Вы находитесь на странице: 1из 12

1-

São órgãos do Poder Judiciário do Estado, dentre outros:

a)

O Tribunal de Contas, a Assembléia Legislativa; e os juízes de direito.

b)

O Tribunal de Contas, o Tribunal de Justiça e os juízes de direito.

c)

O Tribunal de Justiça; os Juízes de Direito e os Conselhos da Justiça Militar.

d)

O Tribunal de Justiça e a Assembléia Legislativa.

e)

A Assembléia Legislativa e os Juízes de Direito. Aux. Jud. - TJ - RJ - 2001.

2-

Para efeito de administração da justiça, fazem parte da divisão do território do Estado:

a)

as regiões judiciárias, as comarcas, os distritos e as zonas judiciárias.

b)

Os municípios, as cidades e as comarcas.

c)

As regiões judiciárias, as cidades, os municípios e os distritos.

d)

As regiões judiciárias, as comarcas, os municípios e as zonas judiciárias.

e)

As comarcas e as cidades.

Aux. Jud. TJ-RJ-2001.

3-

O Presidente do Tribunal de Justiça, os três Vice-Presidentes e o Corregedor Geral de Justiça são eleitos:

a)

pela maioria absoluta dos juízes de direito.

b)

Pela maioria dos desembargadores do Tribunal de Justiça.

c)

Pelo Órgão Especial do Tribunal de Justiça.

d)

Pelos vinte e cinco desembargadores mais antigos do Tribunal de Justiça.

e)

Pelos desembargadores aposentados há menos de cinco anos. Aux. Jud. - TJ-RJ-201.

4-

O Conselho da Magistratura é integrado:

a)

pelo Governador do Estado e pelos prefeitos municipais.

b)

Pelo Presidente do Tribunal de Justiça, pelo governador do Estado e pelo Presidente da Assembléia Legislativa.

c)

Pelo presidente, pelos vice-presidentes, pelo corregedor geral e por cinco desembargadores do Tribunal de Justiça.

d)

Pelo presidente e pelo corregedor geral de justiça, assim como pelo governador do Estado.

e)

Pelos juízes de direito.

Aux. Jud. TJ-RJ-2001.

5-

São atribuições próprias do Corregedor Geral de Justiça, EXCETO:

a)

conhecer de representação contra serventuários e funcionários da justiça de primeira instância ou de sua própria secretaria.

b)

Verificar, determinando a providência cabível, se os serventuários e funcionários cumprem seus deveres.

c)

Praticar todos os atos relativos à posse, matrícula, concessão de férias e licença dos funcionários da primeira instância.

d)

Designar funcionários para as serventias em que devam ter exercício.

e)

Conceder, exceto na comarca da Capital, licença por motivo de saúde até sessenta dias, e férias a serventuários e funcionários subordinados a juízo de primeira instância. Aux. Jud. TJ-RJ-2001.

6-

A Justiça de Primeira Instância é formada pelos seguintes órgãos, entre outros:

a)

desembargadores e Juízes de Direito.

b)

Desembargadores e Tribunais do Júri.

c)

Tribunais do Júri e Juízes de Direito.

d)

Órgão Especial e Juízes de Direito.

e)

Órgão Especial e Desembargadores. Aux. Jud. TJ-RJ-2001.

7-

Não é atribuição dos juízes de direito:

a)

processar e julgar os feitos da competência de seu juízo.

b)

Cumprir determinações dos tribunais e autoridades judiciárias superiores.

c)

Apurar as faltas e aplicar as penas disciplinares da sua competência aos servidores que lhes sejam subordinados.

d)

Visitar anualmente, em correição ordinária, pelo menos três comarcas.

e)

Solicitar a transferência ou a remoção de serventuário ou funcionário, bem como pronunciar- se sobre a lotação de qualquer deles em seu juízo. Aux. Jud. - TJ-RJ-2001.

8-

Não é da competência dos juízes de direito em matéria de família, processar e julgar:

a)

as causas de nulidade e anulação de casamento.

b)

As ações de investigação de paternidade.

c)

As ações concernentes ao regime de bens de casamento.

d)

As causas de nulidade e anulação de testamento.

e)

As ações de alimentos fundadas em direito de família. Aux. Jud. TJ-RJ-2001.

9-

Não está entre os atos de incumbência dos escrivães:

a)

processar os feitos que lhes forem distribuídos.

b)

Registrar na íntegra e em livro especial, as sentenças.

c)

Prestar às partes interessadas, advogados e representantes, informações verbais do estado e andamento dos feitos.

d)

Extrair formais de partilha.

e)

Homologar acordos formulados pelas partes. Aux. Jud. TJ-RJ-2001.

