Вы находитесь на странице: 1из 14

079

RICO SEQUEIRA, Américo Sequeira


Coelho (n. 1954)
Sem título
Técnica mista sobre papel
Assiando e datado de “84”
Dim.: 46,5 x 35 cm.

€ 500 / € 1.000

Lote 079

080
RICO SEQUEIRA, Américo Sequeira
Coelho (n. 1954)
Sem título
Técnica mista sobre papel
Assinado e datado de “84”
Dim.: 49,5 x 34 cm.

€ 500 / € 1.000

081
FRANCIS SMITH (1881-1961)
Natureza morta com flores
Óleo sobre tela
Assinado
Dim.: 73,5 x 59,5 cm.
Lote 081
€ 15.000 / € 25.000 Lote 080

62 63
MANUELCARGALEIRO
(n.1927)

082 083
CARGALEIRO, Manuel Cargaleiro (n.1927) CARGALEIRO, Manuel Cargaleiro (n.1927)
Pintura com azulejos - II “Les fleurs blanches”
Óleo sobre cartão Óleo sobre tela
Assinado e datado 1981 Assinado e datado de 1982
Dim.: 35 x 27 cm. Dim.: 35 x 27 cm.

Verso do suporte assinado e datado de 1981, com indicação de Verso do suporte assinado e datado de 1982, com indicação de
título. título.

€ 10.000 / € 15.000 € 6.000 / € 10.000

64 65
CRUZEIROSEIXAS
(n.1920)

Lote 087
Lote 084

084 086
CRUZEIRO SEIXAS, Artur Manuel Rodrigues Cruzeiro CRUZEIRO SEIXAS, Artur Manuel Rodrigues Cruzeiro
Seixas (n. 1920) Seixas (n.1920)
“Fonte íntima” “Rapariga com frio”
Técnica mista sobre papel Desenho a tinta da China e lápis sobre papel
Assinado Assinado e datado de “60”
Dim.: 24 x 21 cm. Dim.: 34 x 26 cm.
Verso com carta escrita pelo artista aos antigos proprietários Fernanda
Alves e Ernesto Sampaio. Verso da moldura com indicação de título e a data de 1960.

Proveniência: Antiga Colecção Fernanda Alves e Ernesto Sampaio.


€ 800 / € 1.200
€ 1.500 / € 3.000

Lote 086
085 087
CRUZEIRO SEIXAS, Artur Manuel Rodrigues Cruzeiro CRUZEIRO SEIXAS, Artur Manuel Rodrigues Cruzeiro
Seixas (n.1920) Seixas (n. 1920)
Nasceu em 1920 e é o nome cimeiro do Surrealismo Português. Em Sem título “Os Amores do Vento”
1967, após dezassete anos a viver em Angola, regressou a Portugal onde Técnica mista e colagens sobre cartão Técnica mista sobre papel
o mérito da sua obra é reconhecido com a atribuição de um prémio
Assinado Assinado e datado de “83”
pela Fundação Calouste Gulbenkian. Algumas obras raras, como algumas
colagens, permaneceram guardadas no seu espólio pessoal e, apenas Dim.: 19 x 16 cm. Dim.: 42 x 60 cm.
Lote 085 recentemente, foram apresentadas a público, fazendo parte do vasto
Proveniência: Colecção Carlos Cunha Mendonça
património de Arte Surrealista da Fundação Cupertino de Miranda.
€ 800 / € 1.200
€ 4.000 / € 6.000

66 67
ÂNGELODESOUSA
(n.1938)

088
ÂNGELO DE SOUSA (n.1938)
Sem título
Acrílico sobre tela
Verso assinado e datado de “Porto
Abril 84”
Dim.: 120 x 90 cm.

Verso do suporte com detalhes da técnica


utilizada na criação desta obra, apresentando
lista das matérias aplicadas.

