Вы находитесь на странице: 1из 576

CHAPAS E CONECTORES

PARA MADEIRA
EDIFÍCIOS, ESTRUTURAS
E EXTERIOR
LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS 13

ÍNDICE ALUMINI��������������������������������������������������������������������������� 18
ALUMIDI���������������������������������������������������������������������������26
ALUMAXI���������������������������������������������������������������������������38

SBD����������������������������������������������������������������������������������� 48
STA�������������������������������������������������������������������������������������54

LOCK T TIMBER���������������������������������������������������������������� 60
LOCK T EVO TIMBER�������������������������������������������������������� 74
LOCK C CONCRETE���������������������������������������������������������� 84
UV-T TIMBER����������������������������������������������������������������������94
UV-C CONCRETE��������������������������������������������������������������104
DISC FLAT��������������������������������������������������������������������� 108
DISC FLAT A2���������������������������������������������������������������� 116

VGU���������������������������������������������������������������������������������124
VGU PLATE T TIMBER�����������������������������������������������������132

NEO���������������������������������������������������������������������������������138

ADESIVOS EPOXÍDICOS 143


E CHAPAS ENGANCHADAS
XEPOX�����������������������������������������������������������������������������146
SHARP METAL���������������������������������������������������������������160

LIGAÇÕES PARA PAREDES 169


E EDIFÍCIOS
WHT�������������������������������������������������������������������������������� 174
TITAN N��������������������������������������������������������������������������186
TITAN S�������������������������������������������������������������������������� 204
TITAN F���������������������������������������������������������������������������218
TITAN V�������������������������������������������������������������������������� 228
TITAN SILENT��������������������������������������������������������������� 234

WHT PLATE C CONCRETE��������������������������������������������� 242


WHT PLATE T TIMBER��������������������������������������������������� 250
TITAN PLATE C CONCRETE������������������������������������������� 254
TITAN PLATE T TIMBER������������������������������������������������� 262

ALU START�������������������������������������������������������������������� 266


SLOT��������������������������������������������������������������������������������276
SPIDER��������������������������������������������������������������������������� 292
PILLAR���������������������������������������������������������������������������� 308
X-RAD���������������������������������������������������������������������������� 324
ANGULARES, ESTRIBOS 339 ANCORANTES 483
E CHAPAS FURADAS PARA BETÃO
WBR�������������������������������������������������������������������������������� 340 SKR�����������������������������������������������������������488
WBR A2 | AISI304�������������������������������������������������������� 346 SKS������������������������������������������������������������488
WKR�������������������������������������������������������������������������������� 348 SKR-E������������������������������������������������������� 491
WZU��������������������������������������������������������������������������������352 SKS-E�������������������������������������������������������� 491
WKF�������������������������������������������������������������������������������� 358
WBO - WVS - WHO���������������������������������������������������� 360 AB1������������������������������������������������������������494
LOG�������������������������������������������������������������������������������� 364 AB1 A4������������������������������������������������������496
AB7�����������������������������������������������������������498
SPU��������������������������������������������������������������������������������� 365 ABS�����������������������������������������������������������500
BSA��������������������������������������������������������������������������������� 368 ABU����������������������������������������������������������� 502
BSI������������������������������������������������������������������������������������376 AHZ����������������������������������������������������������� 503
AHS����������������������������������������������������������� 503
LBV��������������������������������������������������������������������������������� 380
LBB��������������������������������������������������������������������������������� 386 NDC����������������������������������������������������������504
NDS - NDB����������������������������������������������506
NDK - NDL���������������������������������������������� 507

PORTA-PILARES E LIGAÇÃO 395 MBS����������������������������������������������������������508

PARA TERRAÇOS VIN-FIX����������������������������������������������������509


VIN-FIX PRO�������������������������������������������� 511
R10 - R20 - R30���������������������������������������������������������� 398
VIN-FIX PRO NORDIC���������������������������514
R40���������������������������������������������������������������������������������404
EPO-FIX PLUS�����������������������������������������517
R70 - R90���������������������������������������������������������������������� 407
INA������������������������������������������������������������ 520
IHP - IHM�������������������������������������������������521
X10����������������������������������������������������������������������������������408
F70�����������������������������������������������������������������������������������414
S50���������������������������������������������������������������������������������� 420
P10 - P20���������������������������������������������������������������������� 424 PARAFUSOS ROSCA 525
MÉTRICA E BARRAS
TYP F������������������������������������������������������������������������������ 428
TYP FD��������������������������������������������������������������������������� 436 KOS����������������������������������������������������������� 526
TYP M�����������������������������������������������������������������������������440 KOT�����������������������������������������������������������531
EKS������������������������������������������������������������ 532
ROUND��������������������������������������������������������������������������446 MET���������������������������������������������������������� 534
BRACE����������������������������������������������������������������������������448
GATE������������������������������������������������������������������������������ 450 DBB����������������������������������������������������������540
ZVB����������������������������������������������������������� 542
ALU TERRACE�������������������������������������������������������������� 452
SUPPORT���������������������������������������������������������������������� 458
JFA���������������������������������������������������������������������������������� 464
PARAFUSOS E PREGOS 547
FLAT | FLIP��������������������������������������������������������������������� 466
PARA CHAPAS
TVM�������������������������������������������������������������������������������� 468
LBA����������������������������������������������������������� 548
GAP��������������������������������������������������������������������������������� 470
LBS������������������������������������������������������������ 552
TERRALOCK�������������������������������������������������������������������472
HBS PLATE���������������������������������������������� 556
HBS PLATE EVO�������������������������������������560
GROUND COVER���������������������������������������������������������474
KKF AISI410��������������������������������������������� 562
NAG���������������������������������������������������������������������������������475
VGS����������������������������������������������������������� 564
GRANULO����������������������������������������������������������������������476
FIXAÇÕES COM FITA
TERRA BAND UV���������������������������������������������������������� 478 PARA MADEIRA�������������������������������������� 567
PROFID�������������������������������������������������������������������������� 479 HBS COIL������������������������������������������������ 568
DA IDEIA AO MERCADO
O NASCIMENTO DE UM PRODUTO

“Na nossa empresa, tudo o que se refere aos produtos é re- Ocupamo-nos do marketing, realizamos os catálogos,
alizado internamente. Cuidamos de todo o processo, desde encarregamo-nos directamente de todos os aspectos da
a ideia até ao desenvolvimento e a saída para o mercado. embalagem e da etiquetagem. E dispomos de todas estas
Projectamos, realizamos ensaios, efectuamos os controlos competências dentro da empresa.”
dos produtos e acompanhamos todo o processo de certi-
ficação. Preparamos as fichas técnicas, as particularidades Robert Blaas, fundador e CEO
de fabrico, desenvolvemos os softwares para o cálculo e a
verificação, oferecemos uma consultoria completa.

UNIVERSIDADE,CENTROS
PROJECTISTAS REDE DE VENDAS CLIENTES
DE INVESTIGAÇÃO

NETWORK
ROTHOBLAAS

IDEIAS - EXIGÊNCIAS - SUGESTÕES

ROTHOBLAAS
Através de um fluxo de gestão de ideias, os inputs recebidos são submetidos a avaliação

INVESTIGAÇÃO E DESENVOLVIMENTO
Início dos procedimentos para o desenvolvimento
de novos produtos

4 | DA IDEIA AO MERCADO
ANÁLISE COLABORAÇÕES DESENVOLVIMENTO DE PRODUTO
Estudo aprofundado do estado atual da técnica, Procura de colaborações com parceiros Desenvolvimento de protótipos e melhoria
análise de custos e prazos académicos ou terceiros contínua até alcançar o resultado ideal

CERTIFICAÇÃO/CONTROLO DE QUALIDADE
Processo de certificação de produto por organismos internacionais independentes

PRODUÇÃO LOGÍSTICA LANÇAMENTO NO MERCADO


Início da produção Rotulagem, planeamento de transportes e Atividades de marketing destinadas a promover
armazenamento nos nossos centros logísticos o novo produto introduzido nos mercados
internacionais

NETWORK
ROTHOBLAAS

UNIVERSIDADE,CENTROS
PROJECTISTAS REDE DE VENDAS CLIENTES
DE INVESTIGAÇÃO

DA IDEIA AO MERCADO | 5
QUALITY CONTROL
VERIFICAÇÕES NAS FASES DE PRODUÇÃO

A Rothoblaas desenvolve, testa, produz, certifica e comercializa os seus


produtos com o seu nome e a sua marca. O processo de produção é sis-
tematicamente controlado em cada etapa (FPC) e todo o procedimento
é rigorosamente vigiado e controlado, a fim de garantir conformidade e
qualidade de cada fase.

EXEMPLO DE FASES DE PRODUÇÃO PARA ANGULARES

MATÉRIA-PRIMA CORTE PRODUTO ACABADO


A bobina de fita de aço zincado (coil) dá Corte da fita conforme as Chapa tridimensional conforme
entrada no estabelecimento dimensões definidas por meio da as especificações técnicas e os
prensa hidráulica requisitos mecânicos

VERIFICAÇÃO VERIFICAÇÃO

01 A 02 03 04 05 B

PRODUTOR PUNÇUAMENTO DOBRAGEM


Procura de fornecedores com Furação e estampagem conforme Transformação da folha de metal
qualificações que satisfaçam os o desenho técnico de produção plana em chapa tridimensional
elevados padrões de qualidade da
Rothoblaas

ALL-IN-ONE
A linha automática de estampagem é projectada especificamente para
efectuar em série as várias fases de elaboração: o punçuamento, o corte
e a dobragem são realizados em um único ciclo progressivo, sem neces-
sidade de outros processos (ex.: soldadura).

RASTREABILIDADE
Durante todo o processo produtivo cada cha-
pa é associada a um código de identificação
(número de lote) que garante a rastreabilida-
de da matéria-prima à comercialização.

6 | QUALITY CONTROL
CE - ETA - DoP
A Rothoblaas, na qualidade de fabricante, 1. Identificação do fabricante
é responsável pelos produtos conforme o 2. Número de ETA
ETA de que é titular. Tais produtos devem 3. Declaração das prestações
ter a marcação CE de acompanhamento,
normalmente aposta sobre a etiqueta, que
1 ---------------------Rotho Blaas
assume, portanto, validade legal e con- 2 ---------------------ETA 11/0496
tém todas as informações necessárias para 3 ---------------------DoP: TITAN_DoP_110496
identificar o produto, nomeadamente: (www.rothoblaas.pt)

PACKAGING E LABELLING CONTROLO DE QUALIDADE


Embalagem e etiquetagem O procedimento de controlo de fábrica (FPC)
continua com uma segunda fase de verificações
realizadas no armazém central

VERIFICAÇÃO VERIFICAÇÃO VERIFICAÇÃO

06 C 07 D 08 09 E 10

TRATAMENTOS DE ARMAZENAMENTO VENDA E


PROTEÇÃO Aceitação das mercadorias de RASTREABILIDADE
Processo de revestimento (ex., entrada e encaminhamento delas Com o número de lote e a nota de
eletrogalvanização) ao Laboratório de Controlo de encomenda, é possível remontar
Qualidade a todas as fases de produção
registadas nos relativos controlos:
o cliente tem, portanto, a
segurança de receber um produto
certificado e de qualidade

VERIFICAÇÕES
A. Verificação, controlo e registo da matéria
prima de entrada
B. Verificação geométrica conforme tolerân-
cias e calibragens normativas
C. Verificação da espessura da zincagem
D. Verificação da embalagem e da etiqueta
E. CONTROLO DE QUALIDADE
Verificação geométrica conforme tolerân-
cias e calibragens normativas

QUALITY CONTROL | 7
REACH REGULATION
Registration, Evaluation, Autorisation of Chemicals (CE n. 1907/2006)

É o regulamento europeu para a gestão das substâncias químicas pro-


priamente ditas ou que fazem parte de preparações (misturas) e artigos
(ref. art.º 3º pontos 2,3). Este regulamento atribui responsabilidades bem
definidas a cada elo da cadeia de abastecimento no que respeita à co-
municação e à utilização segura das substâncias perigosas.

PARA QUE SERVE?


O REACH visa garantir um alto nível de proteção da saúde humana e do
meio-ambiente. O surgimento do REACH exige a recolha e divulgação
de informações completas sobre os perigos de determinadas substân- Incluímos a conformidade REACH en-
cias e a sua utilização segura na cadeia de abastecimento (regulamento tre os parâmetros de seleção dos nos-
CLP 1272/2008). sos produtos e processos produtivos.
Desta forma podemos garantir altos pa-
O regulamento prevê a atualização contínua das informações e o con- drões de qualidade em termos de tutela
trolo por parte da Agência Europeia dos Produtos Químicos ECHA (Eu- da saúde e do meio-ambiente.
ropean Chemical Agency).

Nomeadamente para o utilizador, estes conceitos significam:

• SVHC - Substances Of Very High Concern


Lista de quaisquer substâncias perigosas contidas em artigos

• SDS - Safety Data Sheet


Documento que inclui as informações para a correta gestão de cada
mistura perigosa

REACH COMPLIANCE

PROJECT PRODUCTION REACH COMPLIANCE MARKET

Conceção do produto e Início da fase de produção Análise/seleção de Produto que cumpre os


escolha dos materiais mais com avaliação das subs- amostras para verificar requisitos do Regulamen-
adequados ao fabrico. tâncias utilizadas durante a conformidade com o to REACH e os padrões de
todo o processo. REACH. qualidade da Rothoblaas.

8 | REACH REGULATION
REACH PROCESS

INFORMATION

MANUFACTURER ECHA
OR IMPORTER European Chemicals Agency
RESTRICTED SUBSTANCES
AUTHORISED SUBSTANCES

PRODUCTS
ARTICLES MIXTURE

≥ 0,1 % < 0,1 % NOT HAZARDOUS HAZARDOUS

SVHC SVHC
communication
SDS
NOT REQUIRED SDS
SUBSTANCES OF VERY NOT REQUIRED SAFETY DATA SHEET
HIGH CONCERN

REACH REGULATION
COMMUNICATION
REQUIRED
REQUIRED

TECHNICAL CONSULTANT
& TECHNICAL SALESMAN

INFORMATION INFORMATION
MARKET

REQUESTS REQUESTS

REACH PROCESS | 9
LIGAÇÕES OCULTAS
PARA VIGAS
LIGAÇÕES OCULTAS
PARA VIGAS
LIGAÇÕES OCULTAS
PARA VIGAS

ALUMINI
LIGADOR OCULTO SEM FUROS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 18

ALUMIDI
LIGADOR OCULTO COM E SEM FUROS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 26

ALUMAXI
LIGADOR OCULTO COM E SEM FUROS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 38

SBD
CAVILHA AUTO-PERFURANTE . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 48

STA
CAVILHA LISA . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 54

LOCK T
LIGADOR OCULTO DE ENGATE
MADEIRA-MADEIRA. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 60

LOCK T EVO
LIGADOR OCULTO DE ENGATE
MADEIRA-MADEIRA PARA EXTERIOR. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 74

LOCK C
LIGADOR OCULTO DE ENGATE MADEIRA-BETÃO. . . . . . . . . . . . 84

UV-T
LIGADOR OCULTO DE ENGATE
MADEIRA-MADEIRA. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 94

UV-C
LIGADOR OCULTO DE ENGATE MADEIRA-BETÃO. . . . . . . . . . . 104

DISC FLAT
LIGADOR OCULTO REMOVÍVEL. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 108

DISC FLAT A2
LIGADOR OCULTO REMOVÍVEL. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 116

VGU
ANILHA 45° PARA VGS. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 124

VGU PLATE T
CHAPA PARA FORÇAS DE TRAÇÃO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 132

NEO
CHAPAS DE APOIO EM NEOPRENE. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 138

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | 13


LIGAÇÃO PRINCIPAL - SECUNDÁRIA

A ampla escolha de sistemas de ligação permite a satisfação de exigências projectuais diversificadas: as liga-
ções entre elementos de madeira devem assegurar resistência estática e confiabilidade em caso de incêndio
garantindo, ao mesmo tempo, um bom resultado estético.

SEGURANÇA ESTÁTICA
DEFINIÇÃO

A ligação viga principal-viga secundária nas estruturas de madeira é es-


quematizável por meio de uma junção em forma de dobradiça que vin-
LIGAÇÃO DE DOBRADIÇA cula os elementos à translação, mas não à rotação, diferenciando-se,
portanto, do vínculo de encaixe (recorrente vice-versa nas estruturas de
betão).
A união está apta, de facto, a transferir o esforço de corte e a tensão axial
da viga secundária para a viga principal, mas não um momento de flexão
ou torção.

LIGAÇÃO DE ENCAIXE

ANÁLISE
FV

O sistema de ligação não é uma junção pontual, mas é constituído de


RT mais elementos que interagem entre si.
A conformação geométrica da ligação gera, contextualmente à transfe-
rência do corte, um momento parasita com consequentes tensões adi-
cionais sobre os elementos (tração sobre as fixações/compressão sobre
RC a viga principal).

SOLUÇÕES

Os valores de resistência são certificados (marcação CE), calculáveis


(conforme ETA) e elaborados pela Rothoblaas em função das exigências
ETA
do projectista (documentação técnica).

Fv Conforme a tipologia da ligação, haverá diferentes resistências nas várias


direcções:
• Fv = corte para baixo
• Fup = corte para o alto
Flat Fax • Flat = corte lateral
• Fax = tração axial
Fup

14 | LIGAÇÃO PRINCIPAL - SECUNDÁRIA | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS


EXIGÊNCIA ESTÉTICA

“Todos veem aquilo que tu pareces, poucos sentem o que tu és.” [N. Maquiavel]

LIGAÇÃO OCULTA LIGAÇÃO APARENTE

As ligações são inteiramente A ligação metálica é posicio-


incorporadas aos elementos nada fora do elemento de
de madeira para se obter um madeira, sendo assim visível e
óptimo resultado estético. dotada de um grande impacto
estético.

PROTEÇÃO CONTRA O FOGO


As estruturas de madeira, corretamente projectadas, garantem elevadas prestações também em caso de incêndio.

MADEIRA METAL

A madeira é um material com- Os materiais metálicos sofrem


bustível que queima lenta- uma drástica redução das capa-
mente: em caso de incêndio, cidades mecânicas em presen-
verifica-se uma redução da ça de temperaturas elevadas.
secção resistente, mas a parte
não atingida pela carboniza-
ção continua a ser eficiente.

LIGAÇÕES MADEIRA–METAL

LIGAÇÕES PROTEGIDAS

A ligação metálica, adequadamente protegida e isolada pela madeira, não sofre redução
de resistência e mantém intactas as propriedades mecânicas pelo tempo requerido.
(ex.: R45 = 45 minutos)
ex. R45

LIGAÇÕES NÃO PROTEGIDAS

A ligação metálica directamente exposta tem uma resistência muito limitada.


(geralmente, R15 = 15 minutos)
Além disso, a redução da secção de madeira por causa da carbonização, provoca uma
ex. R15 diminuição da profundidade de cravação das fixações.

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | LIGAÇÃO PRINCIPAL - SECUNDÁRIA | 15


GEOMETRIA
Escolha do sistema de ligação em função das dimensões da viga H
secundária
B

BASE DA VIGA SECUNDÁRIA B [mm] ALTURA DA VIGA SECUNDÁRIA H [mm]

300 250 200 150 100 50 0 mm mm 0 200 400 600 800 1000 1200

ALUMINI
45 80
mm mm

ALUMIDI
80 100
mm mm

ALUMAXI
160 432 1680
mm mm mm

LOCK T
35 80
mm mm

LOCK T FLOOR
1260 330 135
mm mm mm

LOCK T EVO
53 80
mm mm

LOCK C
70 120
mm mm

LOCK C FLOOR
1260 330 135
mm mm mm

UV-T
45 100
mm mm

UV-C
80 180
mm mm

DISC FLAT
100 100
mm mm

DISC FLAT A2
100 100
mm mm

16 | GEOMETRIA | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS


RESISTÊNCIA Fv

Escolha do sistema de ligação em função da tensão de corte vertical Flat Fax

Fup

CAMPOS DE APLICAÇÃO OUTDOOR FORÇAS RESISTÊNCIA DO LADO DA MADEIRA Rvk [kN]

Fv Fax Flat Fup 0 50 100 150 200 250 300

ALUMINI
40
kN

ALUMIDI
155
kN

ALUMAXI
370
kN

LOCK T
65
kN

LOCK T FLOOR
80
kN

LOCK T EVO
35
kN

LOCK C
65
kN

LOCK C FLOOR
80
kN

UV-T
65
kN

UV-C
40
kN

DISC FLAT
65
kN

DISC FLAT A2
45
kN

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | RESISTÊNCIA | 17


ALUMINI ETA 09/0361

LIGADOR OCULTO SEM FUROS

AÇO - ALUMÍNIO
Conector em liga de alumínio EN AW-6060 produzida para extrusão e,
portanto, isenta de soldadura.

ESTRUTURAS FINAS
A contida geometria do contra-apoio permite ligações de vigas secun-
dárias com largura reduzida (a partir de 45 mm).

LIGAÇÕES INCLINADAS
Resistências certificadas e calculadas em todas as direções: verticais,
horizontais e axiais. Utilizável em ligações inclinadas.

CARATERÍSTICAS
FOCUS ligações ocultas
SECÇÕES DE MADEIRA de 45 x 70 mm a 140 x 280 mm VÍDEO
Digitalize o QR Code e assista ao
RESISTÊNCIA Rv,k até 36 kN
vídeo no nosso canal YouTube
FIXAÇÕES HBS PLATE EVO, SBD, STA, SKS

MATERIAL
Chapa furada tridimensional em liga de alumínio.

CAMPOS DE APLICAÇÃO
Ligações de corte madeira-madeira e madei-
ra-betão quer ortogonais, quer inclinadas
• madeira maciça e lamelar
• CLT, LVL
• painéis à base de madeira

18 | ALUMINI | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS


MONTAGEM RÁPIDA
A fixação, simples e veloz, realiza-se com pa-
rafusos HBS PLATE EVO sobre a viga principal
e com cavilhas autoperfurantes ou lisos sobre
a viga secundária.

INVISÍVEL
A ligação oculta garante uma estética agra-
dável e satisfaz os requisitos de resistência ao
fogo. Utilizável também em ambiente exterior,
se coberta adequadamente pela madeira.

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | ALUMINI | 19


CÓDIGOS E DIMENSÕES
ALUMINI

CÓDIGO tipo H pçs


[mm]
ALUMINI65 sem furos 65 25
ALUMINI95 sem furos 95 25 H
ALUMINI125 sem furos 125 25
ALUMINI155 sem furos 155 15
ALUMINI185 sem furos 185 15
ALUMINI215 sem furos 215 15
ALUMINI2165 sem furos 2165 1

HBS PLATE EVO

CÓDIGO d1 L b TX pçs d1
[mm] [mm] [mm]
L
HBSPEVO550 5 50 30 TX25 200
HBSPEVO560 5 60 35 TX25 200

SBD

CÓDIGO d1 L TX pçs d1
[mm] [mm] L
SBD7555 7,5 55 TX40 50
SBD7575 7,5 75 TX40 50
SBD7595 7,5 95 TX40 50

SKS ALUMINI
d1
CÓDIGO d1 L TX pçs
L
[mm] [mm]
SKSALUMINI660 6 60 TX30 100

PONTEIRA LONGA

CÓDIGO L cor TX pçs


[mm]
TX30200 200 viola TX30 100

MATERIAL E DURABILIDADE FORÇAS


ALUMINI: liga de alumínio EN AW-6060.
Utilização em classes de serviço 1 e 2 (EN 1995-1-1). Fv

CAMPOS DE APLICAÇÃO Flat


• Ligações madeira-madeira, madeira-betão e
Fax
madeira-aço
Fup
• Nós ortogonais ou inclinados

PRODUTOS ADICIONAIS - FIXAÇÕES

tipo descrição d suporte pág.

[mm]
HBS PLATE EVO parafuso para madeira 5 560
SBD cavilha auto-perfurante 7,5 48
STA cavilha lisa 8 54

20 | ALUMINI | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS


GEOMETRIA LA

10 25 10 LB

ALUMINI 17,5 10
15
espessura s [mm] 6
Ø1
largura da asa LA [mm] 45 H

comprimento da alma LB [mm] 109,9

furos pequenos da asa Ø1 [mm] 7,0

LA s

INSTALAÇÃO
DISTÂNCIAS MÍNIMAS
e
a4,c
as a4,t

a2

as
a4,c

cavilha
≥10 mm auto-perfurante cavilha lisa
viga secundária madeira
SBD Ø7,5 STA Ø8
cavilha-cavilha a2 [mm] ≥3d ≥ 23 ≥ 24
cavilha-extradorso da viga a4,t [mm] ≥4d ≥ 30 ≥ 32
cavilha-intradorso da viga a4,c [mm] ≥3d ≥ 23 ≥ 24
cavilha-borda do conector as [mm] ≥ 1,2 d0(1) ≥ 10 ≥ 12
cavilha-viga principal e [mm] 86 86
(1) Diâmetro do furo.

viga principal-madeira parafuso HBS PLATE EVO Ø5

primeiro ligador-extradorso da viga a4,c [mm] ≥5d ≥ 25

MONTAGEM

01 02 03 04
a4,t

a4,c

05 06 07

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | ALUMINI | 21


VALORES ESTÁTICOS | LIGAÇÃO MADEIRA-MADEIRA | F≥10
v mm

Fv bJ

H hJ

ALUMINI com cavilhas autoperfurantes SBD

VIGA SECUNDÁRIA VIGA PRINCIPAL


ALUMINI cavilhas SBD parafusos HBS PLATE EVO
Rv,k
H(1) bJ hJ Ø7,5(2) Ø5 x 60
[mm] [mm] [mm] [pçs - Ø x L] [pçs.] [kN]
65 60 90 2 - SBD Ø7,5 x 55 7 2,9
95 60 120 3 - SBD Ø7,5 x 55 11 7,1
125 60 150 4 - SBD Ø7,5 x 55 15 12,9
155 60 180 5 - SBD Ø7,5 x 55 19 19,9
185 60 210 6 - SBD Ø7,5 x 55 23 27,9
215 60 240 7 - SBD Ø7,5 x 55 27 36,5

ALUMINI com cavilhas STA

VIGA SECUNDÁRIA VIGA PRINCIPAL


ALUMINI cavilhas STA parafusos HBS PLATE EVO
Rv,k
H(1) bJ hJ Ø8(3) Ø5 x 60
[mm] [mm] [mm] [pçs - Ø x L] [pçs.] [kN]
65 60 90 2 - STA Ø8 x 60 7 2,9
95 60 120 3 - STA Ø8 x 60 11 7,1
125 60 150 4 - STA Ø8 x 60 15 12,9
155 60 180 5 - STA Ø8 x 60 19 19,9
185 60 210 6 - STA Ø8 x 60 23 27,9
215 60 240 7 - STA Ø8 x 60 27 35,0

NOTAS:
(1)
O ligador de altura H está disponível pré-cortado (códigos na pág. 20) ou Princípios gerais de cálculo ver pág. 25.
pode ser obtido na barra ALUMINI2165.
(2)
Cavilhas autoperfurantes SBD Ø7,5: My,k = 42000 Nmm.
(3)
Cavilhas lisas STA Ø8: My,k = 24100 Nmm.

22 | ALUMINI | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS


VALORES ESTÁTICOS | LIGAÇÃO MADEIRA-MADEIRA | Flat
bJ

Flat H hJ

ALUMINI com cavilhas autoperfurantes SBD e cavilhas SBD

VIGA SECUNDÁRIA (1) VIGA PRINCIPAL

ALUMINI parafusos HBS PLATE EVO


Rlat,k,alu Rlat,k,beam(2)
H bJ hJ Ø5 x 60
[mm] [mm] [mm] [pçs.] [kN] [kN]
65 60 90 7 1,6 3,1
95 60 120 11 2,3 4,1
125 60 150 15 3,0 5,1
155 60 180 19 3,8 6,2
185 60 210 23 4,5 7,2
215 60 240 27 5,2 8,2

VALORES ESTÁTICOS | LIGAÇÃO MADEIRA-MADEIRA | Fax


bJ

Fax H hJ

ALUMINI com cavilhas autoperfurantes SBD

VIGA SECUNDÁRIA VIGA PRINCIPAL


ALUMINI cavilhas SBD parafusos HBS PLATE EVO
Rax,k
H bJ hJ Ø7,5 Ø5 x 60
[mm] [mm] [mm] [pçs - Ø x L] [pçs.] [kN]
65 60 90 2 - SBD Ø7,5 x 55 7 15,5
95 60 120 3 - SBD Ø7,5 x 55 11 24,3
125 60 150 4 - SBD Ø7,5 x 55 15 33,2
155 60 180 5 - SBD Ø7,5 x 55 19 42,0
185 60 210 6 - SBD Ø7,5 x 55 23 50,8
215 60 240 7 - SBD Ø7,5 x 55 27 59,7

NOTAS:
(1)
Os valores de resistência são válidos tanto para as cavilhas autoperfurantes Princípios gerais de cálculo ver pág. 25.
SBD Ø7,5, como para as cavilhas STA Ø8.
(2)
Madeira lamelar GL24h.

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | ALUMINI | 23


VALORES ESTÁTICOS RECOMENDADOS | LIGAÇÃO MADEIRA-BETÃO| Fv
ANCORANTE PARAFUSÁVEL
bJ
Fv

H hJ

ALUMINI com cavilhas autoperfurantes SBD


VIGA SECUNDÁRIA VIGA PRINCIPAL
MADEIRA BETÃO NÃO FISSURADO
ALUMINI cavilhas SBD ancorante SKSALUMINI660(3)
H(1) bJ hJ Ø7,5 Rv,k timber Ø6 x 60 Rv,d concrete
[mm] [mm] [mm] [pçs - Ø x L] [kN] [pçs.] [kN]
125 60 150 3 - SBD Ø7,5 x 55 15,6 4 6,0
155 60 180 3 - SBD Ø7,5 x 55 15,6 5 7,3
185 60 210 4 - SBD Ø7,5 x 55 20,8 5 9,1
215 60 240 5 - SBD Ø7,5 x 55 26,1 6 11,5

ALUMINI com cavilhas STA


VIGA SECUNDÁRIA VIGA PRINCIPAL
MADEIRA BETÃO NÃO FISSURADO
ALUMINI cavilhas STA ancorante SKSALUMINI660(3)
H(1) bJ hJ Ø8 Rv,k timber Ø6 x 60 Rv,d concrete
[mm] [mm] [mm] [pçs - Ø x L] [kN] [pçs.] [kN]
125 60 150 3 - STA Ø8 x 60 15,0 4 6,0
155 60 180 3 - STA Ø8 x 60 15,0 5 7,3
185 60 210 4 - STA Ø8 x 60 20,0 5 9,1
215 60 240 5 - STA Ø8 x 60 25,0 6 11,5

INSTALAÇÃO DOS ANCORANTES

ALUMINI125 ALUMINI155 ALUMINI185 ALUMINI215

Tinst
d1 L d0 t TX Tinst
ancorante d0 d1
[mm] [mm] [mm] [mm] [Nm]
SKSALUMINI660 6,0 60 5 ≈ 10 TX30 15 t

24 | ALUMINI | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS


PRINCÍPIOS GERAIS: VALORES ESTÁTICOS | Flat | Fax

• Os valores de resistência do sistema de fixação são válidos para as hipóte- MADEIRA-MADEIRA


ses de cálculo definidas em tabela. • Os valores característicos são conforme a norma EN 1995-1-1, de acordo
• Em fase de cálculo, considerou-se uma massa volúmica dos elementos de com ETA-09/0361. Os valores de projeto são obtidos a partir dos valores
madeira equivalente a ρ k = 385 kg/m3 e betão C20/25 com armação rara na característicos, desta forma:
ausência de distâncias da borda. Rlat,k,alu
Rlat,k,alu
• Os coeficientes kmod e yM devem ser considerados em função da norma γM,alu
vigente utilizada para o cálculo.
Rlat,d = min γM,alu k
Rlat,d = min Rlat,k,beam mod
Rlat,k,beam kmod
• A dimensão e a verificação dos elementos de madeira e de betão devem
γM,T
ser feitas à parte. γM,T

R kmod
Rax,d = Rax,k
γM kmod
Rax,d = ax,k
γM
VALORES ESTÁTICOS | F v com yM,T coeficiente parcial do material madeira.

MADEIRA-MADEIRA
• Os valores característicos são conforme a norma EN 1995-1-1, de acordo
com ETA-09/0361. VALORES ESTÁTICOS | F v
Os valores de projeto são obtidos a partir dos valores característicos, desta
MADEIRA-BETÃO
forma:
• Os valores característicos do lado da madeira estão em conformidade com
Rk kmod a norma EN 1995-1-1, de acordo com a ETA-09/0361. Os valores de resis-
Rd =
γM tência dos ancorantes para betão são valores de projeto recomendados e
derivados de dados de laboratório. A fixação no betão não tem a marcação
• Em alguns casos, a resistência ao corte RV,k da ligação resulta ser particu- CE, por isso, é recomendável utilizar o sistema de ligação para aplicações
larmente elevada e pode superar a resistência ao corte da viga secundária. não-estruturais.
Portanto, aconselha-se a prestar uma particular atenção à verificação do Os valores de resistência de projeto são obtidos a partir dos valores indica-
corte da secção reduzida do elemento de madeira em correspondência dos na tabela, desta forma:
com a conector.
Rk, timber kmod
Rd = min γM
Rd, concrete

• Devido à disposição das fixações no betão, é aconselhável prestar uma par-
ticular atenção durante a instalação.

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | ALUMINI | 25


ALUMIDI ETA 09/0361

LIGADOR OCULTO COM E SEM FUROS

LIGAÇÕES INCLINADAS
Resistências certificadas e calculadas em todas as direções: verticais,
horizontais e axiais. Utilizável em zonas sísmicas e em flexão desviada.

AÇO - ALUMÍNIO
Conector em liga de alumínio EN AW-6005A de alta resistência, produ-
zida para extrusão e, portanto, isenta de soldadura.

MADEIRA E BETÃO
Distâncias entre os furos otimizadas para ligações quer sobre madeira
(pregos ou parafusos) quer sobre betão armado (ancorantes parafusáveis
ou químicos).

CARATERÍSTICAS
FOCUS ligações ocultas
SECÇÕES DE MADEIRA de 80 x 100 mm a 200 x 520 mm VÍDEO
Digitalize o QR Code e assista ao
RESISTÊNCIA Rv,k até 150 kN
vídeo no nosso canal YouTube
FIXAÇÕES LBA, LBS, SBD, STA, SKR

MATERIAL
Chapa furada tridimensional em liga de alumínio.

CAMPOS DE APLICAÇÃO
Ligações de corte madeira-madeira e madei-
ra-betão tanto ortogonais, como inclinadas
• madeira maciça e lamelar
• CLT, LVL
• painéis à base de madeira

26 | ALUMIDI | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS


INVISÍVEL
A ligação oculta garante uma estética agra-
dável e satisfaz os requisitos de resistência
ao fogo. Uma expansão na altura do primeiro
furo, facilita a inserção, a partir do alto, da viga
secundária.

MADEIRA E BETÃO
Para as aplicações sobre betão armado e ou-
tras superfícies irregulares, as cavilhas auto-
perfurantes permitem uma maior tolerância
na fixação do elemento de madeira. Os valores
são certificados, testados e consolidados.

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | ALUMIDI | 27


CÓDIGOS E DIMENSÕES
ALUMIDI SEM FUROS

CÓDIGO tipo H pçs


[mm]
ALUMIDI80 sem furos 80 25
H
ALUMIDI120 sem furos 120 25
ALUMIDI160 sem furos 160 25
ALUMIDI200 sem furos 200 15
ALUMIDI240 sem furos 240 15
ALUMIDI2200 sem furos 2200 1

ALUMIDI SEM FUROS COM EXPANSÃO SUPERIOR

CÓDIGO tipo H pçs


[mm]
ALUMIDI280N sem furos 280 15
ALUMIDI320N sem furos 320 8 H
ALUMIDI360N sem furos 360 8
ALUMIDI400N sem furos 400 8
ALUMIDI440N sem furos 440 8

ALUMIDI COM FUROS

CÓDIGO tipo H pçs


[mm]
ALUMIDI120L com furos 120 25
ALUMIDI160L com furos 160 25 H

ALUMIDI200L com furos 200 15


ALUMIDI240L com furos 240 15
ALUMIDI280L com furos 280 15
ALUMIDI320L com furos 320 8
ALUMIDI360L com furos 360 8

MATERIAL E DURABILIDADE FORÇAS


ALUMIDI: liga de alumínio EN AW-6005A. Fv
Utilização em classes de serviço 1 e 2 (EN 1995-1-1).

CAMPOS DE APLICAÇÃO
• Ligações madeira-madeira, madeira-betão e
Flat
madeira-aço
• Viga secundária na viga principal ou no pilar Fax
• Nós ortogonais ou inclinados Fup

PRODUTOS ADICIONAIS - FIXAÇÕES

tipo descrição d suporte pág.

[mm]
LBA prego Anker 4 548
LBS parafuso para chapas 5 552
SBD cavilha auto-perfurante 7,5 48
STA cavilha lisa 12 54
SKR ancorante parafusável 10 488
VIN-FIX PRO ancorante químico M8 511
EPO-FIX PLUS ancorante químico M8 517

28 | ALUMIDI | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS


GEOMETRIA
ALUMIDI ALUMIDI ALUMIDI
sem furos sem furos com com furos
expansão superior
LB LB

LA LB 86 23,4 86 23,4

8 20 20
32
16
Ø3

H Ø2
40
Ø1

20

19 42 19
LA s LA s LA s
14 52 14

s s s

ALUMIDI
espessura s [mm] 6
largura da asa LA [mm] 80
comprimento da alma LB [mm] 109,4
furos pequenos da asa Ø1 [mm] 5,0
furos grandes da asa Ø2 [mm] 9,0
furos da alma (cavilha) Ø3 [mm] 13,0

INSTALAÇÃO
DISTÂNCIAS MÍNIMAS
e hmin e

a4,c a4,t a4,t


as as

a2 a2
Tinst

as a4,c as a4,c

hef

cavilha auto-perfurante cavilha lisa


viga secundária madeira
SBD Ø7,5 STA Ø12
cavilha-cavilha a2 [mm] ≥3d ≥ 23 ≥ 36

cavilha-extradorso da viga a4,t [mm] ≥4d ≥ 30 ≥ 48

cavilha-intradorso da viga a4,c [mm] ≥3d ≥ 23 ≥ 36

cavilha-borda do conector as [mm] ≥ 1,2 d0(1) ≥ 10 ≥ 16

cavilha-viga principal e [mm] 86 86


(1) Diâmetro do furo.

prego Anker parafuso


viga principal-madeira
LBA Ø4 LBS Ø5
primeiro ligador-extradorso da viga a4,c [mm] ≥5d ≥ 20 ≥ 25

ancorante químico ancorante parafusável


viga principal-betão
VIN FIX-PRO Ø8 SKR-E Ø10
espessura mínima do suporte hmin [mm] hef + 30 ≥ 100 110

diâmetro do furo no betão d0 [mm] 10 8

torque de aperto Tinst [Nm] 10 50


hef = profundidade efetiva de ancoragem no betão.

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | ALUMIDI | 29


EXEMPLOS DE APLICAÇÃO
Flat

F Fv Fv Fv

Fax

β
α

MONTAGEM

01 02 03

ALUMIDI SEM FUROS

04 05 06 07

ALUMIDI SEM FUROS COM EXPANSÃO SUPERIOR

04 05 06 07

ALUMIDI COM FUROS

04 05 06 07

30 | ALUMIDI | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS


VALORES ESTÁTICOS | LIGAÇÃO MADEIRA-MADEIRA | Fv
PREGAGEM TOTAL

Fv bJ

H hJ

ALUMIDI com cavilhas autoperfurantes SBD

VIGA SECUNDÁRIA VIGA PRINCIPAL

FIXAÇÃO COM PREGOS FIXAÇÃO COM PARAFUSOS


ALUMIDI
cavilhas SBD pregos LBA Rv,k parafusos LBS Rv,k
H(1) bJ hJ Ø7,5(2) Ø4 x 60 Ø5 x 60
[mm] [mm] [mm] [pçs - Ø x L] [pçs.] [kN] [pçs.] [kN]
80 120 120 3 - Ø7,5 x 115 14 10,9 14 13,4
120 120 160 4 - Ø7,5 x 115 22 19,7 22 24,6
160 120 200 5 - Ø7,5 x 115 30 29,6 30 35,3
200 120 240 7 - Ø7,5 x 115 38 42,5 38 51,6
240 120 280 9 - Ø7,5 x 115 46 54,6 46 66,5
280 140 320 10 - Ø7,5 x 135 54 71,8 54 85,0
320 140 360 11 - Ø7,5 x 135 62 84,9 62 99,9
360 160 400 12 - Ø7,5 x 155 70 103,6 70 119,9
400 160 440 13 - Ø7,5 x 155 78 116,3 78 130,7
440 160 480 14 - Ø7,5 x 155 86 134,5 86 145,6

ALUMIDI com cavilhas STA

VIGA SECUNDÁRIA VIGA PRINCIPAL

FIXAÇÃO COM PREGOS FIXAÇÃO COM PARAFUSOS


ALUMIDI
cavilhas STA pregos LBA parafusos LBS
Rv,k Rv,k
H(1) bJ hJ Ø12(3) Ø4 x 60 Ø5 x 60
[mm] [mm] [mm] [pçs - Ø x L] [pçs.] [kN] [pçs.] [kN]
120 120 160 3 - Ø12 x 120 22 23,0 22 25,8
160 120 200 4 - Ø12 x 120 30 34,5 30 40,6
200 120 240 5 - Ø12 x 120 38 46,5 38 54,8
240 120 280 6 - Ø12 x 120 46 60,9 46 68,4
280 140 320 7 - Ø12 x 140 54 77,2 54 87,0
320 140 360 8 - Ø12 x 140 62 93,2 62 102,4
360 160 400 9 - Ø12 x 160 70 114,3 70 124,7
400 160 440 10 - Ø12 x 160 78 127,3 78 141,0
440 160 480 11 - Ø12 x 160 86 144,6 86 154,9

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | ALUMIDI | 31


VALORES ESTÁTICOS | LIGAÇÃO MADEIRA-MADEIRA | Fv
PREGAGEM PARCIAL(4)

bJ
Fv

H hJ

ALUMIDI com cavilhas autoperfurantes SBD

VIGA SECUNDÁRIA VIGA PRINCIPAL

FIXAÇÃO COM PREGOS FIXAÇÃO COM PARAFUSOS


ALUMIDI
cavilhas SBD pregos LBA parafusos LBS
Rv,k Rv,k
H(1) bJ hJ Ø7,5(2) Ø4 x 60 Ø5 x 60
[mm] [mm] [mm] [pçs - Ø x L] [pçs.] [kN] [pçs.] [kN]
80 120 120 3 - Ø7,5 x 115 10 9,0 10 11,2
120 120 160 4 - Ø7,5 x 115 14 15,0 14 18,6
160 120 200 5 - Ø7,5 x 115 18 24,7 18 25,2
200 120 240 6 - Ø7,5 x 115 22 31,0 22 35,2
240 120 280 7 - Ø7,5 x 115 26 38,0 26 45,5
280 140 320 8 - Ø7,5 x 135 30 47,6 30 54,8
320 140 360 9 - Ø7,5 x 135 34 55,0 34 64,8
360 160 400 10 - Ø7,5 x 155 38 66,2 38 75,2
400 160 440 11 - Ø7,5 x 155 42 74,9 42 84,4
440 160 480 12 - Ø7,5 x 155 46 83,2 46 95,3

ALUMIDI com cavilhas STA

VIGA SECUNDÁRIA VIGA PRINCIPAL

FIXAÇÃO COM PREGOS FIXAÇÃO COM PARAFUSOS


ALUMIDI
cavilhas STA pregos LBA parafusos LBS
Rv,k Rv,k
H(1) bJ hJ Ø12(3) Ø4 x 60 Ø5 x 60
[mm] [mm] [mm] [pçs - Ø x L] [pçs.] [kN] [pçs.] [kN]
120 120 160 3 - Ø12 x 120 14 18,2 14 21,4
160 120 200 4 - Ø12 x 120 18 26,4 18 30,9
200 120 240 5 - Ø12 x 120 22 34,8 22 39,7
240 120 280 6 - Ø12 x 120 26 44,0 26 48,5
280 140 320 7 - Ø12 x 140 30 54,0 30 63,5
320 140 360 8 - Ø12 x 140 34 64,2 34 73,2
360 160 400 9 - Ø12 x 160 38 80,2 38 83,0
400 160 440 10 - Ø12 x 160 42 89,4 42 92,7
440 160 480 11 - Ø12 x 160 46 98,7 46 102,5

NOTAS:
MADEIRA-MADEIRA | Fv
(1) (4)
O ligador de altura H está disponível pré-cortado nas versões ALUMIDI sem A pregagem parcial é necessária para ligações viga-pilar para respeitar as
furos, ALUMIDI com furos e ALUMIDI com expansão (códigos na pág. 28) distâncias mínimas das fixações; também pode ser aplicada para ligações
ou pode ser obtido na barra ALUMIDI2200. viga-viga. A pregagem parcial deve ser feita pregando cada coluna alterna-
(2)
Cavilhas autoperfurantes SBD Ø7,5: My,k = 42000 Nmm. damente, como mostrado na imagem.
(3)
Cavilhas lisas STA Ø12: My,k = 69100 Nmm.
Princípios gerais de cálculo ver pág. 36.

32 | ALUMIDI | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS


VALORES ESTÁTICOS | LIGAÇÃO MADEIRA-MADEIRA | Flat
bJ

Flat H hJ

ALUMIDI com cavilhas autoperfurantes SBD e cavilhas STA

VIGA SECUNDÁRIA (1) VIGA PRINCIPAL (2)

ALUMIDI pregos LBA / parafusos LBS


Rlat,k,alu Rlat,k,beam(3)
H bJ hJ Ø4 x 60 / Ø5 x 60
[mm] [mm] [mm] [pçs.] [kN] [kN]
80 120 120 ≥ 10 3,6 9,0
120 120 160 ≥ 14 5,4 12,0
160 120 200 ≥ 18 7,2 15,0
200 120 240 ≥ 22 9,1 18,0
240 120 280 ≥ 26 10,9 21,0
280 140 320 ≥ 30 12,7 28,1
320 140 360 ≥ 34 14,5 31,6
360 160 400 ≥ 38 16,3 40,1
400 160 440 ≥ 42 18,1 44,1
440 160 480 ≥ 46 19,9 48,1

VALORES ESTÁTICOS | LIGAÇÃO MADEIRA-MADEIRA | Fax


bJ

Fax H hJ

ALUMIDI com cavilhas autoperfurantes SBD

VIGA SECUNDÁRIA VIGA PRINCIPAL

FIXAÇÃO COM PREGOS FIXAÇÃO COM PARAFUSOS


ALUMIDI
cavilhas SBD pregos LBA parafusos LBS
Rax,k Rax,k
H bJ hJ Ø7,5 Ø4 x 60 Ø5 x 60
[mm] [mm] [mm] [pçs - Ø x L] [pçs.] [kN] [pçs.] [kN]
80 120 120 3 - Ø7,5 x 115 14 11,3 14 23,9
120 120 160 4 - Ø7,5 x 115 22 17,8 22 37,5
160 120 200 5 - Ø7,5 x 115 30 24,3 30 51,2
200 120 240 7 - Ø7,5 x 115 38 30,8 38 64,8
240 120 280 9 - Ø7,5 x 115 46 37,3 46 78,4
280 140 320 10 - Ø7,5 x 135 54 43,7 54 92,1
320 140 360 11 - Ø7,5 x 135 62 50,2 62 105,7
360 160 400 12 - Ø7,5 x 155 70 56,7 70 119,4
400 160 440 13 - Ø7,5 x 155 78 63,2 78 133,0
440 160 480 14 - Ø7,5 x 155 86 69,7 86 146,6

NOTAS:
MADEIRA-MADEIRA | Flat | Fax
(1)
Os valores de resistência são válidos tanto para as cavilhas autoperfurantes Princípios gerais de cálculo ver pág. 36.
SBD Ø7,5, como para as cavilhas STA Ø12.
(2)
Os valores de resistência são válidos tanto para os pregos LBA Ø4, como
para os parafusos LBS Ø5.
(3)
Madeira lamelar GL24h.

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | ALUMIDI | 33


VALORES ESTÁTICOS | LIGAÇÃO MADEIRA-BETÃO | Fv
ANCORANTE PARAFUSÁVEL

bJ
Fv

H hJ

ALUMIDI com cavilhas autoperfurantes SBD

VIGA SECUNDÁRIA VIGA PRINCIPAL


MADEIRA BETÃO NÃO FISSURADO
ALUMIDI cavilhas SBD ancorante SKR-E
H(1) bJ hJ Ø7,5(2) Rv,k timber Ø10 x 80(4) Rv,d concrete
[mm] [mm] [mm] [pçs - Ø x L] [kN] [pçs.] [kN]
80 120 120 2 - Ø7,5 x 115 16,6 2 6,1
120 120 160 3 - Ø7,5 x 115 24,9 4 10,2
160 120 200 4 - Ø7,5 x 115 33,2 4 12,9
200 120 240 5 - Ø7,5 x 115 41,6 6 17,4
240 120 280 6 - Ø7,5 x 115 49,9 6 19,8
280 140 320 6 - Ø7,5 x 135 55,1 8 24,3
320 140 360 7 - Ø7,5 x 135 64,3 8 26,5
360 160 400 7 - Ø7,5 x 155 71,1 10 31,1
400 160 440 8 - Ø7,5 x 155 81,2 10 33,1
440 160 480 9 - Ø7,5 x 155 91,4 12 38,8

ALUMIDI com cavilhas STA

VIGA SECUNDÁRIA VIGA PRINCIPAL


MADEIRA BETÃO NÃO FISSURADO
ALUMIDI cavilhas STA ancorante SKR-E
H(1) bJ hJ Ø12(3) Rv,k timber Ø10 x 80(4) Rv,d concrete
[mm] [mm] [mm] [pçs - Ø x L] [kN] [pçs.] [kN]
120 120 160 3 - Ø12 x 120 35,5 4 10,2
160 120 200 4 - Ø12 x 120 47,3 4 12,9
200 120 240 5 - Ø12 x 120 59,1 6 17,4
240 120 280 6 - Ø12 x 120 70,9 6 19,8
280 140 320 7 - Ø12 x 140 91,0 8 24,3
320 140 360 8 - Ø12 x 140 104,0 8 26,5
360 160 400 9 - Ø12 x 160 128,4 10 31,1
400 160 440 10 - Ø12 x 160 142,7 10 33,1
440 160 480 11 - Ø12 x 160 157,0 12 38,8

34 | ALUMIDI | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS


VALORES ESTÁTICOS | LIGAÇÃO MADEIRA-BETÃO | Fv
ANCORANTE QUÍMICO

bJ
Fv

H hJ

ALUMIDI com cavilhas autoperfurantes SBD

VIGA SECUNDÁRIA VIGA PRINCIPAL


MADEIRA BETÃO NÃO FISSURADO
ALUMIDI cavilhas SBD ancorante VIN-FIX PRO
H(1) bJ hJ Ø7,5(2) Rv,k timber Ø8 x 110(5) Rv,d concrete
[mm] [mm] [mm] [pçs - Ø x L] [kN] [pçs.] [kN]
80 120 120 3 - Ø7,5 x 115 24,9 2 8,8
120 120 160 4 - Ø7,5 x 115 33,2 4 15,4
160 120 200 5 - Ø7,5 x 115 41,6 4 22,1
200 120 240 7 - Ø7,5 x 115 58,2 6 30,7
240 120 280 8 - Ø7,5 x 115 66,5 6 37,0
280 140 320 10 - Ø7,5 x 135 91,9 8 48,7
320 140 360 11 - Ø7,5 x 135 101,1 8 55,6
360 160 400 12 - Ø7,5 x 155 121,9 10 64,4
400 160 440 13 - Ø7,5 x 155 132,0 10 66,4
440 160 480 14 - Ø7,5 x 155 142,2 12 80,0

ALUMIDI com cavilhas STA

VIGA SECUNDÁRIA VIGA PRINCIPAL


MADEIRA BETÃO NÃO FISSURADO
ALUMIDI cavilhas STA ancorante VIN-FIX PRO
H(1) bJ hJ Ø12(3) Rv,k timber Ø8 x 110(5) Rv,d concrete
[mm] [mm] [mm] [pçs - Ø x L] [kN] [pçs.] [kN]
120 120 160 3 - Ø12 x 120 35,5 4 15,4
160 120 200 4 - Ø12 x 120 47,3 4 22,1
200 120 240 5 - Ø12 x 120 59,1 6 30,7
240 120 280 6 - Ø12 x 120 70,9 6 37,0
280 140 320 7 - Ø12 x 140 91,0 8 48,7
320 140 360 8 - Ø12 x 140 104,0 8 55,6
360 160 400 9 - Ø12 x 160 128,4 10 64,4
400 160 440 10 - Ø12 x 160 142,7 10 66,4
440 160 480 11 - Ø12 x 160 157,0 12 80,0

NOTAS:
MADEIRA-BETÃO
(1) (5)
O ligador de altura H está disponível pré-cortado nas versões ALUMIDI sem Ancorante químico VIN-FIX PRO com barras roscadas (tipo INA) de classe
furos, ALUMIDI com furos e ALUMIDI com expansão (códigos na pág. 28) de aço mínima 5.8. com h ef = 93 mm. Instalar as ancoragens duas a duas
ou pode ser obtido na barra ALUMIDI2200. partindo de cima, com buchas em filas alternadas.
(2)
Cavilhas autoperfurantes SBD Ø7,5: My,k = 42000 Nmm.
(3)
Cavilhas lisas STA Ø12: My,k = 69100 Nmm. Princípios gerais de cálculo ver pág. 36.
(4)
Ancorante parafusável SKR-E de acordo com a ETA-19/0100. Instalar as an-
coragens duas a duas partindo de cima, com buchas em filas alternadas.

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | ALUMIDI | 35


PRINCÍPIOS GERAIS: VALORES ESTÁTICOS | Flat | Fax

• Os valores de resistência do sistema de fixação são válidos para as hipóte- MADEIRA-MADEIRA


ses de cálculo definidas em tabela. • Os valores característicos são conforme a norma EN 1995-1-1, de acordo
• Em fase de cálculo, considerou-se uma massa volúmica dos elementos de com ETA-09/0361.
madeira equivalente a ρ k = 385 kg/m3 e betão C25/30 com armação rara na • Os valores de projeto são obtidos a partir dos valores característicos, desta
ausência de distâncias da borda. forma:
• Os coeficientes kmod e yM devem ser considerados em função da norma Rlat,k,alu
Rlat,k,alu
vigente utilizada para o cálculo. γM,alu
• A dimensão e a verificação dos elementos de madeira e de betão devem
Rlat,d = min γM,alu k
Rlat,d = min Rlat,k,beam mod
ser feitas à parte. Rlat,k,beam kmod
γM,T
• Em caso de tensão combinada, deve-se satisfazer a seguinte verificação: γM,T
2 2 2
Fv,d Flat,d Fax,d R kmod
+ + ≥ 1 Rax,d = Rax,k
Rv,d Rlat,d Rax,d γM kmod
Rax,d = ax,k
γM
com yM,T coeficiente parcial do material madeira.

VALORES ESTÁTICOS | F v VALORES ESTÁTICOS | F v


MADEIRA-MADEIRA MADEIRA-BETÃO
• Os valores característicos são conforme a norma EN 1995-1-1, de acordo • Os valores característicos são conforme a norma EN 1995-1-1, de acordo
com ETA-09/0361 e avaliados conforme método experimental Rothoblaas. com ETA-09/0361. Os valores de projeto das ancoragens para betão são
• Os valores de projeto são obtidos a partir dos valores característicos, desta calculados de acordo com as respetivas Avaliações Técnicas Europeias.
forma: Os valores de resistência de projeto são obtidos a partir dos valores indica-
dos na tabela, desta forma:
Rk kmod
Rd =
γM Rk, timber kmod
• Em alguns casos, a resistência ao corte Rv,k da ligação resulta ser particu- Rd = min γM
larmente elevada e pode superar a resistência ao corte da viga secundária.
Portanto, aconselha-se a prestar uma particular atenção à verificação do
Rd, concrete
corte da secção reduzida do elemento de madeira em correspondência
com a conector.

Para configurações de cálculo diferentes, está disponível gra-


tuitamente o software MyProject (www.rothoblaas.pt).

• Permite a análise de múltiplas configurações variando-se o


número e a tipologia de fixações, a inclinação, as dimensões
e o material dos elementos estruturais, a fim de se optimizar
a resistência mecânica.
• Possibilidade de se seleccionarem dois diferentes métodos
de cálculo (conforme ETA-09/0361 e de acordo com modelo
experimental).
• Ampla e diversificada gama de conectores ALUMINI, ALUMIDI
e ALUMAXI aptas a satisfazer as diferentes necessidades
estáticas.

36 | ALUMIDI | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS


ENSAIOS EM LABORATÓRIO
INVESTIGAÇÕES EXPERIMENTAIS
Uma colaboração científica e de pesquisa com a Universidade dos Estudos de Trento, deu origem a uma ampla campa-
nha experimental com o objetivo de verificar o efetivo comportamento das conectores ALU e elaborar, assim, um modelo
numérico que pudesse correlacionar hipóteses teóricas e resultados dos ensaios de laboratório (método experimental da
Rothoblaas).

