Вы находитесь на странице: 1из 51

APOSTILA

MATEMÁTICA FINANCEIRA

TEORIA E APLICAÇÕES

Arturo Toscanini Soares Batista

SUMÁRIO

INTRODUÇÃO, 4

I REGIME DE CAPITALIZAÇÃO SIMPLES , 5

1.

Capitalização Simples, 5

1.1

Juros Simples, 5

1.2

Montante Simples, 5

2.

Taxa Proporcional e Taxas Equivalentes, 7

2.1

Taxa Proporcional, 7

2.2

Taxa Equivalente, 7

3.

Equivalência de Capital em Juros Simples, 9

3.1

Valor Nominal e Valor Atual, 13

3.1.1 Valor Nominal, 13

3.1.2 Valor Atual, 13

4.

Desconto Simples, 14

4.1

Desconto Racional Simples, 14

4.2

Desconto Comercial Simples, 16

4.2.1 Desconto Comercial e Taxa Administrativa, 18

II CAPITALIZAÇÃO COMPOSTA, 20

1. Capitalização Composta, 20

1.1 Fórmulas de Montante e Juros Compostos, 20

1.2 Taxa Nominal, Taxa Equivalente e Taxa Efetiva, 21

1.2.1 Taxa Nominal, 21

1.2.2 Taxa Equivalente, 21

1.2.3 Taxa Efetiva, 22

2. Equivalência de Capitais em Juros Compostos, 23

3. Inflação: Correção Monetária, Taxa Aparente e Taxa Real, 26

3.1 Correção Monetária, 26

3.2 Comportamento da Inflação na Economia, 26

3.3 Medição da Inflação através de Índices, 27

3.4 Taxa Aparente e Taxa Real, 28

4. Desconto Composto, 30

4.1 Desconto Composto Comercial, 30

4.2 Desconto Composto Racional, 30

5. Juros Compostos com Capitalização Contínua, 33

6. Rendas Anuidades, 36

6.1 Classificação das Rendas, 36

6.2 Rendas Periódicas de Valores Iguais, 37

6.2.1 Termos Postecipados, 37

6.2.1.1 Fator de Acumulação de Capital (FAC), 37

6.2.1.2 Fator de Formação de Capital (FFC), 39

6.2.1.3 Fator de Valor Atual (FVA), 41

6.2.1.4

Fator de Recuperação de Capital, 42

6.2.2 Termos Antecipados, 44

6.2.1.1 Fator de Acumulação de Capital (FAC), 44

6.2.2.2 Fator de Formação de Capital (FFC), 44

6.2.2.3 Fator de Valor Atual, (FVA), 45

6.2.2.4 Fator de Recuperação de Capital, 45

III SISTEMAS DE AMORTIZAÇÃO DE FINANCIAMENTOS, 46

1. Sistema de Amortização Constante (SAC), 47

2. Sistema de Amortização Francês (SAF), 48

3. Sistema de Amortização Misto (SAM), 49

4. Sistema de Amortização Americano (SAA), 50

Bibliografia, 51

Introdução

Antes

de

aprofundar

nos

conceitos

observações e conceitos merecem destaques.

da

Matemática

Financeira,

algumas

Juros: Juro é a remuneração do capital emprestado, podendo ser entendido, como sendo o aluguel pago pelo uso do dinheiro.

Taxas: É o coeficiente que determina o valor do juro.Elas podem ser apresentadas na forma percentual (10% ao ano) ou também na forma unitária (0,10 ao ano).

Ano Comercial: Nesta apostila iremos adotar o ano comercial. O ano comercial possui 360 dias, 12 meses e cada mês tem 30 dias.

Diagrama do Fluxo de Caixa:

Entradas de caixa ou recursos (+)

(+)

(+) (+) 0 1 2 3 4 5 6 7 8 (-) (-) (-) (-)
(+)
(+)
0
1
2
3
4
5
6
7
8
(-)
(-)
(-)
(-)
Saídas de caixa ou recursos (-)

Regras Básicas:

a) As taxas devem ser introduzidas no formato decimal;

b) Tanto o prazo da operação como a taxa de juros devem necessariamente estar expressos

na mesma unidade de tempo;

c) O juro apurado com o tempo exato (365 dias) ano civil é denominado juro exato;

d) O juro apurado com o tempo de 360 dias equivalente a 12 meses de 30 dias cada é

denominado de juro comercial ou ordinário.

Para calcular rendimentos de capitais, existem duas formas universalmente aceitas, que são: o regime Capitalização Simples e o regime de Capitalização Composta.

I. REGIME DE CAPITALIZAÇÃO SIMPLES

1. Capitalização Simples

1.1 Juros Simples: no regime de capitalização simples a taxa de juros simples incide

somente sobre o capital inicial. Este tipo de regime se comporta como uma progressão aritmética e o seu gráfico de juros versos prazo é uma reta. Por isso, a expressão “linear” é sinônimo de juros simples.

Fórmula de juro simples: J P.i.n

J

= valor dos juros simples;

P

= capital inicialmente empregado;

i

= taxa de juros simples;

n

= período de tempo em que o capital foi empregado

1.2 Montante Simples: é o valor dos juros dos períodos anteriores adicionados ao

capital inicial. Fórmulas de Montante: S P J

e

S P(1 in)

P

= capital inicialmente empregado;

i

= taxa de juros simples;

n

= período de tempo em que o capital foi empregado e

S

= montante formado pelos juros e o capital inicial.

Observação:

a) A expressão 1in, decorrente da fórmula do montante é chamada de Fator de

Acumulação de Capital;

1

b) A expressão 1iné chamada de Fator de Atualização de Capital;

Exercícios Resolvidos

Juros Simples

1) Qual o valor de juros simples correspondentes a um empréstimo de R$ 100.000,00, pelo prazo de 15 meses, sabendo-se que a taxa cobrada é de 3% ao mês?

Dados:

P R$100.000,00

n 15.meses i 3%.a.m

J

P.i.n

J

100.000,00x0,03x15 R$.45.000,00

2) Um capital de R$ 25.000,00, aplicado durante 10 meses, rende juros linear de R$ 5.000,00. Determinar a taxa correspondente. Dados:

P

R$25.000,00

 

J

R$5.000,00

n

10.meses

 

i

j

5.000,00

.

P n

25.000,00 10

x

0,02

2%

a m

.

Montante Simples 1) Calcular o montante de uma aplicação de um capital de R$ 10.000,00, pelo prazo de 12 meses, à taxa de 3% ao mês. Dados:

P R$10.000,00

n 12.meses i 3%.a.m

S

?

S

P(1 in) 10.000,00(10,03x12)

S

R$13.600,00

2) Determinar o valor atual de um título cujo valor de resgate é de R$ 500.000,00, sabendo- se que a taxa de juros é de 3% ao mês e que faltam 7 meses para o seu vencimento. Dados:

S

R$500.000,00

n

7meses

 

P

S

500.000,00

1 in

1

0,03 7

x

R $413.223,14

Exercícios de Fixação

1) Um capital de R$ 80.000,00 é aplicado à taxa de 2,5% ao mês durante um trimestre. Pede-se determinar o valor dos juros acumulados neste período. Resposta: R$ 6.000,00

2) Um negociante tomou um empréstimo pagando uma taxa de juros simples de 6% ao mês durante nove meses. Ao final deste período, calculou em R$ 270.000,00 o total dos juros incorridos na operação. Determinar o valor do empréstimo. Resposta: R$ 500.000,00.

