Вы находитесь на странице: 1из 52

AIX Versão 6.1

IBM Workload Partitions para AIX

S517-9723-03

AIX Versão 6.1

IBM Workload Partitions para AIX

S517-9723-03

Nota Antes de utilizar estas informações e o produto suportado por elas, leia as informações

Nota Antes de utilizar estas informações e o produto suportado por elas, leia as informações no “Avisos” na página 37.

Antes de utilizar estas informações e o produto suportado por elas, leia as informações no “Avisos”

Terceira Edição (outubro de 2009)

Esta edição aplica-se à Versão 6.1 do AI X e a todos os releases e modificações subsequentes, até que seja indicado de outra forma em novas edições.

Um formulário de comentário do leitor é fornecido no final desta publicação. Se o formulário foi removido, envie seus comentários para IBM Brasil - Centro de Traduções, Rodovia SP 101 km 09, CEP 13185-900, Hortolândia, SP. Para enviar seus comentários eletronicamente, utilize este endereço de Internet comercial: pserinfo@us.ibm.com. Qualquer informação fornecida poderá ser utilizada sem incorrer em qualquer obrigação para com o Cliente.

Nota para Direitos Restritos de Usuários do Governo dos Estados Unido s - - Uso, duplicação ou divulgação restrita pelo GSA ADP Schedule Contract com a IBM Corp.

© Copyright IBM Corporation 2007, 2009.

Índice

Sobre esse Documento

.v

. Distinção entre Maiúsculas e Minúsculas no AIX .

Realçando .

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.v

. v

ISO 9000 .

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.v

IBM Workload Partitions para AIX

Conceitos do AIX WPAR

.

.

.

.

.

.1

.

.1

. Diferenças no Ambiente do WPAR .

.

.

.

.

.1

Restrições e Limitações no Ambiente do WPAR.

.

2

Dispositivos

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.2

Rede .

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.3

Ambiente Global .

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.3

. Controles de Recurso

Segurança

. Dispositivos nos WPARs .

.

.

.

.

.

.

. Implementando um Dispositivo .

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.4

.5

.6

.7

. Configurando um Dispositivo em um WPAR

Alocando um Dispositivo

.

.

.

.

.

.

.7

.

8

Gerenciando Sistemas de Arquivos para um

 

Dispositivo

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.8

WPARs do Sistema .

.

.

.

.

.

.

.

.9

WPARs Compartilhados e Não Compartilhados . 9 Sistemas de Arquivos para os WPARs de

Sistemas

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

. 10

Rootvg WPARs .

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

. 11

Aplicativo partições de carga de trabalho Sistemas de Arquivos para os WPARs de

.

.

Aplicativo

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

. 12

. 12

. Configurando WPARs de Sistema .

 

.

.

.

.

.

. 13

Nomeando o Sistema WPAR

.

.

.

.

.

. 13

Criando um WPAR de Sistema .

.

.

.

.

.

. 13

Configurando Diretórios e Sistemas de Arquivos

para os WPARs de Sistema

 

.

.

.

.

.

. 15

Configurando Redes para WPARs de Sistema . Configurando Controles de Recursos para os

. 18

WPARs de Sistema

.

.

.

.

.

.

.

.

. 21

Usando Arquivos de Especificação para WPARs

de Sistema

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

. 21

Usando um Arquivo image.data para os WPARs

de Sistema

. Configurando os Aplicativos WPARs

.

.

.

.

.

.

.

.

.

. 22

. 22

Criando um Aplicativo WPAR .

.

.

.

.

.

. 22

Configurando Diretórios e Sistemas de Arquivos

. Configurando Redes para WPARs de Aplicativos 24

. 23

para os WPARs de Aplicativo .

.

.

.

.

Configurando Controles de Recursos para

WPARs de Aplicativos

.

.

.

.

.

. 25

Trabalhando com Arquivos de Especificação para

os Aplicativos WPARs .

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

. 25

Administrando os WPARs

.

. 26

Listando os WPARs

.

. 26

Listando Identificadores WPAR

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

. 26

Efetuando Login em um WPAR

.

. 27

Fazendo Backup dos WPARs

.

. 27

Restaurando os WPARs .

.

.

.

.

.

.

.

. 28

Removendo WPARs

.

.

.

.

.

.

.

.

.

. 28

Iniciando os WPARs de Sistema

.

.

.

.

.

.

. 28

Parando os WPARs

.

.

.

.

.

.

.

. 29

Usando o Subsistema de Contabilidade Avançada

com os WPARs

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

. 29

Recuperando Partições de Carga de Trabalho

Desanexadas Incompatíveis .

.

.

.

.

.

.

.

. 29

Gerenciando Software com Partições de Carga de

. Usando o Recurso de Rastreio com os WPARs.

Trabalho Desanexadas .

. Disponibilizando Software para Outros WPARs .

.

.

.

.

.

.

.

.

. 30

. 31

. 31

Exemplo: Instalando o Apache em um WPAR

. 32

Comandos Modificados e Aprimorados do AIX para

WPARs .

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

. 32

Avisos .

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

. 37

Marcas Registradas .

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

. 39

Índice Remissivo .

.

.

.

.

.

.

.

.

. 41

Sobre esse Documento

Os Partições de carga de trabalho (WPARs) são um ambiente de sistema operacional virtualizado dentro de uma única instância do sistema operacional AIX. Os WPARs protegem e isolam o ambiente para processos e sinais que são usados pelos aplicativos corporativos. Esse tópico explica como criar e gerenciar os WPARs no AIX.

Realçando

As seguintes convenções de realce são usadas nesse manual:

Negrito

Itálico

Monoespaçamento

Identifica os comandos, sub-rotinas, palavras-chaves, arquivos, estruturas, diretórios e outros itens cujos nomes são predefinidos no sistema. Também identifica objetos gráficos, como botões, rótulos e ícones que o usuário seleciona.

Identifica os parâmetros cujos nomes ou valores reais devem ser fornecidos pelo usuário.

Identifica exemplos de valores de dados específicos, exemplos de texto semelhante ao que pode ser visualizado na exibição, exemplos de partes de código do programa semelhantes ao que você pode gravar como um programador, mensagens do sistema ou informações que realmente devem ser digitadas.

Distinção entre Maiúsculas e Minúsculas no AIX

Tudo no sistema operacional do AIX faz distinção entre maiúsculas e minúsculas. Por exemplo, você pode usar o comando ls para listar arquivos. Se você digitar LS, o sistema responderá que o comando não foi localizado . Da mesma forma, FILEA , FiLea e filea são três nomes de arquivos distintos, mesmo se residirem no mesmo diretório. Para evitar que ações indesejadas sejam executadas, verifique sempre se você está usando a diferenciação entre maiúsculas de minúsculas correta.

ISO 9000

Os sistemas de qualidade registrados ISO 9000 foram utilizados no desenvolvimento e fabricação deste produto.

IBM Workload Partitions para AIX

Os Partições de carga de trabalho (WPARs) são ambientes do sistema operacional virtualizado dentro de uma única instância do sistema operacional AIX. Os WPARs protegem e isolam o ambiente para processos e sinais que são usados pelos aplicativos corporativos.

Para visualizar ou fazer download da versão em PDF desse tópico, selecione IBM Workload Partitions para AIX.

Fazendo Download do Adobe Reader: É necessário que o Adobe ® Reader esteja instalado para visualizar ou imprimir este PDF. É possível transferir por download uma cópia gratuita a partir do Web site da Adobe (www.adobe.com/products/acrobat/readstep.html).

Conceitos do AIX WPAR

O ambiente do WPAR é algo diferente do ambiente do sistema operacional AIX padrão. Vários aspectos do sistema, como controles de rede e de recursos, funcionam de maneira diferente no ambiente do WPAR.

Diferenças no Ambiente do WPAR

Enquanto o ambiente do WPAR é semelhante ao ambiente de um aplicativo em um sistema independente, há diferenças que alguns aplicativos reconhecerão.

Os aplicativos podem reconhecer diferenças nas seguintes áreas:

Acesso de dispositivo Alguns dispositivos são acessíveis em um WPAR por padrão. Os dispositivos de armazenamento podem ser montados como sistemas de arquivos a partir do ambiente global no WPAR ou podem ser exportados para o WPAR de modo que esses sistemas de arquivos possam ser criados/montados/removidos do WPAR. Os adaptadores de dispositivo de armazenamento também podem ser exportados para um WPAR, proporcionando ao WPAR controle completo sobre a configuração de dispositivos para esse adaptador.

Privilégio padrão O usuário raiz do WPAR não possui o mesmo nível de acesso que o usuário raiz no ambiente global por padrão.

Kernel Compartilhado Para os aplicativos que fornecem extensões de kernel, o ambiente de execução de aplicativo no nível do usuário é separado em compartimentos entre as instâncias do WPAR. Entretanto, o kernel compartilhado reconhece todas as instâncias do WPAR e deve manter essa separação em compartimentos.

Virtualização de estatística e de ajuste Enquanto vários utilitários do sistema AIX foram ativados para trabalhar completamente ou parcialmente em um WPAR, há alguns utilitários que trabalham apenas no ambiente global (por exemplo, o utilitário mpstat e o utilitário sar ). Como todas as instâncias do WPAR compartilham o mesmo kernel e determinados subsistemas de kernel são otimizados para uso em todo o sistema, não é possível ajustar todos os parâmetros do subsistema kernel a partir de um WPAR.

