Вы находитесь на странице: 1из 430

FORMEI

Tesauro
FORMEI

APRESENTAÇÃO
ALFABÉTICA
REDE DE CENTROS DE RECURSOS EM
CONHECIMENTO

Tesauro FORMEI

Lisboa, 2010
FICHA TÉCNICA

Editor
Instituto do Emprego e Formação Profissional

Autor
Grupo de Trabalho da Documentação da Rede de Centros de Recursos em
Conhecimento

Coordenação
Ana Santos Amaral

Local de Edição
Lisboa

Data
2010

2
Índice

1. Introdução 5
2. Importância da indexação 6
3. O Tesauro FORMEI 7
3.1. Metodologia 8
3.2. Aquisição do módulo de construção de tesauros WinLib 2000 10
3.3. Estrutura do tesauro 11
3.3.1. Termos de indexação 11
3.3.2. Apresentação dos termos 11
3.3.3. Relações hierárquicas 12
3.3.4. Relações associativas 12
3.3.5. Definições e notas de aplicação 13
3.3.6. Forma de apresentação do tesauro 13
3.4. Gestão do tesauro 13
4. Pesquisa no Tesauro FORMEI 14

Tesauro FORMEI - Domínios Temáticos 18

Tesauro FORMEI – Lista Alfabética

3
4
1 - INTRODUÇÃO

O Grupo de Trabalho da Documentação da Rede de Centros de Recursos em


Conhecimento, iniciou o seu funcionamento em Fevereiro de 2004. A necessidade de
se constituir este Grupo decorreu da verificação de que havia já um número apreciável
de Centros de Recursos em Conhecimento que estavam a disponibilizar a informação
sobre os seus fundos documentais no Catálogo Bibliográfico Colectivo da Rede,
designado de Base FORMEI e previa-se que outros pudessem vir a fazê-lo
proximamente. Tornava-se, assim, necessária a conciliação das práticas de
catalogação, indexação e classificação de cada um, com vista a garantir-se a coerência
e a qualidade da base.

Pareceu, pois, de grande pertinência, a formação de um grupo de trabalho que


reflectisse sobre estas questões e propusesse um conjunto de regras que viessem a ser
observadas por todos, de forma a garantir-se a qualidade dessa base.

Foram convidados a fazer parte deste grupo, coordenado pelo Instituto para a
Qualidade na Formação, então gestor do projecto rede de Centros de Recursos em
Conhecimento, os CRC das seguintes entidades: Instituto de Solidariedade e
Segurança Social, Direcção Geral de Formação Vocacional, Fundação Alentejo,
Direcção Regional da Juventude, Emprego e Formação Profissional dos Açores, Escola
Superior de Biotecnologia da Universidade Católica do Porto, Direcção Regional de
Formação Profissional da Madeira, PRIMUS, Instituto de Segurança Higiene e Saúde
no Trabalho, o Catim e a EPRAL. Os participantes eram técnicos com formação pós-
graduada em Ciências Documentais, e técnicos profissionais de BAD com uma
experiência longa de trabalho na área do tratamento documental.

Uma das primeiras preocupações deste GTD foi a análise das práticas e dos
instrumentos de indexação de documentos, adoptadas pelos diversos CRC. Essa
preocupação justificava-se uma vez que a indexação por assunto é uma das formas
mais directas de acesso ao conteúdo dos documentos.

5
2 – IMPORTÂNCIA DA INDEXAÇÃO

Para se recuperarem documentos cujo conteúdo corresponda a uma pesquisa


específica, é imprescindível que eles sejam previamente indexados, isto é, que cada
documento seja analisado de forma a identificarem-se os assuntos nele tratados, que se
representam depois por termos, que deverão ser utilizados sempre que esses assuntos
ocorram noutros documentos.

Não se trata de uma indexação automática como a que encontramos, por exemplo, nas
pesquisas na Internet. Trata-se de um processo intelectual que recorre à análise do
conteúdo dos documentos e à síntese dos assuntos mais importantes, traduzidos em
uns poucos termos, simples ou compostos.

Parece um processo simples, mas quando se tem documentação reunida ao longo de


algum tempo, tratada por pessoas diferentes, surgem problemas de inconsistência na
indexação. Este problema poderá ser minimizado se o indexador tiver o apoio de uma
linguagem documental, isto é, um vocabulário controlado onde esteja resolvida a
questão da sinonímia e a ambiguidade própria da linguagem natural.

A análise dos processos de indexação dentro da Rede, feita pelo GTD, revelou
situações muito diversas. A grande diversidade de áreas temáticas dos fundos
documentais dos CRC que estavam a participar no catálogo colectivo - as áreas
comuns limitavam-se às da formação profissional e educação - determinava que
estivessem a utilizar-se instrumentos de indexação muito diversificados, que incluíam
diferentes linguagens documentais, listagens de palavras-chave sem controlo
semântico, as classes da Classificação Decimal Universal como descritores de assunto
ou, simplesmente, a linguagem natural.

A Linguagem das Questões Sociais, a mais comummente utilizada, servia relativamente


bem para tratar os documentos da área dos temas sociais, mas ficava aquém das
necessidades no que respeitava a outros domínios. Alguns dos CRC utilizavam
linguagens próprias, outros seguiam tesauros internacionais como o EUROVOC, o
Tesauro Europeu da Educação, o da OIT, o do CEDEFOP, etc., outros, mas nenhum

6
deles servia, por si só, toda a rede, havendo termos que se encontravam em todos eles,
organizados de forma diferente, nuns contemplando-se a forma singular, noutros a
plural. Além disso, nem todas as temáticas tinham um tesauro correspondente.

Uma vez que o trabalho em rede implicava o tratamento descentralizado da informação,


tornou-se evidente a necessidade de um instrumento comum que normalizasse tanto
quanto possível a análise de assunto e que contivesse os termos necessários a cada
uma das áreas temáticas.

O Grupo de Trabalho da Documentação concluiu que a utilização de vários tesauros


dificultava a consistência da indexação e por isso seria preferível conceber um tesauro
próprio para a Rede de Centros de Recursos em Conhecimento que permitisse a
organização e gestão do vocabulário a utilizar na indexação dos documentos integrados
no catálogo colectivo, que fosse evolutivo, permitindo a inclusão de novas temáticas, à
medida que outros CRC fossem aderindo e, sobretudo, que pudesse ser objecto de
actualização permanente.

Seria também um instrumento necessário para uma eficaz recuperação de informação,


porque disponibilizaria ao utilizador a mesma terminologia usada pelo indexador.

3 – O TESAURO FORMEI

A primeira tarefa com vista à construção do então designado Tesauro FORMEI consistiu
na identificação do tesauro já em uso que pudesse ser tomado como ponto de partida.
Pretendia-se que reunisse termos utilizados pela maioria dos CRC e concluiu-se que
seria o EUROVOC, não só porque era o mais abrangente em termos de áreas do
conhecimento contempladas, como por ter também um bom desenvolvimento nas áreas
comuns, como a educação, a formação profissional e o emprego. Este seria
complementado com descritores retirados do tesauro do CEDEFOP, específico da
Formação Profissional, do TEE para a temática da educação, do CIS para a higiene,
segurança e saúde no trabalho, do da OIT para as questões do emprego, da Linguagem
das Questões Sociais para o trabalho e segurança social. As estes acrescentar-se-iam
outros de temáticas mais específicas como as do ambiente, da arte, etc. Nos casos em

7
que não existem tesauros a terminologia seria seleccionada em obras de referência ou
glossários devidamente validados

Uma das principais razões para a compilação de um tesauro próprio foi a possibilidade
de se poder proceder à sua actualização com a frequência considerada necessária,
uma vez que alguns domínios em desenvolvimento como o da formação, da gestão, ou
da inovação, determinam a necessidade de introdução de termos novos que não se
encontram ainda em linguagens controladas, mas que são muito utilizados na pesquisa.

Após diversas reuniões, o Grupo estabeleceu a metodologia a seguir para a preparação


do tesauro FORMEI, que basicamente passava pela recolha, para cada domínio, dos
termos mais utilizados na indexação pelos vários CRC, que depois seriam tratados com
um software específico para a construção e manutenção de tesauros.

3.1 – Metodologia

Foram definidas as seguintes etapas para a elaboração do tesauro:


1ª – Partindo-se dos termos já usados na indexação de documentos na FORMEI,
verificaram-se quais os tesauros em que eles já estavam controlados e que melhor se
adequavam às áreas em que estes se inserem. Esta decisão teve como objectivo
aproveitar o trabalho já feito, evitando-se a necessidade de fazer uma reindexação dos
documentos;

2ª – Adoptaram-se as partes de tesauros já existentes que convinham às necessidades


de indexação na FORMEI porque tinham já estabelecidas as relações semânticas,
hierárquicas e associativas dos termos usados;

3ª – Estruturação do tesauro segundo uma classificação que segue de perto a


Classificação Nacional das Áreas de Educação e Formação, que é usada, a nível
nacional, para as informações estatísticas enviadas ao EUROSTAT e ao CEDEFOP. As
classes estabelecidas correspondem a micro-tesauros específicos de cada área
temática, facilitando-se, deste modo, a pesquisa pelo acesso directo às áreas de
interesse;

8
4ª – Inclusão no tesauro como não-descritores os termos já utilizados na FORMEI e que
não devessem ser considerados descritores, evitando-se assim a reindexação dos
documentos indexados por estes termos e alargando-se, ao mesmo tempo, as
possibilidades de pesquisa.

5ª – Aos termos a criar porque não existem em qualquer outra linguagem controlada,
devem ser aplicadas as regras preconizadas pela SIPORbase;

6ª– Disponibilização do tesauro online e em suporte papel;

7ª – Atendendo a que um tesauro nunca está acabado pois deve adaptar-se


constantemente à evolução semântica das áreas temáticas que contempla, é
necessário definir uma estratégia para o seu desenvolvimento e manutenção.

Foi atribuída a cada membro do Grupo a tarefa de recolher e tratar os termos da área
do tesauro correspondentes ao domínio temático predominante no fundo documental do
CRC a que pertencia. Assim, distribuíram-se as temáticas da seguinte forma:
ISS - Questões sociais
DGFV – (actual ANQ) Educação
ISHST (actual ACT) – Segurança no trabalho e prevenção de riscos
profissionais
CATIM – Metalomecânica
IQF – Formação profissional
ESB-UC – Sector agro-alimentar
DREFP (Açores) – Emprego
PRIMUS - Gestão

O primeiro esboço, que continha cerca de 4000 termos, foi elaborado com recurso ao
software de construção de tesauros 558thes, disponibilizado gratuitamente na Internet,
desenhado sobre o programa de base de dados ACCESS. No entanto a intenção era
adquirir-se, logo que possível, um módulo de construção de tesauros compatível com o
Sistema de Bases de Dados Bibliográficos HORIZON, que serve de suporte ao catálogo
colectivo e que se pudesse ser colocado online, de modo a servir tanto aos indexadores

9
da rede de CRC, como aos utilizadores que fazem pesquisa no catálogo, numa tentativa
de unificar a terminologia usada quer na indexação, quer na pesquisa.

3.2 – Aquisição do módulo de construção de tesauros WinLib 2000

A extinção do IQF em 2006 e a indefinição do futuro do projecto da Rede de Centros de


Recursos em Conhecimento levou à suspensão do trabalho de elaboração do tesauro,
que só foi retomado em finais de 2007, após a integração daquele projecto no Centro
Nacional de Qualificação de Formadores do Instituto do Emprego e Formação
Profissional, de acordo com a Portaria n.º 637/2007 de 30 de Maio.

Em Janeiro de 2008 foi submetido ao POAT um projecto designado “Melhoria da


qualidade do acesso aos conteúdos da Base FORMEI “ que tinha como objectivo a
aquisição do módulo de tesauro WinLib 2000, e a construção do tesauro FORMEI com
vista a sua disponibilização online. Na proposta foram acentuados os ganhos de
eficiência e eficácia que resultariam da existência deste produto, uma vez que o
tratamento documental era feito em rede, com pólos dispersos pelo território continental,
Madeira e Açores e que facilitaria o acesso do público em geral às referências
bibliográficas dos produtos resultantes de projectos co-financiados no âmbito dos
programas QCA II (PESSOA, EUROFORM) e QCA III (POEFDS, PRODEP III e
EQUAL) e DELFIM, alguns dos quais estavam disponíveis em texto integral.

Este projecto foi aprovado em 19 de Janeiro de 2009, com o número 000036402008 e a


sua fase de execução decorreria entre aquela data e 30 de Abril de 2010.

Efectuaram-se, desde logo, os procedimentos administrativos para a aquisição do


módulo de tesauro WinLib 2000, que ficou concluída em Junho de 2009. Paralelamente
iniciou-se a revisão dos termos incluídos no esboço preparado anteriormente com vista
à sua correcção e actualização. As dificuldades decorrentes da insuficiência dos meios
informáticos alocados ao funcionamento do sistema HORIZON, determinaram que
apenas em Janeiro de 2010 tivesse sido possível proceder-se à instalação do módulo e
só em meados de Março ficaram reunidas as condições de acesso ao sistema
necessárias à construção do tesauro neste novo software.

10
3.3 – Estrutura do tesauro

A estrutura do tesauro foi definida em conformidade com a Norma Portuguesa 4036


1992 (correspondente à ISO 2788 (1986): Tesauros monolingues: directivas para a
sua construção. Contém os termos que devem ser usados na indexação, ou
descritores, ligados entre si por relações hierárquicas ou por associativas; e termos
equivalentes aos descritores que não devem ser usados na indexação mas que podem
ser utilizados nas expressões de pesquisa, ou não-descritores.

3.3.1 -Termos de indexação

O tesauro é composto por uma lista limitada de termos que serão usados pelo
indexador e que se designam descritores. Sempre que se verificou a existência de
termos alternativos para um assunto, escolheu-se um deles como termo de indexação.

Mesmo sendo sinónimos, ou diferindo ligeiramente de sentido, é preferível indexar


todos os documentos pelo escolhido como descritor, fazendo-se uma entrada remissiva
no tesauro, para cada um dos outros. Constituiu-se desta forma uma lista de não-
descritores, que podem ser usados pelos utilizadores quando compõem uma pesquisa,
alargando-se assim a possibilidade de obterem uma resposta pertinente, mas que o
orientarão para um termo descritor.

Descritores e não-descritores estão relacionados através de expressões que remetem


de uns para os outros: dos descritores para os não-descritores pela expressão USADO
POR, ou UP; dos não-descritores para os descritores pelo termo USE.

3.3.2 – Apresentação dos termos (singular e plural)

Houve alguma discussão sobre se os termos do tesauro deviam ser expressos no


singular ou no plural, porque o que a norma internacional para a construção de tesauros
acima indicada estabelece sobre este aspecto mereceu diferentes interpretações por
parte das instituições responsáveis pela elaboração dos tesauros que usamos como
base. Aconteceu com frequência, encontrarmos o mesmo termo no singular ou no plural
consoante o tesauro em que se integrava. As orientações mais simples nesta matéria

11
aconselham que, se se considerar que o termo se está a aplicar a um objecto
específico, deve usar-se o singular. Se se trata de integrar um objecto numa categoria
de objectos similares deve usar-se o plural. Os defensores desta teoria argumentam
que um utilizador normalmente pesquisará por uma categoria, por isso a segunda forma
será mais lógica e natural.

Segundo as orientações estabelecidas no manual SIPORbase deve usar-se o singular


em noções abstractas (fenómenos, propriedades, actividades, disciplinas, crenças,
etc.); entidades concretas não contáveis, relativamente às quais se pode fazer a
pergunta “quanto”; partes do corpo quando existe apenas uma no organismo. Para os
termos que representam noções abstractas que designem uma classe compreendendo
vários membros, entidades concretas contáveis relativamente às quais se pode fazer a
pergunta “quantos” usa-se o plural.

Consideramos como descritores termos nas duas formas quando têm um âmbito de
aplicação diferente.

3.3.3 - Relações hierárquicas

A estrutura fundamental do tesauro estabeleceu-se através das relações hierárquicas:


termos do mesmo tipo são estruturados em hierarquias, com relações de genérico (TG)
para específico (TE). Se temos cem documentos do mesmo tipo, indexá-los sob o
mesmo termo fará com que surja uma lista demasiado longa para ser facilmente
percorrida. É preciso usar termos mais específicos, mas também é necessário
assegurar que o utilizador terá conhecimento dos termos mais genéricos que não foram
utilizados. Cada termo específico deve constituir uma particularidade do mais genérico.

3.3.4 - Relações associativas

As relações associativas são outro tipo de ligação entre termos, cuja função é chamar a
atenção para termos relacionados com o termo inicial (TR), que tanto o indexador como
o utilizador possam considerar de interesse. São exemplos de relações associativas as
estabelecidas entre objectos e a disciplina na qual são estudados; processos e seus
produtos; instrumentos e processos em que são usados, etc.

12
São também estabelecidas relações associativas entre termos do mesmo tipo, não
relacionados hierarquicamente, mas em que quem procure um estará, provavelmente,
interessado no outro.

3.3.5 - Definições e notas de aplicação

Embora o tesauro não seja um dicionário e normalmente não deva conter definições
dos termos que apresenta, quando possam ocorrer dúvidas acerca do significado de um
termo, ou para se delimitar o âmbito da sua aplicação, adicionam-se nota de aplicação,
explicativas do contexto exacto em que o termo deve ser usado.

3.3.6 - Forma de apresentação do tesauro

O resultado da ligação entre os termos do tesauro é uma estrutura arborescente em que


os termos surgem em listagens alfabéticas e onde, para cada termo são apresentadas o
seu termo genérico, os seus termos específicos, se os tiver e as suas associações a
outros termos no caso de tal relação se justificar. (Fig. 1)
Na versão impressa são normalmente apresentadas duas modalidades: uma,
designada apresentação plana, reveste a forma de lista alfabética que mostra os
termos do tesauro em ordem alfabética acompanhada dos detalhes e com apenas um
nível de termo mais genérico e mais específico e a apresentação hierárquica em que a
estrutura em árvore mostra todos os níveis da relação hierárquica dos termos, com
indicação das suas ligações.
Dado que o tesauro estará acessível online apresenta-se apenas, no formato papel, a
lista alfabética.

3.4 - Gestão do tesauro

Uma boa gestão do tesauro assegura que ele se manterá relevante e utilizável ao longo
do tempo. Um tesauro cresce e evolui de acordo com a evolução do conhecimento nos
domínios que abrange podendo requerer a adição de novos termos, ou a supressão dos
que se revelam obsoletos.
Esta tarefa será da responsabilidade do GTD, embora seja indispensável a colaboração
de todos os CRC que, ao sugerirem a inclusão de novos termos a introduzir no tesauro

13
deverão também propor as suas relações com os termos já existentes. Os novos termos
propostos serão regularmente apreciados e incluídos, ou não, como descritores. É
indispensável manter uma boa coordenação entre o índice de assuntos da Base
FORMEI e o tesauro, de forma a que os resultados da pesquisa feita por ambos os
pontos de acesso seja igual.

4 – Pesquisa no Tesauro FORMEI


A pesquisa através do tesauro surge como mais um ponto de acesso aos
documentos, na página inicial do módulo de pesquisa através da Internet
actualmente disponível em http://opac.iefp.pt.

A formulação da pesquisa é semelhante à que é feita no módulo acima indicado:


por palavra, por expressão, por cada palavra dentro da expressão, por todas as
palavras dentro da expressão. Para se ver as relações do termo pesquisado
deve ser seleccionada, em formato, a opção termo. Doutra forma serão
apresentados apenas os descritores que correspondem à pesquisa por ordem
alfabética. Para se aceder à listagem dos registos indexados por esse termo
basta clicar no símbolo colocado à direita de cada descritor. (Fig. 1)

Fig. 1

14
Quando há dúvidas quanto à forma singular ou plural do termo que se pretende
pesquisar, basta usar o singular que o sistema apresenta também os descritores
que tenham uma forma plural, desde que este seja formado regularmente. (Fig.
2)

Fig. 2

No caso de plurais irregulares pode digitar-se apenas a parte do termo que é


comum substituindo o restante por um asterisco * (truncatura à direita). O mesmo
método deve ser utilizado quando se pretende pesquisar termos que tenham uma
raiz comum. (Fig.3)

15
Fig. 3

Uma das dúvidas muito frequentes quando se usam expressões de pesquisa refere-se
aos elementos de ligação dos termos (preposições ou contracções de proposições com
pronomes). Nestes casos deve usar-se também um asterisco em substituição desse
elemento. O sistema recuperará todas as ocorrências independentemente da forma
como estão ligados. (Fig.4)

Fig. 4

16
Recursos online consultados:

- Guidelines for the construction, format, and management of monolingual


thesauri
http://www.niso.org/kst/reports/standards?step=2&gid=&project_key=7cc9b583cb5a62e
8c15d3099e0bb46bbae9cf38a

- How to build a thesaurus ?


http://www.asindexing.org/site/thesbuild.shtml

- Thesaurus construction
http://publish.uwo.ca/~craven/677/thesaur/main01.htm

- Thesaurus Principles and Practice


http://www.willpowerinfo.co.uk/thesbibl.htm

- Vocabulary as a central concept in library and information science


http://www.sims.berkeley.edu/~buckland/colisvoc.htm

- Vocabulary Links:// Thesaurus Design for Information Systems


http://www.allegrotechindexing.com/article02.htm

17
18
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Tesauro FORMEI
Domínios Temáticos

19
 

20
Tesauro FORMEI
Domínios Temáticos
1 - Educação e Formação
Profissional
1.1 - Alfabetização

1.2 - Desenvolvimento Pessoal

1.3 - Professores e Formadores

1.4 - Ciências da Educação

1.5 - Formação Profissional

1.6 - Formação a distância


2 - Artes e Humanidades
2.1 - Artes

2.2 - Belas-Artes

2.3 - Artes do espectáculo

2.4 - Audiovisuais

2.5 - Design

2.6 - Artesanato

2.7 - Religião e Teologia

2.8 - Ling. e Liter. estrangeiras

2.9 - Ling. e Liter. materna

2.10 - História e Arqueologia

2.11 - Filosofia e ética

2.12 - Cultura
3 - Ciências Sociais
3.1 - Ciências Sociais

3.2 - Antropologia

3.3 - Demografia

3.4 - Etnologia

3.5 - Psicologia

21
Tesauro FORMEI
Domínios Temáticos
3.6 – Sociologia

3.7 – Ciência Política

3.8 – Economia

3.9 – Ciências da Comunicação

3.10 – Ciências da Informação

3.11 – Trabalho e Emprego

3.12 – Comércio

3.13 – Finanças, Banca e Seguros

3.14 – Contabilidade e Fiscalidade

3.15 – Gestão e administração

3.16 – Direito
4 – Ciências
4.1 – Biologia e Bioquímica

4.2 – Ciências do Ambiente a)

4.3 – Ciências Físico-Químicas

4.4 – Ciências da Terra e Cartografia

4.5 – Matemática e Estatística

4.6 – Ciências Informáticas


5 – Engenharia
5.1 – Indústria

5.2 – Metalurgia e Metalomecânica

5.3 – Electricidade e Energia

5.4 – Electrónica e automação

5.5 – Tecnologia dos Processos Químicos

5.6 – Construção e reparação automóvel

5.7 – Indústria Alimentar

5.8 – Indústrias do Têxtil e do Calçado

22
Tesauro FORMEI
Domínios Temáticos
5.9 - Indústria dos Materiais

5.10 - Indústria Extractiva

5.11 - Arquitectura

5.12 - Construção Civil


6 - Agricultura, Silvicultura e
Pescas
6.1 - Produção agrícola e animal

6.2 - Floricultura e jardinagem

6.3 - Silvicultura e Caça

6.4 - Pescas

6.5 - Ciências Veterinárias


7 - Saúde e Protecção Social
7.1 – Medicina b)

7.2 - Serviços de Saúde

7.3 - Ciências Farmacêuticas

7.4 - Protecção Social c)


8 - Serviços
8.1 - Serviços pessoais d)

8.2 - Hotelaria e Restauração

8.3 - Turismo e lazer

8.4 - Desporto

8.5 - Transportes

8.6 – Saúde pública

8.7 – Serviços de segurança

8.8 – Serviços de protecção de pessoas e


bens

8.9 – Segurança, higiene e saúde no


trabalho
9 - Países e regiões
10 – Organismos Nacionais e
Internacionais

23
a) Inclui as classes 850 – Protecção do ambiente; 851- Tecnologia de protecção
do ambiente; 852 – Ambientes naturais e vida selvagem
b) Inclui: Enfermagem; Medicina dentária; Tecnologias de Diagnóstico e Terapêutica ;
Terapia e Reabilitação.
c) Inclui: Serviços sociais; serviços de apoio a crianças e jovens; trabalho social e
orientação
d) Inclui: Serviços domésticos e cuidados de beleza

24
 

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética 
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
ABANDONO DOS ESTUDOS ABUSO SEXUAL
Refere-se aos educandos que, por BT
incapacidade , falta de meios económicos,
etc., não chegam a terminar os seus PROBLEMA SOCIAL
estudos.
ACÇÃO SOCIAL
BT
INTERRUPÇÃO DE ESTUDOS Destina-se a completar a suprir a
protecção que deve ser garantida para o
RT sistema social.

EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO Termo não controlado no LQS. Consta da


FORMEI. No EUROVOC é AJUDA
UF SOCIAL, termo muito pouco vulgarizado.
ABANDONO ESCOLAR Termo preferencial ACÇÃO SOCIAL. Não
tem equivalência nos outros tesauros.
ABANDONO ESCOLAR Sugere-se como TG - PROTECÇÃO
SOCIAL
USE BT
ABANDONO DOS ESTUDOS PROTECÇÃO SOCIAL
ABONO DE FAMÍLIA NT
BT APOIO DOMICILIÁRIO

PRESTAÇÃO FAMILIAR EQUIPAMENTO SOCIAL


ABORTO INTERVENÇÃO SOCIAL
BT
SERVIÇO SOCIAL
CONTROLO DA NATALIDADE
SERVIÇOS SOCIAIS
RT
MULHER TRABALHO SOCIAL
ABSENTISMO RT
CASA PIA DE LISBOA
RT
FREQUÊNCIA IPSS
MAU COMPORTAMENTO MISERICÓRDIAS
ABUSO DE CRIANÇAS MUTUALIDADE
Este termo não existe no LQS. Sugere-se POLÍTICA SOCIAL
colocá-lo em UP de CRIANÇA
MALTRATADA.
Em inglês aparece CHILD ABUSE (OCDE). PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO

USE PROGRAMA REDE SOCIAL

CRIANÇA MALTRATADA

  3
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
ACÇÕES DE FORMAÇÃO ACESSO À INFORMAÇÃO
Só existe no CEDEFOP. RT
BT DESIGUALDADE SOCIAL
POLÍTICA DE FORMAÇÃO
DIFUSÃO DA INFORMAÇÃO
ACÇÕES POSITIVAS
DIREITO À EDUCAÇÃO
RT
IGUALDADE DE OPORTUNIDADES DIREITO À INFORMAÇÃO
ACESSO À CULTURA FONTE DE INFORMAÇÃO
BT INFORMAÇÃO
CULTURA
PROTECÇÃO DOS DADOS
ACESSO À EDUCAÇÃO
SISTEMAS DOCUMENTAIS
BT
EDUCAÇÃO UTILIZADOR DA INFORMAÇÃO
POLÍTICA DE EDUCAÇÃO ACESSO À JUSTIÇA
BT
NT
JUSTIÇA
BARREIRA LINGUÍSTICA
RT
RT
DIREITO À JUSTIÇA
DIREITO À EDUCAÇÃO
ACESSO À PROFISSÃO
IGUALDADE DE OPORTUNIDADES
Termo descritor no EUROVOC e termo não
ACESSO À FORMAÇÃO descritor no VETThes e na LQS, ambos
para ACESSO AO EMPREGO.
BT Só é descritor no EUROVOC. Sugere-se
POLÍTICA DE FORMAÇÃO optar pelo LQS.
BT
UF POLÍTICA DE EMPREGO
ADMISSÃO AOS CURSOS
USE
ACESSO À INFORMAÇÃO ACESSO AO EMPREGO
BT
ACESSO AO CRÉDITO
POLÍTICA DE INFORMAÇÃO
Termo não existente no LQS.
NT BT
REDE DE INFORMAÇÃO CRÉDITO
SERVIÇO DE INFORMAÇÃO RT
RT MICROFINANÇA

COMUNICAÇÃO DE DADOS

  4
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
ACESSO AO EMPREGO ACIDENTES DOMÉSTICOS
Termo descritor no EUROVOC, no BT
VETThes e na LQS.
Consta da FORMEI. PROBLEMA SOCIAL
BT ACOLHIMENTO DA CRIANÇA
MERCADO DE TRABALHO
Termo não controlado no LQS. Consta da
NT FORMEI. Parece ter o sentido de
CENTRO DE ACOLHIMENTO
OPORTUNIDADE DE EMPREGO TEMPORÁRIO, SERVÇO DE GUARDA
DE CRIANÇAS, ou CUIDADOS ÀS
PASSAGEM À VIDA ACTIVA CRIANÇAS. É preferível suprimir e
substituir consoante o sentido. Pode ser
RT confundido com o ACOLHIMENTO DE
DIREITO AO TRABALHO CRIANÇAS do TEE.

EMPRESA DE INSERÇÃO
IGUALDADE DE OPORTUNIDADES ACOLHIMENTO DE MIGRANTES
INSERÇÃO PROFISSIONAL RT
INTEGRAÇÃO SOCIAL
POLÍTICA DE EMPREGO
ACOLHIMENTO DO CLIENTE
RECRUTAMENTO
Não existe em nenum tesauro.
UF USE
ACESSO À PROFISSÃO ACOLHIMENTO DO UTENTE
ACESSO AO MERCADO DE TRABALHO ACOLHIMENTO DO UTENTE
POSSIBILIDADE DE EMPREGO Termo não controlado do LQS. Consta da
FORMEI.
POSSIBILIDADES DO MERCADO DE TRABALHO Não existe em nenhum tesauro.
Sugere-se subordinação.
ACESSO AO MERCADO DE TRABALHO BT
SERVIÇOS SOCIAIS
Termo não descritor na LQS, no
EUROVOC e no VETThes. RT
USE
TRABALHO SOCIAL
ACESSO AO EMPREGO
UF
ACIDENTE DE TRABALHO ACOLHIMENTO DO CLIENTE
BT
SEGURANÇA DO TRABALHO ACOMPANHAMENTO PROFISSIONAL
Termo descritor na LQS, sem
RT subordinação.
DEFICIENTE Consta da FORMEI.
USE
PESSOA COM DEFICIÊNCIA ACONSELHAMENTO PROFISSIONAL

  5
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
ACONSELHAMENTO ACREDITAÇÃO
Termo descritor na LQS, sem Termo não controlado em nenhum tesauro.
subordinação. Utilizar no sentido da FORMAÇÃO ou
Consta da FORMEI. ENTIDADE DE FORMAÇÃO. Existe no
VOCED thesaurus (Austrália) o significado
mais aproximado.
Termo candidato?

ACONSELHAMENTO PARA A REABILITAÇÃO RT


BT ENTIDADE DE FORMAÇÃO
REABILITAÇÃO
ACTA
RT
No LQS só aparece como ACTA, sugere-
PESSOA COM DEFICIÊNCIA se a substituição e a subordinação do
EUROVOC.
ACONSELHAMENTO PROFISSIONAL USE
Termo descritor na LQS. ACTA DE REUNIÃO
Consta da FORMEI.
Faz parte da orientação profissional e ACTA DE REUNIÃO
consiste na ajuda à escolha de um
projecto profissional ou de um plano de Sugere-se colocar os UP como TE de
carreira e a revê-lo periodicamente DOCUMENTO.
segundo novas informações, objectivos BT
fixados, progressos efectuados. DOCUMENTO
BT
ORIENTAÇÃO PROFISSIONAL UF
ACTA
UF
ACOMPANHAMENTO PROFISSIONAL COLÓQUIO
ACORDOS COLECTIVOS CONFERÊNCIA
Termo não controlado. Prefere-se o do CONGRESSO
EUROVOC.
USE DOCUMENTOS DE CONFERÊNCIA
CONTRATO COLECTIVO
SEMINÁRIO
ACORDS INTERNACIONAIS
SIMPÓSIO
BT
RELAÇÕES INTERNACIONAIS ACTIVIDADE BANCÁRIA
BT
BANCO

  6
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
ACTIVIDADE COMPLEMENTAR ACTIVIDADE REMUNERADA
Termo não descritor na LQS, para DUPLA Termo descritor na LQS, na forma plural,
TAREFA (actividade doméstica que os sem subordinação.
trabalhadores executam nos seus lares), e
no EUROVOC para DUPLO EMPREGO. Na OIT aparece no plural.
BT
USE
ESTRUTURA DO EMPREGO
DUPLO EMPREGO
RT
ACTIVIDADE ESCOLAR CRIAÇÃO DE EMPREGO
BT
RENDIMENTO
ORGANIZAÇÃO DO ENSINO
ACTIVIDADES CRIATIVAS
NT
ACTIVIDADES CRIATIVAS Plural no TEE. Passar a singular
BT
ACTIVIDADES EXTRACURRICULARES ACTIVIDADE ESCOLAR
EXERCÍCIO ACTIVIDADES EXTRACURRICULARES
INTERCÂMBIO ESCOLAR BT
ACTIVIDADE ESCOLAR
JOGO EDUCATIVO
NT
LIÇÃO TEMPOS LIVRES
SUCESSO ESCOLAR RT
RT ACTIVIDADES SÓCIO-CULTURAIS
APRENDIZAGEM CURRÍCULO ESCOLAR
MÉTODO DE TRABALHO DESPORTO
UF
EDUCAÇÃO EXTRA-ESCOLAR
TRABALHO DOS ALUNOS
ACTIVIDADES NÃO REMUNERADAS
ACTIVIDADE FEMININA
Termo não descritor na LQS para
Termo não descritor no EUROVOC para TRABALHO NÃO REMUNERADO.
TRABALHO FEMININO. USE
USE
TRABALHO VOLUNTÁRIO
EMPREGO DE MULHERES
ACTIVIDADES SÓCIO-CULTURAIS
ACTIVIDADE NÃO REMUNERADA
UF
Termo não descritor no EUROVOC.
USE ANIMAÇÃO SÓCIO-CULTURAL

TRABALHO VOLUNTÁRIO MANIFESTAÇÃO CULTURAL

  7
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
ACTIVIDADES SÓCIO-CULTURAIS ACTOR SOCIAL
BT Termo não controlado no LQS. Consta da
CULTURA FORMEI.
Parece equiparável a AGENTE DE
MUDANÇA do OIT. Sugere-se a
RT substituição ou a colocação do descritor
ACTIVIDADES EXTRACURRICULARES OIT em UP.
Sugere-se também a troca de UP: o termo
UF AGENTE SOCIAL é mais comum.
Sugere-se relações do OIT e a
EDUCAÇÃO POPULAR subordinação à faceta.
EQUIPAMENTO SÓCIO-EDUCATIVO RT
MUDANÇA SOCIAL
ACTO ADMINISTRATIVO
PARTICIPAÇÃO SOCIAL
BT
DIREITO ADMINISTRATIVO UF
AGENTE DE MUDANÇA
ACTO COMUNITÁRIO
NT AGENTE SOCIAL

DECISÃO CE ACTUALIZAÇÃO PROFISSIONAL


DIRECTIVA COMUNITÁRIA Formação que permite manter os
trabalhadores ao corrente das inovações
PARECER COMUNITÁRIO mais recentes ocorridas na sua profissão
BT
REGULAMENTO COMUNITÁRIO TIPO DE FORMAÇÃO
ACTO ÚNICO EUROPEU ACULTURAÇÃO
RT Adaptação a uma cultura diferente daquela
COOPERAÇÃO POLÍTICA EUROPEIA donde um indivíduo é originário.
BT
ACTOR SOCIAL CULTURA
Termo não controlado no LQS. Consta da RT
FORMEI. RT
Parece equiparável a AGENTE DE INTEGRAÇÃO DE MIGRANTES
MUDANÇA do OIT. Sugere-se a
substituição ou a colocação do descritor PLURALISMO CULTURAL
OIT em UP.
Sugere-se também a troca de UP: o termo UF
AGENTE SOCIAL é mais comum.
Sugere-se relações do OIT e a INTEGRAÇÃO CULTURAL
subordinação à faceta.
BT ACUMULAÇÃO DE EMPREGOS
POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO Termo não descritor na LQS para
PLURIEMPREGO.
RT USE
DESENVOLVIMENTO COMUNITÁRIO DUPLO EMPREGO

  8
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
ACUMULAÇÃO DE RENDIMENTOS ADAPTABILIDADE DOS TRABALHADORES
BT Termo não descritor pária.
RENDIMENTO USE
ADAPTABILIDADE DO TRABALHADOR
ACÚSTICA
ADAPTAÇÃO DO TRABALHADOR
BT
FÍSICA USE
ADAPTABILIDADE DO TRABALHADOR
ADAPTABILIDADE
ADAPTAÇÃO DO TRABALHO AO HOMEM
TEE
BT USE
ATITUDE ERGONOMIA
RT ADAPTAÇÃO DOS TRABALHADORES
ADAPTAÇÃO SOCIAL Termo descritor na LQS retirado do OIT
subordinado a ADAPTAÇÃO SOCIAL.
MODO DE VIDA Consta da FORMEI.
Termo não descritor no EUROVOC, remete
ADAPTABILIDADE DA MÃO-DE-OBRA para Adaptabilidade do trabalhador
É termo preferencial?
Termo não descritor no EUROVOC. BT
USE
ADAPTAÇÃO SOCIAL
ADAPTABILIDADE DO TRABALHADOR
RT
ADAPTABILIDADE DO PESSOAL
AMBIENTE DE TRABALHO
Termo não descritor no EUROVOC.
USE ESTRATÉGIA EUROPEIA DE EMPREGO
ADAPTABILIDADE DO TRABALHADOR INICIATIVA ADAPT
ADAPTABILIDADE DO TRABALHADOR USE
Termo descritor no EUROVOC. ADAPTABILIDADE DO TRABALHADOR
BT
MERCADO DE TRABALHO ADAPTAÇÃO SOCIAL
Não tem subordinação no LQS. No
UF EUROVOC está subordinado a VIDA
ADAPTABILIDADE DA MÃO-DE-OBRA SOCIAL, termo que não existe no LQS.
Sugere-se subordinar por aproximação à
ADAPTABILIDADE DO PESSOAL faceta do OIT - INTEGRAÇAO SOCIAL.
BT
ADAPTABILIDADE DOS TRABALHADORES INTEGRAÇÃO SOCIAL
ADAPTAÇÃO DO TRABALHADOR NT
ADAPTAÇÃO DOS TRABALHADORES ADAPTAÇÃO DOS TRABALHADORES
INTEGRAÇÃO ESCOLAR

  9
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
ADAPTAÇÃO SOCIAL ADMINISTRAÇÃO DA ECONOMIA
Não tem subordinação no LQS. No BT
EUROVOC está subordinado a VIDA
SOCIAL, termo que não existe no LQS. ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA
Sugere-se subordinar por aproximação à
faceta do OIT - INTEGRAÇAO SOCIAL. RT
RT PLANEAMENTO ECONÓMICO
ADAPTABILIDADE POLÍTICA ECONÓMICA
COMPORTAMENTO SOCIAL ADMINISTRAÇÃO DA EDUCAÇÃO
DIÁLOGO SOCIAL BT
DIFERENÇA CULTURAL EDUCAÇÃO
NT
MODO DE VIDA
AUTONOMIA ESCOLAR
SOCIALIZAÇÃO
DESENVOLVIMENTO CURRICULAR
UF
AJUSTAMENTO SOCIAL ENSINO OBRIGATÓRIO
ADESÃO À UNIÃO EUROPEIA ENTRADA NA ESCOLA

ESCOLARIDADE
ESCOLARIZAÇÃO
ADMINISTRAÇÃO GESTÃO ESCOLAR
NT
INSPECÇÃO
ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA
MEIO ESCOLAR
BUROCRACIA
OPORTUNIDADE DE EDUCAÇÃO
LICENÇA
RT
ADMINISTRAÇÃO AUTÁRQUICA
POLÍTICA DE EDUCAÇÃO
USE
ADMINISTRAÇÃO LOCAL UF
ADMINISTRAÇÃO DO ENSINO
ADMINISTRAÇÃO CENTRAL
ADMINISTRAÇÃO ESCOLAR
No LQS este termo é TA do supra. Sugere-
se a subordinação do EUROVOC. ADMINISTRAÇÃO DA FORMAÇÃO
BT
ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA BT
FORMAÇÃO PROFISSIONAL
NT
MINISTÉRIO NT
ECONOMIA DA FORMAÇÃO

  10
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
ADMINISTRAÇÃO DA FORMAÇÃO ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA
RT Este termo não deveria ser traduzido para
POLÍTICA DE FORMAÇÃO ADMINISTRAÇÃO DAS FINANÇAS?
BT
UF ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA
ENGENHARIA DA FORMAÇÃO
RT
ENGENHARIA DE COMPETÊNCIAS ASPECTO FINANCEIRO
ADMINISTRAÇÃO DA JUSTIÇA FINANÇAS LOCAIS
BT FINANÇAS PÚBLICAS
ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA
FINANCIAMENTO
ADMINISTRAÇÃO DA SAÚDE
ADMINISTRAÇÃO FISCAL
Não existe no LQS.
BT BT
ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA FISCALIDADE
ADMINISTRAÇÃO DA SEGURANÇA SOCIAL ADMINISTRAÇÃO LOCAL
BT Utilizar unicamente para administração e
autoridades locais. Não confundir com o
ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA descritor AUTARQUIA LOCAL.
(EUROVOC)
RT
ELEGIBILIDADE No LQS(2006), OCDE, OIT tem como TG
GOVERNO, no EUROVOC -
SEGURANÇA SOCIAL ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA.
BT
ADMINISTRAÇÃO DO ENSINO ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA
USE
NT
ADMINISTRAÇÃO DA EDUCAÇÃO PARTICIPAÇÃO NA COMUNIDADE
ADMINISTRAÇÃO DO TRABALHO RT
BT DESCENTRALIZAÇÃO
ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA
FINANÇAS LOCAIS
RT
TRABALHO INICIATIVA LOCAL DE FORMAÇÃO
ADMINISTRAÇÃO ESCOLAR PLANEAMENTO REGIONAL

USE PLANEAMENTO RURAL


ADMINISTRAÇÃO DA EDUCAÇÃO PLANEAMENTO URBANO
POLÍTICA REGIONAL

  11
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
ADMINISTRAÇÃO LOCAL ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA
Utilizar unicamente para administração e Tem no LQS como TG -
autoridades locais. Não confundir com o ADMINISTRAÇÃO. Sugere-se a supressão
descritor AUTARQUIA LOCAL. desta subordinação?
(EUROVOC) NT

No LQS(2006), OCDE, OIT tem como TG PARCERIA PÚBLICO-PRIVADO


GOVERNO, no EUROVOC -
ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA. PESSOAL DIRIGENTE
RT
SERVIÇOS PÚBLICOS
PROGRAMA REDE SOCIAL
RT
UF
ASPECTO ADMINISTRATIVO
ADMINISTRAÇÃO AUTÁRQUICA
BUROCRACIA
AUTORIDADE LOCAL
CORRUPÇÃO
ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA
Tem no LQS como TG - FUNÇÃO PÚBLICA
ADMINISTRAÇÃO. Sugere-se a supressão
desta subordinação? FUNCIONÁRIO PÚBLICO
BT
GOVERNANÇA
ADMINISTRAÇÃO
INSTITUTO PÚBLICO
NT
ADMINISTRAÇÃO CENTRAL PODERES PÚBLICOS
ADMINISTRAÇÃO DA ECONOMIA POLÍTICA REGIONAL
ADMINISTRAÇÃO DA JUSTIÇA PROFAP
ADMINISTRAÇÃO DA SAÚDE REFORMA ADMINISTRATIVA
ADMINISTRAÇÃO DA SEGURANÇA SOCIAL ADMINISTRAÇÃO REGIONAL
ADMINISTRAÇÃO DO TRABALHO BT
ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA
ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA
RT
ADMINISTRAÇÃO LOCAL PLANEAMENTO REGIONAL
ADMINISTRAÇÃO REGIONAL POLÍTICA REGIONAL
ADMINISTRAÇÃO SOCIAL ADMINISTRAÇÃO SOCIAL
AUTARQUIA LOCAL BT
ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA
DIREITO ADMINISTRATIVO
RT
ORGANISMO PÚBLICO
POLÍTICA SOCIAL

  12
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
ADMINISTRADORES AEROPORTO
Termo descritor na LQS, subordinada a Não existe no LQS.
QUADROS, e no VETThes, na forma UF
singular, no domínio PROFISSÕES.
Consta da FORMEI. INFRAESTRUTURA AEROPORTUÁRIA

AFECTAÇÃO DE RECURSOS
BT
ADMINSTRAÇÃO DO PESSOAL ORÇAMENTO
UF
RT
GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS REDISTRIBUIÇÃO DO RENDIMENTO
NT
AGÊNCIA DE EMPREGO
CONTRATO DE TRABALHO
Termo não descritor no EUROVOC.
RECRUTAMENTO USE
SERVIÇO DE EMPREGO
ADMISSÃO
AGÊNCIA DE VIAGENS
BT
TURISMO
ADMISSÃO AOS CURSOS
USE AGÊNCIAS DE TRABALHO TEMPORÁRIO
ACESSO À FORMAÇÃO Termo não descritor na LQS para
EMPRESAS DE TRABALHO
ADOLESCÊNCIA TEMPORÁRIO.
USE
No LQS sem suborninações. No
EUROVOC,não descritor de Jovem EMPRESA DE TRABALHO TEMPORÁRIO
USE
AGÊNCIAS PRIVADAS DE COLOCAÇÃO
JOVEM
Termo descritor na LQS, sem
ADOLESCENTE subordinação.
Actuam apenas como intermediárias entre
USE a oferta e a procura de emprego, nunca
JOVEM estabelecendo com qualquer das partes
uma relação de trabalho.
ADULTO USE
SERVIÇO DE EMPREGO PRIVADO
BT
DISTRIBUIÇÃO ETÁRIA AGENTE DE MUDANÇA
AEROPORTO Não existe no LQS.
USE
Não existe no LQS. ACTOR SOCIAL
BT
TRANSPORTE AÉREO

  13
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
AGENTE DE SEGUROS AGREGADO FAMILIAR
Termo não descritor no EUROVOC para Unidade de conta dos recenseamento, isto
PROFISSIONAL DE SEGUROS no é, indivíduo ou grupo de indivíduos que
domínio FINANÇAS. moram no mesmo alojamento.
Consta da FORMEI, na forma plural. (EUROVOC)
CNP (versão 1994, 2.ª ed., 2001) 3.4.1.2, Célula socioeconómica muitas vezes
na forma plural: os agentes de seguros utilizada como unidade estatística e
orientam os potenciais ou actuais clientes definida em função da maneira como as
sobre os seguros que vendem e pessoas prevêm individualmente ou em
preenchem propostas de seguros de vida, grupo as suas necessidades alimentares e
acidentes, incêndio, automóvel, marítimos, as outras necessidades vitais. (LQS,
responsabilidade civil e outros. OCDE)

Sem subordinação no LQS.