10- A elaboração de contas e cálculos nos processos é da incumbência:

a)

avaliadores.

b)

Contadores.

c)

Escreventes.

d)

Partidores.

e)

Escrivães.

11-

É incumbência dos oficiais de justiça:

a)

a guarda e conservação dos bens penhorados, arrestados, seqüestrados e apreendidos.

b)

Organizar as partilhas judiciais.

c)

Funcionar como curador especial.

d)

Exercer as funções de curador do interdito.

e)

Fazer, pessoalmente, as citações e diligências ordenadas pelos juízes perante os quais

servirem.

Aux. Jud. TJ-RJ-2001.

12- Integram o Sistema dos Juizados Especiais:

a) os Juizados Especiais de Família; os Juizados Especiais Cíveis; os Juizados Especiais Adjuntos

e as Turmas Recursais Genéricas.

b) os Juizados Especiais de Criminais; os Juizados Especiais de Família; as Turmas Recursais Cíveis; Juizados Especiais Adjuntos.

c) os Juizados Especiais Cíveis; os Juizados Especiais Criminais; os Juizados Especiais Adjuntos Cíves; os Juizados Especiais Adjuntos Criminais; as Turmas Recursais Cíveis; as Turmas Recursais Criminais.

d) os Juizados Especiais Criminais; as Turmas Recursais de Família; os Juizados Especiais Adjuntos Cíveis.

e) As Turmas Recursais de Família; as Turmas Recursais Cíveis; as Turmas Recursais Criminais; os Juizados Especiais Adjuntos; os Juizados Especiais Genéricos. Aux. Jud. - TJ-RJ-2001.

13- Os Juizados Especiais são presididos por:

a) Juiz de Paz.

b) Juiz de Direito.

c) Desembargador.

d) Titular do Cartório.

e) Técnico Judiciário.

Aux. Jud. - TJ-RJ-2001.

14- Nos juizados especiais, os atos processuais:

a) são sigilosos e somente podem ser realizados no período diurno;

b) são públicos e somente podem ser realizados no período diurno;

c) são públicos e podem ser realizados no período diurno e em horário noturno;

d) são sigilosos e podem ser realizados no período diurno e em horário noturno;

e) somente podem ser realizados em horário noturno.

Aux. Jud. - TJ-RJ-2001. 15- Entre os requisitos para exercer a função de conciliador ou árbitro, NÃO se inclui:

a) ser bacharel em direito há mais de 10 anos;

b) residência na comarca há mais de 5 anos do recrutamento;

c) idade superior a 18 anos;

d) apresentação de atestado de sanidade física e mental;

e) idoneidade moral reconhecida;

Aux. Jud. TJ-RJ-2001.

16- Cada Turma Recursal, Cível e Criminal, será composta por:

a) três conciliadores e três árbitros.

b) Três juízes de direito titulares e três conciliadores;

c) Três juízes de direito titulares e três árbitros;

d) Três juízes de direito titulares e três juízes suplentes;

e) Três juízes suplentes;

Aux. Jud. - TJ-RJ-2001. 17- Os conciliadores e árbitros serão recrutados:

a) sempre por concurso público;

b) sempre por indicação do técnico e designação do juiz;

c) sempre por indicação do técnico e designação de qualquer desembargadores;

d) por concurso público e, na falta de inscritos, por designação do Presidente do Tribunal de Justiça, mediante indicação do juiz em exercício;

e) por indicação de qualquer juiz;

Aux. Jud.-TJ-RJ-2001. 18- O acesso ao juizados especial de primeiro grau de jurisdição será:

a) independentemente de pagamento de taxas ou despesas;

b) sempre mediante pagamento de taxas ou despesas;

c) gratuito apenas em caso de assistência judiciária gratuita;

d) gratuito ou oneroso a critério do juiz titular;

e) gratuito ou oneroso a critério do conciliador; Aux. Jud.-TJ-RJ-2001.

19- Os serviços do cartório e as audiências relativas aos Juizados Especiais:

a) Serão feitos sempre na sede do juizado;

b) Poderão ser feitos em bairros ou cidades circunvizinhas;

c) Serão feitos sempre em bairros ou cidades circunvizinhas;

d) São desnecessários;

e) são indispensáveis apenas quando onerosos; Aux. Jud. TJ-RJ-2001.

20- Ao 1º Vice Presidente do Tribunal de Justiça incumbe:

a) substituir o 2ª Vice-Presidente, quando este tiver assumido a Corregedoria Geral de Justiça.

b) Distribuir os feitos de natureza criminal entre os órgãos julgadores do Tribunal de Justiça.

c)

Processar representação contra juízes, submetendo-a ao Órgão Especial, tendo em vista

a resolução do próprio Órgão Especial.

d) Permanecer cumulativamente, em exercício na Câmara Criminal e no Grupo de Câmaras.

e) Relatar hábeas corpus impetrado contra ato de magistrado de primeira instância.