€ 10.000 / € 15.000

É actualmente Professor Catedrático de Pintura na Faculdade de Belas-Artes, e conta com


várias exposições, entre elas, uma retrospectiva na Casa de Serralves, 1993 e no Centro Cultural
de Belém,1994. Foi-lhe atribuído o Prémio Internacional na Bienal de S. Paulo, 1975 e o Prémio
de Pintura na IIIa Exposição de Artes Plásticas da Fundação Calouste Gulbenkian, em 1986.

68 69
MANUELCARGALEIRO
(n.1927)

089
CARGALEIRO, Manuel Cargaleiro (n.1927)
Sem título
Serigrafia sobre papel, edição 116/150
Assinada
Dim.: 49 x 40 cm.

€ 400 / € 600

090
CARGALEIRO, Manuel Cargaleiro (n.1927)
“Au Delá de L’Amour”
Óleo sobre tela
Assinado e datado de “67”
Dim.: 73,5 x 60 cm.

Verso assinado e datado de Paris 1967, com indicação de título.

€ 10.000 / € 15.000

70 71
MANUELCARGALEIRO
(n.1927)

091 092
CARGALEIRO, Manuel Cargaleiro (n.1927) CARGALEIRO, Manuel Cargaleiro (n.1927)
“Eterno Tema” Sem título
Óleo sobre tela Óleo sobre tela
Assinado e datado de 1968 Assinado e datado de 1964, na frente e no verso
Dim.: 81 x 65 cm. Dim.: 49,5 x 99,2 cm.

Verso do suporte assinado e datado de 1968, com indicação de título. Proveniência: Colecção Anita Marques da Costa

Lote 091
€ 30.000 / € 60.000 € 20.000 / € 40.000

72 73
MANUELCARGALEIRO
(n.1927)

Lote 092
74 75
094
ANTÓNIO SOARES (1894-1978)
“Elegante”
Pastel sobre papel
Não assinado, com certificado
Dim.: 26 x 32 cm.
Esta obra vem acompanhada por uma fotografia autenticada,
passada pelo Arq. João Teixeira, datada de 7-3-2005. António Soares
foi um nome relevante do movimento modernista português. Ganhou
a primeira medalha em pintura da Sociedade Nacional de Belas
Artes de Lisboa, a Medalha de Honra em Nova York, o “Grand Prix”
da Exposição Internacional de Paris de 1937 e, por duas vezes (caso
inédito), o Prémio Columbano (1935 e 1937); foi-lhe também atribuído
o prémio do Diário de Noticias de Lisboa. Encontra-se representado,
entre outros, no Museu do Chiado e no de José Malhoa e em diversas
colecções nacionais e estrangeiras.
Proveniência: Antiga Colecção Jorge de Brito

€ 800 / € 1.200
095
093 BUAL, Artur Mendes de Sousa Bual (1926-1999)
LEBACI, Mihai Lebaci Sem título
Notas musicais - Negativo e Positivo Técnica mista sobre papel
Par de obras em papel prensado Assinado e datado de “89”
Assinado e datado de 1990 Dim.: 60 x 41,5 cm.
Dim.: 155 x 107 cm.
Proveniência: Colecção Carlos Cunha Mendonça

€ 1.500 / € 2.500 € 800 / € 1.200

76 77
096 099
PEREIRA DA SILVA, Manuel Pereira da Silva PEREIRA DA SILVA, Manuel Pereira da Silva
Sem título - Duas figuras de fato de banho Sem título
Guache sobre papel, colado sobre papel Técnica mista sobre papel
Assinado e datado de “56” Assinado e datado de “59”
Dim.: 59,8 x 32 cm. Dim.: 61 x 50 cm.

€ 100 / € 200 € 200 / € 300


097 100
PEREIRA DA SILVA, Manuel Pereira da Silva PEREIRA DA SILVA, Manuel Pereira da Silva
Sem título - Duas figuras de fato de banho Sem título - Três figuras
Carvão sobre papel, colado sobre papel Técnica mista sobre papel
Assinado e datado de “56” Assinado e datado de “59”
Dim.: 59 x 42 cm. Dim.: 65 x 50 cm.

