Вы находитесь на странице: 1из 21
Sustentabilidade Sustentabilidade Programa Programa de de Uso Uso Racional Racional da da Á Á gua
Sustentabilidade Sustentabilidade Programa Programa de de Uso Uso Racional Racional da da Á Á gua

SustentabilidadeSustentabilidade

ProgramaPrograma dede UsoUso RacionalRacional dada ÁÁguagua PURAPURA SabespSabesp SoluSoluççõesões AmbientaisAmbientais

Distribuição da Água no Planeta ¼ do Planeta = Terra ¾ do Planeta = Água

Distribuição da Água no Planeta

Distribuição da Água no Planeta ¼ do Planeta = Terra ¾ do Planeta = Água Salgada:

¼ do Planeta = Terra

¾ do Planeta = Água

Salgada: 97,3%

do Planeta = Terra ¾ do Planeta = Água Salgada: 97,3% Doce: 2,7% Calotas Polares: 68,9%

Doce: 2,7%

Calotas Polares: 68,9% Água subterrânea doce: 29,9% Rios e lagos: 0,3% Outros: 0,9%

Água Doce, Recurso Escasso Em 2025, 1 bilhão de pessoas no mundo não terão água

Água Doce, Recurso Escasso

Água Doce, Recurso Escasso Em 2025, 1 bilhão de pessoas no mundo não terão água potável

Em 2025, 1 bilhão de pessoas no mundo não terão água potável para consumir, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS)

1 bilhão de pessoas no mundo não terão água potável para consumir, segundo a Organização Mundial
1 bilhão de pessoas no mundo não terão água potável para consumir, segundo a Organização Mundial
1 bilhão de pessoas no mundo não terão água potável para consumir, segundo a Organização Mundial
1 bilhão de pessoas no mundo não terão água potável para consumir, segundo a Organização Mundial
Cenário Internacional Europa: Todos os países tem plano de redução de consumo através da conscientização,

Cenário Internacional

Cenário Internacional Europa: Todos os países tem plano de redução de consumo através da conscientização, taxas,

Europa: Todos os países tem plano de redução de consumo através da conscientização, taxas, legislações e tarifas. Redução Média: 25%.

Inglaterra: Formado Grupo Oficial reunindo empresas, órgãos públicos e sociedade para manter plano de uso eficiente da água através da realização de metas previstas. Preocupação com a previsão de aumento de residências unifamiliares.

Estados Unidos: Todos os estados tem programas de uso racional. Ênfase atualmente em áreas externas, gramados e jardins e elaboração de planos de contingência para períodos de seca. Movimentos da sociedade dificultam a aprovação de transferência de água.

Japão: Cidade de Fukuoka consegui redução de 20% no consumo. Programa de perdas e utilização de água de reuso.

Austrália: Exploração de água somente com plano de conservação de água.

Disponibilidade Hídrica no Brasil O Brasil é possuidor de 12 a 14% da água da

Disponibilidade Hídrica no Brasil

Disponibilidade Hídrica no Brasil O Brasil é possuidor de 12 a 14% da água da terra

O Brasil é possuidor de 12 a 14% da água da terra

Mais de 70 % das águas brasileiras estão nos rios da Amazônia

1,6% dessas águas estão no Estado de São Paulo, que abriga cerca de 22% da população brasileira

Disponibilidade Hídrica Valores em m³/hab.ano Classificação ONU Abundante Correta Pobre Crítiva

Disponibilidade Hídrica

Valores em m³/hab.ano

Classificação ONU

Classificação ONU

Abundante

Correta

Pobre

Crítiva

> 20.000

> 2.500

< 2.500

< 1.500

Valores em m³/hab.ano

Exemplos

Brasil

35.000

Estado do Maranhão

17.184

Estado de Minas Gerais

12.325

Estado de São Paulo

2.209

Bacia do Alto Tietê

200

Programa de Uso Racional da Água - PURA Objetivo: Atuar na demanda de água, incent

Programa de Uso Racional da Água - PURA

Objetivo:

Atuar na demanda de água, incentivando seu Uso Racional visando enfrentar a escassez de recursos hídricos por meio de:

Ações tecnológicas;

Medidas educacionais para conscientização dos clientes;

Atividades Institucionais - Elaboração de Legislação e Normas Técnicas.

