Вы находитесь на странице: 1из 46
Assistência de Enfermagem na Administração de Drogas e soluções (Vias de Administração)
Assistência de Enfermagem
na Administração de
Drogas e soluções
(Vias de Administração)
Docente: Enfº Igor Ferretti Silva Aula original: Enfª Indira Maron
Docente:
Enfº Igor Ferretti Silva
Aula original: Enfª Indira Maron
Vias de administração de medicamentos -Administração de medicamentos é um dos deveres de maior responsabilidade
Vias de administração de medicamentos
-Administração de medicamentos é um dos deveres de
maior responsabilidade da equipe de enfermagem.
- Regra dos 5 Certos:
-Paciente certo
-Medicamento certo
-Dose certa
-Via certa
-Hora certa
OBS: Não administrar medicamentos preparados por outra pessoa.
Camadas da pele
Camadas da pele
Vias de administração de medicamentos TRÊS LEITURAS CERTAS DA MEDICAÇÃO Confira SEMPRE o rótulo da
Vias de administração de medicamentos
TRÊS LEITURAS CERTAS DA MEDICAÇÃO
Confira SEMPRE o rótulo da medicação. Nunca confie. Leia você
mesmo.
PRIMEIRA VEZ: antes de retirar o frasco ou ampola do armário
ou carrinho de medicamentos
SEGUNDA VEZ: antes de retirar ou aspirar o medicamento do
frasco ou ampola
TERCEIRA VEZ: antes de recolocar no armário ou desprezar o
frasco ou ampola no recipiente
OBS: Ter atenção em estar sempre verificando a validade do
medicamento.
Vias de administração de medicamentos Vias de administração: 1. Via Oral - Absorção intestinal -
Vias de administração de medicamentos
Vias de administração:
1.
Via Oral
-
Absorção intestinal
-
Absorção subligual
2.
Via Retal
3.
Via Injetável (Parenteral)
-
Via intradérmica
-
Via subcutânea
-
Via intramuscular
-
Via endovenosa
Vias de administração de medicamentos 4. Outras vias: - Inalatória (ex: gases utilizados em anestesia
Vias de administração de medicamentos
4. Outras vias:
- Inalatória (ex: gases utilizados em anestesia e medicamentos
contra asma)
- Ocular
- Intranasal
- Dérmica
- Vaginal (ex: droga para induzir o trabalho de parto)
Vias de administração de medicamentos Via Oral 1. Absorção intestinal (ou enteral) * Vantagens: •
Vias de administração de medicamentos
Via Oral
1. Absorção intestinal (ou enteral)
* Vantagens:
• Auto administração, econômica e fácil;
• Possibilidade de remover o medicamento;
• Confortável, indolor;
• Também promove efeito sistêmico.
* Desvantagens:
• Muitos fatores, como outros medicamentos e a
alimentação, afetam a absorção dos medicamentos depois
de sua ingestão oral;
Vias de administração de medicamentos Via Oral • Podem provocar irritação da mucosa gástrica, pois
Vias de administração de medicamentos
Via Oral
• Podem provocar irritação da mucosa gástrica, pois podem
prejudicar o revestimento do estômago e do intestino delgado e
causar úlceras.
* Contra indicação:
-Pacientes incapazes de
deglutir ou inconscientes;
-Em casos de vômitos;
-Quando o paciente está
em jejum para cirurgia
ou exame.
Vias de administração de medicamentos Via Oral 2. Absorção Sublingual: -Os medicamentos são colocados debaixo
Vias de administração de medicamentos
Via Oral
2. Absorção Sublingual:
-Os medicamentos são colocados
debaixo da língua para serem absorvidos
diretamente pelos pequenos vasos
sanguíneos.
Vias de administração de medicamentos Via Retal Muitos medicamentos que são administrados por via oral
Vias de administração de medicamentos
Via Retal
Muitos medicamentos que são administrados por via oral podem
também ser administrados por via retal, em forma de supositório.
São receitados quando a pessoa não pode tomar o medicamento
por VO:
-náuseas e vômitos;
-impossibilidade de engolir;
-algumas restrições à ingestão, como ocorre em seguida a uma
cirurgia.
Vias de administração de medicamentos Via Parenteral Utiliza-se seringas, agulhas esterilizados.
Vias de administração de medicamentos
Via Parenteral
Utiliza-se seringas, agulhas esterilizados.
