre um nome (substantivo, adjetivo ou ad-


vérbio) e os termos regidos por esse nome. Essa relação é sempre intermediada por
uma preposição.
No estudo da regência nominal, é preciso levar em conta que vários nomes apre-
sentam exatamente o mesmo regime dos verbos de que derivam.
Conhecer o regime de um verbo significa, nesses casos, conhecer o regime dos no-
mes cognatos. Observe o exemplo a seguir:
Verbo obedecer e os nomes correspondentes: todos regem complementos introdu-
zidos pela preposição “a”.
Obedecer a algo/ a alguém.
Obediente a algo/ a alguém.
A Regência Nominal determina qual é a preposição que devemos usar. Observe que
não há regras específicas, pois a regência de uma palavra é um caso particular. Cada
palavra pede seu complemento e rege sua preposição.
Exemplos:
Ela fez referência a este curso.
substantivo complemento nominal
(quem faz referência faz referência a alguma coisa)

Eles têm necessidade de conhecimento.


substantivo complemento nominal
(quem tem necessidade tem necessidade de alguma coisa)

60 Português • PP
Prof. Pimentel

Apresentamos a seguir vários nomes acompanhados da preposição ou preposições Anotações


que os regem. Observe-os atentamente e procure, sempre que possível, associar
esses nomes entre si ou a algum verbo cuja regência você conhece.
Substantivos
Admiração a, por Devoção a, para, com, por Medo de
Aversão a, para, por Doutor em Obediência a
Atentado a, contra Dúvida acerca de, em, sobre Ojeriza a, por
Bacharel em Horror a Proeminência sobre
Capacidade de, para Impaciência com Respeito a, com, para com,
por

Adjetivos
Acessível a Entendido em Necessário a
Acostumado a, com Equivalente a Nocivo a
Agradável a Escasso de Paralelo a
Alheio a, de Essencial a, para Passível de
Análogo a Fácil de Preferível a
Ansioso de, para, por Fanático por Prejudicial a
Apto a, para Favorável a Prestes a
Ávido de Generoso com Propício a
Benéfico a Grato a, por Próximo a
Capaz de, para Hábil em Relacionado com
Compatível com Habituado a Relativo a
Contemporâneo a, de Idêntico a Satisfeito com, de, em, por
Contíguo a Impróprio para Semelhante a
Contrário a Indeciso em Sensível a
Descontente com Insensível a Sito em
Desejoso de Liberal com Suspeito de
Diferente de Natural de Vazio de

Advérbios
Longe de Perto de
Atenção: os advérbios terminados em -mente tendem a seguir o regime dos
adjetivos de que são formados:
Paralela a Paralelamente a
Relativa a Relativamente a

Atenção: quando o complemento de um nome ou verbo tiver a forma de oração


reduzida de infinitivo, não se deve fazer a contração da preposição com o eventual
sujeito desse infinitivo. A preposição, afinal, introduz toda a oração, e não apenas
o sujeito dela. É bom lembrar que o sujeito jamais é introduzido por preposição.
Analise os exemplos a seguir:

Existe a possibilidade de eles participarem do festival.


(e não “deles participarem”)
É hora de as noções de civilização contaminarem as mentes.
(e não “das noções”)
A questão consiste em as pessoas respeitarem-se.
(e não “consiste nas “)

61 Português • PP
Prof. Pimentel

08 Módulo Colocação Pronominal

PRONOMINAIS Anotações

Dê-me um cigarro
Diz a gramática
Do professor e do aluno
E do mulato sabido
Mas o bom negro e o bom branco
Da Nação Brasileira
Dizem todos os dias
Deixa disso camarada
Me dá um cigarro.
Oswald de Andrade

Fonte: www.google.com.br/imagens. (Acesso em 03/04/16).


Os pronomes oblíquos átonos (me, te, se, lhe, o, a, nos, vos, lhes, os, as) podem
assumir três posições diferentes numa oração. Veja abaixo:

SINTAXE DE COLOCAÇÃO
PRONOMINAL

PRÓCLISE MESÓCLISE ÊNCLISE


pronome antes pronome no meio pronome depois
do verbo do verbo do verbo

Nunca lhe Emprestar-lhe-ei Empresta-me


emprestarei uma a caneta. a caneta?
caneta.
Próclise: o pronome surge antes do verbo, ou seja, pronome proclítico. Ocorre
quando, nas orações, há palavras atrativas, de acordo com o quadro a seguir:

62 Português • PP
Prof. Pimentel

Anotações
Palavras atrativas Exemplos

palavra ou expressão de valor negativo Nunca se esqueça de mim.


Não me diga!
advérbios e pronomes indefinidos, Tudo o motiva naquele espaço. (prono-
sem que exista pontuação me indefinido)
Aqui se estuda. (advérbio)
Atenção: havendo pontuação, ocorrerá
ênclise: Aqui, estuda-se
pronomes e advérbios interrogativos Quem o convidou para a festa? (prono-
me interrogativo)
Por que a convidaram? (advérbio inter-
rogativo)
orações exclamativas e optativas (que Como a estimo! (exclamativa)
exprimem desejo) Deus o proteja. (optativa)
conjunções subordinativas Ele não quis o terno, embora lhe servis-
se.É necessário que o admita.Comprarei
o carro se me for útil.
gerúndio + preposição “em” Em se tratando de estudos, você precisa
ser disciplinado.
 palavra “só” (no sentido de “apenas”, Só se lembram de estudar na véspera
“somente“ = advérbio) das provas.
conjunções coordenativas alternativas Ou se vai ao cinema, ou se vai ao teatro.
pronomes relativos (que, quem, onde) Foi ela quem me ensinou a gostar de ler.
Há pessoas que nos tratam com aten-
ção.Aqui é o lugar onde o conheci.

Mesóclise: o pronome surge no meio do verbo, ou seja, pronome mesoclítico. Seu


uso é exclusivo da língua culta ou modalidade literária.

Ocorrência Exemplos
Quando houver verbo no: Contar-lhe-ei sobre o ocorrido.
•• Futuro do Presente do Indicativo (Contarei + lhe)
Procurar-me-iam caso precisassem de
•• Futuro do Pretérito do Indicativo
algo.
(Procurariam + me)
Atenção: Amanhã lhe contarei o ocorrido.
•• Não ocorrerá a mesóclise, caso haja Todos me procurariam caso precisassem
palavra atrativa conforme quadro de algo.
anterior
•• Com esses tempos verbais (futuro
do presente e futuro do pretérito)
jamais ocorre a ênclise

Ênclise: o pronome surge depois do verbo. Considera-se a colocação básica do pro-


nome, a mais utilizada, pois obedece à sequência verbo-complemento. Veja o qua-
dro a seguir:

63 Português • PP
Prof. Pimentel

Anotações
Ocorrência Exemplos
verbo no início da frase Preocupe-se com o sucesso do projeto.
verbo no infinitivo impessoal Leia o livro antes de doá-lo.
Atenção: o pronome poderá vir proclí- É preciso não o magoar.
tico se o infinitivo estiver precedido de
preposição ou palavra atrativa. É preciso não magoá-lo.
verbo no gerúndio (não precedido da Acalmou-o, dando-lhe carinho.
preposição “em”)
verbo no imperativo afirmativo Avise-a sobre a alteração na ata.

Atenção:
•• A posição normal do pronome é a ênclise. Para que ocorra a próclise ou a
mesóclise é necessário haver justificativas;
•• A língua culta não admite que se inicie uma oração com o pronome oblíquo;
•• Se o verbo não estiver no início da frase, nem conjugado nos tempos Futuro
do Presente ou Futuro do Pretérito, é possível usar tanto a próclise como a
ênclise.
Exemplos:

Eu o convidei para jantar.


Eu convidei-o para jantar.

- CASOS ESPECIAIS -
COLOCAÇÃO DOS PRONOMES OBLÍQUOS NAS LOCUÇÕES VERBAIS
sem palavra atrativa = prono- Devo esclarecer-lhe o fato.
me depois do verbo auxiliar
Devo-lhe esclarecer o fato.
ou depois do verbo principal

com palavra atrativa = prono- Não estavam chamando-me.


me antes do verbo auxiliar ou
Não me estavam chamando.
Verbo Principal no depois do verbo principal 
Infinitivo ou Gerún-
com preposição entre o verbo Ele há de encontrar-se na
dio
auxiliar e o infinitivo = prono- profissão.
me antes ou depois do verbo
Ele há de se encontrar na
principal
profissão.
com preposição “a” e o pro- Voltei a cumprimentá-lo 
nome oblíquo “o” (e varia- pelo sucesso do projeto.
ções) = pronome depois do
infinitivo
Verbo Principal no sem palavra atrativa = prono- Os livros tinham-se perdido
Particípio me depois do verbo auxiliar no esquecimento.
com palavra atrativa = prono- Os livros não se tinham perdi-
Atenção: o prono-
me antes da locução do no esquecimento.
me não poderá vir
depois do particípio

64 Português • PP
Prof. Pimentel

09 Módulo
Sinal Indicativo
de Crase

Definição: a palavra crase é de origem grega e significa “fusão”, “mistura”. Anotações

crase = fusão de duas vogais idênticas

Na escrita, utilizamos o acento grave (`) para indicar essa ocorrência.


O correto uso da crase está diretamente ligado à regência verbal e nominal, mais
precisamente ao termo regido e termo regente.
Aprender a usar a crase, portanto, consiste em verificar a ocorrência simultânea de:
•• preposição + artigo
ou
•• preposição + “a” inicial dos pronomes demonstrativos (aquela (s), aquele (s),
aquilo)
ou
•• preposição + “a” do pronome relativo a qual (as quais).

Simplificando:
a + a
preposição artigo/pronome

Observe o exemplo a seguir:


Conheço a aluna.
Temos:
•• um verbo transitivo direto (conhecer algo ou alguém) que não exige preposição;
•• a ocorrência do artigo “a” que está determinando o substantivo feminino
aluna.
Neste caso, não temos a junção de duas vogais idênticas, pois a única vogal está
sendo representada pelo artigo. Não há preposição.
Agora, observe outro exemplo:

Vou a a aula.
Vou à aula.
Temos:
•• a ocorrência da preposição “a”, exigida pelo verbo transitivo indireto “ir” (ir
a algum lugar);
•• a ocorrência do artigo “a” que está determinando o substantivo feminino
aula.

65 Português • PP
Prof. Pimentel

Neste caso, temos a ocorrência de duas vogais idênticas que se unem recebendo o Anotações
acento grave, indicador de crase.
Portanto, a crase é possível, desde que o termo seguinte seja feminino e admita o
artigo feminino “a” ou um dos pronomes já citados.
Dica: para verificar a existência de um artigo feminino “a” (s) ou de um pronome
demonstrativo “a” (s) após uma preposição “a”:
•• Colocar um termo masculino no lugar do termo feminino. Se surgir a forma
“ao”, ocorrerá crase antes do termo feminino.

Conheço “a” garota. / Conheço o garoto.


Refiro-me à garota. / Refiro-me ao garoto.

CASOS EM QUE A CRASE SEMPRE OCORRE:

1º) União de preposição + artigo


Assistimos à novela. (palavra feminina)
Assistimos ao futebol. (palavra masculina)
Atenção: Eu me refiro à menina.
Eu me refiro ao menino.

Eu me refiro a ela.
Aqui temos só a preposição!
Eu me refiro a ele.

2º) Antes de nomes de lugares (topônimos)


Rafael foi à Suíça. (Volta da Suíça)
Júnior foi a Porto Alegre. (Volta de Porto Alegre)
Dica:
•• quem vai A e volta dA, crase no A
•• quem vai A e volta dE, crase pra quê?

Atenção: quando o nome de lugar estiver especificado, ocorrerá crase.


Retornará à São Paulo dos bandeirantes.
Irei à Porto Alegre das geadas.

3º) Locuções adverbiais, prepositivas e conjuntivas que possuam palavras femininas.


Saímos à noite. (locução adverbial de tempo)
O carro está em frente à garagem. (locução prepositiva)
Ele foi se acalmando à medida que as boas notícias
chegavam. ( locução conjuntiva proporcional)

66 Português • PP
Prof. Pimentel

Atenção: Em locuções adverbiais de instrumento a crase é facultativa. Anotações

–– Escreveu uma carta a máquina (à máquina).


–– Feriu-se a faca (à faca).
–– Viajaram num barco a vela (à vela).

