Вы находитесь на странице: 1из 16

UnB/CESPE - 2009

(Prof. Deivid Xavier)

UnB/CESPE – ANATEL/MÉDIO ficarem em atitude passiva, deixando as decisões para


outros, um pequeno grupo, mais atuante ou mais audacioso,
Até meados do século XX, prevalecia, entre os 10 acabará dominando, sem resistência e limitações. O
antropólogos, a ideia de que a família nuclear era uma 11 direito e o dever da participação política são duas faces
instituição apenas cultural. Hoje se acredita que a família da mesma realidade: a natureza associativa do ser humano.
nuclear tenha-se estabelecido por trazer vantagens Tendo necessidade de viver com os semelhantes, cada
5 evolutivas.Várias hipóteses apontam nesse sentido. A indivíduo deve ter assegurado o seu direito de influir no
relação estável também ganhou espaço porque, entre estabelecimento das regras de convivência.
humanos, criar um filho não é fácil. O bebê exige cuidados
Dalmo de Abreu Dallari. O que é participação política, p. 33-8 (com
especiais por mais tempo que outros primatas. Sob a ótica adaptações).
do pai, estar por perto, para arranjar comida, manter as
Com base na organização do texto acima, julgue os itens
10 onças afastadas e garantir a sobrevivência da prole,
subsequentes.
representava uma superioridade evolutiva. Estima-se que a
consolidação da família nuclear tenha deixado marcas até 8- A substituição de “Todos os indivíduos” (l.1) por Todo
mesmo na anatomia e na fisiologia humanas. indivíduo manteria a ideia de generalização e preservaria a
Veja, 10/12/2008 (com adaptações). coerência e a correção gramatical do período.
Julgue os seguintes itens, a respeito da organização das 9- As orações iniciadas pelas formas verbais “procurando”
ideias no texto acima. (l.2) e “deixando” (l.8) explicitam dois modos de participação
dos indivíduos na vida social.
1- A argumentação do texto organiza-se em torno da origem
da família nuclear, mostrando que razões culturais e 10- Respeitam-se as regras gramaticais e a organização das
objetivos de proteção à espécie a consolidaram. ideias no texto ao se usar o sinal de dois-pontos logo após as
expressões “em primeiro lugar” (l.4) e “em segundo lugar”
2- O pronome “se”, tanto em “se acredita” (l.3) como em (l.7).
“tenha-se estabelecido” (l.4), tem função de marcar a
indeterminação do sujeito da oração. 11- A inserção de que é imediatamente antes da palavra
“necessidade” (l.4) alteraria as relações sintáticas do período,
3- A expressão “nesse sentido” (l.5) retoma a ideia de que mas preservaria a coerência e a correção gramatical do texto.
“a família nuclear tenha-se estabelecido por trazer
vantagens evolutivas” (l.3-5). 12- O uso do modo subjuntivo em “receba” (l.6) ressalta a
ideia de possibilidade ou hipótese; por isso, sua substituição
4- Preservam-se a correção gramatical e a coerência por receberia mantém o texto correto.
argumentativa, além de se tornar o texto mais claro, ao se
inserir a palavra primata logo depois de “bebê” (l.7). 13- O uso do sinal de dois-pontos depois de “realidade” (l.12)
assinala o início da explicação de que essa “realidade” é a
5- O desenvolvimento da argumentação e as regras “natureza associativa do ser humano” (l.12).
gramaticais da língua portuguesa permitem que, na linha 8,
seja feita a seguinte alteração na ligação entre períodos 14- Preservam-se a correção gramatical e a coerência do texto
sintáticos: (...) outros primatas; assim, sob a ótica do pai ao se usar direito à influir em lugar de “direito de influir”
(...). (l.14).
6- Na linha 11, a forma verbal “representava” está
flexionada no singular para concordar com o sujeito a que Os homens, para sobreviver, devem produzir seus meios
se refere: “sobrevivência da prole”. de vida, com o que produzem indiretamente sua própria vida
7- Preservam-se a coerência textual e a correção gramatical material. Os homens são aquilo que produzem e como o
ao se retirar do texto a expressão “até mesmo” (l.12-13); produzem. Isto porque a satisfação das primeiras
mas, nesse caso, prejudica-se a argumentação, devido ao 5 necessidades, a própria ação de satisfazê-las e a conquista
enfraquecimento da ênfase nas conseqüências da dos instrumentos necessários para tanto conduzem a novas
consolidação da família nuclear. necessidades, cuja satisfação eles terão de buscar. A todo
modo de produção corresponde um modo de cooperação.
Segundo Marx, a soma das forças produtivas disponíveis ao
Todos os indivíduos têm o dever de participar da vida 10 homem condiciona o estado social; por isso, a história da
social, procurando exercer influência sobre as decisões de humanidade deve ser sempre estudada a partir da conexão
interesse comum. Esse dever tem, sobretudo, dois entre a história da produção e do intercâmbio. Os homens, ao
fundamentos: em primeiro lugar, a vida social, necessidade produzirem seus meios de vida, produzem a si mesmos, em
5 básica dos seres humanos, é uma constante troca de bens um infinito processo de autoconstrução.
e de serviços, não havendo uma só pessoa que não receba Vânia Noeli F. de Assunção. Karl Marx: teoria e práxis de um gênio das ciências sociais. Internet:
<filosofiacienciaevida.uol.com.br>.
alguma coisa de outras; em segundo lugar, se muitos

Sugestões, críticas, envio de questões para resolução em sala, envie email para deivid_xavier@yahoo.com.br Um abraço!!!
1
UnB/CESPE - 2009
(Prof. Deivid Xavier)

Com referência ao texto acima, julgue os seguintes itens. CECECECEC E C E C E C E E C C C

15- De acordo com as ideias do texto, produzir “vida


material” (l.2-3) significa produzir meios de vida visando à UnB/CESPE – ANATEL/SUPERIOR
sobrevivência.
O real não é constituído por coisas. Nossa experiência
16- Preservam-se a correção gramatical do texto e as relações direta e imediata da realidade leva-nos a imaginar que o real
entre os argumentos ao se inserir o sinal indicativo de crase é feito de coisas (sejam elas naturais ou humanas), isto é, de
em “a novas” (l.6), escrevendo-se à novas. objetos físicos, psíquicos, culturais oferecidos à nossa
17- No desenvolvimento textual, o pronome “eles” (l.7) 5 percepção e às nossas vivências. Assim, por exemplo,
retoma “instrumentos” (l.6). costumamos dizer que uma montanha é real porque é uma
coisa. No entanto, o simples fato de que uma coisa possua
18- Mantêm-se a coerência e a correção gramatical do texto um nome e de que a chamemos montanha indica que ela é,
ao se reescrever a oração “A todo (...) cooperação” (l.7-8) da pelo menos, uma coisa-para-nós, isto é, que possui um
seguinte maneira: Todo modo de produção corresponde a um 10 sentido em nossa experiência.
modo de cooperação.
Não se trata de supor que há, de um lado, a coisa
19- Na linha 10, a substituição do sinal de ponto-e-vírgula física ou material e, de outro, a coisa como ideia e
depois da palavra “social” pelo ponto final e o emprego da significação. Não há, de um lado, a coisa-em-si e de outro, a
letra inicial maiúscula na palavra “por” preservariam a coisa-para-nós, mas o entrelaçamento do físico-material e
coerência e a correção do texto. 15 da significação. A unidade de um ser é de seu sentido, o
20- Respeitam-se a coerência da argumentação e as regras que faz com que aquilo que chamamos coisa seja sempre
gramaticais ao se usar produzem-se em lugar de “produzem a um campo significativo.
si mesmos” (l.13). Marilena Chaui. O que é ideologia, p. 16-8 (com adaptações).

Julgue os itens de 1 a 10, a respeito da organização das


ideias no texto acima.
1- Tanto o emprego da preposição “por” (l.1) quanto, em lugar
desta o da preposição de atendem às regras gramaticais, mas a
preposição usada no texto realça a ideia de passividade na oração.
2- Preservam-se as relações de coerência e a correção gramatical
do texto ao se inserir a preposição de logo depois da forma verbal
“imaginar” (l.2), escrevendo-se: (...) imaginar de que o real (...).
3- Como, no primeiro parágrafo, os parênteses demarcam a
inserção de uma informação, a sua substituição por duplo
travessão preservaria a coerência e a correção do texto.
4- O sinal de crase em “oferecidos à nossa percepção e às nossas
vivências” (l.4-5) indica que “oferecidos” tem complemento
regido pela preposição a.
5- O desenvolvimento das ideias no texto mostra que o uso do
modo subjuntivo em “possua” (l.7) é obrigatório para que as regras
gramaticais sejam respeitadas; sua substituição pelo modo
indicativo, possui, provocaria incoerência textual e desrespeito às
regras gramaticais.
6- Na linha 7 , se, em lugar de “uma coisa possua”, fosse
empregado o plural correspondente, coisas possuam, a forma
verbal “indica” deveria, necessariamente, ser substituída pela
forma no plural: indicam.
7- Devido à organização da estrutura linguística em que ocorre a
forma verbal “há” (l.11), sua substituição por existe respeitaria as
regras gramaticais.
8- O texto desfaz a fronteira entre o que seja uma “coisa-em-
si”(l.13) e o que seja sua representação, argumentando a favor da
ideia de que é pela significação, pelo sentido experimentado, que
uma “coisa” é real.
GABARITO: 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20

Sugestões, críticas, envio de questões para resolução em sala, envie email para deivid_xavier@yahoo.com.br Um abraço!!!
2
UnB/CESPE - 2009
(Prof. Deivid Xavier)