PESQUISA E DESENVOLVIMENTO
Investigação experimental - Laboratório de Ensaios de Materiais (Faculdade de Engenharia de Trento).

Ensaios de amostras de dimensões reduzidas (madeira-madeira e madeira-betão).

Ensaios de amostras de dimensões reais (ligação viga principal - viga secundária).

MODELAÇÃO NUMÉRICA
Investigação do estado evolutivo das deformações plásticas nas buchas e na conector ALU, por meio de análise dos ele-
mentos acabados.

Modelo sólido da conector ALU sobre betão Estado evolutivo das tensões de Comparação do estado inicial
Mises nas buchas e na conector (não deformado) com a confi-
ALU guração final do ensaio

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | ALUMIDI | 37


ALUMAXI ETA 09/0361

LIGADOR OCULTO COM E SEM FUROS

RESISTÊNCIAS SUPERIORES
Ligação padrão idealizada para garantir resistências de projecto fora do
ordinário. Valores certificados e calculados.

AÇO - ALUMÍNIO
Conector em liga de alumínio EN AW-6005A de alta resistência, produ-
zida para extrusão e, portanto, isenta de soldadura.

RÁPIDA FIXAÇÃO
Resistências certificadas e calculadas em todas as direções: verticais, hori-
zontais e axiais. Fixação certificada também com parafusos LBS e cavilhas
autoperfurantes SBD.

CARATERÍSTICAS
FOCUS ligações ocultas
SECÇÕES DE MADEIRA de 160 x 432 mm a 280 x 1200 mm VÍDEO
Digitalize o QR Code e assista ao
RESISTÊNCIA Rv,k até 345 kN
vídeo no nosso canal YouTube
FIXAÇÕES LBA, LBS, SBD, STA, VIN-FIX PRO

MATERIAL
Chapa furada tridimensional em liga de alumínio.

CAMPOS DE APLICAÇÃO
Ligações de corte madeira-madeira e madei-
ra-betão tanto ortogonais, como inclinadas
• madeira maciça e lamelar
• CLT, LVL
• painéis à base de madeira

38 | ALUMAXI | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS


RESISTÊNCIA AO FOGO
A leveza da liga de aço-alumínio facilita o
transporte e a movimentação no estaleiro, ga-
rantindo também excelentes resistências.
Não aparente, satisfaz os requisitos de resis-
tência ao fogo.

GRANDES ESTRUTURAS
Ideal para ligações de vigas de grandes di-
mensões e que requerem altas resistências. A
versão sem furos concede ampla possibilida-
de de posicionamento dos cavilhas.

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | ALUMAXI | 39


CÓDIGOS E DIMENSÕES
ALUMAXI COM FUROS

CÓDIGO tipo H pçs


[mm]
ALUMAXI384L com furos 384 1
ALUMAXI512L com furos 512 1 H
ALUMAXI640L com furos 640 1
ALUMAXI768L com furos 768 1
ALUMAXI2176L com furos 2176 1

ALUMAXI SEM FUROS

CÓDIGO tipo H pçs


[mm]
ALUMAXI2176 sem furos 2176 1

LBS

CÓDIGO d1 L b TX pçs
[mm] [mm] [mm]
d1
LBS760 7 60 55 TX30 100
LBS780 7 80 75 TX30 100 L
LBS7100 7 100 95 TX30 100

MATERIAL E DURABILIDADE FORÇAS


ALUMAXI: liga de alumínio EN AW-6005A.
Utilização em classes de serviço 1 e 2 (EN 1995-1-1).
Fv

CAMPOS DE APLICAÇÃO
Flat
• Ligações madeira-madeira, madeira-betão e
madeira-aço Fax
• Viga secundária na viga principal ou no pilar Fup
• Nós ortogonais ou inclinados

PRODUTOS ADICIONAIS - FIXAÇÕES

tipo descrição d suporte pág.

[mm]
LBA prego Anker 6 548
LBS parafuso para chapas 7 552
SBD cavilha auto-perfurante 7,5 48
STA cavilha lisa 16 54

KOS parafuso M16 526

VIN-FIX PRO ancorante químico M16 511


EPO-FIX PLUS ancorante químico M16 517

40 | ALUMAXI | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS


GEOMETRIA
ALUMAXI ALUMAXI
com furos sem furos
LB
LA 139 33 LB

32
64 64

H
Ø2 Ø3

Ø1
32
s1 s1
25,5 79 25,5

LA s2 LA s2

ALUMAXI
espessura da asa s1 [mm] 12
espessura da alma s2 [mm] 10
largura da asa LA [mm] 130
comprimento da alma LB [mm] 172
furos pequenos da asa Ø1 [mm] 7,5
furos grandes da asa Ø2 [mm] 17,0
furos da alma (cavilha) Ø3 [mm] 17,0

INSTALAÇÃO
DISTÂNCIAS MÍNIMAS
e hmin e
a4,c
as a4,t as a4,t

a2 a2
Tinst

as a4,c as a4,c

hef

cavilha auto-perfurante cavilha lisa


viga secundária madeira
SBD Ø7,5 STA Ø16
cavilha-cavilha a2 [mm] ≥3d ≥ 23 ≥ 48
cavilha-extradorso da viga a4,t [mm] ≥4d ≥ 30 ≥ 64
cavilha-intradorso da viga a4,c [mm] ≥3d ≥ 23 ≥ 48
cavilha-borda do conector as [mm] ≥ 1,2 d0(1) ≥ 10 ≥ 21
(2)
cavilha-cavilha a1 [mm] ≥3d ≥ 23 -
cavilha-viga principal e [mm] 92 ÷ 139 139
(1) Diâmetro do furo.
(2) Espaçamento entre as cavilhas paralelo à fibragem para ângulo força - fibrasα = 90° para aplicação com SBD.

prego Anker parafuso


viga principal-madeira
LBA Ø6 LBS Ø7
primeiro ligador-extradorso da viga a4,c [mm] ≥5d ≥ 30 ≥ 35

ancorante químico
viga principal-betão
VIN-FIX PRO Ø16
espessura mínima do suporte hmin [mm] hef + 30 ≥ 100
diâmetro do furo no betão d0 [mm] 18
torque de aperto Tinst [Nm] 80
hef = profundidade efectiva de ancoragem no betão

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | ALUMAXI | 41


VALORES ESTÁTICOS | LIGAÇÃO MADEIRA-MADEIRA | Fv
PREGAGEM TOTAL
Fv Fv bJ

H hJ

STA Ø16 SBD Ø7,5

ALUMAXI com cavilhas STA

VIGA SECUNDÁRIA VIGA PRINCIPAL

FIXAÇÃO COM PREGOS FIXAÇÃO COM PARAFUSOS


ALUMAXI
cavilhas STA pregos LBA parafusos LBS
Rv,k Rv,k
H(1) bJ hJ Ø16(2) Ø6 x 80 Ø7 x 80
[mm] [mm] [mm] [pçs - Ø x L] [pçs.] [kN] [pçs.] [kN]
384 160 432 6 - Ø16 x 160 48 122,8 48 130,3
448 160 496 7 - Ø16 x 160 56 152,0 56 152,0
512 160 560 8 - Ø16 x 160 64 173,8 64 173,8
576 160 624 9 - Ø16 x 160 72 195,5 72 195,5
640 200 688 10 - Ø16 x 200 80 246,0 80 246,0
704 200 752 11 - Ø16 x 200 88 270,6 88 270,6
768 200 816 12 - Ø16 x 200 96 295,2 96 295,2
832 200 880 13 - Ø16 x 200 104 319,8 104 319,8
896 200 944 14 - Ø16 x 200 112 344,4 112 344,4
960 200 1008 15 - Ø16 x 200 120 369,0 120 369,0

ALUMAXI com cavilhas autoperfurantes SBD

VIGA SECUNDÁRIA VIGA PRINCIPAL

FIXAÇÃO COM PREGOS FIXAÇÃO COM PARAFUSOS


ALUMAXI
cavilhas SBD pregos LBA parafusos LBS
Rv,k Rv,k
H(1) bJ hJ Ø7,5(3) Ø6 x 80 Ø7 x 80
[mm] [mm] [mm] [pçs - Ø x L] [pçs.] [kN] [pçs.] [kN]
384 160 432 12 - Ø7,5 x 155 48 121,0 48 121,0
448 160 496 14 - Ø7,5 x 155 56 141,2 56 141,2
512 160 560 16 - Ø7,5 x 155 64 161,3 64 161,3
576 160 624 18 - Ø7,5 x 155 72 181,5 72 181,5
640 200 688 20 - Ø7,5 x 195 80 230,7 80 230,7
704 200 752 22 - Ø7,5 x 195 88 253,8 88 253,8
768 200 816 24 - Ø7,5 x 195 96 276,9 96 276,9
832 200 880 26 - Ø7,5 x 195 104 299,9 104 299,9
896 200 944 28 - Ø7,5 x 195 112 323,0 112 323,0
960 200 1008 30 - Ø7,5 x 195 120 346,1 120 346,1

42 | ALUMAXI | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS


VALORES ESTÁTICOS | LIGAÇÃO MADEIRA-MADEIRA | Fv
PREGAGEM PARCIAL(4)
bJ
Fv Fv

H hJ

STA Ø16 SBD Ø7,5

ALUMAXI com cavilhas STA

VIGA SECUNDÁRIA VIGA PRINCIPAL

FIXAÇÃO COM PREGOS FIXAÇÃO COM PARAFUSOS


ALUMAXI
cavilhas STA pregos LBA parafusos LBS
Rv,k Rv,k
H(1) bJ hJ Ø16(2) Ø6 x 80 Ø7 x 80
[mm] [mm] [mm] [pçs - Ø x L] [pçs.] [kN] [pçs.] [kN]
384 160 432 6 - Ø16 x 160 24 61,4 24 83,6
448 160 496 7 - Ø16 x 160 28 80,0 28 103,5
512 160 560 8 - Ø16 x 160 32 99,7 32 123,3
576 160 624 9 - Ø16 x 160 36 120,2 36 143,1
640 200 688 10 - Ø16 x 200 40 141,3 40 162,7
704 200 752 11 - Ø16 x 200 44 162,7 44 182,2
768 200 816 12 - Ø16 x 200 48 184,3 48 201,5
832 200 880 13 - Ø16 x 200 52 206,1 52 220,8
896 200 944 14 - Ø16 x 200 56 227,8 56 239,9
960 200 1008 15 - Ø16 x 200 60 249,6 60 258,9

ALUMAXI com cavilhas autoperfurantes SBD

VIGA SECUNDÁRIA VIGA PRINCIPAL

FIXAÇÃO COM PREGOS FIXAÇÃO COM PARAFUSOS


ALUMAXI
cavilhas SBD pregos LBA parafusos LBS
Rv,k Rv,k
H(1) bJ hJ Ø7,5(3) Ø6 x 80 Ø7 x 80
[mm] [mm] [mm] [pçs - Ø x L] [pçs.] [kN] [pçs.] [kN]
384 160 432 8 - Ø7,5 x 155 24 61,4 24 80,7
448 160 496 10 - Ø7,5 x 155 28 80,0 28 100,8
512 160 560 12 - Ø7,5 x 155 32 99,7 32 121,0
576 160 624 14 - Ø7,5 x 155 36 120,2 36 141,2
640 200 688 16 - Ø7,5 x 195 40 141,3 40 162,7
704 200 752 18 - Ø7,5 x 195 44 162,7 44 182,2
768 200 816 20 - Ø7,5 x 195 48 184,3 48 201,5
832 200 880 22 - Ø7,5 x 195 52 206,1 52 220,8
896 200 944 24 - Ø7,5 x 195 56 227,8 56 239,9
960 200 1008 26 - Ø7,5 x 195 60 249,6 60 258,9

NOTAS:

MADEIRA-MADEIRA | Fv
(1) (4)
O ligador de altura H está disponível pré-cortado nas versões ALUMAXI A pregagem parcial é necessária para ligações viga-pilar para respeitar as
com furos (códigos na pág. 40) ou pode ser obtido nas barras ALUMA- distâncias mínimas das fixações; também pode ser aplicada para ligações
XI2176 ou ALUMAXI2176L. viga-viga. A pregagem parcial deve ser feita pregando cada coluna alterna-
(2)
Cavilhas lisas STA Ø16: My,k = 191000 Nmm damente, como mostrado na imagem.
(3)
Cavilhas autoperfurantes SBD Ø7,5: My,k = 42000 Nmm. Princípios gerais de cálculo ver pág. 46.

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | ALUMAXI | 43


VALORES ESTÁTICOS | LIGAÇÃO MADEIRA-MADEIRA | Flat
bJ

Flat
H hJ

ALUMAXI com cavilhas autoperfurantes SBD e cavilhas STA

VIGA SECUNDÁRIA (1) VIGA PRINCIPAL (2)


ALUMAXI pregos LBA / parafusos LBS
Rlat,k,alu Rlat,k,beam(3)
H bJ hJ Ø6 x 80 / Ø7 x 80
[mm] [mm] [mm] [pçs.] [kN] [kN]
384 160 432 ≥ 24 31,2 34,3
448 160 496 ≥ 28 36,4 39,4
512 160 560 ≥ 32 41,6 44,4
576 160 624 ≥ 36 46,8 49,5
640 200 688 ≥ 40 52,0 69,1
704 200 752 ≥ 44 57,2 75,6
768 200 816 ≥ 48 62,4 82,0
832 200 880 ≥ 52 67,6 88,4
896 200 944 ≥ 56 72,8 94,9
960 200 1008 ≥ 60 78,0 101,3

VALORES ESTÁTICOS | LIGAÇÃO MADEIRA-MADEIRA | Fax


bJ

Fax
H hJ

ALUMAXI com cavilhas STA

VIGA SECUNDÁRIA VIGA PRINCIPAL

FIXAÇÃO COM PREGOS FIXAÇÃO COM PARAFUSOS


ALUMAXI
cavilhas STA pregos LBA parafusos LBS
Rax,k Rax,k
H(1) bJ hJ Ø16 Ø6 x 80 Ø7 x 80
[mm] [mm] [mm] [pçs - Ø x L] [pçs.] [kN] [pçs.] [kN]
384 160 432 6 - Ø16 x 160 48 79,2 48 144,3
448 160 496 7 - Ø16 x 160 56 92,4 56 168,3
512 160 560 8 - Ø16 x 160 64 105,6 64 192,3
576 160 624 9 - Ø16 x 160 72 118,8 72 216,4
640 200 688 10 - Ø16 x 200 80 132,0 80 240,4
704 200 752 11 - Ø16 x 200 88 145,2 88 264,5
768 200 816 12 - Ø16 x 200 96 158,4 96 288,5
832 200 880 13 - Ø16 x 200 104 171,6 104 312,5
896 200 944 14 - Ø16 x 200 112 184,8 112 336,6
960 200 1008 15 - Ø16 x 200 120 198,0 120 360,6

NOTAS:

MADEIRA-MADEIRA | Flat | Fax


(1) (3)
Os valores de resistência são válidos tanto para as cavilhas STA Ø16, como Madeira lamelar GL24h.
para as cavilhas autoperfurantes SBD Ø7,5.
(2)
Os valores de resistência são válidos tanto para os pregos LBA Ø6, como Princípios gerais de cálculo ver pág. 46.
para os parafusos LBS Ø7.

44 | ALUMAXI | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS


VALORES ESTÁTICOS | LIGAÇÃO MADEIRA-BETÃO | Fv
ANCORANTE QUÍMICO
Fv bJ

H hJ

ALUMAXI com cavilhas STA


VIGA SECUNDÁRIA VIGA PRINCIPAL
MADEIRA BETÃO NÃO FISSURADO
ALUMAXI cavilhas STA ancorante VIN-FIX PRO
H(1) bJ hJ Ø16(2) Rv,k timber Ø16 x 160(4) Rv,d concrete
[mm] [mm] [mm] [pçs - Ø x L] [kN] [pçs.] [kN]
384 160 432 6 - Ø16 x 160 130,3 6 89,3
448 160 496 7 - Ø16 x 160 152,0 8 112,4
512 160 560 8 - Ø16 x 160 173,8 8 126,4
576 160 624 9 - Ø16 x 160 195,5 10 149,5
640 200 688 10 - Ø16 x 200 246,0 10 163,8
704 200 752 11 - Ø16 x 200 270,6 12 191,4
768 200 816 12 - Ø16 x 200 295,2 12 197,2
832 200 880 13 - Ø16 x 200 319,8 14 226,2
896 200 944 14 - Ø16 x 200 344,4 14 239,7
960 200 1008 15 - Ø16 x 200 369,0 16 258,9

Fv bJ

H hJ

ALUMAXI com cavilhas autoperfurantes SBD


VIGA SECUNDÁRIA VIGA PRINCIPAL
MADEIRA BETÃO NÃO FISSURADO
ALUMAXI cavilhas SBD ancorante VIN-FIX PRO
H(1) bJ hJ Ø7,5(3) Rv,k timber Ø16 x 160(4) Rv,d concrete
[mm] [mm] [mm] [pçs - Ø x L] [kN] [pçs.] [kN]
384 160 432 12 - Ø7,5 x 155 121,0 6 89,3
448 160 496 14 - Ø7,5 x 155 141,2 8 112,4
512 160 560 16 - Ø7,5 x 155 161,3 8 126,4
576 160 624 18 - Ø7,5 x 155 181,5 10 149,5
640 200 688 20 - Ø7,5 x 195 230,7 10 163,8
704 200 752 22 - Ø7,5 x 195 253,8 12 191,4
768 200 816 24 - Ø7,5 x 195 276,9 12 197,2
832 200 880 26 - Ø7,5 x 195 299,9 14 226,2
896 200 944 28 - Ø7,5 x 195 323,0 14 239,7
960 200 1008 30 - Ø7,5 x 195 346,1 16 258,9

NOTAS:

MADEIRA-BETÃO
(1) (4)
O ligador de altura H está disponível pré-cortado nas versões ALUMAXI Ancorante químico VIN-FIX PRO com barras roscadas (tipo INA) de classe
com furos (códigos na pág. 40) ou pode ser obtido nas barras ALUMA- de aço mínima 5.8. com h ef = 128 mm. Instalar as ancoragens duas a duas
XI2176 ou ALUMAXI2176L. partindo de cima, com buchas em filas alternadas.
(2)
Cavilhas lisas STA Ø16: My,k = 191000 Nmm.
(3)
Cavilhas autoperfurantes SBD Ø7,5: My,k = 42000 Nmm. Princípios gerais de cálculo ver pág. 46.

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | ALUMAXI | 45


PRINCÍPIOS GERAIS: VALORES ESTÁTICOS | Flat | Fax
• Os valores de resistência do sistema de fixação são válidos para as hipóteses
MADEIRA-MADEIRA
de cálculo definidas em tabela. Para configurações de cálculo diferentes,
está disponível gratuitamente o software MyProject (www.rothoblaas.pt). • Os valores característicos são conforme a norma EN 1995-1-1, de acordo
com ETA-09/0361.
• Em fase de cálculo, considerou-se uma massa volúmica dos elementos de
madeira equivalente a ρ k = 385 kg/m3 e betão C25/30 com armação rara na • Os valores de projeto são obtidos a partir dos valores característicos, desta
ausência de distâncias da borda. forma:
• Os coeficientes kmod e yM devem ser considerados em função da norma
Rlat,k,alu
Rlat,k,alu
vigente utilizada para o cálculo. γM,alu
Rlat,d = min γM,alu k
• A dimensão e a verificação dos elementos de madeira e de betão devem Rlat,d = min Rlat,k,beam mod
ser feitas à parte. Rlat,k,beam kmod
γM,T
• Em caso de tensão combinada, deve-se satisfazer a seguinte verificação: γM,T
2 2 2
Fv,d Flat,d Fax,d R kmod
+ + ≥ 1 Rax,d = Rax,k
Rv,d Rlat,d Rax,d γM kmod
Rax,d = ax,k

γM
com yM,T coeficiente parcial do material madeira.

VALORES ESTÁTICOS | F v VALORES ESTÁTICOS | F v


MADEIRA-MADEIRA MADEIRA-BETÃO
• Os valores característicos são conforme a norma EN 1995-1-1, de acordo • Os valores característicos são conforme a norma EN 1995-1-1, de acordo
com ETA-09/0361. com ETA-09/0361. Os valores de projeto das ancoragens para betão são
calculados de acordo com as respetivas Avaliações Técnicas Europeias.
• Os valores de projeto são obtidos a partir dos valores característicos, desta
forma: Os valores de resistência de projeto são obtidos a partir dos valores indica-
dos na tabela, desta forma:
Rk kmod
Rd = Rk, timber kmod
γM
• Em alguns casos, a resistência ao corte Rv,k da ligação resulta ser particu-
Rd = min γM
larmente elevada e pode superar a resistência ao corte da viga secundária. Rd, concrete
Portanto, aconselha-se a prestar uma particular atenção à verificação do
corte da secção reduzida do elemento de madeira em correspondência
com a conector.

46 | ALUMAXI | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS


BIBLIOTECAS BIM
BUILDING INFORMATION MODELING

Elementos estruturais de ligação em formato digital

Acompanhados das características geométricas tridimensionais e informa-


ções paramétricas adicionais, disponíveis nos formatos IFC, REVIT, ALL-
PLAN, ARCHICAD, SKETCHUP e TEKLA e prontos para serem integrados
no seu próximo projeto de sucesso. Transfira-os já!

www.rothoblaas.pt/bimcad
SBD BIT INCLUÍDOS EN 14592

CAVILHA AUTO-PERFURANTE

AÇO E ALUMÍNIO
Broca auto-perfurante madeira-metal com especial geometria que re-
duz a possibilidade de eventuais ruturas. A cabeça cilíndrica de embutir
garante um rendimento estético ideal e permite satisfazer os requisitos
de resistência ao fogo.

DIÂMETRO SUPERIOR
O diâmetro de 7,5 mm garante resistências ao corte 15% superiores e
permite otimizar o número de fixações.

DUPLA ROSCA
A rosca próxima da ponta (b1) facilita o aparafusamento. A rosca mais
longa na sub-cabeça (b2) permite um fecho rápido e preciso do nó.

CARATERÍSTICAS
FOCUS auto-perfurante madeira-metal-madeira
CABEÇA cilíndrica de embutir VÍDEO
Digitalize o QR Code e assista ao
DIÂMETRO 7,5 mm
vídeo no nosso canal YouTube
COMPRIMENTO de 55 a 235 mm

MATERIAL
Aço carbónico electrogalvanizado.

CAMPOS DE APLICAÇÃO
Sistema auto-perfurante para ligações ocultas
madeira-aço e madeira-alumínio. Utilizável
com aparafusador de 600-1500 rpm com:
• aço S235 ≤ 10,0 mm
• aço S275 ≤ 8,0 mm
• aço S355 ≤ 6,0 mm
• ligadores ALUMINI, ALUMIDI e ALUMAXI
Classes de serviço 1 e 2.

48 | SBD | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS


LIGAÇÃO ROTULADA
Ideal para a ligação de vigas de cabeça e rea-
lizar vigas contínuas com o restabelecimento
das forças de corte e momento. O diâmetro
reduzido da cavilha garante ligações com uma
elevada rigidez.

LIGAÇÃO DE ENCASTRAMENTO
Certificado, testado e calculado também
para a fixação de chapas standard Rothoblaas
como o porta-pilar TYP X.

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | SBD | 49


CÓDIGOS E DIMENSÕES
d1 CÓDIGO L b2 b1 pçs
[mm] [mm] [mm] [mm]
SBD7555 55 10 - 50
SBD7575 75 10 15 50
SBD7595 95 20 15 50
SBD75115 115 20 15 50 d1
7,5 SBD75135 135 20 15 50 b2 b1
TX40
SBD75155 155 20 15 50
L
SBD75175 175 40 15 50
SBD75195 195 40 15 50
SBD75215 215 40 15 50
SBD75235 235 40 15 50

MATERIAL E DURABILIDADE FORÇAS


SBD: aço carbónico com electrogalvanização
Utilização em classes de serviço 1 e 2 (EN 1995-1-1). Fv

CAMPOS DE EMPREGO
• Ligações madeira-aço-madeira

GEOMETRIA E CARACTERÍSTICAS MECÂNICAS

dk d1

b2 b1 Lp
L

Diâmetro nominal d1 [mm] 7,5


Diâmetro da cabeça dk [mm] 11,0
Comprimento da ponta Lp [mm] 19,0
Comprimento eficaz Leff [mm] L - 8,0
Momento de cedência
My,k [Nmm] 42000
característico

50 | SBD | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS


INSTALAÇÃO
s s
chapa
chapa simples chapa dupla
[mm] [mm]
aço S235 10,0 8,0
aço S275 8,0 6,0
aço S355 6,0 5,0
ALUMINI 6,0 -
ALUMIDI 6,0 - s s s
ALUMAXI 10,0 - chapa
ta simples
ta tchapa
a ti dupla
ta
B B
Ligação em corte madeira-chapa metálica-madeira
Pressão aconselhada: ≈ 40 kg
Aparafusamento aconselhado: ≈ 1000 - 1500 rpm (chapa de aço)
≈ 600 - 1000 rpm (chapa em alumínio)

DISTÂNCIAS MÍNIMAS PARA CONECTORES SOB TENSÃO AO CORTE(1)

Ângulo entre força e fibras α = 0° Ângulo entre força e fibras α = 90°

d1 [mm] 7,5 7,5


a1 [mm] 38 23
a2 [mm] 23 23
a3,t [mm] 80 80
a3,c [mm] 40 40
a4,t [mm] 23 30
a4,c [mm] 23 23

extremidade sob tensão extremidade sem tensão borda sob tensão borda sem tensão
-90° < α < 90° 90° < α < 270° 0° < α < 180° 180° < α < 360°

a2 α F
F
a2 α α a4,t a4,c
F α
F
a1 a1 a3,t a3,c

NOTAS:
(1)
As distâncias mínimas são conforme a norma EN 1995-1-1.

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | SBD | 51


VALORES ESTÁTICOS MADEIRA-AÇO E ALUMÍNIO
CORTE Rv,k - 1 CHAPA INTERNA

PROFUNDIDADE INSERÇÃO CABEÇA CAVILHA 0 mm

FIXAÇÃO SBD [mm] 7,5x55 7,5x75 7,5x95 7,5x115 7,5x135 7,5x155 7,5x175 7,5x195 7,5x215 7,5x235

Largura da viga B [mm] 60 80 100 120 140 160 180 200 220 240
Profundidade
p [mm] 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0
inserção cabeça
Madeira externa ta [mm] 27 37 47 57 67 77 87 97 107 117

0° 7,48 9,20 10,18 11,46 12,91 13,69 13,95 13,95 13,95 13,95
s 30° 6,89 8,59 9,40 10,51 11,77 12,71 13,21 13,21 13,21 13,21
Rv,k ângulo
ta ta 45° 6,41 8,09 8,77 9,72 10,84 11,90 12,53 12,57 12,57 12,57
[kN] força - fibras
B 60° 6,00 7,67 8,24 9,08 10,07 11,15 11,78 12,02 12,02 12,02
90° 5,66 7,31 7,79 8,53 9,42 10,40 11,14 11,54 11,54 11,54

PROFUNDIDADE INSERÇÃO CABEÇA CAVILHA 15 mm

FIXAÇÃO SBD [mm] 7,5x55 7,5x75 7,5x95 7,5x115 7,5x135 7,5x155 7,5x175 7,5x195 7,5x215 7,5x235

Largura da viga B [mm] 80 100 120 140 160 180 200 220 240 -
Profundidade
p [mm] 15 15 15 15 15 15 15 15 15 -
inserção cabeça
Madeira externa ta [mm] 37 47 57 67 77 87 97 107 117 -

0° 8,47 9,10 10,13 11,43 12,89 13,95 13,95 13,95 13,95 -


p s 30° 7,79 8,49 9,35 10,48 11,75 13,06 13,21 13,21 13,21 -
Rv,k ângulo
ta ta 45° 7,25 8,00 8,72 9,70 10,82 12,04 12,57 12,57 12,57 -
[kN] força - fibras
B 60° 6,67 7,58 8,19 9,05 10,05 11,14 12,02 12,02 12,02 -
90° 6,14 7,23 7,74 8,50 9,40 10,39 11,40 11,54 11,54 -

COEFICIENTE CORRETIVO kF PARA DIFERENTES MASSAS VOLÚMICAS ρk

Classe de resistência C24 GL22h C30 GL24h C40 / GL32c GL28h D24 D30
ρk [kg/m3] 350 370 380 385 400 425 485 530
kF 0,91 0,96 0,99 1,00 1,02 1,05 1,12 1,17

Para diferentes massas volúmicas ρk, a resistência de projeto do lado da madeira é calculada como: R ' V,d = R V,d · kF.

NÚMERO EFICAZ DE CAVILHAS nef PARA α = 0º

a1 [mm]
n° SBD 40 50 60 70 80 90 100 120 140
2 1,49 1,58 1,65 1,72 1,78 1,83 1,88 1,97 2,00
3 2,15 2,27 2,38 2,47 2,56 2,63 2,70 2,83 2,94
4 2,79 2,95 3,08 3,21 3,31 3,41 3,50 3,67 3,81
nef
5 3,41 3,60 3,77 3,92 4,05 4,17 4,28 4,48 4,66
6 4,01 4,24 4,44 4,62 4,77 4,92 5,05 5,28 5,49
7 4,61 4,88 5,10 5,30 5,48 5,65 5,80 6,07 6,31

Em caso de várias cavilhas dispostos paralelamente às fibras, deve-se levar em conta o número eficaz: R ' V,d = R V,d · nef.

52 | SBD | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS


VALORES ESTÁTICOS MADEIRA-AÇO E ALUMÍNIO
CORTE Rv,k - 2 CHAPAS INTERNAS

PROFUNDIDADE INSERÇÃO CABEÇA CAVILHA 0 mm

FIXAÇÃO SBD [mm] 7,5x55 7,5x75 7,5x95 7,5x115 7,5x135 7,5x155 7,5x175 7,5x195 7,5x215 7,5x235

Largura da viga B [mm] - - - - 140 160 180 200 220 240


Profundidade
p [mm] - - - - 0 0 0 0 0 0
inserção cabeça
Madeira externa ta [mm] - - - - 37 42 48 56 66 74
Madeira interna ti [mm] - - - - 54 64 72 76 76 80

s s 0° - - - - 21,03 23,07 24,25 25,28 26,71 27,41


ta ti ta 30° - - - - 19,19 21,17 22,71 23,60 24,85 25,72
B Rv,k ângulo
45° - - - - 17,69 19,62 21,08 22,19 23,30 24,25
[kN] força - fibras
60° - - - - 16,45 18,32 19,62 20,75 21,73 22,84
90° - - - - 15,40 17,09 18,40 19,40 20,28 21,48

PROFUNDIDADE INSERÇÃO CABEÇA CAVILHA 10 mm

FIXAÇÃO SBD [mm] 7,5x55 7,5x75 7,5x95 7,5x115 7,5x135 7,5x155 7,5x175 7,5x195 7,5x215 7,5x235

Largura da viga B [mm] - - - 140 160 180 200 220 240 -


Profundidade
p [mm] - - - 10 10 10 10 10 10 -
inserção cabeça
Madeira externa ta [mm] - - - 37 42 48 56 66 74 -
Madeira interna ti [mm] - - - 54 64 72 76 76 80 -

p s s 0° - - - 19,31 22,20 23,23 24,02 25,28 26,42 -


ta ti ta 30° - - - 17,49 20,25 21,86 22,52 23,60 24,59 -
Rv,k ângulo
B 45° - - - 16,01 18,65 20,36 21,26 22,19 23,07 -
[kN] força - fibras
60° - - - 14,78 17,32 19,02 19,94 20,75 21,78 -
90° - - - 13,75 16,07 17,88 18,68 19,40 20,52 -

PRINCÍPIOS GERAIS:

• Os valores característicos são conforme a norma EN 1995-1-1. • Os valores fornecidos são calculados com chapas de 5 mm de espessura
• Os valores de projeto são obtidos a partir dos valores característicos, desta e uma fresada na madeira com espessura de 6 mm e relativos a uma única
forma: cavilha SBD.
• Em fase de cálculo, considerou-se uma massa volúmica dos elementos de
Rk kmod madeira equivalente a ρ k = 385 kg/m3 .
Rd =
γM • O dimensionamento e a verificação dos elementos de madeira e das chapas
metálicas devem ser feitos à parte.
Os coeficientes γ M e kmod devem ser considerados em função da norma
vigente utilizada para o cálculo.

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | SBD | 53


STA EN 14592

CAVILHA LISA

AÇO
Aço S355 a fim de garantir uma maior resistência ao corte para as medi-
das utilizadas em âmbito estrutural (Ø16 e Ø20).

GEOMETRIA
Extremidade estreitada para uma mais fácil inserção dentro do furo pre-
disposto na madeira. Disponível na versão de 1,0 m.

VERSÃO ESPECIAL
Disponível, a pedido, em versão com aderência melhorada, com geo-
metria anti-deslizante para utilização em zona sísmica.

CARATERÍSTICAS
FOCUS ligações ocultas
DIÂMETRO de 8,0 a 20,0 mm
COMPRIMENTO de 60 a 500 mm
AÇO S235 (Ø8-Ø12) - S355 (Ø16-Ø20)

MATERIAL
Aço carbónico electrogalvanizado.

CAMPOS DE APLICAÇÃO
Acoplagem de estruturas de madeira para uniões
de corte madeira-madeira e madeira-aço
• madeira maciça e lamelar
• CLT, LVL
• painéis à base de madeira

54 | STA | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS


GRANDES ESTRUTURAS
Cálculo preciso: marcação CE para garantir a
adequação ao uso. Versão com aderência me-
lhorada, ideal para zonas sísmicas.

MADEIRA-METAL
Ideal para a utilização com conectores ALU na
realização de ligações não aparentes. Se utili-
zado com tampões de madeira, satisfaz os re-
quisitos de resistência ao fogo e garante uma
estética agradável.

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | STA | 55


CÓDIGOS E DIMENSÕES

d1 CÓDIGO L aço pçs d1 CÓDIGO L aço pçs


[mm] [mm] [mm] [mm]
STA860B 60 S235 200 STA16200B 200 S355 50
STA880B 80 S235 200 STA16220B 220 S355 50
8 STA8100B 100 S235 200 STA16240B 240 S355 50
STA8120B 120 S235 200 STA16260B 260 S355 50
STA8140B 140 S235 200 STA16280B 280 S355 50
STA1260B 60 S235 100 STA16300B 300 S355 50
STA1270B 70 S235 100 16 STA16320B 320 S355 50
STA1280B 80 S235 100 STA16340B 340 S355 50
STA1290B 90 S235 100 STA16360B 360 S355 50
STA12100B 100 S235 100 STA16380B 380 S355 50
STA12110B 110 S235 100 STA16400B 400 S355 50
STA12120B 120 S235 100 STA16420B 420 S355 50
STA12130B 130 S235 100 STA16500B 500 S355 50
STA12140B 140 S235 100 16 STA161000B 1000 S355 1
STA12150B 150 S235 100 STA20120B 120 S355 25
12
STA12160B 160 S235 100 STA20140B 140 S355 25
STA12170B 170 S235 100 STA20160B 160 S355 25
STA12180B 180 S235 100 STA20180B 180 S355 25
STA12200B 200 S235 100 STA20190B 190 S355 25
STA12220B 220 S235 100 STA20200B 200 S355 25
STA12240B 240 S235 100 20 STA20220B 220 S355 25
STA12260B 260 S235 100 STA20240B 240 S355 25
STA12280B 280 S235 100 STA20260B 260 S355 25
STA12320B 320 S235 100 STA20300B 300 S355 25
STA12340B 340 S235 100 STA20320B 320 S355 25
12 STA121000B 1000 S235 1 STA20360B 360 S355 25
STA1680B 80 S355 50 STA20400B 400 S355 25
STA16100B 100 S355 50 20 STA201000B 1000 S355 25
STA16110B 110 S355 50
STA16120B 120 S355 50
STA16130B 130 S355 50
16 STA16140B 140 S355 50
STA16150B 150 S355 50
STA16160B 160 S355 50
STA16170B 170 S355 50
STA16180B 180 S355 50
STA16190B 190 S355 50

Disponível, a pedido, em versão com aderência melhorada, com d1


geometria anti-deslizante ou para utilização em zona sísmica
(ex.: STAS16200). Quantidade mínima 1000 peças. L

MATERIAL E DURABILIDADE FORÇAS


STA Ø8-Ø12: aço carbónico S235 com eletrogalvanização.
STA Ø16-Ø20: aço carbónico S355 com eletrogalvanização. Fv Fv
Utilização em classes de serviço 1 e 2 (EN 1995-1-1).

CAMPOS DE EMPREGO
• Ligações madeira-madeira
• Ligações madeira-aço-madeira

56 | STA | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS


GEOMETRIA E CARACTERÍSTICAS MECÂNICAS

d1

Diâmetro nominal d1 [mm] 8 12 16 20


Comprimento L [mm] 60 ÷ 140 60 ÷ 340 80 ÷ 500 120 ÷ 400
aço S235 S235 S355 S355
Material fu,k,min [N/mm2] 360 360 460 460
fy,k,min [N/mm2] 235 235 355 355
Momento de cedência
My,k [Nmm] 24100 69100 191000 340000
característico

Parâmetros mecânicos de acordo com a marcação CE conforme EN 14592.

DISTÂNCIAS MÍNIMAS PARA CONECTORES SOB TENSÃO AO CORTE(1)

Ângulo entre força e fibras α = 0° Ângulo entre força e fibras α = 90°

d1 [mm] 8 12 16 20 8 12 16 20
a1 [mm] 40 60 80 100 24 36 48 60
a2 [mm] 24 36 48 60 24 36 48 60
a3,t [mm] 80 84 112 140 80 84 112 140
a3,c [mm] 40 42 56 70 80 84 112 140
a4,t [mm] 24 36 48 60 32 48 64 80
a4,c [mm] 24 36 48 60 24 36 48 60

extremidade sob tensão extremidade sem tensão borda sob tensão borda sem tensão
-90° < α < 90° 90° < α < 270° 0° < α < 180° 180° < α < 360°

a2 α F
F
a2 α α a4,t a4,c
F α
F
a1 a1 a3,t a3,c

NOTAS:
(1)
As distâncias mínimas são conforme a norma EN 1995-1-1.

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | STA | 57


VALORES ESTÁTICOS MADEIRA-AÇO E ALUMÍNIO
1 CHAPA INTERNA - CORTE Rv,k

ta t ta
B

d1 L B ta Rvk,0° Rvk,30° Rvk,45° Rvk,60° Rvk,90°

[mm] [mm] [mm] [mm] [kN] [kN] [kN] [kN] [kN]


60 60 27 13,9 12,9 12,2 11,5 11,0
80 80 37 15,2 13,9 12,9 12,1 11,5
100 100 47 17,0 15,4 14,2 13,2 12,4
12 120 120 57 19,1 17,2 15,7 14,6 13,6
140 140 67 21,4 19,2 17,5 16,1 14,9
160 160 77 22,1 20,7 19,3 17,7 16,4
> 180 - - 22,1 20,7 19,6 18,7 17,8
80 80 37 25,5 23,6 22,2 21,0 19,7
100 100 47 26,8 24,6 22,8 21,4 20,2
120 120 57 28,7 26,1 24,0 22,4 21,0
140 140 67 31,1 28,0 25,6 23,7 22,2
16 160 160 77 33,7 30,2 27,4 25,3 23,5
180 180 87 36,5 32,5 29,5 27,0 25,0
200 200 97 39,4 35,0 31,6 28,9 26,7
220 220 107 40,9 37,6 33,9 30,9 28,4
240 240 117 40,9 38,2 36,0 32,9 30,3
120 120 57 39,0 35,5 32,8 30,6 28,9
140 140 67 41,2 37,1 34,1 31,6 29,7
160 160 77 43,8 39,2 35,8 33,0 30,8
180 180 87 46,8 41,6 37,7 34,7 32,2
20
190 180 87 46,8 41,6 37,7 34,7 32,2
200 200 97 50,0 44,3 39,9 36,5 33,8
220 220 107 53,3 47,0 42,3 38,6 35,6
240 240 117 56,8 50,0 44,8 40,7 37,4

PRINCÍPIOS GERAIS:

• Os valores característicos são conforme a norma EN 1995-1-1. • Os valores fornecidos são calculados com chapa de 5 mm de espessura e
• Os valores de projeto são obtidos a partir dos valores característicos, desta uma fresada na madeira com espessura de 6 mm e relativos a uma única
forma: cavilha STA.
• Em fase de cálculo, considerou-se uma massa volúmica dos elementos de
Rk kmod madeira equivalente a ρ k = 385 kg/m3 .
Rd =
γM • O dimensionamento e a verificação dos elementos de madeira e da chapa
metálica devem ser feitos à parte.
• Os coeficientes γ M e kmod devem ser considerados em função da norma
vigente utilizada para o cálculo.

58 | STA | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS


COEFICIENTE CORRETIVO kF PARA DIFERENTES MASSAS VOLÚMICAS ρk

Classe de resistência C24 GL22h C30 GL24h C40 / GL32c GL28h D24 D30
ρk [kg/m3] 350 370 380 385 400 425 485 530
kF 0,91 0,96 0,99 1,00 1,02 1,05 1,12 1,17

Para diferentes massas volúmicas ρk, a resistência de projeto do lado da madeira é calculada como: R ' V,d = R V,d · kF.

NÚMERO EFICAZ DE CAVILHAS nef PARA α = 0º

a1 [mm]
n.º STA 5∙d 7∙d 10∙d 12∙d 16∙d 18∙d 20∙d
2 1,47 1,60 1,75 1,83 1,97 2,00 2,00
3 2,12 2,30 2,52 2,63 2,83 2,92 2,99
4 2,74 2,98 3,26 3,41 3,67 3,78 3,88
nef
5 3,35 3,65 3,99 4,17 4,48 4,62 4,74
6 3,95 4,30 4,70 4,92 5,28 5,44 5,59
7 4,54 4,94 5,40 5,65 6,07 6,25 6,42

Em caso de várias cavilhas dispostos paralelamente às fibras, deve-se levar em conta o número eficaz R’v,d = Rv,d · nef.
d = diâmetro nominal cavilha

STAS - CAVILHA COM ADERÊNCIA MELHORADA PARA CARGAS SÍSMICAS

d1

A cavilha serrilhada, disponível mediante pedido, antecipa a exigência regulamentar da nova EN 14592 (“FINAL DRAFT FprEN
14592:2019”, 04/03/2019), garantindo uma resistência mínima à extração de 1 kN, necessária em zonas sísmicas. O serrilhamen-
to também responde à disposição do EC8 para evitar que os elementos de haste cilíndrica saiam dos nós em zonas sísmicas.

STAS - VALORES DE EXTRAÇÃO

5
Resistência à extração

4
[kN]

0
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10

Número do ensaio

14592 minimum M12 M16 M20

As “cavilhas serrilhadas” são objeto de um modelo de utilidade.

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | STA | 59


LOCK T TIMBER ETA 19/0831

LIGADOR OCULTO DE ENGATE


MADEIRA-MADEIRA

PRÁTICO
Fácil e rápido de instalar, pode ser fixado com um único tipo de parafu-
so. Ligação facilmente removível, ideal para a realização de estruturas
temporárias.

ESTRUTURAS FINAS
Também pode ser utilizada oculta com elementos de madeira de secção
reduzida. Ideal para estruturas, gazebos e mobiliário.

VERSÁTIL
Garante uma excelente tolerância de montagem. Pode ser integrada
com chapas de bloqueio lateral e parafuso anti-deslizante vertical.

LOCK T FLOOR

CARATERÍSTICAS
FOCUS ligações removíveis
SECÇÕES DE MADEIRA de 35 x 80 mm a 200 x 440 mm VÍDEO
Digitalize o QR Code e assista ao
RESISTÊNCIA Rv,k até 65 kN
vídeo no nosso canal YouTube
FIXAÇÕES LBS

MATERIAL
Chapa furada tridimensional em liga de alumínio.

CAMPOS DE APLICAÇÃO
Ligações de corte madeira-madeira
• madeira maciça e lamelar
• CLT, LVL

60 | LOCK T | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS


ESTÉTICA
Ligação completamente oculta, satisfaz os re-
quisitos de resistência ao fogo. Graças à mon-
tagem com apenas um tipo de parafuso, a ins-
talação é rápida e fácil.

LAJES EM CLT
A versão com haste foi concebida especifica-
mente para a fixação de lajes em painéis CLT.
Ligação inovadora com valores de resistência
excecionais.

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | LOCK T | 61


CÓDIGOS E DIMENSÕES
LOCK T Ø5

H H
H H H

s s s s B s
B B B B

LOCKT1880 LOCKT3580 LOCKT35100 LOCKT35120 LOCKT53120

CÓDIGO B H s nscrews - Ø nLOCKSTOP - tipo pçs *

[mm] [mm] [mm]


LOCKT1880 17,5 80 20 4-Ø5 1 LOCKSTOP5U 50
LOCKT3580 35 80 20 8-Ø5 2 LOCKSTOP5 50
LOCKT35100 35 100 20 12-Ø5 2 LOCKSTOP5 50
LOCKT35120 35 120 20 16-Ø5 4 LOCKSTOP5 25
LOCKT53120 52,5 120 20 24-Ø5 4 LOCKSTOP5 25

Parafusos e LOCK STOP não incluídos na embalagem.


* número de pares de conectores

LOCK STOP Ø5
B B
CÓDIGO B H s pçs S S

[mm] [mm] [mm]


H H
LOCKSTOP5U 21,5 27,5 13 50
LOCKSTOP5 19 27,5 13 100

LOCKSTOP5U para utilização com LOCKT1880. LOCKSTOP5U LOCKSTOP5


LOCKSTOP5 para utilização com outros modelos.
A utilização LOCK STOP é facultativa e não afeta o desempenho estrutural.

LBS

CÓDIGO d1 L b TX pçs

[mm] [mm] [mm] d1


LBS550 5 50 46 TX20 200 L
LBS570 5 70 66 TX20 200

MATERIAL E DURABILIDADE FORÇAS


LOCK T: liga de alumínio EN AW-6005A.
Utilização em classes de serviço 1 e 2 (EN 1995-1-1). Fv

CAMPOS DE EMPREGO
• Ligações madeira-madeira entre elementos estrutu-
rais de madeira maciça, lamelar, LVL e CLT

62 | LOCK T | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS


CÓDIGOS E DIMENSÕES
LOCK T Ø7

H H H
H H
H

s B s B s B s B s
B

LOCKT50135 LOCKT50175 LOCKT75175 LOCKT75215 LOCKT100215

CÓDIGO B H s nscrews - Ø nLOCKSTOP - tipo pçs*

[mm] [mm] [mm]


LOCKT50135 50 135 22 12-Ø7 2 LOCKSTOP7 25
LOCKT50175 50 175 22 16-Ø7 4 LOCKSTOP7 18
LOCKT75175 75 175 22 24-Ø7 4 LOCKSTOP7 12
LOCKT75215 75 215 22 36-Ø7 4 LOCKSTOP7 12
LOCKT100215 100 215 22 48-Ø7 4 LOCKSTOP7 8

Parafusos e LOCK STOP não incluídos na embalagem.


* número de pares de conectores

LOCK T FLOOR Ø7

B
s

CÓDIGO B H s nscrews - Ø pçs*

[mm] [mm] [mm]


LOCKTFLOOR135 1200 135 22 64-Ø7 1

Parafusos não incluídos na embalagem.


* número de pares de conectores

LOCK STOP Ø7 B
S
CÓDIGO B H s pçs

[mm] [mm] [mm]


LOCKSTOP7 26,5 38 15 50 H

A utilização LOCK STOP é facultativa e não afeta o desempenho estrutural.

LBS

CÓDIGO d1 L b TX pçs

[mm] [mm] [mm] d1


LBS780 7 80 75 TX30 100 L

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | LOCK T | 63


GEOMETRIA | LOCK T Ø5

elemento viga
principal secundária

B s B

CONECTOR SIMPLES

ELEMENTO VIGA
CONECTOR LOCK T PARAFUSOS
PRINCIPAL SECUNDÁRIA

LBS coluna viga

tipo BxHxs nH+nj - ØxL BS,min x HS,min BH,min x HH,min bJ,min x hj,min

[mm] [mm] [mm] [mm] [mm]

com pré-furo sem pré-furo com pré-furo sem pré-furo

2+2 - Ø5x50 35 x 50 50 x 95
LOCKT1880 17,5 x 80 x 20 35 x 80 43 x 80
2+2 - Ø5x70 35 x 70 70 x 95
4+4 - Ø5x50 53 x 50 50 x 95
LOCKT3580 35 x 80 x 20 53 x 80 61 x 80
4+4 - Ø5x70 53 x 70 70 x 95
6+6 - Ø5x50 53 x 50 50 x 115
LOCKT35100 35 x 100 x 20 53 x 100 61 x 100
6+6 - Ø5x70 53 x 70 70 x 115
8+8 - Ø5x50 53 x 50 50 x 135
LOCKT35120 35 x 120 x 20 53 x 120 61 x 120
8+8 - Ø5x70 53 x 70 70 x 135
12+12 - Ø5x50 70 x 50 50 x 135
LOCKT53120 52,5 x 120 x 20 70 x 120 78 x 120
12+12 - Ø5x70 70 x 70 70 x 135

CONETORES ACOPLADOS

ELEMENTO VIGA
CONECTOR LOCK T PARAFUSOS
PRINCIPAL SECUNDÁRIA

LBS coluna viga

tipo BxHxs nH+nj - ØxL BS,min x HS,min BH,min x HH,min bJ,min x hj,min

[mm] [mm] [mm] [mm] [mm]

com pré-furo sem pré-furo com pré-furo sem pré-furo

12+12 - Ø5x50 88 x 50 50 x 115


LOCKT 35100 + 35100 70 x 100 x 20 88 x 100 96 x 100
12+12 - Ø5x70 88 x 70 70 x 115
16+16 - Ø5x50 88 x 50 50 x 135
LOCKT 35120 +35120 70 x 120 x 20 88 x 120 96 x 120
16+16 - Ø5x70 88 x 70 70 x 135
20+20 - Ø5x50 105 x 50 50 x 135
LOCKT 35120 + 53120 87,5 x 120 x 20 105 x 120 113 x 120
20+20 - Ø5x70 105 x 70 70 x 135

64 | LOCK T | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS


INSTALAÇÃO NA VIGA | LOCK T Ø5
VIGA PRINCIPAL VIGA SECUNDÁRIA

BF ≥B B

nj

HF ≥H hj hj
HH HH
nH

bj

BH SF = 20 mm

A dimensão HF refere-se à altura mínima da fresagem com largura constante. A parte arredondada deve ser tida em conta
na fase da fresagem.

INSTALAÇÃO NA COLUNA | LOCK T Ø5


COLUNA VIGA

B
c
nj
hj hj

nH

bj

BS HS SF = 20 mm

POSICIONAMENTO DO CONECTOR | LOCK T Ø5

conector cmin

[mm]
LOCKT1880 7,5
LOCKT3580 7,5
LOCKT35100 5,0
LOCKT35120 2,5
LOCKT53120 2,5

Para a instalação no pilar, o respeito pela distância mínima do parafuso da extremidade sem tensão do pilar, requer baixar o conector
uma quantidade c, em relação à extremidade do pilar. Isto pode ser conseguido levantando o pilar em relação ao extradorso da viga
(como mostrado na imagem) ou baixando o conector em relação ao extradorso da viga uma quantidade c.

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | LOCK T | 65


GEOMETRIA | LOCK T Ø7

elemento viga
principal secundária

B s B

CONECTOR SIMPLES

ELEMENTO VIGA
CONECTOR LOCK T PARAFUSOS
PRINCIPAL SECUNDÁRIA

LBS coluna viga

tipo BxHxs nH+nj - ØxL BS,min x HS,min BH,min x HH,min bJ,min x hj,min

[mm] [mm] [mm] [mm] [mm]

com pré-furo sem pré-furo com pré-furo sem pré-furo

LOCKT50135 50 x 135 x 22 6+6 - Ø7x80 74 x 80 80 x 155 74 x 135 80 x 140 (1)


LOCKT50175 50 x 175 x 22 8+8 - Ø7x80 74 x 80 80 x 190 74 x 175 80 x 175
LOCKT75175 75 x 175 x 22 12+12 - Ø7x80 99 x 80 80 x 190 99 x 175 105 x 175
LOCKT75215 75 x 215 x 22 18+18 - Ø7x80 99 x 80 80 x 230 99 x 175 105 x 215
LOCKT100215 100 x 215 x 22 24+24 - Ø7x80 124 x 80 80 x 230 124 x 215 130 x 215

CONETORES ACOPLADOS

ELEMENTO VIGA
CONECTOR LOCK T PARAFUSOS
PRINCIPAL SECUNDÁRIA

LBS coluna viga

tipo BxHxs nH+nj - ØxL BS,min x HS,min BH,min x HH,min bJ,min x hj,min

[mm] [mm] [mm] [mm] [mm]

com pré-furo sem pré-furo com pré-furo sem pré-furo

LOCKT 50135 + 50135 100 x 135 x 22 12+12 - Ø7x80 124 x 80 80 x 155 124 x 135 130 x 140 (1)
LOCKT 50175 + 50175 100 x 175 x 22 16+16 - Ø7x80 124 x 80 80 x 190 124 x 175 130 x 175
LOCKT 50175 + 75175 125 x 175 x 22 20+20 - Ø7x80 149 x 80 80 x 190 149 x 175 155 x 175
LOCKT 75215 + 75215 150 x 215 x 22 36+36 - Ø7x80 174 x 80 80 x 230 174 x 215 180 x 215
LOCKT 75215 + 100215 175 x 215 x 22 42+42 - Ø7x80 199 x 80 80 x 230 199 x 215 205 x 215

NOTAS:
(1)
Em caso de instalação sem pré-furo, o conector LOCKT50135 deve ser co-
locado 5 mm abaixo do fio superior da viga secundária, de modo a respeitar
as distâncias mínimas dos parafusos.

66 | LOCK T | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS


INSTALAÇÃO NA VIGA | LOCK T Ø7
VIGA PRINCIPAL VIGA SECUNDÁRIA

BF ≥B B

nj

HF ≥H hj hj
HH HH

nH

bj
BH SF = 22 mm

A dimensão HF refere-se à altura mínima da fresagem com largura constante. A parte arredondada deve ser tida em conta
na fase da fresagem.

INSTALAÇÃO NA COLUNA | LOCK T Ø7


COLUNA VIGA

B
c

nj

hj hj

nH

bj
BS HS SF = 22 mm

POSICIONAMENTO DO CONECTOR | LOCK T Ø7

conector cmin

[mm]
LOCKT50135 15
LOCKT50175 5
LOCKT75175 5
LOCKT75215 15
LOCKT100215 15

Para a instalação no pilar, o respeito pela distância mínima do parafuso da extremidade sem tensão do pilar, requer baixar o conector
uma quantidade c, em relação à extremidade do pilar. Isto pode ser conseguido levantando o pilar em relação ao extradorso da viga
(como mostrado na imagem) ou baixando o conector em relação ao extradorso da viga uma quantidade c.

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | LOCK T | 67


GEOMETRIA | LOCK T FLOOR
PAREDE LAJE

B s B

CONECTOR LOCK T FLOOR PARAFUSOS PAREDE LAJE

LBS

tipo n.° módulos(2) BxHxs nH+nj - ØxL BW,min hp,min

[mm] [mm] [mm] [mm]


LOCKTFLOOR135 1 300x135x22 8+8 - Ø7x80
LOCKTFLOOR135 2 600x135x22 16+16 - Ø7x80
80 135(3)
LOCKTFLOOR135 3 900x135x22 24+24 - Ø7x80
LOCKTFLOOR135 4 1200x135x22 32+32 - Ø7x80

INSTALAÇÃO OCULTA | LOCK T FLOOR


PAREDE LAJE
≥ 15 mm ≥ 15 mm
≥ 10 mm (3)
≥ 10 mm
HF ≥ 145 mm

nH nj
hP

BW SF = 22 mm

INSTALAÇÃO VISÍVEL | LOCK T FLOOR


PAREDE LAJE
≥ 15 mm

≥ 15 mm

nH nj hP

BW SF = 22 mm

NOTAS:
(2) (3)
O conector de 1200 mm de comprimento pode ser cortado em módulos de Em caso de instalação com a laje alinhada com o fio superior da parede,
300 mm de largura. o conector deve ser colocado a 10 mm do bordo superior da laje CLT. Isto
permite respeitar a distância mínima entre os parafusos na parede e a ex-
tremidade superior do painel. Neste caso, a espessura mínima da laje h P é
de 145 mm.

68 | LOCK T | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS


INSTALAÇÃO
INSTALAÇÃO VISÍVEL COM LOCK STOP
1 3 6

2 4 5 7

Colocar o conector no elemen- Colocar o conector na viga se- Enganchar a viga secundária, É possível inserir parafusos an-
to principal e fixar os primeiros cundária e fixar os primeiros pa- inserindo-a de cima para baixo. ti-deslizantes sem função es-
parafusos. Se for utilizado o rafusos. Se for utilizado o LOCK trutural, fazendo um furo de Ø5
LOCK STOP (opcional), colocar STOP (opcional), colocar o inclinado a 45° na parte superior
o LOCK STOP e fixar os restan- LOCK STOP e fixar os restantes do conector. Deve ser inserido
tes parafusos. parafusos. um parafuso de Ø5 no furo.

