Вы находитесь на странице: 1из 13

Absolutismo - S i s t ema de ' g o verno em

q ue o poder

absol ut o . A mais conhecida forma de absolutismo é a das monarquias eu-

r opeias dos séculos XVII e XV I II . Uma

dessas monarquias absolut i stas foi a do re i francês Luís XIV (1661-1715), conhecido como "Rei Sol", que che- gou a afirmar: " O Estado sou eu". Nas mon a rq u ias abs o lutistas, o po d er dos reis e ra limitado apenas pe l os cos t u- mes (direito consuetudinário) e pe l as leis divinas.

Aceitação social - É o cumprimento

do s g overnan te s é quase

p o r parte das pessoas de determinadas

regras, normas e padrões de compor- tam ent o prati ca das pe l o g r up o socia l

a qu e pertencem . Pode ser também o

grau de prestíg i o so c ial de uma pes- soa na so ciedade , o u seja , como ela é

" aceita " pelo s out r os .

Acomodação - Processo social pelo qual uma pessoa ou um grupo de pessoas se ajustam a uma si tu ação de co n fl i t o, s em que tenham sofrido transf o rma ç ões i nternas. É quando as partes chegam a um acordo tempor á -

rio , mas as causas q ue deram o r igem

ao conflito não estão reso l vidas .

Aculturação - Conjunto de mudan -

ças que oc o rre m na cu lt ura de u m grupo c olocado em contato com ou -

t

é u t ili z ada es pecialmente n o s ca s os em que e ss a s mudan ças ocor r em n a cultura de uma popula ç ão do m inada por im po s i ç ão de se u s dominadores , em vi rtude de uma conqui s ta obti-

da por me i o d a violência .

desde a colon i zação os índ i o s v êm

passando p or proce ss os d e ac ultura-

ç ão, p e lo s q u ais s ã o le vad o s a a ssi -

r o de cultura

diferente.

A pa l avra

No Brasil ,

Adaptação - Conjunto de mod i ficações

que um a pessoa, ou um g rupo de pes - soas, expe r imenta para se ajustar ao ambiente social . É também um proces -

s o b i ológico pelo qual o organismo s e adapta ao meio físic o .

Agregação.- Reunião de individuos em uma f orma social mai s ou m en os está- vel; a s s ociação; ag r u pame nt o físico .

Agregado social- É um ti p o de agru-

pamento s ocial não - homogêneo, frou -

x amente aglomerado .

Ajustamento social - P r ocesso social

que t ende a estabelecer r e l ações de equ i líbrio e n tre pessoas, e nt re grupos ou e nt re e l eme nt os de uma cu l tura.

São processos de ajustamento a acul - turação , a acomodação , a assimilação

e a s ocia l iza ç ão .

Alienação - S i tua ç ã o ca r acterizada por algum t i po de separa ç ão ou fragmen- tação . Em P sic o logia, a expressão é util i z ada como s in ón i mo de perd a da ident i dade individual , que se mani - festa na separ a ção entre o individuo e

a realidade. Em Sociologia , o conce i to

de a l iena ç ão foi est u dad o pa r tic u lar - mente p or K ar l Ma rx . Segundo este , no sistema capitalista o tr aba l hador se s e p ara do objeto que ajudou a fa -

b r icar . E s se obje t o se transforma em

me r cad o ri a e , um a v ez no mercado ,

pas s a a d ominar o t raba l hador . Des s a forma, e st e se al i ena d a qui l o qu e pro- duziu . A alienação su rge , assim, em um determinado momento do proces - so d e desenvo lvi mento histórico das

socie d ades huma n as . E la se manifes - ta também s o b a forma de perda de

consciê n ci a e de afa st ame n to do ser

h uman o da s a t iv idade s com uni tárias

Anarquia - Ausência de Estado. Para os

adep tos do a n a rqui smo (veja a seguir),

a anarq u ia é um objetivo a se r alcança -

do, uma situação ideal na q u al o Esta -

do e a divi s ão da sociedade em cla s ses antagõnicas dei x a m de e x is t ir. Para os grupos conser v adores, anarquia é sinô- nimo d e desor d e m e conf u são na socie -

dade . F oi com es te ú l timo s en t id o q ue

a pal a vra se incorporou ao vocabulá r io cotidiano .

Anarquismo - Doutrina que preco n iz a

a cr i ação de uma sociedade sem c la s-

s es e sem qua l quer tipo de Es t ado e

na q u a l os individuos viveriam livre - me n te. A soc i e d a d e anárquic a , ou anar -

quis t a' se realizar i a por meio de um elevado nível de consciência social de todos o s indi v iduos , j á que o an ar -

quismo , com o doutrina , não signi f i c a

a d e sorganização total da sociedade .

A ncien régi m e - E x pressão france s a

q ue s ig n i fic a "a nti go reg i me". Foi cria -

da dura n te

1 789 para designar o regime po l ítico

a Revo lu ção Fran c esa de

anter i or, o abso l utismo monárquico,

derrubado p o r aquela revoluçã o.

Animismo - Teoria s egundo a qual a natureza é regida por almas ou espí - ritos. Segundo o animismo, todas a s

coisa s animada s o u inan i m adas são dotadas de a l ma. O animismo s urgiu nas sociedades primiti v as como pri-

meira tentati v a de e x pl i car os fen ô -

m e no s da natureza e d e apro x imar- se

do sagrado . Estaria , a ss im , n a origem

d a religião.

Anomia - E t i mo logicament e, anomia

s

leis. E m Soci o logia , designa situa ç õe s

na s quais mui t as pe ss oas vio la m a s

de reg r as ou de

ignifica ausênc i a

m

i lar asp ectos da c u ltu r a i n tr odu zi -

para enc e rr ar - s e e m si mesm o, ab an -

n

o rmas ger a lmente ac e itas pelo grupo

da pe l o s e uropeus.

d

onand o a açã o po lít i c a.

e

se comportam de fo r ma a n ômala , e m

277

DICIONÁRIO BÁSICO DE SOCIOLOGIA

c lar o desrespeito à conduta considera -

d a "n o rmal" pel a soc i edade . T rata-se de um estado de desorganização que pode a t ingir uma pessoa ou um grupo inteir o.

Antropocentrismo - Doutrina segun-

do a q ual o ser humano é o centr o do universo .

Antropologia - Ciênc i a social que es-

tuda as manifestações

culturais dos

g

r upos humanos, assim como a o r igem

e

a evolução das culturas . São objeto

de e studo da Antropologia a organi-

za ção fami l i ar , as r e ligiões, a ma g ia ,

o s ritos de i niciação dos jovens, o ca -

samento, etc . A palavra antropologia

-

do greg o anitopos, homem, elogia,

e

stud o - significa etimol o gicamente

c

iência do homem . Di v ide - se em An-

tr opolo g ia Física , A ntropol o g i a Cultu-

ral e A ntropologia Filosófica.

Ap a rthe i d - Regime segregacionista imp o sto pel o governo de minoria bran-

ca da Áfr i ca do Sul d ur ante o periodo de 1 9 48 a 1 991 . Esse regime estabe-

le c ia uma s é r ie de restr i ções à popu -

lação d e m ai or i a negra em r elação

t r a balho ,

ca s a ment o .

Área cultural - É a reqiao e m qu e

moradia, c o nvívio social e

a

predominam determinados complexos

cu

l tu ra is, determinados padrões de

cu

ltu r a , que lhe conferem caracte-

r

isticas próp ri as, diferenciando-a das

demais.

Aristocracia - Sistema politico em que

o gove r no é exercido por poucas pes-

soa s , geralm e nte da n o breza, classe so-

ci a l c uj os p r iv i lég i os são transmitidos

hereditar i amente . A palavra também é

u s ada como sin ôn imo de nobreza.

Arraigado - Diz-se de algo q ue está enraiz a do , consolidado . Costumes a r -

r

a ig ados , por exemplo , são costumes

c

o nsa g ra d os p ela tradição e praticados

p

o r suc e ssivas gerações .

Ascensão social - É quando o indiví-

duo melho r a sua posi ç ão no sistema

de e s tra ti fi ca ç ã o social, passando a in-

te gr ar um grupo de situação superio r

à de seu grupo anterior.

Assimilação - Processo social que d á

implica em mod i fica ç ões internas no

in

geralmen t e inconscien t es e involun- tárias . É uma forma inter i orizada de

solução de um con f lito.

Associação - For m a básica de inte- gração social . É o conjunt o de ações recíp r ocas , po r meio das quais os in- divíduos estabelecem relações dura - douras e se associ a m, aproximando-se uns dos outros e esta b elecendo laços

d ivídu o

o u n o grupo , sendo es t as

de ligação entre si.

Automação - É a intr o dução da robó-

tica e de s i stemas de computadores

para a realização de tarefas repetiti v as antes desempenhadas por trabalhado-

res . Pode ocorrer em qualquer setor da

ec o nomia de uma sociedade . Também

chamada de automatização .

Autoridade - Num p lano abstrato,

é a capa c idade de um a pessoa se fa-

zer obedecer p o r outras sem precisar

apelar para a força f ís ica . Do ponto de

vi s ta político, é a pe s soa, ou o gr u po,

que detém a pre r rog a tiva de mandar

e

se fazer obedecer . Pode ser também

o

representante do poder público que

tem por finalidade fazer respeitar as

n o rm a s e leis de um Estado ou de uma comun i dade .

Balança comercial - R e lação entre o

valor das exportaçõ e s e o das importa-

ções de um país. Q uando as e x por t ações

superam as impo r tações, diz - se que há um superávit na balança comercial . Quando as importações são maiores em

v alo r do que a s e x p o rtações , diz-se que

há um déficit na balança comercial .

Barreira social - É todo t r aço cultura l capa z de dificultar ou impedir mudan -

ça s na sociedade ou a ascensão social

de um grupo, bloque a ndo assim a mo-

b il idade social v er t i c al . A barreira so -

cial se verifica p o r meio de obstáculos

e resistência s. O bstáculos são barreiras

oriundas d a pró p ri a estrutura s o cial,

que d i ficultam ou impedem a mobili- dade s ocial . Resistências são a tuações

conscien t es e deliberadas para imped i r

a mudan ç a so c ial .

Bens - São todas as coisas palpáveis,

concretas, produzidas (ou retiradas da natureza) por meio do trabalho para

s

o lução de f ini t i v a e tranqu i l a a um

satisfaze r necessidades humanas .

con f lito social . É pela assimilação que se suspendem os conflitos . Trata-se

Boicote - Sanção social imposta por de- termin a dos grupos em relação a certos

d

e u m processo de ajustamento pelo

fatos o u bens . N os últimos anos do re-

q

ual in d ivíduos ou grupos diferentes

gime de apartheid na Á fr i ca do Sul, al-

ornam-se mai s semelhantes . Difere da acomodação na medida em que

t

guns paises e in s tituições estabelece- ram o boicote econômico daquele país

com o objetivo de levá-lo a extinguir

o apartheid.

