Вы находитесь на странице: 1из 7
 

ProjetoProjeto dede FORÇAFORÇA

 

TomadasTomadas && MotoresMotores

 
 

1

 
   
 

1.Uso Geral

2.Específicas

 
 

3

Escritórios

comerciais

e

locais

 
 

análogos:

 

-

área igual

ou

inferior a

40

-

1

tomada a cada 4 m², ou

fração, de

 

área com potência mínima de 200 VA por tomada; • - área superior a 40 m² - 10 tomadas para os primeiros 40 m² e 1 tomada para cada 10 m², ou fração, de área restante com potência mínima de 200 VA por tomada.

5

23/04/2012

QUANTO AS CARGAS

Quanto ao Funcionamento

IDENTIFICAR OS HORÁRIOS DAS

ENTRADAS E SAÍDAS DAS CARGAS

Para a elaboração do projeto os dados serão fornecidos.

2

Tomadas de USOS GERAL

• Para locais não destinados à habitação, a Norma não prescreve a quantidade mínima e as potências mínimas das tomadas de uso geral, tendo em vista a diversidade de utilizações possíveis. No entanto, em caso de escritórios e lojas, pode-se adotar a seguinte orientação:

4

• lojas comerciais e locais análogos:

• - 1 tomada a cada 30 m², ou fração, de área com potência mínima de 200 VA por tomada, não computadas as destinadas a vitrinas e demonstração de aparelhos.

6

Tomada de uso específico

• os pontos de tomada de uso específico devem ser localizados no máximo a 1,5 m do ponto previsto para a localização do equipamento a ser alimentado;

• As tomadas de uso específico podem não ser tomadas de corrente, fisicamente falando, mas sim, caixas de derivação exclusivas para a ligação de um determinado equipamento de utilização, como é o caso, por exemplo, dos chuveiros elétricos.

7

CurvaCurva dede CargaCarga

9

CurvaCurva dede CargaCarga A partir da configuração da curva, podemos definir os seguintes fatores: Fator
CurvaCurva dede CargaCarga
A partir da configuração da curva, podemos
definir os seguintes fatores:
Fator
de Potência
Fator
de Demanda
Fator
de Carga
Fator
de Perdas
11

23/04/2012

DADOS DA INDUSTRIA

•• IluminaçãoIluminação

•• TomadasTomadas dede UsoUso GeralGeral

•• TomadasTomadas dede UsoUso EspecíficosEspecíficos

8

Carga Instalada Carga Instalada (kW) (kVA) Demanda Máxima (kVA) 375 350 325 300 275 250
Carga Instalada
Carga Instalada
(kW)
(kVA)
Demanda Máxima (kVA)
375
350
325
300
275
250
Demanda
225
Média (kVA)
Linha da
200
Demanda
175
(kVA)
150
125
Demanda
100
Mínima
75
Linha da
(kVA)
Demanda
50
(kW)
25
0
Demanda (kVA)
Demanda Máxima (kVA)
Demanda Média (kVA)
Demanda Mínima (kVA)
Carga instalada (kVA)
Carga Instalada (kW)
Demanda (kW)
10
00:00
1,96
1,96
01:00
1,96
1,96
02:00
1,96
1,96
03:00
1,96
1,96
04:00
1,96
1,96
05:00
75,96
74,01
06:00
74,01
74,01
07:00
94,41
227,29
08:00
227,89
227,89
09:00
227,89
229,94
10:00
229,94
168,09
11:00
167,49
167,49
12:00
148,69
75,61
13:00
104,55
227,29
14:00
227,29
227,29
15:00
227,89
242,49
16:00
242,49
199,75
17:00
181,95
99,08
18:00
95,08
75,96
19:00
75,16
75,16
20:00
1,96
1,96
21:00
1,96
1,96
22:00
1,96
1,96
23:00
1,96
1,96

FÓRMULASFÓRMULAS

12

POTÊNCIAPOTÊNCIA emem WW

Potência de Entrada (P e ).Corresponde à potência absolvida pelo aparelho, equipamento ou motor para o seu desempenho, em Watts.