4º) Antes dos pronomes demonstrativos e relativos


a + aquele = àquele
a + aquela = àquela
Refiro àquele livro que comprei.
Sua caneta é igual à (caneta) que comprei.
Atenção:
•• Retomando palavra masculina: sem crase!
Seu lápis é igual ao (lápis) que comprei.
Este é o bairro a que iremos.
•• Nunca haverá crase antes dos pronomes QUEM e CUJA.

5º) Na indicação de horas.


Acordei às sete horas da manhã.
Elas chegaram às dez horas.
Foram dormir à meia-noite.
Ele saiu às duas horas.
Atenção:
•• Com a preposição “até”, a crase será facultativa.
Dormiram até as 14 horas./Dormiram até às 14 horas.
•• Não se emprega a preposição “a” depois de outras preposições (exceto
“até” que aceita ou não a crase), o que torna impossível a ocorrência da
crase. Veja alguns exemplos:
Desde as 5h desta sexta-feira, ela tenta falar com ele.
A reunião está marcada para as 14h.
Deverá explicar-se perante a Justiça.
Levou um tombo ante a plateia perplexa.
O encontro deu-se entre as 14h e as 15h.

6º) Palavra “distância”:


•• se estiver especificada a crase deve ocorrer:
A casa dela fica à distância de 50 quilômetros daqui.

•• se não estiver especificada, a crase não pode ocorrer.


Os militares ficaram a distância.
Gostava de fotografar a distância.
Ensinou a distância.

67 Português • PP
Prof. Pimentel

Atenção: para maior clareza, evitando ambiguidade, pode-se usar a crase apenas Anotações
nas situações abaixo:
Gostava de fotografar à distância.
Ensinou à distância.
Dizem que aquele médico cura à distância.

7º) Palavras “casa” e terra”.


Recebem crase somente quando estiverem especificados. Veja:

Voltei a casa.
Voltei à casa de meus pais.
Os navios voltaram a terra.
Os navios voltaram à terra das palmeiras.

8º) Palavra Moda.


Há crase diante da palavra “moda”, com o sentido de “à moda de” (mesmo que a
expressão moda de fique subentendida):

Possui uma escrita à (moda de) Machado de Assis.


Fez um gol à Pele.
Ele vestiu-se à Luiz XV.

CASOS EM QUE A OCORRÊNCIA DA CRASE É FACULTATIVA

1º) Diante de nome próprio feminino:


Vinícius referiu-se a Pâmela. (à Pâmela)

2º) Diante de pronome possessivo feminino:


Gustavo oferece flores a sua Luna. (à sua Luna)

3º) Depois da preposição até:


Aparecido vai até a escola. (até à escola)

CASOS EM QUE A CRASE NÃO OCORRE

1º) Antes de verbo no infinitivo.


Gustavo começou a trabalhar.

2º) Antes de palavra masculina.


Pâmela e Vinícius andaram a cavalo.

68 Português • PP
Prof. Pimentel

3º) Entre palavras repetidas dentro de adjunto adverbial. Anotações

Gota a gota / dia a dia / frente a frente


Atenção: em palavras repetidas que integram um complemento verbal (objeto indi-
reto) a crase deve ocorrer.
Ex.: Ofereci flor à flor.

4º) Singular + plural.


Ela vai a festas.

5º) Diante de numerais cardinais.


Chegou a quarenta e nove o número de aprovados.
Daqui a uma semana será a prova.
Atenção: diante de numerais ordinais femininos a crase está confirmada, visto que
estes não podem ser empregados sem o artigo.

As saudações foram dirigidas à primeira candidata.

6º) Diante da maioria dos pronomes e das expressões de tratamento.


Diga a ela que não irei amanhã.
Entreguei a todos as apostilas.
Ele referiu-se a Vossa Excelência no discurso de ontem.
Atenção:
•• Exceção: recebem crase os pronomes de tratamento femininos: senhora,
senhorita, madame e dona;
•• Os poucos casos em que ocorre crase diante dos pronomes podem ser iden-
tificados pelo método de substituição por palavra masculina:

Refiro-me à mesma pessoa. (Refiro-me ao mesmo rapaz.)


Informei o fato à senhora. (Informei o fato ao senhor.)
Peça à própria Taís para autorizar. (Peça ao próprio Felipe...)

7º) Antes do artigo indefinido “uma”:


Ele foi a uma comunhão.
Ela foi a uma festa.

69 Português • PP
Prof. Pimentel

10 Módulo Sinais de Pontuação

Anotações

Definição: os sinais de pontuação representam um recurso gráfico próprio da lin-


guagem escrita que estrutura os textos e procura estabelecer as pausas e as ento-
nações da fala.
Embora não consigam reproduzir toda a riqueza melódica da linguagem oral, eles
estruturam os textos e procuram estabelecer as pausas e as entonações da fala.
Dentre suas muitas finalidades, está a de reproduzir pausas, entonações da fala e
emoções.

Ponto (.): usado nas abreviaturas e para se marcar o final de uma frase.
Sr. , sra., pág., obs., Ltda.

Exclamação (!): usado após interjeições e oração com entonação exclamativa, com
admiração. Pode exprimir surpresa, espanto, susto, indignação, piedade, ordem,
súplica, etc.
Olá! / Bom dia! / Que lindo dia! / Pare, por favor!

Atenção: o ponto de exclamação substitui o uso da vírgula de um vocativo enfático.


Exemplo:
Ana! venha até aqui!
Interrogação (?): usado no final das frases interrogativas diretas. O ponto de inter-
rogação pode realizar combinação com o ponto admirativo.
Qual é o seu objetivo?
Eu?! Que ideia!
Dois-pontos (:): introduzem fala ou citação de outrem e inicia uma sequência expli-
cativa ou enumerativa.
“A porta abriu-se, um brado ressoou:
- Até que enfim, meu rapaz!” (Eça de Queirós)
Tivemos uma ótima ideia: sair da sala.

70 Português • PP
Prof. Pimentel

Ponto e vírgula (;): é um sinal intermediário entre o ponto e a vírgula e não indica o Anotações
término do período. Usa-se para:
–– separar orações coordenadas não unidas por conjunção, que guardem
relação entre si.
O rio está poluído; os peixes estão mortos.

–– separar itens de uma enumeração.


Encontram-se pendentes ao itens abaixo:
1) planilha orçamentária;
2) notas fiscais.

–– separar orações coordenadas adversativas quando a conjunção aparecer


no meio da oração.

Esperava encontrar todos os alunos na prova; encontrei, porém, apenas alguns.


–– alongar a pausa de conjunções adversativas (mas, porém, contudo, to-
davia, entretanto, etc.) , substituindo, assim, a vírgula.

Gostaria de vê-lo hoje; todavia, só o verei amanhã.

•• Travessão (_): indica a fala da personagem ou a mudança de interlocutor


nos diálogos, separa expressões ou frases explicativas (intercaladas), destaca
algum elemento no interior da frase, servindo para realçar o aposto.
O que é isso, pai?
– É o seu presente de aniversário, meu filho.
“E logo me apresentou à mulher, – uma estimável senhora – e à filha.”
(Machado de Assis)

•• Reticências (...): marcam uma suspensão na sequência lógica da frase. Em-


pregam-se para indicar continuidade de uma ação ou fato, suspensão ou in-
terrupção do pensamento, representar hesitações comuns na língua falada
e para deixar o sentido da frase em aberto, permitindo uma interpretação
pessoal do leitor.
Vou, sim! Não...espere...não vou.

•• Aspas (“ “): usadas para indicar uma citação, estrangeirismos, neologismos e


gírias, mostra que uma palavra está em sentido diverso do usual (geralmente
ironia), também destaca uma palavra ou expressão.

O cidadão se sente um “palhaço”.

•• Parágrafo ( § ): o símbolo para parágrafo, representado por §, equivale a


dois “s” entrelaçados, iniciais das palavras latinas “signum sectionis” que sig-
nificam sinal de secção, de corte. O uso de parágrafos é muito comum nos
códigos de leis.
“§ 7º Lei federal disporá sobre as normas gerais....”

•• Colchetes ( [ ] ): eles têm a mesma finalidade que os parênteses; no entanto, seu


uso se restringe aos escritos de cunho didático, filológico, científico. Usados em
definições do dicionário, para fazer referência à etimologia da palavra; para
intercalar palavras ou símbolos não pertencentes ao texto; para inserir co-
mentários e observações em textos já publicados e para indicar omissões de
partes na transcrição de um texto.

“É homem de sessenta anos feitos [...] corpo antes cheio que


magro, ameno e risonho” (Machado de Assis)

71 Português • PP
Prof. Pimentel

•• Asterisco (*): proveniente do latim asteriscum, cujo significado é “es- Anotações


trelinha”, costuma ser empregado nas remissões a notas ou explicações con-
tidas no rodapé de páginas ou ao final de capítulos. Utilizado, também, nas
substituições de nomes próprios não mencionados.

A palavra tristeza é formada pelo adjetivo triste acrescido do


sufixo -eza*.
*O sufixo -eza é um sufixo nominal que é justaposto a um adjetivo, originando
um novo substantivo.

O jornal*** não quis participar da campanha.

•• Parênteses ( ( ) ): isolam explicações, indicações ou comentários acessórios,


orações de caráter explicativo, para delimitar o período de vida de uma
pessoa, indicar possibilidades alternativas de leitura e para incluir dados
informativos sobre bibliografia. Os parênteses podem ser substituídos por
vírgulas ou travessões.

O Brasil (país do carnaval) é belíssimo.


Carlos Drummond de Andrade (1902 – 1987).
Prezado(a) usuário(a).
“ O homem nasceu livre, e em toda parte se encontra sob ferros” (Jean- Jacques
Rousseau, Do Contrato Social e outros escritos. São Paulo, Cultrix, 1968.)

•• Vírgula (,): a vírgula indica uma pausa pequena, deixando a voz em suspenso
à espera da continuação do período.
Sem dúvida, é a pontuação mais pedida em concursos. Assim, a tabela a seguir
ajudará na memorização das regras.

USO DA VÍRGULA
Regras Exemplos
Separa termos deslocados da O livro, você trouxe?
ordem direta.
Destaca elementos intercalados: Trabalhamos muito, logo, merecemos viajar!
•• Conjunção Rafael, funcionário exemplar, atingiu a meta.
•• Aposto
A sua disciplina, isto é, o seu comportamento
•• Termos explicativos
merece elogios.
•• Vocativo Silêncio, alunos, pois quero todos focados.
•• Adjunto adverbial Estes alunos, com certeza, serão aprovados.
Atenção: vírgula facultativa para advérbio e
obrigatória para locução adverbial.
Marca as palavras omitidas Você ficou alegre; eu, feliz.
(elipse).
Isola o vocativo. Prezados senhores,
Atenção: Neste caso, a vírgula pode ser substi-
tuída por dois-pontos.

72 Português • PP
Prof. Pimentel

Anotações
Regras Exemplos
Destaca pleonasmos antecipados ao As flores, eu as recebi hoje.
verbo.
Isola elementos repetidos. A casa, a casa está destruída.
Separa orações coordenadas assin- O tempo não para no porto, não apita na
déticas. curva, não espera ninguém.
Separa orações coordenadas que ti- O rapaz estuda, e a mãe incentiva.
verem sujeitos diferentes.
Quando a conjunção “e” vier repe- E chora, e ri, e grita, e pula de alegria.
tida com a finalidade de dar ênfase
(polissíndeto).
Quando a conjunção “e” assumir va- Trabalhou muito, e ainda assim não foi con-
lores distintos que não seja da adi- tratada.
ção (adversidade, consequência, por
exemplo).
Separa orações coordenadas sindé- Esforçou-se muito, porém não conseguiu o
ticas adversativas, alternativas, con- prêmio.
clusivas e explicativas.
Separa orações subordinadas adjeti- A ótima aluna, que ainda estava na facul-
vas explicativas. dade, dominava toda a matéria.
Para separar orações subordinadas Quem inventou o dinheiro, todos querem
substantivas e adverbiais (quando descobrir. (subordinada)
estiverem antes da oração principal). Quando voltei, lembrei que precisava estu-
dar para a prova. (adverbial)
Para separar orações intercaladas. O importante, insistiam os pais, era a segu-
rança da escola.
Para separar elementos paralelos de Tal pai, tal filho.
um provérbio.
Nas datas, para separar a localidade. Ribeirão Preto, 02 de novembro de 2015.
Após advérbios “sim” ou “não”, usa- Sim, adorei o presente!
dos como resposta, no início da frase.
Após a saudação em correspondência. Atenciosamente,
Com carinho,
Separa termos de uma mesma fun- O apartamento tem três quartos, dois ba-
ção sintática. nheiros e três salas.