INSTALAÇÃO NÃO APARENTE


1 5

2 3 4 6

Efetuar a fresagem no elemen- Colocar o conector na viga se- Enganchar a viga secundária, É possível inserir parafusos anti-
to principal. Colocar o conector cundária e fixar todos os para- inserindo-a de cima para baixo. -deslizantes sem função estrutu-
no elemento principal e fixar to- fusos. ral, fazendo um ou mais furos de
dos os parafusos. Ø5 inclinados a 45° na parte su-
perior do conector. Deve ser inse-
rido um parafuso de Ø5 nos furos.

INSTALAÇÃO SEMIOCULTA
2 5

1 3 4 6

Colocar o conector no elemen- Efetuar a fresagem total na viga Enganchar a viga secundária, É possível inserir parafusos anti-
to principal e fixar todos os pa- secundária. Colocar o conector inserindo-a de cima para baixo. -deslizantes sem função estrutu-
rafusos. e fixar todos os parafusos. ral, fazendo um ou mais furos de
Ø5 inclinados a 45° na parte su-
perior do conector. Deve ser inse-
rido um parafuso de Ø5 nos furos.

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | LOCK T | 69


PARAFUSOS INCLINADOS OPCIONAIS
Os furos inclinados a 45° devem ser feitos no estaleiro com um berbequim e uma broca para ferro com um diâmetro de 5
mm. A imagem mostra as posições para os furos inclinados opcionais.

35 52,5

17,5 20 15 20 17,5 15

LOCKT1880 LOCKT3580 LOCKT53120


LOCKT35100
LOCKT35120

50 75 100

30 20 30 25 20 30 25 25 20

LOCKT50135 LOCKT75175 LOCKT100215


LOCKT50175 LOCKT75215
parafuso opcional
Ø5 mm
tipo parafusos opcionais Ø5
L máx. [mm] 45°
LOCKT1880
ax
m

LOCKT3580
L

LOCKT35100 50
LOCKT35120
LOCKT53120
LOCKT50135
LOCKT50175
LOCKT75175 80
LOCKT75215
LOCKT100215

INSTALAÇÃO LOCK T FLOOR EM CLT

1 2 3

Colocar o conector na parede e Colocar o conector na laje e fi- Enganchar a laje, inserindo-a de cima para baixo.
fixar todos os parafusos. xar todos os parafusos.

70 | LOCK T | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS


VALORES ESTÁTICOS
LOCK T Ø5

CONECTOR LOCK T MADEIRA ALUMÍNIO

parafusos LBS

tipo BxHxs nH+nj - ØxL Rv,timber,k Rv,alu,k

[mm] [mm] [kN] [kN]

C24(4) GL24h(5) LVL(6)

2+2 - Ø5x50 2,33 2,54 2,58


LOCKT1880 17,5 x 80 x 20 10,0
2+2 - Ø5x70 2,86 3,00 2,99
4+4 - Ø5x50 4,65 5,07 5,17
LOCKT3580 35 x 80 x 20 20,0
4+4 - Ø5x70 5,72 6,00 5,97
6+6 - Ø5x50 6,98 7,61 7,75
LOCKT35100 35 x 100 x 20 20,0
6+6 - Ø5x70 8,57 8,99 8,96
8+8 - Ø5x50 9,31 10,15 10,33
LOCKT35120 35 x 120 x 20 20,0
8+8 - Ø5x70 11,43 11,99 11,94
12+12 - Ø5x50 13,96 15,22 15,50
LOCKT53120 52,5 x 120 x 20 30,0
12+12 - Ø5x70 17,15 17,99 17,92

12+12 - Ø5x50 13,96 15,22 15,50


LOCKT 35100 + 35100 70 x 100 x 20 40,0
12+12 - Ø5x70 17,15 17,99 17,92
16+16 - Ø5x50 18,61 20,30 20,66
LOCKT 35120 +35120 70 x 120 x 20 40,0
16+16 - Ø5x70 22,87 23,98 23,89
20+20 - Ø5x50 23,27 25,37 25,83
LOCKT 35120 + 53120 87,5 x 120 x 20 50,0
20+20 - Ø5x70 28,58 29,98 29,86

LOCK T Ø7

CONECTOR LOCK T MADEIRA ALUMÍNIO

parafusos LBS

tipo BxHxs nH+nj - ØxL Rv,timber,k Rv,alu,k

[mm] [mm] [kN] [kN]

C24(4) GL24h(5) LVL(6)

LOCKT50135 50 x 135 x 22 6+6 - Ø7x80 15,38 16,36 15,90 30,0


LOCKT50175 50 x 175 x 22 8+8 - Ø7x80 20,50 21,81 21,20 40,0
LOCKT75175 75 x 175 x 22 12+12 - Ø7x80 30,75 32,72 31,80 60,0
LOCKT75215 75 x 215 x 22 18+18 - Ø7x80 46,13 49,08 47,70 60,0
LOCKT100215 100 x 215 x 22 24+24 - Ø7x80 61,51 65,43 63,60 80,0

LOCKT 50135 + 50135 100 x 135 x 22 12+12 - Ø7x80 30,75 32,72 31,80 60,0
LOCKT 50175 + 50175 100 x 175 x 22 16+16 - Ø7x80 41,01 43,62 42,40 80,0
LOCKT 50175 + 75175 125 x 175 x 22 20+20 - Ø7x80 51,26 54,53 53,00 100,0
LOCKT 75215 + 75215 150 x 215 x 22 36+36 - Ø7x80 92,26 98,15 95,40 120,0
LOCKT 75215 + 100215 175 x 215 x 22 42+42 - Ø7x80 107,64 114,51 111,30 140,0

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | LOCK T | 71


VALORES ESTÁTICOS
LOCK T FLOOR PARA CLT

CONECTOR LOCK T FLOOR MADEIRA ALUMÍNIO

parafusos LBS

tipo BxHxs nH+nj - ØxL Rv,timber,k Rv,alu,k

[mm] [mm] [kN] [kN]

CLT(7)

LOCKTFLOOR135 300 x 135 x 22 8+8 - Ø7x80 20,40 240,0


LOCKTFLOOR135 600 x 135 x 22 16+16 - Ø7x80 40,79 480,0
LOCKTFLOOR135 900 x 135 x 22 24+24 - Ø7x80 61,19 720,0
LOCKTFLOOR135 1200 x 135 x 22 32+32 - Ø7x80 81,59 960,0

RIGIDEZ DA LIGAÇÃO
O módulo de deslizamento pode ser calculado de acordo com a ETA-19/0831, com a seguinte expressão:

n ρm1,5 d 0,8 kN
Kv,ser =
30 mm

onde:
• d é o diâmetro da rosca dos parafusos na viga secundária, em mm;
• pm é a densidade média da viga secundária, in kg/m3;
• n é número de parafusos na viga secundária.

NOTAS: PRINCÍPIOS GERAIS:


(4)
Valores calculados de acordo com a ETA-19/0831, ETA-11/0030 e EN 1995- • Os valores de projeto são obtidos a partir dos valores característicos, desta
1-1 para parafusos sem pré-furo. O valor da resistência pode ser considera- forma:
do válido, em termos de segurança, mesmo na presença de pré-furos. No • O coeficiente γ M2 é o coeficiente parcial para secções de alumínio sujeitas
cálculo foi considerado ρ k=350 kg/m3 . a tração, a considerar em função das normas em vigor utilizadas para o
(5)
Valores calculados de acordo com a ETA-19/0831, ETA-11/0030 e EN 1995- cálculo. Na ausência de outras disposições, recomenda-se a utilização do
1-1 para parafusos sem pré-furo. O valor da resistência pode ser considera- valor previsto na EN 1999-1-1, de γ M2=1,25.
do válido, em termos de segurança, mesmo na presença de pré-furos. No • O coeficiente γ M é o coeficiente de segurança pertinente no lado das liga-
cálculo foi considerado ρ k=385 kg/m3 . ções de madeira, a considerar em função das normas em vigor utilizadas
(6)
Valores calculados de acordo com a ETA-19/0831, ETA-11/0030 e EN 1995- para o cálculo.
1-1 para parafusos com pré-furo. No cálculo foi considerado ρ k=480 kg/m3 . • A resistência de projeto é obtida a partir dos valores característicos, desta
(7)
Valores calculados de acordo com a ETA-19/0831, ETA-11/0030 e EN 1995- forma:
1-1 para parafusos sem pré-furo. O valor da resistência pode ser considera-
Rv,timber,d = Rv,timber,k kmod
do válido, em termos de segurança, mesmo na presença de pré-furos. No
cálculo foi considerado ρ k=350 kg/m3 .
Rv,d = min γM
Rv,alu,k
Rv,alu,d =
γM2

• A dimensão e a verificação dos elementos de madeira devem ser feitas à
parte. Em particular, para cargas perpendiculares ao eixo da viga, é reco-
mendável realizar uma verificação do splitting em ambos os elementos de
madeira.
• Se forem utilizados conectores acoplados, deve ser prestada especial aten-
ção ao alinhamento durante a colocação, para evitar tensões diferentes nos
dois conectores.
• Devem ser utilizados parafusos com o mesmo comprimento em todos os
furos, separadamente para cada lado do conector. É possível utilizar pa-
rafusos de diferentes comprimentos nos dois conectores, no lado do ele-
mento principal e no ado da viga secundária.
• O conector deve ser sempre totalmente fixado, utilizando todos os furos.
• Para os parafusos na viga principal ou secundária, com densidade carac-
terística ρ k≤420 kg/m3 não é necessário pré-furo. Para a viga principal ou
secundária com densidade característica ρ k>420 kg/m3 o pré-furo é obri-
gatório.
• Para os parafusos na coluna, o pré-furo é sempre obrigatório.
• Para o conector LOCKTFLOOR135 instalado nos painéis CLT, não é neces-
sário pré-furo.

72 | LOCK T | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS


LOCK T EVO TIMBER ETA 19/0831

LIGADOR OCULTO DE ENGATE


MADEIRA-MADEIRA PARA EXTERIOR

ALUMÍNIO EVO
Graças à pintura especial, pode ser utilizado no exterior na classe de
serviço 3. Fácil e rápido de instalar, pode ser fixado com um único tipo
de parafuso.

EXTERIOR
Ligação facilmente removível, ideal para a realização de estruturas tem-
porárias expostas às intempéries.

MADEIRAS AGRESSIVAS
Ideal em aplicações com essências lenhosas contendo tanino ou trata-
das com impregnantes e outros processos químicos.

CARATERÍSTICAS
FOCUS ligações removíveis para exterior
SECÇÕES DE MADEIRA de 53 x 80 mm a 160 x 280 mm VÍDEO
Digitalize o QR Code e assista ao
RESISTÊNCIA Rv,k até 35 kN
vídeo no nosso canal YouTube
FIXAÇÕES HBS PLATE EVO, KKF AISI410

MATERIAL
Liga de alumínio com pintura especial na cor
preta grafite.

CAMPOS DE APLICAÇÃO
Ligações de corte madeira-madeira para exterior
• madeira maciça e lamelar
• CLT, LVL
• madeiras agressivas (contendo tanino)
• madeiras tratadas quimicamente

74 | LOCK T EVO | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS


CLASSE DE SERVIÇO 3
A liga de alumínio com pintura especial jun-
tamente com os parafusos com revestimento
C4 EVO ou com os parafusos de aço inoxidá-
vel martensítico permitem utilizar a ligação na
classe de serviço 3.

OAK FRAME
Ideal para a fixação de madeiras agressivas que
contenham taninos, como o castanho e o car-
valho. Montagem com parafusos para o exte-
rior KKF AISI410.

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | LOCK T EVO | 75


CÓDIGOS E DIMENSÕES
LOCK T EVO Ø5

CÓDIGO B H s nscrews - Ø nLOCKSTOP - tipo pçs *

[mm] [mm] [mm] H


H
LOCKTEVO3580 35 80 20 8 - Ø5 2 LOCKSTOP5 50
LOCKTEVO35120 35 120 20 16 - Ø5 4 LOCKSTOP5 25
s s
Parafusos e LOCK STOP não incluídos na embalagem. B B
* número de pares de conectores
LOCKTEVO3580 LOCKTEVO35120

LOCK STOP Ø5
B B
CÓDIGO B H s pçs S S

[mm] [mm] [mm]


H H
LOCKSTOP5 19 27,5 13 100

A utilização LOCK STOP é facultativa e não afeta o desempenho estrutural.

HBS PLATE EVO

CÓDIGO d1 L b TX pçs

[mm] [mm] [mm] d1


HBSPEVO550 5 50 30 TX25 200
L
HBSPEVO570 5 70 40 TX25 100

KKF AISI410

CÓDIGO d1 L b TX pçs

[mm] [mm] [mm] d1


KKF550 5 50 30 TX25 200
L
KKF570 5 70 40 TX25 100

MATERIAL E DURABILIDADE FORÇAS


LOCK T EVO : liga de alumínio EN AW-6005A pintado.
Utilização em classes de serviço 1, 2 e 3 (EN 1995-1-1).

Fv

CAMPOS DE EMPREGO
• Ligações madeira-madeira entre elementos estrutu-
rais de madeira maciça, lamelar, LVL e CLT

76 | LOCK T EVO | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS


CÓDIGOS E DIMENSÕES
LOCK T EVO Ø6

CÓDIGO B H s nscrews - Ø nLOCKSTOP - tipo pçs*

[mm] [mm] [mm]


LOCKTEVO50175 50 175 22 16 - Ø6 4 LOCKSTOP 7 18 H
H
LOCKTEVO75215 75 215 22 36 - Ø6 4 LOCKSTOP 7 12

Parafusos e LOCK STOP não incluídos na embalagem.


* número de pares de conectores

B s B s

LOCKTEVO50175 LOCKTEVO75215

LOCK STOP Ø6
B
S
CÓDIGO B H s pçs

[mm] [mm] [mm]


LOCKSTOP7 26,5 38 15 50 H

A utilização LOCK STOP é facultativa e não afeta o desempenho estrutural.

HBS PLATE EVO

CÓDIGO d1 L b TX pçs
d1
[mm] [mm] [mm]
L
HBSPEVO680 6 80 50 TX30 100

KKF AISI410

CÓDIGO d1 L b TX pçs
d1
[mm] [mm] [mm]
L
KKF680 6 80 50 TX30 100

PÉRGULAS E GAZEBOS
Ideal para a realização de estruturas de madeira
instaladas no exterior e na classe de serviço 3.
Possibilidade de desinstalar a ligação para satis-
fazer eventuais necessidades sazonais.

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | LOCK T EVO | 77


GEOMETRIA | LOCK T EVO Ø5

elemento viga
principal secundária

B s B

CONECTOR SIMPLES

ELEMENTO VIGA
CONECTOR LOCK T EVO PARAFUSOS
PRINCIPAL SECUNDÁRIA

HBS PLATE EVO


coluna viga
KKF AISI410

tipo BxHxs nH+nj - ØxL BS,min x HS,min BH,min x HH,min bJ,min x hj,min

[mm] [mm] [mm] [mm] [mm]

com pré-furo sem pré-furo com pré-furo sem pré-furo

4+4 - Ø5x50 53 x 50 50 x 95
LOCKTEVO3580 35 x 80 x 20 53 x 80 61 x 80
4+4 - Ø5x70 53 x 70 70 x 95
8+8 - Ø5x50 53 x 50 50 x 135
LOCKTEVO35120 35 x 120 x 20 53 x 120 61 x 120
8+8 - Ø5x70 53 x 70 70 x 135

CONETORES ACOPLADOS

ELEMENTO VIGA
CONECTOR LOCK T EVO PARAFUSOS
PRINCIPAL SECUNDÁRIA

HBS PLATE EVO


coluna viga
KKF AISI410

tipo BxHxs nH+nj - ØxL BS,min x HS,min BH,min x HH,min bJ,min x hj,min

[mm] [mm] [mm] [mm] [mm]

com pré-furo sem pré-furo com pré-furo sem pré-furo

16+16 - Ø5x50 88 x 50 50 x 135


LOCKTEVO 35120 + 35120 70 x 120 x 20 88 x 120 96 x 120
16+16 - Ø5x70 88 x 70 70 x 135

78 | LOCK T EVO | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS


INSTALAÇÃO NA VIGA | LOCK T EVO Ø5
VIGA PRINCIPAL VIGA SECUNDÁRIA

BF ≥B B

nj

HF ≥H hj hj
HH HH
nH

bj

BH SF = 20 mm

A dimensão HF refere-se à altura mínima da fresagem com largura constante. A parte arredondada deve ser tida em conta
na fase da fresagem.

INSTALAÇÃO NA COLUNA | LOCK T EVO Ø5


COLUNA VIGA

B
c
nj

hj hj

nH

bj

BS HS SF = 20 mm

POSICIONAMENTO DO CONECTOR | LOCK T EVO Ø5

conector cmin

[mm]
LOCKTEVO3580 7,5
LOCKTEVO35120 2,5

Para a instalação no pilar, o respeito pela distância mínima do parafuso da extremidade sem tensão do pilar, requer baixar o conector
uma quantidade c, em relação à extremidade do pilar. Isto pode ser conseguido levantando o pilar em relação ao extradorso da viga
(como mostrado na imagem) ou baixando o conector em relação ao extradorso da viga uma quantidade c.

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | LOCK T EVO | 79


GEOMETRIA | LOCK T EVO Ø6

elemento viga
principal secundária

B s B

CONECTOR SIMPLES

ELEMENTO VIGA
CONECTOR LOCK T EVO PARAFUSOS
PRINCIPAL SECUNDÁRIA

HBS PLATE EVO


coluna viga
KKF AISI410

tipo BxHxs nH+nj - ØxL BS,min x HS,min BH,min x HH,min bJ,min x hj,min

[mm] [mm] [mm] [mm] [mm]

com pré-furo sem pré-furo com pré-furo sem pré-furo

LOCKTEVO50175 50 x 175 x 22 8+8 - Ø6x80 68 x 80 80 x 180 68 x 175 80 x 175


LOCKTEVO75215 75 x 215 x 22 18+18 - Ø6x80 93 x 80 80 x 220 93 x 215 105 x 215

CONETORES ACOPLADOS

ELEMENTO VIGA
CONECTOR LOCK T EVO PARAFUSOS
PRINCIPAL SECUNDÁRIA

HBS PLATE EVO


coluna viga
KKF AISI410

tipo BxHxs nH+nj - ØxL BS,min x HS,min BH,min x HH,min bJ,min x hj,min

[mm] [mm] [mm] [mm] [mm]

com pré-furo sem pré-furo com pré-furo sem pré-furo

LOCKTEVO 50175 + 50175 100 x 175 x 22 16+16 - Ø6x80 118 x 80 80 x 180 118 x 175 130 x 175
LOCKTEVO 75215 + 75215 150 x 215 x 22 36+36 - Ø6x80 168 x 80 80 x 220 168 x 215 180 x 215

80 | LOCK T EVO | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS


INSTALAÇÃO NA VIGA | LOCK T EVO Ø6
VIGA PRINCIPAL VIGA SECUNDÁRIA

BF ≥B B

nj

HF ≥H
hj hj
HH HH
nH

bj
BH SF = 22 mm

A dimensão HF refere-se à altura mínima da fresagem com largura constante. A parte arredondada deve ser tida em conta
na fase da fresagem.

INSTALAÇÃO NA COLUNA | LOCK T EVO Ø6


COLUNA VIGA

B
c

nj

hj
hj hj

nH

bj

BS HS SF = 22 mm

POSICIONAMENTO DO CONECTOR | LOCK T EVO Ø6

conector cmin

[mm]
LOCKTEVO50175 5
LOCKTEVO75215 15

Para a instalação no pilar, o respeito pela distância mínima do parafuso da extremidade sem tensão do pilar, requer baixar o conector
uma quantidade c, em relação à extremidade do pilar. Isto pode ser conseguido levantando o pilar em relação ao extradorso da viga
(como mostrado na imagem) ou baixando o conector em relação ao extradorso da viga uma quantidade c.

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | LOCK T EVO | 81


INSTALAÇÃO
INSTALAÇÃO VISÍVEL COM LOCK STOP
1 3

2 4 5 6

Colocar o conector no elemen- Colocar o conector na viga se- Enganchar a viga secundária, É possível inserir parafusos an-
to principal e fixar os primeiros cundária e fixar os primeiros pa- inserindo-a de cima para baixo. ti-deslizantes sem função es-
parafusos. Se for utilizado o rafusos. Se for utilizado o LOCK trutural, fazendo um furo de Ø5
LOCK STOP (opcional), colocar STOP (opcional), colocar o inclinado a 45° na parte superior
o LOCK STOP e fixar os restan- LOCK STOP e fixar os restantes do conector. Deve ser inserido
tes parafusos. parafusos. um parafuso de Ø5 no furo.

INSTALAÇÃO NÃO APARENTE


1

2 3 4 5

Efetuar a fresagem no elemen- Colocar o conector na viga se- Enganchar a viga secundária, É possível inserir parafusos anti-
to principal. Colocar o conector cundária e fixar todos os para- inserindo-a de cima para baixo. -deslizantes sem função estrutu-
no elemento principal e fixar to- fusos. ral, fazendo um ou mais furos de
dos os parafusos. Ø5 inclinados a 45° na parte su-
perior do conector. Deve ser inse-
rido um parafuso de Ø5 nos furos.

INSTALAÇÃO SEMIOCULTA
2

1 3 4 5

Colocar o conector no elemen- Efetuar a fresagem total na viga Enganchar a viga secundária, É possível inserir parafusos anti-
to principal e fixar todos os pa- secundária. Colocar o conector inserindo-a de cima para baixo. -deslizantes sem função estrutu-
rafusos. e fixar todos os parafusos. ral, fazendo um ou mais furos de
Ø5 inclinados a 45° na parte su-
perior do conector. Deve ser inse-
rido um parafuso de Ø5 nos furos.

NOTA: para a geometria dos furos no caso de parafusos inclinados opcionais, ver “PARAFUSOS INCLINADOS OPCIONAIS” na pág. 70

82 | LOCK T EVO | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS


VALORES ESTÁTICOS
LOCK T EVO Ø5

CONECTOR LOCK T EVO MADEIRA ALUMÍNIO

parafusos
HBS PLATE EVO
KKF AISI410
tipo BxHxs nH+nj - ØxL Rv,timber,k Rv,alu,k
[mm] [mm] [kN] [kN]
C24(1) C50 (2)
4+4 - Ø5x50 3,97 5,66
LOCKTEVO3580 35 x 80 x 20 20,0
4+4 - Ø5x70 4,81 6,23
8+8 - Ø5x50 7,94 11,31
LOCKTEVO35120 35 x 120 x 20 20,0
8+8 - Ø5x70 9,62 12,46

16+16 - Ø5x50 15,88 22,62


LOCKTEVO 35120 + 35120 70 x 120 x 20 40,0
16+16 - Ø5x70 19,23 24,92

LOCK T EVO Ø6

CONECTOR LOCK T EVO MADEIRA ALUMÍNIO

parafusos
HBS PLATE EVO
KKF AISI410
tipo BxHxs nH+nj - ØxL Rv,timber,k Rv,alu,k
[mm] [mm] [kN] [kN]
C24(1) C50 (2)
LOCKTEVO50175 50 x 175 x 22 8+8 - Ø6x80 13,92 18,24 40,0
LOCKTEVO75215 75 x 215 x 22 18+18 - Ø6x80 31,31 41,04 60,0

LOCKTEVO 50175 + 50175 100 x 175 x 22 16+16 - Ø6x80 27,83 36,48 80,0
LOCKTEVO 75215 + 75215 150 x 215 x 22 36+36 - Ø6x80 62,62 82,07 120,0

RIGIDEZ DA LIGAÇÃO: PRINCÍPIOS GERAIS:

• O módulo de deslizamento pode ser calculado de acordo com a ETA- • Os valores de projeto são obtidos a partir dos valores característicos, desta
19/0831, com a seguinte expressão: forma:
• O coeficiente γ M2 é o coeficiente parcial para secções de alumínio sujeitas
n ρm1,5 d 0,8 kN a tração, a considerar em função das normas em vigor utilizadas para o
Kv,ser = cálculo. Na ausência de outras disposições, recomenda-se a utilização do
30 mm valor previsto na EN 1999-1-1, de γ M2=1,25.

• O coeficiente γ M é o coeficiente de segurança pertinente no lado das liga-
onde: ções de madeira, a considerar em função das normas em vigor utilizadas
d é o diâmetro da rosca dos parafusos na viga secundária, em mm; para o cálculo.
p m é a densidade média da viga secundária, in kg/m3; • A resistência de projeto é obtida a partir dos valores característicos, desta
forma:
n é número de parafusos na viga secundária.

Rv,timber,d = Rv,timber,k kmod


NOTAS: Rv,d = min γM
Rv,alu,k
(1)
Valores calculados de acordo com a ETA-19/0831, ETA-11/0030 e EN 1995- Rv,alu,d =
1-1 para parafusos sem pré-furo. O valor da resistência pode ser considera- γM2
do válido, em termos de segurança, mesmo na presença de pré-furos. No
cálculo foi considerado ρ k=350 kg/m3 . • A dimensão e a verificação dos elementos de madeira devem ser feitas à
(2)
Valores calculados de acordo com a ETA-19/0831, ETA-11/0030 e EN 1995- parte. Em particular, para cargas perpendiculares ao eixo da viga, é reco-
1-1 para parafusos com pré-furo. No cálculo foi considerado ρ k=430 kg/m3 . mendável realizar uma verificação do splitting em ambos os elementos de
madeira.
• Se forem utilizados conectores acoplados, deve ser prestada especial aten-
ção ao alinhamento durante a colocação, para evitar tensões diferentes nos
dois conectores.
• Devem ser utilizados parafusos com o mesmo comprimento em todos os
furos, separadamente para cada lado do conector. É possível utilizar pa-
rafusos de diferentes comprimentos nos dois conectores, no lado do ele-
mento principal e no ado da viga secundária.
• O conector deve ser sempre totalmente fixado, utilizando todos os furos.
• Para os parafusos na viga principal ou secundária, com densidade caracterís-
tica ρk≤420 kg/m3 não é necessário pré-furo. Para a viga principal ou secun-
dária com densidade característica ρk>420 kg/m3 o pré-furo é obrigatório.
• Para os parafusos na coluna, o pré-furo é sempre obrigatório.

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | LOCK T EVO | 83


LOCK C CONCRETE ETA 19/0831

LIGADOR OCULTO DE ENGATE MADEIRA-BETÃO

SIMPLES
Instalação rápida em betão. Sistema de enganchamento fácil com an-
corantes parafusáveis no lado do betão e parafusos auto-perfurantes no
lado da madeira.

REMOVÍVEL
Graças ao sistema de enganchamento, as vigas de madeira podem ser
facilmente removidas para satisfazer eventuais necessidades sazonais.

OCULTO
A fixação no betão fica oculta. Quando instalado sem fresagem, gera
uma sombra de fuga esteticamente agradável.

LOCK C FLOOR

CARATERÍSTICAS
FOCUS ligações removíveis para betão
SECÇÕES DE MADEIRA de 70 x 120 mm a 200 x 440 mm VÍDEO
Digitalize o QR Code e assista ao
RESISTÊNCIA Rv,k até 65 kN
vídeo no nosso canal YouTube
FIXAÇÕES LBS, SKS-E

MATERIAL
Chapa furada tridimensional em liga de alumínio.

CAMPOS DE APLICAÇÃO
Ligação de corte madeira-betão
• madeira maciça e lamelar
• CLT, LVL

84 | LOCK C | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS


RECUPERAÇÃO DE EDIFÍCIOS
A versão com haste é especialmente concebida
para a fixação de lajes CLT em vigas e lancis de
betão ou elementos de alvenaria. Ideal para o
restauro ou renovação de edifícios existentes.

MADEIRA-BETÃO
Ideal para a realização de coberturas ou pér-
gulas perto de suportes de betão. Fixação
oculta e fácil de instalar.

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | LOCK C | 85


CÓDIGOS E DIMENSÕES
LOCK C Ø5

CÓDIGO B H s nscrews - Ø nanchors - Ø nLOCKSTOP - tipo pçs*

[mm] [mm] [mm]


LOCKC53120 52,5 120 20 12 - Ø5 2 - Ø8 2 LOCKSTOP5 25 H

Parafusos, ancorantes e LOCK STOP não incluídos na embalagem.


* número de pares de conectores (conector do lado da madeira + conector do lado do betão)
B s
53120
LOCKC53120

LOCK STOP Ø5
B B
CÓDIGO B H s pçs S S

[mm] [mm] [mm]


H H
LOCKSTOP5 19 27,5 13 100

A utilização LOCK STOP é facultativa e não afeta o desempenho estrutural.

LBS

CÓDIGO d1 L b TX pçs

[mm] [mm] [mm] d1

LBS550 5 50 46 TX20 200 L


LBS570 5 70 66 TX20 200

SKS-E

CÓDIGO d1 L d0 Tinst TX pçs


d1
[mm] [mm] [mm] [Nm]
SKS75100CE 8 100 6 20 TX30 50
L

MATERIAL E DURABILIDADE FORÇAS


LOCK C: liga de alumínio EN AW-6005A.
Utilização em classes de serviço 1 e 2 (EN 1995-1-1).

Fv

CAMPOS DE EMPREGO
• Ligações madeira-betão e madeira-aço

86 | LOCK C | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS


CÓDIGOS E DIMENSÕES
LOCK C Ø7

CÓDIGO B H s nscrews - Ø nanchors - Ø nLOCKSTOP - tipo pçs*

[mm] [mm] [mm]


LOCKC75175 75 175 22 12 - Ø7 2 - Ø10 2 LOCKSTOP7 12
H H
LOCKC100215 100 215 22 24 - Ø7 4 - Ø10 2 LOCKSTOP7 8

Parafusos, ancorantes e LOCK STOP não incluídos na embalagem.


* número de pares de conectores (conector do lado da madeira + conector do lado do betão)

B s B
s
75175
LOCKC75175 100215
LOCKC100215

LOCK C FLOOR Ø7

B
s

CÓDIGO B H s nscrews - Ø nanchors - Ø pçs*

[mm] [mm] [mm]


LOCKCFLOOR135 1200 135 22 32 - Ø7 8 - Ø10 1

Parafusos e ancorantes não incluídos na embalagem.


* número de pares de conectores (conector do lado da madeira + conector do lado do betão)

LOCK STOP Ø7
B
S
CÓDIGO B H s pçs

[mm] [mm] [mm]


LOCKSTOP7 26,5 38 15 50 H

A utilização LOCK STOP é facultativa e não afeta o desempenho estrutural.

LBS

CÓDIGO d1 L b TX pçs

[mm] [mm] [mm] d1

LBS780 7 80 75 TX30 100 L

SKS-E

CÓDIGO d1 L d0 Tinst TX pçs


d1
[mm] [mm] [mm] [Nm]
SKS10100CE 10 100 8 50 TX40 50
L

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | LOCK C | 87


GEOMETRIA | LOCK C Ø5

lado lado
betão madeira

45

45 H

B s B

CONECTOR LOCK C BETÃO MADEIRA

parafusos
ancorantes SKS-E
LBS

tipo BxHxs nC - ØxL BC,min nj - ØxL bJ,min x hj,min

[mm] [mm] [mm] [mm] [mm]

com pré-furo sem pré-furo

12 - Ø5x50
LOCKC53120 52,5 x 120 x 20 2 - Ø8x100 120 70 x 120 78 x 120
12 - Ø5x70

INSTALAÇÃO| LOCK C Ø5
BETÃO MADEIRA

nj

nC hj hj

bj
BC SF = 20 mm

88 | LOCK C | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS


GEOMETRIA | LOCK C Ø7
LOCKC75175 LOCKC100215
lado lado lado lado
betão madeira betão madeira

50 50

70
H
90
130
H

B s B

B s B

CONECTOR LOCK C BETÃO MADEIRA

parafusos
ancorantes SKS-E
LBS

tipo BxHxs nC - ØxL BC,min nj - ØxL bJ,min x hj,min

[mm] [mm] [mm] [mm] [mm]

com pré-furo sem pré-furo

LOCKC75175 75 x 175 x 22 2 - Ø10x100 120 12 - Ø7x80 99 x 175 105 x 175


LOCKC100215 100 x 215 x 22 4 - Ø10x100 120 24 - Ø7x80 124 x 215 130 x 215

INSTALAÇÃO| LOCK C Ø7
BETÃO MADEIRA

nj

nC hj hj

bj
BC SF = 22 mm

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | LOCK C | 89


GEOMETRIA | LOCK C FLOOR EM CLT

PAREDE LAJE

B s B

CONECTOR LOCK T FLOOR PAREDE LAJE CLT

ancorantes SKS-E parafusos LBS

tipo n.º módulos(1) BxHxs nC - ØxL BC,min nj - ØxL hp,min

[mm] [mm] [mm] [mm] [mm]


LOCKFLOOR135 1 300 x 135 x 22 2 - Ø10x100 120 8 - Ø7x80 135
LOCKFLOOR135 2 600 x 135 x 22 4 - Ø10x100 120 16 - Ø7x80 135
LOCKFLOOR135 3 900 x 135 x 22 6 - Ø10x100 120 24 - Ø7x80 135
LOCKFLOOR135 4 1200 x 135 x 22 8 - Ø10x100 120 32 - Ø7x80 135

INSTALAÇÃO | LOCK C 120 EM CLT


PAREDE LAJE

≥ 15 mm

70 nC
nj hP

75 150 75

BC SF = 20mm

NOTAS:
(1)
O conector de 1200 mm de comprimento pode ser cortado em módulos de
300 mm de largura.

90 | LOCK C | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS


INSTALAÇÃO
INSTALAÇÃO VISÍVEL COM LOCK STOP
1 3

2 4 5 6

Colocar o conector no betão e Colocar o conector na viga de Enganchar a viga, inserindo-a de cima para baixo.
fixar os ancorantes de acordo madeira e fixar os primeiros pa-
com as respetivas instruções de rafusos. Se for utilizado o LOCK
colocação. STOP (opcional), colocar o
LOCK STOP e fixar os restantes
parafusos.

INSTALAÇÃO SEMIOCULTA
1 3

2 4 5 6

Colocar o conector no betão e Efetuar a fresagem total na viga Enganchar a viga, inserindo-a de cima para baixo.
fixar os ancorantes de acordo secundária. Colocar o conector
com as respetivas instruções de e fixar todos os parafusos.
colocação.

INSTALAÇÃO LOCK T FLOOR

1 2 3

Colocar o conector no betão e Colocar o conector na laje e fi- Enganchar a viga, inserindo-a de cima para baixo.
fixar os ancorantes de acordo xar todos os parafusos.
com as respetivas instruções de
colocação.

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | LOCK C | 91


VALORES ESTÁTICOS
LOCK C Ø5
BETÃO
CONECTOR LOCK C MADEIRA ALUMÍNIO
NÃO FISSURADO
parafusos ancorantes
LBS SKS-E

tipo BxHxs nj - ØxL Rv,timber,k Rv,alu,k nC - ØxL Rv,concrete,d

[mm] [mm] [kN] [kN] [mm] [kN]

C24(2) GL24h(3) LVL(4)

12 - Ø5x50 13,96 15,22 15,50


LOCKC53120 52,5 x 120 x 20 30,0 2 - Ø8x100 12,10
12 - Ø5x70 17,15 17,99 17,92

LOCK C Ø7
BETÃO
CONECTOR LOCK C MADEIRA ALUMÍNIO
NÃO FISSURADO
parafusos ancorantes
LBS SKS-E

tipo BxHxs nj - ØxL Rv,timber,k Rv,alu,k nC - ØxL Rv,concrete,d

[mm] [mm] [kN] [kN] [mm] [kN]

C24(2) GL24h(3) LVL(4)

LOCKC75175 75 x 175 x 22 12 - Ø7x80 30,75 32,72 31,80 60,0 2 - Ø10x100 20,80


LOCKC100215 100 x 215 x 22 24 - Ø7x80 61,51 65,43 63,60 80,0 4 - Ø10x100 35,50

LOCK C FLOOR PARA CLT


BETÃO
CONECTOR LOCK C FLOOR MADEIRA ALUMÍNIO
NÃO FISSURADO
parafusos ancorantes
LBS SKS-E

tipo BxHxs nj - ØxL Rv,timber,k Rv,alu,k nC - ØxL Rv,concrete,d

[mm] [mm] [kN] [kN] [mm] [kN]

CLT(5)

LOCKCFLOOR135 300 x 135 x 22 8 - Ø7x80 20,40 240,0 2 - Ø10x100 24,60


LOCKCFLOOR135 600 x 135 x 22 16 - Ø7x80 40,79 480,0 4 - Ø10x100 47,90
LOCKCFLOOR135 900 x 135 x 22 24 - Ø7x80 61,19 720,0 6 - Ø10x100 71,10
LOCKCFLOOR135 1200 x 135 x 22 32 - Ø7x80 81,59 960,0 8 - Ø10x100 94,30

92 | LOCK C | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS


VALORES ESTÁTICOS
DIMENSÃO DOS ANCORANTES ALTERNATIVOS
Para a fixação com ancorantes diferentes dos indicados na tabela, o cál- e=s
culo da fixação no betão pode ser efetuado consultando a ETA do anco-
rante, de acordo com o esquema mostrado ao lado. Fv

Da mesma forma, para a fixação em aço com parafusos de cabeça de


embeber, o cálculo da fixação em aço pode ser realizado consultando
as normas em vigor para o cálculo dos parafusos de rosca métrica em
estruturas de aço, de acordo com o esquema ao lado.

O grupo de ancorantes deve ser verificado em termos de força de corte


e momento de flexão respetivamente iguais a:

Vd = Fv,d

Md = e Fv,d

RIGIDEZ DA LIGAÇÃO
O módulo de deslizamento pode ser calculado de acordo com a ETA-19/0831, com a seguinte expressão:

n ρm1,5 d 0,8 kN
Kv,ser =
30 mm

onde:
• d é o diâmetro da rosca dos parafusos na viga secundária, em mm;
• ρm é a densidade média da viga secundária, in kg/m3;
• n é número de parafusos na viga secundária.

NOTAS: PRINCÍPIOS GERAIS:


(2)
Valores calculados de acordo com a ETA-19/0831, ETA-11/0030 e EN 1995- • Os valores de projeto são obtidos a partir dos valores característicos, desta
1-1 para parafusos sem pré-furo. O valor da resistência pode ser considera- forma:
do válido, em termos de segurança, mesmo na presença de pré-furos. No • O coeficiente γ M2 é o coeficiente parcial para secções de alumínio sujeitas
cálculo foi considerado ρ k=350 kg/m3 . a tração, a considerar em função das normas em vigor utilizadas para o
(3)
Valores calculados de acordo com a ETA-19/0831, ETA-11/0030 e EN 1995- cálculo. Na ausência de outras disposições, recomenda-se a utilização do
1-1 para parafusos sem pré-furo. O valor da resistência pode ser considera- valor previsto na EN 1999-1-1, de γ M2=1,25.
do válido, em termos de segurança, mesmo na presença de pré-furos. No • O coeficiente γ M é o coeficiente de segurança pertinente no lado das liga-
cálculo foi considerado ρ k=385 kg/m3 . ções de madeira, a considerar em função das normas em vigor utilizadas
(4)
Valores calculados de acordo com a ETA-19/0831, ETA-11/0030 e EN 1995- para o cálculo.
1-1 para parafusos com pré-furo. No cálculo foi considerado ρ k=480 kg/m3 . • A resistência de projeto é obtida a partir dos valores característicos, desta
(5)
Valores calculados de acordo com a ETA-19/0831, ETA-11/0030 e EN 1995- forma:
1-1 para parafusos sem pré-furo. O valor da resistência pode ser conside-
rado válido, em termos de segurança, mesmo na presença de pré-furos.
No cálculo foi considerado ρ k=350 kg/m3 . Rv,timber,d = Rv,timber,k kmod
γM
Rv,d = min Rv,alu,k
Rv,alu,d =
γM2
Rv,concrete,d

• A dimensão e a verificação das vigas de madeira devem ser feitas à parte.
Em particular, para cargas perpendiculares ao eixo da viga, é recomendável
realizar uma verificação do splitting.
• Devem ser utilizados parafusos com o mesmo comprimento em todos os
furos, com fixação total do conector, utilizando todos os furos.
• Para os parafusos na viga com densidade característica ρk≤420 kg/m3
não é necessário pré-furo. Para vigas com densidade característica
ρ k>420 kg/m3 o pré-furo é obrigatório.
• Para o conector LOCKTFLOOR135 instalado nos painéis CLT, não é neces-
sário pré-furo.
• Na fase de cálculo, foi considerada uma classe de resistência do betão
C25/30 com armação rara, na ausência de entre-eixos e distâncias da bor-
da e espessura mínima indicada nas tabelas que mostram os parâmetros de
instalação dos ancorantes utilizados. Os valores de resistência são válidos
para as hipóteses de cálculo definidas na tabela; para condições de limite
diferentes das da tabela (por ex., distâncias mínimas das bordas ou dife-
rentes espessuras de betão), a resistência do lado do betão deve ser cal-
culada separadamente (consultar a secção DIMENSÃO DOS ANCORANTES
ALTERNATIVOS).

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | LOCK C | 93


UV-T TIMBER ETA

LIGADOR OCULTO DE ENGATE


MADEIRA-MADEIRA

GAMA COMPLETA
Disponível em cinco versões, para se adaptar à viga secundária e à carga
aplicada. Resistências superiores a 60 kN.

REMOVÍVEL
O sistema de enganchamento é rápido de instalar e pode ser facilmente
removido; ideal para a realização de estruturas temporárias.

VENTO E SISMOS
Resistências certificadas em todas as direções de carga, para uma fixa-
ção segura mesmo na presença de forças laterais, axiais e de elevação.

CARATERÍSTICAS
FOCUS ligações removíveis
SECÇÕES DE MADEIRA de 45 x 100 mm a 240 x 520 mm VÍDEO
Digitalize o QR Code e assista ao
RESISTÊNCIA Rv,k até 63 kN
vídeo no nosso canal YouTube
FIXAÇÕES LBS, HBS, VGS

MATERIAL
Chapa furada tridimensional em liga de alumínio.

CAMPOS DE APLICAÇÃO
Ligações de corte madeira-madeira e aplica-
ções que exigem resistência em todas as di-
recções
• madeira maciça e lamelar
• CLT, LVL

94 | UV-T | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS


TODAS AS DIREÇÕES
Os parafusos inclinados fixados na viga secun-
dária garantem resistência em todas as dire-
ções: verticais, horizontais e axiais. A ligação é
segura mesmo na presença de forças causa-
das pelo vento e sismos.

MONTAGEM RÁPIDA
A instalação é intuitiva, simples e rápida. O
parafuso de bloqueio impede o deslizamen-
to, garantindo resistência também na direcção
oposta àquela de inserção.

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | UV-T | 95


CÓDIGOS E DIMENSÕES
UV-T

CÓDIGO B H s Ø 90° Ø45° pçs


[mm] [mm] [mm] [mm] [mm]
UVT3070 30 70 16 5 4 25
UVT4085 40 85 16 5 6 25 H
UVT60115 60 115 16 5 6 25
UVT60160 60 160 16 5 6 10 B
UVT60215 60 215 16 5 6 10

Parafusos não incluídos na embalagem.

LBS: parafusos 90°

CÓDIGO d1 L b TX pçs
d1
[mm] [mm] [mm]
LBS550 5 50 46 TX20 200 L
LBS560 5 60 56 TX20 200
LBS570 5 70 66 TX20 200

HBS: parafuso 45° para UVT3070

CÓDIGO d1 L b TX pçs
d1
[mm] [mm] [mm]
L
HBS450 4 50 30 TX20 400
HBS470 4 70 40 TX20 200

VGS: parafuso 45° para UVT4085/UVT60115/UVT60160/UVT60215

CÓDIGO d1 L b TX pçs
[mm] [mm] [mm] d1

VGS6100 6 100 88 TX30 100 L


VGS6160 6 160 148 TX30 100

FIXAÇÕES

NÚMERO MÁXIMO DE FIXAÇÕES POR CADA HBS/VGS 45°


CONECTOR (pregagem total)

CÓDIGO n90° n45° LBS 90°


HBS/VGS 45°
[pçs - Ø] [pçs - Ø]
UVT3070 8 - LBS Ø5 6 (+1) - HBS Ø4
UVT4085 11 - LBS Ø5 4 (+1) - VGS Ø6
UVT60115 17 - LBS Ø5 6 (+1) - VGS Ø6
UVT60160 25 - LBS Ø5 6 (+1) - VGS Ø6
UVT60215 34 - LBS Ø5 8 (+1) - VGS Ø6

MATERIAL E DURABILIDADE FORÇAS


UV: liga de alumínio.
Utilização em classes de serviço 1 e 2 (EN 1995-1-1). Fv

Flat
CAMPOS DE APLICAÇÃO
• Ligações madeira-madeira Fax
• Viga secundária na viga principal ou no pilar Fup

HBS/VGS 45°
96 | UV-T | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS
UVT3070
DIMENSÕES MÍNIMAS ELEMENTOS DE MADEIRA

B s
VIGA VIGA
PRINCIPAL SECUNDÁRIA

TIPO VIGA VIGA


CONECTOR UV
PARAFUSOS 45° PRINCIPAL SECUNDÁRIA (1)
fresagem

tipo BxHxs ØxL BH,min BF SF bJ,min hJ,min


[mm] [mm] [mm] [mm] [mm] [mm] [mm]
HBS Ø4 x 50 45 45 100
UVT3070 30 x 70 x 16 30 16
HBS Ø4 x 70 60 45 115

FIXAÇÕES
VIGA VIGA
PRINCIPAL SECUNDÁRIA

tipo pregagem nH,90° nH,45°(3) nJ,90° nJ,45°


[pçs - Ø] [pçs - Ø] [pçs - Ø] [pçs - Ø]
total + 6 - LBS Ø5 1 - HBS Ø4 2 - LBS Ø5 6 - HBS Ø4
UVT3070
parcial(2) 4 - LBS Ø5 1 - HBS Ø4 2 - LBS Ø5 4 - HBS Ø4

Fv Fv

B=BF SF

Flat Flat nH,45°


e nJ,90°
H Fax
hJ
nH,90° nJ,45°
≥10 mm

bJ BH

Fup Fup

VALORES ESTÁTICOS CARACTERÍSTICOS | LIGAÇÃO MADEIRA-MADEIRA


PREGAGEM TOTAL + PREGAGEM PARCIAL
tipo parafusos 45° tipo parafusos 45°

HBS Ø4 x 50 HBS Ø4 x 70 HBS Ø4 x 50 HBS Ø4 x 70


[kN] [kN] [kN] [kN]
Rax,k 1,45 1,45 1,45 1,45
Rv,k 6,77 9,03 4,51 6,02
LBS Ø5 x 50
Rup,k 1,13 1,50 1,13 1,50
Rlat,k 1,72 1,81 1,49 1,57
tipo parafusos 90°

Rax,k 1,76 1,76 1,76 1,76


Rv,k 6,77 9,03 4,51 6,02
LBS Ø5 x 60
Rup,k 1,13 1,50 1,13 1,50
Rlat,k 1,72 1,81 1,49 1,57
Rax,k 2,08 2,08 2,08 2,08
Rv,k 6,77 9,03 4,51 6,02
LBS Ø5 x 70
Rup,k 1,13 1,50 1,13 1,50
Rlat,k 1,72 1,81 1,49 1,57

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | UV-T | 97


UVT4085
DIMENSÕES MÍNIMAS ELEMENTOS DE MADEIRA H

B s
VIGA VIGA
PRINCIPAL SECUNDÁRIA

TIPO VIGA VIGA


CONECTOR UV
PARAFUSOS 45° PRINCIPAL SECUNDÁRIA (1)

fresagem
tipo BxHxs ØxL BH,min BF SF bJ,min hJ,min
[mm] [mm] [mm] [mm] [mm] [mm] [mm]
VGS Ø6 x 100 80 70 120
UVT4085 40 x 85 x 16 40 16
VGS Ø6 x 160 120 70 160

FIXAÇÕES
VIGA VIGA
PRINCIPAL SECUNDÁRIA

tipo pregagem nH,90° nH,45°(3) nJ,90° nJ,45°


[pçs - Ø] [pçs - Ø] [pçs - Ø] [pçs - Ø]
total + 9 - LBS Ø5 1 - VGS Ø6 2 - LBS Ø5 4 - VGS Ø6
UVT4085
parcial(2) 5 - LBS Ø5 1 - VGS Ø6 2 - LBS Ø5 4 - VGS Ø6

Fv Fv

B=BF SF

Flat Flat
e nH,45° nJ,90°
Fax
H hJ
nJ,45°
nH,90°
≥10 mm

bJ BH

Fup Fup

v F v F
VALORES ESTÁTICOS CARACTERÍSTICOS | LIGAÇÃO MADEIRA-MADEIRA
PREGAGEM TOTAL + PREGAGEM PARCIAL
tipo parafusos 45° tipo parafusos 45°

VGS Ø6 x 100 VGS Ø6 x 160 VGS Ø6 x 100 VGS Ø6 x 160


[kN] [kN] [kN] [kN]
Rax,k 1,45 1,45 1,45 1,45
Rv,k 18,67 19,22 10,68 10,68
LBS Ø5 x 50
Rup,k 4,67 7,85 4,67 7,85
Rlat,k 1,50 1,50 1,50 1,50
tipo parafusos 90°

Rax,k 1,76 1,76 1,76 1,76


Rv,k 18,67 20,40 11,33 11,33
LBS Ø5 x 60
Rup,k 4,67 7,85 4,67 7,85
Rlat,k 1,57 1,57 1,57 1,57
Rax,k 2,08 2,08 2,08 2,08
Rv,k 18,67 21,58 11,99 11,99
LBS Ø5 x 70
Rup,k 4,67 7,85 4,67 7,85
Rlat,k 1,64 1,64 1,64 1,57

98 | UV-T | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS


UVT60115
DIMENSÕES MÍNIMAS ELEMENTOS DE MADEIRA H

B s
VIGA VIGA
PRINCIPAL SECUNDÁRIA

TIPO VIGA VIGA


CONECTOR UV
PARAFUSOS 45° PRINCIPAL SECUNDÁRIA (1)
fresagem
tipo BxHxs ØxL BH,min BF SF bJ,min hJ,min
[mm] [mm] [mm] [mm] [mm] [mm] [mm]
VGS Ø6 x 100 80 80 180
UVT60115 60 x 115 x 16 60 16
VGS Ø6 x 160 120 80 220

FIXAÇÕES
VIGA VIGA
PRINCIPAL SECUNDÁRIA

tipo pregagem nH,90° nH,45°(3) nJ,90° nJ,45°


[pçs - Ø] [pçs - Ø] [pçs - Ø] [pçs - Ø]
total + 15 - LBS Ø5 1 - VGS Ø6 2 - LBS Ø5 6 - VGS Ø6
UVT60115
parcial(2) 8 - LBS Ø5 1 - VGS Ø6 2 - LBS Ø5 4 - VGS Ø6

Fv Fv

B=BF SF

Flat Flat
nH,45° nJ,90°
e
H Fax
hJ
nH,90° nJ,45°

≥10 mm

bJ BH

Fup Fup

VALORES ESTÁTICOS CARACTERÍSTICOS | LIGAÇÃO MADEIRA-MADEIRA


PREGAGEM TOTAL + PREGAGEM PARCIAL
tipo parafusos 45° tipo parafusos 45°

VGS Ø6 x 100 VGS Ø6 x 160 VGS Ø6 x 100 VGS Ø6 x 160


[kN] [kN] [kN] [kN]
Rax,k 1,45 1,45 1,45 1,45
Rv,k 28,00 32,03 17,08 17,08
LBS Ø5 x 50
Rup,k 4,67 7,85 4,67 7,85
Rlat,k 2,59 2,59 2,18 2,18
tipo parafusos 90°

Rax,k 1,76 1,76 1,76 1,76


Rv,k 28,00 34,00 18,13 18,13
LBS Ø5 x 60
Rup,k 4,67 7,85 4,67 7,85
Rlat,k 2,70 2,70 2,28 2,28
Rax,k 2,08 2,08 2,08 2,08
Rv,k 28,00 35,97 18,67 19,18
LBS Ø5 x 70
Rup,k 4,67 7,85 4,67 7,85
Rlat,k 2,82 2,82 2,38 2,38

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | UV-T | 99


UVT60160
DIMENSÕES MÍNIMAS ELEMENTOS DE MADEIRA

B s
VIGA VIGA
PRINCIPAL SECUNDÁRIA

CONECTOR UV TIPO PARAFUSOS 45° VIGA PRINCIPAL VIGA SECUNDÁRIA (1)


fresagem
tipo BxHxs ØxL BH,min BF SF bJ,min hJ,min
[mm] [mm] [mm] [mm] [mm] [mm] [mm]
VGS Ø6 x 100 80 100 180
UVT60160 60 x 160 x 16 60 16
VGS Ø6 x 160 120 100 220

FIXAÇÕES
VIGA PRINCIPAL VIGA SECUNDÁRIA
(3)
tipo pregagem nH,90° nH,45° nJ,90° nJ,45°
[pça - Ø] [pça - Ø] [pça - Ø] [pça - Ø]
total + 21 - LBS Ø5 1 - VGS Ø6 4 - LBS Ø5 6 - VGS Ø6
UVT60160
parcial(2) 11 - LBS Ø5 1 - VGS Ø6 4 - LBS Ø5 4 - VGS Ø6

Fv Fv

B=BF SF

Flat Flat
nH,45° nJ,90°
e
Fax
H hJ
nJ,45°
nH,90°

≥10 mm

bJ BH

Fup Fup

VALORES ESTÁTICOS CARACTERÍSTICOS | LIGAÇÃO MADEIRA-MADEIRA


PREGAGEM TOTAL + PREGAGEM PARCIAL
tipo parafusos 45° tipo parafusos 45°
VGS Ø6 x 100 VGS Ø6 x 160 VGS Ø6 x 100 VGS Ø6 x 160
[kN] [kN] [kN] [kN]
Rax,k 2,90 2,90 2,90 2,90
Rv,k 28,00 44,85 18,67 23,49
LBS Ø5 x 50
Rup,k 4,67 7,85 4,67 7,85
Rlat,k 3,01 3,01 2,71 2,71
tipo parafusos 90°

Rax,k 3,53 3,53 3,53 3,53


Rv,k 28,00 47,09 18,67 24,93
LBS Ø5 x 60
Rup,k 4,67 7,85 4,67 7,85
Rlat,k 3,15 3,15 2,83 2,83
Rax,k 4,16 4,16 4,16 4,16
Rv,k 28,00 47,09 18,67 26,38
LBS Ø5 x 70
Rup,k 4,67 7,85 4,67 7,85
Rlat,k 3,28 3,28 2,95 2,95

100 | UV-T | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS


UVT60215
DIMENSÕES MÍNIMAS ELEMENTOS DE MADEIRA

B s
VIGA VIGA
PRINCIPAL SECUNDÁRIA

CONECTOR UV TIPO PARAFUSOS 45° VIGA PRINCIPAL VIGA SECUNDÁRIA (1)


fresagem
tipo BxHxs ØxL BH,min BF SF bJ,min hJ,min
[mm] [mm] [mm] [mm] [mm] [mm] [mm]
VGS Ø6 x 100 80 100 220
UVT60215 60 x 215 x 16 60 16
VGS Ø6 x 160 120 100 260

FIXAÇÕES
VIGA PRINCIPAL VIGA SECUNDÁRIA
(3)
tipo pregagem nH,90° nH,45° nJ,90° nJ,45°
[pça - Ø] [pça - Ø] [pça - Ø] [pça - Ø]
total + 30 - LBS Ø5 1 - VGS Ø6 4 - LBS Ø5 8 - VGS Ø6
UVT60215
parcial(2) 16 - LBS Ø5 1 - VGS Ø6 4 - LBS Ø5 4 - VGS Ø6

Fv Fv

B=BF SF

Flat Flat
nJ,90°
nH,45°
e

H hJ Fax

nH,90° nJ,45°

≥10 mm

bJ BH

Fup Fup

VALORES ESTÁTICOS CARACTERÍSTICOS | LIGAÇÃO MADEIRA-MADEIRA


PREGAGEM TOTAL + PREGAGEM PARCIAL
tipo parafusos 45° tipo parafusos 45°
VGS Ø6 x 100 VGS Ø6 x 160 VGS Ø6 x 100 VGS Ø6 x 160
[kN] [kN] [kN] [kN]
Rax,k 2,90 2,90 2,90 2,90
Rv,k 37,34 62,79 18,67 31,40
LBS Ø5 x 50
Rup,k 4,67 7,85 4,67 7,85
Rlat,k 3,37 3,37 2,78 2,78
tipo parafusos 90°

Rax,k 3,53 3,53 3,53 3,53


Rv,k 37,34 62,79 18,67 31,40
LBS Ø5 x 60
Rup,k 4,67 7,85 4,67 7,85
Rlat,k 3,53 3,53 2,90 2,90
Rax,k 4,16 4,16 4,16 4,16
Rv,k 37,34 62,79 18,67 31,40
LBS Ø5 x 70
Rup,k 4,67 7,85 4,67 7,85
Rlat,k 3,68 3,68 3,03 3,03

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | UV-T | 101


NOTAS: PRINCÍPIOS GERAIS:
(1)
As dimensões mínimas dos elementos de madeira variam em função da dire- • Os valores característicos estão em conformidade com a norma EN 1995-
ção da tensão e devem ser verificadas de vez em quando. A tabela mostra as 1-1, de acordo com a ETA do produto.
dimensões mínimas a fim de orientar o projetista na escolha do conector. A Os valores de projeto são obtidos a partir dos valores característicos, desta
dimensão e a verificação dos elementos de madeira devem ser feitas à parte. forma:
(2)
A pregagem parcial deve ser efetuada com base nos esquemas de coloca-
ção mostrados na figura e de acordo com a ETA. Rk kmod
Rd =
(3)
No caso de tensões Fv ou Fup é necessário utilizar um parafuso inclinadoa- γM
dicional na viga principal, a inserir após a montagem do conector.
Os coeficientes γ M e kmod devem ser tomados em função das normas vi-
gentes.
• Em fase de cálculo, considerou-se uma massa volúmica dos elementos de
madeira equivalente a ρ k = 350 kg/m3 .
• A dimensão e a verificação dos elementos de madeira devem ser feitas à parte.
• Em caso de tensão combinada, deve-se satisfazer a seguinte verificação:

2 2
Fax,d Fv/up,d Flat,d
+ + ≥ 1
Rax,d Rv/up,d Rlat,d

• É possível a fixação por pregagem total no caso de aplicações em vigas ou
por pregagem parcial no caso de aplicações em pilares. No lado da viga
secundária, devem ser sempre inseridos parafusos inclinados nos dois furos
superiores e nos dois furos inferiores.
• Considera-se que a tensão lateral Flat atua a uma distância
e = H/2 do centro do conector. Para diferentes valores de “e” é possível
calcular os valores de resistência de acordo com a ETA.
• Considera-se que a viga principal esteja impedida de rodar. Se o conector
UV for instalado apenas num dos lados da viga, deve ser considerado um
momento devido à excentricidade. Mv = Fd . (B H /2 . 14 mm). O mesmo se
aplica no caso de ligação em ambos os lados da viga principal quando a
diferença entre as tensões de atuação é > 20%.