Configuração de rede Não é possível modificar a configuração de rede (por exemplo, endereços e rotas) dentro de um WPAR. A configuração padrão de um WPAR impede que aplicativos usem qualquer tipo de soquete bruto, mas os administradores do sistema podem ativá-los.

Restrições e Limitações no Ambiente do WPAR

Essa seção lista a restrição e as limitações no ambiente WPAR.

A seguinte funcionalidade está indisponível em um WPAR:

v

PowerHA

v

RSCT

v

Servidor NFS

v

Controles WLM

v

Gerenciamento do WPAR

v

Ajuste de kernel

Se o programa licenciado WPAR Manager estiver instalado, haverá restrições adicionais nos WPARs que são ativados para mobilidade ativa:

v

O WPAR deve ser um rootvg WPAR ou baseado em NFS.

v

O WPAR não pode ter montagens NFS protegidas pelo kerberos.

v

O DMAPI não pode ser usado no WPAR.

v

Os aplicativos no WPAR não podem usar volume ou discos lógicos brutos.

v

Os aplicativos não podem abrir acesso a /dev/mem ou /dev/kmem .

v

O WPAR não pode ter extensões de kernel exportadas para eles.

v

Os arquivos que foram mapeados não podem ser desvinculados no momento da mobilidade.

v

Os processos não podem ter encadeamentos parados/depurados no momento da mobilidade.

v

Os processos que foram ativados a partir do comando clogin não podem existir no momento da mobilidade.

v

Consulte as restrições adicionais para oTeste de Compatibilidade para Mobilidade de Aplicativo.

Informações relacionadas

Restrições e Limitações no WPAR Com Versão

Dispositivos

Para funcionar corretamente, alguns aplicativos requerem o uso de dispositivos do sistema.

Você pode exportar um conjunto de dispositivos ou de adaptadores de armazenamento limitados para uma ou mais partições. Os dispositivos que podem ser exportados incluem dispositivos de armazenamento anexados do tipo Fibre Channel, como disco SCSI, CD e dispositivos de fita. Os aplicativos que requerem acesso a dispositivos não exportáveis estão restritos a execução no ambiente global. Os seguintes pseudodispositivos são exportados para os WPARs por padrão:

v

/dev/audit

v

/dev/clone

v

/dev/console

v

/dev/error

v

/dev/errorctl

v

/dev/null

v

/dev/nvram

v

/dev/random

v

/dev/sad

v

/dev/tty

v

/dev/urandom

v

/dev/xti/tcp

v

/dev/xti/tcp6

v

/dev/xti/udp

v

/dev/xti/udp6

v

/dev/xti/unixdg

v

/dev/xti/unixst

v

/dev/zero

Os dispositivos que são exportados para as partes da carga de trabalho devem operar com segurança e proteção no ambiente WPAR.

Conceitos relacionados

“Dispositivos nos WPARs” na página 6 Na implementação atual das partições da carga de trabalho, o sistema de arquivos é criado e gerenciado a partir do ambiente global. Não há nenhuma capacidade para criar e gerenciar o sistema de arquivos a partir do ambiente do WPAR.

Rede

Um WPAR pode ter um ou mais endereços de rede designados para suportar serviços de login de rede e de rede.

Você deve ter as seguintes informações para configurar a rede:

v

O nome da interface de rede global (por exemplo, en0, en1, et0 ou et1) para associar ao endereço. No ambiente global, o endereço IP designado a um WPAR aparece como um endereço de alias associado a essa interface.

v

O endereço IPv4 ou IPv6 a ser designado à partição.

v

A máscara de rede para os endereços IPv4 ou para o comprimento de prefixo para os endereços IPv6 a ser aplicada para definir a sub-rede local.

Se o nome do WPAR for resolvido para um endereço de rede, esse endereço será usado como um endereço de rede padrão para o WPAR. Você pode criar um WPAR sem nenhum endereço de rede designado. Nesse caso, o único mecanismo externo para acessar a partiçã o é o comando clogin no ambiente global. O comando clogin fornece um terminal de função limitado para acessar o WPAR. É recomendado que os WPARs sejam configurados para terem pelo menos uma rede privada configurada a partir do ambiente global, de modo que uma função de login de rede, como rlogin ou telnet, possa ser usada para acessar o WPAR.

Tarefas relacionadas

“Configurando Redes para WPARs de Sistema” na página 18 Você pode configurar a rede para um WPAR de sistema usando o sinalizador -h e o sinalizador -N para o comando mkwpar ou para o comando chwpar .

“Configurando Redes para WPARs de Aplicativos” na página 24 Você pode configurar a rede para um WPAR de aplicativo usando o sinalizador -h e o sinalizador -N para o comando wparexec ou o comando chwpar .

Ambiente Global

O ambiente global possui uma visualização muito abrangente dos processos, do IPC, de sistemas de arquivos, de dispositivos e de outros objetos de nível do usuário e de objetos de nível do sistema em um sistema AIX.

Esse ambiente permite visualizar e interagir com processos, sistemas de arquivos e com outros componentes do sistema que são designados para um WPAR ativo no sistema. O ambiente global é o mesmo que o ambiente de login tradicional do AIX.

Você pode criar novos WPARs apenas no ambiente global. Não é possível criar novos WPARs em outros WPARs. Muitas tarefas administrativas podem ser executadas apenas a partir do ambiente global. Muitos comandos também se comportam de maneira diferente quando estiverem em execução no ambiente global do que quando estão no ambiente do WPAR.

Segurança

Os WPARs fornecem um ambiente de aplicativo isolado que minimiza as interações potenciais com objetos ou processos do sistema fora do WPAR. Mesmo que um WPAR esteja usando a mesma instância do sistema operacional que os outros WPARs ou o ambiente global, a possibilidade de visualizar ou de interagir com processos ou dispositivos fora da partição é limitada.

Nas partições da carga de trabalho do sistema, a possibilidade de interagir com os sistemas de arquivos do ambiente global é limitada. Para objetos do sistema não persistentes, como IPC e processos, as restrições são implementadas das seguintes formas:

v

Tornar objetos do sistema como sendo possuídos por um WPAR individual

v

Negar usuários ou aplicativos em um WPA R e a possibilidade de visualizar ou de interagir com os objetos do sistema possuídos por outros WPARs

A

interação com objetos persistentes, como arquivos e dispositivos, também é limitada ao manter os

sistemas de arquivos locais separados para uma partição individual. Para os objetos persistentes, as restrições são implementadas das seguintes formas:

v

Criação e montagem de sistemas de arquivos exclusivos separados a partir dos sistemas de arquivos disponíveis em outros WPARs

v

Montagem de sistemas de arquivos somente leitura compartilhados usando o tipo de montagem namefs a partir do ambiente global

v

Manter um ambiente nas montagens do sistema de arquivos local para todos os processos usando o comando chroot

Isolamento do WPAR

Os WPARs do sistema e os WPARs do aplicativo são isolados de outras partições. Os usuários não podem subverter as restrições de isolamento.

O

isolamento do WPAR limita o ambiente operacional das seguintes formas:

v

Configuração padrão apenas de determinados pseudodispositivos no diretório /dev

v

Remoção de dispositivos, como /dev/mem e /dev/kmem , que proporcionam uma visualização mais global do sistema.

v

Comportamento modificado do comando reboot e do comando halt para reinicializar ou interromper apenas o WPAR do sistema especificado, e não o sistema inteiro

O

isolamento do WPAR também impede que os usuários executem as seguintes tarefas administrativas:

v

Ajustar o relógio do sistema

v

Manipular contabilidade de processo

v

Criar processos para um processador específico

v

Exceder determinados limites do sistema, mesmo por usuários privilegiados

v

Usar cronômetros de baixa granularidade menores de 10 milissegundos

v

Manipular determinadas ferramentas de capacidade de manutenção no nível da máquina

v

Carregar ou descarregar drivers de dispositivo no nível do sistema ou extensões kernel

v

Manipular espaço de paginação do sistema e determinados parâmetros de ajuste no nível do sistema.

v

Usar determinadas operações no nível do sistema de arquivos, como extensão, contração e desfragmentação

As partições da carga de trabalho do sistema são integradas com o sistema AIX RBAC, de modo que cada partição da carga de trabalho do sistema possua privilégios de segurança assinados. As configurações não são aplicáveis para as partições da carga de trabalho do aplicativo.

Nota: O isolamento da partição da carga de trabalho também pode restringir o uso de recursos computacionais, como memória do sistema e tempo de processamento do processador.

Controles de Recurso

Os WPARs suportam até 8192 partições de carga de trabalho controladas pelo recurso. O número de WPARs controlados sem recurso que podem ser criados é restrito apenas pela disponibilidade dos recursos de memória do ambiente global e de espaço em disco. Entretanto, o máximo de 8192 pode estar ativos a qualquer momento.