Vias de administração de medicamentos Preparando a injeção: -Identificar o medicamento a ser administrado, de
Vias de administração de medicamentos
Preparando a injeção:
-Identificar o medicamento a ser administrado, de acordo com a
prescrição médica;
-Lavar bem as mãos antes e após de preparar e aplicar a injeção;
-Abrir a embalagem da seringa e da agulha, conectando-as sem
tocar na agulha, no bico e nem na haste da seringa, para não
contaminá-la;
-Não esquecer de fazer a antissepsia da ampola e do fraco ampola
com álcool a 70%, antes da aspiração.
Vias de administração de medicamentos Preparando medicações armazenadas em ampola - Desinfetar toda a ampola
Vias de administração de medicamentos
Preparando medicações armazenadas em ampola
- Desinfetar toda a ampola com algodão embebido em
álcool a 70%;
- Proteger os dedos com o algodão embebido em álcool
ao destacar o gargalo da ampola;
- Aspirar a solução da ampola para a seringa;
- Proteger a agulha com a própria capa e o êmbolo da
seringa com o próprio invólucro;
- Não esquecer de identificar o medicamento com os
5 Certos, antes da administração.
- Após administração, NUNCA reencapar a agulha, e
desprezá-la no descarte apropriado.
Vias de administração de medicamentos Preparando medicações armazenadas em frasco ampola - Retirar o lacre
Vias de administração de medicamentos
Preparando medicações armazenadas em frasco
ampola
- Retirar o lacre do frasco ampola e realizar a
desinfecção da tampa de borracha com algodão
embebido em álcool a 70%;
- Realize a desinfecção do gargalo da ampola do
diluente com algodão e álcool 70%, abra a ampola,
aspire o conteúdo e injete-o pela parede interna
do frasco ampola;
- Homogeneíze bem o pó com o diluente colocando
o frasco ampola entre as mãos e realizando
movimentos rotacionais;
- Aspire o conteúdo e retire as eventuais bolhas
da seringa, expulsando o ar e deixando somente a
suspensão;
-Despreze o frasco ampola no descarte
apropriado.
Vias de administração de medicamentos Tipos de seringa:
Vias de administração de medicamentos
Tipos de seringa:
Vias de administração de medicamentos Via Intradérmica Via muito restrita, usada para pequenos volumes (de
Vias de administração de medicamentos
Via Intradérmica
Via
muito
restrita,
usada
para
pequenos volumes (de 0,1 a 0,5 ml).
Usada para
reações de
hipersensibilidade, como provas de
ppd (tuberculose), e sensibilidade de
algumas alergias.
É também utilizada para aplicação de
BCG (vacina contra tuberculose),
sendo de uso mundial a aplicação ao
nível da inserção inferior do músculo
deltóide.
Vias de administração de medicamentos Via Subcutânea A medicação é introduzida na tela subcutânea (tecido
Vias de administração de medicamentos
Via Subcutânea
A medicação é introduzida na tela subcutânea (tecido
subcutâneo ou hipoderme). Absorção lenta, através dos
capilares, de forma contínua e segura. Usada para
administração de vacinas (anti-rábica e anti-sarampo),
anticoagulantes (heparina) e hipoglicemiantes (insulina). O
volume não deve exceder 2,0 ml.
-Locais de aplicação:
•Região superior extrena do braço;
•Abdomên (entre os rebordos costais e as cristas ilíacas);
•Região anterior das coxas;
•Região superior do dorso.
Vias de administração de medicamentos Locais de administração de medicações por via subcutânea
Vias de administração de medicamentos
Locais de administração de
medicações por via subcutânea
Vias de administração de medicamentos Via Intramuscular Administração do medicamento diretamente no músculo em
Vias de administração de medicamentos
Via Intramuscular
Administração do medicamento diretamente no músculo em
graus de profundidade variável.
A escolha do músculo utilizado vai depender do volume a
ser aplicado:
1ª escolha: vasto lateral da coxa (máximo de 5ml);
2ª escolha: glúteo (ventro glútea e dorso glútea) – máximo
5ml;
3ª escolha: deltóide ( exceto em vacinas) – máximo 3ml.
OBS: Não esquecer que o volume dependerá da massa muscular do
cliente, quanto menor a dose aplicada, menor o risco de possíveis
complicações.
Vias de administração de medicamentos 1.Vasto Lateral da Coxa: - Local seguro por ser livre
Vias de administração de medicamentos
1.Vasto Lateral da Coxa:
- Local seguro por ser livre
de vasos sanguíneos e nervos
importantes;
-Extensa área de aplicação;
-Proporciona melhor controle
de pessoas agitadas ou
crianças chorosas.
