Вы находитесь на странице: 1из 11
 
ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas Sede: Rio de Janeiro Av. Treze de Maio, 13

ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas

Sede:

Rio de Janeiro Av. Treze de Maio, 13 / 28º andar CEP 20003-900 – Caixa Postal 1680 Rio de Janeiro – RJ Tel.: PABX (21) 210-3122 Fax: (21) 220-1762/220-6436 Endereço eletrônico:

www.abnt.org.br

Copyright © 2001 ABNT–Associação Brasileira de Normas Técnicas Printed in Brazil/ Impresso no Brasil Todos os direitos reservados

Palavra-chave: Agregado

Palavra-chave: Agregado

NOV 2001
NOV 2001

NBR NM 49

1 página
1 página

Agregado fino - Determinação de

impurezas orgânicas

Origem: NM 49:2001 ABNT/CB-18 - Comitê Brasileiro de Cimento, Concreto e Agregados NBR NM 49 - Fine aggregate - Determination of the organic impurities Descriptor: Aggregate Esta Norma cancela e substitui a NBR 7220:1987 Válida a partir de 31.12.2001

Origem: NM 49:2001 ABNT/CB-18 - Comitê Brasileiro de Cimento, Concreto e Agregados NBR NM 49 -

Esta Errata nº 1 de DEZ 2001 tem por objetivo corrigir a NBR NM 49:2001 no seguinte:

- No título:

  • - Onde se lê: “Agregado fino”

  • - Leia-se: “Agregado miúdo”

_________________

 
ABNT - Associação Brasileira de Normas Técnicas Sede: Rio de Janeiro Av. Treze de Maio, 13

ABNT - Associação Brasileira de Normas Técnicas

Sede:

Rio de Janeiro Av. Treze de Maio, 13 - 28º andar CEP 20003-900 - Caixa Postal 1680 Rio de Janeiro - RJ Tel.: PABX (21) 210-3122 Fax: (21) 220-1762/220-6436 Endereço eletrônico:

www.abnt.org.br

Copyright © 2001, ABNT-Associação Brasileira de Normas Técnicas Printed in Brazil/ Impresso no Brasil Todos os direitos reservados

Palavra-chave: Agregado

Palavra-chave: Agregado

NOV 2001
NOV 2001

NBR NM 49

3 Páginas
3 Páginas

Agregado fino - Determinação de

impurezas orgânicas

Origem: NM 49:2001 ABNT/CB-18 - Comitê Brasileiro de Cimento, Concreto e Agregados NBR NM 49 - Fine aggregate - Determination of the organic impurities Descriptors: Aggregate Esta Norma cancela e substitui a NBR 7220:1987 Válida a partir de 31.12.2001

Origem: NM 49:2001 ABNT/CB-18 - Comitê Brasileiro de Cimento, Concreto e Agregados NBR NM 49 -

Prefácio nacional

A ABNT - Associação Brasileira de Normas Técnicas - é o Fórum Nacional de Normalização. As Normas Brasileiras, cujo conteúdo é de responsabilidade dos Comitês Brasileiros (ABNT/CB) e dos Organismos de Normalização Setorial (ABNT/ONS), são elaboradas por Comissões de Estudo (CE), formadas por representantes dos setores envolvidos, deles fazendo parte: produtores, consumidores e neutros (universidades, laboratórios e outros).

O Projeto de Norma MERCOSUL, elaborado no âmbito do CSM 05 - Comitê Setorial MERCOSUL de Cimento e Concreto, circulou para Consulta Pública entre os associados da ABNT e demais interessados sob o número 05:02-NM 049.

A ABNT adotou, como Norma Brasileira por indicação do seu ABNT/CB-18 - Comitê Brasileiro de Cimento, Concreto e Agregados, a norma MERCOSUL NM 49:2001.

Esta Norma cancela e substitui a NBR 7220:1984. A correspondência entre as norma listadas na seção 2 “Referências normativas” e as Normas Brasileiras é a seguinte:

NM 26:2000

NM 27:2000

NBR NM 26:2001 - Agregados - Amostragem NBR NM 27:2001 - Agregados - Redução da amostra de campo para ensaios de laboratório

 

NORMA

MERCOSUR

NM 49:2001

Primera edición

2001-12-15

Agregado fino – Determinación de impurezas orgánicas

Agregado miúdo – Determinação de impurezas orgânicas

Esta Norma anula y reemplaza a la de mismo número del año 1996./

Esta Norma anula e substitui a de mesmo número do ano 1996.

