Вы находитесь на странице: 1из 65

MATEMÁTICA FINANCEIRA

SUMÁRIO

MATEMÁTICA FINANCEIRA SUMÁRIO 1 – Introdução 5 2 – Razão de duas grandezas 5 3 –
MATEMÁTICA FINANCEIRA SUMÁRIO 1 – Introdução 5 2 – Razão de duas grandezas 5 3 –
MATEMÁTICA FINANCEIRA SUMÁRIO 1 – Introdução 5 2 – Razão de duas grandezas 5 3 –
MATEMÁTICA FINANCEIRA SUMÁRIO 1 – Introdução 5 2 – Razão de duas grandezas 5 3 –

1 – Introdução

5

2 – Razão de duas grandezas

5

3 – Proporções

6

3.1

Elementos

3.1.1 Propriedade Fundamental

 

4 – Grandezas Proporcionais

8

4.1 Grandezas Diretamente Proporcionais

4.2 Grandezas Inversamente Proporcionais

4.3 Grandezas Proporcionais a várias outras

4.4 Divisão Proporcional

5 – Percentagem

5.1 Taxas

5.2 Elementos do Cálculo Percentual

5.3 Taxa Unitária

17

6 – Operações sobre Mercadorias

21

6.1 Vendas com Lucro

6.2 Vendas com Prejuízo

6.3 Abatimentos Sucessivos

7 – Juro Simples

24

8 – Desconto Simples

25

8.1 Desconto Comercial

8.2 Taxa de Juro Efetiva

8.3 Equivalência de Capitais

8.4 Desconto Racional

9 – Juro Composto

32

10 – Taxas

35

10.1 Taxas Proporcionais

10.2 Taxas Equivalentes

10.3 Taxa Nominal

10.4 Taxa Efetiva

10.5 Taxa Real e Taxa Aparente

11 – Desconto Composto

39

11.1

Equivalência de Capitais Diferidos

12 – Seqüências de Capitais

42

12.1 Seqüência Uniforme

12.2 Montante de uma Seqüência Uniforme

13 – Amortização de Empréstimo

46

13.1 Sistema de Amortização Constante (SAC)

13.2 Sistema Francês (ou Sistema Price) 13.2.1 Cálculo do Saldo Devedor no Sistema Francês

Respostas dos Exercícios Propostos

56

Apêndice – Calculadora HP-12C

58

Bibliografia

66

3

Francês Respostas dos Exercícios Propostos 56 Apêndice – Calculadora HP-12C 58 Bibliografia 66 3
Francês Respostas dos Exercícios Propostos 56 Apêndice – Calculadora HP-12C 58 Bibliografia 66 3

MATEMÁTICA FINANCEIRA

PREFÁCIO

MATEMÁTICA FINANCEIRA PREFÁCIO Antes de elaborarmos este material, tínhamos uma grande preocupação com o ensino da
MATEMÁTICA FINANCEIRA PREFÁCIO Antes de elaborarmos este material, tínhamos uma grande preocupação com o ensino da
MATEMÁTICA FINANCEIRA PREFÁCIO Antes de elaborarmos este material, tínhamos uma grande preocupação com o ensino da
MATEMÁTICA FINANCEIRA PREFÁCIO Antes de elaborarmos este material, tínhamos uma grande preocupação com o ensino da

Antes de elaborarmos este material, tínhamos uma grande preocupação com o ensino da matemática nos cursos que não são chamados da área das Ciências Exatas e da Natureza, devido à linguagem rigorosa, complexa e de cálculos muitos longos dessa ciência. Porém, a matemática é uma “ferramenta” poderosa no campo administrativo (contabilidade, empreendedorismo, economia, etc.), pois de um modo geral as decisões em uma organização são tomadas encima de números. Daí a necessidade de escrever os conceitos de forma simples e clara, sempre seguidos de exemplos ilustrativos, de posse que o leitor tenha a plena condição de entender e visualizar a aplicação da matemática nessas diversas áreas do conhecimento. Tivemos a predisposição de fazer uma pesquisa de campo, para podermos então afirmar quais dos assuntos abordados são mais usuais no mercado financeiro. Para que o leitor saiba, que o aprendizado desse material vai além dos ensinos acadêmicos. Ele, o leitor, vivenciará na prática, com mais ou menos intensidade, dependendo da sua área de atuação, todos os conceitos da Matemática Financeira aqui expostos. Todos os cálculos propostos pode ser resolvidos via calculadora científica, porém existe no mercado uma calculadora com funções financeiras que pode agilizar o processo de cálculo para o leitor, que é a HP-12C. Caso o leitor possua uma planilha eletrônica do tipo Microsoft Excel em matemática financeira, também será de grande utilidade nas resoluções dos problemas. É importante lembrar, que muitos resultados parciais, durante o processo de cálculos, apresentarão um grande número de dígitos na parte decimal do número, isso nos obrigará a constantes arredondamentos, conseqüentemente levará para o resultado final uma margem de erro desprezível para o processo. (Sugerimos que sejam consideradas 5 casas decimais) Por fim, estamos aguardando sugestões e críticas que possam qualificar e engrandecer, para as próximas edições, esse material. E não esqueça que, apesar do primeiro capítulo ser Razão e Proporção, de colocar acima de tudo a emoção para no processo de aprendizado, pois assim como um alimento pode proporcionar prazer ao ser humano, o conhecimento ao ser “alimentado” gera um prazer útil e duradouro. Pode acreditar!

Obrigado!

O Autor.

Belém, 17 de julho de 2003.

4

ser “alimentado” gera um prazer útil e duradouro. Pode acreditar! Obrigado! O Autor. Belém, 17 de
ser “alimentado” gera um prazer útil e duradouro. Pode acreditar! Obrigado! O Autor. Belém, 17 de

MATEMÁTICA FINANCEIRA

MATEMÁTICA FINANCEIRA MATEMÁTICA FINANCEIRA 1.INTRODUÇÃO A Matemática Financeira visa estudar o valor do dinheiro no
MATEMÁTICA FINANCEIRA MATEMÁTICA FINANCEIRA 1.INTRODUÇÃO A Matemática Financeira visa estudar o valor do dinheiro no

MATEMÁTICA FINANCEIRA

1.INTRODUÇÃO

A Matemática Financeira visa estudar o valor do dinheiro no tempo, nas aplicações e nos pagamentos de empréstimos. Tal definição é bem geral; o aluno terá oportunidade de verificar, ao longo do curso, que a Matemática Financeira fornece instrumentos para o estudo e avaliação das formas de aplicação de dinheiro bem como de pagamentos de empréstimos. Você terá uma visão geral do que é feito no nível bancário e comercial, com isso você irá se familiarizar com as terminologias dessa maravilhosa Disciplina. Aproveite, e boa sorte!

ogias dessa maravilhosa Disciplina. Aproveite, e boa sorte! 2. RAZÃO DE DUAS GRANDEZAS Razão de duas

2. RAZÃO DE DUAS GRANDEZAS

Razão de duas grandezas, dadas em uma certa ordem, é a razão entre a medida da primeira grandeza e a medida da segunda. Se as grandezas são da mesma espécie, suas medidas devem ser expressas na mesma unidade. Neste caso, a razão é um número puro.

Exemplo: A razão de 3 m e 7 m é:

3

m

/

3

=

7

m

/

7

Se as grandezas não são da mesma espécie, a razão é um número cuja unidade depende das unidades das grandezas a partir das quais se determina a razão.

Exemplo:5 Um automóvel percorre 120 km em 2 horas. A razão entre a distância

percorrida e o tempo gasto em percorrê-la é:

120 km

2 h

= 60

km

/

h

EXERCÍCIOS PROPOSTOS

01 – Calcule a razão entre as seguintes grandezas:

a) 27km e 3 l de gasolina

b) 40g e 5 cm 3

5

PROPOSTOS 01 – Calcule a razão entre as seguintes grandezas: a) 27km e 3 l de
PROPOSTOS 01 – Calcule a razão entre as seguintes grandezas: a) 27km e 3 l de

MATEMÁTICA FINANCEIRA

MATEMÁTICA FINANCEIRA c) 24kg e 80kg d) 20cm e 4dm e) 20d e 2me 15d 3.PROPORÇÕES
MATEMÁTICA FINANCEIRA c) 24kg e 80kg d) 20cm e 4dm e) 20d e 2me 15d 3.PROPORÇÕES

c) 24kg e 80kg

d) 20cm e 4dm

e) 20d e 2me 15d

3.PROPORÇÕES

Dados, em uma mesma ordem, quatro números (a, b, c e d) diferentes de zero, dizemos que eles formam uma proporção quando a razão entre os dois primeiros (a e b) é igual à razão entre os dois últimos (c e d).

