Вы находитесь на странице: 1из 7

AlfaCon Concursos Públicos

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO
ÍNDICE
Sistema Tegumentar��������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������2
Tecido Epitelial��������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������3
Pele����������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������4
Anexos da Pele���������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������5
Especializações de membrana�������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������5
Tecido Glandular�����������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������6

Lei do Direito Autoral nº 9.610, de 19 de Fevereiro de 1998: Proíbe a reprodução total ou parcial desse material ou divulgação com
fins comerciais ou não, em qualquer meio de comunicação, inclusive na Internet, sem autorização do AlfaCon Concursos Públicos.
1
AlfaCon Concursos Públicos

Sistema Tegumentar
O corpo de um organismo multicelular é constituído por diferentes tipos de células, especiali-
zadas em realizar diversas funções. As células com determinado tipo de especialização organi-
zam-se em grupos, constituindo os tecidos. Alguns tecidos são formados por células que possuem
a mesma estrutura; outros são formados por células que têm diferentes formas e funções, mas que
juntas colaboram na realização de uma função geral.
Dentre as diversas adaptações que favoreceram a conquista do meio terrestre pelos vertebrados
destacam-se um eficiente revestimento corporal impermeabilizado, um adequado sistema esquelé-
tico de suporte do organismo e de seus órgãos e um hábil mecanismo que permite a movimentação
do organismo pelo meio. No homem, essas três tarefas são desempenhadas, na ordem, pela pele,
pelo conjuntivo de ossos do sistema esquelético e pelos inúmeros músculos componentes do sistema
muscular. Ossos e músculos constituem o sistema locomotor.
Todos os tecidos presentes nos vertebrados adultos são formados a partir de três tipos de folhetos
germinativos: endoderma, ectoderma e mesoderma. Cada um desses, durante o desenvolvimento
embrionário, é responsável por uma genealogia de células especializadas quanto à forma e função.
Os destinos finais (organogênese) desses folhetos germinativos, na formação dos tecidos e órgão
humanos, são:
ECTODERME
»» Epiderme e anexos cutâneos (pelos e glândulas mucosas).
»» Todas as estruturas do sistema nervoso (encéfalo, nervos, gânglios nervosos e medula
espinhal).
»» Epitélio de revestimento das cavidades nasais, bucal e anal.
MESODERME
»» Forma a camada interna da pele (derme).
»» Músculos lisos e esqueléticos.
»» Sistema circulatório (coração, vasos sanguíneos, tecido linfático, tecido conjuntivo).
»» Sistema esquelético (ossos e cartilagem).
»» Sistema excretor e reprodutor (órgãos genitais, rins, uretra, bexiga e gônadas).
ENDODERME
»» Epitélio de revestimento e glândulas do trato digestivo, com exceção da cavidade oral e anal.
»» Sistema respiratório (pulmão).
»» Fígado e pâncreas.

Lei do Direito Autoral nº 9.610, de 19 de Fevereiro de 1998: Proíbe a reprodução total ou parcial desse material ou divulgação com
fins comerciais ou não, em qualquer meio de comunicação, inclusive na Internet, sem autorização do AlfaCon Concursos Públicos.
2
AlfaCon Concursos Públicos

