You are on page 1of 69

Resumo

Introdução
Analogia biológica na abordagem neo-schumpeteriana da mudança tecnológica
Hereditariedade na Economia Neo-Schumpeteriana
Mecanismo de seleção na economia neo-schumpeteriana
Desenvolvimentos neo-schumpeterianos recentes: para além das analogias biológicas
Auto-organização e variedade na Biologia evolutiva
Auto-organização e variedade especificamente econômicas:a intuição de Schumpeter
Conclusão
Referências

Caminhos do pensamento neo-schumpeteriano: para além das


analogias biológicas

Rodrigo Hermont Ozon, Maria Cecilia Flores Cordeiro, Ana Lúcia Soares Gonçalves,
Suryane Nabhem Kalluf, Rafael Stefenon

– IBQP/PPGDE UFPR –

Rua Dr. Correa Coelho, 741 – Jardim Botânico – Curitiba – PR


– End.eletr. editor responsável rodrigoozon@yahoo.com.br –

07 de novembro de 2008

OZON,R., et. all. Caminhos do pensamento neo-schumpeteriano - CORAZZA, R. & FRACALANZA, P. (2004)
– IBQP/PPGDE UFPR – Rua Dr. Correa Coelho, 741 – Jardim Botânico – Curitiba – PR – End.eletr. editor responsável rodrigoozon@yahoo.com.br –
Resumo
Introdução
Analogia biológica na abordagem neo-schumpeteriana da mudança tecnológica
Hereditariedade na Economia Neo-Schumpeteriana
Mecanismo de seleção na economia neo-schumpeteriana
Desenvolvimentos neo-schumpeterianos recentes: para além das analogias biológicas
Auto-organização e variedade na Biologia evolutiva
Auto-organização e variedade especificamente econômicas:a intuição de Schumpeter
Conclusão
Referências

Sumário
1 Resumo

2 Introdução

3 Analogia biológica na abordagem neo-schumpeteriana da mudança tecnológica

4 Hereditariedade na Economia Neo-Schumpeteriana

5 Mecanismo de seleção na economia neo-schumpeteriana

6 Desenvolvimentos neo-schumpeterianos recentes: para além das analogias biológicas

7 Auto-organização e variedade na Biologia evolutiva

8 Auto-organização e variedade especificamente econômicas:a intuição de Schumpeter

9 Conclusão

10 Referências

OZON,R., et. all. Caminhos do pensamento neo-schumpeteriano - CORAZZA, R. & FRACALANZA, P. (2004)
– IBQP/PPGDE UFPR – Rua Dr. Correa Coelho, 741 – Jardim Botânico – Curitiba – PR – End.eletr. editor responsável rodrigoozon@yahoo.com.br –
Resumo
Introdução
Analogia biológica na abordagem neo-schumpeteriana da mudança tecnológica
Hereditariedade na Economia Neo-Schumpeteriana
Mecanismo de seleção na economia neo-schumpeteriana
Desenvolvimentos neo-schumpeterianos recentes: para além das analogias biológicas
Auto-organização e variedade na Biologia evolutiva
Auto-organização e variedade especificamente econômicas:a intuição de Schumpeter
Conclusão
Referências

Resumo

Metodologia ⇒ Abordagem neo-schumpeteriana sobre as mudanças técnica e


econômica.

Argumentos fundamentais da abordagem nas quais são feitas analogias com a concepção
evolutiva da Biologia;
Como o pensamento neo-schumpeteriano se desenvolve para além dessas analogias com
o conceito de auto-organização;
Finaliza/conclui com a identificação das implicações da nova perspectiva sobre as
pesquisas neo-schumpeterianas;

OZON,R., et. all. Caminhos do pensamento neo-schumpeteriano - CORAZZA, R. & FRACALANZA, P. (2004)
– IBQP/PPGDE UFPR – Rua Dr. Correa Coelho, 741 – Jardim Botânico – Curitiba – PR – End.eletr. editor responsável rodrigoozon@yahoo.com.br –
Resumo
Introdução
Analogia biológica na abordagem neo-schumpeteriana da mudança tecnológica
Hereditariedade na Economia Neo-Schumpeteriana
Mecanismo de seleção na economia neo-schumpeteriana
Desenvolvimentos neo-schumpeterianos recentes: para além das analogias biológicas
Auto-organização e variedade na Biologia evolutiva
Auto-organização e variedade especificamente econômicas:a intuição de Schumpeter
Conclusão
Referências

Resumo

Metodologia ⇒ Abordagem neo-schumpeteriana sobre as mudanças técnica e


econômica.

Argumentos fundamentais da abordagem nas quais são feitas analogias com a concepção
evolutiva da Biologia;
Como o pensamento neo-schumpeteriano se desenvolve para além dessas analogias com
o conceito de auto-organização;
Finaliza/conclui com a identificação das implicações da nova perspectiva sobre as
pesquisas neo-schumpeterianas;

OZON,R., et. all. Caminhos do pensamento neo-schumpeteriano - CORAZZA, R. & FRACALANZA, P. (2004)
– IBQP/PPGDE UFPR – Rua Dr. Correa Coelho, 741 – Jardim Botânico – Curitiba – PR – End.eletr. editor responsável rodrigoozon@yahoo.com.br –
Resumo
Introdução
Analogia biológica na abordagem neo-schumpeteriana da mudança tecnológica
Hereditariedade na Economia Neo-Schumpeteriana
Mecanismo de seleção na economia neo-schumpeteriana
Desenvolvimentos neo-schumpeterianos recentes: para além das analogias biológicas
Auto-organização e variedade na Biologia evolutiva
Auto-organização e variedade especificamente econômicas:a intuição de Schumpeter
Conclusão
Referências

Resumo

Metodologia ⇒ Abordagem neo-schumpeteriana sobre as mudanças técnica e


econômica.

Argumentos fundamentais da abordagem nas quais são feitas analogias com a concepção
evolutiva da Biologia;
Como o pensamento neo-schumpeteriano se desenvolve para além dessas analogias com
o conceito de auto-organização;
Finaliza/conclui com a identificação das implicações da nova perspectiva sobre as
pesquisas neo-schumpeterianas;

OZON,R., et. all. Caminhos do pensamento neo-schumpeteriano - CORAZZA, R. & FRACALANZA, P. (2004)
– IBQP/PPGDE UFPR – Rua Dr. Correa Coelho, 741 – Jardim Botânico – Curitiba – PR – End.eletr. editor responsável rodrigoozon@yahoo.com.br –
Resumo
Introdução
Analogia biológica na abordagem neo-schumpeteriana da mudança tecnológica
Hereditariedade na Economia Neo-Schumpeteriana
Mecanismo de seleção na economia neo-schumpeteriana
Desenvolvimentos neo-schumpeterianos recentes: para além das analogias biológicas
Auto-organização e variedade na Biologia evolutiva
Auto-organização e variedade especificamente econômicas:a intuição de Schumpeter
Conclusão
Referências

Introdução

No final dos anos 70 neo-schumepeterianos difundiram o uso de analogias biológicas para


compreender o caráter evolutivo do desenvolvimento capitalista e da mudança tecnológica;
Artigo levanta a argumentação neo-schumpeteriana da mudança tecnológica evidenciando
analogias com a teoria da evolução biológica;
Conceitos da teoria neo-schumepeteriana recente como auto-organização para explicar a
dinâmica e evolução dos sistemas econômicos conduzem a análise para além das
barreiras biológicas;
Objetivo do artigo é identificar algumas implicações dos desenvolvimentos teóricos
recentes para a agenda de pesquisa neo-schumpeteriana;

OZON,R., et. all. Caminhos do pensamento neo-schumpeteriano - CORAZZA, R. & FRACALANZA, P. (2004)
– IBQP/PPGDE UFPR – Rua Dr. Correa Coelho, 741 – Jardim Botânico – Curitiba – PR – End.eletr. editor responsável rodrigoozon@yahoo.com.br –
Resumo
Introdução
Analogia biológica na abordagem neo-schumpeteriana da mudança tecnológica
Hereditariedade na Economia Neo-Schumpeteriana
Mecanismo de seleção na economia neo-schumpeteriana
Desenvolvimentos neo-schumpeterianos recentes: para além das analogias biológicas
Auto-organização e variedade na Biologia evolutiva
Auto-organização e variedade especificamente econômicas:a intuição de Schumpeter
Conclusão
Referências

Introdução

No final dos anos 70 neo-schumepeterianos difundiram o uso de analogias biológicas para


compreender o caráter evolutivo do desenvolvimento capitalista e da mudança tecnológica;
Artigo levanta a argumentação neo-schumpeteriana da mudança tecnológica evidenciando
analogias com a teoria da evolução biológica;
Conceitos da teoria neo-schumepeteriana recente como auto-organização para explicar a
dinâmica e evolução dos sistemas econômicos conduzem a análise para além das
barreiras biológicas;
Objetivo do artigo é identificar algumas implicações dos desenvolvimentos teóricos
recentes para a agenda de pesquisa neo-schumpeteriana;

OZON,R., et. all. Caminhos do pensamento neo-schumpeteriano - CORAZZA, R. & FRACALANZA, P. (2004)
– IBQP/PPGDE UFPR – Rua Dr. Correa Coelho, 741 – Jardim Botânico – Curitiba – PR – End.eletr. editor responsável rodrigoozon@yahoo.com.br –
Resumo
Introdução
Analogia biológica na abordagem neo-schumpeteriana da mudança tecnológica
Hereditariedade na Economia Neo-Schumpeteriana
Mecanismo de seleção na economia neo-schumpeteriana
Desenvolvimentos neo-schumpeterianos recentes: para além das analogias biológicas
Auto-organização e variedade na Biologia evolutiva
Auto-organização e variedade especificamente econômicas:a intuição de Schumpeter
Conclusão
Referências

Introdução

No final dos anos 70 neo-schumepeterianos difundiram o uso de analogias biológicas para


compreender o caráter evolutivo do desenvolvimento capitalista e da mudança tecnológica;
Artigo levanta a argumentação neo-schumpeteriana da mudança tecnológica evidenciando
analogias com a teoria da evolução biológica;
Conceitos da teoria neo-schumepeteriana recente como auto-organização para explicar a
dinâmica e evolução dos sistemas econômicos conduzem a análise para além das
barreiras biológicas;
Objetivo do artigo é identificar algumas implicações dos desenvolvimentos teóricos
recentes para a agenda de pesquisa neo-schumpeteriana;

OZON,R., et. all. Caminhos do pensamento neo-schumpeteriano - CORAZZA, R. & FRACALANZA, P. (2004)
– IBQP/PPGDE UFPR – Rua Dr. Correa Coelho, 741 – Jardim Botânico – Curitiba – PR – End.eletr. editor responsável rodrigoozon@yahoo.com.br –
Resumo
Introdução
Analogia biológica na abordagem neo-schumpeteriana da mudança tecnológica
Hereditariedade na Economia Neo-Schumpeteriana
Mecanismo de seleção na economia neo-schumpeteriana
Desenvolvimentos neo-schumpeterianos recentes: para além das analogias biológicas
Auto-organização e variedade na Biologia evolutiva
Auto-organização e variedade especificamente econômicas:a intuição de Schumpeter
Conclusão
Referências

Introdução

No final dos anos 70 neo-schumepeterianos difundiram o uso de analogias biológicas para


compreender o caráter evolutivo do desenvolvimento capitalista e da mudança tecnológica;
Artigo levanta a argumentação neo-schumpeteriana da mudança tecnológica evidenciando
analogias com a teoria da evolução biológica;
Conceitos da teoria neo-schumepeteriana recente como auto-organização para explicar a
dinâmica e evolução dos sistemas econômicos conduzem a análise para além das
barreiras biológicas;
Objetivo do artigo é identificar algumas implicações dos desenvolvimentos teóricos
recentes para a agenda de pesquisa neo-schumpeteriana;

OZON,R., et. all. Caminhos do pensamento neo-schumpeteriano - CORAZZA, R. & FRACALANZA, P. (2004)
– IBQP/PPGDE UFPR – Rua Dr. Correa Coelho, 741 – Jardim Botânico – Curitiba – PR – End.eletr. editor responsável rodrigoozon@yahoo.com.br –
Resumo
Introdução
Analogia biológica na abordagem neo-schumpeteriana da mudança tecnológica
Hereditariedade na Economia Neo-Schumpeteriana
Mecanismo de seleção na economia neo-schumpeteriana
Desenvolvimentos neo-schumpeterianos recentes: para além das analogias biológicas
Auto-organização e variedade na Biologia evolutiva
Auto-organização e variedade especificamente econômicas:a intuição de Schumpeter
Conclusão
Referências

Analogia biológica na abordagem neo-schumpeteriana da mudança tecnológica

A tecnologia para os neoclássicos: ⇒ Função de produção relacionando uma combinação


de fatores de produção ou insumos com os nı́veis de produção obtidos, ou seja
Q = f (L, K,t); onde Q é o produto, L é a força de trabalho, K é o capital e t é o progresso
técnico;
Progresso técnico responsável pela expansão da FPP;
Neo-schumpeterianos se contrapôem a abordagem neoclássicas em relação a tecnologia
e progresso técnico: Neo-schumpeterianos oferem uma análise da tecnologia que coloca a
dinâmica tecnológica como motor do desenvolvimento econômico;
Definição de tecnologia ⇒ um complexo de conhecimentos práticos e teóricos,
englobando além de equipamentos fı́sicos não apenas know-how, métodos e
procedimentos, mas também experiências (bem ou mal sucedidas). Dosi (1998);
Visão neoclássica ⇒ Mecânica Newtoniana;
Visão neo-schumpeteriana ⇒ Teoria da Evolução da Biologia.

OZON,R., et. all. Caminhos do pensamento neo-schumpeteriano - CORAZZA, R. & FRACALANZA, P. (2004)
– IBQP/PPGDE UFPR – Rua Dr. Correa Coelho, 741 – Jardim Botânico – Curitiba – PR – End.eletr. editor responsável rodrigoozon@yahoo.com.br –
Resumo
Introdução
Analogia biológica na abordagem neo-schumpeteriana da mudança tecnológica
Hereditariedade na Economia Neo-Schumpeteriana
Mecanismo de seleção na economia neo-schumpeteriana
Desenvolvimentos neo-schumpeterianos recentes: para além das analogias biológicas
Auto-organização e variedade na Biologia evolutiva
Auto-organização e variedade especificamente econômicas:a intuição de Schumpeter
Conclusão
Referências

Analogia biológica na abordagem neo-schumpeteriana da mudança tecnológica

A tecnologia para os neoclássicos: ⇒ Função de produção relacionando uma combinação


de fatores de produção ou insumos com os nı́veis de produção obtidos, ou seja
Q = f (L, K,t); onde Q é o produto, L é a força de trabalho, K é o capital e t é o progresso
técnico;
Progresso técnico responsável pela expansão da FPP;
Neo-schumpeterianos se contrapôem a abordagem neoclássicas em relação a tecnologia
e progresso técnico: Neo-schumpeterianos oferem uma análise da tecnologia que coloca a
dinâmica tecnológica como motor do desenvolvimento econômico;
Definição de tecnologia ⇒ um complexo de conhecimentos práticos e teóricos,
englobando além de equipamentos fı́sicos não apenas know-how, métodos e
procedimentos, mas também experiências (bem ou mal sucedidas). Dosi (1998);
Visão neoclássica ⇒ Mecânica Newtoniana;
Visão neo-schumpeteriana ⇒ Teoria da Evolução da Biologia.