4 , logo os números 12, 3, 24 e 6 nessa ordem formam uma

Exemplo:

12 =

4

24 =

e

3 6

proporção, que pode ser expressa mediante a uma igualdade de razões:

3.1 ELEMENTOS

12 = 24

3 6

a = b c , dizemos que a está para b, assim como c está
a =
b
c , dizemos que a está para b, assim como c está para d.
d
a e c são os antecedentes
b e d são os conseqüentes
a e d são os extremos
b e c são os meios

3.1.1 PROPRIEDADE FUNDAMENTAL

Em toda proporção, o produto dos extremos é igual ao produto dos meios

ad = cb

Exemplo:

12

3 =

5 20

, temos

3 x 20 = 5 x 12

EXERCÍCIOS PROPOSTOS

02 -Calcule x nas proporções:

a) 15 = 60

20

7

6

x

=

x

5

b) 3

2

6

3 x 20 = 5 x 12 EXERCÍCIOS PROPOSTOS 02 -Calcule x nas proporções: a) 15
3 x 20 = 5 x 12 EXERCÍCIOS PROPOSTOS 02 -Calcule x nas proporções: a) 15

MATEMÁTICA FINANCEIRA

MATEMÁTICA FINANCEIRA 6 = 2 15 30 NOTA: Série de razões iguais: iguais a 2. Nesse
MATEMÁTICA FINANCEIRA 6 = 2 15 30 NOTA: Série de razões iguais: iguais a 2. Nesse

6 =

2

15

30

NOTA: Série de razões iguais:

iguais a 2. Nesse caso chamamos de PROPORCÃO MÚLTIPLA.

3

10

=

, observamos que a razão são todas

Podemos dizer que o valor dessas razões é igual a uma constante k, daí temos que:

a =

b

d

,

,

n

k ,

c

= k

m

=

k

, podemos fazer então: a = bk, c = dk,

, m = nk.

Somando membro a membro dessas equações, temos:

a

+ c +

+ m = bk + dk +

+ nk

a + c +

+ m = k (b + d +

+ n)

a

+ +

c

+

m = k n

b

+ +

d

+

Como:

a =

c

=

=

m

b

d

 

n

 

a

+ c

+

+

m = =

a

c m

=

=

b

+ d

+

+

n

b

d n

= k , podemos escrever então:

Em toda série de razões iguais, a soma dos antecedentes está para a soma dos

conseqüentes

assim como qualquer antecedente está para o seu respectivo

conseqüente.

Exemplo: Calcule x, y e z, sabendo que

x y

=

9

z

11

15

=

e x + y + z = 420.

Usando a propriedade das proporções múltiplas temos:

x

+

y

+ z

=

x

y

z

9

+

11

+

15

9

ou

11

ou

15

Como x + y + z = 420 , podemos escrever :

Daí temos: x = 108, y = 132

e

z = 180

420

=

x

y

z

35

9

ou

11

ou

15

7

, podemos escrever : Daí temos: x = 108, y = 132 e z = 180
, podemos escrever : Daí temos: x = 108, y = 132 e z = 180

MATEMÁTICA FINANCEIRA

EXERCÍCIOS PROPOSTOS

MATEMÁTICA FINANCEIRA EXERCÍCIOS PROPOSTOS 03) Determine os antecedentes de uma proporção, sabendo que sua soma é
MATEMÁTICA FINANCEIRA EXERCÍCIOS PROPOSTOS 03) Determine os antecedentes de uma proporção, sabendo que sua soma é
MATEMÁTICA FINANCEIRA EXERCÍCIOS PROPOSTOS 03) Determine os antecedentes de uma proporção, sabendo que sua soma é
MATEMÁTICA FINANCEIRA EXERCÍCIOS PROPOSTOS 03) Determine os antecedentes de uma proporção, sabendo que sua soma é

03) Determine os antecedentes de uma proporção, sabendo que sua soma é 47 e que os conseqüentes são 2 e 8. 04) Determine dois números, sabendo que sua soma é 60 e que a razão entre eles é 2/3. 05) A soma de três números é igual a 555. O primeiro está para o segundo como 8 está para 5. A diferença entre esses dois números é igual a 69. Quais são os três números? 06) A importância de R$ 588,00 foi dividida entre três pessoas. Sabendo que a parte da primeira está para a da segunda com o 5 para 7, e que a parte da segunda está para a terceira como 7 para 9, determine as três partes. 07) (CN) Calcule, aplicando a propriedade de uma série de razões iguais, os números y

x, y e z, sabendo que x + 6y + z = 120 e

NOTA: Dados os números a e b temos que:

, é o quociente

entre a soma desses números pelo total deles.

,

é raiz quadrada (ou n-ésima) do produto desses números.

, é a soma

x

z

4

5

6

.

=

=

a + b

2

a) a Média Aritmética entre a e b é dado por: MA =

b) a Média Geométrica ou Proporcional entre a e b é dado por: MG =

c) a Média Ponderada entre a e b é dado por: MP =

a p

.

1

+

b p

.

2

p

1

+

p

2

a.b
a.b

dos produtos desses números pelos pesos correspondentes, dividida pela soma desses pesos (p1 e p2)

d) a Média Harmônica entre a e b é dado por: MH =

1 1 1 + a b
1
1
1
+
a
b

2

, nesse caso

2

ab b , é o inverso da média aritmética dos inversos

+

podemos escrever ainda MH = a

desses números.

Resolva: (CN) Colocar em ordem de grandeza crescente a média aritmética, a média geométrica e a média harmônica dos números 6 e 12.

4.GRANDEZAS PROPORCIONAIS

De um modo geral estamos sempre diante de problemas com grandezas que estão relacionadas entre si, de tal forma que quando uma varia, a outra também varia. Por exemplo, temos o tempo gasto para confeccionar um determinado tipo de produtos DEPENDE dos números de operários que estão trabalhando nesse processo.

8

confeccionar um determinado tipo de produtos DEPENDE dos números de operários que estão trabalhando nesse processo.
confeccionar um determinado tipo de produtos DEPENDE dos números de operários que estão trabalhando nesse processo.

MATEMÁTICA FINANCEIRA

MATEMÁTICA FINANCEIRA Iremos estabelecer uma lei de vari ação dos valores de uma grandeza em relação
MATEMÁTICA FINANCEIRA Iremos estabelecer uma lei de vari ação dos valores de uma grandeza em relação

Iremos estabelecer uma lei de variação dos valores de uma grandeza em relação à outra. Refiro-me às GRANDEZAS DIRETA OU INVERSAMENTE PROPORCIONAIS.

4.1 GRADEZAS DIRETAMENTE PROPORCIONAIS

Uma barra de ouro de 50 cm 3 de volume pesa 140g; nas mesmas condições, uma barra de 100 cm 3 pesará 280g e uma de 150 cm 3 , 420g. Podemos, então, escrever a seguinte tabela:

Volume (cm 3 )

50

100

150

200

Massa (g)

140

280

420

560

Observe que a grandeza massa DEPENDE da grandeza volume, onde aumentando uma, a outra também aumenta. O mais importante, é notarmos que:

140 =

280

=

420

=

560

50

100

150

200

= 2,8

Admitindo que x represente a grandeza volume e de y a massa, podemos dizer que:

y

x

= 2,8

ou ainda,

y = 2,8x

Estabelecemos as seqüências (50, 100, 150, 200) e (140, 280, 420, 560), em seguida podemos afirmar que elas são DIRETAMENTE PROPORCIONAIS, ou seja, as grandezas x e y são grandezas DIRETAMENTE PROPORCIONAIS. O número 2,8 em questão é denominado RAZÃO ou COEFICIENTE DE PROPORCIONALIDADE.

Duas grandezas variáveis são DIRETAMENTE PROPORCIONAIS se os valores correspondentes x e y são expressos por uma função do tipo: y = kx , onde k é um número real constante, diferente de zero.

Como a função é linear (gráfico representado por uma reta passando pela origem dos eixos cartesianos), y = kx, temos a seguir a representação gráfica do exemplo exposto anteriormente:

y 420 280 140 50 100 150 x
y
420
280
140
50
100
150
x

9

y = kx, temos a seguir a representação gráfica do exemplo exposto anteriormente: y 420 280
y = kx, temos a seguir a representação gráfica do exemplo exposto anteriormente: y 420 280

MATEMÁTICA FINANCEIRA

MATEMÁTICA FINANCEIRA 4.1.1 Característica da Gr andeza Diretamente Proporcional: Se (x 1 , y 1 )
MATEMÁTICA FINANCEIRA 4.1.1 Característica da Gr andeza Diretamente Proporcional: Se (x 1 , y 1 )

4.1.1 Característica da Grandeza Diretamente Proporcional:

Se (x 1 , y 1 ) e (x 2 , y 2 ) são pares de valores correspondentes de duas grandezas

proporcionais, podemos representar por:

y

2

y

1

=

x

2

y

2

Podemos ajustar essa relação, para melhor descrevê-la:

x 1 y 1 = x 2 y 2
x 1 y
1
=
x
2 y
2

Dadas duas grandezas DIRETAMENTE PROPORCIONAIS, a razão entre dois valores de uma delas é igual à razão entre os dois valores correspondentes da outra.