9- De acordo com o desenvolvimento das ideias do texto, seria 19- A substituição da conjunção “Destarte” (l.15) pela oração Assim
correto iniciar o último período sintático com o conectivo no sendo manteria o sentido conclusivo do parágrafo e a correção
entanto, fazendo-se o devido ajuste de inicial maiúscula. gramatical do texto.
10- Preservam-se a correção gramatical e a coerência textual ao se 20- Na organização das ideias do texto, se a “paz para todos os
retirar o trecho “com que” (l.16) da oração em que ocorre. indivíduos” (l.17) fosse uma certeza, o modo verbal de “possam”
(l.18) teria de ser substituído pelo modo indicativo: podem.
O poder político é produto de uma convenção, não da GABARITO : 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20
natureza, como postulava Aristóteles, e nasce juntamente com C E C C E E C CE E C C E E C E C E C E
a sociedade, quando os homens decidem abrir mão de toda a UnB/CESPE – AUGE/MG Cargo: Auditor Interno
sua liberdade natural, a fim de protegerem os seus direitos
5 naturais, consubstanciados na propriedade, na vida, na Texto para as questões de 1 a 3
liberdade e em outros bens. Mesmo antes do estado de Nas interrelações pessoais, é inconteste que cada um
sociedade, o homem não é um ente isolado, avesso ao contato dá sua própria versão dos fatos e da vida, segundo suas
com outras pessoas. De um lado, a sociedade conjugal tem o particulares experiências e com base na formação que tenha
escopo de possibilitar a perpetuação da espécie. De outro acumulado ao longo de sua existência. Cada indivíduo,
10 lado, a sociedade política visa à preservação da 5 assim, é um ser único, que vislumbra as ocorrências à sua
propriedade. volta e dá tratamento específico às informações e ao
A principal justificativa para a saída do homem do conhecimento que tenha condições de absorver.
estado pré-político de natureza para a formação da sociedade Da mesma forma, mesmo os registros históricos
e do poder político é a precariedade dos direitos naturais. oficiais, como se sabe há muito, são somente a versão dos
15 Destarte, a razão da organização da sociedade, da 10 que venceram e portanto, invariavelmente omitem ou
formação do poder político e da construção do Estado é a distorcem as razões, os motivos e as realizações dos que
conquista da segurança e da paz para todos os indivíduos, de foram vencidos.
modo que eles possam gozar os seus direitos naturais. Não menos temeroso é o conhecimento que se
Daniela Romanelli da Silva. Poder, constituição e voto. In: Filosofia, transmite por gerações por meio da arte. Partindo da
ciência&vida. Ano III, n.º 27, p. 40-1 (com adaptações). 15 premissa de que a arte imita a vida e, por consequência,
Com referência ao texto acima, julgue os itens que se seguem. reinventa a realidade, na medida em que a vida também
imita a arte, por certo que perpetuar visões e conceitos mal
11- Depreende-se da argumentação do texto que o “poder político” fundamentados (a despeito de eventuais boas intenções)
(l.1) tem, como função principal, proteger os direitos naturais, também representa que o artista acaba sendo, igualmente,
superando-lhes a precariedade e possibilitando que sejam usufruídos
20 um difusor de informações e ideias cuja confiabilidade é
com segurança.
relativa.
12- No texto, subentende-se a ideia de “produto” antes do termo “da
natureza” (l.1-2). Em suma, toda e qualquer avaliação da realidade passa,
necessariamente, pelas impressões pessoais de quem a
13- A partir da conjunção “como” (l.2), a argumentação do texto avalia.
estabelece comparação entre o poder político e outras formas de
Obed de Faria Junior. A verdade de cada um. Internet: <recantodasletras.uol.com.br> (com adaptações)
poder.
14- Na linha 3, a argumentação do texto mostra que “a sociedade” e 1- De acordo com a argumentação do texto, nas
“os homens” podem ser considerados, em significação conotativa, interrelações pessoais, cada indivíduo tem “sua própria
como sinônimos textuais; por isso, a troca de posição entre esses versão dos fatos” (l.2), porque
dois termos preservaria a coerência e a correção gramatical do texto.
A- avalia a realidade em consonância com a própria
15- Subentende-se das ideias do texto que, assim como a experiência de ser único.
propriedade, a “vida” (l.5) é um bem.
B- tenciona registrar um conhecimento confiável para as
16- Preservam-se a correção gramatical do texto e a coerência entre próximas gerações.
os argumentos ao se substituir “consubstanciados” (l.5) por que
consubstanciam. C- tem a ilusão de exercer sua posição de vencedor nos
17- A organização do texto permite a substituição da expressão “ao
fatos históricos.
contato” (L.7) por à convivência, sem prejuízo para a coerência D- visa perpetuar conceitos acumulados ao longo de sua
entre os argumentos e para a correção gramatical. existência.
18- Na linha 9, preserva-se a correção gramatical do texto ao se
E- objetiva imitar a arte ao reinventar a realidade.
substituir o ponto logo depois da palavra “espécie” pelo sinal de
dois-pontos, fazendo-se o necessário ajuste da letra inicial maiúscula
da preposição“De”.

Sugestões, críticas, envio de questões para resolução em sala, envie email para deivid_xavier@yahoo.com.br Um abraço!!!
3
UnB/CESPE - 2009
(Prof. Deivid Xavier)

2- Assinale a opção de reescrita que preserva as relações I- A espécie humana adota características históricas e
semânticas entre os elementos da seguinte oração do texto: culturais quando deixa de privilegiar o aspecto biológico.
“cuja confiabilidade é relativa” (l.20-21).
II- Os diversos sistemas simbólicos são constituídos na
A- de confiabilidade relativa relação entre o homem e o mundo.
B- para confiabilidade relativa III- A língua é o único sistema simbólico que permite a
construção de significados compartilhados.
C- em que confiabilidade relativa
IV- A cultura resulta da ação transformadora do homem sobre
D- no qual tem relativa confiabilidade
a natureza.
E- dos quais têm confiabilidade relativa
Estão certos apenas os itens
3- Assinale a opção que justifica corretamente o uso de
A- I e II. B- I e III. C- II e III. D- II e IV. E- III e IV.
estruturas linguísticas no texto.
5- Assinale a opção em que as duas expressões apresentadas
A- O emprego do modo subjuntivo em “tenha” (l.3) é
remetem ao mesmo referente no desenvolvimento do texto.
sintaticamente exigido pela oração subordinada iniciada pelo
pronome relativo “que” (l.1). A- “tipicamente humano” (l.2) e “cultural” (l.2)
B- O uso do sinal indicativo de crase em “à sua volta” (l.5) e B- “base do funcionamento psicológico tipicamente
“às informações” (l.6) indica que tais expressões são dois humano” (l.1-2) e “sistemas simbólicos” (l.6-7)
complementos do predicado iniciado pelo verbo vislumbrar.
C- “elementos mediadores na relação entre o homem e o
C- O uso da flexão de singular em “sabe” (l.9) deve-se à mundo” (l.2) e “instrumentos, signos e todos os elementos
impessoalidade do verbo haver, na mesma oração. do ambiente humano carregados de significado
cultural”(l.4-5)
D- Nas linhas 10 e 11, a flexão de plural em “omitem” e
“distorcem” deve-se à concordância desses verbos com o D- “significados compartilhados” (l.9) e “interpretações dos
sujeito da forma verbal “venceram”. objetos” (l.10)
E- A colocação do pronome átono antes do verbo, em “se E- “centralidade da mediação simbólica” (l.14-15) e
transmite” (l.13-14), é obrigatória devido à presença do “constituição do psiquismo humano” (l.15)
pronome relativo “que” no início da oração subordinada.

6- Preservam-se a correção gramatical e a coerência entre os


Texto para as questões de 4 a 7 argumentos caso se suprima o elemento sublinhado no
trecho
Para Vygotsky, a base do funcionamento psicológico
tipicamente humano é cultural, portanto, histórica. Os A- Os elementos mediadores na relação entre o homem e o
elementos mediadores na relação entre o homem e o mundo mundo” (l.2-3).
— instrumentos, signos e todos os elementos do ambiente
B- são construídos nas relações entre os homens (l.5-6).
5 humano carregados de significado cultural — são
construídos nas relações entre os homens. Os sistemas C- “exercem um papel fundamental na comunicação entre
simbólicos e, particularmente, a língua exercem um papel os sujeitos e no estabelecimento de significados (l.7-9).
fundamental na comunicação entre os sujeitos e no
D- “sistema de signos é crucial no desenvolvimento”(l.12)
estabelecimento de significados compartilhados que permitem
10 interpretações dos objetos, eventos e situações do mundo E “a centralidade da mediação simbólica na constituição do
real. O surgimento da atividade verbal e da língua como psiquismo humano” (l.14-15).
sistema de signos é crucial no desenvolvimento da espécie
humana, momento mesmo em que o biológico se transforma
no histórico e em que emerge a centralidade da mediação 7-Assinale a opção em que, considerando-se a organização
15 simbólica na constituição do psiquismo humano. É o e a coerência textual, as estruturas linguísticas se
trabalho que, pela ação transformadora do homem sobre a correspondem.
natureza, une homem e natureza e cria a cultura e a história
humanas. A- “são construídos nas relações entre os homens” (l.5-6)
– constroem-se nas relações entre os homens
Marta Kohl de Oliveira. História, consciência e educação. Coleção Memória da Pedagogia, n.º 2. 2005.
Viver mente&cérebro – especial Vygotsky, p. 9-10 (com adaptações).
B- “O surgimento da atividade verbal e da língua” (l.11)
4- A partir da leitura do texto, julgue as inferências – Ao surgirem a atividade verbal e a língua
apresentadas nos seguintes itens.