Bolchevismo - Doutri n a politica de - fendida po r socialistas revolucionários russos no começo século XX e que pre- conizava a tomada do poder por meio de uma ins u rreição armada . Seu prin- cipal lider era Vladimir llitch Lenin . Essa doutrina tinha por instrumento

o Partido Bolchevique, que liderou a

Revolução Russa de outubro de 1917 .

Bolsa de Valores - Instituição públi- ca ou pr i vada , destinada a operar com ações de empresas, fundos públicos e

o utros títulos de crédito. Ações são

papéis que representam frações do capita l d e uma empresa . Elas são ne -

gociadas na Bolsa de Valores e seus preços variam constan t emente. Uma

empresa de capital aberto, ou seja,

c

ujas ações são negociadas na Bolsa,

é

controlada pela s pessoas que detêm

o

maior número de ações.

Burguesia - Classe social que surg i u n a Europa ocidental com o advento do ca-

pitalismo comercial , no periodo final

da Idade Média . Atualmente o termo

é utilizado para designar empresários,

banqueiros

de burguesia) . É a classe social pro-

p r ietár i a dos meios de produção e que

e mprega trabalhadores assalariados.

e outros capitalistas (gran-

Burocracia - É o conjunto dos funcio- nários públicos de um Estado, adminis- tradores da coisa públ i ca . A burocracia está sujeita a uma hierarquia, a regula-

mentos rígidos e a uma rotina inflexí- vel . Tem influência importante nos ru- mos adotados por um Estado ou país.

Camada social - O mesmo que estrato

social . É constituída por um grupo so - cial mais ou menos homogêneo, cujos

integrantes desempenham funções so - ciais semelhantes e têm a mesma renda

em uma sociedade hierarquicamente estruturada . São formas históricas de camada social as castas, os es t amentos

e as classes sociais.

Capital - É todo bem, ou conjunto de

bens, capaz de produzir outros bens.

Só é capital aquilo que, em combina- ção com o trabalho humano, produz

r iqueza . Por exemplo, com uma peça

de tecido, tesouras , linha, algumas máquinas de costurar e alguns traba- lhadores, podemos produzir peças de roupa que serão vendidas no mercado . Nesse caso , tanto o tecido como as máquinas, a linha e o salário pago aos trabalhadores fazem parte do capital ,

pois s ã o b e ns qu e criaram outros bens. Capi tal é uma re la ção socia l de produ-

ção . P o d e to m ar a forma d e di n h e iro ou d e ben s , m a s par a qu e possa p ro du-

z i r ne c essi t a do tra ba l ho human o.

Capitalismo - Modo d e p r o duç ão ba sea- do na propriedade privada d os meios

de produção e distribuição,

tência de um mercado ond e ocorre a livre co ncorrên cia entre as empresas, na pro c ura do l uc ro pe l o emp resário e trab a l ho assa lar iad o . O ca pitalis m o

no

só p o de ex i st i r, p orta n to , on d e exis-

t am capital, mer ca do e t ra b a l ho l ivre.

na exis -

Carisma - Conjunto de qual i dades ex-

cepc i ona i s atr i buídas

li d erança carismá t ica é aq u ela qu e se

base ia em certos d ons, rea is o u i m ag i-

n ár ios, a t ribu ídos a o l íde r .

a um líder. A

Casta social - Gru po socia l f ec h ado, endógamo , cujos membro s seguem tradici o nalmente uma d eterminada prof i ssão herdada do pai. É uma f orma

de estratif i cação soc i al rig id a, geral-

m e nte de f un d o re lig i oso .

Choque cultural - Co nfl i t o cu l tu r a l

resu l ta n te do encontro d e d u as

ou

mais culturas diferentes

e capaz

de

desintegrar uma delas ou grande par -

te das culturas e m contato.

Cibercultura - Novo tipo d e cul t ura,

na scid o da co mbin ação

ciab i lidade na c ha mada "comunidad e interativa" pós -m oderna e os avanços

da microeletrônica.

en tre

a so-

Ciberespaço - E xpressão que designa

o espaço virtual criado p ela internet

para a "nav e gação", o con h ec i me nt o

e a co municaçã o . Es se es paço vi rtual

é fo rmado pe l o c onjun t o de u s u á ri o s cone ct ados à re d e m und ial d e com p u - tadores e abarca a s chamadas "co m u - nidades virtuais" ou eletrôn i cas .

Cibernética - Ciê n cia q u e es tu da a co -

m u nicação e o sis t ema d e c o nt r o le das má quin as, focal i zan do p r incipalm e nte os c om p u tado r es.

Cidadania - Conj un to d e atributo s pe - los quais o individuo torna - se cida d ão , passando a exerce r seus di re itos civis

e polít i cos, assim como a a ssumir se u s

dev eres e o b rig aç ões dian te d o E sta d o

e d a soc ied a de.

Clã - É o co n j unt o d e famílias q ue

tê m

ou p r es u mem te r u m an ce s tral com um .

O c l ã t o t êmico é a q u e l e c u jos mem b ros

compartilham

ou objet o c onsiderado sag r ado e do qual certos gru p os pri m it i vos to m a m

o mesmo to t e m (anima l

o nome, levados pela crença de que há

um laço mágico q u e une os integran- tes da t r i bo ao to t em).

Classe social - Grup o relativ a m en t e

ho m o g ên eo d e p ess oas q u e de se m pe-

nham o m esmo pape l n o

produção ou de circulação das rique -

zas, tê m profissões assemelhadas e

pr ocesso de

re l a ci o na m-se da mesma for m a com o

sis t e ma de pro p ri e dade do s me io s d e

pro

du ç ã o em uma soc ie da de . No m o do

de

produ çã o capit a l is t a, por e x emplo,

a

cl as se operá ri a reúne nã o apenas

cate go r ia s pr o fi s s i onais co m o a dos

me t al ú rgicos o u a dos têx t e is , ou mes - mo o conj u nto dos trabalhadores i n- dustri a is, mas ab range ta m bém os

assal a r i a d os q ue traba lh a m em tra ns- port e ( ferrov i ári os , p or e x emp l o) e

t rab alh ad o res d e c e r tos serv iço s, como

os por t uários. E s s es t r aba lha d o res não

t êm uma relação de propri ed a de com os meios de produção. Já a c lass e b u rgue - -

sa , ou capitalista, é forma d a pe l o s d e -

e n t o res da propriedade do s mei os de

p rod u ção e de circ u laç ã o das riqu e za s .

t

Coerção social - O mes mo que pr essão

de u m g r u po

soc i al . A çã o p e r s i stente

q u e leva o i n divi d uo a co mp ort a r - se

de determinada maneira , sob pena d e

sofrer sa n ções soci a is.

Colonização - Pr ocesso d e co n quis t a,

oc upaç ã o e ex p lora ç ão e con ô mi ca

p o lític a d e no v as áre a s geogr á f i ca s.

e

A pa rti r d essa ação, es tabel ece-se

DICIONÁRIO BÁSICO DE SOCIOLOGIA

Comunicação - É o pro c esso pelo q u al se in ic iam e se desenvolv e m a s re l a- ções h u m anas. A tr a nsm iss ão d e ideias e s entim e nto s de indi vi du o para indi-

viduo po r meio da co municação to r n a possíve l a i nt e raçã o social .

Comunidade - , É um grupo ou conjun - to d e grupos soc ia is q u e o c u p a m uma

área rel ativ a me n t e peq uen a, g e o g ra-

fi

c ame nt e del i mitada , cujos m e mbr os

e

s tão lig a dos en t r e s i po r laços de s an -

g

ue e mantêm a mesma herança cul t u -

ra l e hi stórica.

Comunismo - P a ra os t eóricos m arxis -

t a s, o c omun i s m o corr e sp ond e a uma

etapa p os te rior a o soci a lis m o. No co -

muni s mo , se gun d o eles, a c a b ar i a m as

c lasses e as diferenç as s ociais ent r e a s

pessoas, p o r que todo s te ri am tudo e m

e o E s tad o d eixar ia d e e xis -

t ir . É o s i ste m a econô m ic o e soc i al

com um,

que visa a estab e lecer a com un h ã o de

b

ens , c om a abo li ção d o dir e ito de pro -

p

rie d a d e e a ex tin çã o d as c l ass e s so -

ciais e do E stado (leia ma is no v e rb e te marxismo desta seção e na biograf ia

de Karl M ar x na se ç ão Grandes mestres

das Ciências Sociais).

Conciliação - Pro c esso social que ocor - re q uan do grup o s soc ia is o u pesso a s

e m de sarmo n ia c he gam a um acordo

de co n v i vê nc i a, a u m co nsenso.

Conflito - Processo so c i a l que decor r e

p o r ben s e s cass o s em u ma

da disp u ta

u

m a re l ação de depen d ênci a

e n tr e o s

s

o c ied a d e, quan d o os i n div ídu os ou

p

aíses dominantes (metrópo l es) e a s

gr up os proc u ram derrot a r

o ut ros de

regiões conquis t adas (co l ônias), pe l a

ua l a eco n om ia das c olôni a s passa a

ser su bs idi ár i a à das m et rópol es . Por

e ss e m e c an i s mo de d e pendência, as

c o lôni a s ex p or ta m para as me tr ó p o- les pr od ut os p ri mários ( min erais e produ to s agr o p ec uá r ios) e impo rt am delas bens ind u s t rializados.

q

Competição - É o processo so c ia l pelo

qua l p esso a s e g rup o s p r oc ur a m, na luta pel a v ida, apoderar-se de bens ou

d

e posi ç ões s ociai s es cassas , ou s eja,

q

u e e x i ste m e m quant id ade in s ufi -

c

ie n t e para sati s fazer às ne cess idade s

de

to d os. E l a é inconscien t e, i mpessoal

e per m a n ente - d i f eren te do con f lito,

qu e é co n scie n te, pessoal ( e, p or t a nt o,

e mo c iona l ) e i nte r m i t en te.

Complexo cultural - Combinação de

tr a ços c ulturais em to rn o de u m a a ti -

vida d e bás i ca.

Comuna - Co mun idade l oc al , urbana

ou rura l , com r el ativa au t o n o mia

mi

n i str ativ a .

a d-

f orma c onscien te e pessoa l .

Concentração de renda - Fen ô m e n o

p e la desigual di s -

tribuição da renda nacional , de modo

que se ca r ac t e riza

q

ue pou c a s pessoa s fi ca m c o m u ma

p

ar te r e la ti va me n t e gran de d a rend a,

e

nq uan to a m a io ria da po pu l a ção re-

c

ebe a me n or p a r t e.

Consciência coletiva - É o sen t im e n-

t o de id e ntidade cultu ral e emoc ion al

qu e abrange todos os individuos que

integram um grupo social . É o s e nti -

mento de p er t en cime n t o a um g r up o

ou col e tivi da de.

Consciência de classe - É a per c ep -

ção qu e u m indi v id uo o u gru po t e m

d e sua situ açã o de c l asse num a s o c i e - dade dividida em clas s e s sociai s .

