Вы находитесь на странице: 1из 8

Ano I

Práxis Num. 2 Práxis


Impulsionemos Candidaturas Socialistas Junho - 2006

Cor
Corrrente
e Revolucionárias Marxista
Revolucion ária
olucioná
do P-Sol

FRENTE CLASSISTA:
Toninho – Pré-candidato Deputado Federal São Paulo Mara – Pré-candidata Deputada Estadual São Paulo
UM PASSO ADIANTE
Estamos agora na fase de escolha dos candidatos às eleições proporcionais, deputados federais e estaduais, Práxis
está comprometido com o lançamento, apoio e organização de candidaturas na maior parte de lugares quanto
possíveis, temos que construir um perfil distinto dos candidatos dos setores à direita do partido. Queremos cons-
truir um perfil de esquerda, anti-regime, proletário, anticapitalista, ou seja, socialista, precisamos dizer em alto e
bom som que as eleições são importantes, mas que só a luta muda à vida, que não basta eleger esse ou aquele can-
didato, temos que nos auto-organizar e sair às ruas. Outra característica que temos que ter é de colocar a candidatu-
ra a serviço das lutas que venham a surgir durante a campanha, divulgando nos programas de televisão e rádio,
dando todo o apoio. Defenderemos também o programa que explicitamos acima, só assim poderemos fazer
avançar a luta e a organização da classe trabalhadora.

Flávio – Pré-candidato Deputado Distrital Brasília Cláudio – Pré-candidato Deputado Estadual São Paulo
Plínio – Pré-candidato Governador São Paulo

Soma teu esforço à Construção do Práxis.

SP (11) 9485-2044 ABC (11) 7155-7371 Baixada Santista (11) 7811-5573 Editorial 02 Frente Classista 08
RJ (21) 9102-8382 MS (67) 9287- 8938
MLST 03 Ataques São Paulo 10
praxis_psol@yahoo.com.br www.grupopraxis.org www.socialismo-o-barbarie.org Chile 03 Bolivia 12
16 CONAT 04 1 Venezuela 14
Conferencia P-SOL 06 Eleições 16
Práxis Editorial Debate Práxis
Editorial gueses ou pequenos burgueses mantiveram opostas a do camarada Pedro. às medidas progressistas” de um go-
importantes embates com o imperialismo e “Uma das expressões específicas mais im- verno burguês, ainda que anormal,
em determinado momento desempenharam portantes da teoria dos campos burgueses como o caso de Chaves. Isto é cri-
Vanguarda em marcha um papel progressista. Trotsky apoiava en- progressivos foi formulada pela própria In- me que lesa o socialismo revolucio-
tusiasticamente a nacionalização do petró- ternacional Comunista: a Frente Única nário, lesa o trotskismo e inclusive a
leo realizada pelo governo Lázaro Antiimperialista. Posteriormente, esta teo- melhor tradição da corrente
O mês de junho chega trazendo construção de um perfil claro e dis- à esquerda de um setor, ainda que Cárdenas.” (RM12, p 18) Avança com ria foi desenvolvida de maneira oportunista morenista.
com toda a força a questão das elei- tinto das demais centrais sindicais minoritário, de extrema importância, as Teses do Oriente da III Internaci- por Stalin e Mao e pelas cor rentes Moreno também se refere explicita-
ções de outubro, o que não significa existentes no Brasil, nesse sentido, visto que é com esse setor que de- onal que “é indispensável forçar os revisionistas do marxismo e do trotskismo mente ao tema: “A pergunta é: é possível
que não acontecerão greves e lutas nós de PRÁXIS nos pronunciamos vemos dialogar. partidos burgueses nacionalistas a (...). O conteúdo principal dessa teoria pode apoiar aos passos medidas progressistas de
como as da SABESP, Saúde Esta- fortemente na necessidade do adotar a maior parte possível deste sintetizar-se assim: o eixo estratégico do par- um governo burguês e não apoiar o dito
CONAT se posicionar sobre o prin- Apesar de estarmos em minoria
dual em São Paulo ou ainda a da programa agrário e nacionalista”. tido revolucionário nos países atrasados é a governo? Nós acreditamos com Trotsky, que
durante a Conferência, demos uma
Previdência Social, em nível nacio- cipal acontecimento do próximo pe- (RM 12, pg 18) conformação de uma frente única não apoiar os “passos e medidas” de um
importante batalha no sentido de ter-
nal. A conjuntura atual está marcada ríodo: as eleições. Achamos um erro Estas definições concentram vários antiimperialista com a burguesia nacional governo burguês é solidarizar-se politicamen-
gravíssimo, por parte do PSTU, se mos um programa classista e de rup- problemas, uma não menor é que en- (...). O eixo da política (...) não é lograr a te com o mesmo (...). Quanto aos “passos ou
fundamentalmente pelo fato do go- tura. Infelizmente se votou um pro-
verno Lula ter conseguido fechar a negar a votar durante o Congresso tre outras tantas se leva a cabo uma independência de classe do proletariado e, medidas” jamais os apoiamos, porém te-
o apoio e chamado à conformação grama de caráter democrático, que estratégia completamente incongru- nesse marco, estudar a conveniência tática mos a obrigação de utilizar-los, qualquer
crise do mensalão, mantido a esta- não faz a ponte entre as tarefas ime-
da unidade dos trabalhadores e so- ente com nossa perspectiva socialis- de fazer tal ou qual acordo limitado e cir- que seja o caráter do governo burguês que
