You are on page 1of 42

Contacto e cuidados com o

paciente
Objetivos do exame
História clínica
UNCISAL
4º Período
2009-1
Recebendo o paciente
• Ser agradável, educado,sorrir
• Ajudar o paciente se for o caso
• Nome completo
– Sempre “senhor”, “senhora”
– Não utilizar nunca “tio”,
“tia”,”vôzinho”,”vózinha”
• Confirmar sexo e idade
– Nomes comuns aos dois sexos
– Homônimos
Trocar a roupa
• Utilizar roupas fornecidas pelo
serviço
– Materiais que causam artefatos (zíper,
colchetes metálicos, moedas, isqueiro
nos bolsos)
– Confôrto
– Segurança (cabelos)
– Acesso para procedimentos
• Touca, jaqueta, calça, avental
aberto, sapatilha
Ler o pedido médico
atentamente

• Região a ser examinada


• Preparo
– Jejum (NPO= nada por via oral)
– Utilização de contraste
– Anestesia geral / sedação
História Clinica
• Sempre necessária junto com o
pedido médico
• Evitar “interpretar”
– Em caso de dúvida:
• Discutir com o radiologista
• Ligar para o médico solicitante
Mais importante
• História de alergia e possíveis contra-
indicações ao uso de contraste
iodado
Reações Adversas
• A maioria das reações são leves ou
moderadas e de curta duração, e se
resolvem espontaneamente sem
tratamento médico
• A maioria das raras reações graves
apresenta sinais imediatamente após
a injeção, o que permite o
diagnóstico precoce e o início
imediato de medidas terapêuticas
eficientes.
Fatôres de risco para alergia
ao contraste
• Antecedentes de reação adversa
– Alergia a iodo não contra-indica a
administração do contraste iodado –
mas aumenta o risco
• Alérgia prévia qualquer que seja a
causa
• Doenças subjacentes
– Cardiopatias, pneumopatias, diab,
doença auto-imune, anemia falciforme,
hipertireoidismo, doença hepática,
Resumo fatores de risco
• Hipersensibilidade ao agente de
contraste iodado
• Alergia
• Hipertireoidismo
• Desidratação
• Insuficiência cardiovascular severa
• Insuficiência pulmonar e asma
• Insuficiência renal
• Nefropatia em pacientes diabéticos
• Paraproteínemia
• Doença autoimune
• Idade avançada
• Ansiedade
Risco/Benefício

• Utilizar agentes não-iônicos


• Usar contrastes de baixa
osmolalidade
• Hidratar o paciente
• Estabilizar as condições psicológicas
do paciente
• Uso de pré-medicação
• Otimizar a utilização dos
equipamentos
• Em caso de RA, estar preparado para
iniciar medidas terapêuticas
Prevenção
O uso de pré-medicação é bastante
controverso.

Esquema mais utilizado:


Prednisona 50mg
• 13, 7 e 1 hora pré-exame)
Fexofenadina (Allegra ) 180mg
• 1 hora pré-exame

( PACIENTES DE RISCO MODERADO)


TERMO DE ESCLARECIMENTOS, CIÊNCIA E CONSENTIMENTO PARA EXAME
RADIOLÓGICO COM INJEÇÃO DE CONTRASTE IODADO

Eu .................nº de identidade - Paciente / Responsável (Grau de Parentesco:):


........................................ autorizo a realização do exame (RX / CT) denominado
.............................que foi solicitado por meu médico e declaro que:
1º) Recebi todas as explicações necessárias quanto à importância, riscos e benefícios do
exame solicitado. O meio de contraste iodado utilizado durante o exame será injetado
em uma veia do corpo, ou intra-tecal no caso de mielografia.A maioria dos pacientes não
apresenta efeitos colaterais ou complicações a essa injeção de contraste;
2º) Estou ciente entretanto que existe certo risco, como em qualquer procedimento
médico. Durante a injeção o paciente pode experimentar uma sensação de calor, náusea
ou vômito. Alguns poucos pacientes têm uma reação do tipo alérgica que pode incluir
coceira e/ou urticária, inchaço dos olhos ou lábios, espirros, ou, raramente,dificuldade
para respirar. Nesses casos, se necessário, poderá ser administrada medicação para o
tratamento dessas reações. Excepcionalmente, podem ocorrer complicações mais sérias
como choque, insuficiência renal e problemas cardio-respiratórios. Ocasiões em que
serão tomadas condutas imediatas, como atendimento médico administração dos
medicamentos necessários. Complicações fatais são extremamente raras (01 caso em
250.000-400.000 procedimentos);
3º) Estou ciente de que em pacientes com diabetes, mieloma múltiplo, alergia severa,
ou que tiveram reação prévia com uso de contraste iodado, o risco pode ser um pouco
maior;
4º) Li e compreendi todas as informações deste documento e, antes de sua assinatura,
tive a oportunidade de esclarecer todas as minhas dúvidas relativas ao(s)
procedimento(s).
Observação: Favor preencher o questionário anexo, que contém informações importantes
para a realização do exame e laudo médico, bem como avaliação de risco.
Local, ...../........../..........
Assinatura ________________________________________
TESTEMUNHAS ____________________________________
1) Nome completo _________________________________
Nº de Identidade ___________________________________
Assinatura _________________________________________
.
DEVE SER PREENCHIDO PELO MÉDICO
Confirmo que expliquei detalhadamente para o paciente e/ou seu(s) familiar(es), ou responsável(eis), o propósito,
os riscos, os benefícios e as alternativas para o tratamento(s)/procedimento(s) acima descritos.
São Paulo, ......../........./...........
Nome do médico
Contraste iodado
• Via oral
– Contrastação do tubo digestivo
• Via intravenosa
– Contrastação de vísceras e estruturas
vasculares
• Outras vias:
– Radiologia Intervencionista:
• Contrastação de cavidades (abscessos,
fístulas)
• Contrastação de ductos/canais dilatados
Punção venosa
Garrote Contraste
Esparadrap
o Baritado
Contraste Sonda
Iodado

