You are on page 1of 2

Outsourcing de TI como estratégia de negócios

Retirado de WWW.imasters.com.br em 02/09/08

A tecnologia de Informação tem sido usada apenas como suporte para que as empresas
tenham informações sobre os negócios ou como estratégia, gerando um diferencial para
o mercado?

Para as grandes companhias de várias partes do mundo, a resposta é cada vez mais
clara. O uso da tecnologia ultrapassou os aspectos estrutural, técnico e organizacional
para atuar de forma mais ampla, como um fator estratégico para os negócios.

Um fato que pode confirmar essa tendência foi o resultado de uma pesquisa com CIOs
realizada pelo Gartner nos Estados Unidos e na Europa. O objetivo era investigar as
possíveis mudanças que a TI teria até 2012 e, para tanto, foram levantadas as opiniões
de líderes seniores de TI de companhias com 500 a 10 mil funcionários em média.

O resultado concluiu que há uma tendência definitiva que troca o papel tático e
organizacional da TI por um papel estratégico para a gestão do processo de negócios.
Outra importante conclusão é que as empresas com maior componente de inovação
apresentam uma tendência notável de adotar áreas de TI com foco em ativos de
informações e processos, em relação àquelas que usam a TI com finalidade maior de
obter mais eficiência técnica.

Um outro estudo do mesmo instituto revela que no restante deste ano e nos próximos, os
gastos das empresas com TI vão crescer mais rápido do que o próprio crescimento
econômico mundial. As empresas estão preferindo, em vez da compra de ativos de
hardware e software, comprar recursos de TI como serviços.

No Brasil, essa tendência parece acompanhar o ritmo mundial. Segundo o IDC, dos
US$ 491 milhões que os serviços de TI movimentaram no mundo em 2007, num ritmo
de crescimento de 5%, o Brasil deteve a fatia de 1,7%. No ranking global de serviços de
TI, de acordo com a IDC, o mercado nacional está em 10º. lugar, adiante dos outros
países do BRIC nos investimentos com serviços de TI.

Com tantos novos recursos surgindo todos os dias, especialmente as pequenas e médias
empresas precisam garantir que a tecnologia que vão adquirir é eficaz para suas
necessidades e, mais ainda, pode ser utilizada como vantagem competitiva. Mas isso
requer especialização.

O mercado já percebeu que contratar prestadores de serviços para fornecer esses


recursos vale a pena. Nenhum empresário pode colocar em risco o sucesso de seus
esforços de crescimento, deixando o assunto TI relegado a segundo plano. Ou vai ver
seu parque tecnológico envelhecer, sua segurança de informações ficar vulnerável e às
vezes até encontrar problemas para extrair as informações necessárias para suas
operações. Simplesmente porque nem tudo pode ser resolvido internamente.

Ao contratar um serviço qualificado de TI, a empresa tira dos ombros a preocupação


com uma área que não é seu produto final. Passa a outras mãos itens como
desenvolvimento e gerenciamento de aplicações de sistemas; Manutenção, Revisão e
Mapeamento de Processos; Gerenciamento de Projetos; Suporte à infra-estrutura de
computadores; serviços profissionais e de consultoria; Gerenciamento de rede e
segurança; Data Center e links de acesso, dentre outras.

A terceirização de TI está mudando para um perfil mais amplo e deve ser focada como
meio de impulsionar os negócios. Além do mais, terceirizar permite ao empresário
ganhar mais tempo para estar focado no seu negócio, ter custos mais baixos e
planejados e ainda ter a vantagem da flexibilidade. Abrir a mente para essa realidade
coloca qualquer empresa à frente na disputa diária do mercado.