21- O Corregedor Geral de Justiça:

a) administra as duas instâncias do Poder Judiciário.

b) Faz parte do Órgão Especial, com funções de relator ou revisor nos julgamentos nele realizados.

c) Aplica penalidades apenas aos serventuários e contratados como primeira e última instância.

d) Irá coligir elementos para a efetivação da responsabilidade criminal de magistrados.

e) Dirigir os trabalhos do Tribunal de Justiça.

22- Pode-se afirmar a respeito de instância e entrância:

a) os respectivos órgãos judiciários são investidos de competência especializada.

b) Entre a 2ª instância e a 1ª entrância existe escalonamento hierárquico.

c) Os termos são sinônimos.

d) Instância diz respeito a hierarquia jurisdicional, enquanto entrância enuncia grau de organização judiciária.

e) N.r.a.

Oficial de Justiça Avaliador – TJ – RJ – 1997 23- O Técnico Judiciário II e o Oficial de Justiça Avaliadores são:

a)

o

primeiro, empregado público subordinado hierarquicamente ao juiz, e o segundo,

serventuário administrativamente vinculado ao titular do cartório.

b)

Serventuários auxiliares, mas com atribuições de serventuários especiais.

c)

Serventuários de atribuições especiais, e, por isso mesmo, com função de auxiliares.

d)

Ambos serventuários da justiça, com a diferença de que enquanto o OJA tem de, necessariamente cumprir as determinações do juiz a que esteja subordinado, o TJII pode suscitar dúvida quanto ao cumprimento de determinações judiciais.

e)

N.r.a.

Oficial de Justiça Avaliador – TJ – RJ – 1997 24- Considerando as funções inerentes a seus respectivos cargos, podem o TJII e o Oficial de Justiça Avaliador:

a) passar certidões, independentemente de delegação do titular do cartório.

b) passar certidões, observada porém, a delegação desnecessária segundo a alínea acima.

c) O primeiro, descumprir prazo para processamento de feitos, desde que justificadamente,

e o segundo, sob justificativa, deixar de cumprir diligência por inexistência de prazo.

d) Ausentarem-se ambos das dependências da serventia, durante o horário de expediente forense, e por necessidade de serviço, com ou sem comunicação ao superior hierárquico.

e) N.r.a.

Oficial de Justiça Avaliador – TJ – RJ – 1997 25- Por exercerem os magistrados a função correicional permanente, os TJII e os OJA:

a) não estão subordinados ao corregedor geral de justiça.

b) Assim como os juízes, acham-se administrativamente subordinados ao corregedor geral de

justiça.

c) Ainda assim, só estão subordinados aos magistrados, no caso de correição geral.

d) Devem submeter cada ato procedimental à prévia autorização do juiz.

e) N.r.a.

Oficial de Justiça Avaliador – TJ – RJ – 1997

26- A correição parcial é:

a)

a inspeção dos serviços judiciários, seja na modalidade geral, especial ou extraordinária.

b) Atribuição exclusiva da Comissão Permanente de Inquérito, desde que extraordinária, e se determinada pelo Conselho da Magistratura.

c) Meio de revisão de omissões e/ou despachos judiciais irrecorríveis.

d) Meio deferido às partes e ao Ministério Público, somente quando não atue em função de custos legis, com a finalidade de revisão de omissões e/ou despachos judiciais irrecorríveis, que gerem inversão da ordem legal do processo ou resultem de erro de ofício ou abuso de poder.

e) N.r.a.

Oficial de Justiça Avaliador – TJ – RJ – 1997 27- A correição ordinária consiste:

a) no meio de revisão de omissões e/ou despachos judiciais irrecorríveis, que importem em inversão da ordem legal de processo ou resultem de erro de ofício ou abuso de poder.

b) Na inspeção dos serviços judiciários, que antecede as correições extraordinárias e que,

devendo ser procedida em pelo menos 3 comarcas, anualmente, é atribuição exclusiva do Corregedor Geral de Justiça.

c) Na inspeção dos serviços judiciários, de acordo com instruções baixadas pelo Corregedor Geral de Justiça, e por este realizada em pelo menos e comarcas relativamente às quais tenham sido conhecidos pedidos de providências ou denúncias previamente apuradas pelo respectivo Juiz Diretor do Foro ou por Comissão Permanente de Inquérito.

d) Em modalidade de função correicional permanente que o Corregedor Geral da Justiça só pode exercer porque a lei assim dispôs.

e) N.r.a.