Sugestões, críticas, envio de questões para resolução em sala, envie email para deivid_xavier@yahoo.com.br Um abraço!!!
4
UnB/CESPE - 2009
(Prof. Deivid Xavier)

C-“o biológico se transforma no histórico” (l.13-14) A- Substituição do ponto depois de “mundo” (l.2) pelo sinal
– o biológico transforma o histórico de dois-pontos.
D-“em que emerge a centralidade” (l.14) – na qual emerge B- Substituição da vírgula depois de “Por exemplo” (l.3) pelo
a centralidade sinal de ponto-e-vírgula.
E- “pela ação transformadora do homem sobre a natureza” C- Substituição do duplo travessão que demarca a informação
(l.16-17) – o homem transforma pela ação sobre a iniciada por “desprovido” (l.4) pelos sinais de parênteses.
natureza
D- Substituição do sinal de dois-pontos depois de “diversa”
Texto para as questões de 8 a 10 (l.8) pelo sinal de ponto-e-vírgula.
A cultura é como uma lente através da qual o homem E- Substituição das vírgulas depois de “cultural” (R.10) e de
vê o mundo. Homens de culturas diferentes usam lentes “gerações” (l.10) por travessões.
diversas, portanto, têm visões desencontradas das coisas.
Por exemplo, a floresta amazônica não passa para o
5 antropólogo — desprovido de um razoável conhecimento GABARITO : 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10
de botânica — de um amontoado confuso de árvores e A A ED CC AD A B
arbustos dos mais variados tamanhos e com uma imensa
variedade de tonalidades verdes. A visão que um índio tupi
tem desse mesmo cenário é totalmente diversa: cada um UnB/CESPE – HEMOBRAS
10 desses vegetais tem um significado qualitativo e uma
referência espacial. A nossa herança cultural, desenvolvida O crescimento urbano não tem sido um processo
através de inúmeras gerações, sempre nos condicionou a harmonioso e gradual. Tem ocorrido em meio a muitas
reagir depreciativamente em relação ao comportamento contradições, a diferenças de interesses que configuram, às
daqueles que agem fora dos padrões aceitos pela maioria da vezes, um verdadeiro caos. O crescimento rápido e
comunidade. 5 desordenado das cidades faz que não sejam atendidas as
Roque de Barros Laraia, Cultura: um conceito antropológico, RJ: Jorge Zahar, 2003, p. 67
necessidades básicas das pessoas, nem mesmo aquelas
necessidades que se tornam mais sérias nas áreas urbanas,
como as de abastecimento de água e as de saneamento
8- Assinale a opção que apresenta a tese defendida pela ambiental. O grande e concentrado número de pessoas
argumentação do texto. 10 vivendo nas cidades cria diferentes tipos de problemas.
As pessoas são obrigadas a enfrentar longas esperas em filas
A- A floresta amazônica é plural. e a suportar o desconforto em ônibus e metrôs lotados. Por
B- O olhar nativo é mais exato e preciso que o olhar de um outro lado, vive-se grande desenvolvimento da produção e
estrangeiro. consumo de mercadorias. Os novos produtos, os novos
15 processos de produção e os novos estilos de vida trazem
C- Os padrões de comportamento fazem a cultura. conseqüências — boas ou más — para a saúde. As doenças
D- A cultura condiciona as maneiras de ver o mundo. encontradas na sociedade contemporânea representam,
assim, um quadro tão complexo quanto as próprias
E- A comunidade exclui comportamentos diferentes. características dessa sociedade. Constituem um espectro
20 diversificado de doenças infecciosas e crônico-
degenerativas, frequentes nos países desenvolvidos ou
9- No desenvolvimento do texto, provoca erro gramatical ou típicas do terceiro mundo.
incoerência textual Marilisa Berti A. Barros. Doenças na vida moderna. M. Kupstas (Org.). Saúde em debate. p. 135-6
(com adaptações).
A- a substituição de “o homem” (l.1) por os homens.
Com base na organização do texto acima, julgue os
B- a omissão de “com” (l.6). seguintes itens.
C- a inserção de que foi antes de “desenvolvida” (l.10). 1- Na linha 1, o tempo verbal empregado em “não tem sido”
D- a omissão de “em relação” (l.11). enfatiza a idéia processual, a continuidade, até o presente,
do “crescimento urbano”.
E- a substituição de “daqueles” (l.12) por dos.
2- Se o termo “diferenças de interesses” (l.3) estivesse
determinado pelo artigo, o a que o precede deveria ser
10- Desconsiderando possíveis ajustes nas letras maiúsculas e grafado como às.
minúsculas, assinale a alteração incorreta nos sinais de 3- Na linha 5, o emprego do modo subjuntivo em “sejam” é
pontuação do texto. exigido pela presença de “faz que” na estrutura sintática.

Sugestões, críticas, envio de questões para resolução em sala, envie email para deivid_xavier@yahoo.com.br Um abraço!!!
5
UnB/CESPE - 2009
(Prof. Deivid Xavier)

4- Seriam preservadas a coerência e a correção gramatical 14- O conectivo “não só (...) como também” (l.13-15)
do texto, colocando-se a ênfase em “pessoas” (l.9), se a adiciona duas idéias, que seriam igualmente adicionadas,
forma verbal “cria” (l.10) fosse flexionada no plural. mantendo-se preservadas a correção e a coerência textual,
com a seguinte reescrita: a medicina está muito mais
5- A retirada do verbo “enfrentar” (l.11) e do trecho “a
preparada para combater os problemas, e também tais eventos
suportar o” (l.12) preserva a coerência e a correção
foram importantíssimos.
gramatical do texto.
15- A expressão “tais eventos” (l.15) refere-se às “grandes
6- O desenvolvimento das idéias do texto mostra que a
epidemias que assolaram o mundo ao longo dos tempos” (l.2-
substituição de “vive-se” (l.13) por vivem provocaria
3); e a expressão “essas histórias” (l.9) refere-se ao “registro
incoerência na argumentação.
histórico” (l.2) dessas epidemias.
7- Na linha 16, a substituição dos travessões por parênteses
ou por duas vírgulas preservaria a coerência da
argumentação e respeitaria as regras gramaticais.
8- De acordo com o desenvolvimento das idéias do texto, é
correto subentender que o sujeito de “Constituem” (l.19) é
“As doenças encontradas na sociedade contemporânea”
(l.16-17).

A literatura foi também um importante instrumento de GABARITO: 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15


registro histórico das grandes epidemias que assolaram o CCCECECC E C E E E C C
mundo ao longo dos tempos. Em A Peste (1947), o francês UnB/CESPE – INPE
Albert Camus usa a doença para criar uma narrativa em que
5 os habitantes de Oran, na Argélia, descobrem a Para os gregos — e mais tarde para os pensadores
solidariedade e refletem sobre a condição humana enquanto medievais — a ciência era uma especulação teórica,
convivem com a ameaça da infecção na cidade isolada, o que desligada da prática. A postura de desprezo pela técnica se
também pode ser entendido como uma metáfora da guerra. devia ao fato de que, nessas civilizações, as atividades
Conhecer essas histórias ajuda a relativizar as ameaças da 5 manuais eram ofício de escravos ou de servos, o que
10 atualidade, como a gripe aviária. As epidemias sempre significava uma desvalorização delas. Decorre daí que a
existiram, mas a atual facilidade de comunicação encurtou as ciência, como “saber contemplativo” — isto é, como pura
distâncias e às vezes isso gera uma reação desproporcional teoria — se achava vinculada à reflexão filosófica. Filosofia
nas pessoas. É preciso lembrar que não só a medicina está é uma palavra de origem grega que significa “amor à
muito mais preparada para combater os problemas, como 10 sabedoria” e na Antiguidade representava um tipo de
15 também tais eventos foram importantíssimos para conhecimento superior e mais geral, alcançado pelo “sábio”,
impulsionar os avanços médicos. capaz de abranger o conhecimento da época, levando toda
Revista da Cultura. Encarte: Saúde ao pé da letra (com adaptações).
interrogação à busca das essências. Durante muitos séculos
— toda a Antiguidade e a Idade Média —, não se fez
Julgue os seguintes itens, a respeito do texto acima. 15 distinção entre filosofia e ciência.
9- A retirada da preposição “sobre” (l.6) preserva a correção Dessa forma, pode-se dizer que qualquer cientista, em
gramatical, bem como a coerência da argumentação do texto, certo momento de seu trabalho, pode parar para refletir
por manter o sentido do verbo. sobre questões propriamente filosóficas. O bom cientista, no
10- A flexão de masculino singular em “entendido” (l.8) sentido humano da palavra, deve ser aquele que também
deve-se à concordância com o termo “o que” (l.7), que retoma 20 indaga sobre os fins a que se destinam suas pesquisas.
a idéia de “ameaça da infecção na cidade isolada” (l.7). Samuel Murgel Branco. O saber científico e outros saberes. In: Márcia Kupstas (Org.). Ciência e
tecnologia em debate. São Paulo: Moderna, p. 23-5 (com adaptações).

11- O desenvolvimento das idéias do texto indica que a Com base no texto acima, julgue os itens subsequentes.
supressão do verbo “Conhecer” (l.9) preservaria a coerência
entre os argumentos e a correção gramatical do texto. 1- A função de sujeito sintático ocupada pelo pronome “se”
(l.3) justifica a flexão de singular em “devia” (l.4).
12- Depreende-se da argumentação do texto que o autor
considera “relativizar as ameaças” (l.9) da gripe aviária como 2- A flexão de feminino plural em “delas” (l.6) permite que
um dos objetivos de Albert Camus ao escrever A Peste. esse elemento coesivo concorde tanto com “civilizações”
(l.4) quanto com “atividades manuais” (l.4-5); mas o
13- Na organização da argumentação, o pronome “isso” (l.12) desenvolvimento da argumentação indica que, para haver
refere-se ao fato de as epidemias terem sempre existido.

Sugestões, críticas, envio de questões para resolução em sala, envie email para deivid_xavier@yahoo.com.br Um abraço!!!
6
UnB/CESPE - 2009
(Prof. Deivid Xavier)

coerência, o referido elemento deve retomar apenas o determinada, sem que fiquem prejudicadas a coerência e a
segundo termo. correção gramatical do texto.
3- Na linha 8, a retirada do sinal indicativo da crase em “à
reflexão” preservaria a correção gramatical e a coerência
textual, apesar de alterar a relação semântica de “reflexão
filosófica” com as demais ideias do texto.
4- As relações argumentativas que o último período
sintático do texto estabelece com o período imediatamente
anterior permitem também iniciá-lo explicitando um
conectivo: Por isso, o bom cientista (...).
5- Preservam-se a coerência da argumentação e a correção
gramatical do texto ao se retirar a preposição do termo “fins
a que se destinam” (l.20).