Você pode alterar os controles de recurso para um WPAR dinamicamente usando o comando chwpar . Se o limite de processo ou de encadeamento for reduzido em um WPAR ativo, os processos ou encadeamentos não serão terminado s e a criação de novos processos ou encadeamentos será permitida apenas quando a contagem total ficar abaixo do limite especificado. Por exemplo, se um WPAR tiver 200 processos ativos e você alterar o limite de processo total no WPAR para 170, o sistema não terminará os 30 processos extras. A criação de novos processos no WPAR não será permitida enquanto a contagem de processos não ficar abaixo de 170. Você pode ativar os controles de recurso para um WPAR quando ele for criado. Você também pode alterar os controles de um WPAR existente usando um SMIT ou usando o comando chwpar com a opção -R active = yes .

Tarefas relacionadas

“Configurando Controles de Recursos para os WPARs de Sistema” na página 21 Você pode configurar os controles de recursos para limitar os recursos físicos aos quais um WPAR de sistema possui acesso para usar o sinalizador -R ou para o comando mkwpar e para o comando chwpar .

Controles de Uso de Processador e de Memória

Os controles de uso de processador e de memória permitem alocar recursos do processador e de memória para o ambiente global.

Você pode usar alocação baseada em compartilhamento ou alocação baseada em porcentagem para recursos do processador e de memória.

Nota: Ambos os controles baseados em compartilhamento e baseados em porcentagem podem ser especificados. No evento de um conflito, os controles baseados em porcentagem têm precedência.

Alocação baseada em compartilhamento

A porcentagem de CPU ou de memória a ser alocada para o WPAR é determinada dividindo-se o número de compartilhamentos pelo número total de compartilhamentos alocados a todos os WPARs ativos. O número de compartilhamentos representa o quanto que um determinado recurso um WPAR recebe em relação a outros WPARs.

Por exemplo, se houver três WPARs (A , B e C) ativos com compartilhamentos para um determinado recurso de 15, 10 e 5, os destinos da alocação serão os seguintes:

WPAR A, 15/30 ou 50%

WPAR B, 10/30 ou 33%

WPAR C, 5/30 ou 17%

Os destinos de alocação são ajustados com o número de partições de carga de trabalho ativas. Se a partição A estiver inativa, os destinos da alocação serão os seguintes:

WPAR B, 10/15 ou 66%

WPAR C, 5/15 ou 33%

A alocação baseada em compartilhamento é especificada usando a opção shares_CPU com o comando mkwpar ou o comando chwpar .

Alocação baseada em porcentagem A porcentagem de CPU ou de memória a ser alocada para o WPAR é determinada seguindo-se os valores especificados pelo usuário:

min%

A

quantidade mínima de um recurso que deve ser disponibilizada para o WPAR. Se o

consumo real estiver abaixo desse valor, o WPAR receberá prioridade de acesso maior para o

recurso. Os valores possíveis sã o 0 a 100, com um valor padrão igual a 0.

soft%

A

quantidade máxima de um recurso que um WPAR pode usar quando houver contenção

para esse recurso. Se o consumo do WPAR exceder esse valor, o WPAR receberá a menor prioridade de acesso para o recurso. Se não houver nenhuma contenção para o recurso, o WPAR poderá consumir quantos recursos forem necessários. Os valores possíveis são .01 a 100, com um valor padrão igual a 100.

hard%

A quantidade máxima de um recurso que um WPAR pode consumir, mesmo quando não

houver nenhuma contenção. Se a classe atingir esse limite, ela não poderá consumir mais nenhum recurso enquanto a porcentagem de consumo não cair abaixo do limite. Os valores possíveis são .01 a 100, com um valor padrão igual a 100.

Nota: Usar limites máximos pode causar um impacto significativo no desempenho do sistema ou do aplicativo se não for usado corretamente. Como a imposição de limites máximos pode resultar em recursos do sistema não utilizados, na maioria dos casos, os limites mínimos são mais apropriados.

Dispositivos nos WPARs

Na implementação atual das partições da carga de trabalho, o sistema de arquivos é criado e gerenciado a partir do ambiente global. Não há nenhuma capacidade para criar e gerenciar o sistema de arquivos a partir do ambiente do WPAR.

Para criar e gerenciar os sistemas de arquivos no ambiente global, o acesso ao dispositivo de armazenamento (ou disco) é necessário. Para poder criar os sistemas de arquivos, você deve poder criar grupos de volume e volumes lógicos.

Tipos diferentes de dispositivos de armazenamento são suportados pelo AIX, embora o suporte inicial de dispositivos de armazenamento no WPAR seja limitado a dispositivos de armazenamento anexados de fibra.

InativoWPAR

Com um WPAR inativo, um dispositivo de armazenamento pode ser alocado e desalocado para qualquer número de WPARs. O primeiro WPAR que inicia obtém a propriedade do dispositivo, significando que esse dispositivo será desconfigurado no ambiente global e reconfigurado no WPAR. Você não pode fazer nenhuma mudança na configuração no dispositivo no ambiente global quando o dispositivo estiver sendo usado pelo WPAR. Não há nenhuma restrição na remoção de um dispositivo de um WPAR inativo.

WPAR Ativo

Há duas maneiras de alocar um dispositivo em um WPAR ativo.

v Se um dispositivo não estiver sendo usado por outro WPAR, o comando cfgmgr alocará o dispositivo no WPAR e disponibilizará o dispositivo para uso no WPAR.

v

Se um dispositivo estiver sendo usado por outro WPAR, ele será incluído na configuração do arquivo WPAR. Esse dispositivo não é acessível ao WPAR porque ele já está sendo usado por outro WPAR.

Quando um WPAR ativo tiver controle de um dispositivo, o dispositivo estará no estado definido no ambiente global. Nenhuma operação de configuração é permitida no dispositivo enquanto ele estiver no ambiente global. Comandos, como mkdev, chdev, rmdev, e cfgmgr não funcionarão no dispositivo. Para que o ambiente global obtenha o controle do dispositivo, ele deverá ser desalocado do WPAR que possui controle sobre ele.

Conceitos relacionados

“Dispositivos” na página 2 Para funcionar corretamente, alguns aplicativos requerem o uso de dispositivos do sistema.

“Rootvg WPARs” na página 11 Um WPAR de sistema que é configurado com o próprio grupo de volume raiz em um ou mais dispositivos de armazenamento dedicados é chamado de rootvg WPAR. Configurar um rootvg WPAR fornece ao administrador do WPAR controle total sobre o gerenciamento de dispositivos de armazenamento exportados para o WPAR, sobre os grupos de volume nesses dispositivos e sobre os volumes e sistemas de arquivos lógicos nesses grupos de volumes. Um WPAR de sistema que não é um rootvg WPAR não possui o próprio grupo de volume raiz, mas possui sistemas de arquivos criados nos volumes lógicos criados fora do grupo de volume raiz do sistema global.

Implementando um Dispositivo

Um dispositivo pode ser alocado para um WPAR quando o WPAR é criado ou incluído no WPAR em uma operação posterior.

Para que um dispositivo seja alocado para um WPAR, o dispositivo deve estar no estado disponível ou no estado definido no ambiente global. Para implementar um dispositivo, ele deve estar no estado disponível ou no estado definido.

Informações relacionadas

Comando lsdev

Alocando um Dispositivo

O processo de alocação consiste em fornecer um dispositivo de armazenamento que pode ser usado pelo

WPAR.

Um dispositivo pode ser alocado para mais de um WPAR, mas pode ser usado apenas por um WPAR de cada vez. Para alocar um dispositivo quando criar o WPAR, execute o seguinte comando:

mkwpar

devname=< name> -n

<wpar

-D

name>

Para um rootvg WPAR, o dispositivo que manterá o rootvg deve ser especificado, como no seguinte

exemplo:

mkwpar -D devname=<device name> rootvg=yes -n <wpar name>

O parâmetro -D pode ser repetido para especificar vários dispositivos de armazenamento.

Para alocar um dispositivo em um WPAR existente, execute o seguinte comando:

chwpar

name> <wpar name>

-D

devname=<device

Discos adicionais podem ser alocados para um grupo de volume raiz do WPARs com o seguinte

comando:

chwpar -D devname=<device name> rootvg=yes <wpar name>

Para remover um dispositivo de um WPAR ativo ou inativo, execute o seguinte comando a partir do ambiente global:

chwpar

-D

name>

-K

devname=<device

name> <wpar

Quando o comando para um WPAR inativo for executado com sucesso, o dispositivo será removido da configuração do WPAR. Entretanto, para um WPAR ativo, o comando tenta desconfigurar o dispositivo a partir do WPAR. Se o dispositivo estiver em uso, a operação de desconfiguração falhar á e o comando para remover o dispositivo de um WPAR falhará. Quando o comando para um WPAR ativo for executado com sucesso, o dispositivo no WPAR mudará do estado disponível para o estado definido.

Informações relacionadas

Comando chwpar

Comando lsdev

Configurando um Dispositivo em um WPAR

Cada dispositivo que for configurado no WPAR possui uma entrada ODM no WPAR.

O dispositivo de armazenamento possui um dispositivo-pai que é um dispositivo virtualizado. Você não pode fazer nenhuma mudança na configuração no dispositivo-pai no WPAR ou modificar quaisquer caminhos de gerenciamento para o dispositivo.

