You are on page 1of 4

DADOS DE EQUILIBRIO X - Y

X Y
0,01 0,103
0,03 0,235
0,05 0,325
0,1 0,444
0,15 0,496
0,2 0,529
0,25 0,552
0,3 0,573
0,35 0,593
0,4 0,613
0,45 0,632
0,5 0,652
0,6 0,697
0,65 0,723
0,7 0,753
0,75 0,783
0,8 0,81
0,85 0,856
0,87 0,873
0,8943 0,8943

d
ad
osd
ee
qu
ilib
rio
x-y

0
,9

0
,8

0
,7

0
,6

0
,5
Y

0
,4

0
,3

0
,2

0
,1

0
0 0
,1 0
,2 0
,3 0
,4 0
,5 0
,6 0
,7 0
,8 0
,9 1
X
I-MATERIAIS:

- conjunto torre de destilação: refervedor, coluna e condensador;


- solução mistura de etanol-água;
- densímetro (alcoômetro);
- provetas de 250 ml;
- recipientes para coleta do destilado e do resíduo;
- termômetro e cronômetro.

II-MÉTODOS:

1- verificou-se o nível de água no refervedor, cuidando para que este estivesse acima da
resistência.
2- ligou-se o aquecimento na potência máxima, até o início da vaporização.
3- como a mistura já estava preparada, transferiu-se então (a mistura) para o reservatório
de alimentação ,medindo-se antes a concentração da mistura.
4- próximo à vaporização, ligou-se a água de resfriamento (pouca vazão) ,abriu-se
totalmente a válvula do reciclo e fechou-se a do destilado.
5- após o início da vaporização, reduziu-se a potência para 3000 watts, deixou-se alguns
minutos para aquecimento total.
6- após aquecida, elevou-se a potência para 4500 watts e iniciou-se a alimentação.
OBS: foi feito um controle da vazão para que não houvesse perda para o resíduo
7- fez-se coletas de aproximadamente 300 ml de destilado e de resíduo.
OBS: os melhores rendimentos seriam obtidos quando da formação de uma película de
0.5 a 1.0 cm nos pratos da exaustão.
8- leu-se no termômetro precedente a alimentação , a temperatura da alimentação Tf.
9- fez-se as medidas de concentração do destilado e do resíduo, com o auxílio do
densímetro e das tabelas.
10- após feitas as medidas desprezou-se as concentrações do início do experimento,
tomando, para efeito de cálculo, os valores médios das concentrações para aplicação do método
de McCabbe-Thiele.
11- fim da operação:
- fechou-se a válvula da alimentação
- encerraram-se as coletas para fins de análise
- reduziu-se a potência para 3000 watts
- quando cessou a vazão do resíduo, desligou-se as resistências

III- RESULTADOS E CÁLCULOS

PARA A ALIMENTAÇAO:

Q = 208 mL/min = 3,46667 ml/s.


% em volume etanol(20°C) = 31 ºGL.
ρ = 0,96112 g/ml.
m = 0,96112 x 3,467 = 3,33188g/s
base de cálculo - 100 ml de etanol
31 ml de etanol - metanol = 0,96112*31 = 29,79472g
69 ml de água - mágua = 0. 96112*69 = 66,31728g

netanol = 29,79472g /46 = 0.766 mol


nágua = 66,31728g /18= 3.3355 mol
álcool
xf = 0.766/(0.766 + 3.3355) = 0.1868
peso molecular médio = 0,0171(46,0695)+ 0,9829(18,0153) = 18,495 g/mol
F = 1,7805/18,495 = 0,09627 mol/s

PARA O RESÍDUO:

