Вы находитесь на странице: 1из 4

SOCIOLOGIA

Função: Integrar estudos ao mesmo tempo manter a independência


jurídica

SOCIOLOGIA JURIFIDICA: Estudo do Jurídico como Fato Social com uma


visão critica da Realidade.

CULTURA: O SABER HUMANO

A ação do homem produz dois resultados:


1.Objetos artificiais = Cultura
2.Idéias

A palavra cultura deriva de “Colere”(cuidar, Criar, Cultivar) – Cultura é


todo saber que resulta da Intervenção do homem sobre a natureza, bem
como os produtos desta intervenção.

DIFERENÇAS:
Animal sete na escala biologia.

Nível mais baixo:


Insetos: instinto e reflexo;
Instinto = Programação biológica idêntica na espécie, rígida,
invariável.

Nível mais alto:


Primatas inteligência = Resposta Pessoal, improvisada
Inteligência Concreta: depende da experiência vivida “Aqui e
agora”; o ato não domina o tempo. O animal não inventa o
instrumento, o gesto não tem sequencia. Ele não trabalha porque
sua ação é deliberada, intencional, não transforma a natureza.

Homem: O trabalho humanos é ação movida por finalidades conscientes:


Inteligência Abstrata supera o “aqui e Agora” passa a existir no tempo.
Lembra o passado pela língua simbólica, desenvolve comportamentos
que dependem da educação.

Atividade – Não muda a natureza e o animal – não pode ser considerada


trabalho;

Atividade Humana = muda o homem e a natureza = Trabalho – Ação


movida por finalidades conscientes
Símbolo
Signo – Marca -Uma coisa que substitui outra; Ex.: Ícone, Índice,
Símbolo: nome da pessoa

Sempre que o Produto da ação for antecipado pelo conhecimento é


cultura:

Cultura é o processo pelo qual acumulamos as experiências,


discernimos as de efeito favorável e as convertemos em idéias, a
principio coladas as realidades sensíveis e depois generalizadas.

Cultura = Valorização da experiência positiva – Conforme local


transforma-se – depende do consciente coletivo.

O mundo resulta da ação humana não é mais natural


É cultural
O homem que se autoproduziu

Não existe uma natureza humana (essência universal)

O Conhecimento como característica da humanidade;


Todas as espécies – formas de relacionamento regulares
Preservação
Homem – Além dos processos de sobrevivência, desenvolveu
capacidades que dependem do aprendizado.
Transformou experiências em discurso
Travou com o mundo uma relação dotada de significado de
avaliação;
Relatora a experiência na forma da linguagem e recria o mundo
seguindo suas necessidades, transformando-o em conhecimento.
Cada grupo compartilhando experiências criou formas próprias de
cultura, todas qualitativamente comparáveis – processos.
A procura de melhor forma de agir transforma-se em ritual;
O homem passa das experiências das explicações – conhecimento

Conhecimento – Trata-se de uma luta/julgamento/avaliação do mundo


físico;

Ritual – Fazer de novo – Re-atualizar

Renascimento: Século XV -Movimento Artístico;


e XVI – Duas visões -Movimento de ruptura com o mundo
medieval
Mundo Medieval-Agrario
(Feudalismo)
Estatal
Transição – Urbano / para o
Teocratico
Capitalismo
Fundiário
Mundo monarquico - Comercial
Europa: Antes fechada eAgora: Expansão Comercial e Marítima -
Estável Abertura

Identidade do Homem:
Medieval -> Baseada no clã e na propriedade fundiária;
Moderno -> Laica. Voltada para preocupações imediatas
antroprocentrismo

O ILUMINISMO –SEC. XVIII

O Renascimento ( Sec. XV e XVI) inicio da sistematização do


pensamento
No séc XVIII a burguesia avança para uma forma de pensar própria para
transformar o conhecimento num processo que desse frutos em termos
de utilidade pratica. O desenvolvvimento industrial prometia lucros Era
preciso preparar a sociedade mudar hábitos, formar uma mentalidade
receptiva a inovações, empenho nas pesquisas. Esse surto de idéias foi
chamado de iluminismo. Além disso, a burguesia precisava lutar pela
livre iniciativa. A ilustração foi pragmática e liberal -> impôs uma nova
ordem econômica.
Mercantilismo -> Transações entre governos.
Liberalismo -> Negócios entre particulares
A filosofia do sec XVIII Fisiocratas (economista), idéia de que a
economia é regida pelas leis naturais de oferta e procura principal fonte
de riqueza. A agricultura, a vida social também seriam regidas por uma
racionalidade intriseca.

O pensamento político dos séculos XVII e XIX tentativa de justificar


racionalmente e legitimar o poder do estado sem recorrer a exploração
religiosa. Teoria do contrato Social - Principais autores john Locke, JJ
Rosseau e Thomas hobbes ( 1538-1671)

Hipótese Lógica ( e não histérica)

Estado de Natureza: o ser humano tem direito a tudo. O direito de


natureza (JUS naturale) é a liberdade que cada homem possui de usar
seu próprio poder de maneira que quiser para preservação de sua vida.

Estado de anarquia: Insegurança, Angustia (O homem é o lobo homem,


guerra de todos contra todos)
O indivíduo reconhece a necessidade de renunciar a seu direito e fazer
um pacto pelo qual abdica da sua vontade em favor de um homem ou
uma assembléia de homens. Assim não sendo o homem sociável por
natureza o será por artificio.
Antes do pacto: Monarca – súditos
Depois de pacto: Soberano – cidadoas – segurança/ direito e deveres =
SOCIEDADE CIVIL
A filosofia social do iluminismo levaria a descoberta das fases materiais
das relações sociais. ADAM SMITH ( 1723-1790) fundador da ciência
econômica: “ O Trabalho Fonte de Riqueza”, condena o controle estatal
da economia e o sistema colonial.