ZYX/WXPP - 03/2008
São Paulo, 30 de novembro de 2008
Senhor Cristóvão Colombo,
Coordenador de Projetos Especiais.
Considerando o trecho inicial de um ofício apresentado
acima, julgue o item que se segue. GABARITO: 1 2 3 4 5 6 7 8 9
E C C C E E C C E
6- O exemplo respeita as regras gramaticais da língua
portuguesa para o registro culto da linguagem, atende aos UnB/CESPE – MCT/CTI
padrões de identificação do documento, apresenta data e local A Constituição de outubro de 1988 mudou o perfil do
da emissão de forma apropriada e faz uso correto de vocativo eleitorado brasileiro, ao promover a inclusão eleitoral quando
e de formas de tratamento compatíveis com o cargo do estendeu o direito de voto aos analfabetos, que antes não
destinatário. podiam ser eleitores, e, em caráter facultativo, aos jovens
entre 16 e 18 anos.
No final da Segunda Guerra Mundial, o mundo se viu 6 Fez mais: recompôs admiravelmente os direitos e
diante da bomba atômica, a aterrorizante arma construída garantias individuais; criou o habeas-data, que permite ao
pelos Estados Unidos da América. Da forma mais trágica cidadão conhecer o que o Estado sabe dele; consagrou o
possível, ela mostrou ao mundo o seu poder, dizimando Código de Defesa do Consumidor, uma eficaz cartilha de
5 milhares de vidas em Hiroshima e Nagasaki. A partir dessa cidadania; foi a primeira Carta a mencionar a proteção ao
época, ficou determinado para as lideranças mundiais que a meio ambiente e a determinar a demarcação das terras
sobrevivência de uma nação ou bloco de nações dependeria indígenas.
de seu avanço tecnológico e científico. A capacidade 13 Mas a Constituição que reconstruiu o país a partir dos
científica de um país passou a ser a medida de seu progresso e escombros da ditadura é também a que tornou o Brasil mais
poder. difícil de governar. Tem um notável capítulo de direitos e
Descobrindo a História, n.º 5 (com adaptações). garantias individuais, mas exigiu a reforma de quase todo um
Julgue os seguintes itens, a respeito do texto acima. capítulo econômico para que o país pudesse funcionar.Exibe
18 passagens grandiosas, como a qualificação do racismo
7- Nas linhas 2 e 3, a função de explicação desempenhada como crime inafiançável e imprescritível, e propostas
pela expressão “a aterrorizante arma construída pelos Estados bizarras, como tabelar os juros em 12% ao ano. Criou deveres
Unidos da América” justifica a obrigatoriedade do uso da rigorosos para o Estado, mas não lhe deu meios para cumpri-
vírgula logo após “atômica”. los. Inspirou a cidadania, mas ignorou a reforma política.
8- Seriam preservadas a correção gramatical e a coerência do Em relação às idéias e às estruturas lingüísticas do texto
texto ao se substituir o verbo “dizimando” (l.4) por ao acima, julgue os itens que se seguem.
dizimar.
9- O uso do substantivo feminino “sobrevivência” (l.7)
permite a substituição de “determinado” (l.6) por

Sugestões, críticas, envio de questões para resolução em sala, envie email para deivid_xavier@yahoo.com.br Um abraço!!!
7
UnB/CESPE - 2009
(Prof. Deivid Xavier)

1- Caso a expressão “ao promover” (l.2) fosse substituída 5 projetos de compensação, já foram plantadas por volta de
pelo segmento porque promoveu, haveria prejuízo para a 800 mil árvores. Para fazer uma avaliação de quantas árvores
coerência e a correção gramatical do período. devem ser plantadas para sequestrar uma tonelada de carbono,
a ONG contratou a Escola Superior de Agricultura Luiz de
2- O segmento “que antes não podiam ser eleitores” (l.3-4) é
Queiroz, uma instituição das mais prestigiadas no setor
oração subordinada adjetiva restritiva, pois restringe a idéia
10 agrícola. O trabalho será feito com várias espécies da flora,
anterior.
pois, dependendo do tipo de árvore, o seqüestro de carbono
3- O emprego do sinal de dois-pontos na linha 6 justifica-se pode ser maior ou menor. Trata-se de um trabalho utilíssimo
porque o trecho imediatamente subseqüente é constituído por para o equilíbrio ecológico, um trabalho que resgata o
uma enumeração. conceito, a prática e a imagem das ONGs.
4- Trata-se de texto opinativo em que o autor se coloca 15 As ONGs contribuem para combater a idéia, ainda
explicitamente por meio do emprego de pronomes pessoais. vigente no Brasil, de que se deve esperar tudo do Estado e de
que essa superestrutura é mais importante que a sociedade.
5- O trecho “uma eficaz cartilha de cidadania” (l.9-10)
constitui um aposto explicativo. Julgue os próximos itens, relativos às idéias do texto acima e
às estruturas lingüísticas nele empregadas.
6- Pelos sentidos do texto, o termo “bizarras” (l.20) está
sendo empregado no sentido de notáveis, admiráveis, 12- A substituição da expressão “cerca de” (l.3) por acerca
louváveis. de mantém a correção gramatical do período.
7- Na linha 21, o pronome “lhe” refere-se ao antecedente “o Estado”. 13- A palavra “sequestrar” (l.7) está sendo empregada com o
sentido de absorver, fazer desaparecer o carbono, por
As organizações do terceiro setor, inclusive as mais
assimilação.
conhecidas, as organizações não-governamentais (ONGs),
prestam relevantes serviços à sociedade, cuidando, muitas 14- Por ser subjetivo, o trecho “O trabalho será feito com
vezes, de questões que constituem atribuição dos poderes várias espécies da flora, pois, dependendo do tipo de árvore, o
5 públicos. Elas se espalharam por todo o mundo e, no Brasil, seqüestro de carbono pode ser maior ou menor” (l.10-12) seria
encontraram amplo espaço para se desenvolver. Na busca por inadequado para integrar um texto de correspondência oficial.
modos mais expeditos e eficientes de exercer suas funções e 15- A expressão “essa superestrutura” (l.17) refere-se ao
cumprir seus objetivos, o serviço público tem criado órgãos antecedente “Estado” (l.16).
mais ágeis, menos cerceados pelas rígidas regulamentações GABARITO: 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15
10 das repartições públicas, como, por exemplo, fundações e
E E C E C E C C C C E E C E C
empresas de economia mista. Mais recentemente, tem
recorrido também a ONGs e similares para a execução de UnB/CESPE – MTE
diversas tarefas. Ocorre, porém, que, ao lado do resultado
positivo de agilizar a administração pública, tanto fundações e
15 empresas de economia mista como organizações do 1 Grupo Móvel — O Sr. se lembra quando o Grupo esteve
terceiro setor são utilizadas irresponsavelmente pelos que aqui antes?
vivem da corrupção. Jornal do Commercio (PE). Editorial, 9/10/2008 (com adaptações).
Jacaré — Hum! Olha, acho que faz uns oito anos...
Com relação ao texto acima apresentado, julgue os itens a seguir.
4 Grupo Móvel — Saiu um monte de gente, por que o Sr.
8-Depreende-se das informações do texto que as organizações Não saiu?
não-governamentais não são as únicas entidades que formam
o terceiro setor. Jacaré — É, saiu um monte de gente, mas o patrão pediu
para ficar e eu fiquei.
9- Na linha 3, o emprego do sinal indicativo de crase em “à
sociedade” justifica-se pela regência de “prestam”, que exige Grupo Móvel — O que o Sr. fez com o dinheiro da
a preposição a, e pela presença de artigo definido feminino. indenização que recebeu na época?

10- O pronome “Elas” (l.5) refere-se ao antecedente “As 10 Jacaré — Construí um barraquinho... Comprei umas
organizações do terceiro setor” (l.1). vaquinhas...

11- O termo “expeditos” (l.7) está sendo empregado com o Grupo Móvel — Depois disso, o Sr. recebeu mais 13
sentido de perfeitos. alguma coisa?

Uma ONG exemplar em seus objetivos e procedimentos Jacaré — Não, não recebi mais nada, além de comida. Ele
é a SOS Mata Atlântica, que desenvolve projetos que disse que eu teria de pagar pelo dinheiro que recebi.
movimentam cerca de R$ 2 milhões por ano no plantio de 16 Grupo Móvel — Mais nada?
árvores, para neutralizar o carbono emitido no país. Nesses

Sugestões, críticas, envio de questões para resolução em sala, envie email para deivid_xavier@yahoo.com.br Um abraço!!!
8
UnB/CESPE - 2009
(Prof. Deivid Xavier)