102 | UV-T | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS


UV-C CONCRETE ETA

LIGADOR OCULTO DE ENGATE MADEIRA-BETÃO

MADEIRA E BETÃO
Ligação calculada e certificada para fixação de vigas secundárias em su-
portes de betão (vigas ou pilares); também certificada para suportes de aço.

REMOVÍVEL
O sistema de enganchamento é rápido de instalar e pode ser facilmente
removido; ideal para a realização de estruturas temporárias.

BLOQUEIO
Os parafusos de bloqueio adicionais incluídos na embalagem garantem
resistência para forças de baixo para cima.

CARATERÍSTICAS
FOCUS ligações removíveis
VÍDEO
SECÇÕES DE MADEIRA de 80 x 180 mm a 240 x 440 mm Digitalize o QR Code e assis-
RESISTÊNCIA Rv,k até 63 kN ta ao vídeo no nosso canal
YouTube
FIXAÇÕES LBS, VGS, SKS-E

MATERIAL
Chapa furada tridimensional em liga de alumínio.

CAMPOS DE APLICAÇÃO
Ligações de corte madeira-betão e aplicações
que exigem resistência em todas as direções
• madeira maciça e lamelar
• CLT, LVL

104 | UV-C | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS


CÓDIGOS E DIMENSÕES
UV-C

CÓDIGO B H s Øconcrete Ø 90° Ø45° pçs


[mm] [mm] [mm] [mm] [mm] [mm]
UVC60115 60 115 24 12 5 6 10
H
UVC60160 60 160 24 12 5 6 10
UVC60215 60 215 24 12 5 6 10

Parafusos não incluídos na embalagem. B

SKS-E: ancorante parafusável de cabeça de embeber

CÓDIGO d1 L d0 Tinst TX pçs


d1
[mm] [mm] [mm] [Nm]
SKS10100CE 10 100 8 50 TX40 50 L

LBS: parafusos 90°

CÓDIGO d1 L b TX pçs d1
[mm] [mm] [mm]
L
LBS550 5 50 46 TX20 200
LBS560 5 60 56 TX20 200
LBS570 5 70 66 TX20 200

VGS: parafusos 45°

CÓDIGO d1 L b TX pçs d1
[mm] [mm] [mm]
L
VGS6100 6 100 88 TX30 100
VGS6160 6 160 148 TX30 100

MATERIAL E DURABILIDADE FIXAÇÕES FORÇAS


UV: liga de alumínio. Fv
Utilização em classes de serviço 1 e
2 (EN 1995-1-1).
LBS 90°

SKS-E

CAMPOS DE EMPREGO VGS 45°


Fax
• Ligações madeira-betão
Fup

RÁPIDA FIXAÇÃO
A instalação no betão é facilitada pela utiliza-
ção de ancorantes parafusáveis SKS-E a insta-
lar a seco de forma rápida e fácil. Os valores
para aplicação no betão são calculados e es-
tão disponíveis.

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | UV-C | 105


VALORES ESTÁTICOS | LIGAÇÃO MADEIRA-BETÃO
UVC60115 UVC60160 UVC60215

VIGA/ VIGA VIGA/ VIGA VIGA/ VIGA


PILAR SECUNDÁRIA PILAR SECUNDÁRIA PILAR SECUNDÁRIA
BETÃO BETÃO BETÃO

H
H

B s

B s

B s
FIXAÇÕES

CONECTOR VIGA/ VIGA SECUNDÁRIA


UV-C PILAR BETÃO MADEIRA
pregagem/
BxHxs nH,90° nJ,90° nJ,45°
buchas
[mm] [pça - Ø] [pça - Ø] [pça - Ø]
UVC60115 60 x 115 x 24 2 - SKS-E Ø10 2 - LBS Ø5 6 - VGS Ø6
UVC60160 60 x 160 x 24 total 2 - SKS-E Ø10 4 - LBS Ø5 6 - VGS Ø6
UVC60215 60 x 215 x 24 3 - SKS-E Ø10 4 - LBS Ø5 8 - VGS Ø6

Se for necessário impedir o deslizamento do conector para cima (por ex., tensão Fup ), são fornecidos dois parafusos M6 x 20 adicionais.
Os parafusos e as respetivas anilhas estão incluídos na embalagem.

LIGAÇÃO MADEIRA-BETÃO
Fv Fv

H
hJ

≥10 mm

B Bconcrete
bJ

VIGA SECUNDÁRIA R V,d BETÃO


R V,k MADEIRA
MADEIRA (2) NÃO FISSURADO

fixação fixação fixação


tipo bJ,min hJ,min Rv,k timber Rv,d concrete
de furos Ø5(1) de furos Ø6(1) de furos Ø12
[mm] [mm] Ø x L [mm] Ø x L [mm] [kN] Ø x L [mm] [kN]
UVC60115 80 180 LBS Ø5 x 50 VGS Ø6 x 100 28,00 SKS-E Ø10 x 100 12,70
UVC60160 100 180 LBS Ø5 x 50 VGS Ø6 x 100 28,00 SKS-E Ø10 x 100 17,20
UVC60215 100 220 LBS Ø5 x 50 VGS Ø6 x 100 37,34 SKS-E Ø10 x 100 21,30

106 | UV-C | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS


DIMENSÃO DOS ANCORANTES ALTERNATIVOS
A fixação no betão com ancorantes diferentes dos indicados na tabela deve ser verificada com base nas forças Fbolt de tensão
sobre os mesmos ancorantes, determináveis através dos coeficientes kt.

TENSÃO DE TRAÇÃO Fax TENSÃO DE CORTE VERTICAL Fv


Fv Fv

Fax bolt Fax bolt Flat bolt Fax bolt


Flat bolt Fax bolt
Fax Fax
Fax bolt Fax bolt Flat bolt Fax bolt
Flat bolt Fax bolt

γconcrete

Fax,d Flat bolt,d = kt Fv,d


Fax bolt,d =
nbolt
Fax bolt,d = kt Fv,d

nbolt kt kt
UVC60115 2 0,50 0,299
UVC60160 2 0,50 0,192
UVC60215 3 0,33 0,106

A verificação do ancorante é satisfeita se a resistência de projeto, calculada tendo em conta os efeitos de grupo e a geometria
do conector UV-C, for superior à tensão de projeto:

R bolt,d ≥ F bolt,d

NOTAS: PRINCÍPIOS GERAIS:


(1)
É permitida a utilização de parafusos LBS e VGS de comprimento superior • Os valores característicos estão em conformidade com a norma EN 1995-1-
ao indicado na tabela, sem afetar a resistência total da ligação (rutura do 1, de acordo com a ETA do produto. Os valores de projeto das ancoragens
lado do betão). Neste caso, os parâmetros de instalação (viga secundária de para betão são calculados de acordo com as respetivas Avaliações Técnicas
madeira) devem ser reavaliados. Europeias.
(2)
As dimensões mínimas dos elementos de madeira variam em função da dire- • Os valores de projeto são obtidos a partir dos valores característicos, desta
ção da tensão e devem ser verificadas de vez em quando. A tabela mostra as forma:
dimensões mínimas a fim de orientar o projetista na escolha do conector. A
dimensão e a verificação dos elementos de madeira devem ser Rfeitas à parte.kmod
v,k timber Rv,k timber kmod
Rd = min γM
Rv,d concrete

Os coeficientes γ M e kmod devem ser considerados em função da norma
vigente utilizada para o cálculo.
• Em fase de cálculo, considerou-se uma massa volúmica dos elementos de
madeira equivalente a ρ k = 350 kg/m3 e uma classe de resistência do betão
C25/30 com armação rara, espessura mínima B concrete de 120 mm na au-
sência de distâncias da borda.
• A dimensão e a verificação dos elementos de madeira e de betão devem
ser feitas à parte.
• Os valores de resistência são válidos para as hipóteses de cálculo definidas
na tabela; condições de limite diferentes (ex.: distâncias mínimas das bor-
das) devem ser verificadas pelo projetista responsável.

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | UV-C | 107


DISC FLAT ETA 19/0706

LIGADOR OCULTO REMOVÍVEL

TENSÕES COMBINADAS
Resistente a forças quer de corte quer de tração, graças ao aperto dos ele-
mentos por meio de uma barra condutora. Marcação CE conforme ETA.

PRÁTICO
Instalação simples graças à possibilidade de aperto sucessivamente à
montagem. Fixação rápida e precisa graças aos parafusos LBS.

REMOVÍVEL
Utilizável também para estruturas temporárias, pode ser removido com
simplicidade, graças ao sistema de barra condutora.

CARATERÍSTICAS
FOCUS ligações universais
SECÇÕES DE MADEIRA de 100 x 100 mm a 280 x 280 mm VÍDEO
Digitalize o QR Code e assista ao
RESISTÊNCIA Rv acima de 60 kN, Rax acima de 100 kN
vídeo no nosso canal YouTube
FIXAÇÕES LBS, KOS

MATERIAL
Chapa tridimensional furada de aço carbónico
electrogalvanizado.

CAMPOS DE APLICAÇÃO
Ligações de corte madeira-madeira em todas
as direcções da viga secundária
• madeira maciça e lamelar
• CLT, LVL
• painéis à base de madeira

108 | DISC FLAT | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS


ESTÉTICA
Ligação completamente oculta, assegura um
ajuste estético agradável.

VERSATILIDADE
Utilizável em variadas aplicações, permite a
realização de ligações de corte e ligações à
tração entre os elementos de madeira.

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | DISC FLAT | 109


CÓDIGOS E DIMENSÕES
CÓDIGO D s M n0° + n45° pçs s

[mm] [mm] [mm]


DISCF55 55 10 12 10 16
DISCF80 80 15 16 10 8
DISCF120 120 15 20 18 4
Parafusos não incluídos na embalagem.
D

LBS para DISCF55


CÓDIGO d1 L b TX pçs d1
[mm] [mm] [mm]
L
LBS550 5 50 46 TX20 200
LBS560 5 60 56 TX20 200
LBS570 5 70 66 TX20 200

LBS para DISCF80 e DISCF120


CÓDIGO d1 L b TX pçs d1
[mm] [mm] [mm]
L
LBS760 7 60 55 TX30 100
LBS780 7 80 75 TX30 100
LBS7100 7 100 95 TX30 100

MATERIAL E DURABILIDADE FORÇAS


DISC FLAT: Aço carbónico electrogalvanizado.
Utilização em classes de serviço 1 e 2 (EN 1995-1-1). Fv

Flat

CAMPOS DE APLICAÇÃO Flat


• Ligações madeira-madeira entre elementos estrutu- Fax
rais de madeira maciça, lamelar, LVL e CLT Fv
• Ligações madeira-aço
• Ligações madeira-betão

GEOMETRIA
n45°

n0°

M D

D s

110 | DISC FLAT | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS


DIMENSÕES MÍNIMAS

CONECTOR
PARAFUSOS VIGA SECUNDÁRIA ELEMENTO PRINCIPAL
DISC FLAT

ØxL bJ,min hJ,min HH,min* DH SF DF

[mm] [mm] [mm] [mm] [mm] [mm] [mm]


LBS Ø5 x 50 100 100 110
DISCF55 LBS Ø5 x 60 110 110 115 13 11 56
LBS Ø5 x 70 130 130 130
LBS Ø7 x 60 120 120 150
DISCF80 LBS Ø7 x 80 150 150 165 17 16 81
LBS Ø7 x 100 180 180 180
LBS Ø7 x 80 160 160 200
DISCF120 21 16 121
LBS Ø7 x 100 190 190 215

* HH, mín. só é válido no caso de instalação com fresagem. Para a instalação sem fresagem, aplicam-se as distâncias mínimas para o para-
fuso de rosca métrica, de acordo com a EN 1995-1-1.

INSTALAÇÃO
SEM FRESAGEM

ELEMENTO PRINCIPAL VIGA SECUNDÁRIA


DH ta

HH hJ hJ

bJ

COM FRESAGEM ABERTA

ELEMENTO PRINCIPAL VIGA SECUNDÁRIA


DH ta SF

HH HH hJ hJ

DF bJ

COM FRESAGEM CIRCULAR

ELEMENTO PRINCIPAL VIGA SECUNDÁRIA

DH ta SF

HH HH hJ hJ

DF bJ

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | DISC FLAT | 111


ENTRE-EIXOS E ESPAÇAMENTOS
conector parafusos Ø x L a1 a3,t a4,t

[mm] [mm]
a3,t [mm] [mm]
a3,t
LBS Ø5 x 50 90 50
DISCF55 LBS Ø5 x 60 105 55 60
a3,t
LBS Ø5 x 70 120 65
LBS Ø7 x 60 a
110
1 60
DISCF80 a3,t a3,t LBS Ø7 x 80 140 75 90
LBS Ø7 x 100 170 90
LBS Ø7 x 80 150 80
DISCF120 120
LBS Ø7 x 100 180 95
a1
ELEMENTO PRINCIPAL VIGA SECUNDÁRIA VIGA SECUNDÁRIA
INSTALAÇÃO COM FRESAGEM INSTALAÇÃO SIMPLES INSTALAÇÃO MÚLTIPLA

ta SF a3,t

a3,ta a3,ta
a3,t a3,t 3,t 3,t

Fv
a4,t a3,ta
3,t
a1 a
1
a3,ta a3,ta
3,t 3,t

a1 a
1

ta t SF S a3,ta
a F 3,t

a3,ta a3,ta
3,t 3,t
OPÇÕES DE COLOCAÇÃO Fv F
v
a4,ta de acordo com a OPÇÃO 1 ou OPÇÃO 2.
A orientação do conector é indiferente. Pode ser colocado 4,t

DISCF120 DISCF80 DISCF55

OPÇÃO 1

OPÇÃO 2

FIXAÇÕES
CONECTOR
PARAFUSOS
DISC FLAT
parafusos de rosca métrica para anilhas
n45° n0°
fixação em madeira para madeira
[pçs - Ø] [pçs - Ø] [pçs - Ø] [pçs - Ø]
DISCF55 8 - LBS Ø5 2 - LBS Ø5 1 - KOS M12 1 - ULS1052 M12
DISCF80 8 - LBS Ø7 2 - LBS Ø7 1 - KOS M16 1 - ULS1052 M16
DISCF120 16 - LBS Ø7 2 - LBS Ø7 1 - KOS M20 1 - ULS1052 M20

112 | DISC FLAT | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS


VALORES ESTÁTICOS
RESISTÊNCIAS LADO DA VIGA SECUNDÁRIA

conector parafusos Ø x L bJ,min x hJ,min Rv,screws,k = Rlat,screws,k Rax,screws,k


[mm] [mm] [kN] [kN]
GL24h(1) LVL(2) GL24h(1) LVL(2)
LBS Ø5 x 50 100 x 100 9,60 8,03 17,01 11,64
DISCF55 LBS Ø5 x 60 110 x 110 11,83 9,89 20,96 14,34
LBS Ø5 x 70 130 x 130 14,06 11,76 24,91 17,04
LBS Ø7 x 60 120 x 120 14,69 12,28 26,10 17,91
DISCF80 LBS Ø7 x 80 150 x 150 20,94 17,51 37,16 25,47
LBS Ø7 x 100 180 x 180 27,19 22,73 48,22 33,03
LBS Ø7 x 80 160 x 160 41,88 48,15 70,66 81,24
DISCF120
LBS Ø7 x 100 190 x 190 54,38 62,52 91,72 105,46

RESISTÊNCIA AO CORTE LADO DO ELEMENTO PRINCIPAL

conector Rv,main,k(8) [kN]


SEM FRESAGEM COM FRESAGEM
viga coluna parede viga coluna
GL24h(1) LVL(2) GL24h(1) LVL(2) CLT(3) GL24h(1) LVL(2) GL24h(1) LVL(2)
DISCF55 13,9 14,3 19,9 23,0 19,0 25,1 28,3 35,6 42,5
DISCF80 21,2 21,7 31,0 37,5 25,7 40,8 46,2 58,6 71,9
DISCF120 34,1 35,0 48,1 54,4 32,8 71,1 80,0 98,7 117,5

conector Rlat,main,k(8) [kN]


SEM FRESAGEM COM FRESAGEM(7)
viga coluna parede viga coluna
GL24h(1) LVL(2) GL24h(1) LVL(2) CLT(3) GL24h(1) LVL(2) GL24h(1) LVL(2)
DISCF55 19,9 23,0 13,9 14,3 17,5 35,6 42,5 25,1 28,3
DISCF80 31,0 37,5 21,2 21,7 23,8 58,6 71,9 40,8 46,2
DISCF120 48,1 54,4 34,1 35,0 30,7 98,7 117,5 71,1 80,0

RESISTÊNCIA À TRAÇÃO LADO DO ELEMENTO PRINCIPAL

conector Rax,main,k [kN]


GL24h(4) LVL(5) CLT(6)
DISCF55 18,7 22,4 17,9
DISCF80 25,3 30,4 24,3
DISCF120 34,8 41,8 33,5

RIGIDEZ DA LIGAÇÃO
O módulo de deslizamento pode ser calculado de acordo com a ETA-19/0706, com as seguintes expressões:

Kax,ser = 150 kN/mm

ρ m1,5 d
Kv,ser = Klat,ser = kN/mm Para conectores sob tensão ao corte em ligações madeira-madeira
N/mm Kv,ser = Klat,ser = 23 kN/mm
N/mm 23
Kv,ser = Klat,ser = 70
d22
d kN/mm Para conectores sob tensão ao corte em ligações aço-madeira

onde:
• d é o diâmetro do parafuso de rosca métrica em mm;
• pm é a densidade média do elemento principal, em kg/m3.

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | DISC FLAT | 113


NOTAS: PRINCÍPIOS GERAIS:
(1)
Valores calculados de acordo com a ETA-19/0706. No cálculo foi conside- • Os valores característicos de resistência da ligação são obtidos da seguinte
rado ρ k=385 kg/m3 . forma:
(2)
Valores calculados de acordo com a ETA-19/0706. No cálculo foi conside-
rado ρ k=480kg/m3 .
Rv,screws,k
Rv,k = min
(3)
Valores calculados de acordo com a ETA-19/0706. No cálculo foi conside- RRv,main,k
v,main,k
rado ρ k=350kg/m3 .
(4)
Valores calculados de acordo com a ETA-19/0706 com anilhas do tipo RRax,screws,k
ax,screws,k
DIN1052, devem ser recalculados se forem utilizadas outras anilhas. No Rax,k = min
cálculo foi considerado fc,90,k=2,5 MPa. R
(5)
Rax,main,k
ax,main,k
Valores calculados de acordo com a ETA-19/0706 com anilhas do tipo
DIN1052, devem ser recalculados se forem utilizadas outras anilhas. No
cálculo foi considerado fc,90,k=3,0 MPa. R
Rlat,screws,k
lat,screws,k
(6)
Rlat,k = min
Valores calculados de acordo com a ETA-19/0706 com anilhas do tipo Rlat,main,k
DIN1052, devem ser recalculados se forem utilizadas outras anilhas. No
cálculo foi considerado fc,90,k=2,4 MPa. • Os valores de projeto são obtidos a partir dos valores característicos, desta
(7)
Em caso de utilização do conector com fresagem na viga principal, se for forma: Os coeficientes γ M e kmod devem ser considerados em função da
aplicada uma tensão Flat , é necessário efetuar uma fresagem circular fe- norma vigente utilizada para o cálculo.
chada. Rk kmod
(8)
Os valores de resistência foram calculados para um comprimento útil do Rd =
parafuso de rosca métrica de:
γM

- t a = 100 mm para DISCF55 na viga ou coluna; • Em caso de tensões combinadas Fv, Fax e Flat deve ser satisfeita a seguinte
- t a = 120 mm para DISCF80 na viga ou coluna; expressão:
- t a = 180 mm para DISCF120 na viga ou coluna; 2
- t a = 100 mm para DISCF55, DISCF80 e DISCF120 na parede. Fax,d Fv,d Flat,d
+ + ≥ 1
No caso de comprimentos maiores ou menores, as resistências podem ser Rax,d Rv,d Rlat,d
calculadas de acordo com a ETA-19/0706.
• A dimensão e a verificação dos elementos de madeira devem ser feitas à
parte.
• No caso de elemento principal em aço ou em betão, o cálculo de Rv,main,k ,
Rax,main,k e Rlat,main,k deve ser efetuado pelo projetista. O cálculo dos valores
de projeto relativos deve ser efetuado utilizando os coeficientes γ M a consi-
derar em função das normas em vigor utilizadas para o cálculo.
• São possíveis duas opções de colocação na viga secundária (opção 1/op-
ção 2). As resistências não variam em ambos os casos. No caso de ins-
talação múltipla, recomenda-se colocar os conectores alternando com a
opção 1 e a opção 2.
• Se for utilizado mais de um conector, as resistências do lado dos parafu-
sos (Fv,screws , Fax,screws , Flat,screws) podem ser multiplicadas pelo número de
conectores.
• Se forem utilizados vários conectores, o cálculo da ligação no lado do ele-
mento principal deve ser efetuado pelo projetista, de acordo com os capí-
tulos 8.5 e 8.9 EN 1995-1-1.
• Devem ser utilizados parafusos com o mesmo comprimento em todos os furos.

114 | DISC FLAT | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS


DISC FLAT A2 ETA 19/0706

LIGADOR OCULTO REMOVÍVEL

TENSÕES COMBINADAS
Resistente a forças quer de corte quer de tração, graças ao aperto dos ele-
mentos por meio de uma barra condutora. Marcação CE conforme ETA.

PRÁTICO
Instalação simples graças à possibilidade de aperto sucessivamente à
montagem. Fixação rápida e precisa graças aos parafusos KKF AISI410.

REMOVÍVEL
Utilizável também para estruturas temporárias, pode ser removido com
simplicidade, graças ao sistema de barra condutora.

CARATERÍSTICAS
FOCUS ligações universais
SECÇÕES DE MADEIRA de 100 x 100 mm a 280 x 280 mm VÍDEO
Digitalize o QR Code e assista ao
RESISTÊNCIA Rv acima de 40 kN, Rax acima de 70 kN
vídeo no nosso canal YouTube
FIXAÇÕES KKF AISI410, KOS A2

MATERIAL
Aço inoxidável A2 | AISI 304.

CAMPOS DE APLICAÇÃO
Ligações de corte madeira-madeira em todas
as direcções da viga secundária
• madeira maciça e lamelar
• CLT, LVL
• painéis à base de madeira

116 | DISC FLAT A2 | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS


CLASSE DE SERVIÇO 3
O aço inoxidável A2 | AISI304 juntamente com
os parafusos KKF de aço inoxidável martensí-
tico permitem utilizar a ligação na classe de
serviço 3.

OAK FRAME
Ideal para a fixação de madeiras agressivas
que contenham taninos, como o castanho e
o carvalho. Montagem com parafusos para o
exterior KKF AISI410.

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | DISC FLAT A2 | 117


CÓDIGOS E DIMENSÕES
s
CÓDIGO D s M n0° + n45° pçs
[mm] [mm] [mm]
DISCFA255 55 10 12 10 16
DISCFA280 80 15 16 10 8
DISCFA2120 120 15 20 18 4
Parafusos não incluídos na embalagem. D

KKF AISI410 para DISCFA255


CÓDIGO d1 L b TX pçs d1
[mm] [mm] [mm]
L
KKF550 5 50 30 TX25 200
KKF560 5 60 35 TX25 200
KKF570 5 70 40 TX25 100

KKF AISI410 paraDISCFA280 e DISCFA2120


CÓDIGO d1 L b TX pçs d1
[mm] [mm] [mm]
L
KKF680 6 80 50 TX30 100
KKF6100 6 100 60 TX30 100
KKF6120 6 120 75 TX30 100

MATERIAL E DURABILIDADE FORÇAS


DISC FLAT A2: aço inoxidável AISI304.
Utilização em classes de serviço 1, 2 e 3 (EN 1995-1-1). Fv

Flat

CAMPOS DE EMPREGO
• Ligações madeira-madeira entre elementos estrutu-
Flat
rais de madeira maciça, lamelar, LVL e CLT
Fax
• Ligações madeira-aço
• Ligações madeira-betão Fv

GEOMETRIA

n45°

n0°

M D

D s

118 | DISC FLAT A2 | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS


DIMENSÕES MÍNIMAS
CONECTOR
PARAFUSOS VIGA SECUNDÁRIA ELEMENTO PRINCIPAL
DISC FLAT

ØxL bJ,min hJ,min HH,min* DH SF DF

[mm] [mm] [mm] [mm] [mm] [mm] [mm]


KKF AISI410 Ø5 x 50 100 100 110
DISCFA255 KKF AISI410 Ø5 x 60 110 110 115 13 11 56
KKF AISI410 Ø5 x 70 130 130 130
KKF AISI410 Ø6 x 80 150 150 165
DISCFA280 KKF AISI410 Ø6 x 100 180 180 180 17 16 81
KKF AISI410 Ø6 x 120 210 210 210
KKF AISI410 Ø6 x 80 160 160 200
DISCFA2120 KKF AISI410 Ø6 x 100 190 190 215 21 16 121
KKF AISI410 Ø6 x 120 220 220 230

* HH, mín. só é válido no caso de instalação com fresagem. Para a instalação sem fresagem, aplicam-se as distâncias mínimas para o para-
fuso de rosca métrica, de acordo com a EN 1995-1-1.

INSTALAÇÃO
SEM FRESAGEM

ELEMENTO PRINCIPAL VIGA SECUNDÁRIA


DH ta

HH hJ hJ

bJ
DH ta SF
COM FRESAGEM ABERTA

ELEMENTO PRINCIPAL bJ
VIGA SECUNDÁRIA
DH ta SF

HH HH hJ hJ

DF bJ

COM FRESAGEM CIRCULAR

ELEMENTO PRINCIPAL VIGA SECUNDÁRIA

DH ta SF

HH HH hJ hJ

DF bJ

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | DISC FLAT A2 | 119


ENTRE-EIXOS E ESPAÇAMENTOS
conector parafusos Ø x L a1 a3,t a4,t
[mm] [mm] [mm] [mm]
a3,t a3,t
KKF AISI410 Ø5 x 50 90 50
DISCFA255 KKF AISI410 Ø5 x 60 105 55 60
a3,t KKF AISI410 Ø5 x 70 120 65
KKF AISI410 Ø6 x 80 140 75
a1
DISCFA280 KKF AISI410 Ø6 x 100 170 90 90
a3,t a3,t
KKF AISI410 Ø6 x120 200 105
KKF AISI410 Ø6 x 80 150 80
DISCFA2120 KKF AISI410 Ø6 x 100 180 95 120
KKF AISI410 Ø6 x 120 210 110
a1
ELEMENTO PRINCIPAL VIGA SECUNDÁRIA VIGA SECUNDÁRIA
INSTALAÇÃO COM FRESAGEM INSTALAÇÃO SIMPLES INSTALAÇÃO MÚLTIPLA
ta SF a3,t

a3,t a a3,t a
a3,t a3,t 3,t 3,t

Fv
a3,t a
a4,t 3,t
a1 a
1
a3,t a a3,t a
3,t 3,t

a1 a
1

ta t SF S a3,t a
a F 3,t

a3,t a a3,t a
3,t 3,t
OPÇÕES DE COLOCAÇÃO Fv F
v
a4,t a de acordo com a OPÇÃO 1 ou OPÇÃO 2.
A orientação do conector é indiferente. Pode ser colocado 4,t

DISCFA255 DISCFA280 DISCFA2120

OPÇÃO 1

OPÇÃO 2

FIXAÇÕES
CONECTOR
PARAFUSOS
DISC FLAT
parafusos de rosca métrica para anilhas
n45° n0°
fixação em madeira para madeira
[pçs - Ø] [pçs - Ø] [pçs - Ø] [pçs - Ø]
DISCFA255 8 - KKF AISI410 Ø5 2 - KKF AISI410 Ø5 1 - AI601 M12 1 - AI9021 M12
DISCFA280 8 - KKF AISI410 Ø7 2 - KKF AISI410 Ø7 1 - AI601 M16 1 - AI9021 M16
DISCFA2120 16 - KKF AISI410 Ø7 2 - KKF AISI410 Ø7 1 - AI601 M20 1 - AI9021 M20

120 | DISC FLAT A2 | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS


VALORES ESTÁTICOS
RESISTÊNCIAS LADO DA VIGA SECUNDÁRIA

conector parafusos Ø x L bJ,min x hJ,min Rv,screws,k = Rlat,screws,k Rax,screws,k


[mm] [mm] [kN] [kN]
C24(1) C50(2) C24(1) C50(2)
KKF AISI410 Ø5 x 50 100 x 100 6,20 7,32 10,98 12,95
DISCFA255 KKF AISI410 Ø5 x 60 110 x 110 7,24 8,53 12,81 15,10
KKF AISI410 Ø5 x 70 130 x 130 8,27 9,75 14,64 17,26
KKF AISI410 Ø6 x 80 150 x 150 12,41 14,63 21,96 25,89
DISCFA280 KKF AISI410 Ø6 x 100 180 x 180 14,89 17,56 26,35 31,07
KKF AISI410 Ø6 x120 210 x 210 18,61 21,95 32,94 38,84
KKF AISI410 Ø6 x 80 160 x 160 24,82 29,26 41,82 49,30
DISCFA2120 KKF AISI410 Ø6 x 100 190 x 190 29,78 35,12 50,18 59,16
KKF AISI410 Ø6 x 120 220 x 220 37,23 43,89 62,73 73,95

RESISTÊNCIA AO CORTE LADO DO ELEMENTO PRINCIPAL

conector Rv,main,k(6) [kN]


SEM FRESAGEM COM FRESAGEM
viga coluna viga coluna
C24(1) C50(2) C24(1) C50(2) C24(1) C50(2) C24(1) C50(2)
DISCFA255 11,1 11,5 13,5 14,7 21,3 24,0 27,7 32,3
DISCFA280 15,0 15,2 20,2 22,2 32,9 37,2 45,2 53,0
DISCFA2120 25,7 26,6 32,5 35,6 58,5 67,0 78,5 92,1

conector Rlat,main,k(6) [kN]


SEM FRESAGEM COM FRESAGEM(5)
viga coluna viga coluna
C24(1) C50(2) C24(1) C50(2) C24(1) C50(2) C24(1) C50(2)
DISCFA255 13,5 14,7 11,1 11,5 27,7 32,3 21,3 24,0
DISCFA280 20,2 22,2 15,0 15,2 45,2 53,0 32,9 37,2
DISCFA2120 32,5 35,6 25,7 26,6 78,5 92,1 58,5 67,0

RESISTÊNCIA À TRAÇÃO LADO DO ELEMENTO PRINCIPAL

conector Rax,main,k [kN]


C24(3) C50(4)
DISCFA255 6,8 8,5
DISCFA280 12,5 15,6
DISCFA2120 17,6 22,0

RIGIDEZ DA LIGAÇÃO
O módulo de deslizamento pode ser calculado de acordo com a ETA-19/0706, com as seguintes expressões:

Kax,ser = 150 kN/mm

ρm1,5 d
Kv,ser = Klat,ser = kN/mm Para conectores sob tensão ao corte em ligações madeira-madeira
N/mm Kv,ser = Klat,ser = 23 kN/mm
N/mm 23
Kv,ser = Klat,ser = 70
d22
d kN/mm Para conectores sob tensão ao corte em ligações aço-madeira

onde:
• d é o diâmetro do parafuso de rosca métrica em mm;
• ρm é a densidade média do elemento principal, em kg/m3.

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | DISC FLAT A2 | 121


NOTAS: PRINCÍPIOS GERAIS:
(1)
Valores calculados de acordo com a ETA-19/0706. No cálculo foi conside- • Os valores característicos de resistência da ligação são obtidos da seguinte
rada madeira de coníferas com ρ k=350 kg/m3 forma:
(2)
Valores calculados de acordo com a ETA-19/0706. No cálculo foi conside-
rada madeira de conífera com ρ k=430 kg/m3
Rv,screws,k
Rv,k = min
(3)
Valores calculados de acordo com a ETA-19/0706 com anilhas do tipo RRv,main,k
v,main,k
DIN9021, devem ser recalculados se forem utilizadas outras anilhas. No
cálculo foi considerado fc,90,k=2,4 MPa.
(4)
RRax,screws,k
ax,screws,k
Valores calculados de acordo com a ETA-19/0706 com anilhas do tipo Rax,k = min
DIN9021, devem ser recalculados se forem utilizadas outras anilhas. No R
cálculo foi considerado fc,90,k=3,0 MPa.
Rax,main,k
ax,main,k

(5)
Em caso de utilização do conector com fresagem na viga principal, se for
aplicada uma tensão Flat , é necessário efetuar uma fresagem circular fe- R
Rlat,screws,k
lat,screws,k
chada. Rlat,k = min
(6) Rlat,main,k
Os valores de resistência foram calculados para um comprimento útil do
parafuso de rosca métrica de: • Os valores de projeto são obtidos a partir dos valores característicos, desta
- t a = 100 mm para DISCFA255; forma: Os coeficientes γ M e kmod devem ser considerados em função da
- t a = 120 mm para DISCFA280; norma vigente utilizada para o cálculo.
- t a = 160 mm para DISCFA2120. Rk kmod
No caso de comprimentos maiores ou menores, as resistências podem ser Rd =
calculadas de acordo com a ETA-19/0706. γM

• Em caso de tensões combinadas Fv, Fax e Flat deve ser satisfeita a seguinte
expressão:
2
Fax,d Fv,d Flat,d
+ + ≥ 1
Rax,d Rv,d Rlat,d
• A dimensão e a verificação dos elementos de madeira devem ser feitas à
parte.
• No caso de elemento principal em aço ou em betão, o cálculo de Rv,main,k ,
Rax,main,k e Rlat,main,k deve ser efetuado pelo projetista. O cálculo dos valores
de projeto relativos deve ser efetuado utilizando os coeficientes γ M a consi-
derar em função das normas em vigor utilizadas para o cálculo.
• São possíveis duas opções de colocação na viga secundária (opção 1/op-
ção 2). As resistências não variam em ambos os casos. No caso de ins-
talação múltipla, recomenda-se colocar os conectores alternando com a
opção 1 e a opção 2.
• Se for utilizado mais de um conector, as resistências do lado dos parafu-
sos (Fv,screws , Fax,screws , Flat,screws) podem ser multiplicadas pelo número de
conectores.
• Se forem utilizados vários conectores, o cálculo da ligação no lado do ele-
mento principal deve ser efetuado pelo projetista, de acordo com os capí-
tulos 8.5 e 8.9 EN 1995-1-1.
• Devem ser utilizados parafusos com o mesmo comprimento em todos os furos.

122 | DISC FLAT A2 | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS


ALGUMAS COLABORAÇÕES
NASCEM PARA DURAR

CTC, o conector para lajes colaborantes madeira-betão

Certificado CE, permite ligar uma laje de betão de 5 ou 6 cm às vigas


de madeira da laje abaixo, obtendo uma nova estrutura de madeira-betão
com uma extraordinária resistência e excelente desempenho estático e
acústico. Um sistema homologado, auto-perfurante, reversível, rápido e
não invasivo. Descubra-o agora!

www.rothoblaas.pt
VGU ETA 11/0030

ANILHA 45° PARA VGS

SEGURANÇA
A anilha VGU permite que instale os parafusos VGS com inclinação 45° em
chapas em aço. Anilha com marcação CE de acordo com ETA-11/0030.

RESISTÊNCIA
A utilização das VGU com parafusos VGS inclinados a 45° em chapas em
aço restaura os valores de resistência ao deslizamento do parafuso.

PRATICIDADE
A moldagem ergonómica assegura uma aderência boa e precisa durante
a instalação. Três versões de anilhas compatíveis com VGS Ø9, Ø11 e
Ø13 mm para chapas de espessura variável.

CARATERÍSTICAS
FOCUS ligações 45° aço-madeira
ESPESSURA DA CHAPA de 3,0 a 20,0 mm VÍDEO
Digitalize o QR Code e assista ao
FURO CHAPA ranhurado vídeo no nosso canal YouTube
FURO DA ANILHA 9,0 | 11,0 | 13,0 mm

MATERIAL
Aço carbónico electrogalvanizado.

CAMPOS DE APLICAÇÃO
• madeira maciça e lamelar
• CLT, LVL
• painéis à base de madeira
• madeiras de alta densidade
Classes de serviço 1 e 2.

124 | VGU | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS


RESISTÊNCIA À TRAÇÃO
Ideal nas ligações onde é pedida uma elevada
resistência à tração ou deslizamento. Possibi-
lidade de utilização em chapas VGU PLATE T.

VGU PLATE T
Ideal em combinação com chapas VGU PLATE T
para ligações rígidas com restabelecimento par-
cial das forças de momento.

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | VGU | 125


CÓDIGOS E DIMENSÕES
ANILHA VGU
CÓDIGO parafuso dv pçs
[mm] [mm]
VGU945 VGS Ø9 5 25
VGU1145 VGS Ø11 6 25
VGU1345 VGS Ø13 8 25

GABARITO JIG VGU


CÓDIGO anilha dh dv pçs
dh
[mm] [mm] [mm]
JIGVGU945 VGU945 5,5 5 1
JIGVGU1145 VGU1145 6,5 6 1
JIGVGU1345 VGU1345 8,5 8 1

BROCAS PARA MADEIRA HSS


CÓDIGO dv LT LE pçs
[mm] [mm] [mm]
LE
F1599105 5 150 100 1
F1599106 6 150 100 1
LT
F1599108 8 150 100 1

ANEL DE BLOQUEIO PONTAS HSS


CÓDIGO dv dint dext pçs
[mm] [mm] [mm] dint

F2108005 5 5 10 10
F2108006 6 6 12 10
dext
F2108008 8 8 16 10

dv = diâmetro do pré-furo

MATERIAL E DURABILIDADE FORÇAS


VGU: aço carbónico S235 com eletrogalvanização.
Utilização em classes de serviço 1 e 2 (EN 1995-1-1).
Fv

CAMPOS DE EMPREGO
• Ligações aço-madeira

PRODUTOS ADICIONAIS - FIXAÇÕES

tipo descrição d suporte pág.

[mm]
VGS conector todo-rosca 9-11-13 564

126 | VGU | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS


GEOMETRIA

D2
D1
H

Anilha VGU945 VGU1145 VGU1345


Diâmetro do parafuso VGS d1 [mm] 9,0 11,0 13,0
Diâmetro do pré-furo dv [mm] 5,0 6,0 8,0
Diâmetro interno D1 [mm] 9,7 11,8 14,0
Diâmetro externo D2 [mm] 19,0 23,0 27,4
Comprimento do dente L [mm] 31,8 38,8 45,8
Altura do dente h [mm] 3,0 3,6 4,3
Altura global H [mm] 23,0 28,0 33,0
Aconselha-se a fazer um furo-guia de Ø5 mm para parafusos VGS de comprimento L > 300 mm.
A montagem deve ser de tal maneira para garantir que as tensões sejam uniformemente distribuídas sobre todas as anilhas VGU instaladas.

INSTALAÇÃO
LF

BF

SPLATE

Anilha VGU945 VGU1145 VGU1345


min. 33,0 min. 41,0 min. 49,0
Comprimento do furo sulcado LF [mm]
máx. 34,0 máx. 42,0 máx. 50,0
min. 14,0 min. 17,0 min. 20,0
Largura do furo sulcado BF [mm]
máx. 15,0 máx. 18,0 máx. 21,0
min. 3,0 min. 4,0 min. 5,0
Espessura da chapa de aço SPLATE [mm]
máx. 12,0* máx. 15,0* máx. 15,0*
(*) Para espessuras maiores, é necessário efetuar uma expansão na parte inferior da chapa em aço.

APLICAÇÃO MADEIRA-AÇO
MOMENTO DE APARAFUSAMENTO RECOMENDADO: Mins
NO
IMPACT

VGS Ø9 Mins = 20 Nm
VGS Ø11 L < 400 mm Mins = 30 Nm Mins
VGS Ø11 L ≥ 400 mm Mins = 40 Nm
m

S
G
V

m
X

X S
G
V
X

X
X
10

VGS Ø13 Mins = 50 Nm


5-

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | VGU | 127


INSTALAÇÃO COM AUXÍLIO DE GABARITO PARA PRÉ-FURO

O gabarito de ajuda pré-furo permite de efetuar um furo guia a 45° que facilita a fase de aparafusamento.

1 2

Colocar a anilha VGU na respetiva ranhura e utilizar o gaba- Mediante o gabarito de auxílio, efetuar um pré-furo usando
rito JIG-VGU do diâmetro correto. a respetiva ponta (pelo menos 20 mm).

NO
IMPACT
S
G
V

X
X

45°
S
G
V

X
X

3 4

Posicionar o parafuso e respeitar o ângulo de inserção a 45°. Com aparafusador NÃO POR IMPULSOS apertar parando a
cerca de 1 cm da anilha.

Mins
X
X

S
X
mm

X
X

X
S
X

S
G

S
V

V
X

G
X

X V
X
10

X
X

S
5-

S
G
V

X
X

S
G
V

X
X

S
G
V

X
X

S
G
V

X
X

5 6

Completar o aparafusamento através chave dinamométrica Executar a operação para todas as anilhas.
aplicando o correto momento de inserção máximo.

128 | VGU | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS


INSTALAÇÃO SEM AUXÍLIO DE PRÉ-FURO
L

LF

Apoiar a chapa em aço à madeira e posicionar as anilhas VGU nas respetivas ranhuras.

NO
IMPACT
S
G
V

X
X

45°
S

G
V

X
X

X
1 2

Posicionar o parafuso e respeitar o ângulo de inserção a 45°. Com aparafusador NÃO POR IMPULSOS apertar parando a
cerca de 1 cm da anilha.

Mins
X

S
X
mm

G
V

X
X

S
X

X
S
G

S
V

G
V
X

G
X

X V
X
10

X
X

S
5-

S
G
V

X
X

S
G
V

X
X

S
G
V

X
X

S
G
V

X
X

3 4

Completar o aparafusamento através chave dinamométrica Executar a operação para todas as anilhas.
aplicando o correto momento de inserção máximo.

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | VGU | 129


VALORES ESTÁTICOS | LIGAÇÃO AÇO-MADEIRA
RESISTÊNCIA AO DESLIZAMENTO RV

Fv
SPLATE

L 45°
Fv

g
S
Amin

d1

VGU VGS madeira madeira madeira aço


d1 L Sg A min RV,k(1) Sg A min RV,k(1) Sg A min RV,k(1) Rtens,k 45°(2)
[mm] [mm] [mm] [mm] [kN] [mm] [mm] [kN] [mm] [mm] [kN] [kN]
SPLATE 3 mm 7 mm 12 mm
100 80 75 6,43 75 75 6,03 65 65 5,22
120 100 90 8,04 95 85 7,63 85 80 6,83
140 120 105 9,64 115 100 9,24 105 95 8,44
160 140 120 11,25 135 115 10,85 125 110 10,04
180 160 135 12,86 155 130 12,46 145 125 11,65
200 180 145 14,46 175 145 14,06 165 135 13,26
220 200 160 16,07 195 160 15,67 185 150 14,87
240 220 175 17,68 215 170 17,28 205 165 16,47
260 240 190 19,29 235 185 18,88 225 180 18,08
17,96
VGU945 9 280 260 205 20,89 255 200 20,49 245 195 19,69
300 280 220 22,50 275 215 22,10 265 205 21,29
320 300 230 24,11 295 230 23,71 285 220 22,90
340 320 245 25,71 315 245 25,31 305 235 24,51
360 340 260 27,32 335 255 26,92 325 250 26,12
380 360 275 28,93 355 270 28,53 345 265 27,72
400 380 290 30,54 375 285 30,13 365 280 29,33
440 420 315 33,75 415 315 33,35 405 305 32,54
480 460 345 36,96 455 340 36,56 445 335 35,76
520 500 375 40,18 495 370 39,78 485 365 38,97
SPLATE 4 mm 10 mm 15 mm
100 75 75 7,37 70 70 6,88 60 60 5,89
125 100 90 9,82 95 85 9,33 85 80 8,35
150 125 110 12,28 120 105 11,79 110 100 10,80
175 150 125 14,73 145 125 14,24 135 115 13,26
200 175 145 17,19 170 140 16,70 160 135 15,71
225 200 160 19,64 195 160 19,15 185 150 18,17
250 225 180 22,10 220 175 21,61 210 170 20,63
275 250 195 24,55 245 195 24,06 235 185 23,08
300 275 215 27,01 270 210 26,52 260 205 25,54
26,87
VGU1145 11 325 300 230 29,46 295 230 28,97 285 220 27,99
350 325 250 31,92 320 245 31,43 310 240 30,45
375 350 265 34,38 345 265 33,88 335 255 32,90
400 375 285 36,83 370 280 36,34 360 275 35,36
450 425 320 41,74 420 315 41,25 410 310 40,27
500 475 355 46,65 470 350 46,16 460 345 45,18
550 525 390 51,56 520 390 51,07 510 380 50,09
600 575 425 56,47 570 425 55,98 560 415 55,00
700 675 495 66,30 670 495 65,80 660 485 64,82
800 775 570 76,12 770 565 75,63 760 555 74,64

130 | VGU | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS


VALORES ESTÁTICOS | LIGAÇÃO AÇO-MADEIRA
RESISTÊNCIA AO DESLIZAMENTO RV

Fv
SPLATE

L 45°
Fv

g
S
Amin

d1

VGU VGS madeira madeira madeira aço


d1 L Sg A min RV,k (1) Sg A min RV,k (1) Sg A min RV,k (1) Rtens,k 45° (2)
[mm] [mm] [mm] [mm] [kN] [mm] [mm] [kN] [mm] [mm] [kN] [kN]
SPLATE 5 mm 10 mm 15 mm
100 65 65 7,54 60 60 6,96 50 55 5,80
150 115 100 13,35 110 100 12,77 100 90 11,61
200 165 135 19,15 160 135 18,57 150 125 17,41
37,48
VGU1345 13 300 265 205 30,76 260 205 30,18 250 195 29,02
400 365 280 42,37 360 275 41,79 350 265 40,63
500 465 350 53,97 460 345 53,39 450 340 52,23
600 565 420 65,58 560 415 65,00 550 410 63,84

NOTAS:
(1)
A resistência à extração do conector foi avaliada considerando-se um ân- • P
ara uma correcta realização da junta, a cabeça do ligador deve ser com-
gulo de instalação de 45° entre as fibras e o conector e para um compri- pletamente inserida na anilha VGU.
mento de rosca eficaz equivalente a S g. • Para valores Intermediários de S PLATE é possível interpolar linearmente.
(2)
A resistência à tração do conector foi avaliada considerando um ângulo de • Em fase de cálculo, considerou-se uma massa volúmica dos elementos de
colocação de 45° entre as fibras e o conector. madeira equivalente a ρ k = 385 kg/m3 .
• O dimensionamento e a verificação dos elementos de madeira e das chapas
PRINCÍPIOS GERAIS: em aço devem ser realizados separadamente.
• Para uma fila de n conectores paralelos à tensão Fv, recomenda-se que a
• Os valores característicos são conforme a norma EN 1995-1-1, de acordo capacidade efetiva de carga seja avaliada como:
com ETA-11/0030. Rv,d,tot = n ef · Rv,d con n ef = max { 0,9 n ; n 0,9 }
• A resistência de projeto ao deslizamento do conector é a mínima entre a
resistência de projeto do lado da madeira (Rv,d) e a resistência de projeto do
lado do aço (Rtens,d 45°):

RV,k kmod
RV,d = min γM
Rtens,k 45°
γM2

Os coeficientes kmod e yM devem ser considerados em função da norma
vigente utilizada para o cálculo.

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | VGU | 131


VGU PLATE T TIMBER
CHAPA PARA FORÇAS DE TRAÇÃO

LIGAÇÃO DE ENCASTRAMENTO
Em combinação com a anilha VGU e os parafusos VGS, permite a trans-
ferência de tensões de momento para os nós viga-pilar.

NÓ POR TRAÇÃO
Graças à utilização de parafusos VGS dispostos a 45°, permite transferir
forças de tração elevadas.

FÁCIL DE INSTALAR
A chapa possui ranhuras para alojar as anilhas VGU que permitem a in-
serção dos parafusos VGS a 45°.

CARATERÍSTICAS
FOCUS ligações de momento viga-pilar
SECÇÕES DE MADEIRA de 120 x 120 mm a 280 x 400 mm
RESISTENTE AO MOMENTO Mk até 20 kNm
FIXAÇÕES VGU, VGS

MATERIAL
Chapa bidimensional furada de aço carbónico
electrogalvanizado.

CAMPOS DE APLICAÇÃO
• madeira maciça e lamelar
• CLT, LVL
Classes de serviço 1 e 2.

132 | VGU PLATE T | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS


CARPOTS E PÉRGULAS
Graças ao nó de encaixe viga-pilar realizável
com VGU PLATE T, VGU e VGS, é possível rea-
lizar facilmente pequenos portais.

TRAÇÃO E COMPRESSÃO
O nó de momento divide-se numa ação de
tração absorvida pela chapa VGU PLATE T e
numa ação de compressão absorvida pela
madeira ou, como neste caso, pelo conector
oculto DISC FLAT.

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | VGU PLATE T | 133


CÓDIGOS E DIMENSÕES

CÓDIGO B L s pçs B

[mm] [mm] [mm]


VGUPLATET185 88 185 3 1
s B
VGUPLATET350 108 350 4 1 s
L

L
s
s
L

MATERIAL E DURABILIDADE FORÇAS


VGU PLATE T: aço carbónico electrogalvanizado.
Utilização em classes de serviço 1 e 2 (EN 1995-1-1).
F1 F1

CAMPOS DE EMPREGO
• Ligações madeira-madeira

PRODUTOS ADICIONAIS

tipo descrição d suporte pág.

[mm]
VGS parafuso todo-rosca 9-11 564

VGU anilha 45° 9-11 124

GEOMETRIA

VGUPLATET185 VGUPLATET350 4

3
Ø5

Ø5

185

Ø14 350
Ø17
33

16 41

46
37
88

41

17

55
108

134 | VGU PLATE T | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS


INSTALAÇÃO E DISTÂNCIAS MÍNIMAS
DISTÂNCIA DA BORDA a4,C

d parafuso a4,c B1,min


[mm] [mm] [mm]
B1,min
VGUPLATET185 9 ≥ 4d 36 120
a2,CG
VGUPLATET350 11 ≥ 4d 44 150

DISTÂNCIA ENTRE O CENTRO DE GRAVIDADE DO PARAFUSO E A EXTREMIDADE


CARREGADA A1,CG

d parafuso a1,CG L parafuso,mín(1) H1,min(1) B2,min(1)


H1,min
[mm] [mm] [mm] [mm] [mm]
VGUPLATET185 9 ≥ 10d 90 120 90 150
VGUPLATET350 11 ≥ 10d 110 175 125 260
a1,CG
(1) Valor limite válido considerando a linha central da chapa centrada na interface dos
B2,min
elementos de madeira, utilizando todos os conectores.

POSICIONAMENTO
32,5 120
As chapas VGU PLATE T podem ser utilizadas em ligações de tração ou de momento; o posicionamento deve ser efetuado
de acordo com as distâncias mínimas para parafusos inclinados.
Os furos Ø5 foram concebidos para colocar a chapa com LBA Ø4/LBS Ø5 antes de fixar os parafusos inclinados com anilha;
para os detalhes de montagem das VGU ver a pág. 128-129.
São apresentados os entre-eixos fixos entre os conectores para ambas as chapas.

32,5 120 35 78 124

Em função das necessidades


35 78 de 124projeto, é possível criar uma ligação oculta através da fresagem dos elementos de madeira
de acordo com as indicações da tabela

a a
c c

b b

Dimensões da fresagem

a b c
[mm] [mm] [mm]
VGUPLATET185 90 25 215
VGUPLATET350 110 30 380

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | VGU PLATE T | 135


VALORES ESTÁTICOS
LIGAÇÃO POR TRAÇÃO

F1 F1
B1

F1 F1

H1

CÓDIGO dimensões do elemento R1,k screw R1,k steel plate

fixações
R1,k ax R1,k tens R1,k plate
B1 H1 VGU VGS - d1 x L nv
[mm] [mm] [mm] pçs [kN] [kN] [kN]
160 9 x 220 2+2 32,1
120
200 9 x 260 2+2 38,6
200 9 x 260 2+2 38,6
VGUPLATET185 140 VGU945 35,9 39,3
240 9 x 320 2+2 48,2
240 9 x 320 2+2 48,2
160
280 9 x 380 2+2 57,9
200 11 x 275 4+4 91,6
160
240 11 x 325 4+4 110,0
240 11 x 325 4+4 110,0
VGUPLATET350 180 VGU1145 100,3 95,9
280 11 x 375 4+4 128,3
280 11 x 375 4+4 128,3
200
320 11 x 450 4+4 155,8

PRINCÍPIOS GERAIS:

• Os valores característicos são conforme a norma EN 1995-1-1 e ETA- Os coeficientes kmod , γ M , γ M2 devem ser considerados em função da norma
11/0030. em vigor utilizada para o cálculo.
• Os valores de projeto são obtidos a partir dos valores característicos, desta • Em fase de cálculo, considerou-se uma massa volúmica dos elementos de
forma: madeira equivalente a ρ k = 385 kg/m3 .
• A dimensão e a verificação dos elementos de madeira devem ser feitas à
R1,k ax kmod parte. Em caso de utilização em ligações de momento, deve ser utilizado
γtimber Mk timber kmod
um sistema de ligação adequado para absorver as cargas de corte.
• Os valores de resistência são válidos para as hipóteses de cálculo definidas
Rd = min
R1,k tens
Md = min γMtimber em tabela; condições de limite diferentes devem ser verificadas.
γMsteel Mk steel
R1,k steel γMsteel
γMsteel

γ Msteel deve ser considerado γ M2

136 | VGU PLATE T | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS


VALORES ESTÁTICOS
LIGAÇÕES DE MOMENTO VIGA-PILAR

B1

H1 M

B2

CÓDIGO dimensões dos elementos fixações


Mk timber(2) Mk steel(2)
(1)
B2 B1 H1 VGU VGS - d1 x L nv
[mm] [mm] [mm] [mm] pçs [kNm] [kNm]
220 160 9 x 220 2+2 2,9 4,0
120
240 200 9 x 260 2+2 4,5 5,0
240 200 9 x 260 2+2 5,1 5,0
VGUPLATET185 140 VGU945
290 240 9 x 320 2+2 7,3 6,0
290 240 9 x 320 2+2 8,1 6,1
160
330 280 9 x 380 2+2 11,2 7,1
330 200 11 x 275 4+4 6,7 11,6
160
370 240 11 x 325 4+4 9,6 13,9
370 240 11 x 325 4+4 10,6 14,0
VGUPLATET350 180 VGU1145
400 280 11 x 375 4+4 14,4 16,4
400 280 11 x 375 4+4 15,8 16,5
200
460 320 11 x 450 4+4 20,8 18,8

NOTAS:
(1) (2)
Dimensões mínimas do pilar utilizando os comprimentos dos parafusos da ta- Momentos resistentes calculados com ligações elásticas lineares, conside-
bela, considerando a chapa centrada na interface dos elementos de madeira. rando a deformabilidade dos parafusos na distribuição das forças.

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | VGU PLATE T | 137


NEO
CHAPAS DE APOIO EM NEOPRENE

DIMENSÕES
A largura das tiras é optimizada para as secções de vigas mais comuns.
Disponível também em placas a serem cortadas conforme as exigências
do estaleiro.

APOIO
Ideal para a realização de apoios estruturais e vínculos estáticos com
dois graus de folga. Versão com a marcação CE em garantia da idonei-
dade ao uso.

MARCAÇÃO CE
Versão conforme a norma EN 1337-3, ideal para empregos estruturais.