Conservantismo - A titude con tr á r i a à

mu dan ça soc ial . O m e sm o que con ser -

v a dor i smo .

Constituição - O u Car t a Ma g na . C on-

d e um

junto

d e l ei s fu n d a m e nta i s

DIC I ONÁR I OBÁSICODE SOCIOLOGI A

país, com normas e regulamentos que

no r teiam a ação dos poderes públicos, assim como os direitos e deveres das pessoas que integram a população desse país .

Consumo - Uma das quatro atividades

econômicas básicas do ser humano . É

a fase final do processo econômico.

Para alguns, o c onsumo é a distribui- ção de bens para a satisfação de ne- cessidades humanas; para outros, é o emprego da riqueza disponível .

Contato cultural - Relação que indi-

viduos ou grupos culturais diferentes estabelecem, determinando, muitas vezes, aculturação. conflitos ou mu- danças .

social - É a base da vida so-

ocorra

a

primeira forma de interação social ,

quanto duas ou mais pessoas entram

qualquer associação humana .

cial , o passo inicial para que

Contato

É

em relação direta. Os contatos sociais podem ser primários - aqueles que

se dão diret a mente, de forma espon-

tânea, como a relação entre pessoas

da mesma família - e secundários, que

são os contatos formais, estabelecidos

de forma calculada.

Contracultura - Cultura alternativa, cultura marginal , underground. Forma de manifestação cultural em oposição aos valores tradicionaís estabelecidos pela sociedade . Movimento de pessoas que se opõem radicalmente a determi- nados valores considerados importantes numa sociedade, como o patriotismo, o trabalho obrigató r io, a acumulação de riquezas, a ascensão social , etc .

Controle social - São as formas pelas quais a sociedade impõe os valores do grupo a seus membros, de modo

a evitar que adotem comportamento

divergente. O controle social funciona como um importante instrumento de socialização .

Cooperação - É a forma de interação social na qual diferentes pessoas, gru- pos ou comunidades trabalham juntos para alcançar fins determinados .

Corporação - Or ganização social que reúne patrões e empregados em tor -

no dos mesmos objetivos e interesses .

A palavra é também utilizada para

designar entidades profissionaís que atuam em defesa de seus interesses e privilégios em det r imento do interesse

públic o. Corporações de ofício foram

as ass o ciações de artesãos durante a

I dade Média na Europa ocidental .

280

Corporativismo - Sistema social que

divide a sociedade segundo os gru- pos profissionais que dela participam, reunindo sindicatos de patrões e de empregados de uma categoria profis- sional , ou de diversas categorias pro- fissionais, sob a mesma associação .

Como proposta de organização social ,

o corporativismo foi idealizado por

correntes políticas de direita, como

o fascismo , com o objetivo de colocar

um fim na luta de classes entre pa-

trões e empregados. Constituiu a base

do Estado na Itália sob o regime fas-

cista (1922 - 1945) .

Costume - É um padrão de comporta- mento criado pela tradição e sancio- nado (aprovado) pela sociedade que o adota .

Crescimento econômico - Aumento

da

produção e da circulação da rique-

za

de um país; processo de expansão

quantitativa do produto e da renda .

Crime - -Transqressão de um preceito

legal; infração da lei ou das regras moraís de uma sociedade.

Crise - Situação caracterizada por con- flitos institucionais, com consequente

perda de confiança da população nas autoridades e nas instituiçôes vigen- tes. A crise pode começar pela ação perturbadora de grupos insatisfeitos com o lugar que ocupam na sociedade

e pode resultar numa ruptura ou alte- ração da ordem social .

Cultura de folk - É a cultura dos gru- pos iletrados. Trata-se de um conceito utilizado pela Antropologia Cultural para designar o sistema de crenças e valores das sociedades maís ou menos isoladas, de caráter predominante- mente rural e que se caracterizam por

uma cultura basicamente oral .

Cultura erudita ou cultura de elite

- É a cultura (entendida, neste caso, como conjunto de conhecimentos) que

se adquire de maneira organizada e for-

mal , por meio de escolas e livros , ou

aínda dos meios de comunicação - jor- nais, revistas, televisão, rádio, cinema .

Cultura popular - Conjunto de cren -

ças, valores, práticas, objetos mate- riais e tradições criado pelas carriadas

mais baíxas da sociedade de forma espontânea e sem a intermediação di- retamente visível da cultura erudita . Apesar dessa espontaneidade, contu- do, podemos encontrar elementos da

cultura popular que são resultado da

apropriação e recriação em outro con-

texto de aspectos da cultura erudita. É a chamada cultura espontânea, maís próxima do senso comum, transmitida quase sempre oralmente . Da mesma forma que a cultura erudita, a cultura popular alcança formas artísticas ex- pressivas e significativas.

Cultura de massa - Conjunto de ma-

nifestações culturais que não está ligado a nenhum grupo social espe-

cífico, pois é transmitido em grande escala para um público formado por diferentes camadas socioeconômicas,

por intermédio dos meios de comuni- cação de massa . Surge daí a indústria cultural . A televisão é um dos prin- cipaís veículos de difusão da cultura de massa .

Democracia - Sistema político no

qual a soberania emana do povo, isto

é, do conjunto dos cidadãos, que po-

dem exercer o governo diretamente, como na Grécia Antiga (democracia

direta) ou por meio de representan- tes livremente escolhidos de forma periódica (democracia representativa moderna) . A democracia moderna se caracteriza também pelo respeito às liberdades individuais e coletivas, pelo respeito aos direitos humanos,

pela

três poderes (Executivo, Legislativo

e Judiciário), pela igualdade de to-

divisão do poder do Estado em

dos perante a lei e pela existência de formas de controle das autoridades pelos éidadãos.

Demora cultural - Situação que re-

sulta do crescimento desigual dos di- versos setores da cultura. A demora cultural se verifica quando ocorrem diferenças no ritmo com que se desen- volvem os diversos aspectos da cultura (material e não-material), criando-se desajustamentos.

Desajustamento social - Desadap-

tação de um ou mais indivíduos, ou

mesmo de grupos inteiros, às condi -

ções e exigências da sociedade.

Desenvolvimento - Processo pelo qual

o crescimento acelerado da economia é

provocado e acompanhado por mudan- ças sociais que transformam qualitati - vamente a sociedade, tornando-a maís

justa, harmônica e democrática.

Desorganização social - Ruptura

dos vinculos de solidariedade entre

os membros de uma sociedade, acarre-

tando o desequilíbrio da organização existente; processo pelo qual os laços que unem os membros de um grupo

se afrouxam e este se desfaz, procu- rando cada membro emancipar-se do

co n trole social .

Despotismo - Sistema de governo que se caracteriza pela concentração do po- der nas mãos de um indivíduo, um par - tido ou uma oligarquia; trata-se de um tipo de regime no qual o poder é exer- cido de forma autoritária e arbitrária .

Dialética - No sentido em que aparece

no capítulo 4 (seção Textos complemen-

o termo se refere à filosofia de

Georg Friedrich Hegel (1770-1831) . Hegel cons i derava o mundo e a His- tória como um processo de constante evolução do Espírito universal na di -

reção de uma crescente racionalidade.

tares),

Esse processo seria caracterizado pela contradição entre forças opostas. Marx

e Engels aplicaram essa concepção de

uma forma materialista à sociedade. Para eles, as forças opostas de Hegel assumiam a forma de classes anta - gônicas que lutam entre si , até que uma delas vença e estabeleça um novo modo de produção .

Difusão cultural- Processo pelo qual

traços culturais de uma sociedade são transferidos para outra, ocasionando nesta última mudanças culturais . Essa difusão ocorre geralmente pela ação dos meios de comunicação .

Direita - Termo político que designa

ou

os partidos, correntes de ideias

indi v íduos contrários a mudanças no sentido de uma maior democratização

da sociedade.

Direitos humanos - Direitos que,

por princípio, se aplicam a todos os seres humanos . São garantidos por leis internacionais , como a Declara- ção Uni v ersal dos Direitos do Homem, adotada em 1948 pela Organização das Nações Unidas (ONU), e consistem em três grupos de direitos: direitos e

liberdades civis, como a liberdade de

consciência , de palavra e de opinião,

o direito de ir e vir, a liberdade de

imprensa , a proibição da prisão arbi- trária, a condenação da tortura e dos

maus tratos, etc .; direitos e liberdades

políticas, como a liberdade de associa - ção e de filiação partidária, o p l uripar- tidarismo, o direito de voto (sufrágio universal), o direito a ocupar um car- go público, etc .; e os direitos sociais, ou coletivos, como o direito à saúde e

à educação, a proteção do menor, da

mulher e dos idosos, os direitos traba-

lh i stas (jornada de oito horas de tra-

balho, descanso semanal remunerado, aposentadoria, férias) , etc .

Distância social - Afastamento exis -

tente entre os membros de um grupo ou dos grupos em relação uns aos ou- tros; maior ou menor afastamento ou aproximação dos indivíduos ou grupos no espaço soc i al .

Ditadura - Sistema anômalo de gover- no baseado no poder de uma só pes - soa ou de um pequeno grupo, o qual impõe suas normas, regras e desejos de forma arbitrária sobre os governa-

dos, impedindo que estes se manifes -

tem ou reajam contra a vontade dos

governantes. As ditaduras se caracte - rizam pela supressão total ou parcial das liberdades democráticas indivi- duais e coletivas e pelo desrespeito

aos d i reitos humanos .

Divisão do trabalho - É a distribui-

ção e diferenciação de funções entre ' indivíduos ou grupos nas atividades produtivas de uma sociedade .

Do grego oikos, casa, am-

Ecologia -

biente, e logia, estudo. Trata-se da parte da Biologia que estuda as rela - ções do ser vivo com seu ambiente.

Economia - Ciência social que estuda as atividades humanas ligadas à produ- ção, circulação, distribuição e consumo de bens e serviços . São fenômenos es - tudados pela Economia a produção e a circulação de bens e serviços, a indus - trialização, as relações comerciais en- tre os países, a distribuição da renda, a política salarial , a produtividade das empresas, o crescimento econômico, o desenvolvimento, etc .

Educação - Processo pelo qual as ge -

rações adultas transmitem

vens, de maneira informal ou formal, seus padrões de comportamento, seus valores, sua herança cultural e seus conhecimentos, de modo a integrá - los

produtivamente na sociedade .

Elemento cultural - O mesmo que

menor,

às mais jo -

traço cultural;

mais simples de uma cultura .

é a unidade

Elite - Minoria prestigiada e com atua - ção destacada nos setores político, econômico, social e intelectual de uma sociedade . Pode ser composta por indivíduos oriundos das mais di - ferentes camadas sociais, mas é ge - ralmente formada por pessoas ligadas

às classes dominantes.

Emigração - Mudança voluntária de

pais moti v ada por razões de ordem

DIC I ONÁRIOBÁSICODE SOCIOLOGIA

econômica, social , étnica, política ou religiosa .

Empírico - Conhecimento obtido por meio da experimentação, da observa- ção direta, sem base científica. Para

o empirismo , o fundamento e a fonte

de todo e qua l quer conhecimento é a experiência sensível .