bilidade econômica, junto a isso po- diatas e transitórias, votamos con-
cialistas nas eleições, que ao nosso ta geral. cunstancial com algum setor da burguesia”. os outorgue(...). Como marxistas revolucio-
líticas de cunho compensatórias: tra o programa sozinhos, achamos
ver, se concretizava como uma fren- Por um lado, já temos deixado assi- (N. Moreno, La traición de la OCI, cap. nários, não podemos julgar cada medida de
bolsa escola, fome zero etc lhe ga- um erro a postura de camaradas,
te classista e socialista tendo Helo- nalado que a estratégia “etapista” para 3)”. um governo por separado: está é boa eu
rantem altos índices de popularida- que mesmo se dizendo contrários, o Oriente e o mundo semicolonial Parece escrito para as polêmicas de apoio; está é má, a rechaço, ao contrário
de entre os setores mais marginali- ísa Helena como presidente e Zé
Maria como vice, tendo ainda, um se abstiveram. foi deixada de lado pelos revolucio- hoje. Porque precisamente o compa- temos que nos prender a sua política de con-
zados. O governo e a burguesia têm junto. Se um governo é burguês (...) tam-
conseguido até agora conter as con- programa de transição. Com tudo isso, o mais provável é bém são todas as suas medidas, por mais
tradições macroeconômicas, ao Outra vitória importante foi a que apesar da expressiva votação progressista que pareçam. Em síntese, jul-
mesmo tempo em que o movimento aprovação na Conferência Nacio- de Heloísa Helena, Lula vá à ree- gamos cada medida de um governo no mar-
de massas não tem conseguido sair nal do PSOL da Construção da Fren- leição, deixando para o próximo co de sua política geral e em relação à luta
às ruas com força. te Classista entre PSOL, PSTU e mandato os ataques à classe traba- de classes, jamais isoladamente (...). Nada
PCB para as eleições, em lhadora que não pôde realizar no pri- disto significa que não lutaremos por medi-
Se junho trouxe as meiro mandato, devido das progressistas, porém entendendo sempre
eleições, o mês de principalmente à crise que essas são um subproduto da mobilização
maio deixou duas im- do mensalão. Temos revolucionária da classe trabalhadora”. (N.
portantes conquistas, que desde já, preparar Moreno, cit. Cap 11).
que embora sejam ao a resistência a mais Em síntese, o “apoio às medidas pro-
nível de vanguarda, esse ataque por parte gressistas” e a “frente única
são de grande impor- do governo e dos pa- antiimperialista” com o governo
tância: no terreno sin- trões. chavista são um desastre político que
dical a consolidação só pode operar como subterfúgio,
da CONLUTAS Nesse sentido, nossa servindo ao próprio Chaves, cotidi-
como instrumento campanha eleitoral pre- anamente, de álibi, frente ao caráter
que possibilita a cisa estar a serviço des- de classe burguês de seu governo. O
aglutinação dos sa resistência, temos que está colocada é outra coisa: uma
setores mais dinâmi- que ter um perfil de nários a partir da experiência da se- nheiro Pedro Fuentes levanta o dedo estratégia intransigente de indepen-
cos da classe traba- classe - defendo as ban- gunda revolução chinesa (1925-1927) acusador contra os que sustentam a dência política de classe, e nesse mar-
lhadora e da juventude brasileira. contraposição àqueles que defendi- deiras históricas do movimento, ao e a formulação final das Teses da Re- frente única só “circunstancialmente” co é uma obrigação a defesa, incon-
Ao nosso ver a transformação ou am “ampliar” a aliança a partidos mesmo tempo em que precisamos volução Permanente. em caso de ataque golpista ou mili- dicional, porém “circunstancial” do
não da CONLUTAS em uma orga- não oriundos do mundo do trabalho, denunciar as intenções de Lula de Neste mesmo sentido, existe um va- tar ao governo Chaves. Isso é assim governo de Chaves frente a qualquer
nização de massas dependerá do como PDT, PPS PV, expresso em realizar as contra-reformas traba- lioso e educativo texto de Nahuel porque para Pedro “o permanente, embate militar ou golpista do impe-
artigo de jornais como Folha de São lhista, sindical e da educação, e não Moreno que, obviamente o camara- o estratégico” é o acordo, ou a fren- rialismo.
desdobramento da luta de classe em
Paulo pelo deputado federal Ivan ficarmos restritos a uma campanha da Pedro Fuentes não desconhece: te única antiimperialista com o
si, insistimos que sem ascenso do
Valente, de nosso partido e perten- A traição da OCI, referindo-se a capi- chavismo, e não “construir a inde-
movimento dos trabalhadores será cujo eixo sejam as questões demo-
cente à APS. Os índices de inten- tulação dessa organização trotskista pendência de classe do proletariado”.
muito difícil avançar. Entretanto, a cráticas. Só assim poderemos dis-
ção de voto na candidatura de He- francesa ao governo de Miterrand O mesmo cabe a respeito da total-
direção da CONLUTAS, ou seja, o putar a fundo a base operária que
loísa Helena são reflexo da ruptura em 1981. Ali se sustentam posições mente oportunista política de “apoio Roberto Saens
PSTU, tem responsabilidade na ainda tem ilusões em Lula e no PT.
2 15
Práxis Debate Lutas - Movimento Práxis