MATERIAL
Placas de borracha natural e de borracha de
estirene.

CAMPOS DE APLICAÇÃO
Suportes estruturais em betão
• madeira maciça e lamelar
• CLT, LVL
• painéis à base de madeira

138 | NEO | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS


CÓDIGOS E DIMENSÕES
NEO 10 E NEO 20

CÓDIGO descrição s B L peso pçs


[mm] [mm] [mm] [kg] L
NEO101280 tira 10 120 800 1,46 1
NEO101680 tira 10 160 800 1,95 1
NEO202080 tira 20 200 800 4,86 1 B
NEO202480 tira 20 240 800 5,84 1
NEO10PAL placa 10 1200 800 14,6 1 L B
NEO20PAL placa 20 1200 800 29,2 1

NEO 10 CE

CÓDIGO descrição s B L peso pçs


L
[mm] [mm] [mm] [kg]
NEO101680CE tira 10 160 800 1,60 1
NEO102080CE tira 10 200 800 2,00 1 B

NEO 20 CE

CÓDIGO descrição s B L peso pçs


L
[mm] [mm] [mm] [kg]
NEO202080CE tira 20 200 800 4,00 1
NEO202480CE tira 20 240 800 4,80 1 B

DADOS TÉCNICOS
NEO

Caraterísticas valores
Peso específico g/cm3 1,25

NEO CE

Caraterísticas normas valores


Peso específico g/cm3 1,25
Módulo G - EN 1337-3 p. 4.3.1.1 MPa 0,9
pequeno ensaio impresso ≥ 16
Resistência à tração - ISO 37 tipo 2 MPa
pequeno ensaio a partir de um apoio ≥ 14
pequeno ensaio impresso  425
Esticamento mínimo à rutura - ISO 37 tipo 2 %
pequeno ensaio a partir de um apoio 375 
Resistência mínima à laceração 24 h; 70 °C ISO 34-1 método A  kN/m ≥ 8 
Deformação residual depois
distanciador 9,38 - 25 % ISO 815 / 24 h 70 °C %  ≤ 30
da compressão
esticamento: 30 % - 96 h; 40 °C ± 2 °C; 25  nenhuma
Resistência ao ozónio ISO 1431-1 vista
pphm fenda 
Desgaste acelerado     (variação máxima do valor não desgastado) ISO 188 -  - 5 + 10 
Dureza 7 d, 70 °C ISO 48  IRHD 60 ± 5
Resistência à tração 7 d, 70 °C ISO 37 tipo 2 %  ± 15
Esticamento à rutura 7 d, 70 °C  ISO 37 tipo 2 %  ± 25

RESISTÊNCIA À COMPRESSÃO:

• A resistência característica à compressão Rk para suportes de rolamentos • Os valores de projeto são obtidos a partir dos valores característicos, desta
simples é calculada de acordo com a norma EN 1337-3. forma: Rd=Rk / γ M
O coeficiente γ M deve ser considerado em função da norma em vigor utili-
A2 zada para o cálculo.
Rk = min 1,4 G ;7 A G
lp 1,8t

com A=área, lp= perímetro e t=espessura da chapa.

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | NEO | 139


ADESIVOS EPOXÍDICOS
E CHAPAS ENGANCHADAS
ADESIVOS EPOXÍDICOS
E CHAPAS ENGANCHADAS
ADESIVOS EPOXÍDICOS
E CHAPAS ENGANCHADAS

XEPOX
ADESIVO EPOXÍDICO BICOMPONENTE . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 146

SHARP METAL
CHAPAS ENGANCHADAS DE AÇO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 160

ADESIVOS EPOXÍDICOS E CHAPAS ENGANCHADAS | 143


LIGAÇÕES DIFUSAS E CONCENTRADAS

MODO DE TRANSFERÊNCIA DAS FORÇAS


As ligações com conectores de haste cilíndrica transmitem a carga através
de forças de corte elevadas e muito localizadas: estas são transmitidas nos
elementos estruturais de forma não homogénea, tensionando por esforço
de apoio um volume limitado de madeira (a azul na imagem ao lado).

Ligação com conectores de haste cilíndrica.

O adesivo epoxídico XEPOX e a tecnologia SHARP METAL permitem distribuir a carga numa área muito ampla em compa-
ração com a envolvida por um conector de haste cilíndrica. Isto resulta numa tensão mais homogénea e menos severa no
componente de madeira.

Ligação colada com XEPOX. Ligação com SHARP METAL.

FATORES DE ESCALA
As ligações de haste cilíndrica têm normalmente diâmetros entre 4 e 20
mm e são carregadas com forças proporcionais a esta dimensão. Como
a força é concentrada, a utilização destes conectores requer o respeito
pelas distâncias e entre-eixos mínimos, para evitar ruturas frágeis ao lon-
go da fibra de madeira sob tensão. Além disso, no caso de utilização de
conectores de grande diâmetro, há um enfraquecimento considerável da
secção útil dos elementos de madeira nos furos.

O engrenamento mecânico da superfície enganchada SHARP METAL e


a penetração do adesivo XEPOX na estrutura de madeira permitem uma
distribuição da carga por toda a área de madeira ligada, evitando fenó-
menos de splitting e o enfraquecimento das secções.

144 | LIGAÇÕES DIFUSAS E CONCENTRADAS | ADESIVOS EPOXÍDICOS E CHAPAS ENGANCHADAS


VERSATILIDADE DAS LIGAÇÕES PARA FORÇAS DIFUSAS
As tecnologias de funcionamento para forças difusas são capazes de se adaptar a diferentes soluções de projeto, explorando
os diferentes mecanismos de suporte de carga. O adesivo epoxídico XEPOX e as tecnologias SHARP METAL são capazes de
fornecer ligações entre dois elementos de madeira, transferindo as cargas com forças de corte para as superfícies envolvidas.

SHARP METAL XEPOX

Além disso, o mecanismo para forças difusas também é aplicável a ligações geralmente realizadas com conectores de haste
cilíndrica, proporcionando um aumento de rigidez e resistência.

LOCK SHARP LIGAÇÕES DE MOMENTO

chapa saibrada

Vs
G
e
Ms Ns
d

chapa furada

A tecnologia SHARP METAL é aplicada diretamente no co- A chapa oculta numa fresagem transfere as cargas graças
nector, aumentando a resistência dos parafusos. à resina, que adere perfeitamente à chapa saibrada ou en-
grena nas suas cavidades se for perfurada.

ADESIVOS EPOXÍDICOS E CHAPAS ENGANCHADAS | LIGAÇÕES DIFUSAS E CONCENTRADAS | 145


XEPOX EN 1504-4

ADESIVO EPOXÍDICO BICOMPONENTE

CONFIÁVEL
A sua durabilidade é comprovada pelos 30 anos de utilização na cons-
trução em madeira.

EFICIENTE
Adesivo epoxídico bicomponente de alto desempenho. A resistência dos
nós depende exclusivamente do material da madeira, graças à sobre-re-
sistência do adesivo.

VERSÁTIL
Em cartucho para uma utilização prática e rápida, em formatos de 3 litros
e 5 litros para ligações de maior volume.

CARATERÍSTICAS
FOCUS colagens estruturais
ligações com barras, ligações
TIPOLOGIAS
com chapas furadas ou saibradas
VÍDEO
5 produtos para se adaptar a todas
GAMA Digitalize o QR Code e assis-
as necessidades de aplicação
ta ao vídeo no nosso canal
aplicável por pulverização, pincel, percolação YouTube
APLICAÇÃO
ou espátula, dependendo da viscosidade

MATERIAL
Adesivo epoxídico bicomponente.

CAMPOS DE APLICAÇÃO
Ligações de corte, ação axial e momento rea-
lizáveis em
• madeira maciça e lamelar
• CLT
• betão

146 | XEPOX | ADESIVOS EPOXÍDICOS E CHAPAS ENGANCHADAS


ESTRUTURAL
Ideal para a realização de nós rígidos multidi-
recionais.

CONSOLIDAÇÃO ESTÁTICA
Utilizável para a reconstrução do material de
madeira em combinação com barras metáli-
cas e outros materiais.

ADESIVOS EPOXÍDICOS E CHAPAS ENGANCHADAS | XEPOX | 147


CÓDIGOS E DIMENSÕES
CAIXAS CARTUCHOS

CÓDIGO descrição conteúdo pçs CÓDIGO descrição conteúdo pçs


[ml] [ml]
XEPOXP3000 P - primer A + B = 3000 1 XEPOXF400 F - fluido 400 1
XEPOXL3000 A + B = 3000 1 XEPOXD400 D - denso 400 1
L - líquido
XEPOXL5000 A + B = 5000 1
XEPOXF3000 A + B = 3000 1
F - fluido
XEPOXF5000 A + B = 5000 1
XEPOXG3000 G - gel A + B = 3000 1

PRODUTOS ADICIONAIS - ACESSÓRIOS


CÓDIGO descrição pçs
MAMDB pistola para cartuchos duplos 1
STINGXP bico misturador 1

APLICAÇÕES
XEPOX P - primer
Adesivo epoxídico bicomponente de baixíssima viscosidade e elevada molhabilidade sobre o suporte, para refor-
ços estruturais com fitas/tecidos de carbono ou de vidro. Útil também para a proteção de chapas saibradas SA2,5/SA3
(ISO 8501) e para a construção de insertos FRP (Fiber Reinforced Polymers). Aplicável por rolo, pulverização e pincel. A
Prazo de validade 36 meses na embalagem original fechada, a temperaturas entre +5 °C e +30 °C. B

Classificação componente A: Eye Irrit. 2; Skin Irrit. 2; Skin Sens. 1; Aquatic Chronic 2. Classificação componente B: Acute Tox. 4; Skin Corr. 1B; Eye Dam. 1;Skin
Sens. 1; Aquatic Chronic 3.

XEPOX L - líquido
Adesivo epoxídico bicomponente para empregos estruturais, muito fluido, aplicável para escoamento em furos verticais
muito profundos e para grandes juntas com insertos ocultos, em fresagens muito extensas ou com espaços internos
muito exíguos (1 mm ou superiores), sempre com uma prévia e cuidadosíssima selagem das fugas. A
B
Fluido e injetável. Prazo de validade 36 meses na embalagem original fechada, a temperaturas entre +5 °C e +30 °C.

Classificação componente A: Eye Irrit. 2; Skin Irrit. 2; Skin Sens. 1; Aquatic Chronic 2. Classificação componente B: Acute Tox. 4; STOT RE 2; Skin Corr. 1B; Eye
Dam. 1; Skin Sens. 1; Aquatic Chronic 3.

XEPOX F - fluido
Adesivo epoxídico bicomponente fluido para empregos estruturais, aplicável por injeção em furos e em fresagens, com
prévia selagem das fugas. Preferível para a solidarização à madeira dos conectores dobrados (sistema Turrini-Piazza) nas
lajes colaborantes de madeira-betão, quer com vigas novas quer com vigas existentes; interstício entre o metal e a madei-
ra de cerca de 2 mm ou superior. Percolação nos furos verticais nas fresagens depois da inserção de ponteiras metálicas A
B
em chapa ou em barra. Fluido e injetável com cartucho. Prazo de validade 36 meses na embalagem original fechada, a
temperaturas entre +5 °C e 30 °C.
Classificação componente A: Eye Irrit. 2; Skin Irrit. 2; Skin Sens. 1; Aquatic Chronic 2. Classificação componente B: STOT RE 2; Skin Corr. 1A; Eye Dam. 1; Skin
Sens. 1; Aquatic Chronic 3.

XEPOX D - denso
Adesivo epoxídico bicomponente tixotrópico (viscoso) para usos estruturais, aplicável por injeção, sobretudo em furos
horizontais ou verticais, nas vigas de madeira lamelada, madeira maciça, nas construções de tijolos e no betão armado.
Injetável com cartucho.
Prazo de validade 36 meses na embalagem original fechada, a temperaturas entre +5 °C e +30 °C.

Classificação componente A: Eye Irrit. 2; Skin Irrit. 2; Skin Sens. 1; Aquatic Chronic 2. Classificação componente B: Repr. 1A; Acute Tox. 4; Skin Corr. 1B; Eye
Dam. 1; Skin Sens. 1; Aquatic Chronic 3 .

XEPOX G - gel
Adesivo epoxídico bicomponente em gel para empregos estruturais, aplicável com espátula também sobre superfícies
verticais e na formação de espessuras consistentes ou irregulares. Apropriado para sobreposições de madeira muito
extensas e a colagem de reforços estruturais, com a utilização de tecidos de fibras de vidro ou carbono e para placagens
(aumento de espessura) de madeira ou metal. A
B
Aplicável com espátula. Prazo de validade 36 meses na embalagem original fechada, a temperaturas entre +5 °C e +30 °C.

Classificação componente A: Eye Irrit. 2; Skin Irrit. 2; Skin Sens. 1; Aquatic Chronic 2. Classificação componente B: Acute Tox. 4; Skin Corr. 1A; Eye Dam. 1; STOT
SE 3; Skin Sens. 1; Aquatic Chronic 3.

148 | XEPOX | ADESIVOS EPOXÍDICOS E CHAPAS ENGANCHADAS


CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS

Propriedades Normativa XEPOX P XEPOX L XEPOX F XEPOX D XEPOX G

Peso específico ASTM D 792-66 ≈ 1,10 ≈ 1,40 ≈ 1,45 ≈ 2,00 ≈ 1,90

Relação estequiométrica
- 100 : 50 (2) 100 : 50 100 : 50 100 : 50 100 : 50
em volume (A/B)(1)

Pot life 23 ± 2° 150 cc ERL 13-70 [min] - 50 ÷ 60 50 ÷ 60 50 ÷ 60 60 ÷ 70

Tempo de transformação da mistura ERL 13-70 [min] 25 ÷ 30 25 ÷ 30 25 ÷ 30 25 ÷ 30 -

Temperatura de aplicação
- [°C] 10 ÷ 35 10 ÷ 35 10 ÷ 35 5 ÷ 40 5 ÷ 40
(humidade relativa máx. 90%)

Espessura recomendada - [mm] 0,1 ÷ 2 1÷2 2÷4 2÷6 1 ÷ 10

Tensão normal de aderência σ EN 12188 [N/mm2] 21 27 25 19 23

Resistência ao corte inclinado σ 0 50° EN 12188 [N/mm2] 94 70 93 55 102

Resistência ao corte inclinado σ 0 60° EN 12188 [N/mm2] 106 88 101 80 109

Resistência ao corte inclinado σ 0 70° EN 12188 [N/mm2] 121 103 115 95 116

Resistência ao corte-aderência τ EN 12188 [N/mm2] 39 27 36 27 37

Carga unitária de rutura


EN 13412 [N/mm2] 83 88 85 84 94
por compressão(3)

Módulo elástico
EN 13412 [N/mm2] 3438 3098 3937 3824 5764
médio em compressão

Coeficiente de dilatação térmica


EN 177 [m/m∙°C] 7,0 x 10-5 7,0 x 10-5 6,0 x 10-5 6,0 x 10-5 7,0 x 10-5
(no intervalo -20 °C/+40 °C)

Carga unitária
ASTM D638 [N/mm2] 40 36 30 28 30
de rutura por tração(4)

Módulo elástico
ASTM D638 [N/mm2] 3300 4600 4600 6600 7900
médio em tração(4)

Carga unitária
ASTM D790 [N/mm2] 86 64 38 46 46
de rutura por flexão(4)

Módulo elástico
ASTM D790 [N/mm2] 2400 3700 2600 5400 5400
médio em flexão(4)

Carga unitária
ASTM D732 [N/mm2] 28 28 28 19 25
de rutura por corte (punch tool)(4)

A = 1100 A = 2300 A = 14000 A = 300000 A = 450000


Viscosidade - [mPa∙s]
B = 250 B = 800 B = 11500 B = 300000 B = 13000

NOTAS:
(1) (4)
Os componentes são embalados em quantidades pré-doseadas, prontos a Valores de teste da campanha de investigação “Ligações inovadoras para
utilizar. A relação é em volume (não em peso). elementos estruturais de madeira” - Politecnico di Milano.
(2)
É recomendável não utilizar mais de um litro de produto misturado de cada
vez. A relação entre os componentes A:B em peso é de aproximadamente
100:44,4.
(3)
Valor médio no final dos ciclos de carga/descarga.

ADESIVOS EPOXÍDICOS E CHAPAS ENGANCHADAS | XEPOX | 149


TEMPERATURAS DE APLICAÇÃO E CONSERVAÇÃO

CONSERVAÇÃO DOS ADESIVOS


Os adesivos epoxídicos devem ser conservados a uma temperatura modera-
da (por volta de +16 °C / +20 °C) quer no inverno quer no verão, até ao ime-
diato momento da utilização deles. Não conservar as embalagens ao frio,
pois isto aumenta a viscosidade dos adesivos e torna dificultosa a percolação
para fora das caixas e a extrusão dos cartuchos. Não deixar as embalagens
expostas ao sol, pois o produto aquecido adquire tempos de polimerização
muito reduzidos.
+16°C/+20°C

APLICAÇÃO DOS ADESIVOS


A temperatura ambiente recomendada para a aplicação é > +10 °C. Se a
temperatura ambiente for muito baixa, as embalagens devem ser aquecidas,
pelo menos, uma hora antes da utilização ou os locais de aplicação e as
ponteiras metálicas devem ser aquecidas antes de percolação do produ-
to. Pelo contrário, se as temperaturas forem muito elevadas, é necessário
realizar as percolações do adesivo num local fresco, evitando as horas mais
quentes do dia.
+16°C/+20°C

TRATAMENTO FUROS E FRESAGENS


Antes da percolação ou da injecção do adesivo, os furos e encavos feitos
na madeira devem ser protegidos contra a água meteórica ou a elevada
humidade atmosférica e limpos com ar comprimido. Se as partes a serem
resinadas estiverem molhadas ou altamente húmidas, devem ser absoluta-
mente enxutas. A utilização de adesivos XEPOX é recomendada para madei-
ra devidamente seca, com um teor de humidade da madeira inferior a 18%,
aproximadamente.
μ ≤ 18%

LIGAÇÕES COM BARRAS COLADAS

RESINAÇÃO
As ligações com barras são adequadas para extrusão com cartuchos biaxiais,
devido às quantidade reduzidas de resina. Para variar a quantidade de adesi-
vo a injetar, cortar a extremidade do bico. Para a colagem de barras longas,
é recomendado fazer furos de enchimento em direção ortogonal à barra.

150 | XEPOX | ADESIVOS EPOXÍDICOS E CHAPAS ENGANCHADAS


LIGAÇÕES DE MOMENTO COM CHAPAS

PREPARAÇÃO DO SUPORTE METÁLICO


Os insertos metálicos de armação das juntas devem ser limpos e desengor-
durados. As chapas lisas devem ser tratadas com um processo de areagem
de grau SA2,5 / SA3 e depois protegidas coma um mão de XEPOX P, a fim
de se evitar a oxidação delas. Sobretudo nos meses quentes, é necessário
proteger as superfícies metálicas contra os raios directos do sol.

PREPARAÇÃO DO SUPORTE DE MADEIRA


Perto da bordas verticais, aplicar tiras contínuas de fita
adesiva, colocando-as a cerca de 2÷3 mm da borda. Em seguida, aplicar
um cordão contínuo de silicone acético e pressionar para que este também
adira às superfícies protegidas pela fita.
As fresagens extradossais dos elementos inclinados devem ser seladas com
ripas ou tábuas de madeira, deixando apenas a extremidade das fresagens
descoberta no ponto mais alto a partir do qual o adesivo deve ser percolado.

PREPARAÇÃO DO PRODUTO
B Para utilizar o produto em latas, despejar o endurecedor (componente B) na
lataque contém a resina epoxídica (componente A). Misturar energicamente
os dois componentes de cores diferentes. Recomendamos um misturador
adequado com dupla hélice montado numa ferramenta elétrica (em alter-
nativa, pode ser utilizado um batedor de varetas metálicas), até se obter uma
A mistura de cor homogénea. Em seguida, despeje a mistura obtida.
Para distribuição em fendas de comprimento considerável deitar diretamen-
te da lata de mistura em caso de coadura ou retirar o produto e espalhá-lo
com uma espátula.

1 2

RESINAÇÃO
É recomendável assegurar uma almofada “útil” de adesivo a efetuar com
uma fresagem adequada na zona da cabeça dos elementos estruturais de
madeira como garantia adicional da funcionalidade do sistema de contacto.
Sugere-se uma espessura dos interstícios entre as ponteiras metálicas e a
madeira de 2÷3 mm por lado. Para garantir o posicionamento correto das
ponteiras dentro dos entalhes, é recomendável colocar anilhas espaçadoras
nas ponteiras aplicadas na fase de polimerização da proteção com XEPOX P.

ADESIVOS EPOXÍDICOS E CHAPAS ENGANCHADAS | XEPOX | 151


ADESIVO EPOXÍDICO XEPOX
UMA FAMÍLIA HISTÓRICA DE PRODUTOS PARA LIGAÇÕES ENTRE ELEMENTOS DE MADEIRA, CAPAZ DE GARANTIR UMA EXCELENTE
RESTABELECIMENTO DA RESISTÊNCIA E RIGIDEZ

Os adesivos epoxídicos XEPOX são resinas bicomponentes especificamente formulados para penetrar na microestrutura da
madeira e aderir à mesma de forma muito eficaz e para reduzir a cristalização típica das resinas.

A mistura dos componentes A e B provoca uma reação exotérmica (desenvolvimento de calor) e, uma vez endurecida, forma
uma estrutura tridimensional com propriedades excecionais, tais como: durabilidade ao longo do tempo, interação com a
ausência de humidade, excelente estabilidade térmica, grande rigidez e resistência.
Cada elemento químico ou mineral da formulação desempenha um papel específico e todos juntos contribuem para a ob-
tenção das características de desempenho do adesivo.

CAMPOS DE EMPREGO
As diferentes viscosidades dos produtos XEPOX garantem utilizações versáteis para diferentes tipos de ligações, tanto para
novas construções, como para recuperações estruturais. A utilização em combinação com aço, em particular, chapas, sai-
bradas ou perfuradas, e barras, proporciona elevada resistência em espessuras limitadas.

1. LIGAÇÃO DE CONTINUIDADE DE MOMENTO 2. LIGAÇÕES DE DUAS OU TRÊS VIGAS

3. LIGAÇÃO DE MEIA MADEIRA 4. REABILITAÇÃO DE PEÇAS DEGRADADAS

MELHORAMENTOS ESTÉTICOS
O formato de cartucho também permite que seja utilizado para arranjos estéticos e colagens em pequenas quantidades.

152 | XEPOX | ADESIVOS EPOXÍDICOS E CHAPAS ENGANCHADAS


LIGAÇÕES COM BARRAS COLADAS
Seguem-se as indicações contidas nas DIN 1052:2008 e nas normas italianas CNR DT 207:2018.

DISTÂNCIAS MÍNIMAS PARA BARRAS

TRAÇÃO TRAÇÃO
Barras coladas // à fibra Barras coladas à fibra

a2 5d a2,c a1 4d
a2
a2,c
a2,c 2,5d a2 4d
a2
a2
a2 a1,t 2,5d
a2,c
a2,c a2,c 2,5d
a2,c a1 a
1,t
a2 a
2,c

CORTE CORTE
Barras coladas // à fibra Barras coladas à fibra

a2,c
a2 5d a2 a1 7d a2,CG
a2,c 2,5d a2 a2 5d a2
a2,t 4d a2 a1,CG 10d a2,CG
a2,t a2,CG 4d
a1 a
1,CG
a2,c
a2 a
2,c

O comprimento mínimo de inserção é de:

0,5 d2
lmin = max
10 d

MÉTODO DE CÁLCULO
RESISTÊNCIA À TRAÇÃO
A resistência à tração de uma barra de diâmetro d é de:
A área efetiva considera um quadrado de madeira com um lado
fyd Ares rutura do aço máximo de 6d; a área é reduzida para distâncias menores entre
os elementos ou a partir da borda.
Rax,d = min π d l fv,d rutura da madeira por corte fyd = resistência do aço de projeto
ft,0,d = resistência à tração de projeto da madeira

ft,0,d Aeff rutura da madeira por tração

A resistência ao corte da colagem fv,k depende do comprimento de in-


serção

l [mm] fv,k [MPa] Aeff


≤ 250 4
d
250 < l ≤ 500 5,25 - 0,005 x l
500 < l ≤ 1000 3,5 - 0,0015 x l
para o ângulo α de inclinação em relação à fibra verifica-se:
l
fv,α,k = fv,k (1,5 sin2α + cos2α)

154 | XEPOX | ADESIVOS EPOXÍDICOS E CHAPAS ENGANCHADAS


RESISTÊNCIA AO CORTE fh,k = fh,k + 25%
A resistência ao corte de uma barra pode ser calculada com as conhe-
cidas fórmulas de Johansen para parafusos de rosca métrica, com as fh,k,// =
seguintes precauções:

Para barras coladas perpendicularmente à fibra, a resistência ao esforço


de apoio pode ser aumentada até 25%.
fh,k =

fh,k,// = 10% fh,k,


A resistência ao esforço de apoio das barras coladas paralelamente à
fibra é de 10% do valor perpendicular à fibra.

O efeito oco é avaliado como a resistência dada pela colagem de extra-


ção (rutura b).
Para obter a resistência de uma barra colada a um ângulo α de colagem,
é permitido interpolar linearmente entre os valores de resistência para α
a 0° e 90°.

EXPERIMENTAÇÃO
Segue-se o cálculo de extração de uma barra colada com XEPOX, comparando o resultado com os testes realizados na
Universidade de Biel, medindo o fator de sobre-resistência entre o teste e o cálculo. Isto demonstra a margem de segurança
existente: no entanto, relembramos que o valor resultante do teste não é um valor característico e não se destina a ser uti-
lizado no projeto.

DADOS GEOMÉTRICOS
Lado da amostra 80 mm
A eff 6400 mm
d 16 mm
l 160 mm
fyk 900 MPa
ft,0,k 27 MPa
γM0 1
kmod 1,1
γM 1,3

Rutura do aço 162,9 kN

Rutura da madeira por corte 29,0 kN

Rutura da madeira por tração 146,2 kN

Rax,d = ação axial resistente de projeto 29,0 kN

Rax,m = ação axial resistente média experimental 96,3 kN

f = fator de sobre-resistência 3,3

NOTAS:

A resistência à tração foi inferida da densidade média das amostras utilizadas Os cálculos foram efetuados tendo em conta os valores de kmod e γ M de acor-
para os testes. do com a EN 1995 1-1 e γ M0 de acordo com a EN 1993 1-1.

ADESIVOS EPOXÍDICOS E CHAPAS ENGANCHADAS | XEPOX | 155


B
si

LIGAÇÕES DE MOMENTO COM CHAPAS


MÉTODO DE CÁLCULO | SECÇÃO DA CABEÇA
εt = εs’ σt = σs’ = σtot
As forças resultantes do momento e da ação axial são determinadas pela
homogeneização dos materiais da secção, na hipótese de conservação
das secções planas. A tensão de corte é absorvida apenas pelas chapas. M
Também é necessário verificar as tensões que atuam na secção de ma-
deira útil das fresagens.
εs σs

MÉTODO DE CÁLCULO | DISTRIBUIÇÃO DO MOMENTO l=6m


NA INTERFACE AÇO-ADESIVO-MADEIRA
O momento é distribuído pelo número de superfícies de interface e, em fv,rs
seguida, decomposto em forças, considerando tanto a inércia polar em M
torno do centro de gravidade, como as diferentes rigidezes da madeira. Grs
Desta forma, as tensões tangenciais máximas são obtidas na direção or-
togonal e paralela à fibra, a serem verificadas também na sua interação. fv

G ≈ 10 x Grs

Momento de inércia polar de meia ponteira em relação ao centro de gravidade, pesado nos módulos de corte de madeira:
li h3 li 3 h
JP* = G Grs
12 12

JX +
Cálculo dasJYforças tangenciais e verificação combinada:

Md + MT,Ed h Nd Md + MT,Ed e Vd
τmax,hor G τmax,vert Grs
2 ni JP* 2 2 ni Ai 2 ni JP* 2 ni Ai
2 ni JP* 2 ni Ai

2 2
τmax,hor τmax,vert
≥ 1
fv,d fv,rs,d

EXPERIMENTAÇÃO
Segue-se o cálculo de dois nós de momento realizados com XEPOX, P/2 P/2
comparando o resultado com os testes de flexão de 4 pontos efetua-
dos no Politecnico di Milano. É determinado o fator de sobre-resistência
entre o teste e o cálculo, o que demonstra a boa margem de segurança
existente no cálculo dos nós. O valor resultante do teste não é um valor
l=6m
característico e não se destina a ser utilizado no projeto.

LEGENDA:
B base da viga σt tensão máxima de compressão na madeira
H altura da viga σ s' tensão máxima de compressão no aço
α1 ângulo de inclinação das vigas σs tensão máxima de tração no aço
ni número de ponteiras σ tm força de flexão máxima na madeira
Si espessura das ponteiras metálicas τmax,hor força tangencial máxima horizontal
hi altura das ponteiras metálicas τmax,vert força tangencial máxima vertical
li comprimento de inserção das ponteiras metálicas fv,d resistência ao corte paralelo à fibra
Ai superfície de meia ponteira fv,rs,d resistência ao corte perpendicular à fibra
excentricidade entre o centro de gravidade kc,90 parâmetro da EC 1995 1-1
e
da chapa e a ligação da cabeça
Bn largura da viga sem as fresagens

156 | XEPOX | ADESIVOS EPOXÍDICOS E CHAPAS ENGANCHADAS


EXEMPLO 1 | LIGAÇÃO DE CONTINUIDADE
0,3 B
y
GEOMETRIA DA JUNÇÃO: VIGA E CHAPAS
ni 2 mm B 200 mm VVs
s
Si 5 mm H 360 mm G Ns
G
hi 320 mm Bn 182 mm H hi x e
Ms
e Ms Ns
li 400 mm

d
e 200 mm

MATERIAIS E DADOS DE PROJETO


li 0,4 B
Classe de aço S275
B
γM0 1
i
Classe da madeira GL24h B
si
kmod 1,1
γM timber 1,3
Ponteiras metálicas saibradas de grau SA2,5/SA3 (ISO8501).

UTILIZAÇÃO DE XEPOX
Proteção das ponteiras contra a oxidação com XEPOX P. Utilização de adesivo XEPOX F ou XEPOX L.

VERIFICAÇÕES
εt = εs’ σt = σs’ = σtot
Md momento de projeto aplicado 54,3 kNm

VERIFICAÇÃO DA LIGAÇÃO DA CABEÇA(1), (2)


% de verificação
σt 10,6 MPa 53 %
σs' 185,8 MPa 68 %
σs 274,9 MPa 100 %

VERIFICAÇÃO DA SECÇÃO DE MADEIRA SEM AS FRESAGENS


% de verificação
σ tm 14,1 MPa 70 %

VERIFICAÇÃO DA TENSÃO TANGENCIAL MÁXIMA NAS SUPERFÍCIES DE INTERFACE(3), (4)


% de verificação
JP * 8,56*1011 Nmm2

τmax,hor (3) 1,7 MPa 57 %


(3)
τmax,vert 0,2 MPa 20 %
verificação combinada 60 %

Md = MRd momento aplicado = momento resistente de projeto 54,3 kNm


MTEST momento resistente ao teste 94,1 kNm
f fator de sobre-resistência 1,7
M12 M16 M20

GRÁFICO FORÇA - DESLOCAMENTO

90
Deslocamento horizontal das fibras esticadas e compri-
midas no centro. 80
70
O gráfico mostra o maior deslocamento das fibras esti- 60
Load [kN]

cadas, validando a hipótese de cálculo de que a madeira


50
reage à compressão juntamente com as ponteiras metá-
licas, deslocando o eixo neutro para cima. 40
30
20
10

ABA SUPERIOR
-5,0 -4,0 -3,0 -2,0 -1,0 0,0 1,0 1,5
ABA INFERIOR
Horizontal displacement in the middle section [mm]

ADESIVOS EPOXÍDICOS E CHAPAS ENGANCHADAS | XEPOX | 157


EXEMPLO 2: LIGAÇÃO ROTULADA
0,3 B
GEOMETRIA DA JUNÇÃO: VIGA E CHAPAS y
ni 2 mm B 200 mm Vs
Si 6 mm H 360 mm
hi 300 mm Bn 176 mm G
e Ms
li 568 mm α1 21,8 ° hi x Ns
H
e 332 mm
α1 0,4 B
MATERIAIS E DADOS DE PROJETO
li
Classe de aço S275 B
γM0 1

Classe da madeira GL32c i


B
kmod 1,1 si
γM timber 1,3
Ponteiras metálicas saibradas de grau SA2,5/SA3 (ISO8501).

UTILIZAÇÃO DE XEPOX
Proteção das ponteiras contra a oxidação com XEPOX P. Utilização de adesivo XEPOX F ou XEPOX L.

VERIFICAÇÕES
Md momento de projeto aplicado 63,5 kNm

VERIFICAÇÃO DA LIGAÇÃO DA CABEÇA(1), (2)


% de verificação
(A)
kc,90 1,75
σc 12,7 MPa 100 %
σs' 180,7 MPa 66 %
σs 262,0 MPa 95 %

VERIFICAÇÃO DA SECÇÃO DE MADEIRA SEM AS FRESAGENS


% de verificação
σt 16,7 MPa 62 %

VERIFICAÇÃO DA TENSÃO TANGENCIAL MÁXIMA NAS SUPERFÍCIES DE INTERFACE(3), (4)


% de verificação
JP * 1,52*1012 Nmm2

τmax,hor (3) 1,1 MPa 38 %


(3)
τmax,vert 0,2 MPa 21 %

verificação combinada 43 %

Md = MRd momento aplicado = momento resistente de projeto 63,5 kNm


MTEST momento resistente ao teste 131,8 kNm
f fator de sobre-resistência 2,1

GRÁFICO FORÇA - DESLOCAMENTO

Deslocamento horizontal das fibras esticadas e compri-


midas no centro.
150
O gráfico mostra o maior deslocamento das fibras esti-
cadas, validando a hipótese de cálculo de que a madeira
Load [kN]

reage à compressão juntamente com as ponteiras metá- 100


licas, deslocando o eixo neutro para cima.
50

ABA SUPERIOR -5,0 -4,0 -3,0 -2,0 -1,0 0,0 1,0 1,5
ABA INFERIOR Horizontal displacement in the middle section [mm]

158 | XEPOX | ADESIVOS EPOXÍDICOS E CHAPAS ENGANCHADAS


RIGIDEZ DAS LIGAÇÕES
As ligações de momento realizadas com os adesivos XEPOX garantem uma excelente rigidez aos elementos ligados. Para o
comprovar, comparamos os valores de seta obtidos nos cálculos analíticos para uma viga não unida de igual folga, secção e
carga com os dados experimentais do exemplo de cálculo 1.

P/2 P/2

l=6m

Para obter um valor de referência de seta a partir dos dados experimentais disponíveis, é necessário determinar uma carga
operacional. Para isso, é possível considerar o momento resistente de 54,5 kNm calculado para a viga do exemplo de cálculo
1, que, idealmente, corresponde à tensão máxima aceitável no Último Estado Limite. A partir destes dados e atribuindo uma
distribuição realista de cargas na viga, é possível determinar um momento de tensão máximo em funcionamento utilizando
os coeficientes de amplificação de cargas de acordo com as normas aplicáveis.
No caso do dimensionamento de uma cobertura plana de madeira não transitável, são definidas as seguintes cargas.
p = 1,5 kN/m2 ; q = 1,5 kN/m2
Nesta hipótese, a carga total, na combinação operacional mais rigorosa, é de cerca de 70% da carga no Último Estado Limite.
Consequentemente, o momento máximo de atuação em funcionamento é de 54,3 x 0,7 = 38 kNm, o que provoca uma seta
instantânea, para a viga não unida, de cerca de 13 mm, enquanto a seta medida experimentalmente é de 19 mm. O aumento
do deslocamento vertical durante o funcionamento é portanto: l/1050.

GRÁFICO MOMENTO - DESLOCAMENTO


100
90
VIGA COM NÓ XEPOX 80
Moment [kNm]

VIGA CONTÍNUA 70
MOMENTO MÁXIMO EM FUNCIONAMENTO 60
50
40
30
20
10

0 10 20 30 40 50 60 70 80

Vertical displacement in the middle section [mm]

NOTAS:
(A) (3)
kc,90 é um fator que modula a resistência à compressão da madeira em Note-se que os adesivos XEPOX se caracterizam por resistências à tração
relação ao ângulo força-fibra na fórmula de Hankinson (EC 1995-1-1, ponto e ao corte típicos significativamente superiores às resistências oferecidas
6.1.5). No entanto, a fórmula não considera a estabilização das fibras de pelo material da madeira e que permanecem inalteradas ao longo do tem-
madeira fornecida pela resina, que preenche os vazios da madeira; fica ao po. Por tal motivo, a verificação da resistência à torsão das interfaces é feita
critério do projetista aumentar este fator. avaliando-se somente o lado da madeira, considerando-se safisfeita a mes-
(1)
O cálculo da secção foi efetuado considerando ligações elásticas lineares ma verificação para o adesivo.
(4)
para todos os materiais. Note-se ue, em caso de cargas axiais e de corte, é A tensão de corte “τ” da interface madeira-adesivo-aço, transferida para a
necessário verificar a combinação destas forças. madeira, é calculada no seu valor máximo em caso de inclinação parale-
(2)
Neste cálculo considera-se que a almofada de resina permite um contacto la ou perpendicular às fibras da madeira. Estas tensões são comparadas
total da secção de interface e que, portanto, a madeira possa reagir à com- em termos de resistência ao corte da madeira e de resistência ao “rolling
pressão. Se a almofada não for executada, é recomendável verificar apenas shear”, respetivamente. O cálculo aqui efetuado também deve considerar a
a ponteira metálica como reagente, aplicando a fórmula seguinte com os dimensão do momento de transporte MT,Ed resultante da tensão de corte,
parâmetros geométricos: se presente.
Note-se que os cálculos foram efetuados tendo em conta os valores de
Md kmod e γ M de acordo com a EN 1995 1-1 e γ M0 de acordo com a EN 1993 1-1.
fyd ≥
B h2

6

ADESIVOS EPOXÍDICOS E CHAPAS ENGANCHADAS | XEPOX | 159


SHARP METAL
CHAPAS ENGANCHADAS DE AÇO

NOVAS TECNOLOGIAS
As chapas apresentam uma série de pequenos ganchos, espalhados por
toda a superfície do aço. A ligação é efetuada pelo engrenamento me-
cânico dos ganchos metálicos na madeira.

CHAPAS ENGANCHADAS
O grande número de ganchos distribuídos por toda a superfície gera
uma aderência incisiva das chapas na madeira com valores excecionais
de resistência e rigidez. A ligação assume um desempenho comparável à
aderência de uma colagem. Sistema não-invasivo e removível.

CARGA DIFUSA
As forças são absorvidas pelos ganchos e distribuídas por toda a super-
fície. As forças concentradas são eliminadas e o problema das distâncias
mínimas é reduzido. A espessura do aço (0,75 mm) aparafusável sem
pré-furo com parafusos HBS e TBS para apertar a ligação é otimizada.

CARATERÍSTICAS
FOCUS ligações de corte madeira-madeira
COMPRIMENTO 1,2 e 5 m
ESPESSURA 0,75 mm
FIXAÇÕES HBS, TBS, TBS MAX

MATERIAL
Aço carbónico com revestimento eletrolítico.

CAMPOS DE APLICAÇÃO
Ligações de corte entre as superfícies de madeira
• madeira maciça e lamelar
• CLT, LVL
• painéis à base de madeira

160 | SHARP METAL | ADESIVOS EPOXÍDICOS E CHAPAS ENGANCHADAS


LAJES NERVURADAS SEM COLA
Graças à tecnologia de gancho, é ideal para a
produção de lajes nervuradas (Rippendecke, ri-
bbed floor) sem a utilização de colas, adesivos
e prensas. Eliminação dos tempos de espera
para a aderência e endurecimento da cola.

LIGAÇÕES AO CORTE
As chapas enganchadas permitem a transfe-
rência de forças de corte entre as duas super-
fícies de madeira. Desempenho comparável à
colagem.

ADESIVOS EPOXÍDICOS E CHAPAS ENGANCHADAS | SHARP METAL | 161


CÓDIGOS E DIMENSÕES
SHARP METAL - chapas

s s

H H

SHARP501200 SHARP501200H
B B

CÓDIGO B H s versão pçs

[mm] [mm] [mm]


SHARP501200 50 1200 0,75 Low Density 10
SHARP501200H 50 1200 0,75 High Density 10

SHARP METAL - fitas

s s

B B

SHARP50 SHARP50H

CÓDIGO B L s versão pçs

[mm] [m] [mm]


SHARP50 50 5 0,75 Low Density 1
SHARP50H 50 5 0,75 High Density 1

MATERIAL E DURABILIDADE FORÇAS


SHARP METAL: aço carbónico com revestimento eletro-
lítico.
Utilização em classes de serviço 1 e 2 (EN 1995-1-1). Fv

Fv

CAMPOS DE EMPREGO
• Ligações madeira-madeira

162 | SHARP METAL | ADESIVOS EPOXÍDICOS E CHAPAS ENGANCHADAS


PRODUTOS ADICIONAIS - FIXAÇÕES

tipo descrição d suporte

[mm]
TBS parafuso de cabeça larga para madeira 8
TBS MAX parafuso de cabeça larga para madeira 8

Para mais detalhes, consultar o catálogo “Parafusos e conectores para madeira”.

VERSÕES DO PRODUTO
As chapas e fitas SHARP METAL são realizadas com um acabamento especial em ambas as superfícies; isto permite que o aço
se fixe aos elementos de madeira e desenvolva uma resistência ao deslizamento.

LOW DENSITY (LD) HIGH DENSITY (HD)

SHARP501200 SHARP501200H
SHARP50 SHARP50H

50 50 50 50

100 100 100 100

necessidade de pressões reduzidas para garantir o elevada resistência e rigidez concentradas em peque-
engrenamento nas dimensões

ADESIVOS EPOXÍDICOS E CHAPAS ENGANCHADAS | SHARP METAL | 163


INSTALAÇÃO
A ligação com SHARP METAL HD requer uma pressão de aplicação mí-
nima de 1,5-2,5 MPa, dependendo do tipo de madeira, para garantir o
engrenamento; a versão LD requer cerca de metade da força.

Com parafusos TBS


Para uma utilização prática das chapas é possível utilizar parafusos TBS
Ø8 passantes sem pré-furo, de passo 12d.
A cabeça aumentada do TBS aplica uma compressão suficiente para an-
corar o sistema SHARP METAL; é necessário que a rosca do parafuso caia
inteiramente no segundo silhar ligado.

Fv

Fv

Com parafusos TBS MAX


Podem ser utilizados parafusos TBS MAX, aumentando o passo para 20d,
por exemplo, para aplicação em lajes nervuradas de madeira ou ligações
em ângulo entre paredes de CLT.

Utilização funcional dos parafusos


A utilização do SHARP METAL em combinação com parafusos permi-
te uma instalação prática e segura. A chapa enganchada proporciona
um confinamento considerável à madeira, aumentando a sua resistência
contra ruturas por splitting em cargas paralelas à fibra que atuam sobre
os parafusos.

A utilização de parafusos também é recomendada para suportar car-


gas de tração entre as superfícies ligadas, por exemplo, numa ligação
de corte laje-parede. Embora as cargas verticais do tabuleiro assegurem
uma pressão adequada entre as superfícies, é possível que sejam trans-
mitidas trações. Os parafusos, neste caso, absorvem a tensão sem afetar
o engrenamento da ligação de corte.

164 | SHARP METAL | ADESIVOS EPOXÍDICOS E CHAPAS ENGANCHADAS


EXPERIMENTAÇÃO
Foi realizada uma extensa campanha experimental sobre os produtos SHARP METAL em colaboração com a Universidade
de Innsbruck; são propostos os resultados dos testes de corte em madeira maciça em diferentes direções em relação à fibra
de madeira. A fim de verificar eventuais efeitos de escala, foram testados diferentes comprimentos de chapas, enquanto a
pressão foi assegurada com parafusos.

Valores característicos de resistência SEM PARAFUSOS

tipo fv,0,k(1) fv,90,k(1) fv,EG,k(1)


fv,0,k
[MPa] [MPa] [MPa] fv,90,k
LD 0,93 0,20 1,03
fv,EG,k
HD 1,15 0,51 1,03

Os valores da tabela são obtidos de dados experimentais dos quais foram


deduzidas as resistências dos parafusos de teste.

Valores característicos de resistência da ligação SHARP METAL COM PARAFUSOS

tipo fv,0,k kser,0,k fv,90,k kser,90,k fv,EG,k kser,EG,k

[MPa] [N/mm]*[1/mm2] [MPa] [N/mm]*[1/mm2] [MPa] [N/mm]*[1/mm2]


LD 2,02 3,13 2,11 0,65 1,92 4,19
HD 2,24 6,47 2,42 0,90 1,92 5,00

Os valores da tabela correspondem a dados experimentais com parafusos TBS 8x160 de passo 10d (80 mm) com uma espessura da madeira
sub-cabeça de 60 mm.
A rigidez total da ligação Kser [N/mm] é determinada multiplicando o coeficiente kser pela superfície da chapa.

NOTAS: PRINCÍPIOS GERAIS:


(1)
Para densidades características ρ k inferiores a 450 kg/m3 , a resistência ao • As resistências e rigidezes são obtidas experimentalmente em amostras de
corte pode ser calculada em função de ρ k , multiplicando as resistências madeira com uma densidade de 450 kg/m3 .
tabeladas pelo fator kdens • O SHARP METAL deve ser utilizado em materiais à base de madeira de den-
sidade média ρ m ≤ 525 kg/m3 .
ρk
1,1

kdens =
450

ADESIVOS EPOXÍDICOS E CHAPAS ENGANCHADAS | SHARP METAL | 165


LIGAÇÕES PARA PAREDES
E EDIFÍCIOS
LIGAÇÕES PARA PAREDES
E EDIFÍCIOS
LIGAÇÕES PARA PAREDES
E EDIFÍCIOS

WHT
ANGULAR PARA FORÇAS DE TRAÇÃO. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 174

TITAN N
ANGULAR PARA FORÇAS DE CORTE E TRAÇÃO. . . . . . . . . . . . . 186

TITAN S
ANGULAR PARA FORÇAS DE CORTE E TRAÇÃO. . . . . . . . . . . . . 204

TITAN F
ANGULAR PARA FORÇAS DE CORTE. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 218

TITAN V
ANGULAR PARA FORÇAS DE CORTE E TRAÇÃO. . . . . . . . . . . . . 228

TITAN SILENT
ANGULAR PARA FORÇAS DE CORTE
COM PERFIL FONOISOLANTE. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 234

WHT PLATE C
CHAPAS PARA FORÇAS DE TRAÇÃO. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 242

WHT PLATE T
CHAPAS PARA FORÇAS DE TRAÇÃO. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 250

TITAN PLATE C
CHAPAS PARA FORÇAS DE CORTE . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 254

TITAN PLATE T
CHAPAS PARA FORÇAS DE CORTE . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 262

ALU START
SISTEMA EM ALUMÍNIO PARA A LIGAÇÃO
DOS EDIFÍCIOS À TERRA . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 266

SLOT
CONECTOR PARA PAINÉIS ESTRUTURAIS . . . . . . . . . . . . . . . . . . 276

SPIDER
SISTEMA DE LIGAÇÃO E REFORÇO
PARA PILARES E LAJES. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 292

PILLAR
SISTEMA DE LIGAÇÃO PILAR-LAJE . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 308

X-RAD
SISTEMA DE LIGAÇÃO X-RAD. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 324

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | 169


EDIFÍCIOS DE MADEIRA
FORÇAS HORIZONTAIS
Na fase de projeto de um edifício, é necessário levar em conta o seu
comportamento quer para acções do tipo vertical quer para acções do
tipo horizontal, como o vento e o sismo.

Estas últimas podem ser esquematizadas, de maneira simplificada, como


actuantes ao nível dos planos horizontais dos edifícios. Portanto, para
se garantir um óptimo desempenho de um edifício de madeira diante
de um sismo, levando-se em conta todas as modalidades de ruptura, é
fundamental um correto projeto de todos os sistemas de ligação.

DISTRIBUIÇÃO DAS TENSÕES


ABORDAGEM STANDARD ABORDAGENS INOVADORAS

As ações horizontais nas lajes geram, dentro do edifício, forças de corte e de tração entre os vários elementos estruturais;
tais forças deverão ser absorvidas por ligações adequadas. Uma gama completa de ligações para paredes e edifícios também
permite adotar abordagens de projeto inovadoras.

A SOLUÇÃO CERTA PARA CADA LIGAÇÃO


O mesmo problema estrutural pode ser resolvido utilizando diferentes sistemas de ligação alternativos.

CHAPAS ANGULARES LIGAÇÕES LIGAÇÕES


BIDIMENSIONAIS TRIDIMENSIONAIS OCULTAS DISTRIBUÍDAS
LIGAÇÃO DE
ENTREPISO

WHT/TITAN PLATE T TIMBER TITAN X-RAD VGZ/HBS


LIGAÇÃO DE
BASE

WHT/TITAN PLATE C CONCRETE WHT/TITAN X-RAD ALU START

170 | EDIFÍCIOS DE MADEIRA | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS


LIGAÇÕES
12 9 5

11

15

8
4

13 3

7
1

6
16

14 10

ANGULARES 1 WHT
São utilizados tanto para ligações madeira-madeira como madeira-betão. Dependendo do modelo 2 TITAN N
específico, podem ser utilizados para transferir forças de tração e corte ou uma combinação das duas.
A utilização em combinação com anilhas específicas melhora o seu desempenho e versatilidade. 3 TITAN S + WASHER
4 TITAN V
5 TITAN F

CHAPAS BIDIMENSIONAIS 6 WHT PLATE C


Permitem a transferência tanto de forças de tração como de corte; dependendo do tipo utilizado, são 7 TITAN PLATE C
adequados tanto para ligações madeira-madeira, como madeira-betão. A possibilidade de utilização
de fixações de diferentes diâmetros permite cobrir uma ampla gama de resistências. 8 WHT PLATE T
9 TITAN PLATE T

CONECTORES ESPECIAIS 10 ALU START


Uma nova gama de soluções simples para resolver problemas complexos, tanto em pequenos edifí- 11 SLOT
cios residenciais, como em edifícios multi-pisos. Novas oportunidades para projetistas e construtores
saírem da caixa e encontrarem soluções inovadoras. 12 SLOT
13 SPIDER/PILLAR
14 X-RAD

PARAFUSOS AUTOPERFURANTES
Para cada tipologia de acção sob tensão existe, dentro da gama de ligadores autoperfurantes, a solu- 15 parafusos HBS/TBS
ção ideal para se satisfazerem as exigências projectuais.
16 parafusos VGZ

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | EDIFÍCIOS DE MADEIRA | 171


SEISMIC-REV
Reduction of Earthquake Vulnerability

O projecto Seismic-REV “Reduction of Earthquake Vulnerability” teve como objectivo explícito a redução da vulnerabili-
dade sísmica das construções de madeira em geral, estudando e caracterizando o comportamento das ligações metálicas
tradicionais com que são acopladas e propondo, em particular, uma tipologia de ligação inovadora denominada X-RAD e
destinada à montagem das construções para uso habitacional em CLT (Cross Laminated Timber, ou seja, painéis de tábuas
de madeira com camadas cruzadas). Tal projecto de pesquisa envolveu a empresa Rothoblaas, o Instituto CNR-IVALSA de
San Michele all’Adige e a Universidade dos Estudos de Trento, onde foi desenvolvida a actividade experimental e de pesquisa.

O relatório científico sobre a investigação experimental está disponível junto da Rothoblaas.

LIGADORES (parafusos, pregos etc.)


Ligadores de hastes cilíndricas como pregos e parafusos quer de corte quer de tracção para ligações painel-madeira,
aço-madeira e madeira-madeira.

1 2 3 4

Amostra de painel-montante Amostra de aço-madeira testa- Amostra de madeira-madeira Amostra de madeira-madeira


testada com pregos “ring” de da com parafusos LBS de corte testada com parafusos VGZ testada com parafusos HBS
corte inclinados de tração-com- de corte
pressão

25 1 30 2
20 25
15 20
10
15
force [kN]

force [kN]

5
10
0
5
-5
0
-10 M_OSB2,8x80
-15 C_OSB2,8x80_1 -5

-20 -10
-15 -10 -5 0 5 10 15 20 25 35 0 2 4 6 8 10 12 14 16 18
displacement [mm] displacement [mm]

40 3 30 4

35
20
30
10
25
force [kN]

force [kN]

20 0

15
-10
10
M_HBS10x160
-20
5 C_HBS10x160_2

0 -30
0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 -40 -30 -20 -10 0 10 20 30 40
displacement [mm] displacement [mm]

172 | SEISMIC-REV | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS


LIGAÇÕES (angulares e chapas metálicas + fixações)
Ligações metálicas completas para corte e tracção de madeira-betão e de madeira-madeira.

1 2 3 4

TITAN madeira-madeira TITAN madeira-madeira com WHT madeira-betão TITAN WASHER madeira-be-
perfis acústicos tão (à tracção)

80 1 45 2
40
70
60 35
30
50
force [kN]

force [kN]
25
40
20
30
15
20 10
10 5
0 0
0 5 10 15 20 25 30 0 5 10 15 20 25 30
displacement [mm] displacement [mm]

120 3 120 4
100 100
80 80
60 60
force [kN]

force [kN]

40 40
20 20
0 0
-20 M_WHT620 -20
M_TITAN+
-40 C_WHT620_1 -40
C_TITAN+_1
-60 -60
0 5 10 15 20 25 0 2 4 6 8 10 12 14 16 18 20
displacement [mm] displacement [mm]

SISTEMA PAREDE
Paredes com tecnologia de armação e de CLT (Cross Laminated Timber) acopladas com as várias ligações testadas.

100 1
80
60
40
20
load [kN]

-100 -80 -60 -40 -20 20 40 60 80 100


-20
-40
-60
1 -80
-100
Parede de armação durante Parede de CLT (Cross Lamina-
o teste ted Timber) durante o ensaio imposed horizontal displacement [mm]

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | SEISMIC-REV | 173


WHT ETA 11/0086

ANGULAR PARA FORÇAS DE TRAÇÃO

GAMA COMPLETA
Disponível em 5 tamanhos para combinar com 5 anilhas para satisfazer
todos os requisitos de desempenho estático.

AÇO ESPECIAL
O aço S355 garante elevadas resistências às forças de tração.

DIÂMETRO DO FURO
O furo para barras de grandes dimensões é proporcional às medidas do
sistema.

CARATERÍSTICAS
FOCUS ligação por tração
ALTURA de 340 a 740 mm
ESPESSURA 3,0 mm
FIXAÇÕES LBA, LBS, VIN-FIX PRO, EPO-FIX PLUS

MATERIAL
Chapa tridimensional furada de aço carbónico
com eletrogalvanização.

CAMPOS DE APLICAÇÃO
Ligações à tracção madeira-betão e madeira-
-madeira para painéis e vigas de madeira
• CLT, LVL
• madeira maciça e lamelar
• estrutura de armação (platform frame)
• painéis à base de madeira

174 | WHT | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS


CLT, TIMBER FRAME
Elevadas resistências graças ao aço S355, às
flanges de reforço laterais e ao furo na base
com um diâmetro superior.

SÍSMICA E RIGIDEZ
No âmbito do projeto de investigação SEISMI-
C-REV, o produto e as respetivas fixações fo-
ram submetidos a numerosos testes estáticos
e cíclicos que forneceram os parâmetros de
rigidez (Kser) e os níveis de ductilidade.

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | WHT | 175


CÓDIGOS E DIMENSÕES
ANGULAR WHT

CÓDIGO H furo nv Ø5 s pçs

[mm] [mm] [pçs.] [mm]


WHT340 340 Ø18 20 3 10
WHT440 440 Ø18 30 3 10 H
WHT540 540 Ø22 45 3 10
WHT620 620 Ø26 55 3 10
WHT740 740 Ø29 75 3 1

ANILHA WHTW

CÓDIGO furo s WHT340 WHT440 WHT540 WHT620 WHT740 pçs

[mm] [mm]
WHTW50 Ø18 10 - - 1
WHTW50L Ø22 10 - - - - 1
WHTW70 Ø22 20 - - - - 1
WHTW70L Ø26 20 - - - - 1
WHTW130 Ø29 40 - - - - 1

PERFIS RESILIENTES XYLOFON WASHER

CÓDIGO furo P B s pçs

[mm] [mm] [mm] [mm]


WHT340
XYLW806060 WHT440 Ø23 60 60 6,0 10
WHT540
XYLW808080 WHT620 Ø27 80 80 6,0 10
XYLW8080140 WHT740 Ø30 80 140 6,0 1

MATERIAL E DURABILIDADE FORÇAS


WHT: aço carbónico S355 com zincagem galvânica.
ANILHA WHTW: aço carbónico S235 com eletrogalvani- F1 F1
zação.
Utilização em classes de serviço 1 e 2 (EN 1995-1-1).

XYLOFON WASHER: mistura monolítica de poliuretano.

CAMPOS DE EMPREGO
• Ligações madeira-betão
• Ligações de OSB-betão
• Ligações madeira-madeira
• Ligações de madeira-OSB
• Ligações madeira-aço

PRODUTOS ADICIONAIS - FIXAÇÕES

tipo descrição d suporte pág.

