You are on page 1of 12

A Teoria da organização de Greenfield: uma

alternativa para a administração educacional


A administração educacional e o Positivismo

Década de 50 e os estudos positivistas como fundamentos


conceituais da administração educacional:

 O positivismo lógico: Auguste Comte, Círculo de Viena e o


papel da teoria no estudo das organizações;

 A estrutura livre de valores da teoria positivista;

Mestranda: Emiliana Cristina Rodrigues Nunes


O movimento téorico
Década de 50: A criação do Movimento Téorico e suas
principais ideias:

 A pesquisa eficiente tem origem na teoria: Getzels e as


diferentes posições em relação ao estudo e prática da
administração educacional;
 O uso dos conceitos e modelos de pesquisa das ciências
sociais e comportamentais;
 A teoria e a pesquisa são responsáveis pela descrição,
explicação e previsão do comportamento administrativo e
organizacional;
 O modelo ideal da teoria nos sistemas hipotético-dedutivos ;
A administração educacional e suas teorias

A teoria da administração educacional e a questão da


eficiência;

A década de 70 e a reação contra as ideias do Movimento


Téorico;

A contribuição de Thomas Kuhn para a reorganização das


ideais do Movimento Teórico e das ciências sociais;
A teoria positivista e o subjetivismo proposto por
Greenfield

 Teoria positivista X Subjetivismo:

 Definição de subjetivismo;

 Greenfield e o Movimento Téorico;

 As organizações para Greenfield ;

 Os valores para Greenfield;

 A proposta subjetivista;
Os críticos de Greenfield e seus debates

• Defende o uso de teorias na administração bem como


Willower defende a ênfase nos valores ;
• Salienta a dificuldade de identificar valores bons e ruins;

• Não considera o subjetivismo solução para a administração


educacional;
Griffiths • Considera a teoria subjetivista ingênua, por partir do
empírico sem a pesquisa;

• Concluem que escolher entre teorias científicas opostas na


administração educacional é uma questão de vontade,
Evers e intenção e valores humanos;
Lakomski • Questionam a possibilidade de avaliar a qualidade de teorias
construídas a partir das interpretações humanas;
Relação da Teoria Organizacional de Greenfield
e seus críticos
Willower considera a proposta positivista como a teoria de sistemas
Questiona a noção positivista de
Ignora as pessoas organização

Evers e Lakomski questionam o fato de a organização ser real ou não


real
A necessidade da construção Todas as entidades são
teórica construções teóricas

Willower e Griffths contrapõem-se à algumas ideias de Greenfield


Greenfield esquece de considerar As organizações e as teorias
o efeito das organizações dependem dos insdivíduos
Os fundamentos da teoria organizacional de
Greenfield
Filosofia
Subjetiva

Educação e
democracia, Paradigma
valores certos e Interpretativo
errados

Weber, Khun,
Hodgkinson e os
Feyerabend e
tipos de valores
Hodgkinson
Propostas para uma teoria alternativa de
administração educacional
As organizações são estabelecidas pelas pessoas e elas são
responsáveis pelo que ocorre nelas;

As organizações são expressões de vontade, intenção e


valor;

As organizações expressam um ‘tornar-se’ e não um ‘ser’;

Os fatos não existem a menos que sejam trazidos à


existência pela ação e interesse humano;
O homem age e então julga sua ação;
Implicações de Greenfield para a Ciência Social,
teoria e prática da administração educacional
 A ressalva dos valores na administração educacional e a não
consideração daquilo que não é observável;

 Salienta o papel e o compromisso do administrador,


considerando a educação um empreendimento moral;

 Na educação o que importa é a busca pela verdade, esta não


pode ser encontrada através do raciocínio lógico dedutivo;

 É preciso considerar os valores dos alunos bem como os da


escola;

 A conscientização e o compromisso com os valores deve fazer


parte da prática do administrador;
Propostas para uma teoria alternativa de
administração educacional
O homem age e então julga sua ação;
As organizações são definições essencialmente arbitrárias da
realidade, constituídas de símbolos e expressa através da
linguagem;
As organizações expressas como contextos para a ação humana
podem ser entendidas como ‘sentido, ordem moral e poder’;
Não existe nenhuma tecnologia para se alcançar os propósitos
aos quais serve uma organização;
Não existe nenhum modo de treinar os administradores a não
ser dando-lhes uma visão apocalíptica ou transcendental do
universo e da sua vida na terra;
Considerações acerca da proposta de Greenfield

I. Greefield além de fazer uma crítica à administração


positivista, chama a atenção para a ação e transformação
daqueles que praticam a administração educacional;

II. Greenfield propõe que para a compreensão da


administração exige que olhemos não para fora mas para
dentro de nós mesmos;
Bibliografia
JALALI, Martha. A teoria da organização de Greenfield:
uma alternativa para a administração educacional.
Aracaju: UFS, 1995. (Dissertação, Mestrado).