Frente Única Antiimperialista LIBERDADE AOS PRESOS POLÍTICOS DO MLST

ou independência de classe? Como amplamente divulgado pela impren- de prioridade do governo, como pelo
sa na terça-feira dia 06 de junho, os atos posicionamento do legislativo e da justiça.
O presente texto é continuação de um artigo publicado no site socialismo-o-barbarie.org patrocinados pelo MLST (Movimento de Como socialistas revolucionários que so-
Libertação dos Sem Terra) levaram à pri- mos, não estamos no campo do pacifismo
são uma quantidade grande de integran- pequeno burguês que iguala a violência do
Como já tem ocorrido outras vezes exigem é uma estratégia de apoio trotskismo, justificaram capitulações
tes do movimento. No dia seguinte o Jor- oprimido à violência do opressor, entre um
na história do movimento trotskista, político às medidas que o mesmo tremendas como no caso do POR
nal Folha de São Paulo publicou um artigo e outro nos colocamos ao lado dos primei-
a via da capitulação se pavimenta com venha a tomar caso se considere que na Bolívia durante a revolução de
do Deputado, Presidente da Câmara e “co- ros. Fazemos a crítica como e entre com-
a “tática” de Frente Única estas medidas sejam “progressistas”. 1952.
munista” Aldo Rebelo intitulado “Reagi em panheiros, para que possamos juntos avan-
Antiimperialista (FUA). Os compa- Ou seja, exigem dos socialistas revo- Sabendo destes graves antecedentes,
respeito ao povo”. çar não só em relação à reforma agrária
nheiros do MES sustentam que nas lucionários uma capitulação total, os companheiros de MES tentam
Não se trata de apoiar a ação em si, rea- mas ao socialismo. Não podemos capitular
atuais condições de enfrentamento uma rendição incondicional frente ao “justificar teoricamente” a passagem
lizada pelo MLST, ao contrário achamos a classe media progressista que faz um si-
com o imperialismo, alguns dos no- Governo de Chaves, como a ‘me- de armas e bagagens e esta estraté-
que a invasão da Câmara do jeito que foi nal de igual entre os lutadores sem terra e
vos governos da América Latina, lhor ou única “maneira de construir gia: “Nós revolucionários latino-america-
realizada presta um dês-serviço tanto a a onda de violência que assolou São Paulo.
sobretudo no caso Chaves, o que se a organização revolucionária” tam- nos formados no trotskismo, temos aborda-
causa da Reforma Agrária como a luta Não titubeamos na defesa dos presos na
impõe é “não ser sectário” e traba- bém na própria Venezuela’ ao mes- do historicamente as tarefas antiimperialistas
mais geral dos trabalhadores, ao mesmo ação, exigimos a imediata liberação de to-
lhar com a política de FUA. mo tempo em que se critica a direita com eixos claros que nos diferenciaram das
tempo não podemos e não aceitamos a dos os presos e nos colocamos incondicio-
Os companheiros do MES colocam: do Partido Revolução e Socialismo. correntes que defendiam a revolução por etapa
conclusão de que os integrantes do mo- nalmente na defesa da reforma agrária,
“A situação latino-americana nos põem ques- O que temos visto no passado como (...). Sustentávamos e sustentamos que as
vimento seriam “marginais ou esse Congresso Nacional que absolveu os
tões e novos processos que devemos
baderneiros”, e que estes estariam reali- mensaleiros não tem autoridade moral para
abordar de nosso ponto de vista soci-
zando um ataque a democracia em nos- mandar prender lutadores, os verdadeiros
alista e revolucionário. Com relação à
so país. criminosos estão nos gabinetes do Con-
Venezuela a política é só defender o
A equivocada ação do MLST não apaga o gresso, nos salões luxuosos da Esplanada
país frente ao imperialismo, ou tam-
fato que a Reforma Agrária pouco avan- dos Ministérios e no Palácio do Planalto.
bém apoiamos a ALBA contra a
çou no Governo Lula seja pela total falta
ALCA e as medidas de integração
latino-americana” (revista movi-
mento 12, pg 17). Ao que se
agrega: “isso exige dos revolucioná- CHILE
rios latino-americanos, uma política
audaz, uma política de apoio a OS “PINGUINS” VÃO ÀS RUAS CONTRA O GOVERNO
ALBA, as medidas progressistas do “PARTICIPATIVO” DE BACHELET
governo venezuelano e ao mesmo tem-
po a defesa da nação venezuelana fren-
te ao imperialismo. Não se trata só Resultado da falência do diálogo entre go- demandas fossem atendidas. bular e participação expressiva no conselho
de um apoio circunstancial; para o verno e estudantes secundaristas, o dia 30 As primeiras respostas do governo às reivin- formado para discutir a reforma educacio-
imperialismo a derrota do processo de maio, sacudiu o território chileno com o dicações estudantis foram à repressão vio- nal.
bolivariano é uma questão estratégi- desenrolar da maior manifestação popular lenta às manifestações e a prisão de 730 Como disse Maria Jesús Sanhuela, líder es-
ca. Ser parte dessa frente é a melhor desde 1972. pessoas somente no dia 30/5 e mais 262 no tudantil de 16 anos, “neste momento so-
– ou a única – maneira de construir Seiscentas mil pessoas, entre estudantes, pais dia 5/6 e a tentativa de ver refluir o movi- mos quem tem mais força para pressionar o
a organização socialista, revolucioná- e professores, deram início a “revolta dos mento com o passar do tempo, não acredi- governo. Há que ter gente na rua e força
ria independente também na própria tragédia pretende-se reeditar agora tarefas democráticas e antiimperialistas são pingüins” (uma referência ao uniforme tando na capacidade de mobilização dos midiática e nós temos. Em 2005, tínhamos
Venezuela”. (R.M. 12, pg. 18) como farsa. A orientação de “apoio tarefas que a burguesia não pode resolver com gravata dos secundaristas), saindo às estudantes. 30 colégios na assembléia e este ano tive-
Os companheiros sustentam a tese às medidas progressistas” de um de- até o fim (...) que a classe trabalhadora (...) ruas em torno das reivindicações pelo passe Utilizando o método de ocupação das esco- mos 500. Cresceu nossa capacidade de or-
de que não se trata somente da “defe- terminado governo burguês e a apli- que pode levar adiante um enfrentamento livre, pelo fim da lei de educação de Pinochet las, realizavam assembléias locais, onde ti- ganização. Lógico que depende das condi-
sa da nação venezuelana frente ao imperia- cação desta “tática” de FUA, con- conseqüente com o imperialismo e fazer uma que municipalizou o ensino público e per- ravam delegados que enviavam às reuniões ções de poder nacional, mas não foi cen-
lismo”, o que estamos incondicional- vertida em estratégia, levaram uma ponte com as tarefas conseqüentes”. (RM mite que cada colégio escolha o seu currí- da coordenação nacional. tral, foi fruto da militância. Agora, os estu-
mente a favor, ou a defesa circuns- após outra toda uma história de ca- 12 pg 17-18) Até aqui os companhei- culo escolar e pela igualdade de concorrên- Aos poucos Bachelet, foi cedendo, anunci- dantes estão conscientes de que a Loce [lei
tancial do próprio governo Chaves pitulação a governos inimigos da ros se mantém no terreno do mar- cia no vestibular. Iniciado no dia 29, além ando um pacote de 31 bilhões de pesos (R$ de educação] é muito nefasta. Ter consci-
ante a qualquer nova tentativa golpista classe trabalhadora. Em nome desta xismo revolucionário. O problema de passeatas, os estudantes permaneceram 131 milhões), mais a emissão de passe livre ência desse tipo de coisa é muito mais difícil
ou ataque do imperialismo, defesa orientação, o stalinismo e lamentavel- vem imediatamente depois: “Entre- em estado de greve permanente ocupando para uso nos transporte público no período do que saber que a ditadura é um mal, que
que igualmente sustentamos. O que mente várias correntes do tanto, vivemos situações onde governos bur- as escolas em que estudam, até adia 9 de de aulas, com tarifa liberada para os setores está muito mais visível”, afirma a dirigente
junho quando lograram alcançar que suas de baixa renda; gratuidade no exame vesti- que se auto-intitula marxista-leninista.
14 3
Práxis Sindical Internacional Práxis
ESPECIAL CONAT muito menos passa as empre- 3) transferir ao Estado a total exploração de seus próprios re-
sas ao controle dos trabalhado- atividade de exploração. Como cursos, mesmo naquilo que a
O DEBATE res, se constituindo pois numa salta aos olhos, isto é precisa- “radicalidade” do projeto tem pro-
manobra política, uma farsa di- mente o que NÃO ocorre com o vocado de embate com os inte-