OBSERVAÇÕES IMPORTANTES:

1º) A proporcionalidade entre duas grandezas, quando não resultante de uma dedução lógica ou de uma definição, só existe dentro de certos limites. Assim, na compra por atacado, por exemplo, o preço por unidade é menor do que nas compras a varejo. 2º) Para caracterizarmos a proporcionalidade de duas grandezas não é suficiente verificar se o aumento de uma delas acarreta o aumento da outra. È necessário que, ao multiplicarmos uma delas por um número real k diferente de zero, a grandeza correspondente também fique multiplicada por k. Por exemplo, a aresta de um cubo e seu volume não são grandezas proporcionais, pois, multiplicando-se a aresta por 2, o volume fica multiplicado por 8.

4.1.2 Números Diretamente Proporcionais:

As seqüências de números reais não-nulos (a 1 , a 2 , DIRETAMENTE PROPORCIONAIS se, e somente se:

,

a n ) e (b 1 , b 2 ,

,

b n ) são

   

a

1

=

a

2

=

=

a

n

= k

, k é uma constante

 

b

1

b

2

b

n

Ou ainda, o que é mais comum para efeito de cálculo:

   

a 1 = kb 1 ;

a 2 = kb 2

,

,

a n = kb n

 
 

10

de cálculo:     a 1 = kb 1 ; a 2 = kb 2 ,
de cálculo:     a 1 = kb 1 ; a 2 = kb 2 ,

MATEMÁTICA FINANCEIRA

EXERCÍCIOS PROPOSTOS

MATEMÁTICA FINANCEIRA EXERCÍCIOS PROPOSTOS 08) Verifique se os números da s seqüências são proporcionais: a) (40,
MATEMÁTICA FINANCEIRA EXERCÍCIOS PROPOSTOS 08) Verifique se os números da s seqüências são proporcionais: a) (40,
MATEMÁTICA FINANCEIRA EXERCÍCIOS PROPOSTOS 08) Verifique se os números da s seqüências são proporcionais: a) (40,
MATEMÁTICA FINANCEIRA EXERCÍCIOS PROPOSTOS 08) Verifique se os números da s seqüências são proporcionais: a) (40,

08) Verifique se os números das seqüências são proporcionais:

a) (40, 38, 35)

e

(8, 7, 5)

b) (5, 6, 7)

e

(75, 90, 105)

09) Qual é a razão de proporcionalidade entre as seqüências de números diretamente proporcionais (5, 8, 11) e (40, 64, 88) ?

10) Determine os valores de x e y nas seqüências de números proporcionais (6, x, 21) e (2, 5, y).

11) Quais os menores números inteiros proporcionais aos números 2/3 , 3/4 e 1/6? (Sugestão: multiplique pelo m.m.c dos denominadores)

12) Dados os números 1/5, 3/6 proporcionais a esses números.

e

7/10, determine os três menores números inteiros

4.2 GRADEZAS INVERSAMENTE PROPORCIONAIS

Veja o quadro ao lado:

Velocidade

100

200

300

400

(km/h)

Tempo (h)

12

6

4

3

Percebemos que a grandeza velocidade quando aumenta, o tempo diminui. Porém, agora temos: 12x100 = 200x6 = 300x4 = 400x3 = 1200

Ou ainda:

12

1

100

=

6

1

200

=

4

1

300

=

3

1

400

= 1200

Chamando de x a grandeza velocidade e de y a grandeza tempo, temos:

1

y = 1200. x

Podemos dizer que as seqüências na tabela são grandezas INVERSAMENTE PROPORCIONAIS, ou ainda, que as grandezas x e y são INVERSAMENTE PROPORCIONAIS e 1200 é o fator ou coeficiente de proporcionalidade.

Duas grandezas variáveis são INVERSAMENTE PROPORCIONAIS se os valores correspondentes x e y são expressos por uma função do tipo:

y = k. 1 x

, onde k é um número real constante, diferente de zero.

11

são ex pressos por uma função do tipo: y = k. 1 x , onde k
são ex pressos por uma função do tipo: y = k. 1 x , onde k

MATEMÁTICA FINANCEIRA

MATEMÁTICA FINANCEIRA A função que representa a proporci onalidade inversa é a recí proca, y =
MATEMÁTICA FINANCEIRA A função que representa a proporci onalidade inversa é a recí proca, y =

A função que representa a proporcionalidade inversa é a recíproca, y = k/x, que é um ramo de uma hipérbole:

y 12 1200 ( y = x > 0) x 6 4 100 200 300
y
12
1200 (
y =
x >
0)
x
6
4
100
200
300
4.2.1 Característica da Grandeza Inversamente Proporcional:

Se (x 1 , y 1 ) e (x 2 , y 2 ) são pares de valores correspondentes de duas grandezas

x 1 .y 1 = x 2 .y 2

proporcionais, podemos representar por:

Podemos ajustar essa relação, para melhor descrevê-la:

x y 1 2 = x y 2 1
x
y
1
2
=
x
y
2
1

Dadas duas grandezas INVERSAMENTE PROPORCIONAIS, a razão entre dois valores de uma delas é igual ao inverso da razão entre dos dois valores correspondentes da outra.

4.2.2 Números Inversamente Proporcionais:

As seqüências de números reais não-nulos (a 1 , a 2 , INVERSAMENTE PROPORCIONAIS se, e somente se:

a n )

(b 1 , b 2 ,

 

,

a 1 .b 1 = a 2. b 2 =

= a n .b n = k´ , k´ é uma constante

   
 

a

1

=

a

2

=

=

a

n

= k

'

1

1

 

1

 

b

1

b

2

b

n

Ou ainda, podemos usar a relação:

e

,

b n ) são

12

1 1   1   b 1 b 2 b n Ou ainda, podemos usar a
1 1   1   b 1 b 2 b n Ou ainda, podemos usar a

MATEMÁTICA FINANCEIRA

EXERCÍCIOS PROPOSTOS

MATEMÁTICA FINANCEIRA EXERCÍCIOS PROPOSTOS 13) Verifique se as seqüências são inversamente proporcionais: a) (2,
MATEMÁTICA FINANCEIRA EXERCÍCIOS PROPOSTOS 13) Verifique se as seqüências são inversamente proporcionais: a) (2,
MATEMÁTICA FINANCEIRA EXERCÍCIOS PROPOSTOS 13) Verifique se as seqüências são inversamente proporcionais: a) (2,
MATEMÁTICA FINANCEIRA EXERCÍCIOS PROPOSTOS 13) Verifique se as seqüências são inversamente proporcionais: a) (2,

13) Verifique se as seqüências são inversamente proporcionais:

a) (2, 3, 6, 10) e (45, 30, 15, 9)

b) (2, 5, 8) e (40, 30, 20)

14) Determine

os

valores

de

x

e

y

nas

proporcionais (2, 3, y) e (15, x, 5).

seqüências

de

números

inversamente

4.3 GRADEZAS PROPORCIONAIS A VÁRIAS OUTRAS

Uma grandeza pode ser proporcional a duas ou mais grandezas, isoladamente. Por exemplo, o número de dias para construir um muro depende não apenas do número de operários, mas também do número de horas de trabalho diário dos operários, das dimensões do muro, etc. Dizemos que uma grandeza é proporcional a várias outras se é diretamente ou inversamente proporcional a cada uma delas quando as demais não variam. Em particular, uma grandeza x é proporcional a duas outras y e z quando, fixando uma destas últimas, a grandeza x varia proporcionalmente à outra. Veja essa propriedade:

Seja X uma grandeza proporcional às grandezas A e B e, ao mesmo tempo, inversamente proporcional `as grandezas C e D. Se x, a , b, c e d são valores correspondentes dessas grandezas, pela definição existe uma constante k, diferente de zero, tal que:

1

1

x = k.a.b. c

.

d

Ou ainda:

x = k. cd ab

4.4DIVISÃO PROPORCIONAL

Dividir um número em partes proporcionais a vários outros números dados é decompô-lo em parcelas proporcionais a esses números.