Os seguintes comandos são usados para configurar e gerenciar o ambiente global, e também são usados da mesma forma para configurar e gerenciar dispositivos no WPAR:

v

v

v

v

v

v

v

Informações relacionadas

Comando mkdev

Comando chdev

Comando rmdev

Comando lsdev

Comando cfgmgr

Comando lsattr

Comando lspath

mkdev

chdev

rmdev

lsdev

cfgmgr

lsattr

lspath

Gerenciando Sistemas de Arquivos para um Dispositivo

Quando o dispositivo é configurado no WPAR, os comandos que são usados para criar e gerenciar grupos de volumes, volumes lógicos e sistemas de arquivos operam da mesma forma que no ambiente global.

Para criar e modificar grupos de volumes, use os seguintes comandos:

v mkvg

v

importvg

v

importvg

v

extendvg

v

importvg

Para criar e modificar volumes lógicos, use os seguintes comandos:

v

v

mklv

chlv

Para criar e modificar sistemas de arquivos, use os seguintes comandos:

v

v

mkfs

chfs

Para obter mais informações sobre os comandos, consulteComandos.

WPARs do Sistema

Os WPARs do Sistema são ambientes do sistema virtual autônomo com os próprios sistemas de arquivos privados, usuários e grupos, login, espaço de rede e domínio administrativo.

A maioria dos serviços do sistema tradicional é virtualizado no nível do WPAR e podem ser usados e

gerenciados independentemente com cada WPAR. Enquanto o ambiente WPAR do sistema for amplamente particionado e isolado, os sistemas de arquivos somente leitura podem ser compartilhados

entre os WPARs para facilitar o compartilhamento dos dados e de texto do aplicativo.

WPARs Compartilhados e Não Compartilhados

Por padrão, um WPAR de sistema compartilha o sistema de arquivos /usr e os sistemas de arquivos /opt a partir do ambiente global usando montagens namefs somente leitura. Você pode configurar os WPARs para ter um sistema de arquivos /usr e um sistema de arquivos /opt graváveis e não compartilhados.

Para configurar um WPAR de sistema não compartilhado, execute o comando mkwpar com o sinalizador -l.

Você também pode configurar um WPAR de sistema não compartilhado ao especificar sistemas de arquivos graváveis de um dos seguintes tipos para o sistema de arquivos /usr e para o sistema de arquivos /opt :

v

diretório

v

jfs

v

jfs2

v

nfs

Se você criar um WPAR de sistema não compartilhado, todos os arquivos do sistema de arquivos /usr e do sistema de arquivos /opt no ambiente global serão copiados para o WPAR. O administrador deve alocar espaço suficiente no sistema de arquivos do WPAR para os arquivos.

O software do sistema nos WPARs de sistema não compartilhado devem ser mantidos no mesmo nível

do sistema como o ambiente global para evitar resultados inesperados.

Conceitos relacionados

“Recuperando Partições de Carga de Trabalho Desanexadas Incompatíveis” na página 29 Um software de sistema em uma partição de carga de trabalho desanexada (WPAR) pode ficar incompatível com os níveis do software do sistema no ambiente global. Isso ocorrerá se a instalação do software e se as tarefas de manutenção forem executadas independentemente no ambiente global e do WPAR ou se uma imagem de backup do WPAR a partir de um nível de sistema incompatível for instalada.

Informações relacionadas

Instalando e Gerenciando Software com WPARs Desanexados

Sistemas de Arquivos para os WPARs de Sistemas

Os WPARs do Sistemas possuem os próprios sistemas de arquivos semelhantes aoAIX independente.

Os WPARs do sistema podem ser criados com espaços do sistema de arquivos local, que são seções isoladas de formulário construídas do espaço do sistema de arquivos para o ambiente global ou com um grupo de volume raiz possuído do WPAR.

Quando o WPAR de sistema tiver espaços do sistema de arquivos isolados, cada sistema de arquivos será possuído e gerenciado pelo ambiente global. Para um grupo de volume raiz possuído do WPAR, dispositivos de armazenamento dedicado devem ser alocados para o WPAR e cada sistema de arquivos é possuído e gerenciado pelo WPAR.

Espaços do Sistema de Arquivos Isolado Global

O local padrão para os espaços do sistema de arquivos está no diretório /wpars do ambiente global. O

processo inicial para cada WPAR é movido para o caminho correto no sistema de arquivos global usando o comando chroot . Todos os processos executados no WPAR aparecem no diretório base para o WPAR. Por exemplo, usuários em um WPAR visualizariam o diretório /wpars/part1/usr como o diretório /usr .

A configuração do sistema de arquivos para um WPAR é especificada quando o WPAR é criado. Você

pode usar os padrões do sistema ou customizar cada sistema de arquivos. Alguns sistemas de arquivos

em um WPAR de sistema são locais para a partição enquanto outros podem ser compartilhados com o ambiente global.

Os seguintes sistemas de arquivos JFS2 são criados com logs sequenciais e preenchidos de maneira semelhante a um AIX de sistema independente com os seguintes tamanhos:

v

/ (64 MB)

v

/tmp (96 MB)

v

/var (128 MB)

v

/home (32 MB)

Nota: Os tamanhos iniciais desses sistemas de arquivos podem alterar dependendo dos requisitos do sistema e das características de armazenamento.

Os seguintes sistemas de arquivos JFS2 são compartilhados a partir do ambiente global usando montagens namefs com as seguintes permissões:

v

/usr (permissões somente leitura)

v

/opt (permissões somente leitura)

v

/proc (permissões de leitura/gravação)

Você pode especificar o uso de uma estrutura de sistema de arquivos simples para parte ou todo um espaço de nomes do WPAR ao especificar que um ou mais diretórios podem ser local para um diretório-pai. Essa estrutura significa que nenhum sistema de arquivos distinto é criado para o

diretório-pai. Os tamanhos dos sistemas de arquivos e de diretórios a serem preenchidos no WPAR devem ser grandes o suficiente para manter os arquivos nessa partição. Essa estrutura simplifica o número de sistemas de arquivos a serem gerenciados para uma partição, mas perde a granularidade de controle sobre os arquivos do usuário ao preencher o sistema de arquivos. A estrutura do sistema de arquivos simples pode ser uma opção viável para servidores que são executados no WPAR que não oferecem privilégios de login do sistema para os usuários.

Sistemas de Arquivos em um rootvg WPAR

Quando um WPAR é criado com o próprio grupo de volume raiz ao usar o comando mkwpar com o sinalizador –D e especificando a opção nome do disco devname= nome do hdisk e rootvg=yes , os sistemas de arquivos raiz são criados em um grupo de volume separado que é possuído e gerenciado pelo WPAR. Por exemplo, dois discos podem ser alocados para o grupo de volume raiz usando essas opções -D devname=hdisk5 rootvg=yes -D devname=hdisk6 rootvg=yes . Os seguintes sistemas de arquivos JFS2 são criados no grupo de volume raiz possuído pelo WPAR com logs sequenciais e preenchidos de maneira semelhante a um sistema AIX independente:

v

/

v

/admin

v

/home

v

/tmp

v

/var

Nota: Os tamanhos iniciais desses sistemas de arquivos podem alterar dependendo dos requisitos do sistema e das características de armazenamento.

Se o WPAR do sistema não compartilhado for criado e possuir o grupo de volume raiz, os sistemas de arquivos /usr e /opt serão criados e preenchidos no grupo de volume raiz possuído pelo WPAR. Caso contrário, os sistema de arquivos /usr e /opt são compartilhados a partir do ambiente global usando montagens namefs.

Nota: Esses nomes de volume lógico usados em um rootvg WPAR são os mesmos que os normalmente usados em um sistema AIX. Por exemplo, /dev/hd4 seria o nome do volume lógico para o sistema de arquivos / raiz e /dev/hd11admin para o sistema de arquivos /admin .

O administrador do WPAR pode alterar as características de sistema de arquivos em qualquer sistema de

arquivos que reside no grupo de volume raiz possuído pelo WPAR.

Tarefas relacionadas

“Criando um Diretório Gravável em um Diretório Compartilhado” na página 16

É possível criar um diretório gravável abaixo de um diretório compartilhado usando um link simbólico

no ambiente global.

Rootvg WPARs

Um WPAR de sistema que é configurado com o próprio grupo de volume raiz em um ou mais dispositivos de armazenamento dedicados é chamado de rootvg WPAR. Configurar um rootvg WPAR fornece ao administrador do WPAR controle total sobre o gerenciamento de dispositivos de armazenamento exportados para o WPAR, sobre os grupos de volume nesses dispositivos e sobre os volumes e sistemas de arquivos lógicos nesses grupos de volumes. Um WPAR de sistema que não é um rootvg WPAR não possui o próprio grupo de volume raiz, mas possui sistemas de arquivos criados nos volumes lógicos criados fora do grupo de volume raiz do sistema global.

Para um rootvg WPAR, os dispositivos de armazenamento devem ser exportados (ou alocados) para o WPAR quando criados. Depois de ser criado, o comando chwpar poderá ser usado para alocar discos

adicionais no grupo de volume raiz do WPARs ou, se ele contiver vários discos, desalocar um disco do grupo de volume raiz do WPARs. Não é possível alterar um WPAR sem o próprio grupo de volume raiz em um rootvg WPAR depois de ter sido criado.

O rootvg WPARs pode ser configurado para suportar mobilidade de aplicativo ativa quando usado em

combinação com o IBM ® PowerVM Workload Partitions Manager para AIX .