ante das reivindicações e qua- decreto de Morales. resses capitalistas e imperialis-
O ano eleitoral polarizou bastante o Congresso, foi de ção das teses antes do inicio da discussão nos grupos, o
se 100 mortes de outubro de Para além do aumento de ingres- tas. Entre a nação oprimida e
fato o debate político central. Infelizmente o PSTU, (for- caderno de teses na verdade era um “emendário” pré-
2003. Como bem afirma a atual sos, diga-se importantes, para o os opressores, estamos com
ça hegemônica no congresso) e outros setores com peso definido pela coordenação, várias propostas aprovadas
direção da COB, este decreto “ Estado boliviano, bem como o os oprimidos!!!
no Congresso votaram na proposta de que a Conlutas nos grupos não foram encaminhadas para as plenárias
vem legalizar ou relegitimar as decreto expressar , a bem da ver- Assumimos esta posição políti-
não tivesse posição frente às eleições de outubro. gerais... No entanto, a principal manobra política buro-
explorações imperialistas” pela dade de maneira distorcida, a ca no marco de que não se
A divisão entre luta econômica e política só interessa à crática foi a de bloquear a construção coletiva de uma
via das empresas de caráter pressão popular, é necessário deve confiar no governo
burguesia. Parte fundamental da ideologia desta classe é resposta política para a realidade no próximo período
misto. afirmar os seus limites, o seu Morales, que apesar das me-
que os trabalhadores não podem em sua luta direta le- da luta de classes no Brasil. Para ser mais claro: todos
Em segundo lugar, está claro caráter inconseqüente e ,como didas que tem tomado conti-
vantar questões que são “próprias” da esfera política e, sabem que o PSTU vinha colocando como condição
que quem passa a controlar o vimos, a manobra política conti- nua sendo limitado e burgu-
da mesma forma, na luta política não se deve utilizar os essencial para compor a frente classista nas próximas
recurso é o Estado capitalista da em si, que afasta o trabalha- ês, embora “atípico”.
métodos de luta da classe trabalhadora. Assim, fica esta- eleições o lugar de vide-presidente na “chapa”, mas o
boliviano e não os trabalhadores. dor da possibilidade de gerir e ad- Ao contrário, sustentamos que
belecido, nesta construção ideológica, que nas greves por PSOL antes do Congresso já havia indicado na reunião
Atitudes midiáticas de colocação ministrar o que é seu, não expro- para poder resolver de maneira
melhores salários, melhores condições de trabalho, re- da sua direção nacional outro nome. Assim, um
de tropas ocupando os campos, pria e não nacionaliza, apenas conseqüente tarefa como: pro-
dução da jornada de trabalho e etc., não se colocam posicionamento da Conlutas pela frente classista nas con-
apesar do impacto de soberania, negocia com as multinacionais priedade do gás, Assembléia
questões ligadas à disputa pelo poder político e, por dições postas não interessava ao PSTU que estava em
na verdade, chama o povo boli- ao invés de expulsa-las. Constituinte, liquidação do Es-
outro lado, na luta política não se coloca a necessária plena campanha pela vice-presidência ou outras vanta-
viano a apoiar passivamente as Nesses marcos, a posição dos tado racista, se deverá avançar
transformação radical na ordem social e política. Desta gens na composição da frente. Desta forma, o não
medidas da frente popular, ex- socialistas revolucionários dian- na experiência e ruptura com o
forma, os sindicatos e as centrais sindicais ficam restri- posicionamento frente às eleições foi utilizado como
cluindo a participação ativa te da “nacionalização” de Evo Governo de Evo, na construção
tos ao economicismo e a ação política parlamentar ao chantagem política. Resumindo: o PSTU prestou um
dos trabalhadores, mantendo Morales deve ser clara e cate- de um Instrumento Político dos
politicismo. desserviço para o avanço da consciência política dos
em segurança nas mãos do Es- górica: a gestão e administra- Trabalhadores e de colocar de
O Grupo Práxis defendeu que o Conat incorporasse trabalhadores quando impediu que o congresso se de-
tado Boliviano, uma parte impor- ção operária são a única ga- pé uma Assembléia Nacional
dentre as suas campanhas a construção de uma Frente clarasse a favor da política de constituição de uma fren-
tantíssima dos recursos, que se rantia contra novas negocia- Popular e Originária. Que deve
de Esquerda Classista e Socialista nas Lutas e nas Elei- te classista.
dilapidará rapidamente. ções que estão pela frente. ter a perspectiva de um auten-
ções, composta pelo PSOL, PSTU e PCB além dos mo- No debate sobre a organização houve seis propostas:
Não pode haver desenvolvimen- Não podemos pois dar nosso tico governo operário, ori-
vimentos sociais e que esta frente se materializasse com definir a Conlutas como uma fração revolucionária da
to conseqüente das forças pro- apoio político ao decreto de Evo, ginário, camponês e popu-
a candidatura de Heloisa Helena para presidente e Zé CUT; constituir a nova entidade com um caráter mais
dutivas do país tendo um gover- por tudo o que já foi demonstra- lar, superando a farsa que
Maria para vice. Para nós esta formulação responde a amplo, incorporando movimentos sociais, setores não-
no frente populista na cabeça do do, se não for garantido totalmen- representa o atual governo
necessária unidade dos trabalhadores, pois poderia con- organizados da classe trabalhadora e entidades do mo-
Estado burguês, em associação te ao povo boliviano o direito in- de frente popular e sua
tribuir para que o movimento avançasse rumo à cons- vimento estudantil; definir a Conlutas como central de
com as multinacionais, mesmo condicional de fixar os termos da constituinte.
trução da unidade política dos lutadores, tanto nas lutas trabalhadores; criar a Cocep (Central Operária, Cam-
que em novas condições.
como nas eleições. ponesa, Estudantil e Popular); definir uma central do
Ainda mais que não se tra-
Mas o problema central não é de formulação, éna ver- tipo soviética; definir a Conlutas como central sindical.
ta de qualquer Estado ca-
dade de concepção política e metodológica. De forma A manutenção do caráter da CONLUTAS enquanto
pitalista, se não de um Es-
escandalosa o PSTU e demais organizações com a mes- coordenação de movimentos foi um grande acerto a
tado capitalista semi-colo-
ma posição utilizaram como argumento que a unidade nosso ver (posição aprovadas por mais de 90% dos
nial caracterizado dos pés
estaria ameaçada, com isso a Conlutas sai do seu I Con- presentes). Neste ponto se deu uma polêmica com cor-
a cabeça pela compra e
gresso sem posição para uma questão política central rentes ultra-sectárias que defendiam que a CONLUTAS
venda de favores.
nos próximos meses. È lógico que a formulação para o se formasse enquanto uma Central de tipo soviética, nada
Se tomarmos tão somen-
próximo período deve ser alvo de discussões, votações mais fora do contexto e da atual fase de construção da
te os pontos de vista jurí-
e acordos políticos entre os participantes, mas o funda- Conlutas.
dico da legislação bolivia-
mental era votar uma política que indicasse para a classe Sobre o ponto direção foram defendidas apenas duas
na, o decreto de “naciona-
trabalhadora uma posição classista e socialista frente às propostas. Alguns companheiros defenderam que esse
lização” deveria estabele-
próximas eleições. Assim, discordamos tanto da “ultra- Congresso deveria eleger uma direção, respeitando a
cer: 1) a subtração da
esquerda” que caracterizava a frente PSOL/PSTU/PCB proporcionalidade da votação. Entretanto, a proposta
possibilidade de explora-
como sendo uma frente popular, quanto com o setor aprovada foi a de que a Conlutas, nesse atual estágio,
ção dos recursos naturais
que defendia que o Congresso chamasse o voto nulo. deveria ter na sua coordenação nacional representantes
pela iniciativa privada; 2)
Afirmamos que o problema deste posicionamento é de de cada entidade que a compõem. O entendimento foi
passar ao domínio do es-
fundo metodológico. Durante todo Congresso foram o de que essa é a única proposta que garante uma real
tado todos os bens com
utilizados métodos antidemocráticos na condução dos representação das minorias dentro da entidade.
que os empresários exe-
debates. Se não vejamos: não foi permitida a apresenta- Posicionamento que nos parece o mais acertado.
cutaram a sua atividade, e
4 13
Práxis Internacional Sindical Práxis
Bolívia: ESPECIAL CONAT