Companheira de Jacaré — Ele diz que a gente ainda estão relacionados ao tom de oralidade que predomina no
está devendo e não deixa tirar nossas vacas, diz que 20 são texto.
dele. Até as leitoas que pegamos no mato ele diz que são
7- Por suas características estruturais, é correto afirmar que o
dele.
texto em análise é uma descrição.
21 Grupo Móvel — Por que o Sr. continua trabalhando?
Companheira de Jacaré — Porque ele não quer ir
O trabalho infantil no Brasil, ao longo da sua história, nunca
embora sem receber nada. Nem as vacas ele deixa a gente
foi representado como um fenômeno negativo na mentalidade
levar.
da sociedade brasileira. Até a década de 1980, o consenso em
25 Grupo Móvel — Quantos anos o Sr. tem? torno desse tema estava consolidado para entender o
5 trabalho como sendo um fator positivo no caso de crianças
Jacaré — Tenho 64 anos.
que, dada sua situação econômica e social, viviam em
Grupo Móvel — E trabalha para ele há quantos anos? condições de pobreza, de exclusão e de risco social. Tanto a
elite como as classes mais pobres compartilhavam
Jacaré — Faz uns 30 anos.
plenamente dessa forma de encarar o trabalho infantil. Um
Grupo Móvel — O Sr. pede dinheiro para ele? 10 conjunto de idéias simples, mas de grande efeito,
manteve-se inquestionável durante séculos. Frases, tais como
30 Jacaré — Não, não peço. Precisa pedir? Se a gente “é melhor a criança trabalhar do que ficar na rua exposta ao
trabalha, não precisa pedir. crime e aos maus costumes”, e, ainda, “trabalhar educa o
O dilema de Eduardo Silva, conhecido como Jacaré, caráter da criança”, traduziam a noção fortemente arraigada
enfim, foi resolvido. Ele foi retirado da fazenda em 15 de que trabalho é solução para a criança.Se para a elite
Xinguara, no Pará. O Grupo Especial Móvel de Combate social o trabalho infantil era uma medida de prevenção, para
ao Trabalho Escravo do MTE abriu para ele uma os pobres era uma maneira de sobreviver. Por motivações
caderneta de poupança, onde foi depositado o valor das diferentes, elite e classes desfavorecidas concordavam: lugar
verbas indenizatórias devidas, cerca de R$ 100 mil. de criança pobre é no trabalho. Esses mitos culturais
20 funcionaram como catalisadores das ações das instituições
públicas e privadas a respeito das crianças e adolescentes
Revista Trabalho. Brasília: MTE, ago./set./out./2008, p. 43 (com adaptações). trabalhadores. A inércia secular do Brasil diante do trabalho
social só pode ser entendida quando considerada a força da
mentalidade que albergava o trabalho infantil em seu 25 seio
25 como parte da natureza das coisas. Quantitativamente, o
trabalho infantil diminuiu, mas as razões simbólicas
necessárias para sua existência continuam vivas na cultura
Acerca dos aspectos estruturais e lingüísticos e dos sentidos brasileira.
do texto ao lado, julgue os itens a seguir. Brasil. Plano nacional de prevenção e erradicação do trabalho infantil e proteção ao trabalhador
adolescente. Brasília: MTE, Secretaria de Inspeção do Trabalho, 2004, p. 23-8 (com adaptações).
1- O que faz de Eduardo Silva objeto de interesse da ação do
Grupo Móvel é o fato de que o trabalhador optou por Com relação aos sentidos e estruturas lingüísticas do texto
trabalhar sem receber a remuneração correspondente, acima, julgue os itens que se seguem.
conforme se depreende do trecho “o patrão pediu para ficar e 8- De acordo com o texto, a razão pela qual os pobres
eu fiquei” (L.6-7). consideravam o trabalho infantil um meio de sobrevivência
2- Nas linhas 10 e 11 do texto, o diminutivo empregado em era a mesma pela qual as elites o encaravam como medida de
“barraquinho” e “vaquinhas” tem valor subjetivo. prevenção à delinquência.
3- Em “Porque ele não quer ir embora sem receber nada.Nem 9- O texto afirma que, para entender o motivo por que o
as vacas ele deixa a gente levar” (L.22-23), nas duas trabalho infantil perdurou tanto tempo no Brasil, é preciso
ocorrências, o pronome “ele” refere-se à mesma pessoa. considerar o quanto a idéia do trabalho infantil foi
naturalizada no interior da sociedade brasileira.
4- Na linha 21, como “Por que” está no início de uma
pergunta, a palavra Porque poderia, corretamente, substituí-la. 10- Segundo o texto, a diminuição cada vez maior do trabalho
infantil está assegurada pela superação das razões simbólicas
5- No trecho “Não, não peço. Precisa pedir? Se a gente de sua existência na cultura brasileira.
trabalha, não precisa pedir” (L.30-31), Jacaré apresenta sua
concepção acerca das relações de trabalho entre os homens. 11- Nas linhas de 12 a 13 do texto, as frases apresentadas
entre aspas são exemplos do conjunto de idéias comuns à
6- Os sinais de pontuação utilizados no texto — o travessão, mentalidade da sociedade brasileira em relação ao tema do
os pontos de interrogação, as reticências e a exclamação — texto.

Sugestões, críticas, envio de questões para resolução em sala, envie email para deivid_xavier@yahoo.com.br Um abraço!!!
9
UnB/CESPE - 2009
(Prof. Deivid Xavier)

12- No trecho “viviam em condições de pobreza, de exclusão 17- O trecho “o nosso propósito de continuar a fortalecer a
e de risco social” (l.6-7), apresentam-se as razões pelas quais Comunidade Ibero-Americana de Nações como fórum de
o trabalho deve ser considerado um fator positivo na infância. diálogo, cooperação e concertamento político” (l.3-6)
complementa o sentido do verbo “reiteramos” (l.3).
13- À linha 16, a forma verbal “era” foi empregada na
primeira pessoa do singular para concordar com a expressão 18- Considerando-se os sentidos do texto, o termo
“a elite social”. “concertamento” (l.6) poderia ser substituído por acordo.
19- A expressão “uma unidade na diversidade” (l.10) refere-
Nós, chefes de Estado e de Governo dos 21 países ibero- se ao fato de que os países representados no texto têm
americanos, reunidos na XIII Conferência Ibero-Americana, características próprias que os diferenciam uns dos outros e
na cidade de Santa Cruz de la Sierra, Bolívia, reiteramos o vínculos históricos e culturais que os aproximam.
nosso propósito de continuar a fortalecer a Comunidade
5 Ibero-Americana de Nações como fórum de diálogo, 20- Na enumeração feita nas linhas de 23 a 25, o trecho “a
cooperação e concertamento político, aprofundando os outros serviços básicos” poderia ser corretamente reescrito da
vínculos históricos e culturais que nos unem, e admitindo, ao seguinte forma: à outros serviços básicos, ou seja, com sinal
mesmo tempo, as características próprias de cada uma das indicativo de crase.
nossas múltiplas identidades, que permitem reconhecer-nos
10 como uma unidade na diversidade.
Estamos conscientes de que a exclusão social é um
problema de caráter estrutural com profundas raízes
históricas, econômicas e culturais, cuja superação exige
profunda transformação das nossas sociedades atingidas pela
15 desigualdade na distribuição da riqueza.Reconhecemos a
urgente necessidade de implementar políticas públicas de
diminuição da pobreza e de aumento da participação dos
cidadãos de todos os setores da população, excluídos da
definição das políticas sociais, dos processos decisórios e do
20 controle e fiscalização dos recursos financeiros
consignados a tais políticas, de forma que eles sejam os atores
do seu próprio processo de desenvolvimento. Assim,
poderemos assegurar seu maior acesso à terra, às fontes de
trabalho, à melhor qualidade de vida, à educação, à saúde, à
25 habitação e a outros serviços básicos.
GABARITO:
Os chefes de Estado e de Governo dos países ibero- 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20
americanos subscrevem a presente declaração, em dois textos EC E ECC E EC E C E E E E E C C C E
originais na língua espanhola e na língua portuguesa, ambas
igualmente válidas, na cidade de Santa Cruz de la Sierra, aos
15 dias de novembro do ano de 2003. UnB/CESPE – POL.CIVIL/ES
Na trilha de Salvador: a inclusão social pela via do trabalho decente. Brasília: MTE, Texto para os itens de 1 a 6
Assessoria Internacional, 2004, p. 27, 30 e 35 (com adaptações).
A pergunta e a resposta que se seguem foram reproduzidas,
Quanto aos sentidos e aos aspectos estruturais e linguísticos
com adaptações, do blog da Dr.ª Mayana Zats — Internet:
do texto acima, julgue os itens subseqüentes. <http://veja.abril.com.br/blog/genetica>.
14- Conclui-se do texto que as históricas desigualdades Rodrigo Kobashi — Doutora, gostaria que a senhora me
econômicas e culturais dos povos ibero-americanos tornam ajudasse a entender uma questão. Quando adotamos uma
inviáveis as políticas públicas capazes de fazer com que os criança, ela traz características herdadas de seus pais
excluídos sejam sujeitos de seu próprio desenvolvimento. biológicos? Não me refiro às características físicas, mas
15- Por estar escrito na primeira pessoa do singular, o texto psicológicas. Por exemplo: índole. Se o pai dessa criança
apresenta aspectos subjetivos que contrariam as normas da era um criminoso, ela também será, ou pelo menos terá mais
redação de correspondências e documentos oficiais. chances de se tornar criminosa? Em vários sítios há
divergências a respeito desse assunto, por isso procurei a
16- De acordo com as regras de acentuação gráfica da língua senhora.
portuguesa, a palavra “ibero-americanos” (l.1-2) também
poderia ser corretamente escrita da seguinte forma: ibero- Doutora Mayana Zats — Essa é realmente uma questão
americanos. polêmica. Estudos com gêmeos e filhos adotivos sugerem
que muitas das características da nossa personalidade e
Sugestões, críticas, envio de questões para resolução em sala, envie email para deivid_xavier@yahoo.com.br Um abraço!!!
10
UnB/CESPE - 2009
(Prof. Deivid Xavier)

comportamento obedecem a uma herança multifatorial, isto descendentes de pais alcoólatras não venham a tornar-se
é, dependem da interação entre genes e ambiente. A grande dependentes de álcool.
questão a saber é: qual é o papel dos genes — ou
6- Os provérbios “Dize-me com quem andas e eu te direi
herdabilidade — em cada uma dessas características?
quem és” e “Filho de peixe peixinho é” podem ser associados
Pais criminosos geram crianças criminosas? à influência do componente ambiental e do genético,
respectivamente, na formação da personalidade humana.
Não conheço nenhuma pesquisa que indique que filhos
adotivos cujos pais biológicos eram criminosos tenham
maior tendência ao crime. É importante lembrar que Muitos pais querem saber que atitudes tomar quando o
genético não é sinônimo de hereditário. Por exemplo, se a filho se desentende com amigos ou colegas, quando chega em
agressividade é uma característica com um componente casa com marcas de briga, quando tem o costume de dirigir
genético, o ambiente tem papel fundamental para palavrões aos outros etc.
determinar se essa característica transformará uma pessoa 5 Nesses casos, vale mais desvalorizar o fato do que
em líder ou agressor. procurar saber quem tinha razão. Se houve briga, foi porque 7
Estudos bem controlados são difíceis todos participaram, portanto ninguém pode estar certo.