Oficial de Justiça Avaliador – TJ – RJ – 1997

28- Verificando a ocorrência de falta administrativa grave, deve o Juiz a quem o Serventuário esteja hierarquicamente subordinado, ex officio ou a requerimento do Titular de Cartório:

a) Considerando o interesse da Justiça, determinar sua suspensão preventiva, por prazo não superior a 90 dias.

b) Instaurar inquérito administrativo, somente podendo suspender preventivamente o serventuário, e sempre por prazo não superior a 90 dias, após a conclusão.

c) Idem, recorrendo, porém, de ofício ao Corregedor Geral da Justiça.

d) sem embargo do interesse da Justiça, comunicar ao Corregedor Geral da Justiça, que poderá, de plano, aplicar a pena de suspensão preventiva por até 90 dias.

e) N.r.a.

Oficial de Justiça Avaliador – TJ – RJ – 1997 29- Se Juiz ou Titular de Cartório aplicar pena de multa a serventuário, dessa decisão:

a) cabe recurso para o Conselho da Magistratura, desde que o Corregedor a mantenha.

b) Cabe tão somente requerimento de reconsideração da decisão punitiva, dirigido ao Corregedor Geral.

c) Não cabe, nem imediata, nem mediatamente, recurso para o Conselho da Magistratura, mas cabe requerimento de reconsideração, dirigido à autoridade que haja aplicado a pena, cumulado ou não com recurso hierárquico.

d) Da decisão descabe todo e qualquer requerimento e/ou recurso.

e) N.r.a.

Oficial de Justiça Avaliador – TJ – RJ – 1997

30- O Corregedor Geral da Justiça:

a) se eleito para o Conselho da Magistratura, deve, de ofício, submeter todas as suas decisões a esse colegiado, assim preservando a ampla defesa deferida a seus subordinados.

b) É membro nato do Conselho da Magistratura e chefe do Poder Judiciário de primeira instância.

d)

É

um dos 25 desembargadores mais antigos, membro nato do Conselho da Magistratura,

ficando afastado da função jurisdicional, inclusive no Órgão Especial.

e) N.r.a.

Oficial de Justiça Avaliador – TJ – RJ – 1997 31- O exercício do cargo em que haja tomado posse Servidor da Justiça:

a) será dado, pelo Corregedor Geral, num prazo não superior a 90 dias.

b) Poderá ser dado em até trinta dias, improrrogáveis e contados da data da posse, podendo

o servidor fazer-se representar mediante procuração.

c) Poderá ser dado pelo Titular do Cartório judicial a que o servidor esteja subordinado, não

sendo admitida representação por procuração.

d) Poderá ser dado pela autoridade a que o servidor esteja diretamente subordinado, num prazo, improrrogável, de 30 dias, contados da data da posse, não sendo admitida representação através de procuração.

e) N.r.a.

Oficial de Justiça Avaliador – TJ – RJ – 1997 32- A Corregedoria Geral da Justiça:

a) órgão de segunda instância.

é

É

b) órgão de segunda entrância.

c) um Juízo de Direito sui generis, porque, contando embora com um quadro de servidores

públicos, é exercida por um desembargador, assessorado por até 10 juízes auxiliares.

d) Há mias de uma resposta.

e) N.r.a.

É

Oficial de Justiça Avaliador – TJ – RJ – 1997

33- Tendo sido aplicada pelo Corregedor Geral da Justiça pena de suspensão, a seguir convertida em multa, poderá o servidor punido:

a) interpor recurso hierárquico, sem prévio requerimento de reconsideração.

b) Requerer, primeiro, a reconsideração e interpõe, não deferida esta, recurso hierárquico para o Conselho da Magistratura.

c) Requerer, de plano, revisão adminstrativa.

d) Requerer revisão administrativa, uma vez exauridos a reconsideração e o recurso hierárquico

e) N.r.a.

Oficial de Justiça Avaliador – TJ – RJ – 1997

34- Relativamente aos livros cartorários, quem os abre e encerra é:

a)

o

Corregedor Geral de Justiça.

b)

Qualquer serventuário de atribuição especial.

c)

O Juiz em exercício na respectiva vara.

d)

O Juiz em exercício, ou na sua falta, o titular do cartório.

e)

N.r.a.

Oficial de Justiça Avaliador – TJ – RJ – 1997 35- De acordo com a resolução nº 05, os partidores:

a) assim como os liquidantes judiciais, são serventuários de atribuições especiais.

b) Assim como os liquidantes e os depositários judiciais, são serventuários titulares.

c) Assim como os contadores, são serventuários auxiliares.

d) Assim como os avaliadores judiciais, são serventuários titulares.

e) N.r.a.

Oficial de Justiça Avaliador – TJ – RJ – 1997

36- De acordo com a lei 3.893/02, os partidores são:

a) assim como os liquidantes judiciais, contadores, serventuários de atribuições especiais.

b) Assim como os avaliadores, serventuários titulares.

d)

Assim como os avaliadores judiciais, técnicos judiciários III que servem ao Tribunal de Justiça como partidores e avaliadores judiciais, respectivamente.

e) N.r.a.