“Sistemas de Arquivos para os WPARs de Sistemas” na página 10

Uma configuração com um WPAR possuído pelo grupo de volume raiz (um RootVG WPAR) ajuda a isolar o sistema de arquivos e grupos de volume de um WPAR a partir do sistema global.

Considerações de Mobilidade do Rootvg WPAR

Um WPAR cujo sistemas de arquivos são todos NSF montados ou todos baseados em SAN é elegível para o Live Application Mobility, em que uma carga de trabalho em execução em um WPAR no LPAR pode ser removida para outro LPAR compatível e continuada no mesmo ponto. Essa relocação de um WPAR envolve o movimento do código executável para a LPAR de destino, enquanto os dados do aplicativo são mantidos nos mesmos dispositivos de armazenamento. Assim, os dispositivos de armazenamento que contêm os sistemas de arquivos devem estar visíveis e acessíveis a partir dos dois LPARs.

Nota: IBM PowerVM Workload Partitions Manager para AIX (WPAR Manager) é necessário para a mobilidade WPAR.

Uma configuração típica pode incluir dois discos SAN que contêm rootvg do WPAR, um terceiro disco SAN exportado para o WPAR e contendo um grupo de volume separado com os dados do aplicativo. Isso proporciona ao administrador do WPAR controle total sobre a criação de novos sistemas de arquivos ou sobre o redimensionamento dos sistemas de arquivos existentes nesses grupos de volume. Se a intenção é poder relocar o WPAR, o WPAR Manager poderá ser usado para criar o WPAR, alem de movê-lo entre os LPARs.

Conceitos relacionados

“Dispositivos nos WPARs” na página 6 Na implementação atual das partições da carga de trabalho, o sistema de arquivos é criado e gerenciado a partir do ambiente global. Não há nenhuma capacidade para criar e gerenciar o sistema de arquivos a partir do ambiente do WPAR.

Tarefas relacionadas

“Criando um Diretório Gravável em um Diretório Compartilhado” na página 16

É possível criar um diretório gravável abaixo de um diretório compartilhado usando um link simbólico

no ambiente global.

Aplicativo partições de carga de trabalho

O Aplicativo partições de carga de trabalho (WPARs) fornece ambiente para isolamento de aplicativos e

seus recursos para ativar o ponto de verificação, reiniciar e relocar no nível de aplicativo.

O Aplicativo WPARs possui menos sobrecarga nos recursos do sistema do que os WPARs de sistema. O

Aplicativo WPARs não requer a própria instância dos serviços do sistema.

Sistemas de Arquivos para os WPARs de Aplicativo

Os WPARs de aplicativo compartilham o espaço de nomes do sistema de arquivos do ambiente global. Quando um WPAR de aplicativo é criado, ele possui acesso a todas as montagens disponíveis no sistema de arquivos do ambiente global.

Se dependências adicionais forem necessárias, poderá customizar o WPAR durante a criação usando o comando wparexec com a opção -M. Os tipos de sistemas de arquivos suportados para os WPARs de aplicativo incluem os mesmos tipos para os WPARs de sistema, com exceção de que nenhum sistema de arquivo pode ser criado pelo comando wparexec . Se um sistema de arquivos local separado for necessário, você deverá criá-lo antes de criar o WPAR de aplicativo.

Tarefas relacionadas

“Configurando Diretórios e Sistemas de Arquivos para os WPARs de Aplicativo” na página 23 Os WPARs de aplicativo compartilham sistemas de arquivos com o ambiente global. Você pode usar o sinalizador -M para o comando wparexec para configurar diretórios e sistemas de arquivos.

Configurando WPARs de Sistema

Você pode criar e configurar os WPARs de sistema usando o comando mkwpar e o comando chwpar .

Quando você cria um WPAR de sistema, um perfil de configuração é armazenado no banco de dados WPAR. Você pode exportar esse perfil para criar um arquivo de especificação que contém exatamente as mesmas informações de configuração para esse WPAR. Todos os WPARs devem ser criados por um administrador autorizado no ambiente global.

Nota: Esses tópicos fornecem exemplos específicos de como executar os comandos relacionados ao WPAR. Para obter a documentação completa de todas as opções para um comando específico, consulte as informações relacionadas para essa tarefa.

Informações relacionadas

Instalando e Gerenciando Software com WPARs Desanexados

Nomeando o Sistema WPAR

Você deve fornecer um nome para o sistema WPAR. Você pode fornecer um nome usando o comando mkwpar com o sinalizador -n .

Você pode especificar o nome para o sistema WPAR usando o seguinte comando:

mkwpar -n wpar_name

Você também pode alterar o nome de um sistema WPAR usando o comando chwpar . Você pode alterar o nome de um sistema WPAR apenas quando ele estiver parado e em um estado definido. Para alterar o nome de um sistema WPAR, execute o seguinte comando:

chwpar

old_name

-n

new_name

Criando um WPAR de Sistema

Você pode criar um novo WPAR de sistema com o comando mkwpar .

Cada WPAR possui um ambiente de rede isolado com endereços IP exclusivos e com um nome do host exclusivo. Você pode acessar os WPARs por meio dos programas de rede padrão, como telnet, ftp e rlogin (dependendo dos serviços em execução no WPAR). Antes de criar um WPAR, você deve efetuar login como usuário raiz e concluir um dos seguintes pré-requisitos:

v

Escolha um nome para o WPAR que é mapeado para um endereço IP de sua rede.

v

Inclua uma entrada para o novo WPAR do sistema para o arquivo /etc/hosts no servidor. A entrada deve incluir o nome do host para o WPAR e um nome do WPAR da seguinte forma:

9.3.18.10 WPARname.austin.ibm.com WPARname

Para criar um novo WPAR de sistema, conclua as seguintes etapas.

1.

Verifique se a rede reconhece o endereço da partição de carga de trabalho ao inserir o seguinte comando:

#host WPARname

O retorno deverá ser semelhante ao seguinte:

WPARname.austin.ibm.com is 9.3.18.10, Aliases: WPARname

2. Configure o WPAR ao executar o seguinte comando:

mkwpar

-n

WPARname

A saída inicial do comando mkwpar deverá ser semelhante à seguinte:

mkwpar

-n

WPARname

mkwpar:

Creating

filesystems

 

/

/home

 

/opt

/proc

/tmp

/usr

/var

populate:

Mounting

all

workload

partition

file

systems

x

./usr

x

./lib

x

./audit

x

./dev

x

./etc

x

./etc/check_config.files

x

./etc/consdef

x

./etc/cronlog.conf

x

./etc/csh.cshrc

x

./etc/csh.login

x

./etc/dlpi.conf

x

./etc/dumpdates

x

./etc/environment

x

./etc/ewlm

x

./etc/ewlm/limits

x

./etc/filesystems

x

./etc/group

x

./etc/inittab

x

./etc/magic

x

./etc/motd

Cada WPAR de sistema possui uma seção isolada de espaço do arquivo de sistema configurado para o diretório-raiz, para o diretório /home , para o diretório /usr e para outros sistemas de arquivos. A criação e a configuração desse espaço são refletidas na saída acima a partir do comando mkwpar . O retorno do comando mkwpar continua com a saída semelhante à seguinte:

x

./home

x

./home/guest

x

./home/lost+found

+-----------------------------------------------------------------------------+

Pre-installation

+-----------------------------------------------------------------------------+

Verification

Verifying

selections

done

Verifying

requisites

done

Results

SUCCESSES

---------

Filesets listed in this section passed pre-installation verification and will be installed.

Cada partição da carga de trabalho do sistema possui o próprio diretório /dev . A criaçã o e a configuração desse espaço são refletidas na saída preencher: Exportando Dispositivos de Partição de Carga de Trabalho a partir do comando mkwpar . Nem todos os dispositivos no sistema podem ser compartilhados entre os WPARs, portanto, o diretório /dev do WPAR é uma versão esparsa do diretório /dev no ambiente global. O comando mkwpar então continua com a instalação de vários conjuntos de arquivos do sistema base AIX no WPAR. No final da fase de instalação, você deverá ver uma saída semelhante à seguinte:

Encerrado o processamento de todos os conjuntos de arquivos. (Total time: 1 mins 4 secs).

Aguarde

/usr/sbin/rsct/install/bin/ctposti

0513-071

The

ctcas

Subsystem

has

been

added.