NORMA MERCOSUR NM 49:2001 Primera edición 2001-12-15 Agregado fino – Determinación de impurezas orgánicas Agregado miúdo

ASOCIACIÓN MERCOSUR

DE NORMALIZACIÓN

Número de referencia NM 49:2001

 

NM 49:2001

 

Índice

1

Objeto

  • 2 Referencias normativas

3

Instrumental

  • 4 Ejecución del ensayo

5

Resultados

Sumário

1

Objetivo

  • 2 Referências normativas

3

Aparelhagem

  • 4 Execução do ensaio

5

Resultados

   
 

NM 49:2001

 

Prefacio

La AMN - Asociación MERCOSUR de Normalización - tiene por objeto promover y adoptar las acciones para la armonización y la elaboración de las Normas en el ámbito del Mercado Común del Sur - MERCOSUR, y está integrada por los Organismos Nacionales de Normalización de los países miembros.

La AMN desarrolla su actividad de normalización por medio de los CSM - Comités Sectoriales MERCOSUR - creados para campos de acción claramente definidos.

Los Proyectos de Norma MERCOSUR, elaborados en el ámbito de los CSM, circulan para votación nacional por intermedio de los Organismos Nacionales de Normalización de los países miembros.

La homologación como Norma MERCOSUR por parte de la Asociación MERCOSUR de Normalización requiere la aprobación por consenso de sus miembros.

Esta Norma fue elaborada por el CSM 05 - Comité Sectorial de Cemento y Hormigón.

El texto del Proyecto de Revisión de la NM 49:96 fue elaborado por Brasil y tuvo origen en las Normas:

NM 49:96 - Agregado fino - Determinación de impurezas orgánicas

NBR 7220/87 - Agregados - Determinação de impurezas orgânicas húmicas em agregado miúdo.

Esta Norma consiste en la revisión de la NM 49:96, habiendo sido hechas solamente alteraciones de forma para su publicación como NM 49:2001.

Prefácio

A AMN - Associação MERCOSUL de Normalização

  • - tem por objetivo promover e adotar as ações para a harmonização e a elaboração das Normas no

âmbito do Mercado Comum do Sul - MERCOSUL, e é integrada pelos Organismos Nacionais de Normalização dos países membros.

A AMN desenvolve sua atividade de normalização

por meio dos CSM - Comitês Setoriais MERCOSUL

  • - criados para campos de ação claramente definidos.

Os Projetos de Norma MERCOSUL, elaborados no âmbito dos CSM, circulam para votação nacional por intermédio dos Organismos Nacionais de Normalização dos países membros.

A homologação como Norma MERCOSUL por parte da Associação MERCOSUL de Normalização requer a aprovação por consenso de seus membros.

Esta Norma foi elaborada pelo CSM 05 – Comitê Setorial de Cimento e Concreto.

O texto do Projeto de Revisão da NM 49:96 foi elaborado pelo Brasil e teve origem nas Normas:

NM 49:96 - Agregado miúdo - Determinação de impurezas orgânicas

NBR 7220/87 - Agregados - Determinação de impurezas orgânicas húmicas em agregado miúdo.

Esta Norma consiste na revisão da NM 49:96, tendo sido feitas apenas alterações de forma para sua publicação como NM 49:2001.

   
 

NM 49:2001

 

Agregado fino – Determinación de impurezas orgánicas Agregado miúdo – Determinação de impurezas orgânicas

1

Objeto

  • 1.1 Esta Norma MERCOSUR establece el método

de determinación colorimétrica de impurezas orgánicas en el agregado fino destinado a la preparación de hormigón.

  • 1.2 Este método no determina sustancias orgánicas

tales como aceites, grasas y parafinas.

  • 2 Referencias normativas

Las normas siguientes contienen disposiciones que, al ser citadas en este texto, constituyen requisitos de esta Norma MERCOSUR. Las ediciones indicadas estaban en vigencia en el momento de esta publicación. Como toda norma está sujeta a revisión, se recomienda a aquéllos que realicen acuerdos en base a esta Norma que analicen la conveniencia de emplear las ediciones más recientes de las normas citadas a continuación. Los organismos miembros del MERCOSUR poseen informaciones sobre las normas en vigencia en el momento.