3) Um capital de R$ 40.000,00 foi aplicado num fundo de poupança por 11 meses, produzindo um rendimento financeiro de R$ 9.680,00. Pede-se apurar a taxa de juros oferecida por esta operação. Resposta: 2,2% ao mês.

4) Uma aplicação de R$ 250.000,00, rendendo uma taxa de juros de 1,8% ao mês produz, ao final de determinado período, juros no valor de R$ 27.000,00. Calcular o prazo da aplicação. Resposta: 6 meses.

5) Uma empresa aplicou R$ 2.000.000,00 no dia 15/07/2001 e resgatou essa aplicação no dia 21/07/2001 por R$ 2.011.000,00. Qual foi a taxa de juros simples mensal de rendimento proporcionada por essa operação? Resposta: 2,75% ao mês.

6) Qual o montante de um capital de R$ 600,00, a 18% ao ano, durante 8 meses. Resposta: R$ 672,00.

7) Em quanto tempo um capital pode produzir juros iguais a 50% do seu valor, se aplicado a 3,755% ao mês. Resposta: 13,32 meses.

8) Em quanto tempo um capital aplicado a 48% ao ano dobra o seu valor? Resposta: 25 meses.

9) A que taxa de juros um capital aplicado durante 10 meses rende juros iguais a ¼ do seu valor? Resposta: 2,5% meses.

10) O valor de resgate de um título é 140% maior que o valor da aplicação. Sendo de 30% ao ano a taxa de juros simples, pede-se calcular o prazo da aplicação. Resposta: 56 meses.

2. Taxa Proporcional e Taxas Equivalentes.

2.1 Taxa Proporcional: é a relação entre a taxa de juros considerada na operação e o

número de vezes em que ocorrerão os juros. Exemplo:

18%.a.a

18%

12

1,5%

2.2 Taxa Equivalente: duas taxas são equivalentes quando, referindo-se a períodos de

tempo diferentes, fazem com que um capital produza o mesmo rendimento, em mesmo intervalo de tempo. No sistema de capitalização simples a taxa equivalente é também a taxa proporcional.

Exemplo:

P

R$500.000,00

I

1

2,5%.a.m

I

2

15%.

.

a s

.

n 1.ano.

P

500.000,00x0,025x12 R$150.000,00

P

500.000,00x0,15x2 R$150.000,00

Exercícios Resolvidos

Calcular a taxa mensal proporcional de juros simples de:

a)14,4% ao ano; d)110,4% ao ano; Resposta:

a)

b)6,8% ao quadrimestre; c)11,4% ao semestre; e)54,72% ao biênio.

;

b)

6,8%

4

1,7%

a.m

;

c)

11,4%

6

4,4%

12

1,2%

a.m

d)

110,4%

12

9,2%

a.m

e)

54,72%

24

2,28%

a.m

1,9%

a.m

Exercícios de Fixação

1) Calcular a taxa mensal proporcional de juros de:

a) 36% ao ano;

Resposta: 3% ao mês.

b) 6,8 % ao quadrimestre;

Resposta: 1,7% ao mês.

c) 110,4% ao ano;

Resposta: 9,2% ao mês.

d) 54,72% ao biênio.

Resposta: 2,28% ao mês.

2) Calcular a taxa trimestral proporcional a juros de:

a) 120% ao ano;

Resposta: 30% ao trimestre.

b) 3,2% ao quadrimestre

Resposta: 2,4% ao trimestre

c) 1,5% ao mês.

Resposta: 4,5% ao trimestre

3) Determinar a taxa de juros simples anual proporcional às seguintes taxas:

a) 2,5% ao mês:

Resposta: 30% ao ano.

b) 56% ao quadrimestre;

Resposta: 168% ao ano.

c) 12,5 para 5 meses.

Resposta: 30% ao ano.

4) Calcule a taxa de juros proporcional para 10 dias:

12% para 20 dias; 16% para 8 dias; 20% ao mês. Resposta: 6% para 10 dias; 20% para 10 dias; 6,67% para 10 dias.

5) Calcular o montante de R$ 85.000,00 aplicados por:

a) 7 meses à taxa linear de 2,5% ao mês;

Resposta: R$ 99.875,00

b) 9 meses à taxa linear de 11,6% ao semestre;

Resposta: R$ 99.790,00

c) 1 ano e 5 meses à taxa linear de 21% ao ano.

Resposta: R$ 110.287,50

3. Equivalência de Capitais em Juros Simples

Conceito: dois ou mais capitais representativos, dizem-se equivalentes quando, a uma determinada taxa de juros, produzem resultados iguais em uma data comum.

Por exemplo: uma capital de R$ 1.000,00 hoje equivale a um capital de R$ 1.200,00, daqui a dois meses, caso seja utilizada uma taxa de 10% ao mês. Graficamente, temos:

R$1.000,00 R$ 1.200,00
R$1.000,00
R$ 1.200,00

Isto é, o capital de R$1.200,00 daqui a dois meses, valem hoje, o valor de R$1.000,00. ou seja:

VA = valor atual VF = valor futuro

VF VA(1 in) 1.000,00.(1 0,1x2) R$1.200

VF = R$ 1.200,00.

VA

VF

1

.

1 in

1.200.

VA = R$ 1.000,00.

1

1

0,1

x

2

R $1.000,00

Quando se está lidando com equivalência financeira em juros simples não se deve fracionar (desmembrar) os prazos utilizados sob pena de alterar os resultados. Em juros simples, dois capitais equivalentes, ao fracionar os seus prazos, deixam de produzir o mesmo resultado na data focal.

Exemplo:

P R$1.000,00

i 5%.a.m n 1.ano 12.meses

S 1.000,00(1 0,05x12) 1.600,00

R$1.600,00

12 meses

R$1.000,00

O valor atual será:

P

S 1.600

1 in

1

0,05 12

x

R $1.000,00

Com prazo fracionado

Cálculo com valor atual de 12 meses para 6 meses e de 6 meses para data zero

P

1

P

1

R$1.600,00

R$1.230,77

6 meses

6 meses

R$946,75

S

1.600

  R $1.230,77
1

0,05 6

x

1 in

;

S

1.230,77

  R $946,77
1

0,05 6

x

1 in

Na prática, em questões relacionadas com equivalência de capitais no regime de juros simples, a determinação da data focal deve ser definida (negociada), naturalmente, entre as partes.

Exercícios Resolvidos

1) Determinar se R$ 1.400,00 vencíveis daqui a 8 meses é equivalente a se receber hoje R$1.000,00, à uma taxa de juros simples de 5% ao mês.

0 1 2 3 4 5 6 7 8 Na data focal igual a zero
0
1
2
3
4
5
6
7
8
Na data focal igual a zero (hoje), temos:
1
1
VA
 VF
 1.400.
R $1.000,00
. 
1  in
1
 0,5
x
8

VA = R$ 1.000,00

2) Dois títulos de R$ 1.000,00, cada um, exigíveis em 3meses e 4 meses, respectivamente serão substituídos por dois novos títulos, de mesmo valor nominal, para 5 meses e 6 meses, respectivamente. Sendo de 2% a taxa de desconto comercial, calcular o valor nominal dos novos títulos.