0513-071

The

ctrmc

Subsystem

has

been

added.

concluído

+-----------------------------------------------------------------------------+

Summaries:

+-----------------------------------------------------------------------------+

Installation

--------------------

Name

-------------------------------------------------------------------------------

Summary

Level

Part

Event

Result

Tivoli_Management_Agent.cli

3.7.1.0

ROOT

APPLY

SUCCESS

bos.acct

5.3.0.9500

ROOT

APPLY

SUCCESS

bos.diag.util

 

5.3.0.40

ROOT

APPLY

SUCCESS

bos.mh

5.3.0.40

ROOT

APPLY

SUCCESS

bos.net.ncs

 

5.3.0.0

ROOT

APPLY

SUCCESS

bos.net.nfs.client

5.3.0.9500

ROOT

APPLY

SUCCESS

bos.net.nis.client

5.3.0.40

ROOT

APPLY

SUCCESS

bos.net.snapp

5.3.0.0

ROOT

APPLY

SUCCESS

bos.net.tcp.client

5.3.0.9500

ROOT

APPLY

SUCCESS

bos.net.tcp.server

5.3.0.9500

ROOT

APPLY

SUCCESS

bos.net.uucp

5.3.0.40

ROOT

APPLY

SUCCESS

bos.net.ipsec.rte

5.3.0.9500

ROOT

APPLY

SUCCESS

bos.perf.tune

5.3.0.9500

ROOT

APPLY

SUCCESS

devices.chrp.base.diag

5.3.0.40

ROOT

APPLY

SUCCESS

bos.net.ipsec.keymgt

5.3.0.9500

ROOT

APPLY

SUCCESS

ifor_ls.base.cli

 

5.3.0.30

ROOT

APPLY

SUCCESS

lum.base.cli

5.1.0.0

ROOT

APPLY

SUCCESS

bos.suma

5.3.0.40

ROOT

APPLY

SUCCESS

mkwpar:

Workload

partition

WPARname

created

successfully.

To

start

the

workload

[-v]

WPARname

partition,

execute

the

following

as

root:

startwpar

A configuração do WPAR de sistema está agora concluída.

Configurando Diretórios e Sistemas de Arquivos para os WPARs de Sistema

Você pode substituir o local padrão dos sistemas de arquivos para um WPAR de sistema usando o comando mkwpar com a opção -d.

Por padrão, os sistemas de arquivos para um novo WPAR de sistema estão localizados no diretório /wpars/wpar_name .

Você pode substituir o local padrão usando o seguinte comando:

-n

wpar_name -d

/newfs/wpar_name

mkwpar

Para maior segurança, o diretório base especificado deve atender aos seguintes critérios:

v

O diretório deve estar vazio.

v

O diretório não deve ser um sistema de arquivos registrado no /etc/filesystems .

v

O diretório deve ter as permissões de 755 (rwxr-xr-x).

v

O diretório-pai do diretório base ( /newfs , no exemplo) deve ter permissões de 700 (rwx------).

Você também pode alterar o diretório base de umWPAR de sistema usando o seguinte comando:

chwpar

/newfs/newbase

-d

wpar_name

Os mesmos critérios se aplicam para alterar o diretório base com o comando chwpar . O diretório base pode ser alterado apenas em um WPAR de sistema parado.

“Customização de Sistemas de Arquivos para os WPARs de Sistemas”

Você pode customizar os sistemas de arquivos para um WPAR de sistema usando o comando mkwpar com a opção -M . Um WPAR pode usar montagens de namefs a partir de qualquer tipo de sistema de arquivos que suporta as semânticas do sistema de arquivos POSIX quando montados com a montagem namefs. Se a montagem dos namefs for usada para o sistema de arquivos raiz do WPAR, o sistema de arquivos que está sendo usado deverá suportar a criaçã o e o uso de dispositivos de bloco e de caractere no WPAR.

“Criando um Diretório Gravável em um Diretório Compartilhado”

É possível criar um diretório gravável abaixo de um diretório compartilhado usando um link simbólico

no ambiente global.

Customização de Sistemas de Arquivos para os WPARs de Sistemas

Você pode customizar os sistemas de arquivos para um WPAR de sistema usando o comando mkwpar com a opção -M .

Os seguintes tipos de sistema de arquivos são suportados usando o atributo vfs da opção -M :

v

JFS

v

JFS2

v

NFS

v

Namefs

Você também pode especificar que um diretório deve ser criado em vez de um sistema de arquivos ao especificar vfs=directory . Especifique esse atributo em situações onde não desejar manter um número grande de sistemas de arquivos separados.

Criando um Diretório Gravável em um Diretório Compartilhado

É possível criar um diretório gravável abaixo de um diretório compartilhado usando um link simbólico

no ambiente global.

Se você estiver customizando software em um WPAR do sistema, ele poderá ser útil ou necessário para possuir um diretório gravável abaixo de um diretório compartilhado a partir ambiente global. Por exemplo, é comum um software livre ser instalado em uma hierarquia de diretório /usr/local por padrão. Para acomodar um diretório /usr/local gravável não compartilhado, o administrador do ambiente global deve criar um diretório /usr/local gravável. Crie um sistema de arquivos chamado /wpars/wparname/usr/local com a opção type=wparname .

Conceitos relacionados

“Sistemas de Arquivos para os WPARs de Sistemas” na página 10 Os WPARs do Sistemas possuem os próprios sistemas de arquivos semelhantes aoAIX independente.

“Rootvg WPARs” na página 11 Um WPAR de sistema que é configurado com o próprio grupo de volume raiz em um ou mais dispositivos de armazenamento dedicados é chamado de rootvg WPAR. Configurar um rootvg WPAR fornece ao administrador do WPAR controle total sobre o gerenciamento de dispositivos de armazenamento exportados para o WPAR, sobre os grupos de volume nesses dispositivos e sobre os volumes e sistemas de arquivos lógicos nesses grupos de volumes. Um WPAR de sistema que não é um rootvg WPAR não possui o próprio grupo de volume raiz, mas possui sistemas de arquivos criados nos volumes lógicos criados fora do grupo de volume raiz do sistema global.

Rootvg WPARs

Um WPAR de sistema que é configurado com o próprio grupo de volume raiz em um ou mais dispositivos de armazenamento dedicados é chamado de rootvg WPAR. Configurar um rootvg WPAR fornece ao administrador do WPAR controle total sobre o gerenciamento de dispositivos de armazenamento exportados para o WPAR, sobre os grupos de volume nesses dispositivos e sobre os volumes e sistemas de arquivos lógicos nesses grupos de volumes. Um WPAR de sistema que não é um rootvg WPAR não possui o próprio grupo de volume raiz, mas possui sistemas de arquivos criados nos volumes lógicos criados fora do grupo de volume raiz do sistema global.

Para um rootvg WPAR, os dispositivos de armazenamento devem ser exportados (ou alocados) para o WPAR quando criados. Depois de ser criado, o comando chwpar poderá ser usado para alocar discos adicionais no grupo de volume raiz do WPARs ou, se ele contiver vários discos, desalocar um disco do grupo de volume raiz do WPARs. Não é possível alterar um WPAR sem o próprio grupo de volume raiz em um rootvg WPAR depois de ter sido criado.

O rootvg WPARs pode ser configurado para suportar mobilidade de aplicativo ativa quando usado em combinação com o IBM PowerVM Workload Partitions Manager para AIX .

“Sistemas de Arquivos para os WPARs de Sistemas” na página 10

Uma configuração com um WPAR possuído pelo grupo de volume raiz (um RootVG WPAR) ajuda a isolar o sistema de arquivos e grupos de volume de um WPAR a partir do sistema global.

Considerações de Mobilidade do Rootvg WPAR

Um WPAR cujo sistemas de arquivos são todos NSF montados ou todos baseados em SAN é elegível para o Live Application Mobility, em que uma carga de trabalho em execução em um WPAR no LPAR pode ser removida para outro LPAR compatível e continuada no mesmo ponto. Essa relocação de um WPAR envolve o movimento do código executável para a LPAR de destino, enquanto os dados do aplicativo são mantidos nos mesmos dispositivos de armazenamento. Assim, os dispositivos de armazenamento que contêm os sistemas de arquivos devem estar visíveis e acessíveis a partir dos dois LPARs.

Nota: IBM PowerVM Workload Partitions Manager para AIX (WPAR Manager) é necessário para a mobilidade WPAR.

Uma configuração típica pode incluir dois discos SAN que contêm rootvg do WPAR, um terceiro disco SAN exportado para o WPAR e contendo um grupo de volume separado com os dados do aplicativo. Isso proporciona ao administrador do WPAR controle total sobre a criação de novos sistemas de arquivos ou sobre o redimensionamento dos sistemas de arquivos existentes nesses grupos de volume. Se a intenção é poder relocar o WPAR, o WPAR Manager poderá ser usado para criar o WPAR, alem de movê-lo entre os LPARs.

Conceitos relacionados

“Dispositivos nos WPARs” na página 6 Na implementação atual das partições da carga de trabalho, o sistema de arquivos é criado e gerenciado

a partir do ambiente global. Não há nenhuma capacidade para criar e gerenciar o sistema de arquivos a partir do ambiente do WPAR.

Tarefas relacionadas

“Criando um Diretório Gravável em um Diretório Compartilhado” na página 16

É possível criar um diretório gravável abaixo de um diretório compartilhado usando um link simbólico

no ambiente global.

Configurando Redes para WPARs de Sistema

Você pode configurar a rede para um WPAR de sistema usando o sinalizador -h e o sinalizador -N para o comando mkwpar ou para o comando chwpar .

Se você não especificar nenhuma informação de rede quando criar um WPAR de sistem a e o nome do WPAR for resolvido para um endereço IP na mesma rede que qualquer interface global ativa, o comando mkwpar configurará automaticamente a rede para o WPAR. Se o WPAR não for resolvido, você poderá

especificar zero ou mais configurações de rede usando o sinalizador -N para o comando mkwpar ou para

o comando chwpar . Todas as mudanças na rede podem ser feitas nos WPARs ativos ou inativos. As mudanças são efetivadas imediatamente.

