Вы находитесь на странице: 1из 120
TEORIAS DE ENFERMAGEM WILTON KEITI INABA Mestre em Ciências da Saúde – Universidade de Brasília
TEORIAS DE
ENFERMAGEM
WILTON KEITI INABA
Mestre em Ciências da Saúde – Universidade de Brasília
Residência em Enfermagem Clínico-Cirúrgica – FEPECS/HBDF
Enfermeiro da Unidade de Terapia Intensiva do HBDF da SES – DF
Enfermeiro da Emergência do Serviço Médico da Câmara dos Deputados
1
EMPIRISMO X CIÊNCIA TEORIAS DE ENFERMAGEM 2
EMPIRISMO
X
CIÊNCIA
TEORIAS DE ENFERMAGEM
2
EMPIRISMO Conhecimento do senso comum. TEORIAS DE ENFERMAGEM 3
EMPIRISMO
Conhecimento do senso comum.
TEORIAS DE ENFERMAGEM
3
CIÊNCIA Conhecimento. Embasamento teórico. TEORIAS DE ENFERMAGEM 4
CIÊNCIA
Conhecimento.
Embasamento teórico.
TEORIAS DE ENFERMAGEM
4
ANÁLISE FENÔMENO EXPIMENTOS OBSERVAÇÕES CONCLUSÃO TEORIAS DE ENFERMAGEM 5
ANÁLISE
FENÔMENO
EXPIMENTOS
OBSERVAÇÕES
CONCLUSÃO
TEORIAS DE ENFERMAGEM
5
DISCIPLINADISCIPLINADISCIPLINADISCIPLINA TEORIAS DE ENFERMAGEM 6
DISCIPLINADISCIPLINADISCIPLINADISCIPLINA
TEORIAS DE ENFERMAGEM
6
TEORIATEORIATEORIATEORIA TEORIAS DE ENFERMAGEM 7
TEORIATEORIATEORIATEORIA
TEORIAS DE ENFERMAGEM
7
CIÊNCIACIÊNCIACIÊNCIACIÊNCIA TEORIAS DE ENFERMAGEM 8
CIÊNCIACIÊNCIACIÊNCIACIÊNCIA
TEORIAS DE ENFERMAGEM
8
TEORIA Estudo Conjunto de princípios Doutrina TEORIAS DE ENFERMAGEM 9
TEORIA
Estudo
Conjunto de princípios
Doutrina
TEORIAS DE ENFERMAGEM
9
IMPORTÂNCIA Construção do conhecimento, Avanço tecnológico, Fortalecimento da Profissão e Confirmação como
IMPORTÂNCIA
Construção do conhecimento,
Avanço tecnológico,
Fortalecimento da Profissão e
Confirmação como ciência.
TEORIAS DE ENFERMAGEM
10
OBJETO DE ESTUDO O CUIDADO TEORIAS DE ENFERMAGEM 11
OBJETO DE ESTUDO
O CUIDADO
TEORIAS DE ENFERMAGEM
11
O cuidado é a essência do ser, saber e fazer da Enfermagem. TEORIAS DE ENFERMAGEM
O cuidado é a essência
do ser, saber e fazer
da Enfermagem.
TEORIAS DE ENFERMAGEM
12
Propostas desde Florence Nightingale São versões da realidade Expressam valores São ferramentas para intervenção
Propostas desde Florence Nightingale
São versões da realidade
Expressam valores
São ferramentas para intervenção na realidade
Representam o estado da arte profissional
Referência ao cuidado
Geram conflitos
Buscam soluções
TEORIAS DE ENFERMAGEM
13
Mudança de paradigma Resgate da natureza da enfermagem Busca do conhecimento específico Equilíbrio da enfermagem
Mudança de paradigma
Resgate da natureza da enfermagem
Busca do conhecimento específico
Equilíbrio da enfermagem como ciência e arte
Totalidade de homem
Cuidado como foco central da enfermagem
Humanização do cuidado
TEORIAS DE ENFERMAGEM
14
DÚVIDAS??? TEORIAS DE ENFERMAGEM 15
DÚVIDAS???
TEORIAS DE ENFERMAGEM
15
FLORENCE NIGHTINGALE TEORIA AMBIENTALISTA TEORIAS DE ENFERMAGEM 16
FLORENCE NIGHTINGALE
TEORIA AMBIENTALISTA
TEORIAS DE ENFERMAGEM
16
FLORENCE NIGHTINGALE Precursora da Enfermagem Moderna foi responsável pela formalização e organização da prática
FLORENCE NIGHTINGALE
Precursora da Enfermagem Moderna foi responsável
pela formalização e organização da prática da
enfermagem.
TEORIAS DE ENFERMAGEM
17
FLORENCE NIGHTINGALE TEORIA AMBIENTALISTA O foco principal de sua teoria era o ambiente do paciente.
FLORENCE NIGHTINGALE
TEORIA AMBIENTALISTA
O foco principal de sua teoria era o ambiente do paciente.
A enfermagem deveria oferecer um ambiente que
permitisse à natureza agir em benefício do paciente.
TEORIAS DE ENFERMAGEM
18
FLORENCE NIGHTINGALE FAT0RES AMBIENTAIS LIMPEZA TEMPERATURA VENTILAÇÃO ODORES ILUMINAÇÃO ALIMENTAÇÃO TEORIAS
FLORENCE NIGHTINGALE
FAT0RES AMBIENTAIS
LIMPEZA
TEMPERATURA
VENTILAÇÃO
ODORES
ILUMINAÇÃO
ALIMENTAÇÃO
TEORIAS DE ENFERMAGEM
19
FLORENCE NIGHTINGALE TEORIA DO AMBIENTE SOCIAL PSICOLÓGICO FÍSICO TEORIAS DE ENFERMAGEM 20
FLORENCE NIGHTINGALE
TEORIA DO AMBIENTE
SOCIAL
PSICOLÓGICO
FÍSICO
TEORIAS DE ENFERMAGEM
20
HILDEGARD E. PEPLAU TEORIA DAS RELAÇÕES INTERPESSOAIS TEORIAS DE ENFERMAGEM 21
HILDEGARD E. PEPLAU
TEORIA DAS RELAÇÕES INTERPESSOAIS
TEORIAS DE ENFERMAGEM
21
HILDEGARD E. PEPLAU TEORIA DAS RELAÇÕES INTERPESSOAIS O núcleo de sua teoria de enfermagem repousa
HILDEGARD E. PEPLAU
TEORIA DAS RELAÇÕES INTERPESSOAIS
O núcleo de sua teoria de enfermagem repousa no processo
interpessoal que constitui parte integrante da enfermagem atual.