Endogamia - Sistema pelo qual os ca- samentos se realizam exclusivamente entre os membros do mesmo grupo social e que proíbe o casamento com indivíduos fora do grupo.

Equidade - Em princípio, significa o mesmo que igualdade . Entretanto, alguns pensado r es dão a esse termo um conteúdo mais abrangente . Para eles, equidade tem o sentido de uma relação que respeita as diferenças en-

tre pessoas desiguais, seja por razões biológicas, seja por razões sociais. Nessa acepção, na sociedade iguali-

tária'

a riqueza seria distribuída por

igual

entre todas as pessoas; já em

uma sociedade baseada na equida - de, as pessoas que precisassem mais receberiam mais - por exemplo, um trabalhador com vários filhos teria um salário maior do que outro sem filhos, e assim por diante .

Escravidão - É a instituição social que consiste no direito de propriedade so- bre outros seres humanos e na utiliza- ção de seus serviços sem o pagamento de qualquer remuneração. Os escravos são considerados meros bens econômi- cos e podem ser vendidos e trocados,

a qualquer momento, como simples mercadoria.

Escravagismo - Regime econômico e social caracterizado pela utilização do trabalho compulsório e no qual os es - cravos são propriedade dos senhores. Também chamado de escravismo.

Escola - Instituição social especifica - mente organizada para transmitir aos jovens os conhecimentos, as normas de comportamento e a herança cultu-

ral , de modo a integrá-los

dade em que vivem; é a instituição social destinada a transmitir a edu - cação de forma sistemática.

na socie -

Espaço social- É o espaço abstrato onde

se processam os fenômenos sociais .

Esquerda - Termo de conotação políti - ca para designar os grupos, correntes de ideias ou partidos que lutam por reformas sociais destinadas a melho- rar as condições de vida da população

281

DICIONÁRIO BÁSICO DE SOCIOLOGIA

e a estabelecer um s is tema soci a l mai s

justo e igualitá r io. Entre as co rr entes de esquerda destacam-se os socia l is- tas de vá r ios matizes ideológicos .

Estado - Conjunto de instituições so- ciais que constituem a organi z ação polí t ica de um po v o e que d e t êm

mo no p ó l i o d o u s o da f orça legí ti ma. É

a inst i tu içã o b ás ica de c ontrole s ocial

da so c i e d a de . Ent r e as instituiçõ e s que

o compõem, na democracia moderna,

estão o governo e a administração pú- blica (pode r E x ecuti v o ), os tribuna i s e outro s órgãos da Ju s t iç a (p o de r Judi - ciá r io ) e o Congresso nac io na l , ou Par-

lamento ( p o der L egi s lati v o ).

o

Estamento - Camada s ocia l in t e rme- diária entre a cast a e a classe social . Assemelha-se de certa forma à casta, mas é mai s abe r ta do que e s ta . Na sociedade estame n tal , a mob il i d ade

s oc i a l a s cen d en te é relativa m en t e di-

fícil , mas não imp o s s í v el , c o m o na s o -

ciedade de casta s. A soc iedade fe u dal da Idade Média, na Europa ocidental , constitui um exemplo de organização baseada em estamentos so c ia i s.

Estratificação social - É a d iv is ão da

s ocieda de em estra tos o u c a m ad a s s o - ciais h ie r a rq u i zadas ou superposta s.

Estrutura social- É o c onjunto o rde-

nado de partes encadeadas que for- mam um todo que mantém est á vel a

sociedade; é a t otal i dade

e x isten t e s num d eterminado

social ou n u ma soci edade . A estru-

tura social é o a s pe c to está t ico organiza çã o social .

dos status

gr u po

da

Ética - Como parte da Filosofia , a éti- ca estuda os princípios normativos do

comportamento humano e o s v alores morais que pres i dem a vid a em s o cie- dade . A e x pressão é também usada no

s en ti do de mo r al .

Etnia - Grupo biológico e cu l t u ralmen- te homogêneo. Para alguns autores, a noção de etnia supõe grupo s c om ca - racteristicas física s próprias. Em todos os caso s , p o rém , a noç ão d e c ul t ura é fundame n tal para de fi nir uma etnia .

Etnologia - Disciplina muit o pr óx ima da Antropologia Cultural , a Etnologia estuda os povos ditos " primitivos", so - bretudo aqueles que não conheceram ou ainda não conhecem a e s crita .

Etnocentrismo - Tendência a p r ivi l e -

g i ar o gru po étn i co o u nac i onal a que

se pertence , conside r ando-o co m o pa- drão para julgar as culturas di f e r entes .

282

O etnocentri s m o tend e a criar precon -

c eito s c ont r a o ut r o s po vos e c ultu r as .

Um exe mplo de etn o cent r i s mo

atitude dos europeus ao co n quistar e

co l onizar a Améric a .

é a

Evolucionismo - T e or ia qu e procura

e x plica r o ap a re c i me n t o d as e s péc i e s

a n i ma is p or me io da id eia de e v olu-

ção . P a ra os e vo lu ci on is tas , as espécie s

animais teriam surgido

po r meio de

man h a s ob a lid e ra n ça de Ado l f Hit l er

e ntre 193 3 e 19 4 5. Em t o d o s o s lu-

ga re s o nd e foi im p lantado , o fascismo

suprimiu as liberdades individuais e

coleti v as , destruiu a s instituiç õ es de -

mo c rátic as e es t abele c eu

o t e rror de

Esta d o con tr a o s c i dad ã os.

Fato social - São as maneira s c o letiva s de agi r , p e n s ar e s e n ti r, que e x ercem um poder coerciti vo s obre as pe s soas ,

transformações

graduais e progressivas

levando-

a s a se comportar de acordo

que i r iam dos seres mais simple s para

c

om os padrões estabelecidos pela so-

os mai s c o mple xos . O teóric o mais im -

c

iedade .

p ortante d o evo luc ion is mo f o i He r bert

Spen c e r (18 20- 18 99 ) , que p o pu l arizou

o t erm o evolução. Alguma s e x plica-

ções soc iológicas fo r am influenciadas pela dout r ina evolucionista. Essa s ex- plicaçõ e s procuraram descobrir as se-

quências ou estágio s do crescimento so-

ci o cultu r al hu m a n o des d e sua s formas

mais si m pl e s até as soc iedade s ma is de-

s en v o l vida s, s o br et u d o as eu rope i as do

f i na l do s éc ulo X I X , c ons ide r and o -as o pont o m áx i mo d a evo lu ç ão humana.

Exclusão social - Si t uação decorrente

da d e sigual d ade soc i al e da e x cessiva

c oncent r a ç ão da renda de um a so-

ciedad e nas mã os de po uc as pesso as.

N es se caso, gra nde parte da po p ulação

de ss a

socie d ade e impos si bilita da d e sa tis- fazer su a s necessid a des básicas, como nutriç ão, v estuá r i o, e ducação e s aúde.

C o m a globaliza ç ão , o termo abrange

s e vê e x cluí d a dos b e nefí c i os

também a queles q ue n ão c o n se gue m emp rego p or não te r e m uma p re pa r a-

ç ão a de q uada par a as no v a s fu n ç õe s criad a s pela sociedade glob a l .

Exogomia - Sistema pelo qual os ca- samentos devem s er efetuados entre pessoas de grup os di ferentes , s endo pro i b i do o casam e n t o e ntre membros do me s m o grupo soc ial .

Família - É o p r imei r o grupo soc ial a que pert e ncemos ; é uma institui ç ão social constituída pelo conjunto de pessoas unidas por vinculos de paren- tesco e con s angu i nidade .

Fascismo - S is t e ma político de ultradi- reita, r adic a l m en t e anticomun i sta e ant i democ r ático, lid er ado po r Benito Mussolini na It á li a (1922 - 19 44 ) e ca- racterizado por uma ditadura baseada

em partido

serviu de e x emplo para outras dita-

d ur as de direit a, como a de F ra ncisco

Franc o n a Espa n ha ( 193 9 -1975 ) . Em seu gra u e x tremo, adotou a form a de nazi s mo , regime e s tabelecido na Ale -

único. O fascismo italiano

Feminismo - Movimento soc i al que

l uta pela igua l dade d e direito s c i v i s e

polí t ico s entre homen s e mulheres.

Fetiche - Objeto a que se atribui poder sobrenatural .

Fetichismo - Crenç a no poder sobre-

natura l de um f e t i ch e; cult o o u adora-

ç ão d e u m a pe ssoa o u co i sa .

Folclore - C o njunto de t r adi ç õe s , len-

das e cren ç a s popula r e s de um pa i s ou região , transmitida s, em geral , por via oral e e xp ressas em cantos, provér - bios , can çõ e s ou dan ç as.

Força de trabalho - É o c o njunto de

tr

a b a lhad ore s de to d as as c ategorias

e

profi ssões, e mp r eg a d o s ou não , di s -

on ívei s e m ce r ta região, empr e sa ou sociedade. A fo r ça d e trabalho de um país também é chamada de População Economicamente Ati v a (PEA) . A ex-

p

pressão pod e s e r u t ili z ada a in da no

s ent i d o de c apacidade f ís ica e in t elec-

t u al d o s e r h u ma n o par a t ra b alha r.

Forças produtivas - Do pon to

de vista

da So c iologia e de outras Ci ê n cias So-

ciais, o termo força designa um poder de ação i nerente aos seres vi v os em geral e ao ser hum a no e m pa r t i cular.

A e x pr essão forças produtivas in di ca o

poten cia l pr odutivo de uma e c o n o mia . Em t e rmos conc r e t o s, s ã o a s f or ç as na- turais a p r opriadas pelo ser humano na produção de sua vida material e s ocial ,

e as técnicas produtiva s . I ss o inclu i a tec- nologia e a o r gani z a ç ão do trabalho. A principa l f orça p r odutiva, po r ém , é o própri o tr abalhado r .

mais os instrumentos de trabalho

Fundamentalismo - Tendênc i a radi -

cal , religiosa ou política , que pretende impor padrões de comportamento ba - seados na interpretação rigoro s a, ao pé

d a let r a , d e cren ç as e t radições re l igio -

s as. O fu n damentali smo é int o ler a nte

e rejeita o d i álogo com aqueles que pensam de form a d ife r ente.

Gemeínschaft - Termo alemão que significa comunidade .

Gesellschaft - Termo alemão que sig- nifica sociedade ou associação .

Governo - Conjunto de pessoas que exercem, geralmente de forma tem - porária, o poder Executivo de um Es - tado .

Globalização - Processo iniciado na se- gunda metade do século XX que con- duz à crescente i ntegração das econo- mias e das sociedades de vários países em relação à produção de mercadorias

e serviços, aos mercados financeiros e

à difusão de informações .

Grupo social - Reunião de duas ou mais pessoas, associadas permanentemente pela interação, e, por isso, capazes de ação conjugada visando objetivos co - muns . Grupo social primário é aquele no qual predominam os contatos pri - mários; no grupo social secundário, por sua vez, pr e dominam os contatos secundários.