As pesquisas para determinar quanto de uma característica é 8 Se nos dedicarmos a ensinar aos mais novos, em família
genética ou ambiental precisam ser feitas com filhos e na escola, que, para conviver, é preciso ter consideração
adotivos e gêmeos. No caso dos gêmeos são necessários com o outro, relevar e fazer concessões, eles aprenderão melhor a
controlar seus impulsos em favor do equilíbrio da vida em grupo.
dois tipos de análises. Na primeira, comparam-se gêmeos
idênticos e gêmeos fraternos criados juntos. Na segunda, Folha de S.Paulo. “Equilíbrio”, 13/11/2008. Com relação ao texto acima, julgue os itens de 7 a 11.

comparam-se gêmeos idênticos que foram separados ao 7- Se, no primeiro parágrafo, “o filho” (l.1-2) estivesse no
nascer e criados em ambientes distintos. A partir desses plural,as concordâncias corretas dos verbos que têm essa
estudos, podemos concluir que característica depende mais expressão como sujeito seriam se desentendem, chegam, têm.
dos genes, mais do ambiente ou igualmente de ambos. Por
exemplo, sabemos que talento musical ou habilidade para 8- Na linha 7, a conjunção “portanto” atribui à oração
esportes tem um componente genético, mas sem o treino “ninguém pode estar certo” o sentido de causa.
essas características não se desenvolverão. 9- Com a mesma correção gramatical de “Se nos dedicarmos”
Alcoolismo tem componente genético (l.8), estão conjugados os verbos ver, em Se vermos uma
estrela cadente, faremos um pedido, e pôr, em Se
Essa é uma das características mais bem estudadas. Estudos pusermos a mão no fogo, nos queimaremos.
de gêmeos e filhos adotivos mostraram que pessoas cujos
pais biológicos eram alcoólatras têm maior tendência de ser 10- Nas linhas 8 e 9, a expressão “em família e na escola”,
dependentes de álcool. juntamente com as vírgulas que a intercalam, poderia ser
transposta, sem prejuízo da correção gramatical e sem
Considerando as ideias do texto apresentado, julgue os itens alteração do sentido original, para as seguintes posições
que se seguem. dentro do período: ou imediatamente após a palavra
1- O indagante procurou a doutora Mayana Zats, porque “dedicarmos”, ou imediatamente após a palavra “ensinar”.
está em vias de adotar uma criança. 11- São pertinentes ao assunto desenvolvido no texto e estão
2- O indagante tem receio de adotar uma criança que tenha expressas com correção gramatical as seguintes ideias: Se
herdado dos pais biológicos o impulso para a agressividade e formos tolerantes, nossos filhos tenderão a sê-lo também; Se
criminalidade. fôssemos impulsivos, nossos filhos tenderiam a sê-lo também.

3- O indagante busca entender melhor as questões ligadas à


hereditariedade que estão mais centradas nos aspectos
psicológicos e comportamentais do que nos aspectos físicos
do componente genético.
4- Apesar de não ter dado uma resposta direta à pergunta do
indagante, como “Sim”, a doutora forneceu informações que
sugerem que filhos de criminosos herdam dos pais biológicos
o componente genético de agressividade. 1-E então?O almoço está pronto?
5- As informações sobre estudos científicos contidas na 2- Não.
resposta permitem concluir quão importante é um ambiente
sadio — sem bebidas alcoólicas, por exemplo — para que
3- Por quê?

Sugestões, críticas, envio de questões para resolução em sala, envie email para deivid_xavier@yahoo.com.br Um abraço!!!
11
UnB/CESPE - 2009
(Prof. Deivid Xavier)

4- Você pediu um “bife à cavalo”... 10 Tristeza e raiva. Ar, mar, ria, arma, ira. Passatempo
estúpido.
5- Estou esperando a estrebaria abrir!
Dr. Gouveia é um monstro. Compôs, no quinto ano,
Folha de S.Paulo, 13/11/2008.
duas colunas que publicou por dinheiro na seção livre de um
jornal ordinário. Meteu esse trabalhinho num caixilho
15 dourado e pregou o na parede, por cima do bureau. Está
Considerando o quadrinho acima, julgue o próximo item.
cheio de erros e pastéis.Mas Dr. Gouveia não os sente. O
12- De acordo com a norma culta da língua portuguesa, espírito dele não tem ambições.Dr. Gouveia só se ocupa
emprega-se o acento indicativo de crase em “bife à cavalo” com o temporal: a renda das propriedades e o cobre que o
para indicar que o personagem que utiliza essa expressão tesouro lhe pinga.
não compreendeu seu sentido.
20 Não consigo escrever. Dinheiro e propriedades, que
me dão sempre desejos violentos de mortandade e outras
destruições, as duas colunas mal impressas, caixilho, Dr.
Considerando que os fragmentos apresentados nos itens Gouveia, Moisés, homem da luz, negociantes, políticos,
seguintes são trechos sucessivos e adaptados de um texto diretor e secretário, tudo se move na minha cabeça, como
publicado na Folha de S.Paulo em 11/11/2008, julgue-os 25 um bando de vermes em cima de uma coisa amarela,
quanto à correção gramatical de cada um deles. gorda e mole que é, reparando-se bem, a cara balofa de
13- Na madrugada de ontem, uma caminhonete chegou a Julião Tavares muito aumentada. Essas sombras se arrastam
delegacia de investigações sobre entorpecentes, em com lentidão viscosa, misturando-se, formando um novelo
Botucatú. Um grupo de oito homens sairam do veículo, confuso.
arrombaram uma das portas e invadiram a delegacia. 30 Afinal tudo desaparece. E, inteiramente vazio, fico
14- O grupo levou armas, drogas e destruiu arquivos. tempo sem fim ocupado em riscar as palavras e os
Artefatos esplosivos foram detonados no interior do predio. desenhos. Engrosso as linhas, suprimo as curvas, até que
Pouco antes, vizinhos contam, que ouviram o barulho de um deixo no papel alguns borrões compridos, umas tarjas muito
carro saindo. pretas.
15- Ao menos dois carros, que estavam no estacionamento, 1- Assinale a opção correta com relação às ideias do texto.
e uma casa da vizinhança foram atingidos. Não houve A- O texto descreve a situação de pobreza e tristeza na qual
feridos. o narrador se encontra por dever dinheiro ao Dr. Gouveia e
ao Moisés.
B- Infere-se do texto que Dr. Gouveia, Moisés e Julião
Tavares são, na verdade, personagens de um livro que está
sendo escrito pelo narrador.
C- O narrador do texto considera que beber e fumar é um
entretenimento estúpido que aumenta sua tristeza.
GABARITO: 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 D- Depreende-se do texto que o narrador foi acometido por
EEC EC CCEE C C E E E C um transtorno psicológico devido ao fato de ter publicado
um artigo, por necessidade financeira, em um jornal de má
qualidade.
E- Infere-se do último parágrafo do texto que a confusão mental
UnB/CESPE – TCE/TO/MÉDIO impossibilita o narrador de exercer seu ofício de escrever.

Texto para as questões de 1 a 3 2- Quanto a aspectos gramaticais do texto, assinale a opção


correta.
Não posso pagar o aluguel da casa. Dr. Gouveia
aperta-me com bilhetes de cobrança. Bilhetes inúteis, mas A- No trecho “mas Dr. Gouveia não compreende isso” (l.2-3), a
Dr. Gouveia não compreende isso. Há também o homem da conjunção “mas” estabelece uma relação de finalidade com a
luz, o Moisés das prestações, uma promissória de idéia que a antecede.
5 quinhentos mil-réis, já reformulada. E coisas piores, B- No trecho “O artigo que me pediram se afasta do papel” (l.7), o
muito piores. elemento “que” complementa o sentido da forma verbal “pediram”.
O artigo que me pediram se afasta do papel. É C- Obedecem à mesma regra de acentuação gráfica os vocábulos
verdade que tenho o cigarro e tenho o álcool, mas, quando “também”, “Moisés” e “só”.
bebo demais ou fumo demais, a minha tristeza cresce.