Esse processo consiste nas fases sucessivas de identificação,
exploração, solução e orientação.
TEORIAS DE ENFERMAGEM
22
HILDEGARD E. PEPLAU TEORIA DAS RELAÇÕES INTERPESSOAIS CRESCIMENTO RELAÇÃO INTERPESSOAL DESENVOLVIMENTO TEORIAS
HILDEGARD E. PEPLAU
TEORIA DAS RELAÇÕES INTERPESSOAIS
CRESCIMENTO
RELAÇÃO
INTERPESSOAL
DESENVOLVIMENTO
TEORIAS DE ENFERMAGEM
23
HILDEGARD E. PEPLAU TEORIA DAS RELAÇÕES INTERPESSOAIS PACIENTE ENFERMAGEM ENFERMEIRA TEORIAS DE ENFERMAGEM 24
HILDEGARD E. PEPLAU
TEORIA DAS RELAÇÕES INTERPESSOAIS
PACIENTE
ENFERMAGEM
ENFERMEIRA
TEORIAS DE ENFERMAGEM
24
HILDEGARD E. PEPLAU TEORIA DAS RELAÇÕES INTERPESSOAIS PACIENTE ACONTECIMENTOS SITUAÇÃO DE CUIDADO PRÁTICA DA
HILDEGARD E. PEPLAU
TEORIA DAS RELAÇÕES INTERPESSOAIS
PACIENTE
ACONTECIMENTOS
SITUAÇÃO DE CUIDADO
PRÁTICA DA
ENFERMAGEM
ENFERMEIRA
TEORIAS DE ENFERMAGEM
25
HILDEGARD E. PEPLAU TEORIA DAS RELAÇÕES INTERPESSOAIS CRESCIMENTO RELAÇÃO INTERPESSOAL DESENVOLVIMENTO TEORIAS
HILDEGARD E. PEPLAU
TEORIA DAS RELAÇÕES INTERPESSOAIS
CRESCIMENTO
RELAÇÃO
INTERPESSOAL
DESENVOLVIMENTO
TEORIAS DE ENFERMAGEM
26
HILDEGARD E. PEPLAU TEORIA DAS RELAÇÕES INTERPESSOAIS ORIENTAÇÃO IDENTIFICAÇÃO RESOLUÇÃO EXPLORAÇÃO
HILDEGARD E. PEPLAU
TEORIA DAS RELAÇÕES INTERPESSOAIS
ORIENTAÇÃO
IDENTIFICAÇÃO
RESOLUÇÃO
EXPLORAÇÃO
TEORIAS DE ENFERMAGEM
27
VIRGINIA HENDERSON TEORIA DAS 14 NECESSIDADES BÁSICAS TEORIAS DE ENFERMAGEM 28
VIRGINIA HENDERSON
TEORIA DAS 14 NECESSIDADES BÁSICAS
TEORIAS DE ENFERMAGEM
28
VIRGINIA HENDERSON TEORIA DAS 14 NECESSIDADES BÁSICAS • Valorização da independência sobre a dependência; •
VIRGINIA HENDERSON
TEORIA DAS 14 NECESSIDADES BÁSICAS
• Valorização da independência sobre a dependência;
• A saúde tem significados social e individual;
• Alcance do mais alto nível de saúde ou, na sua impossibilidade,
uma morte serena;
• Necessidade de conhecimento, força e/ou vontade tende a
alcançar a saúde.
TEORIAS DE ENFERMAGEM
29
VIRGINIA HENDERSON TEORIA DAS 14 NECESSIDADES BÁSICAS INDEPENDÊNCIA SATISFAÇÃO DE NECESSIDADES TEORIAS DE
VIRGINIA HENDERSON
TEORIA DAS 14 NECESSIDADES BÁSICAS
INDEPENDÊNCIA
SATISFAÇÃO DE NECESSIDADES
TEORIAS DE ENFERMAGEM
30
VIRGINIA HENDERSON TEORIA DAS 14 NECESSIDADES BÁSICAS O conceito formulado por Henderson em sua definição
VIRGINIA HENDERSON
TEORIA DAS 14 NECESSIDADES BÁSICAS
O conceito formulado por Henderson em sua definição de
enfermagem, bem como os catorze componentes dos cuidados
básicos de enfermagem
TEORIAS DE ENFERMAGEM
31
VIRGINIA HENDERSON 1. Respirar normalmente. 2. Comer e beber adequadamente. 3. Eliminar resíduos orgânicos. 4.
VIRGINIA HENDERSON
1. Respirar normalmente.
2. Comer e beber adequadamente.
3. Eliminar resíduos orgânicos.
4. Movimentar-se e manter posturas desejáveis
5. Dormir e descansar
6. Selecionar roupas adequadas – vestir-se e despir-se
7. Manter a temperatura do corpo dentro da variação normal, adaptando
a roupa e modificando o ambiente.
TEORIAS DE ENFERMAGEM
32
8. Manter o corpo limpo e arrumado, proteger a pele. 9. Evitar os perigos ambientais
8. Manter o corpo limpo e arrumado, proteger a pele.
9. Evitar os perigos ambientais e evitar ferir os outros
10. Comunicar-se com os outros expressando emoções, necessidades,
medos ou opiniões.
11. Adorar de acordo com a própria fé.
12. Trabalhar de forma a ter uma sensação de realização
13. Participar em várias formas de recreação.
14. Aprender, descobrir ou satisfazer a curiosidade que leva ao
desenvolvimento e à saúde normais e usar os serviços de saúde
disponíveis.