Exercitando e descontraindo...
1. Um homem rico estava muito mal, agonizando. Pediu papel e caneta. Escreveu assim:
”Deixo meus bens a minha irmã não a meu sobrinho jamais será paga a conta do
padeiro nada dou aos pobres.“

Morreu antes de fazer a pontuação. A quem deixava a fortuna? Eram quatro con-
correntes.

O sobrinho fez a seguinte pontuação:


Deixo meus bens à minha irmã? Não! A meu sobrinho.
Jamais será paga a conta do padeiro. Nada dou aos pobres.

A irmã chegou em seguida... pontuou assim o escrito:


Deixo meus bens à minha irmã. Não a meu sobrinho.
Jamais será paga a conta do padeiro. Nada dou aos pobres.

73 Português • PP
Prof. Pimentel

O padeiro pediu cópia do original. Puxou a brasa pra sardinha dele: Anotações
Deixo meus bens à minha irmã? Não! A meu sobrinho?
Jamais! Será paga a conta do padeiro. Nada dou aos pobres.
Aí, chegaram os descamisados da cidade. Um deles, sabido, fez esta interpretação:
Deixo meus bens à minha irmã? Não! A meu sobrinho?
Jamais! Será paga a conta do padeiro? Nada! Dou aos pobres.

2. Dê sentido à frase a seguir, utilizando um ponto, uma exclamação e duas vírgulas.


“Maria toma banho porque sua mãe
disse ela pegue a toalha“
3. Onde você colocaria a vírgula?
“Se o homem soubesse o valor que tem a mulher andaria
de quatro à sua procura.”

74 Português • PP
l
te
en
Prof. Pim

Português
Exercícios

Rua João Nutti, 2195 Pq. Bandeirantes Ribeirão Preto - SP

(016) 3235-2900
Material produzido para uso e divulgação exclusivos da
Escola Prof. Pimentel
Autora:
Prof.a Salete da Graça Tanuri Lotti
Colaboradoras:
Prof.ª Andréa Maria Martins de Freitas
Prof.ª Patrícia Carla Miotto
ÍNDICE
Módulo 01 – Questões de Concursos
Sinônimos, Antônimos, Polissemia, Homônimos e Parônimos. ..............................................................04
Acentuação gráfica ................................................................................................................................. 07
Ortografia e Nova Ortografia .................................................................................................................. 09
Estrutura e Formação de Palavras .......................................................................................................... 11
Classes de Palavras: artigo, advérbio, conjunção, interjeição, numeral, preposição ............................. 13
Classes de Palavras: substantivo e adjetivo ............................................................................................ 15
Classes de Palavras: pronome ................................................................................................................ 18
Classes de Palavras: verbo ...................................................................................................................... 20
Concordância Verbal e Concordância Nominal ...................................................................................... 23
Regência Verbal e Regência Nominal ..................................................................................................... 25
Colocação Pronominal ............................................................................................................................ 28
Sinal Indicativo de Crase ......................................................................................................................... 30
Sinais de Pontuação................................................................................................................................ 32
Gabarito ................................................................................................................................................. 35

Português • PP
Prof. Pimentel

17 Módulo Questões Bancas Diversas

MÓDULO 01 - SINÔNIMOS, ANTÔNIMOS, POLISSEMIA, Anotações

HOMÔNIMOS E PARÔNIMOS
Leia o texto para responder a questão a seguir.
“[...] Animais bastante similares aos humanos modernos surgiram por volta de 2,5
milhões de anos atrás. Mas, por incontáveis gerações, eles não se destacaram da
miríade de outros organismos com os quais partilhavam seu habitat. [...]”
(Luis Fernando Verissimo. O mundo é bárbaro e o que nós temos a ver com isso. Rio de
Janeiro, Objetiva, 2008, p. 09)
1. (VUNESP/2017 – nível médio) O termo miríade, em destaque no primeiro
parágrafo do texto, está empregado com o sentido de
a) acentuada uniformidade.
b) frequência irregular
c) grande quantidade.
d) tamanho diminuto.
e) característica excepcional.

Leia o texto para responder a questão a seguir.


“... os buracos negros não eram nada daquilo que a gente não sabia que eram,
são outra coisa que a gente nunca vai entender. Nosso consolo é que nada disto tem
a ver com nosso café com leite. [...]” (Luis Fernando Verissimo. O mundo é bárbaro
e o que nós temos a ver com isso. Rio de Janeiro, Objetiva, 2008, p. 09)

2. (VUNESP/2017 – nível médio) O sentido atribuído pelo autor à frase – “O que


isso tem a ver com o meu café com leite?” – está expresso, em outras palavras, na
alternativa:
a) Será que somos capazes de compreender isso?
b) Até que ponto isso desperta o interesse dos cientistas?
c) De que modo nós poderíamos contribuir para isso?
d) Por que eu deveria crer na veracidade disso?
e) Como isso pode impactar o meu cotidiano?

Texto para responder à questão seguinte.


A indústria tabagista pode ter descoberto um filão publicitário tão atraente
quanto ilegal: a propaganda em festas universitárias. Voltados a jovens de classe
média, os eventos atraem milhares de potenciais consumidores em uma faixa etária
em que essa indústria vem perdendo terreno.
“Qualquer forma de propaganda de produtos do tabaco é irregular”, informa,
em nota, a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). “Apenas a exposição
dos produtos nos pontos de venda está permitida.”

04 Português • PP
Prof. Pimentel

No dia 7 de outubro, observou-se a presença de cartazes de uma marca de Anotações


cigarros em todos os ambientes de uma festa na zona oeste da cidade de São Paulo,
embora não houvesse venda no local. Segundo os organizadores do evento, que
reuniu 2.000 jovens, as empresas pagam até R$ 10 mil em patrocínio.
A fabricante do cigarro confirma que patrocinou a festa, mas diz que “segue
rigorosamente a legislação vigente”.
(Leandro Machado e Angela Boldrini. Folha de S.Paulo, 19.10.2010. Adaptado
3. (VUNESP/2014 - nível médio) Assinale a alternativa que apresenta dois termos
com sentidos opostos no texto.
a) ilegal – permitida
b) consumidores – organizadores
c) indústria – fabricante
d) propaganda – patrocínio
e) festa – evento

4. (VUNESP/2014 - nível médio) Na passagem – “Não reclamei na hora, mas vou


mandar um e-mail.” Quem de nós ainda não ouviu frases assim? –, o termo em
destaque tem sentido equivalente ao da expressão:
a) destoantes dessa.
b) de encontro a essa.
c) que subvertem essa.
d) desencadeadoras dessa.
e) similares a essa.

5. (VUNESP/2014 - nível médio) Assinale a alternativa que apresenta,


respectivamente, um sinônimo e um antônimo para o termo destacado em: Dia
após dia, nossos dedos ganham destreza e coragem nos teclados enquanto nossa
língua gagueja preguiçosa num simples telefonema para a peixaria.
a) audaz; loquaz d) lépida; impoluta
b) indolente; diligente e) morosa; lânguida
c) negligente; irresoluta

Texto para as questões 6 e 7.


A tecnologia e o futuro do policiamento
“[...] As recompensas do policiamento preditivo podem ser reais, mas seus perigos
também o são. A polícia precisa sujeitar seus algoritmos a um rigoroso exame
externo e enfrentar a questão das distorções implícitas que carreguem.”
6. (VUNESP/2013 - nível médio) O termo rigoroso, em destaque, tem sentido
oposto ao de:
a) exato. d) irrepreensível.
b) acurado. e) minucioso.
c) superficial.

7. (VUNESP/2013 - nível médio) O termo implícitas, em destaque, é empregado com


o sentido de:
a) subentendidas. d) evidenciadas.
b) significativas. e) agravantes
c) persistentes.

05 Português • PP
Prof. Pimentel

8. (VUNESP/2012 - nível médio) Na frase do quarto parágrafo — Talvez por isso, os


timoneiros não tenham conseguido manobrá-lo com eficiência ante a iminência do
choque. — a palavra iminência tem o sentido de
a) falha. d) ameaça.
b) proporção. e) comoção
c) sequela.

9. (VUNESP/2012 - nível médio) No trecho — Cem anos após a triste noite de 14


de abril de 1912, quando um iceberg interrompeu a travessia do Atlântico entre
Southampton (Reino Unido) e Nova York (EUA), a frustrada viagem inaugural do
navio ainda é um legado de preciosas lições. (2º parágrafo) — o antônimo da palavra
frustrada é:
a) desconhecida. d) mal-acabada.
b) bem-sucedida. e) desacreditada.
c) fracassada.

10. (VUNESP/2011 - nível médio) Na frase – Temos uma situação seriíssima a


discutir – um antônimo para o termo em destaque é
a) Muito banal
b) Muito preocupante
c) Muito embaraçosa
d) Muito polêmica
e) Muito complexa

06 Português • PP
Prof. Pimentel

MÓDULO 02 - ACENTUAÇÃO GRÁFICA

1. (CESPE/2016 – nível superior) Com referência às ideias e aos aspectos linguísticos


do texto apresentado, julgue o seguinte item.
Presentes no texto, os vocábulos “caráter”, “intransferível” e “órgãos” são acentuados
em decorrência da regra gramatical que classifica as palavras paroxítonas.
( ) Certo ( ) Errado

2. (INSTITUTO CIDADES/2015 – nível médio) Ocorre FALHA ou ERRO no enunciado


da regra de acentuação ou no exemplo apresentado respectivo na opção:
a) Acentuam-se os monossílabos tônicos terminados em ditongo ÉU aberto: céu,
chapéu.
b) Acentuam-se todas as proparoxítonas: álcool, diríamos.
c) Acentuam-se as paroxítonas terminadas em I, seguidas ou não de S: táxis,
biquíni.
d) Acentuam-se as oxítonas terminadas em EM ou ENS: além, reféns.

3. (FGV/2015 – nível médio) As duas palavras do texto 2 que recebem acento gráfico
por razões diferentes são:
a) homicídio/média d) secretários/relatório
b) país/juízes e) está/é
c) histórico/pública

4. (FUNCAB/2015 – nível médio) A seguir, apresentam-se duas sequências: a


primeira (1, 2, 3, 4) com palavras acentuadas retiradas do texto; a segunda (I, II, III,
IV) com diferentes regras de acentuação.
1. Pública.
2. Saúde.
3. Ministério.
4. Lá.
I. Monossílaba tônica.
II. Paroxítona terminada em ditongo.
III. Proparoxítona.
IV. Hiato com vogal tônica.
Qual alternativa contém a correta correspondência, nessa ordem, entre as duas
sequências, relacionando cada uma das palavras com a justa explicação para seu
acento gráfico?
a) 1-III; 2-IV; 3-II; 4-I
b) 1-III; 2-II; 3-III; 4-I
c) 1-IV; 2-III; 3-I; 4-II
d) 1-III; 2-II; 3-II; 4-I
e) 1-IV; 2-IV; 3-I; 4-II

07 Português • PP
Prof. Pimentel

5. (CESPE/2014 – nível superior) Os termos “série” e “história” acentuam-se em Anotações


conformidade com a mesma regra ortográfica.
( ) Certo ( ) Errado
6. (CESPE/2014 – nível médio) O emprego de acento gráfico em “água”, “distância”
e “primário” justifica-se pela mesma regra de acentuação.
 ( ) Certo      ( ) Errado
7. (UPENET/2014 – nível superior) Observe os termos abaixo sublinhados. Em
seguida, assinale a alternativa que apresenta a justificativa CORRETA para o acento
existente no termo sublinhado
a) “A importância da participação da família no desenvolvimento da criança...” -
paroxítona terminada em hiato.
b) “...a criança tem dificuldade em processar mentalmente estímulos...” - a
tonicidade recai na penúltima sílaba.
c) “Numa viagem de férias, uma mãe estará mediando o aprendizado...” -
proparoxítona terminada em ditongo.
d) “A importância da participação da família no desenvolvimento da criança
é indiscutível...” - paroxítona terminada em “l”.
e) “...mas neste século, os pais deixaram de lado a educação dos filhos...” - a
tonicidade recai na penúltima sílaba.