4.4.1 DIVISÃO EM PARTES DIRETAMENTE PROPORCIONAIS(ou divisão proporcional)

Durante uma gincana em uma escola, ficou definido que o prêmio arrecadado de R$ 180,00, seria divido com as equipes vencedoras: 1º, 2º e

13

uma esco la, ficou definido que o prêmio arrecadado de R$ 180,00, seria divido co m
uma esco la, ficou definido que o prêmio arrecadado de R$ 180,00, seria divido co m

MATEMÁTICA FINANCEIRA

MATEMÁTICA FINANCEIRA 3º lugares. De tal modo que a divisão seria proporcionais aos números 5, 3
MATEMÁTICA FINANCEIRA 3º lugares. De tal modo que a divisão seria proporcionais aos números 5, 3

3º lugares. De tal modo que a divisão seria proporcionais aos números 5, 3 e 2 , na ordem apresentada de classificação. Chamaremos de x, y e z, respectivamente, a cada uma dessas parcelas, teremos então:

x

y

z

=

=

5

3

2

, Como x, y e z são as parcelas que dividimos o número

180, temos ainda: x + y + z = 180

Da primeira equação, temos:

x

+ y + z

=

x

=

y

=

z

5

3

+ +

2

5

3

2

é igual a 18.

k =

x + y + z

180

=

5

+ +

3

2

10

= 18 , temos então que a constante de proporcionalidade

Então, vem:

x = k.5 = 18.5

= 90

y = k.3 = 18.3

= 54

z = k.2

= 18.2

= 36

TOTAL = 180 Logo, temos que as partes dividas foram: R$90,00, R$54,00 e R$36,00

EXERCÍCIOS PROPOSTOS

15) Divida o número 70 em partes proporcionais aos números 2, 3 e 5.

16) Divida o número 2990 em partes proporcionais a 5, 7 e 11.

17) Divida 184 em partes diretamente proporcionais a 1/2, 2/3 e 3/4.

18) Dois operários contratam um serviço por R$ 1800,00. Como devem repartir essa quantia, se um trabalhou 7 horas e o outro 8 horas, sendo a divisão diretamente proporcional ao tempo de serviço de cada um?

4.4.2 DIVISÃO EM PARTES INVERSAMENTE PROPORCIONAIS

Digamos que um pai, deixou herança de R$20.000,00 para ser dividida com seus três filhos, um com 5 anos, outro com 3 anos e o mais novo com 2 anos de idade. Esse valor será dividido em partes inversamente proporcionais às idades dos seus filhos, respectivamente. Chamando de x, y e z as parcelas que caberão a cada filho, teremos:

14

às idades dos seus filhos, respectivamente. Chamando de x, y e z as parcelas que caberão
às idades dos seus filhos, respectivamente. Chamando de x, y e z as parcelas que caberão

MATEMÁTICA FINANCEIRA

MATEMÁTICA FINANCEIRA x y z , fazendo o m.m.c (5, 3, 2) = 30, temos então:
MATEMÁTICA FINANCEIRA x y z , fazendo o m.m.c (5, 3, 2) = 30, temos então:

x

y

z

, fazendo o m.m.c (5, 3, 2) = 30, temos então:

=

=

1

1

1

5

3

2

1

.30

=

6;

1

.30

=

10 ;

1

.30

=

15

5

3

2

Reescrevendo a proporção, temos:

x + y + z =

20000 = 645,16

31

k = 6 +10 +15

x

y

z

 

=

=

6

10

15

Então:

x = k

6

= 645,16 . 6

=

3.870,96

y = k. 10 = 645,16

. 10

=

6.451,61

z = k . 15

= 645,16 . 15

=

9.677,42

TOTAL

= 20.000,00 (fazendo arredondamento)

Logo: o mais velho, recebeu R$ 3.870,93, o do meio R$ 6.451,61 e o caçula recebeu R$ 9.677,42.

EXERCÍCIOS PROPOSTOS

19) Divida o número 260 em partes inversamente proporcionais aos números 2, 3 e 4.

20) Um pai deixou R$ 2.870.000,00 para serem divididos entre seus três filhos na razão inversa das suas idades: 8, 12 e 28 anos. Quanto recebeu cada um?

4.4.3 DIVISÃO PROPORCIONAL COMPOSTA

Agora esse processo consiste em dividir em partes direta ou inversamente proporcionais a certos números a, b, c e, simultaneamente, em partes direta ou inversamente proporcionais a outros números m, n, p. Sejam os valores x, y, z valores das partes pedidas. Como x, y, z são proporcionais a a, b, c e também a m, n, p , são grandezas compostas; portanto, são proporcionais, respectivamente, aos produtos am, bn, cp. Veja como ficaria operacionalmente:

15

portanto, são proporcionais, respec tivamente, aos produtos am, bn, cp. Veja como ficaria operacionalmente: 15
portanto, são proporcionais, respec tivamente, aos produtos am, bn, cp. Veja como ficaria operacionalmente: 15

MATEMÁTICA FINANCEIRA

MATEMÁTICA FINANCEIRA t x am y bn z cp sendo: x y z = = am
MATEMÁTICA FINANCEIRA t x am y bn z cp sendo: x y z = = am

t

x am

y bn

z cp

sendo:

x

y

z

=

=

am

x + y + z = t

bn

cp

Exemplo: Divida 392 em partes ao mesmo tempo diretamente proporcionais a 2, 3,

4 e a 3, 5, 7.

Resolvendo, temos:

x + y + z = 392, x am = 2.3

y

z

bn

cp

= 3.5

= 4.7

= 6

=

15

28

=

am + bn + cp

k =

= 49

x

y

+ +

z

 

=

392

=

am

+

bn

+

cp

49

8

x

= am . k =

6 . 8 = 48

y

z

= bn . k . k

= cp

Logo, as partes são: 48, 120 e 224

= = 28 . 8 = 224 Total = 392

15 . 8 = 120

EXERCÍCIOS PROPOSTOS

21) Divida o número 2.190 em três partes que sejam, ao mesmo tempo, diretamente proporcionais a 2, 3, 5 e a 6, 7, 8. 22) Divida 175 em partes diretamente proporcionais a 5/4 , 3, 4 e, ao mesmo tempo, inversamente proporcionais a 3/4, 6, 2.

23) Divida 6.050 em três partes que sejam, a um tempo, inversamente proporcionais a 3,

5 e 6 e diretamente proporcional a 4, 6 e 9.

24) Divida 292 em três partes ao mesmo tempo inversamente proporcionais a 3, 5 e 6 e

a 4, 6 e 9.

25) Divida 363 em três partes, de modo que a segunda seja o dobro da primeira e a terceira o quádruplo da segunda. 26) Dionísio e Tadeu organizaram uma empresa comercial com um capital social de R$ 20.000,00, devendo cada um deles entrar com R$ 10.000,00. No ato da organização, 1º março, Dionísio integralizou sua quota e Tadeu contribuiu apenas com R$ 7.000,00, responsabilizando-se por integralizar sua quota após 5 meses. Em 31 de dezembro foi procedido o Balanço, tendo sido apurado um lucro de R$ 7.400,00. Qual a parte a ser creditada a cada sócio?

27) Três sócios empregaram, respectivamente, os capitais de R$ 180.000,00, R$ 225.000,00 e R$ 270.000,00 e obtiveram um lucro líquido de R$ 270.000,00. Qual será a parte de cada um?

16

R$ 225.000,00 e R$ 270.000,00 e obtiveram um lucro líquido de R$ 270.000,00. Qual será a
R$ 225.000,00 e R$ 270.000,00 e obtiveram um lucro líquido de R$ 270.000,00. Qual será a

MATEMÁTICA FINANCEIRA

MATEMÁTICA FINANCEIRA 28) Duas pessoas constituíram uma sociedad e com os capitais de R$ 90.000,00 e
MATEMÁTICA FINANCEIRA 28) Duas pessoas constituíram uma sociedad e com os capitais de R$ 90.000,00 e

28) Duas pessoas constituíram uma sociedade com os capitais de R$ 90.000,00 e R$ 76.000,00 respectivamente. A primeira recebeu, na divisão do lucro, R$ 17.220,00 a mais que a segunda. Calcule o lucro de cada uma delas.

5. PERCENTAGEM

5.1 TAXAS

Suponhamos que num torneio de futebol, o artilheiro do time A tenha marcado 18 gols, e o artilheiro do time B marcado 24 gols. A razão entre o número de gols o jogador do time A e o número de gols do time B é:

18 =

3 = 0,75 =

75

24

4

100

Quando uma razão é apresentada com o conseqüente 100, neste caso 75 , ela é chamada

razão centesimal. Podemos ainda, substituir 1 100 Então: 75 = 75% 100
razão centesimal.
Podemos ainda, substituir
1
100
Então:
75 = 75%
100

100

pelo símbolo %, que lemos: por cento.

Esse número 75% é denominado taxa percentual.

5.2 Elementos do Cálculo Percentual

Vimos que

18 =

24 100

75

Neste exemplo, chamamos o 18 de PERCENTAGEM, o 24 de PRINCIPAL e 75 de TAXA, temos então:

PERCENTAGEM = TAXA

PRINCIPAL

100

Daí pode definir que:

TAXA: é o valor que representa a quantidade de unidades tomadas em cada 100.