OZON,R., et. all. Caminhos do pensamento neo-schumpeteriano - CORAZZA, R. & FRACALANZA, P. (2004)
– IBQP/PPGDE UFPR – Rua Dr. Correa Coelho, 741 – Jardim Botânico – Curitiba – PR – End.eletr. editor responsável rodrigoozon@yahoo.com.br –
Resumo
Introdução
Analogia biológica na abordagem neo-schumpeteriana da mudança tecnológica
Hereditariedade na Economia Neo-Schumpeteriana
Mecanismo de seleção na economia neo-schumpeteriana
Desenvolvimentos neo-schumpeterianos recentes: para além das analogias biológicas
Auto-organização e variedade na Biologia evolutiva
Auto-organização e variedade especificamente econômicas:a intuição de Schumpeter
Conclusão
Referências

Analogia biológica na abordagem neo-schumpeteriana da mudança tecnológica

A tecnologia para os neoclássicos: ⇒ Função de produção relacionando uma combinação


de fatores de produção ou insumos com os nı́veis de produção obtidos, ou seja
Q = f (L, K,t); onde Q é o produto, L é a força de trabalho, K é o capital e t é o progresso
técnico;
Progresso técnico responsável pela expansão da FPP;
Neo-schumpeterianos se contrapôem a abordagem neoclássicas em relação a tecnologia
e progresso técnico: Neo-schumpeterianos oferem uma análise da tecnologia que coloca a
dinâmica tecnológica como motor do desenvolvimento econômico;
Definição de tecnologia ⇒ um complexo de conhecimentos práticos e teóricos,
englobando além de equipamentos fı́sicos não apenas know-how, métodos e
procedimentos, mas também experiências (bem ou mal sucedidas). Dosi (1998);
Visão neoclássica ⇒ Mecânica Newtoniana;
Visão neo-schumpeteriana ⇒ Teoria da Evolução da Biologia.

OZON,R., et. all. Caminhos do pensamento neo-schumpeteriano - CORAZZA, R. & FRACALANZA, P. (2004)
– IBQP/PPGDE UFPR – Rua Dr. Correa Coelho, 741 – Jardim Botânico – Curitiba – PR – End.eletr. editor responsável rodrigoozon@yahoo.com.br –
Resumo
Introdução
Analogia biológica na abordagem neo-schumpeteriana da mudança tecnológica
Hereditariedade na Economia Neo-Schumpeteriana
Mecanismo de seleção na economia neo-schumpeteriana
Desenvolvimentos neo-schumpeterianos recentes: para além das analogias biológicas
Auto-organização e variedade na Biologia evolutiva
Auto-organização e variedade especificamente econômicas:a intuição de Schumpeter
Conclusão
Referências

Analogia biológica na abordagem neo-schumpeteriana da mudança tecnológica

A tecnologia para os neoclássicos: ⇒ Função de produção relacionando uma combinação


de fatores de produção ou insumos com os nı́veis de produção obtidos, ou seja
Q = f (L, K,t); onde Q é o produto, L é a força de trabalho, K é o capital e t é o progresso
técnico;
Progresso técnico responsável pela expansão da FPP;
Neo-schumpeterianos se contrapôem a abordagem neoclássicas em relação a tecnologia
e progresso técnico: Neo-schumpeterianos oferem uma análise da tecnologia que coloca a
dinâmica tecnológica como motor do desenvolvimento econômico;
Definição de tecnologia ⇒ um complexo de conhecimentos práticos e teóricos,
englobando além de equipamentos fı́sicos não apenas know-how, métodos e
procedimentos, mas também experiências (bem ou mal sucedidas). Dosi (1998);
Visão neoclássica ⇒ Mecânica Newtoniana;
Visão neo-schumpeteriana ⇒ Teoria da Evolução da Biologia.

OZON,R., et. all. Caminhos do pensamento neo-schumpeteriano - CORAZZA, R. & FRACALANZA, P. (2004)
– IBQP/PPGDE UFPR – Rua Dr. Correa Coelho, 741 – Jardim Botânico – Curitiba – PR – End.eletr. editor responsável rodrigoozon@yahoo.com.br –
Resumo
Introdução
Analogia biológica na abordagem neo-schumpeteriana da mudança tecnológica
Hereditariedade na Economia Neo-Schumpeteriana
Mecanismo de seleção na economia neo-schumpeteriana
Desenvolvimentos neo-schumpeterianos recentes: para além das analogias biológicas
Auto-organização e variedade na Biologia evolutiva
Auto-organização e variedade especificamente econômicas:a intuição de Schumpeter
Conclusão
Referências

Analogia biológica na abordagem neo-schumpeteriana da mudança tecnológica

A tecnologia para os neoclássicos: ⇒ Função de produção relacionando uma combinação


de fatores de produção ou insumos com os nı́veis de produção obtidos, ou seja
Q = f (L, K,t); onde Q é o produto, L é a força de trabalho, K é o capital e t é o progresso
técnico;
Progresso técnico responsável pela expansão da FPP;
Neo-schumpeterianos se contrapôem a abordagem neoclássicas em relação a tecnologia
e progresso técnico: Neo-schumpeterianos oferem uma análise da tecnologia que coloca a
dinâmica tecnológica como motor do desenvolvimento econômico;
Definição de tecnologia ⇒ um complexo de conhecimentos práticos e teóricos,
englobando além de equipamentos fı́sicos não apenas know-how, métodos e
procedimentos, mas também experiências (bem ou mal sucedidas). Dosi (1998);
Visão neoclássica ⇒ Mecânica Newtoniana;
Visão neo-schumpeteriana ⇒ Teoria da Evolução da Biologia.

OZON,R., et. all. Caminhos do pensamento neo-schumpeteriano - CORAZZA, R. & FRACALANZA, P. (2004)
– IBQP/PPGDE UFPR – Rua Dr. Correa Coelho, 741 – Jardim Botânico – Curitiba – PR – End.eletr. editor responsável rodrigoozon@yahoo.com.br –
Resumo
Introdução
Analogia biológica na abordagem neo-schumpeteriana da mudança tecnológica
Hereditariedade na Economia Neo-Schumpeteriana
Mecanismo de seleção na economia neo-schumpeteriana
Desenvolvimentos neo-schumpeterianos recentes: para além das analogias biológicas
Auto-organização e variedade na Biologia evolutiva
Auto-organização e variedade especificamente econômicas:a intuição de Schumpeter
Conclusão
Referências

Analogia biológica na abordagem neo-schumpeteriana da mudança tecnológica

A tecnologia para os neoclássicos: ⇒ Função de produção relacionando uma combinação


de fatores de produção ou insumos com os nı́veis de produção obtidos, ou seja
Q = f (L, K,t); onde Q é o produto, L é a força de trabalho, K é o capital e t é o progresso
técnico;
Progresso técnico responsável pela expansão da FPP;
Neo-schumpeterianos se contrapôem a abordagem neoclássicas em relação a tecnologia
e progresso técnico: Neo-schumpeterianos oferem uma análise da tecnologia que coloca a
dinâmica tecnológica como motor do desenvolvimento econômico;
Definição de tecnologia ⇒ um complexo de conhecimentos práticos e teóricos,
englobando além de equipamentos fı́sicos não apenas know-how, métodos e
procedimentos, mas também experiências (bem ou mal sucedidas). Dosi (1998);
Visão neoclássica ⇒ Mecânica Newtoniana;
Visão neo-schumpeteriana ⇒ Teoria da Evolução da Biologia.

OZON,R., et. all. Caminhos do pensamento neo-schumpeteriano - CORAZZA, R. & FRACALANZA, P. (2004)
– IBQP/PPGDE UFPR – Rua Dr. Correa Coelho, 741 – Jardim Botânico – Curitiba – PR – End.eletr. editor responsável rodrigoozon@yahoo.com.br –
Resumo
Introdução
Analogia biológica na abordagem neo-schumpeteriana da mudança tecnológica
Hereditariedade na Economia Neo-Schumpeteriana
Mecanismo de seleção na economia neo-schumpeteriana
Desenvolvimentos neo-schumpeterianos recentes: para além das analogias biológicas
Auto-organização e variedade na Biologia evolutiva
Auto-organização e variedade especificamente econômicas:a intuição de Schumpeter
Conclusão
Referências

Hereditariedade na Economia Neo-Schumpeteriana

Os elementos da hereditariedade em economia tem um papel semelhante aos dos


genes da Biologia;

Genes assumem a forma de rotinas seguidas pelos agentes econômicos e da coleção de


ativos de que uma firma dispõe.
Rotina ⇒ Está na base do comportamento dos agentes e organizações.
Repertório: ⇒ Tarefas cotidianas numa organização e a solução encontrada para os
conflitos criam este repertório de respostas aos problemas mais frequentes;
As respostas não são pautadas pela otimalidade pois são frutos de conhecimentos tácitos
uma vez que são uma função de experiência passada e de limitações cognitivas;
deixam-se guiar pelas rotinas; As rotinas são uma espécie de memória organizacional.
A aprendizagem moldada pelas rotinas não se reduz a um “princı́pio de racionalidade
invariante”; ⇒ recusa as hipóteses de maximização e racionalidade substantiva que são
fundamentos neoclássicos;

OZON,R., et. all. Caminhos do pensamento neo-schumpeteriano - CORAZZA, R. & FRACALANZA, P. (2004)
– IBQP/PPGDE UFPR – Rua Dr. Correa Coelho, 741 – Jardim Botânico – Curitiba – PR – End.eletr. editor responsável rodrigoozon@yahoo.com.br –
Resumo
Introdução
Analogia biológica na abordagem neo-schumpeteriana da mudança tecnológica
Hereditariedade na Economia Neo-Schumpeteriana
Mecanismo de seleção na economia neo-schumpeteriana
Desenvolvimentos neo-schumpeterianos recentes: para além das analogias biológicas
Auto-organização e variedade na Biologia evolutiva
Auto-organização e variedade especificamente econômicas:a intuição de Schumpeter
Conclusão
Referências

Hereditariedade na Economia Neo-Schumpeteriana

Os elementos da hereditariedade em economia tem um papel semelhante aos dos


genes da Biologia;

Genes assumem a forma de rotinas seguidas pelos agentes econômicos e da coleção de


ativos de que uma firma dispõe.
Rotina ⇒ Está na base do comportamento dos agentes e organizações.
Repertório: ⇒ Tarefas cotidianas numa organização e a solução encontrada para os
conflitos criam este repertório de respostas aos problemas mais frequentes;
As respostas não são pautadas pela otimalidade pois são frutos de conhecimentos tácitos
uma vez que são uma função de experiência passada e de limitações cognitivas;
deixam-se guiar pelas rotinas; As rotinas são uma espécie de memória organizacional.
A aprendizagem moldada pelas rotinas não se reduz a um “princı́pio de racionalidade
invariante”; ⇒ recusa as hipóteses de maximização e racionalidade substantiva que são
fundamentos neoclássicos;

OZON,R., et. all. Caminhos do pensamento neo-schumpeteriano - CORAZZA, R. & FRACALANZA, P. (2004)
– IBQP/PPGDE UFPR – Rua Dr. Correa Coelho, 741 – Jardim Botânico – Curitiba – PR – End.eletr. editor responsável rodrigoozon@yahoo.com.br –
Resumo
Introdução
Analogia biológica na abordagem neo-schumpeteriana da mudança tecnológica
Hereditariedade na Economia Neo-Schumpeteriana
Mecanismo de seleção na economia neo-schumpeteriana
Desenvolvimentos neo-schumpeterianos recentes: para além das analogias biológicas
Auto-organização e variedade na Biologia evolutiva
Auto-organização e variedade especificamente econômicas:a intuição de Schumpeter
Conclusão
Referências

Hereditariedade na Economia Neo-Schumpeteriana

Os elementos da hereditariedade em economia tem um papel semelhante aos dos


genes da Biologia;

Genes assumem a forma de rotinas seguidas pelos agentes econômicos e da coleção de


ativos de que uma firma dispõe.
Rotina ⇒ Está na base do comportamento dos agentes e organizações.
Repertório: ⇒ Tarefas cotidianas numa organização e a solução encontrada para os
conflitos criam este repertório de respostas aos problemas mais frequentes;
As respostas não são pautadas pela otimalidade pois são frutos de conhecimentos tácitos
uma vez que são uma função de experiência passada e de limitações cognitivas;
deixam-se guiar pelas rotinas; As rotinas são uma espécie de memória organizacional.
A aprendizagem moldada pelas rotinas não se reduz a um “princı́pio de racionalidade
invariante”; ⇒ recusa as hipóteses de maximização e racionalidade substantiva que são
fundamentos neoclássicos;

OZON,R., et. all. Caminhos do pensamento neo-schumpeteriano - CORAZZA, R. & FRACALANZA, P. (2004)
– IBQP/PPGDE UFPR – Rua Dr. Correa Coelho, 741 – Jardim Botânico – Curitiba – PR – End.eletr. editor responsável rodrigoozon@yahoo.com.br –
Resumo
Introdução
Analogia biológica na abordagem neo-schumpeteriana da mudança tecnológica
Hereditariedade na Economia Neo-Schumpeteriana
Mecanismo de seleção na economia neo-schumpeteriana
Desenvolvimentos neo-schumpeterianos recentes: para além das analogias biológicas
Auto-organização e variedade na Biologia evolutiva
Auto-organização e variedade especificamente econômicas:a intuição de Schumpeter
Conclusão
Referências

Hereditariedade na Economia Neo-Schumpeteriana

Os elementos da hereditariedade em economia tem um papel semelhante aos dos


genes da Biologia;

Genes assumem a forma de rotinas seguidas pelos agentes econômicos e da coleção de


ativos de que uma firma dispõe.
Rotina ⇒ Está na base do comportamento dos agentes e organizações.
Repertório: ⇒ Tarefas cotidianas numa organização e a solução encontrada para os
conflitos criam este repertório de respostas aos problemas mais frequentes;
As respostas não são pautadas pela otimalidade pois são frutos de conhecimentos tácitos
uma vez que são uma função de experiência passada e de limitações cognitivas;
deixam-se guiar pelas rotinas; As rotinas são uma espécie de memória organizacional.
A aprendizagem moldada pelas rotinas não se reduz a um “princı́pio de racionalidade
invariante”; ⇒ recusa as hipóteses de maximização e racionalidade substantiva que são
fundamentos neoclássicos;

OZON,R., et. all. Caminhos do pensamento neo-schumpeteriano - CORAZZA, R. & FRACALANZA, P. (2004)
– IBQP/PPGDE UFPR – Rua Dr. Correa Coelho, 741 – Jardim Botânico – Curitiba – PR – End.eletr. editor responsável rodrigoozon@yahoo.com.br –
Resumo
Introdução
Analogia biológica na abordagem neo-schumpeteriana da mudança tecnológica
Hereditariedade na Economia Neo-Schumpeteriana
Mecanismo de seleção na economia neo-schumpeteriana
Desenvolvimentos neo-schumpeterianos recentes: para além das analogias biológicas
Auto-organização e variedade na Biologia evolutiva
Auto-organização e variedade especificamente econômicas:a intuição de Schumpeter
Conclusão
Referências

Hereditariedade na Economia Neo-Schumpeteriana

Os elementos da hereditariedade em economia tem um papel semelhante aos dos


genes da Biologia;

Genes assumem a forma de rotinas seguidas pelos agentes econômicos e da coleção de


ativos de que uma firma dispõe.
Rotina ⇒ Está na base do comportamento dos agentes e organizações.
Repertório: ⇒ Tarefas cotidianas numa organização e a solução encontrada para os
conflitos criam este repertório de respostas aos problemas mais frequentes;
As respostas não são pautadas pela otimalidade pois são frutos de conhecimentos tácitos
uma vez que são uma função de experiência passada e de limitações cognitivas;
deixam-se guiar pelas rotinas; As rotinas são uma espécie de memória organizacional.
A aprendizagem moldada pelas rotinas não se reduz a um “princı́pio de racionalidade
invariante”; ⇒ recusa as hipóteses de maximização e racionalidade substantiva que são
fundamentos neoclássicos;

OZON,R., et. all. Caminhos do pensamento neo-schumpeteriano - CORAZZA, R. & FRACALANZA, P. (2004)
– IBQP/PPGDE UFPR – Rua Dr. Correa Coelho, 741 – Jardim Botânico – Curitiba – PR – End.eletr. editor responsável rodrigoozon@yahoo.com.br –
Resumo
Introdução
Analogia biológica na abordagem neo-schumpeteriana da mudança tecnológica
Hereditariedade na Economia Neo-Schumpeteriana
Mecanismo de seleção na economia neo-schumpeteriana
Desenvolvimentos neo-schumpeterianos recentes: para além das analogias biológicas
Auto-organização e variedade na Biologia evolutiva
Auto-organização e variedade especificamente econômicas:a intuição de Schumpeter
Conclusão
Referências

Hereditariedade na Economia Neo-Schumpeteriana

O segundo fator de hereditariedade é a coleção de ativos ou de recursos que uma


organização dispõe.
Esses ativos podem ser de natureza:

fı́sicas (equipamentos, instalações, matérias-primas)


humanos, financeiros e imateriais ou;
intangı́veis ⇒ como imagem, boas relações, experiência e capacidades;
> grau de flexibilidade aos ativos financeiros ao passo que graus mais reduzidos de
flexibilidade tenderão a ser injetados aos ativos fı́sicos e humanos e, finalmente, aos
recursos ou ativos intangı́veis;

Espera-se que os fatores de hereditariedade sejam 6= entre os agentes, ou seja,


espera-se que ocorra diversidade.