RT
AGENTE SOCIAL RENDIMENTO FAMILIAR
USE AGRICULTOR
ACTOR SOCIAL BT
AGENTES DO ESTADO TRABALHADORES AGRÍCOLAS
Termo não descritor na LQS para AGRICULTURA
FUNCIONÁRIOS PÚBLICOS.
USE Consta da FORMEI
É termo descritor no LQS, OCDE, OIT
FUNCIONÁRIO PÚBLICO É termo não descritor no EUROVOC
Deve optar-se por este descritor ou o
AGREGADO FAMILIAR SECTOR AGRÍCOLA
Unidade de conta dos recenseamento, isto RT
é, indivíduo ou grupo de indivíduos que DESENVOLVIMENTO RURAL
moram no mesmo alojamento.
(EUROVOC) POLÍTICA AGRÍCOLA
Célula socioeconómica muitas vezes
utilizada como unidade estatística e SECTOR PRIMÁRIO
definida em função da maneira como as
pessoas prevêm individualmente ou em
grupo as suas necessidades alimentares e TRABALHADORES AGRÍCOLAS
as outras necessidades vitais. (LQS,
OCDE) AGRO-INDÚSTRIA

Sem subordinação no LQS. RT


NT EMPRESA INDUSTRIAL
DOMÉSTICA AGRONOMIA
PESSOA SÓ
RT
DIMENSÃO DA FAMÍLIA ÁGUA
FAMÍLIA BT
MEIO AQUÁTICO
ORÇAMENTO FAMILIAR

  14
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
AJUDA ALIMENTAR AJUDA AOS DESFAVORECIDOS
No EUROVOC é TG - POLÍTICA DE AJUDA UF
AUXÍLIO AOS DESFAVORECIDOS
RT
FOME AJUDA ÀS EMPRESAS
AJUDA AO DESENVOLVIMENTO No LQS é AUXÍLIO ÀS EMPRESAS.
UF
No OIT e OCDE (LQS) é TG - AUXÍLIO ÀS EMPRESAS
COOPERAÇÃO INTERNACIONAL AUXÍLIO ÀS EMPRESAS

No EUROVOC é TG - POLÍTICA DE AJUDA BT


APOIO ECONÓMICO
RT
COOPERAÇÃO TÉCNICA AJUDA COMUNITÁRIA
Sem subordinação no LQS. Só existe no
DESENVOLVIMENTO ECONÓMICO EUROVOC.
BT
DESENVOLVIMENTO SOCIAL
APOIO ECONÓMICO
INSTITUIÇÃO DE AJUDA RT
PAÍS EM DESENVOLVIMENTO EMPRÉSTIMO COMUNITÁRIO
PLANEAMENTO DO DESENVOLVIMENTO FINANCIAMENTO COMUNITÁRIO
POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO FUNDOS CE
PROGRAMA DE AJUDA UF
APOIO COMUNITÁRIO
PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO
AJUDA DO ESTADO
PROJECTO DE DESENVOLVIMENTO
Fundos dados por Governo a uma pessoa
UF ou uma organização para ajudar numa
COOPERAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO empresa de interesse público, por
exemplo a segurança social. Utilizar
SUBSÍDIO para os fundos dados por uma
AJUDA AO EMPREGO fundação, uma instituição ou outro tipo de
organização.
BT
APOIO ECONÓMICO Termo sem subordinação no LQS.
No CEDEFOP e faceta do OIT
AJUDA AOS DESFAVORECIDOS subordinado a FINANÇAS PÚBLICAS.
No EUROVOC subordinado a APOIO
BT ECONÓMICO.
AJUDA SOCIAL BT
APOIO ECONÓMICO
RT
BAIXO RENDIMENTO NT
SUBSÍDIO
POBREZA

  15
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
AJUDA DO ESTADO AJUDA SOCIAL
Fundos dados por Governo a uma pessoa NT
ou uma organização para ajudar numa
empresa de interesse público, por AJUDA AOS DESFAVORECIDOS
exemplo a segurança social. Utilizar
SUBSÍDIO para os fundos dados por uma ASSISTÊNCIA A DESCENDENTES
fundação, uma instituição ou outro tipo de
organização. ASSISTÊNCIA SOCIAL

Termo sem subordinação no LQS. AJUDANTE FAMILIAR


No CEDEFOP e faceta do OIT
subordinado a FINANÇAS PÚBLICAS. Termo não controlado no LQS.
No EUROVOC subordinado a APOIO Será que é sinónimo de PRESTADOR DE
ECONÓMICO. CUIDADOS? ou CUIDADOS
INFORMAIS?, ambos controlados no LQS
RT (OIT)
ESTADO RT
FINANÇAS PÚBLICAS APOIO DOMICILIÁRIO
FINANCIAMENTO DA SEGURANÇA SOCIAL AJUDAS TÉCNICAS
RT
INTERVENÇÃO DO ESTADO
PESSOA COM DEFICIÊNCIA
SUBSÍDIO DE HABITAÇÃO
PESSOA IDOSA
UF
AJUSTAMENTO ESTRUTURAL
AUXÍLIO ESTATAL
Intervenção governamental destinada a
AJUDA DOMÉSTICA modificar a estrutura da económico-
financeira, envolvendo novos programas e
É descritor no EUROVOC. políticas no interesse da estabilização e
Termo mais vulgarizado é APOIO crescimento económico do país. Antes de
DOMICILIÁRIO Janeiro de 1994, ver Política de
USE Ajustamento.

APOIO DOMICILIÁRIO Termo não subordinado no LQS.


AJUDA DOMICILIÁRIA BT
POLÍTICA ESTRUTURAL
USE
APOIO DOMICILIÁRIO RT
EMPRÉSTIMO INTERNACIONAL
AJUDA ECONÓMICA
RT ESTABILIZAÇÃO

COOPERAÇÃO ECONÓMICA ESTRUTURA ECONÓMICA


DESENVOLVIMENTO ECONÓMICO ESTRUTURA INDUSTRIAL
AJUDA SOCIAL FEDER
BT MUDANÇA ESTRUTURAL
PROTECÇÃO SOCIAL

  16
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
AJUSTAMENTO ESTRUTURAL ALARGAMENTO DA UNIÃO EUROPEIA
Intervenção governamental destinada a UF
modificar a estrutura da económico-
financeira, envolvendo novos programas e ALARGAMENTO DA COMUNIDADE
políticas no interesse da estabilização e
crescimento económico do país. Antes de ALBERGUE
Janeiro de 1994, ver Política de
Ajustamento. Tipo de equipamento social temporário
Termo descritor no LQS que caiu em
desuso. Sugere-se CENTRO DE
Termo não subordinado no LQS. ALOJAMENTO TEMPORÁRIO.
RT
REFORMA ECONÓMICA
AJUSTAMENTO SOCIAL ALCOOLISMO
USE BT
ADAPTAÇÃO SOCIAL PROBLEMA SOCIAL
ALARGAMENTO COMUNITÁRIO RT
No EUROVOC é não descritor para BEBIDA ALCOÓLICA
ALARGAMENTO DA UNIÃO EUROPEIA
USE SEGURANÇA RODOVIÁRIA
ALARGAMENTO DA UNIÃO EUROPEIA TABAGISMO
ALARGAMENTO DA COMUNIDADE TOXICODEPENDÊNCIA
Termo do LQS(2006). Consta da FORMEI.
ALEITAMENTO

Este termo já é UP no EUROVOC: é BT


descritor ALARGAMENTO DA UNIÃO ALIMENTAÇÃO
EUROPEIA, sugere-se a susbtituição do
supra para este termo, ou Use Também, e RT
a subordinação do EUROVOC (e
CEDEFOP). MULHER
USE
ALFABETIZAÇÃO
ALARGAMENTO DA UNIÃO EUROPEIA
No LQS, CEDEFOP e OCDE subordinado
ALARGAMENTO DA UNIÃO EUROPEIA a EDUCAÇÃO DE BASE.
No LQS subordinado também a
UF EDUCAÇÃO DE ADULTOS retirado do
ALARGAMENTO COMUNITÁRIO OIT.
No EUROVOC subordinado a POLÍTICA
DE EDUCAÇÃO.
ALARGAMENTO DA COMUNIDADE Sugere-se como subordinação preferencial
a do CEDEFOP. (ISS)
BT
NT
UNIÃO EUROPEIA ALFABETIZAÇÃO FUNCIONAL
UF
ANALFABETISMO
ALARGAMENTO COMUNITÁRIO

  17
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
ALFABETIZAÇÃO ALIMENTAÇÃO
No LQS, CEDEFOP e OCDE subordinado Não está subordinado no LQS. Sendo este
a EDUCAÇÃO DE BASE. termo um UP do EUROVOC que remete
No LQS subordinado também a para NUTRIÇÃO e sendo descritor no OIT
EDUCAÇÃO DE ADULTOS retirado do e OCDE, sugere-se colocá-lo como TE de
OIT. ALIMENTAÇÃO.
No EUROVOC subordinado a POLÍTICA No EUROVOC tem como Termo de topo
DE EDUCAÇÃO. SAÚDE, sugere-se alguns TE do
Sugere-se como subordinação preferencial EUROVOC.
a do CEDEFOP. (ISS) NT
RT
ALEITAMENTO
ENSINO OBRIGATÓRIO
HIGIENE ALIMENTAR
ESCRITA
LEGISLAÇÃO ALIMENTAR
INDICADOR DE DESENVOLVIMENTO
NECESSIDADES ALIMENTARES
LEITURA
NUTRIÇÃO
ALFABETIZAÇÃO FUNCIONAL
POLÍTICA ALIMENTAR
BT
ALFABETIZAÇÃO RT
SAÚDE
RT
LEITURA FUNCIONAL ALUNO
ALFABETO Só para estudantes do ensino básico e
secundário
BT BT
FONÉTICA MEIO ESCOLAR
ÁLGEBRA SISTEMA DE ENSINO
BT RT
MATEMÁTICA RELAÇÃO PROFESSOR-ALUNO
NT AMBIENTE
ALGORITMO
Termo que nestes thesauri tem um âmbito
ALGORITMO de aplicação demasidao vago. Propõe-se
a terminologia usada no EUROVOC.
BT Conjunto de agentes físicos, químicos e
biológicos e de factores sociais que
ÁLGEBRA afectam os organismos vivos e as
actividades humanas.(NA do LQS2006, em
AMBIENTE).

RT
AMBIENTE DE TRABALHO
AVALIAÇÃO DO IMPACTO AMBIENTAL

  18
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
AMBIENTE AMBIENTE DE TRABALHO
Termo que nestes thesauri tem um âmbito No LQS subordinado a AMBIENTE e VIDA
de aplicação demasidao vago. Propõe-se ACTIVA
a terminologia usada no EUROVOC. No CEDEFOP subordinado a VIDA
Conjunto de agentes físicos, químicos e ACTIVA
biológicos e de factores sociais que No EUROVOC subordinado a
afectam os organismos vivos e as CONDIÇÕES DE TRABALHO
actividades humanas.(NA do LQS2006, em RT
AMBIENTE).
TRABALHO
RT
UF
ECOLOGIA AMBIENTE PROFISSIONAL
EDUCAÇÃO AMBIENTAL AMBIENTE FAMILIAR
LUTA CONTRA A POLUIÇÃO Sem subordinação no LQS. Subordinação
do CEDEFOP e OCDE.
POLÍTICA DO AMBIENTE No EUROVOC é UP de FAMÍLIA, mas é
mais adequado o MEIO FAMILIAR
POLUIÇÃO (CEDEFOP, OCDE, UNESCO)
USE
USE
MEIO FAMILIAR
AMBIENTE FÍSICO
AMBIENTE FÍSICO
AMBIENTE DE TRABALHO
No LQS é descritor AMBIENTE. Concorda-
No LQS subordinado a AMBIENTE e VIDA se com a sugestão AMBIENTE FÍSICO.
ACTIVA
No CEDEFOP subordinado a VIDA Atenção registo 118 contém este descritor,
ACTIVA as relações estão nesse registo.
No EUROVOC subordinado a
CONDIÇÕES DE TRABALHO UF
BT
AMBIENTE
CONDIÇÕES DE TRABALHO
AMBIENTE PROFISSIONAL
NT
LOCAL DE TRABALHO Não existe no LQS.
USE
RT AMBIENTE DE TRABALHO
ADAPTAÇÃO DOS TRABALHADORES
ANALFABETISMO
AMBIENTE BT
ERGONOMIA ALFABETIZAÇÃO
RELAÇÕES DO TRABALHO RT
DIREITO À EDUCAÇÃO
SATISFAÇÃO NO TRABALHO
UF
SAÚDE OCUPACIONAL ILETRISMO
SEGURANÇA DO TRABALHO

  19
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
ANÁLISE COMPARATIVA ANÁLISE DE CUSTOS
BT BT
MÉTODO DE INVESTIGAÇÃO GESTÃO CONTABILÍSTICA
NT NT
ANÁLISE TRANSCULTURAL ANÁLISE DE CUSTO-BENEFÍCIO
RT RENTABILIDADE
AVALIAÇÃO COMPARATIVA
ANÁLISE DE DADOS
UF
Sem subordinação no LQS. Sugere-se a
ESTUDO COMPARATIVO subordinação do UNESCO e do
EUROVOC.
ANÁLISE DAS NECESSIDADES DE FORMAÇÃO BT
RT PROCESSAMENTO DE DADOS
INVESTIGAÇÃO EM FORMAÇÃO RT
ANÁLISE DAS QUALIFICAÇÕES BASE DE DADOS

Estudo sistemático das competências dos RECOLHA DE DADOS


trabalhadores experimentadas no quadro
de um dado emprego, em termos de atitude ANÁLISE DE SISTEMAS
e aptidão para o trabalho
BT hierarquia desconhecida
COMPETÊNCIA PROFISSIONAL
NT
DESENVOLVIMENTO DA QUALIFICAÇÃO ANÁLISE DEMOGRÁFICA
Não existe no LQS. Sugere-se a inclusão
DESENVOLVIMENTO DAS COMPETÊNCIAS BT
ANÁLISE DE CONTEÚDO DEMOGRAFIA
BT NT
MÉTODO DE INVESTIGAÇÃO ESTATÍSTICAS DEMOGRÁFICAS
ANÁLISE DE CUSTO-BENEFÍCIO PREVISÃO DEMOGRÁFICA
BT RT
ANÁLISE DE CUSTOS RECENSEAMENTO DA POPULAÇÃO
RT ANÁLISE DO MERCADO TRABALHO
AVALIAÇÃO DE PROGRAMA BT
AVALIAÇÃO DE PROJECTO MERCADO DE TRABALHO
AVALIAÇÃO ECONÓMICA RT
EMPREGO

  20
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
ANÁLISE ECONÓMICA ANÁLISE HISTÓRICA
BT BT
ECONOMIA HISTÓRIA
NT ANÁLISE PROSPECTIVA
ANÁLISE SOCIOECONÓMICA USE
ESTRUTURA ECONÓMICA ESTUDO PROSPECTIVO
INDICADOR ECONÓMICO ANÁLISE QUALITATIVA
BT
MACROECONOMIA
MÉTODO DE INVESTIGAÇÃO
MICROECONOMIA
ANÁLISE SOCIAL
MODELO ECONÓMICO No LQS é equivalente a INVESTIGAÇÃO
SOCIAL.
RT
USE
ANÁLISE ESTATÍSTICA
INVESTIGAÇÃO SOCIAL
CRESCIMENTO ECONÓMICO
ANÁLISE SOCIOECONÓMICA
MODELO ECONOMÉTRICO Termo não controlado no LQS. Só existe
no UNESCO e está também subordinado a
TEORIA ECONÓMICA ANÁLISE ECONÓMICA, seguem-se as
relações deste tesauro.
ANÁLISE ESTATÍSTICA BT
Sugere-se a subordinação do CEDEFOP. ANÁLISE ECONÓMICA
BT
RT
MÉTODO ESTATÍSTICO
CUSTO SOCIAL
NT
INFORMAÇÃO ESTATÍSTICA ECONOMIA
RT INVESTIGAÇÃO ECONÓMICA

ANÁLISE ECONÓMICA UF
ESTATÍSTICA ANÁLISE SOCIO-ECONÓMICA
PROBABILIDADE ANÁLISE SOCIO-ECONÓMICA
USE
QUADRO ESTATÍSTICO ANÁLISE SOCIOECONÓMICA
ANÁLISE FINANCEIRA ANÁLISE SOCIOLÓGICA
BT
Não existe no LQS.
GESTÃO FINANCEIRA BT
SOCIOLOGIA

  21
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
ANÁLISE TRANSCULTURAL ANIMAÇÃO SOCIOCULTURAL
BT Consta da FORMEI. Termo UP no
ANÁLISE COMPARATIVA LQS(2006) remete para ANIMAÇÃO, nos
LQS anteriores era descritor-termo não
controlado. Existe no EUROVOC como
RT UP de MANIFESTAÇÃO CULTURAL,
CULTURA existe no OIT- ANIMAÇÃO, e no OCDE e
UNESCO - ANIMAÇÃO CULTURAL.
PLURALISMO CULTURAL Sugere-se subordiná-lo a POLÍTICA
CULTURAL (TG do EUROVOC e TT do
ANATOMIA UNESCO) e algumas relações.
Segue-se a opção EUROVOC
USE
MANIFESTAÇÃO CULTURAL
ANIMAÇÃO ANIMAÇÃO SÓCIO-CULTURAL
Conjunto de métodos utilizados para fazer USE
participar activamente os membros de um
grupo na vida cultural ou social de um MANIFESTAÇÃO CULTURAL
grupo. Refere-se por vezes à organização
dos tempos livres. ANIMADOR

Só existe no OIT. Sugerem-se Este termo diz respeito à FORMAÇÃO


subordinações e relações, por PROFISSIONAL.
aproximação/equivalência do EUROVOC, Talvez deva ser separado de ANIMADOR
OCDE, UNESCO. Talvez possa ser CULTURAL (ou ANIMADOR SOCIAL,
suprimido e deixar os específicos. relativo a sociocultural), e ANIMADOR DE
Sugere-se subordiná-lo a POLÍTICA FORMAÇÃO têm significados diferentes,
CULTURAL (TG do EUROVOC e TT do e suprimir o termo supra, ou torná-los
UNESCO) e algumas relações. específicos.
BT RT
POLÍTICA CULTURAL ANIMAÇÃO
RT FORMAÇÃO EM GRUPO
ANIMADOR ANIMADOR CULTURAL
CULTURA CNP (versão 1994, 2.ª ed., 2001)
5.1.4.9.20: organiza, coordena e/ou
DESENVOLVIMENTO COMUNITÁRIO desenvolve actividades de animação e
desenvolvimento sociocultural de grupos e
EDUCAÇÃO SOCIAL comunidades, inseridas nas estruturas e
objectivos da administração local ou
EDUCADOR SOCIAL serviços públicos ou privados de carácter
social e cultural.
TEMPOS LIVRES
ANIMAÇÃO CULTURAL
ANIMADORES
Não existe no LQS.

  22
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
ANTROPOLOGIA APARELHO CIENTÍFICO
NT UF
ANTROPOLOGIA CULTURALE SOCIAL MICROSCÓPIO
ANTROPOLOGIA FÍSICA BT
MECÂNICA DE PRECISÃO
ANTROPOLOGIA SOCIAL
UF
ANTROPOLOGIA CULTURALE SOCIAL
APARELHO DE LABORATÓRIO
BT
ANTROPOLOGIA APARELHO DE LABORATÓRIO
Sem termo genérico no TEE. No
ANTROPOLOGIA FÍSICA EUROVOC é não descritor para Aparelho
científico. Sugere-se esta forma
Termo só encontrado no TEE, subodinado USE
a Ciências Biológicas . Sugere-se a USE
subordinação a Biologia Humana porque é APARELHO CIENTÍFICO
esse o seu âmbito de investigação
APARTHEID
BT
BT
ANTROPOLOGIA
DISCRIMINAÇÃO RACIAL
UF
ANTROPOMETRIA APERFEIÇOAMENTO PROFISSIONAL
Formação dispensada tendo em vista
ANTROPOLOGIA SOCIAL aperfeiçoar os conhecimentos e
qualificações.
Normalmente Antropologia Social aparece BT
ligada a Antropologia Cultural. Uma vez
que esta foi remetida para Etnologia, FORMAÇÃO CONTÍNUA
propõe-se a mesma solução
BT RT
ANTROPOLOGIA EDUCAÇÃO PERMANENTE
ANTROPOMETRIA APLICAÇÃO INFORMÁTICA
USE Este termo só aparece no TEE, com a
seguinte nota de aplicação: resolução de
ANTROPOLOGIA FÍSICA um problema ou execução de uma tarefa
com a asjuda do computador. No
ANUÁRIO EUROVOC conceitos semelhantes estão
subordinados a Informática Aplicada, pelo
Revista anual dos acontecimentos de um que se sugere que seja este o descritor.
país ou das tendências relativas a um
assunto em particular. Este termo existe no LQS retirado do
No OCDE e OIT é TG - PERIÓDICO. No CEDEFOP. É equivalente a
OCDE também é TG - MATERIAL DE INFORMÁTICA APLICADA do
REFERÊNCIA. No EUROVOC é TG - EUROVOC.pelo que deve ser colocado
DOCUMENTO. No CEDEFOP tem como em UP.
faceta - TIPO DE DOCUMENTO.
BT
BT
DOCUMENTO INFORMÁTICA

  23
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
APLICAÇÃO INFORMÁTICA APOIO DOMICILIÁRIO
Este termo só aparece no TEE, com a Consta da FORMEI.
seguinte nota de aplicação: resolução de APOIO DOMICILIÁRIO é termo não
um problema ou execução de uma tarefa controlado no LQS, mas de uso corrente.
com a asjuda do computador. No No EUROVOC é descritor AJUDA
EUROVOC conceitos semelhantes estão DOMÉSTICA, termo muito pouco
subordinados a Informática Aplicada, pelo vulgarizado.Sugere-se este termo passar a
que se sugere que seja este o descritor. UP.
Será que este termo é sinónimo de
Este termo existe no LQS retirado do CUIDADOS AO DOMÍCILIO (termo
CEDEFOP. É equivalente a controlado no LQS(2006): OIT)?
INFORMÁTICA APLICADA do BT
EUROVOC.pelo que deve ser colocado
em UP. ACÇÃO SOCIAL
NT
RT
BURÓTICA AJUDANTE FAMILIAR
CONCEPÇÃO ASSISTIDA POR COMPUTADOR CUIDADOS MÉDICOS DOMICILIÁRIOS
FABRICO ASSISTIDO POR COMPUTADOR PERMANÊNCIA NO DOMICÍLIO
RT
PESSOA IDOSA
CIÊNCIAS DA INFORMAÇÃO
UF
INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL AJUDA DOMÉSTICA
NOVA TECNOLOGIA AJUDA DOMICILIÁRIA
SISTEMAS DE INFORMAÇÃO APOIO ECONÓMICO
TELEMÁTICA BT
UF POLÍTICA ECONÓMICA
INFORMÁTICA APLICADA NT
APOIO COMUNITÁRIO AJUDA AO EMPREGO

USE AJUDA ÀS EMPRESAS


AJUDA COMUNITÁRIA AJUDA COMUNITÁRIA
AJUDA DO ESTADO
APOSENTAÇÃO
Termo descritor na LQS.
Refere-se à situação de reforma na função
pública.
USE
REFORMA

  24
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
APOSENTADO APRENDIZAGEM DE ADULTOS
Termo não descritor no EUROVOC. RT
Descritor no CIS
EDUCAÇÃO PERMANENTE
FORMAÇÃO DE ADULTOS
APRENDIZ APRENDIZAGEM DE LÍNGUAS
Termo descritor no EUROVOC e no TEE. BT
Descritor no plural no CIS. ENSINO DE LÍNGUAS

Ovem trabalhador que recebe formação


profissional no emprego RT
BT PROCESSO DE APRENDIZAGEM
OPERÁRIO APRENDIZAGEM EM GRUPO
APRENDIZAGEM USE
Termo sem suborninação no TEE e no PEDAGOGIA DE GRUPO
LQS. Sugere-se a utilização do BT
incluído no CEDEFOP APRENDIZAGEM PELA EXPERIÊNCIA
BT
Aprendizagem realizada pela prática quer
PEDAGOGIA dentro quer fora da escola
BT
NT
PROCESSO DE APRENDIZAGEM
APRENDIZAGEM DE ADULTOS
APRENDIZAGEM PROFISSIONAL
APRENDIZAGEM SOCIAL
BT
DIFICULDADE DE APRENDIZAGEM FORMAÇÃO PROFISSIONAL
MÉTODO DE APRENDIZAGEM NT
MÉTODO DE TRABALHO FORMAÇÃO EM ALTERNÂNCIA
PROCESSO DE APRENDIZAGEM RT
DESENVOLVIMENTO PESSOAL
RITMO DE APRENDIZAGEM
APRENDIZAGEM SOCIAL
RT
BT
ACTIVIDADE ESCOLAR
APRENDIZAGEM
TRANSFERÊNCIA DE APRENDIZAGEM
APRENDIZAGEM VISUAL
UF BT
AQUISIÇÃO DE CONHECIMENTOS PROCESSO DE APRENDIZAGEM
APRENDIZAGEM DE ADULTOS APROFUNDAMENTO DA UNIÃO EUROPEIA
BT NT
APRENDIZAGEM COESÃO ECONÓMICA E SOCIAL

  25
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
APTIDÃO AQUISIÇÃO DA LINGUAGEM
Sem BT. No CEDEFOP tem como termo USE
genérico Desenvolvimento individual.
Sugere-se esta subordinação DESENVOLVIMENTO DA LINGUAGEM
BT AQUISIÇÃO DE CONHECIMENTOS
DESENVOLVIMENTO INDIVIDUAL
USE
NT APRENDIZAGEM
APTIDÃO LINGUÍSTICA
ARBITRAGEM
APTIDÃO PARA O ENSINO Resolução extrajudicial de conflitos
presentes ou futuros. A arbitragem pode
APTIDÃO PARA OS ESTUDOS estar previamente consagrada num
contrato ou acordo, no âmbito de relações
INAPTIDÃO empresariais. Em caso de litígio, as partes
apelarão a um terceiro, o árbitro,
RT escolhidode comum acordo.
PERSONALIDADE BT
PROCESSO JUDICIAL
APTIDÃO LINGUÍSTICA
BT RT
APTIDÃO RELAÇÕES DO TRABALHO
RT ARITMÉTICA
DESENVOLVIMENTO DA LINGUAGEM BT
MATEMÁTICA
APTIDÃO PARA O EMPREGO
Termo descritor da LQS, sem ARMAZENAGEM
subordinação. Termo do EUROVOC, não existe no LQS.
Consta da FORMEI. Sugere-se colocá-lo para subordinar
O termo EMPREGABILIDADE é de uso INVENTÁRIO.
mais corrente, pelo que se deve colocar
este termo em UP. NT
USE INVENTÁRIO
EMPREGABILIDADE ARQUEOLOGIA
APTIDÃO PARA O ENSINO
BT
APTIDÃO
APTIDÃO PARA OS ESTUDOS
BT
APTIDÃO

  26
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
ARQUITECTO ARTES
Termo não descritor no EUROVOC para Em todos os outros thesauri consultados o
URBANISTA no domínio QUESTÕES termo surge no singular
SOCIAIS. Termo descritor na LQS, na NT
forma plural, subordinado a PROFISSÕES
LIBERAIS, e no VETThes, no domínio PROFISSÃO ARTÍSTICA
PROFISSÕES.
Consta da FORMEI, na forma plural. USE
CNP (versão 1994, 2.ª ed., 2001) ARTE
2.1.4.1.05: estuda, planeia, projecta e
orienta a execução de conjuntos urbanos, ARTES DO ESPECTÁCULO
edificações, obras públicas e objectos,
reportando-se à concepção arquitectónica NT
dos edifícios e à sua relação harmoniosa
com o meio circundante. TEATRO

ARTES GRÁFICAS

ARQUITECTURA
RT
ARTES PLÁSTICAS
BELAS ARTES
INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO CIVIL
URBANISMO ARTES VISUAIS
ARQUIVOS NT
BT CINEMA

SISTEMAS DOCUMENTAIS ARTESANATO


ARTE RT
No EUROVOC o termo está no plural. ARTESÃO
Manter assim ou emendar?
ARTESÃO
NT
MÚSICA Termo descritor no EUROVOC e no
VETThes.
RT RT
BELAS ARTES ARTESANATO
CINEMA UF
ARTESÃOS
ESTÉTICA
MESTRE ARTESÃO
MUSEU
UF
ARTES

  27
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
ARTESÃOS ASPECTO DEMOGRÁFICO
Termo descritor na LQS, sem Só existe no OIT. Sugere-se a
subordinação. subordinação segundo a faceta -
USE DEMOGRAFIA, retirando-a de TA. Ou
então, por aproximação ao EUROVOC -
ARTESÃO ANÁLISE DEMOGRÁFICA que não existe
no LQS.
ASPECTO ADMINISTRATIVO Outra alternativa será colocar o termo do
EUROVOC como UP do supra e
Refere-se à administração propriamente subordinar a DEMOGRAFIA.
dita. Não confundir com aspectos de
gestão, que são cobertos pelos descritores BT
GESTÃO, GESTÃO DO PESSOAL, etc. DEMOGRAFIA

Sem subordinação no LQS. Sugere-se RT


subordinação segundo a faceta do OIT.
DINÂMICA DA POPULAÇÃO
BT
POPULAÇÃO
DIREITO ADMINISTRATIVO
ASPECTO ECONÓMICO
RT
ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA Termo UP no LQS e EUROVOC.
USE
ASPECTO CULTURAL CONDIÇÕES ECONÓMICAS
Termo não controlado no LQS. Consta da ASPECTO EDUCATIVO
FORMEI. Não existe em nenhum tesauro.
O termo mais aproximado é FACTOR No OIT é subordinado à faceta
CULTURAL (OIT, OCDE). Substitui-se? EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO, que existe
No LQS(2006) não tem relações no LQS como termo não controlado.
hierárquicas nem associativas, sugere-se Sugere-se a sua subordinação
algumas. BT
RT
EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO
MODO DE VIDA
RT
MUDANÇA CULTURAL EDUCAÇÃO
NORMA SOCIAL ASPECTO FINANCEIRO
PLURALISMO CULTURAL Existe no LQS, OIT e OCDE sem
subordinação. Sugere-se a subordinação a
GESTÃO FINANCEIRA, que é TA no
OIT.
BT
GESTÃO FINANCEIRA
RT
ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA
FINANCIAMENTO
IMPLICAÇÕES ECONÓMICAS

  28
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
ASPECTO FINANCEIRO ASPECTO POLÍTICO
Existe no LQS, OIT e OCDE sem Descritor sem subordinação no LQS e
subordinação. Sugere-se a subordinação a tesauros. Sugere-se subordinação por
GESTÃO FINANCEIRA, que é TA no aproximação ao OIT e EUROVOC.
OIT. BT
RT
CIÊNCIAS POLÍTICAS
POLÍTICA FINANCEIRA
RT
ASPECTO HISTÓRICO POLÍTICA
Termo não controlado na LQS. Consta da
FORMEI. ASPECTO PSICOLÓGICO
Não existe nos outros tesauros. O termo
mais aproximado é ANÁLISE HISTÓRICA Termo sem subordinação nos tesauros.
(OCDE), que é UP no LQS(2006). Sugere- Por aproximação ao OIT, OCDE e
se subordinação, por aproximação ao EUROVOC, sugerimos subordinação.
CEDEFOP. BT
BT PSICOLOGIA
INVESTIGAÇÃO HISTÓRICA RT
RT CIÊNCIAS DO COMPORTAMENTO
HISTÓRIA
PSICOLOGIA SOCIAL
ASPECTO JURÍDICO
PSICÓLOGO
No LQS está subordinado a CIÊNCIAS
JURÍDICAS, que não existe em nenhum SUICÍDIO
tesauro. O mais aproximado é subordiná-
lo a LEGISLAÇÃO, segundo o CEDEFOP ASPECTO SOCIAL
e o WorldbankThes (e onde é UP no
EUROVOC), retirando-o de TA e Termo não controlado no LQS. Consta da
colocando CIÊNCIA JURÍDICA do OCDE FORMEI. Existe no OCDE. É UP no
como TA. EUROVOC que remete para SITUAÇÃO
BT SOCIAL.
NT
LEGISLAÇÃO
NORMA SOCIAL
RT
RT
CIÊNCIA JURÍDICA
IMPLICAÇÕES SOCIAIS
DIREITO
UF
UF SITUAÇÃO SOCIAL
ASPECTO LEGAL
ASPECTO LEGAL
USE
ASPECTO JURÍDICO

  29
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
ASPECTO SOCIOECONÓMICO ASSISTÊNCIA PÚBLICA
Termo não controlado no LQS. Consta da USE
FORMEI como ASPECTOS SÓCIO-
ECONÓMICOS. Não existe nos outros ASSISTÊNCIA SOCIAL
tesauros. É equivalente a CONDIÇÃO
SÓCIOECONÓMICA do EUROVOC e ASSISTÊNCIA SOCIAL
CEDEFOP. Sugere-se colocá-lo em UP.
Diferentes formas de assistência
monetária ou em serviços oferecida a
pessoas muitas vezes não cobertas por o
seguro social e que carecem dos recursos
ASPECTO SOCIOLÓGICO necessários para cobrir as suas
necessidades básicas. (OIT)
Termo que só existe no OIT. É
equivalente a ANÁLISE SOCIOLÓGICA Este termo no OIT é equivalente a ACÇÃO
do OCDE. Sugere-se subordinação. SOCIAL termo só usado em português.
BT Este termo está a cair em desuso e a ser
utilizado ACÇÃO SOCIAL, mas existe no
SOCIOLOGIA EUROVOC, preferimos subordinação do
EUROVOC. No OIT tem como TG-
RT SEGURANÇA SOCIAL, sugeríamos este
ESTATÍSTICAS SOCIAIS ser TA. No CEDEFOP, TG-SERVIÇOS
SOCIAIS, sugeríamos TA.
ASSÉDIO SEXUAL BT
AJUDA SOCIAL
BT
DELITO SEXUAL RT
FUNDOS DE ASSISTÊNCIA
RT
MULHER PRESTAÇÃO COMPLEMENTAR
ASSIMETRIA REGIONAL SEGURANÇA SOCIAL
BT SERVIÇOS SOCIAIS
DESENVOLVIMENTO ECONÓMICO
SUBSÍDIO
ASSISTÊNCIA A DESCENDENTES
TRABALHO SOCIAL
Não existe no LQS. Termo candidato,
pretende substituir a LICENÇA ESPECIAL UF
PARA ASSISTÊNCIA A FILHOS.
ASSISTÊNCIA PÚBLICA
BT
ASSISTENTE SOCIAL
AJUDA SOCIAL
Era descritor no LQS(2003) com UP -
RT TRABALHADORES SOCIAIS. Consta da
CUIDADOS ÀS CRIANÇAS FORMEI como Termo preferencial.
Propõe-se a troca.
UF USE
LICENÇA ESPECIAL PARA ASSISTÊNCIA A FILHOS TRABALHADORES SOCIAIS

  30
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
ASSOCIAÇÃO ASSOCIAÇÃO PATRONAL
Termo sem subordinação no LQS. Este termo é UP no LQS, remetendo-se
Este termo é muito generalista. As para ORGANIZAÇÕES DE
relações são do OIT, mas não é preferível EMPREGADORES, sugere-se ser UP de
as relações do EUROVOC? ORGANIZAÇÃO PATRONAL.
Sugere-se a subordinação do EUROVOC. USE
BT
ORGANIZAÇÃO DE EMPREGADORES
VIDA ASSOCIATIVA
ASSOCIAÇÃO PROFISSIONAL
NT
ASSOCIAÇÃO DE DEFICIENTES Associações comuns a certas profissões
que não são consideradas como
sindicatos.
ASSOCIAÇÃO DE PAIS BT
ASSOCIAÇÃO DE TRABALHADORES ORGANIZAÇÃO PROFISSIONAL
ORGANIZAÇÃO DE EMPREGADORES RT
PARCEIRO SOCIAL
ORGANIZAÇÃO PARA OS DEFICIENTES
ASSOCIAÇÃO SEM FINS LUCRATIVOS
ORGANIZAÇÃO PROFISSIONAL
É descritor no EUROVOC, sugere-se
ORGANIZAÇÃO SEM FINS LUCRATIVOS utilizar o termo do LQS, remetendo este
para UP.
ORGANIZAÇÃO VOLUNTÁRIA USE
ORGANIZAÇÃO SEM FINS LUCRATIVOS
RT
INSTITUIÇÃO SOCIAL ASSOCIATIVISMO
LIBERDADE SINDICAL Termo não controlado. Consta da
FORMEI.
Existe forma aproximada no EUROVOC:
ORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL MOVIMENTO ASSOCIATIVO.
ASSOCIAÇÃO DE DEFICIENTES USE
MOVIMENTO ASSOCIATIVO
BT
ASSOCIAÇÃO ASTRONOMIA

ASSOCIAÇÃO DE PAIS
BT
ASSOCIAÇÃO ATITUDE
ASSOCIAÇÃO DE TRABALHADORES No LQS o termo está no plural.
BT
BT COMPORTAMENTO
ASSOCIAÇÃO
NT
ADAPTABILIDADE
ATITUDE DO ALUNO

  31
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
ATITUDE ATITUDE DOS PAIS
No LQS o termo está no plural. Consta da FORMEI. Este termo só existe
NT no TEE e no CEDEFOP. Nos LQSs
anteriores a 2006 coexiste com o termo
ATITUDE DO FORMANDO RELAÇÕES PAIS-FILHOS. No LQS(2006)
foi suprimido, considerado como sinónimo
ATITUDE DOS EMPREGADORES de RELAÇÃO PAIS-FILHOS, mas o
Family Thesaurus da AIFS considera os
ATITUDE DOS TRABALHADORES dois descritores.
No CEDEFOP está subordinado a PAPEL
RT DOS PAIS no FAMTHes e TEE
PERSONALIDADE subordinado a ATITUDE, no UNESCO
subordinado a MEIO FAMILIAR.
ATITUDE DO ALUNO BT
PAPEL DOS PAIS
BT
ATITUDE RT
PAIS
ATITUDE DO FORMANDO
No LQS está Atitudes dos formandos. No UF
CEDEFOP está Atitude dos formandos ATITUDE PARENTAL
BT
ATITUDE ATITUDE DOS TRABALHADORES
BT
RT
ATITUDE
FORMANDO
RT
ATITUDE DO PROFESSOR
RELAÇÕES DO TRABALHO
USE
UF
COMPORTAMENTO DO PROFESSOR
ATITUDE PERANTE O TRABALHO
ATITUDE DOS EMPREGADORES
ATITUDE PARENTAL
Termo descritor no LQS, que se sugere
colocar em UP, adoptando o descritor do Este termo no LQS é UP de RELAÇÃO
CEDEFOP. PAIS-FILHOS, que não existe no
BT CEDEFOP. O FAMThes da AIFS,
distingue os dois, pelo que este termo
ATITUDE deve ser colocado como UP de ATITUDE
DOS PAIS.
UF USE
ATITUDE PATRONAL ATITUDE DOS PAIS
ATITUDE PATRONAL
Termo preferencial ao do LQS: ATITUDE
DOS EMPREGADORES, sugere-se
colocar este em UP.
USE
ATITUDE DOS EMPREGADORES

  32
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
ATITUDE PERANTE O TRABALHO AUTARQUIA LOCAL
USE Termo não controlado no LQS. Termo
ATITUDE DOS TRABALHADORES descritor no EUROVOC.
NA: Designa uma entidade de âmbito
territorial a nível local. Não confundir com
ATLAS o descritor ADMINISTRAÇÃO LOCAL.
BT Tem como TG - COMUNIDADE
TERRITORIAL, termo não usado,
DOCUMENTO Sugere-se parte do Termo de Topo no
EUROVOC: ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA
RT BT
MAPA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA
AUDIOVISUAIS RT

NT AUTONOMIA LOCAL
AUDIOVISUAIS NA FORMAÇÃO PARTICIPAÇÃO NA COMUNIDADE
AUDIOVISUAIS NA FORMAÇÃO AUTO-AJUDA
BT
Consta da FORMEI sem hífen. No OIT e
AUDIOVISUAIS UNESCO tem como faceta
DESENVOLVIMENTO COMUNITÁRIO,
AUDITORIA sugere-se esta subordinação.
BT
Missão que consiste em analisar e
verificar a conformidade (com as regras de DESENVOLVIMENTO COMUNITÁRIO
direito e de gestão) de uma operação, de
uma actividade particular ou da situação RT
geral de uma empresa. ECONOMIA INFORMAL
BT
GESTÃO EDUCAÇÃO DE ADULTOS

RT EMPOWERMENT
CONTABILIDADE LUTA CONTRA A POBREZA
AUMENTO DA PRODUÇÃO MICROCRÉDITO
BT
POLÍTICA DE PRODUÇÃO PARTICIPAÇÃO NA COMUNIDADE
RT SERVIÇO DE SAÚDE

PRODUÇÃO AUTO-AVALIAÇÃO
BT
INTROSPECÇÃO
RT
AVALIAÇÃO

  33
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
AUTODIDÁCTICA AUTOFORMAÇÃO
BT Aprender por si próprio, sem ajuda do
MÉTODO DE ENSINO instrutor
BT
NT MÉTODO PEDAGÓGICO
ENSINO AUTOMATIZADO
RT
ENSINO PROGRAMADO ENSINO PROGRAMADO
RT AUTOGESTÃO
MATERIAL AUTODIDÁCTICO BT

UF PARTICIPAÇÃO DOS TRABALHADORES


AUTO-EDUCAÇÃO RT
AUTO-INSTRUÇÃO COOPERATIVA
AUTO-EDUCAÇÃO AUTO-INSTRUÇÃO
USE USE
AUTODIDÁCTICA AUTODIDÁCTICA
AUTOEMPREGO AUTOMATIZAÇÃO
Termo descritor da LQS, sem Acção ou prática de utilização de uma
subordinação. máquina que necessita de pouco ou
Consta da FORMEI com a forma AUTO- nenhum controlo
EMPREGO. Só há dois documentos BT
indexados com este descritor. A manter-se
sugere-se a forma aqui apresentada com FABRICO INDUSTRIAL
subordinação a Emprego.
Existe no CEDEFOP subordinado a RT
CONDIÇÕES DE EMPREGO. Sugere-se INDUSTRIALIZAÇÃO
esta subordinação, visto que está
subordinado a EMPREGO (ISS). INFORMATIZAÇÃO
BT
CONDIÇÕES DE EMPREGO INOVAÇÃO
EMPREGO MUDANÇA TECNOLÓGICA
RT ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO
CRIAÇÃO DE EMPRESAS TECNOLOGIA
PEQUENA EMPRESA
AUTOFINANCIAMENTO
BT
FINANCIAMENTO

  34
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
AUTONOMIA AUTONOMIA LOCAL
Termo não existente no LQS. Termo que no LQS é representado por dois
Direito e capacidade efectiva das descritores: AUTONOMIA LOCAL,
colectividades locais de regulamentar e AUTONOMIA REGIONAL, que são UP no
gerir uma parte dos negócios público em EUROVOC, remetendo para AUTONOMIA.
benefício das populações. Juntou-se as relações associativas dos
É descritor no EUROVOC, remete dois de acordo com o LQS e deu-se-lhe a
AUTONOMIA LOCAL para UP, subordinação do EUROVOC.
subordinado a ORGANIZAÇÃO
ADMINISTRATIVA. UF
USE
AUTONOMIA
AUTONOMIA LOCAL
AUTONOMIA REGIONAL
AUTONOMIA DOS DEFICIENTES
AUTONOMIA REGIONAL
Segue-se subordinação do EUROVOC.
BT Termo não controlado no LQS. Consta da
DEFICIENTE FORMEI. É UP no EUROVOC, remete
para AUTONOMIA.
PESSOA COM DEFICIÊNCIA RT
DESENVOLVIMENTO REGIONAL
AUTONOMIA ESCOLAR
USE
BT
AUTONOMIA LOCAL
ADMINISTRAÇÃO DA EDUCAÇÃO
AUTO-REALIZAÇÃO
NT
PROJECTO EDUCATIVO DE ESCOLA BT
DESENVOLVIMENTO DA PERSONALIDADE
PROLONGAMENTO DE ESCOLARIDADE
AUTORIDADE
AUTONOMIA LOCAL
BT
Termo que no LQS é representado por dois LIDERANÇA
descritores: AUTONOMIA LOCAL,
AUTONOMIA REGIONAL, que são UP no RT
EUROVOC, remetendo para AUTONOMIA.
Juntou-se as relações associativas dos DISCIPLINA
dois de acordo com o LQS e deu-se-lhe a
subordinação do EUROVOC. AUTORIDADE LOCAL
BT Termo não descritor no LQS e EUROVOC
USE
ORGANIZAÇÃO ADMINISTRATIVA
ADMINISTRAÇÃO LOCAL
RT
AUTORITARISMO
AUTARQUIA LOCAL
BT
DESENVOLVIMENTO LOCAL LIDERANÇA
DESENVOLVIMENTO REGIONAL RT
DISCIPLINA

  35
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
AUTOSUFICIÊNCIA AVALIAÇÃO
RT Segue-se a subordinação proposta no
DESENVOLVIMENTO ECONÓMICO TEE, que é diferente da do EUROVOC.

Esta AVALIAÇÃO é muito diferente do


DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL sentido do OIT pelo que o supra deveria
ter a designação do UP do EUROVOC e
POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO ser subordinada ao Termo de topo.
NT
AUXÍLIO AOS DESFAVORECIDOS
AVALIAÇÃO CONTÍNUA
Termo não controlado no LQS. Termo
preferencial AJUDA AOS AVALIAÇÃO DE PROGRAMA
DESFAVORECIDOS controlado no
EUROVOC. Sugere-se colocar o supra em AVALIAÇÃO DO PROFESSOR
UP.
USE AVALIAÇÃO DO RENDIMENTO ESCOLAR
AJUDA AOS DESFAVORECIDOS
AVALIAÇÃO ECONÓMICA
AUXÍLIO ÀS EMPRESAS
AVALIAÇÃO FORMATIVA
No EUROVOC é descritor AJUDA ÀS
EMPRESAS. AVALIAÇÃO INICIAL
RT
REESTRUTURAÇÃO INDUSTRIAL AVALIAÇÃO NORMATIVA
AUXÍLIO ECONÓMICO AVALIAÇÃO POR OBJECTIVOS

BT AVALIAÇÃO SUMATIVA
RECURSOS FINANCEIROS
CARREIRA ESCOLAR
RT
RENDIMENTO ESCOLAR
ECONOMIA DA EDUCAÇÃO
TÉCNICA DE AVALIAÇÃO
AUXÍLIO ESTATAL
Não existe no LQS. RT
USE AUTO-AVALIAÇÃO
AJUDA DO ESTADO AVALIAÇÃO DE PROJECTO
AVALIAÇÃO BOAS PRÁTICAS
Segue-se a subordinação proposta no
TEE, que é diferente da do EUROVOC. UF
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA
Esta AVALIAÇÃO é muito diferente do
sentido do OIT pelo que o supra deveria AVALIAÇÃO (LQS)
ter a designação do UP do EUROVOC e
ser subordinada ao Termo de topo. Designação para diferenciar do termo do
BT TEE e EUROVOC (ver AVALIAÇÃO), o
sentido é completamente diferente.
ORGANIZAÇÃO DO ENSINO NT
AVALIAÇÃO ACTUARIAL

  36
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
AVALIAÇÃO (LQS) AVALIAÇÃO CONTÍNUA
Designação para diferenciar do termo do BT
TEE e EUROVOC (ver AVALIAÇÃO), o
sentido é completamente diferente. AVALIAÇÃO
NT AVALIAÇÃO CRITERIAL
AVALIAÇÃO ECONÓMICA
USE
TÉCNICA DE AVALIAÇÃO AVALIAÇÃO POR OBJECTIVOS
RT AVALIAÇÃO DA AJUDA
AVALIAÇÃO DE FUNÇÕES Não existe no LQS.
AVALIAÇÃO DE PROGRAMA RT
AVALIAÇÃO DE PROJECTO
AVALIAÇÃO DE PROJECTO
AVALIAÇÃO DA FORMAÇÃO
AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO
No thesaurus CEDEFOP mais recente o
AVALIAÇÃO DO NÍVEL DE FORMAÇÃO TG é gestão da formação
BT
BOAS PRÁTICAS GESTÃO DA FORMAÇÃO
TESTES NT
AVALIAÇÃO DO NÍVEL DE FORMAÇÃO
AVALIAÇÃO ACTUARIAL
BT QUALIDADE DA FORMAÇÃO
AVALIAÇÃO (LQS) VALIDAÇÃO DA FORMAÇÃO
AVALIAÇÃO COMPARATIVA RT
Método que, no seguimento de uma CERTIFICAÇÃO DE COMPETÊNCIAS
análise económica e comparativa das
disparidades em matéria de desempenho e INVESTIGAÇÃO EM FORMAÇÃO
respectivas causas, procura valorizar e
dar a conhecer os procedimentos que AVALIAÇÃO DA INCAPACIDADE
permitem obter os melhores resultados.
No LQS: AVALIAÇÃO DA INVALIDEZ, o
Termo não existente no LQS. Sugere-se supra parece mais adequado.
inclui-lo. RT
RT PESSOA COM DEFICIÊNCIA
ANÁLISE COMPARATIVA
AVALIAÇÃO DE FUNÇÕES
BOAS PRÁTICAS
RT
COMPETITIVIDADE AVALIAÇÃO (LQS)
PRODUTIVIDADE

  37
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
AVALIAÇÃO DE PROGRAMA AVALIAÇÃO DE PROJECTO
Avaliação de um conjunto de No LQS(2006) está subordinado a
intervenções, criado para atingir objectivos AVALIAÇÃO, tal como AVALIAÇÃO DE
de desenvolvimento específicos ao nível PROGRAMA.
global, nacional, regional, local ou Aplicações de técnicas com vista a
sectorial (OIT). avaliar projectos depois de aprovados,
Aplicação de técnicas com vista à estejam em fase de execução ou depois
avaliação dos programas depois depois de da conclusão.
eles serem aprovados, estejam em fase
de execução, sejam depois da conclusão No OIT e OCDE não tem subordinação.
(LQS). Sugere-se a subordinação do EUROVOC.
Consta da FORMEI. RT
BT
AVALIAÇÃO DE PROGRAMA
AVALIAÇÃO
GESTÃO DE PROJECTO
RT
ANÁLISE DE CUSTO-BENEFÍCIO PROJECTO DE DESENVOLVIMENTO
AVALIAÇÃO (LQS) TÉCNICA DE AVALIAÇÃO
AVALIAÇÃO DE PROJECTO AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA
USE
PROGRAMA DE FORMAÇÃO
AVALIAÇÃO
PROJECTO DE DESENVOLVIMENTO
AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO
TÉCNICA DE AVALIAÇÃO UF
AVALIAÇÃO DE PROJECTO GESTÃO DO DESEMPENHO
No LQS(2006) está subordinado a RT
AVALIAÇÃO, tal como AVALIAÇÃO DE
PROGRAMA. AVALIAÇÃO (LQS)
Aplicações de técnicas com vista a
avaliar projectos depois de aprovados, UF
estejam em fase de execução ou depois MEDIDAS DO DESEMPENHO
da conclusão.
AVALIAÇÃO DO IMPACTO AMBIENTAL
No OIT e OCDE não tem subordinação.
Sugere-se a subordinação do EUROVOC. Actividade que permite identificar, prever,
BT interpretar e difundir a informação acerca
das consequências ambientais derivadas
PROGRAMA DE ACÇÃO de propostas legislativas, políticas,
projectos e procedimentos operacionais.
RT
ANÁLISE DE CUSTO-BENEFÍCIO Termo controlado no LQS, retirado do OIT.
Tem como TG - AMBIENTE (faceta), no
AVALIAÇÃO OIT, AMBIENTE é TA.
No EUROVOC e OCDE é descritor
AVALIAÇÃO (LQS) IMPACTO AMBIENTAL, subordinado a
POLÍTICA DO AMBIENTE.
AVALIAÇÃO DA AJUDA BT
POLÍTICA DO AMBIENTE

  38
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
AVALIAÇÃO DO IMPACTO AMBIENTAL AVALIAÇÃO DO RENDIMENTO ESCOLAR
Actividade que permite identificar, prever, BT
interpretar e difundir a informação acerca
das consequências ambientais derivadas AVALIAÇÃO
de propostas legislativas, políticas,
projectos e procedimentos operacionais. RT
INSPECÇÃO
Termo controlado no LQS, retirado do OIT.
Tem como TG - AMBIENTE (faceta), no MEDIDA DO RENDIMENTO ESCOLAR
OIT, AMBIENTE é TA.
No EUROVOC e OCDE é descritor UF
IMPACTO AMBIENTAL, subordinado a
POLÍTICA DO AMBIENTE. AVALIAÇÃO DOS CONHECIMENTOS
RT
AVALIAÇÃO DO RISCO
AMBIENTE
BT
DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL RISCO
PROTECÇÃO DO AMBIENTE RT
AVALIAÇÃO DO NÍVEL DE FORMAÇÃO SEGURANÇA DO TRABALHO

Avaliação do nível de conhecimentos AVALIAÇÃO DOS CONHECIMENTOS


adquirido no decorrer de um programa de
ensino ou formação, ou no fim deste. Pode RT
exigir um teste ou exame CERTIFICAÇÃO DE COMPETÊNCIAS
BT
AVALIAÇÃO DA FORMAÇÃO USE
AVALIAÇÃO DO RENDIMENTO ESCOLAR
RT
AVALIAÇÃO (LQS) AVALIAÇÃO ECONÓMICA
Determinação ou apreciação da
NÍVEL DE FORMAÇÃO quantidade ou valor da contribuição
individual ou global com respeito ao
PROGRAMA DE FORMAÇÃO conjunto da economia nacional, por
exemplo, a contribuição da economia
AVALIAÇÃO DO PESSOAL oculta no rendimento nacional.