Estrutura do Programa de Uso Racional da Água   LEIS / NORMAS Participação na elaboração

Estrutura do Programa de Uso Racional da Água

 

LEIS / NORMAS

Participação na elaboração de Normas Técnicas da ABNT ‐ Associação Brasileira de Normas Técnicas.

Participação na elaboração de Normas Técnicas da ABNT Associação Brasileira de Normas Técnicas.

Subsídio para elaboração de Decretos e Leis Estaduais.

Subsídio para elaboração de Decretos e Leis Estaduais.

 

EDUCACIONAIS / CULTURAIS

Palestras e Cursos;

Palestras e Cursos;

Campanhas Institucionais: apresentação de vídeos;distribuição de panfletos; elaboração de seminários

Campanhas Institucionais: apresentação de vídeos;distribuição de panfletos; elaboração de seminários

 

TECNOLÓGICOS

Alavancagem do mercado de fabricantes para desenvolvimento de novas tecnologias para equipamentos economizadores de

Alavancagem do mercado de fabricantes para desenvolvimento de novas tecnologias para equipamentos economizadores de água.

Elaboração de planos, programas e projetos para redução do consumo de água em clientes

Elaboração de planos, programas e projetos para redução do consumo de água em clientes

Vazamento em rede A n t e s Depois

Vazamento em rede

Vazamento em rede A n t e s Depois

Antes

Depois

Vazamento em rede A n t e s Depois
Vazamento em reservatório

Vazamento em reservatório

Vazamento em reservatório
Evolução do Mercado de Equipam entos Ponto de Produto Convencional (abertura total)   Redução Média

Ponto de

 

Redução Média % Pressão 6 a 20 mca

consumo

Chuveiro

Chuveiro     62
Chuveiro     62
 
Chuveiro     62
 

62

Ducha

 

Torneira

Torneira   57 a 76
Torneira   57 a 76
 
Torneira   57 a 76

57

a 76

 

Registro de

Registro de    
Registro de    
 
Registro de    
 

Mictório

 

50

 

Descarga

Descarga   40 a 60
Descarga   40 a 60
 
Descarga   40 a 60

40

a 60

Sanitária

 
Comparação torneira com arejador e sem arejador 30 litros/minuto 6 litros/minuto Casa do PURA

Comparação torneira com arejador e sem arejador

30 litros/minuto 6 litros/minuto
30 litros/minuto
6 litros/minuto

Casa do PURA

Resultados Local Economia no Consumo Assembléia Legislativa do Estado de São Paulo - ALESP 16%

Resultados

Local

Economia

no

Consumo

Assembléia Legislativa do Estado de São Paulo - ALESP

16%

Complexo Hospital das Clínicas de São Paulo

25%

Cozinha Industrial da Sede Sabesp

65%

Edifício de Administração Sabesp - ABV

72%

Edifício Sede Sabesp

62%

Edifício Sumidouro - Sabesp

63%

Ceagesp - Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo

32%

Escola Estadual Fernão Dias Paes

94%

Escola Estadual Toufic Jouliam

78%

Escola Vera Cruz

25%

50 Escolas Estaduais da Região Metropolitana de São Paulo

40%

Fundação do Desenvolvimento Administrativo - FUNDAP

29%

Hospital do Servidor Público Municipal

14%

Hospital Geral do Exército

14%

Instituto de Assistência Médica ao Servidor Público Estadual - IAMSPE

3%

Instituto de Pesquisa Tecnológica - IPT 53% Palácio dos Bandeirantes 31% Poupatempo Itaquera 10% Poupatempo
Instituto de Pesquisa Tecnológica - IPT
53%
Palácio dos Bandeirantes
31%
Poupatempo Itaquera
10%
Poupatempo Santo Amaro
14%
Poupatempo São Bernardo
10%
Poupatempo Sé
10%
Implantação: 1999
Consumo
Antes: 6.148 m³/mês
Depois: 3.234 m³/mês
Prodesp - Companhia de Processamento de Dados do Estado de
São Paulo (sede)
10%
Secretaria do Meio Ambiente - SMA / CETESB
47%
Secretaria Estadual da Fazenda
10%
Universidade de São Paulo / USP - Fase I e II
26%
Universidade de São Paulo / USP - Fase III
37%
Incentivos à Redução do Consumo Decreto Nº 45.805 de 15/05/2001 Institui no âmbito dos órgãos

Incentivos à Redução do Consumo

Decreto Nº 45.805 de 15/05/2001

Institui no âmbito dos órgãos da administração pública o Programa Estadual

de Uso Racional da Água Potável; Institui o Conselho de Orientação do Programa Estadual de Uso Racional da

Água Potável – CORA; Cria em cada Secretaria de Estado e Autarquia uma Comissão Interna de Uso Racional de Água Potável - CIRA.