8. (FCC - 2014 – nível médio) Acentuam-se devido à mesma regra os seguintes


vocábulos do texto:
a) também, mantêm, experiências
b) indígenas, séculos, específico
c) acúmulo, importância, intercâmbio
d) políticas, história, Pará
e) até, três, índios

9. (FGV/2014 – nível médio) A correção na acentuação gráfica faz parte do cuidado


com a norma culta na redação de um texto; a opção que apresenta um vocábulo
que é acentuado graficamente por razão distinta das demais é:
a) famílias
b) país
c) rodízio
d) água
e) desperdício

10. (CETRO/2014 – nível médio) De acordo com a norma-padrão da Língua


Portuguesa e quanto à acentuação, assinale a alternativa correta.
a) Todos estão em rítmo de festa.
b) O estacionamento é gratuíto.
c) Não gostaria de executar este trabalho sózinho.
d) Resolvemos viver em harmonía.
e) Perdeu o fôlego de tanto correr.

08 Português • PP
Prof. Pimentel

MÓDULO 03 - ORTOGRAFIA E NOVA ORTOGRAFIA


1. (VUNESP/2017 – nível médio) No trecho do segundo parágrafo – vai ser
responsável por pôr o filho pequeno para dormir –, os termos destacados pertencem
a classes gramaticais diferentes, apesar da semelhança na grafia e na pronúncia.
Considerando essas informações, assinale a alternativa em que os termos
destacados também pertencem a diferentes classes gramaticais.
a) Agiu com extrema discrição ao evitar assunto tão constrangedor.
A proposta de redação indicava que devíamos fazer uma descrição.
b) Não o destrato porque ele é meu amigo de infância.
A diretoria quer o distrato, pois os documentos apresentam irregularidades.
c) A imprensa elogiou o concerto do pianista brasileiro radicado na França.
O conserto do carro não compensou o investimento.
d) Sua palavra soa como uma ofensa.
Quem se encontra em recintos fechados sua muito.
e) O engenheiro retificou os erros presentes no projeto original.
A professora ratificou que a entrega dos trabalhos seria na data estabelecida
anteriormente.
Tirinha para a próxima questão.

2. (VUNESP/2017 – nível médio) Considerando a ortografia e a acentuação da


norma-padrão da língua portuguesa, as lacunas estão, correta e respectivamente,
preenchidas por:
a) mal ... por que ... intuíto
b) mau ... por que ... intuito
c) mau ... porque ... intuíto
d) mal ... porque ... intuito
e) mal ... por quê ... intuito
3. (VUNESP/2013 – nível médio) Assinale a alternativa que preenche, correta e
respectivamente, as lacunas do trecho a seguir, de acordo com a norma-padrão.
Além disso, _______ certamente __________ entre nós __________ do fenômeno
da corrupção e das fraudes.
a) a … concenso … acerca
b) há … consenso … acerca
c) a … concenso … a cerca
d) a … consenso … há cerca
e) há … consenço … a cerca

09 Português • PP
Prof. Pimentel

4. (VUNESP/2013 – nível médio) Na questão seguinte, assinale a alternativa com Anotações


ortografia e acentuação corretas.
a) Descobri o fascínio do facebook, por meio de compartilhamentos de opiniões.
Vi-me submissa à tela. É uma relação inescapável.
b) Descobri o facínio do facebook, por meio de compartilhamentos de opiniões.
Vi-me subimissa à tela. É uma relação inescapavel.
c) Descobri o facínio do facebook, por meio de compartilhiamentos de opiniões.
Vi-me submiça à tela. É uma relação inescapavel.
d) Descobri o fascinio do facebook, por meio de compartilhiamentos de opiniões.
Vi-me submissa à tela. É uma relação inescapavel.
e) Descobri o facinio do facebook, por meio de compartilhamentos de opiniões.
Vi-me submisa à tela. É uma relação inescapável.

5. (VUNESP/2012 – nível médio) Que mexer o esqueleto é bom para a saúde já


virou até sabedoria popular. Agora, estudo levanta hipóteses sobre ........................
praticar atividade física..........................benefícios para a totalidade do corpo. Os
resultados podem levar a novas terapias para reabilitar músculos contundidos ou
mesmo para .......................... e restaurar a perda muscular que ocorre com o avanço
da idade. (Ciência Hoje, março de 2012)
As lacunas do texto devem ser preenchidas, correta e res­pectivamente, com:
a) porque … trás … previnir
b) porque … traz … previnir
c) porquê … tras … previnir
d) por que … traz … prevenir
e) por quê … tráz … prevenir

6. (VUNESP/2010 – nível médio) Assinale a alternativa correta quanto à grafia da


palavra porque.
a) Mas o futebol tem importância por quê? Você sabe o motivo por que o brasileiro
ama futebol? Porque ele mexe com outras dimensões de nossa natureza.
b) Mas o futebol tem importância porque? Você sabe o motivo porque o brasileiro
ama futebol? Porque ele mexe com outras dimensões de nossa natureza.
c) Mas o futebol tem importância por quê? Você sabe o motivo porque o brasileiro
ama futebol? Por que ele mexe com outras dimensões de nossa natureza.
d) Mas o futebol tem importância por quê? Você sabe o motivo por que o brasileiro
ama futebol? Por que ele mexe com outras dimensões de nossa natureza.
e) Mas o futebol tem importância por que? Você sabe o motivo porque o brasileiro
ama futebol? Por que ele mexe com outras dimensões de nossa natureza.

7. (VUNESP/2010 – nível médio) Assinale a alternativa que preenche, correta e


respectivamente, as lacunas das frases dadas.
Não precisa ir ao sebo, LPs _______ vão voltar às lojas.Obra do autor revela _______
pelo purgatório.Boato de _______ piora o mau-humor dos norte-coreanos.Decisão
do tribunal é um marco e traz princípios ________.
a) imprecindíveis . obseção . dezerção . balisadores
b) imprescindíveis . obsessão . deserção . balizadores
c) imprecindíveis . obsessão . dezerção . balizadores
d) imprescindíveis . obseção . deserção . balisadores
e) imprescindíveis . obsessão . dezerção . balisadores

10 Português • PP
Prof. Pimentel

8. (CURSIVA/2015 – nível médio) Assinale o item em que as palavras completam


adequadamente os espaços abaixo:
I. Trouxeram-me um ramalhete de flores__________.
II. A justiça _________a pena merecida aos desordeiros.
III. Devemos ser fiéis ao __________do dever.
IV. A _________ de terras compete ao Estado.
a) Fragrantes – infligiu – cumprimento – cessão
b) Fragrantes – infrigiu – comprimento – cessão
c) Flagrantes – infligiu – cumprimento – cessão
d) Fragrantes – infligiu – comprimento - sessão

9. (CAIPIMES/2015 – nível médio) Considerando-se a norma-padrão da língua,


assinale a alternativa em que todas as palavras estão grafadas corretamente.
a) pesquizar, obseção, lizonjear.
b) pesquisar, obcessão, lizongear.
c) pesquizar, obceção, lizongiar.
d) pesquisar, obsessão, lisonjear.

10. (EXATUS-PR/2015 – nível médio) “Escolarização” se escreve com “z”. Também


se escreve com “z”:
a) apra___ível – ojeri___o.
b) exta___iar. – repre___a.
c) eva___iva – cateque___e.
d) he___itar – e___ílio.
e) requi___ito – êxta___e.

MÓDULO 04 - ESTRUTURA E FORMAÇÃO DE PALAVRAS

1. (FGV/2015 – nível médio) Entre os pares de palavras abaixo, retiradas do texto 1,


aquelas que são formadas por processos de formação diferentes são:
a) publicidade / consumidores;
b) desejo / inveja;
c) avareza / poupança;
d) descalcificar / inúmeros;
e) preguiça / passeio.

2. (FUNCAB/2015 – nível superior) Quanto à estrutura e formação, as palavras “


insubordinada ” , “jornalistas ” e “abrigo ” são classificadas, respectivamente, como:
a) derivação parassintética / derivação sufixal / primitiva.
b) derivação prefixal / derivação parassintética / derivação regressiva.
c) composição por aglutinação / derivação sufixal / primitiva.
d) derivação prefixal / composição por aglutinação / derivação regressiva.
e) derivação prefixal / derivação sufixal / derivação regressiva.

11 Português • PP
Prof. Pimentel

3. (FUNCAB/2015 – nível superior) Assinale a alternativa em que o vocábulo Anotações


destacado resulta de derivação parassintética.
a) “O INEBRIADO engano.”
b) “Voando o mais em ÍMPETO.”
c) “Esperar é RECONHECER-se incompleto.”
d) “Jó Joaquim, além disso, existindo só retraído, MINUCIOSAMENTE.”
e) “tendo-a por justa e AVERIGUADA, com convicção manifesta.”
4. (CAIPIMES/2015 – nível superior) Em todas as alternativas as palavras retiradas
do texto são formadas por derivação sufixal, EXCETO em:
a) “desiludido”. c) “enganosa”.
b) “roupão”. d) “vestimenta”.
5. (FGV/2014 – nível superior) “A USP acaba de divulgar estudo advertindo que a
poluição em São Paulo mata o dobro do que o trânsito”; nesse trecho do texto 1, o
segmento “acaba de divulgar estudo” poderia ser substituído por um termo menos
extenso, com a ajuda de um prefixo ou sufixo: “estudo recém-divulgado”. A frase
abaixo em que esse mesmo processo foi feito de forma INADEQUADA é:
a) Os estudos estão sendo lidos de novo / relidos;
b) A passeata carregava uma faixa contrária ao transporte público / antitransporte
público;
c) Os automóveis foram valorizados acima do normal / hipervalorizados;
d) As autoridades precisam fazer análises de si mesmas / retroanálises;
e) O Congresso votou um projeto a favor de carros elétricos / pró-carros elétricos.
6. (UESPI/2014 – nível superior) Identificamos, no trecho acima, as seguintes
palavras formadas pelo processo de derivação regressiva:
a) arma e formação. d) lanças e armas.
b) combate e guerreiros. e) ataque e situação.
c) combate e ataque.
7. (UESPI/2014 – nível superior) A palavra em cuja formação encontramos prefixos
e sufixos como em empunhadura, é
a) desnorteado. d) vulnerável.
b) raramente. e) humanidade.
c) eficiente.
8. (Quadrix/2014 – nível médio) No texto acima, o verbo amanhecer, no título, foi
formado pelo processo de:
a) derivação prefixal. d) derivação regressiva.
b) derivação sufixal. e) derivação imprópria.
c) derivação parassintética.

9. (CESGRANRIO/2014 – nível médio) A palavra picaretaço é formada por:


a) aglutinação d) derivação sufixal
b) justaposição e) derivação prefixal
c) parassíntese

10. (VUNESP/2013 – nível médio) Assinale a alternativa contendo palavra do texto


que é formada por prefixo.
a) Máquina d) Textualidade
b) Brilhantismo e) Arquivamento
c) Hipertexto

12 Português • PP
Prof. Pimentel

MÓDULO 05 - CLASSES DE PALAVRAS


PARTE 1 – ARTIGO, ADVÉRBIO, CONJUNÇÃO, INTERJEIÇÃO,
NUMERAL, PREPOSIÇÃO
1. (VUNESP/2015 – nível médio) Considere a seguinte passagem do texto. Com que
cargas d’água alguém teria a brilhante ideia de dar uma arma para duas crianças?
Pois é, isso era normal. Como era normal também passearmos pela cidade em um
Fusca, todos sem cinto de segurança...
No contexto, o termo Como, em destaque, estabelece relação de
a) finalidade d) consequência
b) concessão e) conformidade
c) comparação

Leia a charge para responder às questões de números 2 e 3.

2. (VUNESP/2015 – nível médio) A passagem – Não pode ouvir sirene da polícia,


larga tudo e sai correndo... – está corretamente reescrita, com as relações de
sentido preservadas, em:
a) Mesmo ouvindo sirene da polícia, larga tudo e sai correndo...
b) Embora ouça sirene da polícia, larga tudo e sai correndo...
c) Ao ouvir sirene da polícia, larga tudo e sai correndo...
d) Contudo, ouve sirene da polícia, larga tudo e sai correndo...
e) Portanto, ouve sirene da polícia, larga tudo e sai correndo...

3. (VUNESP/2015 – nível médio) O termo meio, destacado em – Ele é um sujeito


meio estranho. –,
a) intensifica o sentido de “estranho”, e equivale à expressão muito mais.
b) altera o sentido de “estranho”, e equivale à expressão há pouco tempo.
c) atenua o sentido de “estranho”, e equivale à expressão um tanto.
d) nega o sentido de “estranho”, e equivale à expressão nem mesmo.
e) contradiz o sentido de “estranho”, e equivale à expressão um nada.