BT Consta da FORMEI. No EUROVOC é UP


GESTÃO DO PESSOAL de ANÁLISE ECONÓMICA. Estes dois
termos constam do LQS (fontes: OIT,
NT OCDE).
BT
AVALIAÇÃO PROFISSIONAL
AVALIAÇÃO
AVALIAÇÃO DO PROFESSOR
AVALIAÇÃO (LQS)
Avaliação e apreciação relativa ao
professor MEDIDA
BT
AVALIAÇÃO RT
ANÁLISE DE CUSTO-BENEFÍCIO

  39
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
AVALIAÇÃO ECONÓMICA AVALIAÇÃO PROFISSIONAL
Determinação ou apreciação da Avaliação da aptidão para o exerício de
quantidade ou valor da contribuição um emprego ou de uma profissão.
individual ou global com respeito ao No LQS não tem BT. No CEDEFOP é
conjunto da economia nacional, por subordinado a Avaliação do pessoal.
exemplo, a contribuição da economia BT
oculta no rendimento nacional.
AVALIAÇÃO DO PESSOAL
Consta da FORMEI. No EUROVOC é UP
de ANÁLISE ECONÓMICA. Estes dois NT
termos constam do LQS (fontes: OIT, BALANÇO DE COMPETÊNCIAS
OCDE).
RT RT
INVESTIGAÇÃO ECONÓMICA EMPREGABILIDADE
POLÍTICA ECONÓMICA QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL
PREVISÃO ECONÓMICA AVALIAÇÃO SUMATIVA
AVALIAÇÃO FORMATIVA Modalidade de avaliação que visa fornecer
informações sobre as aprendizagens
Modalidade de avaliação que se realiza ao realizadas ao longo de uma ou mais
longo do ano num processo de unidades didácticas, de um ano ou de um
cooperação activa com o aluno que lhe curso
faculta informação de retorno (feedback) e BT
que o ajuda a progredir
AVALIAÇÃO
BT
AVALIAÇÃO BACHARELATO
AVALIAÇÃO INICIAL BT
DIPLOMA
Verificação dos conhecimentos e das
capacidades instrumentais e operativas do
aluno no início do seu itinerário BACIA DE EMPREGO
BT Termo descritor na LQS, sem
AVALIAÇÃO subordinação.
BT
AVALIAÇÃO NORMATIVA MERCADO DE TRABALHO
BT RT
AVALIAÇÃO MERCADO DE TRABALHO LOCAL
AVALIAÇÃO POR OBJECTIVOS UF
Avaliação dos alunos em relação ao seu ZONA DE EMPREGO
domínio dos objectivos a atingir
BT
AVALIAÇÃO
UF
AVALIAÇÃO CRITERIAL

  40
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
BAIRRO BAIXO SALÁRIO
Consta do LQS sem subordinação. Consta Este termo é do LQS. No EUROVOC é
da FORMEI. SALÁRIO BAIXO, pelo que se sugere
Não existe no EUROVOC mas existe colocá-lo em UP.
BAIRRO DE LATA, subordinado a RT
HABITAT cujo Termo de topo é
URBANISMO. No OIT é faceta BAIXO RENDIMENTO
DESENVOLVIMENTO COMUNITÁRIO.
Sugere-se URBANISMO para TG. UF
BT SALÁRIO BAIXO
URBANISMO
BALANÇO DE COMPETÊNCIAS
NT Tem como objectivo permitir aos
BAIRRO DE LATA trabalhadores analisar as suas
competências profissionais e pessoais
RT assim como as suas aptidões e
motivações a fim de definir um projecto
CIDADE profissional ou um projecto de formação (
SERVIÇO DE PROXIMIDADE BT
AVALIAÇÃO PROFISSIONAL
BAIRRO DE LATA
BALANÇO SOCIAL
BT
BAIRRO RT
RESPONSABILIDADE DAS EMPRESAS
RT
HABITAÇÃO BANCÁRIOS
Consta da FORMEI.
PROBLEMA SOCIAL USE
BAIXO RENDIMENTO PROFISSÃO BANCÁRIA

Sem subordinação no LQS, sugere-se a do BANCO


EUROVOC.
BT Este termo tem no LQS como UP-
INSTITUIÇÃO FINANCEIRA (OIT) que é
DISTRIBUIÇÃO DO RENDIMENTO TG no EUROVOC, sugere-se adoptar a
subordinação do EUROVOC e colocar o
RT descritor SECTOR BANCÁRIO do
AJUDA AOS DESFAVORECIDOS CEDEFOP em UP.
BT
BAIXO SALÁRIO INSTITUIÇÃO FINANCEIRA
GRUPO VULNERÁVEL NT
POBREZA ACTIVIDADE BANCÁRIA
RT
RENDIMENTO
BANCO CENTRAL
TRABALHADORES POBRES
CRÉDITO

  41
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
BANCO BASE DE DADOS
Este termo tem no LQS como UP- Conjunto de dados armazenados em
INSTITUIÇÃO FINANCEIRA (OIT) que é computador como, por ex., referências
TG no EUROVOC, sugere-se adoptar a bibliográficas.
subordinação do EUROVOC e colocar o No EUROVOC está subordinado a
descritor SECTOR BANCÁRIO do Processamento de dados. No LQS a
CEDEFOP em UP. Serviços de informação. No CEDEFOP a
RT Informática. Sugere-se esta última
hierarquia.
GRUPO DE POUPANÇA E DE CRÉDITO
Este termo tanto no OIT, como no
UF EUROVOC é UP para BASE DE DADOS.
SECTOR BANCÁRIO Sugere-se retirá-lo do LQS como descritor
e colocar em UP.
BANCO CENTRAL BT
RT INFORMÁTICA

BANCO RT
BANCO DE DADOS ANÁLISE DE DADOS

Termo descritor no LQS, que deve ser DADOS ESTATÍSTICOS


colocado como UP, segundo o OIT e
EUROVOC RECOLHA DE DADOS
USE
BASE DE DADOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO
UF
BANCO MUNDIAL
BANCO DE DADOS
RT
RELAÇÕES ECONÓMICAS BEBIDA ALCOÓLICA
Não existe no LQS.
BARREIRA LINGUÍSTICA RT
BT ALCOOLISMO
ACESSO À EDUCAÇÃO
BELAS ARTES
RT
NT
OPORTUNIDADE DE EMPREGO DESENHO ARTÍSTICO
ESCULTURA
FOTOGRAFIA
PINTURA (BELAS-ARTES)
RT
ARQUITECTURA
ARTE
INDÚSTRIA DO LIVRO

  42
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
BEM ESTAR FAMILIAR BENEFICIÁRIO
BT Pessoa abrangida, obrigatória ou
BEM ESTAR SOCIAL facultativamente, por um regime de
segurança social, tendo direito à protecção
social garantida nas eventualidades
RT abrangidas por esse regime.
FAMÍLIA
Sem subordinação no LQS, sugere-se
RENDIMENTO FAMILIAR subordinação segundo a faceta do OIT.

BEM ESTAR SOCIAL BT


NT PROTECÇÃO SOCIAL
BEM ESTAR FAMILIAR UF
RT UTENTE DA SEGURANÇA SOCIAL
DESENVOLVIMENTO HUMANO BIBLIOGRAFIA
ESTADO-PROVIDÊNCIA A utilizar para todas as listas de
refêrencias organizadas alfabéticamente
JUSTIÇA SOCIAL ou de qualquer outra forma lógica, com
mais de uma página de extensão, quando
POLÍTICA SOCIAL um documento inclui bibliografias assim
como referências, e quando um documento
SEGURANÇA SOCIAL contém várias bibliografias.

Sem subordinação no LQS. No EUROVOC


BENCHMARKING tem como TG2 - DOCUMENTO
É um dos instrumentos mais utilizados No OIT e OCDE subordinado a MATERIAL
para aferir a eficiência das organizações DE REFERÊNCIA.
constituindo uma base sobre o qual se
desencadeiam os processos de BT
ajustamento das organizações MATERIAL DE REFERÊNCIA
(empresariais e institucionais) às novas
realidades, comparando competências e
processos, designadamente com as BIBLIOTECA ESCOLAR
organizações de excelência, com o fim de BT
identificar as melhores práticas para
depois as ensaiar, adaptar e implementar. BIBLIOTECAS
BT
NT
GESTÃO DA QUALIDADE BIBLIOTECA UNIVERSITÁRIA
RT
BIBLIOTECA UNIVERSITÁRIA
BOAS PRÁTICAS
BT
BIBLIOTECA ESCOLAR

  43
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
BIBLIOTECÁRIO - DOCUMENTALISTA BIOÉTICA
Termo não descritor no EUROVOC para BT
PROFISSIONAL DA INFORMAÇÃO (só o
primeiro elemento) no domínio VIDA SOCIAL
EDUCAÇÃO E COMUNICAÇÃO. Termo
descritor no VETThes no domínio RT
PROFISSÕES (só o primeiro elemento). ÉTICA
Consta da FORMEI, na forma plural (só o
primeiro elemento). BIOGRAFIA
CNP (versão 1994, 2.ª ed., 2001)
2.4.3.2.05: organiza, adquire, avalia e Sugere-se o singular, como está na maior
conserva colecções de livros, parte dos Thesauri.
documentos, manuscritos, publicações No LQS(2006) não tem subordinação e é
periódicas ou outras recebidas ou UP - HISTÓRIAS DE VIDA. No LQS(2003)
existentes na biblioteca, a fim de facilitar eram os dois descritores e constam ambos
ao investigador ou ao leitor comum um da FORMEI. Existem os dois descritores
acesso fácil à fonte de informação no TEE.
pretendida. No EUROVOC está subordinado a
UF DOCUMENTO
BT
BIBLIOTECÁRIOS
DOCUMENTO
BIBLIOTECÁRIOS
RT
USE
CURRICULUM VITAE
BIBLIOTECÁRIO - DOCUMENTALISTA
HISTÓRIAS DE VIDA
BIBLIOTECAS
BIOLOGIA
BT
SISTEMAS DOCUMENTAIS NT
BIOLOGIA HUMANA
NT
BIBLIOTECA ESCOLAR BOTÂNICA
RT ECOLOGIA
MEDIATECA FISIOLOGIA
BIBLIOTECONOMIA GENÉTICA
BT
ZOOLOGIA
CIÊNCIAS DA INFORMAÇÃO
RT
BILINGUISMO
BIOTECNOLOGIA
BT
LINGUAGEM UF
CIÊNCIAS BIOLÓGICAS
RT
ENSINO BILINGUE BIOLOGIA HUMANA
BT
BIOLOGIA

  44
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
BIOQUÍMICA BOLSA DE ESTUDO
RT Auxílio económico para a frequência de
BIOTECNOLOGIA cursos

BIOTECNOLOGIA
BT BOLSA DE INVESTIGAÇÃO
TECNOLOGIA
Auxílio económico para a continuação de
RT estudos de investigação a nível avançado

BIOLOGIA
BIOQUÍMICA
BOMBEIRO
FARMÁCIA Consta da FORMEI, na forma plural.
CNP (versão 1994, 2.ª ed., 2001)
BIT 5.1.6.1.00: combate incêndios e outros
USE sinistros e protege a vida e os bens dos
cidadãos como membro de um organismo
OIT público ou privado.

BOAS PRÁTICAS
Conjunto de informações validadas por
uma organização credível ou um BOTÂNICA
procedimento de avaliação, susceptíveis
de serem reproduzidas em projectos BT
análogos. Constituem-se como exemplos, BIOLOGIA
conselhos, ou directivas sintetizadas a
partir de ensinamentos retirados da
experiência acumulada no quadro de BUROCRACIA
processos similares. BT

Não tem subordinação no LQS, só existe ADMINISTRAÇÃO


no OIT. Sugere-se como TG - GESTÃO
RT
BT
GESTÃO ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA
RT SECTOR PÚBLICO

AVALIAÇÃO BURÓTICA
AVALIAÇÃO (LQS) BT
APLICAÇÃO INFORMÁTICA
AVALIAÇÃO COMPARATIVA
RT
BENCHMARKING
INFORMATIZAÇÃO
NORMALIZAÇÃO
INOVAÇÃO
SUCESSO

  45
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
BUSCA DE EMPREGO CANDIDATO A EMPREGO
Termo não descritor no EUROVOC. Termo não descritor no EUROVOC.
USE USE
PROCURA DE EMPREGO PROCURA DE EMPREGO
CABELEIREIRO CANDIDATO A EMPREGO
Termo descritor na LQS, na forma plural, Termo descritor no VETThes, subordinado
subordinado a TRABALHADORES DOS a DESEMPREGADO. No EUROVOC é
SERVIÇOS, no VETThes no domínio não descritor para Procura de emprego
PROFISSÕES e no EUROVOC no
domínio INDÚSTRIA. USE
Consta da FORMEI, na forma plural.
CNP (versão 1994, 2.ª ed., 2001) PROCURA DE EMPREGO
5.1.4.1.05: lava, corta, penteia e executa
outras tarefas relacionadas com o CANDIDATOS A EMPREGO
tratamento ou embelezamento dos cabelos.
Termo descritor na LQS, sem
subordinação.
RT Consta da FORMEI.
SECTOR TERCIÁRIO USE
CAÇADOR DE TALENTOS PROCURA DE EMPREGO

Termo não descritor no EUROVOC. CANDIDATURA A EMPREGO


USE Termo não descritor no VETThes.
SERVIÇO DE EMPREGO USE
CÁLCULO PROCURA DE EMPREGO

BT CAPACIDADE EMPRESARIAL
MATEMÁTICA USE
RT EMPREENDEDORISMO

MÁQUINA DE CALCULAR CAPACIDADE PROFISSIONAL


CANALIZADOR Termo não descritor no EUROVOC.
USE
Termo descritor na LQS, na forma plural, e
no VETThes no domínio PROFISSÕES. QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL
Consta da FORMEI, na forma plural.
CNP (versão 1994, 2.ª ed., 2001) CAPATAZ
7.1.3.6.05: monta, conserva e repara tubos,
acessórios e aparelhos de distribuição de Termo descritor no EUROVOC,
água aquecida, águas frias ou para subordinada a CATEGORIA
instalações sanitárias. SOCIOPROFISSIONAL.
USE
SUPERVISOR

  46
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
CAPITAL CARGA DE TRABALHO
Investimento RT
BT ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO
RECURSOS FINANCEIROS
SATISFAÇÃO NO TRABALHO
NT
CAPITAL DE RISCO CARITAS
USE
RT
ORGANIZAÇÃO NÃO GOVERNAMENTAL
INVESTIMENTO
CARPINTEIRO
CAPITAL DE RISCO
Termo descritor na LQS, na forma plural,
BT subordinado a TRABALHADORES DA
CAPITAL MADEIRA, e no VETThes no domínio
PROFISSÕES.
RT Consta da FORMEI, na forma plural.
CNP (versão 1994, 2.ª ed., 2001), 7.1.2.4,
CRIAÇÃO DE EMPRESAS na forma plural: os carpinteiros cortam,
montam e ligam, por vários processos,
INVESTIMENTO reparam e conservam diferentes
estruturas e outras obras de madeira e
CAPITAL HUMANO materiais afins.
Despesas de educação e de formação
consideradas como um investimento
rentável para o futuro. Não confundir com
RECURSOS HUMANOS. CARREIRA ESCOLAR
BT
Conjunto da carreira percorrida pelo aluno
ECONOMIA DA EDUCAÇÃO até ao fim dos seus estudos
BT
RT
AVALIAÇÃO
INVESTIMENTO
NT
CAPITALISMO
EQUIVALÊNCIA
No EUROVOC é UP de ECONOMIA DE
MERCADO, subordinado a REGIME ESPECIALIZAÇÃO
ECONÓMICO, no OCDE subordinado a
SISTEMA ECONÓMICO CARTA DOS DIREITOS DO HOMEM
Sugere-se optar por uma das
subordinações do OIT, segundo a faceta, Este termo é específico no EUROVOC de
ou do OCDE. DIREITOS HUMANOS. Sugere-se a
No UNESCO subordinado a DOUTRINA subordinação do EUROVOC e não do
POLÍTICA. LQS, em que é TA.
USE BT
ECONOMIA DE MERCADO DIREITOS HUMANOS

CARGA DE TRABALHO
BT
RECURSOS HUMANOS

  47
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
CARTA DOS DIREITOS FUNDAMENTAIS DA UNIÃO EUROPEIA CASAMENTO
Sugere-se o termo abreviado do LQS e OIT. BT
DIREITO DA FAMÍLIA
RT
FAMÍLIA
CARTA SOCIAL EUROPEIA
BT MULHER

POLÍTICA SOCIAL EUROPEIA CASTIGO CORPORAL


RT BT
CONSELHO DA EUROPA EDUCAÇÃO AUTORITÁRIA
DIREITOS SOCIAIS CATÁLOGOS
UF BT
CARTA UE MATERIAL DE REFERÊNCIA
CARTA UE CATÁSTROFE
É equivalente no EUROVOC. USE
USE DESASTRE NATURAL
CARTA SOCIAL EUROPEIA CATEGORIA SOCIOPROFISSIONAL
CARTOGRAFIA Termo descritor no EUROVOC,
subordinado a MERCADO DO
NT TRABALHO.
MAPA Consta da FORMEI, na forma plural.
BT
RT
MÃO-DE-OBRA
GEOGRAFIA
NT
CASA PIA DE LISBOA EMPREGADO
Sugere-se esta subordinação. (No LQS é
TA). OPERÁRIO
BT
QUADRO
INSTITUIÇÃO SOCIAL
SUPERVISOR
RT
ACÇÃO SOCIAL TÉCNICO
IPSS UF
CATEGORIAS PROFISSIONAIS
LAR PARA CRIANÇAS E JOVENS
ESTRUTURA PROFISSIONAL

  48
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
CATEGORIAS PROFISSIONAIS CENTRO COMUNITÁRIO
Termo descritor na LQS, sem Resposta social, desenvolvida em
subordinação. equipamento, com estruturas polivalentes
Posição do trabalhador na organização onde se prestam serviços e desenvolvem
que se define pelo conjunto de tarefas e actividades diversas que, de uma forma
serviços que exerce. articulada, tendem a constituir um pólo de
USE animação com vista à prevenção de
problemas sociais e à promoção e
CATEGORIA SOCIOPROFISSIONAL integração social dos indivíduos, grupos e
comunidade de uma determinada área
CD-ROM geográfica, estimulando a sua participação
activa e fomentando o voluntariado.
No EUROVOC é não descritor para suporte
óptico. No CEDEFOP subordina-se a Tipo Aparece no LQS(2003), é suprimido no
de Documento. No LQS não tem LQS 2006. Importante ser incluído.
subordinação. De acordo com a orientação Termo candidato
definida adopta-se a hierarquização do Manual de Nomenclaturas da DGSS, FC,
EUROVOC 2005
USE Enquadramento legal:
SUPORTE ÓPTICO (É referido em vária legislação no âmbito
dos Planos de Urbanização e Regional e
PDM, PNAI, Programa para o Crescimento
CEDEFOP e Emprego.)
BT
SERVIÇO DE INFORMAÇÃO BT
EQUIPAMENTO SOCIAL
RT
ENTIDADE DE FORMAÇÃO CENTRO DE ACOLHIMENTO TEMPORÁRIO
Resposta social, desenvolvida em
CEE equipamento, destinada ao acolhimento
Não existe no LQS. No LQS existe CE urgente e temporário de crianças e jovens
como UP, sugere-se substituição. até aos 18 anos, em situação de perigo, de
duração inferior a seis meses, com base
USE na aplicação de medida de promoção e
COMUNIDADE EUROPEIA protecção.

CENÁRIOS Termo candidato.


(Termo que no LQS é CENTROS DE
Na OCDE está subordinado a ACOLHIMENTO e não está controlado)
INVESTIGAÇÃO DE OPERAÇÕES (ou Manual de Nomenclaturas-Acção Social,
OPERACIONAL). Que não consta da DGSS, FC, 2005
FORMEI. Consta TÉCNICA DE GESTÃO, Lei nº 147/99, de 1 Setembro
sugerindo-se passar a TG. Guião Técnico do CAT, aprovado por
BT Despacho do SEIS, a 29/11/96 (para além
de outras referências na legislação
TÉCNICA DE GESTÃO nacional)
RT BT
ESTUDO PROSPECTIVO EQUIPAMENTO SOCIAL
PLANEAMENTO DO DESENVOLVIMENTO RT
CRIANÇA EM RISCO
POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO

  49
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
CENTRO DE ACTIVIDADES OCUPACIONAIS CENTRO DE FORMAÇÃO
Resposta social, desenvolvida em Compreende as salas de aula e oficinas
equipamento, destinada a desenvolver de formação que normalmente se situam
actividades para jovens e adultos com fora do sistema educativo nacional quer
deficiência grave. sejam autónomas, quer dependam do
Estado. No LQS subordina-se a Entidades
Termo candidato, propõe-se substituir o de formação e a Sistemas de formação. No
termo CENTRO OCUPACIONAL, não CEDEFOP subordina-se a Sistema de
descritor na OIT Formação. Adopta-se este último
Manual Nomenclatura-Acção Social da
DGSS, FC, 2005 RT
Decreto-Lei nº 18/89, de 11 de Janeiro
BT LOCAL DA FORMAÇÃO

EQUIPAMENTO SOCIAL CENTRO DE INFORMAÇÃO


UF No LQS está no plural sem subordinação.
No CEDEFOP subordina-se a Acesso à
CENTRO OCUPACIONAL Informação. No EUROVOC subordina-se a
sistema documental e tem Informação
CENTRO DE DIA como termo relacionado. De acordo com a
orientação seguida adopta-se a
Equipamento social onde se presta hierarquização do EUROVOC
assistência diária, a pessoas que dela
necessitam. BT
BT SISTEMAS DOCUMENTAIS
EQUIPAMENTO SOCIAL RT
CENTRO DE EMPREGO INFORMAÇÃO
Termo não descritor no EUROVOC. CENTRO DE INVESTIGAÇÃO
USE
RT
SERVIÇO DE EMPREGO
INVESTIGAÇÃO
CENTRO DE FORMAÇÃO
Compreende as salas de aula e oficinas
de formação que normalmente se situam
fora do sistema educativo nacional quer
sejam autónomas, quer dependam do
Estado. No LQS subordina-se a Entidades
de formação e a Sistemas de formação. No
CEDEFOP subordina-se a Sistema de
Formação. Adopta-se este último

BT
ENTIDADE DE FORMAÇÃO
NT
ESCOLA DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES
ESCOLA PROFISSIONAL
OFICINA DE FORMAÇÃO

  50
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
CENTRO DE NOITE CENTRO DE SAÚDE
Resposta social, desenvolvida em Este termo é equivalente ao do OIT -
equipamento, que tem por finalidade o CENTRO MÉDICO, sendo preferível
acolhimento nocturno, prioritariamente para colocar este em UP, dado que o supra é a
pessoas idosas com autonomia, designação mais comum e existe no
prioritariamente com mais de 65 anos ou, EUROVOC.
em condições escepcionais, com idade UF
inferior que, por vivenciarem situações de
solidão, isolamento ou insegurança, CENTRO MÉDICO
necessitam de suporte de
acompanhamento durante a noite. CENTRO MÉDICO

Termo candidato Este termo do OIT é equivalente ao do


EUROVOC - CENTRO DE SAÚDE, é
Manual de Nomenclatura- Acção Social, preferível colocar o supra em UP.
DGSS,FC de 2005: USE
Orientação Técnica-Circular nº 12, de CENTRO DE SAÚDE
25.06.2004
Guião Técnico aprovado por Despacho de
19 de Maio de 2004 do Ministro da CENTRO OCUPACIONAL
Segurança Social e do Trabalho É UP no OIT. Não se concorda com a
BT subordinação no LQS e prefere-se a
denominação da Nomenclatura nacional :
EQUIPAMENTO SOCIAL CENTRO DE ACTIVIDADES
OCUPACIONAIS.
RT
USE
PESSOA IDOSA CENTRO DE ACTIVIDADES OCUPACIONAIS
CENTRO DE REABILITAÇÃO CENTROS DE EMPREGO
BT
Termo não descritor na LQS para
SERVIÇO DE REABILITAÇÃO SERVIÇOS DE EMPREGO.
USE
NT
SERVIÇO DE EMPREGO
CENTRO DE REABILITAÇÃO PROFISSIONAL
CENTROS PARA DEFICIENTES
RT
PESSOA COM DEFICIÊNCIA No LQS: CENTROS PARA PESSOAS
COM DEFICIÊNCIA
CENTRO DE REABILITAÇÃO PROFISSIONAL USE
CENTROS PARA PESSOAS COM DFICIÊNCIA
BT
CENTRO DE REABILITAÇÃO CENTROS PARA PESSOAS COM DFICIÊNCIA
CENTRO DE SAÚDE UF
CENTROS PARA DEFICIENTES
Este termo é equivalente ao do OIT -
CENTRO MÉDICO, sendo preferível
colocar este em UP, dado que o supra é a CERÂMICA ARTÍSTICA
designação mais comum e existe no UF
EUROVOC.
RT CERÂMICA DECORATIVA

SAÚDE

  51
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
CERÂMICA DECORATIVA CERTIFICAÇÃO DE COMPETÊNCIAS
USE Não consta da FORMEI. No LQS(2006)
CERÂMICA ARTÍSTICA este termo não existe com esta
designação, é descritor CERTIFICAÇÂO e
tem como fonte o CEDEFOP, mas neste
CERÂMICA UTILITÁRIA tesauro o descritor é CERTIFICAÇÃO DE
USE COMPETÊNCIAS, e as relações são as
deste. Propõe-se a criação deste descritor
INDÚSTRIA DA CERÂMICA com as relações do termo do LQS e para
este utilizar as do TEE.
CERTIFICAÇÃO
RT
Confirmação oficial dos conhecimentos
adquiridos ou ratificados dos resultados de AVALIAÇÃO DA FORMAÇÃO
exame.
AVALIAÇÃO DOS CONHECIMENTOS
Consta da FORMEI. No LQS(2006) este
termo tem como fonte o CEDEFOP, mas RECONHECIMENTO DAS QUALIFICAÇÕES
PROFISSIONAIS
neste tesauro o descritor é
CERTIFICAÇÃO DE COMPETÊNCIAS, e RECONHECIMENTO DE COMPETÊNCIAS
as relações são as deste.
BT CERTIFICAÇÃO PROFISSIONAL
FORMAÇÃO PROFISSIONAL Comprovação de que um indivíduo é
detentor de um conjunto de competências
NT profissionais e outras condições
CERTIFICAÇÃO DE COMPETÊNCIAS necessárias ao exercício de uma
determinada profissão ou actividade
CERTIFICAÇÃO PROFISSIONAL profissional.

DIPLOMA No LQS é descritor CERTIFICADO


PROFISSIONAL, tradução incorrecta do
CERTIFICAÇÃO DE COMPETÊNCIAS termo supra.
BT
Não consta da FORMEI. No LQS(2006) CERTIFICAÇÃO
este termo não existe com esta CERTIFICAÇÃO
designação, é descritor CERTIFICAÇÂO e
tem como fonte o CEDEFOP, mas neste RT
tesauro o descritor é CERTIFICAÇÃO DE QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL
COMPETÊNCIAS, e as relações são as
deste. Propõe-se a criação deste descritor CESSAÇÃO DA RELAÇÃO DE TRABALHO
com as relações do termo do LQS e para
este utilizar as do TEE. Termo descritor da LQS, sem
subordinação.
BT Consta da FORMEI.
Desvinculação das partes outorgantes na
CERTIFICAÇÃO celebração do contrato de trabalho.
Sugere-se que seja não descritor para
NT Cessação de Emprego (EUROVOC)
CORRESPONDÊNCIA DAS QUALIFICAÇÕES USE
CESSAÇÃO DE EMPREGO
EQUIVALÊNCIA DE DIPLOMAS
UNIDADE DE CRÉDITO

  52
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
CESSAÇÃO DE EMPREGO CICLO ECONÓMICO
Termo descritor no EUROVOC. BT
Consta da FORMEI.
CRESCIMENTO ECONÓMICO
BT
EMPREGO NT
RECESSÃO ECONÓMICA
NT
DESPEDIMENTO RT
CONDIÇÕES ECONÓMICAS
REFORMA
DESEMPREGO
UF
CESSAÇÃO DA RELAÇÃO DE TRABALHO CIDADANIA
CESSAÇÃO DO EMPREGO Consta da FORMEI. Não coexistem os
dois nos tesauros: Termo não descritor no
CESSAÇÃO DO EMPREGO EUROVOC e OIT, remete para
NACIONALIDADE. No CEDEFOP é
Termo descritor no VETThes, subordinado descritor e UP - NACIONALIDADE, com
a CONDIÇÕES DE EMPREGO. TG - INTEGRAÇÃO SOCIAL.
Talvez colocá-los na mesma
subordinação.
USE
BT
CESSAÇÃO DE EMPREGO
INTEGRAÇÃO SOCIAL
CHEFE DE EQUIPA RT
Termo não descritor no EUROVOC, para DIREITOS DO CIDADÃO
CAPATAZ, e no VETThes.
USE EMPOWERMENT
SUPERVISOR
CIDADE
CHEFE DE OFICINA Termo não subordinado no LQS. No OCDE
Termo não descritor no EUROVOC para é TG- ZONA URBANA que no EUROVOC
CAPATAZ. é TE de CIDADE, e TG- AGLOMERADO
USE URBANO e termo de topo URBANISMO,
sugere-se esta subordinação.
SUPERVISOR
BT
CICLO BIOLÓGICO
URBANISMO
UF
CICLO DE VIDA RT
BAIRRO
CICLO DE VIDA
DESENVOLVIMENTO URBANO
Sem subordinação nos dois thesauri.
USE PLANEAMENTO URBANO
CICLO BIOLÓGICO
POPULAÇÃO URBANA
SOCIOLOGIA URBANA

  53
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
CIDADE CIÊNCIA ADMINISTRATIVA
Termo não subordinado no LQS. No OCDE BT
é TG- ZONA URBANA que no EUROVOC
é TE de CIDADE, e TG- AGLOMERADO CIÊNCIAS SOCIAIS
URBANO e termo de topo URBANISMO,
sugere-se esta subordinação. UF
CIÊNCIAS ADMINISTRATIVAS
RT
TRANSPORTE URBANO CIÊNCIA DOS SOLOS
BT
URBANIZAÇÃO CIÊNCIAS DA TERRA
ZONA SUBURBANA CIÊNCIA JURÍDICA
ZONA URBANA BT
CIDADE DIGTAL DIREITO
Termo encontrado na obra "Cidades e NT
regiões digitais: para o desenvolvimento DIREITO PÚBLICO
da Sociedade da Informação e do
Conhecimento". Sugere-se como descritor RT
o termo incluído no EUROVOC
USE ASPECTO JURÍDICO
SÍTIO INTERNET UF
CIÊNCIA CIÊNCIAS JURÍDICAS

Termo não controlado no LQS, mas existe CIÊNCIAS ADMINISTRATIVAS


no OIT e OCDE. Consta da FORMEI.
As subordinações do OIT e OCDE são de Havendo dovergências relativamente ao
algumas ciências em concreto, sugerindo- EUROVOC na classificação das Ciências,
se ser suprimidas, porque divergem nos opta-se por seguir o EUROVOC
tesauros. USE
Termo utilizado para a Ciência em geral.
Sugere-se fazer a distinção da CIÊNCIA e CIÊNCIA ADMINISTRATIVA
CIÊNCIAS (EUROVOC) para as ciências
em concreto. CIÊNCIAS BIOLÓGICAS
Há divergência entre a classificação
RT destas ciências entre o TEE e o
COOPERAÇÃO CIENTÍFICA EUROVOC. Dado que o modelo é o
EUROVOC os termos do TEE serão
INVESTIGAÇÃO E DESENVOLVIMENTO considerados não descritores
USE
PROGRAMA CIÊNCIA BIOLOGIA
TECNOLOGIA CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO
UNESCO Existe apenas no TEE, sem
subordinação. Sugere-se a sua
subordinação a Ciências Sociais
UF
PEDAGOGIA

  54
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO CIÊNCIAS DA NATUREZA
Existe apenas no TEE, sem Há divergência entre a classificação
subordinação. Sugere-se a sua destas ciências entre o TEE e o
subordinação a Ciências Sociais EUROVOC. Dado que o modelo é o
NT EUROVOC os termos do TEE serão
considerados não descritores
DIDÁCTICA USE
EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO CIÊNCIAS DA VIDA
TEORIA DA APRENDIZAGEM CIÊNCIAS DA TERRA
TEORIA DA EDUCAÇÃO NT
CIÊNCIA DOS SOLOS
RT
EDUCAÇÃO GEOGRAFIA
PRINCIPIOS DE EDUCAÇÃO GEOLOGIA
QUALIDADE DA EDUCAÇÃO GEOMORFOLOGIA
CIÊNCIAS DA INFORMAÇÃO HIDROLOGIA

Segue-se a hierarquização do EUROVOC METEOROLOGIA


NT
BIBLIOTECONOMIA OCEANOGRAFIA
DOCUMENTAÇÃO CIÊNCIAS DA VIDA
UF
TEORIA DA INFORMAÇÃO CIÊNCIAS DA NATUREZA
RT
CIÊNCIAS DO COMPORTAMENTO
APLICAÇÃO INFORMÁTICA
RT
INFORMAÇÃO ASPECTO PSICOLÓGICO
CIÊNCIAS DA LINGUAGEM PSICOLOGIA
No EUROVOC os termos que aqui estão
subordinados a Ciências da Linguagem, PSICOLOGIA SOCIAL
estão na dependência de Línguística.
Seguindo a norma de usar o EUROVOC CIÊNCIAS ECONÓMICAS
para as àreas não específicas, considera-
se este termo não descritor e passa-se Havendo dovergências relativamente ao
para a dependência de Linguística os EUROVOC na classificação das Ciências,
termos colocados no TEE sob este termo opta-se por seguir o EUROVOC.

USE No EUROVOC está subordinado a


LINGUÍSTICA CIÊNCIAS SOCIAIS. Sugere-se retirar este
USE.(ISS)
NT
TEORIA ECONÓMICA

  55
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
CIÊNCIAS ECONÓMICAS CIÊNCIAS SOCIAIS
Havendo dovergências relativamente ao NT
EUROVOC na classificação das Ciências,
opta-se por seguir o EUROVOC. CIÊNCIA ADMINISTRATIVA

No EUROVOC está subordinado a FILOSOFIA


CIÊNCIAS SOCIAIS. Sugere-se retirar este
USE.(ISS) HISTÓRIA
RT
RT
ECONOMIA INVESTIGAÇÃO SOCIAL
MACROECONOMIA PSICOLOGIA SOCIAL
MICROECONOMIA CIENTISTA
MODELO ECONÓMICO Termo não descritor no EUROVOC.
USE
UF
PROFISSÃO CIENTÍFICA
ECONOMIA POLÍTICA
CIENTISTAS
CIÊNCIAS FÍSICAS
Termo não descritor na LQS para
Havendo dovergências relativamente ao PESSOAL CIENTÍFICO.
EUROVOC na classificação das Ciências, Consta da FORMEI.
opta-se por seguir o EUROVOC
USE
NT
PROFISSÃO CIENTÍFICA
ELECTRÓNICA
CIGANO
FÍSICA
Até Novembro de 1993, ver GRUPO
CIÊNCIAS HUMANAS MINORITÁRIO.
BT
GRUPO ÉTNICO
RT
CIÊNCIAS JURÍDICAS
NOMADISMO
Havendo dovergências relativamente ao
EUROVOC na classificação das Ciências, CIMENTO
opta-se por seguir o EUROVOC
USE BT
CIÊNCIA JURÍDICA MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO
CIÊNCIAS POLÍTICAS CINEMA
NT BT
ASPECTO POLÍTICO ARTES VISUAIS
RT RT
FILOSOFIA POLÍTICA ARTE

  56
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
CÍRCULO DE QUALIDADE CLASSIFICAÇÃO DAS PROFISSÕES
Modelo que assenta na criação de equipas Termo descritor na LQS, sem
de trabalhadores subordinação.
responsáveis pela qualidade das tarefas Consta da FORMEI.
executadas e pela Estrutura elaborada num quadro
identificação de melhorias que possam conceptual predefinido que permite
conduzir a ganhos de classificar os dados relativos às
eficiência e produtividade. profissões extraídos dos inquéritos
BT estatísticos ou provenientes de outras
fontes.
TÉCNICA DE GESTÃO NT
RT SECRETÁRIO
PRODUTIVIDADE SOCIÓLOGO
CIS TREINADOR DESPORTIVO
BT
UF
OIT
CLASSIFICAÇÃO NACIONAL DAS PROFISSÕES
CLASSES SOCIAIS
CLASSIFICAÇÃO NACIONAL DAS PROFISSÕES
UF
SISTEMA SOCIAL Termo não descritor na LQS.
USE
CLASSIFICAÇÃO DAS ACTIVIDADES ECONÓMICAS CLASSIFICAÇÃO DAS PROFISSÕES

CLUBE DE EMPREGO
Termo descritor na LQS, na forma do
CLASSIFICAÇÃO DAS PROFISSÕES plural, sem subordinação.
Formas de organização sem fins
Termo descritor na LQS, sem lucrativos, para promover o
subordinação. acompanhamento personalizado de
Consta da FORMEI. desempregados de longa duração.
Estrutura elaborada num quadro USE
conceptual predefinido que permite SERVIÇO DE EMPREGO PRIVADO
classificar os dados relativos às
profissões extraídos dos inquéritos
estatísticos ou provenientes de outras CÓDIGO DO TRABALHO
fontes. BT
NT
DIREITO DO TRABALHO
ENFERMEIRO
RT
ESTUCADOR REGULAMENTAÇÃO DO TRABALHO
FORMADOR TRABALHO
JORNALISTA
MINEIRO
PSICÓLOGO

  57
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
COESÃO ECONÓMICA E SOCIAL COLOCAÇÃO EM INSTITUIÇÕES
Termo do EUROVOC. Sem subordinação Termo não controlado no LQS. Existe no
no LQS, sugere-se a subordinação por UNESCO, no FAMThes e WBThes o
aproximação à faceta do OIT para termo INSTITUCIONALIZAÇÃO. Sugere-
COESÃO SOCIAL, colocando este termo se colocar o supra em UP.
como TE do supra. USE
BT
INSTITUCIONALIZAÇÃO
APROFUNDAMENTO DA UNIÃO EUROPEIA
COLÓQUIO
NT
USE
COESÃO SOCIAL
ACTA DE REUNIÃO
RT
DISPARIDADE REGIONAL COMBATE AO CRIME
Não existe no LQS. No EUROVOC é o
FUNDO DE COESÃO supra, no OCDE é PREVENÇÃO DO
CRIME, prefere-se o do EUROVOC.
FUNDOS ESTRUTURAIS BT
COESÃO SOCIAL POLÍTICA SOCIAL
O grau de unidade numa sociedade, RT
determinado pelas relações entre grupos DELINQUÊNCIA
económicos, sociais, religiosos e outros e
o alcance do compromisso com o sistema UF
de valores comuns e a natureza da
organização social. PREVENÇÃO DO CRIME

Sem subordinação no LQS. Só existe no COMBATE AO DESEMPREGO


OIT, é UP no EUROVOC de COESÃO
ECONÓMICA E SOCIAL, sugere-se a Termo descritor na LQS, subordinado
subordinação a este. também a PRESTAÇÕES DE
DESEMPREGO, no EUROVOC,
BT subordinado a POLÍTICA DO EMPREGO,
COESÃO ECONÓMICA E SOCIAL e no VETThes.
Consta da FORMEI.
RT BT
EXCLUSÃO SOCIAL POLÍTICA DE EMPREGO
INTEGRAÇÃO SOCIAL NT
PARTICIPAÇÃO SOCIAL TRABALHO PARTILHADO
RT
PNAI
DESEMPREGADO
REDES SOCIAIS
INICIATIVA LOCAL DE EMPREGO
UF
LUTA CONTRA O DESEMPREGO

Pag. 56 de 399

  58
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
COMÉRCIO COMÉRCIO INTERNACIONAL
NT Termo que no EUROVOC é subordinado a
COMÉRCIO A RETALHO Termo de topo.
RT
COMÉRCIO INTERNACIONAL ECONOMIA INTERNACIONAL
COOPERATIVA DE CONSUMO MERCADO INTERNACIONAL
RT POLÍTICA DO COMÉRCIO INTERNACIONAL
ECONOMIA INTERNACIONAL
RELAÇÕES COMERCIAIS
RELAÇÕES INTERNACIONAIS
RELAÇÕES INTERNACIONAIS
COMÉRCIO A RETALHO
UF
BT COMÉRCIO MUNDIAL
COMÉRCIO
COMÉRCIO MUNDIAL
RT
USE
SECTOR TERCIÁRIO
COMÉRCIO INTERNACIONAL
COMÉRCIO EXTERNO
COMISSÃO CE
BT
BT
COMÉRCIO INTERNACIONAL
INSTITUIÇÃO COMUNITÁRIA
COMÉRCIO INTERNACIONAL
NT
Termo que no EUROVOC é subordinado a COMISSÁRIO EUROPEU
Termo de topo.
BT RT
COMÉRCIO COMUNIDADE EUROPEIA
NT DECISÃO CE
COMÉRCIO EXTERNO
PARECER CE
DIVISÃO INTERNACIONAL DO TRABALHO
PROPOSTA CE
EXPORTAÇÃO
UF
GATT COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS
IMPORTAÇÃO COMISSÃO EUROPEIA
LIBERALIZAÇÃO DO COMÉRCIO COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS
ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DO COMÉRCIO USE
COMISSÃO CE
RT
CONCORRÊNCIA INTERNACIONAL

  59
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
COMISSÃO EUROPEIA COMITÉ DO EMPREGO E DO MERCADO DE TRABALHO
USE Termo não descritor no EUROVOC.
COMISSÃO CE USE
COMITÉ DO EMPREGO
COMISSÃO LOCAL DE ACOMPANHAMENTO
COMITÉ ECONÓMICO E SOCIAL CE
Termo candidato sem controle, necessário
para recuperação específica. Não existe Termo descritor no LQS, mas UP no
no LQS. Sugere-se subordinação e EUROVOC, que remete para COMITÉ
relações. ECONÓMICO E SOCIAL EUROPEU.
RT Sugere-se colocá-lo como UP desse, ou
COMISSÃO NACIONAL DO RENDIMENTO MÍNIMO como UT (Ver também).
No LQS está subordinado a INSTITUIÇÃO
COMUNITÁRIA, a ser descritor sugere-se
PROGRAMA DE INSERÇÃO subordiná-lo segundo o EUROVOC.
COMISSÃO NACIONAL DO RENDIMENTO MÍNIMO BT
Criada pela Lei 19-A/96 e Portaria 237- ÓRGÃO COMUNITÁRIO
A/94, em Diário da República
COMPETÊNCIA PROFISSIONAL
Termo candidato sem controle, necessário
para recuperação específica. Não existe Termo não descritor na LQS, para
no LQS. Sugere-se subordinação e QUALIFICAÇÕES
relações. PROFISSIONAIS.Existe no EUROVOC.
RT
Consta da FORMEI. É descritor no
COMISSÃO LOCAL DE ACOMPANHAMENTO LQS(2006) que remete para o CEDEFOP
como fonte e tem como TA -
COMISSÁRIO EUROPEU QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL,
DESENVOLVIMENTO DAS
BT COMPETÊNCIAS.
COMISSÃO CE BT
COMITÉ CONSULTIVO DO EMPREGO FORMAÇÃO PROFISSIONAL
Termo não descritor no EUROVOC. NT
USE ANÁLISE DAS QUALIFICAÇÕES
COMITÉ DO EMPREGO
SABER FAZER
COMITÉ DO EMPREGO
COMPETÊNCIA TRANSFERÍVEL
Termo descritor no EUROVOC.
BT Termo descritor na LQS, na forma plural,
subordinado a QUALIFICAÇÕES.
POLÍTICA COMUNITÁRIA DO EMPREGO Consta da FORMEI, na forma plural.
Possibilidade de introduzir as
UF qualificações num ambiente sociocultural
COMITÉ CONSULTIVO DO EMPREGO ou técnico diferente, ou das utilizar no
exercício de outras profissões.
COMITÉ DO EMPREGO E DO MERCADO DE TRABALHO BT
QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL

  60
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
COMPETÊNCIA TRANSFERÍVEL COMPORTAMENTO
Termo descritor na LQS, na forma plural, Sem subordinação no LQS e no TEE.
subordinado a QUALIFICAÇÕES. Subordinado a Sociedade no CEDEFOP.
Consta da FORMEI, na forma plural. Sendo Soociedade um termo muito
Possibilidade de introduzir as abrangente no EUROVOC sugere-se como
qualificações num ambiente sociocultural BT Vida Social que parece mais preciso
ou técnico diferente, ou das utilizar no
exercício de outras profissões. BT
RT
VIDA SOCIAL
DESENVOLVIMENTO DAS COMPETÊNCIAS
NT
COMPETÊNCIAS PESSOAIS ATITUDE