2 x R$ 1.000,00

0 1 2 3 4 5 6 T T
0
1
2
3
4
5
6
T
T

Na data Focal 0 (hoje), temos:

VA VA

3

4

VA

5

VA

6

1.000.(10,02x3) 1.000(10,02x4) T (10,02x5) T (10,02x6) 943,40 925,93 090909T 0,89285T 1.869,33 1,80194T

Exercício de Fixação

1) Uma mercadoria é oferecida num magazine por R$130,00 a vista, ou nas seguintes condições: 20% de entrada e um pagamento de R$ 106,90 em 30 dias. Calcular a taxa linear mensal de juros que está sendo cobrada. Resposta: 2,79% ao mês.

2) Uma aplicação de R$ 15.000,00 é efetuada pelo prazo de 3 meses à taxa de juros simples de 26% ao ano. Que outra quantia deve ser aplicada por 2 meses à taxa linear de 18% ao ano para se obter o mesmo rendimento financeiro. Resposta: R$ 32.500,00

3) Uma TV em cores é vendida nas seguintes condições:

Preço a vista = R$ 1.800,00;

Condições a prazo = 30% de entrada e 1306,00 em 30 dias.

Determinar a taxa de juros simples cobrada na venda a prazo.

Resposta: 3,65% ao mês.

4) Um negociante tem as seguintes obrigações de pagamento com um banco:

R$ 18.000,00 vencíveis em 37 dias;

R$ 42.000,00 vencíveis em 83 dias;

R$ 100.000,00 vencíveis em 114 dias.

Com problemas de caixa nestas datas deseja substituir este fluxo de pagamentos pelo seguinte esquema:

R$ 20.000,00 em 60 dias;

R$ 50.000,00 em 100 dias;

Restante em 150 dias.

Sendo de 3,2% ao mês a taxa de juros adotada pelo banco nestas operações, pede-se calcular o valor do pagamento remanescente adotando como data focal o momento atual.

Resposta: R$ 94.054,23

5) Uma máquina calculadora está sendo vendida a prazo nas seguintes condições:

R$ 128,00 de entrada;

R$ 192,00 em 30 dias;

R$ 192,00 em 60 dias.

Sendo de 1,1% ao mês a taxa linear de juros, pede-se calcular até que preço é interessante comprar a máquina à vista.

Resposta: R$ 505,78

6) Um poupador com certo volume de capital deseja diversificar suas aplicações no mercado financeiro. Para tanto, aplica 60% do capital numa alternativa de investimento que paga 34,2% ao ano de juros simples pelo prazo de 60 dias. A outra parte é investida numa caderneta de poupança por 30 dias, sendo remunerada pela taxa linear de 3,1% ao mês. O total dos rendimentos auferidos pelo aplicador atinge R$ 1.562,40. Pede-se calcular o valor de todo o capital investido. Resposta: R$ 33.527,90

7) Um empréstimo de R$ 42.000,00 foi tomado por determinado prazo a uma taxa linear de 7% ao mês. Em determinado momento o devedor resgata este empréstimo e contrai outro no valor de R$ 200.000,00 pagando 5% de juros simples ao mês por certo prazo. Após dois anos de ter contraído o primeiro empréstimo, o devedor liquida sua dívida remanescente. O total dos juros pagos nos dois empréstimos tomados atinge R$ 180.000,00. Pede-se calcular os prazos referentes a cada um dos empréstimos.

Resposta: x 1 = 8,5 meses; x 2 = 15,5 meses.

3.1 Valores Nominal e Atual

3.1.1 Valor Nominal:

O valor nominal é o valor de resgate, ou seja, é o valor definido para um título em sua data de vencimento. Nota:

1) O valor nominal está, geralmente, atribuído a um título, seja ele emitido por uma pessoa física ou uma pessoa jurídica. Como exemplos de títulos, temos: as Notas Promissórias, as Duplicatas, as Letras de Câmbio, etc.

2) O valor nominal ou valor de resgate surge da concretização de uma dívida, pois ele é o próprio montante da dívida, por exemplo: uma pessoa que empresta R$ 1.000,00 a juros de 10% ao mês para ser pago daqui a 8 meses, recebe uma Nota Promissória, do devedor, no valor de R$ 1.800,00, ou seja:

i = 10% ao mês

devedor, no valor de R$ 1.800,00, ou seja: i = 10% ao mês 8 meses R$

8 meses R$ 1.000,00

R$ 1.800,00

S

P(1 in)

S

1.000,00(1 0,10x8) R$1.800,00

Nota: o valor que será estampado na nota promissória é o montante que o devedor deverá liquidar daqui a 8 meses.

3.1.2 Valor Atual: o valor de uma dívida numa data anterior a sua data de vencimento,

chama-se valor atual da dívida naquela data (anterior). Graficamente temos:

VA 0

 

VA 1

 

VA 2

VA 3

0

1

2

3

4

VA

0

1

S

4

i

 

VA

1

1

S

3

i

S

VA

VA

2

3

S

1

S

2

i

1

1

i

4 Descontos Simples

Conceito: de um modo geral, podemos dizer que desconto é uma recompensa dada a um devedor de título que liquida, isto é, paga este título em data antecipada.

O valor descontado (V d ) do título é obtido pela diferença entre o seu valor nominal (S) e o desconto (D) calculado, ou seja:

V d

S

D S V

S

d

D

D

V

d

A operação de desconto se dá tanto no regime de juros simples quanto no regime de juros compostos, identificando nestes regimes, as mesmas modalidades, que são: o desconto racional (desconto por dentro) e o desconto comercial ou bancário (desconto por fora).

4.1 Desconto Racional Simples.

O desconto racional, também chamado de desconto “por dentro” incorpora os conceitos e relações básicas de juros simples. Esta modalidade de desconto é obtida pelo produto do valor descontado (valor atual na data da liquidação), da taxa periódica de juros e do prazo do desconto (períodos de juros que restam para o vencimento do título), ou seja:

D

r

V

d

.

i n

.

D

V

r

d

V

d

S V

d

.i.n S V

.

d

i n

.

V

d

S

V d

S

1 in

V

d

(1

in

)

S

Na prática, o valor nominal, também chamado de valor de resgate, vem definido no título. Assim, para facilitar os cálculos, deduz uma formula que o desconto em função do valor nominal.

D S V

r

D

D

r

D

r

S

Sin

V

D

1 in

S

S

S

(1

in

)

S

Sin

1 in

1

in

1 in

Exercícios Resolvidos

1) Seja um título de valor nominal de R$ 10.000,00, vencível em um ano, que está sendo liquidado, dois meses antes do seu vencimento. Sendo de 72% ao ano a taxa nominal de juros corrente, pede-se calcular o desconto e valor descontado desta operação, utilizando a modalidade de desconto racional.

Solução: graficamente:

S= R$ 10.000,00

V d = ? 2 meses
V d = ?
2 meses

i = 72% ao ano = 6% ao mês

D

r

V

D

Sin

1 in

S

D

R

10.000,00 0,06 2

x

x

10.000,00

1

0,06 2

x

R $1.071,42

1.071,42

R$.8.928,58

2) Determinar a taxa mensal de desconto racional de um título negociado 60 dias antes do seu vencimento, sendo seu valor de resgate igual a R$ 26.000,00 e valor atual na data do desconto de R$ 24.436,10.