Potência de Saída ou Potência Nominal (P n ). É a potência mecânica. Medida em W, CV ou HP.

Rendimento ( ). É a relação entre a Potência

Nominal e a Potência de Entrada

=

P

n

P

e

13

Sistema Trifásico em Baixa Tensão Padrão ABNT Sistema Tensão de Fase. Fase Tensão de Fase.
Sistema Trifásico em Baixa Tensão Padrão ABNT
Sistema
Tensão de Fase. Fase
Tensão de Fase. Neutro
E=220/127V
220
127
E=380/220V
380
220
Sistema Bifásico em Baixa Tensão Padrão ABNT Sistema Tensão de Fase. Fase Tensão de Fase.
Sistema Bifásico em Baixa Tensão Padrão ABNT
Sistema
Tensão de Fase. Fase
Tensão de Fase. Neutro
E=254/127V
254
127
E=230/115V
230
115

15

P Saída I n = K E FP Constante (K) Ligação E = Tensão Monofásico
P Saída
I
n
= K
E
FP
Constante (K)
Ligação
E = Tensão
Monofásico
E = Fase. Neutro
K=1
Bifásico (Sem Neutro)
E = Fase. Fase
K=2
Bifásico (Com Neutro)
E = Fase. Neutro
K=3
Trifásico (Com Neutro)
E = Fase. Neutro
K=
3 Trifásico (Sem Neutro)
E = Fase. Fase

17

23/04/2012

CorrenteCorrente NominalNominal emem AA

Corrente Nominal I n . É a corrente consumida pelo aparelho ou equipamento de utilização, de modo a operar segundo as condições prescritas em seu projeto de fabricação.

 

I

 

P

Saída

 

n

= K

 

E

FP

I= Corrente Unidade, Ampér (A) P= Potência Unidade, Watts (W) K= Constante E = Tensão Unidade, Volt (V)

 

FP = Fator de Potência (Cos )

 
 

= Rendimento

 

14

Tensões para industrias atendidas em rede de média tensão

 
TENSÕES (V) E= Fase Fase E= Fase Neutro BAIXA TENSÃO 220 127 380 220 440
TENSÕES (V)
E= Fase Fase
E= Fase Neutro
BAIXA TENSÃO
220
127
380
220
440
254
660
380
MÉDIA TENSÃO
1.200
693
11.000
6.351
13.800
7.967
34.000
19.630

16

 

FatorFator dede PotênciaPotência

 

Cos

 

=

FP

=

kW

Entrada

 
   

kVA

 

Cos ou FP = Fator de Potência (%)

Potência Ativa de Entrada (W, kW)

 

= Potência Aparente (VA, kVA)

 
 

18

23/04/2012

RendimentoRendimento P ( W ) n = P (W ) = P (W ) n
RendimentoRendimento
P
(
W
)
n
=
P
(W ) = P (W )
n
e
P
(
W
)
e
P
(
W
)
n
(
W
) =
P e
P CV
(
.
.)
736
n
(
W
)
=
P e
P
(
H P
.
.)
746
n
P
(
W
)
=
e
19

TABELASTABELAS DEDE FATORFATOR DEDE POTÊNCIAPOTÊNCIA EE RENDIMENTORENDIMENTO

TABELASTABELAS DEDE FATORFATOR DEDE POTÊNCIAPOTÊNCIA EE RENDIMENTORENDIMENTO 20
TABELASTABELAS DEDE FATORFATOR DEDE POTÊNCIAPOTÊNCIA EE RENDIMENTORENDIMENTO 20

20

Tabela de Fator de Potência e Rendimento de equipamento de uso comum

 

Equipamentos

Cos

Rendimento

   

Incandescentes

1

 

Mista

1

 

Halogénas

1

 

Baixo Fator de Potência

   
 

Fluorescentes com starter até 65W

0,5

0,6 a 0,83

Fluorescentes sem starter até 110W

0,5

0,54 a 0,80

Vapor Mercúrio 50 a 1000W

0,5

0,87 a 0,95

Iluminação

Vapor de Sódio 70 a 2000W

0,4

0,90

Vapor d Metálica 35 a 2000W

0,5

0,90

Alto Fator de Potência

   
 