PECENTAGEM: é o valor que representa a quantidade tomada de outra, proporcionalmente a uma taxa.

17

em cada 100. PECENTAGEM: é o valor que represen ta a quantidade tomada de outra, proporcionalmente
em cada 100. PECENTAGEM: é o valor que represen ta a quantidade tomada de outra, proporcionalmente

MATEMÁTICA FINANCEIRA

PRINCIPAL: é o valor da grandeza da qual se calcula a percentagem.

é o valor da grandeza da qual se calcula a percentagem. OBS: Para efeito de cálculo
é o valor da grandeza da qual se calcula a percentagem. OBS: Para efeito de cálculo
é o valor da grandeza da qual se calcula a percentagem. OBS: Para efeito de cálculo
é o valor da grandeza da qual se calcula a percentagem. OBS: Para efeito de cálculo

OBS: Para efeito de cálculo de Percentagem, designaremos por:

P

o principal

p

a percentagem

r

a taxa

De forma geral temos:

r p = P 100
r
p =
P 100

Exemplo 1: Um vendedor tem 3% de comissão nos negócios que faz. Qual sua comissão numa venda de $360,00?

Temos que:

Então, temos:

P = 360

r = 3

p 3

=

360

100

p =

10,8

Logo, a comissão é de $10,80

Exemplo 2: Em uma faculdade 26% dos alunos são mulheres. Quantos alunos possui a faculdade, se elas são em número de 182?

Temos que:

p = 182

 

r

= 26

Então, temos:

182

=

26

P =

700

P

100

Logo, a faculdade possui 700 alunos.

Exemplo 3: Um bem de consumo foi adquirido por $5.000,00 e vendido com um lucro de $400,00. Qual a percentagem de lucro?

Temos que:

P = 5000

 

p

= 400

Então, temos:

400

=

r

r = 8

5000

100

Logo, o lucro foi de 8%

18

  p = 400 Então, temos: 4 0 0 = r ⇒ r = 8 5000
  p = 400 Então, temos: 4 0 0 = r ⇒ r = 8 5000

MATEMÁTICA FINANCEIRA

MATEMÁTICA FINANCEIRA 5.3 Taxa Unitária De um modo mais prático, recomenda-se o uso da taxa unitária
MATEMÁTICA FINANCEIRA 5.3 Taxa Unitária De um modo mais prático, recomenda-se o uso da taxa unitária

5.3 Taxa Unitária

De um modo mais prático, recomenda-se o uso da taxa unitária e representamos pela letra i

15

i

=

100

1

=>

i = 0,15

Exemplo 1: A taxa unitária correspondente a 35% é:

35% =

30

=

100

0,3

, isto é,

i = 0,3

Exemplo 2: A taxa percentual correspondente a 0,06 é:

0,06 =

6

=

100

6%

, isto é,

i = 6%

Exemplo 3: Calcule 40% de 18%

Temos que:

40% = 0,4

0,4 x 0,18 = 0,072

e

18% = 0,18

Então, podemos fazer:

Logo a resposta é: 7,2 %

Os problemas mostrados com a relação

p =

P

r

100

, pode ser escrita agora como

p = i

P

Mostraremos

a

seguir,

outra

metodologia

para

os

cálculos

desenvolvidos

anteriormente.

EXERCÍCIOS RESOLVIDOS

01)Em uma liquidação, uma camisa que custava R$30,00 foi vendida com 15% de abatimento. De quanto foi o abatimento e qual o valor que o consumidor pagou?

Resolução

Podemos usar uma regra de três simples para solucionar o problema, veja:

Se R$30,00 corresponde ao total do valor da camisa, temos então:

30

30 100%

100%

x

15% (desconto)

30 = 100%

15%

x x = 30x15

100

valor da camisa, temos então: 30 100% x 15% (desconto) 30 = 100% 15% x x

x =

45

10

X = 4,5

19

valor da camisa, temos então: 30 100% x 15% (desconto) 30 = 100% 15% x x
valor da camisa, temos então: 30 100% x 15% (desconto) 30 = 100% 15% x x

MATEMÁTICA FINANCEIRA

MATEMÁTICA FINANCEIRA O abatimento foi de R$4,50, e a camisa foi vendida por R$30,00 – R$4,50
MATEMÁTICA FINANCEIRA O abatimento foi de R$4,50, e a camisa foi vendida por R$30,00 – R$4,50

O abatimento foi de R$4,50, e a camisa foi vendida por R$30,00 – R$4,50 que é igual a

R$25,50.

02)(D.T.R.) As agências de viagens informaram que os pacotes para final de ano cresceram em vendas 70% em relação ao ano, anterior (1999). Sabendo que em 2000 foram vendidos 115.000 pacotes de viagens, quantos foram vendidos em 1999?

Resolução

Houve uma variação mais de 70% em relação ao total do ano anterior, que corrrespondia a 100% das vendas, temos então:

115.000

170%

x

x 100%

100%

x

=

115.000x100 %

 

170%

x

=

1.150.000

17

X = 67.647,06

Em 1999 foram vendidos, aproximadamente 67.647 pacotes de viagens para o final de ano.

EXERCÍCIOS PROPOSTOS

29) Um comprador, por pagar fora do vencimento uma mercadoria cujo preço era R$1.500,00, teve que pagar 14% de multa. Quanto pagou no total?

30) (D.T.R.) O censo do IBGE 2000 revelou que cerca de 20% a população brasileira vive no campo. Sabendo que a população total é de aproximadamente 170.000.000 de habitantes, qual a população da área urbana?

31) Da 1 a. Fase de um concurso participam 30 mil candidato, dos quais 70% não foram

65% não conseguiram

aprovados para a 2 a . Fase. Dos participantes da 2 a . Fase aprovação.

a. Quantos candidatos foram aprovados nesse concurso?

b. Qual foi a taxa de reprovados?

32) Uma mistura é formada por 150ml de leite e 50ml de água.

a. Qual é a taxa percentual de leite na mistura? E de água?

b. Adicionando-se 10ml de água à mistura, qual será a participação percentual de água na mistura?

20

E de água? b. Adicionando-se 10ml de água à mistura, qual será a participação percentual de
E de água? b. Adicionando-se 10ml de água à mistura, qual será a participação percentual de

MATEMÁTICA FINANCEIRA

MATEMÁTICA FINANCEIRA c. Retirando-se 10ml de água da mistur a original, qual será a participação percentual
MATEMÁTICA FINANCEIRA c. Retirando-se 10ml de água da mistur a original, qual será a participação percentual

c.

Retirando-se 10ml de água da mistura original, qual será a participação percentual da água na mistura?

33) (FACI) Um trabalhador de uma indústria madeireira paraense ganha R$6,00 por hora. Do total do seu salário, há um desconto de 20% para imposto de Renda e INSS. Desejando esse trabalhador ter um salário líquido de R$1.200,00 mensais, quantos horas deverá trabalhar por mês?

a) 195

b)235

c)215

d)250

34) (CESUPA) O governo reeditou a CPMF; então, desde junho de 1999, de cada quantia retirada do banco, seja através de cheque ou cartão magnético, é descontado 0,38%. Ao fazer um pagamento com cheque no valor de R$1.850,00, o total que é debitado da conta de uma pessoa é:

a) R$1.857,03

b) R$1.842,97

c) R$1.779,90

d) R$1.047,00

35) (UNAMA) Devido à crise no Oriente Médio, o aumento do preço do barril do

petróleo causou pânico, desestabilizando o mercado financeiro. Em determinado período, porém, o preço do barril sofreu uma queda de US$32 para US$24. O percentual dessa queda foi de:

a) 8%

b) 15%

c) 25%

d)33,33%

36) (D.T.R.) Após o censo 2000, o IBGE divulgou que cerca de 52% da população

brasileira é constituída de mulheres. Se a população é de 170.000.000 de habitantes, podemos dizer que o número de mulheres a mais do que homens é aproximadamente:

a)8.000.000

b)6.800.000

c)9.000.000

d)10.000.000

6. OPERAÇÕES SOBRE MERCADORIAS

Veremos neste capítulo problemas de percentagem relacionados às OPERAÇÕES DE COMPRA E VENDA DE MERCADORIAS, fazendo cálculos de LUCRO ou PREJUÍZO sobre os preços de custo e de venda de mercadorias.

6.1 Vendas com Lucro

A venda de mercadorias pode oferecer um lucro, e este lucro pode ser sobre o preço

de custo ou sobre o preço de venda.

O preço de custo de uma mercadoria compreende o preço de aquisição, acrescido

das despesas diretas sobre a compra e sobre a venda e, ainda, das despesas de administração e funcionamento da empresa.