4. (VUNESP/2014 – nível médio ) No dia 7 de outubro, observou-se a presença de


cartazes de uma marca de cigarros em todos os ambientes de uma festa na zona
oeste da cidade de São Paulo, embora não houvesse venda no local. (3º parágrafo)
A alternativa que substitui corretamente o trecho em destaque, sem alteração de
sentido, é:
a) assim não haveria d) por não haver
b) apesar de não haver e) portanto não haveria
c) para não haver

13 Português • PP
Prof. Pimentel

5. (VUNESP/2014 – nível médio) Assinale a alternativa que completa corretamente Anotações


a lacuna da frase a seguir, de acordo com a norma-padrão da língua portuguesa.
O autor aludiu _____ momento em que acessou a seção de estilo do site BuzzFeed.
a) pelo b) no d) sobre o d) do e) ao

6. (VUNESP/2014 – nível médio) Considere a frase: Embora o conceito de classe


média gere polêmica, segundo o DataFavela, hoje 65% dos moradores estão nessa
faixa de renda, contra 37% em 2002. Assinale a alternativa em que o trecho destacado
está corretamente reescrito, mantendo-se as relações de sentido estabelecidas no
texto original.
a) Assim que o conceito de classe média gerou polêmica…
b) Caso o conceito de classe média tenha gerado polêmica…
c) Tanto que o conceito de classe média gerasse polêmica…
d) Apesar de o conceito de classe média gerar polêmica…
e) Visto que o conceito de classe média gera polêmica…

Leia a tirinha a seguir para responder à próxima questão.

7. (VUNESP/2014 – nível médio) No primeiro quadrinho, o termo mas, por ter valor
adversativo, introduz uma informação que
a) contraria a expectativa expressa pela primeira parte do enunciado.
b) exprime uma causa para o que se diz na primeira parte do enunciado.
c) equivale à consequência do que se afirma na primeira parte do enunciado.
d) justifica a ideia veiculada na primeira parte do enunciado.
e) exemplifica o conteúdo apresentado na primeira parte do enunciado.

8. (VUNESP/2014 – nível médio) Atente para a relação de sentido estabelecida pelo


termo só na frase que inicia o texto: Eu só comecei a ler bulas quando passei dos 60
anos. Assinale a alternativa que apresenta uma mensagem com sentido semelhante
ao da frase original do texto.
a) Só, eu comecei a ler bulas quando passei dos 60 anos.
b) Quando passei dos 60 anos, eu, só, comecei a ler bulas.
c) Quando passei dos 60 anos, eu comecei a ler bulas só.
d) Eu comecei a ler bulas só quando passei dos 60 anos.
e) Eu comecei a ler só bulas quando passei dos 60 anos.

14 Português • PP
Prof. Pimentel

9. (VUNESP/2013 – nível médio) No trecho do sexto parágrafo – Se apenas dados


sobre crimes que foram registrados em queixas formais forem usados para prever
futuros crimes e orientar o trabalho policial, algumas formas de crime poderão
passar sem registro – e, com isso, sem qualquer repressão. – a conjunção Se, em
destaque, expressa:
a) comparação d) condição
b) consequência e) finalidade
c) alternância

10. (VUNESP/2013 – nível médio) Considere o trecho do terceiro e quarto parágrafos:


[...] Havia um trecho muito curto de rodovia estadual a percorrer, de modo que a
lei e a ordem não pareciam grandes problemas para nós.
Mas, mal entramos na rodovia, vimos um policial muito jovem, e com um uniforme
muito esquisito, vir em nossa direção, fazendo sinal para que parássemos. [...]
O termo Mas, em destaque, sinaliza que o gesto do jovem – confundido com um
policial – solicitando que os pescadores parassem.
a) foi recebido com naturalidade, pois os pescadores eram parados por policiais
naquela rodovia com frequência.
b) tinha sido previsto, pois eles eram parados pela fiscalização sempre que
circulavam com aquele carro.
c) já era esperado, pois eles haviam sido informados de que a rodovia seria
fiscalizada pela polícia naquela ocasião.
d) surpreendeu-os, pois eles desconheciam o fato de haver policiamento em
rodovias estaduais.
e) contrariou a expectativa de que, por trafegarem em um trecho muito curto da
rodovia, não teriam problemas com a lei e a ordem.

MÓDULO 05 - PARTES 2 E 3 - SUBSTANTIVO E


ADJETIVO Considere o texto baseado na tirinha a seguir.

1. (VUNESP/2017 – nível superior) Zlitz adverte o companheiro _____________


que estão perdidos no espaço. Zlotz, mostrando-se _________________ , mas
_____________ , afirma que tem um mapa ______________ qual poderão se
orientar. Porém o mapa ___________ que ele faz menção é astrológico, o que é
inútil para que possam encontrar a rota desejada.
Para que o texto esteja correto de acordo com a norma-padrão da língua portuguesa
e mantenha-se fiel ao sentido da tirinha, as lacunas devem ser preenchidas,
respectivamente, por:
a) de … proativo … inexperiente … com o … a
b) de … temeroso … inconsequente … do … com
c) de … diligente … estabanado … do … a
d) a … voluntarioso … inábil … com o … em
e) a … intrépido … ingênuo … no … em

15 Português • PP
Prof. Pimentel

2. (VUNESP/2017 – nível médio) O emprego do adjetivo anteposto ao substantivo Anotações


realça a qualidade que a este se atribui, o que se pode comprovar com a expressão
em destaque na seguinte passagem do texto:
a) Os bastidores do vestibular são cheios de histórias – curiosas, estranhas,
comoventes.
b) O jovem que chega atrasado por alguns segundos, por exemplo, é uma figura
clássica...
c) Veio do Japão aos 11 anos, (…) e agora quer começar uma carreira médica.
d) Eu ponderaria que nem tudo na vida se regula pelo critério cronológico.
e) Os resultados do difícil exame trazem desilusão para muitos jovens…
3. (VUNESP/2010 – nível médio) Observe as inversões de termos em expressões
do texto:
I. O novo funcionário / O funcionário novo
II. Era melhor o analfabeto / Era o melhor analfabeto
III. que não lia as placas / que as placas não lia
Houve alteração de sentido com a inversão feita em
a) I, apenas. d) II e III, apenas.
b) I e II, apenas. e) I, II e III.
c) I e III, apenas.

Texto para a questão seguinte.


Um pé de milho
“[...] Anteontem aconteceu o que era inevitável, mas que nos encantou como se
fosse inesperado: meu pé de milho pendoou. Há muitas flores belas no mundo, e a
flor do meu pé de milho não será a mais linda. Mas aquele pendão firme, vertical,
beijado pelo vento do mar, veio enriquecer nosso canteirinho vulgar com uma força
e uma alegria que fazem bem.[...] “
(Rubem Braga. 200 crônicas escolhidas, 2001. Adaptado)
4. (VUNESP/2014 – nível médio) Na passagem do terceiro parágrafo – ... veio
enriquecer nosso canteirinho vulgar... –, o substantivo, empregado no diminutivo,
contribui para expressar a ideia de
a) exatidão d) soberba
b) desprezo e) abundância
c) simplicidade
5. (VUNESP/2014 – nível médio) O termo destacado na passagem do primeiro
parágrafo – Mesmo com tantas opções, ainda há resistência na hora da compra. –
tem sentido equivalente a:
a) impetuosidade d) consentimento
b) empatia e) segurança
c) relutância

Texto para a questão seguinte.


Comer ___________ de nozes, castanhas, amêndoas e outras sementes oleaginosas
todos os dias pode ser um dos segredos para a longevidade dos ___________ .
Um estudo feito nos Estados Unidos descobriu que pessoas que ___________ esse
hábito desfrutam ___________ uma melhor qualidade de vida do que aquelas que
nunca consomem esses alimentos. (...) A pesquisa foi publicada nesta quinta-feira
na revistaThe New England Journal of Medicine.
 (http://veja.abril.com.br/noticia/saude/comer-nozescontribui-
com-a-longevidade 21.11.2013)

16 Português • PP
Prof. Pimentel

6. (VUNESP/2014 – nível médio) Assinale a alternativa que completa, correta


e respectivamente, as lacunas do texto, segundo a norma-padrão da língua
portuguesa.
a) porções... cidadãos ...mantêm... de
b) porções...cidadões...mantêm...por
c) porçãos...cidadãos...mantêm...a
d) porções...cidadãos...mantem...de
e) porçãos...cidadões...mantem...por

7. (VUNESP/2013 – nível médio) No período – Quase igual ao horror pelos


cães conhecidos, ou de conhecidos, cuja lambida fria, na intimidade que lhes tenho
sido obrigado a conceder, tantas vezes, me provoca uma incontrolável repugnância.
–, os termos em destaque, conforme o contexto que determina seus usos,
classificam-se, respectivamente, como
a) adjetivo, adjetivo e substantivo
b) substantivo, adjetivo e substantivo
c) adjetivo, substantivo e substantivo
d) adjetivo, adjetivo e adjetivo
e) substantivo, substantivo e adjetivo

8. (VUNESP/2012 – nível médio) No título do texto – Como evitar que motoristas


bêbados fiquem impunes... – a palavra  motoristas é um substantivo. O mesmo
emprego se dá com a palavra em destaque na alternativa:
a) O Brasil possui uma legislação que dificulta...
b) … a lei é falha.
c) Sem o teste, não há como se punir com rigor.
d) “Do jeito que está, não existe Lei Seca no País”…
e) Os números mostram a ineficácia do atual Código de Trânsito.
9. (VUNESP/2012 – nível médio) Em – … um português de bigodes e sotaque fartos,…
(1º parágrafo) – o adjetivo fartos refere-se
a) apenas a bigodes e sotaque.
b) apenas a sotaque.
c) apenas a bigodes.
d) apenas a português.
e) a português, bigodes e sotaque.
10. (VUNESP/2012 – nível médio) Assinale a alternativa cujas palavras se apresentam
flexionadas de acordo com a norma-padrão
a) Os tabeliãos devem preparar o documento.
b) Esses cidadões tinham autorização para portar fuzis.
c) Para autenticar as certidãos, procure o cartório local.
d) Ao descer e subir escadas, segure-se nos corrimãos.
e) Cuidado com os degrais, que são perigosos!

17 Português • PP
Prof. Pimentel

MÓDULO 05 - PARTE 4 - PRONOME Anotações

1. (VUNESP/2017 – nível médio) Um termo que expressa sentido de “posse” está


destacado em:
a) Mas, por incontáveis gerações, eles não se destacaram...(1º parágrafo)
b) ... da miríade de outros organismos com os quais partilhavam... (1º parágrafo)
c) .. você poderia muito bem observar certas características...(2º parágrafo)
d) ... idosos cansados que só queriam ficar em paz...(2º parágrafo)
e) ... eles eram animais insignificantes, cujo impacto sobre o ambiente... (2º
parágrafo)

Trecho para a próxima questão.


“...Estudos científicos chamam esse fenômeno de “efeito Google” ou “amnésia
digital”, um sintoma de um comportamento cada vez mais comum: o de confiar
o armazenamento de dados importantes aos nossos dispositivos eletrônicos e à
internet em vez de guardá-los na cabeça.” (Bruno Capelas. O Estado de S.Paulo,
06.06.2016. Adaptado)
2. (VUNESP/2017 – nível médio) A forma pronominal –los, destacada no final do
primeiro parágrafo, retoma a expressão
a) Estudos científicos.
b) Armazenamento de dados.
c) Nossos dispositivos eletrônicos.
d) Dispositivos eletrônicos e internet.
e) Dados importantes.
3. (VUNESP/2014 – nível médio) Considere as frases a seguir:
Ensine as crianças _____ se encontram as saídas de emergência, os extintores de
incêndio e os registros gerais de água e luz.
Fique atento _____ condições de limpeza de pisos, escadas e estado de conservação
de elevadores.
Sinalize áreas _____ estejam sendo realizadas obras, manutenção ou mesmo limpeza.
(Manual de Autoproteção do Cidadão. Disponível em: www.polmil.sp.gov.br.
Acesso em: 27.10.2014. Adaptado)
Assinale a alternativa que completa, correta e respectivamente, as lacunas.
a) onde … a … em que
b) aonde … com … que
c) aonde … sob … que
d) onde … de … que
e) aonde … por … em que
4. (VUNESP/2013 – nível médio) Considere a passagem do último parágrafo:O
problema foi na hora em que meu cunhado tentou virar a chave. Nada. Nem
um barulhinho sequer. A bateria entregava os pontos. Chamamos o guarda e
comentamos que, se deixássemos o automóvel ali, dificilmente retornaríamos para
resgatá-lo.
A forma pronominal -lo, em destaque, refere-se a:
a) automóvel. d) problema.
b) cunhado. e) ali.
c) barulhinho.