COMPORTAMENTO DO ALUNO
COMPORTAMENTO DO PROFESSOR
COMPETITIVIDADE
Este termo tem no LQS como TG - COMPORTAMENTO SEXUAL
CONCORRÊNCIA que é TA em todos os
tesauros. Sugere-se a subordinação do DISCIPLINA
EUROVOC, e algumas relações.
UF RT
COMPETITIVIDADE EMPRESARIAL MODO DE VIDA
BT COMPORTAMENTO DE GRUPO
POLÍTICA DA EMPRESA Em LQS subordinado a Comportamento
humano. No TEE subordinado a
RT Comportamento social. Sugere-se este
termo que também existe no EUROVOC
AVALIAÇÃO COMPARATIVA BT
CONCORRÊNCIA COMPORTAMENTO SOCIAL
ESTRATÉGIA DA EMPRESA RT
DINÂMICA DE GRUPO
PREÇOS
COMPORTAMENTO DO ALUNO
PROGRAMA INTEGRADO DE APOIO À INOVAÇÃO
BT
RENTABILIDADE COMPORTAMENTO
COMPETITIVIDADE EMPRESARIAL COMPORTAMENTO DO PROFESSOR
BT
COMPORTAMENTO
RT
PAPEL DO PROFESSOR
PROFESSOR

  61
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
COMPORTAMENTO DO PROFESSOR COMPORTAMENTO SOCIAL
UF Adopta-se a subordinação do EUROVOC
ATITUDE DO PROFESSOR RT
PSICOLOGIA SOCIAL
COMPORTAMENTO ORGANIZACIONAL
COMPOSIÇÃO DA POPULAÇÃO
RT
GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS BT
DEMOGRAFIA
RESPONSABILIDADE DAS EMPRESAS
NT
COMPORTAMENTO POLÍTICO DISTRIBUIÇÃO ETÁRIA
NT
DISTRIBUIÇÃO POR SEXO
PARTICIPAÇÃO POLÍTICA
COMPREENSÃO
RT
ÉTICA BT
INTELIGÊNCIA
COMPORTAMENTO SEXUAL
NT
Sem subordinação no LQS. Subordinado a
comportamento no TEE COMPREENSÃO AUDITIVA
BT
COMPREENSÃO AUDITIVA
COMPORTAMENTO
BT
COMPORTAMENTO SOCIAL COMPREENSÃO
Adopta-se a subordinação do EUROVOC
RT
BT
VIDA SOCIAL COMUNICAÇÃO NÃO-VERBAL
NT COMPUTADOR
COMPORTAMENTO DE GRUPO Segue-se a hierarquização do EUROVOC
BT
DISCRIMINAÇÃO EQUIPAMENTO INFORMÁTICO
INTERACÇÃO SOCIAL RT
RELAÇÕES INTERPESSOAIS INFORMATIZAÇÃO
SOCIALIZAÇÃO TELECOMUNICAÇÕES
RT COMUNICAÇÃO
ADAPTAÇÃO SOCIAL Termo de topo no EUROVOC
NT
MARGINALIZAÇÃO COMUNICAÇÃO NÃO-VERBAL
MODO DE VIDA COMUNICAÇÃO VERBAL
PAPÉIS SOCIAIS

  62
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
COMUNICAÇÃO COMUNICAÇÃO VERBAL
Termo de topo no EUROVOC NT
NT FALA
MENSAGEM
GESTO
RELAÇÕES PÚBLICAS
RT
SISTEMAS DE COMUNIC AÇÃO LEITURA
TEORIA DA COMUNICAÇÃO COMUNIDADE
RT No EUROVOC este termo não aparece
LINGUAGEM isolado. No TEE e no LQS não tem
subordinação no LQS. No CEDEFOP
aparece subordinado a Sociedade. Sugere-
MEIOS DE COMUNICAÇÃO EM MASSA se a subordinação a Vida social proposto
no EUROVOC
TELECOMUNICAÇÕES BT
COMUNICAÇÃO DE DADOS VIDA SOCIAL
Este termo do EUROVOC é preferível ao RT
LQS e do OCDE- TRANSFERÊNCIA DE
INFORMAÇÃO. Sugere-se este como DESENVOLVIMENTO COMUNITÁRIO
descritor e o outro UP.
BT EQUIPAMENTO SOCIAL

PROCESSAMENTO DE DADOS PARTICIPAÇÃO NA COMUNIDADE


RT RECURSOS COMUNITÁRIOS
ACESSO À INFORMAÇÃO
COMUNIDADE DE INSERÇÃO
SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Resposta social, em equipamento social,
com ou sem alojamento, que compreende
UF um conjunto de acções integradas com
TRANSFERÊNCIA DE INFORMAÇÃO vista à inclusão social de grupos ou
pessoas, designadamente mães solteiras,
COMUNICAÇÃO NÃO-VERBAL ex-reclusos, sem abrigo, que se
encontram em situação de marginalização
BT social e profissional.
COMUNICAÇÃO
Termo candidato
Manual de Nomenclaturas da DGSS, FC,
RT 2005
COMPREENSÃO AUDITIVA Orientação técnica-Circular nº 13, de
25.06.2004
ESCRITA Guião técnico, aprovado por Despacho de
19.05.2004 do Ministro da SST.
COMUNICAÇÃO VERBAL BT
BT EQUIPAMENTO SOCIAL
COMUNICAÇÃO

  63
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA COMUNIDADE EUROPEIA
USE No LQS existe a Nota de Aplic.: A partir de
CPLP Janeiro de 1994, utilizar UNIÃO
EUROPEIA.
Não existe no CEDEFOP2005, é UP no
COMUNIDADE EUROPEIA OIT. No LQS e OCDE subordinado a
No LQS existe a Nota de Aplic.: A partir de ORGANIZAÇÕES EUROPEIAS.(ISS)
Janeiro de 1994, utilizar UNIÃO Segue-se a hierarquização proposta pelo
EUROPEIA. EUROVOC.
Não existe no CEDEFOP2005, é UP no Sendo este termo do EUROVOC, sugere-
OIT. No LQS e OCDE subordinado a se subordinar este termo a UNIÃO
ORGANIZAÇÕES EUROPEIAS.(ISS) EUROPEIA (TG2), colocando
Segue-se a hierarquização proposta pelo COMUNIDADES EUROPEIAS como UP
EUROVOC. de UNIÃO EUROPEIA.
Sendo este termo do EUROVOC, sugere- Sugere-se também só relacionar:
se subordinar este termo a UNIÃO INSTITUIÇÃO COMUNITÁRIA, DIREITO
EUROPEIA (TG2), colocando COMUNITÁRIO, FUNDOS
COMUNIDADES EUROPEIAS como UP ESTRUTURAIS, ÓRGÃO e ORGANISMO
de UNIÃO EUROPEIA. COMUNITÁRIO, MERCADO ÚNICO,
Sugere-se também só relacionar: PAÍSES CE e EU, PUB CE e EU, (ISS)
INSTITUIÇÃO COMUNITÁRIA, DIREITO
COMUNITÁRIO, FUNDOS RT
ESTRUTURAIS, ÓRGÃO e ORGANISMO
COMUNITÁRIO, MERCADO ÚNICO, PAÍSES UE
PAÍSES CE e EU, PUB CE e EU, (ISS)
PARLAMENTO EUROPEU
BT PUB CE
COMUNIDADES EUROPEIAS
PUB UE
UNIÃO EUROPEIA
RECOMENDAÇÃO CE
NT
DIREITO COMUNITÁRIO UF
CEE
RT
COMISSÃO CE COMUNIDADES EUROPEIAS
BT
FEDER
UNIÃO EUROPEIA
FUNDO SOCIAL EUROPEU NT
FUNDOS ESTRUTURAIS COMUNIDADE EUROPEIA
INSTITUIÇÃO COMUNITÁRIA CONSTRUÇÃO EUROPEIA
MERCADO ÚNICO
ORGANISMO COMUNITÁRIO
ÓRGÃO COMUNITÁRIO
PAÍSES CE

  64
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
CONCEITO CONCERTAÇÃO SOCIAL
Consta da FORMEI. Termo não controlado Termo não controlado no LQS. Consta da
na LQS. Aparece nas versões anteriores FORMEI.
da LQS. Este termo é de linguagem natural. No
Termo não descritor no thesaurus da LQS, tanto DIÁLOGO SOCIAL como
UNESCO remete para PACTO SOCIAL aparecem ambos com o
CONCEPTUALIZAÇÃO. Não existe nos UP - CONCERTAÇÃO SOCIAL.
thesaurus OIT, OCDE, CEDEFOP e Sugerimos este como UP de DIÁLOGO
EUROVOC. ((ISS) SOCIAL (segundo o OIT) e o outro com o
Consta da FORMEI, indexado no sentido UP - POLÍTICA DE CONCERTAÇÃO,
de Definição, por não existir este descritor substituindo-se na FORMEI.
nas versões LQS anteriores a 2006.(ISS) USE
Tem como termos associados: Conceitos
jurídicos, Conceitos estatísticos, também DIÁLOGO SOCIAL
não controlados. (ISS)
Existe no TEE, com outro significado. CONCILIAÇÃO
Também existe no FAMThes da AIFS
BT
RT
RESOLUÇÃO DE CONFLITOS DE TRABALHO
PROCESSO DE APRENDIZAGEM
CONCILIAÇÃO TRABALHO-VIDA FAMILIAR
REPRESENTAÇÃO SOCIAL
Não existe no LQS. Sugere-se como termo
CONCEITO ESTATÍSTICO candidato, por aproximação ao OIT,
colocando EMPREGO-FAMÍLIA, também
Consta da FORMEI. Termo não controlado não controlado em UP.
na LQS, subordinado a CONCEITO. USE
Não existe nos outros thesaurus.
CONCILIAÇÃO TRABALHO-VIDA PESSOAL
BT
CONCILIAÇÃO TRABALHO-VIDA PESSOAL
ESTATÍSTICA
Ajuste das estruturas do trabalho de forma
CONCEITO JURÍDICO a permitir aos indivíduos conciliar a sua
actividade profissional com outras
Consta da FORMEI. Termo não controlado responsabilidades ou aspirações.
na LQS, subordinado a CONCEITO
Não existe nos outros thesaurus. Sugere-se a subordinação a
RESPONSABILIDADES FAMILIARES,
BT segundo a faceta do OIT.
DIREITO BT
ORGANIZAÇÃO DO TEMPO DE TRABALHO
CONCEPÇÃO ASSISTIDA POR COMPUTADOR
RT
BT
APLICAÇÃO INFORMÁTICA CUIDADOS ÀS CRIANÇAS
FAMÍLIA
RESPONSABILIDADES FAMILIARES
UF
CONCILIAÇÃO TRABALHO-VIDA FAMILIAR

  65
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
CONCORRÊNCIA CONDIÇÃO FEMININA
BT Não existe no LQS.
EMPRESA UF
CONDIÇÃO DA MULHER
NT
CONCORRÊNCIA INTERNACIONAL CONDIÇÕES DE ATRIBUIÇÃO
RT USE
COMPETITIVIDADE ELEGIBILIDADE
CONCORRÊNCIA INTERNACIONAL CONDIÇÕES DE EMPREGO
Não existe no LQS. BT
BT EMPREGO
CONCORRÊNCIA NT
RT AUTOEMPREGO
COMÉRCIO INTERNACIONAL EMPREGO PROTEGIDO
CONDIÇÃO DA MULHER RT
USE CONDIÇÕES DE TRABALHO
CONDIÇÃO FEMININA
CONDIÇÕES DE ENSINO
CONDIÇÃO DE ADMISSÃO AO EMPREGO BT
Termo descritor na LQS, apresentado na CONDIÇÕES DE TRABALHO
forma plural, sem subordinação.
Refere-se às condições requeridas, RT
dizendo respeito à idade mínima, às
qualificações profissionais, ao estado de PROFISSÃO DOCENTE
saúde e à boa conduta.
BT CONDIÇÕES DE TRABALHO
MERCADO DE TRABALHO Factores físicos sociais e administrativos
que afectam o ambiente em que o
RT trabalhador exerce a sua actividade.
EMPREGO NT
AMBIENTE DE TRABALHO
CONDIÇÃO FEMININA
CONDIÇÕES DE ENSINO
Não existe no LQS.
BT ERGONOMIA
POLÍTICA SOCIAL
LOCAL DE TRABALHO
RT
QUALIDADE DE VIDA PROFISSIONAL
DIREITOS DA MULHER
SEGURANÇA DO TRABALHO
EMPREGO DE MULHERES
RT
MULHER
CONDIÇÕES DE EMPREGO

  66
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
CONDIÇÕES DE TRABALHO CONDIÇÕES ECONÓMICAS
Factores físicos sociais e administrativos No LQS está subordinado a ECONOMIA,
que afectam o ambiente em que o segundo a faceta do OIT, sugere-se
trabalhador exerce a sua actividade. subordinação a CONDIÇÃO
RT SOCIOECONÓMICA, segundo o
WorldBankThes.
CONVENÇÃO COLECTIVA BT
GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS CRESCIMENTO ECONÓMICO
NORMAS DO TRABALHO NT
CUSTO DE VIDA
ORGANIZAÇÃO DO TEMPO DE TRABALHO
RECURSOS ECONÓMICOS
SALÁRIO
RT
SAÚDE OCUPACIONAL CICLO ECONÓMICO
SOCIOLOGIA DO TRABALHO CONDIÇÕES DE VIDA
TRABALHO CONDIÇÕES SOCIAIS
CONDIÇÕES DE VIDA DESENVOLVIMENTO ECONÓMICO
Sugere-se uma subordinação e outras
relações. ECONOMIA INTERNACIONAL
BT
IMPLICAÇÕES ECONÓMICAS
SITUAÇÃO SOCIAL
INDICADOR ECONÓMICO
RT
CONDIÇÕES ECONÓMICAS INFORMAÇÃO ECONÓMICA
CONDIÇÕES SOCIAIS POBREZA
CUSTO DE VIDA SISTEMA PRODUTIVO
HABITAÇÃO UF
ASPECTO ECONÓMICO
LUTA CONTRA A POBREZA
CONJUNTURA ECONÓMICA
NECESSIDADES BÁSICAS
SITUAÇÃO ECONÓMICA
NÍVEL DE VIDA
CONDIÇÕES SOCIAIS
POBREZA
Termo sem subordinação no LQS e OIT.
QUALIDADE DE VIDA Sugere-se subordinação a CONDIÇÃO
SOCIOECONÓMICA do EUROVOC e
segundo o WorldBankThes.
BT
SITUAÇÃO SOCIAL

  67
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
CONDIÇÕES SOCIAIS CONFEDERAÇÃO MUNDIAL DO TRABALHO
Termo sem subordinação no LQS e OIT. Termo não existente no LQS.
Sugere-se subordinação a CONDIÇÃO BT
SOCIOECONÓMICA do EUROVOC e
segundo o WorldBankThes. ORGANIZAÇÃO NÃO GOVERNAMENTAL
RT
CONFEDERAÇÃO PATRONAL
CONDIÇÕES DE VIDA
Termo não existente no LQS. Existe CIP e
CONDIÇÕES ECONÓMICAS CAP não controlados, nem subordinados.
Sugere-se colocá-las em UP deste termo,
DESENVOLVIMENTO SOCIAL ou em TE, consoante a relevância
documental. Sugerimos colocar em UP.
IMPLICAÇÕES SOCIAIS
NT
INDICADOR SOCIAL CONFEDERAÇÃO DA INDÚSTRIA PORTUGUESA
MUDANÇA SOCIAL CONFEDERAÇÃO DOS AGRICULTORES DE PORTUGAL
POBREZA CONFERÊNCIA
POLÍTICA SOCIAL A organização, o financiamento, etc., das
conferências, congressos e reuniões.
UF É descritor no LQS(2006), OCDE e OIT.
Consta da FORMEI. (ISS)
CONJUNTURA SOCIAL Consta do EUROVOC como UP de ACTA
DE REUNIÃO. E no OIT tem como faceta
CONDIÇÕES SOCIOECONÓMICAS REUNIÕES.
Sugere-se a não supressão e a
BT subordinação do EUROVOC a ACTA DE
SITUAÇÃO SOCIAL REUNIÃO.
UF
NT COLÓQUIO
QUALIDADE DE VIDA
CONGRESSO
CONFEDERAÇÃO DA INDÚSTRIA PORTUGUESA
RT
BT
LISTA DE PARTICIPANTES
CONFEDERAÇÃO PATRONAL
RELATÓRIO DE REUNIÃO
CONFEDERAÇÃO DOS AGRICULTORES DE PORTUGAL
BT REUNIÃO

CONFEDERAÇÃO PATRONAL TELECONFERÊNCIA


CONFEDERAÇÃO EUROPEIA DOS SINDICATOS USE

BT ACTA DE REUNIÃO
SINDICATO
NT
INSTITUTO SINDICAL EUROPEU

  68
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
CONFERÊNCIA INTERNACIONAL CONFLITO DE TRABALHO
Consta da FORMEI. No LQS está subordinado a CONFLITOS
Tem como TG2 - POLÍTICA SOCIAIS.
INTERNACIONAL. Sugere-se No EUROVOC é descritor CONFLITO
subordinação. LABORAL, pelo que se sugere colocá-lo
BT em UP. Sugere-se a subordinação do
EUROVOC.
POLÍTICA INTERNACIONAL BT
NT RELAÇÕES DO TRABALHO
CONFERÊNCIA ONU NT
RT GREVE
CONFERÊNCIA INTERNACIONAL DO TRABALHO RT
CONFERÊNCIA INTERNACIONAL DO TRABALHO CONFLITO SOCIAL
Reunião anual das delegações tripartidas UF
dos Estados-membros da OIT.
CONFLITO LABORAL
Sem subordinação no LQS e OIT. Sugere-
se subordiná-lo a OIT, parelamente à CONFLITO LABORAL
hierarquização do EUROVOC.
Não existe no LQS.
BT
USE
OIT CONFLITO DE TRABALHO
RT
CONFLITO RACIAL
CONFERÊNCIA INTERNACIONAL
RT
CONFERÊNCIA ONU CONFLITO SOCIAL
Não existe no LQS.
CONFLITO SOCIAL
BT
CONFERÊNCIA INTERNACIONAL No LQS, OIT e OCDE tem como TE -
CONFLITO DE TRABALHO, mas sugere-
CONFERÊNCIA REGIONAL DA OIT se subordiná-lo segundo o EUROVOC e
colocá-lo como TA do supra.
BT BT
OIT VIDA SOCIAL
CONFLITO DE GERAÇÕES NT
Não existe no LQS. LUTA DE CLASSES
BT RT
FAMÍLIA CONFLITO DE TRABALHO
CONFLITO RACIAL
PROBLEMA POLÍTICO

  69
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
CONGRESSO CONSELHEIRO DE ORIENTAÇÃO PROFISSIONAL
USE Termo não descritor na LQS, na forma
ACTA DE REUNIÃO plural, para CONSELHEIROS DE
ORIENTAÇÃO.
CNP (versão 1994, 2.ª ed., 2001)
CONJUNTURA ECONÓMICA 2.4.1.2.10: Orienta jovens e adultos na
É descritor no EUROVOC, o LQS remete escolha de uma carreira profissional tendo
para CONDIÇÕES ECONÓMICAS. em conta as características
do indivíduo e do mundo do trabalho,
USE aconselha-os sobre a aquisição das
CONDIÇÕES ECONÓMICAS qualificações
necessárias, informando-os das
CONJUNTURA SOCIAL possibilidades de formação,
aperfeiçoamento e promoção.
USE Termo descritor no CEDEFOP e OIT
CONDIÇÕES SOCIAIS RT
TRABALHADORES PROFISSIONALIZADOS
CONSELHEIRO
USE TRABALHADORES SOCIAIS

PROFISSÃO INDEPENDENTE UF
CONSELHEIRO DE ORIENTAÇÃO CONSELHEIRO DE ORIENTAÇÃO

Termo descritor na LQS, sem CONSELHEIROS PROFISSIONAIS


subordinação, e termo descritor no
VETThes, na forma singular, subordinado CONSELHEIROS PROFISSIONAIS
a PESSOAL DE FORMAÇÃO E
PESSOAL DOCENTE no domínio Termo não descritor na LQS para
PROFISSÕES. CONSELHEIROS DE ORIENTAÇÃO.
Consta da FORMEI. USE
USE CONSELHEIRO DE ORIENTAÇÃO PROFISSIONAL
CONSELHEIRO DE ORIENTAÇÃO PROFISSIONAL
CONSELHO CE
CONSELHEIRO DE ORIENTAÇÃO PROFISSIONAL Termo descritor no LQS, UP no
Termo não descritor na LQS, na forma EUROVOC, que remete para CONSELHO
plural, para CONSELHEIROS DE DA UNIÃO EUROPEIA, sugere-se colocá-
ORIENTAÇÃO. lo como UP, ou UT (Ver também).
CNP (versão 1994, 2.ª ed., 2001)
2.4.1.2.10: Orienta jovens e adultos na USE
escolha de uma carreira profissional tendo CONSELHO DA UNIÃO EUROPEIA
em conta as características
do indivíduo e do mundo do trabalho,
aconselha-os sobre a aquisição das CONSELHO DA EUROPA
qualificações Sem subordinação no OIT. Sugere-se
necessárias, informando-os das subordinação do EUROVOC e OCDE.
possibilidades de formação,
aperfeiçoamento e promoção. BT
Termo descritor no CEDEFOP e OIT ORGANIZAÇÃO EUROPEIA
RT
RT
ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA
CARTA SOCIAL EUROPEIA
ORIENTAÇÃO PROFISSIONAL

  70
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
CONSELHO DA EUROPA CONSERVADOR DE MUSEUS
Sem subordinação no OIT. Sugere-se Consta da FORMEI, com o núcleo na
subordinação do EUROVOC e OCDE. forma plural.
RT CNP (versão 1994, 2.ª ed., 2001)
2.4.3.1.10: organiza, adquire, avalia e
PUB CONSELHO DA EUROPA conserva em museu, colecções de obras
de arte, objectos de carácter
CONSELHO DA UNIÃO EUROPEIA histórico, científico, técnico ou outros,
orienta ou realiza trabalhos de
Termo descritor EUROVOC, não existe no investigação nesses domínios e coordena
LQS. No LQS é descritor CONSELHO CE, a actividade dos vários departamentos do
que já é UP no EUROVOC, sugere-se museu.
colocá-lo como UP do supra, ou UT (Ver
também).
BT
INSTITUIÇÃO COMUNITÁRIA CONSTITUIÇÃO
UF BT
CONSELHO CE FONTE DO DIREITO
CONSELHO ECONÓMICO E SOCIAL RT
Órgão de consulta do governo, através do DIREITOS HUMANOS
qual os parceiros sociais têm oportunidade
de participar na política pública e que CONSTITUIÇÃO DA OIT
possibilita o encontro entre forças
económicas e sociais do qual poderá BT
surgir consenso sobre problemas OIT
nacionais.

Termo não controlado no LQS, não CONSTRUÇÃO EUROPEIA


subordinado, sugere-se uma subordinação. BT
Termo nacional. Consta da FORMEI.
Existe no OCDE mas com outro sentido. COMUNIDADES EUROPEIAS

BT NT
GOVERNO POLÍTICA COMUNITÁRIA
RT UNIÃO EUROPEIA
DIÁLOGO SOCIAL CONSULTOR
PARCEIRO SOCIAL NT
CONSULTORES DE GESTÃO
CONSELHO EUROPEU
Reúne os chefes de Estado ou de governo CONSULTORES DE GESTÃO
dos Estados-Membros da União Europeia. Consta da FORMEI.
BT
BT
CONSULTOR
INSTITUIÇÃO COMUNITÁRIA
RT
COOPERAÇÃO POLÍTICA EUROPEIA

  71
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
CONSUMO CONTABILIDADE PÚBLICA
BT BT
ECONOMIA FINANÇAS PÚBLICAS
NT NT
CONSUMO FAMILIAR PRODUTO INTERNO BRUTO
RT CONTAS NACIONAIS
NÍVEL DE VIDA No LQS aparece CONTAS NACIONAIS
retirado do OIT. Sugere-se colocar este
CONSUMO FAMILIAR termo em UP. (ISS)
BT USE
CONSUMO CONTABILIDADE NACIONAL
RT CONTEÚDO DA FORMAÇÃO
FAMÍLIA USE
ORÇAMENTO FAMILIAR PROGRAMA DE ESTUDOS
RENDIMENTO FAMILIAR CONTRACEPÇÃO
BT
UF
CONTROLO DA NATALIDADE
DESPESA FAMILIAR
CONTRAMESTRE
CONTABILIDADE
Termo não descritor no EUROVOC, para
NT CAPATAZ, e no VETThes. No plural no
GESTÃO CONTABILÍSTICA CIS.
USE
LUCRO SUPERVISOR
VALOR ACRESCENTADO CONTRATO A PRAZO
RT Termo não descritor no EUROVOC para
TRABALHO TEMPORÁRIO.
AUDITORIA USE
CONTABILIDADE NACIONAL CONTRATO A TERMO
NT CONTRATO A TERMO
RENDIMENTO
Termo do LQS, retirado do OIT. Sugere-se
RENDIMENTO NACIONAL colocá.lo como UP, segundo o
EUROVOC, que remete para TRABALHO
TEMPORÁRIO, cujo equivalente no LQS é
RT EMPREGO TEMPORÁRIO.
MACROECONOMIA BT
UF CONTRATO INDIVIDUAL DE TRABALHO
CONTAS NACIONAIS

  72
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
CONTRATO A TERMO CONTROLO DA NATALIDADE
Termo do LQS, retirado do OIT. Sugere-se NT
colocá.lo como UP, segundo o
EUROVOC, que remete para TRABALHO ABORTO
TEMPORÁRIO, cujo equivalente no LQS é
EMPREGO TEMPORÁRIO. CONTRACEPÇÃO
UF
ESTERILIZAÇÃO
CONTRATO A PRAZO
RT
CONTRATO COLECTIVO MULHER
Acordo escrito relativo às condições de
trabalho concluído entre uma ou várias CONTROLO DE PRODUÇÃO
organizações de trabalhadores e uma ou
mais organizações patronais. BT
FABRICO INDUSTRIAL
Não existe no LQS.
No LQS é descritor ACORDO RT
COLECTIVO, cuja fonte é o EUROVOC.
Este termo não consta no EUROVOC mas PRODUÇÃO
sim o supra, pelo que se sugere colocar
ACORDO... em UP. CONVENÇÃO COLECTIVA
BT BT
RELAÇÕES DO TRABALHO RELAÇÕES DO TRABALHO
UF RT
ACORDOS COLECTIVOS CONDIÇÕES DE TRABALHO
CONTRATO DE TRABALHO CONVENÇÃO DA OIT
BT BT
ADMINSTRAÇÃO DO PESSOAL NORMAS DA OIT
CONTRATO INDIVIDUAL DE TRABALHO RT

NT COOPERAÇÃO INTERNACIONAL
CONTRATO A TERMO CONVENÇÃO DA ONU
CONTRIBUIÇÃO PARA A SEGURANÇA SOCIAL BT

BT CONVENÇÃO INTERNACIONAL
SEGURANÇA SOCIAL RT
CONTRIBUINTE ONU
BT CONVENÇÃO DE LOMÉ
FISCALIDADE BT
CONTROLO DA NATALIDADE CONVENÇÃO INTERNACIONAL
BT RT
PLANEAMENTO FAMILIAR COOPERAÇÃO INTERNACIONAL

  73
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
CONVENÇÃO INTERNACIONAL COOPERAÇÃO EUROPEIA
NT Não existe no LQS.
CONVENÇÃO DA ONU BT
COOPERAÇÃO INTERNACIONAL
CONVENÇÃO DE LOMÉ
NT
CONVERGÊNCIA ECONÓMICA INTEGRAÇÃO EUROPEIA
Não existe no LQS.
BT COOPERAÇÃO INTERNACIONAL
POLÍTICA ECONÓMICA Todas as formas de cooperação
acordadas no plano internacional.
NT
Sugere-se a hierarquização do EUROVOC.
CRITÉRIO DE CONVERGÊNCIA No CEDEFOP e LQS tem como .TG -
RELAÇÕES INTERNACIONAIS.
CONVERGÊNCIA EUROPEIA Sem subordinação no OIT.
USE
BT
INTEGRAÇÃO EUROPEIA
POLÍTICA DE COOPERAÇÃO
COOPERAÇÃO CIENTÍFICA NT
BT COOPERAÇÃO EUROPEIA
POLÍTICA DE COOPERAÇÃO
RT
RT CONVENÇÃO DA OIT
CIÊNCIA
CONVENÇÃO DE LOMÉ
COOPERAÇÃO ECONÓMICA
ORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL
No LQS subordinado a COOPERAÇÃO
INTERNACIONAL (OCDE, OIT). No RELAÇÕES INTERNACIONAIS
EUROVOC a POLÍTICA DE
COOPERAÇÃO.
COOPERAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO
BT
POLÍTICA DE COOPERAÇÃO UP no EUROVOC
USE
RT AJUDA AO DESENVOLVIMENTO
AJUDA ECONÓMICA
COOPERAÇÃO POLÍTICA
DESENVOLVIMENTO ECONÓMICO BT
INTEGRAÇÃO ECONÓMICA POLÍTICA DE COOPERAÇÃO
POLÍTICA ECONÓMICA RT
COOPERAÇÃO POLÍTICA EUROPEIA
RELAÇÕES ECONÓMICAS

  74
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
COOPERAÇÃO POLÍTICA EUROPEIA COOPERAÇÃO TÉCNICA
Sistema de consultas entre os Estados- BT
membros que tem por objectivo conseguir
posições concertadas e elaborar, em POLÍTICA DE COOPERAÇÃO
comum, uma política externa europeia.
Consagrada no Acto Único, está destinada RT
a ser integrada ou substituída pela política AJUDA AO DESENVOLVIMENTO
externa e de
DESENVOLVIMENTO ECONÓMICO
Não tem subordinação no LQS. Sugere-se
o Termo de topo do EUROVOC. TECNOLOGIA
BT
UNIÃO EUROPEIA COOPERATIVA
No OIT, COOPERATIVA tem como TG-
NT EMPRESA
PESC BT
RT SOCIEDADE

ACTO ÚNICO EUROPEU NT


CONSELHO EUROPEU COOPERATIVA DE DEFICIENTES
RT
COOPERAÇÃO POLÍTICA
AUTOGESTÃO
DIREITOS HUMANOS
COOPERATIVA DE CONSUMO
UF
POLÍTICA EXTERNA EUROPEIA COOPERATIVA DE HABITAÇÃO
COOPERAÇÃO REGIONAL ECONOMIA SOCIAL

Cooperação entre países situados na MOVIMENTO COOPERATIVO


mesma grande região geográfica. No TEE
e LQS subordina-se a Cooperação SISTEMAS ECONÓMICOS
internacional. No EUROVOC a Política
internacional. Segue-se este UF

Na OIT e OCDE tem como TG - DESENVOLVIMENTO COOPERATIVO


COOPERAÇÃO INTERNACIONAL.
COOPERATIVA DE CONSUMO
BT
POLÍTICA DE COOPERAÇÃO BT
COMÉRCIO
RT
DESENVOLVIMENTO REGIONAL RT
COOPERATIVA
PLANEAMENTO REGIONAL
COOPERATIVA DE DEFICIENTES
PLANO REGIONAL
BT
POLÍTICA INDUSTRIAL COOPERATIVA
POLÍTICA REGIONAL

  75
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
COOPERATIVA DE HABITAÇÃO CPLP
BT RT
HABITAÇÃO PALOP
RT UF
COOPERATIVA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA
NECESSIDADE DE ALOJAMENTO CRECHE
COOPERATIVA SOCIAL Termo descritor no LQS, com várias
subordinações. No TEE não descritor para
USE infantário. No EUROVOC não descritor
para Guarda de crianças. Sugere-se a
SERVIÇO DE PROXIMIDADE subordinação do EUROVOC

CORPO DOCENTE Equipamento social com resposta social


de natureza sócio-educativa destinado a
Termo não descritor no EUROVOC para acolher crianças até aos 3 anos, durante o
PROFESSOR no domínio EDUCAÇÃO E perído diário correspondente ao
COMUNICAÇÃO. impedimento dos pais ou da pessoa que
USE tenha a sua guarda de facto, vocacionado
PESSOAL DOCENTE para o apoio à criança e à família.
(Este descritornão não tem no LQS como
CORREIO ELECTRÓNICO UP - INFANTÁRIO, mas é um termo
equivalente a este e não a JARDIM DE
BT INFÂNCIA) (ISS)

TELECOMUNICAÇÕES Decreto-Lei nº 30/89, de 24 de Janeiro


Despacho Normativo nº 99/89, de 27 de
RT Outubro
INFORMATIZAÇÃO Despacho Normativo 99/89, de 11 de
Setembro
CORRESPONDÊNCIA DAS QUALIFICAÇÕES Guião Técnico das Creches de 29/11/1996
Orientação Técnica-Circular nº 11 de
Termo não descritor no EUROVOC e termo 24.06.2004
descritor na LQS, subordinado a
CERTIFICAÇÃO. BT
Consta da FORMEI. No CEDEFOP existe
equivalência de diplomas SERVIÇOS DE GUARDA DE CRIANÇAS
BT
UF
CERTIFICAÇÃO DE COMPETÊNCIAS INFANTÁRIO
CORRUPÇÃO CRÉDITO
BT
Utilizar EMPRÉSTIMO INTERNACIONAL
INFRACÇÃO para o crédito e financimanento
internacionais.
RT BT
ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS E CRÉDITO
NT
ACESSO AO CRÉDITO

  76
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
CRÉDITO CRESCIMENTO ECONÓMICO
Utilizar EMPRÉSTIMO INTERNACIONAL Aumento da produtividade à escala
para o crédito e financimanento nacional ou regional, quer dizer o aumento
internacionais. da capacidade de produzir os bens e
NT serviços. Habitualmente medido pela taxa
anual do crescimento do produto nacional
MICROCRÉDITO bruto, tomando em consideração a inflação
e o crescimento da população.
RT
BANCO Sugere-se subordinação do EUROVOC.

ENDIVIDAMENTO NT
CICLO ECONÓMICO
FINANCIAMENTO
CONDIÇÕES ECONÓMICAS
GRUPO DE POUPANÇA E DE CRÉDITO
DESENVOLVIMENTO ECONÓMICO
MICROFINANÇA
RT
MOEDA
ANÁLISE ECONÓMICA
SECTOR FINANCEIRO
CRESCIMENTO DO EMPREGO
CRESCIMENTO DA POPULAÇÃO
DESENVOLVIMENTO HUMANO
BT
DINÂMICA DA POPULAÇÃO ECONOMIA DO CONHECIMENTO
RT MODELO DE CRESCIMENTO

DIMENSÃO DA FAMÍLIA POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO


IMIGRAÇÃO POLÍTICA ECONÓMICA
CRESCIMENTO DO EMPREGO PRODUTIVIDADE
Consta da FORMEI. TAXA DE CRESCIMENTO
BT
EVOLUÇÃO DO EMPREGO UF
EXPANSÃO ECONÓMICA
RT
CRESCIMENTO ECONÓMICO CRESCIMENTO INDUSTRIAL
EMPREGO USE
DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL
MERCADO DE TRABALHO

  77
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
CRIAÇÃO DE EMPREGO CRIAÇÃO DE EMPRESAS
Desenvolvimento de novos postos de No EUROVOC e LQS tem como TG -
trabalho, que se relacionam geralmente POLÍTICA DA EMPRESA.
com a expansão da economia, um maior No CEDEFOP é TG - EMPRESA.
investimento e sua melhor atribuição nos RT
sectores das empresas que necessitam de
mais mão-de-obra. Não confundir com EMPRESÁRIO
PROMOÇÃO DO EMPREGO. (Nota de
aplicação da OIT) ESTRATÉGIA EUROPEIA DE EMPREGO

Termo descritor no EUROVOC, INDUSTRIALIZAÇÃO


subordinado a POLÍTICA DO EMPREGO,
e no VETThes(CEDEFOP). RECURSOS HUMANOS

Na OIT é subordinado a PROMOÇÃO DO CRIANÇA


EMPREGO.
Na OCDE e na OIT, POLÍTICA DE BT
EMPREGO é TA.
DISTRIBUIÇÃO ETÁRIA
BT
POLÍTICA DE EMPREGO RT
CRIANÇA EM RISCO
RT
ACTIVIDADE REMUNERADA CUIDADOS ÀS CRIANÇAS
CRIAÇÃO DE EMPRESAS DESENVOLVIMENTO DA CRIANÇA
EMPREGO EQUIPAMENTO SOCIAL
INICIATIVA LOCAL DE EMPREGO PAIS
MERCADO SOCIAL DE EMPREGO SERVIÇOS DE GUARDA DE CRIANÇAS
OPORTUNIDADE DE EMPREGO TRABALHO INFANTIL
PROGRAMA DE EMPREGO CRIANÇA ABANDONADA
CRIAÇÃO DE EMPRESAS No LQS coexiste com CRIANÇA
DESAMPARADA (não controlado), parece-
No EUROVOC e LQS tem como TG - nos sinónimos.
POLÍTICA DA EMPRESA. Sugere-se a subordinação do LQS.
No CEDEFOP é TG - EMPRESA. BT
BT CRIANÇA EM RISCO
POLÍTICA DA EMPRESA
UF
RT CRIANÇA DESAMPARADA
AUTOEMPREGO
CAPITAL DE RISCO
CRIAÇÃO DE EMPREGO
EMPRESA

  78
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
CRIANÇA DA RUA CRIANÇA EM RISCO
No LQS está subordinado a PESSOA SEM Termo não controlado no LQS e em
ABRIGO, no OIT a CRIANÇA, sugere-se nenhum tesauro. Muito utilizado.
antes a subordinação do LQS e por Sugere-se subordinação, por aproximação
aproximação do EUROVOC, colocar este ao EUROVOC e associar a do LQS
descritor como TE de CRIANÇA EM
RISCO. Sugerem-se novas relações e a supressão
BT de outras.
CRIANÇA EM RISCO BT
RT PROBLEMA SOCIAL
MENDICIDADE NT
PESSOA SEM ABRIGO CRIANÇA ABANDONADA
POPULAÇÃO URBANA CRIANÇA DA RUA
PROBLEMA SOCIAL CRIANÇA MALTRATADA
TRABALHO INFANTIL RT
CENTRO DE ACOLHIMENTO TEMPORÁRIO
CRIANÇA DEFICIENTE
BT CRIANÇA

PESSOA COM DEFICIÊNCIA CUIDADOS ÀS CRIANÇAS


RT DIREITOS DA CRIANÇA
CUIDADOS ÀS CRIANÇAS
INCESTO
CRIANÇA DESAMPARADA
INSTITUCIONALIZAÇÃO
No LQS coexiste com CRIANÇA
ABANDONADA, parece-nos sinónimos. PROGRAMA SER CRIANÇA
Não existe em nenhum tesauro. Sugere-se
colocá-lo como UP. PROSTITUIÇÃO INFANTIL
USE
CRIANÇA ABANDONADA PROTECÇÃO DA INFÂNCIA
CRIANÇA EM PERIGO TRABALHO INFANTIL
Não existe em nenhum tesauro nem no UF
LQS. Mas sugere-se colocá-lo como UP,
de CRIANÇA EM RISCO. CRIANÇA EM PERIGO
USE
CRIANÇA MALTRATADA
CRIANÇA EM RISCO
Termo não controlado no LQS. Existe
semelhante no OCDE, é UP no
EUROVOC.
Sugere-se subordinação a CRIANÇA EM
RISCO.
BT
CRIANÇA EM RISCO

  79
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
CRIANÇA MALTRATADA CRISE ECONÓMICA
Termo não controlado no LQS. Existe USE
semelhante no OCDE, é UP no
EUROVOC. RECESSÃO ECONÓMICA
Sugere-se subordinação a CRIANÇA EM
RISCO. CRISTIANISMO
UF Não existe no LQS.
ABUSO DE CRIANÇAS BT
RELIGIÃO
CRIATIVIDADE
Sem subordinação no LQS. Subordinado a CRITÉRIO DE CONVERGÊNCIA
Atitude perante o trabalho no TEE e a BT
Desenvolvimento individual no
CEDEFOP. Optou-se por este último. CONVERGÊNCIA ECONÓMICA
BT
CUIDADOS ÀS CRIANÇAS
DESENVOLVIMENTO INDIVIDUAL
Utilizar quando se trata geral mente de
RT fornecer os cuidados às crianças. Utilizar
INOVAÇÃO SERVIÇO DE GUARDA DE CRIANÇAS
quando o documento trata dos
estabelecimentos afectos às crianças.
CRIME CONTRA AS PESSOAS BT
NT SERVIÇOS SOCIAIS
DELITO SEXUAL
RT
CRIMINALIDADE ASSISTÊNCIA A DESCENDENTES
BT
CONCILIAÇÃO TRABALHO-VIDA PESSOAL
PROBLEMA SOCIAL
CRIANÇA
CRISE DA EDUCAÇÃO
CRIANÇA DEFICIENTE
Este termo é equivalente ao do OCDE -
CRISE DO ENSINO, pelo que o do OCDE
deve ser colocado em UP. CRIANÇA EM RISCO
BT
CUIDADOS MÉDICOS
QUALIDADE DA EDUCAÇÃO
DIREITOS DA CRIANÇA
UF
CRISE DO ENSINO LICENÇA PARENTAL
CRISE DO ENSINO OFERTA DE CUIDADOS DE SAÚDE
Este termo é equivalente ao do TEE - PROGRAMA SER CRIANÇA
CRISE DA EDUCAÇÃO, pelo que este do
OCDE deve ser colocado em UP. RESPONSABILIDADES FAMILIARES
USE
CRISE DA EDUCAÇÃO SEGURANÇA SOCIAL
SERVIÇOS DE GUARDA DE CRIANÇAS

  80
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
CUIDADOS ÀS CRIANÇAS CUIDADOS MÉDICOS
Utilizar quando se trata geral mente de BT
fornecer os cuidados às crianças. Utilizar
SERVIÇO DE GUARDA DE CRIANÇAS SEGURANÇA SOCIAL
quando o documento trata dos
estabelecimentos afectos às crianças. NT
UF CUIDADOS MÉDICOS DOMICILIÁRIOS
CUIDADOS INFANTIS RT
CUIDADOS ÀS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA CUIDADOS ÀS CRIANÇAS

BT SAÚDE
SERVIÇOS SOCIAIS
SERVIÇOS SOCIAIS
RT
CUIDADOS MÉDICOS DOMICILIÁRIOS
PESSOA COM DEFICIÊNCIA
Termo não controlado no LQS.
CUIDADOS ÀS PESSOAS IDOSAS No EUROVOC existe o termo CUIDADOS
MÉDICOS AO DOMICÍLIO.
BT BT
SERVIÇOS SOCIAIS CUIDADOS MÉDICOS
RT RT
PESSOA IDOSA APOIO DOMICILIÁRIO
CUIDADOS DE SAÚDE CUIDADOS PALIATIVOS
Não existe no LQS. Sugere-se a subordinação do EUROVOC.
NT BT
CUIDADOS INFORMAIS CUIDADOS DE SAÚDE
CUIDADOS PALIATIVOS CULTURA
CUIDADOS INFANTIS NT
USE ACESSO À CULTURA
CUIDADOS ÀS CRIANÇAS ACTIVIDADES SÓCIO-CULTURAIS
CUIDADOS INFORMAIS ACULTURAÇÃO
Care for elderly, ill or disabled persons
carried out by family members or others. DIFERENÇA CULTURAL
These informal carers often live within the
same household. IDENTIDADE CULTURAL
BT
INTERCÂMBIO CULTURAL
CUIDADOS DE SAÚDE
PATRIMÓNIO CULTURAL
RT
RESPONSABILIDADES FAMILIARES PLURALISMO CULTURAL
POLÍTICA CULTURAL

  81
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
CULTURA CURRÍCULO ESCOLAR
RT Designa as disciplinas ensinadas e o
ANÁLISE TRANSCULTURAL tempo consagrado a cada uma delas num
ciclo regular de estudos de um
estabelecimento de ensino
ANIMAÇÃO RT
DIREITOS CULTURAIS ACTIVIDADES EXTRACURRICULARES
ETNOLOGIA UF
IMPLEMENTAÇÃO DO CURRÍCULO
FACTOR CULTURAL
CURRICULUM VITAE
MECENATO
RT
MUDANÇA CULTURAL BIOGRAFIA
RELAÇÕES CULTURAIS CURSO DE FORMAÇÃO
UNESCO Segue-se a subordinação do CEDEFOP.
BT
CULTURA DE EMPRESA GESTÃO DA FORMAÇÃO
BT
RT
POLÍTICA DA EMPRESA
FORMAÇÃO
RT
RESPONSABILIDADE DAS EMPRESAS MÉTODO PEDAGÓGICO
CURRÍCULO ESCOLAR PROGRAMA DE ESTUDOS

Designa as disciplinas ensinadas e o PROGRAMA DE FORMAÇÃO


tempo consagrado a cada uma delas num
ciclo regular de estudos de um TIPO DE FORMAÇÃO
estabelecimento de ensino
BT UNIDADE DE CRÉDITO
ORGANIZAÇÃO DO ENSINO CUSTO DA EDUCAÇÃO
NT BT
DISCIPLINAS POLÍTICA DE EDUCAÇÃO
MÓDULO DE ENSINO UF
PROGRAMA COMUM DE ESTUDOS DESPESAS DA EDUCAÇÃO
PROGRAMA DE CURSO CUSTO DA FORMAÇÃO
BT
PROGRAMA DE ENSINO
ECONOMIA DA FORMAÇÃO
PROGRAMA DE FORMAÇÃO

  82
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
CUSTO DE VIDA DECISÃO CE
BT RT
CONDIÇÕES ECONÓMICAS RECOMENDAÇÃO CE
RT DECLARAÇÃO DA OIT
CONDIÇÕES DE VIDA Declaração oficial formulada pela
Conferência Internacional do Trabalhol ou
NÍVEL DE VIDA pelo Conselho de Administração.

PREÇOS Não existe no LQS.