D

r

D

r

 

S

V

D

V

D

i n

.

i

26.000,00

24.436,10

D

r

1.563,90

V

D

n

24.436,10 2

x

R$1.563,90

a m

Exercícios de Fixação

1) Uma duplicata de $ 70.000,00, vencível em 90 dias, foi descontada por um banco à taxa de 2,70% ao mês. Calcular o valor líquido creditado ao cliente. De acordo com conceito desconto racional ou “por dentro”. Resposta: R$ 64.754,86

2) Calcular o valor do desconto por dentro, de um título de $ 100.000,00, com 115 dias a vencer, sabendo-se que a taxa de juros é de 3% ao mês.

Resposta: R$ 10.313,90

3) Sabendo-se que o desconto de uma duplicata no valor de $25.000,00, com 150 dias a vencer, gerou um crédito de $22.075,06 na conta do cliente, determinar a taxa de juros, de acordo com conceituação de desconto racional. Resposta: 2,65% ao mês. 4) Dois títulos, nos valores de $ 10.000,00 cada, foram descontados à taxa de 2,5% ao mês, gerando um desconto de $ 1.000,00 para cada um deles. Calcular o prazo decorrido pelo critério de desconto “por dentro”. Resposta: 133 dias

4.2 Desconto Comercial Simples

Desconto comercial ou bancário é o mais amplamente utilizado no mercado financeiro, principalmente nas operações de crédito bancário e comercial de curto prazo. Esse desconto é obtido pela incidência direta sobre o valor nominal (valor de face) do título. Observando assim, um maior volume de encargos financeiros, em relação ao desconto racional que sua incidência se dá sobre o valor descontado (valor atual ). O valor do desconto comercial ou bancário (D c ), no regime de capitalização simples é determinado pelo produto do valor nominal do título (S), da taxa desconto(i d ) e do prazo de antecipação definido (n), isto é:

D

c

D

c

S i

.

d

.

n

S V

d

S.i

V S(1

S

.n

d

d

V

in)

d

V

d

S

S.i.n

S(1

in)

Para observar os valores dos descontos calculados pelos as duas modalidades de desconto, foram utilizados exemplos da modalidade de desconto racional.

Exercícios Resolvidos

1) Seja um título de valor nominal de R$10.000,00 vencível em um ano, que está sendo liquidado 2 meses antes de seu vencimento. Sendo de 72% ao ano a taxa nominal de juros corrente, pede-se calcular o desconto e o valor descontado desta operação.

Solução: graficamente temos:

S = R$ 10.000,00

V d = ? 2 meses
V d = ?
2 meses

i = 72% a.a = 6% a.m

D

c

S.i

d

V d

S

.n

D

c

10.000,00x0,06x2

R$1.200,00

10.000,00

1.200,00

R$8.800,00

Podemos, ainda, calcular o valor descontado pela seguinte fórmula:

V S (1

d

in)

10.000,00(1

0,08x2)

R$8.800,00

2) Determinar a taxa de desconto comercial de um título negociado 60 dias antes do seu vencimento, sendo seu valor de resgate igual a R$ 26.000,00 e o valor atual na data do desconto de R$ 24.436,10.

D

c

D

c

 

S

V

d

S i n

.

.

i

26.000

24436,10

D

c

1.563,90

Sxn

26.000 2

x

R$1.563,90

3%.

a m

.

Exercício de Fixação

1) Uma duplicata de R$ 70.000,00, vencível em 90 dias, foi descontada por um banco à taxa de 2,70% ao mês. Calcular o valor líquido creditado ao cliente. De acordo com conceito desconto comercial ou “por fora”. Resposta: R$ 64.330,00

2) Calcular o valor do desconto “por fora”, de um título de R$ 100.000,00, com 115 dias a vencer, sabendo-se que a taxa de juros é de 3% ao mês. Resposta: R$ 11.500,00

3) Sabendo-se que o desconto de uma duplicata no valor de R$ 25.000,00, com 150 dias a vencer, gerou um crédito de R$22.075,06 na conta do cliente, determinar a taxa de juros, de acordo com conceituação de desconto comercial. Resposta: 2,34% ao mês

4) Dois títulos, no valor de R$ 10.000,00 cada um, foram descontados à taxa de 2,5% ao mês, gerando um desconto de R$ 1.000,00 para cada um deles. Calcular o prazo decorrido pelo critério de desconto “por fora” Resposta: 120 dias

5) Determinar o valor nominal ou de face de um título, com 144 dias para o seu vencimento, que descontado à taxa de 48% ao ano proporcionou um valor atual (valor líquido creditado) de R$ 38.784,00. Sabe-se que a operação foi feita de acordo com o conceito de desconto bancário ou comercial. Resposta: R$ 48.000,00

6) Determinar quantos tempo faltam para o vencimento de uma duplicata, no valor de R$9.800,00, que sofreu um desconto bancário de R$ 548,50, à taxa de 32% ao ano.

Resposta: 63 dias

7) Sendo de R$ 3.419,44 o valor do desconto racional ou “por dentro” de uma duplicata, descontada à taxa de 3,55% ao mês, 120 dias antes do seu vencimento, calcular o valor do seu desconto bancário. Resposta: R$ 3.905,00 8) O valor descontado de um título é de R$ 32.000,00 tendo sido negociado 100 dias antes do seu vencimento à taxa de desconto comercial de 30% ao ano. Determinar o valor nominal deste título. Resposta: R$ 34.909,10

9)Um financiamento, para aquisição de um veículo, para ser quitado em 18 prestações mensais, iguais e consecutivas de R$ 9.470,00. No dia do vencimento da 10ª prestação, após ter pago esta, o financiado propõe à financeira a quitação, nesta data, das 8 prestações restantes. Sabendo-se que essa Financeira concede um desconto bancário ou “por fora” de 1,8% ao mês para pagamentos antecipados, calcular o valor do desconto total concedido. Resposta: R$ 6.136,56

10) Uma instituição desconta comercialmente um título n dias antes de seu vencimento, creditando o valor líquido de R$ 54.400,00 na conta do cliente. O valor de resgate deste título é de R$ 63.000,00 tendo sido adotada a taxa de desconto comercial de 2,2% ao mês. Pede-se determinar o prazo de antecipação deste título. Resposta: 6,2 meses.

11) Uma empresa apresenta num banco, para desconto, três duplicatas no valor nominal de R$ 19.000,00, R$ 42.000,00 e R$ 63.000,00, cada uma. Respectivamente, as duplicatas foram descontadas 37 dias, 66 dias e 98 dias antes do vencimento. Sendo de 21,2% ao ano a taxa de desconto, calcular o valor do desconto bancário e o valor líquido liberado à empresa. Resposta: R$ 5.695,73 e R$ 118.304,27

4.2.1 Desconto Comercial e Taxas Administrativas

É importante registrar que nas operações de desconto, que envolvem bancos comerciais, são geralmente cobradas taxas adicionais de desconto que tem o intuito de cobrir eventuais despesas operacionais e administrativas. Estas taxas são geralmente prefixadas, e incidem sobre o valor nominal do título, ou seja:

D

c

D

c

S i

.

d

.

n

SxT

S.(i .n

d

T )

, onde T é a taxa administrativa cobrada pelas instituições financeira.

Exercício Resolvido

Uma duplicata de valor nominal de R$ 60.000,00 é descontada num banco dois meses antes do seu vencimento. Sendo de 2,8% ao mês a taxa de desconto usada na operação, calcular o desconto e o valor descontado. Sabe-se que o banco cobra 1,5% sobre o valor nominal do título, descontado integralmente no momento da liberação dos recursos, como despesa administrativa.