Fluorescentes com starter até 65W

0,85

0,6 a 0,83

Fluorescentes sem starter até 110W

0,85

0,54 a 0,80

Vapor Mercúrio 50 a 1000W

0,85

0,87 a 0,95

Vapor de Sódio 70 a 2000W

0,85

0,90

Vapor d Metálica 35 a 2000W

0,85

0,90

Resistores

   

1

1

Motores

 

Ver Tabela Acima

21

 

MOTORES ELÉTRICOS TRIFÁSICOS - RENDIMENTO E FATOR DE POTÊNCIA

 
 

STANDARD

   

EBERLE

 

POTÊNCIA

II Polos

IV Polos

VI Polos

VIII Polos

     

FATOR DE

 

FATOR DE

 

FATOR DE

 

FATOR DE

kW

CV

RENDIMENTO

POTÊNCIA

RENDIMENTO

POTÊNCIA

RENDIMENTO

POTÊNCIA

RENDIMENTO

POTÊNCIA

0,8

1

0,770

0,85

0,780

0,84

0,730

0,68

0,680

0,58

 

1,5

0,785

0,86

0,790

0,85

0,750

0,71

0,745

0,66

 

2

0,810

0,88

0,815

0,80

0,770

0,70

0,770

0,65

 

3

0,815

0,86

0,830

0,81

0,785

0,74

0,780

0,71

3

4

0,825

0,87

0,835

0,86

0,830

0,72

0,790

0,62

3,7

5

0,845

0,88

0,850

0,81

0,850

0,81

0,800

0,73

4,5

6

0,855

0,89

0,860

0,81

0,855

0,76

 

-

5,5

7,5

0,865

0,87

0,870

0,81

0,860

0,80

0,840

0,59

7,5

10

0,875

0,87

0,875

0,85

0,870

0,79

0,850

0,63

9

12,5

0,880

0,89

0,875

0,89

0,875

0,75

 

-

11

15

0,895

0,89

0,885

0,88

0,890

0,74

0,900

0,70

15

20

0,890

0,89

0,895

0,88

0,895

0,77

0,900

0,69

19

25

0,895

0,92

0,905

0,89

0,902

0,82

0,910

0,74

22

30

0,900

0,94

0,910

0,88

0,910

0,79

0,910

0,72

30

40

0,910

0,89

0,917

0,88

0,917

0,78

0,915

0,72

37

50

0,915

0,90

0,924

0,88

0,920

0,75

0,910

0,75

45

60

0,925

0,92

0,930

0,89

0,925

0,84

0,915

0,78

55

75

0,928

0,90

0,930

0,88

0,928

0,86

0,920

0,76

75

100

0,935

0,89

0,935

0,87

0,930

0,83

0,925

0,77

90

125

0,937

0,89

0,938

0,88

0,935

0,83

0,935

0,75

110

150

0,940

0,89

0,941

0,89

0,941

0,86

0,938

0,76

130

175

0,940

0,89

0,941

0,88

0,941

0,86

   

150

200

0,942

0,90

0,945

0,88

0,942

0,86

 

22

185

250

0,943

0,89

0,945

0,89

       

1 1,1

1 1,5

1 2,2

23
23
24

24

25

25

27
27
PotênciaPotência AparenteAparente emem kVAkVA K E I kVA = ( Entrada ) 1000 kVA= Potência
PotênciaPotência AparenteAparente emem kVAkVA
K
E
I
kVA
=
(
Entrada
)
1000
kVA= Potência de Entrada;
K= Constante;
E = Tensão Unidade, Volt (V);
I= Corrente Unidade, Ampér (A):
29

23/04/2012

26

26

28
28

FATORFATOR DEDE DEMANDADEMANDA kWkW

F

D

D Máx

=

P Ins

F D = Fator de Demanda D Máx = Demanda Máxima (kW) P Ins = Potência Instalada (kW)

30

 

FatorFator dede PotênciaPotência

 
 

F

=

D

Máx

kW

Entrada

 

P

 