TEORIAS DE ENFERMAGEM
33
VIRGINIA HENDERSON TEORIA DAS 14 NECESSIDADES BÁSICAS CARACTERÍSTICAS SATISFAÇÃO INDIVIDUAL NECESSIDADES BÁSICAS
VIRGINIA HENDERSON
TEORIA DAS 14 NECESSIDADES BÁSICAS
CARACTERÍSTICAS
SATISFAÇÃO INDIVIDUAL
NECESSIDADES BÁSICAS
TEORIAS DE ENFERMAGEM
34
LYDIA HALL TEORIA FILOSÓFICA DOS CÍRCULOS DO CUIDADO TEORIAS DE ENFERMAGEM 35
LYDIA HALL
TEORIA FILOSÓFICA DOS CÍRCULOS DO CUIDADO
TEORIAS DE ENFERMAGEM
35
LYDIA HALL TEORIA FILOSÓFICA DOS CÍRCULOS DO CUIDADO Lydia Hall apresenta sua teoria de enfermagem
LYDIA HALL
TEORIA FILOSÓFICA DOS CÍRCULOS DO CUIDADO
Lydia Hall apresenta sua teoria de enfermagem de forma visual,
desenhando três círculos entrelaçados, cada um deles apresentando
um aspecto particular da enfermagem.
Os círculos representam cuidados, essência e cura.
TEORIAS DE ENFERMAGEM
36
LYDIA HALL TEORIA FILOSÓFICA DOS CÍRCULOS DO CUIDADO O Corpo Cuidado íntimo do corpo “O
LYDIA HALL
TEORIA FILOSÓFICA DOS CÍRCULOS DO CUIDADO
O Corpo
Cuidado
íntimo do
corpo
“O Cuidado”
A Pessoa
Uso terapêutico
do
Eu
“ A Essência”
A Doença
Ver o paciente e
a família através
do atendimento
médico
“A Cura”
TEORIAS DE ENFERMAGEM
37
LYDIA HALL TEORIA FILOSÓFICA DOS CÍRCULOS DO CUIDADO CUIDADOS DE ENFERMAGEM X CUIDADOS MÉDICOS TEORIAS
LYDIA HALL
TEORIA FILOSÓFICA DOS CÍRCULOS DO CUIDADO
CUIDADOS DE ENFERMAGEM
X
CUIDADOS MÉDICOS
TEORIAS DE ENFERMAGEM
38
LYDIA HALL TEORIA FILOSÓFICA DOS CÍRCULOS DO CUIDADO SAÚDE COMPORTAMENTOS BENÉFICOS TEORIAS DE ENFERMAGEM 39
LYDIA HALL
TEORIA FILOSÓFICA DOS CÍRCULOS DO CUIDADO
SAÚDE
COMPORTAMENTOS
BENÉFICOS
TEORIAS DE ENFERMAGEM
39
DOROTHEA OREM TEORIA DO AUTOCUIDADO TEORIAS DE ENFERMAGEM 40
DOROTHEA OREM
TEORIA DO AUTOCUIDADO
TEORIAS DE ENFERMAGEM
40
DOROTHEA OREM TEORIA DO AUTOCUIDADO Autocuidado é o desempenho ou a prática de atividades que
DOROTHEA OREM
TEORIA DO AUTOCUIDADO
Autocuidado é o desempenho ou a prática de atividades que os
indivíduos realizam em seu benefício para manter a vida,
a saúde e o bem-estar.
TEORIAS DE ENFERMAGEM
41
DOROTHEA OREM TEORIA DO AUTOCUIDADO Orem (1971) apresenta sua teoria geral de enfermagem, que se
DOROTHEA OREM
TEORIA DO AUTOCUIDADO
Orem (1971) apresenta sua teoria geral de enfermagem, que se
compõe de três teorias inter-relacionadas:
autocuidado,
déficit de autocuidado e
sistema de enfermagem.
TEORIAS DE ENFERMAGEM
42
DOROTHEA OREM TEORIA DO AUTOCUIDADO DÉFICITS DE AUTOCUIDADO NECESSIDADE DE INTERVENÇÃO TEORIAS DE ENFERMAGEM 43
DOROTHEA OREM
TEORIA DO AUTOCUIDADO
DÉFICITS DE AUTOCUIDADO
NECESSIDADE DE INTERVENÇÃO
TEORIAS DE ENFERMAGEM
43
DOROTHEA OREM TEORIA DO AUTOCUIDADO AUTOCUIDADO PRÁTICA DE CUIDADOS TEORIAS DE ENFERMAGEM 44
DOROTHEA OREM
TEORIA DO AUTOCUIDADO
AUTOCUIDADO
PRÁTICA DE CUIDADOS
TEORIAS DE ENFERMAGEM
44
DOROTHEA OREM TEORIA DO AUTOCUIDADO SISTEMAS DE ENFERMAGEM EXECUÇÃO DO AUTOCUIDADO TEORIAS DE ENFERMAGEM 45
DOROTHEA OREM
TEORIA DO AUTOCUIDADO
SISTEMAS DE ENFERMAGEM
EXECUÇÃO DO AUTOCUIDADO
TEORIAS DE ENFERMAGEM
45
DOROTHEA OREM TEORIA DO AUTOCUIDADO UNIVERSAIS REQUISITOS DE AUTOCUIDADO DESENVOLVIMENTAIS NOS DESVIO DE SAÚDE
DOROTHEA OREM
TEORIA DO AUTOCUIDADO
UNIVERSAIS
REQUISITOS DE
AUTOCUIDADO
DESENVOLVIMENTAIS
NOS DESVIO DE SAÚDE
TEORIAS DE ENFERMAGEM
46
DOROTHEA OREM TEORIA DO AUTOCUIDADO UNIVERSAIS AR BEM ESTAR ÁGUA PREVENÇÃO ALIMENTO CONVÍVIO EXCREÇÃO
DOROTHEA OREM
TEORIA DO AUTOCUIDADO
UNIVERSAIS
AR
BEM ESTAR
ÁGUA
PREVENÇÃO
ALIMENTO
CONVÍVIO
EXCREÇÃO
TEORIAS DE ENFERMAGEM
47
DOROTHEA OREM TEORIA DO AUTOCUIDADO DESENVOLVIMENTAIS CICLO BIOLÓGICO MUDANÇAS CICLO SOCIAL TEORIAS DE ENFERMAGEM
DOROTHEA OREM
TEORIA DO AUTOCUIDADO
DESENVOLVIMENTAIS
CICLO BIOLÓGICO
MUDANÇAS
CICLO SOCIAL
TEORIAS DE ENFERMAGEM
48
DOROTHEA OREM TEORIA DO AUTOCUIDADO NOS DESVIO DE SAÚDE APRENDER CONSCIÊNCIA ADAPTAR-SE TEORIAS DE ENFERMAGEM
DOROTHEA OREM
TEORIA DO AUTOCUIDADO
NOS DESVIO DE SAÚDE
APRENDER
CONSCIÊNCIA
ADAPTAR-SE
TEORIAS DE ENFERMAGEM
49
DOROTHEA OREM TEORIA DO AUTOCUIDADO Quando o autocuidado é efetivamente realizado, ajuda a manter a
DOROTHEA OREM
TEORIA DO AUTOCUIDADO
Quando o autocuidado é efetivamente realizado, ajuda a manter a
integridade estrutural e o funcionamento humano, contribuindo para
o desenvolvimento humano.