Algodão

Contrast
e
Iodado

Gaze
Jelco Seringa
Êmbolo da
Bomba
Bandeja de Injetora
Materiais
Punção venosa
 Veia periférica de grande calibre
– Maior fluxo sangüíneo
– efeitos adversos locais 2ários. à
osmolalidade alta
 Punção com assepsia
 Traumatizar o mínimo possível
 Evitar punções consecutivas =
desconforto, ansiedade e dor = podem
desencadear reações do tipo vasomotor
= graves conseqüências
 Elevar o braço do paciente durante
infusão para evitar estase do agente
(pode levar a flebite)
 Pacientes mastectomizadas – evitar
Formas de injetar o
contraste
Bomba injetora

Fluxo ml/s
Tempo
Fase de aquisição
Capacidade da Bomba

Retardo Vol. do Meio Contraste


Bomba injetora
•Injeção contínua
•Velocidade programada
•Adequada via de acesso
 Veia antecubital calibrosa
 Gelco 20 – 22 G
 Monitorização no início da injeção
Cuidados

 NÃO usar veia já cateterizada há


mais de 24 horas
 NÃO usar “butterfly”
 NÃO usar intracath ou portocath
 NÃO usar veia da mão, pé ou
tornozelo
Injeção Manual
 Injeção descontínua
 Velocidade oscilante
 Velocidade máxima de 2 ml/seg.

• Utilizar quando não for possível o uso da


bomba injetora
• Injetar em “bolus” com a maior velocidade
possível
• Não fazer a fase arterial
Rins

Fase córtico-medular

Fase nefrográfica

Fase excretora
Contrastação do tubo
digestivo
Contraste por via oral
Contraste iodado iônico 60 %:
• 30 ml diluído em 1L de água
• Solução de Sulfato de bário
Contraste por via retal
• Contraste iodado iônico a 60% : 50 ml
diluído em 1L de soro fisiológico
• Solução baritada
Conforto e segurança
• Indivíduo sadio /doente
• Claustrofobia
• Mêdo
• Dor
• Frio
• Apoiar os membros
• Medicações em uso
• Esvaziar a bexiga se o exame não exigir
bexiga cheia
EXPLICAR O PROCEDIMENTO
ANTES DE ENTRAR NA SALA
Muito carinho e paciência dentro
da sala
O paciente está ansioso e pode
estar sofrendo muito – tudo é
desconhecido para ele

Avaliar a necessidade de um
acompanhante permanecer junto
ao paciente
Checar se o paciente fez
corretamente o preparo para
o exame
Diabéticos
• Se o paciente fizer tratamento é a base de
cloridrato de metformina (Glucoformin,
Glifage, Glucophage, Dimefor, Metformina)
- suspender o hipoglicemiante oral por 24
horas antes do exame
• O meio de contraste pode provocar um
comprometimento temporário da função
renal, causando um acúmulo de metformina
no organismo e indiretamente levando à
acidose
• O uso de metformina deve ser retomado
após não menos de 48 horas a não ser que
a função renal esteja normal
 
JEJUM
Reduzir a motilidade do tubo digestivo
Manter a vesícula biliar em repleção
Manter estômago vazio em caso de
náuseas pós-contraste
Pré-requisito básico para anestesia
geral

CUIDADOS:
– Medicações em uso – manter
– Cuidado para não desidratar idosos
– Cuidado com pacientes diabéticos
JEJUM PARA EXAMES
CONTRASTADOS
• VO - Necessitam de 4 horas:
– abdômen total, abdômen superior, trato
digestivo e urinário
• EV - Necessitam de 6 horas.
Jejum para anestesia (NPO)
• Sedação/ Analgesia - 8 horas para
adultos
• Crianças, o período de jejum varia de
acordo com a idade:
RN prematuro.............................. 2
hs
RN normal................................... 3 hs
Lactantes (1 à 4 meses que só
tomam leite materno)
.................................... 4 hs
Amamentação
– Agentes de contraste presentes no
leite podem determinar reações
adversas:
Condições hiperosmolares e
reações anafilactóides no bebê

– Nas primeiras 24horas após o


exame, apenas cerca de 0,2% da
dose será absorvida pela criança

– Não há risco significativo de


toxicidade