Вы находитесь на странице: 1из 71

História da

Cirurgia
Cardíaca
História da Cirurgia
Cardíaca

Coração sede da alma


O primeiro cirurgião?
Os avanços do século XX
Os grandes nomes da história da
cirurgia cardíaca.
Os grandes nomes da
História da Cirurgia Cardíaca.
Realizada em Londres, por O’Shaughnessy
Realizada em 26/8/1938 Dr. Robert E.
Adib Jatene
Valdir Jazbik
Domingos Junqueira de Moraes
Marcos Cunha, Hélio Magalhães
Otoni Moreira Gomes
Domingo Marcolino Braile
Dr. Euryclides de Jesus Zerbini (26/5/1968 )
Em 1956, a cirurgia
pioneira com
circulação
extracorpórea,
deve-se ao Dr.
Hugo Felipozzi, e a
nobre equipe.
CORAÇÃO

“O coração pode ser


considerado como algo que
abarca a totalidade do nosso
intelecto, emoção e volição .
Ele é o centro do intelecto”.
(Mc 7.20-23 nota)
O coração é um órgão
do sistema vascular situado
no mediastino médio, em
posição central, entre os dois
pulmões. Tem apenas 300
gramas aproximadamente,
porém desempenha a função
de bombear o sangue para
Rede Arterial coronária
Esquerda e Direita

Peça anatômica representada pela rede arterial coronariana esquerda


(injetada com corante vermelho)
e direita (injetada com corante branco),
isolada das demais estruturas do coração
destruidas por tratamento histoquímico.
Também chamada de Circulação Pulmonar, o
sangue Percorre as seguintes estruturas:
O sangue pobre em oxigênio e rico em gás
carbônico, entra no ventrículo direito e é
bombeado para as artérias pulmonares
dirigindo-se para os pulmões. Nestes,
percorre as arteríolas pulmonares e capilares
pulmonares, onde se realiza a
hematose pulmonar, processo de trocas
gasosas que eliminam o gás carbônico do
sangue e o tornam rico em oxigênio.
Aquele liquido vermelho rico em oxigênio
passa pelas vênulas pulmonares, para as
O sangue arterial é bombeado pela contração
do ventrículo esquerdo para a artéria aorta.
Esta divide-se para os órgãos principais do
nosso corpo (com exceção dos pulmões),
onde o oxigênio é consumido. O
sangue venoso pobre em oxigênio (nesta
etapa da circulação, já que o mesmo não
acontece na pequena circulação) volta ao
coração pelas veias cavas, introduzindo-se na
aurícula direita. Da aurícula direita o sangue
passa para o ventrículo direito através do
orifício atrioventricular, onde existe a valva
tricúspide.
1. Hereditariedade
2. Sexo
3. Raça
4. Tabagismo
5. Hipertensão Arterial
6. Hiperlipidemia
7. Diabetes
8. Sedentarismo
9. Obesidade
10. Ansiedade/Estresse
Tratamento
Cirúrgico
Indicação para o Tratamento
Cirúrgico
As patologias cardíacas que geralmente tem
indicação cirúrgica são:

Cardiopatias congênitas
Cardiopatias valvulares
Doenças da aorta
Patologias com necessidade de Transplante
Cardíaco
Doenças coronárias graves sem indicação de
angioplastia.
Cardiopatia Congênita
Ocorre por uma alteração no
desenvolvimento embrionário de uma
estrutura cardíaca normal. As alterações
do fluxo sangüíneo, resultantes desta
falha podem influenciar o
desenvolvimento estrutural e funcional
do restante do sistema circulatório.
Situações como as fases iniciais de uma
Cardiopatia hipertrófica, podem passar
completamente desapercebidas nos
primeiros anos de vida e mesmo assim
podem ser classificadas como
cardiopatias congênitas.
Tipos de Cardiopatias
Congênitas
Comunicação Interventricular (CIV): O
defeito ocorre entre os septos
interventriculares (ventrículos esquerdo e
direito).