BT
CUSTO SOCIAL
OIT
BT
POLÍTICA SOCIAL DEFESA
BT
RT
RELAÇÕES INTERNACIONAIS
ANÁLISE SOCIOECONÓMICA
NT
PROBLEMA SOCIAL
POLÍTICA DE DEFESA
DADOS ESTATÍSTICOS
DEFICIÊNCIA
No LQS é TA - ESTATÍSTICA. Sugere-se
como TG, por aproximação ao Perda ou anomalia de uma estrutura ou
EUROVOC. função psicológica, fisiológica ou
anatómica.
BT Sem subordinação nos dois thesauri
ESTATÍSTICA indicados
NT
NT
DEFICIÊNCIA FÍSICA
ESTATÍSTICAS DO TRABALHO
DEFICIÊNCIA MENTAL
ESTATÍSTICAS ECONÓMICAS
RT
ESTATÍSTICAS SOCIAIS DEFICIENTE
RT
INCAPACIDADE
BASE DE DADOS
PESSOA COM DEFICIÊNCIA
QUADRO ESTATÍSTICO
DEFICIÊNCIA FÍSICA
TAXA DE ESCOLARIZAÇÃO
BT
DECISÃO CE DEFICIÊNCIA
BT
NT
ACTO COMUNITÁRIO DEFICIÊNCIA SENSORIAL
RT
COMISSÃO CE

  83
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
DEFICIÊNCIA MENTAL DEFICIENTE
BT A partir de Outubro de 1993, utilizar
DEFICIÊNCIA Pessoas com deficiência.(LQS2006)

Suegue-se a subordinação prevista no


DEFICIÊNCIA SENSORIAL EUROVOC.
BT Sugere-se o plural, como está no
LQS(2006). Quanto à subordinação deve
DEFICIÊNCIA FÍSICA ter-se em conta também a subordinação
prevista no LQ. S (ISS).
NT RT
PERTURBAÇÃO DA FALA SOLIDARIEDADE FAMILIAR
DEFICIENTE DEFICIENTE DAS FORÇAS ARMADAS
A partir de Outubro de 1993, utilizar BT
Pessoas com deficiência.(LQS2006)
DEFICIENTE
Suegue-se a subordinação prevista no
EUROVOC. DEFICIENTE FÍSICO
Sugere-se o plural, como está no
LQS(2006). Quanto à subordinação deve BT
ter-se em conta também a subordinação DEFICIENTE
prevista no LQ. S (ISS).
BT DEFICIENTE MENTAL
POLÍTICA SOCIAL BT
NT DEFICIENTE
AUTONOMIA DOS DEFICIENTES NT
DEFICIENTE DAS FORÇAS ARMADAS DEFICIENTE MENTAL SEVERO
DEFICIENTE FÍSICO RT
DOENÇA MENTAL
DEFICIENTE MENTAL
ENSINO DE RECUPERAÇÃO
DEFICIENTE SENSORIAL
DEFICIENTE MENTAL SEVERO
RT
BT
ACIDENTE DE TRABALHO
DEFICIENTE MENTAL
DEFICIÊNCIA
RT
ESTABELECIMENTO DE EDUCAÇÃO ESPECIAL INAPTIDÃO
EXCLUSÃO SOCIAL INCAPACIDADE
IGUALDADE DE TRATAMENTO DEFICIENTE SENSORIAL
REABILITAÇÃO PROFISSIONAL BT
DEFICIENTE
REINSERÇÃO PROFISSIONAL

  84
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
DEFINIÇÃO DELINQUÊNCIA
Termo do LQS e OIT sem subordinação. Comportamento caracterizado pela
Está sob a faceta do OIT - LINGUAGEM. repetição de delitos, considerados no seu
E no FAMThes é TG - LINGUAGEM. aspecto social.
Sugere-se colocar o supra e CONCEITO, RT
como TE de LINGUAGEM.
BT PREVENÇÃO SOCIAL

LINGUAGEM REINSERÇÃO PROFISSIONAL


RT REINSERÇÃO SOCIAL
TERMINOLOGIA
SANÇÃO PENAL
DEGRADAÇÃO DO AMBIENTE
SEGURANÇA PÚBLICA
Não existe no LQS.
NT DELINQUÊNCIA INFANTIL
POLUIÇÃO Termo não controlado no LQS. Não existe
nos tesauros.
RESÍDUO BT
RUÍDO DELINQUÊNCIA
SUBSTÂNCIAS PERIGOSAS RT
DELINQUÊNCIA JUVENIL
USE
PROTECÇÃO DO AMBIENTE DELINQUÊNCIA JUVENIL
BT
DELINQUÊNCIA
DELINQUÊNCIA
Comportamento caracterizado pela
repetição de delitos, considerados no seu RT
aspecto social.
DELINQUÊNCIA INFANTIL
BT
PROBLEMA SOCIAL GRUPO DESFAVORECIDO
NT JUVENTUDE
DELINQUÊNCIA INFANTIL
DELITO SEXUAL
DELINQUÊNCIA JUVENIL BT
HOLIGANISMO CRIME CONTRA AS PESSOAS
VANDALISMO NT
ASSÉDIO SEXUAL
RT
COMBATE AO CRIME DEMOGRAFIA
DIREITO PENAL NT
ANÁLISE DEMOGRÁFICA
FORMAÇÃO DE RECLUSOS
ASPECTO DEMOGRÁFICO

  85
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
DEMOGRAFIA DESCENTRALIZAÇÃO
NT BT
COMPOSIÇÃO DA POPULAÇÃO ORGANIZAÇÃO ADMINISTRATIVA
DINÂMICA DA POPULAÇÃO RT
ADMINISTRAÇÃO LOCAL
DISTRIBUIÇÃO GEOGRÁFICA DA POPULAÇÃO
DESCRIÇÃO DE FUNÇÕES
NATALIDADE
BT
RT
ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO
DISTRIBUIÇÃO GEOGRÁFICA
RT
RECENSEAMENTO QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL
DENSIDADE DE MÃO-DE-OBRA DESEMPENHO
Termo não descritor na LQS. BT
USE
DESENVOLVIMENTO INDIVIDUAL
MÃO-DE-OBRA INTENSIVA
NT
DEONTOLOGIAPROFISSIONAL
INSUCESSO
EUROVOC
BT DESEMPREGADO
ORGANIZAÇÃO PROFISSIONAL Termo descritor no VETThes, subordinado
a TRABALHADOR, e no EUROVOC,
RT subordinado a POPULAÇÃO ACTIVA.
ÉTICA
DESEMPREGADO em todos os tesaurus
é TA - DESEMPREGO, e não TG, por isso
DEPENDÊNCIA DAS PESSOAS IDOSAS retiramos a subordinação, sugerindo
Não existe no LQS. adoptar a subordinação do EUROVOC.
RT
BT
PESSOA IDOSA
POPULAÇÃO ACTIVA
DESASTRE NATURAL NT
UF DESEMPREGADO DE LONGA DURAÇÃO
CATÁSTROFE
RT
DESCENDENTE COMBATE AO DESEMPREGO
Termo não controlado no LQS. Consta da
FORMEI. Existe no EUROVOC mas com DESEMPREGO
o termo FILIAÇÃO tradução portuguesa de
DESCENDENTE, sugere-se substituí-lo, INCENTIVO AO TRABALHO
colocando-o em UP.
USE PRESTAÇÃO DE DESEMPREGO
FILIAÇÃO PROMOÇÃO DO EMPREGO

  86
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
DESEMPREGADO DESEMPREGO
Termo descritor no VETThes, subordinado Termo descritor no EUROVOC, na LQS,
a TRABALHADOR, e no EUROVOC, sem subordinação, e no VETThes.
subordinado a POPULAÇÃO ACTIVA. Consta da FORMEI.

DESEMPREGADO em todos os tesaurus No OCDE tem como TG - PROBLEMAS


é TA - DESEMPREGO, e não TG, por isso SOCIAIS. No EUROVOC tem como MT -
retiramos a subordinação, sugerindo EMPREGO
adoptar a subordinação do EUROVOC. NT
UF DESEMPREGO DE LICENCIADOS

DESEMPREGADOS DESEMPREGO DE LONGA DURAÇÃO


DESEMPREGADO DE LONGA DURAÇÃO DESEMPREGO DE MIGRANTES
BT DESEMPREGO DE MULHERES
DESEMPREGADO
DESEMPREGO ESTRUTURAL
RT
DESEMPREGO DESEMPREGO SAZONAL
DESEMPREGO DE LONGA DURAÇÃO LAYOFF
DESEMPREGO ESTRUTURAL SUBEMPREGO
EXCLUSÃO SOCIAL RT
CICLO ECONÓMICO
DESEMPREGADOS
DESEMPREGADO
Termo descritor na LQS, sem
subordinação.
Consta da FORMEI. DESEMPREGADO DE LONGA DURAÇÃO
USE DESPEDIMENTO COLECTIVO
DESEMPREGADO
DESPEDIMENTO POR EXCESSO DE PESSOAL
DESEMPREGO
MERCADO DE TRABALHO
Termo descritor no EUROVOC, na LQS,
sem subordinação, e no VETThes. PRESTAÇÃO DE DESEMPREGO
Consta da FORMEI.

No OCDE tem como TG - PROBLEMAS PROBLEMA SOCIAL


SOCIAIS. No EUROVOC tem como MT -
EMPREGO RECESSÃO ECONÓMICA
BT
TAXA DE DESEMPREGO
EMPREGO
DESEMPREGO CÍCLICO
NT
DESEMPREGO DE DEFICIENTES
DESEMPREGO DE JOVENS

  87
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
DESEMPREGO DE DEFICIENTES DESEMPREGO DE MIGRANTES
Termo descritor na LQS. Termo descritor no VETThes.
BT RT
DESEMPREGO IMIGRANTE
DESEMPREGO DE JOVENS UF
Termo descritor na LQS, no EUROVOC e DESEMPREGO DOS TRABALHADORES MIGRANTES
no VETThes.
Consta da FORMEI. DESEMPREGO DE MULHERES
BT Termo descritor na LQS, no VETThes e no
DESEMPREGO EUROVOC.
BT
RT
DESEMPREGO
JUVENTUDE
RT
UF
EMPREGO DE MULHERES
JOVEM DESEMPREGADO
MULHER
DESEMPREGO DE LICENCIADOS
DESEMPREGO DECLARADO
BT
DESEMPREGO Termo não descritor na LQS.

DESEMPREGO DE LONGA DURAÇÃO


Termo descritor na LQS, sem DESEMPREGO DOS TRABALHADORES MIGRANTES
subordinação, no EUROVOC,
subordinado a DESEMPREGO e no Termo descritor no EUROVOC,
VETThes. subordinado a DESEMPREGO.. Sugee-se
Consta da FORMEI. Sugere-se a a subordinação do VETthes
subordinação do EUROVOC.
USE
BT
DESEMPREGO DE MIGRANTES
DESEMPREGO
DESEMPREGO ESTRUTURAL
RT
DESEMPREGADO DE LONGA DURAÇÃO Termo descritor na LQS, sem
subordinação, no EUROVOC e no
DESEMPREGO ESTRUTURAL VETThes.
Desemprego provocado por alterações na
estrutura da economia, resultantes de
EXCLUSÃO SOCIAL factores tais como: mudança tecnológica,
mudança de localização industrial,
UF alteração de composição de mão-de-obra
TRABALHADORES DESENCORAJADOS (LQS).
BT
DESEMPREGO DE MIGRANTES DESEMPREGO
Termo descritor no VETThes.
BT RT
DESEMPREGO DESEMPREGADO DE LONGA DURAÇÃO

  88
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
DESEMPREGO ESTRUTURAL DESENVOLVIMENTO COMUNITÁRIO
Termo descritor na LQS, sem Organização da vida comunitária em todos
subordinação, no EUROVOC e no os seus aspectos, nomeadamente nos
VETThes. projectos de novos estabelecimentos e da
Desemprego provocado por alterações na melhoria das instalações existentes na
estrutura da economia, resultantes de comunidade.
factores tais como: mudança tecnológica,
mudança de localização industrial, No CEDEFOP este termo é UP de
alteração de composição de mão-de-obra DESENVOLVIMENTO LOCAL. Sugere-se
(LQS). colocá-lo como TA.
RT BT
DESEMPREGO DE LONGA DURAÇÃO DESENVOLVIMENTO SOCIAL
MUDANÇA ESTRUTURAL NT
AUTO-AJUDA
REESTRUTURAÇÃO INDUSTRIAL
EDUCADOR SOCIAL
DESEMPREGO SAZONAL
Termo descritor na LQS, no EUROVOC e RECURSOS COMUNITÁRIOS
no VETThes.
Resulta do carácter periódico de certas RT
actividades, como a agricultura e o ACTOR SOCIAL
turismo, por exemplo (LQS).
BT ANIMAÇÃO
DESEMPREGO
COMUNIDADE
DESENHO ARTÍSTICO
DESENVOLVIMENTO LOCAL
BT
BELAS ARTES EMPOWERMENT
DESENVOLVIMENTO AFECTIVO PARTICIPAÇÃO NA COMUNIDADE

BT PARTICIPAÇÃO SOCIAL
DESENVOLVIMENTO MENTAL DESENVOLVIMENTO COOPERATIVO
DESENVOLVIMENTO AGRÍCOLA USE

BT COOPERATIVA
DESENVOLVIMENTO ECONÓMICO
RT
DESENVOLVIMENTO RURAL
POLÍTICA AGRÍCOLA
DESENVOLVIMENTO COGNITIVO
BT
DESENVOLVIMENTO MENTAL

  89
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
DESENVOLVIMENTO CURRICULAR DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO
Termo do LQS, que é sinónimo de Transformação e alargamento do sistema
PROGRAMA DE ESTUDOS no educativo
CEDEFOP, deve ser suprimido no sentido RT
que lhe dão e substituído com o sentido do
TEE. Só existe no TEE. EXPERIMENTAÇÃO

O descritor nos registos do ISS constam INOVAÇÃO PEDAGÓGICA


da FORMEI no sentido de PROGRAMA
DE ESTUDOS, deve ser substituído para PROJECTO PILOTO
este termo.
BT DESENVOLVIMENTO DA FORMAÇÃO
ADMINISTRAÇÃO DA EDUCAÇÃO BT
RT POLÍTICA DE FORMAÇÃO

DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO NT
PROJECTO EDUCATIVO DE ESCOLA INOVAÇÃO NA FORMAÇÃO
DESENVOLVIMENTO DA CARREIRA DESENVOLVIMENTO DA LINGUAGEM
BT
USE
PROMOÇÃO PROFISSIONAL DESENVOLVIMENTO MENTAL
RT
DESENVOLVIMENTO DA CRIANÇA
APTIDÃO LINGUÍSTICA
BT
DESENVOLVIMENTO DA PERSONALIDADE UF
AQUISIÇÃO DA LINGUAGEM
NT
IMATURIDADE DESENVOLVIMENTO DA ORGANIZAÇÃO
USE
MATURIDADE
DESENVOLVIMENTO ORGANIZACIONAL
RT
CRIANÇA DESENVOLVIMENTO DA PERSONALIDADE
BT
DESENVOLVIMENTO FÍSICO
DESENVOLVIMENTO MENTAL
DESENVOLVIMENTO MENTAL NT
DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO AUTO-REALIZAÇÃO
Transformação e alargamento do sistema DESENVOLVIMENTO DA CRIANÇA
educativo
BT INDIVIDUALIZAÇÃO
POLÍTICA DE EDUCAÇÃO
RT
RT PERSONALIDADE
DESENVOLVIMENTO CURRICULAR
SOCIALIZAÇÃO

  90
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
DESENVOLVIMENTO DA QUALIFICAÇÃO DESENVOLVIMENTO ECONÓMICO
BT Processo de desenvolvimento do nível de
ANÁLISE DAS QUALIFICAÇÕES vida e do bem estar de uma dada
população para o crescimento do
rendimento por capita, geralmente atingido
DESENVOLVIMENTO DAS COMPETÊNCIAS graças aos ajustamentos estruturais na
Termo não controlado no LQS. Existe no economia, por ex. a mutação do emprego
CEDEFOP, seguiu-se as relações deste do sector agrícola ao sector industrial.
tesauro.
BT BT
ANÁLISE DAS QUALIFICAÇÕES CRESCIMENTO ECONÓMICO
RT NT
COMPETÊNCIA TRANSFERÍVEL ASSIMETRIA REGIONAL
EMPREGABILIDADE DESENVOLVIMENTO AGRÍCOLA
DESENVOLVIMENTO DE PARCERIAS DESENVOLVIMENTO INTEGRADO

USE DESENVOLVIMENTO LOCAL


PARCERIA DISPARIDADE ECONÓMICA
DESENVOLVIMENTO DOS RECURSOS HUMANOS NECESSIDADES BÁSICAS
Implementação de políticas e problemas
de orientação e formação profissionais PAÍS DESENVOLVIDO
intímamente associadas ao emprego e
concebidas para aumentar a capacidade PAÍS EM DESENVOLVIMENTO
do indíviduo para compreender e
influenciar o ambiente de trabalho e social PAÍS MENOS DESENVOLVIDO
e para incentivar a desenvolver as suas
capacidades de trabalho de acordo com os SUBDESENVOLVIMENTO
seus interesses e aspirações.
RT
Não tem subordinação. Sugere-se
POLÍTICA DE FORMAÇÃO. AJUDA AO DESENVOLVIMENTO
BT
AJUDA ECONÓMICA
POLÍTICA DE FORMAÇÃO
AUTOSUFICIÊNCIA
RT
DESENVOLVIMENTO HUMANO CONDIÇÕES ECONÓMICAS
ENSINO PROFISSIONAL COOPERAÇÃO ECONÓMICA
FORMAÇÃO PROFISSIONAL COOPERAÇÃO TÉCNICA
DESENVOLVIMENTO DURÁVEL DESENVOLVIMENTO RURAL
USE DESENVOLVIMENTO SOCIAL
DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL
EMPRESA

  91
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
DESENVOLVIMENTO ECONÓMICO DESENVOLVIMENTO HUMANO
Processo de desenvolvimento do nível de Nos tesauros habituais só existe no OIT.
vida e do bem estar de uma dada Existe também no UNESCO. Segue-se
população para o crescimento do subordinação do OIT e relações dos dois.
rendimento por capita, geralmente atingido RT
graças aos ajustamentos estruturais na
economia, por ex. a mutação do emprego BEM ESTAR SOCIAL
do sector agrícola ao sector industrial.
CRESCIMENTO ECONÓMICO
RT
DESENVOLVIMENTO DOS RECURSOS HUMANOS
INDÚSTRIA
DESENVOLVIMENTO INTEGRADO
MUDANÇA SOCIAL
DESENVOLVIMENTO SOCIAL
OCDE
NECESSIDADES BÁSICAS
PLANEAMENTO ECONÓMICO
POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO
PLANO DE DESENVOLVIMENTO
SOCIEDADE CIVIL
POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO
DESENVOLVIMENTO INDIVIDUAL
POLÍTICA ECONÓMICA
NT
PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO APTIDÃO
RECURSOS ECONÓMICOS CRIATIVIDADE
DESENVOLVIMENTO FÍSICO DESEMPENHO
BT
DESENVOLVIMENTO MENTAL
FISIOLOGIA
PERSONALIDADE
NT
DESENVOLVIMENTO MOTOR RT
DESENVOLVIMENTO PESSOAL
RT
DESENVOLVIMENTO DA CRIANÇA DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL
DESENVOLVIMENTO HUMANO BT
POLÍTICA INDUSTRIAL
Nos tesauros habituais só existe no OIT.
Existe também no UNESCO. Segue-se RT
subordinação do OIT e relações dos dois.
BT INDÚSTRIA
QUALIDADE DE VIDA INDUSTRIALIZAÇÃO
NT REESTRUTURAÇÃO INDUSTRIAL
EMPOWERMENT
UF
CRESCIMENTO INDUSTRIAL

  92
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
DESENVOLVIMENTO INTEGRADO DESENVOLVIMENTO MENTAL
Refere-se ao desenvolvimento simultâneo BT
de todas as actividades de ordenamento,
planeamento e financiamento. DESENVOLVIMENTO INDIVIDUAL

No EUROVOC é TG - NT
DESENVOLVIMENTO ECONÓMICO. DESENVOLVIMENTO AFECTIVO
Não existe no OIT, existe no UNESCO.
BT DESENVOLVIMENTO COGNITIVO
DESENVOLVIMENTO ECONÓMICO DESENVOLVIMENTO DA LINGUAGEM
RT
DESENVOLVIMENTO DA PERSONALIDADE
DESENVOLVIMENTO HUMANO
DESENVOLVIMENTO INTELECTUAL
DESENVOLVIMENTO REGIONAL
RT
DESENVOLVIMENTO SOCIAL DESENVOLVIMENTO DA CRIANÇA
INTEGRAÇÃO ECONÓMICA IDADE MENTAL
POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO DESENVOLVIMENTO MORAL
DESENVOLVIMENTO INTELECTUAL USE

BT DESENVOLVIMENTO PESSOAL
DESENVOLVIMENTO MENTAL DESENVOLVIMENTO MOTOR
NT BT
INTELIGÊNCIA DESENVOLVIMENTO FÍSICO
DESENVOLVIMENTO LOCAL NT
Aparece em todas as versões da LQS. MOTRICIDADE
Consta da FORMEI.
Não aparece em nenhum dos outros DESENVOLVIMENTO ORGANIZACIONAL
thesauri.
Aparece no thesaurus do WORLD BANK. UF
DESENVOLVIMENTO DA ORGANIZAÇÃO
Sugere-se a subordinação TG -
DESENVOLVIMENTO ECONÓMICO E
SOCIAL DESENVOLVIMENTO PESSOAL
BT BT
DESENVOLVIMENTO ECONÓMICO VIDA SOCIAL
RT RT
AUTONOMIA LOCAL APRENDIZAGEM PROFISSIONAL
DESENVOLVIMENTO COMUNITÁRIO DESENVOLVIMENTO INDIVIDUAL
PROGRAMA REDE SOCIAL EMPOWERMENT
FORMAÇÃO PROFISSIONAL

  93
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
DESENVOLVIMENTO PESSOAL DESENVOLVIMENTO RURAL
UF No OCDE e CEDEFOP é TG -
DESENVOLVIMENTO MORAL DESENVOLVIMENTO REGIONAL.

No LQS e OIT é TG -
DESENVOLVIMENTO REGIONAL DESENVOLVIMENTO ECONÓMICO.
Utilizar para o desenvolvimento RT
económico e social, no interior de um país DESENVOLVIMENTO AGRÍCOLA
ou de uma região composta por vários
países. DESENVOLVIMENTO ECONÓMICO
BT
POLÍTICA REGIONAL DESENVOLVIMENTO REGIONAL

NT ECONOMIA RURAL
PLANEAMENTO REGIONAL ORDENAMENTO FLORESTAL
RT
PLANEAMENTO RURAL
AUTONOMIA LOCAL
POPULAÇÃO RURAL
AUTONOMIA REGIONAL
PROGRAMA LEADER
COOPERAÇÃO REGIONAL
SOCIOLOGIA RURAL
DESENVOLVIMENTO INTEGRADO
ZONA RURAL
DESENVOLVIMENTO RURAL
DESENVOLVIMENTO SOCIAL
DISPARIDADE REGIONAL
BT
FEDER VIDA SOCIAL
NÍVEL REGIONAL NT
PLANO DE DESENVOLVIMENTO REGIONAL DESENVOLVIMENTO COMUNITÁRIO
PLANO REGIONAL RT
AJUDA AO DESENVOLVIMENTO
REGIONALIZAÇÃO
CONDIÇÕES SOCIAIS
DESENVOLVIMENTO RURAL
DESENVOLVIMENTO ECONÓMICO
No OCDE e CEDEFOP é TG -
DESENVOLVIMENTO REGIONAL. DESENVOLVIMENTO HUMANO

No LQS e OIT é TG -
DESENVOLVIMENTO ECONÓMICO. DESENVOLVIMENTO INTEGRADO
BT MODERNIZAÇÃO
POLÍTICA REGIONAL
MUDANÇA SOCIAL
RT
AGRICULTURA PAÍS EM DESENVOLVIMENTO

  94
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
DESENVOLVIMENTO SOCIAL DESENVOLVIMENTO URBANO
RT No EUROVOC é UP de URBANIZAÇÃO (:
PLANEAMENTO DO DESENVOLVIMENTO Utilizar para o processo de
desenvolvimento das cidades, em número
de habitantes e em extensão territorial, e
POEFDS para as consequências desse
desenvolvimento na vida das pessoas.).
POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO Coloca-se em TA como no OIT, ou
URABANIZAÇÃO como TE do supra?
PROGRAMA REDE SOCIAL Sugere-se a subordinação do EUROVOC.
BT
REDES SOCIAIS
URBANISMO
UF
RT
PROGRESSO SOCIAL
CIDADE
DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL
MIGRAÇÃO RURAL
Tipo de desenvolvimento socio-
económico que permite satisfazer as PLANEAMENTO URBANO
necessidades actuais sem comprometer a
capacidade das gerações futuras virem a POPULAÇÃO URBANA
satisfazer as suas. (EUROVOC)
URBANIZAÇÃO
No EUROVOC está subordinado a
POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO.
No CEDEFOP é TG - POLÍTICA ZONA URBANA
ECONÓMICA
DESFAVORECIDO SOCIAL
BT
POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO Existe em todas as versões do LQS. No
OIT (2005) já é não descritor, remete para
RT Grupos Vulneráveis. No CEDEFOP,
GRUPOS VULNERÁVElS é sinónimo de
AUTOSUFICIÊNCIA GRUPOS DESFAVORECIDOS. Ambos
constam da FORMEI. No OCDE aparece
AVALIAÇÃO DO IMPACTO AMBIENTAL como Desfavorecidos.
Consta da FORMEI. Sugere-se substituí-lo
ECOLOGIA e colocá-lo como UP de GRUPO
DESFAVORECIDO.
POLÍTICA DO AMBIENTE USE
GRUPO DESFAVORECIDO
POLÍTICA ECONÓMICA
DESIGN
RESPONSABILIDADE DAS EMPRESAS
NT
UF
DESIGN GRÁFICO
DESENVOLVIMENTO DURÁVEL
DESIGN INCLUSIVO
ECODESENVOLVIMENTO
DESIGN GRÁFICO
DESENVOLVIMENTO TÉCNICO
BT
USE
MUDANÇA TECNOLÓGICA DESIGN

  95
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
DESIGN INCLUSIVO DESLOCALIZAÇÃO DE EMPRESAS
BT USE
DESIGN TRANSFERÊNCIA DE EMPRESA
DESIGUALDADE ECONÓMICA DESPEDIMENTO
USE Termo descritor na LQS, subordinado a
DISPARIDADE ECONÓMICA CESSAÇÃO DA RELAÇÃO DE
TRABALHO, e no EUROVOC, termo não
descritor no VETThes para CESSAÇÃO
DESIGUALDADE SOCIAL DO EMPREGO.
No EUROVOC subordinado a Consta da FORMEI.
ESTRUTURA SOCIAL. Cessação do emprego, quando
No CEDEFOP subordinado a ocasionado por iniciativa do empregador
SOCIEDADE. (LQS).
No OCDE subordinado a BT
ESTRATIFICAÇÃO SOCIAL, equivalente CESSAÇÃO DE EMPREGO
a ESTRUTURA SOCIAL do EUROVOC.
Sugere-se a subordinação do EUROVOC. NT
BT
DESPEDIMENTO COLECTIVO
ESTRUTURA SOCIAL
DESPEDIMENTO COM JUSTA CAUSA
RT
ACESSO À INFORMAÇÃO DESPEDIMENTO INDIVIDUAL
IGUALDADE DE OPORTUNIDADES DESPEDIMENTO POR EXCESSO DE PESSOAL
JUSTIÇA SOCIAL DESPEDIMENTO POR MOTIVOS ECONÓMICOS
SOCIEDADE DESPEDIMENTO SEM JUSTA CAUSA
DESINSTITUCIONALIZAÇÃO INDEMNIZAÇÃO POR DESPEDIMENTO
Não existe no LQS. Termo pertinente RT
incluir-se. Existe no FAMThes.
EMPREGO PRECÁRIO
BT
INTEGRAÇÃO SOCIAL MUDANÇA TECNOLÓGICA
RT DESPEDIMENTO ABUSIVO
INTEGRAÇÃO DAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA Termo descritor no EUROVOC,
subordinado a DESPEDIMENTO.
DESINTEGRAÇÃO DA FAMÍLIA USE
BT DESPEDIMENTO SEM JUSTA CAUSA
PROBLEMA SOCIAL
DESIQUILÍBRIO ECONÓMICO
Não existe no LQS.
USE
DISPARIDADE ECONÓMICA

  96
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
DESPEDIMENTO COLECTIVO DESPEDIMENTO SEM JUSTA CAUSA
Termo descritor na LQS e no EUROVOC. Termo descritor na LQS.
Despedimento de vários trabalhadores por BT
motivos estruturais, tecnológicos ou
conjunturais. DESPEDIMENTO
BT
UF
DESPEDIMENTO DESPEDIMENTO ABUSIVO
RT
DESPESA FAMILIAR
DESEMPREGO
Existe no LQS como termo não controlado.
DESPEDIMENTO COM JUSTA CAUSA Sugere-se colocá-lo em UP de
CONSUMO FAMILIAR, segundo o
Termo descritor na LQS. EUROVOC e OIT.
Despedimento provocado por qualquer USE
facto de circunstância que torna
impossível a manutenção das relações CONSUMO FAMILIAR
impostas pelo contrato de trabalho.
BT DESPESA ORÇAMENTADA
DESPEDIMENTO NT
DESPESAS PÚBLICAS
DESPEDIMENTO INDIVIDUAL
Termo descritor na LQS. DESPESAS DA EDUCAÇÃO
Despedimento de um trabalhador, por justa USE
causa e sem justa causa.
BT CUSTO DA EDUCAÇÃO
DESPEDIMENTO DESPESAS DE SAÚDE
DESPEDIMENTO POR EXCESSO DE PESSOAL BT
Termo descritor na LQS. POLÍTICA DE SAÚDE
Despedimento por razões económicas,
tecnológicas ou estruturais, abrangendo RT
um grande número de trabalhadores. SAÚDE
BT
DESPEDIMENTO DESPESAS PÚBLICAS
BT
RT
DESPESA ORÇAMENTADA
DESEMPREGO
RT
DESPEDIMENTO POR MOTIVOS ECONÓMICOS
FINANÇAS PÚBLICAS
Termo descritor na LQS e no EUROVOC.
BT DESPORTO
DESPEDIMENTO Segue-se a subordinação indicada no
EUROVOC
BT
TEMPOS LIVRES

  97
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
DESPORTO DIÁLOGO SOCIAL
Segue-se a subordinação indicada no No LQS, tanto DIÁLOGO SOCIAL como
EUROVOC PACTO SOCIAL aparecem ambos com o
NT UP - CONCERTAÇÃO SOCIAL.
Sugerimos este com UP -
EQUITAÇÃO CONCERTAÇÃO SOCIAL (segundo o
OIT) e o outro com o UP - POLÍTICA DE
JOGO DE BOLA CONCERTAÇÃO, substituindo-se na
FORMEI.
RT RT
ACTIVIDADES EXTRACURRICULARES PACTO SOCIAL
DISCIPLINAS UF
DESQUALIFICAÇÃO CONCERTAÇÃO SOCIAL

Termo descritor no VETThes, subordinado DICIONÁRIO


a QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL.
Termo não descritor no EUROVOC. BT
OBRA DE REFERÊNCIA
USE
QUALIFICAÇÃO OBSOLETA DIDÁCTICA
BT
DIAGNÓSTICO
CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO
NT
ELABORAÇÃO DE MEIOS DE ENSINO
DIÁLOGO NORTE-SUL
DIFERENÇA CULTURAL
Sugere-se preferência pelo descritor do
EUROVOC. BT
USE CULTURA
RELAÇÕES NORTE-SUL
RT
DIÁLOGO SOCIAL ADAPTAÇÃO SOCIAL
No LQS, tanto DIÁLOGO SOCIAL como
PACTO SOCIAL aparecem ambos com o GRUPO SOCIAL
UP - CONCERTAÇÃO SOCIAL.
Sugerimos este com UP - DIFICULDADE DE APRENDIZAGEM
CONCERTAÇÃO SOCIAL (segundo o
OIT) e o outro com o UP - POLÍTICA DE BT
CONCERTAÇÃO, substituindo-se na APRENDIZAGEM
FORMEI.
BT NT
RELAÇÕES DO TRABALHO DIFICULDADE DE LEITURA

RT DISCALCULIA
ADAPTAÇÃO SOCIAL
DISGRAFIA
CONSELHO ECONÓMICO E SOCIAL
DISORTOGRAFIA

  98
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
DIFICULDADE DE LEITURA DIMENSÃO DA FAMÍLIA
BT Termo sem subordinação no LQS e nos
DIFICULDADE DE APRENDIZAGEM tesauros utilizados. Sugere-se a
subordinação do FAMThes (Australian
Institute of Family Studies).
NT
RT
DISLEXIA
FILHO ÚNICO
DIFUSÃO DA INFORMAÇÃO
NATALIDADE
BT
DOCUMENTAÇÃO PLANEAMENTO FAMILIAR
RT DIMENSÃO EUROPEIA
ACESSO À INFORMAÇÃO Introdução de temas de estudo relativos às
diversas realidades europeias a fim de
DIMENSÃO DA EMPRESA criar uma consciência europeia nos
cidadãos europeus
BT
TIPOS DE EMPRESA
NT DIMINUIÇÃO DOS POSTOS DE TRABALHO
MÉDIA EMPRESA Termo não descritor no EUROVOC.
RT
EMPRESA
PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS DINÂMICA DA POPULAÇÃO
BT
DIMENSÃO DA FAMÍLIA
DEMOGRAFIA
Termo sem subordinação no LQS e nos
tesauros utilizados. Sugere-se a NT
subordinação do FAMThes (Australian
Institute of Family Studies). CRESCIMENTO DA POPULAÇÃO
BT RT
ESTRUTURA FAMILIAR ASPECTO DEMOGRÁFICO
RT
DINÂMICA DE GRUPO
AGREGADO FAMILIAR
RT
CRESCIMENTO DA POPULAÇÃO COMPORTAMENTO DE GRUPO
FAMÍLIA DIPLOMA
FAMÍLIA ALARGADA BT
CERTIFICAÇÃO
FAMÍLIA MONOPARENTAL
NT
FECUNDIDADE BACHARELATO

Pag. 97 de 399

  99
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
DIPLOMA DIREITO
NT Segue-se neste termo a hierarquização
DOUTORAMENTO apresentada no EUROVOC
RT
GRAU UNIVERSITÁRIO ASPECTO JURÍDICO
LICENCIATURA LEGISLAÇÃO
RT REGULAMENTAÇÃO
QUALIFICAÇÃO
DIREITO À EDUCAÇÃO
QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL BT
DIPLOMADO DO ENSINO SUPERIOR DIREITOS SOCIAIS
No TEE está subordinado a Pessoal. No RT
CEDEFOP a Estudante. No LQS sem
subordinação. Sugere-se a subordinação a ACESSO À EDUCAÇÃO
Nível de qualificação.
BT ACESSO À INFORMAÇÃO

NÍVEL DE QUALIFICAÇÃO ANALFABETISMO


DIRECTIVA CE POLÍTICA DE EDUCAÇÃO
BT DIREITO À GREVE
DIRECTIVA COMUNITÁRIA
Termo do EUROVOC. No LQS é descritor
RT DIREITO DE GREVE, sugere-se a
substituição para o supra.
RECOMENDAÇÃO CE BT
DIRECTIVA COMUNITÁRIA DIREITO DO TRABALHO
BT UF
ACTO COMUNITÁRIO DIREITO DE GREVE
NT DIREITO À INFORMAÇÃO
DIRECTIVA CE BT
DIREITO DIREITOS SOCIAIS
Segue-se neste termo a hierarquização RT
apresentada no EUROVOC
ACESSO À INFORMAÇÃO
NT
CIÊNCIA JURÍDICA DIREITO À JUSTIÇA
CONCEITO JURÍDICO BT
DIREITOS SOCIAIS
DIREITO PENAL
RT
JUSTIÇA ACESSO À JUSTIÇA

  100
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
DIREITO À NÃO DISCRIMINAÇÃO DIREITO COMERCIAL
Termo isolado e não controlado pelo LQS. Não existe no LQS.
Sugere-se UP de DISCRIMINAÇÃO. BT
BT
POLÍTICA COMERCIAL
DISCRIMINAÇÃO
DIREITO COMUNITÁRIO
DIREITO À SAÚDE
BT
Não existe no LQS. COMUNIDADE EUROPEIA
BT
DIREITOS SOCIAIS NT
RECOMENDAÇÃO CE
DIREITO À VIDA PRIVADA
USE DIREITO DA FAMÍLIA
VIDA PRIVADA Este termo no LQS é DIREITO DE
FAMÍLIA, sugere-se a substituição pelo
DIREITO ADMINISTRATIVO supra, mais adequado.
BT
BT
FAMÍLIA
ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA
NT
NT
CASAMENTO
ACTO ADMINISTRATIVO
FILIAÇÃO
ASPECTO ADMINISTRATIVO
DIREITO DA SEGURANÇA SOCIAL
DIREITO AO TRABALHO
Termo não controlado no LQS. Este termo
No OIT os DIREITOS HUMANOS têm está mal traduzido em português no
como UP os DIREITOS SOCIAIS, EUROVOC (DIREITO À SEGURANÇA
sugerimos a subordinação do EUROVOC. SOCIAL) , se formos ver o termo em
BT inglês, reparamos que se refere a Direito:
SOCIAL SECURITY LAW. Propomos este
DIREITOS SOCIAIS termo.
RT BT
ACESSO AO EMPREGO SEGURANÇA SOCIAL
LIBERDADE SINDICAL DIREITO DE GREVE
Termo do LQS, retirado do OIT. Existe no
DIREITO CIVIL EUROVOC, o descritor DIREITO À
GREVE, sugere-se substitui-lo pelo supra.
Sem subordinação
NT USE
PROPRIEDADE DE BENS DIREITO À GREVE
RESPONSABILIDADE DIREITO DE REUNIÃO
BT
DIREITOS DO CIDADÃO

  101
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
DIREITO DE VOTO DIREITO PENAL
NT
DIREITO PENITENCIÁRIO
DIREITO DO TRABALHO SANÇÃO PENAL
NT RT
CÓDIGO DO TRABALHO DELINQUÊNCIA
DIREITO À GREVE DIREITO PENITENCIÁRIO
DIREITOS DO EMPREGADOR BT
DIREITO PENAL
DIREITOS DO TRABALHADOR
NT
DIREITOS SINDICAIS
PRESO
RT
DIREITO PÚBLICO
DIREITOS SOCIAIS
BT
PARCEIRO SOCIAL CIÊNCIA JURÍDICA
TRABALHO RT
DIREITO FISCAL ORGANISMO PÚBLICO

BT DIREITO SOCIAL
FISCALIDADE BT
DIREITO INTERNACIONAL POLÍTICA SOCIAL
Sem subordinação no EUROVOC UF
NT LEGISLAÇÃO SOCIAL
DIREITO NACIONAL PRIVADO
DIREITOS CÍVICOS
RT
Termo do EUROVOC, que é UP no LQS, e
RELAÇÕES INTERNACIONAIS remete para DIREITOS DO CIDADÃO,
(embora o LQS tenha subordinações ao
DIREITO NACIONAL PRIVADO termo supra???). Sugere-se adoptar o do
LQS.
BT USE
DIREITO INTERNACIONAL DIREITOS DO CIDADÃO
NT
DIREITOS CULTURAIS
NACIONALIDADE
BT
DIREITO PENAL DIREITOS HUMANOS
BT RT
DIREITO CULTURA

  102
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
DIREITOS CULTURAIS DIREITOS DA PESSOA IDOSA
RT Termo que não existe em nenhum tesauro.
PLURALISMO CULTURAL Existe no LQS - DIREITOS DOS
IDOSOS, também não controlado. Sugere-
se ser o supra descritor e o do LQS - UP.
DIREITOS DA CRIANÇA
BT BT
DIREITOS DO INDIVÍDUO DIREITOS HUMANOS
RT UF
CRIANÇA EM RISCO DIREITOS DO IDOSO
CUIDADOS ÀS CRIANÇAS DIREITOS DE PROPRIEDADE INTELECTUAL
SERVIÇOS DE GUARDA DE CRIANÇAS Não existe no LQS.
BT
TRABALHO INFANTIL DIREITOS DO CIDADÃO
DIREITOS DA MULHER DIREITOS DO CIDADÃO
BT No OIT subordinado a DIREITOS DO
DIREITOS DO INDIVÍDUO HOMEM. No EUROVOC subordinado a
DIREITOS POLÍTICOS. Sugere-se a
subordinação do OIT-LQS.
RT
BT
CONDIÇÃO FEMININA
DIREITOS HUMANOS
EMPREGO DE MULHERES NT
IGUALDADE DE OPORTUNIDADES DIREITO DE REUNIÃO
IGUALDADE DE TRATAMENTO DIREITOS DE PROPRIEDADE INTELECTUAL
MULHER DIVULGAÇÃO DA INFORMAÇÃO
DIREITOS DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA LIBERDADE DE ASSOCIAÇÃO
Não existe no LQS. No OIT tem duas LIBERDADE DE ENSINO
opções: a supra, ou a do LQS - DIREITOS
DO DEFICIENTE, preferimos a supra e LIBERDADE DE EXPRESSÃO
colocar a do LQS em UP.
BT LIBERDADE DE IMPRENSA
DIREITOS HUMANOS
LIBERDADE DE PENSAMENTO
RT
PESSOA COM DEFICIÊNCIA LIBERDADE RELIGIOSA
UF LIBERDADE SINDICAL
DIREITOS DO DEFICIENTE LIVRE CIRCULAÇÃO

  103
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
DIREITOS DO CIDADÃO DIREITOS DO EMPREGADOR
No OIT subordinado a DIREITOS DO Termo que no LQS, retirado do OIT, está
HOMEM. No EUROVOC subordinado a subordinado a DIREITOS HUMANOS, por
DIREITOS POLÍTICOS. Sugere-se a aproximação ao EUROVOC, sugerimos
subordinação do OIT-LQS. subordiná-lo a DIREITO DO TRABALHO.
RT UF
CIDADANIA DIREITOS PATRONAIS
DIREITOS DO INDIVÍDUO DIREITOS DO HOMEM
ESTATUTO JURÍDICO Este termo é do EUROVOC. NO LQS e
OIT é descritor DIREITOS HUMANOS,
IGUALDADE DE OPORTUNIDADES este é preferencial.
USE
LIBERDADE DIREITOS HUMANOS
NACIONALIDADE DIREITOS DO IDOSO
UF Termo do LQS não controlado. Sugere-se
outro e o supra para UP.
DIREITOS CÍVICOS USE
LIBERDADES CIVIS DIREITOS DA PESSOA IDOSA
DIREITOS DO DEFICIENTE DIREITOS DO INDIVÍDUO
Termo do LQS, retirado do OIT, prefere-se Termo que no LQS é UP de DIREITOS DO
outra tradução. CIDADÃO. Sugere-se separá-los, segundo
RT o EUROVOC, retirando-se o UP. (ISS)

PESSOA COM DEFICIÊNCIA Sugere-se subordiná-lo a DIREITOS DO


HOMEM, seguindo o OIT, em paralelo
USE com DIREITOS DO CIDADÃO. (ISS)
DIREITOS DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA
BT
DIREITOS DO DOENTE DIREITOS E LIBERDADES
Termo isolado e não controlado no LQS. DIREITOS HUMANOS
Existe no EUROVOC. DIREITOS HUMANOS
RT NT
DIREITOS DO INDIVÍDUO DIREITOS DA CRIANÇA
DIREITOS DO EMPREGADOR DIREITOS DA MULHER
Termo que no LQS, retirado do OIT, está
subordinado a DIREITOS HUMANOS, por TRABALHO FORÇADO
aproximação ao EUROVOC, sugerimos
subordiná-lo a DIREITO DO TRABALHO. VIDA PRIVADA
BT
RT
DIREITO DO TRABALHO
DIREITOS DO CIDADÃO
RT
DIREITOS DO DOENTE
DIREITOS HUMANOS

  104
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
DIREITOS DO INDIVÍDUO DIREITOS HUMANOS
Termo que no LQS é UP de DIREITOS DO Termo do LQS (OIT). No EUROVOC é
CIDADÃO. Sugere-se separá-los, segundo descritor DIREITOS DO HOMEM. Prefere-
o EUROVOC, retirando-se o UP. (ISS) se o termo supra.
NT
Sugere-se subordiná-lo a DIREITOS DO
HOMEM, seguindo o OIT, em paralelo CARTA DOS DIREITOS DO HOMEM
com DIREITOS DO CIDADÃO. (ISS)
DIREITOS CULTURAIS
UF
DIREITOS DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA
DIREITOS FUNDAMENTAIS
DIREITOS DA PESSOA IDOSA
DIREITOS DO TRABALHADOR
Termo que no LQS, retirado do OIT, está DIREITOS DO CIDADÃO
subordinado a DIREITOS HUMANOS. No
EUROVOC é UP de DIREITO DO DIREITOS DO INDIVÍDUO
TRABALHO, sugerimos colocá-lo como
TE de DIREITO DO TRABALHO. DIREITOS SOCIAIS
BT
RT
DIREITO DO TRABALHO
CONSTITUIÇÃO
RT
COOPERAÇÃO POLÍTICA EUROPEIA
DIREITOS HUMANOS
DIREITOS DO EMPREGADOR
DIREITOS E LIBERDADES
NT DIREITOS DO TRABALHADOR
DIREITOS DO INDIVÍDUO DISCRIMINAÇÃO
LIBERDADE DE EXPRESSÃO IGUALDADE DE OPORTUNIDADES
DIREITOS ECONÓMICOS E SOCIAIS TORTURA
Termo do LQS que só existe no OIT, com UF
o UP- DIREITOS SOCIAIS. Prefere-se UF
DIREITOS SOCIAIS, sugerindo-se a DIREITOS DO HOMEM
colocação do supra em UP. Coexistem os
dois no LQS. VIOLAÇÃO DOS DIREITOS DO HOMEM
USE
DIREITOS SOCIAIS DIREITOS IGUAIS
USE
DIREITOS FUNDAMENTAIS
IGUALDADE DE OPORTUNIDADES
No LQS é UP de DIREITOS DO CIDADÃO,
sugerimos ser UP de DIREITOS DO
INDIVÍDUO, segundo o EUROVOC.

USE
DIREITOS DO INDIVÍDUO

  105
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
DIREITOS PATRONAIS DISCIPLINA
Não existe no LQS. É descritor no OIT BT
tem como UP. DIREITOS DO
EMPREGADOR, que é descritor no LQS, COMPORTAMENTO
sugere-se colocar o supra como UP.
RT
USE
AUTORIDADE
DIREITOS DO EMPREGADOR
AUTORITARISMO
DIREITOS SINDICAIS
BT DISCIPLINAS
DIREITO DO TRABALHO BT
CURRÍCULO ESCOLAR
RT
RELAÇÕES DO TRABALHO NT
DISCIPLINAS BÁSICAS
DIREITOS SOCIAIS
BT DISCIPLINAS DE OPÇÃO
DIREITOS HUMANOS DISCIPLINAS NUCLEARES
NT DISCIPLINAS OBRIGATÓRIAS
DIREITO À EDUCAÇÃO
DISCIPLINAS SECUNDÁRIAS
DIREITO À INFORMAÇÃO
MATÉRIA DE ENSINO TRANSVERSAL
DIREITO À JUSTIÇA
RT
DIREITO À SAÚDE DESPORTO
DIREITO AO TRABALHO ENSINO
IGUALDADE DE OPORTUNIDADES DISCIPLINAS BÁSICAS
LIBERDADE DE ENSINO BT
DISCIPLINAS
LIBERDADE SINDICAL
DISCIPLINAS DE OPÇÃO
RT
CARTA SOCIAL EUROPEIA BT
DISCIPLINAS
DIREITO DO TRABALHO
DISCIPLINAS NUCLEARES
UF
DIREITOS ECONÓMICOS E SOCIAIS BT
DISCIPLINAS
DISCALCULIA
DISCIPLINAS OBRIGATÓRIAS
BT
DIFICULDADE DE APRENDIZAGEM BT
DISCIPLINAS

  106
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
DISCIPLINAS SECUNDÁRIAS DISCRIMINAÇÃO COM BASE NA IDADE
BT Não existe no LQS.
DISCIPLINAS RT
IGUALDADE DE OPORTUNIDADES
DISCRIMINAÇÃO
PESSOA IDOSA
No EUROVOC é descritor LUTA CONTRA
A DISCRIMINAÇÃO. Sugere-se colocá-lo
como UP de DISCRIMINAÇÃO. DISCRIMINAÇÃO DO DEFICIENTE
Sem subordinação no OIT. Termo do LQS, retirado do OIT. Sugere-se
BT preferência pelo termo do EUROVOC -
COMPORTAMENTO SOCIAL DISCRIMINAÇÃO FUNDADA NA
DEFICIÊNCIA.
NT USE
DIREITO À NÃO DISCRIMINAÇÃO DISCRIMINAÇÃO FUNDADA NA DEFICIÊNCIA
DISCRIMINAÇÃO COM BASE NA IDADE DISCRIMINAÇÃO FUNDADA NA DEFICIÊNCIA
DISCRIMINAÇÃO FUNDADA NA DEFICIÊNCIA Termo do EUROVOC. Não existe no LQS.
No OIT e LQS existe DISCRIMINAÇÃO
DO DEFICIENTE. Sugere-se preferência
DISCRIMINAÇÃO RACIAL pelo termo supra, do EUROVOC.

DISCRIMINAÇÃO RELIGIOSA BT
DISCRIMINAÇÃO SEXUAL DISCRIMINAÇÃO
XENOFOBIA RT
PESSOA COM DEFICIÊNCIA
RT
DIREITOS HUMANOS UF
DISCRIMINAÇÃO DO DEFICIENTE
EXCLUSÃO SOCIAL
DISCRIMINAÇÃO RACIAL
IGUALDADE DE OPORTUNIDADES
BT
IGUALDADE DE REMUNERAÇÃO DISCRIMINAÇÃO
POLÍTICA SOCIAL NT
RELAÇÕES RACIAIS APARTHEID
UF RACISMO

LUTA CONTRA A DISCRIMINAÇÃO RT


DISCRIMINAÇÃO COM BASE NA IDADE GRUPO ÉTNICO

Não existe no LQS. GRUPO MINORITÁRIO


BT
UF
DISCRIMINAÇÃO
SEGREGAÇÃO RACIAL

  107
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
DISCRIMINAÇÃO RELIGIOSA DISPARIDADE ECONÓMICA
BT Diferenças em matéria de desempenho e
DISCRIMINAÇÃO prosperidade económica entre os países e
as regiões. Utilizar DISTRIBUIÇÃO DO
RENDIMENTO para as disparidades
RT salariais à escala individual ou do
RELIGIÃO agregado familiar.