Sugestões, críticas, envio de questões para resolução em sala, envie email para deivid_xavier@yahoo.com.br Um abraço!!!
12
UnB/CESPE - 2009
(Prof. Deivid Xavier)

D- No trecho “Mas Dr. Gouveia não os sente” (l.16), o pronome correndo, vara ao ombro, e na ponta uma trouxa.Protestava-
“os” refere-se a “pastéis”. se com todo o rigor da lei contra quem o açoitasse.
E- Em “O espírito dele não tem ambições.” (l.16-17), a correção Machado de Assis. Pai contra mãe. In: John Gledson. 50 contos de Machado de Assis.

gramatical e o sentido original do texto seriam mantidos se 4- O texto trata


“dele” fosse substituído por teu.
A- da facilidade de se libertar da escravidão e iniciar uma nova
vida.
3- Com relação às estruturas linguístico-gramaticais do texto,
assinale a opção correta. B- da dificuldade de prender um escravo que fugia pela segunda
vez.
A- No trecho “Dr. Gouveia só se ocupa com o temporal: a renda
das propriedades e o cobre que o tesouro lhe pinga.” (l.17-19), o C- do rigor da lei aplicado às pessoas que ajudavam na libertação
elemento “se” estabelece uma condição e introduz dos escravos.
gramaticalmente uma alternativa. D- da fuga de escravos que não aceitavam a escravidão.
B- No trecho “que me dão sempre desejos violentos de E- da forma de manuseio e fabricação de instrumentos inventados
mortandade e outras destruições” (l.20-22), o pronome “me” tem para castigar os escravos.
função de complemento direto da forma verbal “dão”.
5- Com referência ao emprego da pontuação no texto,
C- No trecho “tudo se move na minha cabeça, como um bando assinale a opção correta.
de vermes em cima de uma coisa amarela, gorda e mole” (l.24-
25), “como” introduz uma comparação. A- No trecho “Há meio século, os escravos fugiam com
frequência.” (l.7), a vírgula foi empregada para separar oração
D- Nas linhas 25 e 26, os termos “amarela”, “gorda”, “mole”, intercalada.
“bem” e “balofa” qualificam os nomes aos quais se referem.
B- No trecho “Grande parte era apenas repreendida; havia alguém
E- O trecho “a cara balofa de Julião Tavares muito aumentada” de casa que servia de padrinho,” (l.10-11), o ponto-e-vírgula foi
(l.26-27) exerce a função sintática de sujeito da oração adjetiva à empregado para assinalar a interrupção do texto e introduzir uma
qual pertence. idéia conclusiva.

Texto para as questões de 4 a 6 C- No trecho “com os sinais do fugido, o nome, a roupa, o defeito
físico” (l.22-23), a vírgula foi empregada para separar termos
O ferro ao pescoço era aplicado aos escravos fujões. coordenados em uma enumeração.
Imaginai uma coleira grossa, com a haste grossa também, à
D- Em “vinha a promessa: “gratificar-se-á generosamente”, — ou
direita ou à esquerda, até ao alto da cabeça, e fechada atrás “receberá uma boa gratificação” (l.24-26), a correção gramatical e
com chave.Pesava, naturalmente, mas era menos castigo que o sentido original do texto seriam mantidos se os dois-pontos
5 sinal. Escravo que fugia assim, onde quer que andasse, fossem substituídos por ponto-e-vírgula.
mostrava um reincidente, e com pouco era pegado.
E- Na linha 25, o travessão foi empregado para marcar, na
Há meio século, os escravos fugiam com frequência. narrativa, a mudança de interlocutor.
Eram muitos, e nem todos gostavam da escravidão. Sucedia
ocasionalmente apanharem pancada, e nem todos gostavam 6- Com relação às estruturas gramaticais do texto, assinale a opção
10 de apanhar pancada. Grande parte era apenas repreendida; correta.
havia alguém de casa que servia de padrinho, e o mesmo dono
A- Em “à direita ou à esquerda” (l.2-3), o emprego do sinal
não era mau; além disso, o sentimento da propriedade indicativo de crase se justifica pela regência da forma verbal
moderava a ação, porque dinheiro também dói. A fuga “Imaginai” (l.2), no início da oração.
repetia-se, entretanto. Casos houve, ainda que raros, em que o
15 escravo de contrabando, apenas comprado no Valongo, B- Na frase “A fuga repetia-se, entretanto.” (l.13-14), manteria a
correção gramatical e o sentido original do texto a substituição de
deitava a correr, sem conhecer as ruas da cidade. Dos que
“entretanto” por porquanto.
seguiam para casa, não raro, apenas ladinos, pediam ao
senhor que lhes marcasse aluguel, e iam ganhá-lo fora, C- No trecho “Casos houve, ainda que raros” (l.14), a forma verbal
quitandando. “houve” é substituível por houveram, sem prejuízo para a
correção gramatical e para o sentido original do texto.
20 Quem perdia um escravo por fuga dava algum
dinheiro a quem lho levasse. Punha anúncios nas folhas D- O trecho “Dos que seguiam para casa” (l.16) admite a reescrita
“Dos Valongos que seguiam para casa”, sem prejudicar a correção
públicas, com os sinais do fugido, o nome, a roupa, o
gramatical e o sentido original do texto.
defeito físico, se o tinha, o bairro por onde andava e a
quantia de gratificação. Quando não vinha a quantia, vinha E- No trecho “se o tinha” (l.23), o pronome “o” se refere ao
25 a promessa: “gratificar-se-á generosamente”, — ou antecedente “o defeito físico”.
“receberá uma boa gratificação”. Muita vez o anúncio trazia
em cima ou ao lado uma vinheta, figura de preto, descalço, A política de cotas visa combater uma histórica distorção
existente na educação brasileira. Do total de 1,8 milhão de

Sugestões, críticas, envio de questões para resolução em sala, envie email para deivid_xavier@yahoo.com.br Um abraço!!!
13
UnB/CESPE - 2009
(Prof. Deivid Xavier)

alunos que conclui o ensino médio anualmente, 80% são de um calor dos infernos quase o ano inteiro. Claro que foi à
escolas públicas. Contudo, nas universidades mantidas pelo falência, mas suas freguesas nunca foram tão bonitas,
Estado, eles são minoria. Para o ministro da Educação, a embora tão poucas.Antes tivera uma chapelaria, e as
adoção de cotas pode reduzir esse descompasso e não trará mulheres haviam deixado de usar chapéus. No fim, tinha
prejuízos a segmentos da sociedade: “Os brancos que 10 um pequeno armarinho — sempre tivera lojas que
estudaram na escola pública têm direitos tão resguardados fossem frequentadas principalmente por mulheres — na rua
quanto os negros e indígenas que estudaram em escola Senhor dos Passos. Minha mãe costumava aparecer na loja,
pública. Um grupo não está sendo privilegiado em detrimento para ver se alguma sirigaita andava por lá.Às vezes, eles
do outro, já que a distribuição é proporcional”. discutiam na hora do jantar; na verdade, minha mãe brigava
15 com ele, que ficava calado; se ela não parava de brigar,
De acordo com o Ministério da Educação, as instituições
ele se levantava da mesa e saía para a rua. Minha mãe ia
de ensino superior mantidas pelo governo federal ofereciam
para o quarto chorar, nesses dias. Eu ia para a janela, cuspir
127 mil vagas em 2003. Hoje ofertam mais de 227 mil, um
na cabeça das pessoas que passavam e olhar para o letreiro
número pequeno diante da gigantesca demanda, mas o
luminoso de néon da loja em frente. Essa é uma luz que até
suficiente para compensar ao menos 80% das vagas que
20 hoje me atrai e que não foi ainda captada nem pelo
podem ser restringidas aos alunos de escolas particulares com
cinema nem pela televisão. Quando meu pai voltava, bem
a adoção da medida.
mais tarde, o desespero da minha mãe havia passado e eu a
Das 59 universidades federais, ao menos 16 via ir à cozinha preparar um copo de leite quente para ele.
estabeleceram algum tipo de cota no vestibular. O exemplo Um dia ele me disse que era uma pena que os homens
que mais se aproxima do projeto de lei que está em discussão 25 tivessem de ser julgados como cavalos de corrida, pelo
no Senado é o da Universidade Federal da Bahia (UFBA). seu retrospecto. “O problema do seu pai”, minha mãe me
Desde 2005, a instituição reserva 45% das vagas aos alunos disse certa ocasião, “é que ele é muito bonito”. Ela não o
egressos de escolas públicas. As cadeiras são preenchidas de viu ficar paralítico, nem teve de suportar a tristeza
acordo com a proporção de cada etnia na região metropolitana incomensurável do olhar dele pensando nas sirigaitas. Sim,
de Salvador. Os afrodescendentes, por exemplo, têm direito a 30 meu pai ainda era um homem bonito quando minha mãe
ocupar 85% das vagas destinadas a cotistas. morreu.
Rodrigo Martins. Critérios indefinidos. In: Carta Capital. n.º 257, 24/12/2008, p. 36-7(com adaptações).
A impiedosa lucidez com que eu agora pensava em
7- Com relação às ideias do texto, assinale a opção correta. meu pai encheu-me de horror — não podemos ver as
pessoas que amamos como elas realmente são,
A- Infere-se do texto que o ensino médio das escolas públicas
35 impunemente. Pela primeira vez eu vira o pungente
brasileiras não oferece a mesma qualidade que o ensino das escolas
particulares, o que justifica o fato de que os alunos egressos de rosto dele, naquele espelho, o rosto dele que era o meu.
escolas públicas sejam a minoria nas universidades mantidas pelo Como podia eu estar ficando igual a meu pai, aquele, o
Estado. doente? Rubem Fonseca. Vastas emoções e pensamentos imperfeitos. (com adaptações).