TEORIAS DE ENFERMAGEM
50
DOROTHY JOHNSON TEORIA DO SISTEMA COMPORTAMENTAL TEORIAS DE ENFERMAGEM 51
DOROTHY JOHNSON
TEORIA DO SISTEMA COMPORTAMENTAL
TEORIAS DE ENFERMAGEM
51
DOROTHY JOHNSON TEORIA DO SISTEMA COMPORTAMENTAL O modelo de sistema comportamental é um modelo de
DOROTHY JOHNSON
TEORIA DO SISTEMA COMPORTAMENTAL
O modelo de sistema comportamental
é um modelo de cuidados de enfermagem que defende:
• a promoção de um funcionamento comportamental eficiente e
efetivo no paciente, de modo a evitar a doença.
TEORIAS DE ENFERMAGEM
52
DOROTHY JOHNSON TEORIA DO SISTEMA COMPORTAMENTAL DOENÇA COMPORTAMENTO TEORIAS DE ENFERMAGEM 53
DOROTHY JOHNSON
TEORIA DO SISTEMA COMPORTAMENTAL
DOENÇA
COMPORTAMENTO
TEORIAS DE ENFERMAGEM
53
DOROTHY JOHNSON TEORIA DO SISTEMA COMPORTAMENTAL SAUDE F SICA Í COMPORTAMENTO SAÚDE SOCIAL TEORIAS DE
DOROTHY JOHNSON
TEORIA DO SISTEMA COMPORTAMENTAL
SAUDE F SICA
Í
COMPORTAMENTO
SAÚDE SOCIAL
TEORIAS DE ENFERMAGEM
54
SOCIALSAÚDE
DOROTHY JOHNSON TEORIA DO SISTEMA COMPORTAMENTAL COMPORTAMENTO ENFERMAGEM TEORIAS DE ENFERMAGEM 55
DOROTHY JOHNSON
TEORIA DO SISTEMA COMPORTAMENTAL
COMPORTAMENTO
ENFERMAGEM
TEORIAS DE ENFERMAGEM
55
DOROTHY JOHNSON TEORIA DO SISTEMA COMPORTAMENTAL O paciente é identificado como um sistema comportamental, composto
DOROTHY JOHNSON
TEORIA DO SISTEMA COMPORTAMENTAL
O paciente é identificado como um sistema comportamental,
composto de sete subsistemas comportamentais.
TEORIAS DE ENFERMAGEM
56
DOROTHY JOHNSON Os sete subsistemas comportamentais são: o de filiação, o de dependência, o de
DOROTHY JOHNSON
Os sete subsistemas comportamentais são:
o de filiação,
o de dependência,
o de ingestão,
o de eliminação,
o sexual,
o agressivo
e o de realização.
TEORIAS DE ENFERMAGEM
57
FAYE GLENN ABDELLAH TEORIA DOS PROBLEMAS DE CUIDADO TEORIAS DE ENFERMAGEM 58
FAYE GLENN ABDELLAH
TEORIA DOS PROBLEMAS DE CUIDADO
TEORIAS DE ENFERMAGEM
58
FAYE GLENN ABDELLAH TEORIA DOS PROBLEMAS DE CUIDADO O elemento fundamental na teoria de Abdellah
FAYE GLENN ABDELLAH
TEORIA DOS PROBLEMAS DE CUIDADO
O elemento fundamental na teoria de Abdellah é a identificação dos
problemas de enfermagem do paciente.
Para auxiliar a identificação, foi definida a necessidade de uma
classificação sistemática desses problemas apresentados.
TEORIAS DE ENFERMAGEM
59
FAYE GLENN ABDELLAH TEORIA DOS PROBLEMAS DE CUIDADO Acreditou-se ser possível classificá-los nas três categorias
FAYE GLENN ABDELLAH
TEORIA DOS PROBLEMAS DE CUIDADO
Acreditou-se ser possível classificá-los nas três categorias
principais, a seguir:
1. Necessidades físicas, sociológicas e emocionais do paciente,
2. Tipos de relações interpessoais entre a enfermeira e o paciente,
3. Elementos comuns de cuidado ao paciente.
TEORIAS DE ENFERMAGEM
60
FAYE GLENN ABDELLAH TEORIA DOS PROBLEMAS DE CUIDADO SUSTENTAÇÃO AUTO-AJUDA RESTAURAÇÃO DÉFICIT PRESERVAÇÃO
FAYE GLENN ABDELLAH
TEORIA DOS PROBLEMAS DE CUIDADO
SUSTENTAÇÃO
AUTO-AJUDA
RESTAURAÇÃO
DÉFICIT
PRESERVAÇÃO
EXCESSO
TEORIAS DE ENFERMAGEM
61
FAYE GLENN ABDELLAH 21 ações de enfermagem comuns foram identificados 1. Manter boa higiene e
FAYE GLENN ABDELLAH
21 ações de enfermagem comuns foram identificados
1. Manter boa higiene e conforto físico.
2. Promover a atividade ideal: exercício, repouso e sono.
3. Promover a segurança através da prevenção de acidentes, ferimentos
ou outros traumatismos e através da prevenção da disseminação da
infecção.
TEORIAS DE ENFERMAGEM
62
FAYE GLENN ABDELLAH 21 ações de enfermagem comuns foram identificados 4. Manter a boa mecânica
FAYE GLENN ABDELLAH
21 ações de enfermagem comuns foram identificados
4. Manter a boa mecânica do corpo e prevenir e corrigir as deformidades.
5. Facilitar a manutenção de um suprimento de oxigênio para todas as
células do corpo.
