Вы находитесь на странице: 1из 32
ANTIINFLAMATÓRIO NÃO ESTEROIDAL (AINE)
ANTIINFLAMATÓRIO
NÃO ESTEROIDAL
(AINE)
ANTIINFLAMATÓRIO NÃO ESTEROIDAL (AINE) Medicina Veterinária Farmacologia Veterinária
ANTIINFLAMATÓRIO NÃO ESTEROIDAL (AINE) Medicina Veterinária Farmacologia Veterinária

Medicina Veterinária Farmacologia Veterinária

1.1. ProcessoProcesso InflamatórioInflamatório
1.1. ProcessoProcesso InflamatórioInflamatório

ESTÍMULO NOCIVO

ProcessoProcesso InflamatórioInflamatório ESTÍMULO NOCIVO Natureza QUÍMICA, FÍSICA ou MECÂNICA Liberação de

Natureza QUÍMICA, FÍSICA ou MECÂNICA

Liberação de Mediadores Químicos

FÍSICA ou MECÂNICA Liberação de Mediadores Químicos Origem tissular – aminas vasoativas, fator de

Origem tissular

aminas vasoativas, fator de ativação plaquetária (PAF), eicosanóides (PG, TX, LT), citocinas, radicais livres, óxido nítrico e neuropeptídeos

Origem plasmática

Sistema de coagulação, sistema complemento e cininas (PLA 2 )

Danos físicos e quimicos

Danos físicos e quimicos LesãoLesão TissularTissular Aumento de leucócitos, Fagocitose e fibrogenese – Fase Celular
LesãoLesão TissularTissular
LesãoLesão TissularTissular
Danos físicos e quimicos LesãoLesão TissularTissular Aumento de leucócitos, Fagocitose e fibrogenese – Fase Celular
Danos físicos e quimicos LesãoLesão TissularTissular Aumento de leucócitos, Fagocitose e fibrogenese – Fase Celular

Aumento de leucócitos, Fagocitose e fibrogenese – Fase Celular

Fase Vascular

Fagocitose e fibrogenese – Fase Celular Fase Vascular H i s t a m i n

Histamina, Bradicininas

Estimulação de nociceptores

Aspirina (-)
Aspirina (-)

3

MecanismoMecanismo geradorgerador dada febrefebre Pirógeno exógeno (particulas estranhas) Leucócitos Fagocíticos
MecanismoMecanismo geradorgerador dada febrefebre
Pirógeno exógeno (particulas estranhas)
Leucócitos Fagocíticos
(polimorfo e mononucleares, macrófagos
Pirógeno endógeno (citocinas)
(caminha pela circulação até o SNC)
Liberação de PGE2 no Hipotálamo
Mecanismos conservadores de calor
(piloereção, calafrios, vasoconstricção periférica)
FEBRE
FEBRE
PGE2 no Hipotálamo Mecanismos conservadores de calor (piloereção, calafrios, vasoconstricção periférica) FEBRE 4

4

InflamaçãoInflamação -- SinaisSinais CardiaisCardiais 5 Dor Calor Rubor Edema Perda da função
InflamaçãoInflamação -- SinaisSinais CardiaisCardiais
InflamaçãoInflamação -- SinaisSinais CardiaisCardiais
5
5

Dor

Calor

Rubor

Edema

Perda da função

2.2. AINESAINES -- indicaçãoindicação Ação antiinflamatória Ação analgésica – dores leves a moderadas Ação
2.2. AINESAINES -- indicaçãoindicação
2.2. AINESAINES -- indicaçãoindicação

Ação antiinflamatória

Ação analgésica – dores leves a moderadas

Ação antitrombótica - reduz formação coágulos

Ação antiendotóxica - Fagocitose de agentes exógenos

Ação antipirética - hipotálamo

Aplicação clínica Manejo da dor – osteoartrite, trauma, cirurgia

2.2. MecanismoMecanismo dede AçãoAção
2.2. MecanismoMecanismo dede AçãoAção

CICLOOXIGENASES (COX)

MecanismoMecanismo dede AçãoAção CICLOOXIGENASES (COX) São enzimas essenciais para a síntese de prostaglandinas a

São enzimas essenciais para a síntese de prostaglandinas a partir do ácido aracdônico (AA) liberado pelas fosfolipases A2 (PLA 2 ) da membrana celular.