Cada rede requer a própria instância do sinalizador -N . O sinalizador -N especifica os atributos de configuração de red e e é usado para separar os pares attribute=value em espaços em branco. Você pode especificar mais de um sinalizador -N para configurar vários endereços IP. Por exemplo:

mkwpar

-n

wpar_name

-N

interface=en0

address=224.128.9.3

\

netmask=255.255.255.0

broadcast=224.128.9.255

-N

interface=en1

\

address=192.168.0.3

netmask=255.255.255.0

broadcast=192.168.0.255

Para configurar um WPAR de sistema com um endereço de rede 224.128.9.3 usando a interface en0 para

o ambiente global, execute o seguinte comando:

mkwpar

wpar_name

netmask=255.255.255.0

-n

-N

interface=en0

address=224.128.9.3

broadcast=224.128.9.255

\

Para configurar um WPAR de sistema com um endereço de rede IPv6 de fe80::200:254 usando a interface en3 a partir do ambiente global, execute o seguinte comando:

mkwpar

-n

wpar_name

-N

interface=en3

address6=fe80::200:254

prefixlen=64

Você também pode usar o sinalizador -N com o comando chwpar para incluir redes adicionais em um WPAR de sistema definido anteriormente. Para incluir uma rede, execute o seguinte comando:

chwpar

-N

address=224.128.9.4

wpar_name

Se desejar alterar as configurações de rede para um WPAR de sistema, use o atributo address para identificar a rede que deseja alterar. Por exemplo, para alterar a máscara de red e e o endereço de transmissão da rede 224.128.9.3, execute o seguinte comando:

chwpar

broadcast=224.128.9.127

-N

address=224.128.9.3

netmask=255.255.255.128

wpar_name

\

Conceitos relacionados

“Rede” na página 3 Um WPAR pode ter um ou mais endereços de rede designados para suportar serviços de login de rede e de rede.

Alterando o Nome do Host de um WPAR de Sistema

Por padrão, o nome de um WPAR de sistema é usado como o nome do host. Você pode usar o sinalizador -h com o comando mkwpar ou com o comando chwpar para alterar o nome do host para um WPAR de sistema.

Para substituir o nome do host padrão quando você cria um WPAR de sistema, execute o seguinte comando mkwpar :

mkwpar

wpar_name -h wpar_hostname

-n

Para alterar o nome do host para um WPAR de sistema existente, execute o seguinte comando chwpar :

chwpar

new_hostname wpar_name

-h

Removendo uma Rede de um Sistema WPAR

Remova uma rede de um sistema WPAR usando o comando chwpar com o sinalizador -K .

Para remover uma rede do sistema WPAR, execute o seguinte comando chwpar , usando o endereço da rede para identificá-lo.

chwpar

-K

-N

address=124.128.9.3

wpar_name

Nota: Não há nenhum modo direto para alterar o endereço de uma rede WPAR do sistema; você deve remover a rede antiga com o comando chwpar -K e incluir a rede com o novo endereço.

Configurando Resolução de Domínio para os WPARs do Sistema

Você pode configurar a resolução de domínio para os WPARs do sistema usando o sinalizador -r para o comando mkwpar .

Arquivos como o arquivo /etc/resolv.conf não existem nos WPARs do sistema por padrão.

Para copiar a configuração de resolução de domínio do ambiente global nos WPARs do sistema, execute o seguinte comando:

mkwpar

wpar_name -r

-n

Executar esse comando copia os seguintes arquivos nos WPARs do sistema, se eles existirem no ambiente global:

v

/etc/resolv.conf

v

/etc/hosts

v

/etc/netsvc.conf

v

/etc/irs.conf

v

/etc/networks

Se a variável de ambiente NSORDER estiver configurada no ambiente onde você executa o comando mkwpar , a variável é incluída no arquivo /etc/environment para o novo sistema WPAR.

O sinalizador -r não é suportado pelo comando chwpar . Quaisquer mudanças na configuração de resolução de domínio de um WPAR existente devem ser feitas manualmente editando arquivos relevantes.

Configurando Roteamento Específico do WPAR

Você pode configurar um WPAR para usar a própria tabela de roteamento com o sinalizador -i e com o sinalizador -I para o comando mkwpar , para o comando wparexec ou para o comando chwpar .

Por padrão, as partições de carga de trabalho do sistema e do aplicativo com as conexões de rede ativas compartilham a tabela de roteamento do sistema global. Para ativar o roteamento específico do WPAR para um WPAR quando estiver criando o WPAR, inclua o sinalizador -i na linha de comandos do comando mkwpar ou do comando wparexec . Para WPARs do sistema:

mkwpar

-n

wpar_name

-N

network_attributes

Para WPARs do aplicativo:

wparexec

argN

-N

network_attributes

-i

--

-i

/path/to/application

arg1

arg2

O uso desses comandos criará automaticamente loopback, transmissão e rotas de sub-rede apropriados

para cada endereço configurado. Se você não especificar nenhuma entrada de tabela de roteamento explícita, o WPAR poderá apenas se comunicar nas próprias sub-redes. Você pode configurar as entradas de tabela de roteamento explícitas com o sinalizador -I quando criar o WPAR. Você pode configurar zero ou mais entradas de tabela de roteamento explícitas. Cada entrada requer a própria instância do sinalizador -I . Os endereços de destino e de gateway podem ser especificados pelo nome ou endereço IP simbólico.

Por exemplo, para configurar uma rota padrão por meio de um gateway com o nome simbólico gateway.customer.com e com a rota do host myserver.customer.com por meio do gateway 192.168.1.1:

mkwpar

rtgateway=gateway.customer.com

-I

-n

wpar_name

-N

network_attributes

\

-i

rttype=host

rtdest=myserver.customer.com

-I

rtdest=default

rtgateway=192.168.1.1

O comando netstat -r pode ser usado com o sinalizador -@ para visualizar a tabela de roteamento

específica do WPAR para um WPAR a qualquer momento. Se o roteamento específico do WPAR estiver desativado para o WPAR consultado, o comando netstat -r exibirá as rotas globais. O formato de saída é idêntico ao do comando netstat -r sem o sinalizador -@ . Por exemplo:

netstat

-r

-@

wpar_name

Você pode alterar as características de roteamento específicas do WPAR para os WPARs do sistema e dos WPARs do aplicativo usando o comando chwpar . As mudanças podem ser executadas nos WPARs ativos ou nosWPARs inativos. As mudanças são efetivadas imediatamente e persistem entre as reinicializações do WPAR do sistema. Para desativar o roteamento específico do WPAR, fazendo com que o WPAR seja iniciado usando as tabelas de roteamento global, use o seguinte comando:

chwpar

-i

-K

wpar_name

Para ativar o roteamento específico do WPAR e incluir uma rota para os destinos na sub-rede 224.128.9.0/24 por meio do gateway 224.128.9.1 na interface en4, use o seguinte comando:

chwpar

rtdest=224.128.9.0

rtinterface=en4

-i

-I

rtnetmask=255.255.255.0

wpar_name

rtgateway=224.128.9.1

Para excluir uma entrada de rota específica do WPAR, você deve fornecer informações suficientes para identificar a entrada que está sendo excluída. Na maioria dos casos, é recomendado usar os mesmos atributos fornecidos quando a rota foi configurada. Por exemplo, use o seguinte comando para remover a rota configurada no exemplo anterior:

chwpar

rtgateway=224.128.9.1

-K

-I

rtdest=224.128.9.0

rtnetmask=255.255.255.0

wpar_name

rtinterface=en4

Conceitos relacionados

“Configurando os Aplicativos WPARs” na página 22 Você pode criar e configurar os aplicativos WPARs usando o comando wparexec e o comando chwpar .

Configurando Controles de Recursos para os WPARs de Sistema

Você pode configurar os controles de recursos para limitar os recursos físicos aos quais um WPAR de sistema possui acesso para usar o sinalizador -R ou para o comando mkwpar e para o comando chwpar .

Para inicializar as configurações do controle de recurso, execute o seguinte comando mkwpar :

mkwpar

wpar_name

totalProcesses=1024

-n

-R

active=yes

CPU=10%-20%,50%

Nesse exemplo, o WPAR é designado para os seguintes recursos do sistema:

v

No mínimo 10% dos processadores do ambiente global no pedido

v

No máximo 20% dos processadores do ambiente global quando houver contenção

v

No máximo 50% dos processadores do ambiente global quando não houver nenhuma contenção

v

No máximo 1024 processos por vez

O

atributo active pode ser configurado para sim ou não . Quando o atributo ativo é configurado para não ,

os

controles do recurso são desativados, mas as configurações são mantidas no banco de dados de

configuração.

Para alterar as configurações de controle de recurso dinamicamente para um WPAR de aplicativo ativo ou inativo existente, execute o seguinte comando chwpar :

chwpar

-R

totalThreads=2048

shares_memory=100

wpar_name

Nota: Você também pode usar o sinalizador -K para o comando chwpar para remover atributos individuais do perfil e restaurar os controles para o padrão, da seguinte forma:

chwpar

wpar_name

Conceitos relacionados

“Controles de Recurso” na página 5 Os WPARs suportam até 8192 partições de carga de trabalho controladas pelo recurso. O número de WPARs controlados sem recurso que podem ser criados é restrito apenas pela disponibilidade dos recursos de memória do ambiente global e de espaço em disco. Entretanto, o máximo de 8192 pode estar ativos a qualquer momento.