DISCRIMINAÇÃO SEXUAL Sem subordinação no LQS. Segue-se


subordinação do EUROVOC e relações do
BT OIT.
DISCRIMINAÇÃO UF
DESIGUALDADE ECONÓMICA
RT
IGUALDADE DE OPORTUNIDADES DESIQUILÍBRIO ECONÓMICO
MULHER DISPARIDADE REGIONAL
DISGRAFIA BT
POLÍTICA REGIONAL
BT
DIFICULDADE DE APRENDIZAGEM RT
COESÃO ECONÓMICA E SOCIAL
RT
ESCRITA DESENVOLVIMENTO REGIONAL
DISLEXIA PLANEAMENTO REGIONAL
BT ZONA RURAL
DIFICULDADE DE LEITURA
DISSERTAÇÃO
DISORTOGRAFIA Não existe no LQS.
BT USE
DIFICULDADE DE APRENDIZAGEM TESE
DISPARIDADE ECONÓMICA DISTRIBUIÇÃO DA RIQUEZA
Diferenças em matéria de desempenho e BT
prosperidade económica entre os países e DISTRIBUIÇÃO DO RENDIMENTO
as regiões. Utilizar DISTRIBUIÇÃO DO
RENDIMENTO para as disparidades
salariais à escala individual ou do RT

agregado familiar. EQUILÍBRIO ECONÓMICO

Sem subordinação no LQS. Segue-se POBREZA


subordinação do EUROVOC e relações do
OIT. DISTRIBUIÇÃO DO RENDIMENTO
BT
BT
DESENVOLVIMENTO ECONÓMICO
RENDIMENTO

  108
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
DISTRIBUIÇÃO DO RENDIMENTO DISTRIBUIÇÃO GEOGRÁFICA DA POPULAÇÃO
NT NT
BAIXO RENDIMENTO POPULAÇÃO RURAL
DISTRIBUIÇÃO DA RIQUEZA POPULAÇÃO URBANA
LUTA CONTRA A POBREZA DISTRIBUIÇÃO POR SEXO
POBREZA No LQS não tem subordinação.
BT
RT COMPOSIÇÃO DA POPULAÇÃO
FISCALIDADE
NT
JUSTIÇA SOCIAL MULHER
POLÍTICA DE RENDIMENTOS DIVERSIDADE DA MÃO-DE-OBRA
REDISTRIBUIÇÃO DO RENDIMENTO Consta da FORMEI.. Há 23 documentos
indexados com este descritor
RENDIMENTO NACIONAL BT
MÃO-DE-OBRA
DISTRIBUIÇÃO ETÁRIA
BT DIVISÃO DO TRABALHO BASEADA NO SEXO
COMPOSIÇÃO DA POPULAÇÃO USE
DIVISÃO DO TRABALHO BESEADO NO GÉNERO
NT
ADULTO DIVISÃO DO TRABALHO BESEADO NO GÉNERO
CRIANÇA UF
DIVISÃO DO TRABALHO BASEADA NO SEXO
JOVEM
DIVISÃO INTERNACIONAL DO TRABALHO
DISTRIBUIÇÃO GEOGRÁFICA
Princípios e prática de uma repartição de
BT actividades entre
ESTATÍSTICA países que optam por especializar-se na
produção de bens
que, comparativamente, lhes proporcionam
RT mais vantagens.
DEMOGRAFIA BT
GEOGRAFIA COMÉRCIO INTERNACIONAL
MOBILIDADE GEOGRÁFICA RT
TEORIA ECONÓMICA
DISTRIBUIÇÃO GEOGRÁFICA DA POPULAÇÃO
DIVULGAÇÃO DA INFORMAÇÃO
BT
DEMOGRAFIA BT
DIREITOS DO CIDADÃO

  109
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
DOCUMENTAÇÃO DOCUMENTO
Subordinado a Ciências da Informação no RT
LQS. A Informação no CEDEFOP. Sem
subordinação no EUROVOC e no TEE MATERIAL DE REFERÊNCIA
Sugere-se a subordinação do LQS.
DOCUMENTOS DE CONFERÊNCIA
BT
CIÊNCIAS DA INFORMAÇÃO USE
ACTA DE REUNIÃO
NT
DIFUSÃO DA INFORMAÇÃO DOENÇA
DOCUMENTO No plural no LQS. Sem subordinação nos
três thesauri
LISTA DE PARTICIPANTES BT
SAÚDE
PESQUISA BIBLIOGRÁFICA
NT
RT DOENÇA MENTAL
RESUMO
RT
DOCUMENTO SIDA
BT
DOENÇA DE ALZHEIMER
DOCUMENTAÇÃO
Termo não controlado no LQS. Existe no
NT OCDE.
ACTA DE REUNIÃO BT
DOENÇA MENTAL
ANUÁRIO
DOENÇA INFECCIOSA
ATLAS
BT
BIOGRAFIA SAÚDE
FORMULÁRIO NT
DOENÇA TRANSMISSÍVEL SEXUALMENTE
GUIA
SIDA
MANUAL
DOENÇA MENTAL
PUBLICAÇÃO
BT
PUBLICAÇÕES PERIÓDICAS DOENÇA
RECOMENDAÇÃO NT
RELATÓRIO DOENÇA DE ALZHEIMER
TESE RT
DEFICIENTE MENTAL

  110
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
DOENÇA MENTAL DROGA
RT Segue-se OIT.
HOSPITAL PSIQUIÁTRICO USE
ESTUPEFACIENTE
PSIQUIATRIA
DUPLO EMPREGO
SAÚDE MENTAL
Termo descritor na LQS, sem
DOENÇA TRANSMISSÍVEL SEXUALMENTE subordinação, no EUROVOC e no
VETThes, subordinado a CONDIÇÕES DE
BT EMPREGO.
Consta da FORMEI.
DOENÇA INFECCIOSA Manutenção simultânea e legal de dois
empregos diferentes. O trabalhador pode
RT ser assalariado de vários empregadores,
SIDA ou pode ser o seu próprio empregador para
um dos seus empregos (LQS).
DOMÉSTICA BT
BT ESTRUTURA DO EMPREGO
AGREGADO FAMILIAR RT
RT EMPREGO
MULHER ESTRUTURA FAMILIAR
UF MULHER
DONA-DE-CASA
UF
DONA-DE-CASA ACTIVIDADE COMPLEMENTAR
USE
ACUMULAÇÃO DE EMPREGOS
DOMÉSTICA
PLURIACTIVIDADE
DOUTORAMENTO
BT PLURIEMPREGO

DIPLOMA SEGUNDA ACTIVIDADE


DOUTRINA ECONÓMICA DURAÇÃO DO TRABALHO
BT BT
ECONOMIA ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO
DOUTRINA POLÍTICA NT
USE TRABALHO POR TURNOS
IDEOLOGIA POLÍTICA ECODESENVOLVIMENTO
USE
DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL

  111
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
ECOLOGIA ECONOMIA
BT RT
BIOLOGIA ANÁLISE SOCIOECONÓMICA
RT CIÊNCIAS ECONÓMICAS
AMBIENTE
ECONOMIA AGRÍCOLA
DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL
ECONOMIA DA EMPRESA
POLÍTICA DO AMBIENTE
ECONOMIA DA FORMAÇÃO
ECONOMIA
ECONOMIA DO AMBIENTE
NT
ANÁLISE ECONÓMICA ECONOMISTA
CONSUMO ESTRUTURA ECONÓMICA
DOUTRINA ECONÓMICA LEGISLAÇÃO ECONÓMICA
ECONOMIA COLECTIVA MACROECONOMIA
ECONOMIA DE MERCADO MICROECONOMIA
ECONOMIA DO CONHECIMENTO SOCIOLOGIA ECONÓMICA
ECONOMIA DO TRABALHO TEORIA ECONÓMICA
ECONOMIA INDUSTRIAL ECONOMIA AGRÍCOLA
BT
ECONOMIA INFORMAL
POLÍTICA AGRÍCOLA
ECONOMIA INTERNACIONAL RT
ECONOMIA NACIONAL ECONOMIA
ECONOMIA PLANIFICADA ECONOMIA RURAL
ECONOMIA PÚBLICA SECTOR PRIMÁRIO
ECONOMIA REGIONAL ECONOMIA COLECTIVA
ECONOMIA RURAL BT
ECONOMIA
ECONOMIA SOCIAL
ECONOMIA DA EDUCAÇÃO
MUDANÇA ESTRUTURAL
NT
PRODUÇÃO CAPITAL HUMANO
SISTEMAS ECONÓMICOS NECESSIDADE DE EDUCAÇÃO

  112
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
ECONOMIA DA EDUCAÇÃO ECONOMIA DE MERCADO
RT UF
AUXÍLIO ECONÓMICO CAPITALISMO
ECONOMIA DA FORMAÇÃO ECONOMIA DO AMBIENTE
ECONOMIA DA EMPRESA BT
POLÍTICA DO AMBIENTE
BT
POLÍTICA DA EMPRESA RT
ECONOMIA
RT
ECONOMIA ECONOMIA DO CONHECIMENTO
ECONOMIA DA FORMAÇÃO BT
ECONOMIA
Este termo no CEDEFOP(2005) é
sinónimo de ECONOMIA DA RT
FORMAÇÃO.(ISS)
BT CRESCIMENTO ECONÓMICO
ADMINISTRAÇÃO DA FORMAÇÃO INOVAÇÃO
NT SOCIEDADE DA INFORMAÇÃO
CUSTO DA FORMAÇÃO
TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO
FINANCIAMENTO DA FORMAÇÃO
ECONOMIA DO TRABALHO
RT
BT
ECONOMIA
ECONOMIA
ECONOMIA DA EDUCAÇÃO
RT
ECONOMIA DE ENERGIA TRABALHO
BT ECONOMIA INDUSTRIAL
POLÍTICA ENERGÉTICA
BT
RT ECONOMIA
ENERGIA
RT
ECONOMIA DE MERCADO INDÚSTRIA
BT
ECONOMIA
RT
EMPRESA PRIVADA
ORGANIZAÇÃO SEM FINS LUCRATIVOS

  113
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
ECONOMIA INFORMAL ECONOMIA INTERNACIONAL
A economia informal faz parte da RT
economia de mercado, porque produz bens
e serviços legais ainda que não estejam NOVA ORDEM ECONÓMICA INTERNACIONAL
em conformidade com os procedimentos
legais, como por exemplo as empresas UF
familiares operando em pequena escala. A ECONOMIA MUNDIAL
economia informal exclui as actividades
criminosas ou ilegais. Não confundir com ECONOMIA MUNDIAL
a economia paralela ou oculta (OIT).
USE
No LQS é UP baseado na OIT, sendo
descritor SECTOR INFORMAL. Neste ECONOMIA INTERNACIONAL
momento já é termo preferencial no OIT e
SECTOR INFORMAL é UP. ECONOMIA NACIONAL
BT
BT
ECONOMIA
ECONOMIA
ECONOMIA OCULTA
RT
AUTO-AJUDA Sector da economia baseado no trabalho
clandestino ou nas actividades ilegais e
que não é tomado em consideração nas
EMPRESA COMERCIAL estatísticas nacionais.

EMPRESA FAMILIAR No EUROVOC é UP de ECONOMIA


PARALELA, no OIT é o contrário. Sugere-
INDÚSTRIA RURAL se como termo preferencial o do OIT.
USE
MICROEMPRESA
ECONOMIA PARALELA
PEQUENA INDÚSTRIA
ECONOMIA PARALELA
SECTOR TERCIÁRIO No EUROVOC é descritor no OIT é
descritor ECONOMIA OCULTA e o supra
SEGMENTAÇÃO DO MERCADO DE TRABALHO UP. Sugere-se como termo preferencial o
do OIT.
ECONOMIA INTERNACIONAL UF

BT ECONOMIA OCULTA
ECONOMIA SECTOR INFORMAL
RT
ECONOMIA PLANIFICADA
COMÉRCIO
BT
COMÉRCIO INTERNACIONAL ECONOMIA
CONDIÇÕES ECONÓMICAS ECONOMIA POLÍTICA
GLOBALIZAÇÃO USE
CIÊNCIAS ECONÓMICAS
GLOBALIZAÇÃO DA ECONOMIA

  114
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
ECONOMIA PÓS-INDUSTRIAL ECONOMIA SOCIAL
UF Economia das organizações cooperativas,
SOCIEDADE PÓS-INDUSTRIAL mutualistas e associações de interesse
colectivo.

ECONOMIA PÚBLICA Na CEDEFOP está subordinado a


BT SISTEMA ECONÓMICO
RT
ECONOMIA
COOPERATIVA
RT
EMPRESA PÚBLICA MOVIMENTO ASSOCIATIVO
SECTOR PÚBLICO MUTUALIDADE
ECONOMIA REGIONAL ORGANIZAÇÃO SEM FINS LUCRATIVOS

Termo não existente no LQS. TERCEIRO SECTOR


BT
VIDA ASSOCIATIVA
ECONOMIA
UF
RT
ECONOMIA SOLIDÁRIA
PLANEAMENTO REGIONAL
ECONOMIA SOLIDÁRIA
PLANO REGIONAL
USE
POLÍTICA REGIONAL ECONOMIA SOCIAL
ECONOMIA RURAL ECONOMISTA
BT RT
ECONOMIA ECONOMIA
RT EDIÇÃO
DESENVOLVIMENTO RURAL
Sem subordinação no LQS. Subordinado a
ECONOMIA AGRÍCOLA Indústria da comunicação no EUROVOC
BT
PLANEAMENTO RURAL INDÚSTRIA DA COMUNICAÇÃO
POLÍTICA AGRÍCOLA EDIFÍCIO
ECONOMIA SOCIAL BT
Economia das organizações cooperativas, INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO CIVIL
mutualistas e associações de interesse
colectivo. NT
EDIFÍCIO ESCOLAR
Na CEDEFOP está subordinado a
SISTEMA ECONÓMICO INFANTÁRIO
BT
ECONOMIA OFICINA

  115
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
EDIFÍCIO ESCOLAR EDUCAÇÃO
BT No OIT é subordinado à sub-faceta
EDIFÍCIO EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO
NT
EDUCAÇÃO PRÁTICA PEDAGÓGICA
No OIT é subordinado à sub-faceta PRINCIPIOS DE EDUCAÇÃO
EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO
NT SISTEMAS EDUCATIVOS
ACESSO À EDUCAÇÃO
RT
ADMINISTRAÇÃO DA EDUCAÇÃO ASPECTO EDUCATIVO
EDUCAÇÃO DE ADULTOS CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO
EDUCAÇÃO DE BASE EDUCAÇÃO AMBIENTAL
EDUCAÇÃO DE MIGRANTES EDUCAÇÃO FÍSICA
EDUCAÇÃO EXTRA-ESCOLAR ENSINO
EDUCAÇÃO INFORMAL ESTABELECIMENTO DE ENSINO
EDUCAÇÃO NÃO FORMAL EURYDICE
EDUCAÇÃO PERMANENTE FILOSOFIA DA EDUCAÇÃO
ENSINO A DISTÂNCIA FINALIDADE DA EDUCAÇÃO
ENSINO BÁSICO FORMAÇÃO
ENSINO GERAL NÍVEL DE ENSINO
ENSINO PARTICULAR QUALIDADE DA EDUCAÇÃO
ENSINO PROFISSIONAL UNESCO
ENSINO PÚBLICO EDUCAÇÃO ALIMENTAR
ENSINO SECUNDÁRIO BT
EDUCAÇÃO SANITÁRIA
ENSINO SUPERIOR
EDUCAÇÃO AMBIENTAL
ESCOLARIDADE OBRIGATÓRIA
BT
MÉTODO PEDAGÓGICO POLÍTICA DO AMBIENTE
ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA RT
PESSOAL DOCENTE AMBIENTE
POLÍTICA DE EDUCAÇÃO EDUCAÇÃO

  116
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
EDUCAÇÃO AMBIENTAL EDUCAÇÃO CONTÍNUA
RT USE
EDUCAÇÃO DE BASE EDUCAÇÃO PERMANENTE
UF EDUCAÇÃO DA MULHER
EDUCAÇÃO ECOLÓGICA BT
EDUCAÇÃO ARTÍSTICA EDUCAÇÃO DE ADULTOS
BT RT
ENSINO GERAL MULHER
NT UF
EDUCAÇÃO MUSICAL FORMAÇÃO DE MULHERES
EDUCAÇÃO AUTORITÁRIA EDUCAÇÃO DE ADULTOS
BT Educação suplementar adquirida
TEORIA DA EDUCAÇÃO voluntariamente a fim de completar os
conhecimentos, geralmente de ordem
profissional, ou adquirir novos.
NT
CASTIGO CORPORAL No CEDEFOP é o único tesauro que tem
como termo preferencial EDUCAÇÃO
EXPULSÃO CONTÍNUA.
FORMAÇÃO DE ADULTOS que aqui é
EDUCAÇÃO CÍVICA UP, é descritor no CEDEFOP.
BT
BT
EDUCAÇÃO
ENSINO GERAL
NT
RT
EDUCAÇÃO DA MULHER
EDUCAÇÃO DE BASE
EDUCAÇÃO DE TRABALHADORES
EDUCAÇÃO POLÍTICA
EDUCAÇÃO INFORMAL
EDUCADOR SOCIAL
EDUCAÇÃO NÃO FORMAL
EDUCAÇÃO COMPARADA
RT
BT
POLÍTICA DE EDUCAÇÃO AUTO-AJUDA
RT EDUCAÇÃO PERMANENTE

INVESTIGAÇÃO EM EDUCAÇÃO FORMAÇÃO PROFISSIONAL


UF UF
PEDAGOGIA COMPARADA FORMAÇÃO DE ADULTOS

  117
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
EDUCAÇÃO DE BASE EDUCAÇÃO DE TRABALHADORES
Ensino de matérias elementares. Educação de trabalhadores
Formação para a vida social e para as sindicalizados, com o objectivo de os
responsabilidades comunitárias. tornar aptos a negociar com os
empregadores. Não confundir com
As relações do LQS são diferentes do TEE. educação de adultos
BT
BT
EDUCAÇÃO DE ADULTOS
EDUCAÇÃO
RT
NT
RELAÇÕES DO TRABALHO
EDUCAÇÃO FÍSICA
EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO
EDUCAÇÃO SANITÁRIA
Termo não controlado no LQS, sem
EDUCAÇÃO SEXUAL subordinação. Não existe nos tesauros.
Consta da FORMEI. Este termo tem o
INICIAÇÃO INFORMÁTICA sentido da relação EDUCAÇÃO-
FORMAÇÃO, paralelamente ao descritor
FORMAÇÃO-EMPREGO.
LITERACIA
Este termo parece equiparável ao termo
RT RELAÇÃO ESCOLA-EMPRESA do
EDUCAÇÃO AMBIENTAL CEDEFOP, assim sugeria-se a
substituição e a colocação das relações
EDUCAÇÃO CÍVICA deste.
BT
ENSINO BÁSICO CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO
FORMAÇÃO BÁSICA NT
EDUCAÇÃO DE ESTRANGEIROS ASPECTO EDUCATIVO
USE RT
EDUCAÇÃO DE MIGRANTES ABANDONO DOS ESTUDOS
EDUCAÇÃO DE MIGRANTES EDUCAÇÃO ECOLÓGICA
BT USE
EDUCAÇÃO EDUCAÇÃO AMBIENTAL

RT EDUCAÇÃO ESPECIAL
MIGRAÇÃO Tipo de educação para crianças
especiais, principalmente para doentes
UF mentais ou físicos.
EDUCAÇÃO DE ESTRANGEIROS
No EUROVOC é descritor ENSINO
ESPECIAL, UP no LQS.
USE
ENSINO ESPECIAL

  118
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
EDUCAÇÃO ESTÉTICA EDUCAÇÃO GLOBAL
RT Educação centrada nos aspectos
ESTÉTICA económicos, políticos, ecológicos e
culturais a nível internacional
EDUCAÇÃO EXTRA-ESCOLAR
BT
EDUCAÇÃO EDUCAÇÃO INFORMAL
SISTEMA DE ENSINO Processo de aprendizagem que continua
casualmente para cada indivíduo fora do
NT sistema da educação formal ou não-formal.

EDUCAÇÃO INFORMAL No EUROVOC está subordinado a


MÉTODO PEDAGÓGICO (ISS)
EDUCAÇÃO NÃO FORMAL
BT
RT
EDUCAÇÃO
ACTIVIDADES EXTRACURRICULARES
EDUCAÇÃO DE ADULTOS
UF
ESCOLA PARALELA EDUCAÇÃO EXTRA-ESCOLAR
EDUCAÇÃO FAMILIAR MÉTODO PEDAGÓGICO
Designa a educação dada pela família e EDUCAÇÃO INTERCULTURAL
não a educação para a vida familiar
BT BT
RESPONSABILIDADE DOS PAIS POLÍTICA DE EDUCAÇÃO
EDUCAÇÃO FÍSICA NT
ENSINO BILINGUE
BT
EDUCAÇÃO DE BASE RT
ESCOLA INTERNACIONAL
RT
EDUCAÇÃO INTERCÂMBIO CULTURAL
EDUCAÇÃO GESTUAL PLURALISMO CULTURAL
EDUCAÇÃO GESTUAL EDUCAÇÃO INTERNACIONAL
Visa desenvolver a precisão e a BT
coordenação dos gestos. É
particularmente utilizado no caso de SISTEMA DE ENSINO
deficientes
RT
RT
ESCOLA INTERNACIONAL
EDUCAÇÃO FÍSICA

  119
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
EDUCAÇÃO LAICA EDUCAÇÃO PELO CINEMA
BT BT
PRINCIPIOS DE EDUCAÇÃO MÉTODO AUDIOVISUAL
EDUCAÇÃO MISTA RT
FILME EDUCATIVO
EDUCAÇÃO PELO MUSEU
EDUCAÇÃO MORAL BT
RT MÉTODO DE ENSINO
ÉTICA RT
EDUCAÇÃO MUSICAL MUSEU

BT EDUCAÇÃO PERMANENTE
EDUCAÇÃO ARTÍSTICA Utiliza-se no sentido lato para designar
qualquer tipo e forma de ensino ou de
EDUCAÇÃO NÃO FORMAL formação frequentados por aqueles que
tenham abandonado a educação formal em
Actividades ou programas organizados qualquer nível, que tenham exercido uma
fora do quadro do sistema formal de ensino profissão ou que tenham assumido
mas dirigidos a objectivos educativos responsabilidades de adultos (OIT).

BT No OIT, ENSINO RECORRENTE é UP do


EDUCAÇÃO supra, no OCDE é descritor, sugere-se
colocá-lo como TE do supra.
EDUCAÇÃO DE ADULTOS UF
ENSINO RECORRENTE
EDUCAÇÃO EXTRA-ESCOLAR
BT
EDUCAÇÃO PARA A IMAGEM EDUCAÇÃO
USE
SISTEMAS EDUCATIVOS
EDUCAÇÃO PARA OS MÉDIA
RT
EDUCAÇÃO PARA A SAÚDE MENTAL
APERFEIÇOAMENTO PROFISSIONAL
BT
EDUCAÇÃO SANITÁRIA APRENDIZAGEM DE ADULTOS
EDUCAÇÃO PARA A SEGURANÇA RODOVIÁRIA EDUCAÇÃO DE ADULTOS

BT FORMAÇÃO COMPLEMENTAR
ENSINO DAS MEDIDAS DE SEGURANÇA FORMAÇÃO CONTÍNUA
EDUCAÇÃO PARA OS MÉDIA FORMAÇÃO DE ADULTOS
UF
EDUCAÇÃO PARA A IMAGEM FORMAÇÃO PROFISSIONAL CONTÍNUA

  120
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
EDUCAÇÃO PERMANENTE EDUCAÇÃO SANITÁRIA
Utiliza-se no sentido lato para designar BT
qualquer tipo e forma de ensino ou de
formação frequentados por aqueles que EDUCAÇÃO DE BASE
tenham abandonado a educação formal em
qualquer nível, que tenham exercido uma NT
profissão ou que tenham assumido EDUCAÇÃO ALIMENTAR
responsabilidades de adultos (OIT).
EDUCAÇÃO PARA A SAÚDE MENTAL
No OIT, ENSINO RECORRENTE é UP do
supra, no OCDE é descritor, sugere-se RT
colocá-lo como TE do supra.
POLÍTICA DE SAÚDE
UF
EDUCAÇÃO CONTÍNUA SAÚDE
EDUCAÇÃO RECORRENTE EDUCAÇÃO SEXUAL
EDUCAÇÃO POLÍTICA BT
EDUCAÇÃO DE BASE
RT
EDUCAÇÃO CÍVICA EDUCAÇÃO SOCIAL
PARTICIPAÇÃO POLÍTICA Apesar de existir no UNESCO e no TEE,
como UP, sugere-se trocar, porque é mais
EDUCAÇÃO POPULAR comum o uso de EDUCAÇÃO SOCIAL

USE RT
ACTIVIDADES SÓCIO-CULTURAIS ANIMAÇÃO
EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA
BT Educação que leva à aquisição da
NÍVEL DE ENSINO capacidade de estudar as técnicas e suas
aplicações nos processos de produção
UF RT
EDUCAÇÃO PRÉ-PRIMÁRIA TECNOLOGIA
EDUCAÇÃO PRÉ-PRIMÁRIA EDUCAÇÃO-FORMAÇÃO-EMPREGO
USE Termo não descritor na LQS.
USE
EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR
FORMAÇÃO-EMPREGO
EDUCAÇÃO RECORRENTE
EDUCADOR
USE
EDUCAÇÃO PERMANENTE Pessoa que se ocupa de crianças ou de
jovens sem funções de ensino
EDUCAÇÃO RELIGIOSA
RT
ESCOLA CONFESSIONAL

  121
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
EDUCADOR SOCIAL EIRO
Termo não controlado no LQS. Existe no Termo não controlado no LQS e não existe
UNESCO - Animador Comunitário, que se em nenhum tesauro. Pertinente.
pode considerar equivalente, subordinado A designação deste observatório no LQS
a DESENVOLVIMENTO COMUNITÁRIO. não está correcta.
UF
Sugere-se colocar como UP - ANIMADOR
COMUNITÁRIO, EDUCADOR OBSERVATÓRIO EUROPEU DAS RELAÇÕES
INDUSTRIAIS
COMUNITÁRIO
ou então EDUCADOR SOCIAL passar a ELABORAÇÃO DE MEIOS DE ENSINO
UP de um destes descritores.
BT
BT
DIDÁCTICA
DESENVOLVIMENTO COMUNITÁRIO
ELABORAÇÃO DE PROJECTO
RT
ANIMAÇÃO RT
GESTÃO DE PROJECTO
EDUCAÇÃO CÍVICA
PROJECTO DE DESENVOLVIMENTO
PARTICIPAÇÃO NA COMUNIDADE
E-LEARNING
EFECTIVOS ESCOLARES
BT
BT
MÉTODO PEDAGÓGICO
ESCOLARIZAÇÃO
ELECTRÓNICA
EFICÁCIA DA FORMAÇÃO
BT
BT
CIÊNCIAS FÍSICAS
QUALIDADE DA FORMAÇÃO
NT
EFICÁCIA ESCOLAR REDE ELECTRÓNICA
Nível que as escolas atingem no
cumprimento dos seus objectivos RT
educativos ou na concretização das suas INDÚSTRIA ELECTRÓNICA
funções
BT MICROELECTRÓNICA
QUALIDADE DA EDUCAÇÃO
ELECTROTECNIA
RT
NT
RENDIMENTO ESCOLAR TECNOLOGIA
EIRO
Termo não controlado no LQS e não existe
em nenhum tesauro. Pertinente.
A designação deste observatório no LQS
não está correcta.
RT
RELAÇÕES DO TRABALHO

  122
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
ELEGIBILIDADE EMPOWERMENT
Condições que devem reunir as pessoas Processo, que se traduz num acréscimo
inscritas num regime de protecção social de poder - psicológico, sócio-cultural,
para beneficiar das prestações dadas. politico e económico - que permite a
indivíduos, grupos e comunidades de
A subordinação do LQS é por aproximação utilizar em pleno o seu conhecimento,
ao EUROVOC - DIREITOS CÍVICOS, mas energia e aumentar a eficácia do exercício
as relações são do OIT que lhe dá um da sua cidadania.
sentido diferente, ligado à Segurança Termo não controlado na LQS. Existe no
Social. Consta da FORMEI com o sentido UNESCO, CEDEFOP e no FAMThes.
do OIT. Subordinaria a GESTÃO DAS BT
PRESTAÇÕES.
BT DESENVOLVIMENTO HUMANO

GESTÃO DAS PRESTAÇÕES RT


RT AUTO-AJUDA

ADMINISTRAÇÃO DA SEGURANÇA SOCIAL CIDADANIA


LEGISLAÇÃO DE SEGURANÇA SOCIAL DESENVOLVIMENTO COMUNITÁRIO
PRESTAÇÃO SOCIAL DESENVOLVIMENTO PESSOAL
UF EXCLUSÃO SOCIAL
CONDIÇÕES DE ATRIBUIÇÃO
LUTA CONTRA A POBREZA
ELITE
MUDANÇA SOCIAL
Subordinado a Liderança no TEE, a
Estrutura social no LQS. Não descritor no PARTICIPAÇÃO NA COMUNIDADE
EUROVOC par Classe Alta. Sugere-se a
subordinação indicada pelo LQS PARTICIPAÇÃO SOCIAL
BT
ESTRUTURA SOCIAL EMPREENDEDORISMO
UF
EMIGRAÇÃO
CAPACIDADE EMPRESARIAL
BT
MIGRAÇÃO EMPREGABILIDADE
RT Termo não descritor na LQS. Termo
descritor no LQS(2006). No CEDEFOP é
IMIGRAÇÃO EMPREGABILIDADE DOS INDIVÍDUOS
com o mesmo sentido.
EMISSÃO DE TELEVISÃO Consta da FORMEI.
No CEDEFOP é TG - MERCADO DE
Sem subordinação no TEE. Não descritor TRABALHO.
no EUROVOC para Programa audiovisual. BT
Sugere-se esta última opção
USE MERCADO DE TRABALHO

PROGRAMA AUDIOVISUAL QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL

  123
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
EMPREGABILIDADE EMPREGADOR
Termo não descritor na LQS. Termo Termo descritor no VETThes, subordinado
descritor no LQS(2006). No CEDEFOP é a PARCEIROS SOCIAIS, e no
EMPREGABILIDADE DOS INDIVÍDUOS EUROVOC, subordinado a MERCADO DO
com o mesmo sentido. TRABALHO.
Consta da FORMEI. UF
No CEDEFOP é TG - MERCADO DE
TRABALHO. ENTIDADE PATRONAL
RT
ENTIDADES PATRONAIS
AVALIAÇÃO PROFISSIONAL
PATRÃO
DESENVOLVIMENTO DAS COMPETÊNCIAS
PATRONATO
INICIATIVA ADAPT
EMPREGADORES
POLÍTICA DE EMPREGO
Termo descritor na LQS, sem
UF subordinação.
No LQS(2006) já tem subordinação.
APTIDÃO PARA O EMPREGO USE
EMPREGADO EMPREGADOR
Termo descritor no VETThes, subordinado EMPREGADOS
a ESTATUTO PROFISSIONAL, e no
EUROVOC. Termo descritor na LQS, sem
BT subordinação.
Consta da FORMEI.
CATEGORIA SOCIOPROFISSIONAL Pessoa que trabalha para uma entidade
pública ou privada e que recebe uma
UF remuneração sob a forma de salário, soldo,
EMPREGADOS comissões, remuneração à peça ou em
espécie.
EMPREGADO DOS SERVIÇOS PÚBLICOS USE
RT EMPREGADO
SERVIÇOS PÚBLICOS EMPREGO
EMPREGADOR Termo descritor na LQS, no EUROVOC,
ambos sem subordinação, e no VETThes,
Termo descritor no VETThes, subordinado subordinado a TRABALHO.
a PARCEIROS SOCIAIS, e no Consta da FORMEI.
EUROVOC, subordinado a MERCADO DO Trabalho remunerado executado para uma
TRABALHO. entidade patronal ou por conta própria
BT (LQS).

MERCADO DE TRABALHO Modificámos TE - EMPREGO para TA,


que nos parece mais adequado (ISS).
RT
BT
PARCEIRO SOCIAL
TRABALHO
UF
NT
EMPREGADORES
AUTOEMPREGO

  124
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
EMPREGO EMPREGO
Termo descritor na LQS, no EUROVOC, Termo descritor na LQS, no EUROVOC,
ambos sem subordinação, e no VETThes, ambos sem subordinação, e no VETThes,
subordinado a TRABALHO. subordinado a TRABALHO.
Consta da FORMEI. Consta da FORMEI.
Trabalho remunerado executado para uma Trabalho remunerado executado para uma
entidade patronal ou por conta própria entidade patronal ou por conta própria
(LQS). (LQS).

Modificámos TE - EMPREGO para TA, Modificámos TE - EMPREGO para TA,


que nos parece mais adequado (ISS). que nos parece mais adequado (ISS).
NT RT
CESSAÇÃO DE EMPREGO EXPERIÊNCIA DE EMPREGO
CONDIÇÕES DE EMPREGO MERCADO DE TRABALHO
DESEMPREGO MICROEMPRESA
EMPREGO A TEMPO INTEIRO OPORTUNIDADE DE EMPREGO
EMPREGO A TEMPO PARCIAL PASSAGEM À VIDA ACTIVA
EMPREGO DE JOVENS PLENO EMPREGO
EMPREGO DE MIGRANTES POLÍTICA DE EMPREGO
EMPREGO DE MULHERES PROMOÇÃO DO EMPREGO
EMPREGO PRECÁRIO RESPONSABILIDADES FAMILIARES
EMPREGO PROTEGIDO SEGURANÇA DE EMPREGO
EMPREGO RESERVADO SERVIÇO DE EMPREGO
EMPREGO RURAL EMPREGO A TEMPO INTEIRO
EMPREGO SEMI-PROTEGIDO Termo não descritor no EUROVOC para
TRABALHO A TEMPO COMPLETO e
EMPREGO TEMPORÁRIO termo descritor na LQS, sem subordinação,
e no VETThes, subordinado a
CONDIÇÕES DE EMPREGO.
ESTRUTURA DO EMPREGO
RT BT
ANÁLISE DO MERCADO TRABALHO EMPREGO
CONDIÇÃO DE ADMISSÃO AO EMPREGO ESTRUTURA DO EMPREGO
CRESCIMENTO DO EMPREGO UF
EMPREGO PERMANENTE
CRIAÇÃO DE EMPREGO
TRABALHADORES A TEMPO INTEIRO
DUPLO EMPREGO

  125
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
EMPREGO A TEMPO INTEIRO EMPREGO AMEAÇADO
Termo não descritor no EUROVOC para Termo não descritor no EUROVOC para
TRABALHO A TEMPO COMPLETO e SEGURANÇA DO EMPREGO.
termo descritor na LQS, sem subordinação, USE
e no VETThes, subordinado a
CONDIÇÕES DE EMPREGO. SEGURANÇA DE EMPREGO

UF EMPREGO COMPETITIVO
TRABALHO A TEMPO COMPLETO Termo descritor na LQS e no VETThes,
ambos subordinados a CONDIÇÕES DE
TRABALHO A TEMPO INTEIRO EMPREGO.
Emprego onde o deficiente executa o seu
EMPREGO A TEMPO PARCIAL trabalho em condições semelhantes às
dos seus colegas válidos e se sujeita às
Termo descritor no VETThes, subordinado mesmas normas, regulamentos e sistemas
a CONDIÇÕES DE EMPREGO, e na de remuneração (LQS).
LQS. Termo não descritor no EUROVOC BT
para TRABALHO A TEMPO PARCIAL.
Consta da FORMEI. EMPREGO DE DEFICIENTES
Trabalho exercido voluntariamente e com
regularidade durante menos horas que as UF
normais de trabalho (LQS). EMPREGO ABERTO

BT EMPREGO COMPULSIVO
EMPREGO Termo descritor na LQS, sem
subordinação.
TRABALHO ATÍPICO Obrigatoriedade da empresa admitir, em
condições idênticas às dos outros
UF trabalhadores, determinada percentagem
MEIO-TEMPO de trabalhadores desfavorecidos tais como
deficientes, refugiados, etc.
TRABALHADORES A TEMPO PARCIAL BT
POLÍTICA DE EMPREGO
TRABALHO A MEIO-TEMPO
EMPREGO DE DEFICIENTES
TRABALHO A TEMPO PARCIAL
Termo pária.
TRABALHO EM PART-TIME UF
TRABALHADORES DEFICIENTES
EMPREGO ABERTO
Termo não descritor na LQS. BT
USE ESTRUTURA DO EMPREGO
EMPREGO COMPETITIVO NT
EMPREGO AGRÍCOLA EMPREGO COMPETITIVO
Termo descritor na LQS. EMPREGO PROTEGIDO
Emprego nas actividades agrícolas nas
regiões rurais. EMPREGO SEMI-PROTEGIDO
BT
EMPREGO RURAL

  126
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
EMPREGO DE JOVENS EMPREGO DE MIGRANTES
Termo descritor na LQS e no VETThes, Termo descritor na LQS, sem
ambos subordinados a EMPREGO. subordinação, e no VETThes, subordinado
Consta da FORMEI. a EMPREGO.
BT UF
EMPREGO TRABALHADORES COMUNITÁRIOS
ESTRUTURA DO EMPREGO TRABALHADORES ESTRANGEIROS
RT TRABALHADORES ESTRANGEIROS
JUVENTUDE
TRABALHADORES EXPATRIADOS
TRABALHO INFANTIL
TRABALHADORES EXPATRIADOS
UF
TRABALHADORES IMIGRADOS
EMPREGO DOS JOVENS
TRABALHADORES MIGRANTES
JOVEM TRABALHADOR
TRABALHADORES MIGRANTES
TRABALHADORES JOVENS
EMPREGO DE MULHERES
TRABALHADORES JOVENS
Termo descritor na LQS e no VETThes,
TRABALHO DE JOVENS ambos subordinados a EMPREGO.
Consta da FORMEI.
TRABALHO DOS JOVENS
TRABALHADORA no CEDEFOP não tem
EMPREGO DE LICENCIADOS o mesmo significado do supra (ISS).
BT
Termo descritor no VETThes, subordinado
a EMPREGO. EMPREGO
BT
ESTRUTURA DO EMPREGO
ESTRUTURA DO EMPREGO
RT
EMPREGO DE MIGRANTES CONDIÇÃO FEMININA
Termo descritor na LQS, sem
subordinação, e no VETThes, subordinado DESEMPREGO DE MULHERES
a EMPREGO.
BT DIREITOS DA MULHER
EMPREGO IGUALDADE DE OPORTUNIDADES
ESTRUTURA DO EMPREGO IGUALDADE DE OPORTUNIDADES NO EMPREGO
UF
MULHER
MÃO-DE-OBRA ESTRANGEIRA
MULHER MIGRANTE
TRABALHADOR EMIGRANTE
PROFISSÃO FEMININA
TRABALHADOR INTRACOMUNITÁRIO
TRABALHADORAS

  127
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
EMPREGO DE MULHERES EMPREGO FEMININO
Termo descritor na LQS e no VETThes, Termo não descritor no EUROVOC para
ambos subordinados a EMPREGO. TRABALHO FEMININO.
Consta da FORMEI. USE

TRABALHADORA no CEDEFOP não tem EMPREGO DE MULHERES


o mesmo significado do supra (ISS).
UF EMPREGO FLUTUANTE
ACTIVIDADE FEMININA Termo descritor na LQS, sem
subordinação.
EMPREGO FEMININO É por exemplo: o emprego temporário, o
emprego a tempo parcial, o emprego
MÃO-DE-OBRA FEMININA partilhado, etc.
USE
MULHER TRABALHADORA TRABALHO ATÍPICO
MULHERES TRABALHADORAS EMPREGO GARANTIDO
TRABALHO DE MULHERES Termo não descritor no EUROVOC para
SEGURANÇA DO EMPREGO.
TRABALHO FEMININO USE
SEGURANÇA DE EMPREGO
EMPREGO DE QUADROS
Termo descritor na LQS, sem EMPREGO ILEGAL
subordinação. Termo não descritor no VETThes para
BT TRABALHO NEGRO.
ESTRUTURA DO EMPREGO BT
ESTRUTURA DO EMPREGO
EMPREGO DOS JOVENS
Termo não descritor no EUROVOC para UF
TRABALHO DOS JOVENS. TRABALHADORES CLANDESTINOS
USE
EMPREGO DE JOVENS TRABALHO A NEGRO
EMPREGO EM ENCLAVE TRABALHO CLANDESTINO

Termo descritor na LQS. TRABALHO ILEGAL


Modalidade de emprego semi-protegido
segundo a qual os trabalhadores TRABALHO NEGRO
deficientes estão integrados em enclaves
num ambiente de trabalho normal e no TRÁFICO DE MÃO-DE-OBRA
mercado de trabalho corrente.
BT EMPREGO INTERINO
EMPREGO SEMI-PROTEGIDO Termo não descritor no EUROVOC para
TRABALHO TEMPORÁRIO.
USE
EMPREGO TEMPORÁRIO

  128
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
EMPREGO NÃO AGRÍCOLA EMPREGO PRECÁRIO
Termo descritor na LQS. Termo não descritor na LQS para
Emprego nas actividades não agrícolas TRABALHO ATÍPICO, no EUROVOC para
nas regiões rurais. SEGURANÇA DO EMPREGO, e no
BT VETThes.
Consta da FORMEI.
EMPREGO RURAL Relação de emprego onde falta um dos
elementos principais do contrato de
EMPREGO NÃO TRADICIONAL trabalho. Este termo compreende os
contratos de trabalho de a termo, o
Termo não descritor no VETThes para emprego intermitente, trabalho ao domicílio
PROFISSÕES NÃO TRADICIONAIS. e a subcontratação.
USE Este termo existe no OIT e consta da
PROFISSÃO NÃO TRADICIONAL FORMEI. Sugere-se subordiná-lo a
POLÍTICA DE EMPREGO, por
EMPREGO PERMANENTE aproximação ao EUROVOC, sugere-se
outra subordinação e relações. (ISS)
Termo não descritor no EUROVOC para BT
TRABALHO A TEMPO COMPLETO.
Termo descritor no VETThes, subordinado EMPREGO
a CONDIÇÕES DE EMPREGO.
POLÍTICA DE EMPREGO
USE
RT
EMPREGO A TEMPO INTEIRO DESPEDIMENTO
EMPREGO POR CONTA PRÓPRIA EMPREGO TEMPORÁRIO
Termo descritor do VETThes, subordinado
a CONDIÇÕES DE EMPREGO. EMPREGO PROTEGIDO
UF Termo descritor na LQS, subordinado a
EMPREGO e no VETThes, subordinado a
AUTOEMPREGO CONDIÇÕES DE EMPREGO. Termo não
descritor no EUROVOC para EMPREGO
BT RESERVADO.
Consta da FORMEI.
ESTRUTURA DO EMPREGO Emprego para deficientes que, por motivo
da natureza ou gravidade da sua
UF deficiência, não estão em condições de
TRABALHO INDEPENDENTE ocupar um posto de trabalho nas
condições normais de emprego
TRABALHO POR CONTA PRÓPRIA competitivo (LQS).
No OIT, EMPREGO PROTEGIDO e
EMPREGO RESERVADO tem diferentes
significados Não concordamos que
EMPREGO DE DEFICIENTES seja TG,
nem se encontra em nenhum tesauro(ISS).

BT
CONDIÇÕES DE EMPREGO
EMPREGO
EMPREGO DE DEFICIENTES

  129
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
EMPREGO PROTEGIDO EMPREGO RURAL
Termo descritor na LQS, subordinado a Termo descritor na LQS, subordinado a
EMPREGO e no VETThes, subordinado a EMPREGO.
CONDIÇÕES DE EMPREGO. Termo não BT
descritor no EUROVOC para EMPREGO
RESERVADO. EMPREGO
Consta da FORMEI.
Emprego para deficientes que, por motivo ESTRUTURA DO EMPREGO
da natureza ou gravidade da sua
deficiência, não estão em condições de NT
ocupar um posto de trabalho nas EMPREGO AGRÍCOLA
condições normais de emprego
competitivo (LQS).
No OIT, EMPREGO PROTEGIDO e EMPREGO NÃO AGRÍCOLA
EMPREGO RESERVADO tem diferentes
significados Não concordamos que RT
EMPREGO DE DEFICIENTES seja TG, ZONA RURAL
nem se encontra em nenhum tesauro(ISS).
EMPREGO SAZONAL
RT
Termo não descritor na LQS.
LOCAL DE TRABALHO USE
OFICINA PROTEGIDA TRABALHO SAZONAL
TRABALHADORES DEFICIENTES EMPREGO SEMI-PROTEGIDO
Termo descritor na LQS, sem
EMPREGO REGIONAL subordinação.
Termo não descritor no VETThes. Emprego de deficientes integrados no
mercado de trabalho, mas em condições
USE particulares.
MERCADO DE TRABALHO REGIONAL BT
EMPREGO RESERVADO EMPREGO

Termo descritor na LQS, subordinado a EMPREGO DE DEFICIENTES


EMPREGO, e no EUROVOC, subordinado
a POLÍTICA DO EMPREGO. NT
Política de emprego assente no princípio EMPREGO EM ENCLAVE
de que certas tarefas são particularmente
adequadas a deficientes e devem, por
isso, ser reservadas para eles. Não EMPREGO TEMPORÁRIO
confundir com Reserva de postos de Termo descritor no VETThes, subordinado
trabalho especiais (LQS). a CONDIÇÕES DE EMPREGO, e na LQS.
BT Termo não descritor no EUROVOC para
EMPREGO TRABALHO TEMPORÁRIO.
Consta da FORMEI.
POLÍTICA DE EMPREGO BT
EMPREGO
TRABALHO ATÍPICO

  130
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
EMPREGO TEMPORÁRIO EMPREGO-FAMÍLIA
Termo descritor no VETThes, subordinado Termo não controlado no LQS(2006).
a CONDIÇÕES DE EMPREGO, e na LQS. Consta da FORMEI. O único tesauro onde
Termo não descritor no EUROVOC para aparece é na OIT, como não descritor:
TRABALHO TEMPORÁRIO. TRABALHO E FAMÍLIA, que remete para
Consta da FORMEI. RESPONSABILIDADES FAMILIARES.