D

V

c

d

S.(i .n

d

S

D

c

T )

60.000,00(0,028x2

0,015)

R$4.260,00

60.000,00

4.260,00

R$.55.740,00

Exercício de Fixação

80 dias antes do seu

vencimento. Nesta operação, o banco cobra 39% ao ano de taxa de desconto comercial e 2% de despesa administrativa. Calcular o valor líquido liberado ao cliente e a taxa efetiva mensal linear desta operação. Resposta: R$ 14.293,33 e 4,48% ao mês.

1) Um banco desconta um título de valor nominal de R$ 16.000,00

3) Um banco credita na conta do seu cliente a quantia de R$27.000,00, proveniente do desconto de um título, efetuado 80 dias antes do seu vencimento. Sendo de 2,85% ao mês a taxa de desconto e de 1,5% a taxa administrativa cobrada pelo banco, pede-se determinar o valor nominal deste título. Resposta: R$ 29.702,97

II. REGIME DE CAPITALIZAÇÃO COMPOSTA

Conceito

O regime de juros compostos considera que os juros formados em cada período são acrescidos ao capital formando o montante (capital mais juros) do período. Este montante, por sua vez, passará a render juros no período seguinte formando um novo montante (constituído do capital inicial, dos juros acumulados e dos juros sobre os juros formados em períodos anteriores), e assim por diante.

1. Capitalização Composta

1.1 Fórmulas de Montante e Juros compostos

Para definirmos a fórmula de montante e de juros vamos partir do seguinte exemplo:

Qual é o valor acumulado de um capital de R$ 1.000,00, aplicado a taxa de juros de 2% ao mês, durante 3 meses.

Mês

 

Capital

Taxa

Juros

Montante

1

1.000,00

2%

20,00

 

1.020,00

2

1.020,00

2%

20,40

 

1.040,40

3

1.040,40

2%

20,81

 

1.061,21

S

1

P Pi P

(1

i

)

S

2

S

1

S

1

i S (1 i) P(1 i).(1i)

1

P(1i)

2

S

3

S

2

S i S

2

2

(1 i) P(1 i)

2

.(1 i) P(1 i)

3

Analogamente, podemos expressar os juros e o montante como:

S

J

n

P(1i)

S

P

n

P

(1

i

)

n

P

11

P

i

n

No exemplo anterior teríamos:

0
0

1

2

3

R$ 1.061,21

S

J S P 1.061,21 1.000,00 R$61,21

P

(1

i

)

n

1.000,00(1

0,02)

3

R

$1.061,21

Exercício de Fixação

1)

Se uma pessoa deseja obter R$ 27.500,00 dentro de um ano, quanto deverá ela depositar

hoje numa alternativa de poupança que rende 1,7% de juros composto ao mês? Resposta: R$ 22.463,70

2) Qual valor de resgate de uma aplicação de R$ 12.000,00 em um título pelo prazo de 8

meses à taxa de juros composta de 3,5% ao mês? Resposta: R$ 15.801,71

3) Determinar a taxa mensal de juros composta de uma aplicação de R$ 40.000,00 que produz um montante de R$ 43.894,63 ao final de um quadrimestre. Resposta: 2,35% ao mês.

4) Uma aplicação de R$ 22.000,00, efetuada em certa data produz, à taxa composta de juros

de 2,4% ao mês, um montante de R$ 26.596,40 em certa data futura. Calcular o prazo da operação.

Resposta: 8 meses

5) Determinar o juro pago de um empréstimo de R$ 88.000,00 pelo prazo de 5 meses à taxa

de composta de 4,5% ao mês.

Resposta: R$ 21.664,02

6) No fim de quanto tempo o capital de R$ 500,00, a 10% ao ano, e o capital de R$ 400,00,

a 12% ao ano, produzirão montantes iguais?

Resposta: 12 anos, 4 meses e 18 dias.

1.2 Taxa Nominal, Equivalente e Efetiva. Conceitos:

1.2.1Taxa Nominal: é a taxa onde possui sua unidade de tempo diferente a unidade de tempo de capitalização. 1.2.2 Taxa Equivalente: duas ou mais taxas dizem-se equivalentes quando empregada

a um capital, produzem os mesmos resultados, em certa data.

Seja

i a = taxa

anual

i m = taxa mensal

P = capital empregado

n= 1 ano = 12 meses

S

S

S

i

a

1

2

1

(1

P i

a

)

(1

P i

m

S

1

2

P

i

12

m

12

)

(1

i

1

a

)

(1

P i

m

)

12

Exercício Resolvido

1) Capitalizar as seguintes taxas:

a) 2,3% ao mês para um ano; b) 0,14% ao dia para 23 dias;

c)

7,45% ao trimestre para um ano;

d) 6,75% ao semestre para um ano

e) 1,87% equivalente a 20 dias para um ano;

Resposta

b) 1 0,0014

1 0,0745

c)

1

a) i

1

i

m

12

1

0,023

12

i

 

23

12 / 3

12 / 6

360 / 20

 

1

1

 

3,27%. para

 

1

 

1

a

a .

a a .

 

1

39,58%.a.a

23.dias

d

e)

)

i

i

i

1 0,0675

1 0,0187

Exercício de Fixação

a a

1) Qual taxa trimestral de juro equivalente a 22% ao ano?

Resposta: 5,097% ao trimestre

2) Um capital foi aplicado 1,5% ao mês. Qual a taxa anual equivalente?

Resposta: 19,56% ao ano

3) Qual a taxa de juros anual equivalente a 33,4840% para 5 meses?

Resposta: 100% ao ano

4) Um banco lança um título de pagando 6% a.t. Se uma pessoa necessitar de R$ 58.000,00

daqui a 3 anos, quanto deverá aplicar neste título? Resposta: R$ 28.824,22

1.3 Taxa Efetiva

È a taxa que foi realmente utilizada na operação

Exercício Resolvido

1) Taxa nominal de 32% a.a capitalizado trimestralmente.

Taxa nominal = 32% a.a Taxa linear proporcional = 32% 4 8%a.t

Taxa efetiva = 1

proporcional = 32% 4  8% a . t Taxa efetiva =  1 0,08 

0,08

4

 

36,05%.a.a

.

2) Taxa nominal de 30% ao semestre capitalizado mensalmente

Taxa nominal = 30% ao semestre

Taxa linear proporcional =

Taxa efetiva =

6

30% 6  5%a.m 34%.a.a
30% 6  5%a.m
34%.a.a

1

0,05

Exercício de Fixação

1)

Um título esta pagando uma taxa efetiva de 2,85% ao mês. Para um mês de 30 dias,

transformar esta remuneração em taxa nominal (linear) Resposta: 2,81% ao mês

2) Para cada taxa nominal apresentada a seguir, pede-se calcular a taxa efetiva anual:

a) 9% ao ano capitalizado mensalmente.

Resposta: 9,38% ao ano

b) 14% ao ano capitalizado trimestralmente

Resposta: 14,75% ao ano

3) Uma instituição financeira para juros de 24% ao ano, capitalizado trimestralmente.Qual a

taxa efetiva? Resposta: 26,24% ao ano

4) Calcular a taxa nominal e efetiva anual correspondente a 2% ao mês.

