Вы находитесь на странице: 1из 19

..

..
..
..
..
APOSTILA - VOZ

. . . . . . . . . .

TÉCNICA

VOCAL
. . . . . . . . . .

FABRICIO GONTIJO
INTRODUÇÃO
Para que consigamos produzir o som através da nossa voz, recorremos a vários
órgãos do nosso corpo que trabalham conjuntamente para viabilizar este processo. São
eles: o Aparelho Respiratório, a laringe, as pregas vocais, os ressonadores, (como a
cavidade nasal, a cavidade craniana, a cavidade toráxica, a cavidade bucal e a faringe), os
articuladores (língua, lábios, palato duro (céu da boca), palato mole, dentes e mandíbula.
A produção do som acontece quando o ar ao ser expirado, passa pelas pregas vocais
fazendo-as vibrar. Neste momento entram em ação os articuladores cuja função, neste
contexto, é levar o som para as cavidades de ressonância.
Como vemos, não cantamos ou falamos "pela garganta" como muitos pensam, e sim com
todo o conjunto de órgãos que se interligam são os responsáveis diretos pela
transformação do ar inspirado em som. A esse conjunto de órgãos poderemos chamar de
"Aparelho Fonador".

CUIDADOS COM A VOZ


Lembrando que cada pessoa tem suas particularidades, e o objetivo é que você conheça
os seus limites e aja com inteligência.
- O treinamento vocal deve ser realizado durante mais um menos 40 minutos diários, e
não mais do que isso. Os exercícios devem ser feitos de pé e após um relaxamento. É
necessário observar com cuidado para que a vocalização esteja correta, evitando-se
cometer abusos.
- Após as horas de uso vocal, deve-se observar absoluto silêncio e repouso físico. Horas
antes do espetáculo recomenda-se repouso vocal ou economia da voz.
- Cuidado com os conselhos milagrosos de terapia caseira, como: goles de conhaque
antes de cantar, mascar gengibre, gargarejos com sal e limão, etc.
- A higiene bucal deve ser rigorosa, pois qualquer irregularidade pode contaminar a
garganta, podendo advir uma rouquidão
- Cuidado com o uso de chá, café, cigarro, pastilhas de toda a ordem e balinhas, que após
realizar uma inspiração bucal, gelam a mucosa e podem até anestesiar as cordas vocais
- A respiração, para um bom desempenho vocal, deve ser de pouca entrada de ar
- Quando uma rouquidão se instala, principalmente sem causa aparente, deve ser
investigada com rigor, para evitar qualquer tipo de prejuízo vocal
- Problemas persistentes relacionados a voz devem ser examinados por fonoaudiólogos;
inclusive um "check up" preparatório antes de se começar aulas de canto é uma boa
sugestão

2
A VOZ
==================

A voz é um instrumento muito especial - primeiro, porque o timbre individual é


uma dádiva. Segundo, porque temos que nos acostumar com NOSSO próprio
instrumento: limites, controle, cuidados.
Nossa voz reflete o estado geral do organismo. Sono atrasado, gripes, depressão,
excesso de exercícios ou trabalho demasiado são refletidos diretamente em nossa voz.
Assim, se o organismo está bem, a voz transparecerá este estado. O profissional da voz
deverá saber disso, porque da voz depende seu ofício - mas não custa nada o amador
utilizar este conhecimento em seu dia-a-dia. Não dá pra ir assistir um clássico de futebol,
ficar gritando com a galera 90 minutos e depois fazer um fim de noite com a banda
naquele barzinho onde você toca - sua voz já era. Longas conversas também diminuem
sua capacidade de cantar - (principalmente em discotecas, shows em alto volume,
shoppings...).

Os 10 Mandamentos da boa voz:

1.) tomar de 7 a 8 copos de água por dia;


2.) utilizar roupas leves, que permitam a livre movimentação, principalmente próximo à
laringe e o diafragma;
3.) evitar a ingestão de bebidas com gás (refrigerantes, cerveja) comidas gordurosas e
condimentadas, pois provocam gás e refluxo gastroesofágico, prejudicando os
movimentos respiratórios normais;
4.) evitar as mudanças bruscas de temperaturas no ar ou líquido;
5.) realizar exercícios de relaxamento regularmente;
6.) realizar avaliações auditivas e fonoaudiológicas periódicas;
7.) manter a melhor postura da cabeça e do corpo durante a fala ou canto.

Os avanços da fonoaudiologia podem provar que qualquer pessoa bem treinada


pode ser um bom cantor, dependendo somente do bom cuidado com o seu aparelho
fonador e com treinamento específico. Infelizmente, é muito mais comum encontrarmos
vocalistas que se preocupam muito mais em decorar letras e ensaiar com a banda do que
aperfeiçoar sua voz e cuidar bem dela.

Existem 3 fatores importantes a tratarmos no estudo do canto:


respiração;
postura;
relaxamento.