Q = 155 mL/min = 2,5833 ml/s


% em volume de etanol = 10 ºGL
ρ = 0,98653 g/mL
m = 0,98653 x 2,5833 = 2,5485 g/s

base de cálculo - 100 ml de mistura


90mL de água  m = 0,98653 x 90 = 88,7877g
10mL de etanol  m = 0,98653 x 10 = 9,8653g

nágua = 88,7877 / 18,0153 = 4,9285 mol


netanol = 9,8653 / 46,0695 = 0,2142 mol

álcool
xb = 0,2142 / (0,2142 + 4,9285) = 0,0416
peso molecular médio = 0,0416 (46,0695) + 0,9584 (18,0153) = 19,182 g/mol
B = 2,5485 / 19,182 = 0,1329 mol/s

PARA O DESTILADO:

Q = 90 mL/min = 1,5000 ml/s


% em volume de etanol = 89 ºGL
ρ = 0,83368 g/mL
m = 1,5 x 0,83368 = 1,2505 g/s

base de calculo 100 ml de mistura


89 ml de etanol  metanol = 0,9538*32 = 35.2906g
11 ml de água  mágua = 0.9538*68 = 60.0894g

netanol = 76.804/46.0695 = 1,6671 mol


nágua = 7.596/18.0153 = 0,4216 mol

álcool
xd = 106671/(1.6671 + 0.4216 = 0.7982
peso molecular médio 0,7982.46,0695 + 0,2018.18,0153 = 40,4081 g/mol
D = 0.56/40.4081 = 0,01386 mol/s

BALANÇO MOLAR GLOBAL

F = B + D = 0,09627 + 0,01386 = 0,11013 mol/s

Rd(médio) = 4
y = xd/(Rd+1) = 0,7982/5 = 0,15964
Com os dados de xf, xd e xb , podemos traçar a curva y vs x que é a aplicação do
método de McCabbe-Thiele da seguinte forma:

- traça-se a diagonal x = y
- traça-se a curva de equilíbrio etanol-água
- traça- se a linha q (condição entálpica do alimentado )
- com o ponto xd e a inclinação L/V traça-se a linha de operação
- a partir do ponto xb na diagonal x=y traçar uma reta perpendicular ao eixo y até que esta
toque a curva de equilíbrio. Em seguida ,na horizontal, continuar o traçado da reta (agora paralela
ao eixo x ) até tocar a linha de operação .Novamente, segue-se a reta deste ponto até a linha de
equilíbrio verticalmente. Segue-se o procedimento até que a reta atinja o ponto xd. Note que
teremos degraus com este procedimento do método. Cada degrau indica um prato da coluna de
destilação.

IV-DISCUSSÃO:

Em vista dos resultados, pode-se notar a diferença enorme entre o prático e o teórico.
Os melhores valores de produto de fundo e topo, apareceram na segundo medição, onde
obtivemos um álcool 89 ºGL e produto de fundo 10 ºGL. As medições feitas com o álcool
borbulhando até o ultimo prato, mostraram resultados piores.
Apesar do resultado do numero de pratos não ter sido o esperado, o principal objetivo da
pratica, que era o de ilustrar a maneira de aplicar o método de McCabbe-Thiele utilizando o
sistema montado e uma mistura previamente preparada, foi conseguida com sucesso, pois
conseguimos os dados para ilustrar os cálculos feitos e que são necessários para o projeto de uma
coluna de destilação como a do referido ensaio.
É importante salientar o fato de o numero de pratos terem dado acima do conseguido pela
maioria dos outros grupos. A explicação vem do fato de nosso produto de fundo ter dado um
valor muito bom (10 ºGL) e o de topo um valor razoável (89 ºGL). Assim sendo, conclui-se que
para conseguir um produto final com essas características, seria necessário um numero maior de
pratos que nos outros experimentos feitos por outras equipes.

V-CONCLUSÃO:

VI-BIBLIOGRAFIA:

- McCABE,Warren L.;SMITH,Julian C.;HARRIOT,Peter; “Unit Operations of Chemical


Engineering” ,McGraw Hill Book Company, 1985

- PERRY & CHILTON ; “ Handbook of Chemical Engineering ”,sexta edição,1984.