Herança social - Parte da cultura que as gerações adultas transmitem às ge- rações mais jovens .

Ideologia - Expressão criada no come-

ço do século XIX pelo f r ancês Destutt de Tracy com o significado de ciên-

cia que tem por objeto o estudo das

ideias. Mais tarde , Karl Marx e Frie -

drich Engels deram a ela o sentido de consciência social de uma classe do- minante, ou conjunto de ideias falsas

e enganadoras destinadas a mascarar

a realidade social aos olhos das classes dominadas, encobrindo as relações de

dominação e exploração a que estão submetidas essas classes . Nessa acep- ção, ideologia teria o mesmo significa- do de "falsa consciência" . Atualmente,

o termo é empregado com o sentido

de conjunto de ideias dominantes em uma sociedade, ou como "visão de mundo" de uma classe social, de uma sociedade ou de uma época.

Igreja - Instituição

social de caráter

religioso . É a religião institucionaliza - da, isto é, que supõe, além da crença, rituais e práticas, uma doutrina, uma organização e uma hierarquia de mem - bros denominada c/ero.

I1uminismo - Movimento intelectual ocorrido na Europa no sêculo XVIII

caracterizado pela busca do conheci-

mento por meio do uso da razão.

iluministas combatiam as "t r evas" da ignorância e do misticismo com as "lu -

Os

zes" da razão e do conhecimento cien- tífico. Eles também lutavam contra o absolutismo dos reis e defendiam os ideais de liberdade e de igualdade de todos perante a l ei .

Imigração - É o ingresso em um pais de pessoas ou grupos de pessoas pro - venientes de outro país, de forma temporária ou permanente . Imigração é, portanto, a transferência de pessoas de um país para outro considerada a partir do ponto de vista do pais que recebe essas pessoas.

- Qualquer forma de ex-

Imperialismo

pansão e de dominação de ' um país sobre outras áreas geográficas. Ten- dência de um Estado a expandir, de forma mais ou menos constante, sua área de influência para outras regiões (sobretudo no setor econômico) , ou a ampliar cada vez mais seu território .

Inclusão social - Processo pelo qual, '

devido à melho r ia crescente

padrão de Vida , pessoas antes margi - nalizadas ou excluídas passam a inte- grar a sociedad e de forma mais digna, com a satisfação de suas necessidades básicas .

Indigente - Extremamente pobre; pes- soa que vive em extrema pobreza .

de seu

Individualismo - D outrina que de-

fende o primado do individuo sobre a sociedade. Segundo essa corrente de ideias, a sociedade nada mais seria do que a soma de individuos. Cada ho- mem, diz ela, é dono de si : seu inte-

resse pessoal, o zelo por suas coisas

particulares, o apego ao bem indivi - dual devem prevalecer sobre o inte- resse comum e o bem social . O indivi- dualismo é uma característica que se acentua mais fortemente na sociedade capitalista , que incentiva a competi -

ção e a concorrência, dificultando ao máximo o desenvolvimento de formas de solidariedade entre as pessoas.

Indústria cultural - Expressão criada

na década de 1940 para designar um fenômeno característico da socieda - de industrial capitalista, pelo qual a indústria lança no mercado produtos culturais tratados como bens de con- sumo de massa . A indústria cultural transforma em mercadoria os produtos da cultura, seja ela popular ou erudi- ta. Para isso, conta com os meios de comunicação de massa - como a in- dústria fonográfica (CDs) , o cinema, o rádio e a televisão. Esses meios são parte constitutiva da indústria cultural

DICIONÁRIOBÁSICODE SOCIOLOGIA

e seu principal veículo de difusão. Eles vulgarizam as manifestações artísti- cas, manipulam e induzem as pessoas

a consumir, aniquilando sua liberdade

de escolha e seu espírito crítico .

Inércia cultural - Capacidade de re -

sistência à m u dança social de certos aspectos culturais .

Informacionismo - Expressão utili-

zada para designar uma nova fase no modo de produção capitalista, histori- camente moldada pela re-estruturação do sistema de produção, a partir do final do século XX, com a substituição de tecnologia mecânica por tecnolo- gias de informação. Também chama-

do pós-industrialismo ou economia de serviços.

Infraestrutura - É a parte que susten-

ta uma estrutura. Para as Ciências So- ciais, é a base material ou econômica de uma sociedade ou de uma organi- zação social .

Iniciação - Consiste nas cerimônias e

provas por meio das quais. ao atingir

a adolescência, os jovens são iniciados nas tradições e costumes da tribo a que pertencem, para serem conside- rados aptos e admitidos como adultos nas comunidades. Também chamada

de ritos de iniciação.

Instabilidade social - Fase de tran-

sição entre a desorganização e a reor - ganização social . É caracterizada por crises e incertezas entre os diversos grupos sociais .

Instrumentos de produção - São

todos os objetos que direta ou indi- retamente nos permitem transformar

a matéria - prima num bem final; são

as ferramentas de trabalho, os equi- pamentos e as máquinas.

Institu i ção social - Estrutura especí-

fica da sociedade, ou forma de orga n i - zação social estável , relativamente du- radoura, cuja existência ultrapassa a das pessoas que dela participam e que pode durar gerações, ou mesmo, sécu-

los, como a Igreja e o Estado. E tam-

bém definida como um conjunto de regras e procedimentos produzidos,

conhecidos, aceitos e sancionados pe - la sociedade e que têm grande valor social; são os modos de pensar, de sentir e de agir que a pessoa encontra preestabelecidos na sociedade e cuja mudança se faz muito lentamente .

re-

Interação socia l - É a recipro c idade

de ações sociais entre indivíduos, por

283

DIC I ONÁRIOBÁS I CODE SOCIOLOGIA

meio da qual os seres humanos

aprox i mam o u se afastam, se associam

o u se d issoc ia m.

se

Introjeção - Mecanism o psico l ógico

pe l o q u a l o i n divíd u o assume incons -

c ie ntemente u m fa t o social ou uma ca -

r a cterist i ca cu l tural, torn a ndo-a parte

de si mesmo.

Isolamento social - Sit ua ção na q u al

u m a pessoa o u u m grupo socia l ficam

despr ovidos de co ntatos s oc i a i s c om

o utr as p essoas, o u g r upos,

fa t ores físicos, psíquicos, culturais

o u sociais.

devido a

Integração social- Adaptação do in -

d ivíduo, ou de grupos de indivíduos,

à soci eda d e. A i nteqração se ma n i fe s -

ta p or m e i o da a s s imila ção de n or - mas, hábitos e mode los d e cond ut a

pe lo i n divíduo para sua convivência

em sociedade .

Interatividade - Situação marcada pela possibil i dade de trocas d e i nformações

s i m ul tâ n eas e acesso i med i a t o a q u al - quer par t e do mun d o p o r int er m é di o da r e d e mundi al de co mp utadores.

Jacobinismo - Doutrina ou partido dos jacobínos, tendência radical da Revo - lução Francesa de 1 7 89.

Latifúndio - Propriedade rural de gra n- de e xte n são, cuja ma i or parte aprove i- tável nã o é ut i li za d a em exp l or ação eco nômica.

Liberalismo - Doutrina que defende

a mais ampla liberdade individual , a

democracia representativa, o direito

in alienável à p r oprieda d e, a livre ini-

cia t iva e a concorrência n o mercado

e ntre indiví duos e e mpr esas. O li b e -

ra l i smo surg iu na E uropa no d e cor - rer do sécu l o XVIII e foi a ideologia dominante sob o capitalismo compe- titivo, vigente sobretudo entre o sé - culo XV III e o fim do século XIX. No

in ício , polemizou com o mercantilis -

mo , opon d o-se ra d ica lmen te à i n t e r -

e nção do E st ado na vi d a econômica:

m a de suas propostas po l íticas era

u

v

"Estado mínimo", situação na qual

o

ca b eria ao Estado apenas a manuten- ção da ordem e da segurança interna

e

ex t er n a da sociedade e a defesa do

di

rei t o d e pr o priedade.

Líder - Aquel e que ocupa posição pr o e -

mi n e n te numa sociedade, em um gru -

po ou em um movimento; chefe , guia, condutor; pessoa que dirige um grupo,

conseguindo uni - lo em torno de ideias

e valores.

284

Liderança - Capacidade de um indiví -

duo de conduz i r e mobilizar um grupo

no esforço coletivo para a obtenção de

m et as e objet i vos comuns .

Linha de pobreza - Imagem criada

o

grau de indigência das pessoas mais

que

es tá abaixo da linha de pobreza a pes -

soa que tem um rendime n t o diário de

1 d ó l a r ou

de

60 reais.

l ente a 30 dólares por mês, cerca

pobres. Em geral , considera - se

por estudiosos para caracterizar

men os, o u s ej a, o eq ui va -

Marxismo - Doutrina criada a partir da

obra e da ação dos pensadores a l emães

Karl Marx e Friedrich Eng e ls e seus se -

g u idores . O ma rxismo foi definido por

Vl a dimir I l i t ch Lenin , l íd e r da Rev o l u-

çã o Russa de ou t u bro d e 1917, co m o

um "g ui a para a ação" . De fato, n ão

se pode separar os princípios doutri- nários elaborados por Marx e Engels

da ação política e social concreta do

proletariado, classe vista pelos dois

p e nsadores co m o des t in a da a ema n -

ci p ar a h umanidade da opr essão c api -

talista. A t eoria m arxista apoia-se em dois princípios fundamentais: a ideia de que a base material , econômica, da sociedade é determinante (em última ins t ância) dos acontecimentos po l íti-

cos e sociais, assim como da orga n iz a-

çã o da socied a de (teoria do s modos d e

pro du ção); e a noção de que " a h i s t ó - ria da humanidade é a história da luta

de classes". A teoria política de Marx, denominada por ele próprio (e por

Engels) "socialismo cient í fico" , consi -

de r a que a l u ta de c l asses é o motor

d a H i stória, c abendo aos t r a balha do r e s

(c la sse operár i a) a tarefa de des t ruir o

Es ta do

dade burguesa, instaurando primeiro a

ditadura do proletariado e, mais tarde,

o socialismo e o comunismo, quando a

sociedade não estaria mais dividida e m

capitalis t a e c om ele a socie -

ajuntamento de indivíduos, forma n d o um grupo instável e transitório , s em unidade co l etiva.

Matéria-prima - Prod ut o n a t u ral ou

de

passar por diversas oper a ções no p r o - cesso produt i vo , transforma-se e m

um bem de consumo. O algodão, po r

se

mi manufa tur ado

q u e,

depo i s

exemplo, é matéria - prima para dive r- sos t i pos de te c i do.

Meios de produção - S ã o os m e i os ma-

ter ia is u tiliza d os n a prod u ção d e be ns .

Entre eles estão as i n stalações (edi fí - cios, armazéns etc.), os instrumen t os de produção (máquinas, ferramentas), as várias formas de energ i a e os me i os

de transp o rt e s utilizados na prod uç ã o

d e qua l q u e r b em . A te r ra (prin c i pa l

me i o d e p rod u ção n a agr ic u ltur a) , a s

ma t érias - primas, as jazidas m i nera i s e

outros recursos naturais também fa- zem parte dos meios de produção .

