Вы находитесь на странице: 1из 8

0

CENTRO UNIVERSITÁRIO LA SALLE


BIBLIOTECA LA SALLE

POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO DE COLEÇÕES

CANOAS, 2005
1

SUMÁRIO

1 INTRODUÇÃO ........................................................................................................ 2
2 OBJETIVOS ............................................................................................................ 2
3 RESPONSABILIDADE PELA POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO DE
COLEÇÕES ............................................................................................................... 2
4 FORMAÇÃO DO ACERVO..................................................................................... 2
4.1 Critérios para seleção ........................................................................................ 2
4.2 Fontes para seleção ........................................................................................... 3
5 RESPONSABILIDADE PELA SELEÇÃO............................................................... 3
5.1Seleção qualitativa .............................................................................................. 3
5.2 Seleção quantitativa ........................................................................................... 3
6 PERIÓDICOS .......................................................................................................... 4
6.1 Critérios de inclusão ou cancelamento de títulos ........................................... 4
6.2 Jornais e revistas de caráter informativos....................................................... 4
7 PRODUÇÃO TÉCNICA E CIENTÍFICA .................................................................. 4
7.1 Produção de docentes ....................................................................................... 4
7.2 Produção de discentes ...................................................................................... 5
8 PRIORIDADES DE AQUISIÇÃO ............................................................................ 5
9 DOAÇÕES .............................................................................................................. 5
9.1 Livros, obras de referência e recursos audiovisuais ...................................... 5
9.2 Periódicos ........................................................................................................... 5
9.3 Tratamento do material doado .......................................................................... 5
10 PERMUTAS .......................................................................................................... 6
11 DESBASTAMENTO DE DOCUMENTOS ............................................................. 6
11.1 Remanejamento ................................................................................................ 6
11.2 Descarte ............................................................................................................ 6
11.2.1 Critérios para descarte de livros ...................................................................... 6
11.2.2 Critérios para descarte de periódicos .............................................................. 6
12 REPOSIÇÃO DE MATERIAL................................................................................ 7
13 AVALIAÇÃO DA COLEÇÃO ................................................................................ 7
REFERÊNCIAS.......................................................................................................... 7
2

POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO DE COLEÇÕES

1 INTRODUÇÃO

Esta política tem a finalidade de estabelecer critérios e responsabilidades para


o desenvolvimento e atualização do acervo, sendo que este documento terá validade
para o período de 2005-2008.
A cada 03 (três) anos, a política de desenvolvimento de coleções deverá ser
revisada, com a finalidade de garantir sua adequação à comunidade universitária,
aos objetivos da biblioteca e aos da própria instituição.

2 OBJETIVOS

♦ Permitir o crescimento racional e equilibrado do acervo nas áreas de


atuação da instituição;
♦ Identificar os materiais de informação adequados ao desenvolvimento da
coleção;
♦ Estabelecer prioridades de aquisição de material;
♦ Estabelecer critérios para a seleção;
♦ Determinar critérios para duplicação de títulos;
♦ Traçar diretrizes para o desbastamento (remanejamento/descarte) de
material;
♦ Nortear todos os procedimentos de desenvolvimento de coleções,
independentemente de quem o execute.

3 RESPONSABILIDADE PELA POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO DE


COLEÇÕES

A responsabilidade pela aplicação desta política é do setor de aquisição da


Biblioteca La Salle, em consonância com a Coordenação da Biblioteca.

4 FORMAÇÃO DO ACERVO

Deverá ser constituído de acordo com seus recursos orçamentários


contemplando os diversos tipos de materiais em seus vários suportes. Estes
materiais devem atender as seguintes finalidades:
♦ suprir os programas de ensino dos cursos de graduação e pós-graduação
do Unilasalle;
♦ dar apoio aos programas de pesquisa e extensão da instituição.

4.1 Critérios para seleção

Quanto à formação do acervo, os documentos devem ser selecionados


observando os seguintes critérios:
♦ número de usuários potenciais;
3

♦ adequação do material aos objetivos e nível educacional da instituição;


♦ relevância dos autores e/ou editores para a comunidade científica;
♦ edição atualizada;
♦ qualidade técnica;
♦ língua acessível;
♦ preço acessível;
♦ boas condições físicas dos materiais;
♦ escassez de material sobre o assunto no acervo da Biblioteca.

4.2 Fontes para seleção

Serão utilizadas as seguintes fontes:


♦ bibliografias especializadas;
♦ catálogos;
♦ sugestões dos usuários e bibliotecários.

5 RESPONSABILIDADE PELA SELEÇÃO

A responsabilidade pela seleção de documentos deverá seguir os critérios


descritos na seleção qualitativa e quantitativa.