Para as operações seguintes, usaremos a relação:

Onde : L => Lucro

V

=> Preço de Venda

C

=> Preço de Custo

L = V – C

21

usaremos a relação: Onde : L => Lucro V => Preço de Venda C => Preço
usaremos a relação: Onde : L => Lucro V => Preço de Venda C => Preço

MATEMÁTICA FINANCEIRA

MATEMÁTICA FINANCEIRA 6.1.1 Sobre o Preço de Custo A taxa de correção incidirá sobre o valor
MATEMÁTICA FINANCEIRA 6.1.1 Sobre o Preço de Custo A taxa de correção incidirá sobre o valor

6.1.1 Sobre o Preço de Custo

A taxa de correção incidirá sobre o valor do preço de custo.

Exemplo 1: Um comerciante vendeu mercadorias com lucro de 8% sobre o preço de custo. Determine o preço de venda, sabendo que essas mercadorias custaram

$500,00.

Usando a relação:

L = V – C

 

Temos:

0,08.C = V – C

=>

C + 0,08C = V

=>

V = 1,08C

V

= 1,08 . 500

=>

V = 540

Logo, o preço de venda é de $ 540,00

6.1.2 Sobre o Preço de Venda

A taxa de correção incidirá sobre o valor do preço de venda.

Exemplo 2:

Comprou-se um objeto por $6000,00 e deseja-se ganhar 25%

sobre o preço de venda. Qual dever ser este preço?

Usando a relação:

Temos:

L = V – C 0,25V = V – C

=> C = V – 0,25V

=> C = 0,75V

V =

6000

=>

V = 8000

0,75

Logo, o preço de venda deve ser $8000,00

6.2 Vendas com Prejuízo

A venda de mercadorias pode oferecer um prejuízo, e este prejuízo pode ser sobre o preço de custo ou sobre o preço de venda.

6.2.1 Sobre o Preço de Custo

Exemplo 1: Um objeto foi vendido com um prejuízo de 40% sobre o preço de custo. Sabendo que esse objeto custou $300,00, qual foi o preço de venda?

Usando a relação:

L = V – C

Temos:

- 0,4.C = V – C

=>

C -

0,4C = V

=>

V = 0,6C

V = 0,6 . 300

=>

V = 180

Logo, o preço de venda é de $ 180,00

6.2.2 Sobre o Preço de Venda

A taxa de correção incidirá sobre o valor do preço de venda.

22

de venda é de $ 180,00 6.2.2 Sobre o Preço de Venda A taxa de correção
de venda é de $ 180,00 6.2.2 Sobre o Preço de Venda A taxa de correção

MATEMÁTICA FINANCEIRA

MATEMÁTICA FINANCEIRA Exemplo 2 : Um bem de consumo que custa $6000,00 foi vendido com um
MATEMÁTICA FINANCEIRA Exemplo 2 : Um bem de consumo que custa $6000,00 foi vendido com um

Exemplo 2:

Um bem de consumo que custa $6000,00 foi vendido com um

prejuízo de 25% sobre o preço de venda. Calcule o preço de venda.

Usando a relação:

Temos:

L = V – C - 0,25V = V – C

6000

=>

1,25

V =

=> C = V + 0,25V

V = 4800

Logo, o preço de venda deve ser $4800,00

6.3 Abatimentos Sucessivos

=> C = 1,25V

Considere o seguinte problema: uma empresa distribuidora oferece, sobre o valor de uma fatura (relação que acompanha a remessa de mercadorias expedidas, ou que se remete mensalmente ao comprador, com a designação de quantidades, marcas, pesos, preços e importâncias), e os descontos sucessivos de 10%, 4% e 5%. Sabendo que o valor da fatura é de $ 6.400,00, qual o valor líquido da mesma? Essa operação é simples, pois calcularemos os líquidos parciais correspondentes aos abatimentos oferecidos, com suas respectivas taxas, obtendo-se o total líquido final. Veja a solução:

P = 6400;

i 1 = 0,1 ;

i 2 = 0,04

;

i 3 = 0,05

 

p 1 = P . i 1

= 640

=>

= 5760

= 6400 . 0,1 5760 . 0,04

p 2 = L 1 . i 2 = p 3 = L 2 . i 3 =

= 230,4 =>

5529,6 . 0,05 = 276,48 =>

L 1 = 6400 – 640 L 2 = 5760 – 230,4

= 5529,6

L 3 = 5529,6 – 276,48 = 5253,12

Logo, o valor líquido da fatura é $ 5.253,12.

NOTA1: De um modo geral temos:

L k = L k-1 . (1 – i k )

Ou ainda de modo mais específico:

NOTA2:

Para AUMENTOS SUCESSIVOS, teremos

L =

P(1 – i 1 ). (1 – i 2 ). (1 – i 3 )

(1 – i n )

L =

P(1 + i 1 ). (1 + i 2 ). (1 + i 3 )

(1 + i n )

EXERCÍCIOS PROPOSTOS

37) Vendendo por $ 600,00 um objeto que custou $ 480,00, qual será a percentagem de lucro? 38) Por quanto deve vender uma mercadoria que me custou $ 400,00 para ganhar 25% sobre o custo?

23

de lucro? 38) Por quanto deve vender uma mercadoria que me custou $ 400,00 para ganhar
de lucro? 38) Por quanto deve vender uma mercadoria que me custou $ 400,00 para ganhar

MATEMÁTICA FINANCEIRA

MATEMÁTICA FINANCEIRA 39) Quanto por cento sobre o custo se perdeu ao se vender por $
MATEMÁTICA FINANCEIRA 39) Quanto por cento sobre o custo se perdeu ao se vender por $

39) Quanto por cento sobre o custo se perdeu ao se vender por $ 238,00 um objeto que custou $ 280? 40) De quanto por cento foi meu prejuízo sobre a venda de um objeto que me custou $ 280,00 e foi vendido por $ 250,00? 41) Vendi um objeto por $ 120,00. Se tivesse vendido por mais $ 20,00, meu lucro seria de 50% do preço da nova venda. Qual foi o meu lucro? 42) Certa mercadoria foi vendida por $ 3.232,00, com o prejuízo de 8,7% sobre o preço da compra. Por quanto deveria ser vendida para dar lucro de 12% sobre o preço de custo? 43) Uma fatura de $8.000,00 sofre abatimentos sucessivos, de 10% e 8%. Qual o valor líquido a pagar? 44) Uma fatura de $ 50.000,00, por motivo de atraso em seu pagamento, sofre aumentos sucessivos de 10% e 15%. Qual o valor final dessa fatura? 45) Sobre o preço de compra de uma mercadoria incide uma despesa de 15%. Por quanto devemos vender essa mercadoria, comprada por $ 540,00, para que tenhamos um lucro de 25% sobre o preço de compra, repassando a despesa para o consumidor? 46) Um comerciante comprou uma peça de tecido de 450m, ao custo de $8,40 o metro. Vendeu 340m com 30% de lucro. Depois, vendeu o restante com certo prejuízo. Sabendo que a venda de todo o tecido, nas condições acima, deixou $ 77,32 de lucro líquido, calcule o preço pelo qual foi vendido, em cada caso, o metro do tecido.

7. JURO SIMPLES Antes de começarmos o estudo de Juro Simples, precisamos conhecer alguns conceitos importantes:

a) Capital ou Principal ou Valor Presente, representaremos pela letra C. Corresponde a um valor que será submetido a uma correção dentro de um certo período. b) Taxa, será representado pela letra i. A taxa de juro é expresso em porcentagem numa determinada unidade de tempo, que servirá como um fator de correção. c) Montante ou Valor Futuro, representado pela letra M. Corresponde ao valor do Capital adicionado ao Juro calculado no período em questão. d) Juro é a remuneração, a qualquer título, atribuída ao capital.

O

Juro Simples é um Regime de Capitalização, onde apenas o capital inicial rende juro, isto

é,

o juro formado no fim de cada período a que se refere a taxa não é incorporado ao capital

para, também, render juro no período seguinte; dizemos, neste caso, que os juros não são capitalizados. Ou seja, Juro Simples é aquele calculado unicamente sobre o capital inicial. Por definição, o Juro Simples é diretamente proporcional ao capital inicial e ao tempo de aplicação, sendo a taxa de juro por período o fator de proporcionalidade.

J = C.i.n

; obs: i e n (período) , devem estar na mesma unidade de tempo.