Mercantilismo - Conjunto de práticas econômicas , dos Estados abso l utistas

modernos (sé c ulos XVI, XVII e XVI II ).

Pa ra os mercantilistas : 1) O c o m é rcio

era a principal fonte de r i q u eza; 2) A

balança comercial deveria ser sempre

favorável, ou seja, o país deveria e x -

portar mais d o que i m por t ar; 3) Qu a n -

to m aior o volu m e de met a is p r eci o sos

(o ur o e prata) a c umu l ado por um paí s,

t a n to mais ric o e l e s eri a; 4) O Estado deveria i n tervir na v í da e co n ôm ica ,

prat i ca n do uma política protecio ni s - ta, ou seja, aumentando as taxas so - bre os produtos importados, de modo

a proteger os similares nac i ona i s.

Meritocracia - Sistema q u e priv i legia

o mé ri t o das p es soas, o u sej a, s eu ta-

e n t o, sua cr ia tivi d ade, s ua qua l i d a de

profissional , etc . Esse siste m a bas e a d o no méri t o se contrapõe ao sistema de valorização das pessoas pelo paren -

l

tesco, pela filiação e pelas relações d e sangue, s i stema esse que caracterizo u

classes nem precisaria ma is do Esta do

a

s o ciedade ari stocrát ica, fe ud al , d a

co

m o órgão d e coerção e r epressão.

E

ur opa m ed ie va l . Assi m , n a so ci e d a -

Mass media - Meios de comu n icação

de massa; são os modernos veículos

de comunicação , como a imprensa, o rádio, o c inema, a televísão e o com-

putador .

Massa - Agr up amento s ocia l d i f u s o

for m ado por ind i víduos d e difere nte s

camadas sociais que recebem e ass i-

mi l am opiniões formadas e veiculadas

pelos meios de comunicação de massa, sobretudo pelo rádio e pela televisão .

Também considera-se massa qualquer

de feuda l uma pessoa d a n obre z a n ã o

pr e cisava demonstrar nenhum tipo de

mérito: seu valor e seu status na so - ciedade eram determinados pelo na s -

cime n to.

Método científico - Co nj u n to de re-

g

ras e p r o c e d i mentos

p or mei o dos

q

ua is é possíve l chegar às ver d ad e s

cien t íficas.

Mídia - Palavra derivada da pronúncia em inglês da expressão latina media, que em português significa meios.

Refere-se, especificamente, aos meios de comunicação de massa usados para transmitir informações ou trocar men- sagens. A mídia escrita reúne jornais,

revistas e livros. O rádio constitui a mí- dia falada. Já a televisão (também cha- mada de mídia eletrônica), o cinema e

o computador são muliimidias, pois en-

volvem simultaneamente a transmissão

de imagens, sons e palavras escritas.

Migração - É o deslocamento de pes- soas ou grupos de pessoas no espaço geográfico. Esse deslocamento pode ser interno, isto é, dentro do próprio país, ou externo, de um país para ou- tro. Denomina-se emigração a saída de

pessoas de seu próprio país para outro

e imigração a entrada em um pais de

pessoas provenientes de outro país.

Mobilidade social - É o movimento,

no espaço social, executado por indi- víduos ou grupos que se deslocam na escala de uma sociedade estratifica- da em camadas sociais, passando de uma camada para outra. A mudança de posição social do indivíduo pode ser tanto no sentido horizontal como no sentido vertical ascendente e des- cendente.

Modo de produção - Conceito criado

por Karl Marx para designar o conjun- to formado pelas forças produtivas e pelas relações de produção de uma sociedade em um periodo histórico de- terminado. É a maneira pela qual a so- ciedade produz seus bens e serviços, como os utiliza e como os distribui. Segundo Marx, teriam existido na His-

tória os modos de produção comunal primitivo, escravista, asiático, feudal

e capitalista. Marx previa ainda a for-

mação de um modo de produção que superaria o capitalismo: seria o modo

socialista de produção.

Monarquia - Forma de governo em que

o poder é exercido por uma só pes-

soa (o rei), que o recebe por meio de herança e o mantém até a abdicação (renúncia) ou a morte.

Monopólio - Situação em que uma única empresa controla a produção ou distribuição de determinados bens ou serviços.

Mores - Do latim mores, que

quer dizer

costumes. Seu emprego em Sociologia tem o sentido específico de designar os costumes considerados sagrados de uma sociedade e cuja violação é severamente punida. Por exemplo, a proibição do incesto (relações sexuais

entre parentes muito próximos, como pai e filha, irmão e irmã, etc.). São os modos de agir mais enraizados, manti- dos com tenacidade e que são conside- rados essenciais para a vida social.

Multidão - É um agregado físico de pessoas, instável e transitório, que

sofre influência de um impulso ou emoção comum, levando a uma ação

conjugada.

Mutirão - Manifestação de solidarie- dade que consiste no auxílio gratuito que prestam uns aos outros os mem- bros de uma comunidade, reunindo- se e mobilizando esforços ém bene- fício de um de seus membros ou de todos eles.

Nação - Comunidade formada por um grande número de pessoas que têm geralmente origem comum, utilizam a

mesma lingua e estão ligados por uma

mesma cultura e por interesses e as- '

pirações igualmente compartilhados. Nem sempre uma nação dispõe de um Estado organizado. É o que ocorre, por exemplo, com o povo palestino, que embora forme uma nação não está or- ganizado em Estado.

Nacionalismo - Corrente de ideias ou movimento que tende a exaltar como valor supremo a nação, suas tradições, seu passado, sua cultura, etc. Durante as décadas de 1950 e 1960, nos paí- ses subdesenvolvidos, ou integrantes do Terceiro Mundo, o nacionalismo se manifestou muitas vezes como corren- te de oposição e denúncia ao chamado "imperialismo" norte-americano ou europeu. Nesse caso, assumiu cono- tações nitidamente de esquerda, pro-

pondo também mudanças estruturais em seus países, como a reforma agrá- ria e a nacionalização das empresas estrangeiras. Nazismo - Movimento político e regime

liderados por Adolf Hitler na Alema- nha entre 1933 e 1945. Tinha caráter violentamente antissocialista e antide- mocrático. O nazismo é uma doutrina que prega uma forma de nacionalismo totalitário, no qual a Nação é absorvida pelo Estado e dirigido por um partido único. Durante o periodo em que go- vernou a Alemanha, o nazismo supri- miu as liberdades individuais e coleti- vas, extinguiu todos os outros partidos, calou a oposição e assassinou cerca de seis milhões de pessoas em campos de concentração criados especialmente para promover o extermínio progra-

DICIONÁRIOBÁSICODE SOCIOLOGIA

mado de judeus, comunistas, ciganos,

socialistas e outros grupos. O nazismo

é uma ideologia racista que prega a

supremacia da raça ariana (branca) e

o extermínio dos judeus, considerados

por ela uma raça "impura", responsá- vel por todos os males do' mundo. Jun- tamente com o fascismo italiano, foi um dos causadores da Segunda Guerra Mundial (1939-1945).

Nível de renda - É o total de rendi- mentos obtidos por uma pessoa, num determinado período.

Normas sociais - São regras de condu- ta que orientam e controlam o com- portamento das pessoas que vivem em sociedade.

Obscurantismo - Estado de quem vive em total ignoráncia, ou que, por mo- tivos irracionais, se recusa a aceitar mudanças. Atitude de quem rejeita as descobertas da ciência por seguir ao pé da letra certos textos considerados sagrados. O poder público também pode assumir posições obscurantistas, ao impedir inovações ou a propagação de propostas' de mudanças na estru- tura da sociedade, por considerá-las um perigo para a ordem social ou por achar que estejam em conflito com seus interesses.

Oligarquia - Forma de governo em que

o poder está nas mãos de um pequeno grupo de indivíduos.

Opinião pública - Conjunto de ati-

tudes, reações e correntes de ideias adotadas coletivamente por grande parte da sociedade diante de aconte- cimentos políticos ou sociais. Fazem parte da opinião pública os meios de comunicação de massa - imprensa, rá-

dio, televisão e cinema -, certas Orga- nizações Não-Governamentais (ONGs)

e outras entidades da sociedade civil,

como os sindicatos, as Igrejas, asso- ciações profissionais, etc. Em certos momentos, a ação da opinião pública na democracia pode ser determinante no sentido de estabelecer novos rumos para a sociedade, ou de corrigir ou

punir atividades consideradas nocivas dos governantes. Em 1992, por exem- plo, a mobilização da opinião pública brasileira, indignada com as evidências de corrupção no governo de Fernando CoUor de MeUo, obrigou o presidente

a renunciar.

Organização social- Cada um dos par-

ticipantes de uma estrutura social de- sempenha o papel correspondente à

285

DICIONÁRIO BÁSICO DE SOCIOLOGIA

pos i ção social , ao status que ocupa. O conjunto de ações realizadas quando os membros de um grupo desempe- nham seus papéis sociais constitui a organização social; é a parte dinãmica da estrutura social .

Padrão cultural - Norma (ou conjunto de normas) de comportamento esta -

belecida pela socie d ade; os indivíduos

n u ma sociedade agem habitua l mente

d e a c ordo com o s padr õ es c u l turais e s-

ta bele c idos por essa sociedade.

Padrão de vida - Q u antidade e qua l i - dade dos bens e ser v íços que uma p es - soa consome em condições considera - das normais. É o nível de consumo real alcançado por uma pessoa . O padrão de vida, portanto, depende diretamen t e da renda que a pessoa recebe.

Países emergentes - São assim cha -

mados os países p er tencentes ao a n-

t ig o T erc e iro M un d o que a p resen tam

níveis de d ese n vo l ví m ento e de indus-

t rialização superiores aos dos pais e s considerados pobres mas que, por ra- zões sociais e econômicas, ainda não são considerados desenvolvídos. Entre

el e s , estão a China, a Índia , a Rússia, a

Turquia, o Brasil, o México, alguns dos chama d os "tigres as i áticos" (Cingapu- ra, Malásia, Hong-Kong, Taiwan) e a Ar g entina. De modo gera l , os paises

e m erge nte s estão em proc e sso de i n - teg r ação à econo m ia mundia l .

Papel social- É a f un ção o u o compor-

ta m ento q u e o grupo social espera de

qualquer pessoa que ocupa determina -

do status social; é o aspecto dinâmico

direitos e

do status, a realização dos

deveres referentes ao status social .

Paradigma - Modelo; padrão . Também

t em

o sen ti do de princ í pios ou ideias

voltado p a ra a d i spu t a pel o poder do

to da vida e m s ociedade a l i m i t es

e

Estado e na qual os i n div í duos profes-

t odos cie ntí f i cos (veja tamb é m

a

sam as mesmas ideias sobre questões

biografia de Co m te na seção Grandes

políticas e sociais.

mestres das Ciências Sociais).