2.2. MecanismoMecanismo dede AçãoAção
2.2. MecanismoMecanismo dede AçãoAção
2.2. MecanismoMecanismo dede AçãoAção 8
2.2. MecanismoMecanismo dede AçãoAção 8

8

2.2. MecanismoMecanismo dede AçãoAção
2.2. MecanismoMecanismo dede AçãoAção

Inibem a cicloxigenase (COX1 e COX2)

impedindo formação prostaglandinas e tromboxanos

e COX2) impedindo formação prostaglandinas e tromboxanos Injúria tecidual AINEsAINEs Ácido aracdônico
Injúria tecidual
Injúria
tecidual
AINEsAINEs
AINEsAINEs
prostaglandinas e tromboxanos Injúria tecidual AINEsAINEs Ácido aracdônico Cicloxigenase (COX)
Ácido aracdônico Cicloxigenase (COX)
Ácido aracdônico
Cicloxigenase
(COX)
ProstaglandinasProstaglandinas
ProstaglandinasProstaglandinas
TromboxanosTromboxanos
TromboxanosTromboxanos
MecanismoMecanismo dede açãoação
MecanismoMecanismo dede açãoação

Também antagonizam os receptores das PG.

dede açãoação Também antagonizam os receptores das PG. Inibem a liberação de histamina dos mastócitos. Inibem

Inibem a liberação de histamina dos mastócitos.

Inibem a migração de leucócitos PMN (polimorfonucleares) e monócitos, reduzindo a quimiotaxia.

Redução da permeabilidade capilar, diminuindo o edema e vermelhidão.

Inibem a liberação da PGE1 na área pré-óptica do hipotálamo anterior, inibindo o mecanismo da FEBRE.

CicloxigenasesCicloxigenases
CicloxigenasesCicloxigenases

AINES - Inibidores da COX

COX constitutiva – COX-1

AINES - Inibidores da COX COX constitutiva – COX-1 Presente em condições normais – diversos tecidos

Presente em condições normais – diversos tecidos (estômago, rins, plaquetas, intestino)

Responsável pelas PGs relacionadas com reações fisiológicas

Rim - vasodilatação renal, envolvidas na liberação de renina e na transferência de eletrólitos. Inibição provoca diminuição de fluxo sanguíneo renal e TFG

de renina e na transferência de eletrólitos. Inibição provoca diminuição de fluxo sanguíneo renal e TFG
CicloxigenasesCicloxigenases
CicloxigenasesCicloxigenases

AINES - Inibidores da COX

COX constitutiva – COX-1

AINES - Inibidores da COX COX constitutiva – COX-1 Estômago – Promove produção de muco e

Estômago – Promove produção de muco e tamponamento de bicarbonato protegendo a mucosa do HCl. A inibição dos tromboxanos que ocorre simultaneamente compromete a agregação plaquetária , causando aumento nos sangramentos.

CicloxigenasesCicloxigenases
CicloxigenasesCicloxigenases

AINES - Inibidores da COX

COX induzível – COX-2

Não presente em condições normais Induzida pela inflamação Produzida em grandes quantidades Causa dor e inflamação

Não presente em condições normais Induzida pela inflamação Produzida em grandes quantidades Causa dor e inflamação
Não presente em condições normais Induzida pela inflamação Produzida em grandes quantidades Causa dor e inflamação
Não presente em condições normais Induzida pela inflamação Produzida em grandes quantidades Causa dor e inflamação
presente em condições normais Induzida pela inflamação Produzida em grandes quantidades Causa dor e inflamação 13
CicloxigenasesCicloxigenases
CicloxigenasesCicloxigenases