OZON,R., et. all. Caminhos do pensamento neo-schumpeteriano - CORAZZA, R. & FRACALANZA, P. (2004)
– IBQP/PPGDE UFPR – Rua Dr. Correa Coelho, 741 – Jardim Botânico – Curitiba – PR – End.eletr. editor responsável rodrigoozon@yahoo.com.br –
Resumo
Introdução
Analogia biológica na abordagem neo-schumpeteriana da mudança tecnológica
Hereditariedade na Economia Neo-Schumpeteriana
Mecanismo de seleção na economia neo-schumpeteriana
Desenvolvimentos neo-schumpeterianos recentes: para além das analogias biológicas
Auto-organização e variedade na Biologia evolutiva
Auto-organização e variedade especificamente econômicas:a intuição de Schumpeter
Conclusão
Referências

Hereditariedade na Economia Neo-Schumpeteriana

O segundo fator de hereditariedade é a coleção de ativos ou de recursos que uma


organização dispõe.
Esses ativos podem ser de natureza:

fı́sicas (equipamentos, instalações, matérias-primas)


humanos, financeiros e imateriais ou;
intangı́veis ⇒ como imagem, boas relações, experiência e capacidades;
> grau de flexibilidade aos ativos financeiros ao passo que graus mais reduzidos de
flexibilidade tenderão a ser injetados aos ativos fı́sicos e humanos e, finalmente, aos
recursos ou ativos intangı́veis;

Espera-se que os fatores de hereditariedade sejam 6= entre os agentes, ou seja,


espera-se que ocorra diversidade.

OZON,R., et. all. Caminhos do pensamento neo-schumpeteriano - CORAZZA, R. & FRACALANZA, P. (2004)
– IBQP/PPGDE UFPR – Rua Dr. Correa Coelho, 741 – Jardim Botânico – Curitiba – PR – End.eletr. editor responsável rodrigoozon@yahoo.com.br –
Resumo
Introdução
Analogia biológica na abordagem neo-schumpeteriana da mudança tecnológica
Hereditariedade na Economia Neo-Schumpeteriana
Mecanismo de seleção na economia neo-schumpeteriana
Desenvolvimentos neo-schumpeterianos recentes: para além das analogias biológicas
Auto-organização e variedade na Biologia evolutiva
Auto-organização e variedade especificamente econômicas:a intuição de Schumpeter
Conclusão
Referências

Hereditariedade na Economia Neo-Schumpeteriana

O segundo fator de hereditariedade é a coleção de ativos ou de recursos que uma


organização dispõe.
Esses ativos podem ser de natureza:

fı́sicas (equipamentos, instalações, matérias-primas)


humanos, financeiros e imateriais ou;
intangı́veis ⇒ como imagem, boas relações, experiência e capacidades;
> grau de flexibilidade aos ativos financeiros ao passo que graus mais reduzidos de
flexibilidade tenderão a ser injetados aos ativos fı́sicos e humanos e, finalmente, aos
recursos ou ativos intangı́veis;

Espera-se que os fatores de hereditariedade sejam 6= entre os agentes, ou seja,


espera-se que ocorra diversidade.

OZON,R., et. all. Caminhos do pensamento neo-schumpeteriano - CORAZZA, R. & FRACALANZA, P. (2004)
– IBQP/PPGDE UFPR – Rua Dr. Correa Coelho, 741 – Jardim Botânico – Curitiba – PR – End.eletr. editor responsável rodrigoozon@yahoo.com.br –
Resumo
Introdução
Analogia biológica na abordagem neo-schumpeteriana da mudança tecnológica
Hereditariedade na Economia Neo-Schumpeteriana
Mecanismo de seleção na economia neo-schumpeteriana
Desenvolvimentos neo-schumpeterianos recentes: para além das analogias biológicas
Auto-organização e variedade na Biologia evolutiva
Auto-organização e variedade especificamente econômicas:a intuição de Schumpeter
Conclusão
Referências

Hereditariedade na Economia Neo-Schumpeteriana

O segundo fator de hereditariedade é a coleção de ativos ou de recursos que uma


organização dispõe.
Esses ativos podem ser de natureza:

fı́sicas (equipamentos, instalações, matérias-primas)


humanos, financeiros e imateriais ou;
intangı́veis ⇒ como imagem, boas relações, experiência e capacidades;
> grau de flexibilidade aos ativos financeiros ao passo que graus mais reduzidos de
flexibilidade tenderão a ser injetados aos ativos fı́sicos e humanos e, finalmente, aos
recursos ou ativos intangı́veis;

Espera-se que os fatores de hereditariedade sejam 6= entre os agentes, ou seja,


espera-se que ocorra diversidade.

OZON,R., et. all. Caminhos do pensamento neo-schumpeteriano - CORAZZA, R. & FRACALANZA, P. (2004)
– IBQP/PPGDE UFPR – Rua Dr. Correa Coelho, 741 – Jardim Botânico – Curitiba – PR – End.eletr. editor responsável rodrigoozon@yahoo.com.br –
Resumo
Introdução
Analogia biológica na abordagem neo-schumpeteriana da mudança tecnológica
Hereditariedade na Economia Neo-Schumpeteriana
Mecanismo de seleção na economia neo-schumpeteriana
Desenvolvimentos neo-schumpeterianos recentes: para além das analogias biológicas
Auto-organização e variedade na Biologia evolutiva
Auto-organização e variedade especificamente econômicas:a intuição de Schumpeter
Conclusão
Referências

Princı́pio de mutação na abordagem neo-schumpeteriana da mudança


tecnológica

A abordagem neo-schumpeteriana identifica um princı́pio de variações e de mutações


São os comportamentos de busca que asseguram as inovações. ⇒ Concentra-se nas propriedades dos
sistemas econômicos de natureza complexa.
PRINCÍPIO DA VARIAÇÃO:

Rotinas estáticas: ⇒ repetição de práticas anteriores;

ovas aprendizagens isto é, são rotinas capazes de criar outras rotinas, outros ativos ou outras competências.

eito de comportamento de busca que designa processos genuinamente associados a risco (incerteza), feitos de tentativas e erros.

ão capazes de alterar firmas, indústrias e sistema econômico via inovações; inovações estas que não são oriundas de análises
custo-benefı́cio...

“as rotinas de busca, materializadas nas atividades de


pesquisa e desenvolvimento, são permeadas por um tipo muito especial de incerteza de natureza não-Bayesiana ou
não-probabilı́stica , a inovação passa a ser um processo guiado por uma heurı́stica de busca, com base em experiências
prévias, tentativas, sucessos e fracassos.”CORAZZA, R. & FRANCALANZA (2004, p. 132) [1]

A inovação não é fruto de um cálculo de otimização, mas sim


de procedimentos e regras expressos de uma racionalidade limitada dos agentes envolvidos que lidam com informações
previamente disponı́veis;

OZON,R., et. all. Caminhos do pensamento neo-schumpeteriano - CORAZZA, R. & FRACALANZA, P. (2004)
– IBQP/PPGDE UFPR – Rua Dr. Correa Coelho, 741 – Jardim Botânico – Curitiba – PR – End.eletr. editor responsável rodrigoozon@yahoo.com.br –
Resumo
Introdução
Analogia biológica na abordagem neo-schumpeteriana da mudança tecnológica
Hereditariedade na Economia Neo-Schumpeteriana
Mecanismo de seleção na economia neo-schumpeteriana
Desenvolvimentos neo-schumpeterianos recentes: para além das analogias biológicas
Auto-organização e variedade na Biologia evolutiva
Auto-organização e variedade especificamente econômicas:a intuição de Schumpeter
Conclusão
Referências

Princı́pio de mutação na abordagem neo-schumpeteriana da mudança


tecnológica

A abordagem neo-schumpeteriana identifica um princı́pio de variações e de mutações


São os comportamentos de busca que asseguram as inovações. ⇒ Concentra-se nas propriedades dos
sistemas econômicos de natureza complexa.
PRINCÍPIO DA VARIAÇÃO:

Rotinas estáticas: ⇒ repetição de práticas anteriores;

ovas aprendizagens isto é, são rotinas capazes de criar outras rotinas, outros ativos ou outras competências.

eito de comportamento de busca que designa processos genuinamente associados a risco (incerteza), feitos de tentativas e erros.

ão capazes de alterar firmas, indústrias e sistema econômico via inovações; inovações estas que não são oriundas de análises
custo-benefı́cio...

“as rotinas de busca, materializadas nas atividades de


pesquisa e desenvolvimento, são permeadas por um tipo muito especial de incerteza de natureza não-Bayesiana ou
não-probabilı́stica , a inovação passa a ser um processo guiado por uma heurı́stica de busca, com base em experiências
prévias, tentativas, sucessos e fracassos.”CORAZZA, R. & FRANCALANZA (2004, p. 132) [1]

A inovação não é fruto de um cálculo de otimização, mas sim


de procedimentos e regras expressos de uma racionalidade limitada dos agentes envolvidos que lidam com informações
previamente disponı́veis;

OZON,R., et. all. Caminhos do pensamento neo-schumpeteriano - CORAZZA, R. & FRACALANZA, P. (2004)
– IBQP/PPGDE UFPR – Rua Dr. Correa Coelho, 741 – Jardim Botânico – Curitiba – PR – End.eletr. editor responsável rodrigoozon@yahoo.com.br –
Resumo
Introdução
Analogia biológica na abordagem neo-schumpeteriana da mudança tecnológica
Hereditariedade na Economia Neo-Schumpeteriana
Mecanismo de seleção na economia neo-schumpeteriana
Desenvolvimentos neo-schumpeterianos recentes: para além das analogias biológicas
Auto-organização e variedade na Biologia evolutiva
Auto-organização e variedade especificamente econômicas:a intuição de Schumpeter
Conclusão
Referências

Princı́pio de mutação na abordagem neo-schumpeteriana da mudança


tecnológica

A abordagem neo-schumpeteriana identifica um princı́pio de variações e de mutações


São os comportamentos de busca que asseguram as inovações. ⇒ Concentra-se nas propriedades dos
sistemas econômicos de natureza complexa.
PRINCÍPIO DA VARIAÇÃO:

Rotinas estáticas: ⇒ repetição de práticas anteriores;

ovas aprendizagens isto é, são rotinas capazes de criar outras rotinas, outros ativos ou outras competências.

eito de comportamento de busca que designa processos genuinamente associados a risco (incerteza), feitos de tentativas e erros.

ão capazes de alterar firmas, indústrias e sistema econômico via inovações; inovações estas que não são oriundas de análises
custo-benefı́cio...

“as rotinas de busca, materializadas nas atividades de


pesquisa e desenvolvimento, são permeadas por um tipo muito especial de incerteza de natureza não-Bayesiana ou
não-probabilı́stica , a inovação passa a ser um processo guiado por uma heurı́stica de busca, com base em experiências
prévias, tentativas, sucessos e fracassos.”CORAZZA, R. & FRANCALANZA (2004, p. 132) [1]

A inovação não é fruto de um cálculo de otimização, mas sim


de procedimentos e regras expressos de uma racionalidade limitada dos agentes envolvidos que lidam com informações
previamente disponı́veis;

OZON,R., et. all. Caminhos do pensamento neo-schumpeteriano - CORAZZA, R. & FRACALANZA, P. (2004)
– IBQP/PPGDE UFPR – Rua Dr. Correa Coelho, 741 – Jardim Botânico – Curitiba – PR – End.eletr. editor responsável rodrigoozon@yahoo.com.br –
Resumo
Introdução
Analogia biológica na abordagem neo-schumpeteriana da mudança tecnológica
Hereditariedade na Economia Neo-Schumpeteriana
Mecanismo de seleção na economia neo-schumpeteriana
Desenvolvimentos neo-schumpeterianos recentes: para além das analogias biológicas
Auto-organização e variedade na Biologia evolutiva
Auto-organização e variedade especificamente econômicas:a intuição de Schumpeter
Conclusão
Referências

Princı́pio de mutação na abordagem neo-schumpeteriana da mudança


tecnológica

A abordagem neo-schumpeteriana identifica um princı́pio de variações e de mutações


São os comportamentos de busca que asseguram as inovações. ⇒ Concentra-se nas propriedades dos
sistemas econômicos de natureza complexa.
PRINCÍPIO DA VARIAÇÃO:

Rotinas estáticas: ⇒ repetição de práticas anteriores;

ovas aprendizagens isto é, são rotinas capazes de criar outras rotinas, outros ativos ou outras competências.

eito de comportamento de busca que designa processos genuinamente associados a risco (incerteza), feitos de tentativas e erros.

ão capazes de alterar firmas, indústrias e sistema econômico via inovações; inovações estas que não são oriundas de análises
custo-benefı́cio...

“as rotinas de busca, materializadas nas atividades de


pesquisa e desenvolvimento, são permeadas por um tipo muito especial de incerteza de natureza não-Bayesiana ou
não-probabilı́stica , a inovação passa a ser um processo guiado por uma heurı́stica de busca, com base em experiências
prévias, tentativas, sucessos e fracassos.”CORAZZA, R. & FRANCALANZA (2004, p. 132) [1]

A inovação não é fruto de um cálculo de otimização, mas sim


de procedimentos e regras expressos de uma racionalidade limitada dos agentes envolvidos que lidam com informações
previamente disponı́veis;

OZON,R., et. all. Caminhos do pensamento neo-schumpeteriano - CORAZZA, R. & FRACALANZA, P. (2004)
– IBQP/PPGDE UFPR – Rua Dr. Correa Coelho, 741 – Jardim Botânico – Curitiba – PR – End.eletr. editor responsável rodrigoozon@yahoo.com.br –
Resumo
Introdução
Analogia biológica na abordagem neo-schumpeteriana da mudança tecnológica
Hereditariedade na Economia Neo-Schumpeteriana
Mecanismo de seleção na economia neo-schumpeteriana
Desenvolvimentos neo-schumpeterianos recentes: para além das analogias biológicas
Auto-organização e variedade na Biologia evolutiva
Auto-organização e variedade especificamente econômicas:a intuição de Schumpeter
Conclusão
Referências

Princı́pio de mutação na abordagem neo-schumpeteriana da mudança


tecnológica

A abordagem neo-schumpeteriana identifica um princı́pio de variações e de mutações


São os comportamentos de busca que asseguram as inovações. ⇒ Concentra-se nas propriedades dos
sistemas econômicos de natureza complexa.
PRINCÍPIO DA VARIAÇÃO:

Rotinas estáticas: ⇒ repetição de práticas anteriores;

ovas aprendizagens isto é, são rotinas capazes de criar outras rotinas, outros ativos ou outras competências.

eito de comportamento de busca que designa processos genuinamente associados a risco (incerteza), feitos de tentativas e erros.