1. RESPIRAÇÃO:

3
A respiração é uma atividade passiva a maioria do tempo. É tão simples que
dificilmente nos preocupamos em como estamos fazendo (ou mesmo se estamos
fazendo). É um procedimento intuitivo, comandado pelo cérebro - respiramos dormindo,
não? Acontece porque o nível de dióxido de carbono em seu sangue torna-se alto,
mandando um sinal ao cérebro, que responde com outro sinal para que se contraia o
diafragma.
O diafragma é uma membrana muscular horizontal, em formato de concha, que
divide o tronco em 2 partes. Sobre ele estão os pulmões.
A respiração, sempre que possível de ser nasal, pois assim o ar é filtrado e
aquecido pelas narinas.
Quando ele está relaxado, ele arqueia-se para cima, em direção aos pulmões.
Quando contraído, ele desce, e o vácuo criado faz com que os pulmões tenham sua
capacidade aumentada, sugando o ar para dentro deles. Quando ele volta a relaxar, ele
comprime os pulmões, expirando o dióxido de carbono para fora.
Existem outros músculos abaixo do diafragma que auxiliam na respiração. Eles
entram em ação quando é necessária maior quantidade de ar do que o usual - assim como
quando cantamos. São músculos das costelas e do abdome, que também são usados
automaticamente. Note como um bebê respira quando dorme: quando ele inspira, o peito
incha, assim como a barriguinha. Quando contraímos o diafragma, todo o conteúdo do
abdomem é empurrado para baixo juntamente, para dar mais espaço para o ar entrar nos
pulmões. Então, tenhamos em mente que ao respirar, o seu abdomem estará trabalhando,
também. Quando você grita, com força, você pode notar o seu abdomem se contraindo
automaticamente. Ele desce e incha para suportar o som que você está criando. É assim
que seu corpo suporta o ato de cantar. Você deve aprender a controlar esta tensão
muscular para controlar o fluxo de ar na respiração.
Quando você inspira, deixe sua barriga inchar, como quando você está relaxado.
Quando cantar, deixe-a para fora o quanto você conseguir sem causar desconforto. Sua
barriga vai "entrando" assim que você vai ficando sem ar. Somente não deixe que ela se
contraia antes do necessário. Na próxima inspiração, deixe que ela "saia" novamente e
continue segurando assim, como se fosse uma bola de praia dentro de você. Este estilo de
respiração é chamado de "barriga pra fora" (óbvio, não?)ou sanfona. O método contrário,
"barriga pra dentro", que consiste em empurrar todo o ar pra fora até o último instante é
utilizado por muitos cantores, mas depende demais de uma capacidade de inspiração
muito grande.
Muitos estudantes de canto enfrentam problemas com respiração porque colocam
muita ênfase na inspiração e expiração e nenhuma no controle do escape de ar através das
cordas vocais. Eles acabam acreditando que não podem conter a quantidade suficiente de
ar para cantar de forma correta, quando o erro está em deixar o ar sair ineficientemente.
Vocês sabem que um sussurro gasta mais ar do que um forte agudo? Isto porque
as cordas vocais juntam-se fortemente num agudo, e abrem-se totalmente para um
sussurro. Quando sussurramos, produzimos pouquíssimo som. Ao contrário, para
4
produzir muito som, precisamos de pressão de ar contra a resistência provocada pelas
cordas vocais. Para um controle eficiente do ar e um bom tom vocal, você deve ter a
correta pressão do ar. Esta quantidade de pressão muda constantemente quando
produzimos diferentes sons, pelas variações de volume e tom. Nós aprendemos a
controlar esta pressão através de exercícios e cantando. É como andar de bicicleta: você
pode não conhecer os princípios da Física para descrever o equilíbrio, mas pode andar de
bicicleta com a prática. É óbvio que com a ajuda de um professor, o objetivo será
alcançado com muito mais facilidade.

Produção do som:

O ar inspirado passa pelas cordas vocais em posição aberta, enchendo os


pulmões. Na expiração é que ocorre a fonação. O ar é aspirado pelos pulmões passa pelas
cordas vocais em posição fechada .
As cavidades de ressonância têm um papel fundamental na produção do som,
pois nelas é que ocorrem as modificações do som fundamental produzido na laringe.
Comparando a um instrumento, poderíamos dizer que as cavidades de ressonância da voz
funcionam como a caixa de um violão. Nada adiantaria vibrar-mos as cordas de um
instrumento isoladamente, pois produziria um som "pobre".

OBS: O nome correto para "cordas vocais" é "pregas vocais", pois não se tratam de
cordas, mas sim de pregas musculares.

Laringe E Cordas Vocais

A laringe abre-se na base da língua. Situa-se na parte mediana do pescoço,


comunicando-se com a traquéia na parte inferior e com a faringe na parte superior. Na
laringe encontramos as cordas vocais, responsáveis pela produção do som. O treino da
técnica vocal (vocalizes) irá atuar nas cordas vocais como exercícios de alongamento,
fazendo elas irem de sua posição dilatada (sons graves) para a alongada (sons agudos)
várias vezes, buscando aos poucos uma maior elasticidade que se refletirá em aumento da
tessitura vocal e maior precisão na afinação das notas.