37- É serventuário do Poder Judiciário do Estado do Rio de janeiro:

a) todo titular de cargo de provimento efetivo, criado por lei e remunerado pelo erário estadual, cujas atribuições específicas devem ser desempenhadas junto aos órgãos judiciais que integram o Tribunal de Justiça, a Corregedoria Geral de Justiça e a primeira instância.

b) Todo titular de cargo de provimento efetivo, criado por lei e remunerado pelo erário estadual, cujas atribuições específicas devem ser desempenhadas junto aos órgãos judiciais ou administrativos que integram o Tribunal de Justiça, a Corregedoria Geral de Justiça e a primeira instância.

c) Todo titular de cargo de provimento efetivo ou em comissão, criado por lei e remunerado pelo erário estadual, cujas atribuições específicas devem ser desempenhadas junto aos órgãos judiciais ou administrativos que integram o Tribunal de Justiça, a Corregedoria Geral de Justiça e a primeira instância.

d) Todo titular de cargo de provimento efetivo, criado por lei e remunerado pelo erário estadual, cujas atribuições específicas devem ser desempenhadas junto aos órgãos judiciais que integram o Tribunal de Justiça, a Corregedoria Geral de Justiça e a primeira instância.

e) N.r.a.

38- De acordo com a lei 3.893, os depositários judiciais, liquidantes judiciais, oficiais de justiça avaliadores são respectivamente:

a) serventuários de atribuições especiais; serventuários de atribuições especiais e serventuários de atribuições especiais.

b) serventuários de atribuições especiais; serventuários titulares e serventuários auxiliares.

c) Servidores da Justiça do Estado do Rio de Janeiro ocupantes do cargo público de Técnico Judiciário III, Servidores da Justiça do Estado do Rio de Janeiro ocupantes do cargo público de Técnico Judiciário III e Servidores da Justiça do Estado do Rio de Janeiro ocupantes do cargo público de Oficiais de Justiça Avaliadores.

d) serventuários do Poder Judiciário do Estado do Rio de Janeiro ocupantes do cargo público de Técnico Judiciário III, serventuários do Poder Judiciário do Estado do Rio de Janeiro ocupantes do cargo público de Técnico Judiciário III e Serventuários do Poder Judiciário do Estado do Rio de Janeiro ocupantes do cargo público de Técnico Judiciário III

e) n.r.a.

39- Os cargos de Técnico Judiciário I, II, III, Escrivão, Oficial de Justiça Avaliador e Comissário de Justiça da Infância e Juventude Efetivo são respectivamente:

a) cargos públicos efetivos de carreira, cargos públicos efetivos de carreira, cargos públicos efetivos de carreira, cargos públicos efetivos de carreira, cargos públicos efetivos singulares, cargos públicos efetivos singulares.

b) Cargos públicos efetivos de carreira, cargos públicos efetivos de carreira, cargos públicos efetivos de carreira, cargos públicos efetivos de carreira, cargos públicos efetivos singulares, cargos públicos efetivos de carreira.

c) cargos públicos efetivos de carreira, cargos públicos efetivos de carreira, cargos públicos efetivos de carreira, cargos públicos efetivos singulares, cargos públicos efetivos singulares, cargos públicos efetivos singulares.

d) cargos públicos efetivos de carreira, cargos públicos efetivos de carreira, cargos públicos efetivos de carreira, cargos públicos efetivos de carreira, cargos públicos efetivos de carreira, cargos públicos efetivos singulares.

e) N.r.a.

40- De acordo com a lei 2.556/96 não integra o Sistema dos Juizados Especiais:

a) Turmas Recursais Cíveis.

b) Os Juizados Especiais Criminais.

c) As Turmas Recursais Criminais.

d) Os Juizados Especiais Adjuntos Cíveis.

e) As Câmaras Cíveis Isoladas.

41- De acordo com a resolução nº 10/2002 do Órgão Especial do Tribunal de Justiça, as representações contra magistrados por excesso de prazo:

a) Serão apreciadas pelo voto de 2/3 dos membros do Órgão Especial.

b) Serão apreciadas pela maioria absoluta dos membros do Conselho da Magistratura.

c) Serão apreciadas pelo voto da maioria absoluta dos membros do Órgão Especial.

d) Serão apreciadas pelo voto da maioria simples dos membros do Órgão Especial.

e) Serão apreciadas pelo voto da maioria simples dos membros do Conselho da Magistratura.

42- A quem compete definir por ato, o número, a composição e o horário de funcionamento, bem como a designação dos Juízes de Direito para as Turmas Recursais nos Juizados Especiais:

a) Corregedor Geral de Justiça.

b) 1º Vice-Presidente do Tribunal de Justiça.

c) 2º Vice-Presidente do Tribunal de Justiça.

d) 3º Vice-Presidente do Tribunal de Justiça.

e) Presidente do Tribunal de Justiça.