ão capazes de alterar firmas, indústrias e sistema econômico via inovações; inovações estas que não são oriundas de análises
custo-benefı́cio...

“as rotinas de busca, materializadas nas atividades de


pesquisa e desenvolvimento, são permeadas por um tipo muito especial de incerteza de natureza não-Bayesiana ou
não-probabilı́stica , a inovação passa a ser um processo guiado por uma heurı́stica de busca, com base em experiências
prévias, tentativas, sucessos e fracassos.”CORAZZA, R. & FRANCALANZA (2004, p. 132) [1]

A inovação não é fruto de um cálculo de otimização, mas sim


de procedimentos e regras expressos de uma racionalidade limitada dos agentes envolvidos que lidam com informações
previamente disponı́veis;

OZON,R., et. all. Caminhos do pensamento neo-schumpeteriano - CORAZZA, R. & FRACALANZA, P. (2004)
– IBQP/PPGDE UFPR – Rua Dr. Correa Coelho, 741 – Jardim Botânico – Curitiba – PR – End.eletr. editor responsável rodrigoozon@yahoo.com.br –
Resumo
Introdução
Analogia biológica na abordagem neo-schumpeteriana da mudança tecnológica
Hereditariedade na Economia Neo-Schumpeteriana
Mecanismo de seleção na economia neo-schumpeteriana
Desenvolvimentos neo-schumpeterianos recentes: para além das analogias biológicas
Auto-organização e variedade na Biologia evolutiva
Auto-organização e variedade especificamente econômicas:a intuição de Schumpeter
Conclusão
Referências

Princı́pio de mutação na abordagem neo-schumpeteriana da mudança


tecnológica

A abordagem neo-schumpeteriana identifica um princı́pio de variações e de mutações


São os comportamentos de busca que asseguram as inovações. ⇒ Concentra-se nas propriedades dos
sistemas econômicos de natureza complexa.
PRINCÍPIO DA VARIAÇÃO:

Rotinas estáticas: ⇒ repetição de práticas anteriores;

ovas aprendizagens isto é, são rotinas capazes de criar outras rotinas, outros ativos ou outras competências.

eito de comportamento de busca que designa processos genuinamente associados a risco (incerteza), feitos de tentativas e erros.

ão capazes de alterar firmas, indústrias e sistema econômico via inovações; inovações estas que não são oriundas de análises
custo-benefı́cio...

“as rotinas de busca, materializadas nas atividades de


pesquisa e desenvolvimento, são permeadas por um tipo muito especial de incerteza de natureza não-Bayesiana ou
não-probabilı́stica , a inovação passa a ser um processo guiado por uma heurı́stica de busca, com base em experiências
prévias, tentativas, sucessos e fracassos.”CORAZZA, R. & FRANCALANZA (2004, p. 132) [1]

A inovação não é fruto de um cálculo de otimização, mas sim


de procedimentos e regras expressos de uma racionalidade limitada dos agentes envolvidos que lidam com informações
previamente disponı́veis;

OZON,R., et. all. Caminhos do pensamento neo-schumpeteriano - CORAZZA, R. & FRACALANZA, P. (2004)
– IBQP/PPGDE UFPR – Rua Dr. Correa Coelho, 741 – Jardim Botânico – Curitiba – PR – End.eletr. editor responsável rodrigoozon@yahoo.com.br –
Resumo
Introdução
Analogia biológica na abordagem neo-schumpeteriana da mudança tecnológica
Hereditariedade na Economia Neo-Schumpeteriana
Mecanismo de seleção na economia neo-schumpeteriana
Desenvolvimentos neo-schumpeterianos recentes: para além das analogias biológicas
Auto-organização e variedade na Biologia evolutiva
Auto-organização e variedade especificamente econômicas:a intuição de Schumpeter
Conclusão
Referências

Princı́pio de mutação na abordagem neo-schumpeteriana da mudança


tecnológica

A abordagem neo-schumpeteriana identifica um princı́pio de variações e de mutações


São os comportamentos de busca que asseguram as inovações. ⇒ Concentra-se nas propriedades dos
sistemas econômicos de natureza complexa.
PRINCÍPIO DA VARIAÇÃO:

Rotinas estáticas: ⇒ repetição de práticas anteriores;

⇒ direcionadas a novas aprendizagens isto é, são rotinas capazes de criar outras rotinas, outros ativos ou outras competências.
eito de comportamento de busca que designa processos genuinamente associados a risco (incerteza), feitos de tentativas e erros.

ão capazes de alterar firmas, indústrias e sistema econômico via inovações; inovações estas que não são oriundas de análises
custo-benefı́cio...

“as rotinas de busca, materializadas nas atividades de


pesquisa e desenvolvimento, são permeadas por um tipo muito especial de incerteza de natureza não-Bayesiana ou
não-probabilı́stica , a inovação passa a ser um processo guiado por uma heurı́stica de busca, com base em experiências
prévias, tentativas, sucessos e fracassos.”CORAZZA, R. & FRANCALANZA (2004, p. 132) [1]

A inovação não é fruto de um cálculo de otimização, mas sim


de procedimentos e regras expressos de uma racionalidade limitada dos agentes envolvidos que lidam com informações
previamente disponı́veis;

OZON,R., et. all. Caminhos do pensamento neo-schumpeteriano - CORAZZA, R. & FRACALANZA, P. (2004)
– IBQP/PPGDE UFPR – Rua Dr. Correa Coelho, 741 – Jardim Botânico – Curitiba – PR – End.eletr. editor responsável rodrigoozon@yahoo.com.br –
Resumo
Introdução
Analogia biológica na abordagem neo-schumpeteriana da mudança tecnológica
Hereditariedade na Economia Neo-Schumpeteriana
Mecanismo de seleção na economia neo-schumpeteriana
Desenvolvimentos neo-schumpeterianos recentes: para além das analogias biológicas
Auto-organização e variedade na Biologia evolutiva
Auto-organização e variedade especificamente econômicas:a intuição de Schumpeter
Conclusão
Referências

Princı́pio de mutação na abordagem neo-schumpeteriana da mudança


tecnológica
A abordagem neo-schumpeteriana identifica um princı́pio de variações e de mutações
São os comportamentos de busca que asseguram as inovações. ⇒ Concentra-se nas propriedades dos
sistemas econômicos de natureza complexa.
PRINCÍPIO DA VARIAÇÃO:

Rotinas estáticas: ⇒ repetição de práticas anteriores;


Rotinas dinâmicas: ⇒ direcionadas a novas aprendizagens isto é, são rotinas capazes de criar outras rotinas, outros ativos ou outras
competências.
eito de comportamento de busca que designa processos genuinamente associados a risco (incerteza), feitos de tentativas e erros.
ão capazes de alterar firmas, indústrias e sistema econômico via inovações; inovações estas que não são oriundas de análises
custo-benefı́cio...
“as rotinas de busca, materializadas nas atividades de
pesquisa e desenvolvimento, são permeadas por um tipo muito especial de incerteza de natureza não-Bayesiana ou
não-probabilı́stica , a inovação passa a ser um processo guiado por uma heurı́stica de busca, com base em experiências
prévias, tentativas, sucessos e fracassos.”CORAZZA, R. & FRANCALANZA (2004, p. 132) [1]
A inovação não é fruto de um cálculo de otimização, mas sim
de procedimentos e regras expressos de uma racionalidade limitada dos agentes envolvidos que lidam com informações
previamente disponı́veis;

OZON,R., et. all. Caminhos do pensamento neo-schumpeteriano - CORAZZA, R. & FRACALANZA, P. (2004)
– IBQP/PPGDE UFPR – Rua Dr. Correa Coelho, 741 – Jardim Botânico – Curitiba – PR – End.eletr. editor responsável rodrigoozon@yahoo.com.br –
Resumo
Introdução
Analogia biológica na abordagem neo-schumpeteriana da mudança tecnológica
Hereditariedade na Economia Neo-Schumpeteriana
Mecanismo de seleção na economia neo-schumpeteriana
Desenvolvimentos neo-schumpeterianos recentes: para além das analogias biológicas
Auto-organização e variedade na Biologia evolutiva
Auto-organização e variedade especificamente econômicas:a intuição de Schumpeter
Conclusão
Referências

Princı́pio de mutação na abordagem neo-schumpeteriana da mudança


tecnológica
A abordagem neo-schumpeteriana identifica um princı́pio de variações e de mutações
São os comportamentos de busca que asseguram as inovações. ⇒ Concentra-se nas propriedades dos
sistemas econômicos de natureza complexa.
PRINCÍPIO DA VARIAÇÃO:

Rotinas estáticas: ⇒ repetição de práticas anteriores;


Rotinas dinâmicas: ⇒ direcionadas a novas aprendizagens isto é, são rotinas capazes de criar outras rotinas, outros
ativos ou outras competências.
eito de comportamento de busca que designa processos genuinamente associados a risco (incerteza), feitos de tentativas e erros.
ão capazes de alterar firmas, indústrias e sistema econômico via inovações; inovações estas que não são oriundas de análises
custo-benefı́cio...
“as rotinas de busca, materializadas nas atividades de
pesquisa e desenvolvimento, são permeadas por um tipo muito especial de incerteza de natureza não-Bayesiana ou
não-probabilı́stica , a inovação passa a ser um processo guiado por uma heurı́stica de busca, com base em experiências
prévias, tentativas, sucessos e fracassos.”CORAZZA, R. & FRANCALANZA (2004, p. 132) [1]
A inovação não é fruto de um cálculo de otimização, mas sim
de procedimentos e regras expressos de uma racionalidade limitada dos agentes envolvidos que lidam com informações
previamente disponı́veis;

OZON,R., et. all. Caminhos do pensamento neo-schumpeteriano - CORAZZA, R. & FRACALANZA, P. (2004)
– IBQP/PPGDE UFPR – Rua Dr. Correa Coelho, 741 – Jardim Botânico – Curitiba – PR – End.eletr. editor responsável rodrigoozon@yahoo.com.br –
Resumo
Introdução
Analogia biológica na abordagem neo-schumpeteriana da mudança tecnológica
Hereditariedade na Economia Neo-Schumpeteriana
Mecanismo de seleção na economia neo-schumpeteriana
Desenvolvimentos neo-schumpeterianos recentes: para além das analogias biológicas
Auto-organização e variedade na Biologia evolutiva
Auto-organização e variedade especificamente econômicas:a intuição de Schumpeter
Conclusão
Referências

Princı́pio de mutação na abordagem neo-schumpeteriana da mudança


tecnológica
A abordagem neo-schumpeteriana identifica um princı́pio de variações e de mutações
São os comportamentos de busca que asseguram as inovações. ⇒ Concentra-se nas propriedades dos
sistemas econômicos de natureza complexa.
PRINCÍPIO DA VARIAÇÃO:

Rotinas estáticas: ⇒ repetição de práticas anteriores;


Rotinas dinâmicas: ⇒ direcionadas a novas aprendizagens isto é, são rotinas capazes de criar outras rotinas, outros
ativos ou outras competências.
eito de comportamento de busca que designa processos genuinamente associados a risco (incerteza), feitos de tentativas e erros.
ão capazes de alterar firmas, indústrias e sistema econômico via inovações; inovações estas que não são oriundas de análises
custo-benefı́cio...
“as rotinas de busca, materializadas nas atividades de
pesquisa e desenvolvimento, são permeadas por um tipo muito especial de incerteza de natureza não-Bayesiana ou
não-probabilı́stica , a inovação passa a ser um processo guiado por uma heurı́stica de busca, com base em experiências
prévias, tentativas, sucessos e fracassos.”CORAZZA, R. & FRANCALANZA (2004, p. 132) [1]
A inovação não é fruto de um cálculo de otimização, mas sim
de procedimentos e regras expressos de uma racionalidade limitada dos agentes envolvidos que lidam com informações
previamente disponı́veis;

OZON,R., et. all. Caminhos do pensamento neo-schumpeteriano - CORAZZA, R. & FRACALANZA, P. (2004)
– IBQP/PPGDE UFPR – Rua Dr. Correa Coelho, 741 – Jardim Botânico – Curitiba – PR – End.eletr. editor responsável rodrigoozon@yahoo.com.br –
Resumo
Introdução
Analogia biológica na abordagem neo-schumpeteriana da mudança tecnológica
Hereditariedade na Economia Neo-Schumpeteriana
Mecanismo de seleção na economia neo-schumpeteriana
Desenvolvimentos neo-schumpeterianos recentes: para além das analogias biológicas
Auto-organização e variedade na Biologia evolutiva
Auto-organização e variedade especificamente econômicas:a intuição de Schumpeter
Conclusão
Referências

Princı́pio de mutação na abordagem neo-schumpeteriana da mudança


tecnológica
A abordagem neo-schumpeteriana identifica um princı́pio de variações e de mutações
São os comportamentos de busca que asseguram as inovações. ⇒ Concentra-se nas propriedades dos
sistemas econômicos de natureza complexa.
PRINCÍPIO DA VARIAÇÃO:

Rotinas estáticas: ⇒ repetição de práticas anteriores;


Rotinas dinâmicas: ⇒ direcionadas a novas aprendizagens isto é, são rotinas capazes de criar outras rotinas, outros
ativos ou outras competências.
dinâmica ≡ ao conceito de comportamento de busca que designa processos genuinamente associados a risco (incerteza), feitos de
tentativas e erros.
ão capazes de alterar firmas, indústrias e sistema econômico via inovações; inovações estas que não são oriundas de análises
custo-benefı́cio...
“as rotinas de busca, materializadas nas atividades de
pesquisa e desenvolvimento, são permeadas por um tipo muito especial de incerteza de natureza não-Bayesiana ou
não-probabilı́stica , a inovação passa a ser um processo guiado por uma heurı́stica de busca, com base em experiências
prévias, tentativas, sucessos e fracassos.”CORAZZA, R. & FRANCALANZA (2004, p. 132) [1]
A inovação não é fruto de um cálculo de otimização, mas sim
de procedimentos e regras expressos de uma racionalidade limitada dos agentes envolvidos que lidam com informações
previamente disponı́veis;

OZON,R., et. all. Caminhos do pensamento neo-schumpeteriano - CORAZZA, R. & FRACALANZA, P. (2004)
– IBQP/PPGDE UFPR – Rua Dr. Correa Coelho, 741 – Jardim Botânico – Curitiba – PR – End.eletr. editor responsável rodrigoozon@yahoo.com.br –
Resumo
Introdução
Analogia biológica na abordagem neo-schumpeteriana da mudança tecnológica
Hereditariedade na Economia Neo-Schumpeteriana
Mecanismo de seleção na economia neo-schumpeteriana
Desenvolvimentos neo-schumpeterianos recentes: para além das analogias biológicas
Auto-organização e variedade na Biologia evolutiva
Auto-organização e variedade especificamente econômicas:a intuição de Schumpeter
Conclusão
Referências

Princı́pio de mutação na abordagem neo-schumpeteriana da mudança


tecnológica
A abordagem neo-schumpeteriana identifica um princı́pio de variações e de mutações
São os comportamentos de busca que asseguram as inovações. ⇒ Concentra-se nas propriedades dos
sistemas econômicos de natureza complexa.
PRINCÍPIO DA VARIAÇÃO:

Rotinas estáticas: ⇒ repetição de práticas anteriores;