Persistência do Canal Arterial ( PCA): É o


não-fechamento do canal arterial,
estrutura normal na circulação fetal,
comunicando o tronco da artéria
pulmonar e a aorta.
Descrição da Técnica:

Incisão da pele, abertura do tecido


subcutâneo com bisturi elétrico para
toracotomia mediana transesternal. Com o
saco pericárdico aberto, ocorre à análise das
estruturas cardíacas externas. Após inicia se a
passagem dos pontos ao redor da placa de
pericárdio bovino, distribuídos
uniformemente. Posicionamento da placa para
oclusão do orifício e amarradura dos fios de
forma independente.
Comunicação Interventricular

Átrio direito aberto onde se observa a comunicação interventricular com fios de


Técnica: Toracotomia polipropileno ao redor do orifício previamente ao fechamento com
placa de pericárdio bovino
Ligadura por Endocardite (1938)
Ligadura por Cateterismo
(1967)
ligadura da PCA por
videotoracoscopia (1994)
Persistência do Canal
Arterial

Técnica: endocardite
Técnica: Cateterismo
Técnica: Videotoracoscopia
Valvopatia Pulmonar: Raramente a valva
pulmonar pode ser comprometida por doença
adquirida
A causa mais comum de estenose pulmonar é
congênita. Onde ocorrerá o refluxo de
sangue da artéria pulmonar para o ventrículo
direito.

Valvopatia Tricúspide: É a obstrução ao fluxo


de sangue. Pode ocorrer devido a estenose
tricúspide ou por insuficiência da mesma.
Estenose
Caracteriza-se, basicamente, por aumento do
fluxo sanguíneo para o pulmão, manifestando-
se precocemente nas primeiras semanas de
vida.

Esta relacionada em mais de 50% dos casos


com anomalias cromossômicas (Síndromes
genéticas em especial a Síndrome de Down).

O tratamento é realizado com cirurgia.


Toracotomia transesternal mediana,
instalação do auxílio da circulação
extracorpórea, Abertura de átrio
morfologicamente esquerdo à direita e tronco
pulmonar. A fenda da valva atrioventricular
esquerda foi fechada com pontos separados
de polipropileno
são definidos como uma dilatação localizada e
permanente da parede arterial maior do que
50% do seu diâmetro normal. O termo ectasia
é reservado para dilatações menores e
difusas.
Os aneurismas derivam de um
enfraquecimento da parede arterial, ou de
uma solicitação anormal sobre um segmento
desta parede, ou então de uma Combinação
desses fatores. Qualquer tipo de alteração da
parede arterial quer congênita ou adquirida,
que provoque enfraquecimento ou
comprometa a resistência da parede arterial,
Técnica
Endovascular
O transplante de coração é um dos grandes
avanços da medicina no século XX. Receber
um novo coração é retornar à vida
Ventriculectomia
Parcial Esquerda
A nova técnica cirúrgica para o tratamento de
portadores de insuficiência cardíaca congestiva
(ICC) terminal, originalmente denominada
ventriculectomia parcial. A técnica consiste
basicamente na retirada de um fragmento da
parede lateral do ventrículo esquerdo (VE), do
ápice ventricular ao anel da válvula mitral,
através dos músculos papilares, sob circulação
extracorpórea, sem o uso de cardioplegia. Os
resultados obtidos no pós-operatório imediato de
18 pacientes submetidos a esta nova técnica
operatória mostraram aumento na fração de
ejeção do VE (FEVE) de 100
Angioplastia
Coronária
•Ateroma

•Aterosclerose

•Tratamento Cirúrgico
Contra-indicação para o
Tratamento Cirúrgico
Infecções ativas
 Presença de tumores malignos (cânceres)
Doença pulmonar grave
 HIV positivo (portador do vírus da
imunodeficiência humana)
 Uso de drogas ilícitas ou alcoolismo
Incapacidade de tomar as
medicações imunossupressoras
Idade Avançada 
Marca-passo
Marca-passo é um
dispositivo eletrônico pequeno
que envia impulsos elétricos ao
músculo do coração, com a
finalidade de manter uma
freqüência cardíaca satisfatória.
O marca-passo substitui o
“marca-passo natural” quando
este apresenta defeito, sendo
também usado para tratar
desmaios (síncope) e
insuficiência cardíaca congestiva.
Atuação da
Fisioterapia
Objetivo principal é
Minimizar os efeitos da
imobilidade do paciente no
leito.
Drenagem Postural e posicionamento
Aspiração Traqueobrônquica
Exercícios Respiratórios
Treino Muscula
Oxigenoterapia
Intubação Traqueal
Avaliação
Desmame da ventilãção
Extubação
FIM!
Livros

Cardiologia básica
Autor: Janete, Adib D.
Ed: Roca

Fisioterapia em cardiologia
Autor: Regenga, Marisa de Moraes

Manual de Cardiologia: SOCESP


Autor: Timernan, Ari [editor]
http://fizzioterapia.blogspot.com
Ou
www.fisio90graus.com