NM 26:2000 - Agregados – Muestreo

NM 27:2000 - Agregados – Reducción de la muestra de campo para ensayos de laboratorio

1

Objetivo

1.1 Esta Norma MERCOSUL estabelece o método de determinação colorimétrica de impurezas orgânicas em agregado miúdo destinado ao preparo do concreto.

1.2 Este método não determina substâncias orgânicas como óleos, graxas e parafinas.

  • 2 Referências normativas

As seguintes normas contêm disposições que, ao serem citadas neste texto, constituem requisitos desta Norma MERCOSUL. As edições indicadas estavam em vigência no momento desta publicação. Como toda norma está sujeita à revisão, se recomenda, àqueles que realizam acordos com base nesta Norma, que analisem a conveniência de usar as edições mais recentes das normas citadas a seguir. Os organismos membros do MERCOSUL possuem informações sobre as normas em vigência no momento.

NM 26:2000 - Agregados - Amostragem

NM 27:2000 - Agregados - Redução da amostra de campo para ensaios de laboratório

  • 3 Instrumental

  • 3 Aparelhagem

 

El instrumental para la ejecución del método es el

A aparelhagem

para execução do ensaio é a

siguiente:

seguinte:

a)

balanza con resolución de 0,01 g y capacidad

a)

balança

com

resolução

de

0,01

g

e

mínima de 1 kg;

capacidade mínima de 1 kg;

 

b)

vaso de precipitados de aproximadamente

b)

béquer de aproximadamente 1 000 cm 3 ;

 

1 000 cm 3 ;

c)

probetas graduadas de 10 cm 3 y 100 cm 3 ;

c)

provetas graduadas de 10 cm 3 e 100 cm 3 ;

 

d)

frascos erlenmeyer con boca esmerilada, de

d)

frascos erlenmeyer com rolha esmerilhada,

aproximadamente 250 cm 3 ;

de aproximadamente 250 cm 3 ;

 

e)

embudo de vástago largo;

e)

funil de haste longa;

f)

papel de filtro cualitativo;

f)

papel filtro qualitativo;

g)

dos tubos de Nessler o tubos de ensayo, de

g)

dois tubos Nessler ou tubos de ensaio, de

la misma capacidad.

mesma capacidade.

 

NM 49:2001

 
  • 4 Ejecución del ensayo

    • 4.1 Preparación de la muestra

      • 4.1.1 Recolectar la muestra de campo de acuerdo

con la NM 26 y reducirla para el ensayo de acuerdo

con la NM 27.

  • 4.1.2 Componer la muestra de ensayo, con alrededor

de 200 g, siempre que sea posible con el material húmedo con el fin de evitar la segregación de la fracción pulverulenta.

4.2

Reactivos

  • 4.2.1 Emplear agua destilada o desionizada.

  • 4.2.2 En la aplicación de esta Norma deben ser

utilizados los siguientes reactivos:

  • 4 Execução do ensaio

    • 4.1 Preparação da amostra

      • 4.1.1 Coletar a amostra de campo de acordo com a

NM 26 e reduzi-la para ensaio conforme NM 27.

  • 4.1.2 Formar a amostra de ensaio, com cerca de

200 g, sempre que possível com o material úmido a

fim de evitar a segregação da fração pulverulenta.

4.2

Reagentes

  • 4.2.1 Empregar água destilada ou deionizada.

  • 4.2.2 Na aplicação desta Norma devem ser utilizados

os seguintes reagentes:

  • a) hidróxido de sodio con 90% a 95% de pureza;

  • a) hidróxido de sódio com 90% a 95% de pureza;

  • b) ácido tánico p.a;

  • b) ácido tânico p.a;

  • c) alcohol, 95%;

  • c) álcool, 95%.

  • 4.3 Preparación de las soluciones

Preparar las soluciones con antelación y en cantidad suficiente para varios ensayos. Las soluciones debidamente identificadas, deben ser almacenadas en frascos de vidrio oscuro y en lugar protegido de la luz.

  • 4.3.1 Solución de hidróxido de sodio al 3%

    • 4.3 Preparo das soluções

Preparar as soluções com antecedência e em quantidade suficiente para vários ensaios. As soluções, devidamente identificadas, devem ser estocadas em frascos de vidro escuro e em local protegido da luz.

  • 4.3.1 Solução de hidróxido de sódio a 3%

  • - hidróxido de sodio …

...........

……

...

30 g;

  • - hidróxido de sódio

30 g;

  • - agua ..............