Homeostase da COX1

Proteção gástrica

Camada de muco espessa Previne erosão ácida da mucosa

Proteção renal

Contribui para autoregulação Variação entre espécies

Função plaquetária

Variação entre espécies Função plaquetária Equilíbrio entre agregação plaquetária e trombose 14

Equilíbrio entre agregação plaquetária e trombose

EfeitosEfeitos colateraiscolaterais AINESAINES
EfeitosEfeitos colateraiscolaterais AINESAINES

Inibição da COX-1

Trato GI

colateraiscolaterais AINESAINES Inibição da COX-1 Trato GI úlceras, vômito, gastrite, sangramento Fígado –

úlceras, vômito, gastrite, sangramento Fígado – toxicidade parenquimatosa

Renal

perda da autoregulação, necrose papilar, IRA

Plaquetas

Inibição da agregação plaquetária

Discrasias sangüíneas, aumento do tempo de sangramento

15

EfeitosEfeitos colateraiscolaterais AINESAINES
EfeitosEfeitos colateraiscolaterais AINESAINES

Inibição da COX-1

colateraiscolaterais AINESAINES Inibição da COX-1 Quando utilizados corticóides agravados tem simultaneamente

Quando

utilizados

corticóides

agravados

tem

simultaneamente

efeitos

com

colaterais

seus

LipoxigenaseLipoxigenase
LipoxigenaseLipoxigenase

Leucotrienos – produto do ac. aracdônico

Leucotrienos – produto do ac. aracdônico Produzidos pela ação de Lipoxigenases – encontradas em

Produzidos pela ação de Lipoxigenases – encontradas em células

Pulmões Células brancas sanguíneas Plaquetas

AINES – menos efetivo - GLICOCORTICÓIDES

Inibidores da Lipoxigenase – Cetoprofeno/Tepoxalina

17

18
18
3.3. FarmacocinéticaFarmacocinética
3.3. FarmacocinéticaFarmacocinética
3.3. FarmacocinéticaFarmacocinética Todos os AINES (exceto Paracetamol) são ácidos fracos facilmente absorvidos no

Todos os AINES (exceto Paracetamol) são ácidos

fracos facilmente absorvidos no estômago (pH ácido) e intestino (superfície área grande – NI – lipofílica) Formulações parenterais – IM e SC

Formulações tópicas - colírios

Ligam-se extensivamente às proteínas plasmáticas (95 – 99%)

 

Exceção aos salicilatos (aspirina) – 50%

São metabolizados pelo fígado e excretados pelos rins.

4.4. ClassificaçãoClassificação dosdos AINESAINES
4.4. ClassificaçãoClassificação dosdos AINESAINES

DERIVADOS DO ÁCIDO SALICÍLICO

dosdos AINESAINES DERIVADOS DO ÁCIDO SALICÍLICO Ácido salicílico e salicilato de metila (Gelol®):

Ácido salicílico e salicilato de metila (Gelol®):

 

uso externo - dores articulares e musculares

Ácido acetil salicílico (AAS) [Aspirina®], Ác. Salicílico, Salicilato de sódio - VO.

 

Aumenta o tempo de coagulação por inibir a agregação plaquetária

DerivadosDerivados dodo ÁcidoÁcido acéticoacético
DerivadosDerivados dodo ÁcidoÁcido acéticoacético

Diclofenaco de sódio (Voltaren®, Biofenac®) Diclofenaco de potássio (Cataflan®).