Resposta: 24% ao ano e 26,82% ao ano

5) Calcular os juros do capital de R$1.000,00, colocado por 4 anos, a 20% ao ano capitalizado semestralmente. Resposta: R$ 1.143,59

6) Qual montante do capital equivalente a R$500,00, a 10% ao ano, capitalizado mensalmente, em 2 anos?. Resposta: R$ 610,20

8) Um empréstimo de R$ 2.000,00 deverá ser resgatado no fim de 3 anos com juros de 15%

ao ano capitalizado trimestralmente. Qual o valor do resgate?

Resposta: R$ 3.110,90

9) Em quanto tempo

trimestralmente? Resposta: 3 anos, 11 meses e 6 dias

um

capital

dobrará

de

valor

a

18%

ao

ano

capitalizado

10) Qual a taxa de juros anual que, capitalizados semestralmente, faz com que o capital de R$ 2.500,00 produza R$ 2.000,00 de juros em 3 anos e 6 meses? Resposta: 17,52% ao ano

2. Equivalência de Capitais em Juros Compostos

No regime de juros compostos, ao contrário do regime de juros simples, o prazo de uma operação pode ser desmembrado (fracionado), sem que isso altere os resultados do valor presente e valor futuro calculados. Para uma melhor compreensão, apresentaremos as seguintes questões:

Exercícios Resolvidos

1) Uma pessoa necessita saber se o recebimento de R$ 1.000,00 hoje, é equivalente a receber, após 4 meses o valor de R$ 1.464,10, a uma taxa de juros composta de 10% ao mês.

R$ 1.000,00

R$ 1.464,10

de juros composta de 10% ao mês. R$ 1.000,00 R$ 1.464,10 0 1 2 3 4

0

1

2

3

4

Na data focal 0, temos:

VA 1.464,10.

1

(1

0,1)

2 1.000,00

VA = R$ 1.000,00 Por tanto, para essa pessoa tanto faz receber hoje R$1.000,00 ou daqui a 4 meses o valor de R$1.464,10, caso utilize uma taxa de juros composta de 10% ao mês. Como já foi mencionado, o desmembramento do prazo não afeta os resultados. Desse modo, observe que ao mudar para data focal 2 o valor da capitalização de R$ 1,000,00 é equivalente a descapitalização de R$ 1.464,10. Ou seja:

R$ 1.000,00 R$ 1.464,10 0 1 2 3 4 n   2 VF 
R$ 1.000,00
R$ 1.464,10
0
1
2
3
4
n
2
VF
P
(1 
i
)
 1.000,00 1  0,1

VF R$1.210,00

VA

1

Sx

(1

i

)

n

1.462,10

x

VF R$1.210,00

1

2

(1

0,1)

1.210,00

2) um investidor, devedor de dois títulos de R$ 1.000,00 e R$ 2.000,00, vencíveis daqui a 3 meses e 6 meses, respectivamente, deseja trocar por um outro com vencimento daqui a 5 meses. Sabendo-se que a taxa de juros compostos é de 10% ao mês, determinar o valor do novo título.

1.000,00 2.000,00 0 1 2 3 4 5 6 T Na data focal 5, temos:
1.000,00
2.000,00
0
1
2
3
4
5
6
T
Na data focal 5, temos:
T  VF  VA
5
5
1
2
T 
1.000,00(1
0,1)
2.000,00
x
(1
 0,1)

T

1.210,00 1.818,18 3.028,18

T

R$3.028,18

3) um imóvel está sendo vendido a vista pelo preço de R$ 1.000,00 e a prazo em duas parcelas: uma de R$ 500,00 e a outra de R$ 700, em 2 meses e 3 meses, respectivamente. Um investidor que possuísse a quantia de R$ 1.000,00 e podendo aplicá-la a uma taxa de 10% ao mês, escolheria qual a modalidade de pagamento?

R$ 1.000,00 0 1 2 3 500,00 700,00
R$ 1.000,00
0
1
2
3
500,00
700,00

na data focal zero, os valores de R$ 500,00 e R$ 700,00 atualizados deveriam ser iguais para que fosse indiferente para o investidor comprar o imóvel a prazo ou a vista, ou seja:

1.000,00 VA VA

2

3

1

VA

1

VA 413,22 525,92 939,14

VA R$939,14

500,00

x

0,1

2

600,00

x

1

1

0,1

3

Para o investidor é melhor comprar a prazo, podendo aplicar a quantia de R$1.000,00, a uma taxa de juros composta de 10%, dessa forma, o montante gerado pagará os valores das parcelas com saldo.

Exercício de Fixação

1) Uma loja está oferecendo um produto no valor de R$ 900,00 com desconto de 12% para

pagamento a vista. Outra opção de compra é pagar os R$ 900,00 após 30 dias sem desconto. Calcular o valor efetivo mensal a prazo. Resposta: 13,64% ao mês

2) João tem as seguintes obrigações financeiras com Pedro:

a) dívida de R$ 18.200,00 vencível no fim de um mês;

b) dívida de R$ 23.300,00 vencível no fim de 5 meses;

c) dívida de R$ 30.000,00 vencível no fim de 10 meses.

Prevendo dificuldades no pagamento desses compromissos, João propõe substituir este plano original por dois pagamentos iguais, vencendo o primeiro de hoje a 12 meses e o segundo no fim de 15 meses. Determinar o valor desses pagamentos para uma taxa de juros de 2,8% ao mês. Resposta: R$ 44.068,10

3) Uma pessoa deve a outra a importância de R$ 12.400. Para liquidação da dívida, propõe

os seguintes pagamentos: R$ 3.500,00 ao final de 2 meses; R$ 4.000,00 ao final de 5 meses; R$ 1.700,00 ao final de 7 meses e o restante em um ano. Sendo de 3% a taxa efetiva de juros cobrada no empréstimo, pede-se calcular o valor do último pagamento. Resposta: R$ 6.085,47

4) Uma dívida tem o seguinte esquema de pagamento: R$ 3.900,00 vencíveis em 3 meses a partir de hoje e R$ 11.700,00 de hoje a 5 meses. O devedor propõe ao credor refinanciar esta mediante 5 pagamentos bimestrais, iguais e sucessivos, vencendo o primeiro de hoje a um mês. Sendo de 2,1% ao mês taxa de juros da dívida original e 3% ao mês a taxa a ser considerada no refinanciamento, pede-se determinar o valor de cada pagamento bimestral. Resposta: R$ 3.283,06.

3. Inflação: Correção Monetária, Taxa Aparente e Taxa Real. Conceito

A inflação é a elevação generalizada dos preços dos produtos e serviços.

3.1 Correção Monetária

Historicamente, a Correção Monetária teve início com a publicação da Lei nº 4.506 de 1964, esta lei previa que no exercício seguinte, os valores expressos em cruzeiros da legislação do imposto renda, seriam atualizados anualmente em função de coeficiente de Correção Monetária estabelecida pelo Conselho de Nacional de Economia. Desde que os índices de preços alcançassem um patamar acima de 10% no ano ou 15% no triênio. Os indexadores da economia do período de 1964 a 1994 foram: as variações das ORTN (Obrigações Reajustáveis do Tesouro Nacional), as variações das OTN (Obrigações do Tesouro Nacional) e a UFIR (unidade Fiscal de Referência). Passado aquele tempo de inflação “galopante”, vivenciamos hoje, um cenário econômico de reduzida taxa de inflação, porém, é indispensável, caso queira utilizar corretamente as técnicas da Matemática Financeira, mensurar o componente inflacionário embutido nas várias taxas aparentes praticadas na economia. Assim sendo, é importante observar como se evolui a inflação na economia.