6. Facilitar a manutenção da nutrição de todas as células do corpo.
7. Facilitar a manutenção da eliminação
TEORIAS DE ENFERMAGEM
63
FAYE GLENN ABDELLAH 21 ações de enfermagem comuns foram identificados 8. Facilitar a manutenção do
FAYE GLENN ABDELLAH
21 ações de enfermagem comuns foram identificados
8. Facilitar a manutenção do equilíbrio hídrico e eletrolítico.
9. Reconhecer as reações fisiológicas do corpo às condições da doença -
patológicas, fisiológicas e compensatórias.
10. Facilitar a manutenção dos mecanismos e das funções reguladoras.
11. Facilitar a manutenção da função sensorial.
TEORIAS DE ENFERMAGEM
64
FAYE GLENN ABDELLAH 21 ações de enfermagem comuns foram identificados 12. Identificar e aceitar as
FAYE GLENN ABDELLAH
21 ações de enfermagem comuns foram identificados
12. Identificar e aceitar as expressões positivas e negativas, os
sentimentos e as reações.
13. Identificar e aceitar o inter-relacionamento de emoções e doenças
orgânicas.
14. Facilitar a manutenção efetiva da comunicação verbal e não verbal.
15. Promover o desenvolvimento de relacionamentos interpessoais
produtivos
TEORIAS DE ENFERMAGEM
65
FAYE GLENN ABDELLAH 21 ações de enfermagem comuns foram identificados 16. Facilitar o progresso em
FAYE GLENN ABDELLAH
21 ações de enfermagem comuns foram identificados
16. Facilitar o progresso em direção à obtenção de metas espirituais
pessoais.
17. Criar e/ou manter um ambiente terapêutico.
18. Facilitar a conscientização de si mesmo como indivíduo com
necessidades físicas, emocionais e de desenvolvimento variadas.
TEORIAS DE ENFERMAGEM
66
FAYE GLENN ABDELLAH 21 ações de enfermagem comuns foram identificados 19. Aceitar as metas ideais
FAYE GLENN ABDELLAH
21 ações de enfermagem comuns foram identificados
19. Aceitar as metas ideais possíveis à luz das limitações físicas e
emocionais.
20. Usar os recursos comunitários como um auxílio na resolução dos
problemas que surgem com a doença.
21. Compreender o papel dos problemas sociais como fatores
influentes no caso de doença.
TEORIAS DE ENFERMAGEM
67
IDA JEAN ORLANDO TEORIA INTERACIONISTA DO CUIDADO DA ENFERMAGEM TEORIAS DE ENFERMAGEM 68
IDA JEAN ORLANDO
TEORIA INTERACIONISTA DO CUIDADO DA ENFERMAGEM
TEORIAS DE ENFERMAGEM
68
IDA JEAN ORLANDO TEORIA INTERACIONISTA DO CUIDADO DA ENFERMAGEM O processo de enfermagem é descrito,
IDA JEAN ORLANDO
TEORIA INTERACIONISTA DO CUIDADO DA ENFERMAGEM
O processo de enfermagem é descrito, com base na interação, num
dado período, entre um paciente e uma enfermeira.
Ela acredita que a enfermagem é singular e independente, porque se
preocupa com uma necessidade de ajuda do indivíduo, real ou
potencial, numa situação imediata.
TEORIAS DE ENFERMAGEM
69
IDA JEAN ORLANDO TEORIA INTERACIONISTA DO CUIDADO DA ENFERMAGEM O processo pelo qual a enfermagem
IDA JEAN ORLANDO
TEORIA INTERACIONISTA DO CUIDADO DA ENFERMAGEM
O processo pelo qual a enfermagem soluciona esse desamparo é
interativo, sendo buscado de uma maneira disciplinada que requer
treinamento
TEORIAS DE ENFERMAGEM
70
IDA JEAN ORLANDO TEORIA INTERACIONISTA DO CUIDADO DA ENFERMAGEM ENFERMAGEM INTERAÇÃO PACIENTE TEORIAS DE ENFERMAGEM
IDA JEAN ORLANDO
TEORIA INTERACIONISTA DO CUIDADO DA ENFERMAGEM
ENFERMAGEM
INTERAÇÃO
PACIENTE
TEORIAS DE ENFERMAGEM
71
IDA JEAN ORLANDO TEORIA INTERACIONISTA DO CUIDADO DA ENFERMAGEM ENFERMAGEM RESPOSTAS FUNÇÃO DISCIPLINA TEORIAS DE
IDA JEAN ORLANDO
TEORIA INTERACIONISTA DO CUIDADO DA ENFERMAGEM
ENFERMAGEM
RESPOSTAS
FUNÇÃO
DISCIPLINA
TEORIAS DE ENFERMAGEM
72
IDA JEAN ORLANDO TEORIA INTERACIONISTA DO CUIDADO DA ENFERMAGEM INTERAÇÃO COMUNICAÇÃO TEORIAS DE ENFERMAGEM 73
IDA JEAN ORLANDO
TEORIA INTERACIONISTA DO CUIDADO DA ENFERMAGEM
INTERAÇÃO
COMUNICAÇÃO
TEORIAS DE ENFERMAGEM
73
IDA JEAN ORLANDO TEORIA INTERACIONISTA DO CUIDADO DA ENFERMAGEM PACIENTE NECESSIDADES TEORIAS DE ENFERMAGEM 74
IDA JEAN ORLANDO
TEORIA INTERACIONISTA DO CUIDADO DA ENFERMAGEM
PACIENTE
NECESSIDADES
TEORIAS DE ENFERMAGEM
74
MYRA ESTRIN LEVINE TEORIA DA CONSERVAÇÃO DE ENERGIA E DA ENFERMAGEM HOLÍSTICA TEORIAS DE ENFERMAGEM
MYRA ESTRIN LEVINE
TEORIA DA CONSERVAÇÃO DE ENERGIA E DA
ENFERMAGEM HOLÍSTICA
TEORIAS DE ENFERMAGEM
75
MYRA ESTRIN LEVINE TEORIA DA CONSERVAÇÃO DE ENERGIA E DA ENFERMAGEM HOLÍSTICA Na teoria de
MYRA ESTRIN LEVINE
TEORIA DA CONSERVAÇÃO DE ENERGIA E DA
ENFERMAGEM HOLÍSTICA
Na teoria de enfermagem de Levine, o enfermeiro tem a ação em
conservar a energia para manutenção da integridade estrutural.
Enfoca o holismo, no qual existe uma relação dinâmica na
integralidade das partes e na interação com o ambiente.