 

Pequena burguesia - Grupo social in -

termediário entre a burguesia e o pro- letariado. Também chamada de classe média, ou classes médias. É a camada social formada pe l os q u e vivem do

peq u eno capital - como os pequenos

indu st r ia is , pequen o s c o m erc i an t es,

e pe q u eno s proprietá r i o s r u rais -,

por pro fi ssionais liberais - médicos, engenhei r os, advogados, intele c t u ais em geral , etc . - e por assalariados do setor d e servíços - bancários, profes - sores, funcionários públicos, etc .

Pertença - É o sentimento de perten - cer a um grupo social, a uma comu- nidade o u a uma sociedade, também

chama d o de pertencimento.

Pirâmide social - Rep res e n tação grá -

fica das di ferentes c am a das soc i ais,

de aco rd o com o critério de distâ n cia

social ex i stente entre elas.

Polígamia - Forma de matrimônío na qual um indivíduo pode desposar si-

multaneamente vários outros . Quando

o casamento se dá entre um homem e

várias m ulheres, recebe o nome de po-

liginia. Q u ando é uma mu lh er q u e des - posa m ai s de um home m . temos uma

ma n i f es ta ç ã o de poliandria.

Política - Expressão q u e d er i va da pa -

l avra pôiis, que em grego significa ci-

dade. A pó l is era a cidad e -Estado na Grécia Antiga. E m algumas delas, a assembl e ia de cidadãos decidia sobre todas as questões que diziam respeito

a seu Estado , isto é, à pólis . Política

t em a ver, portanto , com Esta d o , go-

verno e poder. E m sen t ido mais am p lo,

Povo - Conjunto de pessoas que habitam

um mesmo território

uma nação, ou seja, que se expressam na mesma lí n gua, t êm a mesma his- tória, seguem as mesmas tradições e

com p art il ha m h ábitos, valor es e cos -

tu mes co mun s .

e que formam

Preconceito racial - C o nj u nto de at i-

t u des me n ta i s di sc r i m inatóri as e in to - leran te s, qua s e semp r e acompa n ha d as de ações impregnadas de ódio irra - cional dirigido contra individuos ou grupos de outra raça . O apartheid na

África do Sul, e ntre 1948 e 1991~ é um

exemp l o de p ol ítica de Estado baseada

no preco n ce it o e no ó di o rac i a l .

Pressão social - É a c o ação exerc i da

so b re p e s s oas o u g r up os com o o b -

j e ti vo d e ob rig á -l os a u ma mu d an ça

de atit u des, de compor t a me nt o ou de

ideias.

Prestígio social - Posição des f rutada por um individuo que desperta con - fiança em outras pessoas e é capaz de

exercer influência sobre e l as. O prestí - gio soc i al po d e ser adqu i ri d o e m vir tu-

d

e de qua l i da des esp ec iais a t r i b uid as

p

e l os ou tr os à p es soa presti giada . Tais

q

u a li da de s podem ser re ais ou im a -

g

i nár i as. O p r es tí gi o po d e s er o b t id o

também por me io da conq u ista d e po- sições sociais co n sideradas infl u e nt es na soc i edade. Assim, u m at l eta pode desfrutar de prestígio apenas por ter vencido competições e conquistado

medalhas em tor n eios esportivos.

Primogenitura - Q u alid ad e d o primo-

gên i to, o u s e ja, do fi l ho mais ve lh o.

q

ue servem de r e f erência norte a do ra

é

toda a ti vidade l igada ao exerc í cio

O

direito d e primogeni t ura, v ig e n te

d

e u ma soc i edade

o u de uma époc a .

de

um poder organ i zado em um a co -

em m uit as r egiões d a Eu r o p a dur a nt e

P ar a os marxistas , por exemp l o , as

i de i as de Marx con sti tuíam um para - digma do pensam en to.

Participação - Conceito genérico usa- do em certos casos como sinônimo

d e integração do indivíduo ao grupo.

Nessa acepção, é o ato de comparti -

lh ar os pro c essos de interação social .

Do ponto de vista po lí tico, a express ão

d esigna o pr i ncíp i o d emocrático s e-

gund o o qua l tod os o s cidadãos devem

to m ar par t e no processo de tomada de

decisões na esfera pública, ou seja, na esfera do Estado.

Partido político - As s ociação políti- ca baseada em um programa de ação

286

l

et i vidad e , seja esta um Estado , u m a

a

Idad e Mé dia, a tribuí a ao filho ma i s

cidade, uma empresa, um sindicato,

falar, por exemplo, na política sindi -

ve

lh o de um senhor feuda l a h e r a n ça

uma universidade, etc. Assim, pode-se

cal de determinado líder trabalhista,

do feudo . E n t re a real e za, er a o pri- mogênito q u e assu m i a o t ron o com a morte do rei.

na política salarial de uma empresa,

etc. Para o senso comum, política é a

"arte de governar u m povo" .

Posição social - Lugar ocupa d o por

uma pe s s o a na socie dad e . É o status

socia l r el at i vo do i ndiv ídu o no gr u po,

quando comparado com o status

tros indivíduos ou grupos sociais .

Positivismo - Sistema filosófico cria-

de ou -

do por Augusto Comte que pretende

reduzir a filosofia e o conhecimen -

Processo social - Conjunto de fenô -

menos sociais em movimento , isto é,

e m constan t e mu dança, a inda q ue de

for m a le nt a e grad u al . Qu a l que r mu -

dança n uma soci e d a d e p rov e n i e nt e d a

in t era çã o do s s e us m e m bro s é um pr o -

cesso social .

Produção - Processo pe l o qual ce r tos recursos naturais sofrem transforma-

ções deliberadas pela intervenção do trabalho humano , resultando daí bens

e serviços voltados para a satisfação de

necessidades individuais ou coletivas .

Produtividade - Relação entre o valor

total da produção de uma empresa ou de um país e o número de horas traba- lhadas nessa produção . A produtivida - de aumenta quando são introduzidas novas técnicas de produção, máquinas

e novos processos de trabalho . Assim,

por exemplo, se dez trabalhadores produzem dez pares de sapatos por dia e, a partir da introdução de uma nova máquina, passam a produzir quinze, diz - se que houve um aumento de 50% na produtividade .

Proletariado - Classe social surgida com a formação do modo capitalista de produção e considerada por Karl Marx como uma das classes funda- mentais da sociedade burguesa (a outra seria a burguesia). É composto pelos trabalhadores assalariados da indústria, do transporte e da agricul - tura (proletariado agrícola). Também chamado de classe operária, sobretu- do quando se refere aos trabalhadores industriais (operários), da construção civil (pedreiros, serventes, mestres de obra) e dos transportes (ferroviários e portuários) .

Propaganda - Técnica de comunicação ou de difusão de mensagens que t em por finalidade criar atitudes, desper- tar interesses e motivações, levando as pessoas a realizar certas ações ou a se comportar de maneira que satisfaça as expectativas daqueles que emitem as mensagens. Assim, a propaganda eleitoral de um candidato a cargo eletivo tem por finalidade induzir o eleitor a votar nele . Da mesma forma,

a propaganda de um produto (ou pu -

blicidade comercial) visa a despertar no consumidor o desejo de comprá-lo ,

mesmo não tendo necessidade imedia-

t a dele .

Público - Agrupamento de pessoas que seguem os mesmos estímulos; é es- pontâneo e amorfo, ou seja , não tem forma definida, e não se baseia no contato físico, mas sim em estímulos recebidos através dos diversos meios

de comunicação. Pessoas que assistem

a um espetáculo musical ou a um co - mício formam um público.

Quilombo - Aldeia fortificada erguida em lugares inóspitos, na floresta, por escravos que conseguiam escapar do cativeiro durante o período da escra- vidão no B r asil (século XVI ao século

XIX). O mais famoso desses aldea- mentos foi o Quilombo de Palmares, na capitania de Pernambuco, durante

o século XVII. Os escravos que se re- fugiavam nos quilombos eram cha - mados de quilombolas.

Quimera - Fantasia; sonho; ilusão.

Racismo - Conjunto de atitudes,

ou

doutrina, que afirma a superíorida -

de de uma raça sobre outras e está baseado, na maioria das vezes, em

conceitos pretensamente científicos

e enganosos . Tais conceitos estão em contradição com estudos realizados

pela Antropologia moderna ' e com os

ensinamentos da História, que mos-

tram a inexisténcia de raças .

Regime político - Forma pela qual o

Estado se organiza e se estruturam as relações entre governantes e gover- nados. Um dos aspectos centrais do regime político são os controles esta- ' belecidos pelo grupo dominante para ordenar a convivência social em uma comu n idade ou sociedade . Desse modo, regime político não pode ser confun - dido com forma de governo . O regime fascista, por exemplo, dominou tanto

a Alemanha (1933-1945), um pais com

governo republicano, quanto a Itália, onde o governo era monárquico (1922- -1945). Da mesma forma, uma Repú- blica pode ter tanto um regime demo - crático quanto um regime fascista.

Relações sociais de produção - São

as relações que os individuos e os gru- pos sociais estabelecem entre si no processo produtivo.

Religião - Sistema de crenças associa- das a sentimentos de respeito e vene- ração a poderes sobrenaturais e que se

expressa em atividades públicas desti- nadas a cultuar esses poderes por meio de rituais regulares. Os seguidores de uma religião formam uma comunida-

de espiritual , reunindo-se geralmente em templos especialmente dedicados ao culto da divindade, como as igrejas católicas, os templos budistas e evan- gélicos, as mesquitas muçulmanas, as sinagogas judaicas, etc .

soma dos rendimentos de

uma pessoa num espaço de t empo de-

Renda - É a

terminado. No sistema capitalista , a renda dos trabalhadores assalariados toma a forma de salário. A dos em- presá r ios, por sua vez, adota a forma

de lucro .

Renda nacional - É a soma das ren-

das de todas as pessoas físicas e ju -

DICIONÁR I OBÁSICODE SOCIO L OG I A

rídicas de uma nação num período determinado .

Renda per capita - É o v alor resultan-

te da divisão da rend a nacional pelo

número total de habitantes nação .

República - Fo r ma de go v erno em que

o poder é exercido temporariamente

de uma

por representantes eleitos periodica-

mente pelos cidadãos .

Revolução - Mudança brusca e radi-

cal , muitas vezes violenta,

ordem econômica, social, política e

institucional vigente . A revolução não consiste apenas na derrubada de um governo, mas implica transformações profundas na sociedade, chegar:do em certos casos a alterar até mesmo

o regime de propriedade, como ocor-

de toda a

reu com a Revolução Russa de 1917, que extinguiu a propriedade privada dos meios de produção e instituiu a propriedade coletiva ou estatal desses meios de produção .

Sanção social- Punição imposta ao in- divíduo por um grupo ou por uma so- ciedade com o objetivo de adequar seu comportamento social às normas da

cultura estabelecida; é um instrumen- to de controle social que consiste em punir o transgressor de alguma norma.