Biofenac®) Diclofenaco de potássio (Cataflan®). Indometacina – ação antipirética mais potente Inibidora

Indometacina – ação antipirética mais potente

Inibidora COX-1 (50 vezes) – degradação articular

Tóxica em cães

Equinos - ataxia

Rapidamente absorvido por via oral e parenteral. O pico da concentração plasmática - 2 horas Ligação Ptns - 99.7% Ação antiinflamatória, analgésica e antitérmica potente

DerivadosDerivados dada PirazolonaPirazolona Fenilbutazona ( butazolidina)[BUTAZONA®], Dipirona (NOVALGINA®),
DerivadosDerivados dada PirazolonaPirazolona
DerivadosDerivados dada PirazolonaPirazolona

Fenilbutazona (butazolidina)[BUTAZONA®], Dipirona (NOVALGINA®), Oxifenilbutazona (TANDERIL®) e Feprazona (Zepelan®).

Absorção rápida pelo TGI, metabolizadas pelo fígado e lentamente excretadas pelos rins Efeitos colaterais – ação condrodegenerativa Biotransformação - 2 metabólitos

e lentamente excretadas pelos rins Efeitos colaterais – ação condrodegenerativa Biotransformação - 2 metabólitos
e lentamente excretadas pelos rins Efeitos colaterais – ação condrodegenerativa Biotransformação - 2 metabólitos

Hidroxifenilbutasona

oxifenbutasona – ativa

DerivadosDerivados dodo Para-aminofenolPara-aminofenol
DerivadosDerivados dodo Para-aminofenolPara-aminofenol

Paracetamol (TYLENOL®)

Analgésicos e antipiréticos;

Fraca ação anti-inflamatória

Gatos são sensíveis

Conjugação com ac. glucurônico

e antipiréticos; Fraca ação anti-inflamatória Gatos são sensíveis Conjugação com ac. glucurônico 23
DerivadosDerivados dodo Ác.Ác. PropiônicoPropiônico
DerivadosDerivados dodo Ác.Ác. PropiônicoPropiônico

Naproxeno (Naprosyn®), Ibuprofeno (Motrin®), Cetoprofeno (Profenid®; Ketofen®), Fenoprofeno (Algipron®); Carprofeno (Rymadil®, Carproflan®)

Bem absorvidos pelo TGI

Acopla-se às proteínas plasmáticas (90%)

Ação mais fraca sobre COX-1

Bem absorvidos pelo TGI Acopla-se às proteínas plasmáticas (90%) Ação mais fraca sobre COX-1 24
DerivadosDerivados dodo Ác.Ác. AminonicotínicoAminonicotínico
DerivadosDerivados dodo Ác.Ác. AminonicotínicoAminonicotínico

Flunixina meglumina (Banamine®)

Flunixina meglumina (Banamine®) Grande ação analgésica e antiinflamatória em cavalos –

Grande ação analgésica e antiinflamatória em cavalos – Escolha para cólicas e distúrbios musculoesqueléticos Relatos de toxicidade renal aguda em doses terapêuticas em cães – baixa margem de segurança

DerivadosDerivados dodo Ác.Ác. FenilantranílicoFenilantranílico
DerivadosDerivados dodo Ác.Ác. FenilantranílicoFenilantranílico
DerivadosDerivados dodo Ác.Ác. FenilantranílicoFenilantranílico

Ácido mefenâmico (Ponstan®) e ácido flufenâmico (Mobilisin®)

Ácido mefenâmico: antiinflamatório, analgésico e antipirético

Ácido flufenâmico: apenas antiinflamatório

São absorvidos lentamente pelo TGI

DerivadosDerivados dodo Ác.Ác. EnólicoEnólico
DerivadosDerivados dodo Ác.Ác. EnólicoEnólico
DerivadosDerivados dodo Ác.Ác. EnólicoEnólico

Piroxicam

(Feldene®),

Tenoxicam

(Tilatil®);

Meloxicam

(Maxicam®, Meloxivet®)

 

Piroxicam: meia-vida longa, o que permite administração em dose única diária; Meloxicam – potente inibidor de TXs e PGs -

-

exelentes

propriedades

antipiréticas

e

analgésicas;

-

inibidor preferencial de COX-2

 