Vias de administração de medicamentos 2. Dorso glúteo: -Indicada para administração de grandes volumes (máximo
Vias de administração de medicamentos
2. Dorso glúteo:
-Indicada para administração de grandes volumes (máximo
de 5ml);
-Não é indicado para crianças menores de 2 anos;
- ATENTAR para localização do nervo ciático.
Vias de administração de medicamentos 3. Ventro glútea: -É mais indicada por estar livre de
Vias de administração de medicamentos
3. Ventro glútea:
-É mais indicada por estar livre de estruturas anatômicas
importantes (não apresenta vasos sanguíneos ou nervos
significativos);
-Indicada para qualquer faixa etária;
-Ainda é muito pouco utilizada.
Vias de administração de medicamentos 4. Deltóide: -Massa muscular relativamente pequena, não sendo capaz de
Vias de administração de medicamentos
4. Deltóide:
-Massa muscular relativamente pequena, não sendo capaz de
receber grandes volumes (máximo de 3ml);
- Não deve ser usado em injeções consecutivas e com
substâncias irritantes, pois podem causar abscesso e necrose.
- Contra-indicado para menores de 10 anos e adultos com
pequeno desenvolvimento muscular.
Vias de administração de medicamentos Aplicação Método Trajeto Z: -Técnica IM utilizada na aplicação de
Vias de administração de medicamentos
Aplicação Método
Trajeto Z:
-Técnica IM utilizada na
aplicação de drogas irritativas
para proteção da pele e de
tecidos subcutâneos;
-Deve ser utilizada em grandes e
profundos músculos, como Glúteo
Dorsal e Ventral.
Vias de administração de medicamentos Complicações causadas por injeções intramusculares
Vias de administração de medicamentos
Complicações causadas por injeções
intramusculares
Vias de administração de medicamentos Via Endovenosa É a administração de medicamento diretamente na corrente
Vias de administração de medicamentos
Via Endovenosa
É a administração de medicamento diretamente na corrente
sanguínea através de uma veia.
*Vantagens:
-Resposta imediata;
-Pode receber grandes doses de medicações em fluxo
contínua;
-Controle da dose;
*Desvantagens:
-Necessita de material esterelizado;
-Pessoal treinado;
-Irritação no local da aplicação;
-Acidente troboembólico.
Vias de administração de medicamentos As infusões endovenosas podem ser: -Direta -Intermitente -Contínua Locais
Vias de administração de medicamentos
As infusões endovenosas podem ser:
-Direta
-Intermitente
-Contínua
Locais mais utilizados para punção venosa:
*Região do dorso da mão:
-veia basílica;
-veia cefálica;
-veia metacarpianas dorsais.
Vias de administração de medicamentos *Região dos membros superiores: •Veia cefálica acessória; •Veia
Vias de administração de medicamentos
*Região dos membros superiores:
•Veia cefálica acessória;
•Veia cefálica;
•Veia basílica;
•Veia intermediária do cotovelo;
•Veia intermediária do braço.
SELEÇÃO DA VEIA:
SELEÇÃO DA VEIA:
Vias de administração de medicamentos Tipos de cateter para punção venosa periférica: -Scalp (butterfly)
Vias de administração de medicamentos
Tipos de cateter para punção venosa periférica:
-Scalp (butterfly)
Vias de administração de medicamentos -Gelco (abocath):
Vias de administração de medicamentos
-Gelco (abocath):
Vias de administração de medicamentos Tipos de cateter para punção venosa central: - Intracath -Duplo
Vias de administração de medicamentos
Tipos de cateter para punção venosa central:
- Intracath
-Duplo Lúmen
Vias de administração de medicamentos Complicações da terapia endovenosa: -Extravasamento; -Obstrução; -Flebite;
Vias de administração de medicamentos
Complicações da terapia endovenosa:
-Extravasamento;
-Obstrução;
-Flebite;
-Tromboflebite;
-Hematoma;
-Choque pirogênico.
Vias de administração de medicamentos
Vias de administração de medicamentos
Vias de administração de medicamentos Bibliografia: -SILVA, Marcelo Tardelli. Cálculo e Admistração de
Vias de administração de medicamentos
Bibliografia:
-SILVA, Marcelo Tardelli. Cálculo e Admistração de
Medicamentos na Enfermagem, 1ª ed. São Paulo. Martinari,
2008.
-POTTER, Patrícia. Fundamentos de Enfermagem. Conceitos,
processo e prática, 4ª ed. Rio de Janeiro. Guanabara Koogan,
1999.
-MOZACHI, Nelson. O Hospital: manual do ambiente hospitalar.
2ª ed. Curitiba, 2005.