18 Português • PP
Prof. Pimentel

5. (VUNESP/2011 – nível médio) Assinale a alternativa em que os termos em


destaque foram substituídos, correta e respectivamente, pelo pronome adequado.
A polícia percebeu o erro de português cometidos pelos assaltantes, o que levou a
polícia a prender os assaltantes.
a) a levou ...prender-lhes
b) a levou...prendê-los
c) se levou ...prendê-los
d) lhe levou...prendê-los
e) lhe levou ...prender-lhes

6. (VUNESP/2011 – nível médio) Considere o empregos dos pronomes nas frases


a seguir.
I – Ele foi conosco ao baile de formatura.
II – Nos se divertimos muito até altas horas.
III – Na volta para casa, ele pediu para eu dirigir o carro, pois estava cansado.
É correto o que se apresenta em
a) I, apenas.
b) II, apenas.
c) I e III, apenas.
d) II e III, apenas.
e) I, II e III.

7. (VUNESP/2015 – nível médio) O pronome lhe está substituindo corretamente a


expressão destacada em:
a) Dia desses, precisei pingar um remédio no meu nariz. → Dia desses, precisei
pingar-lhe no nariz.
b) Observei um raio de sol que costuma atravessar o meu quarto. → Observei um
raio de sol que costuma atravessar-lhe.
c) Deitada, olhava uns reflexos dançando no teto. → Deitada, olhava-lhes dançando
no teto.
d) Relaxar vendo uma inédita cidade passar pelo céu. → Relaxar vendo-lhe passar
pelo céu.
e) Diga que resolveu dar uma rasteira no cotidiano. → Diga que resolveu dar-lhe uma
rasteira.

Leia a charge.

8. (VUNESP/2014 – nível médio) lacuna na fala da personagem deve ser preenchida,


corretamente, com:
a) em cujo d) que
b) aonde e) ao qual
c) em que

19 Português • PP
Prof. Pimentel

Texto para a próxima questão. Anotações


“...No vestibular, que é o princípio de tudo, os cotistas estão só um pouco
atrás. Segundo dados do Sistema de Seleção Unificada, a nota de corte para os
candidatos convencionais a vagas de medicina nas federais foi de 787,56 pontos.
Para os cotistas, foi de 761,67 pontos. A diferença entre eles, portanto, ficou
próxima de 3%. 
(www.istoe.com.br)
Para responder a questão, considere a passagem – A diferença entre eles, portanto,
ficou próxima de 3%.
9. (VUNESP/2014 – nível médio) O pronome eles tem como referente
a) candidatos convencionais e cotistas.
b) beneficiados.
c) dados do Sistema de Seleção Unificada.
d) dados do Sistema de Seleção Unificada e pontos.
e) pontos.
10. (VUNESP/2014 – nível médio) Se o eu lírico se dirigisse à mulher amada
como Você, o verso – Não te rias de mim, meu anjo lindo! – assumiria, em norma-
-padrão da língua portuguesa, a seguinte redação:
a) Não se rie de mim, meu anjo lindo!
b) Não se ri de mim, meu anjo lindo!
c) Não te ria de mim, meu anjo lindo!
d) Não se ria de mim, meu anjo lindo!
e) Não te ri de mim, meu anjo lindo!

MÓDULO 05 - PARTE 5 - VERBO


1. (VUNESP/2017 – nível superior) Considere os trechos selecionados do texto.
• Não foi fácil: entrei no auditório, e estavam ali talvez umas 300 pessoas para
escutar… (2º parágrafo)
• Existiram bons legados e maus legados. (3º parágrafo)
• Os portugueses deixaram o Brasil há quase 200 anos… (último parágrafo)
De acordo com a norma-padrão da língua portuguesa, as formas verbais destacadas
podem ser substituídas, correta e respectivamente, por:
a) reunia-se; Houve; faz.
b) reunia-se; Houveram; fazem.
c) reuniam-se; Houve; faz.
d) reuniam-se; Houveram; fazem.
e) reuniam-se; Houveram; faz.

2. (VUNESP/2015 – nível médio) A forma verbal destacada em – Havia uma mesa e


todos nos sentávamos, juntos, para celebrar mais um dia em que nada nos faltara.
– está corretamente substituída, sem que se alterem o tempo ou o modo verbais,
por:
a) ter faltado. d) tinha faltado.
b) tiver faltado. e) terá faltado.
c) tenha faltado.

20 Português • PP
Prof. Pimentel

Texto para a próxima questão.


“...A gripe pode derrubar a pessoa por alguns dias, requer repouso, boa hidratação
e, com a orientação profissional, uso de analgésicos e antitérmicos.”
(Lucas Vettorazzo. “Resfriado é principal motivo para falta no
trabalho ou estudos, aponta IBGE”. www.folha.uol.com.br, 02.06.2015. Adaptado)

3. (VUNESP/2015 – nível médio) A forma verbal requer, destacada no terceiro


parágrafo, está corretamente substituída, sem alteração da mensagem, por:
a) restitui. d) exige.
b) prescinde. e) previne.
c) delata.

Leia a tirinha a seguir.

4. (VUNESP/2014 – nível médio) Assinale a alternativa cuja forma verbal completa


corretamente, conforme a norma-padrão da língua portuguesa, a lacuna na fala do
primeiro quadrinho.
a) poder d) possa
b) pôde e) pudesse
c) poderá

5. (VUNESP/2014 – nível médio) O uso da primeira pessoa do plural revela um


esforço do autor para estabelecer um grau de proximidade mais elevado com o
leitor, o que se observa na expressão destacada em:
a) Acabei caindo em uma suposta reportagem sobre uma grife de roupas
femininas chamada Wildfang. (4º parágrafo)
b) Entro em um site sério de notícias e está lá um anúncio divulgando a última
coleção da marca. (2º parágrafo)
c) Minha triste saga começou no Twitter, mais especificamente na conta da seção
de estilo do site BuzzFeed. (4º parágrafo)
d) Vamos voltar algumas semanas no tempo. (3º parágrafo)
e) Sou um senhor de meia-idade, grisalho, que se veste com roupas masculinas.
(1º parágrafo)
6. (VUNESP/2014 – nível médio) O trecho destacado em – Segundo a pesquisa,
os jovens desempenham papel preponderante na atividade econômica e na
organização social das favelas. – pode ser corretamente substituído, de acordo com
a norma-padrão da língua portuguesa, sem alterar o restante da estrutura do texto
e preservando a informação original, por
a) dedicam hegemonicamente.
b) têm participação determinante.
c) predispõem de modo recorrente.
d) aspiram predominantemente.
e) promovem-se com efetividade.

21 Português • PP
Prof. Pimentel

7. (VUNESP/2014 – nível médio) Assinale a alternativa que completa, correta e Anotações


respectivamente, as lacunas, de acordo com a norma-padrão escrita da língua
portuguesa.
__________melhorias nos indicadores socioeconômicos, o que _________ na
percepção que os moradores de favelas têm do lugar que__________.
a) Houve … repercutiram … habitam
b) Houveram … repercutiram … habitam
c) Houve … repercutiram … habita
d) Houveram … repercutiu … habita
e) Houve … repercutiu … habitam

8. (VUNESP/2014 – nível médio) Assinale a alternativa em que o termo destacado


apresenta sentido e função equivalentes aos do termo destacado na frase: O
movimento de veículos nas ruas de São Paulo não para nunca, nem mesmo de
madrugada.
a) É curioso como, pouco a pouco, vai se tornando invasivo simplesmente
telefonar para alguém.
b) Falam de preservação da privacidade, citam até a gentileza, cercam-se de boas
intenções para esconder o maior aliado do boom da comunicação virtual: a
covardia.
c) Dia após dia, nossos dedos ganham destreza e coragem nos teclados enquanto
nossa língua gagueja preguiçosa num simples telefonema para a peixaria.
d) E nós mandamos a lista, abandonando para sempre a possibilidade de ganhar
de brinde a receita de moqueca da mãe dele.
e) Mas a preguiça verbal não para por aí.

9. (VUNESP/2014 – nível médio) Na frase – Não me deixem esquecer! –, a


forma verbal destacada está no modo imperativo, expressando um pedido, uma
recomendação. Também está no modo imperativo a forma verbal destacada em:
a) Este medicamento não está indicado a mulheres durante a gravidez e lactação.
b) Até o momento, não constatamos reações adversas em pacientes diabéticos.
c) Apesar de não serem comuns, podem ocorrer casos de asma, rinite e urticária.
d) Não desaparecendo os sintomas, é importante buscar orientação médica.
e) Não interrompa o tratamento sem o conhecimento de seu médico.

10. (VUNESP/2011 – nível médio) Assinale a alternativa correta de acordo com a


norma padrão
a) Naquela noite, os policiais atenderam a menas ocorrências.
b) O tenente está sempre mal-humorado, mais hoje foi simpático com os soldados.
c) Porque o soldado não se apresentou uniformizado?
d) Por trás deste muro, está o campo de treinamento do batalhão.
e) O soldado havia chego pontualmente ao quartel.

22 Português • PP
Prof. Pimentel

MÓDULO 06 - PARTES 1 E 2 - CONCORDÂNCIA VERBAL E NOMINAL

1. (VUNESP/2017 – nível médio) A concordância está de acordo com a norma-


padrão da língua na frase:
a) Muito antes de haver história, já existia seres humanos.
b) Animais bastante similares aos humanos modernos podiam ser encontrado
por volta de 2,5 milhões de anos atrás.
c) Na África Oriental de 2 milhões de anos atrás, certas características humanas
familiares poderiam ser muito bem observadas.
d) Esses humanos arcaicos competiam por status e poder, assim como ocorriam
com os chimpanzés, os babuínos e os elefantes.
e) Eles próprios não havia de suspeitar que seus descendentes um dia viajariam
à Lua.

2. (VUNESP/2017 – nível médio) Assinale a alternativa que preenche,


respectivamente, as lacunas da frase, conforme a norma-padrão da língua.
_______________ anos, estudiosos________ acerca da contribuição que o
conhecimento dos buracos negros pode trazer_____________ nossas vidas.
a) Há ... têm questionado-se ... a
b) Há ... têm se questionado ... a
c) Há ... têm se questionado ... à
d) A ... têm questionado-se ... a
e) A ... têm se questionado ... à

3. (VUNESP/2017 – nível superior) Leia a frase reescrita a partir das ideias do texto.
_________________em promover a igualdade de gênero e etnias, os episódios de
“Jornada nas Estrelas” retratavam o empenho e a coragem _________________ da
tripulação que, conjuntamente, agia para superar todas as adversidades.
De acordo com a norma-padrão da língua portuguesa, as lacunas da frase devem
ser preenchidas, correta e respectivamente, por:
a) Interessada … contínuas
b) Interessada … contínuos
c) Interessado … contínuos
d) Interessados … contínuos
e) Interessados … contínuas

23 Português • PP
Prof. Pimentel

Anotações

4. (VUNESP/2015 – nível médio) A concordância nominal está em conformidade


com a norma-padrão da língua portuguesa em:
a) Há alguns anos, havia muitos motorista desatento à necessidade do uso do
cinto de segurança.
b) Hoje, os brinquedos de crianças parecem mais arredondados, mas não há
como evitar os arranhões característico da infância.
c) Mesmo tudo parecendo meio permitido, o respeito ao próximo e o amor à
família eram indispensável às relações humanas.
d) Bloqueada pela força do tecido, segundo conta o narrador, a pequena bala não
chegou nem a esfolar o irmão.
e) Na década de 1980, época da infância do narrador, as espingardas de pressão
eram popular entre os garotos.