3.2 Comportamento da Inflação na economia

O comportamento da inflação se desenvolve de maneira exponencial, isto é, ocorre um aumento de preço sobre um valor que já incorporou acréscimos apurados em períodos anteriores. Por exemplo, admita 2%, 3% e 4%, respectivamente, as taxas de inflação

ocorrida nos três primeiros meses de um certo ano. Um ativo que no início do ano valia R$ 10.000,00, caso fosse corrigido por esses índices, apresentaria os seguintes valores ao final de cada mês:

Mês1 10.000x1,02 10.200,00 Mês2 10.200,00x1,03 10.506,00 Mês3 10.200,00x1,04 10.926,24

O incremento do valor do ativo no final do trimestre é calculado pela relação seguinte:

I

10.926,24

 

1

c 10.000,00

0,0926

I

c

9,26%

no período.

Podendo ser também calculado em função dos valores dos índices pela relação abaixo:

I

c

1 0,021 0,031 0,41

3. 3 Medição da Inflação através de índices

Um outro modo de observar a evolução da inflação na economia é utilizando os índices de preços fornecidos e calculados por diversas instituições. Alguns dos principais índices:

IGP-DI. Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna: Esse índice da Fundação Getúlio Vargas é formado pela média ponderada de três índices: 60% do Índice de Preços por Atacado (IPA), 30% do Índice de Preços ao Consumidor (IPC) e 10% do Índice Nacional da Construção Civil (INCC). A coleta de dados é realizada entre os dias 1 o e 30 o de cada mês.

IPC-Fipe. Índice de Preços ao Consumidor. Esse índice é preparado pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas da Universidade de São Paulo. Mede a inflação das famílias paulistanas que ganham entre um e 20 salários mínimos.

IPC-IBGE. Índice de Preços ao Consumidor. Esse índice é preparado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística e reflete o custo de vida de famílias com renda mensal de 1 a 40 salários mínimos em 11 principais regiões metropolitanas do país.

 

IGP-DI

IPC Geral

IPCA

Janeiro/04

293,793

239,917

2.246,43

Fevereiro/04

296,976

240,363

2.260,13

Março/04

299,746

240,648

2.270,75

Abril/04

303,184

241,354

2.279,15

Maio/04

307,616

242,734

2.290,77

Junho/04

311,576

244,979

2.307,03

Julho/04

315,113

246,417

2.328,02

Agosto/04

319,244

248,854

2.344,08

Setembro/04

320,788

249,379

2.351,82

Outubro/04

322,492

250,934

2.362,17

Novembro/04

325,148

252,332

2.378,47

Dezembro/04

326,833

254,023

2.398,92

Janeiro/05

327,915

255,456

2.412,83

Fevereiro/05

329,241

256,366

2.427,07

Março/05

332,490

258,380

2.441,87

Abril/05

334,170

260,523

2.463,11

Maio/05

333,321

261,481

2.475,11

Junho/05

331,823

260,958

2.474,68

Fonte: LAPPONI, Juan Carlos. Matemática Financeira, São Paulo. 2006. Elsevier Editora Ltda.

Pela evolução destes índices, pode ser constatado como os preços gerais da economia variaram no período. Por exemplo, o valor da inflação ocorrido no segundo semestre do ano 04, medido pelo IGP-DI, pode ser calculado assim:

Inflação do semestre:

326,833

311,576

 

1

4,8967% .

Em outras palavras, os preços nesse período (semestre) cresceram 1,048967, indicando uma evolução de 4,8976%

A inflação do trimestre (outubro, novembro e dezembro) desse mesmo ano, utilizando o mesmo raciocínio, alcançou pelo IPCA um patamar de:

Inflação do trimestre:

2.398,92

2.351,82

 

1

2,0027% .

Observa-se, que no mês de maio de 2005 houve uma deflação de aproximadamente 0,25406%, apontando com isso, uma diminuição nos preços gerais da economia.

Utilizando o raciocínio exemplificado, podemos retirar uma fórmula para medir a taxa de inflação a partir de índices de preços, pela expressão abaixo:

I

 

P

n

P

n

t

1

Onde, I é a taxa de inflação obtida, P é o índice de preço utilizado, n é data de determinação da taxa de inflação e n-t é o período anterior considerado.

3.4 Taxa Aparente e Taxa Real

Quando relacionamos valores monetários de dois ou mais períodos em um ambiente inflacionário, defrontamos com o problema de diferentes níveis do poder aquisitivo da moeda. Por exemplo, admita que uma pessoa incorporou ao seu patrimônio um imóvel no valor de R$ 50.000,00, em uma certa data. Após 12 meses revendeu o imóvel por R$ 70.000,00, neste período a inflação alcançou um patamar de 50%. Observe que a revenda ocasionou um ganho aparente de 40%, como a inflação do período foi de 50%, o poder de compra que essa pessoa possuía, há 12 meses (R$50.000,00), diminuiu em relação ao valor da revenda (R$ 70.000,00). Esta queda do poder aquisitivo da moeda é denominada de taxa de desvalorização da moeda, podendo ser calculada pela seguinte expressão:

i dm

I

1

I

onde i dm é a taxa de desvalorização da moeda e I é a taxa de inflação do período.

Ilustrativamente, para uma melhor compreensão, se em um determinado período os preços aumentarem 100%, se concluí que o poder aquisitivo da moeda neste período reduziu para

50%.

Em um contexto inflacionário é importante identificar nas taxas aparentes declaradas nas operações o valor embutido do componente inflacionário.

O conceito de taxa real ou ganho real é na realidade o expurgamento desse valor

inflacionário.

Para uma melhor compreensão, admita que um título está sendo remunerado a 15% no período, sendo que nesse período a inflação atingiu o valor de 10%. Logo, quem aplicou, neste título, R$1.000,00 no início do período, obteve um rendimento de R$ 150,00 totalizando um montante de R$ 1.150,00. Entretanto, como a inflação do período foi de 10% qualquer ativo corrigido daria um valor reajustado de R$ 1.100,00, daí pode-se concluir que o investidor conseguiu um ganho acima da inflação de R$ 50,00, em termos percentuais, temos:

i

Re al

50,00

1.100,00

x 100

4,5454%

podendo também ser calculado da seguintes forma:

i

Re al

i Re al

i

Re al

  1.150,00

1,15

1.100,00

1    1.000(1

4,5454%

0,15

1

x

min

al

1,10

1

i

no

1

i

inf lação

1.000(1

0,10)

100

1

x

100

1

x 100

Exercício de Fixação

1) Uma aplicação rendeu 2,95% de taxa nominal em determinado mês. Sabendo que a inflação da economia atingiu 2,2% e a moeda nacional foi desvalorizada em 1,8% em relação ao dólar no mesmo período, determinar a rentabilidade real da aplicação em relação a inflação interna e a variação cambial. Resposta: 0,73% 1,13%

2) Qual o custo real mensal de uma operação de financiamento por 5 meses, sabendo-se que

os juros nominais cobrados atingem 2,8% ao mês e a inflação de todo o período foi de

12%?

Resposta: 2,5% p/5 meses; 0,496% ao mês.