Rotinas dinâmicas: ⇒ direcionadas a novas aprendizagens isto é, são rotinas capazes de criar outras rotinas, outros
ativos ou outras competências.
Conceito de rotina dinâmica ≡ ao conceito de comportamento de busca que designa processos genuinamente associados a risco
(incerteza), feitos de tentativas e erros.
ão capazes de alterar firmas, indústrias e sistema econômico via inovações; inovações estas que não são oriundas de análises
custo-benefı́cio...
“as rotinas de busca, materializadas nas atividades de
pesquisa e desenvolvimento, são permeadas por um tipo muito especial de incerteza de natureza não-Bayesiana ou
não-probabilı́stica , a inovação passa a ser um processo guiado por uma heurı́stica de busca, com base em experiências
prévias, tentativas, sucessos e fracassos.”CORAZZA, R. & FRANCALANZA (2004, p. 132) [1]
A inovação não é fruto de um cálculo de otimização, mas sim
de procedimentos e regras expressos de uma racionalidade limitada dos agentes envolvidos que lidam com informações
previamente disponı́veis;

OZON,R., et. all. Caminhos do pensamento neo-schumpeteriano - CORAZZA, R. & FRACALANZA, P. (2004)
– IBQP/PPGDE UFPR – Rua Dr. Correa Coelho, 741 – Jardim Botânico – Curitiba – PR – End.eletr. editor responsável rodrigoozon@yahoo.com.br –
Resumo
Introdução
Analogia biológica na abordagem neo-schumpeteriana da mudança tecnológica
Hereditariedade na Economia Neo-Schumpeteriana
Mecanismo de seleção na economia neo-schumpeteriana
Desenvolvimentos neo-schumpeterianos recentes: para além das analogias biológicas
Auto-organização e variedade na Biologia evolutiva
Auto-organização e variedade especificamente econômicas:a intuição de Schumpeter
Conclusão
Referências

Princı́pio de mutação na abordagem neo-schumpeteriana da mudança


tecnológica
A abordagem neo-schumpeteriana identifica um princı́pio de variações e de mutações
São os comportamentos de busca que asseguram as inovações. ⇒ Concentra-se nas propriedades dos
sistemas econômicos de natureza complexa.
PRINCÍPIO DA VARIAÇÃO:

Rotinas estáticas: ⇒ repetição de práticas anteriores;


Rotinas dinâmicas: ⇒ direcionadas a novas aprendizagens isto é, são rotinas capazes de criar outras rotinas, outros
ativos ou outras competências.
Conceito de rotina dinâmica ≡ ao conceito de comportamento de busca que designa processos genuinamente
associados a risco (incerteza), feitos de tentativas e erros.
ão capazes de alterar firmas, indústrias e sistema econômico via inovações; inovações estas que não são oriundas de análises
custo-benefı́cio...
“as rotinas de busca, materializadas nas atividades de
pesquisa e desenvolvimento, são permeadas por um tipo muito especial de incerteza de natureza não-Bayesiana ou
não-probabilı́stica , a inovação passa a ser um processo guiado por uma heurı́stica de busca, com base em experiências
prévias, tentativas, sucessos e fracassos.”CORAZZA, R. & FRANCALANZA (2004, p. 132) [1]
A inovação não é fruto de um cálculo de otimização, mas sim
de procedimentos e regras expressos de uma racionalidade limitada dos agentes envolvidos que lidam com informações
previamente disponı́veis;

OZON,R., et. all. Caminhos do pensamento neo-schumpeteriano - CORAZZA, R. & FRACALANZA, P. (2004)
– IBQP/PPGDE UFPR – Rua Dr. Correa Coelho, 741 – Jardim Botânico – Curitiba – PR – End.eletr. editor responsável rodrigoozon@yahoo.com.br –
Resumo
Introdução
Analogia biológica na abordagem neo-schumpeteriana da mudança tecnológica
Hereditariedade na Economia Neo-Schumpeteriana
Mecanismo de seleção na economia neo-schumpeteriana
Desenvolvimentos neo-schumpeterianos recentes: para além das analogias biológicas
Auto-organização e variedade na Biologia evolutiva
Auto-organização e variedade especificamente econômicas:a intuição de Schumpeter
Conclusão
Referências

Princı́pio de mutação na abordagem neo-schumpeteriana da mudança


tecnológica
A abordagem neo-schumpeteriana identifica um princı́pio de variações e de mutações
São os comportamentos de busca que asseguram as inovações. ⇒ Concentra-se nas propriedades dos
sistemas econômicos de natureza complexa.
PRINCÍPIO DA VARIAÇÃO:

Rotinas estáticas: ⇒ repetição de práticas anteriores;


Rotinas dinâmicas: ⇒ direcionadas a novas aprendizagens isto é, são rotinas capazes de criar outras rotinas, outros
ativos ou outras competências.
Conceito de rotina dinâmica ≡ ao conceito de comportamento de busca que designa processos genuinamente
associados a risco (incerteza), feitos de tentativas e erros.
ão capazes de alterar firmas, indústrias e sistema econômico via inovações; inovações estas que não são oriundas de análises
custo-benefı́cio...
“as rotinas de busca, materializadas nas atividades de
pesquisa e desenvolvimento, são permeadas por um tipo muito especial de incerteza de natureza não-Bayesiana ou
não-probabilı́stica , a inovação passa a ser um processo guiado por uma heurı́stica de busca, com base em experiências
prévias, tentativas, sucessos e fracassos.”CORAZZA, R. & FRANCALANZA (2004, p. 132) [1]
A inovação não é fruto de um cálculo de otimização, mas sim
de procedimentos e regras expressos de uma racionalidade limitada dos agentes envolvidos que lidam com informações
previamente disponı́veis;

OZON,R., et. all. Caminhos do pensamento neo-schumpeteriano - CORAZZA, R. & FRACALANZA, P. (2004)
– IBQP/PPGDE UFPR – Rua Dr. Correa Coelho, 741 – Jardim Botânico – Curitiba – PR – End.eletr. editor responsável rodrigoozon@yahoo.com.br –
Resumo
Introdução
Analogia biológica na abordagem neo-schumpeteriana da mudança tecnológica
Hereditariedade na Economia Neo-Schumpeteriana
Mecanismo de seleção na economia neo-schumpeteriana
Desenvolvimentos neo-schumpeterianos recentes: para além das analogias biológicas
Auto-organização e variedade na Biologia evolutiva
Auto-organização e variedade especificamente econômicas:a intuição de Schumpeter
Conclusão
Referências

Princı́pio de mutação na abordagem neo-schumpeteriana da mudança


tecnológica
A abordagem neo-schumpeteriana identifica um princı́pio de variações e de mutações
São os comportamentos de busca que asseguram as inovações. ⇒ Concentra-se nas propriedades dos
sistemas econômicos de natureza complexa.
PRINCÍPIO DA VARIAÇÃO:

Rotinas estáticas: ⇒ repetição de práticas anteriores;


Rotinas dinâmicas: ⇒ direcionadas a novas aprendizagens isto é, são rotinas capazes de criar outras rotinas, outros
ativos ou outras competências.
Conceito de rotina dinâmica ≡ ao conceito de comportamento de busca que designa processos genuinamente
associados a risco (incerteza), feitos de tentativas e erros.
sos de busca que são capazes de alterar firmas, indústrias e sistema econômico via inovações; inovações estas que não são oriundas de
análises custo-benefı́cio...
“as rotinas de busca, materializadas nas atividades de
pesquisa e desenvolvimento, são permeadas por um tipo muito especial de incerteza de natureza não-Bayesiana ou
não-probabilı́stica , a inovação passa a ser um processo guiado por uma heurı́stica de busca, com base em experiências
prévias, tentativas, sucessos e fracassos.”CORAZZA, R. & FRANCALANZA (2004, p. 132) [1]
A inovação não é fruto de um cálculo de otimização, mas sim
de procedimentos e regras expressos de uma racionalidade limitada dos agentes envolvidos que lidam com informações
previamente disponı́veis;

OZON,R., et. all. Caminhos do pensamento neo-schumpeteriano - CORAZZA, R. & FRACALANZA, P. (2004)
– IBQP/PPGDE UFPR – Rua Dr. Correa Coelho, 741 – Jardim Botânico – Curitiba – PR – End.eletr. editor responsável rodrigoozon@yahoo.com.br –
Resumo
Introdução
Analogia biológica na abordagem neo-schumpeteriana da mudança tecnológica
Hereditariedade na Economia Neo-Schumpeteriana
Mecanismo de seleção na economia neo-schumpeteriana
Desenvolvimentos neo-schumpeterianos recentes: para além das analogias biológicas
Auto-organização e variedade na Biologia evolutiva
Auto-organização e variedade especificamente econômicas:a intuição de Schumpeter
Conclusão
Referências

Princı́pio de mutação na abordagem neo-schumpeteriana da mudança


tecnológica
A abordagem neo-schumpeteriana identifica um princı́pio de variações e de mutações
São os comportamentos de busca que asseguram as inovações. ⇒ Concentra-se nas propriedades dos
sistemas econômicos de natureza complexa.
PRINCÍPIO DA VARIAÇÃO:

Rotinas estáticas: ⇒ repetição de práticas anteriores;


Rotinas dinâmicas: ⇒ direcionadas a novas aprendizagens isto é, são rotinas capazes de criar outras rotinas, outros
ativos ou outras competências.
Conceito de rotina dinâmica ≡ ao conceito de comportamento de busca que designa processos genuinamente
associados a risco (incerteza), feitos de tentativas e erros.
Somente os processos de busca que são capazes de alterar firmas, indústrias e sistema econômico via inovações; inovações estas que não
são oriundas de análises custo-benefı́cio...
“as rotinas de busca, materializadas nas atividades de
pesquisa e desenvolvimento, são permeadas por um tipo muito especial de incerteza de natureza não-Bayesiana ou
não-probabilı́stica , a inovação passa a ser um processo guiado por uma heurı́stica de busca, com base em experiências
prévias, tentativas, sucessos e fracassos.”CORAZZA, R. & FRANCALANZA (2004, p. 132) [1]
A inovação não é fruto de um cálculo de otimização, mas sim
de procedimentos e regras expressos de uma racionalidade limitada dos agentes envolvidos que lidam com informações
previamente disponı́veis;

OZON,R., et. all. Caminhos do pensamento neo-schumpeteriano - CORAZZA, R. & FRACALANZA, P. (2004)
– IBQP/PPGDE UFPR – Rua Dr. Correa Coelho, 741 – Jardim Botânico – Curitiba – PR – End.eletr. editor responsável rodrigoozon@yahoo.com.br –
Resumo
Introdução
Analogia biológica na abordagem neo-schumpeteriana da mudança tecnológica
Hereditariedade na Economia Neo-Schumpeteriana
Mecanismo de seleção na economia neo-schumpeteriana
Desenvolvimentos neo-schumpeterianos recentes: para além das analogias biológicas
Auto-organização e variedade na Biologia evolutiva
Auto-organização e variedade especificamente econômicas:a intuição de Schumpeter
Conclusão
Referências

Princı́pio de mutação na abordagem neo-schumpeteriana da mudança


tecnológica
A abordagem neo-schumpeteriana identifica um princı́pio de variações e de mutações
São os comportamentos de busca que asseguram as inovações. ⇒ Concentra-se nas propriedades dos
sistemas econômicos de natureza complexa.
PRINCÍPIO DA VARIAÇÃO:

Rotinas estáticas: ⇒ repetição de práticas anteriores;


Rotinas dinâmicas: ⇒ direcionadas a novas aprendizagens isto é, são rotinas capazes de criar outras rotinas, outros
ativos ou outras competências.
Conceito de rotina dinâmica ≡ ao conceito de comportamento de busca que designa processos genuinamente
associados a risco (incerteza), feitos de tentativas e erros.
Somente os processos de busca que são capazes de alterar firmas, indústrias e sistema econômico via inovações;
inovações estas que não são oriundas de análises custo-benefı́cio...
“as rotinas de busca, materializadas nas atividades de
pesquisa e desenvolvimento, são permeadas por um tipo muito especial de incerteza de natureza não-Bayesiana ou
não-probabilı́stica , a inovação passa a ser um processo guiado por uma heurı́stica de busca, com base em experiências
prévias, tentativas, sucessos e fracassos.”CORAZZA, R. & FRANCALANZA (2004, p. 132) [1]
A inovação não é fruto de um cálculo de otimização, mas sim
de procedimentos e regras expressos de uma racionalidade limitada dos agentes envolvidos que lidam com informações
previamente disponı́veis;

OZON,R., et. all. Caminhos do pensamento neo-schumpeteriano - CORAZZA, R. & FRACALANZA, P. (2004)
– IBQP/PPGDE UFPR – Rua Dr. Correa Coelho, 741 – Jardim Botânico – Curitiba – PR – End.eletr. editor responsável rodrigoozon@yahoo.com.br –
Resumo
Introdução
Analogia biológica na abordagem neo-schumpeteriana da mudança tecnológica
Hereditariedade na Economia Neo-Schumpeteriana
Mecanismo de seleção na economia neo-schumpeteriana
Desenvolvimentos neo-schumpeterianos recentes: para além das analogias biológicas
Auto-organização e variedade na Biologia evolutiva
Auto-organização e variedade especificamente econômicas:a intuição de Schumpeter
Conclusão
Referências

Princı́pio de mutação na abordagem neo-schumpeteriana da mudança


tecnológica
A abordagem neo-schumpeteriana identifica um princı́pio de variações e de mutações
São os comportamentos de busca que asseguram as inovações. ⇒ Concentra-se nas propriedades dos
sistemas econômicos de natureza complexa.
PRINCÍPIO DA VARIAÇÃO:

Rotinas estáticas: ⇒ repetição de práticas anteriores;


Rotinas dinâmicas: ⇒ direcionadas a novas aprendizagens isto é, são rotinas capazes de criar outras rotinas, outros
ativos ou outras competências.
Conceito de rotina dinâmica ≡ ao conceito de comportamento de busca que designa processos genuinamente
associados a risco (incerteza), feitos de tentativas e erros.
Somente os processos de busca que são capazes de alterar firmas, indústrias e sistema econômico via inovações;
inovações estas que não são oriundas de análises custo-benefı́cio...
“as rotinas de busca, materializadas nas atividades de
pesquisa e desenvolvimento, são permeadas por um tipo muito especial de incerteza de natureza não-Bayesiana ou
não-probabilı́stica , a inovação passa a ser um processo guiado por uma heurı́stica de busca, com base em experiências
prévias, tentativas, sucessos e fracassos.”CORAZZA, R. & FRANCALANZA (2004, p. 132) [1]
A inovação não é fruto de um cálculo de otimização, mas sim
de procedimentos e regras expressos de uma racionalidade limitada dos agentes envolvidos que lidam com informações
previamente disponı́veis;

OZON,R., et. all. Caminhos do pensamento neo-schumpeteriano - CORAZZA, R. & FRACALANZA, P. (2004)
– IBQP/PPGDE UFPR – Rua Dr. Correa Coelho, 741 – Jardim Botânico – Curitiba – PR – End.eletr. editor responsável rodrigoozon@yahoo.com.br –
Resumo
Introdução
Analogia biológica na abordagem neo-schumpeteriana da mudança tecnológica
Hereditariedade na Economia Neo-Schumpeteriana
Mecanismo de seleção na economia neo-schumpeteriana
Desenvolvimentos neo-schumpeterianos recentes: para além das analogias biológicas
Auto-organização e variedade na Biologia evolutiva
Auto-organização e variedade especificamente econômicas:a intuição de Schumpeter
Conclusão
Referências

Princı́pio de mutação na abordagem neo-schumpeteriana da mudança


tecnológica
A abordagem neo-schumpeteriana identifica um princı́pio de variações e de mutações
São os comportamentos de busca que asseguram as inovações. ⇒ Concentra-se nas propriedades dos
sistemas econômicos de natureza complexa.
PRINCÍPIO DA VARIAÇÃO:

Rotinas estáticas: ⇒ repetição de práticas anteriores;


Rotinas dinâmicas: ⇒ direcionadas a novas aprendizagens isto é, são rotinas capazes de criar outras rotinas, outros
ativos ou outras competências.
Conceito de rotina dinâmica ≡ ao conceito de comportamento de busca que designa processos genuinamente
associados a risco (incerteza), feitos de tentativas e erros.
Somente os processos de busca que são capazes de alterar firmas, indústrias e sistema econômico via inovações;
inovações estas que não são oriundas de análises custo-benefı́cio...
“as rotinas de busca, materializadas nas atividades de pesquisa e
desenvolvimento, são permeadas por um tipo muito especial de incerteza de natureza não-Bayesiana ou
não-probabilı́stica , a inovação passa a ser um processo guiado por uma heurı́stica de busca, com base em experiências
prévias, tentativas, sucessos e fracassos.”CORAZZA, R. & FRANCALANZA (2004, p. 132) [1]
A inovação não é fruto de um cálculo de otimização, mas sim
de procedimentos e regras expressos de uma racionalidade limitada dos agentes envolvidos que lidam com informações
previamente disponı́veis;

OZON,R., et. all. Caminhos do pensamento neo-schumpeteriano - CORAZZA, R. & FRACALANZA, P. (2004)
– IBQP/PPGDE UFPR – Rua Dr. Correa Coelho, 741 – Jardim Botânico – Curitiba – PR – End.eletr. editor responsável rodrigoozon@yahoo.com.br –
Resumo
Introdução
Analogia biológica na abordagem neo-schumpeteriana da mudança tecnológica
Hereditariedade na Economia Neo-Schumpeteriana
Mecanismo de seleção na economia neo-schumpeteriana
Desenvolvimentos neo-schumpeterianos recentes: para além das analogias biológicas
Auto-organização e variedade na Biologia evolutiva
Auto-organização e variedade especificamente econômicas:a intuição de Schumpeter
Conclusão
Referências

Princı́pio de mutação na abordagem neo-schumpeteriana da mudança


tecnológica
A abordagem neo-schumpeteriana identifica um princı́pio de variações e de mutações
São os comportamentos de busca que asseguram as inovações. ⇒ Concentra-se nas propriedades dos
sistemas econômicos de natureza complexa.
PRINCÍPIO DA VARIAÇÃO:

Rotinas estáticas: ⇒ repetição de práticas anteriores;


Rotinas dinâmicas: ⇒ direcionadas a novas aprendizagens isto é, são rotinas capazes de criar outras rotinas, outros
ativos ou outras competências.
Conceito de rotina dinâmica ≡ ao conceito de comportamento de busca que designa processos genuinamente
associados a risco (incerteza), feitos de tentativas e erros.
Somente os processos de busca que são capazes de alterar firmas, indústrias e sistema econômico via inovações;
inovações estas que não são oriundas de análises custo-benefı́cio...
“as rotinas de busca, materializadas nas atividades de pesquisa e desenvolvimento, são permeadas
por um tipo muito especial de incerteza de natureza não-Bayesiana ou não-probabilı́stica , a inovação passa a ser um
processo guiado por uma heurı́stica de busca, com base em experiências prévias, tentativas, sucessos e
fracassos.”CORAZZA, R. & FRANCALANZA (2004, p. 132) [1]
A inovação não é fruto de um cálculo de otimização, mas sim
de procedimentos e regras expressos de uma racionalidade limitada dos agentes envolvidos que lidam com informações
previamente disponı́veis;

OZON,R., et. all. Caminhos do pensamento neo-schumpeteriano - CORAZZA, R. & FRACALANZA, P. (2004)
– IBQP/PPGDE UFPR – Rua Dr. Correa Coelho, 741 – Jardim Botânico – Curitiba – PR – End.eletr. editor responsável rodrigoozon@yahoo.com.br –
Resumo
Introdução
Analogia biológica na abordagem neo-schumpeteriana da mudança tecnológica
Hereditariedade na Economia Neo-Schumpeteriana
Mecanismo de seleção na economia neo-schumpeteriana
Desenvolvimentos neo-schumpeterianos recentes: para além das analogias biológicas
Auto-organização e variedade na Biologia evolutiva
Auto-organização e variedade especificamente econômicas:a intuição de Schumpeter
Conclusão
Referências

Princı́pio de mutação na abordagem neo-schumpeteriana da mudança


tecnológica
A abordagem neo-schumpeteriana identifica um princı́pio de variações e de mutações
São os comportamentos de busca que asseguram as inovações. ⇒ Concentra-se nas propriedades dos
sistemas econômicos de natureza complexa.
PRINCÍPIO DA VARIAÇÃO:

Rotinas estáticas: ⇒ repetição de práticas anteriores;


Rotinas dinâmicas: ⇒ direcionadas a novas aprendizagens isto é, são rotinas capazes de criar outras rotinas, outros
ativos ou outras competências.
Conceito de rotina dinâmica ≡ ao conceito de comportamento de busca que designa processos genuinamente
associados a risco (incerteza), feitos de tentativas e erros.
Somente os processos de busca que são capazes de alterar firmas, indústrias e sistema econômico via inovações;
inovações estas que não são oriundas de análises custo-benefı́cio...
“as rotinas de busca, materializadas nas atividades de pesquisa e desenvolvimento, são permeadas por um tipo muito
especial de incerteza de natureza não-Bayesiana ou não-probabilı́stica , a inovação passa a ser um processo guiado por
uma heurı́stica de busca, com base em experiências prévias, tentativas, sucessos e fracassos.”CORAZZA, R. &
FRANCALANZA (2004, p. 132) [1]
A inovação não é fruto de um cálculo de otimização, mas sim
de procedimentos e regras expressos de uma racionalidade limitada dos agentes envolvidos que lidam com informações
previamente disponı́veis;

OZON,R., et. all. Caminhos do pensamento neo-schumpeteriano - CORAZZA, R. & FRACALANZA, P. (2004)
– IBQP/PPGDE UFPR – Rua Dr. Correa Coelho, 741 – Jardim Botânico – Curitiba – PR – End.eletr. editor responsável rodrigoozon@yahoo.com.br –
Resumo
Introdução
Analogia biológica na abordagem neo-schumpeteriana da mudança tecnológica
Hereditariedade na Economia Neo-Schumpeteriana
Mecanismo de seleção na economia neo-schumpeteriana
Desenvolvimentos neo-schumpeterianos recentes: para além das analogias biológicas
Auto-organização e variedade na Biologia evolutiva
Auto-organização e variedade especificamente econômicas:a intuição de Schumpeter
Conclusão
Referências

Princı́pio de mutação na abordagem neo-schumpeteriana da mudança


tecnológica
A abordagem neo-schumpeteriana identifica um princı́pio de variações e de mutações
São os comportamentos de busca que asseguram as inovações. ⇒ Concentra-se nas propriedades dos
sistemas econômicos de natureza complexa.
PRINCÍPIO DA VARIAÇÃO:

Rotinas estáticas: ⇒ repetição de práticas anteriores;


Rotinas dinâmicas: ⇒ direcionadas a novas aprendizagens isto é, são rotinas capazes de criar outras rotinas, outros
ativos ou outras competências.
Conceito de rotina dinâmica ≡ ao conceito de comportamento de busca que designa processos genuinamente
associados a risco (incerteza), feitos de tentativas e erros.
Somente os processos de busca que são capazes de alterar firmas, indústrias e sistema econômico via inovações;
inovações estas que não são oriundas de análises custo-benefı́cio...
“as rotinas de busca, materializadas nas atividades de pesquisa e desenvolvimento, são permeadas por um tipo muito
especial de incerteza de natureza não-Bayesiana ou não-probabilı́stica , a inovação passa a ser um processo guiado por
uma heurı́stica de busca, com base em experiências prévias, tentativas, sucessos e fracassos.”CORAZZA, R. &
FRANCALANZA (2004, p. 132) [1]
A inovação não é fruto de um cálculo de otimização, mas sim
de procedimentos e regras expressos de uma racionalidade limitada dos agentes envolvidos que lidam com informações
previamente disponı́veis;

OZON,R., et. all. Caminhos do pensamento neo-schumpeteriano - CORAZZA, R. & FRACALANZA, P. (2004)
– IBQP/PPGDE UFPR – Rua Dr. Correa Coelho, 741 – Jardim Botânico – Curitiba – PR – End.eletr. editor responsável rodrigoozon@yahoo.com.br –
Resumo
Introdução
Analogia biológica na abordagem neo-schumpeteriana da mudança tecnológica
Hereditariedade na Economia Neo-Schumpeteriana
Mecanismo de seleção na economia neo-schumpeteriana
Desenvolvimentos neo-schumpeterianos recentes: para além das analogias biológicas
Auto-organização e variedade na Biologia evolutiva
Auto-organização e variedade especificamente econômicas:a intuição de Schumpeter
Conclusão
Referências

Princı́pio de mutação na abordagem neo-schumpeteriana da mudança


tecnológica
A abordagem neo-schumpeteriana identifica um princı́pio de variações e de mutações
São os comportamentos de busca que asseguram as inovações. ⇒ Concentra-se nas propriedades dos
sistemas econômicos de natureza complexa.
PRINCÍPIO DA VARIAÇÃO:

Rotinas estáticas: ⇒ repetição de práticas anteriores;


Rotinas dinâmicas: ⇒ direcionadas a novas aprendizagens isto é, são rotinas capazes de criar outras rotinas, outros
ativos ou outras competências.
Conceito de rotina dinâmica ≡ ao conceito de comportamento de busca que designa processos genuinamente
associados a risco (incerteza), feitos de tentativas e erros.
Somente os processos de busca que são capazes de alterar firmas, indústrias e sistema econômico via inovações;
inovações estas que não são oriundas de análises custo-benefı́cio...
“as rotinas de busca, materializadas nas atividades de pesquisa e desenvolvimento, são permeadas por um tipo muito
especial de incerteza de natureza não-Bayesiana ou não-probabilı́stica , a inovação passa a ser um processo guiado por
uma heurı́stica de busca, com base em experiências prévias, tentativas, sucessos e fracassos.”CORAZZA, R. &
FRANCALANZA (2004, p. 132) [1]
A inovação não é fruto de um cálculo de otimização, mas sim de procedimentos e
regras expressos de uma racionalidade limitada dos agentes envolvidos que lidam com informações previamente
disponı́veis;

OZON,R., et. all. Caminhos do pensamento neo-schumpeteriano - CORAZZA, R. & FRACALANZA, P. (2004)
– IBQP/PPGDE UFPR – Rua Dr. Correa Coelho, 741 – Jardim Botânico – Curitiba – PR – End.eletr. editor responsável rodrigoozon@yahoo.com.br –
Resumo
Introdução
Analogia biológica na abordagem neo-schumpeteriana da mudança tecnológica
Hereditariedade na Economia Neo-Schumpeteriana
Mecanismo de seleção na economia neo-schumpeteriana
Desenvolvimentos neo-schumpeterianos recentes: para além das analogias biológicas
Auto-organização e variedade na Biologia evolutiva
Auto-organização e variedade especificamente econômicas:a intuição de Schumpeter
Conclusão
Referências

Princı́pio de mutação na abordagem neo-schumpeteriana da mudança


tecnológica
A abordagem neo-schumpeteriana identifica um princı́pio de variações e de mutações
São os comportamentos de busca que asseguram as inovações. ⇒ Concentra-se nas propriedades dos
sistemas econômicos de natureza complexa.
PRINCÍPIO DA VARIAÇÃO:

Rotinas estáticas: ⇒ repetição de práticas anteriores;


Rotinas dinâmicas: ⇒ direcionadas a novas aprendizagens isto é, são rotinas capazes de criar outras rotinas, outros
ativos ou outras competências.
Conceito de rotina dinâmica ≡ ao conceito de comportamento de busca que designa processos genuinamente
associados a risco (incerteza), feitos de tentativas e erros.
Somente os processos de busca que são capazes de alterar firmas, indústrias e sistema econômico via inovações;
inovações estas que não são oriundas de análises custo-benefı́cio...
“as rotinas de busca, materializadas nas atividades de pesquisa e desenvolvimento, são permeadas por um tipo muito
especial de incerteza de natureza não-Bayesiana ou não-probabilı́stica , a inovação passa a ser um processo guiado por
uma heurı́stica de busca, com base em experiências prévias, tentativas, sucessos e fracassos.”CORAZZA, R. &
FRANCALANZA (2004, p. 132) [1]
A inovação não é fruto de um cálculo de otimização, mas sim de procedimentos e regras expressos
de uma racionalidade limitada dos agentes envolvidos que lidam com informações previamente disponı́veis;

OZON,R., et. all. Caminhos do pensamento neo-schumpeteriano - CORAZZA, R. & FRACALANZA, P. (2004)
– IBQP/PPGDE UFPR – Rua Dr. Correa Coelho, 741 – Jardim Botânico – Curitiba – PR – End.eletr. editor responsável rodrigoozon@yahoo.com.br –
Resumo
Introdução
Analogia biológica na abordagem neo-schumpeteriana da mudança tecnológica
Hereditariedade na Economia Neo-Schumpeteriana
Mecanismo de seleção na economia neo-schumpeteriana
Desenvolvimentos neo-schumpeterianos recentes: para além das analogias biológicas
Auto-organização e variedade na Biologia evolutiva
Auto-organização e variedade especificamente econômicas:a intuição de Schumpeter
Conclusão
Referências

Princı́pio de mutação na abordagem neo-schumpeteriana da mudança


tecnológica
A abordagem neo-schumpeteriana identifica um princı́pio de variações e de mutações
São os comportamentos de busca que asseguram as inovações. ⇒ Concentra-se nas propriedades dos
sistemas econômicos de natureza complexa.
PRINCÍPIO DA VARIAÇÃO:

Rotinas estáticas: ⇒ repetição de práticas anteriores;


Rotinas dinâmicas: ⇒ direcionadas a novas aprendizagens isto é, são rotinas capazes de criar outras rotinas, outros
ativos ou outras competências.
Conceito de rotina dinâmica ≡ ao conceito de comportamento de busca que designa processos genuinamente
associados a risco (incerteza), feitos de tentativas e erros.
Somente os processos de busca que são capazes de alterar firmas, indústrias e sistema econômico via inovações;
inovações estas que não são oriundas de análises custo-benefı́cio...
“as rotinas de busca, materializadas nas atividades de pesquisa e desenvolvimento, são permeadas por um tipo muito
especial de incerteza de natureza não-Bayesiana ou não-probabilı́stica , a inovação passa a ser um processo guiado por
uma heurı́stica de busca, com base em experiências prévias, tentativas, sucessos e fracassos.”CORAZZA, R. &
FRANCALANZA (2004, p. 132) [1]
A inovação não é fruto de um cálculo de otimização, mas sim de procedimentos e regras expressos de uma racionalidade
limitada dos agentes envolvidos que lidam com informações previamente disponı́veis;

OZON,R., et. all. Caminhos do pensamento neo-schumpeteriano - CORAZZA, R. & FRACALANZA, P. (2004)
– IBQP/PPGDE UFPR – Rua Dr. Correa Coelho, 741 – Jardim Botânico – Curitiba – PR – End.eletr. editor responsável rodrigoozon@yahoo.com.br –
Resumo
Introdução
Analogia biológica na abordagem neo-schumpeteriana da mudança tecnológica
Hereditariedade na Economia Neo-Schumpeteriana
Mecanismo de seleção na economia neo-schumpeteriana
Desenvolvimentos neo-schumpeterianos recentes: para além das analogias biológicas
Auto-organização e variedade na Biologia evolutiva
Auto-organização e variedade especificamente econômicas:a intuição de Schumpeter
Conclusão
Referências