Exercícios página 15

5
2. POSTURA

A grande maioria dos livros técnicos de canto é taxativo neste ponto: a postura é
indispensável para o canto. Entretanto, no palco, é comum vermos nossos maiores ídolos
da voz pulando, dançando e girando. Uma regra geral e bem simples é permanecer ereto -
e ao mesmo tempo relaxado e "curtindo" estar cantando. Além de ser altamente
esconfortante para quem está cantando, ninguém quer assistir a um soldado da rainha da
Inglaterra sobre o palco. Policiar sua postura em frente a um espelho é uma ótima
técnica.
Experimente ficar defronte a um espelho grande, onde você possa se ver por
inteiro. Se os seus ombros ou peito estiverem mais alto do que o normal , você, mais do
que qualquer um, precisa se corrigir. Comece erguendo seus braços sobre a sua cabeça.
Perceba a posição de seu peito. Agora abaixe os braços, mas mantenha o peito na mesma
posição em que estava. Relaxe e respire no estilo "barriga pra fora". Fique relaxado e
mantenha seus ombros pra baixo. Outro método é segurar um peso em cada uma das
mãos, com os braços ligeiramente afastados do corpo. Este exercício é feito de pé, com o
corpo bem ereto. Para a grande maioria, este exercício direciona a tensão para os
músculos abdominais, que é exatamente onde deve ficar a tensão para o controle correto
da respiração.
O PESCOÇO - A postura do pescoço está determinada pelos pés, joelhos, eixo
corporal e pelo equilíbrio da cintura com os ombros. O pescoço necessita estar alinhado
com a coluna, sem estar caído para a frente e muito menos para trás, mas sim
perfeitamente equilibrado dentro do eixo corporal. Se o pescoço estiver alongado para
cima, o trato laríngeo também estará alongado, passando a trabalhar em condições
precárias; se estiver enterrado no peito, igualmente o trato vocal se vê aprisionado e sem
possibilidade de realizar seus movimentos específicos

3. RELAXAMENTO

relaxamento é outro fator importante para a respiração. A tensão é muito


desgastante e consome quantidades enormes de ar. Não esqueça o porquê de estar
cantando em primeiro lugar - cantar é divertimento! Curta o processo de aprender a
cantar, e não exija demais de você mesmo. O aprendizado do canto é um processo quase
atlético: necessita de muito treinamento para que cheguemos perto da perfeição. Por
incrível que pareça, como utiliza grupos musculares e condicionamento do aparelho
respiratório como um todo, além do auto-conhecimento do poderio vocal, a prática de
exercícios de respiração, postura e relaxamento melhora - e muito - o resultado final. Mas
a cobrança própria (ou de outras pessoas) só acumula tensão e não leva a grandes
conquistas.
Tente adquirir o hábito de "monitorar" sua tensão muscular. Faça isto no seu dia-
6
a-dia: observe sua postura ao digitar ou segurar o mouse. Será que não está dispensando
mais energia do que o necessário?

Exercícios página: 16

Áreas de Ressonância - São as regiões ocas do nosso corpo onde o som se amplifica. As
principais são: pulmões (ressoa notas graves e médias) e cabeça (ressoa notas agudas). Na
cabeça temos a região nasal, que pode ser usada para realçar os timbres médios e
metálicos da nossa voz. É importante lembrar que todo o aparelho respiratório serve
como ressonância para os sons, e para manter uma voz sempre brilhante e jovem deve-se
buscar as ressonâncias da face.

4. ARTICULAÇÃO

Se as articulações estiverem muito tensas, no máximo de seu estiramento, é bem


provável que o cantor tenha problemas na emissão das palavras e na produção da voz,
portanto o relaxamento das articulações e músculos é fundamental estar presente na
rotina de nossa vida.
Para aproveitar da melhor maneira possível as áreas de ressonância
(principalmente da face), devemos trabalhar a articulação dos sons. A musculatura da face
combinada com o movimento dos lábios e maxilar ajudará a projetar o som para fora,
dando mais volume e precisão na dicção das palavras. Além dos exercícios musculares
para a face, que vão melhorar a dicção, devemos dar atenção especial ao trato da
articulação das vogais, pois este ponto é de vital importância para a boa colocação da
voz, explorando as áreas de ressonância e não deixando o som destimbrado e opaco.
A - É - Ó - Sons claros e abertos. Na posição da fala não se pode cantar. Para
vencer a extensão das escalas com a emissão perfeita destas vogais, temos que ovular a
boca. Com esta posição o som recua para o fundo da garganta e vibra no palato mole,
entrando para a ressonância alta, e projetando-se timbrado.
Ô - Ê - I - U - Sons escuros e fechados. O movimento labial faz com que eles se
projetem para frente. Nas notas agudas o maxilar cai deixando a boca ovalada.
Ê - I - Estas duas vogais merecem atenção pois são horizontais, e para se
projetarem usamos o sorriso, que os mantém vibrando no mordente até o centro da voz.
Para atingir notas agudas, o sorriso permanece, porém a boca vai se ovalando em busca
de um som arredondado e bem timbrado.

Exercícios página: 16

5. VIBRATO

7
Vibrato é um conceito confuso para cantores, especialmente os de estilo "pop". O
estudante clássico compreende muito mais este conceito pelo tipo de música que está
costumado a ouvir - e pelo comprometimento de querer cantar óperas, por exemplo. Anos
de estudo e treinamento para alcançar o desenvolvimento perfeito da técnica são
esperados. O vibrato acaba sendo fruto natural de incansáveis lições e exercícios de
canto. Muitos estudantes de canto popular até acreditam que o desenvolvimento desta
técnica é inútil, pois acham que o vibrato não se encaixa com música popular.
O vibrato é, resumindo, o som derivado de um movimento regular, repetitivo e
contínuo de modulações no tom. Da mesma maneira que fazemos vibrato com
movimentos circulares do dedo da mão esquerda na corda do violão ou guitarra, alterando
o tom da nota tocada. O vibrato é o som da voz subindo e descendo entre dois tons
próximos da nota alvo numa maneira ondulante e rápida.
Um bom vibrato ondula num nível entre 5,5 e 7,5 vezes por segundo, alternando
entre um ou dois semitons. Vibratos mais rápidos do que 7,5 por segundo soam
"nervosos", mas muitos cantores de rock e pop usam este artifício, que contribui para seu
estilo pessoal de cantar. Um vibrato lento é típico de pessoas com mais idade. Músicas
típicas indianas e búlgaras usam vibratos largos, como parte de seu estilo - dando um
caráter exótico às interpretações.
Ter vibrato na voz não é necessário para cantar bem (dependendo do seu estilo!) -
e ter a capacidade de cantar com vibrato não exige que você use a todo momento.
Professores de canto costumam dizer que o vibrato é o termômetro da voz - o
nível de desenvolvimento desta técnica pode mostrar o quanto você tem trabalhado sua
técnica de canto geral. Você sabe que tem que trabalhar mais sua voz quando tem
problemas em extrair o vibrato, porque ele depende de controle de respiração e de tensão
na sua garganta.
Procure ouvir com atenção cantores como Ella Fitzgerald, Tina Turner, Tony
Bennett, Pavarotti, ou os nossos Leandro, Daniel e Chitãozinho. Compreenda o que é
vibrato e procure reproduzir este efeito, praticando com vogais isoladas (a-e-i-o-u).
Desenvolvendo técnicas de respiração e controle da pressão de ar sobre as cordas vocais,
você irá adquirindo o seu vibrato.

