Вы находитесь на странице: 1из 17

Variáveis e Predicados

 Variáveis
Uma variável é um símbolo que representa um item individual
num conjunto de objetos. Por exemplo, a variável x pode
representar um dia da semana. Podemos dizer que x = Segunda-
feira, x = Terça-feira, etc.
 Use letras do fim do alfabeto como variáveis, tais como x, y, z.
 Um conjunto de objetos é chamado de domínio da variável.
 Para o exemplo acima, o conjunto de dias da semana é o domínio de x
 Predicado
É a declaração verbal que descreve a propriedade de uma variável.
Normalmente representada pela letra P, a notação P(x) é usada
para representar uma certa propriedade ou predicado que x satisfaz.
 Ex.: P(x) = x tem 30 dias.
 P(Abril) = Abril tem 30 dias.

Section 1.3 Quantifiers, Predicates and Validity 1


Quantificadores
 Quantificadores:
Quantificadores são frases que se referem a dadas quantidades
como “para alguns” ou “para todos” ou “para todo”, indicando
quantos objetos tem uma certa propriedade.

 Dois tipos de quantificadores: universal e existencial


 Quantificador Universal: representado por 
Este símbolo é traduzido como “para todo”, “para cada”, “para
todos”, “para qualquer um”.

 Quantificador Existencial: representado por 


Este símbolo é traduzido como “para algum”, “existe”, “há um”,
“para pelo menos um”.

Section 1.3 Quantifiers, Predicates and Validity 2


Quantificadores e Predicados
 Combinando o quantificador e o predicado, obtemos uma
declaração completa da forma (x)P(x) ou (x)P(x).
 O conjunto de objetos que podem vir a satisfazer a propriedade
P(x) é chamado de domínio de interpretação (conjunto
universo).
 Valor verdade de expressões formadas usando quantificadores
e predicados:
 Qual é o valor verdade de (x)P(x) onde x pertence ao conjunto de
meses e
P(x) = x tem menos de 32 dias.
 Sem dúvida, isso é verdade porque nenhum mês tem 32 dias.

Section 1.3 Quantifiers, Predicates and Validity 3


Valor verdade das seguintes expressões
 Verdade da expressão (x)P(x):
1. P(x) é a propriedade que x é amarelo, e o domínio de
interpretação é o conjunto de todas as flores: falso
2. P(x) é a propriedade que x é uma planta, e o domínio de
interpretação é o conjunto de todas as flores verdadeiro
3. P(x) é a propriedade que x é positivo, e o domínio de
interpretação consiste no conjunto de todos os inteiros: falso
4. Você pode encontrar uma interpretação na qual (x)P(x) é
verdadeiro e (x)P(x) é falso? impossível
5. Você pode encontrar uma interpretação na qual (x)P(x) é
verdadeiro e (x)P(x) é falso? impossível
 Predicados envolvendo propriedades de uma só variável:
predicados unários
 Predicados binários, ternários e n-ários também são possíveis:.
 (x)(y)Q(x, y) é um predicado binário.
 Esta expressão é lida: “para todo x existe um y tal que Q(x, y) é
verdade”.

Section 1.3 Quantifiers, Predicates and Validity 4


Interpretação
 Uma interpretação para uma expressão envolvendo
predicados consiste em:
a) Um conjunto de objetos, chamado de domínio de
interpretação, que deve incluir ao menos um objeto.
b) A atribuição de uma propriedade dos objetos no domínio
para cada predicado na expressão.
c) A atribuição de um objeto em particular no domínio para
cada variável (símbolo-constante) na expressão.

Fbfs com predicados podem ser construídas de maneira similar


às fbfs proposicionais usando conectores lógicos com
predicados, quantificadores, parênteses e colchetes.
 Exemplos de fbfs com predicados:
 (x)[P(x)  Q(x)]
 (x) ((y)[P(x, y)  Q(x, y)]  R(x))
 S(x, y)  R(x, y)

Section 1.3 Quantifiers, Predicates and Validity 5


Escopo da variável em uma expressão

 Colchetes são usados para identificar o escopo de uma variável.


