Вы находитесь на странице: 1из 2

“Avaliação por Portfólio Avaliativo”

Fernando Mota

Numa sociedade que a cada dia amplia as perspectivas de inclusão digital,


onde as diversas mídias influenciam comportamentos novos que se
consolidam na vida das pessoas, trago para uma reflexão dos professores e
discentes este assunto que merece ser aprofundado: a questão da avaliação
escolar e a necessidade de uma mudança de concepção da comunidade
acadêmica de um modo geral.
Continuamos na maioria das escolas brasileiras a prática de processos
avaliativos totalmente desconectados das realidades vividas por nossos
alunos.
Grande parcela deste alunado já possui computadores pessoais e um grande
número de escolas já dispõe de laboratórios de computação conectados à
rede mundial da Internet.
Precisamos saber aproveitar estas estruturas e potencializa-las nos aspectos
de aprendizagens, conhecimentos, sabendo utiliza-las de forma dinâmica e
significativa na área avaliativa.
Os Portfólios Avaliativos são construídos diretamente pelos alunos,
individualmente ou em grupos diversos, de forma permanente e utilizando
linguagens múltiplas que melhor permitam a manifestação dos estudantes
na aplicação de seus saberes.
São Portfólios variados, cujo passo-a-passo é acompanhado através de
tarefas dirigidas para a verdadeira aplicação dos conhecimentos.
A diversidade permitida na construção dos instrumentos é algo que precisa
se detalhada:
Portfólio: Porta-folha.
Podem ser desenvolvidos através de papel ou incorporando a linguagem
digital aproveitando a grande variedade de mídias disponíveis.
Apresentações em pps, vídeos e muitas outras... Imagens, músicas, textos,
referências das pesquisas, links etc...
Em nosso Livro Escola Mandala: uma nova concepção para o ensino
tecnológico na rede FAETEC, dividi com o Prof. Marcio Francisco Campos
o capítulo Dimensões da Avaliação e o Portfólio avaliativo em Base
Tecnológica – Pág. 131 e nele destacamos como primeiro e relevante
aspecto as demandas da sociedade neste novo século:
Aprendizado Contínuo;
Melhorias no relacionamento inter-pessoal;
Melhor gestão do tempo;
Trabalho em equipe;
Melhor formação profissional;
Maior uso de carga cognitiva: uso das tecnologias da informação e
separação do sujeito e de seu objeto de trabalho.
Todos estes aspectos encontram-se presentes na proposta da avaliação por
portfólios.
O indicativo de tarefas permanentes diretamente relacionadas aos
conteúdos transmitidos, o envolvimento dos alunos na construção de
caminhos para estas tarefas, o trabalho em grupos, a aprendizagem do saber
lidar com o tempo por parte de cada envolvido na consecução de seus
trabalhos, a incorporação de pesquisas relevantes, a utilização das diversas
tecnologias, todos estes fatores inter-relacionados propiciam um
crescimento pessoal e uma melhor formação profissional.
A realidade que se avizinha para o Instituto Superior Tecnológico do Rio de
Janeiro – IST-RIO, a partir da consolidação de itens importantes do Projeto
Mandala:

Salas Híbridas todas desenhadas de forma a propiciar a integração, o acesso


direto à Internet e diversas mídias digitais disponíveis diretamente nos
espaços, o crescente envolvimento dos alunos nos programas de iniciação
científica, os programas de extensão, os programas de práticas acadêmicas,
a formação continuada, o crescente desenvolvimento de projetos
institucionais, todos apontando para as nossas sonhadas Células de
Desenvolvimento de Competências tão bem definidas pelo Prof. Horácio
Ribeiro, também em capítulo do Livro Escola Mandala.
Dentro das ações nas Células de Desenvolvimento de Competências
poderemos implementar a Avaliação por Portfólio o que representará uma
conquista para todos.
Este artigo sintetiza a idéia que pretendo colocar para o novo livro do IST-
RIO: “Mandala em Ação”, que a comunidade acadêmica já iniciou e se
pretende consolidar a partir deste “Seminário de Educação em Tecnologia”.
Conto com o envolvimento de todos.