D

Max

kVA

Entrada

D Máx = Demanda Máxima (kW)

 

D Máx = Demanda Máxima (kVA)

 

31

PotênciaPotência AtivaAtiva emem kWkW

kW

Saída

= kVA

FP

 

kW= Potência Ativa de Saída; kVA= Potência Aparente; FP = Fator de Potência(%);

 

= Rendimento(%):

 
 

33

FATORFATOR DEDE CARGACARGA MENSALMENSAL kWkW

F

CM

C kWh

= 730

D Máx

F CM = Fator Carga Mensal C kWh = Consumo de Energia em kWh em um Mês D Máx = Demanda Máxima (kW)

35

23/04/2012

PotênciaPotência AparenteAparente emem kVAkVA KW Saída kVA = FP kVA= Potência Aparente; kW= Potência Ativa
PotênciaPotência AparenteAparente emem kVAkVA
KW
Saída
kVA
=
FP
kVA= Potência Aparente;
kW= Potência Ativa de Saída;
FP = Fator de Potência(%);
= Rendimento(%):
32

FATORFATOR DEDE CARGACARGA DIÁRIODIÁRIO kWkW

F

D

Méd

=

CD D

Máx

F CD = Fator Carga Diário D Méd = Demanda Média (kW) de Entrada D Máx = Demanda Máxima (kW) de Entrada

34

CONSUMOCONSUMO MENSALMENSAL kWhkWh C = F 730 D kwh CD Máx Mensal F CD =
CONSUMOCONSUMO MENSALMENSAL kWhkWh
C
=
F
730
D
kwh
CD
Máx
Mensal
F CD = Fator Carga Diário
D Máx = Demanda Máxima (kW)
36
FATORFATOR DEDE PERDAPERDA 2 F = 0,3 F + 0,7 F P C C F
FATORFATOR DEDE PERDAPERDA
2
F
=
0,3
F
+
0,7
F
P
C
C
F P = Fator De Perda
F C = Fator de Carga
37

MÉTODOSMÉTODOS DEDE PARTIDAPARTIDA PARAPARA MOTORESMOTORES

39

23/04/2012

DESEQUILÍBRIODESEQUILÍBRIO DEDE FASEFASE

I

I I f m % = 100 d I m Aplica-se por Fase
I
I
f
m
% =
100
d
I
m
Aplica-se por Fase

I

m 3

I d %= Desequilíbrio de Fase em %

I f = Corrente da Fases

em Estudo

I m = Média Aritmética das três Fases

Máximo Permitido 15% por Fase

38

I

= a

+

I

b

+

I

c

DDEFINIREFINIR OSOS MMÉTODOSÉTODOS DEDE PPARTIDASARTIDAS DOSDOS MMOTORESOTORES PPARAARA CCONSUMIDORESONSUMIDORES COMCOM EENTRADANTRADA EMEM BBAIXAAIXA TTENSÃOENSÃO

DISPOSITIVOSDISPOSITIVOS DEDE PARTIDAPARTIDA DEDE MOTORESMOTORES TRIFÁSICOSTRIFÁSICOS

TIPO POTÊNCIA DO MOTOR MÉTODO DE PARTIDA P < 5 CV Direto 5 CV ≤
TIPO
POTÊNCIA DO MOTOR
MÉTODO DE PARTIDA
P < 5 CV
Direto
5 CV ≤ P ≤ 15 CV
Chave Estrela-Triângulo
De Rotor em Curto-Circuito
(Assíncrono ou Síncrono)
Compensador de partida (exceto
15 CV < P ≤ 30 CV
chave estrela-triângulo)
De Rotor Bobinado (ou anéis)
P ≤ 30 CV
Reostato

NOTAS:

Em substituição à chave estrela – triângulo permite-se chaves de reatância, desde que reduzam a tensão de partida, pelo menos a 65%.

A tensão de partida deve ser reduzida, no mínimo, a 65%.

Deve existir bloqueio que impeça a partida do motor com as escovas levantadas,

Na prática adota-se HP = CV

Métodos de partida diferentes dos citados, deverão ser informados previamente à Concessionária para

análise.

40