43- De acordo com a lei 3.893 progressão funcional é:

a) A passagem do serventuário para o padrão remuneratório imediatamente superior, no cargo que ocupa.

b) A passagem do serventuário para o cargo imediatamente superior da carreira.

c) A passagem do serventuário para o padrão remuneratório e cargo imediatamente superiores da carreira.

d) A passagem do serventuário para o padrão remuneratório imediatamente superior, no cargo que ocupa, ou excepcionalmente no cargo imediatamente superior da carreira.

e) N.r.a.

44- De acordo com a lei 3.893/02 o Quadro Único dos Servidores da Justiça do Estado do Rio de Janeiro compreende os cargos:

I-

provimento efetivo, organizados em carreira,

II-

provimento efetivo, de natureza singular.

III-

Provimento efetivo em comissão.

IV-

Provimento em comissão.

a)

todas as alternativas são falsas.

b)

Somente as alternativas I, II, III estão corretas.

c)

Somente as alternativas I, II e IV estão corretas.

d)

Somente as alternativas I e II estão corretas.

e)

N.r.a.

45- Os Juízos Cíveis e Criminais, de acordo com a lei 2.556/96, Juizados Especiais Cíveis e Criminais através de:

poderão ser transformados em

a) Decisão exclusiva do Órgão Especial.

b) Decisão do Órgão Especial, através de proposta do Conselho da Magistratura.

c) Decisão do Órgão Especial através de proposta da Escola da Magistratura.

d) Decisão exclusiva do Conselho da Magistratura.

e) N.r.a.

46- Analise as competências abaixo:

I-

Fixar o número de Comissários de Menores e autorizar sua designação pelo juiz.

II-

Providenciar a organização dos mapas anuais de estatísticas das atuais distribuições e dos julgamentos.

III-

Aplicar medidas disciplinares aos funcionários da Secretaria do Tribunal.

Os órgãos do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro que possuem, respectivamente essas competências são:

a) Presidente do Tribunal de Justiça, 1º Vice-Presidente e Corregedor Geral de Justiça.

b) Presidente do Tribunal de Justiça, 1º Vice-Presidente e 2º Vice Presidente.

c) Corregedor Geral de Justiça, 1º Vice-Presidente e Presidente do Tribunal de Justiça.

d) Presidente do Tribunal de Justiça, 2º Vice-Presidente e Corregedor Geral de Justiça.

e) Presidente do Tribunal de Justiça,(as duas primeiras funções) e Corregedor Geral de Justiça. Comissário de Justiça da Infância e da Juventude Efetivo – TJ – 2002

47- Para efeito da administração da Justiça, o território do Estado divide-se:

a) apenas em regiões judiciárias.

b) Em regiões judiciárias, comarcas e distritos.

c) Em regiões judiciárias, comarcas, distritos, subdistritos, circunscrições e zonas judiciárias.

d) Em distritos, subdistritos, zonas judiciárias e comarcas, na capital, e paenas em regiões, comarcas e distritos, no interior.

e) em comarcas, distritos, circunscrições e zonas judiciárias no interior, e apenas em comarcas, na capital. Comissário de Justiça da Infância e da Juventude Efetivo – TJ – 2002

48- Os requisitos para a criação e classificação das Comarcas são o número de habitantes e de leitores, a receita tributária, o movimento forense e a extensão territorial dos Municípios:

a) entendida como receita tributária apenas aquela advinda de impostos e taxa, e o movimento forense, os feitos cíveis.

b) Ciente de que a receita tributária não compreende as cotas de participação devidas aos Municípios pelos Estados e pela União.

c) Ciente de que, no movimento forense, serão computados os processos de qualquer natureza, quer tragam a coisa julgada ou não.

d) Ciente de que a receita tributária se coloca acrescida das cotas de participação e o movimento forense pressupõe apenas os processos que exijam sentença de que resulte coisa julgada.

e) Entendida como receita tributária apenas as cotas de participação e os impostos, e o movimento forense, todo e qualquer processo. Comissário de Justiça da Infância e da Juventude Efetivo – TJ – 2002

49- Para que haja a alteração do número de membros do Tribunal de Justiça, é necessário:

a) apenas proposta do Órgão Especial.

b) Proposta do Conselho da Magistratura, após relatório e parecer favorável da Corregedoria Geral de Justiça.

c) Proposta do Presidente do Tribunal de Justiça, observando a média de tempo que um processo leva para ser julgado em segundo grau.

d) Observar se a média de tempo para o julgamento dos processos está ultrapassando seis meses.