Usando Arquivos de Especificação para WPARs de Sistema

Você pode criar um WPAR com todas as opções a partir de um arquivo de especificação usando o sinalizador -f para o comando mkwpar .

-K

-R

totalProcesses

shares_CPU

Para usar um arquivo de especificação para criar um WPAR de sistema, execute o comando mkwpar da seguinte forma:

mkwpar

/tmp/specfile1

-f

Para criar um arquivo de especificação como parte do processo de criação do WPAR, execute o seguinte comando mkwpar com o sinalizador -o :

mkwpar

-n

wpar_name

-o

/tmp/specfile2

Nota: Se o nome do WPAR de sistema for fornecido no arquivo de especificação, o sinalizador -n não será necessário.

O arquivo de especificação reflete as configurações que estão sendo usadas para criar o WPAR.

Para gerar o arquivo de especificação sem criar o WPAR, execute o seguinte comando mkwpar com o sinalizador -w e com o sinalizador -o :

mkwpar

-o

/tmp/specfile3

-w

Para obter uma descrição abrangente do formato e do conteúdo permitido para um arquivo de especificação, consulte /usr/samples/wpars/sample.spec file.

Usando um Arquivo image.data para os WPARs de Sistema

Você pode usar um arquivo image.data para especificar opções do volume lógico adicionais e as opções do sistema de arquivos quando criar um WPAR de sistema usando o comando mkwpar com o sinalizador -L image_data= .

As seguintes restrições aplicam-se ao uso dos arquivos image.data com os WPARs do sistema:

v

Os WPARs usam apenas o tipo de sub-rotina lv_data e o tipo de sub-rotina fs_data em um arquivo image.data . Todos os outros tipos de sub-rotina são ignorados.

v

Se o nome do dispositivo de volume lógico corresponder a um nome de dispositivo existente no sistema, um novo nome será gerado e um aviso será emitido.

v

Os caminhos do sistema de arquivos especificados com o atributo FS_NAME devem corresponder à sua aparência no WPAR (por exemplo, o sistema de arquivos raiz é / e o sistema de arquivos inicial é /home ).

v

O diretório base para o ambiente global não deve ser incluído nos caminhos do arquivo image.data .

v

Todos os sistemas de arquivos devem possuir LVs associados no arquivo image.data .

v

Todos os volumes lógicos deve possuir sistemas de arquivos associados no arquivo image.data .

Para criar um WPAR de sistema usando as opções do volume lógico e as opções do sistema de arquivos em um arquivo image.data , execute o seguinte comando:

mkwpar

-n wpar_name

Informações relacionadas

arquivo image.data

-L

image_data=image.data

file

Configurando os Aplicativos WPARs

Você pode criar e configurar os aplicativos WPARs usando o comando wparexec e o comando chwpar .

Quando você cria um aplicativo WPAR, um perfil de configuração é armazenado no banco de dados WPAR. Você pode exportar esse perfil para criar um arquivo de especificação que contém exatamente as mesmas informações de configuração para esse WPAR. Todos os WPARs devem ser criados por um administrador autorizado no ambiente global.

Nota: Esses tópicos fornecem exemplos específicos de como executar os comandos relacionados ao WPAR. Para obter a documentação completa de todas as opções para um comando específico, consulte as informações relacionadas para essa tarefa.

Conceitos relacionados

“Configurando Roteamento Específico do WPAR” na página 20 Você pode configurar um WPAR para usar a própria tabela de roteamento com o sinalizador -i e com o sinalizador -I para o comando mkwpar , para o comando wparexec ou para o comando chwpar .

Criando um Aplicativo WPAR

Você pode criar um aplicativo WPAR usando o comando wparexec .

Você deve fornecer o caminho para o aplicativo ou para o comando para o qual deseja criar um aplicativo WPAR e deve fornecer quaisquer argumentos de linha de comandos quando executar o comando wparexec . O aplicativo pode ser proveniente de um arquivo de especificação ou ser especificado na linha de comandos. Diferente dos WPARs do sistema, não é necessário designar um nome explícito para um WPAR de aplicativo. Embora os dois tipos de WPAR requerem um nome, os nomes para os WPARs de aplicativo são gerados com base no nome do aplicativo em execução no WPAR.

Conclua as seguintes etapas para criar um aplicativo WPAR:

1. Efetue login como usuário raiz no sistema onde deseja criar e configurar a partição da carga de trabalho. Esse login coloca você no ambiente global.

2. Para criar e configurar a partição da carga de trabalho, execute o seguinte comando:

wparexec

-n

wparname

--

/usr/bin/ps

-ef

>

/ps.out

A saída deve ser semelhante à seguinte:

wparexec:

Verifying

filesystems

 

wparexec:

Workload

partition

wparname created

 

successfully.

 

startwpar:

COMMAND

START,

ARGS:

wparname

startwpar:

Starting

workload

partition

wparname

 

startwpar:

Mounting

all

workload

partition

file

systems

startwpar:

Loading

workload

partition

 

startwpar:

Shutting

down

all

workload

partition

processes

rmwpar:

Removing

workload

partition

firstapp

rmwpar:

Return

Status

=

SUCCESS

startwpar:

Return

Status

=

SUCCESS

Agora você criou com sucesso um WPAR de aplicativo.

Os WPARs de Aplicativo iniciam assim que o comando wparexec for emitido e param assim que o aplicativo concluir sua operação. Quando a operação for concluída, a configuração do aplicativo WPAR será destruída.

Configurando Diretórios e Sistemas de Arquivos para os WPARs de Aplicativo

Os WPARs de aplicativo compartilham sistemas de arquivos com o ambiente global. Você pode usar o sinalizador -M para o comando wparexec para configurar diretórios e sistemas de arquivos.

Diferente dos WPARs do sistema, os WPARs de aplicativo não possuem um diretório base. Não é possível substituir as configurações padrão para as dependências do sistema de arquivos local, mas você pode usar o sinalizador -M para o comando wparexec para especificar dependências do sistema de arquivos adicionais, como uma montagem NFS remota. O atributo directory representa o ponto de montagem e esse atributo é necessário para todas as instâncias criadas com o sinalizador -M . O ponto de montagem do diretório aparecerá no WPAR e no ambiente global.

Os WPARs do aplicativo não criam novos sistemas de arquivos. Portanto, os tipos de sistemas de arquivos JFS e JFS2 não podem ser especificados. Uma dependência de sistema de arquivos local pode ser especificada, mas ela já deverá existir no diretório /etc/filesystems .

Para montar um diretório /export/shared remoto sobre o diretório /shared no ambiente global, execute o seguinte comando wparexec com o sinalizador -M , usando os valores apropriados para seu ambiente:

wparexec

host=homeserver.customer.com -- /path/to/application arg1

arg2

-M

argN

directory=/shared

vfs=nfs

dev=/export/shared

\

Para especificar uma dependência de sistema de arquivos local, especifique apenas o atributo de diretório para essa sub-rotina de montagem, da seguinte forma, usando os valores apropriados para seu ambiente:

wparexec

/path/to/application arg1

arg2

-M

argN

directory=/mylocalshare

--

Conceitos relacionados

“Sistemas de Arquivos para os WPARs de Aplicativo” na página 12 Os WPARs de aplicativo compartilham o espaço de nomes do sistema de arquivos do ambiente global. Quando um WPAR de aplicativo é criado, ele possui acesso a todas as montagens disponíveis no sistema de arquivos do ambiente global.

Configurando Redes para WPARs de Aplicativos

Você pode configurar a rede para um WPAR de aplicativo usando o sinalizador -h e o sinalizador -N para o comando wparexec ou o comando chwpar .

Por padrão, o nome de um aplicativo WPAR é usado como o nome do host.

Para substituir o nome do host padrão para um WPAR de aplicativo quando estiver criando-o, execute o seguinte comando wparexec com o sinalizador -h :

wparexec -h wpar_hostname -- /path/to/application arg1 arg2 argN

Você também pode alterar o nome do host para um WPAR de aplicativo a qualquer momento usando o sinalizador -h com o seguinte comando chwpar :

chwpar -h new_hostname wpar_name

Se você não especificar nenhuma informação de rede quando criar um WPAR de aplicativo , e o nome do WPAR for resolvido para um endereço IP na mesma rede que qualquer interface global ativa, o comando wparexec configurará automaticamente a rede para o WPAR. Se o nome do WPAR não for resolvido, você poderá especificar zero ou mais configurações de rede usando o sinalizador -N para o comando wparexec ou para o comando chwpar . Todas as mudanças na rede podem ser feitas nos WPARs ativos ou inativos. As mudanças são efetivadas imediatamente.

Cada rede requer a própria instância do sinalizador -N . O sinalizador -N especifica os atributos de configuração de red e e é usado para separar os pares attribute=value em espaços em branco. Você pode especificar mais de um sinalizador -N para configurar vários endereços IP. Por exemplo:

wparexec

broadcast=224.128.9.255

-N

broadcast=192.168.0.255

-- /path/to/application arg1 arg2 argN

-N

interface=en0

address=224.128.9.3

\

netmask=255.255.255.0

interface=en1

address=192.168.0.3

\

netmask=255.255.255.0