5.1Seleção qualitativa

É de responsabilidade do corpo docente, a seleção dos itens que compõe a


bibliografia básica e complementar dos cursos de graduação e pós-graduação da
Instituição a serem incorporados ao acervo. Cabe ao corpo docente esta seleção,
visto que, estes são conhecedores da literatura nas suas respectivas áreas e podem
assim, selecionar criteriosamente o material a ser adquirido.
À Biblioteca cabe mantê-los informados sobre atualizações e lançamentos de
novas obras.

5.2 Seleção quantitativa

A responsabilidade pela seleção quantitativa é do setor de aquisição,


obedencendo as recomendações do Ministério da Educação e Secretaria de
Educação Superior. Quanto a:

♦ bibliografia básica nacional: serão adquiridos todos os títulos das


bibliografias básicas de cada disciplina, sendo que o número de
exemplares será de 01 (um) exemplar para cada 15 (quinze) alunos (em
conformidade com o documento do MEC1). O número de alunos deverá
ser discriminado no formulário de solicitação de material bibliográfico. A
seleção de periódicos está descrita no item 6.
♦ bibliografia básica importada: os livros importados serão adquiridos
quando não existir uma adequada tradução em português. Nesse caso o
1
BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Superior. Manual de verificação in loco
das condições institucionais: credenciamento de instituições não universitárias; Autorização
de Cursos Superiores (ensino presencial e a distância). Brasília: MEC, 2002. Disponível em:
www.mec.gov.br. Acesso em: 28 de set. 2005.
4

livro-básico não será adquirido na mesma proporção do livro-básico


nacional. Será adquirido apenas um exemplar de cada título. Tal restrição
faz-se necessária em virtude do pequeno número de usuários que acessa
documentos escritos em outros idiomas.
♦ bibliografia complementar: será adquirido somente 01 (um) exemplar
desse material, exceto nos casos em que haja demanda, ou por
solicitação expressa efetuada pelos solicitantes que justifiquem a
necessidade de um número maior de exemplares.

6 PERIÓDICOS

A cada ano, a Biblioteca realizará uma avaliação nas estatísticas de uso dos
periódicos correntes, com o objetivo de colher subsídios para tomada de decisão nas
renovações dos mesmos. A listagem dos títulos com seu respectivo uso será
encaminhada as coordenações de cursos, com o intuito de realizar:
♦ cancelamento de títulos que já não atendem suas necessidades;
♦ inclusão de novos títulos para o desenvolvimento do conteúdo pragmático
e/ou atualização;
♦ manutenção dos títulos já adquiridos.

6.1 Critérios de inclusão ou cancelamento de títulos

♦ Inclusão: quando houver implantação de novos cursos ou alteração de


currículo;
♦ Cancelamento: quando não mais existir interesse no título pelo curso, por
motivos devidamente justificados, baixa utilização comprovada por
estatística;
OBS: No caso de cancelamento e/ou inclusão de títulos deverá ser enviado à
Biblioteca, correspondência interna pelo solicitante.

6.2 Jornais e revistas de caráter informativos

Serão adquiridos jornais diários (local, estadual e nacional), e revistas de


caráter informativo .

7 PRODUÇÃO TÉCNICA E CIENTÍFICA

Será incorporado ao acervo a produção técnica-científica do corpo docente e


discente da Instituição.

7.1 Produção de docentes

Serão incluídos toda e qualquer publicação de autoria de professores que


compõe o quadro docente da Instituição.
5

7.2 Produção de discentes

Serão incluídos ao acervo somente Trabalhos de Conclusão de Curso com


conceito de 9 a 10, e que estejam normatizados conforme o “Manual de
apresentação de trabalhos acadêmicos: graduação e pós-graduação”2.

8 PRIORIDADES DE AQUISIÇÃO

♦ Bibliografia básica e complementar de livros e obras de referência para os


cursos de graduação e pós-graduação em fase de reconhecimento,
credenciamento; recredenciamento ou implantação;
♦ Periódicos de referência;
♦ Assinaturas de periódicos, cujos títulos fazem parte da lista básica,
conforme indicação dos docentes e que tenham uma boa avaliação pelo
Qualis3.

9 DOAÇÕES

Os critérios de seleção nesta modalidade servem como parâmetros para


doações espontâneas e doações recebidas como pagamento de multas.

9.1 Livros, obras de referência e recursos audiovisuais

♦ Bom estado físico do documento;


♦ Relevância do conteúdo do documento para à comunidade universitária;
♦ Atualização do tema abordado no documento.

