Вы находитесь на странице: 1из 53

Programação para Arduíno

Curso de Extensão Prof. MSc. Algeir Sampaio

Sumário

Introdução Características Começando ... Programação Básica Projetos Bibliografia Sites

Introdução

Microprocessador

CPU

ULA

UC

Microprocessador x Microcontrolador

UC
UC

CPU

ULA
ULA

Introdução

Introdução

Definição

O que é um microcontrolador?

É computador num chip, que contém um processador, memória e funções de E/S.

Elementos adicionais

Memória RAM, EEPROM ou flash Periféricos Interfaces de E/S.

Baixo consumo de energia.

Microcontrolador

Microcontrolador

Arquitetura Interna de um μC

Arquitetura Interna de um μ C

Aplicação de μCs

Aplicação de μ Cs

Sistemas Microcontrolados

Os microcontroladores são rápidos e precisos. São máquinas seqüenciais. Sistemas que necessitam Controle Automático são microcontrolados. Aplicação dos microcontroladores

Telefonia, Automóveis, Aviação Eletrodomésticos, Celulares, Segurança Eletrônica

Microcontroladores (μCs)

Para trabalharmos com microcontroladores precisaremos de:

Hardware de gravação do microcontrolador Kit de desenvolvimento ou simulador Conhecimento de programação Um compilador Projetos de aplicação

Arduino

O Arduino é uma placa de controle E/S baseada no microcontrolador Atmega (Atmel), que serve

de controle para diversos outros sistemas.

Esta placa de controle E/S open-source já é muito divulgada no exterior.

Seu diferencial é que a sua concepção é open- source.

Seus códigos de aplicação são abertos e divulgados.

Arduino

O conceito do Arduino surgiu na Itália em 2005 com o objetivo de criar um controlador para

projetos/protótipos construídos de forma menos dispendiosa que outros sistemas

existentes no mercado, então.

É uma plataforma de computação física, baseada em uma placa de E/S microcontrolada e

desenvolvida sobre uma biblioteca que simplifica

a escrita da programação em C/C++.

Arduino

Uma plataforma de computação física é um conjunto de sistemas digitais ligados a sensores e

atuadores, que permitem construir sistemas que tenham noção do ambiente e que atuem sobre esse ambiente com ações físicas.

Um microcontrolador é um processador que traz consigo memória e periféricos de E/S.

Arduino

Esta placa foi projetada com finalidades educativas.

Ideal para ajudar designers e artistas a criarem obras interativas sem terem muitos conhecimentos de eletrônica.

A idéia básica de uso é introduzir sensores ou chaves nos conectores de entrada, e LEDs, displays, relés, motores e outros dispositivos que possam ser

acionados pelos sinais de saída.

Arduino

Uma plataforma Arduino é capaz de receber sinais de entrada que podem indicar diversas

variáveis, processar esses sinais e controlar seus canais de saídas para atuarem a partir deste processamento.

È baseado no microcontrolador Atmega e programável em uma linguagem baseada em C/C++ para executar um conjunto de ações.

Arduino

O grande barato é que a comunidade que usa o Arduino, cresce cada vez mais e divulga seus

códigos de aplicação, dentro da filosofia open- source.

Qualquer programador pode modificar e ampliar de acordo a necessidade, divulgando, da mesma forma.

Arduino

Projetado com possibilidades multiplataforma, é de fácil entendimento, programação e aplicação.

Rodando em ambientes Windows, GNU/Linux e Mac OS.

Está sendo utilizado, mesmo por quem não tem domínio da eletrônica e pode ser usado tanto

para aplicações simples quanto para tarefas mais

complexas.

Características

Características

Layout

Layout

Esquema

Esquema

Características

Existem várias placas Arduino:

Arduino Uno Arduino Duemilanove Arduino MEGA Arduino Nano Tatuino Etc ...

Tipos de Arduino

Tipos de Arduino Arduino Nano

Arduino Nano

Tipos de Arduino

Tipos de Arduino Arduino Mega

Arduino Mega

Características

O Arduino Duemilanove é uma placa baseada no microcontrolador ATmega168 ou

ATmega328.

Tem 14 pinos de entrada ou saída digital, dos quais 6 são utilizados como PWM, 6 entradas analógicas, um oscilador de cristal de 16 MHz, um controlador USB, um plug de alimentação, um conector ICSP e um botão de reset.