[mm]

LBA prego Anker 4 548

LBS parafuso para chapas 5 552


VIN-FIX PRO ancorante químico M16 - M20 - M24 - M27 511
EPO-FIX PLUS ancorante químico M16 - M20 - M24 - M27 517
KOS parafuso M16 - M20 526

176 | WHT | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS


GEOMETRIA

WHT WHT340 WHT440 WHT540 WHT620 WHT740 20 20 s

Altura H [mm] 340 440 540 620 740 20

Base B [mm] 60 60 60 80 140


Ø1
Profundidade P [mm] 63 63 63 83 83
Espessura s [mm] 3 3 3 3 3 H
h
Posição dos furos na madeira h [mm] 40 60 40 40 -
Posição do furo no betão m [mm] 35 35 35 38 38
150
Furos na flange Ø1 [mm] 5,0 5,0 5,0 5,0 5,0 m
9
Furo na base Ø2 [mm] 18,0 18,0 22,0 26,0 29,0 B P
m
P Ø2

ANILHA WHTW WHTW50 WHTW50L WHTW70 WHTW70L WHTW130


BR SR
Base BR [mm] 50 50 70 70 130
Profundidade PR [mm] 56 56 77 77 77 PR
Espessura sR [mm] 10 10 20 20 40 Ø3
Furo da anilha Ø3 [mm] 18,0 22,0 22,0 26,0 29,0

INSTALAÇÃO
PREGAGEM PARCIAL PREGAGEM TOTAL
MADEIRA pregos parafusos
a4,c a4,c a4,c
distâncias mínimas LBA Ø4 LBS Ø5
C/GL a4,c [mm] ≥ 20 ≥ 25
CLT a4,c [mm] ≥ 12 ≥ 12,5
• C/GL: distâncias mínimas para madeira maciça ou lamelada em conformidade com a norma EN
1995-1-1, de acordo com a ETA, considerando uma massa volúmica dos elementos de madeira
de ρ k ≤ 420 kg/m3
• CLT: distâncias mínimas para Cross Laminated Timber de acordo com a ÖNORM EN 1995-1-1
(Anexo K) para pregos e com a ETA-11/0030 para parafusos

MONTAGEM

Perfuração do betão Injecção do ancoran- Posicionamento da Aposição do angular Pregagem do angular Posicionamento da
e polimentos do furo te químico no furo barra roscada WHT (com relativa porca mediante um
anilha, se prevista) adequado torque de
aperto

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | WHT | 177


VALORES ESTÁTICOS | LIGAÇÃO DE TRAÇÃO MADEIRA-BETÃO
WHT340 - com e sem anilha WHTW50

R 1,K MADEIRA R 1,K AÇO R 1,d BETÃO

fixação de furos Ø5 R1,k timber R1,k steel R1,d uncracked R1,d cracked R1,d seismic
configuração
tipo ØxL nv VIN-FIX PRO EPO-FIX PLUS EPO-FIX PLUS
ØxL ØxL ØxL
[mm] [pçs.] [kN] [kN] γsteel [mm] [kN] [mm] [kN] [mm] [kN]
Ø4,0 x 40 20 31,4
pregos LBA
• fixação total Ø4,0 x 60 20 38,6 M16 x 230 21,0
• anilha WHTW50 63,4 γ M2 M16 x 190 39,0 M16 x 190 33,8
Ø5,0 x 40 20 31,4 M16 x 190 16,6
• ancorante M16
parafusos LBS
Ø5,0 x 50 20 38,6
Ø4,0 x 40 14 22,0
pregos LBA
• fixação parcial Ø4,0x 60 14 27,0 M16 x 230 21,0
• anilha WHTW50 63,4 γ M2 M16 x 190 39,0 M16 x 190 33,8
Ø5,0 x 40 14 22,0 M16 x 190 16,6
• ancorante M16
parafusos LBS
F1
Ø5,0 x 50 14 27,0
Ø4,0 x 40 20 31,4
pregos LBA
• fixação total Ø4,0 x 60 20 38,6 M16 x 190 17,7
• sem anilha 42,0 γ M0 M16 x 160 33,8 M16 x 160 29,3
Ø5,0 x 40 20 31,4 M16 x 160 14,4
• ancorante M16
parafusos LBS
Ø5,0 x 50 20 38,6

WHT440 - com e sem anilha WHTW50


pregos LBA
Ø4,0 x 40 14 22,0
• fixação parcial Ø4,0x 60 14 27,0 M16 x 190 17,7
• sem anilha 42,0 γ M0 M16 x 160 33,8 M16 x 160 29,3
Ø5,0 x 40 14 22,0 M16 x 160 14,4
• ancorante M16
parafusos LBS
Ø5,0 x 50 14 27,0

WHT440 - com e sem anilha WHTW50

R 1,K MADEIRA R 1,K AÇO R 1,d BETÃO

fixação de furos Ø5 R1,k timber R1,k steel R1,d uncracked R1,d cracked R1,d seismic
configuração
VIN-FIX PRO EPO-FIX PLUS EPO-FIX PLUS
tipo ØxL nv ØxL
ØxL ØxL
[mm] [pçs.] [kN] [kN] γsteel [mm] [kN] [mm] [kN] [mm] [kN]
Ø4,0 x 40 30 47,1
pregos LBA
• fixação total Ø4,0 x 60 30 57,9 F1
• anilha WHTW50 63,4 γ M2 M16 x 230 49,2 M16 x 230 42,7 M16 x 230 21,0
• ancorante M16 Ø5,0 x 40 30 47,1
parafusos LBS
Ø5,0 x 50 30 57,9
Ø4,0 x 40 20 31,4
pregos LBA
• fixação parcial Ø4,0 x 60 20 38,6 M16 x 230 49,2 M16 x 230 42,7 M16 x 230 21,0
• anilha WHTW50 63,4 γ M2
Ø5,0 x 40 20 31,4 M16 x 190 39,0 M16 x 190 33,8 M16 x 190 16,6
• ancorante M16
parafusos LBS
Ø5,0 x 50 20 38,6
Ø4,0 x 40 20 31,4
pregos LBA
• fixação parcial Ø4,0x 60 20 38,6
• sem anilha 42,0 γ M0 M16 x 160 33,8 M16 x 160 29,3 M16 x 160 14,4
• ancorante M16 Ø5,0 x 40 20 31,4
parafusos LBS
Ø5,0 x 50 20 38,6

NOTAS PARA PROJETO SISMICO

Considerar atentamente a real hierarquia das resistências em referência quer Os dados experimentais derivam de testes realizados no projecto de pesquisa
ao edifício global quer dentro do sistema de ligação. Experimentalmente, a Seismic-Rev e constam do relatório científico “Sistemas de ligação para edifí-
resistência final do prego LBA (e do parafuso LBS) resulta ser muito maior do cios de madeira: investigação experimental para a avaliação de rigidez, resis-
que a resistência característica avaliada conforme EN 1995. tência e ductilidade” (DICAM - Departamento de Engenharia Civil, Ambiental
Ex. prego LBA Ø4 x 60 mm: Rv,k = =2,8 - 3,6 kN de testes experimentais (variá- e Mecânica - UniTN).
vel de acordo com o tipo de madeira e espessura da chapa).

178 | WHT | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS


VALORES ESTÁTICOS | LIGAÇÃO DE TRAÇÃO MADEIRA-BETÃO
WHT540 - com anilha WHTW50 (M16)

R 1,K MADEIRA R 1,K AÇO R 1,d BETÃO F1

fixação de furos Ø5 R1,k timber R1,k steel R1,d uncracked R1,d cracked R1,d seismic
configuração
VIN-FIX PRO EPO-FIX PLUS EPO-FIX PLUS
tipo ØxL nv ØxL ØxL ØxL
[mm] [pçs.] [kN] [kN] γsteel [mm] [kN] [mm] [kN] [mm] [kN]
Ø4,0 x 40 45 70,7
• fixação total pregos LBA
Ø4,0 x 60 45 86,9
• anilha WHTW50 63,4 γ M2 M16 x 190 39,0 M16 x 190 33,8 M16 x 190 16,6
• ancorante M16 Ø5,0 x 40 45 70,7
parafusos LBS
Ø5,0 x 50 45 86,9
Ø4,0 x 40 29 45,5
• fixação parcial pregos LBA
Ø4,0 x 60 29 56,0
• anilha WHTW50 63,4 γ M2 M16 x 190 39,0 M16 x 190 33,8 M16 x 190 16,6
• ancorante M16 Ø5,0 x 40 29 45,5
parafusos LBS
Ø5,0 x 50 29 56,0

WHT540 - com anilha WHTW50L (M20)


F1
R 1,K MADEIRA R 1,K AÇO R 1,d BETÃO

fixação de furos Ø5 R1,k timber R1,k steel R1,d uncracked R1,d cracked R1,d seismic
configuração
VIN-FIX PRO EPO-FIX PLUS EPO-FIX PLUS
tipo ØxL nv ØxL
ØxL ØxL
[mm] [pçs.] [kN] [kN] γsteel [mm] [kN] [mm] [kN] [mm] [kN]
Ø4,0 x 40 45 70,7
• fixação total pregos LBA
Ø4,0 x 60 45 86,9 M20 x 240 50,2 M20 x 240 25,1
• anilha WHTW50L 63,4 γ M2 M20 x 240 59,3
Ø5,0 x 40 45 70,7 M20 x 284 62,3 M20 x 284 31,1
• ancorante M20 parafusos LBS
Ø5,0 x 50 45 86,9
Ø4,0 x 40 29 45,5
• fixação parcial pregos LBA
Ø4,0 x 60 29 56,0 M20 x 240 50,2 M20 x 240 25,1
• anilha WHTW50L 63,4 γ M2 M20 x 240 59,3
Ø5,0 x 40 29 45,5 M20 x 284 62,3 M20 x 284 31,1
• ancorante M20 parafusos LBS
Ø5,0 x 50 29 56,0

F1
WHT620 - com anilha WHTW70 (M20)

R 1,K MADEIRA R 1,K AÇO R 1,d BETÃO

fixação de furos Ø5 R1,k timber R1,k steel R1,d uncracked R1,d cracked R1,d seismic
configuração
VIN-FIX PRO EPO-FIX PLUS EPO-FIX PLUS
tipo ØxL nv ØxL
ØxL ØxL
[mm] [pçs.] [kN] [kN] γsteel [mm] [kN] [mm] [kN] [mm] [kN]
Ø4,0 x 40 55 86,4
• fixação total pregos LBA
Ø4,0 x 60 55 106,2
• anilha WHTW70 85,2 γ M2 M20 x 240 57,15 M20 x 240 48,5 M20 x 240 24,2
• ancorante M20 Ø5,0 x 40 55 86,4
parafusos LBS
Ø5,0 x 50 55 106,2
Ø4,0 x 40 35 55,0
• fixação parcial pregos LBA
Ø4,0 x 60 35 67,6
• anilha WHTW70 85,2 γ M2 M20 x 240 57,15 M20 x 240 48,5 M20 x 240 24,2
• ancorante M20 Ø5,0 x 40 35 55,0
parafusos LBS
Ø5,0 x 50 35 67,6

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | WHT | 179


VALORES ESTÁTICOS | LIGAÇÃO DE TRAÇÃO MADEIRA-BETÃO
F1
WHT620 - com anilha WHTW70L (M24)

R 1,K MADEIRA R 1,K AÇO R 1,d BETÃO

fixação de furos Ø5 R1,k timber R1,k steel R1,d uncracked R1,d cracked
configuração
VIN-FIX PRO EPO-FIX PLUS
tipo ØxL nv ØxL ØxL

[mm] [pçs.] [kN] [kN] γsteel [mm] [kN] [mm] [kN]


Ø4,0 x 40 55 86,4
• fixação total pregos LBA
Ø4,0 x 60 55 106,2 M24 x 270 60,6
• anilha WHTW70L 85,2 γ M2 M24 x 270 73,50
Ø5,0 x 40 55 86,4 M24 x 323 75,6
• ancorante M24 parafusos LBS
Ø5,0 x 50 55 106,2
Ø4,0 x 40 35 55,0
• fixação parcial pregos LBA
Ø4,0 x 60 35 67,6 M24 x 270 60,6
• anilha WHTW70L 85,2 γ M2 M24 x 270 73,50
Ø5,0 x 40 35 55,0 M24 x 323 75,6
• ancorante M24 parafusos LBS
Ø5,0 x 50 35 67,6

F1
WHT740 - com anilha WHTW130

R 1,K MADEIRA R 1,K AÇO R 1,d BETÃO

fixação de furos Ø5 R1,k timber R1,k steel R1,d uncracked R1,d cracked
configuração
EPO-FIX PLUS EPO-FIX PLUS
tipo ØxL nv ØxL ØxL

[mm] [pçs.] [kN] [kN] γsteel [mm] [kN] [mm] [kN]


Ø4,0 x 40 75 117,8
• fixação total pregos LBA
Ø4,0 x 60 75 144,8
• ancorante M27 158,6 γ M2 M27 x 400 153,3 M27 x 400 109,0
• anilha WHTW130 Ø5,0 x 40 75 117,8
parafusos LBS
Ø5,0 x 50 75 144,8
Ø4,0 x 40 45 70,7
• fixação parcial pregos LBA
Ø4,0 x 60 45 86,9
• ancorante M27 158,6 γ M2 M27 x 300 122,6 M27 x 300 70,5
• anilha WHTW130 Ø5,0 x 40 45 70,7
parafusos LBS
Ø5,0 x 50 45 86,9

PRINCÍPIOS GERAIS:

• Os valores característicos são conforme a norma EN 1995-1-1, de acordo • Os valores de resistência de projeto do lado do betão são fornecidos pelo
com ETA-11/0086. Os valores de projeto das ancoragens para betão são betão não fissurado (R 1,d uncracked), fissurado (R 1,d cracked) e, em caso de ve-
calculados de acordo com as respetivas Avaliações Técnicas Europeias. rificação sísmica (R 1,d seismic), para utilização do ancorante químico com
O valor de resistência de projeto da ligação é obtida a partir dos valores barra roscada da classe de aço 5.8.
indicados na tabela, desta forma: • Projetação sísmica na categoria de desempenho C2, sem requisitos de
ductilidade nos ancorantes (opção a2) projetação elástica de acordo com
Rk, timber kmod a EOTA TR045.
γM • A dimensão e a verificação dos elementos de madeira e de betão devem ser
Rd = min Rk, steel feitas à parte.
• Para aplicações em CLT (Cross Laminated Timber), recomenda-se a utili-
γsteel zação de pregos/parafusos de comprimento adequado para garantir que a
Rd, concrete profundidade de cravação afete uma espessura de madeira suficiente para
evitar ruturas de tipo frágil para efeitos de grupo.
Rv,k timber kmod Os coeficientes kmod, γ M e γsteel devem ser considerados em função da nor- • Os valores de resistência são válidos para as hipóteses de cálcu-
ma vigente utilizada para o cálculo. lo definidas na tabela; para condições de contorno diferentes das
• Em fase de cálculo, considerou-se uma massa volúmica dos elementos de indicadas na tabela (por ex., distâncias mínimas das bordas), os
madeira de ρ k=350 kg/m3 e uma classe de resistência do betão C25/30 ancorantes do lado do betão podem ser verificados utilizando o sof-
com armação rara, na ausência de distâncias da borda e espessura mínima tware de cálculo MyProject de acordo com os requisitos do projeto.
indicada nas tabelas que mostram os parâmetros de instalação.

180 | WHT | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS


PARÂMETROS DE INSTALAÇÃO DE ANCORANTES QUÍMICOS(1)

tipo de barra tipo WHT tipo de anilha tfix hnom = hef h1 d0 hmin

Ø x L [mm] [mm] [mm] [mm] [mm]


160 WHT340 - 9 132 140 200
WHT340 / WHT440 - 9 162 170 200
M16 190 18
WHT340 / WHT440 / WHT540 WHTW50 19 152 160 200
230 WHT340 / WHT440 WHTW50 19 192 200 240
WHT540 - 9 206 215 240
240 WHT540 WHTW50L 19 196 205 240
M20 22
WHT620 WHTW70 29 189 195 240
min 284 WHT540 WHTW50L 19 243 250 300
270 WHT620 WHTW70L 29 215 220 300
M24 26
min 323 WHT620 WHTW70L 29 268 275 320
min 300 WHT740 WHTW130 49 223 230 300
M27 30
400 WHT740 WHTW130 49 310 315 380
Barra roscada pré-cortada INA dotada de porca e anilha: consultar a pág. 520
Barra roscada MGS classe 8.8 para cortar à medida: consultar a pág. 534

tfix
t fix espessura da chapa fixada
hnom profundidade de inserção
L hnom
h1 hef profundidade efectiva de ancoragem
hmin h 1 profundidade mínima do furo
d 0 diâmetro do furo de betão
hmin espessura mínima do betão

d0

DIMENSÃO DOS ANCORANTES ALTERNATIVOS


A fixação ao betão com ancorantes diferentes dos indicados na tabela, deve ser verificada com base na força de tensão sobre os mesmos
ancorantes, determináveis através dos coeficientes kt//. A força axial de tracção actuante sobre cada ancorante é obtida desta maneira:
Fbolt,d = kt Fd

Fbolt//,d = kt// F1,d


F1
kt// coeficiente de excentricidade
F1 tensão de tracção actuante sobre o angular WHT

kt//
WHT340 1,00
Fbolt//
WHT440 1,00
WHT540 1,00
WHT620 1,00
WHT740 1,00

A verificação do ancorante é satisfeita se a resistência à tracção de projecto, calculada considerando-se os efeitos de borda, é maior que
a tensão de projecto: Rbolt //,d ≥ Fbolt //,d.

NOTAS:
(1)
Válidos para os valores de resistência indicados na tabela.

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | WHT | 181


RIGIDEZ DA LIGAÇÃO

AVALIAÇÃO DO MÓDULO DE DESLIZAMENTO K ser

• K 1,ser experimental médio para a ligação WHT em madeira GL24h e CLT

tipo WHT configuração tipo de fixação nv K 1,ser [N/mm]

Ø x L [mm] [pçs.] GL24h CLT

• fixação total pregos LBA


20 - 3440
• sem anilha Ø4,0 x 60

• fixação total pregos LBA


WHT340 20 5705 7160
• com anilha Ø4,0 x 60

• fixação parcial pregos LBA


12 - 5260
• com anilha Ø4,0 x 60

• fixação total pregos LBA


30 6609 10190
• com anilha Ø4,0 x 60
WHT440
• fixação parcial pregos LBA
20 - 8060
• com anilha Ø4,0 x 60

• fixação total pregos LBA


45 - 11470
• com anilha Ø4,0 x 60
WHT540
• fixação parcial pregos LBA
29 - 9700
• com anilha Ø4,0 x 60
Campanha experimental Seismic-REV em ma-
deira GL24h (DICAM-Universidade de Trento e
• fixação total pregos LBA CNR-IVALSA San Michele All'Adige, 2015).
52/55 13247 13540
• com anilha Ø4,0 x 60
WHT620
• fixação parcial pregos LBA
30/35 9967 10310
• com anilha Ø4,0 x 60

• Kser de acordo com a EN 1995-1-1 para pregos em ligações madeira-madeira* GL24h/C24

Pregos (sem pré-furo) ρm


1,5
d0,8 (EN 1995 § 7.1)
30

tipo WHT tipo de fixação nv Kser

Ø x L [mm] [pçs.] [N/mm]

pregos LBA 14 12177


WHT340
Ø4,0 x 60 20 17395

pregos LBA 20 17395


WHT440
Ø4,0 x 60 30 26093

pregos LBA 29 25223


WHT540
Ø4,0 x 60 45 39139

pregos LBA 35 30442


WHT620
Ø4,0 x 60 55 47837

* Em ligações aço-madeira, a norma aplicável indica a possibilidade de duplicar o valor de Kser indicado na
tabela (7.1 (3)).
Campanha experimental em painéis CLT (C24)
(CNR-IBE San Michele All'Adige,2020).

182 | WHT | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS


FACILITA A MOVIMENTAÇÃO
DE GRANDES ELEMENTOS

Forte como uma vespa, leve como uma borboleta

Apresentamos o WASP, o gancho leve e robusto para o transporte de ele-


mentos pré-fabricados e painéis lamelares. Ideal para uma multiplicidade
de utilizações em estaleiros, é certificado e pode ser utilizado tanto para
cargas axiais, como transversais.

www.rothoblaas.pt
ANGULARES TITAN:
TODAS AS SOLUÇÕES NUMA SÓ GAMA
GUIA PARA A ESCOLHA

LIGAÇÃO MADEIRA-BETÃO

TITAN N
TC200
R1,d R2/3,d R4,d R5,d R4/5,d
[kN] [kN] [kN] [kN] [kN]
FULL PATTERN (30) - 22,4 17,7 2,7 14,9
PARTIAL 4 (25) - 17,3 - - -
TCN200 PARTIAL 3 (20) - 13,5 - - -
PARTIAL 2 (15) - 9,5 17,5 1,6 19,0
PARTIAL 1 (10) - 6,3 - - -

FULL PATTERN (36) - 30,7 20,4 3,3 23,5


PARTIAL 4 (30) - 23,9 - - -
TCN240 PARTIAL 3 (24) - 18,7 - - -
PARTIAL 2 (18) - 13,2 20,2 1,9 21,3
PARTIAL 1 (12) - 8,8 - - -

TCN200 + TCW200 FULL PATTERN (30) 37,6 41,3 - - -

TCN240 + TCW240 FULL PATTERN (36) 41,4 61,6 - - -

TITAN S

R1,d R2/3,d R4,d R5,d R4/5,d


[kN] [kN] [kN] [kN] [kN]
TCS240 FULL PATTERN (14) - 59,5 17,9 4,3 18,8

FULL PATTERN (14) 41,4 64,7 - - -


TCS240 + TCW240
PARTIAL (9) 28,7 - - - -

TITAN F

R1,d R2/3,d R4,d R5,d R4/5,d


[kN] [kN] [kN] [kN] [kN]
FULL PATTERN (30) - 36,0 9,5 4,8 12,3
PARTIAL 3 (25) - 31,5 - - -
TCF200
PARTIAL 2 (15) - 21,2 - - -
PARTIAL 1 (10) - 15,3 - - -

F4 F1
FORÇAS
F3
Resistências certificadas à tração (R1), corte (R2/3) e inclinação (R4,5). Diferentes
configurações de fixação total (full pattern) e parcial (partial pattern). Valores F2

certificados também com perfis acústicos interpostos (XYLOFON e ALADIN). F5

184 | ANGULARES TITAN: TODAS AS SOLUÇÕES NUMA SÓ GAMA | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS
Os valores de resistência mostrados na tabela devem ser considerados como A título de exemplo, são apresentados os valores de resistência de projeto (Rd),
valores indicativos fornecidos para orientar o projetista na escolha do angular calculados de acordo com a EN 1995-1-1 e a EN 1993-1-1, considerando uma
TITAN. A verificação final deve ser efetuada de acordo com as especificações classe de duração de carga instantânea (kmod = 1,1), na hipótese de betão não
técnicas apresentadas nas páginas individuais do produto, dependendo dos re- fissurado, fixação em madeira com parafusos LBS Ø5 x 50 mm (HBS PLATE para
quisitos do projeto e das condições reais de contorno. TITAN S) e tipo de ancorante em betão variável de acordo com o tipo de angular.

LIGAÇÃO MADEIRA-MADEIRA

TITAN N

R1,d R2/3,d R4,d R5,d R4/5,d


[kN] [kN] [kN] [kN] [kN]
FULL PATTERN (36) 13,7 39,5 20,1 3,4 22,6
FULL PATTERN (36) + Xylofon - 21,0 - - -
TTN240
FULL PATTERN (36) + Aladin S. - 24,5 - - -
FULL PATTERN (36) + Aladin Es. - 23,3 - - -

TITAN S

R1,d R2/3,d R4,d R5,d R4/5,d


[kN] [kN] [kN] [kN] [kN]
FULL PATTERN (14) - 50,8 17,5 4,2 21,3
FULL PATTERN (14) + Xylofon - 10,6 - - -
TTS240
FULL PATTERN (14) + Aladin S. - 12,4 - - -
FULL PATTERN (14) + Aladin Es. - 11,8 - - -

TITAN F

R1,d R2/3,d R4,d R5,d R4/5,d


[kN] [kN] [kN] [kN] [kN]
FULL PATTERN (30) - 36,0 10,4 4,7 14,2
PARTIAL 3 (25) - 31,5 - - -
PARTIAL 2 (15) - 21,2 - - -
TTF200 PARTIAL 1 (10) - 15,3 - - -
FULL PATTERN (30) + Xylofon - 14,6 - - -
FULL PATTERN (30) + Aladin S. - 16,9 - - -
FULL PATTERN (30) + Aladin Es. - 16,1 - - -

TITAN V

R1,d R2/3,d R4,d R5,d R4/5,d


[kN] [kN] [kN] [kN] [kN]
FULL PATTERN (36) 85,5 50,5 - - -
TTV240 PARTIAL (24) 54,6 43,6 - - -
FULL PATTERN (36) + Xylofon(*) - 43,0 - - -
(*) Valor experimental não incluído na ETA.

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | ANGULARES TITAN: TODAS AS SOLUÇÕES NUMA SÓ GAMA | 185
TITAN N ETA 11/0496

ANGULAR PARA FORÇAS DE CORTE E TRAÇÃO

FUROS ALTOS
Ideal para CLT, é fácil de instalar graças aos furos elevados. Valores
certificados também com fixação parcial na presença de argamassa de
assentamento ou viga de raiz.

80 kN DE CORTE
Excecional resistência ao corte. Até 82,6 kN em betão (com anilha TCW).
Até 46,7 kN em madeira.

70 kN DE TRAÇÃO
Em betão, os angulares TCN com anilhas TCW garantem uma excelente
resistência à tração. R1,k até 69,8 kN característicos.

CARATERÍSTICAS
FOCUS ligações de corte e tração
ALTURA 120 mm
ESPESSURA 3,0 mm
FIXAÇÕES LBA, LBS, VIN-FIX PRO, EPO-FIX PLUS, SKR, AB1

MATERIAL
Chapa tridimensional furada de aço carbónico
com eletrogalvanização.

CAMPOS DE APLICAÇÃO
Ligações de corte e de tração para aplicações
madeira-betão e madeira-madeira
• CLT, LVL
• madeira maciça e lamelar
• estrutura de armação (platform frame)
• painéis à base de madeira

186 | TITAN N | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS


RETENTOR OCULTO
Ideal para madeira-betão, quer como hold
down nas extremidades das paredes, quer
como angular de corte ao longo das paredes.
Pode ser integrada no conjunto da laje.

TODAS AS DIREÇÕES
Resistências certificadas ao corte (F2,3), à tra-
ção (F1) e à inclinação (F4,5). Valores certificados
também para fixações parciais e com perfis
acústicos interpostos.

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | TITAN N | 187


CÓDIGOS E DIMENSÕES
TITAN N - TCN | LIGAÇÕES BETÃO-MADEIRA

CÓDIGO B P H furos nv Ø5 s pçs


H
[mm] [mm] [mm] [mm] [pçs.] [mm]
TCN200 200 103 120 Ø13 30 3 10
TCN240 240 123 120 Ø17 36 3 10
P
B

TITAN WASHER - TCW | LIGAÇÕES BETÃO-MADEIRA

CÓDIGO TCN200 TCN240 B P s furos pçs

[mm] [mm] [mm] [mm]


TCW200 - 190 72 12 Ø14 1 s
TCW240 - 230 73 12 Ø18 1
P
B

TITAN N - TTN | LIGAÇÕES MADEIRA-MADEIRA


H
CÓDIGO B P H nH Ø5 nv Ø5 s pçs

[mm] [mm] [mm] [mm] [mm] [mm]


TTN240 240 93 120 36 36 3 10
P B

PERFIS ACÚSTICOS | LIGAÇÕES MADEIRA-MADEIRA

CÓDIGO tipo B P s pçs

[mm] [mm]
XYL35120240 xylofon plate 240 mm 120 6 10
s
ALADIN95 soft 50 m(*) 95 5 10
P B
ALADIN115 extra soft 50 m(*) 115 7 10
(*) A cortar no estaleiro

MATERIAL E DURABILIDADE FORÇAS


TITAN N: aço carbónico DX51D+Z275.
TITAN WASHER: aço carbónico S235 com eletrogalvani-
zação. F1
Utilização em classes de serviço 1 e 2 (EN 1995-1-1).

XYLOFON PLATE: mistura poliuretânica de 35 shore. F1


F2 F3 F5 F4
ALADIN STRIPE: EPDM compacto.

CAMPOS DE EMPREGO
• Ligações madeira-betão
• Ligações madeira-madeira
• Ligações madeira-aço

PRODUTOS ADICIONAIS - FIXAÇÕES


tipo descrição d suporte pág.

[mm]
LBA prego Anker 4 548
LBS parafuso para chapas 5 552

AB1 ancorante mecânico 12 - 16 494

SKR ancorante parafusável d1 12 - 16 488


VIN-FIX PRO ancorante químico L M12 - M16 511
EPO-FIX PLUS ancorante químico M12 - M16 517

188 | TITAN N | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS


GEOMETRIA

TCN200 TCN240 TTN240

Ø5 20 10 3 Ø5 20 10 3 Ø5 20 10 3

10 10 10
20 20 20
20 20 20
120 10 120 10 120 10
60 60 60
3 3 3

200 240 240

40 41 33
103 93 20
31,5 123 41 20
Ø13 Ø17
31,5 20
41
Ø5 20 10
25 150 25
39 162 39

TCW200 TCW240

37 37
72 Ø14 73 Ø18
35 36

190 230
12 12
20 150 20 34 162 34

INSTALAÇÃO SOBRE BETÃO


O angular TITAN TCN deve ser fixado no betão através de 2 ancorantes , de acordo com uma das seguintes modalidades de instalação,
dependendo da tensão de atuação.

INSTALAÇÃO INSTALAÇÃO INSTALAÇÃO


IDEAL ALTERNATIVA COM WASHER

2 ancorantes posicionados nos 2 ancorantes posicionados nos A fixação com WASHER TCW deve
FUROS INTERNOS (IN) FUROS EXTERNOS (OUT) ser efetuada com 2 ancorantes posi-
(indicados pelo molde no produto) (por ex., interação entre o ancorante cionados nos FUROS INTERNOS (IN)
e a armação do suporte de betão)

Tensão reduzida no ancorante Tensão máxima no ancorante (ex-


(excentricidade ey e kt mínimos) centricidade ey e kt máximos)

Resistência da ligação optimizada Resistência reduzida da ligação

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | TITAN N | 189


VALORES ESTÁTICOS | LIGAÇÃO DE CORTE F2/3 | MADEIRA-BETÃO
TCN200

F2/3

RESISTÊNCIA DO LADO DA MADEIRA


MADEIRA BETÃO

configuração fixação de furos Ø5 R2/3,k timber fixação de furos Ø13 IN(2) OUT(3)
sobre madeira(1) tipo ØxL nv Ø nH ey,IN ey,OUT
[mm] [pçs.] [kN] [mm] [pçs.] [mm] [mm]
pregos LBA Ø4,0 x 60 22,1 M12 2 38,5 70,0
• full pattern 30
parafusos LBS Ø5,0 x 50 26,5
pregos LBA Ø4,0 x 60 17,4
• pattern 4 25
parafusos LBS Ø5,0 x 50 20,4
pregos LBA Ø4,0 x 60 13,7
• pattern 3 20
parafusos LBS Ø5,0 x 50 16,0
pregos LBA Ø4,0 x 60 9,6
• pattern 2 15
parafusos LBS Ø5,0 x 50 11,2
pregos LBA Ø4,0 x 60 6,4
• pattern 1 10
parafusos LBS Ø5,0 x 50 7,5

RESISTÊNCIA DO LADO DO BETÃO


Valores de resistência de algumas das soluções de fixação possíveis para ancorantes instalados nos furos internos (IN) ou externos (OUT).

configuração fixação de furos Ø13 R2/3,d concrete


sobre betão tipo ØxL IN(2) OUT(3)
[mm] [kN] [kN]
VIN-FIX PRO 5.8 M12 x 130 29,7 24,4
VIN-FIX PRO 8.8 M12 x 130 48,1 39,1
• não fissurado
SKR-E 12 x 90 38,3 31,3
AB1 M12 x 100 35,4 28,9
VIN-FIX PRO 5.8 M12 x 130 29,7 24,4
VIN-FIX PRO 8.8 M12 x 130 35,1 28,9
• fissurado
SKR-E 12 x 90 34,6 28,4
AB1 M12 x 100 35,4 28,9
EPO-FIX PLUS 5.8/8.8 M12 x 130 19,2 15,7
• seismic SKR-E 12 x 90 8,8 7,2
AB1 M12 x 100 10,6 8,7

instalação tipo de ancorante tfix hef hnom h1 d0 hmin

tipo Ø x L [mm] [mm] [mm] [mm] [mm] [mm] [mm] t fix espessura da chapa fixada
VIN-FIX PRO hnom profundidade de inserção
M12 X 130 3 112 112 120 14 hef profundidade efectiva de ancoragem
EPO-FIX PLUS 5.8/8.8
TCN200 200 h 1 profundidade mínima do furo
SKR-E 12 x 90 3 64 87 110 10
d0 diâmetro do furo de betão
AB1 M12 x 100 3 70 80 85 12 hmin espessura mínima do betão
Barra roscada pré-cortada INA dotada de porca e anilha: consultar a pág. 520
Barra roscada MGS classe 8.8 para cortar à medida: consultar a pág. 534

NOTAS:
(1) (3)
Esquemas de fixação parcial (pattern) na pág. 192. Instalação dos ancorantes nos furos externos (OUT).
(2)
Instalação dos ancorantes nos furos internos (IN).

190 | TITAN N | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS


VALORES ESTÁTICOS | LIGAÇÃO DE CORTE F2/3 | MADEIRA-BETÃO
TCN240

F2/3

RESISTÊNCIA DO LADO DA MADEIRA


MADEIRA BETÃO

configuração fixação de furos Ø5 R2/3,k timber fixação de furos Ø17 IN(2) OUT(3)
sobre madeira(1) tipo ØxL nv Ø nH ey,IN ey,OUT
[mm] [pçs.] [kN] [mm] [pçs.] [mm] [mm]
pregos LBA Ø4,0 x 60 30,3 M16 2 39,5 80,5
• full pattern 36
parafusos LBS Ø5,0 x 50 36,3
pregos LBA Ø4,0 x 60 24,0
• pattern 4 30
parafusos LBS Ø5,0 x 50 28,2
pregos LBA Ø4,0 x 60 18,8
• pattern 3 24
parafusos LBS Ø5,0 x 50 22,1
pregos LBA Ø4,0 x 60 13,3
• pattern 2 18
parafusos LBS Ø5,0 x 50 15,6
pregos LBA Ø4,0 x 60 8,9
• pattern 1 12
parafusos LBS Ø5,0 x 50 10,4

RESISTÊNCIA DO LADO DO BETÃO


Valores de resistência de algumas das soluções de fixação possíveis para ancorantes instalados nos furos internos (IN) ou externos (OUT).

configuração fixação de furos Ø17 R2/3,d concrete


sobre betão tipo ØxL IN(2) OUT(3)
[mm] [kN] [kN]
VIN-FIX PRO 5.8 M16 x 160 55,8 43,9
VIN-FIX PRO 8.8 M16 x 160 90,1 70,9
• não fissurado
SKR-E 16 x 130 67,4 53,1
AB1 M16 x 145 67,4 53,1
VIN-FIX PRO 5.8/8.8 M16 x 160 55,0 43,2
• fissurado SKR-E 16 x 130 55,0 43,2
AB1 M16 x 145 55,0 43,2
EPO-FIX PLUS 5.8 M16 x 160 26,6 21,1
EPO-FIX PLUS 8.8 M16 x 160 28,1 21,9
• seismic
SKR-E 16 x 130 19,9 15,8
AB1 M16 x 145 19,9 15,8

instalação tipo de ancorante tfix hef hnom h1 d0 hmin

tipo Ø x L [mm] [mm] [mm] [mm] [mm] [mm] [mm] t fix espessura da chapa fixada
VIN-FIX PRO hnom profundidade de inserção
M16 x 160 3 137 137 145 18 hef profundidade efectiva de ancoragem
EPO-FIX PLUS 5.8/8.8
TCN240 200 h 1 profundidade mínima do furo
SKR-E 16 x 130 3 85 127 150 14
d0 diâmetro do furo de betão
AB1 M16 x 145 3 85 97 105 16 hmin espessura mínima do betão
Barra roscada pré-cortada INA dotada de porca e anilha: consultar a pág. 520
Barra roscada MGS classe 8.8 para cortar à medida: consultar a pág. 534

PRINCÍPIOS GERAIS:

Para os princípios gerais de cálculo, consultar a pág. 202.

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | TITAN N | 191


TCN200 - TCN240 | ESQUEMAS DE FIXAÇÃO PARCIAL PARA TENSÃO F2/3
Na presença de requisitos de projeto, tais como graus variáveis de tensão F2/3 ou na presença de uma camada intermédia HB (argamassa
de nivelamento, soleira ou viga horizontal) entre a parede e a superfície de apoio, é possível adotar esquemas de fixação parcial (pattern):

FULL PATTERN PATTERN 4 PATTERN 3 PATTERN 2 PATTERN 1

O Pattern 2 também se aplica no caso de tensões F4, F5 e F4/5.

ALTURA MÁXIMA DA CAMADA INTERMÉDIA HB

HB
HB

CLT C/GL
configuração
nv furos Ø5 [pça] HB max [mm] HB max [mm]
sobre madeira
pregos parafusos pregos parafusos
TCN200 TCN240
LBA Ø4 LBS Ø5 LBA Ø4 LBS Ø5
• full pattern 30 36 20 30 32 10
• pattern 4 25 30 30 40 42 20
• pattern 3 20 24 40 50 52 30
• pattern 2 15 18 50 60 62 40
• pattern 1 10 12 60 70 72 50
A altura da camada intermédia H B (argamassa de nivelamento, soleira ou viga horizontal de madeira) é determinada tendo em conta as seguintes exigências regula-
mentares para as fixações em madeira:
• CLT: distâncias mínimas de acordo com a ÖNORM EN 1995-1-1 (Anexo K) para pregos e com a ETA-11/0030 para parafusos.
• C/GL: distâncias mínimas para madeira maciça ou lamelada com fibras horizontais em conformidade com a norma EN 1995-1-1, de acordo com a ETA, consideran-
do uma massa volúmica dos elementos de madeira ρ k ≤ 420 kg/m3 .

TCN200 - TCN240 | VERIFICAÇÃO DOS ANCORANTES PARA BETÃO E TENSÃO F2/3


A fixação ao betão por meio de ancorantes deve ser verificada com base nas forças de tensão sobre os próprios ancorantes, determiná-
veis através dos parâmetros geométricos indicados na tabela (e).
As excentricidades de cálculo e y variam em função do tipo de instalação selecionada: 2 ancorantes internos (IN) ou 2 ancorantes
externos (OUT).

O grupo de ancorantes deve ser verificado quanto a:

VSd,x = F2/3,d
z
MSd,z = F2/3,d x ey,IN/OUT x y
F2/3
ey

192 | TITAN N | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS


VALORES ESTÁTICOS | LIGAÇÃO DE CORTE F4/5 - F5 - F4/5 | MADEIRA-BETÃO
TCN200 - TCN240
MADEIRA AÇO BETÃO
fixação de furos Ø5 R4,k timber R4,k steel fixação de furos IN(1)
F4 tipo ØxL nv Ø nH kt⊥ kt//
[mm] [pçs.] [kN] [kN] γsteel [mm] [pçs.]
pregos LBA Ø4,0 x 60
• full nailing 30 20,9 22,4 γM0
parafusos LBS Ø5,0 x 50
TCN200 M12 2 0,5 -
pregos LBA Ø4,0 x 60
• pattern 2 15 20,7 24,3 γM0
parafusos LBS Ø5,0 x 50
pregos LBA Ø4,0 x 60 F4 Fbolt,⊥
• full nailing 36 24,1 26,9 γM0
parafusos LBS Ø5,0 x 50
TCN240 M16 2 0,5 -
pregos LBA Ø4,0 x 60
• pattern 2 18 23,9 29,1 γM0
parafusos LBS Ø5,0 x 50
O grupo de 2 ancorantes deve ser verificado quanto a: VSd,y = 2 x kt⊥ x F4,d

MADEIRA AÇO BETÃO


fixação de furos Ø5 R5,k timber R5,k steel fixação de furos IN(1)
F5 tipo ØxL nv Ø nH kt⊥ kt//
[mm] [pçs.] [kN] [kN] γsteel [mm] [pçs.]
pregos LBA Ø4,0 x 60
• full pattern 30 6,6 2,7 γ M0 0,5 0,47
parafusos LBS Ø5,0 x 50
TCN200 M12 2
pregos LBA Ø4,0 x 60 Fbolt,//
• pattern 2 15 3,6 1,6 γ M0 0,5 0,83
parafusos LBS Ø5,0 x 50
pregos LBA Ø4,0 x 60 F5 Fbolt,⊥
• full pattern 36 8,0 3,3 γ M0 0,5 0,48
parafusos LBS Ø5,0 x 50
TCN240 M16 2
pregos LBA Ø4,0 x 60
• pattern 2 18 4,3 1,9 γ M0 0,5 0,83
parafusos LBS Ø5,0 x 50
O grupo de 2 ancorantes deve ser verificado quanto a: VSd,y = 2 x kt⊥ x F5,d; NSd,z = 2 x kt// x F5,d

MADEIRA AÇO BETÃO


fixação de furos Ø5 R4/5,k timber R4/5,k steel fixação de furos IN(1)
F4/5
tipo ØxL nv Ø nH kt⊥ kt//
DOIS ANGULARES
[mm] [pçs.] [kN] [kN] γsteel [mm] [pçs.]
pregos LBA Ø4,0 x 60
• full pattern 30 + 30 25,6 14,9 γ M0 0,41 0,08
parafusos LBS Ø5,0 x 50
TCN200 M12 2+2
pregos LBA Ø4,0 x 60
• pattern 2 15 + 15 22,4 20,9 γ M0 0,46 0,06
parafusos LBS Ø5,0 x 50
F4/5
pregos LBA Ø4,0 x 60
• full pattern 36 + 36 27,8 24,7 γ M0 0,43 0,06
parafusos LBS Ø5,0 x 50
TCN240 M16 2+2
pregos LBA Ø4,0 x 60
• pattern 2 18 + 18 25,2 30,6 γ M0 0,48 0,04
parafusos LBS Ø5,0 x 50
O grupo de 2 ancorantes deve ser verificado quanto a: VSd,y = 2 x kt⊥ x F4/5,d; NSd,z = 2 x kt// x F4/5,d

Os valores de F4, F5, F4/5 indicados na tabela são válidos para a ex- b F1 F1
F4/5
centricidade de cálculo da tensão de atuação e=0 (elementos de
madeira ligados à rotação). Para ligações com 2 angulares, caso a
e
tensão F4/5,d seja aplicada com excentricidade e≠0, é necessária a F4/5
verificação para cargas combinadas considerando o contributo do
componente adicional de tração:
e
ΔF1,d = F4/5,d
b

NOTAS: PRINCÍPIOS GERAIS:


(1)
Instalação dos ancorantes nos furos internos (IN). Para os princípios gerais de cálculo, consultar a pág. 202.

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | TITAN N | 193


VALORES ESTÁTICOS | LIGAÇÃO DE CORTE F2/3 |MADEIRA-BETÃO
TCN200 + TCW200

F2/3

RESISTÊNCIA DO LADO DA MADEIRA


MADEIRA BETÃO

configuração fixação de furos Ø5 R2/3,k timber fixação de furos Ø13 IN(1)


sobre madeira tipo ØxL nv Ø nH ey,IN ez,IN
[mm] [pçs.] [kN] [mm] [pçs.] [mm] [mm]
pregos LBA Ø4,0 x 60 56,7 M12 2 38,5 83,5
TCN200 + TCW200 30
parafusos LBS Ø5,0 x 50 66,4

RESISTÊNCIA DO LADO DO BETÃO


Valores de resistência de algumas das soluções de fixação possíveis em betão para ancorantes instalados nos furos internos (IN) com
WASHER.

configuração fixação de furos Ø13 R2/3,d concrete


sobre betão tipo ØxL IN(1)
[mm] [kN]
VIN-FIX PRO 5.8 M12 x 130 25,8
VIN-FIX PRO 8.8 M12 x 180 41,3
• não fissurado
SKR-E 12 x 110 17,4
AB1 M12 x 120 26,1
VIN-FIX PRO 5.8 M12 x 130 14,7
VIN-FIX PRO 5.8/8.8 M12 x 180 20,8
• fissurado
EPO-FIX PLUS 5.8 M12 x 130 25,8
AB1 M12 x 120 17,3
EPO-FIX PLUS 5.8 M12 x 180 10,8
• seismic
EPO-FIX PLUS 8.8 M12 x 180 12,4

instalação tipo de ancorante tfix hef hnom h1 d0 hmin

tipo Ø x L [mm] [mm] [mm] [mm] [mm] [mm] [mm]


t fix espessura da chapa fixada
VIN-FIX PRO M12 x 130 15 99 99 105 14 hnom profundidade de inserção
EPO-FIX PLUS 5.8/8.8 M12 x 180 15 149 149 149 14 hef profundidade efectiva de ancoragem
TCN200 + TCW200 200 h 1 profundidade mínima do furo
SKR-E 12 x 110 15 64 95 115 10
d0 diâmetro do furo de betão
AB1 M12 x 120 15 70 80 85 12 hmin espessura mínima do betão
Barra roscada pré-cortada INA dotada de porca e anilha: consultar a pág. 520
Barra roscada MGS classe 8.8 para cortar à medida: consultar a pág. 534

NOTAS:
(1)
Instalação dos ancorantes nos furos internos (IN).

194 | TITAN N | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS


VALORES ESTÁTICOS | LIGAÇÃO DE CORTE F2/3 |MADEIRA-BETÃO
TCN240 + TCW240

F2/3

RESISTÊNCIA DO LADO DA MADEIRA


MADEIRA BETÃO

configuração fixação de furos Ø5 R2/3,k timber fixação de furos Ø17 IN(1)


sobre madeira tipo ØxL nv Ø nH ey,IN ez,IN
[mm] [pçs.] [kN] [mm] [pçs.] [mm] [mm]
pregos LBA Ø4,0 x 60 70,5 M16 2 39,5 83,5
TCN240 + TCW240 36
parafusos LBS Ø5,0 x 50 82,6

RESISTÊNCIA DO LADO DO BETÃO


Valores de resistência de algumas das soluções de fixação possíveis em betão para ancorantes instalados nos furos internos (IN) com
WASHER.

configuração fixação de furos Ø17 R2/3,d concrete


sobre betão tipo ØxL IN(1)
[mm] [kN]
VIN-FIX PRO 5.8 M16 X 190 49,5
VIN-FIX PRO 8.8 M16 X 190 61,6
• não fissurado
SKR-E 16 X 130 32,1
AB1 M16 X 145 39,5
VIN-FIX PRO 5.8/8.8 M16 X 190 30,9
M16 X 160 40,1
• fissurado EPO-FIX PLUS 5.8/8.8
M16 X 190 49,1
AB1 M16 X 145 28,4
M16 X 190 15,2
EPO-FIX PLUS 5.8
M16 X 230 16,6
• seismic
M16 X 190 16,6
EPO-FIX PLUS 8.8
M16 X 230 21,0

instalação tipo de ancorante tfix hef hnom h1 d0 hmin

tipo Ø x L [mm] [mm] [mm] [mm] [mm] [mm] [mm]

M16 x 160 15 126 126 135 18 200 t fix espessura da chapa fixada
VIN-FIX PRO
M16 x 190 15 155 155 155 18 200 hnom profundidade de inserção
EPO-FIX PLUS 5.8/8.8
hef profundidade efectiva de ancoragem
TCN240 + TCW240 M16 x 230 15 195 195 195 18 240
h 1 profundidade mínima do furo
SKR-E 16 x 130 15 85 115 145 14 200
d0 diâmetro do furo de betão
AB1 M16 x 145 15 85 97 105 16 200 hmin espessura mínima do betão
Barra roscada pré-cortada INA dotada de porca e anilha: consultar a pág. 520
Barra roscada MGS classe 8.8 para cortar à medida: consultar a pág. 534

PRINCÍPIOS GERAIS:

Para os princípios gerais de cálculo, consultar a pág. 202.

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | TITAN N | 195


TCW200 - TCW240 | VERIFICAÇÃO DOS ANCORANTES PARA BETÃO E TENSÃO F2/3

A fixação ao betão por meio de ancorantes deve ser verificada com base nas forças de tensão sobre os próprios ancorantes, determináveis
através dos parâmetros geométricos indicados na tabela (e).
As excentricidades de cálculo ey e ez referem-se à instalação com WASHER TCW de 2 ancorantes internos (IN).

O grupo de ancorantes deve ser verificado quanto a:


VSd,x = F2/3,d
MSd,z = F2/3,d x ey,IN
MSd,y = F2/3,d x ez,IN F2/3

z
ez x y

ey

TCW200 - TCW240 | RIGIDEZ DA LIGAÇÃO PARA TENSÃO F2/3


AVALIAÇÃO DO MÓDULO DE DESLIZAMENTO K2/3,ser

• K 2/3,ser experimental médio para a ligação TITAN em CLT (Cross Laminated Timber) de acordo com a ETA-11/0496

tipo de fixação nv K 2/3,ser


tipo
Ø x L [mm] [pçs.] [mm]

parafusos LBS
TCN200 + TCW200 30 9600
Ø5,0 x 50
parafusos LBS
TCN240 + TCW240 36 10000
Ø5,0 x 50

• Kser de acordo com a EN 1995-1-1 para parafusos em ligações madeira-madeira* GL24h/C24

Parafusos (pregos sem pré-furo) ρm d


1,5 0,8
(EN 1995 §7.1)
30

tipo de fixação nv Kser


tipo
Ø x L [mm] [pçs.] [mm]

parafusos LBS
TCN200 + TCW200 30 31192
Ø5,0 x 50
parafusos LBS
TCN240 + TCW240 36 37431
Ø5,0 x 50
* Em ligações aço-madeira, a norma aplicável indica a possibilidade de duplicar o valor de Kser indicado na
tabela (7.1 (3)).

196 | TITAN N | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS


VALORES ESTÁTICOS | LIGAÇÃO DE TRAÇÃO F1 | MADEIRA-BETÃO
TCN200 + TCW200

F1

RESISTÊNCIA DO LADO DA MADEIRA


MADEIRA AÇO BETÃO

configuração fixação de furos Ø5 R1,k timber R1,k steel fixação de furos Ø13 IN(1)
sobre madeira tipo ØxL nv Ø nH kt//
[mm] [pçs.] [kN] [kN] γsteel [mm] [pçs.] [mm]
pregos LBA Ø4,0 x 60 57,9 M12 2 1,09
TCN200 + TCW200 30 45,7 γ M0
parafusos LBS Ø5,0 x 50 68,1

RESISTÊNCIA DO LADO DO BETÃO


Valores de resistência de algumas das soluções de fixação possíveis em betão para ancorantes instalados nos furos internos (IN) com
WASHER.

configuração fixação de furos Ø13 R1,d concrete


sobre betão tipo ØxL IN(1)
[mm] [kN]
VIN-FIX PRO 5.8/8.8 M12 x 180 22,1
EPO-FIX PLUS 5.8/8.8 M12 x 130 23,1
• não fissurado
EPO-FIX PLUS 5.8 M12 x 180 25,4
EPO-FIX PLUS 8.8 M12 x 180 37,6
VIN-FIX PRO 5.8/8.8 M12 x 180 10,6
• fissurado M12 x 130 12,9
EPO-FIX PLUS 5.8/8.8
M12 x 180 19,7
M12 x 180 8,1
• seismic EPO-FIX PLUS 5.8/8.8
M12 x 230 10,9

instalação tipo de ancorante tfix hef hnom h1 d0 hmin


t fix espessura da chapa fixada
tipo Ø x L [mm] [mm] [mm] [mm] [mm] [mm] [mm] hnom profundidade de inserção
M12 x 130 15 95 95 100 14 200 hef profundidade efectiva de ancoragem
VIN-FIX PRO h 1 profundidade mínima do furo
TCN200 + TCW200 M12 x 180 15 145 145 150 14 200
EPO-FIX PLUS 5.8/8.8 d0 diâmetro do furo de betão
M12 x 230 15 195 195 195 14 240 hmin espessura mínima do betão
Barra roscada pré-cortada INA dotada de porca e anilha: consultar a pág. 520
Barra roscada MGS classe 8.8 para cortar à medida: consultar a pág. 534

NOTAS: PRINCÍPIOS GERAIS:


(1)
Instalação dos ancorantes nos furos internos (IN). Para os princípios gerais de cálculo, consultar a pág. 202.

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | TITAN N | 197


VALORES ESTÁTICOS | LIGAÇÃO DE TRAÇÃO F1 | MADEIRA-BETÃO
TCN240 + TCW240

F1

RESISTÊNCIA DO LADO DA MADEIRA


MADEIRA AÇO BETÃO

configuração fixação de furos Ø5 R1,k timber R1,k steel fixação de furos Ø17 IN(1)
sobre madeira tipo ØxL nv Ø nH kt//
[mm] [pçs.] [kN] [kN] γsteel [mm] [pçs.] [mm]
pregos LBA Ø4,0 x 60 69,5 M16 2 1,08
TCN240 + TCW240 36 68,9 γ M0
parafusos LBS Ø5,0 x 50 81,7

RESISTÊNCIA DO LADO DO BETÃO

Valores de resistência de algumas das soluções de fixação possíveis em betão para ancorantes instalados nos furos internos (IN) com
WASHER.

configuração fixação de furos Ø17 R1,d concrete


sobre betão tipo ØxL IN(1)
[mm] [kN]
M16 x 190 28,2
VIN-FIX PRO 5.8/8.8
M16 x 230 35,8
• não fissurado
M16 x 160 34,1
EPO-FIX PLUS 5.8/8.8
M16 x 190 41,4
M16 x 190 14,5
VIN-FIX PRO 5.8/8.8
M16 x 230 18,3
• fissurado
M16 x 190 23,7
EPO-FIX PLUS 5.8/8.8
M16 x 230 30,0
M16 x 190 10,4
• seismic EPO-FIX PLUS 5.8/8.8
M16 x 230 13,2

instalação tipo de ancorante tfix hef hnom h1 d0 hmin


t fix espessura da chapa fixada
tipo Ø x L [mm] [mm] [mm] [mm] [mm] [mm] [mm] hnom profundidade de inserção
M16 x 160 15 126 126 126 18 200 hef profundidade efectiva de ancoragem
VIN-FIX PRO h 1 profundidade mínima do furo
TCN240 + TCW200 EPO-FIX PLUS M16 x 190 15 155 155 155 18 200
5.8/8.8 d0 diâmetro do furo de betão
M16 x 230 15 195 195 195 18 240 hmin espessura mínima do betão
Barra roscada pré-cortada INA dotada de porca e anilha: consultar a pág. 520
Barra roscada MGS classe 8.8 para cortar à medida: consultar a pág. 534

NOTAS: PRINCÍPIOS GERAIS:


(1)
Instalação dos ancorantes nos furos internos (IN). Para os princípios gerais de cálculo, consultar a pág. 202.

198 | TITAN N | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS


TCW200 - TCW240 | VERIFICAÇÃO DOS ANCORANTES PARA BETÃO E TENSÃO F1

A fixação ao betão por meio de ancorantes deve ser verificada com base nas forças de tensão sobre os próprios ancorantes, determináveis
através dos parâmetros geométricos indicados na tabela (kt).
No caso de instalação sobre betão com WASHER TCW, devem ser assegurados 2 ancorantes internos (IN).