6. PERCEPÇÃO

Esta é a área mais intimamente ligada com a afinação, pois diz respeito ao
desenvolvimento do ouvido musical. Qualquer som emitido na natureza é uma vibração,
portanto uma freqüência. Notas musicais nada mais são do que freqüências, emitidas de
maneira ordenada dentro da faixa de percepção do ouvido humano. Se o ouvido musical
não for treinado, o ato de cantar estará seriamente comprometido. Neste caso, vale
ressaltar que percepção é basicamente sinônimo de concentração. Nós trabalhamos com
dois tipos de memória: memória fotográfica e memória motor. A memória fotográfica
registra os fatos, enquanto a motor simplesmente repete aquilo que registramos. Quanto
mais concentrados estivermos no fato, mais facilmente este será incorporado, e mais
8
rapidamente a memória motor estará atuando. Por isso é importantíssimo que na hora de
se trabalhar a memória fotográfica o objeto de estudo seja registrado sem erros. Isto vale
não só na percepção, mas também na incorporação da respiração, articulações e técnicas
de canto, que devem ser estudadas em períodos curtos e várias vezes ao dia, sempre com
regularidade e disciplina, para que surtam efeito. No caso da percepção, os exercícios
serão elaborados em cima dos intervalos musicais, dentro da tessitura vocal do aluno. Os
vocalizes também ajudam muito nesse processo.
DICA: Para cantar uma música de seu cantor favorito, procure ouvi-la
atentamente por várias vezes, não tente cantar com a gravação logo de cara, pois isto não
permite que você perceba detalhes essenciais da música. Quando cantar junto á gravação,
cante num volume de voz baixo, para que consiga escutar o cantor e você
simultaneamente, e possa, assim, fazer a comparação entre ambos. Depois de um tempo,
tente gravar a sua voz.
É lógico que este exercício não tem a profundidade de uma aula de canto, mas já
o ajudará a perceber melhor a sua voz.
A percepção rítmica também é muito importante, pois indica as acentuações e
prolongamentos necessários para uma boa interpretação.

7. ABUSO VOCAL
Tudo que pode estragar sua voz

Gritar sem suporte respiratório;


Falar com golpes de glote;
Tossir ou pigarrear excessivamente;
Falar em ambientes ruidosos ou abertos;
Utilizar tom grave ou agudo demais;
Falar excessivamente durante quadros gripais ou crises alérgicas;
Praticar exercícios físicos falando;
Fumar ou falar muito em ambientes de fumantes;
Utilizar álcool em excesso;
Falar demasiadamente;
Rir alto;
Falar muito após ingerir grandes quantidades de aspirinas, calmantes ou diuréticos;
Discutir com freqüência;
Cantar inadequada ou abusivamente ou, ainda, participar de corais e cantar em vários
estilos musicais;
Presença de refluxo gastroesofágico, altamente irritante às pregas vocais ( o refluxo
gastroesofágico é decorrente de disfunções estomacais, responsáveis pela liberação de
ácido péptico, que em algumas situações pode banhar as pregas vocais, agredindo

9
08. DICAS

1.) Mantenha-se sempre hidratado, bebendo, pelo menos, dois litros de água por dia; suas
pregas vocais estarão em ótima condição de vibração quando sua urina estiver
transparente.

2.) Ensaie o suficiente para ficar seguro quanto ao texto, melodia e controle de voz; assim
fazendo, você vai reduzir a interferência de aspectos emocionais negativos, como o
medo e ansiedade ante o público. Não ensaie por mais de uma hora sem descanço.

3.) Monitore sua voz durante os ensaios e apresentações: aprenda a ouvir sua qualidade
vocal e a reconhecer suas sensações de esforço vocal e tensões desnecessárias, a fim
de evitá-las.

4.) Lembre-se de que um certo nervosismo mobiliza positivamente a energia para uma
apresentação mais rica e envolvente; a adrenalina é positiva e confere emoção ao
canto. Além disso, o público espera o sucesso do cantor, confie nesta química!

5.) Evite as festas ruidosas, lugares enfumaçados e barulhento, tanto antes como depois
das apresentações. Antes das apresentações, os abusos em questão podem limitar seu
resultado vocal; após as apresentações seu aparelho fonador foi intensivamente
solicitado e está mais sensível para responder a tais agressões.