RT Optamos por colocar este termo do LQS


como UP de um outro termo candidato, à
EMPREGO PRECÁRIO semelhança do OIT - CONCILIAÇÃO
TRABALHO-VIDA FAMILIAR.
UF
EMPREGO INTERINO
TRABALHADOR TEMPORÁRIO
EMPRESA
TRABALHADORES INTERINOS
Tem como termo de topo no EUROVOC -
TRABALHADORES PROVISÓRIOS TIPOS DE EMPRESA
NT
TRABALHADORES TEMPORÁRIOS CONCORRÊNCIA
TRABALHO TEMPORÁRIO EMPRESA AGRÍCOLA
EMPREGO TÍPICO EMPRESA ARTESANAL
Termo descritor na LQS, sem
subordinação. EMPRESA COMERCIAL
Refere-se às situações de emprego
regidas pelas normas legais, EMPRESA DE INSERÇÃO
convencionais e consuetudinárias.
BT EMPRESA EM PARTICIPAÇÃO
ESTRUTURA DO EMPREGO EMPRESA ESTRANGEIRA
EMPREGO URBANO EMPRESA EUROPEIA
Termo descritor na LQS, sem
subordinação. EMPRESA FAMILIAR
BT
ESTRUTURA DO EMPREGO EMPRESA INDIVIDUAL
EMPREGO VAGO EMPRESA INDUSTRIAL

Termo descritor na LQS, na forma plural, EMPRESA MISTA


sem subordinação.
UF EMPRESA MULTINACIONAL
LUGAR VAGO EMPRESA NACIONAL
BT EMPRESA PRIVADA
SERVIÇO DE EMPREGO
EMPRESA PÚBLICA
ORGANIZAÇÃO DA EMPRESA

  131
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
EMPRESA EMPRESA COMERCIAL
Tem como termo de topo no EUROVOC - BT
TIPOS DE EMPRESA
EMPRESA
NT
TIPOS DE EMPRESA RT
ECONOMIA INFORMAL
RT
CRIAÇÃO DE EMPRESAS EMPRESA COMUM
DESENVOLVIMENTO ECONÓMICO USE
EMPRESA EM PARTICIPAÇÃO
DIMENSÃO DA EMPRESA
EMPRESA COMUNITÁRIA
EMPRESA-UNIVERSIDADE
USE
ESCOLA-EMPRESA EMPRESA EUROPEIA
ESTRUTURA EMPRESARIAL EMPRESA DE INSERÇÃO
ESTRUTURA INDUSTRIAL Empresas de produção de bens e serviços
comerciais cuja actividade está
FORMAÇÃO ENTRE EMPRESAS especificamente organizada para facilitar a
reinserção (com serviços de inserção e
FORMAÇÃO NA EMPRESA formação profissional, subvencionadas
pelos poderes públicos) pelo exercício de
uma actividade económica.
GESTÃO DE EMPRESAS No LQS(2006) não está controlado. Só
existe no EUROVOC.
GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS No LQS(2001) é não descritor e remete
para EMPRESA INTERMÉDIA, termo não
MICROECONOMIA vulgarizado.
BT
POLÍTICA DA EMPRESA
EMPRESA
PRODUÇÃO RT
SOCIEDADE ACESSO AO EMPREGO
SUBCONTRATAÇÃO INICIATIVA LOCAL DE EMPREGO
EMPRESA AGRÍCOLA INSERÇÃO PROFISSIONAL
BT MERCADO SOCIAL DE EMPREGO
EMPRESA
UF
RT EMPRESA INTERMÉDIA
TRABALHADORES AGRÍCOLAS
EMPRESA ARTESANAL
BT
EMPRESA

  132
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
EMPRESA DE TRABALHO TEMPORÁRIO EMPRESA FAMILIAR
Termo descritor no EUROVOC, RT
subordinado a MERCADO DO TRABALHO.
MÃO-DE-OBRA FAMILIAR
BT PEQUENA INDÚSTRIA
MERCADO DE TRABALHO
TRABALHO INFANTIL
SERVIÇO DE EMPREGO PRIVADO
EMPRESA INDIVIDUAL
RT
BT
SERVIÇO DE EMPREGO
EMPRESA
UF
AGÊNCIAS DE TRABALHO TEMPORÁRIO EMPRESA INDUSTRIAL
BT
EMPRESAS DE TRABALHO TEMPORÁRIO EMPRESA
EMPRESA EM PARTICIPAÇÃO RT
BT AGRO-INDÚSTRIA
EMPRESA
ESTRUTURA INDUSTRIAL
UF
EMPRESA COMUM GESTÃO INDUSTRIAL
JOINT VENTURE INDÚSTRIA
EMPRESA ESTRANGEIRA INVESTIMENTO INDUSTRIAL

BT LOCALIZAÇÃO INDUSTRIAL
EMPRESA PRODUÇÃO INDUSTRIAL
EMPRESA EUROPEIA EMPRESA INTERMÉDIA
BT USE
EMPRESA EMPRESA DE INSERÇÃO
UF EMPRESA MISTA
EMPRESA COMUNITÁRIA
BT
EMPRESA FAMILIAR EMPRESA
BT EMPRESA MULTINACIONAL
EMPRESA
BT
RT EMPRESA
ECONOMIA INFORMAL
FAMÍLIA

  133
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
EMPRESA NACIONAL EMPRESÁRIO
BT Termo descritor no EUROVOC, no domínio
EMPRESA EMPRESAS E CONCORRÊNCIA, e no
VETThes.
Pessoa que assume os riscos de criar e
EMPRESA NACIONALIZADA de gerir uma empresa (EUROVOC).
USE BT
EMPRESA PÚBLICA ESTATUTO PROFISSIONAL
EMPRESA PRIVADA RT
CRIAÇÃO DE EMPRESAS
BT
EMPRESA UF
EMPRESÁRIOS
RT
ECONOMIA DE MERCADO EMPRESÁRIOS
EMPRESA PÚBLICA Termo descritor na LQS, sem
subordinação.
ORGANIZAÇÃO SEM FINS LUCRATIVOS Consta da FORMEI.
USE
PARCERIA PÚBLICO-PRIVADO EMPRESÁRIO
SECTOR PRIVADO EMPRESAS DE TRABALHO TEMPORÁRIO
EMPRESA PÚBLICA Termo descritor na LQS, subordinado a
SERVIÇOS DE EMPREGO.
BT USE
EMPRESA EMPRESA DE TRABALHO TEMPORÁRIO
RT EMPRESA-UNIVERSIDADE
ECONOMIA PÚBLICA No LQS, há descritores que têm a relação
EMPRESA PRIVADA por extenso. É preciso uniformidade.

Neste caso é descritor RELAÇÃO


ORGANISMO PÚBLICO EMPRESA-UNIVERSIDADE. Mas por
exemplo Relação Escola-Empresa do
PARTICIPAÇÃO DO ESTADO CEDEFOP, no LQS é ESCOLA-EMPRESA.

PRIVATIZAÇÃO RT
SECTOR PÚBLICO EMPRESA
SERVIÇOS PÚBLICOS EMPRÉSTIMO
BT
UF
EMPRESA NACIONALIZADA RECURSOS FINANCEIROS
NT
EMPRÉSTIMO A ESTUDANTES

  134
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
EMPRÉSTIMO A ESTUDANTES ENDIVIDAMENTO
BT BT
EMPRÉSTIMO EMPRÉSTIMO CONTRAÍDO
EMPRÉSTIMO COMUNITÁRIO RT
Termo do LQS, que podemos adoptar. No CRÉDITO
EUROVOC é descritor EMPRÉSTIMO
COMUNITÁRIO CONCEDIDO, pelo que ENERGIA
este termo deverá ir para UP.
NT
RT
ENERGIA ELÉCTRICA
AJUDA COMUNITÁRIA
ENERGIA NUCLEAR
SISTEMA MONETÁRIO EUROPEU
POLÍTICA ENERGÉTICA
UF
EMPRÉSTIMO COMUNITÁRIO CONCEDIDO RT
ECONOMIA DE ENERGIA
EMPRÉSTIMO COMUNITÁRIO CONCEDIDO
Termo do EUROVOC. No LQS é ENERGIA ELÉCTRICA
EMPRÉSTIMO COMUNITÁRIO, sugere-se BT
optar por este, colocando o supra em UP.
ENERGIA
USE
EMPRÉSTIMO COMUNITÁRIO ENERGIA NUCLEAR
BT
EMPRÉSTIMO CONTRAÍDO ENERGIA
Não existe no LQS.
NT ENFERMEIRO
ENDIVIDAMENTO Termo não descritor no VETThes para
ENFERMEIRA, no domínio
EMPRÉSTIMO INTERNACIONAL PROFISSÕES, e no EUROVOC para
PESSOAL DE ENFERMAGEM no domínio
Termo não existente no LQS. QUESTÕES SOCIAIS.
RT Consta da FORMEI, no género feminino e
na forma plural.
AJUSTAMENTO ESTRUTURAL CNP (versão 1994, 2.ª ed., 2001)
2.2.3.0.05: programa, executa e avalia
ENCARGO FAMILIAR cuidados gerais de enfermagem,
requeridos pelo estado de saúde do
Sugere-se subordinação do EUROVOC indivíduo, família e comunidade, no âmbito
BT da patologia, prevenção, tratamento e
FAMÍLIA reabilitação da doença e do tipo de
intervenção do serviço.
ENCERRAMENTO DA EMPRESA BT
Sugere-se subordinação ao termo de topo CLASSIFICAÇÃO DAS PROFISSÕES
do EUROVOC.
BT
ORGANIZAÇÃO DA EMPRESA

  135
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
ENGENHARIA ENSINO
Termo UP no EUROVOC. No OIT é NT
descritor mas no sentido da documentação
sobre engenharia. Sugere-se remeter para ENSINO INICIAL
Tecnologia.
ENSINO NO ESTRANGEIRO
USE
TECNOLOGIA ENSINO OBRIGATÓRIO
ENGENHARIA CIVIL NÍVEL DE ENSINO
Seguiu-se a hierarquia prevista no ORGANIZAÇÃO DO ENSINO
EUROVOC
BT TÉCNICA DE ENSINO
OBRAS PÚBLICAS
RT
RT DISCIPLINAS
INFRAESTRUTURA
EDUCAÇÃO
ENGENHARIA DA FORMAÇÃO
FORMAÇÃO
USE
ADMINISTRAÇÃO DA FORMAÇÃO MEIOS DE ENSINO
ENGENHARIA DE COMPETÊNCIAS MÉTODO DE ENSINO
USE MÉTODO PEDAGÓGICO
ADMINISTRAÇÃO DA FORMAÇÃO
POLÍTICA DE EDUCAÇÃO
ENGENHARIA MECÂNICA
PROGRAMA DE ENSINO
Termo não contemplado nos outros
thesauri consultados. Sugere-se a QUALIDADE DO ENSINO
subordinação a Tecnologia (EUROVOC)
UF
INSTRUÇÃO
ENGENHEIRO ENSINO A DISTÂNCIA
Termo descritor no VETThes, subordinado BT
a ESTATUTO PROFISSIONAL, e no
EUROVOC, no domínio INDÚSTRIA. EDUCAÇÃO

RT
BT
FORMAÇÃO A DISTÂNCIA
PROFISSÃO TÉCNICA
RÁDIO EDUCATIVA
ENRIQUECIMENTO DAS FUNÇÕES
RT TELECOMUNICAÇÕES
SATISFAÇÃO NO TRABALHO TELEVISÃO EDUCATIVA

  136
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
ENSINO A DISTÂNCIA ENSINO BÁSICO
UF Período que concerne aos primeiros nove
TELESCOLA anos de escolaridade obrigatória.

No EUROVOC tem outra subordinação -


ENSINO À DISTÂNCIA NÍVEL DE ENSINO, que concorda com a
BT subordinação da faceta do OIT.(ISS)
RT
MÉTODO PEDAGÓGICO
ESCOLA
ENSINO AGRÍCOLA
UF
Não descritor no TEE, subordinado a ENSINO PREPARATÓRIO
Educação no LQS, subordinado a Ensino
profissional no EUROVOC. Sugere-se a
adopção deste último ENSINO PRIMÁRIO
BT
ENSINO BILINGUE
ENSINO PROFISSIONAL
BT
ENSINO ASSISTIDO POR COMPUTADOR EDUCAÇÃO INTERCULTURAL
No EUROVOC este termo é UP de RT
ENSINO INFORMATIZADO, parece-nos
preferível, colocando o termo supra como BILINGUISMO
UP.
USE ENSINO COMERCIAL
ENSINO INFORMATIZADO USE
ENSINO AUDIOVISUAL FORMAÇÃO COMERCIAL

USE ENSINO CORRECTIVO


MÉTODO AUDIOVISUAL USE
ENSINO AUTOMATIZADO ENSINO DE RECUPERAÇÃO

BT ENSINO DAS MEDIDAS DE SEGURANÇA


AUTODIDÁCTICA NT
ENSINO BÁSICO EDUCAÇÃO PARA A SEGURANÇA RODOVIÁRIA

Período que concerne aos primeiros nove ENSINO DE LÍNGUAS


anos de escolaridade obrigatória.
Sem subordinação no TEE. Subordinado a
No EUROVOC tem outra subordinação - Ensino geral no EUROVOC. Segue-se
NÍVEL DE ENSINO, que concorda com a este último
subordinação da faceta do OIT.(ISS) BT
BT ENSINO GERAL
EDUCAÇÃO NT
NÍVEL DE ENSINO APRENDIZAGEM DE LÍNGUAS
RT ESCRITA
EDUCAÇÃO DE BASE

  137
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
ENSINO DE LÍNGUAS ENSINO GERAL
Sem subordinação no TEE. Subordinado a Ensino que, na escolha das matérias, não
Ensino geral no EUROVOC. Segue-se implica qualquer tipo de especialização e
este último que não confere aos alunos qualquer
NT formação específica
EXPRESSÃO ESCRITA BT
EDUCAÇÃO
EXPRESSÃO ORAL
SISTEMA DE ENSINO
LEITURA
NT
LÍNGUA ESTRANGEIRA EDUCAÇÃO ARTÍSTICA
LÍNGUA MATERNA EDUCAÇÃO CÍVICA
ENSINO DE RECUPERAÇÃO ENSINO DE LÍNGUAS
Métodos específicos de ensino utilizados
para compensar diversos tipos de atraso ENSINO GRATUITO
nos estudos BT
BT
PRINCIPIOS DE EDUCAÇÃO
MÉTODO DE ENSINO
ENSINO INDIVIDUALIZADO
RT
DEFICIENTE MENTAL BT
MÉTODO DE ENSINO
UF
ENSINO CORRECTIVO ENSINO INDUSTRIAL
USE
ENSINO EM EQUIPA
ENSINO TÉCNICO
BT
MÉTODO DE ENSINO ENSINO INFORMATIZADO
BT
ENSINO ESPECIAL
MÉTODO PEDAGÓGICO
UF
EDUCAÇÃO ESPECIAL UF
ENSINO ASSISTIDO POR COMPUTADOR
ENSINO EXPERIMENTAL
ENSINO INICIAL
RT
MÉTODO PEDAGÓGICO BT
ENSINO
ENSINO NO ESTRANGEIRO
BT
ENSINO

  138
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
ENSINO NOCTURNO ENSINO PÓS-SECUNDÁRIO
Termo genérico para todas as formas de
ensino terciário
BT
ENSINO OBRIGATÓRIO ESCOLARIDADE PÓS-OBRIGATÓRIA
Seguiu-se a subordinação do CEDEFOP NT
(ISS).
BT ENSINO SUPERIOR
ADMINISTRAÇÃO DA EDUCAÇÃO ENSINO PREPARATÓRIO
ENSINO USE
ENSINO BÁSICO
RT
ALFABETIZAÇÃO ENSINO PRIMÁRIO
ENSINO OFICIAL USE
ENSINO BÁSICO
BT
PRINCIPIOS DE EDUCAÇÃO ENSINO PROFISSIONAL
ENSINO PARAMÉDICO Formação profissional dada numa escola
ou instituição pública ou privada
BT
EDUCAÇÃO
ENSINO PARTICULAR SISTEMA DE ENSINO
BT NT
EDUCAÇÃO ENSINO AGRÍCOLA
PRINCIPIOS DE EDUCAÇÃO FORMAÇÃO PARA A GESTÃO
RT RT
ESCOLA PARTICULAR DESENVOLVIMENTO DOS RECURSOS HUMANOS
ENSINO POLITÉCNICO ESCOLA PROFISSIONAL

FORMAÇÃO PROFISSIONAL
ENSINO PROGRAMADO
ENSINO POR CORRESPONDÊNCIA
BT
UF
AUTODIDÁCTICA
ESCOLA POR CORRESPONDÊNCIA
NT
PROGRAMA LINEAR
PROGRAMA RAMIFICADO

  139
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
ENSINO PROGRAMADO ENSINO TELEVISIVO
RT BT
AUTOFORMAÇÃO MÉTODO AUDIOVISUAL
FORMAÇÃO INDIVIDUAL RT
TELEVISÃO EDUCATIVA
ENSINO PÚBLICO
BT ENTIDADE DE FORMAÇÃO
EDUCAÇÃO Termo genérico que compreende qualquer
organismo ou instituição que dispensa
ENSINO RECORRENTE formação profissional.
Sem subordinação no LQS. Subordinado a
Política de formação no CEDEFOP.
Sugere-se a adopção desta última. No
LQS(2006) já está subordinado a
POLÍTICA DE FORMAÇÃO.
ENSINO SECUNDÁRIO BT
BT POLÍTICA DE FORMAÇÃO
EDUCAÇÃO
NT
ENSINO SUPERIOR CENTRO DE FORMAÇÃO
BT
ESCOLA PROFISSIONAL
EDUCAÇÃO
RT
ENSINO PÓS-SECUNDÁRIO ACREDITAÇÃO
NT
CEDEFOP
ESTUDOS UNIVERSITÁRIOS
ESTABELECIMENTO DE ENSINO
RT
TESE FORMAÇÃO PROFISSIONAL
UNIVERSIDADE ENTIDADE PATRONAL
ENSINO TÉCNICO Termo não descritor no VETThes.
USE
BT EMPREGADOR
SISTEMA DE ENSINO
ENTIDADES PATRONAIS
RT
Termo não descritor na LQS para
TÉCNICO EMPREGADORES.
USE
UF
ENSINO INDUSTRIAL EMPREGADOR
FORMAÇÃO INDUSTRIAL ENTRADA NA ESCOLA
BT
ADMINISTRAÇÃO DA EDUCAÇÃO

  140
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
ENTRADA NA ESCOLA ENVELHECIMENTO
NT RT
ESCOLHA DA ESCOLA PESSOA IDOSA
FREQUÊNCIA EQUILÍBRIO ECONÓMICO
MATRÍCULA RT
DISTRIBUIÇÃO DA RIQUEZA
SELECÇÃO
TEORIA ECONÓMICA
ENTRADA NA VIDA ACTIVA
EQUIPAGEM
Termo não descritor no EUROVOC e na
LQS. Termo não descritor no EUROVOC.
USE
INSERÇÃO PROFISSIONAL
ENTREVISTA EQUIPAMENTO COLECTIVO
Sem subordinação no LQS. Sugere-se Este termo no LQS está como UP de
subordinação a RECOLHA DE DADOS, EQUIPAMENTO SOCIAL. Não tem o
segundo faceta do OIT. mesmo significado, pelo que deveria ser
BT retirado.
RECOLHA DE DADOS RT
EQUIPAMENTO SOCIAL
NT
ENTREVISTA DE EMPREGO EQUIPAMENTO DE ESCRITÓRIO
RT No EUROVOC existe Máquina de
escritório. Sugere-se o uso deste termo
INQUÉRITO como descritor.
USE
METODOLOGIA MÁQUINA DE ESCRITÓRIO
QUESTIONÁRIO EQUIPAMENTO EDUCATIVO
TRABALHO DE CAMPO Este termo isolado só aparece no TEE. No
LQS, no CEDEFOP surge Equipamento
ENTREVISTA DE EMPREGO educativo e no EUROVOC o mesmo mas
como não descritor de Material de ensino.
Termo descritor na LQS, na forma plural, Sugere-se este último como mais
subordinado a ENTREVISTAS. adequado.
Consta da FORMEI, com o núcleo na
forma plural. Este termo no EUROVOC é UP e remete
BT para MATERIAL DE ENSINO.(ISS)
ENTREVISTA USE
MATERIAL DE ENSINO
SERVIÇO DE EMPREGO
MATERIAL DIDÁCTICO

  141
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
EQUIPAMENTO INDUSTRIAL EQUIPAMENTO SOCIAL
RT Designa as instalações postas à
INDÚSTRIA disposição da população nas
colectividades rurais ou urbanas, com
exclusão dos serviços públicos e das
EQUIPAMENTO INFORMÁTICO infraestruturas dos transportes quer
NT dependam do Governo ou do sector
privado.
COMPUTADOR
As relações de subordinação e
EQUIPAMENTO PEDAGÓGICO associativas foram criadas, para além dos
tesauros.
Não existe no LQS. NT
USE
LAR PARA IDOSOS
MATERIAL DE ENSINO
LAR PARA PESSOAS COM DEFICIÊNCIA
EQUIPAMENTO SOCIAL
Designa as instalações postas à LAR RESIDENCIAL
disposição da população nas
colectividades rurais ou urbanas, com RESIDÊNCIA PARA IDOSOS
exclusão dos serviços públicos e das
infraestruturas dos transportes quer SERVIÇOS DE GUARDA DE CRIANÇAS
dependam do Governo ou do sector
privado. UNIDADE DE APOIO INTEGRADO

As relações de subordinação e UNIDADE DE VIDA APOIADA


associativas foram criadas, para além dos
tesauros. UNIDADE DE VIDA AUTÓNOMA
BT
ACÇÃO SOCIAL UNIDADE DE VIDA PROTEGIDA
NT RT
CENTRO COMUNITÁRIO COMUNIDADE
CENTRO DE ACOLHIMENTO TEMPORÁRIO CRIANÇA
CENTRO DE ACTIVIDADES OCUPACIONAIS EQUIPAMENTO COLECTIVO
CENTRO DE DIA FAMÍLIA
CENTRO DE NOITE PESSOA COM DEFICIÊNCIA
COMUNIDADE DE INSERÇÃO PESSOA COM DEPENDÊNCIA
ESTABELECIMENTO DE EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR PESSOA IDOSA
FORUM SÓCIO-OCUPACIONAL PESSOA SEM ABRIGO
LAR DE APOIO SERVIÇOS PÚBLICOS

LAR PARA CRIANÇAS E JOVENS

  142
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
EQUIPAMENTO SÓCIO-EDUCATIVO ERIC
USE Educational Resources Information Center
ACTIVIDADES SÓCIO-CULTURAIS BT
SERVIÇO DE INFORMAÇÃO
EQUITAÇÃO
EROSÃO DAS COMPETÊNCIAS
BT
DESPORTO Termo não descritor na LQS para
QUALIFICAÇÕES OBSOLETAS.
EQUIVALÊNCIA USE
BT QUALIFICAÇÃO OBSOLETA

CARREIRA ESCOLAR ERRO


RT BT
MOBILIDADE DOS PROFESSORES INSUCESSO
EQUIVALÊNCIA DE DIPLOMAS ESCASSEZ DE MÃO-DE-OBRA
BT Termo descritor na LQS, sem
subordinação, no VETThes, subordinado a
CERTIFICAÇÃO DE COMPETÊNCIAS NECESSIDADES DE MÃO-DE-OBRA, e
no EUROVOC.
POLÍTICA DE EDUCAÇÃO Situação em que o número de pessoas à
procura de emprego é inferior à oferta
RT (EUROVOC).
QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL BT
NECESSIDADE DE MÃO-DE-OBRA
ERGONOMIA
Estudo científico das relações entre o RT
homem e o seu ambiente de trabalho com MERCADO DE TRABALHO
o objectivo de obter o máximo de
produtividade com um mínimo de esforço, UF
fadiga ou desconforto
ESCASSEZ DE PESSOAL
BT
CONDIÇÕES DE TRABALHO FALTA DE PESSOAL
NT ESCASSEZ DE PESSOAL
FISIOLOGIA DO TRABALHO Termo não descritor no EUROVOC.
USE
HUMANIZAÇÃO DO TRABALHO
ESCASSEZ DE MÃO-DE-OBRA
RT
AMBIENTE DE TRABALHO ESCASSEZ DE PESSOAL QUALIFICADO
Termo descritor no VETThes, subordinado
UF a NECESSIADES DE MÃO-DE-OBRA.
ADAPTAÇÃO DO TRABALHO AO HOMEM
BT
NECESSIDADE DE MÃO-DE-OBRA

  143
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
ESCOLA ESCOLA
BT NT
ESTABELECIMENTO DE ENSINO JARDIM DE INFÂNCIA
NT RT
ESCOLA ALTERNATIVA ENSINO BÁSICO
ESCOLA BÁSICA ESCOLARIDADE
ESCOLA CONFESSIONAL JOVEM EM FIM DE ESCOLARIDADE
ESCOLA DE DANÇA MEIO ESCOLAR
ESCOLA DE MÚSICA ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA
ESCOLA ESTRANGEIRA PASSAGEM À VIDA ACTIVA
ESCOLA EUROPEIA ESCOLA AGRÍCOLA
ESCOLA EXPERIMENTAL BT
ESCOLA PROFISSIONAL
ESCOLA FEMININA
RT
ESCOLA INTERNACIONAL FORMAÇÃO AGRÍCOLA
ESCOLA MASCULINA ESCOLA ALTERNATIVA
ESCOLA MILITAR Utiliza concepções pedagógicas distintas
das aplicadas nas escolas oficiais
ESCOLA MISTA BT
ESCOLA PAGA ESCOLA
ESCOLA PARTICULAR ESCOLA BÁSICA
BT
ESCOLA PILOTO
ESCOLA
ESCOLA PÚBLICA UF
ESCOLA RURAL ESCOLA PRIMÁRIA
ESCOLA SECUNDÁRIA ESCOLA CONFESSIONAL
ESCOLA URBANA BT
ESCOLA
ESCOLA-EMPRESA
RT
ESTABELECIMENTO DE EDUCAÇÃO ESPECIAL EDUCAÇÃO RELIGIOSA
ESTABELECIMENTO DE ENSINO ESPECIAL
EXTERNATO

  144
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
ESCOLA DE DANÇA ESCOLA FEMININA
BT BT
ESCOLA ESCOLA
ESCOLA DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES ESCOLA INFANTIL
BT USE
CENTRO DE FORMAÇÃO JARDIM DE INFÂNCIA
RT ESCOLA INTERNACIONAL
FORMAÇÃO DE PROFESSORES Para alunos de diferentes nacionalidades.
UF BT
ESCOLA SUPERIOR DE EDUCAÇÃO ESCOLA
ESCOLA DE MÚSICA RT
EDUCAÇÃO INTERCULTURAL
BT
ESCOLA EDUCAÇÃO INTERNACIONAL
ESCOLA DO ESTADO ESCOLA MASCULINA
BT BT
ESCOLA PÚBLICA ESCOLA
ESCOLA ESTRANGEIRA ESCOLA MILITAR
Escola existente num determinado país, BT
mas que pertence ao sistema educativo de ESCOLA
outro país
BT ESCOLA MISTA
ESCOLA Escola para ensino em conjunto de
rapazes e raparigas
ESCOLA EUROPEIA BT
Estabelecimentos educativos ESCOLA
frequentados por filhos de funcionários
europeus ou de empregados de ESCOLA NÃO-ESTATAL
instituições internacionais nos Estados
Membros da Comunidade Europeia BT
BT ESCOLA PÚBLICA
ESCOLA
ESCOLA NOCTURNA
ESCOLA EXPERIMENTAL
BT
ESCOLA
ESCOLA PAGA
BT
ESCOLA

  145
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
ESCOLA PARALELA ESCOLA PÚBLICA
USE BT
EDUCAÇÃO EXTRA-ESCOLAR ESCOLA
ESCOLA PARTICULAR NT
BT ESCOLA DO ESTADO
ESCOLA ESCOLA NÃO-ESTATAL
RT ESCOLA RURAL
ENSINO PARTICULAR
Escola situada no campo e orientada para
ESCOLA PILOTO os estudos rurais
BT
BT ESCOLA
ESCOLA
ESCOLA SECUNDÁRIA
ESCOLA POR CORRESPONDÊNCIA
BT
USE ESCOLA
ENSINO POR CORRESPONDÊNCIA
NT
ESCOLA PRIMÁRIA ESCOLA SECUNDÁRIA UNIFICADA
USE
ESCOLA SECUNDÁRIA UNIFICADA
ESCOLA BÁSICA
BT
ESCOLA PROFISSIONAL ESCOLA SECUNDÁRIA
As funções e os objectivos das escolas
profissionais tendem a confundir-se com ESCOLA SUPERIOR DE EDUCAÇÃO
os das escolas técnicas; estes termos são USE
muitas vezes utilizados como sinónimos
nos diferentes sistemas nacionasi de ESCOLA DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES
ensino
BT ESCOLA TÉCNICA
CENTRO DE FORMAÇÃO USE
ENTIDADE DE FORMAÇÃO ESCOLA PROFISSIONAL
NT ESCOLA URBANA
ESCOLA AGRÍCOLA BT
ESCOLA
RT
ENSINO PROFISSIONAL ESCOLA-EMPRESA
UF BT
ESCOLA TÉCNICA ESCOLA
RT
EMPRESA

  146
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
ESCOLARIDADE ESCOLARIZAÇÃO
Este termo é equivalente ao do EUROVOC NT
- DURAÇÃO DOS ESTUDOS, pelo que
deve ser colocado em UP. TAXA DE ESCOLARIZAÇÃO

RT
BT
ESCOLARIDADE OBRIGATÓRIA
ADMINISTRAÇÃO DA EDUCAÇÃO
ESCOLHA DA CARREIRA
NT
FIM DA ESCOLARIDADE OBRIGATÓRIA USE
ESCOLHA DE PROFISSÃO
INTERRUPÇÃO DE ESTUDOS
ESCOLHA DA ESCOLA
RT
ESCOLA Diz respeito à liberdade de frequentar o
estabelecimento da sua própria escolha
ESCOLARIDADE OBRIGATÓRIA BT
ENTRADA NA ESCOLA
PROLONGAMENTO DE ESCOLARIDADE
RT
ESCOLARIDADE OBRIGATÓRIA ESTABELECIMENTO DE ENSINO
BT
ESCOLHA DA FORMAÇÃO
EDUCAÇÃO
Escolha de uma especialidade dentro da
PRINCIPIOS DE EDUCAÇÃO formação profissional
BT
RT ORIENTAÇÃO PROFISSIONAL
ESCOLARIDADE
ESCOLHA DA PROFISSÃO
ESCOLARIZAÇÃO
USE
ESCOLARIDADE PÓS-OBRIGATÓRIA ESCOLHA DE PROFISSÃO
BT ESCOLHA DE ESTUDOS
NÍVEL DE ENSINO
NT
ENSINO PÓS-SECUNDÁRIO
ESCOLHA DE PROFISSÃO
ESCOLARIZAÇÃO Termo descritor na LQS, subordinado a
BT PROFISSÕES.
Consta da FORMEI.
ADMINISTRAÇÃO DA EDUCAÇÃO UF
POLÍTICA DE EDUCAÇÃO ESCOLHA DA CARREIRA
NT ESCOLHA DA PROFISSÃO
EFECTIVOS ESCOLARES

  147
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
ESCOLHA DE TECNOLOGIA ESPECIALISTA
Subordinação do EUROVOC. Termo não descritor no EUROVOC.
BT USE
TECNOLOGIA PROFISSÃO INDEPENDENTE
ESCRAVATURA ESPECIALIZAÇÃO
Termo do EUROVOC que tem como UP o BT
supra. O contrário se passa com o OIT.
Sugerimos adoptar o do OIT. CARREIRA ESCOLAR
USE ESPECIALIZAÇÃO DA PRODUÇÃO
TRABALHO FORÇADO
RT
ESCRITA PRODUÇÃO
BT ESPERANÇA DE VIDA
ENSINO DE LÍNGUAS
RT
RT QUALIDADE DE VIDA
ALFABETIZAÇÃO
ESPONTANEIDADE
COMUNICAÇÃO NÃO-VERBAL Não e4ncontrado noutro thesauri. Sem
subordinação no TEE
DISGRAFIA NT
EXPRESSÃO ESCRITA EXPRESSÃO LIVRE
LÍNGUA ESCRITA ESQUEMA DE BENEFÍCIOS
ESCULTURA USE
PRESTAÇÃO SOCIAL
BT
BELAS ARTES ESTABELECIMENTO DE EDUCAÇÃO CORRECTIVA
ESLOVÁQUIA Para jovens delinquentes
BT
BT ESTABELECIMENTO PRISIONAL
PAÍSES UE
UF
ESLOVÉNIA ESTABELECIMENTO DE REEDUCAÇÃO
BT
ESTABELECIMENTO TUTELAR DE MENORES
PAÍSES UE
ESTABELECIMENTO DE EDUCAÇÃO ESPECIAL
ESPANHA
BT
BT
ESCOLA
PAÍSES CE
RT
PAÍSES UE DEFICIENTE

  148
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
ESTABELECIMENTO DE EDUCAÇÃO ESPECIAL ESTABELECIMENTO PRISIONAL
RT NT
PROFESSOR DE EDUCAÇÃO ESPECIAL ESTABELECIMENTO DE EDUCAÇÃO CORRECTIVA
ESTABELECIMENTO DE EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR UF
Resposta, desenvolvida em equipamento, PRISÃO
vocacionada para o desenvolvimento da
crianças, com idades compreendidas entre ESTABELECIMENTO TUTELAR DE MENORES
os 3 anos e a idade de ingresso no ensino
básico, proporcionando-lhe actividades USE
educativas e actividades de apoio à ESTABELECIMENTO DE EDUCAÇÃO CORRECTIVA
família.
ESTABILIZAÇÃO
Termo candidato
Será conveniente colocar UP ou Use Termo não existente no LQS.
Também: JARDIM DE INFÂNCIA (com a RT
nota: Até 1997 utilizar este termo)
Manual de Nomenclatura-Acção Social, AJUSTAMENTO ESTRUTURAL
DGSS, FC, 2005
Lei nº 5/97, de 10 de Fevereiro ESTABILIZAÇÃO DE PREÇOS
Decreto-Lei nº 147/97, de 11 de Junho
Despacho Conjunto nº 268/97, de 21 de No LQS é descritor ESTABILIZAÇÃO DOS
Agosto PREÇOS. Sugere-se adoptar o termo do
EUROVOC.
BT BT
EQUIPAMENTO SOCIAL POLÍTICA DE PREÇOS
ESTABELECIMENTO DE ENSINO RT
NT PREÇOS
ESCOLA
ESTADO
UNIVERSIDADE NT
RT ESTADO-PROVIDÊNCIA
EDUCAÇÃO RT
ENTIDADE DE FORMAÇÃO AJUDA DO ESTADO
ESCOLHA DA ESCOLA FINANÇAS PÚBLICAS
ESTABELECIMENTO DE ENSINO ESPECIAL ESTADO-MEMBRO
BT RT
ESCOLA PAÍSES CE
ESTABELECIMENTO DE REEDUCAÇÃO PAÍSES UE
USE
ESTABELECIMENTO DE EDUCAÇÃO CORRECTIVA

  149
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
ESTADO-PROVIDÊNCIA ESTATÍSTICA
Estado que intervém nos sectores Refere-se à estatística enquanto disciplina
económico e social com o fim de ajudar os científica; noutros casos use-se 'dados
cidadãos. (EUROVOC) estatísticos'.
Subordinado a Matemática no TEE e no
País no qual a política e a administração CEDEFOP. Sem subordinação no
se esforça para garantir o rendimento das EUROVOC
pessoas e suas famílias, e que NT
proprociona protecção e serviços sociais a
todos os cidadãos. Utiliza-se de um modo CONCEITO ESTATÍSTICO
mais geral para designar os países que
puseram em prática essa política. (OIT) DADOS ESTATÍSTICOS

Só existe no EUROVOC e OIT. DISTRIBUIÇÃO GEOGRÁFICA

BT PROBABILIDADE
ESTADO QUADRO ESTATÍSTICO
RT
RECENSEAMENTO
BEM ESTAR SOCIAL
RT
INTERVENÇÃO DO ESTADO ANÁLISE ESTATÍSTICA
ESTAGIÁRIO ESTATÍSTICA DA FORMAÇÃO
USE
INDICADOR
FORMANDO
MÉTODO ESTATÍSTICO
ESTÁGIO EM EMPRESA
USE MODELO ECONOMÉTRICO
ESTÁGIO NA EMPRESA ESTATÍSTICA DA FORMAÇÃO
ESTÁGIO NA EMPRESA BT
BT PLANEAMENTO DA FORMAÇÃO
FORMAÇÃO PRÁTICA RT
RT ESTATÍSTICA
RELAÇÃO UNIVERSIDADE-EMPRESA ESTATÍSTICA DO EMPREGO
UF Termo descritor no EUROVOC, com a
ESTÁGIO EM EMPRESA forma ESTATÍSTICA DO EMPREGO,
subordinado a MERCADO DO TRABALHO.

BT
MERCADO DE TRABALHO
NT
TAXA DE DESEMPREGO

  150
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
ESTATÍSTICA DO EMPREGO ESTATÍSTICAS SOCIAIS
Termo descritor no EUROVOC, com a RT
forma ESTATÍSTICA DO EMPREGO,
subordinado a MERCADO DO TRABALHO. ASPECTO SOCIOLÓGICO

ESTATUTO DO PROFESSOR
UF
INQUÉRITO AO EMPREGO BT
ESTATUTO PROFISSIONAL
INQUÉRITOS AO EMPREGO
ESTATUTO JURÍDICO
ESTATÍSTICA SOCIAL
RT
RT
DIREITOS DO CIDADÃO
INDICADOR SOCIAL
ESTATUTO SOCIAL
ESTATÍSTICAS DA EDUCAÇÃO
ESTATUTO PROFISSIONAL
BT
POLÍTICA DE EDUCAÇÃO Termo descritor na LQS, sem
subordinação, no VETThes, subordinado a
ESTATÍSTICAS DEMOGRÁFICAS ESTRUTURA DO EMPREGO, e no
EUROVOC, subordinado a MERCADO DO
BT TRABALHO.
Fila, posição ou nível de trabalho que
ANÁLISE DEMOGRÁFICA ocupa uma pessoa ou um grupo de
pessoas. Não confundir com Situação no
ESTATÍSTICAS DO TRABALHO emprego (LQS).
BT BT
DADOS ESTATÍSTICOS MÃO-DE-OBRA
NT NT
INQUÉRITO AO EMPREGO EMPRESÁRIO
ESTATÍSTICAS ECONÓMICAS ESTATUTO DO PROFESSOR

BT FUNCIONÁRIO PÚBLICO
DADOS ESTATÍSTICOS GESTOR
RT
PROFISSÃO INDEPENDENTE
INDICADOR ECONÓMICO
ESTATUTO SOCIAL
INQUÉRITO SOCIAL
Posição social ocupada por cada
MODELO ECONOMÉTRICO elemento de uma comunidade em relação
aos outros.
MODELO ECONÓMICO
Sugere-se a subordinação do EUROVOC,
ESTATÍSTICAS SOCIAIS e segundo a faceta do OIT.
BT
BT
ESTRUTURA SOCIAL
DADOS ESTATÍSTICOS

  151
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
ESTATUTO SOCIAL ESTÍMULO FISCAL
Posição social ocupada por cada No EUROVOC este termo é descritor e
elemento de uma comunidade em relação INCENTIVO FISCAL UP. Preferimos o
aos outros. contrário.
USE
Sugere-se a subordinação do EUROVOC,
e segundo a faceta do OIT. INCENTIVO FISCAL
RT
ESTRANGEIRO
ESTATUTO JURÍDICO
RT
MOBILIDADE SOCIAL IGUALDADE DE OPORTUNIDADES
PROMOÇÃO SOCIAL ESTRATÉGIA COORDENADA DE EMPREGO
SOCIEDADE Termo não descritor no EUROVOC.
USE
ESTERILIZAÇÃO ESTRATÉGIA EUROPEIA DE EMPREGO
Não existe no LQS.
BT ESTRATÉGIA DA APRENDIZAGEM
CONTROLO DA NATALIDADE BT
PROCESSO DE APRENDIZAGEM
ESTÉTICA
BT ESTRATÉGIA DA EMPRESA
FILOSOFIA BT
PLANEAMENTO DA EMPRESA
RT
ARTE RT
COMPETITIVIDADE
EDUCAÇÃO ESTÉTICA
ESTRATÉGIA DE DESENVOLVIMENTO
ESTETICISTA
USE
RT
POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO
SECTOR TERCIÁRIO
ESTRATÉGIA DE GESTÃO
ESTILO DE VIDA
BT
USE
PLANEAMENTO DA EMPRESA
MODO DE VIDA
ESTRATÉGIA EUROPEIA DE EMPREGO
ESTILO PEDAGÓGICO
Termo descritor no EUROVOC.
Características peculiares e distintas de Estratégia aplicada no seguimento da
um docente adopção do Tratado de Amesterdão com o
BT objectivo de criar postos de trabalho e
PRÁTICA PEDAGÓGICA combater o desemprego.

Existe no LQS(2006)
BT
POLÍTICA COMUNITÁRIA DO EMPREGO

  152
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
ESTRATÉGIA EUROPEIA DE EMPREGO ESTRUTURA DO EMPREGO
Termo descritor no EUROVOC. Termo descritor na LQS, sem
Estratégia aplicada no seguimento da subordinação, no EUROVOC e no
adopção do Tratado de Amesterdão com o VETThes (CEDEFOP), todos com a forma
objectivo de criar postos de trabalho e ESTRUTURA DO EMPREGO. No
combater o desemprego. CEDEFOP tem como TG-EMPREGO
Consta da FORMEI, com a forma acima
Existe no LQS(2006) referida.
RT BT
ADAPTAÇÃO DOS TRABALHADORES EMPREGO
CRIAÇÃO DE EMPRESAS NT
ACTIVIDADE REMUNERADA
IGUALDADE DE OPORTUNIDADES
DUPLO EMPREGO
UF
ESTRATÉGIA COORDENADA DE EMPREGO EMPREGO A TEMPO INTEIRO
ESTRATIFICAÇÃO SOCIAL EMPREGO DE DEFICIENTES
Termo do LQS que só existe no OCDE. EMPREGO DE JOVENS
Sugere-se solocação em UP de
ESTRUTURA SOCIAL.
EMPREGO DE LICENCIADOS
USE
ESTRUTURA SOCIAL EMPREGO DE MIGRANTES
ESTRUTURA DA EMPRESA EMPREGO DE MULHERES
USE EMPREGO DE QUADROS
ESTRUTURA EMPRESARIAL
EMPREGO ILEGAL
ESTRUTURA DA MÃO-DE-OBRA
EMPREGO POR CONTA PRÓPRIA
Termo não descritor no EUROVOC.
USE EMPREGO RURAL
MÃO-DE-OBRA
EMPREGO TÍPICO
ESTRUTURA DA POPULAÇÃO ACTIVA
EMPREGO URBANO
Termo não descritor na LQS para
ESTRUTURA DO EMPREGO. TRABALHO ATÍPICO
USE
ESTRUTURA DO EMPREGO TRABALHO INFANTIL
TRABALHO VOLUNTÁRIO
RT
MÃO-DE-OBRA
MERCADO DE TRABALHO
SEGMENTAÇÃO DO MERCADO DE TRABALHO

  153
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
ESTRUTURA DO EMPREGO ESTRUTURA EMPRESARIAL
Termo descritor na LQS, sem Consta da FORMEI.
subordinação, no EUROVOC e no Termo não controlado no LQS. No
VETThes (CEDEFOP), todos com a forma EUROVOC é ESTRUTURA DA
ESTRUTURA DO EMPREGO. No EMPRESA, e as relações são
CEDEFOP tem como TG-EMPREGO semelhantes às do LQS. Pelo menos deve
Consta da FORMEI, com a forma acima colocar-se o termo do EUROVOC em UP.
referida.
UF BT
ESTRUTURA DA POPULAÇÃO ACTIVA ORGANIZAÇÃO DA EMPRESA
ESTRUTURA DO MERCADO DE TRABALHO NT
FILIAL
MODALIDADE DE EMPREGO
RT
ESTRUTURA DO MERCADO DE TRABALHO
EMPRESA
Termo não descritor na LQS para
ESTRUTURA DO EMPREGO. ESTRUTURA INDUSTRIAL
Foi suprimido no LQS2006.
USE UF
ESTRUTURA DO EMPREGO ESTRUTURA DA EMPRESA
ESTRUTURA ECONÓMICA ESTRUTURA FAMILIAR
Refere-se à importância relativa dos Organização da família, ou seja posição e
diversos sectores da economia. papel dos membros no seio da família.
BT
Termo não controlado no LQS. Consta da
ANÁLISE ECONÓMICA FORMEI. Existe no FAMThes (Australian
Institute of Family Studies), que tem como
NT UP - DIMENSÃO DA FAMÍLIA; em caso de
REGIME ECONÓMICO supressão sugere-se colocar como UP
deste.
SECTOR ECONÓMICO BT
FAMÍLIA
TERCEIRO SECTOR
NT
RT
DIMENSÃO DA FAMÍLIA
AJUSTAMENTO ESTRUTURAL
RT
ECONOMIA DUPLO EMPREGO
ESTRUTURA INDUSTRIAL ESTRUTURA INDUSTRIAL
ESTRUTURA SOCIAL BT
MUDANÇA ESTRUTURAL INDÚSTRIA
SECTOR SECUNDÁRIO NT
INDÚSTRIA DE ALTA TECNOLOGIA
SECTOR TERCIÁRIO
INDÚSTRIA PARA EXPORTAÇÃO

  154
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
ESTRUTURA INDUSTRIAL ESTUCADOR
NT Termo descritor no VETThes no domínio
INDÚSTRIA TRANSFORMADORA PROFISSÕES.
Consta da FORMEI, na forma plural.
CNP (versão 1994, 2.ª ed., 2001)
PEQUENAS E MÉDIAS INDÚSTRIAS 7.1.3.3.05: efectua o revestimento e
ultimação de paramentos de edifícios,
RT aplicando-lhes uma ou várias camadas de
AJUSTAMENTO ESTRUTURAL argamassa de gesso ou motivos especiais
de estuque, para o que utiliza ferramentas
EMPRESA manuais.
BT
EMPRESA INDUSTRIAL CLASSIFICAÇÃO DAS PROFISSÕES
ESTRUTURA ECONÓMICA ESTUDANTE
ESTRUTURA EMPRESARIAL Só para estudantes do ensino superior
BT
MUDANÇA ESTRUTURAL SISTEMA DE ENSINO
REESTRUTURAÇÃO INDUSTRIAL NT
ESTRUTURA PROFISSIONAL ESTUDANTE TRABALHADOR
Consta da FORMEI. RT
USE FORMANDO
CATEGORIA SOCIOPROFISSIONAL
ESTUDANTE TRABALHADOR
ESTRUTURA SOCIAL
BT
Termo sem subordinação no LQS, TEE e ESTUDANTE
EUROVOC
NT RT
DESIGUALDADE SOCIAL PROMOÇÃO SOCIAL
ELITE ESTUDO COMPARATIVO
ESTATUTO SOCIAL USE
ANÁLISE COMPARATIVA
MOBILIDADE SOCIAL
ESTUDO DE CASO
PROMOÇÃO SOCIAL
No EUROVOC, MÉTODO DE
RT INVESTIGAÇÃO é TA, sendo
ESTRUTURA ECONÓMICA DOCUMENTO o TG deste descritor. No
OCDE, CEDEFOP, UNESCO é TG-
MÉTODO DE INVESTIGAÇÃO.
INSTITUIÇÃO SOCIAL BT
INTEGRAÇÃO SOCIAL MÉTODO DE INVESTIGAÇÃO
UF RT
ESTRATIFICAÇÃO SOCIAL INVESTIGAÇÃO

  155
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
ESTUDO DE CASO ESTUDO PROSPECTIVO
No EUROVOC, MÉTODO DE No EUROVOC é descritor
INVESTIGAÇÃO é TA, sendo PROSPECTIVA.
DOCUMENTO o TG deste descritor. No O TG - PREVISÃO ECONÓMICA é
OCDE, CEDEFOP, UNESCO é TG- retirado do EUROVOC, porque no OIT este
MÉTODO DE INVESTIGAÇÃO. termo é TA.
RT UF
METODOLOGIA PROSPECTIVA
ESTUDO DE INVESTIGAÇÃO ESTUDOS HUMANÍSTICOS
BT
INVESTIGAÇÃO
RT ESTUDOS UNIVERSITÁRIOS
TESE BT
ESTUDO DO TRABALHO ENSINO SUPERIOR

BT ESTUPEFACIENTE
ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO UF
RT DROGA
GESTÃO ÉTICA
ESTUDO PILOTO No EUROVOC subordinado a FILOSOFIA.
RT NT
PROJECTO PILOTO ÉTICA PROFISSIONAL
ESTUDO PROSPECTIVO SISTEMAS DE VALORES
No EUROVOC é descritor RT
PROSPECTIVA. BIOÉTICA
O TG - PREVISÃO ECONÓMICA é
retirado do EUROVOC, porque no OIT este COMPORTAMENTO POLÍTICO
termo é TA.
BT DEONTOLOGIAPROFISSIONAL
PREVISÃO ECONÓMICA
EDUCAÇÃO MORAL
RT
CENÁRIOS FILOSOFIA
PREVISÃO GOVERNANÇA
PROJECÇÃO NORMA SOCIAL
UF REGULAÇÃO SOCIAL
ANÁLISE PROSPECTIVA RELIGIÃO
FUTUROLOGIA

  156
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
ÉTICA EURO
No EUROVOC subordinado a FILOSOFIA. BT
UF MOEDA EUROPEIA
MORAL
EUROFOUND
ÉTICA PROFISSIONAL USE
BT FUNDAÇÃO EUROPEIA PARA A MELHORIA DAS
CONDIÇÕES...
ÉTICA
EURYDICE
ETIQUETAGEM BT
RT POLÍTICA DE EDUCAÇÃO
RESPONSABILIDADE DAS EMPRESAS
RT
UF EDUCAÇÃO
ETIQUETAGEM DE PRODUTOS
EVASÃO FISCAL
ETIQUETAGEM DE PRODUTOS BT
USE FISCALIDADE
ETIQUETAGEM
EVOLUÇÃO DO EMPREGO
ETNOLOGIA
Consta da FORMEI.
RT BT
CULTURA POLÍTICA DE EMPREGO
EURAG NT
RT CRESCIMENTO DO EMPREGO
PESSOA IDOSA EXCEDENTE DE MÃO-DE-OBRA
EURES Termo descritor na LQS, na forma plural,
sem subordinação.
Termo descritor na LQS, sem BT
subordinação, e no EUROVOC,
subordinado a MERCADO DO MERCADO DE TRABALHO
TRABALHO.
Rede de informação para as ofertas e EXCLUSÃO SOCIAL
pedidos de emprego de vocação
comunitária, sobre as condições de vida e Processo pelo qual uma pessoa ou uma
de trabalho e sobre a situação dos comunidade se encontra reduzida a um
mercados de emprego no diversos estado de pobreza, mediante exclusão
Estados-membros. Veio substituir o voluntária ou imposta, da sociedade
sistema SEDOC (LQS). moderna.