*Células tronco podem ser TOTIPOTENTES ou PLURIPOTENTES. As primeiras estão pre-


sentes até a fase de mórula enquanto as segundas, a partir da blástula.
Nos animais vertebrados há quatro grandes grupos de tecidos: o muscular, o nervoso, o conjun-
tivo (abrangendo também os tecidos ósseo, cartilaginoso e sanguíneo) e o epitelial, constituindo
subtipos específicos que irão formar os órgãos e sistemas corporais. Por exemplo: O sangue é con-
siderado um tecido conjuntivo, com diversificadas células (as hemácias, os leucócitos e as plaquetas)
e o plasma (água, sais minerais e diversas proteínas).
Nos invertebrados estes tipos de tecido são basicamente os mesmos, porém com organizações
mais simples. A maioria dos tecidos além de serem compostos de células, apresentam entre elas subs-
tâncias intracelulares (intersticiais).
Tecido Epitelial
A superfície externa do corpo e as cavidades corporais internas dos animais são revestidas por
este tecido. O tecido epitelial desempenha várias funções no organismo, como proteção do corpo
(pele), absorção de substâncias úteis (epitélio do intestino) e percepção de sensações (pele), de-
pendendo do órgão em que se localizam.
Os tecidos epiteliais ou epitélios têm células perfeitamente justapostas, unidas por pequena quantida-
de de material de adesão, com pouquíssimo espaço intercelular. Os epitélios não são vascularizados e
não sangram quando feridos. A nutrição das células se faz por difusão a partir dos capilares existentes
em outro tecido, o conjuntivo, adjacente ao epitélio a ele ligado. O arranjo das células epiteliais pode ser
comparado ao de ladrilhos ou tijolos bem encaixados.
Os epitélios podem ser classificados quanto ao número de células:
»» Quando os epitélios são formados por uma só camada de células, são chamados de epitélios
simples ou uniestratificados (capilares).
»» Já os epitélios formados por mais de uma camada de células são chamados estratificados
(epiderme).
»» Existem ainda epitélios que, apesar de formados por uma única camada celular, têm células
de diferentes alturas, o que dá a impressão de serem estratificados. Por isso, eles costumam
ser denominados pseudoestratificado (mucosa nasal).
Quanto à forma das células, os epitélios podem ser classificados em:
»» Pavimentosos: quando as células são achatadas como ladrilhos (epiderme).
»» Cúbicos: quando as células têm forma de cubo (túbulos renais, glândulas).
»» Prismáticos, quando as células são alongadas, em forma de coluna (mucosas do estômago e
intestino).
»» De transição: apresenta uma forma típica, mas pode variar a sua forma (epitélio da bexiga).

Lei do Direito Autoral nº 9.610, de 19 de Fevereiro de 1998: Proíbe a reprodução total ou parcial desse material ou divulgação com
fins comerciais ou não, em qualquer meio de comunicação, inclusive na Internet, sem autorização do AlfaCon Concursos Públicos.
3
AlfaCon Concursos Públicos

Pele
Nos vertebrados, a pele é um importante órgão de contato com o meio. A conquista do ambiente
terrestre pelos vertebrados tornou-se possível, entre outras coisas, a partir do isolamento e proteção
do corpo e de mecanismos de relação do ser vivo com o meio. O tato, a visão, o olfato, a gustação e a
audição são úteis no relacionamento do animal com o ambiente.
A pele, órgão responsável pelas sensações táteis, apresenta diferentes tipos de “sensores”, que re-
gistram e informam ao ser vivo variações de temperatura (calor ou frio) e pressão (toques, choques,
pancadas). Eis os principais receptores nervosos relacionados com os sentidos:
»» Corpúsculo de Paccini: responsável pela detecção de pressão.
»» Terminal de Ruffini: responsáveis pela percepção de temperatura.
»» Corpúsculo de Meissner: mecanorreceptores de detecção rápida.
»» Disco de Merkel: mecanorreceptores envolvidos com tato e pressão contínuos.
»» Terminações axonais livres: estão envolvidos principalmente com dor e sensibilidade.
A pele é, ainda, um importante órgão de defesa contra diversos tipos de agentes infecciosos. As
secreções excretadas pelas glândulas contêm anticorpos e ácidos que inibem a atividade microbioló-
gica. Além disso, a pele tem um importante papel da regulação da temperatura corpórea.
Nos mamíferos, a PELE é órgão composto por duas camadas: epiderme e derme.
A EPIDERME é um tecido epitelial pluriestratificado. É formada por estratos (ou camadas), dos
quais se destacam o estrato basal (também chamado de estrato germinativo), que fica apoiado na
derme e é formado por células de aspecto cúbico. Nessa camada é intensa a atividade de divisão
celular mitótica, que repõe constantemente as células perdidas no desgaste diário a que a superfície
desse tecido está sujeita. À medida que novas células são formadas, elas vão sendo “empurradas”
para formar as demais células, originando as camadas espinhosa (prolongamentos de citoplasma)
e granulosa (alta quantidade de melanina), até ficarem expostas na superfície da pele. Essa última
camada é a camada córnea, originada pela camada translúcida, constituída de células mortas com
grande quantidade de queratina.
Os melanócitos são células localizadas na camada basal, responsáveis pela produção de melanina,
a qual confere pigmentação à pele, aos pelos e aos olhos e tem como função proteger o DNA contra a
exposição solar e contra radicais livres. Além dos melanócitos existem as células de Langerhans, res-
ponsáveis pela fagocitose de agentes estranhos na pele, e as células de Merkel, as quais funcionam como
mecanorreceptores. Vale lembrar que a epiderme, camada mais superficial, não apresenta inervação,
nem vascularização.