O grupo de ancorantes deve ser verificado quanto a:


NSd,z = 2 x kt// x F1,d

2kt x F1 x
z
y

TCW200 - TCW240 | RIGIDEZ DA LIGAÇÃO PARA TENSÃO F1

AVALIAÇÃO DO MÓDULO DE DESLIZAMENTO K1,ser

• K 1,ser experimental médio para a ligação TITAN em CLT (Cross Laminated Timber) C24

tipo tipo de fixação nv K 1,ser

Ø x L [mm] [pçs.] [N/mm]

TCN200 + TCW200 - - -

pregos LBA
TCN240 + TCW240 36 28455
Ø4,0 x 60

• Kser de acordo com a EN 1995-1-1 para pregos em ligações madeira-madeira* GL24h/C24

Pregos (sem pré-furo) ρm


1,5
d0,8 (EN 1995 § 7.1)
30

tipo tipo de fixação nv Kser

Ø x L [mm] [pçs.] [N/mm]


pregos LBA
TCN200 (+ TCW200) 30 26093
Ø4,0 x 60
pregos LBA
TCN240 (+ TCW240) 36 31311
Ø4,0 x 60

* Em ligações aço-madeira, a norma aplicável indica a possibilidade de duplicar o valor de Kser indicado na
tabela (7.1 (3))

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | TITAN N | 199


VALORES ESTÁTICOS | LIGAÇÃO DE CORTE F2/3 | MADEIRA-MADEIRA
TTN240

F2/3 F2/3

MADEIRA

configuração fixação de furos Ø5 perfil(2) R2/3,k timber


sobre madeira(1) tipo ØxL nv nH s
[mm] [pçs.] [pçs.] [mm] [kN]
pregos LBA Ø4,0 x 60 37,9
TTN240 36 36 -
parafusos LBS Ø5,0 x 50 46,7
pregos LBA Ø4,0 x 60 24,8
TTN240 + XYLOFON 36 36 6
parafusos LBS Ø5,0 x 50 22,8
pregos LBA Ø4,0 x 60 28,9
TTN240 + ALADIN STRIPE SOFT 36 36 5
parafusos LBS Ø5,0 x 50 27,5
pregos LBA Ø4,0 x 60 27,5
TTN240 + ALADIN STRIPE EXTRA SOFT 36 36 7
parafusos LBS Ø5,0 x 50 25,8

VALORES ESTÁTICOS | LIGAÇÃO DE TRAÇÃO F1 | MADEIRA-MADEIRA


TTN240
F1

MADEIRA
fixação de furos Ø5 R1,k timber
tipo ØxL nv nH
[mm] [pçs.] [pçs.] [kN]
pregos LBA Ø4,0 x 60 7,4
TTN240 36 36
parafusos LBS Ø5,0 x 50 16,2

NOTAS:
(1) (2)
O angular TTN240 pode ser instalado em combinação com diferentes perfis Espessura do perfil: no caso do perfil tipo ALADIN, no cálculo foi consi-
acústicos resilientes inseridos abaixo da flange horizontal na configuração de derada a espessura reduzida, devido à secção ondulada e ao consequente
full pattern. Os valores de resistência indicados na tabela são apresentados esmagamento induzido pela cabeça do prego durante a inserção.
na ETA-11/0496 e são calculados de acordo com “Blaß, H.J. und Laskewitz,
B. (2000); Load-Carrying Capacity of Joints with Dowel-Type fasteners and
Interlayers.", desconsiderando cautelosamente a rigidez do perfil.

200 | TITAN N | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS


VALORES ESTÁTICOS | LIGAÇÃO DE CORTE F4 - F5 - F4/5 | MADEIRA-MADEIRA
TTN240

MADEIRA AÇO
fixação de furos Ø5 R4,k timber R4,k steel
F4 tipo ØxL nv
[mm] [pçs.] [kN] [kN] γsteel F4
pregos LBA Ø4,0 x 60
TTN240 • full pattern 36 + 36 23,8 31,1 γM0
parafusos LBS Ø5,0 x 50

MADEIRA AÇO
fixação de furos Ø5 R5,k timber R5,k steel
F5 tipo ØxL nv
[mm] [pçs.] [kN] [kN] γsteel F5
pregos LBA Ø4,0 x 60
TTN240 • full pattern 36 + 36 7,3 3,4 γM0
parafusos LBS Ø5,0 x 50

MADEIRA AÇO
fixação de furos Ø5 R4/5,k timber R4/5,k steel
F4/5
tipo ØxL nv
DOIS ANGULARES
[mm] [pçs.] [kN] [kN] γsteel F4/5
pregos LBA Ø4,0 x 60
TTN240 • full pattern 72 + 72 26,7 31,6 γM0
parafusos LBS Ø5,0 x 50

Os valores de F4, F5, F4/5 indicados na tabela são válidos para a b F1 F1


F4/5
excentricidade de cálculo da tensão de atuação e=0 (elementos
de madeira ligados à rotação). Para ligações com 2 angulares,
caso a tensão F4/5,d seja aplicada com excentricidade e≠0, é ne- e
F4/5
cessária a verificação para cargas combinadas considerando o
contributo do componente adicional de tração:
e
ΔF1,d = F4/5,d
b

PRINCÍPIOS GERAIS:

Para os princípios gerais de cálculo, consultar a pág. 202.

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | TITAN N | 201


PRINCÍPIOS GERAIS:

• Os valores característicos são conforme a norma EN 1995-1-1, de acordo • Na fase de cálculo, foi considerada uma classe de resistência do betão
com ETA-11/0496. Os valores de projeto dos ancorantes para betão são C25/30 com armação rara, na ausência de entre-eixos e distâncias da bor-
calculados de acordo com as respetivas Avaliações Técnicas Europeias (ver da e espessura mínima indicada nas tabelas que mostram os parâmetros de
capítulo 6 ANCORANTES PARA BETÃO). Os valores de resistência de projeto instalação dos ancorantes utilizados. Os valores de resistência são válidos
da ligação são obtidos a partir dos valores indicados na tabela, desta forma: para as hipóteses de cálculo definidas na tabela; para condições de con-
torno diferentes das indicadas na tabela (por ex., distâncias mínimas das
Rk, timber kmod bordas ou espessura de betão diferente), os ancorantes do lado do betão
podem ser verificados utilizando o software de cálculo MyProject de acor-
γM do com as necessidades do projeto.
Rd = min Rk, steel • Projetação sísmica na categoria de desempenho C2, sem requisitos de
γsteel ductilidade nos ancorantes (opção a2) projetação elástica de acordo com a
EOTA TR045. Para ancorantes químicos sujeitos a tensão de corte, parte-se
Rd, concrete do princípio de que o espaço anular entre o ancorante e o furo da chapa

esteja preenchido (α gap=1).
Rv,k timber kmod Os coeficientes kmod, γ M e γ steel devem ser considerados em função da nor-
ma vigente utilizada para o cálculo.
• A dimensão e a verificação dos elementos de madeira e de betão devem ser
feitas à parte. É recomendável verificar a ausência de ruturas frágeis antes
da resistência da ligação ser atingida.
• Os elementos estruturais de madeira, aos quais os dispositivos de ligação
estão fixados, devem ser ligados à rotação.
• Em fase de cálculo, considerou-se uma massa volúmica dos elementos de
madeira equivalente a ρ k = 350 kg/m3 . Para valores de ρ k superiores, as re-
sistências do lado da madeira podem ser convertidas através do valor kdens:
ρk 0,5
kdens = for 350 kg/m3 ≥ ρk ≥ 420 kg/m3
350
ρk 0,5
kdens = for LVL with ρk ≥ 500 kg/m3
350

202 | TITAN N | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS


TITAN S ETA 11/0496

ANGULAR PARA FORÇAS DE CORTE E TRAÇÃO

FUROS PARA HBS PLATE


A fixação com parafusos HBS PLATE Ø8 mm usando um aparafusador
facilita e agiliza a instalação e permite trabalhar em condições de segu-
rança e conforto.

85 kN DE CORTE
Excecional resistência ao corte. Até 85,9 kN em betão (com anilha TCW).
Até 60,0 kN em madeira.

75 kN DE TRAÇÃO
Em betão, o angular TCN com anilha TCW garante uma excelente resis-
tência à tração. R1,k até 75,9 kN característicos.

CARATERÍSTICAS
FOCUS ligações de corte e tração
ALTURA 130 mm
ESPESSURA 3,0 mm
FIXAÇÕES HBS PLATE, VIN-FIX PRO, EPO-FIX PLUS, SKR, AB1

MATERIAL
Chapa tridimensional furada de aço carbónico
com eletrogalvanização.

CAMPOS DE APLICAÇÃO
Ligações de corte e tração madeira-betão e ma-
deira-madeira para painéis e vigas de madeira
• CLT, LVL
• madeira maciça e lamelar
• estrutura de armação (platform frame)
• painéis à base de madeira

204 | TITAN S | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS


CONFORTO
A fixação dos angulares com poucos parafu-
sos HBS PLATE Ø8 agiliza a colocação e au-
menta o conforto do operador.

TODAS AS DIREÇÕES
Resistências certificadas ao corte (F2,3), à tra-
ção (F1) e à inclinação (F4,5). Valores certificados
também com perfis acústicos interpostos.

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | TITAN S | 205


CÓDIGOS E DIMENSÕES
TITAN S - TCS | LIGAÇÕES BETÃO-MADEIRA

CÓDIGO B P H furos nv Ø11 s pçs H

[mm] [mm] [mm] [mm] [pçs.] [mm]


TCS240 240 123 130 4 x Ø17 14 3 10

P B

TITAN WASHER - TCW240 | LIGAÇÕES BETÃO-MADEIRA

CÓDIGO B P s furos pçs

[mm] [mm] [mm] [mm]


TCW240 230 73 12 Ø18 1 s

P B

TITAN S - TTS | LIGAÇÕES MADEIRA-MADEIRA

CÓDIGO B P H nH Ø11 nv Ø11 s pçs


H
[mm] [mm] [mm] [pçs.] [pçs.] [mm]
TTS240 240 130 130 14 14 3 10

P B

PERFIS ACÚSTICOS | LIGAÇÕES MADEIRA-MADEIRA

CÓDIGO tipo B P s pçs

[mm] [mm]
XYL35120240 xylofon plate 240 mm 120 6 10
ALADIN95 soft 50 m(*) 95 5 10 s
ALADIN115 extra soft 50 m(*) 115 7 10 P B
(*) A cortar no estaleiro

HBS PLATE

CÓDIGO d1 L b TX pçs d1

[mm] [mm] [mm] L

HBSP880 8 80 55 TX40 100

MATERIAL E DURABILIDADE FORÇAS


TITAN S: aço carbónico DX51D+Z275.
TITAN WASHER: aço carbónico S235
com eletrogalvanização. F1
Utilização em classes de serviço 1 e 2 (EN 1995-1-1).

XYLOFON PLATE: mistura poliuretânica de 35 shore. F1


F2 F3 F5 F4
ALADIN STRIPE: EPDM compacto.


CAMPOS DE EMPREGO
• Ligações madeira-betão
• Ligações madeira-madeira
• Ligações madeira-aço

206 | TITAN S | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS


PRODUTOS ADICIONAIS - FIXAÇÕES
tipo descrição d suporte pág.

[mm]
HBS PLATE parafuso de cabeça troncocónica d1 8 556
L

AB1 ancorante mecânico 16 494

SKR ancorante parafusável d1 16 488


VIN-FIX PRO ancorante químico L M16 511
EPO-FIX PLUS ancorante químico M16 517

GEOMETRIA
TCS240 TCW240 TTS240

Ø11 50 20 3 Ø11 50 20 3

20 20
37
30 73 Ø18 30
130 30 36 130 30

50 230 50
3 12 3
34 162 34
240 240

41 50
123 41 130 30
Ø17
41 30
20

39 162 39 Ø11 50 20

INSTALAÇÃO SOBRE BETÃO


O TITAN TCS deve ser fixado no betão através de 2 ancorantes , de acordo com uma das seguintes modalidades de instalação, dependen-
do da tensão de atuação.

INSTALAÇÃO INSTALAÇÃO INSTALAÇÃO


IDEAL ALTERNATIVA COM WASHER

2 ancorantes posicionados nos 2 ancorantes posicionados nos A fixação com WASHER TCW deve
FUROS INTERNOS (IN) FUROS EXTERNOS (OUT) ser efetuada com 2 ancorantes posi-
(indicados pelo molde no produto) (por ex., interação entre o ancorante cionados nos FUROS INTERNOS (IN)
e a armação do suporte de betão)

Tensão reduzida no ancorante Tensão máxima no ancorante (ex-


(excentricidade ey e kt mínimos) centricidade ey e kt máximos)

Resistência da ligação optimizada Resistência reduzida da ligação

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | TITAN S | 207


VALORES ESTÁTICOS | LIGAÇÃO DE CORTE F2/3 |MADEIRA-BETÃO
TCS240

F2/3

RESISTÊNCIA DO LADO DA MADEIRA


MADEIRA BETÃO

configuração fixação de furos Ø11 R2/3,k timber fixação de furos Ø17 IN(1) OUT(2)
sobre madeira tipo ØxL nv Ø nH ey,IN ey,OUT
[mm] [pçs.] [kN] [mm] [pçs.] [mm] [mm]
TCS240 HBS PLATE Ø8,0 x 80 14 70,3 M16 2 39,5 80,5

RESISTÊNCIA DO LADO DO BETÃO


Valores de resistência de algumas das soluções de fixação possíveis para ancorantes instalados nos furos internos (IN) ou externos (OUT).

configuração fixação de furos Ø17 R2/3,d concrete


sobre betão tipo ØxL IN(1) OUT(2)
[mm] [kN] [kN]
VIN-FIX PRO 5.8 M16 x 160 55,8 43,9
VIN-FIX PRO 8.8 M16 x 160 90,1 70,9
• não fissurado
SKR-E 16 x 130 67,4 53,1
AB1 M16 x 145 67,4 53,1
VIN-FIX PRO 5.8/8.8 M16 x 160 55,0 43,2
• fissurado SKR-E 16 x 130 55,0 43,2
AB1 M16 x 145 55,0 43,2
EPO-FIX PLUS 5.8 M16 x 160 26,6 21,1
M16 x 160 28,1 21,9
• seismic
EPO-FIX PLUS 8.8 M16 x 190 33,8 26,7
M16 x 230 42,1 33,2

instalação tipo de ancorante tfix hef hnom h1 d0 hmin

tipo Ø x L [mm] [mm] [mm] [mm] [mm] [mm] [mm]

VIN-FIX PRO
M16 x 160 3 137 137 145 18 200
EPO-FIX PLUS 5.8/8.8
t fix espessura da chapa fixada
M16 x 190 3 164 164 170 18 200 hnom profundidade de inserção
TCS240 EPO-FIX PLUS 8.8
M16 x 230 3 204 204 210 18 240 hef profundidade efectiva de ancoragem
h 1 profundidade mínima do furo
SKR-E 16 x 130 3 85 127 150 14 200
d 0 diâmetro do furo de betão
AB1 M16 x 145 3 85 97 105 16 200 hmin espessura mínima do betão
Barra roscada pré-cortada INA dotada de porca e anilha: consultar a pág. 520
Barra roscada MGS classe 8.8 para cortar à medida: consultar a pág. 534

NOTAS:
(1)
Instalação dos ancorantes nos furos internos (IN).
(2)
Instalação dos ancorantes nos furos externos (OUT).

208 | TITAN S | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS


TCS240 | VERIFICAÇÃO DOS ANCORANTES PARA BETÃO E TENSÃO | F2/3
A fixação ao betão por meio de ancorantes deve ser verificada com base nas forças de tensão sobre os próprios ancorantes, determináveis
através dos parâmetros geométricos indicados na tabela (e).
As excentricidades de cálculo ey variam em função do tipo de instalação selecionada: 2 ancorantes internos (IN) ou 2 ancorantes externos (OUT).

O grupo de ancorantes deve ser verificado quanto a:


VSd,x = F2/3,d
MSd,z = F2/3,d x ey,IN/OUT

z
x y

F2/3
ey

VALORES ESTÁTICOS | LIGAÇÃO DE CORTE F4/5 - F5 - F4/5 | MADEIRA-BETÃO


TCS240

MADEIRA AÇO BETÃO


fixação de furos Ø11 R4,k timber R4,k steel fixação de furos IN(1) F4 Fbolt,⊥

F4 tipo ØxL nv Ø nH kt⊥ kt//


[mm] [pçs.] [kN] [kN] γsteel [mm] [pçs.]
TCS240 HBS PLATE Ø8,0 x 80 14 21,1 18,1 γM0 M16 2 0,5 -
O grupo de 2 ancorantes deve ser verificado quanto a: VSd,y = 2 x kt⊥ x F4,d

Fbolt,//
MADEIRA AÇO BETÃO
fixação de furos Ø11 R5,k timber R5,k steel fixação de furos IN(1) F5 Fbolt,⊥

F5 tipo ØxL nv Ø nH kt⊥ kt//


[mm] [pçs.] [kN] [kN] γsteel [mm] [pçs.]
TCS240 HBS PLATE Ø8,0 x 80 14 17,1 4,3 γM0 M16 2 0,5 0,36
O grupo de 2 ancorantes deve ser verificado quanto a: VSd,y = 2 x kt⊥ x F5,d; NSd,z = 2 x kt// x F5,d

MADEIRA AÇO BETÃO


F4/5
fixação de furos Ø11 R4/5,k timber R4/5,k steel fixação de furos IN(1)
F4/5
tipo ØxL nv Ø nH kt⊥ kt//
DOIS ANGULARES
[mm] [pçs.] [kN] [kN] γsteel [mm] [pçs.]
TCS240 HBS PLATE Ø8,0 x 80 14 + 14 27,4 18,8 γM0 M16 2+2 0,39 0,08
O grupo de 2 ancorantes deve ser verificado quanto a: VSd,y = 2 x kt⊥ x F4/5,d; NSd,z = 2 x kt// x F4/5,d

Os valores de F4, F5, F4/5 indicados na tabela são válidos para a ex-
F4/5 b F1 F1
centricidade de cálculo da tensão de atuação e=0 (elementos de
madeira ligados à rotação). Para ligações com 2 angulares, caso a
tensão F4/5,d seja aplicada com excentricidade e≠0, é necessária a e
verificação para cargas combinadas considerando o contributo do F4/5
componente adicional de tração:
e
ΔF1,d = F4/5,d
b

PRINCIPI GENERALI:

Per i principi generali di calcolo si rimanda a pag. 216.

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | TITAN S | 209


VALORES ESTÁTICOS | LIGAÇÃO DE CORTE F2/3 |MADEIRA-BETÃO
TCS240 + TCW240

F2/3

RESISTÊNCIA DO LADO DA MADEIRA


MADEIRA BETÃO

configuração fixação de furos Ø11 R2/3,k timber fixação de furos Ø17 IN(1)
sobre madeira tipo ØxL nv Ø nH ey,IN ez,IN
[mm] [pçs.] [kN] [mm] [pçs.] [mm] [mm]

TCS240 + TCW240 HBS PLATE Ø8,0 x 80 14 85,9 M16 2 39,5 78,5

RESISTÊNCIA DO LADO DO BETÃO


Valores de resistência de algumas das soluções de fixação possíveis em betão para ancorantes instalados nos furos internos (IN) com
WASHER.

configuração fixação de furos Ø17 R2/3,d concrete


sobre betão tipo ØxL IN(1)
[mm] [kN]
VIN-FIX PRO 5.8 M16 x 190 50,4
VIN-FIX PRO 8.8 M16 x 190 64,7
• não fissurado
SKR-E 16 x 130 33,9
AB1 M16 x 145 41,6
VIN-FIX PRO 5.8/8.8 M16 x 190 32,3
M16 x 160 41,7
• fissurado EPO-FIX PLUS 5.8/8.8
M16 x 190 50,4
AB1 M16 x 145 29,6
M16 x 190 15,7
EPO-FIX PLUS 5.8
M16 x 230 17,1
• seismic
M16 x 190 17,3
EPO-FIX PLUS 8.8
M16 x 230 21,7

instalação tipo de ancorante tfix hef hnom h1 d0 hmin

tipo Ø x L [mm] [mm] [mm] [mm] [mm] [mm] [mm]

M16 x 160 15 126 126 135 18 200


VIN-FIX PRO t fix espessura da chapa fixada
M16 x 190 15 155 155 155 18 200 hnom profundidade de inserção
EPO-FIX PLUS 5.8/8.8
TCS240 + TCW240 M16 x 230 15 195 195 195 18 240 hef profundidade efectiva de ancoragem
h 1 profundidade mínima do furo
SKR-E 16 x 130 15 85 115 145 14 200
d0 diâmetro do furo de betão
AB1 M16 x 145 15 85 97 105 16 200 hmin espessura mínima do betão
Barra roscada pré-cortada INA dotada de porca e anilha: consultar a pág. 520
Barra roscada MGS classe 8.8 para cortar à medida: consultar a pág. 534

NOTAS:
(1)
Instalação dos ancorantes nos furos internos (IN).
(2)
Instalação dos ancorantes nos furos externos (OUT).

210 | TITAN S | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS


TCW240 | VERIFICAÇÃO DOS ANCORANTES PARA BETÃO E TENSÃO F2/3
A fixação ao betão por meio de ancorantes deve ser verificada com base nas forças de tensão sobre os próprios ancorantes, determináveis
através dos parâmetros geométricos indicados na tabela (e).
As excentricidades de cálculo ey e ez referem-se à instalação com WASHER TCW de 2 ancorantes internos (IN).

O grupo de ancorantes deve ser verificado quanto a:


VSd,x = F2/3,d
MSd,z = F2/3,d x ey,IN
MSd,y = F2/3,d x ez,IN
F2/3

z
ez x y

ey

TCS240 - TCW240 | RIGIDEZ DA LIGAÇÃO PARA TENSÃO | F2/3

AVALIAÇÃO DO MÓDULO DE DESLIZAMENTO K2/3,ser

• K 2/3,ser experimental médio para a ligação TITAN em CLT (Cross Laminated Timber)
de acordo com a ETA-11/0496

tipo tipo de fixação nv K 2/3,ser

Ø x L [mm] [pçs.] [N/mm]

HBS PLATE
TCS240 14 8200
Ø8,0 x 80

HBS PLATE
TCS240 + TCW240 14 8600
Ø8,0 x 80

• Kser de acordo com a EN 1995-1-1 para parafusos em ligações madeira-madeira*


C24/GL24h

ρm1,5 d0,8
Parafusos (pregos sem pré-furo) (EN 1995 § 7.1)
30

tipo tipo de fixação nv Kser

Ø x L [mm] [pçs.] [N/mm]

HBS PLATE
TCS240 (+ TCW240) 14 21201
Ø8,0 x 80

* Em ligações aço-madeira, a norma aplicável indica a possibilidade de duplicar o valor de Kser indicado na
tabela (7.1 (3)).

PRINCÍPIOS GERAIS:

Para os princípios gerais de cálculo, consultar a pág. 216.

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | TITAN S | 211


VALORES ESTÁTICOS | LIGAÇÃO DE TRAÇÃO F1 | MADEIRA-BETÃO
TCS240 + TCW240

F1 F1

HB

FULL PATTERN PARTIAL PATTERN(1)

RESISTÊNCIA DO LADO DA MADEIRA


MADEIRA AÇO BETÃO

configuração fixação de furos Ø11 R1,k timber R1,k steel fixação de furos Ø17 IN(2)
sobre madeira tipo ØxL nv Ø nH kt//
[mm] [pçs.] [kN] [kN] γsteel [mm] [pçs.] [mm]
full pattern HBS PLATE Ø8,0 x 80 14 - 75,9
TCS240 + TCW240 γ M0 M16 2 1,08
partial pattern HBS PLATE Ø8,0 x 80 9 33,9 75,9

RESISTÊNCIA DO LADO DO BETÃO


Valores de resistência de algumas das soluções de fixação possíveis em betão para ancorantes instalados nos furos internos (IN) com
WASHER.

configuração fixação de furos Ø17 R1,d concrete


sobre betão tipo ØxL IN(2)
[mm] [kN]
M16 x 190 28,2
VIN-FIX PRO 5.8/8.8
M16 x 230 35,8
• não fissurado
M16 x 160 34,1
EPO-FIX PLUS 5.8/8.8
M16 x 190 41,4
M16 x 190 14,5
VIN-FIX PRO 5.8/8.8
M16 x 230 18,3
• fissurado
M16 x 190 23,7
EPO-FIX PLUS 5.8/8.8
M16 x 230 30,0
M16 x 190 10,4
• seismic EPO-FIX PLUS 5.8/8.8
M16 x 230 13,2

instalação tipo de ancorante tfix hef hnom h1 d0 hmin


t fix espessura da chapa fixada
tipo Ø x L [mm] [mm] [mm] [mm] [mm] [mm] [mm] hnom profundidade de inserção
M16 x 160 15 126 126 126 18 200 hef profundidade efectiva de ancoragem
VIN-FIX PRO h 1 profundidade mínima do furo
TCS240 + TCW240 M16 x 190 15 155 155 155 18 200
EPO-FIX PLUS 5.8/8.8 d0 diâmetro do furo de betão
M16 x 230 15 195 195 195 18 240 hmin espessura mínima do betão
Barra roscada pré-cortada INA dotada de porca e anilha: consultar a pág. 520
Barra roscada MGS classe 8.8 para cortar à medida: consultar a pág. 534

NOTAS:
(1) (2)
Na presença de requisitos de projeto, tais como graus variáveis de tensão F1 Instalação dos ancorantes nos furos internos (IN).
ou na presença de uma camada intermédia H B entre a parede e a superfície
da apoio, é possível adotar a fixação parcial com H B ≤ 32 mm para aplica-
ções em painéis CLT.

212 | TITAN S | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS


TCW200 - TCW240 | VERIFICAÇÃO DOS ANCORANTES PARA BETÃO E TENSÃO | F1

A fixação ao betão por meio de ancorantes deve ser verificada com base nas forças de tensão sobre os próprios ancorantes, determináveis
através dos parâmetros geométricos indicados na tabela (kt).
No caso de instalação sobre betão com WASHER TCW, devem ser assegurados 2 ancorantes internos (IN).

O grupo de ancorantes deve ser verificado quanto a:


NSd,z = 2 x kt// x F1,d

2kt x F1 x
z
y

TCW240 | RIGIDEZ DA LIGAÇÃO PARA TENSÃO F1

AVALIAÇÃO DO MÓDULO DE DESLIZAMENTO K1,ser

• K 1,ser experimental médio para a ligação TITAN em CLT (Cross Laminated Timber)
de acordo com a ETA-11/0496

tipo tipo de fixação nv K 1,ser

Ø x L [mm] [pçs.] [N/mm]

HBS PLATE
TCS240 + TCW240 14 11500
Ø8,0 x 80

• Kser de acordo com a EN 1995-1-1 para parafusos em ligações madeira-madeira*


C24/GL24h

ρm1,5 d0,8
Parafusos (pregos sem pré-furo) (EN 1995 § 7.1)
30
tipo tipo de fixação nv Kser

Ø x L [mm] [pçs.] [N/mm]

HBS PLATE
TCS240 + TCW240 14 21201
Ø8,0 x 80

* Em ligações aço-madeira, a norma aplicável indica a possibilidade de duplicar o valor de Kser indicado
na tabela (7.1 (3)).

PRINCÍPIOS GERAIS:

Para os princípios gerais de cálculo, consultar a pág. 216.

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | TITAN S | 213


VALORES ESTÁTICOS | LIGAÇÃO DE CORTE F2/3 | MADEIRA-MADEIRA
TTS240

F2/3 F2/3

MADEIRA

configuração fixação de furos Ø11 perfil(2) R2/3,k timber


sobre madeira(1) tipo ØxL nv nH s
[mm] [pçs.] [pçs.] [mm] [kN]

TTS240 HBS PLATE Ø8,0 x 80 14 14 - 60,0

TTS240 + XYLOFON 6 12,5

TTS240 + ALADIN STRIPE SOFT HBS PLATE Ø8,0 x 80 14 14 5 14,7

TTS240 + ALADIN STRIPE EXTRA SOFT 7 13,9

TTS240 | RIGIDEZ DA LIGAÇÃO PARA TENSÃO | F2/3

AVALIAÇÃO DO MÓDULO DE DESLIZAMENTO K2/3,ser

• K 2/3,ser experimental médio para a ligação TITAN em CLT (Cross Laminated Tim-
ber) de acordo com a ETA-11/0496

tipo tipo de fixação nv nH K 2/3,ser

Ø x L [mm] [pçs.] [pçs.] [N/mm]

HBS PLATE
TTS240 14 14 5600
Ø8,0 x 80

• Kser de acordo com a EN 1995-1-1 para parafusos em ligações madeira-madeira*


C24/GL24h

ρm1,5 d0,8
Parafusos (pregos sem pré-furo) (EN 1995 § 7.1)
30

tipo tipo de fixação nv Kser

Ø x L [mm] [pçs.] [N/mm]

parafusos HBS PLATE


TTS240 14 21201
Ø8,0 x 80

* Em ligações aço-madeira, a norma aplicável indica a possibilidade de duplicar o valor de Kser indicado
na tabela (7.1 (3)).

214 | TITAN S | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS


VALORES ESTÁTICOS | LIGAÇÃO DE CORTE F4 - F5 - F4/5 | MADEIRA-MADEIRA
TTS240

MADEIRA AÇO
fixação de furos Ø11 R4,k timber R4,k steel
F4 tipo ØxL n F4
[mm] [pçs.] [kN] [kN] γsteel
TTS240 HBS PLATE Ø8,0 x 80 14 + 14 20,7 20,9 γM0

MADEIRA AÇO
fixação de furos Ø11 R5,k timber R5,k steel
F5 tipo ØxL n F5
[mm] [pçs.] [kN] [kN] γsteel
TTS240 HBS PLATE Ø8,0 x 80 14 + 14 16,8 4,2 γM0

MADEIRA AÇO
fixação de furos Ø11 R4/5,k timber R4/5,k steel
F4/5
tipo ØxL nv F4/5
DOIS ANGULARES [mm] [pçs.] [kN] [kN] γsteel
TTS240 HBS PLATE Ø8,0 x 80 28 + 28 25,2 23,4 γM0

Os valores de F4, F5, F4/5 indicados na tabela são válidos para a excentricidade de cálculo da tensão de atuação
e=0 (elementos de madeira ligados à rotação).

NOTAS: PRINCÍPIOS GERAIS:


(1)
O angular TTS240 pode ser instalado em combinação com diferentes per- Para os princípios gerais de cálculo, consultar a pág. 216.
fis acústicos resilientes inseridos abaixo da flange horizontal. Os valores de
resistência indicados na tabela são apresentados na ETA-11/0496 e são cal-
culados de acordo com “Blaß, H.J. und Laskewitz, B. (2000); Load-Carrying
Capacity of Joints with Dowel-Type fasteners and Interlayers.", desconside-
rando cautelosamente a rigidez do perfil.

(2)
Espessura do perfil: no caso do perfil tipo ALADIN, no cálculo foi considerada
a espessura reduzida do próprio perfil, devido à secção ondulada e ao con-
sequente esmagamento induzido pela cabeça do prego durante a inserção.

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | TITAN S | 215


PRINCÍPIOS GERAIS:

• Os valores característicos são conforme a norma EN 1995-1-1, de acordo • Na fase de cálculo, foi considerada uma classe de resistência do betão
com ETA-11/0496. Os valores de projeto dos ancorantes para betão são C25/30 com armação rara, na ausência de entre-eixos e distâncias da bor-
calculados de acordo com as respetivas Avaliações Técnicas Europeias (ver da e espessura mínima indicada nas tabelas que mostram os parâmetros de
capítulo 6 ANCORANTES PARA BETÃO). Os valores de resistência de projeto instalação dos ancorantes utilizados. Os valores de resistência são válidos
da ligação são obtidos a partir dos valores indicados na tabela, desta forma: para as hipóteses de cálculo definidas na tabela; para condições de con-
torno diferentes das indicadas na tabela (por ex., distâncias mínimas das
Rk, timber kmod bordas ou espessura de betão diferente), os ancorantes do lado do betão
podem ser verificados utilizando o software de cálculo MyProject de acor-
γM do com as necessidades do projeto.
Rd = min Rk, steel • Projetação sísmica na categoria de desempenho C2, sem requisitos de
γsteel ductilidade nos ancorantes (opção a2) projetação elástica de acordo com a
EOTA TR045. Para ancorantes químicos sujeitos a tensão de corte, parte-se
Rd, concrete do princípio de que o espaço anular entre o ancorante e o furo da chapa

esteja preenchido (α gap=1).
Rv,k timber kmod Os coeficientes kmod , γ M e γ steel devem ser considerados em função da
norma vigente utilizada para o cálculo.
• A dimensão e a verificação dos elementos de madeira e de betão devem ser
feitas à parte. É recomendável verificar a ausência de ruturas frágeis antes
da resistência da ligação ser atingida.
• Os elementos estruturais de madeira, aos quais os dispositivos de ligação
estão fixados, devem ser ligados à rotação.
• Em fase de cálculo, considerou-se uma massa volúmica dos elementos de
madeira equivalente a ρ k = 350 kg/m3 . Para valores de ρ k superiores, as re-
sistências do lado da madeira podem ser convertidas através do valor kdens:
ρk 0,5
kdens = for 350 kg/m3 ≥ ρk ≥ 420 kg/m3
350
ρk 0,5
kdens = for LVL with ρk ≥ 500 kg/m3
350

216 | TITAN S | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS


TITAN F ETA 11/0496

ANGULAR PARA FORÇAS DE CORTE

FUROS BAIXOS
Ideal para TIMBER FRAME, foi concebido para fixação de vigas horizon-
tais ou em vigas de estruturas de armação. Valores certificados também
com pregagem parcial.

ARMAÇÃO
Graças à posição rebaixada dos furos na flange vertical, oferece excelen-
tes valores de resistência ao corte, mesmo em vigas horizontais de baixa
altura. R2,k até 42,5 kN quer em madeira, quer em betão.

FUROS EM BETÃO
Os angulares TITAN forma concebidos para oferecer duas possibilidades
de fixação no betão, para evitar as barras de armação no chão.

CARATERÍSTICAS
FOCUS ligações ao corte
ALTURA 71 mm
ESPESSURA 3,0 mm
FIXAÇÕES LBA, LBS, VIN-FIX PRO, EPO-FIX PLUS, SKR, AB1

MATERIAL
Chapa tridimensional furada de aço carbónico
electrogalvanizado.

CAMPOS DE APLICAÇÃO
Ligações de corte madeira-betão e madeira-
-madeira para painéis e vigas de madeira.
• CLT, LVL
• madeira maciça e lamelar
• estrutura de armação (platform frame)
• painéis à base de madeira

218 | TITAN F | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS


MADEIRA-MADEIRA
Ideal para realizar ligações de corte quer en-
tre a lage e a parede, quer entre a parede e a
parede. A elevada resistência ao corte permite
otimizar o número de fixações.

TITAN SILENT
Ideal em combinação com a XYLOFON PLATE,
para limitar as pontes acústicas e reduzir as vi-
brações de passos das lajes de madeira.

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | TITAN F | 219


CÓDIGOS E DIMENSÕES
TITAN F - TCF | LIGAÇÕES BETÃO-MADEIRA

CÓDIGO B P H furos nv Ø5 s pçs H

[mm] [mm] [mm] [mm] [pçs.] [mm]


TCF200 200 103 71 Ø13 30 3 10
P
B

TITAN F - TTF | LIGAÇÕES MADEIRA-MADEIRA

CÓDIGO B P H nH Ø5 nv Ø5 s pçs H
[mm] [mm] [mm] [pçs.] [pçs.] [mm]
TTF200 200 71 71 30 30 3 10

P B

PERFIS ACÚSTICOS | LIGAÇÕES MADEIRA-MADEIRA

CÓDIGO tipo B P s pçs

[mm] [mm]
XYL3570200 xylofon plate 200 mm 70 6 10
s
ALADIN95 soft 50 m(*) 95 5 10
ALADIN115 extra soft 50 m(*) 115 7 10 P B
(*) A cortar no estaleiro

MATERIAL E DURABILIDADE FORÇAS


TITAN F: aço carbónico DX51D+Z275.
Utilização em classes de serviço 1 e 2 (EN 1995-1-1).

XYLOFON PLATE: mistura poliuretânica de 35 shore.


ALADIN STRIPE: EPDM compacto.
F2/3
F2 F3 F5 F4
CAMPOS DE EMPREGO
• Ligações madeira-betão
• Ligações madeira-madeira
• Ligações madeira-aço

PRODUTOS ADICIONAIS - FIXAÇÕES


tipo descrição d suporte pág.

[mm]
LBA prego Anker 4 548
LBS parafuso para chapas 5 552

AB1 ancorante mecânico 12 494

SKR ancorante parafusável d1 12 488


VIN-FIX PRO ancorante químico L M12 511
EPO-FIX PLUS ancorante químico M12 517

220 | TITAN F | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS


GEOMETRIA
TCF200 TTF200

20 10 3 20 10 3
Ø5 Ø5
10 10
35 35
71 71
26 26
3 3

25 150 25 25 150 25

26
39,5
71
35
103 31,5
Ø13 10
31,5
Ø5 20 10

200 200

INSTALAÇÃO SOBRE BETÃO


A fixação do angular TITAN TCF200 sobre betão deve ser feita por meio de 2 ancorantes, conforme uma das seguintes modalidades de
instalação:

INSTALAÇÃO IDEAL INSTALAÇÃO ALTERNATIVA

2 ancorantes posicionados nos FUROS INTERNOS 2 ancorantes posicionados nos FUROS EXTERNOS
(IN) (OUT)
(indicados pelo molde no produto) (por ex., interação entre o ancorante e a armação
do suporte de betão)

Tensão reduzida no ancorante Tensão máxima no ancorante


(excentricidade ey e kt mínimos) (excentricidade ey e kt máximos)

Resistência da ligação optimizada Resistência reduzida da ligação

TCF200 - TTF200 | ESQUEMAS DE FIXAÇÃO PARCIAL PARA TENSÃO F2/3


Na presença de requisitos de projeto, tais como graus variáveis de tensão F2/3 ou presença de soleira ou viga horizontal, é possível adotar
esquemas de fixação parcial (pattern), em função da altura HB do elemento de madeira:

configuração nv configuração nv
HB esquemas de fixação HB esquemas de fixação
sobre madeira pça sobre madeira [pçs.]

29
30
full pattern HB ≥ 90 mm 30 90 pattern 2 HB ≥ 70 mm 15 70
26 26

26
27
pattern 3 HB ≥ 80 mm 25 80 pattern 1 HB ≥ 60 mm 10 60
26 26

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | TITAN F | 221


VALORES ESTÁTICOS | LIGAÇÃO DE CORTE F2/3 | MADEIRA-BETÃO
TCF200

F2/3
HB

RESISTÊNCIA DO LADO DA MADEIRA


MADEIRA BETÃO

configuração fixação de furos Ø5 R2/3,k timber fixação de furos Ø13 IN(1) OUT(2)
sobre madeira tipo ØxL nv Ø nH ey,IN ey,OUT
[mm] [pçs.] [kN] [mm] [pçs.] [mm] [mm]

• full pattern pregos LBA Ø4,0 x 60 35,5 M12 2 38,5 70,0


30
HB ≥ 90 mm parafusos LBS Ø5,0 x 50 42,5

• pattern 3 pregos LBA Ø4,0 x 60 31,0


25
HB ≥ 80 mm parafusos LBS Ø5,0 x 50 37,2

• pattern 2 pregos LBA Ø4,0 x 60 20,9


15
HB ≥ 70 mm parafusos LBS Ø5,0 x 50 25,1

• pattern 1 pregos LBA Ø4,0 x 60 15,1


10
HB ≥ 60 mm parafusos LBS Ø5,0 x 50 18,1

RESISTÊNCIA DO LADO DO BETÃO


Valores de resistência de algumas das soluções de fixação possíveis para ancorantes instalados nos furos internos (IN) ou externos (OUT).

configuração fixação de furos Ø13 R2/3,d concrete


sobre betão tipo ØxL IN(1) OUT(2)
[mm] [kN] [kN]
VIN-FIX PRO 5.8 M12 x 130 29,7 24,4
VIN-FIX PRO 8.8 M12 x 130 48,1 39,1
• não fissurado
SKR-E 12 x 90 38,3 31,3
AB1 M12 x 100 35,4 28,9
VIN-FIX PRO 5.8 M12 x 130 29,7 24,4
VIN-FIX PRO 8.8 M12 x 130 35,1 28,9
• fissurado
SKR-E 12 x 90 34,6 28,4
AB1 M12 x 100 35,4 28,9
EPO-FIX PLUS 5.8/8.8 M12 x 130 19,2 15,7
• seismic SKR-E 12 x 90 8,8 7,2
AB1 M12 x 100 10,6 8,7

instalação tipo de ancorante tfix hef hnom h1 d0 hmin

tipo Ø x L [mm] [mm] [mm] [mm] [mm] [mm] [mm] t fix espessura da chapa fixada
VIN-FIX PRO hnom profundidade de inserção
M12 x 130 3 112 112 120 14 hef profundidade efectiva de ancoragem
EPO-FIX PLUS 5.8/8.8
TCF200 200 h 1 profundidade mínima do furo
SKR-E 12 x 90 3 64 87 110 10
d 0 diâmetro do furo de betão
AB1 M12 x 100 3 70 80 85 12 hmin espessura mínima do betão
Barra roscada pré-cortada INA dotada de porca e anilha: consultar a pág. 520
Barra roscada MGS classe 8.8 para cortar à medida: consultar a pág. 534

NOTAS:
(1)
Instalação dos ancorantes nos furos internos (IN).
(2)
Instalação dos ancorantes nos furos externos (OUT).

222 | TITAN F | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS


TCF200 | VERIFICAÇÃO DOS ANCORANTES PARA BETÃO E TENSÃO F2/3

A fixação ao betão por meio de ancorantes deve ser verificada com base nas forças de tensão sobre os próprios ancorantes, determináveis
através dos parâmetros geométricos indicados na tabela (e).

As excentricidades de cálculo ey variam em função do tipo de instalação selecionada: 2 ancorantes internos (IN) ou 2 ancorantes externos (OUT).

O grupo de ancorantes deve ser verificado quanto a:


VSd,x = F2/3,d
MSd,z = F2/3,d x ey,IN/OUT z
x y

F2/3
ey

VALORES ESTÁTICOS | LIGAÇÃO DE CORTE F4/5 - F5 - F4/5 | MADEIRA-BETÃO


TCF200
MADEIRA AÇO BETÃO
fixação de furos Ø5 R4,k timber R4,k steel fixação de furos IN(1)
F4 tipo ØxL nv Ø nH kt⊥ kt//
F4 Fbolt,⊥
[mm] [pçs.] [kN] [kN] γsteel [mm] [pçs.]
pregos LBA Ø4,0 x 60
• full pattern 30 14,6 9,5 γ M0 M12 2 0,5 -
parafusos LBS Ø5,0 x 50
O grupo de 2 ancorantes deve ser verificado quanto a:
VSd,y = 2 x kt⊥ x F4,d

MADEIRA AÇO BETÃO


fixação de furos Ø5 R5,k timber R5,k steel fixação de furos IN(1) Fbolt,//

F5 tipo ØxL nv Ø nH kt⊥ kt//


F5 Fbolt,⊥
[mm] [pçs.] [kN] [kN] γsteel [mm] [pçs.]
pregos LBA Ø4,0 x 60
• full pattern 30 10,7 4,8 γ M0 M12 2 0,5 0,27
parafusos LBS Ø5,0 x 50
O grupo de 2 ancorantes deve ser verificado quanto a:
VSd,y = 2 x kt⊥ x F5,d
NSd,z = 2 x kt// x F5,d

MADEIRA AÇO BETÃO


fixação de furos Ø5 R4/5,k timber R4/5,k steel fixação de furos IN(1)
F4/5
tipo ØxL nv Ø nH kt⊥ kt//
DOIS ANGULARES F4/5
[mm] [pçs.] [kN] [kN] γsteel [mm] [pçs.]
pregos LBA Ø4,0x60
• full pattern 30 + 30 23,8 12,3 γ M0 M12 2+2 0,31 0,10
parafusos LBS Ø5,0x50
O grupo de 2 ancorantes deve ser verificado quanto a:
VSd,y = 2 x kt⊥ x F4/5,d
NSd,z = 2 x kt// x F4/5,d

Os valores de F4, F5, F4/5 indicados na tabela são válidos para a excentricidade de cálculo da tensão de atuação e=0 (elementos de madeira
ligados à rotação).

PRINCÍPIOS GERAIS:

Para os princípios gerais de cálculo, consultar a pág. 226.

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | TITAN F | 223


VALORES ESTÁTICOS | LIGAÇÃO DE CORTE F2/3 | MADEIRA-MADEIRA
TTF200
RESISTÊNCIA AO CORTE R2/3

F2/3
HB

MADEIRA
fixação de furos Ø5 R2/3,k timber
configuração sobre madeira
tipo ØxL nv nH
[mm] [pçs.] [pçs.] [kN]

• full pattern pregos LBA Ø4,0 x 60 35,5


30 30
HB ≥ 90 mm parafusos LBS Ø5,0 x 50 42,5

• pattern 3 pregos LBA Ø4,0 x 60 31,0


25 25
HB ≥ 80 mm parafusos LBS Ø5,0 x 50 37,2

• pattern 2 pregos LBA Ø4,0 x 60 20,9


15 15
HB ≥ 70 mm parafusos LBS Ø5,0 x 50 25,1

• pattern 1 pregos LBA Ø4,0 x 60 15,1


10 10
HB ≥ 60 mm parafusos LBS Ø5,0 x 50 18,1

RESISTÊNCIA AO CORTE R2/3 COM PERFIL ACÚSTICO

F2/3

MADEIRA

configuração fixação de furos Ø5 perfil(2) R2/3,k timber


sobre madeira(1) tipo ØxL nv nH s
[mm] [pçs.] [pçs.] [mm] [kN]
pregos LBA Ø4,0 x 60 17,2
TTF200 + XYLOFON 30 30 6
parafusos LBS Ø5,0 x 50 15,8
pregos LBA Ø4,0 x 60 20,0
TTF200 + ALADIN STRIPE SOFT 30 30 5
parafusos LBS Ø5,0 x 50 19,0
pregos LBA Ø4,0 x 60 19,0
TTF200 + ALADIN STRIPE EXTRA SOFT 30 30 7
parafusos LBS Ø5,0 x 50 17,9

NOTAS:
(1) (2)
O angular TTF200 pode ser instalado em combinação com diferentes perfis Espessura do perfil: no caso do perfil tipo ALADIN, no cálculo foi consi-
acústicos resilientes inseridos abaixo da flange horizontal na configuração de derada a espessura reduzida do próprio perfil, devido à secção ondulada
full pattern. Os valores de resistência indicados na tabela são apresentados e ao consequente esmagamento induzido pela cabeça do prego durante
na ETA-11/0496 e são calculados de acordo com “Blaß, H.J. und Laskewitz, a inserção.
B. (2000); Load-Carrying Capacity of Joints with Dowel-Type fasteners and
Interlayers.", desconsiderando cautelosamente a rigidez do perfil.

224 | TITAN F | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS


VALORES ESTÁTICOS | LIGAÇÃO DE CORTE F4 - F5 - F4/5 | MADEIRA-MADEIRA
TTF200

MADEIRA AÇO
fixação de furos Ø5 R4,k timber R4,k steel
F4 tipo ØxL nv
[mm] [pçs.] [kN] [kN] γsteel F4
pregos LBA Ø4,0 x 60
• full pattern 30 + 30 14,1 10,4 γM0
parafusos LBS Ø5,0 x 50

MADEIRA AÇO
fixação de furos Ø5 R5,k timber R5,k steel
F5 tipo ØxL nv
[mm] [pçs.] [kN] [kN] γsteel F5
pregos LBA Ø4,0 x 60
• full pattern 30 + 30 10,8 4,7 γM0
parafusos LBS Ø5,0 x 50

MADEIRA AÇO
fixação de furos Ø5 R4/5,k timber R4/5,k steel
F4/5
tipo ØxL nv
DOIS ANGULARES [mm] [pçs.] [kN] [kN] γsteel F4/5
pregos LBA Ø4,0 x 60
• full pattern 60+60 21,0 14,2 γM0
parafusos LBS Ø5,0 x 50

Os valores de F4, F5, F4/5 indicados na tabela são válidos para a excentricidade de cálculo da tensão de atuação e=0 (elementos de madeira
ligados à rotação).

PRINCÍPIOS GERAIS:

Para os princípios gerais de cálculo, consultar a pág. 226.

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | TITAN F | 225


TCF200 - TTF200 | RIGIDEZ DA LIGAÇÃO PARA TENSÃO F2/3

AVALIAÇÃO DO MÓDULO DE DESLIZAMENTO K2/3,ser

• K 2/3,ser experimental médio para a ligação TITAN em CLT (Cross Laminated Timber) C24

tipo tipo de fixação nv nH K 2/3,ser

Ø x L [mm] [pçs.] [pçs.] [N/mm]

pregos LBA
TCF200 30 - 8479
Ø4,0 x 60

pregos LBA
TTF200 30 30 8212
Ø4,0 x 60

• Kser de acordo com a EN 1995-1-1 para pregos em ligações madeira-madeira* GL24h/C24

Pregos (sem pré-furo) ρm


1,5
d0,8 (EN 1995 § 7.1)
30

tipo tipo de fixação nv Kser

Ø x L [mm] [pçs.] [N/mm]

pregos LBA
TCF200 30 26093
Ø4,0 x 60

pregos LBA
TTF200 30 26093
Ø4,0 x 60

* Em ligações aço-madeira, a norma aplicável indica a possibilidade de duplicar o valor de


Kser indicado na tabela (7.1 (3)).

PRINCÍPIOS GERAIS:

• Os valores característicos são conforme a norma EN 1995-1-1, de acordo • Na fase de cálculo, foi considerada uma classe de resistência do betão
com ETA-11/0496. Os valores de projeto dos ancorantes para betão são C25/30 com armação rara, na ausência de entre-eixos e distâncias da bor-
calculados de acordo com as respetivas Avaliações Técnicas Europeias (ver da e espessura mínima indicada nas tabelas que mostram os parâmetros de
capítulo 6 ANCORANTES PARA BETÃO). Os valores de resistência de projeto instalação dos ancorantes utilizados. Os valores de resistência são válidos
da ligação são obtidos a partir dos valores indicados na tabela, desta forma: para as hipóteses de cálculo definidas na tabela; para condições de con-
torno diferentes das indicadas na tabela (por ex., distâncias mínimas das
Rk, timber kmod bordas ou espessura de betão diferente), os ancorantes do lado do betão
podem ser verificados utilizando o software de cálculo MyProject de acor-
γM do com as necessidades do projeto.
Rd = min Rk, steel • Projetação sísmica na categoria de desempenho C2, sem requisitos de
γsteel ductilidade nos ancorantes (opção a2) projetação elástica de acordo com a
EOTA TR045. Para ancorantes químicos sujeitos a tensão de corte, parte-se
Rd, concrete do princípio de que o espaço anular entre o ancorante e o furo da chapa

esteja preenchido (α gap=1).
Rv,k timber kmod Os coeficientes kmod , γ M e γ steel devem ser considerados em função da
norma vigente utilizada para o cálculo.
• A dimensão e a verificação dos elementos de madeira e de betão devem ser
feitas à parte. É recomendável verificar a ausência de ruturas frágeis antes
da resistência da ligação ser atingida.
• Os elementos estruturais de madeira, aos quais os dispositivos de ligação
estão fixados, devem ser ligados à rotação.
• Em fase de cálculo, considerou-se uma massa volúmica dos elementos de
madeira equivalente a ρ k = 350 kg/m3 . Para valores de ρ k superiores, as re-
sistências do lado da madeira podem ser convertidas através do valor kdens:
ρk 0,5
kdens = for 350 kg/m3 ≥ ρk ≥ 420 kg/m3
350
ρk 0,5
kdens = for LVL with ρk ≥ 500 kg/m3
350

226 | TITAN F | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS


CONSTRUIR BEM
E VIVER MELHOR

Mais eficiência energética com as fitas certificadas Passive House

Descubra as nossas soluções de cintagem certificadas pelo instituto Passive


House graças ao desempenho superior em termos de eficiência energética.
FLEXI BAND, a fita universal que nunca desilude; SEAL BAND, fita acrílica para
selagens internas que adere a todos os tipos de madeira; e SPEEDY BAND, a
fita universal sem liner que garante aplicações muito rápidas.

www.rothoblaas.pt
TITAN V ETA 11/0496

ANGULAR PARA FORÇAS DE CORTE E TRAÇÃO

FUROS PARA VGS


Ideal para CLT. Os parafusos totalmente roscados VGS Ø11 oferecem
uma resistência excecional e permitem fixar as paredes entrepisos, mes-
mo de diferentes espessuras.

OCULTO
A baixa altura da flange vertical permite integrar e ocultar o angular den-
tro do conjunto da laje. Espessura do aço: 4 mm.

100 kN DE TRAÇÃO
Na madeira, o angular TTV garante uma excecional resistência à tração (R1,k
até 101,0 kN) e ao corte (R2,k até 59,7 kN). Possibilidade de fixação parcial.

CARATERÍSTICAS
FOCUS ligações de corte e tração
VÍDEO
ALTURA 120 mm Digitalize o QR Code e assis-
ESPESSURA 4,0 mm ta ao vídeo no nosso canal
YouTube
FIXAÇÕES LBA, LBS, VGS

MATERIAL
Chapa tridimensional furada de aço carbónico
electrogalvanizado.

CAMPOS DE APLICAÇÃO
Ligações de corte ou de tração madeira-ma-
deira
• CLT, LVL
• madeira maciça e lamelar

228 | TITAN V | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS


RETENTOR OCULTO
Ideal para madeira-sobre madeira, quer como
hold down nas extremidades das paredes,
quer como angular de corte ao longo das pa-
redes. Pode ser integrada no conjunto da laje.

UM ANGULAR ÚNICO
Utilização de um único tipo de angular para a
fixação de paredes, seja de corte ou de tração.
Otimização e homogeneidade das fixações.
Possibilidade de fixação parcial e com perfis
acústicos interpostos.

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | TITAN V | 229


CÓDIGOS E DIMENSÕES

TITAN V - TTV | LIGAÇÕES MADEIRA-MADEIRA

CÓDIGO B P H nV Ø5 nH Ø5 nH Ø12 s pçs H

[mm] [mm] [mm] [pçs.] [pçs.] [pçs.] [mm]


TTV240 240 83 120 36 30 5 4 10

P B

VGS

CÓDIGO d1 L b TX pçs
[mm] [mm] [mm] d1
VGS11150 11 150 140 TX50 25
L
VGS11200 11 200 190 TX50 25

LBA

CÓDIGO d1 L pçs d1
[mm] [mm]
L
LBA460 4 60 250

LBS

CÓDIGO d1 L TX pçs d1
[mm] [mm]
L
LBS550 5 50 TX20 200

MATERIAL E DURABILIDADE FORÇAS


TITAN V: aço carbónico S275 com eletrogalvanização. F1
Utilização em classes de serviço 1 e 2 (EN 1995-1-1).
F1
F2F2 F3F3

CAMPOS DE EMPREGO
• Ligações madeira-madeira

GEOMETRIA INSTALAÇÃO
TTV240

Ø5 20 10 4 15°
10
15°
20
20
10
120
60
4

240

20 50 50 50 50 20

33
83 20
20
10
Ø12 Ø5

15°

230 | TITAN V | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS


VALORES ESTÁTICOS | LIGAÇÃO DE TRAÇÃO F1 | MADEIRA-MADEIRA
TTV240

F1

fixação de furos Ø5 fixação de furos Ø12 R1,k timber K1,ser


nV
configuração tipo ØxL nv nH tipo ØxL nH
[mm] [pçs.] [pçs.] [mm] [pçs.] [kN] [kN/mm]
pregos LBA Ø4,0 x 60 36 30
nH • full pattern F1 parafusos VGS Ø11 x 200 5 101,0 12,5
parafusos LBS Ø5,0 x 50 36 30

fixação de furos Ø5 fixação de furos Ø12 R1,k timber K1,ser


nV
configuração tipo ØxL nv nH tipo ØxL nH
[mm] [pçs.] [pçs.] [mm] [pçs.] [kN] [kN/mm]
pregos LBA Ø4,0 x 60 24 24
nH • partial pattern F1 parafusos VGS Ø11 x 150 5 64,5 10,5
parafusos LBS Ø5,0 x 50 24 24

VALORES ESTÁTICOS | LIGAÇÃO DE CORTE F2/3 | MADEIRA-MADEIRA


TTV240

F2/3

fixação de furos Ø5 fixação de furos Ø12 R2/3,k timber K2/3,ser


nV
configuração tipo ØxL nv nH tipo ØxL nH
[mm] [pçs.] [pçs.] [mm] [pçs.] [kN] [kN/mm]
pregos LBA Ø4,0 x 60 36 30
nH • full pattern F2/3 parafusos VGS Ø11 x 200 2 59,7 6,6
parafusos LBS Ø5,0 x 50 36 30

• full pattern F2/3 pregos LBA Ø4,0 x 60 36 30


parafusos VGS Ø11 x 200 2 49,4 6,2
+ xylofon(1) parafusos LBS Ø5,0 x 50 36 30

fixação de furos Ø5 fixação de furos Ø12 R2/3,k timber K2/3,ser


nV
configuração tipo ØxL nv nH tipo ØxL nH
[mm] [pçs.] [pçs.] [mm] [pçs.] [kN] [kN/mm]
pregos LBA Ø4,0 x 60 24 24
nH • partial pattern F2/3 parafusos VGS Ø11 x 150 2 51,5 4,8
parafusos LBS Ø5,0 x 50 24 24

NOTAS: PRINCÍPIOS GERAIS:


(1)
Os valores característicos de resistência R 2/3,k e do módulo de deslizamen- Para os princípios gerais de cálculo, consultar a pág. 233.
to K 2/3,ser foram obtidos a partir dos resultados dos testes de laboratório
realizados em amostras de CLT (5 camadas) com perfil acústico XYLOFON
35 de espessura 6 mm (testes realizados c/o CNR-IBE - San Michele all'Adi-
ge). Configuração não incluída na ETA-11/0496.

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | TITAN V | 231


INVESTIGAÇÕES EXPERIMENTAIS | TTV240
COMPORTAMENTO BIAXIAL PARA FORÇAS DE CORTE E TRAÇÃO
O angular TTV240 é um sistema de ligação inovador capaz de resistir, com elevado desempenho, a cargas de tração e corte.
Graças ao aumento da espessura e à utilização de parafusos totalmente roscados para a fixação do painel da laje, apresenta um excelente
comportamento em caso de tensões biaxiais com direções diferentes.

Após uma primeira fase de modelações numéricas e con-


trolos analíticos, foi realizada uma vasta campanha expe-
rimental com o auxílio de testes monotónicos e cíclicos
em painéis CLT de 5 camadas, na configuração de fixação
total e parcial(1), com inclinações diferentes da carga de
atuação:

α = 0°; 30°; 45°; 60°; 90°.