5. (VUNESP/2014 – nível médio) A forma verbal em destaque em cada alternativa


está empregada corretamente, no que se refere à concordância padrão da língua
portuguesa, em:
a) Coriza, cabeça pesada e irritação na garganta faz parte do quadro de sintomas
do resfriado.
b) Entre as causas das ausências no trabalho, está o mal-estar característico de
gripes e resfriados.
c) Dados de pesquisa divulgada pelo IBGE revela os principais motivos de faltas
ao trabalho.
d) Em alguns casos de resfriado, ocorre febres isoladas, mais brandas que em
estados gripais.
e) Geralmente, as pessoas com gripe utiliza medicamentos sem a devida
orientação profissional.
6. (VUNESP/2014 – nível médio) Considerando a concordância verbal e nominal da
norma-padrão da língua portuguesa, assinale a alternativa que apresenta o trecho a
seguir corretamente reescrito. … observou-se a presença de cartazes de uma marca
de cigarros… (3º parágrafo)
a) … foram observadas a presença de cartazes de uma marca de cigarros…
b) … foram observado a presença de cartazes de uma marca de cigarros…
c) … foi observado a presença de cartazes de uma marca de cigarros…
d) … foram observada a presença de cartazes de uma marca de cigarros…
e) … foi observada a presença de cartazes de uma marca de cigarros…

24 Português • PP
Prof. Pimentel

7. (VUNESP/2014 – nível médio) Considerando as regras de concordância, assinale a


alternativa em que a forma verbal em destaque está empregada em conformidade
com a norma-padrão da língua portuguesa.
a) Está se tornando frequentes os anúncios indesejados.
b) Deve existir muitas formas de se tornar uma vítima da moda.
c) Pode haver maneiras de solucionar o problema do autor.
d) Tende a ocorrer muitos casos semelhantes ao do autor.
e) Anda surgindo muitas matérias com conteúdo patrocinado.

8. (VUNESP/2014 – nível médio) Assinale a alternativa em que a concordância está


em conformidade com a norma-padrão da língua portuguesa.
a) As mensagens de texto tornaram-se frequente em nossas vidas.
b) Ao ser surpreendido por um telefonema, a pessoa pode sentir-se invadida.
c) Não reclamei na hora, mas minha reclamação será enviada por escrito.
d) O peixeiro prefere que os pedidos lhe sejam enviado por e-mail.
e) Dia após dia, nossos dedos tornam-se demasiadamente destro nos teclados.

9. (VUNESP/2013 – nível médio) Assinale a alternativa em que a concordância está


em conformidade com a norma-padrão da língua.
a) Já é utilizado, em Los Angeles, algoritmos sofisticados para prever futuros delitos.
b) Com o auxílio do PredPol, são calculados a distribuição e a frequência dos crimes.
c) Em seguida, as áreas ameaçadas são as que recebe um policiamento mais intenso.
d) Os policiais são informados sobre os locais onde os crimes são mais frequente.
e) Estão sendo reimaginadas, na era das montanhas de dados, todas as atividades.

10. (VUNESP/2012 – nível médio) A concordância nominal está de acordo com a


norma-padrão da língua portuguesa em:
a) A aventura do Titanic foi interrompida por um iceberg.
b) Incidentes e acidentes devem ser previsto em qualquer viagem.
c) As tecnologias da comunicação precisam ser compartilhada.
d) A arrogância fez com que os alertas de gelo no mar fossem ignorado.
e) Que as vítimas do Titanic não sejam esquecido.

MÓDULO 07 - PARTES 1 E 2 - REGÊNCIA VERBAL E NOMINAL

1. (VUNESP/2017 – nível médio) Uma frase escrita em conformidade com a norma-


-padrão da língua é:
a) O pai alegou em que tinha sobrevivido dois anos com sua própria comida.
b) O pai tentou persuadir o filho de que era capaz de cozinhar.
c) O pai não conseguiu convencer o filho que estava apto com cozinhar.
d) O pai acabou revelando de que não estava preparado de cozinhar.
e) O pai aludiu da época que tinha sobrevivido com sua própria comida.

25 Português • PP
Prof. Pimentel

Leia a tira para responder à questão 2. Anotações

2. (VUNESP/2015 – nível médio) Uma frase condizente com a fala da personagem,


e correta quanto à regência verbal padrão, está em:
a) O taxista atribui a causa do engarrafamento à chuva.
b) O taxista lamenta à chuva sobre o engarrafamento.
c) O taxista põe sob a chuva a culpa do engarrafamento.
d) O taxista relaciona ao congestionamento a um reflexo da chuva.
e) O taxista alega de que o engarrafamento resulta na chuva.

3. (VUNESP/2015 – nível médio) Considerando a regência do termo impacto,


assinale a alternativa que preenche, correta e respectivamente, as lacunas da frase
seguinte, de acordo com a norma-padrão da língua portuguesa, e mantendo a
correspondência da frase com o texto.
O impacto___________ bala_________ bermuda jeans foi insuficiente para
machucar o garoto.
a) com a ... à
b) da ... sobre a
c) na ... pela
d) com a ... sob a
e) pela ... sob a
4. (VUNESP/2014 – nível médio) Considerando a regência do verbo pensar, a
expressão destacada em – Quero pensar na minha vida… – pode ser corretamente
substituída, preservando-se o sentido do texto original e de acordo com a norma-
padrão da língua portuguesa, por:
a) pensar à.
b) pensar pela.
c) pensar sob a.
d) pensar sobre a.
e) pensar perante a.

26 Português • PP
Prof. Pimentel

5. (VUNESP/2013 – nível médio) Assinale a alternativa que completa, correta e


respectivamente, as lacunas da frase, de acordo com a norma-padrão da língua.
Os pescadores quiseram persuadir o suposto guarda_____ liberar o Chevrolet,
assegurando-lhe ________ iriam a sessenta quilômetros por hora.
a) em … de que
b) a … que
c) de … a que
d) por … de que
e) para … em que

6. (VUNESP/2012 – nível médio) Considerando as regras de regência do verbo


capacitar, o termo destacado em — Aprender com os equívocos do passado nos
capacita a um futuro sempre melhor. (último parágrafo) — pode ser substituído,
sem alteração do sentido da frase, por:
a) em b) sob c) com d) entre e) para

7. (VUNESP/2012 – nível médio) Na frase — Sou fã da informática. — a expressão


em destaque pode ser corretamente substituída, no que se refere à regência
nominal, por:
a) favorável com a d) favorável à
b) favorável pela e) favorável na
c) favorável da

8. (VUNESP/2011 – nível médio) Assinale alternativa que completa, corretamente,


a frase a seguir.
O padre Carrara descontará os cheques-caução das noivas que se atrasarem e,
assim, terá uma verba ______ poderá cobrir vários gastos da paróquia.
a) pela qual d) para a qual
b) com a qual e) sobre a qual
c) na qual

9. (VUNESP/2010 – nível médio) Assinale a alternativa correta quanto à regência


verbal.
a) ... em seis anos a lista reportava em 2514 pontos de contaminação.
b) ... em seis anos a lista pulava à 2514 pontos de contaminação.
c) ... em seis anos a lista apontava de 2514 pontos de contaminação.
d) ... em seis anos a lista chegava a 2 514 pontos de contaminação.
e) ... em seis anos a lista batia por 2514 pontos de contaminação.

10. (VUNESP/2014 – nível médio) Assinale a alternativa que preenche as lacunas,


correta e respectivamente, considerando a norma culta da língua portuguesa.Os
projetos beneficentes, _____ ele tanto lutou, ______ muita gente a sair de situações
difíceis.
a) em que … ajudaram
b) de que … ajudou
c) a que … ajudaram
d) pelos quais … ajudaram
e) aos quais … ajudou

27 Português • PP
Prof. Pimentel

Anotações
MÓDULO 08 - COLOCAÇÃO PRONOMINAL

1. (VUNESP/2017 – nível superior) Observe as expressões destacadas nas frases


reescritas do texto.
• Ambientada no século 23, a série sempre retratava as aventuras dos tripulantes
da Enterprise, e a missão era explorar o espaço enfrentando o desconhecido.
• Trinta anos depois, a Motorola lançou o StarTAC, que popularizou o uso da
telefonia móvel.
Assinale a alternativa em que os pronomes substituem, corretamente, as expressões
destacadas e estão colocados adequadamente nas frases de acordo com a norma-
padrão da língua portuguesa.
a) … sempre retratava-as… / … era explorá-lo… / … que lhe popularizou…
b) … sempre retratava-as… / … era o explorar… / … que o popularizou…
c) … sempre lhes retratava… / … era explorá-lo… / … que popularizou-lhe…
d) … sempre as retratava… / … era o explorar… / … que popularizou-o…
e) … sempre as retratava… / … era explorá-lo… / … que o popularizou…

Leia o texto para responder à questão 2.


A melhor forma de se evitar a dengue é combater os focos de acúmulo de água,
locais propícios para a criação do mosquito transmissor da doença. Para isso, é
importante não acumular água em latas, pneus velhos, vasos de plantas, caixas
d´água, entre outros. Lembre-se: a prevenção é a única arma contra a doença.
(www.dengue.org.br. Adaptado)
2. (VUNESP/2015 – nível médio) Atendendo à norma-padrão, assinale a alternativa
que completa corretamente a frase quanto à colocação do pronome destacado.
A dengue pode ser evitada...
a) … sempre certificando-se de não haver acúmulo de água.
b) … eliminando-se o acúmulo de água.
c) ... quando exclui-se o acúmulo de água.
d) ... não acumulando-se água.
e) ... tendo conscientizado-se acerca dos riscos do acúmulo de água.

3. (VUNESP/2014 – nível médio) Assinale a alternativa em que a colocação


do pronome destacado está em conformidade com a norma-padrão da língua
portuguesa.
a) O autor disse que iniciou-se no Twitter sua triste saga.
b) O autor nunca viu-se em uma situação parecida.
c) O autor tinha disposto-se a conhecer o estilo de Kristen Stewart.
d) O autor referiu-se a um site chamado BuzzFeed.
e) O autor não conforma-se com o ocorrido.

4. (VUNESP/2012 – nível médio) A colocação pronominal está de acordo com a


norma-padrão da língua portuguesa em:
a) Ainda espera-se que o homem tenha controle sobre as máquinas.
b) Os explosivos atômicos são perigos que impõem-se à humanidade.
c) Já não imagina-se um futuro sem a presença das máquinas.
d) Ninguém considera-se ameaçado por seu próprio computador.
e) O doutor inglês especializou-se no estudo de energias renováveis.

28 Português • PP
Prof. Pimentel

5. (VUNESP/2011 – nível médio) Assinale a alternativa em que a colocação


pronominal atende à norma-padrão.
a) Me apaixonei por você, mas achei que não queria nada comigo.
b) O uso do achismo é algo que me irrita.
c) Não conformo-me com a atitude de alguns indivíduos.
d) Ninguém avisou-me que não haveria jantar.
e) A mulher tinha sentido-se decepcionada com a revelação.

6. (VUNESP/2010 – nível médio) ________ , em 2006, alta concentração de gás


metano, com risco de explosão. Por isso, em 2007, não __________ mais a escola,
______________ os alunos.
Tendo como referência a colocação pronominal, os espaços da frase devem ser
preenchidos, correta e respectivamente, com
a) Constatou-se ... abriria-se ... transferindo-se
b) Se constatou ... abriria-se ... se transferindo
c) Constatou-se ... abrir-se-ia ... transferindo-se
d) Se constatou ... se abriria ... se transferindo
e) Constatou-se ... se abriria ... transferindo-se

7. (VUNESP/2014 – nível médio) Assinale a alternativa correta quanto à colocação


pronominal, de acordo com a norma-padrão da língua portuguesa.
a) Se criou na China, com o acordo de transição, a fórmula “um país, dois sistemas”.
b) Por um período de 50 anos, manteriam-se o arcabouço democrático e a livre-
iniciativa.
c) O governo chinês recentemente se arrogou o direito de aprovação prévia dos
candidatos.
d) Os chineses têm questinado-se se o país pretende intervir e ampliar seu
controle sobre Hong Kong.
e) Não respeitaram-se os princípios que presidiram a passagem de Hong Kong à
China.

8. (VUNESP/2014 – nível médio) Assinale a alternativa correta quanto ao emprego


e à colocação do pronome, conforme a norma-padrão da língua portuguesa.
a) Os sem-teto depredaram oito condomínios, por isso foi necessário que
reformassem-lhes.
b) Os sem-teto depredaram oito condomínios, por isso foi necessário que
reformassem eles.
c) Os sem-teto depredaram oito condomínios, por isso foi necessário que lhes
reformassem.
d) Os sem-teto depredaram oito condomínios, por isso foi necessário que
reformassem-nos.
e) Os sem-teto depredaram oito condomínios, por isso foi necessário que os
reformassem.

9. (VUNESP/2014 – nível médio) Assinale a alternativa em que a colocação


pronominal está de acordo com a norma-padrão da língua portuguesa.
a) As situações desconfortáveis em que nos colocam os horácios demandam
respostas assertivas.
b) Exigir a participação dos mãos-curtas tem ajudado-nos a evitar sobrecarga de
trabalho.

29 Português • PP
Prof. Pimentel

c) Nos ensinaram que é imprescindível saber dizer não aos colegas que agem Anotações
como braços-curtos.
d) Segundo a autora, ameaças e práticas autoritárias conduziriam-nos a resultados
negativos.
e) Ter segurança para expressar os próprios pensamentos frequentemente
facilita-nos a convivência.

