Вы находитесь на странице: 1из 16
MECANISMOSMECANISMOS DEDE FORMAÇÃOFORMAÇÃO EE INIBIÇÃOINIBIÇÃO DADA DORDOR DEFINIÇÃO DA DOR: Estado Emocional
MECANISMOSMECANISMOS DEDE FORMAÇÃOFORMAÇÃO EE INIBIÇÃOINIBIÇÃO DADA DORDOR
DEFINIÇÃO DA DOR:
Estado Emocional
Religião
Cultura
Fisiologia
Estímulo
Dor Somática:
TRATOS: NEOESPINOTALÂMICO E PALEOESPINOTALÂMICO A via rápida ou do trato neoespinotalâmico é a mais recente
TRATOS: NEOESPINOTALÂMICO
E PALEOESPINOTALÂMICO
A
via
rápida
ou
do
trato
neoespinotalâmico é a mais recente
evolutivamente. É iniciada por estímulos
mecânicos ou térmicos principalmente.
Ela utiliza neurónios de axónios rápidos
(isto é de grande diâmetro), as fibras A-
delta (12-30 metros por segundo). Esta
é a via que produz a sensação da dor
aguda e bem localizada.
A
via
lenta
ou
do
tracto
paleoespinotalâmico é a mais primitiva
em termos evolutivos. É iniciada pelos
fatores químicos. Ela utiliza axónios
lentos de diâmetro reduzido e
velocidades de condução de apenas 0,5
a 2 m/s. Esta via produz dor mal
localizada pelo individuo e contínua.
ORIGEM DO ESTÍMULO DOLOROSO
ORIGEM DO ESTÍMULO DOLOROSO
Fatores Desencadeantes da Dor 1. Variações mecânicas ou térmicas que ativam diretamente as terminações nervosas
Fatores Desencadeantes da Dor
1. Variações mecânicas ou térmicas que ativam diretamente
as terminações nervosas ou receptores.
2. Fatores químicos libertados na área da terminação
nervosa. Estes incluem compostos presentes apenas em
células integras, e que são libertados para o meio extra-
celular aquando de lesões como os íons Potássio, ácidos.
3. Fatores libertados pelas células inflamatórias como a
bradicinina,
a
serotonina,
a
histamina
e
as
enzimas
proteóliticas.
Dor Crônica X Dor Aguda A dor mais significativa do ponto de vista terapêutico é
Dor Crônica X Dor Aguda
A dor mais significativa do ponto de vista
terapêutico é quase sempre aquela que é
produzida pela via lenta
.
A via rápida produz
apenas sensações de dor localizadas e de duração
relativamente curta que permitem ao organismo
afastar-se do agente nociceptivo, mas geralmente
não é causa de síndromes em que a dor seja a
principal preocupação terapêutica.
Formas de Avaliação da Dor A dor deve ser quantificada para um melhor tratamento, para
Formas de Avaliação da Dor
A dor deve ser quantificada para um melhor
tratamento, para tal existem vários instrumentos de
avaliação sendo que os mais usuais são:
Escala Visual Analógica (EVA)
Escala Numérica
Escala Qualitativa
Escala de Faces
Tipos de Dor Dor Local: É o tipo de dor, aguda ou crônica, leve ou
Tipos de Dor
Dor Local: É o tipo de dor, aguda ou
crônica, leve ou grave. Suas
sensações são Variadas. Mas
é
acessível ao recurso que vai produzir
a analgesia
Dor Visceral: Dor vaga, pobremente
localizada e quando severa está
associada com náuseas, vômitos,
sudorese e até mesmo diminuição da
pressão arterial e bradicardia.
Dor Visceral Referida: Em algumas circunstâncias, a dor originária das
visceras é referida à pele e outras estruturas somáticas localizadas a
considerável distância da víscera e tem um padrão segmental de
dermátomo.
Tipos de Dor Dor Visceral Referida: Em algumas circunstâncias, a dor originária das visceras é
Tipos de Dor
Dor Visceral Referida: Em algumas
circunstâncias, a dor originária das visceras
é referida à pele e outras estruturas
somáticas localizadas a considerável
distância da víscera e tem um padrão
segmental de dermátomo.
Tipos de Dor Dor Fantasma: É definida como dor referida a um membro perdido, seja
Tipos de Dor
Dor Fantasma: É definida como dor
referida a um membro perdido, seja
por remoção cirúrgica ou por perda
acidental
Dor Somática: É uma dor criada pelo
indivíduo. É a dor que o paciente
garante que tem, mas na realidade
não existe nenhum estímulo sobre as
terminações nervosas.
Eletroterapia na Dor Mecanismo de analgesia do frio Aumento do limiar de excitação Diminuição da
Eletroterapia na Dor
Mecanismo de analgesia do frio
Aumento do limiar de excitação
Diminuição da velocidade de condução
Mecanismo de analgesia do calor
Sistema entérico
Relaxamento, aumento da irrigação
O portão da dor
Os opióides

O Portão da Dor

O Portão da Dor
As Fibras Nervosas Função Mielina/Condução Diâmetro TIPO A Alpha Nervo motor Propriocepção Sim, 100m/s
As Fibras Nervosas
Função
Mielina/Condução
Diâmetro
TIPO A
Alpha
Nervo motor
Propriocepção
Sim, 100m/s
20µm
Beta
Toque, motor
Às vezes dor
Sim, 50m/s
10µm
Gamma
Motor, Músculos
Sim, 20m/s
6µm
Delta
Dor
Sim, 15m/s
2µm
Temperatura
TIPO C
Dor
Não, 1m/s
0.5µm
Opióides Age na maioria das células nervosas, promovem hiperpolarização Inibição pré-sináptica da liberação
Opióides
Age na maioria das células nervosas,
promovem hiperpolarização
Inibição pré-sináptica da liberação de
neurotransmissores