6.) Mantenha uma dieta balanceada, pois o canto é uma função especial e requer grande
porte energético. Evite o excesso de gordura e alimentos condimentados, o que
lentifica o processo digestivo, limita a excursão respiratória e reduz a energia
disponível para o canto. Além disso, se voltar muito tarde para casa e ainda não tiver
se alimentado, ingira apenas alimentos leves e de fácil digestão, para evitar o refluxo
gastroesofágico.

7.) Deve ser feito com consciência, muito critério e cuidado. O tempo de estudo não deve
se exceder ao cansaço. É muito mais produtivo, principalmente no início, fazermos
poucos minutos de exercícios, algumas vezes por dia, ao invés de estudarmos horas
seguidas. A resistência da musculatura vocal vem com o tempo e à medida em que
exercitarmos corretamente nosso aparelho vocal. Alguns cantores têm a tendência a
forçar a voz por exemplo, em exercícios no agudo, para "acostumar" seu aparelho a
emitir esses sons. Isso muitas vezes é feito pela força, causando danos graves futuros.
No canto nada deve ser feito através da força e se isso acontece é porque estamos
fazendo algo errado, por falta de uma respiração correta, etc. A técnica é exatamente
para não forçarmos nossa voz.

8.) Os exercícios de respiração devem ser feitos todos os dias. Assim como um atleta
10
treina seus músculos, o cantor precisa fazê-lo de forma a manter sua musculatura
abdominal e intercostal sempre preparada para o apoio vocal, deixando assim de
sobrecarregar os músculos da laringe. Só então deve partir para os exercícios vocais
propriamente ditos. Os chamados vocalizes. Se você fizer uma boa base de
relaxamento e respiração antes de cantar, vai perceber o quanto isso já é um grande
auxiliar na boa emissão da voz

9.) o calor trabalha muito a favor do cantor, que só deve permitira entrada buco-nasal do
ar em ambientes cobertos. Quando estiver ao ar livre, a entrada de ar deve ser feita
pelo nariz, principalmente se estiver frio, evitando sempre que possível, que o ar
gelado perturbe a mucosa da faringe ou mesmo da laringe, de onde poderia advir uma
rouquidão indesejada.

10.)Beba bastante água em temperatura natural! (no mínimo 2 litros por dia) para manter
as pregas vocais hidratadas e em boa condição de vibração.

11.)Coma maçã! A maçã possui propriedades adstringentes que auxiliam na limpeza da


boca e da faringe, favorecendo uma voz com melhor ressonância.

12.)Beba suco de frutas! (Principalmente de frutas cítricas)

13.)Evite usar roupas apertadas, principalmente nas regiões do abdômen, cintura, peito e
pescoço, pois isso poderá dificultar a respiração.

14.)Não use pastilhas, sprays, anestésicos sem orientação médica, pois para cada caso
existe uma medicação específica, portanto não se automedique nunca!

15.)Evite alimentos gordurosos e "pesados" antes das apresentações, pois dificultam a


digestão.

16.)Dê preferência aos alimentos leves e de fácil digestão (verduras, frutas, peixe,
frango).

17.)Durma bem! Procure dormir, no mínimo, 8 horas por dia.

18.)Não durma de estômago cheio pois pode provocar refluxo gastresofágico que é
altamente prejudicial às pregas vocais.

19.)Não cante se estiver doente! Quando cantamos envolvemos todo o nosso corpo e
gastamos muita energia, então recupere-se antes de voltar a cantar.

20.)Evite ficar exposto por muitas horas em ambiente que utiliza ar-condicionado pois
11
provoca o ressecamento das pregas vocais. Em casos onde isso não for possível,
procure estar sempre lubrificando as pregas vocais com água ou suco sem gelo.
21.)Evite ambiente com mofo, poeira ou cheiros muito fortes, principalmente se você for
alérgico.

22.)Evite a competição sonora, ou seja, falar ou cantar em lugares muito barulhentos.

23.)Evite choques bruscos de temperatura. Evite bebidas geladas

24.) Evite
cochichar pois, ao contrário do que pensamos, no ato de cochichar submetemos
nossas pregas vocais a um grande esforço provocando um desgaste muitas vezes
maior do que se conversarmos normalmente.

25.)É proibido gritar, pigarrear, falar durante muito tempo sem lubrificar as pregas
vocais, fumar, ingerir bebidas alcoólicas antes de cantar para "melhorar" a voz.

IMPORTANTE!!!

Se você utiliza sua voz profissionalmente, é indispensável a consulta com um


médico especialista para que ele possa fazer uma avaliação do seu aparelho vocal.
Não se esqueça de que o nosso "instrumento de trabalho" é único e merece toda a
nossa dedicação e atenção.
Nossas pregas vocais são a nossa identidade, são nosso registro pessoal, portanto
não se e

DICAS E TRUQUES PARA O VOCALISTA


INTERPRETAÇÃO

O desejo de cantar e seguir profissionalmente com esta carreira é uma constante -