Características

O Arduino pode ser alimentado pela conexão USB ou por qualquer fonte externa. A alimentação externa pode ser tanto uma fonte ou uma bateria. A alimentação recomendada é de 7 a 12 volt

Características

Os pinos de alimentação são:

Vin: Entrada de alimentação para a placa.

5V: A fonte utilizada para o microcontrolador e para outros componentes da placa.

3V3: Alimentação de 3,3 volts fornecida pelo CI FTDI.

GND: Pino terra.

Características

O ATmega328 tem 32KB de memória flash (onde o software fica armazenado), além de 2

KB de SRAM (onde as variáveis ficam) e 1 KB

de EEPROM (que guarda os dados permanentes).

A memória SRAM é apagada toda vez que desligamos o circuito.

Características

Cada um dos 14 pinos digitais ode ser usado como entrada ou saída usando as funções de pinMode( ), digitalWrite( ) e digitalRead( ).

Cada uma opera com 5 V.

Cada pino fornece ou recebe no máximo 40 mA e tem um resistor pull-up interno de 20 50 Ohms.

Características

Alguns pinos possuem função específica:

Serial: 0 (RX) e 1 (TX): Usados para receber e transmitir dados seriais TTL.

PWM: 3, 5, 6, 9, 10 e 11: Fornecem uma saída analógica PWM de 8 bits com a função analogWrite( ).

SPI: 10, 11, 12 e 13: Suportam comunicação SPI. LED: 13: Já existe um led conectado a este pino.

Características

O Arduino Duemilanove tem 6 entradas analógicas, cada uma delas está ligada a um conversor analógico-digital de 10 bits. Os pinos 4 e 5 suportam a comunicação I2C. AREF: Referência de tensão para as entradas analógicas. Reset: Envia o valor LOW para reiniciar o microcontrolador.

Características

A comunicação com um computador, com outro Arduino ou com outros microcontroladores é

simples. O ATmega328 permite comunicação serial no

padrão UART TTL (5 V), que está disponível nos

pinos digitais 0 (RX) e 1 (TX).

Características

Algumas versões anteriores do Arduino requerem um reset físico (botão de pressão na placa) antes de carregarem um sketch.

No Arduino Duemilanove é possível fazer o reset via software.

A placa do Arduino Duemilanove tem um polifusível que protege a porta USB do computador contra curtocircuitos e

sobrecorrentes superiores a 500 mA.

Iniciando o trabalho com Arduino

Adquira uma placa Arduino e um cabo USB. O Arduino pode ser Arduino Uno, Arduino Duemilanove, Nano, ou Diecimila.

É preciso também um cabo USB padrão do tipo que você usaria para conectar uma impressora USB, por exemplo.

Trabalhando com Arduino

Trabalhando com Arduino

Trabalhando com Arduino

Baixe o ambiente Arduino. Obtenha a última versão da página de downloads. Quando o download terminar, descompacte o arquivo baixado. Certifique-se de preservar a estrutura da pasta. Dê um duplo clique na pasta para abri-lo. Deve haver alguns arquivos e sub-pastas dentro.

Trabalhando com Arduino

Ao conectar a placa Arduino, automaticamente a energia é extraída, a partir da ligação USB no computador ou de uma fonte de alimentação externa.

A fonte de alimentação é selecionada com um jumper, que se encaixa em dois dos três pinos entre o USB e os conectores de energia.

Ligue a placa Arduino ao computador utilizando o cabo USB e o LED (rotulado PWR) deve acender.

Trabalhando com Arduino

Ao instalar os drivers para o Arduino Uno com Windows7, Vista ou XP:

Conecte a placa e espere pelo Windows para começar seu processo de instalação do driver.

Depois de alguns momentos, o processo irá falhar, apesar de seus melhores esforços, clique no menu Iniciar e abra o Painel de Controle.

No Painel de Controle, vá para Sistema e Segurança.

Em seguida, clique em Sistema.

Trabalhando com Arduino

Ao clicar em Sistema:

Quando a janela do Sistema surgir, abra o Gerenciador de Dispositivos e procure em Portas (COM & LPT).

Você deverá ver uma porta aberta com o nome “Arduino UNO (COMxx)”.

Clique com o botão direito do mouse sobre o "UNO Arduino (COMxx)" port e escolha a opção "Atualização de driver de software".