3) Uma pessoa levanta um empréstimo para ser liquidado ao final de 4 meses, pagando uma taxa real de juros de 20% ao ano. Determinar a taxa nominal equivalente mensal de juros desta operação ao se prever, para cada um dos meses considerados, respectivamente, as seguintes taxas de inflação: 1,5%, 1,2%, 2,2% e 1,7%. Resposta: 13,45% ao quadrimestre, 3,2% ao mês.

4) Um banco oferece duas alternativas de rendimentos para aplicação em títulos de sua emissão: a) taxa prefixada de 50% ao ano; Correção monetária pós-fixada mais juros de

20% ao ano. Qual a taxa de correção monetária anual que determina os mesmos rendimentos para as duas alternativas? Resposta: 25% no ano.

5) Um imóvel foi adquirido por R$3.000,00 em determinada data, sendo vendido por R$30.000,00 quatro anos depois. Sendo a taxa de inflação equivalente em cada um desses anos de 100%. Determinar a rentabilidade nominal e real anual desta operação. Resposta: 77,83% ao ano; -11,09% ao ano.

6) Até abril de um ano, a inflação atingiu a 4,4%. Mantendo-se em 1,1% a taxa mensal de

inflação até o fim do ano, calcular a inflação acumulada do ano.

Resposta: 13,95%

7) Os índices gerais de preços (IGP) referentes aos seis primeiros meses de determinado ano no Brasil foram:

Dezembro de x8 = 107,325; Janeiro de x9 = 108,785; Fevereiro de x9 = 110,039; Março de x9 = 112,035; Abril de x9 = 114,614; Maio de x9 = 115,071; Junho de x9 = 118,090.

Calcular:

a) taxa de inflação dos meses de janeiro, fevereiro e março de x9;

b) inflação do primeiro trimestre de x9;

Respostas: a) 1,36%, 1,15%, 1,81 b) 4,39%

4. Desconto Composto

O desconto composto é aquele obtido em função de cálculos exponenciais. Também neste regime são conhecidos dois tipos de descontos: desconto composto racional ou por “por dentro” e o desconto composto comercial, também chamado de desconto composto “por fora”. Ao contrário do regime simples, no regime composto a modalidade amplamente empregada no mercado é do desconto composto racional que nada mais é que

a diferença entre o valor futuro (valor nominal) de um título e o seu valor atual (valor descontado), determinado com base na capitalização composta.

4.1 Desconto Composto Comercial

O

D

desconto composto comercial ou “por fora” é da pela seguinte fórmula:

C

S 1 1 i

D

n

Exemplo: Qual o valor do desconto composto comercial de uma duplicata no valor de R$ 10.000,00, com 90 dias para o seu vencimento, que foi descontada a uma taxa desconto de 10% ao mês?

n

S 11i

D

D

D C

C

C

D

10.0001

1

R$2.710,00

.

0,10

3

10.000(1

0,729)

10.000

x

0,271

4.2 Desconto Composto Racional

O desconto composto racional também chamado de desconto composto “por dentro”, como foi mencionado, é obtido pela diferença entre o valor nominal ( valor de resgate) de um título e o seu valor atual (valor descontado), ou seja:

D S V

r

d

V

d

D

r

D

r

S

1 i

n

 

S

 

S

(1

i

)

n

S

1 i

n

 

1 i

n

i

)

n

1

S

S (1

1 i

n

Exemplo: Qual o valor do desconto composto racional de uma duplicata no valor de

R$10.000,00, com 90 dias para o seu vencimento, que foi descontada a uma taxa de 10% ao

mês?

D

r

S

(1

i

)

n

1

1 i

n

D

r = 10.000 [ (1+0,1) 3 – 1 ] / (1+0,1) 3

D

r = 10.000 x 0,331/ (1,331) = 10.000 x 0,248

D

r = R$ 2.480,00

Exercício de Fixação

1) Qual o valor máximo que uma pessoa deve pagar por um título de valor nominal de R$82.000,00 com vencimento para 110 dias, se deseja ganhar 5% ao mês. Resposta: R$ 68.567,73

2) Qual a taxa de juros composta efetiva de uma operação de um título descontado à taxa “por dentro” de 69,6% ao ano 30 dias antes do vencimento? Resposta: 62,30% para 11 meses

3) Uma empresa recebe um empréstimo de $ 10.000,00. Assume 3 notas promissórias no valor de R$.1900,00, R$.4.200,00 e R$ 6.300,00, cada uma, para pagar no final de 5 meses, 7 meses e 10 meses respectivamente. Com 120 dias depois da operação a empresa quita todos os seus débitos a uma taxa de desconto composto “por dentro” de 36% ao ano. Determinar o valor liberado para a empresa e a taxa efetiva mensal. Resposta: R$ 11.143,37; 2,7434% ao mês.

5. Juros Compostos com Capitalização Contínua

A taxa de juros é dada usualmente como uma taxa anual, mas freqüentemente os juros são computados e somados ao principal mais do que uma vez ao ano. Se os juros forem compostos m vezes ao ano, então a taxa anual precisa ser dividida por m para se determinar os juros de cada período. Por exemplo, se R$100,00 forem depositados numa poupança que paga 8% ao ano de juros compostos semestralmente, trimestralmente, mensalmente e diariamente, então as quantias na poupança no final do primeiro ano serão:

S

P 1

i

m

m n

.

Onde S= o montante, P é o capital aplicado, i é taxa, m é número de capitalização e n é o tempo investido.

P R$100,00 ;

i 8%.a.a ;

m

n

n

1.ano

4capitalizaçõe ;

1

2

2.anos

.

Solução:

a)

Capitalizado semestralmente:

S

100.

1

0,08

2

2.1

1001,0816

108,16

R

$108,16

b)

Capitalizado trimestralmente:

0,08

Capitalizado mensalmente:

100. 1

4.1

S

c)

1001,082432

4

S

100. 1

0,08

12

12.1

1001,082999

108,24

R

$108,24

108,30

R

$108,30

Observamos que quando maior o número de capitalização maior será o montante no final do tempo investido.

A

fórmula

S

P 1

i

m

m n

.

dá a quantia total após n anos se a quantia investida for P a

uma taxa de i anual composta m vezes por ano. Vamos imaginar uma situação onde os

juros são compostos (capitalizados)

continuamente; isto é, quando o número de períodos

de juros anuais cresce ilimitadamente.

S

P lim

m



1

i

m

m n

.

Usamos

lim 1

m



i

m

que pode ser escrita como

m

i

S

P lim

m 

m que pode ser escrita como m i S  P lim m  in Façamos

in

Façamos

existe se

z

i

m

, então

lim

m



1

i

m

m

i

lim 1z

z 0

1

z

, assim o limite em

lim 1z

z 0

1

z existe, ou mais amplamente, se existe o limite

lim 1 z

z

0

Testamos a existência do limite:

lim 1

m



1

z .

i

m

m

i

Z

 

0,5

0,1

0,01

0,001

0,0001

1

zz 1

2,25

2,5937

2,7048

2,7169

2,7182

Z

 

-0,5

-0,1

-0,01

-0,001

-0,0001

1

zz 1

4,0000

2,8680

2,7320

2,7169

2,7184

Fazendo cada vez z tendendo para o zero, a valor de 1

 

1

z

z

2,7182816

, ou melhor:

lim

m 

 

1

i

m

m

i

 

lim`1

 

1

z

z

e

2,7182816

z

0

 

A letra e foi escolhida em homenagem ao matemático suíço Leonhard Euler (1707-1783). Assim, a nossa fórmula de montante fica:

S Pe

in