embora muitas pessoas que consigam fazê-lo com maestria nunca tenham alcançado êxito
profissional. Além da voz, existem outras características influentes para seguirmos a
carreira de cantor/vocalista.
Existem tantas coisas a serem trabalhadas para conseguir êxito nesta carreira...
seu som, sua imagem, sua habilidade de encarar o show business, publicidade, etc. Você
tem que controlar tudo por si só - mas alguma ajuda pode ser de grande valia.
Comecemos com o seu próprio som. Ele é exatamente o que você pensa que é? É
o que você quer que ele seja? Ele deve ser único, exclusivo, ou tão maravilhoso que possa
responder por ele mesmo. Procure gravar sua voz e ouvi-la com muita atenção. Você
mesmo gosta do que ouve? Ela só é excessivamente ruim se você mentir para si próprio
ou se você gostar de auto-punição. Esse sentimento de "impotência vocal" é, no fundo,
um ótimo tipo de sentimento - você deve tirar lições dessa auto-crítica. Tenha certeza de
gostar da sua própria voz, trabalhando para corrigir erros ou trocando o seu estilo - às
12
vezes, sua voz pode ser ruim para country e ao mesmo tempo, ótima para rock pesado,
por exemplo. Você tem que estar perfeitamente satisfeito como seu timbre vocal, fazendo
de forma perfeita o seu trabalho - e não tentando imitar o timbre de seu ídolo. Uma
imitação nunca é a coisa real - não importa o quão boa seja. O mundo da música é
faminto de coisas genuínas. Nós já temos a voz de seu ídolo - o que necessitamos é de
SUA voz.
Você não precisa ser um grade vocalista para alcançar o sucesso ou agradar -
você simplesmente precisa esmerar-se em fazer bem o que você faz. Parece ridículo dizer
algo assim, mas é simples comprovar - ligue o rádio e isto torna-se óbvio para qualquer
um. Você deve ser capaz de cantar no tom (mesmo com toda a tecnologia atual, que pode
corrigir isto em estúdio, porque como você vai se sair ao vivo?), e ao mesmo tempo, ser
habilidoso no que vai apresentar, para mostrar convicção aos ouvintes. (isto não quer
dizer que aulas de canto não são necessárias - você pode conseguir sem elas - mas ajudam
tremendamente).
Nunca ouse cantar músicas em tons que você não alcança. Faça somente aquilo
que você é capaz de fazer de forma convincente. Pratique músicas que você não alcança,
de maneira privada - até mesmo longe de sua banda. Se é exigência da banda cantar certa
música, peça que mudem a tonalidade, para adequá-la a você. Se o problema é somente
uma certa parte de uma música, adapte sua voz em registros mais baixos (ou mais altos),
e "reinvente" aquela parte - quantos covers famosos você já ouviu onde o vocalista faz
isto - e você nunca pensou na incapacidade vocal de seu ídolo; pelo contrário, aposto que
elogiou a "criatividade" dele em embutir um novo estilo de cantar.
O estilo exclusivo nasce do amor que temos pela nossa própria voz, deixando que
nosso sentimento imponha como devemos cantar - não nossa lembrança de como
"copiar" a maneira em que a música já foi cantada. Não tente soar bem - tenha em sua
mente que o que você faz é a melhor maneira. Procure trabalhar seu sentimento - como
você interpretaria a música? Trabalhando dentro de seus limites, e com sentimento, você
vai colocar sua personalidade sobre a composição de outrem - e o público com certeza
vai adorar.
Depois, existe a imagem. Há tanta diversidade neste conceito que é difícil traçar
regras para trabalhar com este importante conceito do sucesso. A premissa básica é que
você precisa dar às pessoas um motivo para ficar olhando para você. Você deve atrair os
olhares - ou então as pessoas acabarão buscando outros alvos. Muitos dirão: beleza é
atrativa - e é - mas uma coisa bizarra ou feia também chama a atenção. A habilidade de
encenar ou "entrar" sentimentalmente nas músicas também é altamente atrativa - nós, de
maneira geral, não estamos acostumados a ver pessoas se expressando emocionalmente.
Um "look" diferente de tudo que você já viu também serve (veja o Falcão...). Tenha
certeza de que será capaz de fazer as pessoas ficarem olhando para você por horas,
porque, ao vivo, você terá que fazer isto por, pelo menos, umas duas horas. Um bom
truque é variar o que elas estão vendo. Tente mover-se de um lado para o outro do palco,
dance em algumas músicas, ande em outras. Nós somos cientificamente atraídos pelo
movimento (por isso odiamos tanto aqueles anúncios piscando e pop-ups na Internet - por
13
mais que evitemos, acabamos olhando para eles...). Olhar para o público é outra
artimanha - vire o rosto para certas partes da audiência, aponte, demonstre atenção. Mude
sempre seu objetivo. Isto faz parecer que o público participa de sua interpretação. Mudar
o figurino é outra muito velha. Você não precisa fazer como Madonna, e ficar entrando e
saindo de palco, trocando de roupa 10 vezes durante o show - faça como Jagger, que entra
de jaqueta, depois tira, depois põe um colete, depois tira, depois põe um chapéu, depois
tira, depois tira a camisa e acaba com uma do Flamengo... Uma cadeira para sentar no
meio do show e curtir algo mais calmo é outra que todo mundo já usou. Procure usar
roupas que aceitem efeitos de luz - tecidos refletivos ou brilhosos mudam de cor com a
iluminação. E não se esqueça das mancadas: experimente a roupa e as luzes antes, para
não acontecerem combinações indesejadas no meio da apresentação (como uma luz roxa
sobre uma camisa verde, por exemplo).
Não desista somente porque você não é bonito. Estamos tão inundados com
vocalistas/modelos (como Jon Bon Jovi e Britney Spears) que muitos pensam que para
ser vocalista é necessário ter o visual "top model". Quando este tipo de preconceito bater
forte, dê um pulinho numa loja e veja os CD's mais vendidos. Celine Dion, Pavarotti,
Stevie Wonder e Michael Jackson não são exemplos de beleza, mesmo com toda a
produção. Aqui em nossa terra, temos Caetano, Gil, Bethânia, Herbert Vianna e Renato
Russo, que venceram, e nào foi pela beleza. Esqueça idade, também! Tina Turner, Carlos
Santana e Roberto Carlos são top sellers, com rugas e tudo mais. Não importa como você
se parece - é possível ser atraente, basta descobrir como.