e) Proposta do Órgão Especial, só cabendo se o total de processos distribuídos e julgados, durante o ano anterior, superar o índice de trezentos feitos por magistrados, computados, para esse cálculo, apenas os que integrarem as Câmaras, Grupos e Seção Criminal, servindo como relator ou revisor. Comissário de Justiça da Infância e da Juventude Efetivo – TJ – 2002

50- Quanto a estrutura do Tribunal de Justiça, é correto afirmar que:

a) a Escola da Magistratura integra a estrutura administrativa do Tribunal de Justiça, e atua como órgão de formação e aperfeiçoamento de Magistrados.

b) Compete ao Conselho da Magistratura e à Corregedoria Geral da Justiça o exercício da

função censora dos Magistrados, cabendo à Corregedoria a graduação da pena.

c) A Corregedoria Geral de Justiça tem por atribuição a declaração de vacância dos cargos das Secretarias do Tribunal, por força da inaptidão ou falta funcional grave, baixando os atos de demissão e exoneração.

d) Compete ao Presidente do Tribunal designar oficiais de justiça e funcionários para as serventias em que devam ter exercício e remove-los, a pedido ou ex officio.

e) A função censora dos Magistrados pertence à Corregedoria Geral da Justiça, e a execução da medida disciplinar, à Presidência do Tribunal. Comissário de Justiça da Infância e da Juventude Efetivo – TJ – 2002

51- Quanto aos Comissários de Menores,é correto afirmar que o CODJERJ:

a) proíbe a nomeação de Comissários Voluntários.

b) Limita a nomeação, na Comarca da Capital, a um máximo de 40 Comissários Voluntários para a 1ª Vara da Infância e Juventude,e a um máximo de 80 Comissários para a 2ª Vara da Infância e Juventude.

c) Estabelece se incompatível com o exercício da função de comissário de menores o trabalho ou o interesse econômico, de parentes afins até o terceiro grau, em estabelecimento, empresa ou qualquer atividade sujeita à fiscalização de Juizado da Infância e Juventude.

d) Nada dispões sobre os requisitos para ser Comissário de Menores Voluntário.

e) Estabelece que os Comissários de Menores Voluntários receberão, bimestralmente, a

título indenizatório, pelo correto desempenho de suas atividades, o equivalente a 1/3 da remuneração de um Comissário de Menores Efetivo. Comissário de Justiça da Infância e da Juventude Efetivo – TJ – 2002 52- Quanto ao Conselho da Magistratura, assinale a afirmativa INCORRETA:

a) O Presidente do Tribunal de Justiça é o Presidente nato do Conselho da Magistratura, sendo substituído, sucessivamente, pelos Vice-Presidentes, na sua ordem, pelo Corregedor Geral de Justiça e pelos membros efetivos do Conselho da Magistratura, na ordem de sua antigüidade no Tribunal. Os demais membros serão substituídos pelos Desembargadores que se seguirem ao substituído, na mesma ordem de Antigüidade.

b) Junto ao Conselho da Magistratura funcionará, quando for o caso, e sem direito a voto, o Procurador Geral da Justiça.

c) O Conselho só poderá deliberar com a presença da maioria de seus membros.

d) Nos julgamentos ou deliberações do Conselho, quando houver empate, o voto de qualidade será o Corregedor Geral de Justiça.

e) Quando a decisão não for unânime, caberá, no prazo de 5 dias, a contar de sua publicação, no órgão oficial, pedido de reconsideração a ser distribuído a outro relator. Comissário de Justiça da Infância e da Juventude Efetivo – TJ – 2002

53- É correto afirmar, quanto ao 3º Vice-Presidente, ser da sua competência:

a) substituir o Presidente do Tribunal de Justiça, quando impossibilitados de faze-los os 1º e 2º Vice-Presidentes, sem prejuízo de suas próprias atribuições.

b) Substituir o Corregedor Geral da Justiça, sem prejuízo de suas atribuições próprias.

c) Presidir as sessões da Seção Criminal.

d) Conhecer de licença para casamentos, nos casos do artigo 183, XVI do Código Civil.

e) Informar os pedidos de permuta e transferência dos serventuários da justiça. Comissário de Justiça da Infância e da Juventude Efetivo – TJ – 2002

54- Quanto ao Corregedor Geral de Justiça, é INCORRETO afirmar ser da sua competência:

a) baixar normas e determinar medidas capazes de uniformizar e padronizar os serviços administrativos dos Juizados da Infância e Juventude, nas Comarcas do Estado.

b) Fixar o número de Comissários de Menores e autorizar sua designação pelo juiz.

c)

Propor ao Presidente do Tribunal a realização de concursos para provimento de cargos de serventuários e funcionários da primeira instância, bem como organizar listas de merecimento e antigüidade para promoção desses mesmos servidores.