NOTA: nos estudos de funções, essa relação representa uma Função de 1º grau, camada Linear, que é uma reta passando pela Origem J(n) = Cin

24

essa relação representa uma Função de 1º grau, camada Linear, que é uma reta passando pela
essa relação representa uma Função de 1º grau, camada Linear, que é uma reta passando pela

MATEMÁTICA FINANCEIRA

MATEMÁTICA FINANCEIRA Exemplo 1 : Coloquei uma importância de R$ 12.000,00, aplicada pelo prazo de 2
MATEMÁTICA FINANCEIRA Exemplo 1 : Coloquei uma importância de R$ 12.000,00, aplicada pelo prazo de 2

Exemplo 1: Coloquei uma importância de R$ 12.000,00, aplicada pelo prazo de 2 anos, à uma taxa de 30% ao ano. Qual será o valor do juro a ser pago e o valor total do resgate, respectivamente?

Como J = C.i.n

J = 12000 . 0,3 . 2

O valor resgatado é o Montante: M = C + J

J = 7.200

M = 12000 + 7200

Logo, temos: R$ 7.200,00 e R$ 19.200,00

M = 19200

Exemplo 2: Foi aplicada uma importância de R$ 30.000,00, pelo prazo de 2 anos, à taxa de 1,2% ao mês. Qual o valor do juro a receber?

Temos agora, o período e a taxa em unidade de tempo diferente, então devemos fazer:

n = 2 anos = 2 x 12 meses = 24 meses

Agora sim, J = C.i.n

J = 30000 . 0,012 . 24

J = 8.640,00

Resposta: R$ 8.640,00

EXERCÍCIOS PROPOSTOS

47) Qual o valor do juro correspondente a um empréstimo de R$ 320.000,00 pelo prazo de 18 meses, sabendo que a taxa cobrada é de 3% ao mês? 48) Calcule o juro simples do capital de R$ 360.000,00 colocando à taxa de 30% ao ano, de 2 de janeiro de 1990 a 28 de maio do mesmo ano. 49) Qual a taxa de juro cobrada em um empréstimo de R$ 150.000,00 a ser resgatado por R$ 270.000,00 no final de 2 anos? 50) A que taxa o capital de R$ 2.400.000,00 rende R$ 108.000,00 em 6 meses? 51) Um capital de R$ 300.000,00 aplicando durante 10 meses, rende juro de R$ 60.000,00. Determine a taxa correspondente. 52) Um capital emprestado a 24% ao ano rende, em 1 ano,2 meses e 15 dias, o juro de R$ 78.300,00. Qual foi esse capital. 53) Em quanto tempo um capital triplica de valor à taxa de 20% ao ano? 54) Empregam-se 2/3 de um capital a 24% ao ano e o restante a 32% ao ano, obtendo- se, assim, um ganho anual de R$ 86.400,00. Qual é o valor desse capital?

8. DESCONTO SIMPLES

Quando se deve uma quantia em dinheiro numa data futura, é comum que entregue ao credor um título de crédito, que é o comprovante dessa dívida. Esse título tem uma data de vencimento, porém o devedor pode resgatá-lo antecipadamente, com isso terá direito a um abatimento denominado DESCONTO. Podemos listar alguns títulos de crédito mais comuns em operações financeiras:

25

um abatimento denominado DESCONTO. Podemos listar alguns títulos de créd ito mais comuns em operações financeiras:
um abatimento denominado DESCONTO. Podemos listar alguns títulos de créd ito mais comuns em operações financeiras:

MATEMÁTICA FINANCEIRA

MATEMÁTICA FINANCEIRA i. DUPLICATA: esse título é emitido por uma pessoa jurídica contra o seu cliente
MATEMÁTICA FINANCEIRA i. DUPLICATA: esse título é emitido por uma pessoa jurídica contra o seu cliente

i. DUPLICATA: esse título é emitido por uma pessoa jurídica contra o seu cliente (pessoa física ou jurídica), para o qual ela vendeu mercadorias a prazo ou prestou serviços a serem pagos posteriormente, segundo um contrato;

ii. NOTA PROMISÓRIA: é emitida para comprovação da aplicação de

um capital com vencimento futuro. Esse título é um dos mais populares, muito usando entre pessoas físicas ou pessoas físicas e instituições financeiras; iii. LETRA DE CÂMBIO: também é um título que comprova uma aplicação de um capital com vencimento predeterminado; esse título é usado exclusivamente por uma instituição financeira, é que chamamos de título ao portador.

Antes de estudarmos, as operações matemáticas dos DESCONTOS, devemos conhecer alguns conceitos que aparecerão nas operações com descontos:

DIA DE VENCIMENTO: é o dia fixado no título para pagamento (ou recebimento)

da aplicação;

VALOR NOMIMAL: é o valor indicado no título (valor de face, valor futuro ou valor de resgate), que será pago no dia do vencimento;

VALOR ATUAL: é o líquido pago ou recebido ( valor descontado) antes do vencimento;

TEMPO ou PRAZO: é o período compreendido entre o dia em que se negocia o título e o de seu vencimento, incluindo o primeiro e não o último, ou então, incluindo o último e não o primeiro.

DESCONTO: é a quantia a ser abatida do valor Nominal, isto é, a diferença entre o valor Nominal e o valor Atual.

d = N - A

I
I

NOTA: Quando o desconto considera como capital o VALOR NOMINAL, é denominado de DESCONTO COMERCIAL (POR FORA); Quando o desconto considera como capital o VALOR ATUAL, é denominado de DESCONTO RACIONAL (POR DENTRO).

8.1 Desconto Comercial

O desconto comercial, bancário ou por fora equivale ao juro simples, produzido

pelo VALOR NOMINAL do título no período de tempo correspondente, e à taxa fixada.

d = N. i. n

II
II

26

produzido pelo VALOR NOMINAL do título no períod o de tempo correspondente, e à taxa fixada.
produzido pelo VALOR NOMINAL do título no períod o de tempo correspondente, e à taxa fixada.

MATEMÁTICA FINANCEIRA

MATEMÁTICA FINANCEIRA Onde: d valor do desconto comercial N valor nominal do título A valor atual
MATEMÁTICA FINANCEIRA Onde: d valor do desconto comercial N valor nominal do título A valor atual

Onde:

d valor do desconto comercial

N

valor nominal do título

A

valor atual comercial ou valor descontado comercial

n

tempo

i

taxa de desconto

Com base nas relações I e II, temos:

N. i. n = N – A

A = N – N. i. n

A = N (1 – i. n)

VALOR ATUAL COMERCIAL:

A = N (1 – i .n)

NOTA: Não se recomenda o desconto comercial para prazos muito longos, pois o desconto pode ultrapassar o valor nominal do título.

Exemplo1: Uma empresa deve um título de valor nominal igual a $1.500,00. Esse título tem o vencimento marcado para 17/06/2003. Só que a empresa antecipará o pagamento com desconto comercial em 20/05/2003. Sabendo que a taxa de desconto é de 2% ao mês, determine:

a) o valor do desconto; Temos que : d = N. i. n

Onde

: N = 1500; i = 2% a.m : 30 = 0,02/30 ao dia; n = 11(dias de maio) + 17(dias de junho) = 28 dias

Então:

d = 1500.

0,02 . 28

30

Logo:

d = $28,00

b) o valor atual do título na data de sua liquidação; Temos que: A = N – d

Então:

A = 1500 – 28

Logo:

A = $1.472,00

27

do título na data de sua liquidação; Temos que: A = N – d Então: A
do título na data de sua liquidação; Temos que: A = N – d Então: A

MATEMÁTICA FINANCEIRA

MATEMÁTICA FINANCEIRA Exemplo2 : Uma duplicata de $6.900,00 foi resgat ada antes de seu vencimento por
MATEMÁTICA FINANCEIRA Exemplo2 : Uma duplicata de $6.900,00 foi resgat ada antes de seu vencimento por

Exemplo2: Uma duplicata de $6.900,00 foi resgatada antes de seu vencimento por $6.072,00. Calcule o tempo de antecipação, sabendo que a taxa de desconto comercial foi de 4% ao mês. Temos que: A = N(1 – i .n)

Onde

: N = 6.900 A = 6.072 i = 0,04 a.m

Então:

Logo :

6072 =

0,12

n = 0,04

6900(1 – 0,04. n)

n = 3

A antecipação foi de 3 meses

0,88 = 1 – 0,04.n

0,04n = 0,12

EXERCÍCIOS PROPOSTOS

55) Um título de $6.000,00 vai ser descontado à taxa de 2,1% ao mês. Faltando 45 dias para o vencimento do título, determine:

a. o valor do desconto comercial;

b. o valor atual comercial.

56) Uma duplicata, cujo valor nominal é de $2.000,00, foi resgatada 2 meses antes do vencimento, à taxa de 30% ao ano. Qual o desconto comercial? 57) Um título, no valor nominal de $8.400,00, com vencimento em 18/10, é resgatado em 20/07. Se a taxa de juro contratada foi de 54% ao ano, qual o valor comercial descontado? 58) Um título de $4.800,00 foi resgatado antes de seu vencimento por $4.476,00. Sabendo que a taxa de desconto comercial é de 32,4% ao ano, calcule o tempo de antecipação do resgate.