 (x) [(y)[P(x,y)  Q(x,y)]  R(x)]
 Escopo de (y) é P(x,y)  Q(x,y) enquanto o escopo de (x) é a
expressão toda.
 (x)S(x)  (y)R(y)
 Escopo de x é S(x) enquanto o escopo de y é R(y).
 (x)[P(x, y)  (y)Q(x, y)]
 Escopo da variável y não é definido para P(x, y), logo, y é chamada
de variável livre (independente). Tais expressões podem
simplesmente não ter um valor verdade!
 Qual a verdade da seguinte expressão?
 (x)[A(x)  (y)[B(x, y)  C(y)]] na interpretação:
 A(x) é “x > 0” , B(x, y) é “x > y” e C(y) é “y  0” onde o domínio de
x são os inteiros positivos e o domínio de y são todos os inteiros.
Verdade, x=1 é inteiro positivo e qualquer inteiro menor que x é  0

Section 1.3 Quantifiers, Predicates and Validity 6


Tradução: declarações verbais para forma simbólica
 “Toda pessoa é simpática” pode ser reescrito como “Dada
qualquer coisa, se for uma pessoa, então tal coisa é simpática”.
Então, se P(x) é “x é uma pessoa” e Q(x) é “x é simpático/a”.
 Forma simbólica : (x)[P(x)  Q(x)]
 “Todas as pessoas são simpáticas” ou “Cada pessoa é simpática”
terão a mesma forma simbólica.
 “Há uma pessoa simpática” pode ser escrito como “Existe algo
que é tanto uma pessoa quanto simpático”
 Forma simbólica: (x)[P(x)  Q(x)].
 Variações: “Algumas pessoas são simpáticas” ou “Há pessoas
simpáticas”.
 Regra:  é usado com  (conjunção) e  é usado com 
(implicação).

Section 1.3 Quantifiers, Predicates and Validity 7


Tradução
 Exemplos de formação de formas simbólicas de predicados:
C(x) é “x é um cão”; L(x) é “x é uma lebre”; P(x, y) é “x persegue y”
Todos os cães perseguem todos as lebres 
Para qualquer coisa, se a coisa for um cão, então para qualquer outra
coisa, se esta for uma lebre, então o cão a persegue” 
(x)[C(x)  (y)[L(y)  P(x, y)]]

Alguns cães perseguem todas as lebres 


Existe algo que é um cão e, para qualquer outra coisa, se ela for uma
lebre, o cão a persegue 
(x)[C(x)  (y)[L(y)  P(x,y)]]

Somente cães perseguem lebres 


Para quaisquer duas coisas, se uma é uma lembre e a outra a persegue,
então a outra 
(y) (x)[L(y)  P(x,y)  C(x)]
Section 1.3 Quantifiers, Predicates and Validity 8
Negação de declarações
 A(x): Tudo é divertido
 Negação será “é falso que tudo é divertido”, ou seja, “algo não é
divertido”
 Em forma simbólica: [(x)A(x)]  (x)[A(x)]
 Similarmente, negação de “Algo é divertido” é “Nada é divertido”
ou “Tudo é chato”
 Logo, [(x)A(x)]  (x)[A(x)]

Section 1.3 Quantifiers, Predicates and Validity 9


Exercício em sala
 E(x): x é estudante; I(x): x é inteligente; M(x): x gosta de música
 Escreva fbfs que expressam as seguintes declarações:
 Todos os estudantes são inteligentes.
Para qualquer coisa, se for um estudante, então é inteligente 
(x)[S(x)  I(x)]
 Alguns estudantes inteligentes gostam de música
Existe algo que é inteligente e é um estudante e gosta de música 
(x)[I(x)  S(x)  M(x)]
 Todo mundo que gosta de música não é um estudante inteligente
Para qualquer coisa, se ela gosta de música, então é um estudante e não é inteligente 
(x)(M(x)  S(x)  [I(x)])
 Somente estudantes inteligentes gostam de música
Para qualquer coisa, se ela gosta de música, então é um estudante e é inteligente 
(x)(M(x)  S(x)  I(x))

Section 1.3 Quantifiers, Predicates and Validity 10


Validade
 Análoga a uma tautologia da Lógica Proposicional.
 Verdade de uma fbf com predicados depende da interpretação.
 Uma fbf predicativa é válida se for verdadeira em todas as
possíveis interpretações, da mesma forma que uma fbf
proposicional é verdade se todas as linhas da tabela verdade
forem verdadeiras.
 Uma fbf predicativa válida é intrinsecamente verdadeira.