Para terminar, Don Miguel Ruiz, escritor de diversos títulos sobre como alcançar
o sucesso, proclama 4 Regras básicas para vencer na carreira:
1.) Seja impecável com seu trabalho. Fale com integridade. Diga somente o que
você pensa. Evite falar sobre si próprio e nunca critique o trabalho alheio. Use a força da
palavra no sentido da verdade e do amor;
2.) Não leve nada pelo lado pessoal. Nada que os outros fazem é devido à você.
O que os outros falam ou fazem é reflexo da realidade deles, dos sonhos deles. Quando
você se torna imune às opiniões dos outros, você nunca mais será vítima de sofrimentos
desnecessários;
3.) Não faça suposições. Ache coragem para questionar e expressar o que você
realmente deseja. Comunique-se com os outros de maneira clara, para evitar
desentendimentos, tristezas e dramas. Somente seguindo esta regra, você pode mudar sua
vida;
4.) Faça sempre o SEU melhor. O seu melhor mudará de momento a momento -
será de uma maneira quando você estiver saudável, e o oposto quando estiver mal. Sob
qualquer circunstância, simplesmente faça o melhor de si, e você estará evitando auto-
críticas, auto-punição e sentimento de fracasso.
E o elemento mais importante para o sucesso (além de um pouquinho de sorte, é
claro...): persistência. Este é o grande segredo.

14
TÉCNICA

Será desenvolvida com os vocalizes, e estaremos trabalhando:


- Respiração, Articulação e Percepção sendo aplicadas simultaneamente e em
sincronicidade
- As cordas vocais, que estarão sendo alongadas, dando maior precisão à afinação e
aumentando a tessitura vocal
- As áreas de ressonância, que desenvolvemos com a colocação correta da voz
- Afinação e resistência, de acordo com os exercícios propostos em aula.

EXERCÍCIOS DE RESPIRAÇÃO

1- Inspirar expandindo o tórax/barriga; sinta o alargamento das costelas flutuantes,


mais ou menos na altura da cintura. Não levante os ombros nem estufe o peito!
Mantenha a musculatura do pescoço relaxada. Prenda o ar por alguns segundos e
expire esvaziando totalmente os pulmões;

2- Repita o ex.1, fazendo o som "SSSSS..." (contínuo) durante a expiração;


mantenha o som homogêneo, estável, sem variações de intensidade, durante um
tempo confortável e sem exageros;

3- Repita o ex.1, desta vez fazendo sons curtos em "S" (stacatto); a cada som,
procure expandir o tórax (como se quisesse alargar a cintura);

4- Alternar os sons "SSSSS" e "S" "S" "S" (contínuo/stacatto);

5- Repetir os mesmo exercícios acima, com os sons "CH" e "FFFF"; marque o


tempo que achar confortável, e procure ir aumentando sua capacidade, sem
perder qualidade;

6- Inspire lentamente enquanto caminha 5 passos; observe o alargamento do tórax.


Quando for dar o 6o. passo, comece a fazer o som "hummmmm..." com a boca
fechada (bocachiusa) por mais 5 passos. Atenção: use a região média de sua voz
(não deve ser muito aguda nem muito grave). No 6o. passo, expire todo o ar que
restou e recomece o ciclo todo novamente;

7- Repita o ex.6, mas ao invés de "hummmm", conte de 1 até 5, dizendo um


número a cada passo. Novamente, use a região média de sua voz;
Repita os ex.7, mas tente variar o tempo de expiração. Tente ir acrescentando mais
passos para cada número que for dizendo. Isto vai auxiliá-lo a monitorar seu progresso.
EXERCÍCIOS ARTICULAÇÕES
15
1) Mastigar o m... com som nasal

2) Fazer TRRR... e BRRRR.... até acabar o ar.

3) TRRR... com modulação de som e movimento de lábio

4) Mastigar o m... e soltar as vogais abertas e fechadas - Ex. m... muá , m....muô

5) ECO : muámuámuámuá , muémuémuémué, etc.; com todas as vogais

6) Morder uma caneta ou rolha e contar até 100 articulando bem

EXERCÍCIOS DE RELAXAMENTO

1- Bem devagar, faça movimentos com a cabeça: primeiro, para a frente,


como se fosse encostar o queixo na base do pescoço; depois, para trás,
apontando o queixo para o teto; depois para os lados, tentando encostar a
orelha no ombro (não eleve o ombro!);
2- Sempre devagar, faça movimentos de rotação com a cabeça. Deixe ombros
relaxados (se ficar tonto, pare, leve a língua ao céu da boca e aperte);
3- Faça movimentos circulares de rotação com os ombros - primeiro de trás
para a frente, depois inverta;
4- Em pé, procure alcançar o teto com as mãos. Sinta a musculatura se
alongando, especialmente a dos braços e das laterais do tronco. Deixe,
então, o corpo "desabar" para a frente, com as mãos em direção ao solo.
Vá levantando lentamente, começando pela cintura - a cabeça é a última a
voltar à posição ereta;
5- Esfregue as mãos para aquecê-las. Massageie então o seu pescoço,
começando atrás das orelhas e descendo até os ombros. Sinta os pontos
mais tensos e massagei-os com as pontas dos dedos;
6- Deitado de costas, contraia apenas os dedos dos pés. Perceba a tensão,
então relaxe os dedos. Perceba a diferença entre os estados de tensão e relaxamento.
Repita a operação para cada parte do corpo - pé, batata da perna, joelho, até chegar ao
rosto. Aprenda a sentir o contraste entre tensão/relaxamento para poder identificar partes
de seu corpo tensas.

