You are on page 1of 1

A pedagogia da ignorância

A
o anunciar que o par culturalmente. Janice Ascari.
Ministério da “Não tem de se fazer livros A autora do livro politizou a
Educação (MEC) com erros. O professor pode fa- discussão. “No tempo em que
não recolherá o li- lar na sala de aula que temos ou- só a elite ia para a escola, talvez
vro didático com tra linguagem, a popular. Os li- a norma culta bastasse. Hoje,
erros gramaticais vros servem para os alunos com o acesso da classe popular,
distribuído a 485 mil estudan- aprenderem o conhecimento a formação tem de ser mais am-
tes, o ministro Fernando Ha- erudito”, diz a professora Mí- pla. Nosso livro é direcionado
dad voltou a ser protagonista riamPaura,doProgramadePós- para aquele que pode ter sido
de confusões administrativas. Graduação em Educação da discriminado por falar errado”,
Depois das trapalhadas que co- UERJ. “Uma coisa é compreen- disse ela. Em outras palavras,
meteu na aplicação do Exame der a evolução da língua, que é exigir a correção de linguagem é
Nacional do Ensino Médio em um organismo vivo. A outra é ser preconceituoso. A reação
2009 e 2010, agora ele afirma validar erros grosseiros. É uma foi imediata. “É um absurdo es-
que não pode interferir no con- atitudedeconcessãodemagógi- sepaternalismocondescenden-
teúdo das publicações adquiri- ca.Écomoensinartabuadaerra- te de não corrigir erros gramati-
das pelo Programa Nacional da. Quatro vezes três é sempre cais. Com isso, consolida-se o
do Livro Didático nem julgar o doze, seja na periferia ou no pa- conceito de coitadinho, perni-
que é certo ou errado em maté- lácio”, afirma o escritor Marcos cioso e prejudicial ao desenvol-
ria de português, cabendo-lhe vimento dos cidadãos. Qual-
apenas decidir o que é “adequa- ‘Desperdício de querumpodecometeros barba-
do” em política pedagógica. rismos linguísticos que quiser,
Com isso, embora tenha por
dinheiro público com mas deve saber que eles só se
diversas vezes prometido me- material que emburrece sustentam dentro de um con-
lhorar a qualidade do ensino em vez de instruir’ texto e têm preço social”, diz a
fundamental, Haddad, parado- escritora Ana Maria Machado,
xalmente, endossou a pedago- Vilaça, presidente da ABL. doutoraemLinguísticaeSemio-
gia da ignorância. Produzido Sem argumentos para refutar logia,integrantedaABLeganha-
por uma ONG e de autoria da essas críticas, o MEC alegou dora do Prêmio Hans Christian
professora Heloísa Ramos, o li- que a aquisição do livro Por uma Andersen – o Nobel da literatu-
vro Por uma vida melhor defen- vida melhor foi aprovada por ra infantil.
de a supremacia da linguagem “especialistas”,combaseempa- Como o País tem um padrão
oral sobre a linguagem escrita, recer favorável de docentes da de ensino reconhecidamente
admitindo que “é certo falar er- Universidade Federal do Rio baixo, o que se deveria esperar
rado”.Corrigiroerroé“precon- Grande do Norte, e afirmou do MEC é um mínimo de res-
ceito”. A tese não é nova, já foi que o edital para a aquisição de ponsabilidade na escolha dos li-
rechaçada pela Academia Brasi- livros didáticos enfatiza a im- vros didáticos distribuídos na
leiradeLetrasesemprefoidura- portânciade “novos tipos de re- redepública.Aoimporapedago-
mente criticada nas faculdades flexão sobre o funcionamento e gia da ignorância a pretexto de
de pedagogia. Além disso, o li- as propriedades da linguagem defender a linguagem popular,
vro do MEC que admite erro de em uso” e da “sistematização as autoridades educacionais
portuguêsnãoéumaobradelin- dos conhecimentos linguísti- prejudicam a formação das no-
guística, mas uma publicação cos correlatos mais relevan- vas gerações.
pedagógica. Não foi escrito pa- tes”. Isso dá a medida da falta É por isso que um grupo de
ra linguistas, mas para quem de rigor do processo de escolha, membros do Ministério Públi-
precisa de um bom professor de que“desperdiça dinheiropúbli- co, liderado pela procuradora
português para ler, falar e escre- co com material que emburre- JaniceAscari,anunciouquepro-
ver de modo correto – condição ce, em vez de instruir”, como cessará o MEC por “crime con-
básicaparaquesepossaemanci- diz a procuradora da República tra a educação”.