Вы находитесь на странице: 1из 3

Inf luência da Manipulação

Miofascial sobre a Amplitude


Articular
The Inf luence of the Miofascial Manipulation on Amplitude of Moviment

BIANCHINI, Lorise de Paula1; MOREIRA, Marcelo Rodrigues2

Resumo
A fáscia é o tecido mais penetrante do corpo, ligando e percorrendo todo o corpo. A fáscia é dividida em fáscia
superficial e profunda, sendo que da fáscia superficial origina o peritônio, que envolve as vísceras da cavidade abdo-
minal. Então, todo tratamento fisioterapêutico de uma deformidade só pode ser global. Liberar as restrições miofasciais
pode afetar outros órgãos do corpo através da liberação de tensão no grande sistema fascial. O fígado tem ligação com
as fáscias pelos seus ligamentos. Então uma alteração de ADM pode ser decorrente de uma alteração fascial a
distância, decorrente de uma alteração visceral.

Palavras-chave: Manipulação miofascial, fáscia, visceral

Abstract
The fáscia is the tissue more penetrate of the body, binding and traversing all the body. The fascia is divided in
superfial and deep fascia, being that from the superficial fascia it originates the peritoneo, that involves visceras of the
abdominal socket. So all physioterapy treatment of a deformity it can be global. To liberate restrictions miofasciais can
be affect other organ of the body through the release of the tension in the great fascial system. The liver has linking
with the fáscias for its ligaments. Then an alteration of the amplitude of movement can be decurrent of a fascial
alteration, in the distance decurrent of a visceral alteration.

Key-words: Miofascial manipulation, fáscia, visceral

Introdução perficial e profunda. A fáscia super- um envoltório funcional (4).


A fáscia tem sido descrita como ficial é um emaranhado solto de te- A massa visceral contida na ca-
o tecido mais penetrante no corpo, cido fibroelástico conectado à face vidade abdominal encontra-se em
representando uma rede tridi- interna da pele, provendo constan- perpétuo movimento e há uma
mensional da cabeça aos pés (1). O te feedback consciente e inconsci- membrana que interliga todos os
Tecido fascial liga e percorre todo o ente ao sistema nervoso central. A órgãos, o peritônio, que é formado
corpo, as áreas mais espessas trans- fáscia profunda varia em densidade pela fáscia superficial. (4)
mitem tensão em muitas direções, e é responsável pela O SNC é cercado pelo tecido
e sua influência é sentida em pon- compartimentalização do corpo se- fascial (dura-máter) que conecta-se
tos distantes, assim como o nó em parando e envolvendo órgãos ao osso do crânio, de forma que a
uma malha pode distorcer a malha, viscerais. Epimísio, peri-mísio e disfunção desses tecidos pode ter
sendo que, qualquer parte da es- endomísio representam folhas efeitos profundos e disseminados.
trutura fascial deformada ou fasciais contribuindo para a eficiên- O Sistema Nervoso está ligado a
distorcida, pode haver a imposição cia no desenvolvimento de tensão tecidos e estruturas circundantes e
1
- Fisioterapeuta de tensões negativas em aspectos muscular. Músculos e fáscia são fun- são essenciais para amplitude de
formada pela distantes - e nas estruturas que ela cionalmente ligados combinando as movimento normal do sistema ner-
Unifran - Franca-SP
divide, envolve, enreda e suporta, propriedades de tecidos contráteis voso.(5)
2
- Fisioterapeuta
formado pela
e com a qual se conecta, assim, a e não-con-tráteis. Mecanismos re- Quando o corpo não está em ali-
Cesumar - congestão ou mau funcionamento de flexos também contribuem com a nhamento, a fáscia pode realizar seu
Maringá-PR
um órgão interno serão sentidos como função e desenvolvimento neural via trabalho até um ponto crítico. En-
Endereço para cor- uma dor localizada, às vezes bastan- receptores na fáscia subcutânea, tão, se uma área da fáscia alcançou
respondência: Av.
Madre Leonia Milito, te forte sob pressão da superfície, pele e tecidos conectivos(1). Pelas sua expansão máxima e não pode
760 mesmo num ponto distante da sua suas expansões a aponeurose su- cobrir a área designada, o restante
Jd. Bela Suíça
CEP: 86.050-270 origem(2,3). perficial envolve profundamente da fáscia deve mover-se até aquela
Londrina-PR Manheim divide a fáscia em su- todo o sistema contrátil muscular, é parte. A distorção da fáscia causa