B- Infere-se do texto que o Ministério da Educação está 1- De acordo com o texto, assinale a opção correta com relação
desenvolvendo um programa que estabelecerá um conjunto de aos seus aspectos linguístico-gramaticais.
intervenções que vise melhorar o ensino das escolas públicas,
inclusive universidades, de forma a proporcionar escola pública de A- No trecho “Meu pai era um homem bonito com muitas
qualidade para os alunos cotistas. namoradas” (l.1), o sintagma “um homem bonito com muitas
namoradas” complementa o sentido do verbo.
C- De acordo com o texto, a adoção de cotas não traz prejuízo para
os estudantes brancos, pois as vagas das instituições de ensino B- O sentido do texto seria mantido caso as formas verbais
superior estão sendo ampliadas. “jogava” e “nadava” (l.2) fossem substituídas por jogara e
nadara.
D- De acordo com o texto, tramita, no Senado, um projeto de lei que
discute a criação de vagas nas universidades e a porcentagem de C- Na linha 4, “com” estabelece uma comparação entre as
reserva dessas vagas para os alunos de baixa renda. namoradas e o termo ‘sirigaitas’ (l.3).
E- Depreende-se do texto que, nas universidades públicas da Bahia, D- No trecho “Vivia envolvido com ‘sirigaitas’, como minha
85% das vagas são ocupadas por afrodescendentes que possuem o mãe as chamava, e com fracassos comerciais crônicos” (l.3- 5),
direito de ser incluídos em programas de cotas. é facultativo o emprego da vírgula antes da conjunção coordenada
GABARITO: 1-E 2-B 3-C 4-D 5-C 6-E 7-A 14 1 “e”.
Texto para as questões de 1 a 4 E- Na linha 5, o pronome relativo “onde” se refere ao adjunto
adverbial “numa cidade”.
Meu pai era um homem bonito com muitas namoradas,
jogava tênis, nadava, nunca pegara uma gripe — até ter um 2- Quanto aos aspectos gramaticais do texto, assinale a opção
derrame cerebral. Vivia envolvido com “sirigaitas”, como correta.
minha mãe as chamava, e com fracassos comerciais
5 crônicos. Tivera uma peleteria numa cidade onde fazia

Sugestões, críticas, envio de questões para resolução em sala, envie email para deivid_xavier@yahoo.com.br Um abraço!!!
14
UnB/CESPE - 2009
(Prof. Deivid Xavier)

A- No trecho “fazia um calor dos infernos quase o ano inteiro”(l.5- A internacionalização da economia é um fenômeno
6), a substituição de “dos infernos” por infernal manteria a correção constitutivo do capitalismo, o que não significa que haja
gramatical e o sentido do texto. uma única maneira de lidarmos com os processos que a
B- Nas linhas 6 e 13, o emprego do sinal indicativo de crase em “à constituem. É fácil, hoje em dia, confundir as limitações
falência” e “Às vezes” justifica-se pela regência verbal. 5 crescentes impostas ao Estado-nação com a construção de
um espaço de livre circulação dos indivíduos, promovido
C- No trecho “mas suas freguesas nunca foram tão bonitas, embora
tão poucas” (l.7-8), as conjunções coordenativas “mas” e “embora” pelo movimento desembaraçado de mercadorias e capitais.
expressam valores adversativos. Os entusiastas da globalização asseguram que a liberdade
humana decorre do impulso natural do homem à troca, ao
D- No trecho “e as mulheres haviam deixado de usar chapéus”(l.8- 10 intercâmbio, à aproximação por meio do comércio.
9), manteria a correção gramatical e o sentido do texto a substituição
Adam Smith corretamente chamou a atenção para o caráter
de “haviam deixado” por havia deixado.
libertador da economia mercantil capitalista e para as suas
E- Nas linhas 10 e 11, a oração adjetiva “que fossem frequentadas potencialidades. Marx, herdeiro e defensor das postulações
principalmente por mulheres” apresenta valor explicativo. do Iluminismo, indagou se as relações de produção e as
15 forças produtivas do capitalismo permitiriam, de fato, a
realização da Liberdade, da Igualdade e da Fraternidade.
3- De acordo com o texto, relativamente às suas estruturas
linguísticas, assinale a opção correta. O capitalismo pode ser definido como a coexistência
A- No trecho “Minha mãe costumava aparecer na loja, para ver se entre a enorme capacidade de criar, transformar e dominar a
alguma sirigaita andava por lá” (l.12-13), a oração iniciada pela natureza, suscitando desejos, ambições e esperanças, e as
preposição “para” expressa finalidade. 20 limitações intrínsecas à sua capacidade de entregar o
que prometeu. Não se trata de perversidade, mas do seu
B- Na linha 15, o ponto-e-vírgula foi empregado para introduzir uma
modo de funcionamento.
oração longa que exerce a mesma função sintática da oração que a
antecede. Na visão de Elizabeth Roudinesco, o sujeito
C- No trecho “se ela não parava de brigar” (l.15), o pronome “se” moderno, aquele “consciente de sua liberdade, mas
está anteposto ao sujeito devido à presença do advérbio de negação. 25 atormentado pelo sexo, pela morte, pela proibição”, é
substituído pela concepção “mais psicológica de um
D- No trecho “Um dia ele me disse que era uma pena” (l.24), o
indivíduo depressivo que foge de seu inconsciente e está
pronome “que” exerce a função sintática de sujeito da oração.
preocupado em retirar de si a essência de todo o conflito”.
E- Na linha 27, “certa ocasião” exerce a função sintática de
complemento direto da forma verbal “disse”. Os trabalhos de destruição da subjetividade moderna
30 são realizados por uma sociedade que precisa exaltar o
sucesso econômico e abolir o conflito. As ciências humanas
4- Com base no texto, no tocante a suas ideias e estruturas e sociais contemporâneas exprimem essas necessidades da
linguísticas, assinale a opção correta. sociedade capitalista, ou seja, desse sujeito abstrato,
A- O trecho “Ela não o viu ficar paralítico” (l.27-28) admite, sem
mediante duas visões: a universalidade naturalista, deduzida
prejuízo para a correção gramatical e o sentido original do texto, a 35 de disciplinas como a neurociência ou a genética, e a
seguinte reescrita: Ela não viu ficá-lo paralítico. diversidade do culturalismo empírico.
B -No trecho “A impiedosa lucidez com que eu agora pensava em Para os primeiros, os males do mundo podem ser
meu pai encheu-me de horror” (l.32-33), o emprego da preposição solucionados com doses maciças de Prozac ou de qualquer
“com” é facultativo. substância química capaz de aliviar o sofrimento dos
C- O trecho “não podemos ver as pessoas que amamos como elas 40 “aparelhos biológicos”.
realmente são” (l.33-34) admite, sem prejuízo para a correção Para os outros, os do culturalismo, o melhor é
gramatical e o sentido original do texto, a seguinte reescrita: não
abandonar as dores que acompanham a constituição de um
podemos ver as pessoas a que amamos como elas realmente são.
saber universal e eternamente acabado, refugiando-se na
D- O trecho “Como podia eu estar ficando igual a meu pai” (l.37) completude do mundo mítico e mágico das verdades
admite, sem prejuízo para a correção gramatical do texto, a seguinte 45 particulares e supostamente originárias. As duas visões
reescrita: Como podia eu estar ficando igual ao meu pai. do sujeito, aparentemente antitéticas, têm em comum o
E- De acordo com o último parágrafo do texto, o narrador estava horror à diversidade concreta e irredutível do mundo da
lembrando da morte de seus pais e tinha alucinações com a imagem vida. Esse horror não pode ser aplacado pela sociabilidade
deles refletida no espelho. do mercado que transforma o outro em inimigo-competidor.
Luiz Gonzaga Belluzo. O insaciável moloch. In: Carta Capital, 22/10/2008, p. 37-8 (com adaptações).

UnB/CESPE – TCE/TO –FEVEREIRO 5- De acordo com as ideias e os aspectos gramaticais do texto,


assinale a opção correta.
Texto para as questões de 5 a 7

Sugestões, críticas, envio de questões para resolução em sala, envie email para deivid_xavier@yahoo.com.br Um abraço!!!
15
UnB/CESPE - 2009
(Prof. Deivid Xavier)

A- Justificam-se pela mesma regra de acentuação os acentos gráficos


dos seguintes vocábulos do texto: “única”, “caráter”, “intrínsecas” e
“antitéticas”.
B- No trecho “o que não significa” (l.2), o pronome “o” refere-se ao
termo “fenômeno” (l.1).
C- O trecho “confundir as limitações crescentes impostas ao Estado-
nação com a construção de um espaço de livre circulação dos
indivíduos, promovido pelo movimento desembaraçado de
mercadorias e capitais” (l.4-7) exerce a função sintática de sujeito.
D- No trecho “promovido pelo movimento desembaraçado de
mercadorias e capitais” (l.6-7), manteria a correção gramatical e o
sentido original do texto a substituição de “promovido” por
promovidos.
E- Infere-se do texto que o indivíduo com ideal libertário e
consciente de sua existência se aproveita do mundo globalizado para
ampliar sua capacidade racional e desenvolver meios de produção
que gerem riquezas e realimentem o sistema capitalista.

6- Com base no texto, assinale a opção correta.


A- De acordo com o texto, o sujeito moderno é capaz de resolver
seus conflitos internos e construir uma sociedade com poucos atritos
e sem diversidade, o que beneficia as relações de troca e
intercâmbio.
B- O trecho “herdeiro e defensor das postulações do Iluminismo”
(l.13-14) exerce, na oração, a função sintática de vocativo.
C- No trecho “suscitando desejos, ambições e esperanças” (l.19), a
substituição do termo “suscitando” por reprimindo manteria o
sentido original do texto.
D- No trecho “e as limitações intrínsecas à sua capacidade de
entregar o que prometeu” (l.19-21), o emprego do sinal indicativo de
crase é facultativo.
E- A expressão “ou seja” (l.33) apresenta-se isolada por vírgulas por
ter sido deslocada de sua posição original na ordem direta da oração.

7- De acordo com o texto, assinale a opção correta.


A- No trecho “mediante duas visões: a universalidade naturalista,
deduzida de disciplinas como a neurociência ou a genética, e a
diversidade do culturalismo empírico” (l.34-36), o emprego dos
dois-pontos introduz uma citação.
B- O trecho “Esse horror não pode ser aplacado pela sociabilidade
do mercado” (l.48-49) admite, sem prejuízo para a correção
gramatical do texto, a seguinte reescrita: A sociabilidade do
mercado não pode aplacar esse horror.
C -No último período do texto, o emprego de vírgula depois de
“mercado” manteria o sentido original do texto.
D -De acordo com o último parágrafo do texto, as ciências humanas
e sociais contemporâneas criaram um sujeito abstrato que tem o
poder de extinguir os males do mundo por meio de medicamentos.
E- No texto, predomina a narração de fatos, de maneira sequencial e
lógica, que culmina com a apresentação de um conceito
contemporâneo do sistema capitalista.
GABARITO: 1-E 2-A 3-A 4-D 5-C 6-D
7-B 71

Sugestões, críticas, envio de questões para resolução em sala, envie email para deivid_xavier@yahoo.com.br Um abraço!!!
16