-

meia-vida em cães – 12-36h; eqüinos = 3h

 

É completamente absorvido pelo TGI, ligação ptns plasmáticas (99%) e é excretado pela urina; Tem atividade analgésica, antiinflamatória e antitérmica; Sua atividade antiinflamatória é superior à da Indometacina, Naproxeno e Fenilbutazona; Sua atividade analgésica é superior à do Ibuprofeno, Naproxeno, Fenilbutazona e Fenoprofeno

InibidoresInibidores seletivosseletivos dada COX-2COX-2
InibidoresInibidores seletivosseletivos dada COX-2COX-2

Celecoxibe (Celebra ®), Nimesulida®

dada COX-2COX-2 Celecoxibe (Celebra ®), Nimesulida® Chamados de “coxibes”, comercialização baseada no

Chamados de “coxibes”, comercialização baseada no menor potencial ulcerogênico, porém são tão seletivos, que não inibem formação de trombos e aumento da agregação plaquetária qu também estão associadas aos processos inflamatórios Nimesulida não é um coxibe, porém estudos indicam ser seletiva para COX-2. AINE da classe dos sulfonanilídeos Estudos tem demonstrados que a especificidade pela COX- 2 é menor em animais do que em humanos

OutrosOutros AINEsAINEs
OutrosOutros AINEsAINEs

Dimetilsulfóxido (DMSO)

OutrosOutros AINEsAINEs Dimetilsulfóxido (DMSO) Uso tópico Ação antiinflamatória se baseia na remoção dos

Uso tópico Ação antiinflamatória se baseia na remoção dos radicais livres. Possui propriedades analgésicas, reduz agregação palquetária, protege endotélio vascular, diminui formação de trombos, aumenta perfusão tecidual e inibe quimiotaxia de células inflamatórias. Quando aplicado topicamente, é absorvido, penetrando em barreira HE e inibindo PG no SNC Pode causar reações dermatológicas no local da aplicação. Usar luvas na aplicação Não utilizar em animais para abate – poder residual

OutrosOutros AINEsAINEs Glicosaminoglicanos – Sulfato de condroitina – Condroton ®, Condrovet ®, Condromax ®) Uso
OutrosOutros AINEsAINEs
OutrosOutros AINEsAINEs

Glicosaminoglicanos – Sulfato de condroitina – Condroton ®, Condrovet ®, Condromax ®)

Uso oral Ação antiinflamatória se baseia na inibição dos radicais livres, dos componentes do Complemento, de enzimas leucocitárias e de metaloproteinases (destruição da matriz cartilaginosa). Aumentam a produção de ácido hialurônico e estimulam a atividade anabólica dos condrócitos

PrincipaisPrincipais AINESAINES nana VeterináriaVeterinária
PrincipaisPrincipais AINESAINES nana VeterináriaVeterinária

SELETIVOS COX-2 Meloxicam Carprofen Nimesulida

NÃO SELETIVOS Cetoprofeno Flunixim meglumine Piroxicam Paracetamol Fenilbutasona

Meloxicam Carprofen Nimesulida NÃO SELETIVOS Cetoprofeno Flunixim meglumine Piroxicam Paracetamol Fenilbutasona 31
Flunixim Meglumine (Banamine  ) – 1,1 mg/kg (IM, SC) Cetoprofeno (Ketofen  ) –
Flunixim Meglumine (Banamine  ) – 1,1 mg/kg (IM, SC) Cetoprofeno (Ketofen  ) –

Flunixim Meglumine (Banamine) – 1,1 mg/kg (IM, SC)

Cetoprofeno (Ketofen) – 1 a 2 mg/kg (SC, IM)

Meloxicam (Maxicam) – 0,1 a 0,4 mg/kg (PO, IM, SC)

Carprofeno (Rimadyl) – 4 mg/kg (IM. SC)

Tepoxalina (Zubrim) – 10mg/kg (PO cão) Ver classificação farmacológica