60 Terapia Manual, Londrina, V. 2, n. 2, p. 78 - 80, out. 2003 / dez. 2003


em outra parte do corpo uma com-
pressão pela parede da fáscia que a
cobre. Enquanto as outras áreas da
fáscia tentam manter pressões
iguais em todas as partes do corpo,
a fáscia fica totalmente alon-gada,
e acomodações futuras não podem
ser feitas. As partes que podem ser
comprimidas irão sustentar com- Fig. 3.2

pressão máxima para compensar


aquelas estruturas que não podem Fig. 1 - Dor referida

ser comprimidas. A única maneira


que o corpo pode permanecer ereto menstrual, todas foram submetidas
contra a gravidade é adotando mais aos testes prévios de Schoeber lom-
assime-trias posturais(6). bar (fig.2.1 e 2.2) e distância mão
Segundo Bienfait, não há defor- solo, um grupo com dez pessoas foi
midade única, isolada ou localiza- controle e no outro grupo foi reali-
da; não pode haver correção única, zada massagem abdominal por 15
Fig. 3.3
isolada ou localizada. Todo trata- minutos (fig. 3.1, 3,2 e 3,2) e pos-
mento fisioterapêutico de uma de- teriormente mensurados o ângulo
formidade ou de uma simples limi- de Schoeber e a distância mãos solo A Fisioterapia manual relaciona-
tação articular só pode ser global. que foram estatisticamente da ás manobras viscerais são pas-
Liberar as restrições miofas- significantes.(8) sivas articulares e alongamentos
ciais pode afetar outros órgãos do Outros exemplos podem ser ci- miofasciais para o tratamento de
corpo através da liberação de ten- tados como o teste de SLR modifi- disfunções de órgãos peri-toniais e
são no grande sistema fascial.(6) cado denominado por alguns auto- estruturas adjacentes (10), manobras
O objetivo desta revisão biblio- res como SotoHall (fig.4) onde o Fi- aplicadas em pacientes com hérnia
gráfica foi demonstrar que uma al- sioterapeuta comprime e eleva o fí- de hiato sabe-se que os sintomas
teração visceral pode levar a perda gado no caso de suspeita de influ- são melhorados mas que
da ADM corporal e ressaltar a im- ência viscero-somática, o teste de anatomicamente a hérnia não sofre
portância das fás-cias e suas expan- SLR poderá sofrer influência sobre
sões no corpo como um todo. a alteração viscero-somático(9).

Discussão
Os órgãos internos estão inter-
ligados e nas disfunções soma-to-
viscerais poderá gerar uma condi-
ção dolorosa do músculo, por exem-
plo, um ponto gatilho nos músculos
abdominais podendo causar diarréia
e/ou vômitos (7) , as disfunções Fig. 4 - Teste de SotoHall
Fig. 2.1 - Teste de Schoeber em ortostatismo
viscero-somáticas ocorrem quando
a musculatura esquelética é afeta- influências(11).
da por distúrbios viscerais .
Dor referida está relacionada á Revisão Anatômica
irritação tanto de estruturas O fígado é o maior órgão abdo-
somáticas como viscerais, normal- minal, estando em contato direto
mente referida em uma área á dis- com o diafragma e com a parte ab-
tância do órgão de origem. Fig. 1 dominal anterior. Ele se posiciona
Em uma pesquisa clínica verifi- entre a 5a e a 10ª costela á direita.
cou-se que alterações viscerais po- Fig. 2.2 - Teste de Schoeber em flexão de tron- A ligação do fígado com as
dem afetar estruturas músculo- co fáscias começa pelos seus ligamen-
esqueléticas, dois grupos de mulhe- tos, que se ligam a vários outros
res de média de idade entre 24,5 órgãos como:
anos foram separadas em dois gru- Ligamento falciforme: que liga
pos de 10 pessoas por sorteio, da a face diafragmática do fígado com
raça branca, com aceite por termo o diafragma anterior e abdome an-
de consentimento livre e esclareci- terior. Ele é o ramo vertical do liga-
do, não obesas (IMC), sedentárias, mento coronário que tem um for-
questionário de R.R. Patê modifica- mato de T sendo o ra-mo horizontal
da por Nahas e fora do período o ligamento coro-nóide. É ele que
Fig. 3.1

Terapia Manual, Londrina, V. 2, n. 2, p. 78 - 80, out. 2003 / dez. 2003 61


indica a direção do movimento do de apoio das fáscias profundas do fáscias têm uma grande capacida-
fígado. abdome e dos MMII. de de alterar a ADM corporal. Como
Omento menor: une o fígado e Pelo Mesentério que é uma du- foi demonstrado nesta revisão bi-
o esôfago, é a primeira porção do pla lamina do peritônio que cerca bliográfica, uma alteração local pode
duodeno. É prolongamento do liga- os órgãos e conecta-se a parede causar alterações a distancia, no
mento coronário. Divide-se em duas abdominal, a Fáscia Transversal no qual muitas vezes não se da a devi-
partes: ligamento hepa-togástrico, abdome forra à face profunda da da importância, não tratando o pa-
e o ligamento hepato-cístico- parede muscular abdominal (mús- ciente como um todo.
duodenal que se funde com o se- culos transversos) e a face posteri- PAOLETTI, 1998