Secularizar - Tornar secular ou laico o que era eclesiástico, o que era ligado à Igreja. A Revolução Francesa de 1789, por exemplo, secularizou os bens do clero, ou seja, confiscou as proprieda- des da Igreja e entregou-as a particula- res ou ao Estado. Por secularizaçâo do pensamento entende - se a passagem de um pensamento puramente religioso para um pensamento científico, ba- seado na razão humana.

Segregação - Política destinada a se - parar e isolar certos indivíduos ou grupos sociais ou étnicos do convívio

com a parcela dominante da socieda- de. A segregação racia l é uma forma extrema de preconceito racia l . Consis-

com a et-

te em separar nia dominante

considerada inferior .

do contato

os indivíduos da etnia

Serviços - Atividades de valor econõ- mico ou social que não têm relação di- reta com a produção. São exemplos de serviços : a assistência p r estada pelo médico a um paciente, a aula de uma professora, o trabalho de um cabelei- reiro, etc . Entre os serviços mais im - portantes de uma economia estão os transportes, as atividades bancárias, o

287

DICIONÁRIO BÁSICO DE SOCIOLOGIA

comércio, o ensino, a distribuição de água e de energia elétrica, etc.

Servidão - Instituição pela qual um grupo social se coloca ou é colocado em relação de total dependência para com outro . Essa instituição predomi- nou nas relações de trabalho entre os servos da gleba e os senhores feu- dais, donos das terras, durante toda a Idade Média na Europa ocidental , ou

seja, sob o modo feudal de produção. Os servos trabalhavam em lotes de terra (as glebas) pertencentes aos se- nhores . Estavam ligados à terra. Caso um senhor quisesse vender suas pro- priedades, os servos fariam parte da transação, passando a trabalhar para

o novo senhor . Além disso. eles pa-

gavam uma série de impostos e taxas ao proprietário e prestavam serviços pessoais gratuitos a ele. Em troca, o senhor lh e s garantia proteção em caso de guerra ou de agressões externas .

Setor e x te r no - Em Economia, é o con- junto das operações comerciais e finan- ceiras de um país no mercado externo, aquele que é formado pela totalidade dos países . Essas operações en v olvem atividades como exportações (vendas

a outro país) e importações (compras de outro país) .

Setor pr i vado - É composto pelas em-

p r esas pertencen t es a particulares, pes- soas ou grupos de pessoas , sem a parti - cipação ou inter v enção do Estado .

Setor públ ic o - É composto pelas or- ganizações, instituições e empresas do Estado.

Simbiose - Assoc i ação íntima e prolon - gada entre dois ou mais organismos de espécies diferentes que se beneficiam mutuamente dessa associação.

Símbolo - Algo concreto que representa

uma realidade abstrata. Por exemplo, as

cores verde e amarela, quando utiliza -

das conjuntamente, representam o Bra-

sil; a aliança é um objeto que simboliza

a união e a fidelidade entre os cônjuges em nossa sociedade; a cruz simboliza o cristianismo, e assim por diante.

Sincretismo - É a fusão de traços cul- turaís provenientes de culturas di - ferentes, dando como resultado um novo complexo cultural . A umbanda,

uma religião afro-brasileira, por exem-

p

l o, reúne aspectos do cristianismo

e

de crenças africanas trazidas pelos

negros para o Brasil . É uma das mani-

festações de sincretismo religioso em nossa cultura .

288

Sindicato - Associação profissional que tem por objetivo a defesa dos in- teresses dos que exercem determinada atividade .

Sistema de ensino - Conjunto de nor-

mas e instituições que organizam e disciplinam, em seus vários aspectos, o processo educativo formal .

Sociabilidade - É a tendência natural do ser humano para viver em socie- dade.

Socialismo - Expressão que designa tanto uma doutrina como um sistema social . Como doutrina, o socialismo é uma corrente de ideias que propõe superação da sociedade capitalista

a

por meio da socialização (ou coletivi - zação) dos meios de produção - que passariam a pertencer à sociedade e não mais a capitalistas privados - e da entrega do poder político às as - sociações dos trabalhadores . Corno sistema social , o socialismo teve um caráter marcadamente autoritário em países como a antiga União Soviética

e a China . Ali, a propr i edade social

ou coletiva acabou se transformando em propriedade do Estado e o governo tornou - se monopólio de uma buro -

cracia privilegiada que nega os ideais igualitários dos fundado r es do pensa - mento socialista .

Socialização - É o processo pelo qual a pessoa se integra ao grupo ou à socie- dade em que nasceu, assimilando seus hábitos, valores, costumes e outros traços culturaís ; é o ato de transmitir, de introjetar na mente do individuo os padrões culturaís da sociedade; pela socialização o indivíduo, naturalmente social , torna-se sociável , isto é, capaz de viver em sociedade.

Sociedade - Coletividade organizada

e estável de pessoas que ocupam um

mesmo território , falam a mesma lín -

gua, compartilham a mesma cultura,

são geridas por instituições políticas

e

sociais aceitas de forma consensual

e

desenvolvem ativídades produtivas

e

culturais voltadas para a manuten-

ção da estrutura que sustenta o todo social . A sociedade apresenta-se ge- ralmente divídida em classes ou em

camadas sociais nem sempre harmô- n i cas . Entretanto, mesmo quando há

oposição e conflito entre essas classes

ou camadas, verifica - se também com- plementaridade entre elas, e é essa complementaridade que mantém de pé

a sociedade como um todo .

Sociologia - Ciência social que estuda

as relações sociais e as formas de asso-

ciação dos seres humanos, consideran- do as interações que ocorrem na vida em sociedade. A Sociologia estuda os grupos sociais, a divisão da sociedade em camadas ou classés sociais, a mobi- lidade social , os processos de mudança, cooperação, competição e conflito que ocorrem nas sociedades, etc . ; é a ciên- cia social que estuda os fatos sociais .

So l idariedade social - Vínculo re-

cíproco entre pessoas < que envolve ações de ajuda mútua e está baseado em interesses e sentimentos de res- ponsabilidade comuns a esse grup o de pessoas. Uma das manifestações da solidariedade é a cooperação .

Status quo - Expressão em latim que significa o estado atual em que se en- contram as coisas . Em certos contex- tos, pode designar também a ordem social estabelecida .

Status social - É a posição social ocu- pada pe l o indivíduo no sistema de es-

tratificação social; essa posição social determina - o conjunto de deveres e di- reitos do indivíduo na sociedade .

Subcultura - Complexo cultural com característ i cas próprias no interior de uma cultura maior, mas adotando também os valores gerais dessa cul- tura mais ampla . É o que ocorre, por exemplo, no Brasil, com as subcultu- ras nordestina e gaúcha .

Subemprego - Emprego temporário, não qualificado, não coberto pela le - gislação trabalhista em vigor e, em geral , mal remunerado .

Superestrutura - Expressão utilizada por Karl Marx para designar a parte

superior da est r utura social , que é sus-

tentada pela base material , econômica,

denominada infraestrutura . Na supe- restrutura se localizam o Estado, a vida cultural e o conjunto das ideologias, filosofias, religiões, princípios juridicos

e políticos da sociedade .

Tecnocracia - Sistema de organização

política e social baseado no predomí- nio de uma camada social constituída por técnicos e burocratas de formação científica .

Tecnologia - Conjunto de conhecimen- tos científicos com aplicações técni- cas e práticas em determinado setor de atividade .

Tensão social - Estado emocional q u e

resulta das oposições e conflitos que

ocorrem entre grupos sociais . Na ter- minologia marxista, as tensões sociais são expressão e consequência da luta de classes. Uma greve de operários, por exemplo, é uma das manifesta- ções da tensão social .

Teocracia - Sistema de governo no qual

o poder político aparece unido ao po -

der religioso. O Vaticano, por exemplo,

é um caso típico de Estado sob governo

teocrático . Localizado no interior da Itália, o Vaticano é um Estado inde - pendente governado pelo papa, chefe da Igreja católica . A teocracia pode ser definida também como um sistema de poder no qual o governo está nas mãos do grupo sacerdotal .

Totalitarismo - Forma extrema de Es- tado autoritário . Estado policial carac- terizado pelo monopólio do poder nas mãos de um único grupo, que não per- mite a existência de outros partidos, pela supressão de todo tipo de liber - dade' pelo controle do Estado sobre os meios de comunicação, pelo constante desrespeito aos direitos humanos, pela repressão permanente aos opositores e pela existência de um aparelho poli- cial todo-poderoso, que controla até mesmo a vida individual das pessoas. São exemplos de totalitarismo o nazis- mo, que governou a Alemanha entre 1939 e 1945, e o stalinismo, que traiu

os ideais socialistas e oprimiu o povo da antiga União Soviética entre 1929 e 1953 .

Tirania - Governo arbitrário exercido por um ditador cruel e sanguinário (o tirano) ou por um grupo de individuos com autoridade absoluta.

Traço cultural - Unidade mais sim- ples de uma cultura; a menor unidade

mensurável da cultura .

Tradição - Conjunto de ideias, senti- mentos e costumes que, numa socie-

de uma geração a

outra; parte da herança social e cul- tural valorizada pelo que representou no passado.

Transição social - É o processo de

mudança na estrutura social de uma sociedade, que passa de um estágio mais atrasado para um estágio mais avançado .

Transmissão social - Difusão de as-

pectos culturais pelas sociedades hu- manas; processo pelo qual o patrimô- nio cultural é transmitido de uma ge- ração a outra.

Tribo - Forma de organização social en- tre povos antigos. Podia incluir vários grupos locais - fossem eles aldeias

dade, se transmite

mesma

língua e uma cultura comum . Entre os povos prê-letrados, a tribo tinha

ou bandos - unidos por uma

DICIONÁRIO BÁSICO DE SOCIOLOGIA

geralmente um chefe e estava unid a também por laços de parentesc o e d e solidariedade muito fortes . Na Gré c ia

e na Roma antiga, o termo era aplicá -

vel mais à população de determin a d o s territórios .

Urbanização - ' Processo de cres c imen - to da população e das condições de infraestutura das cidades . Tamb é m é atribuído o termo urbanização ao p r o- cesso social que consiste na ad o ção de

hábitos

urbana, que se caracteriza pela a c en- tuada divisão do trabalho e pela p roli -

e atitudes peculia r es à v ida

feração de papéis sociais, e na qual as relações sociais tendem a ser superfi - ciais, formais e impessoais.

Utopia - Palavra de o r igem g r ega , uti- lizada para designar sistemas políti - cos e sociais ideais, nos quais vigora- riam normas e instituições altament e aperfeiçoadas . Pode ser também a perspectiva de um sonho ir r ealizável ou de realização num futu r o imprevi- sível. irreal .

Valor social - Significado o u a p r e ç o que a sociedade atribui a ideias, fat o s , conhecimentos, objetos e normas .

Xenofobia - Ódio às pessoas e co i sa s estrangeiras . A x enofobia é uma m a-

nifestação de intolerância que a t e nt a contra os direitos humanos e dificul t a

o entendimento entre os povos .

289