9.2 Periódicos

♦ Em caso de existência do título na Biblioteca, serão aceitos para completar


coleção;
♦ Em caso de não existência do título na Biblioteca, serão aceitos somente
aqueles cujo conteúdo seja adequado aos interesses da comunidade
universitária e que tenha um bom número de fascículos.

9.3 Tratamento do material doado

A Biblioteca pode dispor das doações recebidas da seguinte maneira:


♦ Incorporá-las ao acervo;
♦ Doá-las e/ou permutá-las com outras instituições;
♦ Descartá-las.

2
Publicação do Centro Universitário La Salle BACK, João Miguel. Manual para apresentação de
trabalhos acadêmicos: graduação e pós-graduação. 2. ed. Canoas, RS: Salles, 2004.
3
Qualis é o resultado do processo de classificação dos veículos utilizados pelos programas de pós-
graduação para a divulgação da produção intelectual de seus docentes e alunos. Tal processo foi
concebido pela Capes para atender a necessidades específicas do sistema de avaliação e baseia-se
nas informações fornecidas pelos programas pelo Coleta de Dados.
6

10 PERMUTAS

A Biblioteca utiliza esta modalidade somente para periódicos. Deverão fazer


parte do acervo títulos cujas áreas contemplem os cursos oferecidos pela Instituição.

11 DESBASTAMENTO DE DOCUMENTOS

Desbastamento é o processo pelo qual se retira do acervo ativo, títulos e/ou


exemplares, partes de coleções, quer para remanejamento ou para descarte. Deve
ser um processo contínuo e sistemático, para manter a qualidade da coleção. O
desbastamento deverá ser feito em parceria com docentes/especialistas e
bibliotecários.

11.1 Remanejamento

O remanejamento consiste em retirar obras do acervo ativo e armazenar em


depósito (da Biblioteca), o objetivo do remanejamento é de abrir espaço para
materiais novos.

11.2 Descarte

Processo mediante o qual o material bibliográfico, após ser avaliado, é retirado


do acervo ativo, possibilitando economia de espaço. Este material será doado a
outras instituições.

11.2.1 Critérios para descarte de livros

♦ Inadequação: obras em que os conteúdos não interessam a instituição,


incorporadas ao acervo anteriormente sem uma seleção prévia;
♦ Desatualização: obras em que os conteúdos já foram superados por novas
edições. Deve ser levada em consideração a área de conhecimento a que
se refere a obra;
♦ Condições físicas (sujas, infectadas, deterioradas ou rasgadas): após
análise do conteúdo e relevância da obra, esta deverá ser recuperada se for
considerada de valor e não disponível no mercado para substituição.
Havendo possibilidade de substituição com custo inferior da recuperação do
material, será feita a aquisição e o material descartado.
♦ Números de exemplares/duplicatas: títulos que não tiveram empréstimos
nos últimos 5 anos deverão ter o número de exemplares reduzidos para
somente 1 exemplar, os demais serão doados para outras instituições
conforme o item 6.2.

11.2.2 Critérios para descarte de periódicos

♦ Coleções não correntes e que não apresentem demanda;


♦ Periódicos de divulgação geral e/ou de interesse temporário;
♦ Periódicos recebidos em duplicata.
7

12 REPOSIÇÃO DE MATERIAL

Os materiais desaparecidos não serão repostos automaticamente. A reposição


será baseada na demanda, importância e valor do título.

13 AVALIAÇÃO DA COLEÇÃO

A Biblioteca deverá proceder a avaliação da coleção anualmente, obedecendo


os critérios dos itens 5.1 e 5.2.

REFERÊNCIAS

FIGUEIREDO, Nice Menezes de. Desenvolvimento & avaliação de coleções.


2.ed. rev. e atual. Rio de Janeiro: Thesaurus, 1998.

FUNDAÇÃO ESCOLA DE SOCIOLOGIA E POLÍTICA DE SÃO PAULO. Política de


desenvolvimento de coleções da Fundação Escola de Sociologia e Política de
São Paulo. São Paulo: FESSP, 2002. Disponível em: <
http://www.fespsp.com.br/biblioteca/index.htm>. Acesso em: 29 set. 2005.

UNIVERSIDADE DO OESTE PAULISTA. Política de desenvolvimento de


coleções da Universidade do Oeste Paulista. São Paulo: Unoeste, 2001.
Sisponível em: <http://www.unoeste.br/site/interna.asp?url=biblioteca/biblioteca.
asp>. Acesso em: 29 set. 2005.

UNIVERSIDADE FERERAL DO RIO GRANDE DO SUL. Escola de Engenharia.


Políticas da biblioteca: desenvolvimento de coleções. Porto Alegre, UFRGS, 2004.
Disponível em: http://www.biblioteca.eng.ufrgs.br. Acesso em: 29 set. 2005.