Deformed shape for tension action and dis-
placement contour of the ABAQUS model
TENSION

90°
60°
45°
F V,α 30°

α 0°
© University of Kassel

SHEAR Deformed shape for shear action and displa- Figura 1. 30° setup para tensões de 60°.
cement contour of the ABAQUS model

As campanhas experimentais foram realizadas no âmbito de uma colaboração internacional com a Universidade de Kassel (Alemanha), a
Universidade “Kore” de Enna (Itália) e o CNR-IBE Istituto per la Bioeconomia (Itália).

DOMÍNIO DA RESISTÊNCIA EXPERIMENTAL


Em todos os teste de corte (α=0°), tração (α=90°) e com inclinação da carga (30° ≤ α ≤ 60°) foram obtidos modos de colapso semelhantes
que, graças à sobre-resistência da flange inferior, são atribuíveis à rutura dos pregos na flange vertical. Os parâmetros mecânicos relativos
ao comportamento a cargas cíclicas também mostraram uma boa correspondência, garantindo ruturas dúcteis nos pregos superiores.

Utilizando dispositivos de fixação de pequeno diâmetro, foi possível obter resistências comparáveis independentemente da direção da
carga de tensão. A comparação dos resultados experimentais confirmou as considerações analíticas, segundo as quais é possível prever
um domínio de resistência circular.

(a) (b) (c)

Figura 2. Amostras no final dos testes cíclicos: tração (a), corte (b) e 45° (c) (fixação parcial).

Figura 3. Curvas força-deslocamento monotónicas e cíclicas para tração (a), corte (b) e 45° (c) (fixação parcial).

NOTAS:
(1)
Fixação total - Full nailing: Fixação parcial - Partial nailing:
- 5 VGS Ø11x150 mm e 36+30 LBA Ø4x60 mm para 90°/60°/45°/30° - 5 VGS Ø11x150 mm e 24+24 LBA Ø4x60 mm para 90°/60°/45°/30°
- 2 VGS e 36+30 LBA Ø4x60 mm para 0° - 2 VGS e 24+24 LBA Ø4x60 mm para 0°

232 | TITAN V | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS


DOMÍNIO DA RESISTÊNCIA EXPERIMENTAL

FIXAÇÃO TOTAL FIXAÇÃO PARCIAL

FULL SCALE TEST


No final da investigação sobre a ligação única, foram realizados testes à escala real nas paredes em CLT, considerando diferentes relações
h/b do painel da parede. Está a decorrer a análise de dados.

h/b ≈ 2:1 h/b ≈ 1:1 h/b ≈ 2:3

ANÁLISES APROFUNDADAS E PUBLICAÇÕES:

• European Technical Assessment ETA-11/0496: Rotho Blaas TITAN Angle • D’Arenzo G., Cottonaro D.R., Macaluso G., Fossetti M., Fragiacomo M.,
Brackets, 2018. Seim W., Chiodega M., Sestigiani L. Mechanical characterization of an in-
novative wall-to-floor connection for Cross-Laminated Timber structures.
• D'Arenzo G., Rinaldin G., Fossetti M., Fragiacomo M., Nebiolo F., Chiodega XVIII Conferência ANIDIS; Ascoli Piceno, 2019.
M. Tensile and shear behaviour of an innovative angle bracket for CLT struc- • D’Arenzo G., Blaas H. Structural Fasteners Design and Challenges in Mass
tures. World Conference on Timber Engineering, WCTE; South Korea, 2018. Timber Buildings. CTBUH; Chicago, 2019.
• D’Arenzo G., Rinaldin G., Fossetti M., Fragiacomo M. An innovative shear- • Tensile and shear behaviour of an innovative angle bracket for X-LAM
-tension angle bracket for Cross-Laminated Timber structures: Experi- structures. PTEC; Brisbane, Australia, 2019.
mental tests and numerical modelling. Engineering Structures 197, 2019. • D'Arenzo G. Innovative biaxial behaviour connector for Cross-laminated
Timber structures. PhD thesis, University of Enna “Kore”, 2020.

PRINCÍPIOS GERAIS:

• Os valores característicos são conforme a norma EN 1995-1-1, de • A dimensão e a verificação dos elementos de madeira devem ser feitas à
acordo com ETA-11/0496. parte. É recomendável verificar a ausência de ruturas frágeis antes da resis-
tência da ligação ser atingida.
• Os valores de resistência de projeto da ligação são obtidos a partir • Os elementos estruturais de madeira, aos quais os dispositivos de ligação
dos valores indicados na tabela, desta forma: estão fixados, devem ser ligados à rotação.
kmod
Ri,d = Ri,k timber Rv,d =

γM
Os coeficientes k mod e yM devem ser considerados em função da norma
vigente utilizada para o cálculo.
• Em fase de cálculo, considerou-se uma massa volúmica dos elementos de
madeira equivalente a ρ k = 350 kg/m3 . Para valores de ρ k superiores, as re-
sistências do lado da madeira podem ser convertidas através do valor kdens:
ρk 0,5
kdens = for 350 kg/m3 ≥ ρk ≥ 420 kg/m3
350
ρk 0,5
kdens = for LVL with ρk ≥ 500 kg/m3
350

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | TITAN V | 233


FLANKSOUND

TITAN SILENT EN ISO 10848 ETA 11/0496

ANGULAR PARA FORÇAS DE CORTE


COM PERFIL FONOISOLANTE

ISOLAMENTO ACÚSTICO
Significativa redução das vibrações de passos e atenuação do ruído
transmitido, para um excelente conforto acústico.

VALORES CERTIFICADOS
Valores de redução das vibrações, testados tanto em ambientes acadé-
micos, como industriais. Valores de resistência mecânica ao corte testa-
dos e certificados de acordo com a ETA.

SEM PONTES ACÚSTICAS


A excelente resistência ao corte do angular e o poder fonoisolante do
perfil permitem eliminar as pontes acústicas causadas pelas ligações.

CARATERÍSTICAS
FOCUS ligações ao corte
ALTURA de 71 a 130 mm
ESPESSURA 3,0 e 4,0 mm
FIXAÇÕES LBA, LBS, HBS PLATE, VGS

MATERIAL
Chapa tridimensional furada de aço com perfil
resiliente com mistura de poliuretano.

CAMPOS DE APLICAÇÃO
Ligações de corte madeira-madeira com re-
dução das pontes acústicas
• CLT, LVL
• madeira maciça e lamelar
• estrutura de armação (platform frame)
• painéis à base de madeira

234 | TITAN SILENT | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS


CONFORTO HABITACIONAL
A resistência dos angulares TITAN, em combi-
nação com o desempenho acústico da XYLO-
FON PLATE, garantem a redução do ruído
causado pelas vibrações dos passos.

ACÚSTICA E ESTÁTICA
Valores de resistência ao corte certificados
pela ETA. Valores testados mais aprofundada-
mente tanto em ambientes académicos, como
industriais e disponíveis para consulta.

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | TITAN SILENT | 235


CÓDIGOS E DIMENSÕES
TITAN N - TTN

CÓDIGO B P H nH Ø5 nv Ø5 s pçs H

[mm] [mm] [mm] [pçs.] [pçs.] [mm]


TTN240 240 93 120 36 36 3 10

P B

TITAN F - TTF

CÓDIGO B P H nH Ø5 nv Ø5 s pçs H
[mm] [mm] [mm] [pçs.] [pçs.] [mm]
TTF200 200 71 71 30 30 3 10
P B

TITAN S - TTS

CÓDIGO B P H nH Ø11 nv Ø11 s pçs H

[mm] [mm] [mm] [pçs.] [pçs.] [mm]


TTS240 240 130 130 14 14 3 10

P B

TITAN V - TTV

CÓDIGO B P H nV Ø5 nH Ø5 nH Ø12 s pçs H


[mm] [mm] [mm] [pçs.] [pçs.] [pçs.] [mm]
TTV240 240 83 120 36 30 5 4 10

P B

XYLOFON PLATE

CÓDIGO B P s pçs

[mm] [mm] [mm]


XYL3570200 200 70 6,0 10
XYL35100200 200 100 6,0 10 s
XYL35120240 240 120 6,0 10
P B

ALADIN STRIPE

CÓDIGO tipo L P s pçs

[mm] [m] [mm] [mm]


ALADIN95 soft 50 (*) 95 5 1
s
ALADIN115 extra soft 50 (*) 115 7 1
P
(*) A cortar no estaleiro.

236 | TITAN SILENT | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS


MATERIAL E DURABILIDADE FORÇAS
TITAN: consultar as páginas de produto.

XYLOFON PLATE: mistura monolítica de poliuretano de


35 shore, sem VOC ou substâncias nocivas. F2 F3
ALADIN STRIPE: EPDM compacto extrudado (versão soft) F2,3
e EPDM compacto expandido (versão extra soft). Elevada
estabilidade química, não contém VOC.

CAMPOS DE EMPREGO
• Ligações de corte madeira-madeira com redução das
pontes acústicas

PRODUTOS ADICIONAIS - FIXAÇÕES


tipo descrição d suporte pág.

[mm]
LBA prego Anker 4 548
LBS parafuso para chapas 5 552
HBS PLATE parafuso para TTS240 8 556
VGS parafuso totalmente roscado para TTV240 11 564

GEOMETRIA
XYL3570200 XYL35100200 XYL35120240 ALADIN95 ALADIN115
200

200

240

6 6 6 5 7

70 100 120 95 115

VALORES ESTÁTICOS E INSTALAÇÃO


LIGAÇÃO DE CORTE | MADEIRA-MADEIRA

F2/3

TITAN: Os valores de resistência mecânica e as XYLOFON PLATE/ALADIN STRIPE: Os dados técnicos e as instruções de
modalidades de instalação constam das aplicação constam do catálogo “SOLU-
respetivas páginas de produto. ÇÕES DE ACÚSTICA” ou nas fichas téc-
nicas de produto (www.rothoblaas.pt)

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | TITAN SILENT | 237


COMPORTAMENTO ACÚSTICO - MECÂNICO TITAN SILENT
O sistema TITAN SILENT foi submetido a uma série de ensaios que permitiram
compreender o seu comportamento acústico e mecânico. As campanhas ex- dB
perimentais levadas a cabo no âmbito do projeto Sismic-Rev, em colaboração dB
Hz
com vários institutos de investigação, mostraram como as características do
perfil resiliente influenciam o desempenho mecânico da ligação. Do ponto de Hz
vista acústico, com o projeto Flanksound, foi demonstrado que a capacidade de F

amortecimento das vibrações através do nó é fortemente influenciada pelo tipo


e número de ligações. F

INVESTIGAÇÕES EXPERIMENTAIS: COMPORTAMENTO MECÂNICO


No âmbito do projeto Seismic-Rev, em colaboração com a Universidade de Trento e o Instituto de BioEconomia (IBE - San Michele all'Adi-
ge), foi lançado um projeto de investigação para avaliar o comportamento mecânico dos angulares TITAN utilizados em combinação com
diferentes perfis fonoisolantes.

PRIMEIRA FASE DE LABORATÓRIO

Na primeira fase experimental, foram realizados testes de corte monotónicos


utilizando procedimentos de carga linear em controlo do deslocamento, com
o objetivo de avaliar a variação da resistência máxima e rigidez oferecidas pela
ligação TTF200 com pregos LBA Ø4 x 60 mm.

Amostras de ensaio:
painéis CLT
angular TITAN TTF200

MODELAÇÃO NUMÉRICA

Os resultados da campanha de investigação preliminar destacaram a importância


de realizar análises mais precisas da influência dos perfis acústicos no compor-
tamento mecânico dos angulares metálicos TTF200 e TTN240 em termos de
resistência e rigidez globais. Por isso, decidiu-se realizar mais avaliações através
de modelações numéricas de elementos finitos, a partir do comportamento do
prego individual. No presente caso, foi analisada a influência de três perfis resi-
lientes diferentes: XYLOFON 35 (6 mm), ALADIN STRIPE SOFT (5 mm) e ALADIN
STRIPE EXTRA SOFT (7 mm).

Deformação Tx [mm]
para deslocamento induzido 8 mm

SEGUNDA FASE DE LABORATÓRIO

Nesta fase, foram realizados testes de laboratório de acordo com determinados


requisitos da EN 26891. As amostras de TITAN SILENT, montadas com diferentes
dispositivos TITAN em combinação com o perfil resiliente XYLOFON 35 (6 mm),
foram levados a um ponto de rutura para investigar a carga máxima, a carga a 15
mm e os respetivos deslocamentos, sem influência da carga e, portanto, efeitos
de esmagamento sobre o perfil acústico (gap máximo entre a chapa e o painel
de madeira).

Amostras de ensaio:
painéis CLT 5 camadas
angulares TITAN com fixação total
TTF200 - TTN240 - TTS240 - TTV240
perfil resiliente XYLOFON 35

238 | TITAN SILENT | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS


VARIAÇÃO DA RESISTÊNCIA MECÂNICA AO CORTE EM FUNÇÃO DO PERFIL FONOISOLANTE

A comparação dos resultados entre as diferentes configurações analisadas é apresentada em termos de variação de força a 15 mm de des-
locamento (F15 mm) e de rigidez elástica a 5 mm (Ks,5 mm)

TITAN TTF200
configurações sp F15 mm ΔF15 mm K5 mm ΔK5 mm 90

80
[mm] [kN] [kN/mm]
70
TTF200 - 68,4 - 9,55 -
60
TTF200 + ALADIN STRIPE SOFT red.* 3 59,0 -14 % 8,58 -10 %
F [kN] 50
TTF200 + ALADIN STRIPE EXTRA SOFT red.* 4 56,4 -18 % 8,25 -14 %
40
TTF200 + ALADIN STRIPE SOFT 5 55,0 -20 % 7,98 -16 %
30
TTF200 + XYLOFON PLATE 6 54,3 -21 % 7,79 -18 %
20
TTF200 + ALADIN STRIPE EXTRA SOFT 7 47,0 -31 % 7,30 -24 %
10
TTF200 + XYLOFON PLATE - test 003 6 54,2 -21 % 5,49 -43 %
* Espessura reduzida: altura do perfil reduzida devido à secção ondulada e ao consequente esmagamento 5 10 15 20 25
induzido pela cabeça do prego durante a operação. δ [mm]

TITAN TTN240
configurações sp F15 mm ΔF15 mm K5 mm ΔK5 mm 90

80
[mm] [kN] [kN/mm]
70
TTN240 - 71,9 - 9,16 -
60
TTN2400 + ALADIN STRIPE SOFT red.* 3 64,0 -11 % 8,40 -8 %
F [kN] 50
TTN240 + ALADIN STRIPE EXTRA SOFT red.* 4 61,0 -15 % 8,17 -11 %
40
TTN240 + ALADIN STRIPE SOFT 5 59,0 -18 % 8,00 -13 %
30
TTN240 + XYLOFON PLATE 6 58,0 -19 % 7,81 -15 %
20
TTN240 + ALADIN STRIPE EXTRA SOFT 7 53,5 -26 % 7,47 -18 %
10
TTN240 + XYLOFON PLATE - test 001 6 61,5 -15% 6,19 -32%
* Espessura reduzida: altura do perfil reduzida devido à secção ondulada e ao consequente esmagamento 5 10 15 20 25
induzido pela cabeça do prego durante a operação. δ [mm]

RESULTADOS EXPERIMENTAIS
Os resultados obtidos mostram uma redução da resistência e rigidez dos dispositivos após a interposição dos perfis fonoi-
solantes. Esta variação é altamente dependente da espessura do perfil. A fim de limitar a redução da resistência na ordem de
20% é necessário, portanto, adotar perfis com espessuras reais aproximadamente inferiores ou iguais a 6 mm.

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | TITAN SILENT | 239


INVESTIGAÇÕES EXPERIMENTAIS: PROJETO FLANKSOUND
A Rothoblaas financiou uma pesquisa com o objetivo de medir o índice de redução das vibrações Kij para uma variedade de
nós dos painéis CLT.
Para cada nó, o índice de redução das vibrações relativo às vias de transmissão envolvidas é apresentado em bandas de um
terço de oitava no intervalo de 100-3150 Hz. Também é apresentado um valor médio (200-1250 Hz) que pode ser utilizado
para o cálculo simplificado, conscientes da limitação deste método.
A título de exemplo, segue-se uma comparação da capacidade de amortecimento do sistema TITAN SILENT.

NÓ EM “T”
3

SISTEMA DE FIXAÇÃO
Parafusos HBS Ø8 x 240 mm 800

Angulares TTN240 300


Chapa furada LBV 100 x 500 mm
160
2
PERFIL RESILIENTE
NÃO

1
100

f (Hz) 100 125 160 200 250 315 400 500 630 800 1000 1250 1600 2000 2500 3150 AVG 200-1250
K12 (dB) 13,6 14,9 4,4 9,4 11,4 7,0 8,9 9,0 14,5 18,2 17,4 20,2 21,9 28,9 28,3 36,7 12,9
K13 (dB) 22,5 25,3 15,7 16,5 15,0 12,6 13,4 15,8 21,1 18,6 19,3 18,8 23,5 29,0 27,5 32,3 16,8
K23 (dB) 4,8 - 1,3 - 4,1 4,7 5,7 1,2 - 3,7 2,2 6,5 8,5 9,0 17,5 16,0 16,6 17,3 22,7 5,7

NÓ EM “T”
3

SISTEMA DE FIXAÇÃO
Parafusos HBS Ø8 x 240 mm 800

Angulares TTN240 300


Chapa furada LBV 100 x 500 mm
160
2
PERFIL RESILIENTE
XYLOFON + TITAN SILENT

1
100

f (Hz) 100 125 160 200 250 315 400 500 630 800 1000 1250 1600 2000 2500 3150 AVG 200-1250

K12 (dB) 17,4 13,1 7,0 11,1 10,8 11,5 10,5 15,6 20,4 22,4 21,9 24,7 24,5 38,4 38,6 41,0 16,6
K13 (dB) 23,9 24,5 18,3 20,6 16,3 18,2 19,4 19,6 25,7 27,2 25,6 21,9 24,5 41,7 44,9 49,0 21,6
K23 (dB) 7,1 - 3,1 - 2,5 6,2 6,0 6,4 0,7 9,7 9,5 12,5 12,7 19,3 16,8 21,8 25,2 27,2 9,2

RESULTADOS EXPERIMENTAIS
Os resultados obtidos mostram uma redução da resistência e rigidez dos dispositivos após a interposição dos perfis fonoi-
solantes. Esta variação é altamente dependente da espessura do perfil. A fim de limitar a redução da resistência na ordem de
20 % é necessário, portanto, adotar perfis com espessuras reais aproximadamente inferiores ou iguais a 6 mm.

240 | TITAN SILENT | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS


MENOS RUÍDO,
MAIS QUALIDADE DE VIDA

Não subestime o conforto acústico nos seus projetos

O bem-estar habitacional também depende da qualidade do conforto


acústico. Atualmente, é possível adotar algumas medidas na fase de proje-
to para dominar este aspeto. Uma solução eficaz é o XYLOFON, perfil resi-
liente com mistura de poliuretano que interrompe a transmissão do ruído
pelo ar e meios estruturais, melhorando a qualidade de vida dos inquilinos.

www.rothoblaas.pt
WHT PLATE C CONCRETE EN 14545

CHAPAS PARA FORÇAS DE TRAÇÃO

DUAS VERSÕES
WHT PLATE 440 ideal para estruturas de armação (platform frame);
WHT PLATE 540 ideal para estruturas de painel CLT (Cross Laminated
Timber).

LIGAÇÕES PLANAS
Ideal para realizar ligações contínuas a tracção de painéis CLT (Cross
Laminated Timber) e estruturas de armação (platform frame) à subestru-
tura de betão armado.

QUALIDADE
A elevada resistência à tracção permite a optimização da quantidade de
chapas instaladas, garantindo uma notável economia de tempo.
Valores calculados e certificados de acordo com a marcação CE.

CARATERÍSTICAS
FOCUS ligações de tração em betão
ALTURA 440 | 540 mm
ESPESSURA 3,0 mm
FIXAÇÕES LBA, LBS, SKR, VIN-FIX PRO, EPO-FIX PLUS

MATERIAL
Chapa bidimensional furada de aço carbónico
electrogalvanizado.

CAMPOS DE APLICAÇÃO
Ligações de corte madeira-betão para painéis
e montantes de madeira
• CLT, LVL
• madeira maciça e lamelar
• estrutura de armação (platform frame)
• painéis à base de madeira

242 | WHT PLATE C | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS


MADEIRA - BETÃO
Além da sua função natural, é ideal para resol-
ver pontualmente situações particulares que
requerem a transferência das forças de trac-
ção da madeira para o betão.

POLIVALENTE
Na presença de graus variáveis de tensão ou
de uma camada de nivelamento, é possível
adotar pregagens parciais pré-calculadas.

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | WHT PLATE C | 243


CÓDIGOS E DIMENSÕES
WHT PLATE C

CÓDIGO B H furos nv Ø5 s pçs


H
[mm] [mm] [mm] pçs [mm] H
WHTPLATE440 60 440 Ø17 18 3 10
WHTPLATE540 140 540 Ø17 50 3 10

B B

MATERIAL E DURABILIDADE FORÇAS


WHT PLATE C: aço carbónico DX51D+Z275.
Utilização em classes de serviço 1 e 2 (EN 1995-1-1).

F1 F1

CAMPOS DE EMPREGO
• Ligações madeira-betão
• Ligações de OSB-betão
• Ligações madeira-aço

PRODUTOS ADICIONAIS - FIXAÇÕES

tipo descrição d suporte pág.

[mm]
LBA prego Anker 4 548
LBS parafuso para chapas 5 552
AB1 ancorante mecânico 16 494

VIN-FIX PRO ancorante químico M16 511

EPO-FIX PLUS ancorante químico M16 517

KOS parafuso M16 526

GEOMETRIA
WHTPLATE440 WHTPLATE540
10 20 3 25 20 3
10 10
20 20

Ø5
Ø5

440 70

540

130
260
Ø17
50

60
Ø17
50

30 80 30
140

244 | WHT PLATE C | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS


INSTALAÇÃO

a4,c a4,c
MADEIRA pregos parafusos
distâncias mínimas LBA Ø4 LBS Ø5
a4,c [mm] ≥ 20 ≥ 25
C/GL
a3,t [mm] ≥ 60 ≥ 75 a3,t a3,t
a4,c [mm] ≥ 12 ≥ 12,5
CLT
a3,t [mm] ≥ 40 ≥ 30
• C/GL: distâncias mínimas para madeira maciça ou lamelada em conformidade com a norma EN
1995-1-1, de acordo com a ETA, considerando uma massa volúmica dos elementos de madeira
de ρk ≤ 420 kg/m3
• CLT: distâncias mínimas para Cross Laminated Timber de acordo com a ÖNORM EN 1995-1-1
(Anexo K) para pregos e a ETA-11/0030 para parafusos

INSTALAÇÃO WHTPLATE440 INSTALAÇÃO WHTPLATE540

O WHT PLATE 440 pode ser utilizado para diferentes sis- Na presença de requisitos de projeto, tais como graus va-
temas de construção (CLT/armação) e de ligação ao chão riáveis de tensão ou na presença de uma camada de nive-
(com/sem viga horizontal, com/sem camada de nivela- lamento entre a parede e a superfície de apoio, é possível
mento). Em função da presença e do tamanho HB da ca- adotar pregagens parciais pré-calculadas e otimizadas
mada intermédia, no respeito das distâncias mínimas das para influenciar o número efetivo nef de fixações na ma-
fixações do lado da madeira e do lado do betão, o WHT deira. São possíveis pregagens alternativas de acordo com
PLATE 440 deve ser posicionado de modo a que o anco- as distâncias mínimas para os conectores.
rante fique a uma distância da borda do betão:
130 mm ≤ cx ≤ 200 mm.

PARCIAL PARCIAL
30 FIXAÇÕES
30 fissaggi
15 FIXAÇÕES
15 fissaggi

CAMADA DE
NIVELAMENTO
HB

cx min
cx max

CX HB

[mm] [mm]
cx min = 130 70
cx max = 200 0

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | WHT PLATE C | 245


VALORES ESTÁTICOS | LIGAÇÃO DE TRAÇÃO | MADEIRA-BETÃO
WHTPLATE440

F1 F1

cx min
cx max

hmin

ESPESSURA MÍNIMA DO BETÃO hmin ≥ 200 mm


F1
R 1,K MADEIRA R 1,K AÇO R 1,d BETÃO

configuração fixação de furos Ø5 R1,k timber R1,k steel R1,d uncracked R1,d cracked R1,d seismic
VIN-FIX PRO VIN-FIX PRO EPO-FIX PLUS
tipo ØxL nv ØxL ØxL ØxL
[mm] [pçs.] [kN] [kN] γsteel [mm] [kN] [mm] [kN] [mm] [kN]

pregos LBA Ø4,0 x 60 18 35,0


• c2 min = 130 mm
• fixação total 34,8 γM2 M16 x 190 24,8 M16 x 190 17,6 M16 x 190 17,6
• 1 ancorante M16
parafusos LBS Ø5,0 x 60 18 31,8

pregos LBA Ø4,0 x 60 18 35,0


• c2 max = 200 mm
• fixação total 34,8 γM2 M16 x 190 31,2 M16 x 190 25,1 M16 x 190 17,6
• 1 ancorante M16
parafusos LBS Ø5,0 x 60 15(1) 27,5

ESPESSURA MÍNIMA DO BETÃO hmin ≥ 150 mm

R 1,K MADEIRA R 1,K AÇO R 1,d BETÃO

configuração fixação de furos Ø5 R1,k timber R1,k steel R1,d uncracked R1,d cracked R1,d seismic
EPO-FIX PLUS EPO-FIX PLUS EPO-FIX PLUS
tipo ØxL nv ØxL ØxL ØxL
[mm] [pçs.] [kN] [kN] γsteel [mm] [kN] [mm] [kN] [mm] [kN]

pregos LBA Ø4,0 x 60 18 35,0


• c2 min = 130 mm
• fixação total 34,8 γM2 M16 x 136 20,2 M16 x 136 14,3 M16 x 136 14,3
• 1 ancorante M16
parafusos LBS Ø5,0 x 60 18 31,8

pregos LBA Ø4,0 x 60 18 35,0


• c2 max = 200 mm
• fixação total 34,8 γM2 M16 x 136 28,8 M16 x 136 20,4 M16 x 136 17,6
• 1 ancorante M16
parafusos LBS Ø5,0 x 60 15(1) 27,5

NOTAS:
(1)
Para a configuração indicada na tabela, é recomendado não instalar os parafu-
sos da fila inferior a uma distância de3,t (extremidade sob tensão) = 15d = 75 mm.

246 | WHT PLATE C | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS


VALORES ESTÁTICOS | LIGAÇÃO DE TRAÇÃO | MADEIRA-BETÃO
WHTPLATE540
TOTAL PARCIAL PARCIAL
50 FIXAÇÕES 30 FIXAÇÕES 15 FIXAÇÕES

F1 F1 F1

hmin
ESPESSURA MÍNIMA DO BETÃO hmin ≥ 200 mm

R 1,K MADEIRA R 1,K AÇO R 1,d BETÃO(3)

configuração fixação de furos Ø5 R1,k timber R1,k steel R1,d uncracked R1,d cracked R1,d seismic
VIN-FIX PRO VIN-FIX PRO EPO-FIX PLUS
tipo ØxL nv ØxL ØxL ØxL
[mm] [pçs.] [kN] [kN] γsteel [mm] [kN] [mm] [kN] [mm] [kN]

pregos LBA Ø4,0 x 60 50 83,5


• fixação total
• 2 ancorantes M16
parafusos LBS Ø5,0 x 60 50 81,6

• fixação parcial(2) pregos LBA Ø4,0 x 60 30 70,8


30 fixações 70,6 γM2 M16 x 190 48,2 M16 x 190 34,2 M16 x 190 29,0
• 2 ancorantes M16 parafusos LBS Ø5,0 x 60 30 69,9

• fixação parcial(2) pregos LBA Ø4,0 x 60 15 35,4


15 fixações
• 2 ancorantes M16 parafusos LBS Ø5,0 x 60 15 35,0

ESPESSURA MÍNIMA DO BETÃO hmin ≥ 150 mm

R 1,K MADEIRA R 1,K AÇO R 1,d BETÃO(3)

configuração fixação de furos Ø5 R1,k timber R1,k steel R1,d uncracked R1,d cracked R1,d seismic
EPO-FIX PLUS EPO-FIX PLUS EPO-FIX PLUS
tipo ØxL nv ØxL ØxL ØxL
[mm] [pçs.] [kN] [kN] γsteel [mm] [kN] [mm] [kN] [mm] [kN]

pregos LBA Ø4,0 x 60 50 83,5


• fixação total
• 2 ancorantes M16
parafusos LBS Ø5,0 x 60 50 81,6

• fixação parcial(2) pregos LBA Ø4,0 x 60 30 70,8


30 fixações 70,6 γM2 M16 x 136 39,6 M16 x 136 28,0 M16 x 136 23,8
• 2 ancorantes M16 parafusos LBS Ø5,0 x 60 30 69,9

• fixação parcial(2) pregos LBA Ø4,0 x 60 15 35,4


15 fixações
• 2 ancorantes M16 parafusos LBS Ø5,0 x 60 15 35,0

NOTAS:
(2) (3)
No caso de configurações com pregagem parcial, os valores de resistência Os valores de resistência do lado do betão são válidos se os entalhes de
indicados na tabela são válidos para a instalação das fixações na madeira, montagem da chapa WHTPLATE540 forem posicionados na madeira-be-
de acordo com a1 > 10d (n ef= n) tão (cx = 260 mm).

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | WHT PLATE C | 247


PARÂMETROS DE INSTALAÇÃO DE ANCORANTES QUÍMICOS(1)
tipo de ancorante tfix hnom = hef h1 d0 hmin

tipo Ø x L [mm] [mm] [mm] [mm] [mm] [mm]


EPO-FIX PLUS 5.8 M16 x min 136 3 114 120 150
VIN-FIX PRO 18
M16 x 190 3 164 170 200
EPO-FIX PLUS 5.8
Barra roscada pré-cortada INA dotada de porca e anilha: consultar a pág. 520
Barra roscada MGS classe 8.8 para cortar à medida: consultar a pág. 534

tfix
t fix espessura da chapa fixada
L hnom profundidade de inserção
h1 hnom
hef profundidade efectiva de ancoragem
hmin
h 1 profundidade mínima do furo
d 0 diâmetro do furo de betão
hmin espessura mínima do betão

d0

DIMENSÃO DOS ANCORANTES ALTERNATIVOS


A fixação ao betão com ancorantes diferentes dos indicados na tabela, deve ser verificada com base na força de tensão sobre os mesmos
ancorantes, determináveis através dos coeficientes kt⊥. A força lateral de corte actuante sobre cada ancorante é obtida desta maneira:

γsteel

Fbolt ,d = kt F1,d
F1
kt⊥ coeficiente de excentricidade
F1 tensão de tracção actuante sobre a chapa WHT PLATE

kt⊥
WHTPLATE440 1,00
Fbolt⊥ Fbolt⊥
WHTPLATE540 0,50

A verificação do ancorante é satisfeita se a resistência ao corte de projecto, calculada considerando-se os efeitos de grupo, for maior do
que a tensão de projecto: Rbolt ⊥,d ≥ Fbolt ⊥,d.

NOTAS PARA PROJETO SISMICO

Considerar atentamente a real hierarquia das resistências em referência quer Os dados experimentais derivam de testes realizados no projecto de pesquisa
ao edifício global quer dentro do sistema de ligação. Experimentalmente, a Seismic-Rev e constam do relatório científico “Sistemas de ligação para edifí-
resistência final do prego LBA (e do parafuso LBS) resulta ser muito maior do cios de madeira: investigação experimental para a avaliação de rigidez, resis-
que a resistência característica avaliada conforme EN 1995. tência e ductilidade” (DICAM - Departamento de Engenharia Civil, Ambiental
Ex. prego LBA Ø4 x 60 mm: Rv,k = =2,8 - 3,6 kN de testes experimentais (variá- e Mecânica - UniTN).
vel de acordo com o tipo de madeira e espessura da chapa).

NOTAS:
(1)
Válidos para os valores de resistência indicados na tabela.

248 | WHT PLATE C | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS


PRINCÍPIOS GERAIS:

• Os valores característicos são conforme a norma EN 1995-1-1. Os valores • Em fase de cálculo, considerou-se uma massa volúmica dos elementos de
de projeto das ancoragens para betão são calculados de acordo com as ρ k = 350 kg/m3 e betão C25/30 com armação rara e espessura mínima in-
respetivas Avaliações Técnicas Europeias. dicada nas respetivas tabelas.
O valor de resistência de projeto da ligação é obtida a partir dos valores • Os valores de resistência de projeto do lado do betão são fornecidos pelo
indicados na tabela, desta forma: betão não fissurado (R 1,d uncracked), fissurado (R 1,d cracked) e, em caso de ve-
rificação sísmica (R 1,d seismic), para utilização do ancorante químico com
Rk, timber kmod barra roscada da classe de aço 5.8.
γM • Projetação sísmica na categoria de desempenho C2, sem requisitos de
Rd = min Rk, steel ductilidade nos ancorantes (opção a2 projetação elástica de acordo com a
EOTA TR045). Para ancorantes químicos, parte-se do princípio de que o es-
γsteel paço anular entre o ancorante e o furo da chapa esteja preenchido (α gap=1).
Rd, concrete • Os valores de resistência são válidos para as hipóteses de cálculo definidas
na tabela; para condições de contorno diferentes das indicadas na tabela
Rv,k timber kmod Os coeficientes kmod , γ M e γsteel devem ser considerados em função da (por ex., distâncias mínimas das bordas), o grupo de ancorantes do lado do
norma vigente utilizada para o cálculo. betão pode ser verificado utilizando o software de cálculo MyProject de
acordo com os requisitos do projeto.
• Os valores de resistência do lado da madeira R 1,k timber são calculados con-
siderando o número efetivo de acordo com o Prospeto 8.1 (EN 1995-1-1) • A dimensão e a verificação dos elementos de madeira e de betão devem ser
feitas à parte.

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | WHT PLATE C | 249


WHT PLATE T TIMBER EN 14545

CHAPAS PARA FORÇAS DE TRAÇÃO

GAMA COMPLETA
Disponível em 3 versões de diferentes espessuras, materiais e alturas.
A tríade pitagórica fornece diferentes níveis de resistência à tração.

TRAÇÃO
Chapas prontas a utilizar: calculadas, certificadas para forças de tração
em ligações madeira-madeira. Três níveis diferentes de resistência.

SISMA E VÁRIOS ANDARES


Ideal para a conceção de edifícios multi-pisos para diferentes espessuras
de laje. Resistência característica à tração superior a 150 kN.

CARATERÍSTICAS
FOCUS ligações de tração em madeira
ALTURA de 600 a 820 mm
ESPESSURA de 3,0 a 5,0 mm
FIXAÇÕES HBS PLATE, HBS PLATE EVO

MATERIAL
Chapa bidimensional furada de aço carbónico
electrogalvanizado.

CAMPOS DE APLICAÇÃO
Ligações de corte madeira-betão para painéis
e vigas de madeira
• CLT, LVL
• madeira maciça e lamelar
• estrutura de armação (platform frame)
• painéis à base de madeira

250 | WHT PLATE T | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS


MULTI-STOREY
Ideal para ligações de tração dos edifícios
multi-pisos em CLT que requerem uma eleva-
da resistência à tração. Geometria otimizada
para uma fixação segura.

HBS PLATE
Ideal em combinações com parafusos HBS
PLATE ou HBS PLATE EVO. A cabeça dos pa-
rafusos tem uma forma troncocónica e uma
espessura acrescida para fixar em total segu-
rança e confiabilidade as chapas à madeira.

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | WHT PLATE T | 251


CÓDIGOS E DIMENSÕES
WHT PLATE T

CÓDIGO H B nv Ø11 s pçs

[mm] [mm] [pçs.] [mm]


WHTPT600 594 91 30 3 10 H
WHTPT720 722 118 56 4 5
WHTPT820 826 145 80 5 1

HBS PLATE

CÓDIGO d1 L b TX pçs d1

[mm] [mm] [mm] L

HBSP880 8 80 55 TX40 100


HBSP8100 8 100 75 TX40 100

MATERIAL E DURABILIDADE FORÇAS


WHT PLATE T: aço carbónico S355 com eletrogalvanização.
Utilização em classes de serviço 1 e 2 (EN 1995-1-1). F1

CAMPOS DE EMPREGO
• Ligações madeira-madeira

GEOMETRIA
WHTPT600 WHTPT720 WHTPT820
145 5
Ø11
118 4
Ø11
91 3
32
Ø11 48
32
48
32
48
826 252
722 212

594 212

252 | WHT PLATE T | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS


INSTALAÇÃO a4,c

MADEIRA parafusos
distâncias mínimas HBS PLATE Ø8
a4,c [mm] ≥ 20 a3,t
CLT
a3,t [mm] ≥ 48

As chapas WHT PLATE T foram concebidas para diferentes espessuras de laje, incluindo
pefil acústico resiliente. Os entalhes de posicionamento, como auxílio de montagem,
indicam a distância máxima permitida (D) entre os painéis da parede em CLT de acordo
com as distâncias mínimas para os parafusos HBS PLATE Ø8 mm. Esta distância inclui
o espaço necessário para o alojamento do perfil acústico (sacoustic). s
H D
CÓDIGO D Hmax laje sacoustic
s
[mm] [mm] [mm]
WHTPT600 212 200 6+6
WHTPT720 212 200 6+6
WHTPT820 252 240 6+6

VALORES ESTÁTICOS | LIGAÇÃO DE TRAÇÃO | MADEIRA-MADEIRA


WHT PLATE T
F1
R 1,K MADEIRA R 1,K AÇO

fixação de furos Ø11 R1,k timber R1,k steel


HBS PLATE
CÓDIGO nv
ØxL
[mm] [pçs.] [kN] [kN] γsteel
Ø8,0 x 80 15 + 15 56,8
WHTPT600 80,3 γM2
Ø8,0 x 100 15 + 15 62,1
Ø8,0 x 80 28 + 28 104,7
WHTPT720 135,9 γM2
Ø8,0 x 100 28 + 28 115,8
Ø8,0 x 80 40 + 40 158,5
WHTPT820 206,6 γM2
Ø8,0 x 100 40 + 40 176,1

PRINCÍPIOS GERAIS:

• Os valores característicos são conforme a norma EN 1995-1-1 e Os coeficientes kmod , γ M e γsteel devem ser considerados em função da
ETA-11/0030. norma vigente utilizada para o cálculo.
Os valores de projeto são obtidos a partir dos valores característicos, desta • Em fase de cálculo, considerou-se uma massa volúmica dos elementos de
forma: madeira equivalente a ρ k = 350 kg/m3 .
Rk timber kmod • A dimensão e a verificação dos elementos de madeira devem ser feitas à parte.

γM
Rd = min
Rk steel
γsteel

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | WHT PLATE T | 253


TITAN PLATE C CONCRETE EN 14545

CHAPAS PARA FORÇAS DE CORTE

VERSÁTIL
Utilizável para a ligação contínua à subestrutura quer de painéis CLT
(Cross Laminated Timber) quer de painéis armados.

INOVADORA
Concebida para ser fixada com pregos ou parafusos, com fixação parcial
ou total. Possibilidade de instalação mesmo na presença de argamassa
de assentamento.

CALCULADA E CERTIFICADA
Marcação CE conforme EN 14545. Disponível em duas versões. TCP300
com espessura aumentada e otimizada para CLT.

CARATERÍSTICAS
FOCUS ligações de corte em betão
ALTURA 200 | 300 mm
ESPESSURA 3,0 | 4,0 mm
FIXAÇÕES LBA, LBS, VIN-FIX PRO, EPO-FIX PLUS, AB1, SKR

MATERIAL
Chapa bidimensional furada de aço carbónico
electrogalvanizado.

CAMPOS DE APLICAÇÃO
Ligações de corte madeira-betão para painéis
e vigas de madeira
• CLT, LVL
• madeira maciça e lamelar
• estrutura de armação (platform frame)
• painéis à base de madeira

254 | TITAN PLATE C | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS


SOBRE-ELEVAÇÕES
Ideal para realizar ligações planas entre ele-
mentos de betão ou alvenaria e painéis em CLT.
Realização de ligações contínuas de corte.

LANCIL DE BETÃO
Configurações versáteis de fixação. Soluções
concebidas, calculadas, testadas e certificadas
com fixação parcial e total, com direção hori-
zontal ou vertical da fibra.

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | TITAN PLATE C | 255


CÓDIGOS E DIMENSÕES
TITAN PLATE TCP

CÓDIGO B H furos nv Ø5 s pçs

[mm] [mm] [pçs.] [mm] H


TCP200 200 214 Ø13 30 3 10
TCP300 300 240 Ø17 21 4 5
B

MATERIAL E DURABILIDADE FORÇAS


TCP200: aço carbónico DX51D+Z275.
TCP300: aço carbónico S355 com eletrogalvanização.
Utilização em classes de serviço 1 e 2 (EN 1995-1-1).

F2 F3
F2/3

CAMPOS DE EMPREGO
• Ligações madeira-betão

PRODUTOS ADICIONAIS - FIXAÇÕES


tipo descrição d suporte pág.

[mm]
LBA prego Anker 4 548
LBS parafuso para chapas 5 552
SKR ancorante parafusável d1 12 - 16 488
VIN-FIX PRO ancorante químico L M12 - M16 511
EPO-FIX PLUS ancorante químico M12 - M16 517

GEOMETRIA
TCP 300
TCP200 TCP300

Ø5 5 42 19 4
Ø5 20 10 3
10
10 20
20 20
20 30
10
32
240
214
cx=130
Ø13 cx=90 Ø17

32 30

25 75 75 25
30 240 30
200
300

256 | TITAN PLATE C | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS


INSTALAÇÃO

MADEIRA pregos parafusos


distâncias mínimas LBA Ø4 LBS Ø5 a4,t a3,t
C/GL a4,t [mm] ≥ 20 ≥ 25
CLT a3,t [mm] ≥ 28 ≥ 30
• C/GL: distâncias mínimas para madeira maciça ou lamelada em conformidade com a norma EN 1995-1-1,
de acordo com a ETA, considerando uma massa volúmica dos elementos de madeira de ρk ≤ 420 kg/m3
• CLT distâncias mínimas para Cross Laminated Timber de acordo com a ÖNORM EN 1995-1-1 (Anexo K)
para pregos e a ETA-11/0030 para parafusos

FIXAÇÃO PARCIAL
Na presença de requisitos de projeto, tais como graus variáveis de tensão ou na presença de uma camada de nivelamento entre a parede e
a superfície de apoio, é possível adotar pregagens parciais pré-calculadas ou posicionar as chapas de acordo com as necessidades (por ex.,
chapas rebaixadas), tendo o cuidado de respeitar as distâncias mínimas indicadas na tabela e verificar a resistência do grupo de ancorantes
do lado do betão tendo em conta o aumento da distância da borda (cx). Seguem-se alguns exemplos de possíveis configurações de limites:

TCP200

� 60 mm nails
� 70 mm screws
�30 �40

90 130
90

PARCIAL 15 FIXAÇÕES - CLT PARCIAL 15 FIXAÇÕES - C/GL CHAPA REBAIXADA - C/GL

TCP300

80
20 40

130 150
130

PARCIAL 14 FIXAÇÕES - CLT PARCIAL 7 FIXAÇÕES - CLT CHAPA REBAIXADA - C/GL

MONTAGEM

Posicionar TITAN TCP com a linha trace- Remoção da chapa TITAN TCP e furação Limpeza cuidadosa dos furos
jada na junção madeir- betão e marcar do betão
os furos

Injecção do ancorante e posicionamento Instalação da chapa TITAN TCP e pregagem Posicionamento de porcas e anilhas me-
das barras roscadas diante um adequado torque de aperto

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | TITAN PLATE C | 257


VALORES ESTÁTICOS | LIGAÇÃO DE CORTE | MADEIRA-BETÃO
TCP200

F2/3 F2/3

ey ey

ev

TOTAL PARCIAL

RESISTÊNCIA DO LADO DA MADEIRA


MADEIRA AÇO BETÃO
(1) (2)
configuração fixação de furos Ø5 R2/3,k timber R2/3,k CLT R2/3,k steel fixação de furos Ø13
sobre madeira tipo ØxL nv Ø nv ey (3)
[mm] [pçs.] [kN] [kN] [kN] γsteel [mm] [pçs.] [mm]

pregos LBA Ø4,0 x 60 30 55,6 70,8


• fixação total 21,8 γM2 147
parafusos LBS Ø5,0 x 60 30 54,1 69,9
M12 2
pregos LBA Ø4,0 x 60 15 27,8 35,4
• fixação parcial 20,5 γM2 162
parafusos LBS Ø5,0 x 60 15 27,0 35,0

RESISTÊNCIA DO LADO DO BETÃO


Valores de resistência no betão de algumas das possíveis soluções de ancoragem, de acordo com as configurações adotadas para a fixa-
ção em madeira (ey). Partindo do princípio de que a chapa está posicionada com os entalhes de montagem na interface madeira-betão
(distância ancorante-borda betão cx = 90 mm).

fixação total (ey = 147 mm) fixação parcial (ey = 162 mm)

configuração fixação de furos Ø13 R2/3,d concrete


sobre betão tipo ØxL
[mm] [kN] [kN]

VIN-FIX PRO 5.8 M12 x 130 14,3 13,0

• não fissurado SKR-E 12 x 90 12,6 11,4

AB1 M12 x 100 13,1 11,9

VIN-FIX PRO 5.8 M12 x 130 10,1 9,2

• fissurado SKR-E 12 x 90 8,9 8,1

AB1 M12 x 100 9,2 8,4

EPO-FIX PLUS 5.8 M12 x 130 6,5 6,1


• seismic
EPO-FIX PLUS 5.8 M12 x 180 9,3 8,4

NOTAS:
(1) (3)
Valores de resistência para utilização em vigas horizontais de madeira ma- Excentricidade de cálculo para a verificação do grupo de ancorantes sobre
ciça ou lamelada, calculados considerando o numero efetivo de acordo betão.
com o Prospeto 8.1 (EN 1995 -1-1).
(2)
Valores de resistência para utilização em CLT.

258 | TITAN PLATE C | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS


VALORES ESTÁTICOS | LIGAÇÃO DE CORTE | MADEIRA-BETÃO
TCP300

F2/3 F2/3
F2/3

ey ey ey

TOTAL PARCIAL PARCIAL


14 FIXAÇÕES 7 FIXAÇÕES

RESISTÊNCIA DO LADO DA MADEIRA


MADEIRA AÇO BETÃO
(1) (2)
configuração fixação de furos Ø5 R2/3,k timber R2/3,k CLT R2/3,k steel fixação de furos Ø17
sobre madeira tipo ØxL nv Ø nv ey(3)
[mm] [pçs.] [kN] [kN] [kN] γsteel [mm] [pçs.] [mm]

pregos LBA Ø4,0 x 60 21 38,4 49,6


• fixação total 64,0 γM2 180
parafusos LBS Ø5,0 x 60 21 36,9 48,9

pregos LBA Ø4,0 x 60 14 25,6 33,0


• fixação parcial
14 fixações
60,5 γM2 M16 2 190
parafusos LBS Ø5,0 x 60 14 24,6 32,6

pregos LBA Ø4,0 x 60 7 12,8 16,5


• fixação parcial
7 fixações
57,6 γM2 200
parafusos LBS Ø5,0 x 60 7 12,3 16,3

RESISTÊNCIA DO LADO DO BETÃO


Valores de resistência no betão de algumas das possíveis soluções de ancoragem, de acordo com as configurações adotadas para a fixação
em madeira (ey). Partindo do princípio de que a chapa seja posicionada com os entalhes de montagem na interface madeira-betão (distân-
cia ancorante-borda betão cx = 130 mm).

fixação total (ey = 180 mm) fixação parcial (ey = 190 mm) fixação parcial (ey = 200 mm)

configuração fixação de furos Ø17 R2/3,d concrete


sobre betão tipo ØxL
[mm] [kN] [kN] [kN]

VIN-FIX PRO 5.8 M16 x 190 34,4 32,7 31,1

• não fissurado SKR-E 16 x 130 29,7 28,2 26,8

AB1 M16 x 145 30,2 28,7 27,3

VIN-FIX PRO 5.8 M16 x 190 24,4 23,2 22,0

• fissurado SKR-E 16 x 130 21,0 19,9 19,0

AB1 M16 x 145 21,4 20,3 19,3

EPO-FIX PLUS 5.8 M16 x 190 16,6 16,0 15,4


• seismic
EPO-FIX PLUS 8.8 M16 x 230 21,1 20,3 19,4

PRINCÍPIOS GERAIS:

Princípios gerais de cálculo, consultar a pág. 260

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | TITAN PLATE C | 259


PARÂMETROS DE INSTALAÇÃO ANCORANTES | TCP200 - TCP300

instalação tipo de ancorante tfix hef hnom h1 d0 hmin

tipo Ø x L [mm] [mm] [mm] [mm] [mm] [mm] [mm]

VIN-FIX PRO
M12 x 130 3 112 112 120 14
EPO-FIX PLUS 5.8
SKR-E 12 x 90 3 64 87 110 10 150
TCP200
AB1 M12 x 100 3 70 80 85 12

EPO-FIX PLUS 5.8 M12 x 180 3 161 161 170 14 200


VIN-FIX PRO
M16 x 190 4 164 164 170 18
EPO-FIX PLUS 5.8
SKR-E 16 x 130 4 85 126 150 14 200
TCP300
AB1 M16 x 145 4 85 97 105 16

EPO-FIX PLUS 8.8 M16 x 230 4 200 200 205 14 240


Barra roscada pré-cortada INA dotada de porca e anilha: consultar a pág. 520
Barra roscada MGS classe 8.8 para cortar à medida: consultar a pág. 534

tfix
t fix espessura da chapa fixada
L hnom profundidade de inserção
h1 hnom hef profundidade efectiva de ancoragem
hmin h 1 profundidade mínima do furo
d 0 diâmetro do furo de betão
hmin espessura mínima do betão

d0

VERIFICAÇÃO DOS ANCORANTES PARA BETÃO | TCP200 - TCP300


A fixação ao betão por meio de ancorantes deve ser verificada com base nas forças de tensão sobre os próprios ancorantes, que depen-
dem da configuração de fixação do lado da madeira.
A posição e o número de pregos/parafusos determinam o valor de excentricidade ey, entendido como a distância entre o centro de gravi-
dade da pregagem e o dos ancorantes.

O grupo de ancorantes deve ser verificado quanto a: F2/3 F2/3

VSd,x = F2/3,d
ey ey
MSd,z = F2/3,d x ey

PRINCÍPIOS GERAIS:

• Os valores característicos são conforme a norma EN 1995-1-1. Os valores • Em fase de cálculo, considerou-se uma massa volúmica dos elementos de
de projeto das ancoragens para betão são calculados de acordo com as ρ k = 350 kg/m3 e betão C25/30 com armação rara e espessura mínima in-
respetivas Avaliações Técnicas Europeias. dicada na tabela.
O valor de resistência de projeto da ligação é obtida a partir dos valores • A dimensão e a verificação dos elementos de madeira e de betão devem ser
indicados na tabela, desta forma: feitas à parte.

kmod (Rk, timber or Rk, CLT ) kmod • Os valores de resistência são válidos para as hipóteses de cálculo definidas
, timber
na tabela; para condições de contorno diferentes das indicadas na tabela
γM (por ex., distâncias mínimas das bordas), os ancorantes do lado do betão
Rd = min Rk, steel podem ser verificados utilizando o software de cálculo MyProject de acor-
γsteel do com os requisitos do projeto.
• Projetação sísmica na categoria de desempenho C2, sem requisitos de
Rd, concrete
ductilidade nos ancorantes (opção a2) projetação elástica de acordo com a
EOTA TR045. Para ancorantes químicos, parte-se do princípio de que o es-
Os coeficientes kmod, γ M e γsteel devem ser considerados em função da nor- paço anular entre o ancorante e o furo da chapa esteja preenchido (α gap=1).
ma vigente utilizada para o cálculo.

260 | TITAN PLATE C | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS


INVESTIGAÇÕES EXPERIMENTAIS | TCP300
A fim de calibrar os modelos numéricos utilizados para a conceção e verificação da chapa TCP300, foi realizada uma campanha experi-
mental em colaboração com o Instituto de BioEconomia (IBE) - San Michele all'Adige.
O sistema de ligação, pregado ou aparafusado aos painéis em CLT, foi submetido a tensão de corte através de testes monotónicos em
controlo do deslocamento, registando a respetiva carga, deslocamento nas duas direções principais e modo de colapso.
Os resultados obtidos foram utilizados para validar o modelo de cálculo analítico para a chapa TCP300, com base na hipótese de que o
centro de corte é colocado no centro de gravidade das fixações na madeira e, portanto, que os ancorantes, geralmente o ponto fraco do
sistema, são submetidas a tensão não só pelas ações de corte, mas também pelo momento local.
O estudo em diferentes configurações de fixação (pregos Ø4/parafusos Ø5, pregagem total, pregagem parcial com 14 conectores, pre-
gagem parcial com 7 conectores) mostra que o comportamento mecânico da chapa é fortemente influenciado pela respetiva rigidez dos
conectores na madeira em relação à dos ancorantes, em testes simulados por aparafusamento em aço.
Em todos os casos observou-se um modo de rutura de corte das fixações na madeira que não provoca rotações evidentes da chapa.
Apenas em alguns casos (pregagem total) a rotação não negligenciável da chapa provoca um aumento da tensão nas fixações da madeira
resultante de uma redistribuição do momento local com o consequente alívio da tensão nos ancorantes, que representam o ponto limita-
dor da resistência global do sistema.

60 60

50 50
46,8

40 40
up
Load [kN]

Load [kN]

30 30

20 20

10 10

0 down
0 5 10 15 20 25 -1,5 -0,5 0,5 1,5
Displacement vy [mm] Displacement vx [mm]

vx up
vx down

Diagramas força-deslocamento para amostra TCP300 com pregagem parcial (n. 14 pregos LBA Ø4 x 60 mm).

São necessárias mais investigações para definir um modelo analítico que possa ser generalizado às diferentes configurações de utilização
da chapa, capaz de fornecer a rigidez real do sistema e a redistribuição das tensões à medida que as condições de contorno (conectores
e materiais de base) variam.

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | TITAN PLATE C | 261


TITAN PLATE T TIMBER EN 14545

CHAPAS PARA FORÇAS DE CORTE

MADEIRA-MADEIRA
Chapas ideais para a ligação plana das vigas horizontais de madeira aos
painéis estruturais de madeira.

CHAPAS DE CORTE
Resistências ao corte calculadas com fixação parcial e total em madeira
maciça, madeira lamelada e CLT.

CALCULADA E CERTIFICADA
Marcação CE de acordo com a norma europeia EN 14545. Disponível em
duas versões. Versão TTP300 ideal para CLT.

CARATERÍSTICAS
FOCUS ligações de corte madeira-madeira
ALTURA 200 | 300 mm
ESPESSURA 3,0 mm
FIXAÇÕES LBA, LBS

MATERIAL
Chapa bidimensional furada de aço carbónico
electrogalvanizado.

CAMPOS DE APLICAÇÃO
Ligações de corte madeira-madeira para pai-
néis e vigas de madeira
• CLT, LVL
• madeira maciça e lamelar
• estrutura de armação (platform frame)

262 | TITAN PLATE T | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS


CÓDIGOS E DIMENSÕES
TITAN PLATE TTP
CÓDIGO B H nv1 Ø5 nv2 Ø5 s pçs
H
[mm] [mm] [pçs.] [pçs.] [mm]
TTP200 200 105 7 7 3 10
TTP300 300 200 42 14 3 5
B

MATERIAL E DURABILIDADE FORÇAS


TTP200: aço carbónico com eletrogalvanização.
TTP300: aço carbónico electrogalvanização.
Utilização em classes de serviço 1 e 2 (EN 1995-1-1).

F2 F3 F2,3

CAMPOS DE EMPREGO
• Ligações madeira-madeira

PRODUTOS ADICIONAIS - FIXAÇÕES


tipo descrição d suporte pág.

[mm]
LBA prego Anker 4 548
LBS
TTP 200
parafuso para chapas
TTP 300
5 552

GEOMETRIA
TTP200 TTP300
21 21 11
Ø5 Ø5

5 8
25
25
105 5
40
50
8 200
16 28 28 3
50
200
25
5

5 42 42 22 3

300

CLT
A versão da 300 mm é especialmente conce-
bida para maximizar a resistência ao corte em
estruturas CLT. Ideal para ligar as vigas hori-
zontais da laje às paredes estruturais.

TIMBER FRAME
A versão de 200 mm também permite a fixa-
ção das vigas horizontais na fundação (altura
superior a 8 cm) ao painel estrutural superior,
tanto em estruturas CLT, como em estruturas
TIMBER FRAME.

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | TITAN PLATE T | 263


INSTALAÇÃO
As chapas TTP podem ser utilizadas tanto em CLT, como em elementos de madeira maciça/lamelada e devem ser posicio-
nadas com os entalhes de montagem na interface madeira-madeira.
No caso de fixação em viga/viga horizontal, a dimensão mínima HB dos elementos é indicada na tabela relativa aos esque-
mas de instalação.

HB MIN [mm]
pregos parafusos
LBA Ø4 LBS Ø5
TTP200 fixação total 75