Decreto Nº 48.138/2003 de 08/10/2003

Institui uma série de medidas para evitar o desperdício de água tratada em órgãos do Governo; Responsabilidade pela fiscalização: Secretaria de Energia, Recursos Hídricos e Saneamento; Os órgãos deverão designar um “controlador”, para exercer a função de fiscalização das instalações da unidade onde trabalha; Os controladores designados serão capacitados pela SABESP

Incentivos à Redução do Consumo Decreto Decreto N N º º 48.138/2003 48.138/2003 de de

Incentivos à Redução do Consumo

DecretoDecreto NNºº 48.138/200348.138/2003 dede 08/10/200308/10/2003

Consumo percapita

Escolas Estaduais 1 o e 2 o Grau

25

l/aluno/dia

Escolas Internatos

150

l/aluno/dia

Escolas Semi – Internatos

100

l/aluno/dia

Prédios Públicos e Comerciais

50

l/func./dia

Prédios Hospitalares s/ lavanderia

500

l/leito/dia

Prédios Hospitalares c/ lavanderia

750

l/leito/dia

Prédios com alojamentos provisórios s/ cozinha e s/ lavanderia

120

l/pessoa/dia

Prédios Públicos – Quartéis/Militares

150

l/militar/dia

Prédios Penitenciários

200

l/preso/dia

Cozinha Industrial

25

l/refeição/dia

Creches – Prédios Públicos

50

l/pessoa/dia

Especificações Técnicas Manual de Especificações Técnicas para Aparelhos Hidráulicos de Baixo consumo de Água

Especificações Técnicas

Manual de Especificações Técnicas para Aparelhos Hidráulicos de Baixo consumo de Água

orientar

equipamentos de baixo consumo de água.

e

estabelecer

critérios

a

serem

adotados

na

aquisição

de

de Água orientar equipamentos de baixo consumo de água. e estabelecer critérios a serem adotados na
Paisagismo Plantas xerófitas são plantas que re sistem a longos períodos de seca. Exemplos :

Paisagismo

Plantas xerófitas são plantas que resistem a longos períodos de seca. Exemplos :

xerófitas são plantas que re sistem a longos períodos de seca. Exemplos : Aloé Pata de

Aloé

xerófitas são plantas que re sistem a longos períodos de seca. Exemplos : Aloé Pata de

Pata de elefante

xerófitas são plantas que re sistem a longos períodos de seca. Exemplos : Aloé Pata de

Espada de São Jorge

Incentivos à Redução do Consumo Decreto Nº 41.446 de 16/12/1996 Comunicado 01/08: Tarifa para a

Incentivos à Redução do Consumo

Decreto Nº 41.446 de 16/12/1996

Comunicado 01/08: Tarifa para a Categoria Pública com Contrato

Estar adimplente;

Manter o pagamento em dia;

Aderir ao Programa de Uso Racional da Água – PURA (contrato).

Incentivos à Redução do Consumo Decreto Nº 41.446 de 16/12/1996 Comunicado 01/08: Tarifa para a

Incentivos à Redução do Consumo

Decreto Nº 41.446 de 16/12/1996

Comunicado 01/08: Tarifa para a Categoria Pública com Contrato

Estar adimplente;

Manter o pagamento em dia;

Aderir ao Programa de Uso Racional da Água – PURA (contrato).

Obrigado! E ng º José Maurício da Fonseca Maia 11 3388-9256 jmm aia@ sabesp.com.br ;

Obrigado!

Engº José Maurício da Fonseca Maia

11 3388-9256

jmmaia@sabesp.com.br

;

pura@sabesp.com.br

Maurício da Fonseca Maia 11 3388-9256 jmm aia@ sabesp.com.br ; pura@sabesp.com.br www.sabesp.com.brwww.sabesp.com.br

www.sabesp.com.brwww.sabesp.com.br