Renegociação de contratos sem expropriação UM AVANÇO NA REORGANIZAÇÃO DOS TRABALHADORES


A conjuntura internacional, num momento de clara debilidade do imperialismo norte-americano, Com mais de 2500 delegados de todas as regiões do país se realizou em Sumaré, cidade localizada a aproximada-
tem acrescido ao lodaçal do Iraque diversas situações existentes pelo mundo, tais como o mente 120 km de São Paulo, capital, o Conat (Congresso Nacional dos trabalhadores), organizado pela CONLUTAS.
projeto nuclear do governo do Irã e o comportamento com características independentes do O sentimento unânime dos delegados de diversos sindicatos, centros estudantis e movimentos sociais foi o de que
governo Chaves e das medidas adotadas por Evo Morales, que apesar das limitações que é necessário construir uma ferramenta de luta que possibilite resistir aos ataques do governo e da burguesia e que
desenvolveremos mais abaixo, implica em virar o tabuleiro a respeito das regras do jogo que contribua para o avanço da luta pelas bandeiras imediatas e históricas da classe trabalhadora, visto que CUT, UNE
haviam sido estabelecidas no apogeu do neoliberalismo puro e duro dos anos 90. e várias outras organizações do movimento social no Brasil foram totalmente incorporadas à governabilidade
burguesa.
Apesar do grande número de delegados, não podemos perder de vista que o Congresso demonstrou que a
Tomando em conta a situação Baixo as pressões populares e pensão e empresas privadas de CONLUTAS reflete o movimento de ruptura de um pequeno setor da classe trabalhadora. A ausência da repre-
regional, vivemos na América sintomas de crise de governo, aposentadoria. sentação de setores chave da classe trabalhadora no Brasil salta aos olhos. A Conlutas configura-se como um
Latina um momento de mudan- Evo se viu obrigado a promulgar No plano imediato, a movimento com peso apenas no movimento estudantil e no funcionalismo público federal estadual. Do ponto de
ça de proporções no ciclo de um decreto “nacionalizador”, po- renegociação dos contratos diz vista político mais estratégico atrair para o movimento setores operários de massa é uma tarefa decisiva para o
rebeliões iniciadas no início do rém, as medidas tem alcance respeito aos dois campos petro- próximo período.
século XXI, visto que no atual bastante limitado e seu efeito líferos mais importantes, San
momento o questionamento po- principal é o de renegociar con- Alberto e San Albano, ambos
pular ao “neoliberalismo” e a de- tratos com as multinacionais do pertencentes a Petrobrás, que
mocracia dos ricos têm adquiri- setor, entre elas a Petrobrás, transitoriamente e por 180 dias
O PROBLEMA DA REPRESENTAÇÃO
do uma força antes não vista em aumentando o seu retorno de deverá entregar 82% da produ-
diversos países do continente. E renda dos atuais US$ 300 mi- ção ao Estado. No resto dos Como foi dito acima, o Congresso teve uma participação bastante ampla, com 2.729 delegados presentes e 235
é essa realidade que deve ser- lhões para algo em torno de US$ campos, o lucro continuará a observadores, além de mais de 200 convidados. Entretanto, o exame mais detalhado dos números demonstra que
vir de base de análise da situa- 1 bilhão. No que tange a proprie- ser distribuído de acordo com a ainda temos muito a avançar na implementação da CONLUTAS como verdadeira alternativa de luta dos traba-
ção particular do governo de dade, o decreto busca que o Lei dos Hidrocarbonetos votada lhadores e do povo explorado.
frente popular de Evo Morales, Estado Boliviano passe a formar pelo congresso em 2005. Ou A composição do encontro pouco representou os setores operários e os grandes batalhões da classe trabalhadora.
em relação ao seu ato de 1º de parte das empresas hidrocar- seja, somente ao final das ne- A ampla maioria dos delegados oriundos de sindicatos representavam em sua maioria funcionários públicos que
Maio. Sem outubro de 2003 e as boníferas, que assumem um gociações saberemos o verda- embora importantes, são insuficientes para fazer avançar a luta do conjunto dos trabalhadores. Só para se ter uma
jornadas revolucionárias de caráter misto com capitais im- deiro alcance do decreto de “na- idéia, no ABC paulista, região de grande concentração industrial e berço do PT e da CUT, dos quase 100 delega-
maio-junho de 2005, não se pode perialistas, cumprindo um papel cionalização” de Evo Morales. dos eleitos mais da metade era de movimento de moradias e outros tantos representavam servidores públicos
entender a iniciativa da “nacio- regulador e de controle, através De qualquer modo, analistas federais, estaduais e municipais e uma minúscula parte representava setores produtivos.
nalização” dos hidrocarburos , da recuperação de títulos de pro- apontam que por mais duros
apresentada de maneira mais priedade “populares” anterior- que sejam as multinacionais,
radicalizada que o esperado. mente repassados a fundos de como no caso Venezuelano das
concessões da PDVSA,
poderão seguir fazendo
excelentes negócios, sem AVANÇAR NA CONSTRUÇÃO DA CONLUTAS
grandes escoriações ao
regime de altos lucros. Somente iniciamos o processo de do. Assim, ter política clara para rea- ples e outras, será uma prova de
Em primeiro lugar, o anun- construção, estamos longe de uma lizar ações conjuntas de todos os fogo para a CONLUTAS e para
cio de que se estaria dian- organização com peso de massas. setores em ruptura com o governo todos os lutadores. O desenvolvi-
te “ da terceira e definitiva Neste sentido, a construção da é uma tarefa decisiva. mento de uma alternativa de orga-
nacionalização dos CONLUTAS é um importante ins- O Congresso demonstrou que já nização massiva classista e indepen-
hidrocarbonetos na Bolí- trumento de aglutinação dos lutado- demos os primeiros passos na cons- dente depende em grande medida
via”, como afirmou Evo, res no próximo período, o que não trução da CONLUTAS, porém da capacidade de mobilizar e dar
não passa de uma bravata significa que devemos desconsiderar muitos outros ainda terão que ser respostas políticas para amplos
– as nacionalizações ante- outras iniciativas de resistência pre- dados. O segundo semestre será um setores da classe trabalhadora. É
riores (1937 e 1969) foram sentes na realidade brasileira. Para período de campanhas salariais de preciso desde já organizar de for-
nacionalizações capitalis- nós, é fundamental a unidade entre diversas categorias importantes ma unificada as campanhas salari-
tas com indenização – pois todos os lutadores do movimento como petroleiros, bancários e cor- ais, juntos seremos mais fortes. Não
não determina indeni- social – única maneira de fazer fren- reios, de luta contra demissões nas podemos deixar para a CUT gover-
zações, mas também não te aos desafios colocados para a clas- montadoras, luta contra a reforma nista e a Força Sindical patronal a
executa a expropriação e se trabalhadora no próximo perío- trabalhista embutida no super-sim- condução das campanhas.
12 5
Práxis Vida Partidária
Partidária Barbárie Práxis