……………… ........

970 g.

  • - água

970 g.

  • 4.3.2 Solución patrón de ácido tánico al 2%

  • 4.3.2 Solução padrão de ácido tânico a 2%

  • - ácido tánico ……

....

....................

2 g;

 
  • - ácido tânico .................................

2 g;

  • - alcohol ……………

 

10

cm

3 ;

  • - álcool ..........................................

10 cm 3 ;

  • - agua ……………

90 cm 3 .

  • - água ...........................................

90 cm 3 .

  • 4.4 Procedimiento

    • 4.4.1 En un frasco erlenmeyer, agregar (200 ± 5) g

de agregado fino secado al aire y 100 cm 3 de la

solución de hidróxido de sodio, agitar vigorosamente y dejar en reposo durante (24 ± 2) h en ambiente oscuro.

  • 4.4.2 Finalizado el período de reposo, filtrar la

solución que estaba en contacto con el agregado fino, recogiéndola en tubo de Nessler, o en un tubo de ensayo, empleando papel de filtro.

  • 4.4 Procedimento

    • 4.4.1 Num frasco erlenmeyer, adicionar (200 ± 5) g

de agregado miúdo seco ao ar e 100 cm 3 da solução

de hidróxido de sódio, agitar vigorosamente e deixar em repouso durante (24 ± 2) h em ambiente escuro.

  • 4.4.2 Findo o período de repouso, filtrar a solução

que esteve em contato com o agregado miúdo, recolhendo-a em tubo Nessler, ou em um tubo de ensaio, empregando papel de filtro.

   
 

NM 49:2001

 

4.4.3 Simultáneamente al procedimiento descripto en 4.4.1, preparar una solución patrón, agregando a 97 cm 3 de la solución de hidróxido de sodio, 3 cm 3 de la solución de ácido tánico al 2%; agitar y dejar en reposo durante (24 ± 2) h en ambiente oscuro. Después de ese período, transferir la solución a otro tubo de Nessler o tubo de ensayo.

4.5 Evaluación del índice de color

Evaluar la cantidad de materia orgánica comparando el color de la solución obtenida según 4.4.2 con la de la solución patrón obtenida en 4.4.3; anotar si el color es más oscuro, más claro o igual al de la solución patrón.

5 Resultados

El informe del ensayo debe incluir la identificación de la muestra y la evaluación del índice de color de acuerdo con 4.5.

4.4.3 Simultaneamente ao procedimento descrito em 4.4.1, preparar uma solução padrão, adicionando a 97 cm 3 da solução de hidróxido de sódio, 3 cm 3 da solução de ácido tânico a 2%; agitar e deixar em repouso durante (24 ± 2) h em ambiente escuro. Após esse período, transferir a solução para outro tubo Nessler ou tubo de ensaio.

4.5 Avaliação do índice de cor

Avaliar a quantidade de matéria orgânica comparando a cor da solução obtida segundo 4.4.2 com a da solução padrão obtida em 4.4.3; anotar se a cor é mais escura, mais clara ou igual à da solução padrão.

5 Resultados

O relatório do ensaio deve incluir a identificação da amostra e a avaliação do índice de cor conforme 4.5.

 

NM 49:2001

 

ICS 91.100.20 Descriptores: agregado fino, impurezas orgánicas. Palavras chave: agregado miúdo, impurezas orgânicas. Número de Páginas: 03

 

NM 49:2001

 

NM 49:2001 (Projeto de Norma MERCOSUL 05:02-0123 e posteriormente NM 49:96)

Agregado miúdo – Determinação de impurezas orgânicas /

Agregado fino – Determinación de impurezas orgánicas

INFORME DAS ETAPAS DE ESTUDO

  • 1 INTRODUÇÃO

Esta Norma MERCOSUL estabelece o método de determinação colorimétrica de impurezas orgânicas em agregado miúdo destinado ao preparo do concreto. Este método não determina substâncias orgânicas como óleos, graxas e parafinas.

Esta Norma MERCOSUL foi elaborada pelo CSM 05 - Cimento e Concreto, fazendo parte da primeira etapa de harmonização de normas desse Comitê Setorial.

O texto-base do Anteprojeto de Norma MERCOSUL 05:02-0123 foi elaborado pelo Uruguai e do Anteprojeto de Revisão da NM 49:96 foi elaborado pelo Brasil.