€ 100 / € 200 € 100 / € 200

Lote 099

Lote 096

Lote 100
Lote 097 101
098 PEREIRA DA SILVA, Manuel Pereira da Silva
PEREIRA DA SILVA, Manuel Pereira da Silva Sem título
Sem título - Figura Técnica mista sobre papel
Técnica mista sobre papel, colado sobre papel Assinado e datado de “59”
Assinado e datado de “55” Dim.: 65 x 50 cm.
Dim.: 39 x 28,5 cm.
€ 100 / € 200 € 200 / € 300 Lote 101
Lote 098

78 79
106
ANTÓNIO MIRA (n.1953)
“ARS VITA MORS”
Técnica mista sobre tela
Verso assinado
Dim. 90 x 90 cm.

€ 1.000 / € 1.500

102 103
JOÃO NASCIMENTO (n.1941) Autor desconhecido
Sem título - Composição com figura humana Sem título
Óleo sobre tela Técnica mista sobre tela
Não assinado, 1972 Não assinado
Dim.: 80 x 110 cm. Dim.: 99 x 120 cm.
Segundo informação do actual proprietário, esta obra vem reproduzida
num catálogo do pintor. € 500 / € 800
Pintor neofigurativo natural de Portimão, foi bolseiro da Fundação
Gulbenkian em Paris (1975/76). Participou em diversas exposições
individuais e colectivas, tanto em Portugal como no estrangeiro.

€ 1.000 / € 1.500

104 105 107


J. NARCISO, José Narciso (n. 1957) J. NARCISO, José Narciso (n. 1957) CARMO PÓLVORA (n.1947)
“O olhar do desejo” “Entre o azul lunar” Sem título
Acrílico sobre tela Acrílico sobre tela Técnica mista sobre papel
Assinado Assinado Assinado e datado de “91”
Dim.: 50 x 70 cm. Dim.: 50 x 70 cm. Dim.: 49,5 x 64 cm.

€ 400 / € 600 € 400 / € 600 € 1.000 / € 1.500

80 81
NIKIASSKAPINAKIS
(n.1931)

108 109
NIKIAS SKAPINAKIS (n.1931) NIKIAS SKAPINAKIS (n.1931)
“Mulher com abóbora” “Flores”
Óleo sobre tela Óleo sobre tela, colada sobre platex
Assinado, 1975 Assinado, c. 1953
Dim.: 23,3 x 17,3 cm. Dim.: 55 x 46 cm.
Verso do platex com inscrição indicando o nome do artista, o título
Verso da grade com inscrição: “Estudo XIV «Mulher da abóbora» - Jul. e “S.N.B.A. - Salão da Primavera”. Verso do platex com etiquetas da:
1975” e do nome do artista. S.N.B.A. indicando o n.º 198, título e autor; da Galeria 111, com o nome
do autor, título, ano de 1953, dimensões e “catálogo n.º 4”; e outra com
inscrição: “Exp. Nikias de Ivone Balette // Rua de S. Félix 32 - 2º Dto.
€ 3.000 / € 5.000 // Lisboa”.
Proveniência: Colecção da pintora Ivone Balette Pintor neofigurativo expressionista, com sentido critico por vezes satírico, de jeito difuso e abstractizante. De origem grega nasceu em Lisboa. Expõe
na II e IV Bienal de São Paulo, 1953 e 1957, na Fundação Calouste Gulbenkian, na Galeria Calatchi em Paris, 1973 e outras várias exposições
€ 10.000 / € 20.000 em Lisboa. Ganhou o prémio José Malhoa. São de sua autoria os painéis de “A Brasileira do Chiado” em Lisboa.