Conferência do PSOL
teiras, substituindo o Estado, mantendo- va uma grande apatia. Ao lado de conclu- pliando a base de apoio a um projeto de
as isoladas e usando-as como escudos de sões acertadas, localizando as causas do reformas, através das eleições, é que pode-
segurança dos chefes do tráfico. Se de um problema na política aplicada pelos go- remos nos tornar referência de esquerda.
lado o falso moralismo das elites lhes faz vernos federal e estadual e na impunida- É verdade que a urgência de respostas exi-
declarar repugnância por essa ação da de, quando se trata de ações contra os pos- ge a apresentação de medidas de eficácia
Entre os dias 26 e 28 de Maio PSOL, nos orgulhamos de não até o momento tem servido à criminalidade, de outro, seus interesses fa- suidores de grandes capitais, demonstra- imediata, no entanto, soluções do tipo:
se realizou em Brasília Iª Con- termos entrado pela porta dos luta dos trabalhadores. Se por zem com que fechem os olhos unificação das polícias ci-
ferencia Nacional do PSOL, em fundos, nem realizamos subter- um lado não concordamos que para a ação de grupos policiais vil e militar; utilização de
substituição ao Congresso Naci- fúgios, temos dedicado grande para sermos revolucionários de extermínio, que percorrem as monitoramento tecnoló-
periferias assassinando “suspei- gico nos presídios;
onal, contando com a presença parte de nosso esforço militante temos que ter a posição mais a tos” e promovendo chacinas. monitoramento e contro-
de aproximadamente 160 dele- à tarefa de construir e fazer esquerda, por outro lado igual- Afinal, o fim precípuo do siste- le de todas as fronteiras e
gados eleitos, representando avançar nosso partido estamos mente não nos inserimos entre ma repressor é a defesa da pro- identificação de simbiose
todas as regiões do país. O de- entre aqueles que comungam aqueles que acreditam que a priedade e, por conseguinte, do com outras ati-vidades ile-
bate se deu em torno de 3 pon- que a construção do PSOL foi melhor forma de construir o lucro e não da classe trabalhado- gais; re-estruturação e mu-
ra. danças de método de
tos principais: programa eleito- um grande acerto e que signifi- PSOL é faze-lo de forma Permite-se também que crimi- atuação do aparelho re-
ral, tática de aliança e constru- cou um passo adiante na não acrítica. Infelizmente, em nosso nosos apresentem uma face le- pressivo do estado, são
ção partidária. Na verdade dispersão das forças de esquer- partido tem se construído uma gal assumindo setores inteiros importantes, mas, não são
como demonstrou o debate o da socialista em nosso país e ideologia de que a unidade se da economia, como o da máfia suficientes. Como ficou
único tema que verdadeiramen- mais ainda, que de forma faz escondendo as diferenças, das cooperativas de ônibus al- claro, o crime organizado
ternativo e os de “investimen- é somente mais um tipo
te foi objeto de disputa foi a objetiva tem possibilitado apre- tal posição vai contra toda a to” em casas de bingo. Ao lado de negócio dentro do sis-
política de alianças, que resul- sentar ao conjunto da vanguar- história do socialismo revoluci- desses negócios os menores de tema capitalista, e portan-
tou na constituição da Frente da que se enfrentou com Lula e onário, basta vermos a história rua são usados como “mulas” e to, não se resolve com al-
Classista e Socialista, objeto de o Governo uma alternativa à do partido bolchevique, onde os iniciados na rotina do tráfico e da prosti- va, também, um enorme desalento com a terações por dentro do sistema, ou seja,
tuição, que atende aos filhos das “famílias degeneração da vida, mas sem enxergar da ditadura do capital.
de bem” da elite nacional. Enquanto isso, numa ação própria de tomar as ruas e pro- Apesar da pressão para que nos apresse-
os jovens trabalhadores inapelavelmente mover as mudanças algo possível de ser mos a dar respostas às necessidades ur-
encarcerados por pequenos furtos, são realizada. gentes da classe trabalhadora e do povo
obrigados a escolher esta ou aquela facção Repetindo a mesma falta de mobilização oprimido, a realidade exige dos lutadores
criminosa para se alistar, se quiserem se observada durante a crise do mensalação, conseqüentes da esquerda, a unidade de
manter vivos dentro dos presídios. o trabalhador, mesmo agora num ataque ação e luta junto aos setores avançados da
Além das soluções físicas do aumento do mais direto a seus direitos, se encolheu. classe trabalhadora, com uma agenda de
número de cadeias; das mudanças legais; Mais uma vez ficou demonstrada a ur- encontros e manifestações capazes de mo-
da perpetração de slogans tais como “ban- gência de uma unidade de todos os luta- vimentar a classe na construção de um pro-
dido bom é bandido morto”, a classe dores de esquerda realmente comprome- grama conseqüente de transição e ruptura
dominante apresenta, através de ong’s e tida em resgatar os grandes momentos com o capital.
algumas ações governamentais, a propos- de luta da massa trabalhadora. Não cabe É preciso resgatar a combatividade da clas-
ta de educação das classes baixas para o mais tergiversação: na estratégia da luta se trabalhadora, liberá-la do peleguismo e
planejamento familiar, debitando a misé- pelo socialismo, o aspecto mais impor- lançá-la às ruas, que é onde realmente se
ria e a falta de emprego à “ignorância” do tante a ser tratado neste momento é a consegue as mudanças e a reconquista de
povo pobre em não controlar o aumento correta delimitação dos campos entre os direitos. É necessário que a frente classista
da natalidade. que defendem os reais interesses da classe montada para as eleições, suplante este es-
outro artigo neste mesmo jornal. esquerda, aqueles que de forma debates e diferenças eram cons- Acuado pelo desemprego e pela violência, e aqueles que acreditam que somente am- tágio, e agindo de maneira unitária, princi-
o povo trabalhador - com a palmente entre a juventu-
A militância partidária que por sectária não conseguem ver esse tantemente levados aos con- pressão ideológica imposta de trabalhadora e oprimi-
mais de um ano esperou a reali- avanço, na maioria das vezes gressos partidários. pelos meios de comunicação - da, aponte onde estão os
zação do I Congresso que pu- fazem o jogo do PT, de Lula e Base dispersa x Direção no desespero, acaba assumin- verdadeiros problemas,
desse resolver as debilidades e do Governo. O PSOL é parte Bonapartista do o discurso da classe domi- desmistifique a polarização
pressões a que estamos subme- de um fenômeno de reorganiza- Entre os graves problemas que nante e de uma maneira con- PT/PSDB, inverta a atual
traditória volta-se contra si correlação da luta de classes
tidos teve que se contentar com ção por que passa a esquerda temos que enfrentar está à dis- mesmo. e crie as condições para que
uma Conferência cujos debates em nível mundial e que em nos- persão de nossa base partidária. O desânimo da Classe tra- batalhões de trabalhadores
já estavam “resolvidos”, ao nos- so sub-continente sul americano Até o momento não consegui- balhadora e a necessidade de em marcha derrotem o
so ver isso não contribui para tem entre outras expressões o mos organizar os diversos com- ação unitária da esquerda banditismo capitalista seja
fazer avançar o PSOL. PRS na Venezuela e o Instru- panheiros que vem rompendo Passados os momentos mais de que tipo for.
difíceis, o povo trabalhador
Acertos e Limites mento Político dos Trabalhado- com o PT, temos uma base mostrava mais do que inse-
Práxis, desde o início está com- res na Bolívia e deve ser encara- atomizada, pouco politizada e gurança e insatisfação: mostra- Zé Roberto
prometido com construção do do como um instrumento que ao mesmo tempo uma direção
6 11
Práxis Barbárie Vida Partidária
Partidária Práxis