d) Praticar todos os atos relativos à posse, matrícula, concessão de férias e licença, e subseqüente substituição dos funcionários da Secretaria da Corregedoria e dos serventuários e funcionários da primeira instância, ressalvada as férias e licenças por motivo de saúde até sessenta dias, que serão concedidas pelos juízes de direito das comarcas do interior.

e) Supervisionar os serviços e registros de acórdãos, impondo sanção disciplinar aos

funcionários em hipótese de erro inescusável. Comissário de Justiça da Infância e da Juventude Efetivo – TJ – 2002 55- Quanto aos órgãos do Tribunal, e a competência dos Magistrados, assinale a afirmativa correta:

a) as Turmas Recursais dos Juizados Especiais se encontram na estrutura orgânica da primeira instância.

b) O Órgão Especial não poderá, em hipótese alguma, por Resolução, fixar a distribuição da competência dos órgãos de 1ª instância.

c) Os juízes de direito não podem apurar as faltas e aplicar as penas disciplinares aos servidores que lhes sejam subordinados, por ser esta matéria de competência privativa do Corregedor Geral de Justiça, sendo irrelevante o tipo de infração e o grau da sanção.

d) Na Comarca da Capital, os juízes de direito das Varas Cíveis do Foro Central possuem competência para processar e julgar os feitos que versem sobre interdição e tutela.

e) Na Comarca da Capital, existem doze juízes de direito das Varas de Registros Públicos.

Comissário de Justiça da Infância e da Juventude Efetivo – TJ – 2002 56- Encaminhar ao Conselho da Magistratura anteprojetos de regulamentação de concursos para provimento de cargos dos quadros do pessoal da justiça é da competência:

a) Presidente do Tribunal.

b) Corregedor Geral de Justiça.

c) 1º Vice-Presidente.

d) 2º Vice-Presidente.

e) 3º Vice-Presidente.

57- Não é um dever apenas do escrivão, mas sim genérico de todos os serventuários do Poder Judiciário do Estado:

a) lavrar certidões próprias de seu ofício.

b) Elaborar os relatórios estatísticos do Juízo.

c) Prestar informações sobre o andamento dos processos aos advogados ou designar servidor para fazê-lo.

d) Guarda sigilo sobre processo ou diligência que deva tramitar em segredo de justiça.

e) Praticar, às suas expensas, os atos que deva renovar por culpa sua.

58- Em relação ao abono de faltas, segundo o previsto na Consolidação Normativa:

a) ao titular caberá abonar as faltas dos servidores subordinados, até o máximo de 3 por mês, desde que estes apresentem comprovação de impedimento.

b) ao titular caberá abonar as faltas dos servidores subordinados, até o máximo de 5 por mês, desde que estes apresentem comprovação de impedimento.

c) ao titular caberá abonar as faltas dos servidores subordinados, até o máximo de 5 por mês, desde que estes apresentem comprovação de impedimento.

d) ao titular caberá abonar as faltas dos servidores subordinados, até o máximo de 3 por mês, desde que apresentem atestado médico.

e) N.r.a.

59- Depende de proposta do Órgão Especial a alteração do número de membros do Tribunal de Justiça. Porém um dos critérios utilizados para possibilitar esta elevação é que o total de processos distribuídos e julgados no ano anterior tenha:

a) Sido superior a 300 feitos, por magistrados.

b) Sido superior a 200 feitos, por magistrados.

c) Sido igual a 300 feitos, por magistrados.

d) Sido superior a 500 feitos, por magistrados.

e) Sido igual a 200 feitos por magistrados.

60- A competência e o funcionamento dos órgãos julgadores do Tribunal de Justiça, será estabelecido através de:

a) Ato normativo, expedido pelo Conselho da Magistratura.

b) Regimento interno aprovado pelo Órgão Especial.

c) Ato normativo expedido pela Corregedoria Geral de Justiça.

d) Lei estadual.

e) Regimento interno aprovado pela Escola da Magistratura.

GABARITO

1- C; 2- A; 3- B; 4- C; 5- E; 6- C; 7- D; 8- D; 9- E; 10- A; 11- E; 12- C; 13- B; 14- C; 15- A; 16- D; 17- D; 18- A; 19- B; 20- C; 21- D; 22-D; 23- E; 24- A; 25- E; 26- D;

36- D;

37- B; 38- C; 39- A; 40- E; 41- A; 42- E; 43- A; 44- C; 45- B; 46- C; 47- C; 48- D; 49- E; 50- A; 51- C; 52- D; 53- B; 54- E; 55- A; 56- A; 57- D; 58- A; 59- A; 60- B.

27- B; 28- E; 29- E; 30- E; 31- D (confirmar); 32- E; 33- B; 34- C; 35- D;