82 83
JORGEBARRADAS
(1894-1971)

Este painel de Jorge Barradas é composto por trinta e cinco placas em terracota. Trata-se de uma encomenda para a capela do Paquete Santa
Maria, um dos melhores e mais prestigiados paquetes portugueses dos anos cinquenta. No centro está representada, no céu, Nossa Senhora dos
Navegantes abençoando, sob manto estendido. Do lado direito, as famílias dos pescadores ajoelhados a rezar pela protecção dos seu familiares
e do lado esquerdo um barco com pescadores pedindo protecção à sua santa padroeira. Junto de cada mão da Virgem, está um anjo segura
o manto. Na parte inferior o mar é representado geometricamente dividido em quadrados, com peixes e estrelas do mar e dourados como
simbolizando as suas riquezas naturais. A indicação Nossa Senhora Estrela do Mar apareceu numa placa junto ao painel, no barco.

Jorge Nicholson Moore Barradas nasceu e morreu em Lisboa. Nesta cidade viveu quase sempre, tendo-a representado em quadros notáveis,
onde delicadamente harmoniza texturas, cores e valores luminosos. Começou a notabilizar-se como caricaturista, logo nas primeiras exposições
dos “humoristas”, em 1912 e 1913, tendo o crítico Veiga Simões detectado características que haveriam de permanecer, “ingenuidades”,
“infantilidades”, “sabendo colear uma mulher, gracificá-la, tocá-la de donaire”. Cheio de dificuldades económicas na sua juventude, estes primeiros
reconhecimentos públicos do seu talento, que o colocaram a par de Cristiano Cruz e de Almada Negreiros, levam-no a trabalhar como ilustrador de
jornais, abandonando a Escola de Belas Artes. Barradas exerce este ofício, indiferente às ideologias dos jornais e revistas, levando ele próprio uma
vida um pouco boémia e partilhando o atelier com António Soares. Colabora na Ideia Nacional, mesmo em 1916, quando os outros modernistas
aí atacados se recusam a trabalhar; e colabora na Seara Nova, em 1922, com a representação aparentemente realista de um trabalhador;
mais decorativos são os trabalhos entretanto enviados para as revistas Arte, Atlântida, Ilustração Portuguesa, ABC a Rir, A Pátria.A sua pintura,
cuja modernidade é moderadamente fauve no cromatismo de alguns pormenores, permanece ligada a temas de fácil aceitação - uma tipologia
folclórica de lavadeiras, vendedeiras ambulantes de Lisboa e arredores estudantes e tricanas de Coimbra. As suas composições de grande formato
resolvem-se através da estilização linear e da simplificação da figura humana. Mais livres e líricos são os pequenos trabalhos em papel, onde se 110
transfiguram flores exóticas, tema que surgiu com uma viagem a São Tomé, em 1930. A partir de 1945, Barradas conquista o público com as suas JORGE BARRADAS, Jorge Nicholson Moore Barradas (1894-1971)
cerâmicas, com o seu sentido decorativo e simplicidade temática, mantendo uma atitude estética característica dos anos 20 portugueses. Nessa Nossa Senhora dos Navegantes - “Nossa Senhora Estrela do Mar”
década, está entre os decoradores do Café a Brasileira e do Bristol Clube, sendo então considerado “o mais português” destes decoradores, e vindo Painel em terracota
a ser designado por Artur Portela como o “Malhoa de 1930”. Jorge Barradas foi uma figura importante do movimento modernista português. Assinado e datado 1955
A sua actividade extravasa em muito o campo da pintura sendo igualmente um consagrado ilustrador, ceramista, escultor e decorador. O seu Dim:. 206 x 288 cm.
mérito foi, pela primeira vez, reconhecido em 1937, com a atribuição da Medalha de Ouro na Exposição Internacional de Paris, à que se seguiu,
em 1939, o Prémio Columbano do Secretariado da Propaganda Nacional e, em 1947, o Prémio Sebastião de Almeida. Em Lisboa, na Alameda
D. Afonso Henriques encontram-se ainda baixos-relevos da sua autoria. A sua obra pode ser admirada em quase todos os museus nacionais e
regionais do país. € 80.000 / € 120.000

84 85
JORGEBARRADAS
(1894-1971)