TEORIAS DE ENFERMAGEM
76
MYRA ESTRIN LEVINE TEORIA DA CONSERVAÇÃO DE ENERGIA E DA ENFERMAGEM HOLÍSTICA As intervenções de
MYRA ESTRIN LEVINE
TEORIA DA CONSERVAÇÃO DE ENERGIA E DA
ENFERMAGEM HOLÍSTICA
As intervenções de enfermagem são de apoio ou terapêuticas.
E estão baseadas nos quatro princípios de conservação.
São eles: (1) conservação da energia, (2) conservação da
integridade estrutural, (3) conservação da integridade pessoal e (4)
conservação da integridade social.
TEORIAS DE ENFERMAGEM
77
MYRA ESTRIN LEVINE TEORIA DA CONSERVAÇÃO DE ENERGIA E DA ENFERMAGEM HOLÍSTICA ENERGIA TEORIAS DE
MYRA ESTRIN LEVINE
TEORIA DA CONSERVAÇÃO DE ENERGIA E DA
ENFERMAGEM HOLÍSTICA
ENERGIA
TEORIAS DE ENFERMAGEM
78
MYRA ESTRIN LEVINE TEORIA DA CONSERVAÇÃO DE ENERGIA E DA ENFERMAGEM HOLÍSTICA ESTRUTURAL PESSOAL SOCIAL
MYRA ESTRIN LEVINE
TEORIA DA CONSERVAÇÃO DE ENERGIA E DA
ENFERMAGEM HOLÍSTICA
ESTRUTURAL
PESSOAL
SOCIAL
INTEGRIDADE
TEORIAS DE ENFERMAGEM
79
MYRA ESTRIN LEVINE TEORIA DA CONSERVAÇÃO DE ENERGIA E DA ENFERMAGEM HOLÍSTICA EQUILÍBRIO ADAPTAÇÃO
MYRA ESTRIN LEVINE
TEORIA DA CONSERVAÇÃO DE ENERGIA E DA
ENFERMAGEM HOLÍSTICA
EQUILÍBRIO
ADAPTAÇÃO
CONSERVAÇÃO
TEORIAS DE ENFERMAGEM
80
MYRA ESTRIN LEVINE TEORIA DA CONSERVAÇÃO DE ENERGIA E DA ENFERMAGEM HOLÍSTICA EQUILÍBRIO CONSERVAÇÃO ENFERMEIRO
MYRA ESTRIN LEVINE
TEORIA DA CONSERVAÇÃO DE ENERGIA E DA
ENFERMAGEM HOLÍSTICA
EQUILÍBRIO
CONSERVAÇÃO
ENFERMEIRO
TEORIAS DE ENFERMAGEM
81
IMOGENE KING TEORIA DO ALCANCE DE OBJETIVOS TEORIAS DE ENFERMAGEM 82
IMOGENE KING
TEORIA DO ALCANCE DE OBJETIVOS
TEORIAS DE ENFERMAGEM
82
IMOGENE KING TEORIA DO ALCANCE DE OBJETIVOS Imogene King apresentou uma estrutura de sistemas abertos
IMOGENE KING
TEORIA DO ALCANCE DE OBJETIVOS
Imogene King apresentou uma estrutura de sistemas abertos a
partir da qual desenvolveu uma teoria de obtenção de metas.
A estrutura consiste de três sistemas – pessoal, interpessoal e
social – em troca contínua com seus ambientes.
TEORIAS DE ENFERMAGEM
83
IMOGENE KING TEORIA DO ALCANCE DE OBJETIVOS ENFERMEIRO PACIENTE INTERAÇÃO TRANSAÇÃO TEORIAS DE ENFERMAGEM 84
IMOGENE KING
TEORIA DO ALCANCE DE OBJETIVOS
ENFERMEIRO
PACIENTE
INTERAÇÃO
TRANSAÇÃO
TEORIAS DE ENFERMAGEM
84
IMOGENE KING TEORIA DO ALCANCE DE OBJETIVOS TRANSAÇÃO INTERAÇÃO TEORIAS DE ENFERMAGEM 85
IMOGENE KING
TEORIA DO ALCANCE DE OBJETIVOS
TRANSAÇÃO
INTERAÇÃO
TEORIAS DE ENFERMAGEM
85
IMOGENE KING TEORIA DO ALCANCE DE OBJETIVOS PESSOAIS PACIENTE ENFERMEIRO INTERPESSOAL SOCIAIS TEORIAS DE ENFERMAGEM
IMOGENE KING
TEORIA DO ALCANCE DE OBJETIVOS
PESSOAIS
PACIENTE
ENFERMEIRO
INTERPESSOAL
SOCIAIS
TEORIAS DE ENFERMAGEM
86
IMOGENE KING TEORIA DO ALCANCE DE OBJETIVOS PACIENTE PESSOAIS INTERPESSOAL ENFERMEIRO SOCIAIS TEORIAS DE ENFERMAGEM
IMOGENE KING
TEORIA DO ALCANCE DE OBJETIVOS
PACIENTE
PESSOAIS
INTERPESSOAL
ENFERMEIRO
SOCIAIS
TEORIAS DE ENFERMAGEM
87
IMOGENE KING TEORIA DO ALCANCE DE OBJETIVOS ENFERMEIRO PACIENTE TEORIAS DE ENFERMAGEM 88
IMOGENE KING
TEORIA DO ALCANCE DE OBJETIVOS
ENFERMEIRO
PACIENTE
TEORIAS DE ENFERMAGEM
88
IMOGENE KING TEORIA DO ALCANCE DE OBJETIVOS DADOS DE BASE PLANO LISTA DE PROBLEMAS SOAP
IMOGENE KING
TEORIA DO ALCANCE DE OBJETIVOS
DADOS DE BASE
PLANO
LISTA DE PROBLEMAS
SOAP
LISTA DE OBJETIVOS
EVOLUÇÃO
TEORIAS DE ENFERMAGEM
89
MARTHA ROGERS TEORIA DO SER HUMANO UNITÁRIO TEORIAS DE ENFERMAGEM 90
MARTHA ROGERS
TEORIA DO SER HUMANO UNITÁRIO
TEORIAS DE ENFERMAGEM
90
MARTHA ROGERS TEORIA DO SER HUMANO UNITÁRIO Desenvolveu os princípios da homeodinâmica. Inerentes aos princípios
MARTHA ROGERS
TEORIA DO SER HUMANO UNITÁRIO
Desenvolveu os princípios da homeodinâmica.