10. (VUNESP/2014 – nível médio) Considerando apenas as regras de regência e de


colocação pronominal da norma-padrão da língua portuguesa, a expressão destacada
em – Ainda assim, 60% afirmam que raramente ou nunca têm informações sobre
o impacto ambiental do produto ou do comportamento da empresa. – pode ser
corretamente substituída por:
a) ...nunca informam-se sob o impacto...
b) ...nunca se informam o impacto...
c) ...nunca informam-se ao impacto...
d) ...nunca se informam do impacto...
e) ...nunca informam-se no impacto...

MÓDULO 09 - SINAL INDICATIVO DE CRASE

1. (VUNESP/2017 – nível superior) Assinale a alternativa que completa


corretamente a seguinte frase:
O leitor tem direito
a) à restrições com relação ao ponto de vista exposto pelo autor.
b) à defesa da ideia de que outros colonizadores seriam preferíveis aos
portugueses.
c) à acreditar que o Brasil deveria ter sido colonizado por outros povos.
d) à uma opinião diversa da veiculada por esse texto jornalístico.
e) a argumentos que tornem discutível o parecer do autor.

2. (VUNESP/2017 – nível superior) Assinale a alternativa que preenche,


respectivamente, as lacunas da frase, conforme a norma-padrão da língua.
_______________. anos, estudiosos________ acerca da contribuição que o
conhecimento dos buracos negros pode trazer_____________ nossas vidas.

a) Há ... têm questionado-se ... a


b) Há ... têm se questionado ... a
c) Há ... têm se questionado ... à
d) A ... têm questionado-se ... a
e) A ... têm se questionado ... à

3. (VUNESP/2017 – nível médio) Leia a frase a seguir:


O garoto aconselhou _________ irmã __________ levar o lanche __________
escola numa lancheira.
Assinale a alternativa que preenche, correta e respectivamente, as lacunas da frase.
a) a … à … a d) à … à … a
b) a … à … à e) a … a … à
c) à … a … à

30 Português • PP
Prof. Pimentel

4. (VUNESP/2014 – nível médio) Assinale a alternativa em que o acento indicativo


de crase está empregado corretamente.
a) O texto faz referência à importância da eliminação dos focos de acúmulo de água.
b) O texto alerta para à necessidade de se eliminarem os focos de acúmulo de água.
c) O texto conclama seus possíveis leitores à eliminar os focos de acúmulo de água.
d) O texto remete à certa urgência em se eliminarem os focos de acúmulo de água.
e) O texto dá destaque à uma necessária eliminação dos focos de acúmulo de água.
5. (VUNESP/2014 – nível médio) Assinale a alternativa que completa corretamente
a frase a seguir, no que se refere ao emprego do acento indicativo de crase.
Garfield gostaria de voltar
a) à este café da manhã em que comera donuts.
b) à uma refeição matinal em que comera donuts.
c) à situação mais recente em que comera donuts.
d) à certo momento em que comera donuts.
e) à alguma ocasião em que comera donuts.
6. (VUNESP/2014 – nível médio ) Considerando as regras de uso do acento indicativo
de crase, a expressão que substitui corretamente a expressão destacada em – Todo
remédio que tomo pode causar problemas sérios aos pacientes. – é:
a) à estas pessoas. d) à alguém.
b) às pessoas. e) à elas.
c) à todas as pessoas.
7. (VUNESP/2013 – nível médio) Assinale a alternativa em que o acento indicativo
de crase está empregado corretamente.
a) O executivo passou à trabalhar mais depois que foi promovido.
b) A promoção não levou à um aumento significativo no salário.
c) Para melhorar sua renda, ele deverá dedicar-se à algumas horas-extras.
d) Seus esforços estão direcionados à quitação da dívida do MBA.
e) Ele espera chegar à qualquer posição de prestígio em alguns anos.

8. (VUNESP/2012 – nível médio) Assinale a alternativa em que o acento indicativo


de crase está empregado corretamente.
a) Houve um congresso dedicado à discussão da sustentabilidade.
b) Vários especialistas foram convidados à participar do evento.
c) A palestra do inglês foi tão interessante que agradou à todos.
d) Após a palestra, ele respondeu à uma série de perguntas.
e) Haverá um novo encontro para voltarmos à esse tema.
9. (VUNESP/2011 – nível médio) Assinale a alternativa que completa, correta e
respectivamente, as frases a seguir
O cronista disse ___ empregada que fosse mais atenta às suas obrigações.
Para ele, as pessoas estão sempre prontas ___ achar e não a saber.
É o caso do assistente que não pôs gasolina, pois achou que chegariam, sem
problemas, ___ cidade de destino.
a) à...a...à d) a...à...à
b) à...a...a e) a...a...a
c) à...à...à

31 Português • PP
Prof. Pimentel

Leia a tira. Anotações

10. (VUNESP/2010 – nível médio) Os espaços no primeiro quadrinho da tira devem


ser preenchidos, correta e respectivamente, com
a) à ... a d) a ... a
b) há ... há e) há ... à
c) à ... à

MÓDULO 10 - SINAIS DE PONTUAÇÃO

1. (VUNESP/2017 – nível médio) Acerca da pontuação, de acordo com a norma-


padrão da língua, está correto o que se afirma em:
a) o trecho – Animais bastante similares aos humanos modernos surgiram por
volta de 2,5 milhões de anos atrás. – permanecerá correto se uma vírgula for
acrescida após a palavra “humanos”.
b) o trecho – Em um passeio pela África Oriental de 2 milhões de anos atrás,
você poderia muito bem observar certas características humanas familiares...
– permanecerá correto após a substituição da vírgula por ponto final.
c) a mensagem do trecho – ... mães ansiosas acariciando seus bebês e bandos de
crianças despreocupadas brincando na lama... – permanecerá inalterada caso
seja acrescida uma vírgula após “ansiosas” e outra após “despreocupadas”.
d) o trecho – Ninguém, muito menos eles próprios, tinha qualquer suspeita de
que seus descendentes um dia viajariam à Lua... – permanecerá correto caso
as vírgulas sejam substituídas por travessões.
e) a mensagem do trecho – A coisa mais importante a saber acerca dos humanos
pré-históricos é que eles eram animais insignificantes... – permanecerá
inalterada se a expressão “a saber” ficar entre parênteses.

2. (VUNESP/2015 – nível médio) Assinale a alternativa em que a frase – O Ministério


da Saúde promove anualmente uma campanha de vacinação contra a gripe no país.
– permanece correta após receber nova pontuação.
a) O Ministério da Saúde promove anualmente, uma campanha. De vacinação
contra a gripe no país.
b) O Ministério da Saúde promove, anualmente, uma campanha de vacinação
contra a gripe no país.
c) O Ministério da Saúde promove, anualmente uma campanha de vacinação,
contra a gripe no país.
d) O Ministério da Saúde, promove anualmente uma campanha de vacinação.
Contra a gripe no país.
e) O Ministério da Saúde, promove anualmente, uma campanha de vacinação
contra a gripe no país.

32 Português • PP
Prof. Pimentel

3. (VUNESP/2014 – nível médio) “Qualquer forma de propaganda de produtos


do tabaco é irregular”, informa, em nota, a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância
Sanitária). No contexto, as aspas destacam a
a) sugestão dos autores para o tratamento mais justo da propaganda de produtos
do tabaco.
b) exposição de uma dúvida quanto à regularidade da propaganda de produtos
do tabaco.
c) opinião dos autores, que discordam da Anvisa quanto à propaganda de
produtos do tabaco.
d) citação de um trecho da nota da Anvisa a respeito da propaganda de produtos
do tabaco.
e) revolta dos autores diante do descaso da Anvisa com a propaganda de produtos
do tabaco.

4. (VUNESP/2014 – nível médio) A frase do texto que permanece correta após o


acréscimo das vírgulas está em:
a) Quando meu médico me receita, um remédio e, eu começo a ler a bula, fico
logo aflito.
b) Aqui na bula diz, que não posso, dirigir trator nem andar a cavalo!
c) Estou salvo porque não existe a menor possibilidade de, em São Paulo, eu
dirigir um trator nem subir num manga-larga.
d) Todo remédio, que tomo pode causar, problemas sérios aos pacientes.
e) O único alívio que sinto, é quando vejo na bula que, ingerindo tal remédio eu
não posso dirigir trator, nem andar a cavalo.

5. (VUNESP/2013 – nível médio) Assinale a alternativa em que a passagem do


texto está reescrita corretamente, no que se refere à pontuação.
a) A polícia mesmo na ausência desse tipo de denúncia, continua a desenvolver
métodos de descobrir, quando algo de estranho, acontece em um bairro.
(sexto parágrafo)
b) Também usuária do PredPol, a cidade de Santa Cruz viu queda de 30% no
número de furtos. (quarto parágrafo)
c) Assim, sua presença no lugar certo e na hora certa, pode exercer efeito
dissuasório mesmo que, os policiais em patrulha, não apanhem o bandido em
flagrante. (terceiro parágrafo)
d) Por fim, informa aos policiais sobre as probabilidades de local e horário de
crimes, o que permite que eles policiem, as áreas sob ameaça, de maneira
mais intensa. (segundo parágrafo)
e) Houve, em Los Angeles um declínio, de 13% na criminalidade. (quarto parágrafo)

6. (VUNESP/2012 – nível médio) Assinale a alternativa correta quanto à pontuação.


a) O naufrágio do Titanic deixou, tristes memórias a todos nós.
b) A sabedoria de aprender, com os erros do passado conforta-nos.
c) Sempre decisiva e estratégica, a comunicação é o objeto da terceira lição.
d) Mesmo com grande experiência a humildade, é sempre boa conselheira.
e) Todos os interlocutores, devem compartilhar, os meios de comunicação.

7. (VUNESP/2012 – nível médio) Assinale a frase cuja pontuação está correta.


a) O evento que ocorreu em Porto Alegre em 22 de março de 2011, foi exatamente
organizado.
b) Amanhã se lembre de que, há contas a pagar.

33 Português • PP
Prof. Pimentel

c) As chuvas, que causaram vários transtornos à cidade, diminuirão em abril. Anotações


d) Se ele vier aqui e procurar por mim diga-lhe, que o encontrarei às 18 horas.
e) Ontem Sr. Ricardo, recebemos a visita, de um importante cliente aqui na empresa.
8. (VUNESP/2010 – nível médio) Assinale a alternativa correta quanto à pontuação.
a) A escola construída sobre um lixão desativado e o deslizamento do morro do
Bumba, representam só a ponta do iceberg.
b) 781 dessas áreas, encontram-se na capital do Estado.
c) Só no século 21 é que, a remediação do problema, começou a valer.
d) Nos lixões desprovidos de limites precisos, depositavam-se, a céu aberto,
resíduos tóxicos de origem industrial e doméstica.
e) Em São Paulo, a lista de terrenos contaminados, saltou, indo de 255 para 2514
pontos de contaminação.

9. (VUNESP/2014 – nível médio) Assinale a alternativa correta quanto à pontuação.


a) Alguns grupos de sem-teto, decidem se apossar de habitações construídas
com recursos públicos.
b) Quando a polícia comandou uma ação de reintegração de posse, os sem-teto
responderam com depredação.
c) A situação de quem hoje vive em condições precárias, agrava-se, com a invasão
das habitações.
d) 1.427 famílias de baixa renda, na cidade de São Paulo continuam à espera de
moradias do programa federal.
e) Em São Paulo, os sem-teto invadiram, empreendimentos populares inacabados,
prejudicando a população.

Leia a tira para responder à questão.

10. (VUNESP/2014 – nível médio) Conforme os sentidos da história, assinale a


alternativa correta quanto à pontuação.
a) Liz, eu só preciso de duas coisas? O amor de uma boa mulher e uma gaveta de
meias bem arrumadinha?
b) Liz eu só preciso de duas coisas. O amor de uma boa mulher e uma gaveta de
meias bem arrumadinha.
c) Liz eu só preciso de duas coisas – o amor de uma boa mulher e uma gaveta de
meias bem arrumadinha.
d) Liz, eu só preciso de duas coisas o amor de uma boa mulher, e uma gaveta de
meias bem arrumadinha?
e) Liz, eu só preciso de duas coisas: o amor de uma boa mulher e uma gaveta de
meias bem arrumadinha.

34 Português • PP
Prof. Pimentel

GABARITO

35 Português • PP