  • 2 COMITÊ ESPECIALIZADO

Esta Norma foi elaborada pelo SCSM 02 - Agregados, do CSM 05 - Cimento e Concreto e a Secretaria Técnica do CSM 05 foi exercida pela ABNT.

Os membros ativos que participaram da elaboração deste documento foram:

ABNT - Associação Brasileira de Normas Técnicas INTN - Instituto Nacional de Tecnología y Normalización IRAM - Instituto Argentino de Normalización UNIT - Instituto Uruguaio de Normas Técnicas

  • 3 ANTECEDENTES

Associação Brasileira De Normas Técnicas NBR 7220/87 Agregados - Determinação de impurezas orgânicas húmicas em agregado miúdo – Método de ensaio.

Instituto Argentino de Normalización (IRAM) IRAM 1512-87 Agregado fino natural para hormigón de cemento pórtland.

Instituto Uruguaio de Normas Técnicas (UNIT) UNIT 49P-47 Determinación de impurezas orgánicas en arenas para hormigones.

American Society for Testing and Materials ASTM C 40 - 92 Standard Test Method for Organic Impurities in Fine Aggregates for Concrete.

Não existe Norma Internacional a respeito, de acordo com o documento consultado:

International Organization for Standardization (ISO). ISO Catalogue 2000, na homepage da ISO.

  • 4 CONSIDERAÇÕES

O texto-base do Anteprojeto de Norma MERCOSUL 05:02-0123 foi elaborado pelo Uruguai, tendo origem nas Normas: ASTM C 40 - 92, NBR 7220/87, IRAM 1512/87 e UNIT 49P - 47.

 

NM 49:2001

 

Foi enviado aos organismos de normalização dos países integrantes do MERCOSUL em 04/01/95, em apreciação, a nível de Comissão de Estudos.

Na etapa de apreciação, a primeira versão do Anteprojeto 05:02-0123 recebeu sugestões da Argentina e do Brasil que, tendo sido aceitas, foram incorporadas ao texto, gerando sua segunda versão, enviada para apreciação em 07/07/95. A segunda versão desse Anteprojeto recebeu sugestões da Argentina que foram aceitas e incorporadas ao texto, gerando sua terceira versão.

O Projeto de Norma 05:02-0123, já traduzido para o idioma português e devidamente adequado ao padrão de apresentação de Normas MERCOSUL, foi submetido a votação no âmbito do CSM 05, no período de 28/08/95 a 27/11/95, recebendo voto de aprovação sem restrições da ABNT (Brasil), bem como votos de aprovação com sugestões de forma do IRAM (Argentina) e do UNIT (Uruguai). O INTN (Paraguai) absteve-se de votar.

As sugestões recebidas na etapa de votação do Projeto foram analisadas e enviadas para conhecimento dos organismos de normalização dos quatro países, sendo aceitas por consenso.

O Projeto foi então enviado à AMN, conforme determina o Procedimento para Elaboração de Normas MERCOSUL, para editoração e aprovação como Norma MERCOSUL (NM 49) em março/1996.

Antes de vencer o prazo de cinco anos de vigência da Norma, a Secretaria Técnica do Comitê Setorial 05, exercida pela ABNT, elaborou um texto-base para revisão da NM 49:96 e o enviou aos Organismos Nacionais de Normalização dos Países Membros do MERCOSUL, como proposta brasileira, para apreciação no âmbito da Comissão de Estudos MERCOSUL.

Durante o período de apreciação, encerrado em 20/12/99, o Anteprojeto de Revisão da NM 49:96 recebeu sugestões de forma do IRAM. Após a necessária troca de correspondências para os esclarecimentos sobre as alterações propostas para o método de ensaio, o Anteprojeto foi aprovado para envio para votação no âmbito do CSM 05.

O Projeto de Revisão da NM 49:96 foi enviado para votação, no período de 01/09/00 a 30/11/00, recebendo votos de aprovação sem restrições da ABNT (Brasil) e do UNIT (Uruguai), bem como voto com sugestões de forma do IRAM (Argentina). O INTN (Paraguai) abstive-se de votar.

As sugestões recebidas na etapa de votação do Projeto foram analisadas e enviadas para conhecimento dos organismos de normalização dos quatro países.

O Projeto foi finalmente enviado à AMN, conforme determina o Procedimento para Elaboração de Normas MERCOSUL, para editoração, aprovação final e publicação como NM 49:2001 em 21/03/2001.