A FACE OCULTA DO PROJETO NEO-LIBERAL que atua de forma bonapartista, com características reformistas o que poderia ter levado o pro-
onde os debates e diferenças composto pela APS e ENLA- grama à esquerda.
OS TRABALHADORES CERCADOS PELO CRIME são resolvidas por cima, sem a CE, (expressou-se contra a ali- Nós de PRÁXIS temos insisti-
participação do conjunto dos ança com PSTU, pela ampliação do na necessidade de unificar o
Coroamento trágico de um processo reação tardia a ação da Polícia paulista, e sacionalismo, dando espaços às mais militantes. A Conferência de- do espectro de aliança defen- conjunto da esquerda do partido
gerencial neo-liberal de 16 anos, os ata- que o PCC havia sido extinguido. estapafúrdias opiniões emitidas por em- monstrou de forma cabal que dem um programa de caráter em um bloco político que possa
ques do Primeiro Comando da Capital – Enfim, enquanto o povo trabalhador fi- presários e socialites, que ao invés de es-
PCC – em São Paulo, colocaram o povo cava sem transporte em meio aos mais clarecer somente fizeram aumentar o cli-
estamos a Kms de distância de democrático e popular cujo cen- contrapor as enormes pressões a
trabalhador paulista em estado de enor- diversos boatos de toque de recolher, o ma de pânico e irracionalidade presente chegarmos a um partido com tro fosse a democratização do que estamos submetidos. O pro-
me apreensão ao longo de 5 longos dias. governador Cláudio Lembo somente sa- no seio da população. Ao lado disso ju- algum grau de organicidade. As Estado), esse setor conta com a cesso eleitoral pode servir para
Refém das ordens e ações do crime orga- bia dizer que estava tudo sob controle, o ristas, jornalistas e políticos dos partidos plenárias que elegeram delega- maioria dos parlamentares do avançarmos rumo a tal bloco, se
nizado por um lado e da violência policial que se deu tão somente após negociação burgueses, encenaram um debate em que dos a Conferência reuniram algo partido. No centro tivemos a formos capazes de cunhar um
desmesurada de outro, assistimos a ata- entre a Polícia e o líder do PCC, Marcola. recuperaram a proposição de medidas de
ques a ônibus, bases policiais, viaturas, Mais do que nunca, a burguesia mostrou açodamento da lei no combate a
em torno de 7000 militantes, presença do MES e do Poder programa para nossas candida-
bancos, rebeliões em presídios e a morte a sua completa indiferença aos problemas criminalidade e em defesa da proprieda- muito longe dos números decla- Popular que como todo bloco turas de perfil à esquerda, de
de civis (4), policiais (45) e de 115 suspei- da população trabalhadora, passando o de. Nesse sentido, as alterações legais pro- rados pelo senso, sem falar em centrista vai de um lado ao ou- apoio as lutas dos trabalhadores
tos de pertencerem ao PCC, 39 deles não tempo preocupada somente em discutir postas são sempre as mesmas: diminui- nosso cotidiano estado de falta tro da política, os companheiros e da juventude, um programa
pertencentes à organização e outros tan- quem era o maior culpado se o governo ção da idade de responsabilidade criminal de dinheiro, só para darmos um embora compartilhem a posição que articule as tarefas imediatas
tos não identificados. Nos três dias que se federal ou o estadual, e como “combater de 18 para 16 anos; aumento dos efetivos
seguiram ao início dos ataques a ação da o crime nos limites da lei”, ou seja, como da polícia nos bairros de periferia; utiliza-
exemplo, SP que
polícia incrementou o número de suspei- reforçar os instrumentos de repressão, in- ção de armamento automático por parte declarou no senso
tos mortos em confronto da média de vadindo bairros de periferia atacando dos policiais; aumento das penas e dimi- 1900 militantes,
quatro mortos por dia para trinta por dia, indiscriminadamente trabalhadores. No nuição de direitos dos presidiários; reuniu pouco mais
atirando primeiro, perguntando de- parlamento, ao lado de ação do Senado criminalização das ocupações de terras e de 600, e mesmo
pois. para aprovar a toque de caixa projetos de prédios públicos ou particulares; utiliza-
Tais números com- ção de forças fede-
tendo 12 vereado-
paráveis ao dia a dia rais; relaxamento res e 2 Deputados
do Iraque, apesar do da garantia de direi- Federais, não con-
gigantismo, não tos individuais, seguiu alugar um
conseguem expres- para facilitação de ônibus para que os
sar o sentimento de investigações e pri-
insegurança deixa- sões, entre outras.
delegados partici-
ram à mostra a for- Todo este discurso passem da Confe-
ma como as coisas da escondendo as re- rência. Nosso parti-
segurança são trata- ais causas do au- do vive hoje uma
das, e a similitude mento da violência contradição perigo-
com as da crise em urbana, visa clara-
que chafurda o go- mente aumentar
sa: um peso eleito-
verno Lula, sua base os instrumentos ral e presença parla-
de apoio e agora, com de coerção sobre as mentar despropor-
o escândalo das am- camadas mais po- cional ao nosso
bulâncias, o duo bres da população peso real orgânico,
PSDB/PFL. atendendo aos
Na tentativa de não anseios da classe
aqui não cabe fazer
prejudicar a campanha eleitoral à presidên- lei endurecendo, principalmente, a legisla- dominante e cooptar para o seu campo de um discurso
cia do ex-governador Alckmin, a Polícia ção carcerária, os componentes da Câmara discussão os assustados setores das clas- antiparlamentar, ao contrário de democratização do Estado e históricas. Neste sentido te-
Civil, sabendo a algumas semanas da pos- já anunciavam que a próxima campanha ses médias. queremos ressaltar que se não votaram a favor da aliança com mos que defender: não paga-
sibilidade de ataques do PCC para o dia eleitoral terá como ponto principal a se- O que não se discutiu, foi o quanto a po- nos construirmos na base dos o PSTU, verdade seja dita isso mento da divida externa com
das mães, tentou “esconder” o problema gurança. lítica neo-liberal de aumento da miséria e
com a transferência de 765 presos para A busca por respostas retirada dos direitos dos trabalhadores é
movimentos estaremos constru- garantiu a vitória da Frente controle de capitais, reforma
presídios de segurança máxima. Em reação Evidentemente, os momentos imediatos responsável pelo aumento da violência, e indo um castelo de cartas que Classista. Infelizmente, a es- agrária sem indenização,
a isso, e sabedores do plano através da ao choque provocado pela ação do PCC, principalmente o quanto é conivente com ao menor vento se vai ao chão. querda, embora com peso na reestatização das empresas
compra de uma gravação de pronuncia- trouxeram ao palco as mais diversas ma- a existência desses grupos criminosos. Li- É preciso construir um bloco Conferência, não conseguiu se privatizadas, aumento de sa-
mento secreto na Câmara federal do De- nifestações de todos os setores organiza- gados ao narcotráfico, tais grupos, corrom- de esquerda socialista e revo- colocar de forma eficaz, tanto lário de acordo com o
legado Geral de Polícia de São Paulo, o dos da sociedade, todas elas indignadas pem funcionários dos poderes legislativo,
PCC, reagiu executando de maneira con- com a impotência do Estado e exigindo executivo e judiciário.
lucionário os companheiros da CST, como DIEESE e redução da jorna-
tundente o ensaio que fizera anos antes. ações imediatas no âmbito do judiciário, Mais do que isso, o sistema burguês per- Hoje no PSOL podemos dizer do CSol, por omissão não con- da de trabalho entre outras.
À época o então governador Geraldo legislativo e do executivo. mite que tais criminosos assumam o pa- que existem dois blocos políti- seguiram unir o conjunto dos A serviço disso estaremos tra-
Alckmin decretava que aquilo era uma A imprensa burguesa se refastelou no sen- pel de “benfeitores” de comunidades in- cos: um claramente à direita grupos e delegados da esquerda, balhando!!