114
JORGE BARRADAS, Jorge Nicholson Moore Barradas (1894-1971)
Sem título - Marinha
111 112 113 Óleo sobre cartão
JORGE BARRADAS, Jorge Nicholson JORGE BARRADAS, Jorge Nicholson JORGE BARRADAS, Jorge Nicholson Assinado e datado de 1922
Moore Barradas (1894-1971) Moore Barradas (1894-1971) Moore Barradas (1894-1971) Dim.: 31,7 x 34 cm.
Figurino Figura masculina Vendedeira de fruta
Jorge Barradas foi uma figura importante do movimento modernista português. A sua actividade
Desenho a carvão e técnica mista Desenho a lápis sobre papel, colada Aguarela sobre papel
extravasa em muito o campo da pintura sendo igualmente um consagrado ilustrador, ceramista,
sobre papel sobre platex Assinado escultor e decorador. O seu mérito foi, pela primeira vez, reconhecido em 1937, com a atribuição
Assinado e datado de “930” Assinado e datado de “50” Dim.: 13,9 x 8,9 cm. da Medalha de Ouro na Exposição Internacional de Paris, ao que se seguiu, em 1939, o Prémio
Dim.: 31,5 x 20 cm. Dim.: 20 x 15 cm. Columbano do Secretariado da Propaganda Nacional e, em 1947, o Prémio Sebastião de Almeida.
Verso do platex com carimbo da Colecção Em Lisboa, na Alameda D. Afonso Henriques encontram-se ainda baixo relevos da sua autoria e a
€ 1.500 / € 2.500 Particular de Jorge de Brito. € 500 / € 1.000 sua obra pode ser admirada em quase todos os Museus Nacionais e regionais do país.

€ 1.500 / € 2.500 € 5.000 / € 10.000

86 87
115 118
Atribuível a Carlos Carneiro (1909-1971) CARLOS CARNEIRO (1909-1971)
Natureza morta com jarra de flores Catedral
Óleo sobre papel Aguarela sobre papel
Não assinado Assinado e datado de “970”
Dim.: 63,5 x 49 cm. Dim.: 63,5 x 48,5 cm.

€ 1.500 / € 2.000 € 1.500 / € 2.000

Lote 115

Lote 118

Lote 116 Pintor, aguarelista e desenhador contemporâneo, discípulo de seu


pai António Carneiro e de Marques de Oliveira. Distingue-se como
116 paisagista e como intérprete de episódios citadinos, nomeadamente de
HILÁRIO, Hilário Teixeira Lopes (n. 1932) velhos bairros da cidade do Porto. Logo após a primeira guerra mundial,
Natureza morta apresentou uma série de trabalhos com cenas alusivas à guerra, é
Óleo sobre tela todavia na aguarela, que se contam as suas obras mais notáveis.
Assinado na frente e no verso Obteve a segunda medalha em desenho da Sociedade Nacional
Dim.: 92,5 x 73,5 cm. de Belas Artes, bem como os prémios António Carneiro, Marques de
Oliveira e Henrique Pousão. Expôs no Salon de Paris em 1930, na 2ª
Cursou pintura na Escola António Arroio em Lisboa, recebeu lições do Mestre Bienal de S. Paulo; na Colectiva da Fundação Gulbenkian, entre outras.
Celestino Alves, trabalhou com e sob a orientação de R. Leone. Foi bolseiro da As suas obras figuram em vários museus de arte contemporânea e em
Fundação Calouste Gulbenkian em Paris (1963). colecções particulares em Portugal e no estrangeiro.

€ 600 / € 1.000
117 119
CARLOS CARNEIRO (1909-1971) CARLOS CARNEIRO (1909-1971)
Cena de interior com candeeiro Catedral
Técnica mista sobre papel Aguarela sobre papel
Assinado e datado de “962” Assinado e datado de 1970
Dim.: 64 x 49 cm. Dim.: 63,5 x 49 cm.

Lote 117
€ 1.500 / € 2.000 € 1.500 / € 2.000
Lote 119

88 89

Оценить