Inerentes aos princípios estão os pressupostos básicos:
TEORIAS DE ENFERMAGEM
91
MARTHA ROGERS TEORIA DO SER HUMANO UNITÁRIO 1. O ser humano é um todo unificado
MARTHA ROGERS
TEORIA DO SER HUMANO UNITÁRIO
1. O ser humano é um todo unificado COM:
- integridade individual e
- características que são mais que a soma das partes.
TOTALIDADE DO
INDIVÍDUO
TEORIAS DE ENFERMAGEM
92
MARTHA ROGERS TEORIA DO SER HUMANO UNITÁRIO 2. O indivíduo e o ambiente estão continuamente
MARTHA ROGERS
TEORIA DO SER HUMANO UNITÁRIO
2. O indivíduo e o ambiente estão continuamente trocando matéria e
energia um com o outro.
INTERAÇÃO
TEORIAS DE ENFERMAGEM
93
MARTHA ROGERS TEORIA DO SER HUMANO UNITÁRIO 3. O processo de vida dos seres humanos
MARTHA ROGERS
TEORIA DO SER HUMANO UNITÁRIO
3. O processo de vida dos seres humanos evolui, irreversível e
unidirecionalmente ao longo de uma sequência de espaço tempo.
EXPERIÊNCIA
TEORIAS DE ENFERMAGEM
94
MARTHA ROGERS 4. Os padrões identificam os seres humanos e refletem a sua totalidade inovadora
MARTHA ROGERS
4. Os padrões identificam os seres humanos e refletem a sua
totalidade inovadora .
5. O indivíduo é caracterizado pela capacidade de abstração e
visualização, linguagem e pensamento, sensação e emoção.
INDIVIDUALIDADE
TEORIAS DE ENFERMAGEM
95
CALLISTA ROY TEORIA DA ADPTAÇÃO TEORIAS DE ENFERMAGEM 96
CALLISTA ROY
TEORIA DA ADPTAÇÃO
TEORIAS DE ENFERMAGEM
96
CALLISTA ROY TEORIA DA ADPTAÇÃO O modelo de Roy consiste de quatro elementos: de pessoa,
CALLISTA ROY
TEORIA DA ADPTAÇÃO
O modelo de Roy consiste de quatro elementos:
de pessoa, ambiente, saúde e enfermagem.
TEORIAS DE ENFERMAGEM
97
CALLISTA ROY TEORIA DA ADPTAÇÃO . As pessoas são vistas como sistemas adaptativos vivos cujos
CALLISTA ROY
TEORIA DA ADPTAÇÃO
.
As pessoas são vistas como sistemas adaptativos vivos cujos
comportamentos podem ser classificados como
respostas adaptativas ou respostas ineficientes.
TEORIAS DE ENFERMAGEM
98
CALLISTA ROY TEORIA DA ADPTAÇÃO MUDANÇAS MEIO AMBIENTE ADAPTAÇÕES PESSOA TEORIAS DE ENFERMAGEM 99
CALLISTA ROY
TEORIA DA ADPTAÇÃO
MUDANÇAS
MEIO AMBIENTE
ADAPTAÇÕES
PESSOA
TEORIAS DE ENFERMAGEM
99
CALLISTA ROY TEORIA DA ADPTAÇÃO ADAPTAÇÕES MECANISMOS COMPORTAMENTO TEORIAS DE ENFERMAGEM 100
CALLISTA ROY
TEORIA DA ADPTAÇÃO
ADAPTAÇÕES
MECANISMOS
COMPORTAMENTO
TEORIAS DE ENFERMAGEM
100
CALLISTA ROY TEORIA DA ADPTAÇÃO REGULADOR MECANISMOS COGNITOR TEORIAS DE ENFERMAGEM 101
CALLISTA ROY
TEORIA DA ADPTAÇÃO
REGULADOR
MECANISMOS
COGNITOR
TEORIAS DE ENFERMAGEM
101
CALLISTA ROY TEORIA DA ADPTAÇÃO MECANISMOS RESPOSTA MAL ADPTATIVAS ADPTATIVAS TEORIAS DE ENFERMAGEM 102
CALLISTA ROY
TEORIA DA ADPTAÇÃO
MECANISMOS
RESPOSTA
MAL ADPTATIVAS
ADPTATIVAS
TEORIAS DE ENFERMAGEM
102
CALLISTA ROY TEORIA DA ADPTAÇÃO ENFERMAGEM RESPOSTA ADPTATIVAS COMPORTAMENTO MAL ADPTATIVAS TEORIAS DE ENFERMAGEM
CALLISTA ROY
TEORIA DA ADPTAÇÃO
ENFERMAGEM
RESPOSTA
ADPTATIVAS
COMPORTAMENTO
MAL ADPTATIVAS
TEORIAS DE ENFERMAGEM
103
WANDA HORTA TEORIA DE NECESSIDADES BÁSICAS HUMANAS TEORIAS DE ENFERMAGEM 104
WANDA HORTA
TEORIA DE NECESSIDADES BÁSICAS HUMANAS
TEORIAS DE ENFERMAGEM
104
WANDA HORTA TEORIA DE NECESSIDADES BÁSICAS HUMANAS Sua teoria se baseava na harmonia do universo
WANDA HORTA
TEORIA DE NECESSIDADES BÁSICAS HUMANAS
Sua teoria se baseava na harmonia do universo
com homem, onde estes eram integrados.
E quando ocorresse um desequilíbrio
o reflexo desse processo era a doença.
TEORIAS DE ENFERMAGEM
105
WANDA HORTA ESCALA DE MASLOW Necessidades de nível elevado AutoAuto--realizaçãorealização AutoAuto--estimaestima
WANDA HORTA
ESCALA DE MASLOW
Necessidades de
nível elevado
AutoAuto--realizaçãorealização
AutoAuto--estimaestima
AmorAmor ee GregarismoGregarismo
Segurança/ProteçãoSegurança/Proteção
FisiológicosFisiológicos
NecessidadesNecessidades dede
nívelnível inferiorinferior
Alimento, oxigênio, água,
temperatura, excreção, repouso,
evitação da dor, sexo,
PROCESSOPROCESSOPROCESSOPROCESSOPROCESSOPROCESSOPROCESSOPROCESSO DEDEDEDEDEDEDEDE ENFERMAGEMENFERMAGEMENFERMAGEMENFERMAGEMENFERMAGEMENFERMAGEMENFERMAGEMENFERMAGEM
atividade, estímulo.