Lei do Direito Autoral nº 9.610, de 19 de Fevereiro de 1998: Proíbe a reprodução total ou parcial desse material ou divulgação com
fins comerciais ou não, em qualquer meio de comunicação, inclusive na Internet, sem autorização do AlfaCon Concursos Públicos.
4
AlfaCon Concursos Públicos

A DERME é uma camada formada por tecido conjuntivo do tipo denso, cujas fibras ficam orien-
tadas em diversas direções. Vários tipos de células são encontrados, destacando-se os fibroblastos
e os macrófagos. Nervos, terminações nervosas, diferentes tipos de corpúsculos sensoriais e uma
ampla rede de capilares sanguíneos cruzam a derme em várias direções. Ela é um importante tecido
de manutenção e de apoio. Os nutrientes existentes no sangue difundem-se para as células epidér-
micas.
Nos mamíferos, a derme é atravessada por finas faixas de células musculares, os músculos
eretores dos pelos, cuja contração é involuntária e permite aumentar a camada de ar retirada entre
os pelos, que contribui para o isolamento térmico. Mecanismo semelhante ocorre nas aves, com as
penas.
Abaixo da derme, há uma camada de tecido conjuntivo frouxo, o tecido celular subcutâneo
(também conhecido como tela subcutânea ou hipoderme), que não faz parte da pele, mas estabelece a
sua ligação com as estruturas adjacentes, permitindo o seu deslizamento. Em determinadas regiões
do corpo, a hipoderme contém um número variável de camadas de células adiposas, formando o
panículo adiposo (o popular “toucinho de porco”), importante como reserva de energia, isolante
térmico e facilitador da flutuação na água.
*CUIDADO! As bancas costumam perguntar a diferença entre a pele e hipoderme!
Anexos da Pele
Três estruturas da pele, derivadas da epiderme, são extremamente importantes na adaptação dos
mamíferos ao meio terrestre: pelos, que auxiliam no isolamento térmico; glândulas sudoríparas, que
desempenham o papel importante na regulação da temperatura corpórea; glândulas sebáceas, que
lubrificam a pele e estruturas anexas; e unhas, que são placas de queratina que auxiliam na apreen-
são e na manipulação de objetos.
Especializações de membrana
O tecido que reveste internamente o intestino delgado é um bom exemplo de epitélio especializa-
do em absorver nutrientes e permitir que eles passem da cavidade intestinal para o sangue. A alta ca-
pacidade de absorção do epitélio intestinal se deve ao fato de suas células possuírem, na membrana,
a borda livre (isto é, a borda voltada para a cavidade intestinal), muitas projeções finas e alongadas,
que lembrem dedos de uma luva, chamadas microvilosidades.
Cálculos da área de membrana que constitui as microvilosidades mostram que elas aumentam
500 vezes a área superficial de cada célula, em comparação com a área de células que têm a borda
lisa. O mesmo tipo de cálculo nos leva a concluir que o intestino delgado humano apresenta uma
superfície de absorção de mais de 300 m2, equivalente à área de uma quadra de esportes de 20 m de
comprimento por 15 m de lado.
As células dos tecidos epiteliais mantêm-se aderidas umas às outras por meio de estruturas especia-
lizadas, genericamente chamadas junções celulares. Uma das mais importantes junções celulares
é o desmossomo. Um desmossomo pode ser comparado a um botão de pressão constituído por duas
metades que se encaixam, estando uma metade localizada na membrana de uma das células e a outra
na célula vizinha.
As células do tecido epitelial apresentam pequenos poros de compartilhamento chamados de junções
gap. Essas junções são formadas por hexâmeros de conexina e servem como conexão do citoplasma,
permitindo circulação intercelular de substâncias químicas, como íons.
Outra especialização de membrana das células epiteliais são as interdigitações. Essas estruturas
são reentrâncias de membrana plasmática umas nas outras, de forma que a superfície de contato au-
mentada permite uma melhor adesão entre as células.
*CUIDADO! Plasmodesmos são junções comunicantes em células vegetais! São equivalentes
Lei do Direito Autoral nº 9.610, de 19 de Fevereiro de 1998: Proíbe a reprodução total ou parcial desse material ou divulgação com
fins comerciais ou não, em qualquer meio de comunicação, inclusive na Internet, sem autorização do AlfaCon Concursos Públicos.
5
AlfaCon Concursos Públicos

às junções GAP em humanos!