fbf proposicional fbf predicativa

Verdad. ou falso – depende do Verdad., falso ou nada (se


Valor verdade
valor das declarações houver variável livre)

Verdade Tautologia - verdad. p/ qualquer Fbf válida – verdadeira em


intrínseca valor das declarações todas as interpretações

Tabela verdade para detectar Não há algoritmo para verificar


Metodologia
tautologia validade

Section 1.3 Quantifiers, Predicates and Validity 11


Exemplos de validade
 (x)P(x)  (x)P(x)
 Válido, pois se todo objeto do domínio tem uma certa propriedade,
então existe um objeto no domínio que possui a mesma
propriedade.
 (x)P(x)  P(a)
 Válido – membro do domínio de x.
 (x)P(x)  (x)P(x)
 Inválido, já que a propriedade não pode ser válida para todos os
objetos do domínio se for válida para alguns objetos do mesmo.
Podemos usar um contexto matemático para verificar:
 Sendo P(x) = “x is é par” então existe um inteiro que é par, mas
nem todo inteiro é par.
 (x)[P(x)  Q(x)]  (x)P(x)  (x)Q(x)
 Inválido, podendo ser provado com contexto matemático sendo
P(x) = x é par and Q(x) = x é ímpar.
 Neste caso, a hipótese é verdadeira mas a conclusão é falsa pois
não é o caso que todo inteiro seja par ou todo inteiro seja ímpar.

Section 1.3 Quantifiers, Predicates and Validity 12


Exercício em sala
 Qual a negação de “Todo mundo ama alguém em alguma hora”?

a) Todo mundo odeia alguém toda hora.


b) Alguém ama todo mundo toda hora.
c) Todo mundo odeia todo mundo toda hora.
d) Alguém odeia todo mundo toda hora.

Solução:
[(x)A(x)]  (x)[A(x)]
[(x)A(x)]  (x)[A(x)]

(x)(y)(h)[Ama(x, y, h) ]’ 
(x)(y)(h)[Ama(x, y, h) ]’

Resposta: Alguém odeia todo mundo toda hora.

Section 1.3 Quantifiers, Predicates and Validity 13


Exercício em sala
 Qual a negação das seguintes declarações?
Algumas fotos são antigas e esmaecidas.
[(x)A(x)]  (x)[A(x)]
[(x)A(x)]  (x)[A(x)]

(x)[Antiga(x)  Esmaecida(x)]’ 
(x)[Antiga(x)  Esmaecida(x)]’ 

Toda foto não é nem antiga e nem esmaecida.

Section 1.3 Quantifiers, Predicates and Validity 14


Exercício em sala
 Qual a negação das seguintes declarações?
Todas as pessoas são altas e magras.
[(x)A(x)]  (x)[A(x)]
[(x)A(x)]  (x)[A(x)]

(x)[Alta(x)  Magras (x)]


(x)[Alta(x)  Magras (x)]’ 
( x)[Alta(x)  Magras(x)]’ 
( x)[Alta(x)’  Magras(x)’]

Alguém é gordo ou baixo.

Section 1.3 Quantifiers, Predicates and Validity 15


Exercício em sala
 Qual o valor verdade das fbfs a seguir sendo o domínio de x o
conjunto dos números inteiros?
 (x)[M(x)  P(x)] onde P(x) é “x é par” and M(x) é “x < 10”
 (y)(x)(x + y = 0)
 (y)(x)(x2 = y)
 (x)[x < 0  (y)(y > 0  x + y = 0)]

 Usando símbolos de predicados e quantificadores apropriados,


escreva a forma simbólica da seguinte declaração em Português:
 D(x) é “x é um dia” S é “Segunda” T é “Terça”
 E(x) é “x é ensolarado” C(x) é “x é chuvoso”
 Alguns dias são ensolarados e chuvosos.
 Sempre é um dia ensolarado apenas se for um dia chuvoso.
 Choveu tanto na segunda quanto na terça.
 Todo dia chuvoso não é ensolarado.

Section 1.3 Quantifiers, Predicates and Validity 16


Lógica Formal

Fim da aula
Fundamentos
Matemáticos para a
Ciência da Computação
Capítulo 1

Copyright © 2006 W.H. Freeman & Co. MSCS Slides Formal


Logic