16
AQUECIMENTO DA VOZ

EXERCÍCIO 1:
1) Inspire, armazenando o ar na região abdominalaté que a barriga esteja repleta
de ar.
2) Agora solte o ar aos pouco utilizando o som:
Prrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrr......
Observe que neste exercício a língua deve vibrar bastante!!!! Caso a sua
língua não vibre e você esteja forçando para emitir este som, PARE! Pois estará
fazendo da forma errada.
Mas se você conseguiu emitir o som com a vibração constante da língua,
repita este exercício todos os dias pelo menos durante 10 minutos.
Se for cantar em uma apresentação ou videokê ou ensaiar com sua banda
por muito tempo, pré-aqueça sua voz durante 20 minutos (no mínimo) antes de
começar a cantar.
Pode-se também utilizar outras consoantes que possibilitarão o mesmo
efeito como, por exemplo, o som:
Trrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrr...
Como se você fosse imitar o som do telefone (' TRRRRRIM!!!), mas
lembrando de prolongar bastante os erres (RRRR...) até acabar o ar.
EXERCÍCIO 2:
Depois de já haver treinado bastante e já estar emitindo os sons TRRRR...
Sem falhas ou interrupções, vamos repetir o exercício anterior com uma diferença:
No final de cada som iremos acrescentar as vogais A,E,I,O,U.
Exemplo1:
TrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrÁ!!!!
TrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrÉ!!!!
TrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrÍ!!!!
TrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrÓ!!!!
TrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrÚ!!!!

17
IMPORTANTE!!!
Assim como nos exemplos acima, o som que você estiver produzindo para
pré-aquecer, deverá estar no mesmo volume, intensidade e tom.
= ***NÃO BRINQUE COM ESTE EXERCÍCIO FAZENDO SONS
MUITO AGUDOS, MUITO GRAVES OU MISTURANDO OS DOIS TONS.***
Repita os exercício SEMPRE no seu tom natural.
Como fazer para identificar o seu tom natural?
É simples, o seu tom natural é aquele que você emite sem "forçar a
garganta", é um som natural que sai sem esforço nenhum, como se você estivesse
falando.
Se você não conseguiu fazer estes exercícios até acabar o ar armazenado
(sem utilizar o ar de reserva, certo???), ou seja, você começou bem mas no meio
do exercício o som falhou,
Pare! Respire fundo por 3 vezes, relaxe um pouco e só então recomece.

TRÊS TÉCNICAS BÁSICAS


1)- Técnicas para os lábios

Esse exercício é feito com a vibração dos lábios. Para isso, deve-se levar os lábios à
frente, elevando o diafragma, para que este sirva de apoio na execução do exercício. O
resultado deste, lembra a pronúncia conjunta das letras BR e poderíamos compará-lo a
uma imitação do ronco do motor de uma moto.
2)- Técnica da língua

Esta técnica é realizada com a vibração da língua, lembrando uma pronuncia exagerada
da letra R. Para a execução desta técnica, também deve-se elevar o diafragma fazendo
com que este proporcione um bom apoio. O som deste exercício nos faz lembrar uma
hélice de helicóptero em movimento.
Procure passear com estas técnicas por regiões graves e agudas de sua voz.
3)- Técnicas com a letra M

Este exercício é feito para que, em princípio, a pessoa sinta a vibração da letra
M internamente e, sobretudo, sinta esta ressonância na região das bochechas (caixa de
ressonância da voz).
O efeito deste M interno nada mais é do que a própria preparação bocal que
fazemos normalmente para que possamos pronunciar palavras que comecem com esta
letra, porém, esta preparação será agora prolongada.
18
Para se produzir este M interno corretamente, deve-se cerrar os lábios e imaginar
um espaço dentro da boca suficiente para caber uma bola de ping-pong. A ponta da língua
deve estar em contato com os dentes frontais superiores e o som do exercício lembra a
pronúncia do nº 1, porém prolongado e com a boca fechada.
É preciso tomar cuidado para que a vibração do som não se torne nasal, pois após
um tempo de sustentação deste som, com o apoio da elevação do diafragma, a boca se
abre lentamente na pronúncia da sílaba MO, prolongando-se o O.
Para uma boa execução deste exercício, sugiro um prolongamento de quatro
tempos, marcados pausadamente, para a sustentação do M interno e mais quatro tempos
para a sustentação da letra O.
Este M interior, é muito utilizado na forma de "mantra" (sons utilizados no
processo de meditação, que possuem significados importantes nas religiões orientais) e o
ideal é que seja pronunciado como forma de reflexão do som que todos nós possuímos e
queremos aprender a usar.
Mais uma vez quero ressaltar a importância da elevação do diafragma. Para isso,
você pode, contrair a barriga, descontraindo-a gradativamente a medida que o exercício é
realizado e o ar inspirado no início é solto.
Quando falo das bochechas com caixa de ressonância, é para concientizá-lo que,
trazer a vibração do som exclusivamente para a garganta é um "suicídio vocal" ou seja,
um convite a rouquidão ou a aquisição de nódulos vocais, entre outros danos.
Por fim, quero colocar que estes exercícios servem como um aquecimento para
as cordas vocais, como um início de utilização do diafragma e devem ser feitos
descontraidamente,

19