Em seguida, escolha a opção "Procurar o meu computador para software Driver" opção.

Trabalhando com Arduino

Finalmente, selecione o arquivo Uno do driver, chamado "ArduinoUNO.inf", localizado no

"Drivers" da pasta do download do software Arduino (não os Drivers USB FTDI "sub-

diretório).

Então o Windows irá terminar a instalação do driver.

Consulte http://arduino.cc/en/Guide/Windows para saber como instalar o Uno no Windows XP.

Trabalhando com Arduino

Para instalar os drivers para o Duemilanove, Nano, ou Diecimila com Windows7, Vista ou

XP, é preciso:

Conectar a placa e o Windows deverá iniciar o processo de instalação do driver (se você não usou o computador com uma placa Arduino antes).

No Windows Vista, o driver deve ser baixado e instalado automaticamente.

No Windows XP, o assistente Adicionar novo hardware será aberto:

Trabalhando com Arduino

E deve perguntar se o Windows pode se conectar ao Windows Update para procurar software?

Selecione Não, não desta vez. Clique em Avançar.

Selecione Instalar de uma lista ou local específico (avançado) e clique em Avançar.

Certifique-se de que a opção Procurar o melhor driver nestes locais está marcada:

Desmarque Pesquisar mídia removível;

Trabalhando com Arduino

Você deve marcar Incluir este local na pesquisa e procure os drivers /FTDI USB Drivers diretório da

distribuição Arduino. (A última versão dos drivers está no site da FTDI.)

Clique em Avançar.

O assistente irá procurar o driver e, em seguida, irá dizer-lhe que um "Conversor USB Serial" foi encontrado.

Clique em Concluir.

O assistente de novo hardware aparecerá novamente.

Trabalhando com Arduino

Atravesse os mesmos passos e selecione as mesmas opções e local para pesquisar. Desta vez, um "USB Serial Port" vai ser encontrada. Você pode verificar que os drivers foram instalados, abrindo o Manager de dispositivos do Windows (na aba Hardware do painel de controle do sistema).

Procure um "USB Serial Port" na seção Portas, que é a placa Arduino.

Iniciando o Aplicativo do Arduino

Para iniciar o aplicativo, basta dar um duplo clique no aplicativo Arduino.

Tomemos como exemplo o programa demo Blink.

Para abrir este programa (sketch) basta seguir a seqüência:

File > Examples > 1.Basics > Blink.

Iniciando o Aplicativo do Arduino

Iniciando o Aplicativo do Arduino

Selecionando a sua placa

Selecionando a sua placa

Selecionando a porta serial

Selecione o dispositivo de série da placa Arduino do menu Tools|Serial Port. Provavelmente, deve ser COM3 ou superior (COM1 e COM2 são normalmente reservados para portas seriais de hardware). Para descobrir, você pode desconectar sua placa Arduino e reabrir o menu, a entrada que desaparece deve ser a placa Arduino. Volte a ligar a placa e selecione essa porta serial.

Carregando o programa

Agora, basta clicar no botão "Enviar" no ambiente.

Aguarde alguns segundos - você deve ver o RX e TX leds piscando na placa.

Se o envio for bem sucedida, a mensagem "Done uploading" aparecerá na barra de status.

(Nota:. Se você tem um Arduino Mini, NG, ou outra placa, você precisa fisicamente do botão de reset na placa imediatamente antes de apertar o botão de upload)

Carregando o programa

Carregando o programa

Carregando o programa

Alguns segundos após o término do envio, você deverá ver o pino 13 (L) LED na placa começar a piscar.

Se isso acontecer, parabéns! Você conseguiu colocar seu Arduino para executar seu programa.

Se você tiver problemas, consulte as sugestões de solução.

Bibliografia

MARGOLIS, Michael. Arduino Cookbook, O´Reilly. United States of America, 2011.

Fonseca, Erika G. P. & Beppu, Mathyan M. Apostila Arduino, UFF, 2010.

McRoberts, Michael. Beginning Arduino, Apress. United States of America, 2010.

Oxer, J. & Blemings, H. Practical Arduino, Apress. United States of America, 2009.

Bibliografia

Kurt, Tod E. Bionic Arduino Introduction do Microcontrollers with Arduino. Machine Project, 2007.

Evans, Brian W. Arduino Programming Notebook.