8.2 Taxa de Juro Efetiva

A taxa de juro efetiva, num período n torna o capital A igual ao montante N, ou seja, é a taxa que realmente está sendo cobrada na operação de desconto. Na linguagem matemática teríamos:

C(1 + i f . n) = M , onde i f é a taxa efetiva e M o montante.

Como C = A e M = N , temos: A(1 + i f .
Como C = A
e M = N , temos:
A(1 + i f . n) = N
1 + i f .n =
N − A
A
i f
=
n
d
Logo:
i f =
A n
.

N

i f .n =
A

N

i f .n =
A

- 1

N A

A

Como N – A = d , temos:

i f =

d

A n

.

28

Logo: i f = A n . N i f .n = A N i f
Logo: i f = A n . N i f .n = A N i f

MATEMÁTICA FINANCEIRA

MATEMÁTICA FINANCEIRA Exemplo1: Uma duplicata de $23.000,00 foi re sgatada 112 dias antes de seu vencimento
MATEMÁTICA FINANCEIRA Exemplo1: Uma duplicata de $23.000,00 foi re sgatada 112 dias antes de seu vencimento

Exemplo1: Uma duplicata de $23.000,00 foi resgatada 112 dias antes de seu vencimento por $21.068,00. Determine a taxa de desconto e a taxa efetiva Temos: N = 23000

A

= 21068

n

= 112 dias = 3,733 meses

d = N – A = 23000 – 21068 = 1932 Então, a taxa de desconto foi: d = N.i.n 1932 = 23000.i.3,733

i =

Em seguida, calculamos a taxa efetiva:

1932

=

85859

0,0225

=

2,5% .

a m

.

d i f = A n .
d
i f =
A n
.

i f =

1932

=

1932

=

0,02456

=

2,45% a . m

.

 

21068 3,733

x

78646,844

Exemplo2: Um título de $6.000,00 foi descontado à taxa de 2,1% ao mês, faltando 45 dias para o seu vencimento. Sabendo que o desconto comercial foi de $189,00, calcule a taxa de juro efetiva. Temos: N = 6000

n

= 45 d

= 1,5 mês

d

= 189

Então, d = N – A

A = N – d

A = 6000 – 189

Logo, a taxa efetiva é: i f =

189 189

=

5811 1,5

x

8715

=

0,0216867

8.3 Equivalência de Capitais

A = 5811

=

2,17% .

a m

.

Dizemos que dois ou mais capitais diferidos são equivalentes, em certa época, quando seus valores atuais, nessa época, são iguais. Resolver problemas dessa natureza consiste em estabelecer uma data e comparar os valores atuais dos títulos em questão, nessa data. Se resultar uma igualdade, podemos concluir que esses capitais diferidos são equivalentes. Vale ressaltar, que capitais diferidos são aqueles cujos vencimentos têm datas diferentes. No regime de juro simples, essa data de comparação deve ser a data zero, isto é, a data em que a dívida foi contraída; isto porque, neste regime, não podemos fracionar o prazo de aplicação, já que o juro é admitido como sendo formado no fim do período de aplicação. Vejamos três exemplos para ilustrar melhor essa teroria:

29

como sendo formado no fim do período de aplicação. Vejamos três exemplos para ilustrar melhor essa
como sendo formado no fim do período de aplicação. Vejamos três exemplos para ilustrar melhor essa

MATEMÁTICA FINANCEIRA

MATEMÁTICA FINANCEIRA Exemplo1 : Quero substituir um título de $5.000,00, vencível em 3 meses, por outro
MATEMÁTICA FINANCEIRA Exemplo1 : Quero substituir um título de $5.000,00, vencível em 3 meses, por outro

Exemplo1: Quero substituir um título de $5.000,00, vencível em 3 meses, por outro com vencimento em 5 meses. Sabendo que esses títulos podem ser descontados à taxa de 3,5% ao mês, qual o valor nominal comercial do novo título? Temos que: N = ?

n = 5 me

= 3,5% a.m. = 0,035 a.m. N’ = 5000

i

n’

= 3 me

i’

= 3,5% a.m. = 0,035 a.m.

Se ocorre equivalência, temos então:

A = A’

Então:

A =

A’ = N’(1 – i .n)

N(1 – i. n)

Logo, temos: 0,825N = 4475

A = N(1 – 0,035 x 5)

A = 0,825N

A’ = 5000(1 – 0,035 x 3) A’ = 4475

N = 5.424,24

O valor do novo título será de : $5.424,24

Exemplo2: Uma pessoa deseja trocar dois títulos, um de valor nominal de $3.000,00 e o outro de $3.600,00, vencíveis, respectivamente, dentre de 2 e 6 meses, por um único título vencível em 4 meses. Sendo a taxa de juro igual a 3% ao mês, qual será o valor do novo título?

Nesse caso, temos:

N 1 = 3000; n 1 = 2 me

N

2 = 3600;

n 2 = 6 me

i

=

i 1 =

i 2 =

3% a.m. = 0,03 a.m.

n

= 4 me

Para que exista equivalente, temos: A = A 1 + A 2

Então:

A 1 = 3000(1 – 0,03 x 2)

A 1 = 2820

 

A

2 = 3600(1 – 0,03 x 6) A 2 = 2952

Como:

A

= N(1 – i .n )

A = N(1 – 0,03 x 6)

A = 0,88N

Logo:

0,88N = 2820 + 2952

N = 5772/0,88 N = 6559,09

O valor do novo título será de : $6.559,09

Exemplo3: Desejamos substituir dois títulos, um de $5000,00 para 90 dias e outro de $12000,00 para 60 dias, por três outros, com o mesmo valor nominal, vencível, respectivamente, em 30, 60 e 90 dias. Calcule o valor nominal comum, sabendo que a taxa de desconto comercial da transação é de 3% ao mês.

Para que exista equivalência, temos: A 1 + A 2 + A 3 = A’ 1 + A’ 2

30

transação é de 3% ao mês. Para que exista equivalência, temos: A 1 + A 2
transação é de 3% ao mês. Para que exista equivalência, temos: A 1 + A 2

MATEMÁTICA FINANCEIRA

MATEMÁTICA FINANCEIRA Temos que: N’ 1 = 5000 ; n’ 1 = 90 d = 3
MATEMÁTICA FINANCEIRA Temos que: N’ 1 = 5000 ; n’ 1 = 90 d = 3

Temos que:

N’ 1 = 5000 ; n’ 1 = 90 d = 3 me

N’ 2 = 12000; n’ 2 = 60 d = 2 me

i

= 3% a.m. = 0,03 a.m.

 

n

1 = 30 d = 1 me;

n 2 = 60 d = 2 me;

n 3 = 90 d = 3 me.

Então:

A 1 = N(1 – 0,03 x 1) A 2 = N(1 – 0,03 x 2) A 3 = N(1 – 0,03 x 3)

A 1 = 0,97N A 2 = 0,94N A 3 = 0,91N

A’

1 = 5000

(1 – 0,03 x 3)

A’ 1 = 4550

A’

2 = 12000(1 – 0,03 x 2) A’ 2 = 11280

Logo:

0,97N + 0,94N + 0,91N = 4550 + 11280 2,82N = 15830

N =

15830

N = 5613,47

 

2,82

O valor nominal de cada um dos novos títulos será de: $ 5.613,47

EXERCÍCIOS PROPOSTOS

59) Um título de valor nominal igual a $6300,00 para 90 dias deverá ser substituído por outro para 150 dias. Calcule o valor nominal do novo título, à taxa de 2,5% ao mês. 60) Um industrial deve pagar dois títulos: um de $14.400,00 para 2 meses e outro de $19.200,00 para 3 meses. Entretanto, não podendo resgatá-los no vencimento, propõe ao credor substituí-lo por um novo título para 4 meses. Qual o valor nominal do novo título, sendo a taxa igual a 3,8% ao mês? 61) Substitua três títulos, um de $4.000,00 para 30 dias, outro de $10.000,00 para 60 dias e outro de $16.000,00 para 90 dias, por dois outros títulos de iguais valores nominais, vencíveis em 90 e 120 dias, respectivamente. Qual o valor nominal comum dos novos títulos, sabendo que a taxa de desconto comercial da transação é de 3,5% ao mês?

8.4 Desconto Racional

Esse desconto é o equivalente ao juro produzido pelo valor atual do título numa taxa fixada e durante o tempo correspondente. O desconto Racional ou por dentro, na prática bancária não é utilizado, mas se faz necessário o seu estudo porque o desconto composto está relacionado a esse conceito. Por definição, temos:

d r = A r . i . n

Onde:

d r corresponde ao valor do desconto racional; A r corresponde ao valor atual ou valor descontado racional

A r