WANDA HORTA TEORIA DE NECESSIDADES BÁSICAS HUMANAS Seu modelo envolve seis fases: - Coleta e
WANDA HORTA
TEORIA DE NECESSIDADES BÁSICAS HUMANAS
Seu modelo envolve seis fases:
- Coleta e análise de dados,
- Diagnóstico de enfermagem ,
- Planejamento de enfermagem,
- Prescrição de enfermagem,
- Prognóstico de enfermagem e
- Avaliação.
TEORIAS DE ENFERMAGEM
107
JEAN WATSON TEORIA TRANSPESSOAL DO CUIDADO OU TEORIA FENOMENOLÓGICA EXISTENCIAL E ESPIRITUAL TEORIAS DE ENFERMAGEM
JEAN WATSON
TEORIA TRANSPESSOAL DO CUIDADO OU
TEORIA FENOMENOLÓGICA EXISTENCIAL E ESPIRITUAL
TEORIAS DE ENFERMAGEM
108
JEAN WATSON TEORIA TRANSPESSOAL DO CUIDADO OU TEORIA FENOMENOLÓGICA EXISTENCIAL E ESPIRITUAL VALORES HUMANÍSTICOS
JEAN WATSON
TEORIA TRANSPESSOAL DO CUIDADO OU
TEORIA FENOMENOLÓGICA EXISTENCIAL E ESPIRITUAL
VALORES HUMANÍSTICOS
VALORES ALTRUÍSTAS
FUNDAMENTO FILOSÓFICO
TEORIAS DE ENFERMAGEM
109
JEAN WATSON TEORIA TRANSPESSOAL DO CUIDADO OU TEORIA FENOMENOLÓGICA EXISTENCIAL E ESPIRITUAL CULTIVO DA SENSIBILIDADE
JEAN WATSON
TEORIA TRANSPESSOAL DO CUIDADO OU
TEORIA FENOMENOLÓGICA EXISTENCIAL E ESPIRITUAL
CULTIVO DA SENSIBILIDADE
CULTIVO DA FÉ-ESPERANÇA
FUNDAMENTO FILOSÓFICO
TEORIAS DE ENFERMAGEM
110
JEAN WATSON TEORIA TRANSPESSOAL DO CUIDADO OU TEORIA FENOMENOLÓGICA EXISTENCIAL E ESPIRITUAL OPOSIÇÃO AO TECNICISMO
JEAN WATSON
TEORIA TRANSPESSOAL DO CUIDADO OU
TEORIA FENOMENOLÓGICA EXISTENCIAL E ESPIRITUAL
OPOSIÇÃO AO TECNICISMO
ALTRUÍSTA
SOCIAL
ESPIRITUAL
TEORIAS DE ENFERMAGEM
111
JEAN WATSON TEORIA TRANSPESSOAL DO CUIDADO OU TEORIA FENOMENOLÓGICA EXISTENCIAL E ESPIRITUAL Baseada no: 1.
JEAN WATSON
TEORIA TRANSPESSOAL DO CUIDADO OU
TEORIA FENOMENOLÓGICA EXISTENCIAL E ESPIRITUAL
Baseada no:
1. Ser humano (TOTALIDADE),
2. Saúde (EXPERIÊNCIAS),
3. Ambiente (MEIO) e
4. Enfermagem (RELAÇÃO TRANSPESSOAL).
TEORIAS DE ENFERMAGEM
112
MADELEINE LEININGER TEORIA TRANSCULTURAL TEORIAS DE ENFERMAGEM 113
MADELEINE LEININGER
TEORIA TRANSCULTURAL
TEORIAS DE ENFERMAGEM
113
MADELEINE LEININGER TEORIA TRANSCULTURAL Sua teoria determina que cada cultura tem maneiras próprias de definir,
MADELEINE LEININGER
TEORIA TRANSCULTURAL
Sua teoria determina que cada cultura tem maneiras próprias
de definir, compreender, refletir e explicar
a saúde e a doença,
sendo assim o cuidado,
um fenômeno culturalmente construído.
TEORIAS DE ENFERMAGEM
114
MADELEINE LEININGER TEORIA TRANSCULTURAL VALORES SIGNIFICADO CULTURA SA Ú DE/DOENÇA PRINCÍPIOS RESPOSTA
MADELEINE LEININGER
TEORIA TRANSCULTURAL
VALORES
SIGNIFICADO
CULTURA
SA
Ú DE/DOENÇA
PRINCÍPIOS
RESPOSTA
TEORIAS DE ENFERMAGEM
115
MADELEINE LEININGER TEORIA TRANSCULTURAL VALORES CRENÇAS CUIDADO CULTURAL PRINCÍPIOS HÁBITOS TEORIAS DE
MADELEINE LEININGER
TEORIA TRANSCULTURAL
VALORES
CRENÇAS
CUIDADO
CULTURAL
PRINCÍPIOS
HÁBITOS
TEORIAS DE ENFERMAGEM
116
MADELEINE LEININGER TEORIA TRANSCULTURAL O Cuidado Humano é Universal, sendo vivenciado nas diversas culturas. Teoria
MADELEINE LEININGER
TEORIA TRANSCULTURAL
O Cuidado Humano é Universal,
sendo vivenciado nas diversas culturas.
Teoria da Diversidade e Universalidade do Cuidado Cultural
o desenvolvimento da prática assistencial de enfermagem.
TEORIAS DE ENFERMAGEM
117
MADELEINE LEININGER TEORIA TRANSCULTURAL O cuidado de enfermagem será adaptado à cultura do cliente. Não
MADELEINE LEININGER
TEORIA TRANSCULTURAL
O cuidado de enfermagem será adaptado
à cultura do cliente.
Não deve haver diferenças entre o cliente e o cuidador.
TEORIAS DE ENFERMAGEM
118
CANSADOS ???? TEORIAS DE ENFERMAGEM 119
CANSADOS ????
TEORIAS DE ENFERMAGEM
119
EXERCÍCIOS TEORIAS DE ENFERMAGEM 120
EXERCÍCIOS
TEORIAS DE ENFERMAGEM
120