BT No LQS tem como TG-INTEGRAÇÃO


MERCADO DE TRABALHO SOCIAL, sugerimos a subordinação do
EUROVOC.
UF BT
SEDOC PROBLEMA SOCIAL

  157
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
EXCLUSÃO SOCIAL EXCLUSÃO SOCIAL
Processo pelo qual uma pessoa ou uma Processo pelo qual uma pessoa ou uma
comunidade se encontra reduzida a um comunidade se encontra reduzida a um
estado de pobreza, mediante exclusão estado de pobreza, mediante exclusão
voluntária ou imposta, da sociedade voluntária ou imposta, da sociedade
moderna. moderna.

No LQS tem como TG-INTEGRAÇÃO No LQS tem como TG-INTEGRAÇÃO


SOCIAL, sugerimos a subordinação do SOCIAL, sugerimos a subordinação do
EUROVOC. EUROVOC.
NT RT
MARGINALIDADE PROGRAMA REDE SOCIAL
MARGINALIZAÇÃO PROGRAMA SER CRIANÇA
RT RECESSÃO ECONÓMICA
COESÃO SOCIAL
EXERCÍCIO
DEFICIENTE Actividade repetitiva e de aplicação que
visa fixar e consolidar uma capacidade
DESEMPREGADO DE LONGA DURAÇÃO quer física quer intelectual
BT
DESEMPREGO DE LONGA DURAÇÃO
ACTIVIDADE ESCOLAR
DISCRIMINAÇÃO
NT
EMPOWERMENT EXERCÍCIO ESCRITO
GRUPO DESFAVORECIDO EXERCÍCIO ORAL
GRUPO VULNERÁVEL EXERCÍCIO ESCRITO
INCLUSÃO SOCIAL BT
EXERCÍCIO
INTEGRAÇÃO SOCIAL
RT
MOBILIDADE SOCIAL EXPRESSÃO ESCRITA
MUDANÇA SOCIAL LÍNGUA ESCRITA
PARTICIPAÇÃO SOCIAL TESE
PESSOA COM DEFICIÊNCIA UF
PESSOA SEM ABRIGO TESTE ESCRITO
PNAI EXERCÍCIO ORAL
POBREZA BT
EXERCÍCIO
PREVENÇÃO SOCIAL

  158
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
EXERCÍCIO ORAL EXPERIÊNCIA DO TRABALHO
RT Termo descritor na LQS, sem
EXPRESSÃO ORAL subordinação.
Consta da FORMEI.
A nota de aplicação que se segue é muito
EXISTÊNCIAS restritiva.
Não existe no LQS, mas no EUROVOC. Designa os programas em que os alunos
Sugere-se colocá-lo como UP de podem participar, dentro de certos limites,
INVENTÁRIO, do LQS. em actividades da indústria, comércio ou
outras áreas.
USE
BT
INVENTÁRIO
PROGRAMA DE FORMAÇÃO
EXPANSÃO ECONÓMICA RT
USE EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL
CRESCIMENTO ECONÓMICO
EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL
EXPERIÊNCIA DE EMPREGO Termo descritor na LQS, sem
Termo descritor na LQS, sem subordinação, no VETThes, subordinado a
subordinação. QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL, e no
Aplica-se a uma pessoa com experiência EUROVOC, subordinado a MERCADO DO
prévia em empregos remunerados. Não se TRABALHO.
deve confundir com Experiência A nota de aplicação que se segue é muito
profissional. restritiva, devendo o termo ser empregue
no sentido pelo qual é mais usualmente
BT conhecido.
SERVIÇO DE EMPREGO Programa nos quais os alunos que
seguem uma formação podem participar,
RT de maneira limitada, nos trabalhos, na
EMPREGO indústria, no comércio ou outros sectores
(LQS).
EXPERIÊNCIA DE ENSINO BT
QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL
BT
PRÁTICA PEDAGÓGICA RT
EXPERIÊNCIA DO TRABALHO
EXPERIÊNCIA DE FORMAÇÃO
No CEDEFOP 2005 é UP de PROJECTO MERCADO DE TRABALHO
PILOTO. No LQS(2006) também.
BT EXPERIMENTAÇÃO
INVESTIGAÇÃO EM FORMAÇÃO BT
TÉCNICA DE INVESTIGAÇÃO
RT
DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO
METODOLOGIA

  159
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
EXPLORAÇÃO SEXUAL EXTERNATO
BT BT
PROBLEMA SOCIAL ESCOLA
EXPORTAÇÃO EXTREMISMO
BT Não existe no LQS.
COMÉRCIO INTERNACIONAL RT
RELIGIÃO
EXPRESSÃO ESCRITA
UF
BT
FANATISMO
ENSINO DE LÍNGUAS
FABRICO ASSISTIDO POR COMPUTADOR
NT
ORTOGRAFIA Este termo corresponde ao do EUROVOC -
PRODUÇÃO ASSISTIDA POR
RT COMPUTADOR, pelo que se sugere
colocar em UP.
ESCRITA BT
EXERCÍCIO ESCRITO APLICAÇÃO INFORMÁTICA
LÍNGUA ESCRITA RT
PRODUÇÃO
EXPRESSÃO LIVRE
UF
BT
PRODUÇÃO ASSISTIDA POR COMPUTADOR
ESPONTANEIDADE
FABRICO INDUSTRIAL
RT
LIBERDADE DE EXPRESSÃO NT
AUTOMATIZAÇÃO
EXPRESSÃO ORAL
CONTROLO DE PRODUÇÃO
BT
ENSINO DE LÍNGUAS ROBOTIZAÇÃO
NT RT
VERBALIZAÇÃO SECTOR SECUNDÁRIO
RT FACTOR CULTURAL
EXERCÍCIO ORAL RT
FALA CULTURA
EXPULSÃO FACTOR DE PRODUÇÃO
BT RT
EDUCAÇÃO AUTORITÁRIA PRODUÇÃO
SISTEMA PRODUTIVO

  160
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
FACTOR DE PRODUÇÃO FAMÍLIA
RT Não tem subordinação no EUROVOC
TRABALHO (termo de topo também FAMÍLIA)

No LQS está subordinado a RELAÇÕES


FALA FAMILIARES que consta da FORMEI,
BT mas não se encontra controlado nos
tesauros usuais (ver termo aqui).
COMUNICAÇÃO VERBAL NT
RT PAIS SOLTEIROS
EXPRESSÃO ORAL PLANEAMENTO FAMILIAR
FONOLOGIA REPRODUÇÃO ARTIFICIAL
FALHA RESPONSABILIDADE DOS PAIS
BT
RESPONSABILIDADES FAMILIARES
INSUCESSO
SOLIDARIEDADE ENTRE GERAÇÕES
FALTA DE PESSOAL
Termo não descritor no EUROVOC. SOLIDARIEDADE FAMILIAR
USE
VIDA FAMILIAR
ESCASSEZ DE MÃO-DE-OBRA
RT
FAMÍLIA AGREGADO FAMILIAR
Não tem subordinação no EUROVOC
(termo de topo também FAMÍLIA) BEM ESTAR FAMILIAR

No LQS está subordinado a RELAÇÕES CASAMENTO


FAMILIARES que consta da FORMEI,
mas não se encontra controlado nos CONCILIAÇÃO TRABALHO-VIDA PESSOAL
tesauros usuais (ver termo aqui).
NT CONSUMO FAMILIAR
CONFLITO DE GERAÇÕES
DIMENSÃO DA FAMÍLIA
DIREITO DA FAMÍLIA
EMPRESA FAMILIAR
ENCARGO FAMILIAR
EQUIPAMENTO SOCIAL
ESTRUTURA FAMILIAR
MÃE TRABALHADORA
FAMÍLIA ALARGADA
MEDIAÇÃO FAMILIAR
FAMÍLIA MONOPARENTAL
MEIO FAMILIAR
FAMÍLIA NUMEROSA
MULHER
FAMÍLIA RECOMPOSTA
OBSERVATÓRIO DA FAMÍLIA
PAIS

  161
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
FAMÍLIA FAMÍLIA MONOPARENTAL
Não tem subordinação no EUROVOC Agregado familiar com um só progenitor.
(termo de topo também FAMÍLIA) RT

No LQS está subordinado a RELAÇÕES DIMENSÃO DA FAMÍLIA


FAMILIARES que consta da FORMEI,
mas não se encontra controlado nos MULHER
tesauros usuais (ver termo aqui).
RT PAIS SOLTEIROS
POLÍTICA DA FAMÍLIA SUBSÍDIO DE PROGENITOR ÚNICO
PRESTAÇÃO DE MATERNIDADE FAMÍLIA NUCLEAR
PRESTAÇÃO FAMILIAR USE
FAMÍLIA
UF
FAMÍLIA NUCLEAR FAMÍLIA NUMEROSA
PARENTESCO BT
FAMÍLIA
FAMÍLIA ALARGADA
FAMÍLIA RECOMPOSTA
Um grupo ou unidade familiar que
compreende não só os pais e os filhos Não existe no LQS. NO LQS existe o
mas também parentes imediatos, e por termo não controlado FAMÍLIA
vezes pessoas biologicamente não RECONSTITUÍDA, sugere-se colocá-lo
relacionadas com a família. como UP do supra.
BT
Não existe no LQS. Só existe no
FAMThes (Australian Institute of Family FAMÍLIA
Studies) e no WorlBank Thesaurus
(MULTITES). Não é sinónimo de FAMÍLIA UF
NUMEROSA.
FAMÍLIA RECONSTITUÍDA
BT
FAMÍLIA FAMÍLIA RECONSTITUÍDA
RT Termo não controlado no LQS. Existe um
sinónimo no EUROVOC - FAMÍLIA
DIMENSÃO DA FAMÍLIA RECOMPOSTA, sugere-se colocar o
supra em UP.
FAMÍLIA DESFAVORECIDA USE
Termo não controlado no LQS. Consta da FAMÍLIA RECOMPOSTA
FORMEI. Não existe em nenhum tesauro.
Sugere-se subordinação. FANATISMO
BT
Termo não controlado no LQS. É UP no
GRUPO DESFAVORECIDO EUROVOC que remete para
EXTREMISMO, sugere-se adoptar o
FAMÍLIA MONOPARENTAL EUROVOC, colocando o supra em UP.
USE
Agregado familiar com um só progenitor.
BT EXTREMISMO
FAMÍLIA

  162
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
FAO FEOGA
Sugere-se a subordinação do EUROVOC. Utilizar apenas nos casos em que se refira
BT o FEOGA em geral sem distinguir as
suas secções orientação e garantia.
ONU BT
UF FINANCIAMENTO COMUNITÁRIO
ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS PARA A ALIMENTAÇO... FUNDOS CE
FARMÁCIA FUNDOS ESTRUTURAIS
RT
RT
BIOTECNOLOGIA
POLÍTICA AGRÍCOLA
FECUNDIDADE
UF
RT
FUNDO EUROPEU DE ORIENTAÇÃO E GARANTIA
AGRÍCOLA
DIMENSÃO DA FAMÍLIA
FERTILIDADE
MULHER
É preferível colocar este termo em UP.
UF USE
FERTILIDADE FECUNDIDADE
FEDER FILHO ÚNICO
BT Não existe no LQS.
FUNDOS ESTRUTURAIS RT
DIMENSÃO DA FAMÍLIA
RT
AJUSTAMENTO ESTRUTURAL FILIAÇÃO
Vínculo jurídico entre pais e filhos.
COMUNIDADE EUROPEIA
Não existe no LQS. Controlado pelo
DESENVOLVIMENTO REGIONAL EUROVOC para substituir o termo não
controlado DESCENDENTE.
PLANEAMENTO REGIONAL BT
PLANO REGIONAL DIREITO DA FAMÍLIA
UNIÃO EUROPEIA RT
NACIONALIDADE
UF
FUNDO EUROPEU DE DESENVOLVIMENTO REGIONAL REPRODUÇÃO ARTIFICIAL
FENOMENOLOGIA UF
DESCENDENTE
BT
FILOSOFIA FILIAL
BT
ESTRUTURA EMPRESARIAL

  163
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
FILME FILOSOFIA DA EDUCAÇÃO
NT BT
FILME EDUCATIVO FILOSOFIA
FILME EDUCATIVO RT
BT EDUCAÇÃO
FILME PRINCIPIOS DE EDUCAÇÃO
RT TEORIA DA EDUCAÇÃO
EDUCAÇÃO PELO CINEMA
FILOSOFIA POLÍTICA
UF
No TEE subordina-se a Filosifia. No
FILME PEDAGÓGICO EUROVOC não tem subordinação, inclui-
se no tema Quadro político. Sugere-se a
FILME PEDAGÓGICO adopção des último
USE RT
FILME EDUCATIVO CIÊNCIAS POLÍTICAS
FILOLOGIA FIM DA ESCOLARIDADE OBRIGATÓRIA
BT
Este termo é equivalente ao do TEE -
LINGUÍSTICA CONCLUSÃO DA
ESCOLARIDADE.Substitui-se e coloca-se
FILOSOFIA em UP, ou o contrário?
BT
BT
ESCOLARIDADE
CIÊNCIAS SOCIAIS
FINALIDADE DA EDUCAÇÃO
NT
ESTÉTICA BT
PRINCIPIOS DE EDUCAÇÃO
FENOMENOLOGIA
NT
FILOSOFIA DA EDUCAÇÃO OCUPAÇÃO DOS TEMPOS LIVRES
HUMANISMO RT
IDEALISMO EDUCAÇÃO
LÓGICA FINANÇAS
NT
MATERIALISMO
POLÍTICA FINANCEIRA
RT
ÉTICA FINANÇAS LOCAIS
BT
HISTÓRIA DA FILOSOFIA
FINANÇAS PÚBLICAS

  164
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
FINANÇAS LOCAIS FINANÇAS PÚBLICAS
BT As finanças do Estado, incluindo a política
ORÇAMENTO fiscal, etc.

RT No EUROVOC tem subordinação a Termo


ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA de topo. No CEDEFOP está subordinado a
ECONOMIA
ADMINISTRAÇÃO LOCAL RT
POLÍTICA REGIONAL DESPESAS PÚBLICAS
UF ESTADO

FINANÇAS MUNICIPAIS POLÍTICA FINANCEIRA


FINANÇAS MUNICIPAIS FINANÇAS PÚBLICAS E POLÍTICA ORÇAMENTAL(2436)
USE NT
FINANÇAS LOCAIS FINANÇAS PÚBLICAS
FINANÇAS PÚBLICAS FINANCIAMENTO
As finanças do Estado, incluindo a política No LQS e no CEDEFOP está subordinado
fiscal, etc. a RECURSOS FINANCEIROS.
Nos outros tesauros é TG.

No EUROVOC tem subordinação a Termo BT


de topo. No CEDEFOP está subordinado a
ECONOMIA RECURSOS FINANCEIROS
BT
NT
FINANÇAS PÚBLICAS E POLÍTICA ORÇAMENTAL(2436)
AUTOFINANCIAMENTO
NT
FINANCIAMENTO DA EDUCAÇÃO
CONTABILIDADE PÚBLICA
FINANCIAMENTO DA EMPRESA
FINANÇAS LOCAIS
FINANCIAMENTO DA HABITAÇÃO
FISCALIDADE
FINANCIAMENTO DA SEGURANÇA SOCIAL
IMPOSTO
FINANCIAMENTO DE PROJECTOS
ORÇAMENTO
FINANCIAMENTO PÚBLICO
ORÇAMENTO DO ESTADO
MICROFINANÇA
PARTICIPAÇÃO DO ESTADO
RT
RT
ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA
ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA
ASPECTO FINANCEIRO
AJUDA DO ESTADO
CRÉDITO

  165
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
FINANCIAMENTO FINANCIAMENTO DA EMPRESA
No LQS e no CEDEFOP está subordinado BT
a RECURSOS FINANCEIROS.
Nos outros tesauros é TG. FINANCIAMENTO

FINANCIAMENTO DA FORMAÇÃO
RT
FINANCIAMENTO DA AJUDA BT
ECONOMIA DA FORMAÇÃO
FUNDOS
RT
GESTÃO FINANCEIRA RECURSOS FINANCEIROS
MERCADO FINANCEIRO FINANCIAMENTO DA HABITAÇÃO
POLÍTICA FINANCEIRA BT
PROGRAMA DE FINANCIAMENTO FINANCIAMENTO
RT
SECTOR FINANCEIRO
HABITAÇÃO
SUBSÍDIO
HABITAÇÃO SOCIAL
FINANCIAMENTO COMUNITÁRIO
FINANCIAMENTO DA SEGURANÇA SOCIAL
NT
BT
FEOGA
FINANCIAMENTO
FUNDOS CE
RT
RT AJUDA DO ESTADO
AJUDA COMUNITÁRIA
SEGURANÇA SOCIAL
IFOP
FINANCIAMENTO DE PROJECTOS
PROGRAMA COMUNITÁRIO BT
FINANCIAMENTO DA AJUDA FINANCIAMENTO
No LQS(2006) aparece AJUDA FINANCIAMENTO DO EMPREGO
FINANCEIRA. Parece mais apropriado o
termo acima, que esta no OIT e Termo não controlado no LQS. Não existe
EUROVOC, com a diferença que no OIT é em nenhum tesauro. Consta da FORMEI.
TE e no EUROVOC TA, sugere-se em TA. Sugere-se supressão e substituição, e a
recuperação feita por FINANCIAMENTO /
RT EMPREGO.
FINANCIAMENTO
FINANCIAMENTO DA EDUCAÇÃO
FINANCIAMENTO PÚBLICO
BT
FINANCIAMENTO BT
FINANCIAMENTO

  166
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
FINLÂNDIA FISIOLOGIA
BT NT
PAÍSES UE DESENVOLVIMENTO FÍSICO
FISCALIDADE NEUROFISIOLOGIA
BT PSICOFISIOLOGIA
FINANÇAS PÚBLICAS
RT
NT FISIOLOGIA
ADMINISTRAÇÃO FISCAL
FISIOTERAPIA
CONTRIBUINTE
FISIOLOGIA DO TRABALHO
DIREITO FISCAL BT
EVASÃO FISCAL ERGONOMIA
POLÍTICA FISCAL FISIOTERAPIA
RT Termo só encontrado neste thesaurus
DISTRIBUIÇÃO DO RENDIMENTO BT
TRATAMENTO MÉDICO
FRAUDE FISCAL
RT
IMPOSTO FISIOLOGIA
REDISTRIBUIÇÃO DO RENDIMENTO FIXAÇÃO DE PREÇOS
REFORMA FISCAL Sugere-se a subordinação do EUROVOC e
não do LQS (OIT).
UF BT
SISTEMAS FISCAIS POLÍTICA DE PREÇOS
FÍSICA RT
BT PREÇOS
CIÊNCIAS FÍSICAS FLEXIBILIDADE DA MÃO-DE-OBRA
NT Termo não descritor no EUROVOC.
ACÚSTICA USE
FLEXIBILIDADE DO TRABALHO
ÓPTICA
FLEXIBILIDADE DO EMPREGO
FISIOLOGIA
Termo não descritor na LQS e no
BT EUROVOC.
BIOLOGIA USE
FLEXIBILIDADE DO TRABALHO

  167
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
FLEXIBILIDADE DO LOCAL DE TRABALHO FLUTUAÇÃO SAZONAL
Termo descritor na LQS, na forma plural. Termo do LQS retirado do OCDE.
Flexibilização completa do trabalho, em É preferível utilizar o termo do EUROVOC -
todos os postos de trabalho e locais de MIGRAÇÃO SAZONAL
trabalho, eliminando a separação entre o USE
trabalho e o lazer.
BT MIGRAÇÃO SAZONAL

FLEXIBILIDADE DO TRABALHO FMI


FLEXIBILIDADE DO MERCADO DE TRABALHO BT
Termo descritor no VETThes. ONU
BT UF
MERCADO DE TRABALHO FUNDO MONETÁRIO INTERNACIONAL
FLEXIBILIDADE DO TRABALHO FNUAP
Termo descritor na LQS, sem BT
subordinação, e no EUROVOC,
subordinado a MERCADO DO ONU
TRABALHO.
Consta da FORMEI. UF
Doutrina que preconiza a flexibilidade da FUNDO DAS NAÇÕES UNIDAS PARA AS ACTIVIDADES...
regulamentação do trabalho. Compreende
a flexibilidade salarial, a da duração do
trabalho e da organização do trabalho FOLHA DE CÁLCULO
(LQS).
BT
MERCADO DE TRABALHO
FOME
NT
FLEXIBILIDADE DO LOCAL DE TRABALHO Termo sem subordinação no LQS. Sugere-
se subordinação PROBLEMA SOCIAL,
segundo o OCDE.
RT
BT
ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO PROBLEMA SOCIAL
REESTRUTURAÇÃO DA EMPRESA RT
UF AJUDA ALIMENTAR
FLEXIBILIDADE DA MÃO-DE-OBRA MALNUTRIÇÃO
FLEXIBILIDADE DO EMPREGO NUTRIÇÃO
FLEXIBILIDADE SALARIAL FONÉTICA
FLEXIBILIDADE SALARIAL BT
Termo não descritor na LQS e no LINGUÍSTICA
EUROVOC.
USE NT
FLEXIBILIDADE DO TRABALHO ALFABETO

  168
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
FONÉTICA FORMAÇÃO
NT Termo genérico que designa a formação
PRONÚNCIA no seu conjunto, a todos os níveis de
qualificação e de responsabilidade, com
ou sem conotação profissional. Utilizar
FONOLOGIA termo mais preciso. (LQS)
BT Termo não descritor para Formação
profissional do TEE. Sugere-se a
LINGUÍSTICA eliminação deste descritor, colocando os
termos que lhe estão subordinados sob
RT outro BT.
FALA
Consta da FORMEI. Concorda-se em
excluir este descritor: qualquer dos
FONTE DE INFORMAÇÃO específicos pode ter outra subordinação.
No CEDEFOP 2005, este termo já não NT
consta. Segundo o OIT é TA de ACESSO FORMAÇÃO A TEMPO PARCIAL
À INFORMAÇÃO. Não será preferível
utilizá-lo no plural? (ISS).
FORMAÇÃO AGRÍCOLA
NT
MATERIAL DE REFERÊNCIA FORMAÇÃO DE SUPERVISORES
MEIOS DE COMUNICAÇÃO EM MASSA FORMAÇÃO FLORESTAL
RT FORMAÇÃO PARA A GESTÃO
ACESSO À INFORMAÇÃO
FORMAÇÃO PROFISSIONAL
FONTE DO DIREITO
NÍVEL DE FORMAÇÃO
NT
CONSTITUIÇÃO RT
CURSO DE FORMAÇÃO
LEGISLAÇÃO
EDUCAÇÃO
RT
RECOMENDAÇÃO CE ENSINO
FORÇA DE TRABALHO FORMAÇÃO EM PRIMEIROS SOCORROS

Termo não descritor no EUROVOC. FORMAÇÃO PARA A SEGURANÇA


USE
PROGRAMA DE FORMAÇÃO
POPULAÇÃO ACTIVA
FORMAÇÃO A DISTÂNCIA
FORÇAS ARMADAS
RT
BT
ENSINO A DISTÂNCIA
POLÍTICA DE DEFESA
TIPO DE FORMAÇÃO
NT
PESSOAL MILITAR

  169
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
FORMAÇÃO A TEMPO PARCIAL FORMAÇÃO BÁSICA
BT Formação organizada à margem das
FORMAÇÃO actividades da empresa e destinada a dar
os conhecimentos básicos relativos a uma
profissão ou grupo de profissões.
FORMAÇÃO ACELERADA BT
Destina-se a adquirir rapidamente FORMAÇÃO INICIAL
formação para profissões bem definidas
BT TIPO DE FORMAÇÃO
FORMAÇÃO PROFISSIONAL
RT
TIPO DE FORMAÇÃO EDUCAÇÃO DE BASE
FORMAÇÃO AGRÍCOLA FORMAÇÃO COMERCIAL
UF Subordinado a Ramo de ensino no TEE.
ENSINO AGRÍCOLA Sem subordinação no LQS. Subordinado a
Formação sectorial no CEDEFOP. Segue-
BT se este último
BT
FORMAÇÃO
FORMAÇÃO SECTORIAL
FORMAÇÃO SECTORIAL
UF
RT ENSINO COMERCIAL
ESCOLA AGRÍCOLA
FORMAÇÃO COMPLEMENTAR
TRABALHADORES AGRÍCOLAS BT
FORMAÇÃO ALTERNADA FORMAÇÃO PROFISSIONAL
Tipo de formação com períodos alternados RT
de formação na escola e no emprego
EDUCAÇÃO PERMANENTE
BT
FORMAÇÃO COMPLEMENTAR DE PROFESSORES
FORMAÇÃO PROFISSIONAL
BT
SISTEMAS DE FORMAÇÃO FORMAÇÃO DE PROFESSORES
NT FORMAÇÃO CONTÍNUA
SISTEMA DUAL Formação realizada tendo em vista
aperfeiçoar os conhecimentos e as
FORMAÇÃO AUDIOVISUAL qualificações.
BT
No CEDEFOP, o termo supra é
MÉTODO PEDAGÓGICO relacionado com FORMAÇÃO DE
ADULTOS.
FORMAÇÃO BASEADA NA COMPETÊNCIA BT

BT TIPO DE FORMAÇÃO
MÉTODO PEDAGÓGICO

  170
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
FORMAÇÃO CONTÍNUA FORMAÇÃO DE DESEMPREGADOS
Formação realizada tendo em vista Descritor não encontrado em qualquer
aperfeiçoar os conhecimentos e as thesaurus
qualificações. USE

No CEDEFOP, o termo supra é RECONVERSÃO PROFISSIONAL


relacionado com FORMAÇÃO DE
ADULTOS. FORMAÇÃO DE FORMADORES
NT RT
APERFEIÇOAMENTO PROFISSIONAL FORMAÇÃO DE PROFESSORES
RT FORMADOR
EDUCAÇÃO PERMANENTE
UF
UF FORMAÇÃO PEDAGÓGICA DE FORMADORES
FORMAÇÃO DE ADULTOS
FORMAÇÃO DE JOVENS
FORMAÇÃO DA TURMA
No LQS subordinado a Grupo-alvo. No
CEDEFOP a Grupo destinatário. Segue-se
este último.

Po uma questão de uniformização, sugere-


FORMAÇÃO DE ADAPTAÇÃO se adoptar a subordinação a GRUPO
BT ALVO do LQS e colocar GRUPO
DESTINATÁRIO como UP de GRUPO
TIPO DE FORMAÇÃO ALVO. (ISS)
BT
FORMAÇÃO DE ADULTOS
GRUPO ALVO
No TEE é UP de FORMAÇÃO
CONTÍNUA, mas o termo supra no OIT e GRUPO DESTINATÁRIO
LQS é UP de EDUCAÇÃO DE ADULTOS
que coexiste com FORMAÇÃO RT
CONTÍNUA.
JUVENTUDE
No CEDEFOP é descritor e subordinado a
GRUPO ALVO. FORMAÇÃO DE MULHERES
BT Não encontrado nos thesauri consultados.
GRUPO ALVO Na base FORMEI há 5 documentos
indexados com este descritor. Apenas três
RT se referem à formação profissional. Os
outros ao ensino.
APRENDIZAGEM DE ADULTOS
USE
EDUCAÇÃO PERMANENTE
EDUCAÇÃO DA MULHER
USE
FORMAÇÃO DE PROFESSORES
EDUCAÇÃO DE ADULTOS
NT
FORMAÇÃO CONTÍNUA FORMAÇÃO COMPLEMENTAR DE PROFESSORES
MICROENSINO

  171
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
FORMAÇÃO DE PROFESSORES FORMAÇÃO DO PESSOAL
RT RT
ESCOLA DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES FORMAÇÃO EM SERVIÇO
FORMAÇÃO DE FORMADORES GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS
FORMAÇÃO DE QUADROS FORMAÇÃO EM ALTERNÂNCIA
USE Tipo de formação com períodos alternados
FORMAÇÃO PARA A GESTÃO de formação na escola e na empresa

FORMAÇÃO DE RECLUSOS BT
APRENDIZAGEM PROFISSIONAL
RT
DELINQUÊNCIA FORMAÇÃO EM GRUPO
GRUPO DESFAVORECIDO BT
MÉTODO PEDAGÓGICO
FORMAÇÃO DE RECONVERSÃO
RT
Formação que permite adquirir
capacidades práticas e os conhecimentos ANIMADOR
necessários para o desempenho de uma
profissão diferente daquela para a qual o FORMAÇÃO EM PRIMEIROS SOCORROS
trabalhadorfoi inicialmente formado
BT
BT
FORMAÇÃO PROFISSIONAL SEGURANÇA DO TRABALHO
RT
TIPO DE FORMAÇÃO
FORMAÇÃO
RT
MUDANÇA DE CARREIRA FORMAÇÃO EM SERVIÇO
Toda a formação profissional adquirida no
FORMAÇÃO DE SUPERVISORES exercício de uma profissão. Não confundir
com formação na empresa.
Formação para funções e técnicas de BT
supervisão do trabalho, organização do
trabalho, formação no posto de trabalho, FORMAÇÃO PROFISSIONAL
relações humanas e controlo de qualidade
BT SISTEMAS DE FORMAÇÃO
FORMAÇÃO RT
FORMAÇÃO SECTORIAL FORMAÇÃO DO PESSOAL

RT GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS


SUPERVISOR
FORMAÇÃO DO PESSOAL
BT
GRUPO DESTINATÁRIO

  172
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
FORMAÇÃO ENTRE EMPRESAS FORMAÇÃO INICIAL
Termo descritor no LQS. Parece ser Primeiro programa completo de formação
sinónimo de FORMAÇÃO com vista ao exercício de uma profissão.
INTEREMPRESARIAL do TEE. Compreende geralmente duas partes: uma
RT formação básica seguida de uma
especialização
EMPRESA NT
FORMAÇÃO FLORESTAL INICIAÇÃO PROFISSIONAL
BT FORMAÇÃO INTEREMPRESARIAL
FORMAÇÃO BT
FORMAÇÃO INDIVIDUAL TIPO DE FORMAÇÃO
Método de formação que permite a cada FORMAÇÃO ITINERANTE
formando de um grupo progredir ao seu
ritmo sem impedir a formação de outros Sistema pelo qual os professores ou
BT formadores se estruturam em equipas que
servem de "centros" de formação para
MÉTODO PEDAGÓGICO fazer chegar a formação ao interessados
em comunidades isoladas, zonas rurais,
TIPO DE FORMAÇÃO ou fábricas.
BT
RT
FORMAÇÃO PROFISSIONAL
ENSINO PROGRAMADO
FORMAÇÃO MODULAR
FORMAÇÃO MODULAR
Sistema em que o conteúdo da formação
MÉTODO DE APRENDIZAGEM se divide em unidades ou módulos
autónomos que podem combinar-se de
FORMAÇÃO INDUSTRIAL modo a formar um programa adequado às
necessidades do indivíduo, à evolução
Formação do pessoal dirigida pelas técnica, à estrutura profissional
empresas industriais BT
USE
FORMAÇÃO PROFISSIONAL
ENSINO TÉCNICO
SISTEMAS DE FORMAÇÃO
FORMAÇÃO INICIAL
RT
Primeiro programa completo de formação
com vista ao exercício de uma profissão. FORMAÇÃO INDIVIDUAL
Compreende geralmente duas partes: uma
formação básica seguida de uma MÓDULO DE ENSINO
especialização
BT UF
FORMAÇÃO PROFISSIONAL FORMAÇÃO POR MÓDULOS
TIPO DE FORMAÇÃO MÓDULOS DE FORMAÇÃO
NT
FORMAÇÃO BÁSICA

  173
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
FORMAÇÃO NA EMPRESA FORMAÇÃO PARA A PREVENÇÃO
Toda a formação profissional, incluindo USE
aprendizagem, levada a cabo dentro da
empresa e destinada a trabalhadores FORMAÇÃO PARA A SEGURANÇA
BT FORMAÇÃO PARA A SEGURANÇA
SISTEMAS DE FORMAÇÃO
BT
NT SEGURANÇA DO TRABALHO
FORMAÇÃO NO POSTO DE TRABALHO
RT
RT FORMAÇÃO
EMPRESA
UF
FORMAÇÃO NO ESTRANGEIRO FORMAÇÃO PARA A PREVENÇÃO
No TEE é não descritor para Estudos no FORMAÇÃO PARA A SEGURANÇA NA EMPRESA
estrangeiro. No CEDEFOP subordina-se a
Tipo de formação. Segue-se este último
FORMAÇÃO PARA A SEGURANÇA NA ESCOLA
BT
TIPO DE FORMAÇÃO FORMAÇÃO PARA A SEGURANÇA NA EMPRESA
FORMAÇÃO NO POSTO DE TRABALHO USE
FORMAÇÃO PARA A SEGURANÇA
Formação dada no posto de trabalho, ou
seja, nas tarefas normais de produção que
servem de base ao ensino teórico e prático FORMAÇÃO PARA A SEGURANÇA NA ESCOLA
USE
BT
FORMAÇÃO PARA A SEGURANÇA
FORMAÇÃO NA EMPRESA
FORMAÇÃO PARA A VIDA QUOTIDIANA
FORMAÇÃO PARA A GESTÃO
Desenvolvimento das competências dos
quadros, através de reuniões, seminários,
difusão da informação, etc.
Suboedinado a Formação no LQS, a Ramo FORMAÇÃO PEDAGÓGICA DE FORMADORES
de ensino no TEE, a Formação sectorial
no CEDEFOP, a Ensino profissional no USE
EUROVOC. Segue-se este último FORMAÇÃO DE FORMADORES

BT FORMAÇÃO PERMANENTE
ENSINO PROFISSIONAL USE
FORMAÇÃO FORMAÇÃO PROFISSIONAL CONTÍNUA
RT FORMAÇÃO PLURIDISCIPLINAR
GESTÃO No CEDEFOP este é descritor e
FORMAÇÃO POLIVALENTE é UP.
UF USE
FORMAÇÃO DE QUADROS FORMAÇÃO POLIVALENTE

  174
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
FORMAÇÃO POLIVALENTE FORMAÇÃO PRÉ-PROFISSIONAL
No CEDEFOP este é UP e FORMAÇÃO Este termo é sinónimo de INICIAÇÃO
PLURIDISCIPLINAR descritor. PROFISSIONAL (ISS).
BT BT
TIPO DE FORMAÇÃO FORMAÇÃO PROFISSIONAL
UF UF
FORMAÇÃO PLURIDISCIPLINAR PREPARAÇÃO PROFISSIONAL
FORMAÇÃO POR ETAPAS USE
BT INICIAÇÃO PROFISSIONAL
FORMAÇÃO PROFISSIONAL FORMAÇÃO PROFISSIONAL
FORMAÇÃO POR MÓDULOS Termo genérico que engloba todas as
formas de aquisição de conhecimento a
USE todos os níveis com ou sem conotação
FORMAÇÃO MODULAR profissional. Utilizar de preferência um
termo mais específico. Presente em todos
FORMAÇÃO POR SECTOR ECONÓMICO os tesauros consultados.
BT
BT FORMAÇÃO
FORMAÇÃO PROFISSIONAL
FORMAÇÃO PROFISSIONAL, ORIENTAÇÃO
FORMAÇÃO POR SIMULAÇÃO
NT
BT
ADMINISTRAÇÃO DA FORMAÇÃO
MÉTODO PEDAGÓGICO
APRENDIZAGEM PROFISSIONAL
FORMAÇÃO PRÁTICA
Ensino e prática ligados às funções e CERTIFICAÇÃO
tarefas normais de uma profissão:
utilização de máquinas, instrumentos e COMPETÊNCIA PROFISSIONAL
material, métodos e práticas correntes no
posto de trabalho. FORMAÇÃO ACELERADA
BT
FORMAÇÃO ALTERNADA
FORMAÇÃO PROFISSIONAL
FORMAÇÃO COMPLEMENTAR
TIPO DE FORMAÇÃO
FORMAÇÃO DE RECONVERSÃO
NT
ESTÁGIO NA EMPRESA FORMAÇÃO EM SERVIÇO
RT FORMAÇÃO INICIAL
FORMADOR
FORMAÇÃO ITINERANTE
FORMAÇÃO MODULAR
FORMAÇÃO POR ETAPAS

  175
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
FORMAÇÃO PROFISSIONAL FORMAÇÃO PROFISSIONAL
Termo genérico que engloba todas as Termo genérico que engloba todas as
formas de aquisição de conhecimento a formas de aquisição de conhecimento a
todos os níveis com ou sem conotação todos os níveis com ou sem conotação
profissional. Utilizar de preferência um profissional. Utilizar de preferência um
termo mais específico. Presente em todos termo mais específico. Presente em todos
os tesauros consultados. os tesauros consultados.
NT RT
FORMAÇÃO POR SECTOR ECONÓMICO POLÍTICA DE FORMAÇÃO
FORMAÇÃO PRÁTICA PROGRAMA DE FORMAÇÃO
FORMAÇÃO PRÉ-PROFISSIONAL QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL
FORMAÇÃO PROFISSIONAL CONTÍNUA TÉCNICA DE ENSINO
FORMAÇÃO SECTORIAL FORMAÇÃO PROFISSIONAL CONTÍNUA
FORMANDO BT
FORMAÇÃO PROFISSIONAL
GESTÃO DA FORMAÇÃO
TIPO DE FORMAÇÃO
GRUPO DESTINATÁRIO
RT
INVESTIGAÇÃO EM FORMAÇÃO EDUCAÇÃO PERMANENTE
NECESSIDADE DE FORMAÇÃO REABILITAÇÃO PROFISSIONAL
PERFIL DE FORMAÇÃOPROFISSIONAL UF
REABILITAÇÃO PROFISSIONAL FORMAÇÃO PERMANENTE
SISTEMAS DE FORMAÇÃO FORMAÇÃO PROFISSIONAL EM ROTATIVIDADE
TIPO DE FORMAÇÃO Modelo de organização da formação,
facilitador da formação contínua, em que
um ou mais empregados se ausentam do
RT seu posto de trabalho para frequentar
DESENVOLVIMENTO DOS RECURSOS HUMANOS acções de formação, sendo substituídos
por desempregados previamente formados
DESENVOLVIMENTO PESSOAL
BT
EDUCAÇÃO DE ADULTOS TIPO DE FORMAÇÃO
ENSINO PROFISSIONAL FORMAÇÃO PROFISSIONAL, ORIENTAÇÃO
ENTIDADE DE FORMAÇÃO NT
FORMAÇÃO PROFISSIONAL
MATERIAL DIDÁCTICO
FORMAÇÃO SECTORIAL
MÉTODO DE ENSINO
BT
MÉTODO PEDAGÓGICO FORMAÇÃO PROFISSIONAL

  176
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
FORMAÇÃO SECTORIAL FORMAÇÃO-EMPREGO
NT Relações entre os sistemas de formação e
FORMAÇÃO AGRÍCOLA as necessidades dos mercados de
emprego.
Sem subordinação.
FORMAÇÃO COMERCIAL UF
FORMAÇÃO DE SUPERVISORES RELAÇÃO FORMAÇÃO-EMPREGO
FORMAÇÃO SINDICAL FORMADOR
BT Termo descritor no VETThes, no domínio
TIPO DE FORMAÇÃO PROFISSÕES, e na LQS, na forma plural,
subordinado a PESSOAL DE
FORMAÇÃO.
RT Consta da FORMEI, na forma plural.
SINDICATO CNP (versão 1994, 2.ª ed., 2001)
2.3.5.9.05: planeia, prepara, desenvolve e
FORMAÇÃO TÉCNICA avalia sessões de formação de uma área
científico-tecnológica específica,
BT utilizando métodos e técnicas
TIPO DE FORMAÇÃO pedagógicas adequadas.

N.A. do LQS(2006) retirada do OIT:


RT Encarregado de dar formação prática, quer
TÉCNICO na empresa, quer num estabelecimento de
ensino e somente uma parte do ensino
UF técnico complementar. As suas funções
tendem a confundirem-se com as do
FORMAÇÃO TECNOLÓGICA professor de ensino profissional. (ISS)

FORMAÇÃO TECNOLÓGICA BT
Este UP foi suprimido no LQS2006, existe CLASSIFICAÇÃO DAS PROFISSÕES
nas versões anteriores.
USE NT
FORMAÇÃO TÉCNICA PERFIL DO FORMADOR
FORMAÇÃO-EMPREGO RT
Relações entre os sistemas de formação e FORMAÇÃO DE FORMADORES
as necessidades dos mercados de
emprego. FORMAÇÃO PRÁTICA
Sem subordinação.
BT FORMANDO
MERCADO DE TRABALHO RELAÇÃO FORMADOR-FORMANDO
RT
MERCADO DA FORMAÇÃO
NECESSIDADE DE FORMAÇÃO
UF
EDUCAÇÃO-FORMAÇÃO-EMPREGO

  177
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
FORMADORES-FORMANDOS FORUM SÓCIO-OCUPACIONAL
Resposta, desenvolvida em equipamento,
Consta da FORMEI e do LQS, LQS(2006), destinada pessoas com doença
mas não é este termo nas fontes citadas. psiquiátrica grave, transitória ou
permanente, visando a sua reinserção
USE sócio-familiar e ou profissional, ou a sua
eventual integração em programas de
RELAÇÃO FORMADOR-FORMANDO formação ou de emprego protegido.
Termo candidato
FORMANDO Manual de Nomenclaturas da DGSS, FC,
2005
Usar em relação às pessoas que recebem Enquadramento legal:
formação com vista à obtenção de uma Despacho Conjunto 407/98, de 15 de Maio
qualificação profissional Resposta de intervenção articulada -
BT Segurança Social/Saúde
FORMAÇÃO PROFISSIONAL
BT
RT EQUIPAMENTO SOCIAL
ATITUDE DO FORMANDO
FOTOGRAFIA
ESTUDANTE
No EUROVOC é UP de ARTES VISUAIS,
FORMADOR subordinado a ARTES. No CEDEFOP é
UP de INDÚSTRIA AUDIOVISUAL. No
PERFIL DE FORMAÇÃOPROFISSIONAL OCDE é descritor subordinado a ARTES
DE REPRODUÇÃO. No OIT é descritor
subordinado a MEIO VISUAL da faceta
RELAÇÃO FORMADOR-FORMANDO MATERIAL NÃO LIVRO.
BT
UF
ESTAGIÁRIO BELAS ARTES
FORMULÁRIO FOTÓGRAFO
BT
BT
DOCUMENTO TÉCNICO
UF FRANÇA
IMPRESSO BT
PAÍSES CE
PAÍSES UE
FRANCÊS
USE
LÍNGUA FRANCESA
FRAUDE FISCAL
RT
FISCALIDADE

  178
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
FREE LANCE FUNÇÃO PRODUÇÃO
Termo não descritor no EUROVOC. Sugere-se a designação do OIT.
USE USE
PROFISSÃO INDEPENDENTE FUNÇÃO DA PRODUÇÃO
FREQUÊNCIA FUNÇÃO PÚBLICA
BT RT
ENTRADA NA ESCOLA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA
RT SERVIÇOS PÚBLICOS
ABSENTISMO
FUNCIONÁRIO EUROPEU
FSE Termo descritor no EUROVOC no domínio
USE COMUNIDADES EUROPEIAS.

FUNDO SOCIAL EUROPEU


FUGA DE CÉREBROS
FUNCIONÁRIO PÚBLICO
Termo existente no LQS mas não
subordinado a MIGRAÇÃO, no EUROVOC Termo descritor no VETThes e no
está. EUROVOC, colocado no domínio
BT ACTIVIDADE POLÍTICA.

MIGRAÇÃO No OCDE e OIT o termo é FUNCIONÁRIO,


dado o significado, é preferível
FUNÇÃO DA PRODUÇÃO FUNCIONÁRIO PÚBLICO.
BT
As diferentes combinações de factores de
produção necessárias para obter uma ESTATUTO PROFISSIONAL
determinada quantidade de produto.
RT
Este termo no LQS é FUNÇÃO
PRODUÇÃO. Preferimos o termo do OIT. ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA
RT UF
PRODUÇÃO AGENTES DO ESTADO
PRODUTIVIDADE FUNCIONÁRIOS
UF FUNCIONÁRIOS PÚBLICOS
FUNÇÃO PRODUÇÃO
TRABALHADORES DA FUNÇÃO PÚBLICA
FUNÇÃO FORMAÇÃO
FUNCIONÁRIO SINDICAL
BT
GESTÃO DA FORMAÇÃO Existe no LQS. Sugere-se preferência pelo
do EUROVOC - REPRESENTANTE
SINDICAL.
RT
OBJECTIVO DA FORMAÇÃO

  179
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
FUNCIONÁRIOS FUNDO DE COESÃO
Consta da FORMEI. BT
USE FUNDOS ESTRUTURAIS
FUNCIONÁRIO PÚBLICO
RT
FUNCIONÁRIOS PÚBLICOS COESÃO ECONÓMICA E SOCIAL
Termo descritor na LQS, sem FUNDO DE PREVIDÊNCIA
subordinação. FUNDO DE PREVIDÊNCIA
Consta da FORMEI. RT
Usar relativamente ao pessoal da
administração pública; não confundir com SEGURANÇA SOCIAL
os Empregados dos Serviços Públicos.
USE FUNDO EUROPEU DE DESENVOLVIMENTO REGIONAL
FUNCIONÁRIO PÚBLICO USE
FUNDAÇÃO FEDER

BT FUNDO EUROPEU DE ORIENTAÇÃO E GARANTIA AGRÍCOLA


ORGANIZAÇÃO SEM FINS LUCRATIVOS USE
FUNDAÇÃO DUBLIM FEOGA

USE FUNDO MONETÁRIO INTERNACIONAL


FUNDAÇÃO EUROPEIA PARA A MELHORIA DAS CONDIÇÕES... USE
FUNDAÇÃO EUROPEIA PARA A MELHORIA DAS CONDIÇÕES... FMI

Fundação Europeia para a Melhoria das FUNDO SOCIAL EUROPEU


Condições de Vida e de Trabalho.(não
cabe por extenso) Fundo instituído pelo Tratado de Roma
Em todas as versões do LQS está como com o objectivo de melhorar as
Fundação DUBLIM, que é não descritor no oportunidades de emprego dos
CEDEFOP E EUROVOC. Sem trabalhadores no mercado interno e de
subordinação nem relações no LQS. contribuir para o aumento do nível de vida.
BT BT
ORGANISMO COMUNITÁRIO FUNDOS ESTRUTURAIS
UF RT
EUROFOUND COMUNIDADE EUROPEIA
FUNDAÇÃO DUBLIM POLÍTICA SOCIAL EUROPEIA
FUNDO DAS NAÇÕES UNIDAS PARA AS ACTIVIDADES... UNIÃO EUROPEIA
Termo completo: FUNDO DAS NAÇÕES UF
UNIDAS PARA AS ACTIVIDADES EM FSE
MATÉRIA DE POPULAÇÃO
USE FUNDOS
FNUAP RT
FINANCIAMENTO

  180
                                                         

Tesauro FORMEI
Lista Alfabética
FUNDOS CE FUTURO DO TRABALHO
BT RT
FINANCIAMENTO COMUNITÁRIO TRABALHO
NT FUTUROLOGIA
FEOGA USE
FUNDOS ESTRUTURAIS ESTUDO PROSPECTIVO
RT GABINETE DE COLOCAÇÃO
AJUDA COMUNITÁRIA Termo não descritor no EUROVOC.
USE
FUNDOS DE ASSISTÊNCIA
SERVIÇO DE EMPREGO
RT
ASSISTÊNCIA SOCIAL GARANTIA DE EMPREGO
Termo não descritor no EUROVOC para
MUTUALIDADE SEGURANÇA DO EMPREGO.
USE
FUNDOS ESTRUTURAIS
SEGURANÇA DE EMPREGO
Instrumentos financeiros de que dispõe a
Comissão Europeia para reforçar a coesão GARANTIA DE INVESTIMENTO
económica e social da União Europeia.
Este termo no EUROVOC é GARANTIA
BT DO INVESTIMENTO, substitui-se?
Sugere-se seguir a subordinação do
FUNDOS CE EUROVOC.
BT
NT
POLÍTICA DE INVESTIMENTO
FEDER
GATT
FEOGA
BT
FUNDO DE COESÃO COMÉRCIO INTERNACIONAL
FUNDO SOCIAL EUROPEU NT
IFOP LIVRE CIRCULAÇÃO DE MERCADORIAS
RT GENÉTICA
COESÃO ECONÓMICA E SOCIAL BT
COMUNIDADE EUROPEIA BIOLOGIA
POLÍTICA ESTRUTURAL GEOGRAFIA
BT
QUADRO COMUNITÁRIO DE APOIO CIÊNCIAS DA TERRA