Princı́pio de mutação na abordagem neo-schumpeteriana da mudança


tecnológica

Estratégias não são ótimas e maximizadores de ante-mão pois agentes tem restritos
limites cognitivos e limitada disponibildiade de informações que dificultam sua atuação
como maximizadores.
O propósito de valorização de seus recursos é o que demonstra o envolvimento das
organizações nos processos inovadores.
No entanto a busca de soluções não é vista como um fenômeno totalmente aleatório.
Dispositivos de focalização: Rosenberg (1976)[2] ⇒ problemas tı́picos ou metas que
tendem a ajustar o processo de busca a direções particulares.
Dispositivos de focalização assumem forma de imperativos tecnológicos que guiam a
evolução de novas tecnologias;
Nelson & Winter (1977) [3] ressaltam que a resolução de gargalos tecnológicos são alvos
claros de aperfeiçoamentos. São as chamadas trajetórias naturais para os autores que
definem as metas para projetos de P&D.
Noção de paradigma tecnológico fundamentado nas limitações cognitivas de técnicos,
engenheiros e o chamado “efeito exclusão” uma vez que os seus esforços estão
estritamente direcionados em um único foco.
OZON,R., et. all. Caminhos do pensamento neo-schumpeteriano - CORAZZA, R. & FRACALANZA, P. (2004)
– IBQP/PPGDE UFPR – Rua Dr. Correa Coelho, 741 – Jardim Botânico – Curitiba – PR – End.eletr. editor responsável rodrigoozon@yahoo.com.br –
Resumo
Introdução
Analogia biológica na abordagem neo-schumpeteriana da mudança tecnológica
Hereditariedade na Economia Neo-Schumpeteriana
Mecanismo de seleção na economia neo-schumpeteriana
Desenvolvimentos neo-schumpeterianos recentes: para além das analogias biológicas
Auto-organização e variedade na Biologia evolutiva
Auto-organização e variedade especificamente econômicas:a intuição de Schumpeter
Conclusão
Referências

Princı́pio de mutação na abordagem neo-schumpeteriana da mudança


tecnológica

Estratégias não são ótimas e maximizadores de ante-mão pois agentes tem restritos
limites cognitivos e limitada disponibildiade de informações que dificultam sua atuação
como maximizadores.
O propósito de valorização de seus recursos é o que demonstra o envolvimento das
organizações nos processos inovadores.
No entanto a busca de soluções não é vista como um fenômeno totalmente aleatório.
Dispositivos de focalização: Rosenberg (1976)[2] ⇒ problemas tı́picos ou metas que
tendem a ajustar o processo de busca a direções particulares.
Dispositivos de focalização assumem forma de imperativos tecnológicos que guiam a
evolução de novas tecnologias;
Nelson & Winter (1977) [3] ressaltam que a resolução de gargalos tecnológicos são alvos
claros de aperfeiçoamentos. São as chamadas trajetórias naturais para os autores que
definem as metas para projetos de P&D.
Noção de paradigma tecnológico fundamentado nas limitações cognitivas de técnicos,
engenheiros e o chamado “efeito exclusão” uma vez que os seus esforços estão
estritamente direcionados em um único foco.
OZON,R., et. all. Caminhos do pensamento neo-schumpeteriano - CORAZZA, R. & FRACALANZA, P. (2004)
– IBQP/PPGDE UFPR – Rua Dr. Correa Coelho, 741 – Jardim Botânico – Curitiba – PR – End.eletr. editor responsável rodrigoozon@yahoo.com.br –
Resumo
Introdução
Analogia biológica na abordagem neo-schumpeteriana da mudança tecnológica
Hereditariedade na Economia Neo-Schumpeteriana
Mecanismo de seleção na economia neo-schumpeteriana
Desenvolvimentos neo-schumpeterianos recentes: para além das analogias biológicas
Auto-organização e variedade na Biologia evolutiva
Auto-organização e variedade especificamente econômicas:a intuição de Schumpeter
Conclusão
Referências

Princı́pio de mutação na abordagem neo-schumpeteriana da mudança


tecnológica

Estratégias não são ótimas e maximizadores de ante-mão pois agentes tem restritos
limites cognitivos e limitada disponibildiade de informações que dificultam sua atuação
como maximizadores.
O propósito de valorização de seus recursos é o que demonstra o envolvimento das
organizações nos processos inovadores.
No entanto a busca de soluções não é vista como um fenômeno totalmente aleatório.
Dispositivos de focalização: Rosenberg (1976)[2] ⇒ problemas tı́picos ou metas que
tendem a ajustar o processo de busca a direções particulares.
Dispositivos de focalização assumem forma de imperativos tecnológicos que guiam a
evolução de novas tecnologias;
Nelson & Winter (1977) [3] ressaltam que a resolução de gargalos tecnológicos são alvos
claros de aperfeiçoamentos. São as chamadas trajetórias naturais para os autores que
definem as metas para projetos de P&D.
Noção de paradigma tecnológico fundamentado nas limitações cognitivas de técnicos,
engenheiros e o chamado “efeito exclusão” uma vez que os seus esforços estão
estritamente direcionados em um único foco.
OZON,R., et. all. Caminhos do pensamento neo-schumpeteriano - CORAZZA, R. & FRACALANZA, P. (2004)
– IBQP/PPGDE UFPR – Rua Dr. Correa Coelho, 741 – Jardim Botânico – Curitiba – PR – End.eletr. editor responsável rodrigoozon@yahoo.com.br –
Resumo
Introdução
Analogia biológica na abordagem neo-schumpeteriana da mudança tecnológica
Hereditariedade na Economia Neo-Schumpeteriana
Mecanismo de seleção na economia neo-schumpeteriana
Desenvolvimentos neo-schumpeterianos recentes: para além das analogias biológicas
Auto-organização e variedade na Biologia evolutiva
Auto-organização e variedade especificamente econômicas:a intuição de Schumpeter
Conclusão
Referências

Princı́pio de mutação na abordagem neo-schumpeteriana da mudança


tecnológica

Estratégias não são ótimas e maximizadores de ante-mão pois agentes tem restritos
limites cognitivos e limitada disponibildiade de informações que dificultam sua atuação
como maximizadores.
O propósito de valorização de seus recursos é o que demonstra o envolvimento das
organizações nos processos inovadores.
No entanto a busca de soluções não é vista como um fenômeno totalmente aleatório.
Dispositivos de focalização: Rosenberg (1976)[2] ⇒ problemas tı́picos ou metas que
tendem a ajustar o processo de busca a direções particulares.
Dispositivos de focalização assumem forma de imperativos tecnológicos que guiam a
evolução de novas tecnologias;
Nelson & Winter (1977) [3] ressaltam que a resolução de gargalos tecnológicos são alvos
claros de aperfeiçoamentos. São as chamadas trajetórias naturais para os autores que
definem as metas para projetos de P&D.
Noção de paradigma tecnológico fundamentado nas limitações cognitivas de técnicos,
engenheiros e o chamado “efeito exclusão” uma vez que os seus esforços estão
estritamente direcionados em um único foco.
OZON,R., et. all. Caminhos do pensamento neo-schumpeteriano - CORAZZA, R. & FRACALANZA, P. (2004)
– IBQP/PPGDE UFPR – Rua Dr. Correa Coelho, 741 – Jardim Botânico – Curitiba – PR – End.eletr. editor responsável rodrigoozon@yahoo.com.br –
Resumo
Introdução
Analogia biológica na abordagem neo-schumpeteriana da mudança tecnológica
Hereditariedade na Economia Neo-Schumpeteriana
Mecanismo de seleção na economia neo-schumpeteriana
Desenvolvimentos neo-schumpeterianos recentes: para além das analogias biológicas
Auto-organização e variedade na Biologia evolutiva
Auto-organização e variedade especificamente econômicas:a intuição de Schumpeter
Conclusão
Referências

Princı́pio de mutação na abordagem neo-schumpeteriana da mudança


tecnológica

Estratégias não são ótimas e maximizadores de ante-mão pois agentes tem restritos
limites cognitivos e limitada disponibildiade de informações que dificultam sua atuação
como maximizadores.
O propósito de valorização de seus recursos é o que demonstra o envolvimento das
organizações nos processos inovadores.
No entanto a busca de soluções não é vista como um fenômeno totalmente aleatório.
Dispositivos de focalização: Rosenberg (1976)[2] ⇒ problemas tı́picos ou metas que
tendem a ajustar o processo de busca a direções particulares.
Dispositivos de focalização assumem forma de imperativos tecnológicos que guiam a
evolução de novas tecnologias;
Nelson & Winter (1977) [3] ressaltam que a resolução de gargalos tecnológicos são alvos
claros de aperfeiçoamentos. São as chamadas trajetórias naturais para os autores que
definem as metas para projetos de P&D.
Noção de paradigma tecnológico fundamentado nas limitações cognitivas de técnicos,
engenheiros e o chamado “efeito exclusão” uma vez que os seus esforços estão
estritamente direcionados em um único foco.
OZON,R., et. all. Caminhos do pensamento neo-schumpeteriano - CORAZZA, R. & FRACALANZA, P. (2004)
– IBQP/PPGDE UFPR – Rua Dr. Correa Coelho, 741 – Jardim Botânico – Curitiba – PR – End.eletr. editor responsável rodrigoozon@yahoo.com.br –
Resumo
Introdução
Analogia biológica na abordagem neo-schumpeteriana da mudança tecnológica
Hereditariedade na Economia Neo-Schumpeteriana
Mecanismo de seleção na economia neo-schumpeteriana
Desenvolvimentos neo-schumpeterianos recentes: para além das analogias biológicas
Auto-organização e variedade na Biologia evolutiva
Auto-organização e variedade especificamente econômicas:a intuição de Schumpeter
Conclusão
Referências

Princı́pio de mutação na abordagem neo-schumpeteriana da mudança


tecnológica

Estratégias não são ótimas e maximizadores de ante-mão pois agentes tem restritos
limites cognitivos e limitada disponibildiade de informações que dificultam sua atuação
como maximizadores.
O propósito de valorização de seus recursos é o que demonstra o envolvimento das
organizações nos processos inovadores.
No entanto a busca de soluções não é vista como um fenômeno totalmente aleatório.
Dispositivos de focalização: Rosenberg (1976)[2] ⇒ problemas tı́picos ou metas que
tendem a ajustar o processo de busca a direções particulares.
Dispositivos de focalização assumem forma de imperativos tecnológicos que guiam a
evolução de novas tecnologias;
Nelson & Winter (1977) [3] ressaltam que a resolução de gargalos tecnológicos são alvos
claros de aperfeiçoamentos. São as chamadas trajetórias naturais para os autores que
definem as metas para projetos de P&D.
Noção de paradigma tecnológico fundamentado nas limitações cognitivas de técnicos,
engenheiros e o chamado “efeito exclusão” uma vez que os seus esforços estão
estritamente direcionados em um único foco.
OZON,R., et. all. Caminhos do pensamento neo-schumpeteriano - CORAZZA, R. & FRACALANZA, P. (2004)
– IBQP/PPGDE UFPR – Rua Dr. Correa Coelho, 741 – Jardim Botânico – Curitiba – PR – End.eletr. editor responsável rodrigoozon@yahoo.com.br –
Resumo
Introdução
Analogia biológica na abordagem neo-schumpeteriana da mudança tecnológica
Hereditariedade na Economia Neo-Schumpeteriana
Mecanismo de seleção na economia neo-schumpeteriana
Desenvolvimentos neo-schumpeterianos recentes: para além das analogias biológicas
Auto-organização e variedade na Biologia evolutiva
Auto-organização e variedade especificamente econômicas:a intuição de Schumpeter
Conclusão
Referências

Princı́pio de mutação na abordagem neo-schumpeteriana da mudança


tecnológica

Estratégias não são ótimas e maximizadores de ante-mão pois agentes tem restritos
limites cognitivos e limitada disponibildiade de informações que dificultam sua atuação
como maximizadores.
O propósito de valorização de seus recursos é o que demonstra o envolvimento das
organizações nos processos inovadores.
No entanto a busca de soluções não é vista como um fenômeno totalmente aleatório.
Dispositivos de focalização: Rosenberg (1976)[2] ⇒ problemas tı́picos ou metas que
tendem a ajustar o processo de busca a direções particulares.
Dispositivos de focalização assumem forma de imperativos tecnológicos que guiam a
evolução de novas tecnologias;
Nelson & Winter (1977) [3] ressaltam que a resolução de gargalos tecnológicos são alvos
claros de aperfeiçoamentos. São as chamadas trajetórias naturais para os autores que
definem as metas para projetos de P&D.
Noção de paradigma tecnológico fundamentado nas limitações cognitivas de técnicos,
engenheiros e o chamado “efeito exclusão” uma vez que os seus esforços estão
estritamente direcionados em um único foco.
OZON,R., et. all. Caminhos do pensamento neo-schumpeteriano - CORAZZA, R. & FRACALANZA, P. (2004)
– IBQP/PPGDE UFPR – Rua Dr. Correa Coelho, 741 – Jardim Botânico – Curitiba – PR – End.eletr. editor responsável rodrigoozon@yahoo.com.br –
Resumo
Introdução
Analogia biológica na abordagem neo-schumpeteriana da mudança tecnológica
Hereditariedade na Economia Neo-Schumpeteriana
Mecanismo de seleção na economia neo-schumpeteriana
Desenvolvimentos neo-schumpeterianos recentes: para além das analogias biológicas
Auto-organização e variedade na Biologia evolutiva
Auto-organização e variedade especificamente econômicas:a intuição de Schumpeter
Conclusão
Referências

Princı́pio de mutação na abordagem neo-schumpeteriana da mudança


tecnológica

Hipótese da Racionalidade Processual ⇒ limitação das capacidades cognitivas


dos agentes constitui razão fundamental na teoria neo-schumpeteriana.

Aprendizagem ocorre com a rotina e sua direção é dada pela trajetória tecnológica que é
definida por um paradigma;
“Trajetória tecnológica, além de path-dependent, implica irreversibilidade, isto é, uma vez alcançada
nova posição ou novo patamar no progresso da trajetória, não existe possibilidade de volta à situação
anterior.” ⇒ irreversibilidade;

OZON,R., et. all. Caminhos do pensamento neo-schumpeteriano - CORAZZA, R. & FRACALANZA, P. (2004)
– IBQP/PPGDE UFPR – Rua Dr. Correa Coelho, 741 – Jardim Botânico – Curitiba – PR – End.eletr. editor responsável rodrigoozon@yahoo.com.br –
Resumo
Introdução
Analogia biológica na abordagem neo-schumpeteriana da mudança tecnológica
Hereditariedade na Economia Neo-Schumpeteriana
Mecanismo de seleção na economia neo-schumpeteriana
Desenvolvimentos neo-schumpeterianos recentes: para além das analogias biológicas
Auto-organização e variedade na Biologia evolutiva
Auto-organização e variedade especificamente econômicas:a intuição de Schumpeter
Conclusão
Referências

Princı́pio de mutação na abordagem neo-schumpeteriana da mudança


tecnológica

Hipótese da Racionalidade Processual ⇒ limitação das capacidades cognitivas


dos agentes constitui razão fundamental na teoria neo-schumpeteriana.