gundo duodeno, ângulo cólico direito or dos retos abdominais estenden- Referências Bibliográficas
e o omento maior. O omento menor do-se pela face posterior dos liga-
encobre parte do fígado mentos inguinais, e o bordo superi- 1. MANHEIN, C. The Miofascial Release
Manual. Thorofare, NJ: Editora Slack
Ligamento Hepatorrenal: É uma or do púbis (4).
Incorporated; 2001.
dobra peritoneal que liga o fígado Internamente á fáscia transver- 2. ROLF, I. P. Rolfing, a Integração das
ao rim. sal está o peritônio, á membrana Estruturas Humanas. 2ª. Edição. São
Ligamento coronário: É ele que que reveste as cavidades abdomi- Paulo, SP: Ed. Martins Fontes, 1999.
3. CHAINTOW, L. Técnicas
sustenta o fígado. Se estende da nal e pélvica. No sentido caudal a
Neuromusculares Modernas. São
parte posterior do fígado ao diafrag- fáscia superficial do abdome funde-
Paulo, SP: Ed. Manole, 2001. Pág. 15
ma. Como todos os ligamentos se com a fáscia superficial e pro- 4. BIENFAIT, M. Estudo e tratamento do
peritoniais eles são constituídos por funda da coxa (fáscia lata), com a esqueleto fibroso. Fáscias e
dois fascículos e duas extremidades, fáscia superficial do períneo e com Pompagens. São Paulo, SP: Ed.
Summus Editorial, 1999.
que vão se inserir nas partes late- a fáscia profunda do abdome que
5. BUTLER, D. Mobilização do Sistema
rais do diafragma, tendo o nome de se liga com a fáscia transversal (13). Nervoso. Barueri, SP: Ed. Manole,
ligamento triangular que reforça a A força de desequilíbrio causa 2003. Pág. 3 a 31
suspensão do fígado. Sua extensão alterações nas tensões mecânicas ao 6. KEGERREIS, S. Introdução à Liberação
Miofascial. Indianápolis, IN
inferior é o ligamento hepa-torrenal. seu redor e toda parte das inser-
7. TRAVELL J.G. , SIMONS D.G. Myofascial
Ligamento redondo: é um re- ções dos órgãos perde a elasticida-
Pain and Dysfunction - The Trigger
manescente fibroso do ligamento de habitual e constitui uma lesão Point Manual. Vols 1 e 2. Baltimore,
umbilical que liga o umbigo ao fíga- membranosa. Elas podem ser con-
do. seqüência por exemplo de um trau-
A face diafragmatica do fígado ma direto, uma hepatite viral ou
é coberta com peritôneo visceral, uma hematomegalia, assim o liga-
exceto a área nua do fígado, que é mento suspenso do fígado não tem
demarcada pela reflexão do a mesma elasticidade. A transmis-
peritônio, do diafragma. (9) são de tensão da mobilidade e
A maior parte da superfície do motilidade está funcionando mal.
fígado está envolvida por uma túni- Quando o equilíbrio membranoso
ca serosa, uma tela subserosa e uma local e geral é perturbado, a tensão
túnica fibrosa. A túnica serosa e a recíproca da fáscia causa problemas
tela subserosa estão sob dependên- articulares, perito-visceral e
cias do peritônio (12). disfunções orgânicas. (9)
A ligação do fígado com a fáscia
dos MMII envolve o diafragma com Conclusão USA: Williams & Wilkins, 1983.

seus pilares no qual são os pontos Podemos assim concluir que as

8. SALGADO , ASI, CECI, LA, PARREIRA, RB. Relação entre Massagem Visceral e Amplitude Lombar. Anais da semana científica da Universidade
Norte do Paraná ( UNOPAR ), 2001.
9. BARRAL, J.P & MARCIEL, P. Manipulations Viscérales I. 2ème édition. Paris. Ed. Maloine, 1983. Pág. 85 a 108.
10. SALGADO ASI, CECI LA, PARREIRA, RB. Relação entre Massagem visceral e amplitude lombar. Revista Terapia Manual , Volume 1, no. 01, 2002.
Pág. 18 a 21
11. OLIVEIRA AP. Tratamento Osteopático das hérnias de hiato. Revista de Terapia Manual. Volume 01, no. 04, 2003. Pág. 118 a 119
12. DI DIO, Liberato J. A. Tratado de Anatomia Aplicada Vol. II.. São Paulo, SP: Editora Póluss Editorial, 1999. Pág. 533
13. MOORE, K.L., DALLEY, A. F. Anatomia orientada para a Clínica. 4ª edição. Rio de janeiro, RJ: Ed. Guanabara Koogan, 2001.
14. PAOLETTI, S. Lês Fáscias. Role dês tissus dans la mécanique humaine. Le Prisme, France: Ed. Sully, 1998. Pág. 191

62 Terapia Manual, Londrina, V. 2, n. 2, p. 78 - 80, out. 2003 / dez. 2003