Sob um tecido epitelial há sempre uma espécie de tapete de moléculas de proteínas ao qual as
células se ligam: a lâmina basal. As bases das células epiteliais ficam aderidas à lâmina basal por
meio de estruturas celulares especiais, denominadas hemidesmossomos. Estes lembram desmosso-
mos, mas possuem estrutura e função diferentes, conectando as bases das células epiteliais à lamina
basal, em vez de ligarem as membranas de células vizinhas, como fazem os desmossomos.
Tecido Glandular
Glândulas são conjuntos de células especializadas em produzir e eliminar secreções úteis ao or-
ganismo. As células do tecido epitelial glandular produzem essas secreções, que podem ser utiliza-
das e outras partes do corpo ou eliminadas do organismo. Essas secreções podem ser:
»» Mucosas, quando espessas e ricas em muco. Ex.: glândulas salivares;
»» Serosas, quando fluidas, aquosas, claras e ricas e proteínas. Ex.: glândulas secretoras do
pâncreas;
»» Podem também ser mistas, quando ocorrem secreções mucosas e serosas juntas. Ex.: Glân-
dulas salivares parótidas.
As glândulas podem ser unicelulares, como a glândula caliciforme (que ocorre, por exemplo, no
epitélio da traqueia), ou multicelulares, como a maioria das glândulas.
As glândulas multicelulares originam-se sempre dos epitélios de revestimento, por proliferação de
suas células para o interior do tecido conjuntivo subjacente e posterior diferenciação. Podem ser:
»» Glândulas exócrinas: apresentam a porção secretora associada a dutos que lançam suas se-
creções para fora do corpo (como as glândulas sudoríparas, lacrimais, mamárias e sebáceas)
ou para o interior de cavidades do corpo (como as glândulas salivares).
»» Glândulas endócrinas: não apresentam dutos associados à porção secretora. As secreções
são denominadas hormônios e lançadas diretamente nos vasos sanguíneos e linfáticos.
Exemplos: hipófise, glândulas da tireoide, glândulas paratireóideas e glândulas adrenais;
»» Glândulas mistas: apresentam regiões endócrinas e exócrinas ao mesmo tempo. É o caso
do pâncreas, cuja porção exócrina secreta enzimas digestivas que são lançadas no duodeno,
enquanto a porção endócrina é responsável pela secreção dos hormônios insulina e glucagon.
Esses hormônios atuam, respectivamente, na redução e no aumento dos níveis de glicose no
sangue.

Lei do Direito Autoral nº 9.610, de 19 de Fevereiro de 1998: Proíbe a reprodução total ou parcial desse material ou divulgação com
fins comerciais ou não, em qualquer meio de comunicação, inclusive na Internet, sem autorização do AlfaCon Concursos Públicos.
6
AlfaCon Concursos Públicos

Exercícios
01. O tecido epitelial tem como função fazer o revestimento de todos os órgãos do corpo. Neste
sentido, pode-se afirmar que:
a) é ricamente vascularizado.
b) suas células são anucleadas.
c) suas células encontram-se justapostas.
d) apresenta junções celulares como as sinapses.
e) possui grande quantidade de substância intercelular.
02. Em relação à anatomia e à fisiologia da pele, assinale a alternativa correta:
a) A hipoderme é uma camada constituída basicamente de queratina e colágeno.
b) A pele é o menor órgão do corpo humano, com uma espessura menor que 0,1 mm e uma superfície
aproximada de 1 m2.
c) A pele é composta por duas camadas: uma profunda, chamada hipoderme; e outra superficial,
chamada epiderme, sendo que as duas camadas formam a derme.
d) A pele mantém a integridade da superfície corporal pela migração e pela descamação, podendo
recuperar a superfície das feridas pela intensificação dos mecanismos normais de reposição celular.
03. No homem, a função principal da sudorese é:
a) nutrir as células epidérmicas desprovidas de irrigação sanguínea.
b) dissolver e remover o produto das glândulas sebáceas que se acumula sobre a pele.
c) acelerar a perda de calor, provocando, pela evaporação, um abaixamento da temperatura na su-
perfície da pele.
d) eliminar o excesso de água do tecido celular subcutâneo, sem a perda de substâncias que normal-
mente seriam eliminadas pelos rins.
e) evitar a morte das células superficiais da epiderme por dessecação.
GABARITO
1–C
2–D
3–C

Lei do Direito Autoral nº 9.610, de 19 de Fevereiro de 1998: Proíbe a reprodução total ou parcial desse material ou divulgação com
fins comerciais ou não, em qualquer meio de comunicação, inclusive na Internet, sem autorização do AlfaCon Concursos Públicos.
7

Вам также может понравиться