Aprendizagem ocorre com a rotina e sua direção é dada pela trajetória tecnológica que é
definida por um paradigma;
“Trajetória tecnológica, além de path-dependent, implica irreversibilidade, isto é, uma vez alcançada
nova posição ou novo patamar no progresso da trajetória, não existe possibilidade de volta à situação
anterior.” ⇒ irreversibilidade;

OZON,R., et. all. Caminhos do pensamento neo-schumpeteriano - CORAZZA, R. & FRACALANZA, P. (2004)
– IBQP/PPGDE UFPR – Rua Dr. Correa Coelho, 741 – Jardim Botânico – Curitiba – PR – End.eletr. editor responsável rodrigoozon@yahoo.com.br –
Resumo
Introdução
Analogia biológica na abordagem neo-schumpeteriana da mudança tecnológica
Hereditariedade na Economia Neo-Schumpeteriana
Mecanismo de seleção na economia neo-schumpeteriana
Desenvolvimentos neo-schumpeterianos recentes: para além das analogias biológicas
Auto-organização e variedade na Biologia evolutiva
Auto-organização e variedade especificamente econômicas:a intuição de Schumpeter
Conclusão
Referências

Mecanismo de seleção na economia neo-schumpeteriana

Processo seletivo ⇒ fator determinante na orientação da inovação não apenas


tecnológica, mas no sentido schumpeteriano como novos produtos, processos, mercados,
fontes de matérias-primas e novas formas organizacionais. Este ambiente seletivo não se reduz
às preferências dos consumidores e às caracterı́sticas da demanda.
A aversão ao risco por parte de algumas organizações pode levar a uma espécie
de bloqueio à inovação, contribuindo para a inércia ou para a permanência das soluções
tecnológicas estabelecidas.

OZON,R., et. all. Caminhos do pensamento neo-schumpeteriano - CORAZZA, R. & FRACALANZA, P. (2004)
– IBQP/PPGDE UFPR – Rua Dr. Correa Coelho, 741 – Jardim Botânico – Curitiba – PR – End.eletr. editor responsável rodrigoozon@yahoo.com.br –
Resumo
Introdução
Analogia biológica na abordagem neo-schumpeteriana da mudança tecnológica
Hereditariedade na Economia Neo-Schumpeteriana
Mecanismo de seleção na economia neo-schumpeteriana
Desenvolvimentos neo-schumpeterianos recentes: para além das analogias biológicas
Auto-organização e variedade na Biologia evolutiva
Auto-organização e variedade especificamente econômicas:a intuição de Schumpeter
Conclusão
Referências

Desenvolvimentos neo-schumpeterianos recentes: para além das analogias


biológicas

Questão expectacional dos agentes: são capazes de avaliar o ambiente seletivo


em que estão inseridos e mesmo com sua racionalidade limitada podem moldar este ambiente
de maneira estratégica;
Conforme Fresman, “ O que está por trás da evolução ?”

Foi visto que a seleção ocorre sobre variação e o resultado do processo seletivo implica
em ↓ da variedade;
Assim, explicar a origem, consequencias e efeitos da diversidade torna-se, portanto, tarefa
central em qualquer programa de pesquisa teórica evolucionista biológica ou social.

OZON,R., et. all. Caminhos do pensamento neo-schumpeteriano - CORAZZA, R. & FRACALANZA, P. (2004)
– IBQP/PPGDE UFPR – Rua Dr. Correa Coelho, 741 – Jardim Botânico – Curitiba – PR – End.eletr. editor responsável rodrigoozon@yahoo.com.br –
Resumo
Introdução
Analogia biológica na abordagem neo-schumpeteriana da mudança tecnológica
Hereditariedade na Economia Neo-Schumpeteriana
Mecanismo de seleção na economia neo-schumpeteriana
Desenvolvimentos neo-schumpeterianos recentes: para além das analogias biológicas
Auto-organização e variedade na Biologia evolutiva
Auto-organização e variedade especificamente econômicas:a intuição de Schumpeter
Conclusão
Referências

Desenvolvimentos neo-schumpeterianos recentes: para além das analogias


biológicas

Questão expectacional dos agentes: são capazes de avaliar o ambiente seletivo


em que estão inseridos e mesmo com sua racionalidade limitada podem moldar este ambiente
de maneira estratégica;
Conforme Fresman, “ O que está por trás da evolução ?”

Foi visto que a seleção ocorre sobre variação e o resultado do processo seletivo implica
em ↓ da variedade;
Assim, explicar a origem, consequencias e efeitos da diversidade torna-se, portanto, tarefa
central em qualquer programa de pesquisa teórica evolucionista biológica ou social.

OZON,R., et. all. Caminhos do pensamento neo-schumpeteriano - CORAZZA, R. & FRACALANZA, P. (2004)
– IBQP/PPGDE UFPR – Rua Dr. Correa Coelho, 741 – Jardim Botânico – Curitiba – PR – End.eletr. editor responsável rodrigoozon@yahoo.com.br –
Resumo
Introdução
Analogia biológica na abordagem neo-schumpeteriana da mudança tecnológica
Hereditariedade na Economia Neo-Schumpeteriana
Mecanismo de seleção na economia neo-schumpeteriana
Desenvolvimentos neo-schumpeterianos recentes: para além das analogias biológicas
Auto-organização e variedade na Biologia evolutiva
Auto-organização e variedade especificamente econômicas:a intuição de Schumpeter
Conclusão
Referências

Auto-organização e variedade na Biologia evolutiva

O evolucionismo biológico (neo-darwinista) se apegou, durante grande parte do


século XX, à noção newtoniana de equilı́brio.
⇒ Sir Ronald Fischer em 1930 abandonara a idéia do equilı́brio newtoniano para o
estado em que todas as mudanças estruturais cessam (propondo a maximização da adaptação
como referência ao estado de entropia máxima, da termodinâmica).
– Um sistema não linear e complexo porém organizado
– Os sistemas vivos tem a facilidade de se adaptar ao meio;

OZON,R., et. all. Caminhos do pensamento neo-schumpeteriano - CORAZZA, R. & FRACALANZA, P. (2004)
– IBQP/PPGDE UFPR – Rua Dr. Correa Coelho, 741 – Jardim Botânico – Curitiba – PR – End.eletr. editor responsável rodrigoozon@yahoo.com.br –
Resumo
Introdução
Analogia biológica na abordagem neo-schumpeteriana da mudança tecnológica
Hereditariedade na Economia Neo-Schumpeteriana
Mecanismo de seleção na economia neo-schumpeteriana
Desenvolvimentos neo-schumpeterianos recentes: para além das analogias biológicas
Auto-organização e variedade na Biologia evolutiva
Auto-organização e variedade especificamente econômicas:a intuição de Schumpeter
Conclusão
Referências

Auto-organização e variedade especificamente econômicas:a intuição de


Schumpeter

– Será que Schumpeter teve a intenção de propor o caráter auto-organizador nos


sistemas econômicos antes do surgimento destes conceitos na fı́sica e na biologia ?
– Não existem pontos de equilı́brios estáticos walrasianos na Economia;
– Distinção entre crescimento e desenvolvimento;
– A noção de organização

OZON,R., et. all. Caminhos do pensamento neo-schumpeteriano - CORAZZA, R. & FRACALANZA, P. (2004)
– IBQP/PPGDE UFPR – Rua Dr. Correa Coelho, 741 – Jardim Botânico – Curitiba – PR – End.eletr. editor responsável rodrigoozon@yahoo.com.br –
Resumo
Introdução
Analogia biológica na abordagem neo-schumpeteriana da mudança tecnológica
Hereditariedade na Economia Neo-Schumpeteriana
Mecanismo de seleção na economia neo-schumpeteriana
Desenvolvimentos neo-schumpeterianos recentes: para além das analogias biológicas
Auto-organização e variedade na Biologia evolutiva
Auto-organização e variedade especificamente econômicas:a intuição de Schumpeter
Conclusão
Referências

Conclusão

– COMO ESSES MODELOS NEO-SCHUMPETERIANOS EVOLUCIONÁRIOS


PODEM SER TESTADOS EMPÍRICAMENTE ?

Cálculo diferencial não-linear e dinâmica complexa caótica - Modelos não-lineares,


diagramas de bifurcações e caos ; ⇒ Software Matlab, Maple, IdmC, Mathematica !
Jogos evolucionários - Modelos de jogos dinâmicos - Global Warming – Matlab e GAMS;
Algoritmos Genéticos - Modelos bayesianos – R, SPlus, Matlab
Redes neurais artificiais – Matlab, Maple, Excel...
Modelos Baseados em Agentes – Starlogo, Netlogo, Repast, etc...

OZON,R., et. all. Caminhos do pensamento neo-schumpeteriano - CORAZZA, R. & FRACALANZA, P. (2004)
– IBQP/PPGDE UFPR – Rua Dr. Correa Coelho, 741 – Jardim Botânico – Curitiba – PR – End.eletr. editor responsável rodrigoozon@yahoo.com.br –
Resumo
Introdução
Analogia biológica na abordagem neo-schumpeteriana da mudança tecnológica
Hereditariedade na Economia Neo-Schumpeteriana
Mecanismo de seleção na economia neo-schumpeteriana
Desenvolvimentos neo-schumpeterianos recentes: para além das analogias biológicas
Auto-organização e variedade na Biologia evolutiva
Auto-organização e variedade especificamente econômicas:a intuição de Schumpeter
Conclusão
Referências

Conclusão

– COMO ESSES MODELOS NEO-SCHUMPETERIANOS EVOLUCIONÁRIOS


PODEM SER TESTADOS EMPÍRICAMENTE ?

Cálculo diferencial não-linear e dinâmica complexa caótica - Modelos não-lineares,


diagramas de bifurcações e caos ; ⇒ Software Matlab, Maple, IdmC, Mathematica !
Jogos evolucionários - Modelos de jogos dinâmicos - Global Warming – Matlab e GAMS;
Algoritmos Genéticos - Modelos bayesianos – R, SPlus, Matlab
Redes neurais artificiais – Matlab, Maple, Excel...
Modelos Baseados em Agentes – Starlogo, Netlogo, Repast, etc...

OZON,R., et. all. Caminhos do pensamento neo-schumpeteriano - CORAZZA, R. & FRACALANZA, P. (2004)
– IBQP/PPGDE UFPR – Rua Dr. Correa Coelho, 741 – Jardim Botânico – Curitiba – PR – End.eletr. editor responsável rodrigoozon@yahoo.com.br –
Resumo
Introdução
Analogia biológica na abordagem neo-schumpeteriana da mudança tecnológica
Hereditariedade na Economia Neo-Schumpeteriana
Mecanismo de seleção na economia neo-schumpeteriana
Desenvolvimentos neo-schumpeterianos recentes: para além das analogias biológicas
Auto-organização e variedade na Biologia evolutiva
Auto-organização e variedade especificamente econômicas:a intuição de Schumpeter
Conclusão
Referências

Conclusão

– COMO ESSES MODELOS NEO-SCHUMPETERIANOS EVOLUCIONÁRIOS


PODEM SER TESTADOS EMPÍRICAMENTE ?

Cálculo diferencial não-linear e dinâmica complexa caótica - Modelos não-lineares,


diagramas de bifurcações e caos ; ⇒ Software Matlab, Maple, IdmC, Mathematica !
Jogos evolucionários - Modelos de jogos dinâmicos - Global Warming – Matlab e GAMS;
Algoritmos Genéticos - Modelos bayesianos – R, SPlus, Matlab
Redes neurais artificiais – Matlab, Maple, Excel...
Modelos Baseados em Agentes – Starlogo, Netlogo, Repast, etc...

OZON,R., et. all. Caminhos do pensamento neo-schumpeteriano - CORAZZA, R. & FRACALANZA, P. (2004)
– IBQP/PPGDE UFPR – Rua Dr. Correa Coelho, 741 – Jardim Botânico – Curitiba – PR – End.eletr. editor responsável rodrigoozon@yahoo.com.br –
Resumo
Introdução
Analogia biológica na abordagem neo-schumpeteriana da mudança tecnológica
Hereditariedade na Economia Neo-Schumpeteriana
Mecanismo de seleção na economia neo-schumpeteriana
Desenvolvimentos neo-schumpeterianos recentes: para além das analogias biológicas
Auto-organização e variedade na Biologia evolutiva
Auto-organização e variedade especificamente econômicas:a intuição de Schumpeter
Conclusão
Referências

Conclusão

– COMO ESSES MODELOS NEO-SCHUMPETERIANOS EVOLUCIONÁRIOS


PODEM SER TESTADOS EMPÍRICAMENTE ?

Cálculo diferencial não-linear e dinâmica complexa caótica - Modelos não-lineares,


diagramas de bifurcações e caos ; ⇒ Software Matlab, Maple, IdmC, Mathematica !
Jogos evolucionários - Modelos de jogos dinâmicos - Global Warming – Matlab e GAMS;
Algoritmos Genéticos - Modelos bayesianos – R, SPlus, Matlab
Redes neurais artificiais – Matlab, Maple, Excel...
Modelos Baseados em Agentes – Starlogo, Netlogo, Repast, etc...

OZON,R., et. all. Caminhos do pensamento neo-schumpeteriano - CORAZZA, R. & FRACALANZA, P. (2004)
– IBQP/PPGDE UFPR – Rua Dr. Correa Coelho, 741 – Jardim Botânico – Curitiba – PR – End.eletr. editor responsável rodrigoozon@yahoo.com.br –
Resumo
Introdução
Analogia biológica na abordagem neo-schumpeteriana da mudança tecnológica
Hereditariedade na Economia Neo-Schumpeteriana
Mecanismo de seleção na economia neo-schumpeteriana
Desenvolvimentos neo-schumpeterianos recentes: para além das analogias biológicas
Auto-organização e variedade na Biologia evolutiva
Auto-organização e variedade especificamente econômicas:a intuição de Schumpeter
Conclusão
Referências

Conclusão

– COMO ESSES MODELOS NEO-SCHUMPETERIANOS EVOLUCIONÁRIOS


PODEM SER TESTADOS EMPÍRICAMENTE ?

Cálculo diferencial não-linear e dinâmica complexa caótica - Modelos não-lineares,


diagramas de bifurcações e caos ; ⇒ Software Matlab, Maple, IdmC, Mathematica !
Jogos evolucionários - Modelos de jogos dinâmicos - Global Warming – Matlab e GAMS;
Algoritmos Genéticos - Modelos bayesianos – R, SPlus, Matlab
Redes neurais artificiais – Matlab, Maple, Excel...
Modelos Baseados em Agentes – Starlogo, Netlogo, Repast, etc...

OZON,R., et. all. Caminhos do pensamento neo-schumpeteriano - CORAZZA, R. & FRACALANZA, P. (2004)
– IBQP/PPGDE UFPR – Rua Dr. Correa Coelho, 741 – Jardim Botânico – Curitiba – PR – End.eletr. editor responsável rodrigoozon@yahoo.com.br –
Resumo
Introdução
Analogia biológica na abordagem neo-schumpeteriana da mudança tecnológica
Hereditariedade na Economia Neo-Schumpeteriana
Mecanismo de seleção na economia neo-schumpeteriana
Desenvolvimentos neo-schumpeterianos recentes: para além das analogias biológicas
Auto-organização e variedade na Biologia evolutiva
Auto-organização e variedade especificamente econômicas:a intuição de Schumpeter
Conclusão
Referências

Referências

R. Corazza, Fracalanza, R.
Caminhos do pensamento neo schumpeteriano.
Nova Economia - Belo Horizonte, 14(2):127–155, 2004.

Rosenberg, N.
Perspectives on technology.
Cambridge: Cambridge University Press, 1976.

Nelson, R. R.; Winter, S. G.


An evolutionary theory of economic change.
Cambridge: Bellknap Press, 1982.

Gleiser, I.
Caos e Complexidade: A evolução do pensamento econômico.
Ed. Campus, Rio de Janeiro, 2002.

OZON,R., et. all. Caminhos do pensamento neo-schumpeteriano - CORAZZA, R. & FRACALANZA, P. (2004)
– IBQP/PPGDE UFPR – Rua Dr. Correa Coelho, 741 – Jardim Botânico – Curitiba – PR – End.eletr. editor responsável rodrigoozon@yahoo.com.br –