10 7
Práxis Eleitoral Práxis

FRENTE CLASSISTA: UM PASSO ADIANTE...


Grande parte da vanguarda socialista acompanhou com interesse os debates ao dade de unir o conjunto da vanguarda nas lutas, eleições sindicais e agora em que
redor da construção de uma Frente Classista e Socialista que pudesse unifi- a eleição está na ordem do dia, também nesse terreno. Nesse sentido, levantamos
car o conjunto da vanguarda, que no último período tem se enfrentado com o durante todo o período a necessidade de construirmos uma verdadeira Frente
governo Lula e seus planos de aprofundar as contra reformas neoliberais. Nós, de Única que englobasse tanto os companheiros que se organizavam na Assembléia
Práxis, desde o início da chamada crise do mensalão, temos reiterado a necessi- Popular de Esquerda como na CONLUTAS.

O debate sobre a constituição da programáticas, que explicaremos voto de Lula, podendo mesmo ga- setor da ultraesquerda, que com deslocada da realidade tal como ela apesar de fraseologia de esquerda,
Frente Classista e Socialista ganhou mais abaixo, tem enorme valor nhar ainda no primeiro turno. uma caracterização totalmente dis- é, vale dizer que são esses mes- praticam uma política de direita,
grande espaço na esquerda com educativo. A atual etapa da luta de tante da realidade, vem defenden- mos que ainda hoje defendem que fragilizão a vanguarda, dividem luta
a aproximação das eleições de ou- classe no Brasil, diferente de outros Frente Classista ou do o voto nulo com o discurso que o governo Lula é um governo de sindical de luta política e fazem o jogo
tubro, qual seria a melhor política países da América Latina, não con- Frente Popular? a frente PSOL, PSTU e PCB seria Frente Popular, ora, cabe pergun- de Lula e dos patrões.
dos socialistas revolucionários dian- tou com Rebeliões Populares uma Frente Popular. Aqueles que tar quem são os setores burgue- Nós nos colocamos em uma perspec-
te dessas eleições? como na Argentina, Bolívia, Se por um lado tivemos que dar defendem tal caracterização tem a ses da frente: PSOL, PSTU ou PCB? tiva totalmente distinta. Lutamos pela
Desde o interior de nosso partido Venezuela, isso faz com que a con- uma batalha com setores que que- obrigação de explicar onde estão Lembremos que Trotsky quando constituição da Frente PSOL, PSTU e
travamos uma batalha junto com juntura esteja profundamente riam transforma a frente em um colocadas as premissas da Frente cunhou o termo de Frente Popu- PCB e a saudamos como uma vitória
outros camaradas e grupos, con- mediada, o que por um lado expli- arremedo de frente policlassista, Popular, repetem como papagaio lar, nos anos trinta do século pas- da vanguarda. Atuamos no PSOL
tra a real possibilidade de constru- ca os altos índices de intenção de por outro temos que enfrentar um uma fraseologia totalmente sado, o fez para caracterizar um desde seu início sem esconder ou es-
ção de uma frente de caráter tipo específico de camotear seus limites e debilidades, e
policlassista, que se expressava na regime instável dentro dele damos uma batalha con-
posição da corrente APS e de seu surgido como tra as grandes pressões a que está
principal representante o deputa- subpro-duto das submetido, nos orgulhamos disso,
do federal Ivan Valente, que mes- ações de massas, não temos vergonha e não sendo a
mo depois da reunião da Direção onde a burguesia principal expressão política de setores
Nacional ter se pronunciado con- estava presente de vanguarda em ruptura com sua
tra coligações com partidos bur- como sombra, direção histórica, Lula e o PT, sendo
gueses e da base de sustentação logo, para esses setores que hoje se encontram
do governo federal, deu entrevis- Trotsky, as frentes organizados em seu interior, mais do
ta em jornais defendendo uma co- populares seriam que isso, a candidatura de Heloisa He-
ligação com PDT, típico partido a ante-sala da re- lena, em terceiro lugar nas intenções
burguês, fato que causou mal es- volução ou da de voto, contando com algo em tor-
tar entre os militantes do partido. contra-revolução. no de 7% dos votos representa um
Para ser honesto, essa política de- Aqui não cabem setor de massa, minoritário que tem
fendida mais explicitamente pela meias palavras, ido à esquerda.
APS e Ivan Valente também era, Se é verdade que o PSOL é a ex-
com menos fervor, defendida por
outros setores mais à direita do Limites do Programa pressão mais avançada do processo
de reorganização do ponto de vista
partido. A proibição de alianças político, não há a menor dúvida que
com partidos deste naipe foi uma Como afirmamos acima, temos consciência de que o programa vo- lhadora e fazer uma ponte até as tarefas históricas. Após toda a a CONLUTAS representa o mesmo
vitória da base do partido que se tado na Conferência está muito aquém da real necessidade da clas- experiência do PT não podemos realizar mais uma divisão entre no terreno sindical, nesse sentido a
insurgiu contra o ataque ao caráter se trabalhadora, nesse sentido votamos sozinhos contra o mesmo. programa mínimo para o dia-a-dia e programa máximo para os aliança PSOL e PSTU nas eleições tem
classista do partido. O programa votado, em certa medida é contraditório com a compo- dias de festa. Reiteradas vezes apresentamos um programa al- também esse importante elemento,
A aprovação da aliança eleitoral en- sição da Frente, uma vez que tem seu centro nas questões demo- ternativo, que entre outras medidas colocasse claramente o não a unidade desses dois importantes
tre o PSOL, PSTU e PCB é de gran- cráticas, que reconhecemos importantes principalmente em um país pagamento da dívida externa e o controle de capitais; a processos, uma vez que é incontes-
de importância, pois apresenta extremamente autocrático como o Brasil, entretanto, as tarefas reestatização das empresas privatizadas e sob o controle tável o fato de ser o PSTU o maior
para o conjunto da vanguarda que democráticas não podem estar desassociadas das tarefas propria- dos trabalhadores; aumento de salários de acordo com o impulsionador da CONLUTAS e sua
vem rompendo com Lula e o PT, mente socialistas, se quisermos estar à altura dos desafios que es- DIEESE e redução da jornada de trabalho; aumento vertigi- direção.
uma alternativa unificada de es- tão colocados precisamos apresentar um programa diametralmente noso do investimento em saúde e educação; e cancelamen-
querda e independente dos pa- oposto, precisamos partir dos interesses imediatos da classe traba- to das contra-reformas previdenciária e universitária.
trões e do Estado, uma frente que MB
apesar de suas limitações
8 9 Márcio Barbio

Оценить