Вы находитесь на странице: 1из 10

Faat – 2009

Existencialismo - Heidegger

Profa. Ana Lúcia Righi Schleich


ESSÊNCIA x EXISTÊNCIA
Essência x Existência

 Essência: natureza, o íntimo, o âmago.

 Existência: existentia (latim) – existere – sair


de um lugar, exibir-se, movimento para fora –
surgiu depois do estudo da essência.
CARACTERÍSTICAS DO
EXISTENCIALISMO
Existencialismo
 A fenomenologia influenciou o surgimento do
existencialismo. O existencialismo é a doutrina filosófica
que centra sua reflexão sobre a existência humana
considerada em seu aspecto particular, individual e
concreto (vivência). Esta utiliza do método
fenomenológico para aprofundar seus temas sobre
a existência humana.

 A existência é própria do humano. Existir é ir sendo – por


meio da escolha e da decisão, é estar em conflito
consigo mesmo, o existir não é definível e está sempre
em processo subjetivo de construção.
Existencialismo
 Interessa-se pela condição humana, não tanto pela
natureza humana. Preocupação com aquilo que é da
própria existência – que se remete à fluidez e não
à fixidez.

 Há duas forma de relação do homem no mundo:


considerar a outra pessoa como objeto
(isso) ou a considerar como pessoa (tu). A
partir desses modos ocorrem as relações humanas – a
intersubjetividade. A partir desse conceito surge o
encontro terapêutico e os temas para exploração
filosófica.
VISÃO DE HOMEM
EXISTENCIALISTA
Características do homem segundo o
existencialismo

 Autoprojeção ou auto-antecipação: capacidade de


poder se lançar para o futuro.

 Homem que se diferencia dos demais seres


(pensa sobre sua própria existência e não tem uma
natureza fixa).

 Homem em constante superação.


Autoconsciência.

 Homem na totalidade (descentralização da razão,


valorização da subjetividade).
Características do homem
segundo o existencialismo
 Homem relacional.

 Homem não é determinado pelo meio ou


predisposições internas biológicas ou psíquicas.

 Homem ativo – intencionalidade. Ser-no-mundo: não


é simplesmente estar jogado no mundo, mas sim,
relacionar-se com o ambiente, dando sentido a ele.

 Homem são todas a possibilidades do existir.


Liberdade: autodeterminação/autorealização.
Referências bibliográficas:

 História do existencialismo e da fenomenologia, Thomas Giles.

 O outro fim para o Dasein: o conceito de nascimento na ontologia


existencial, Robson Ramos do Reis (
http://pepsic.bvs-psi.org.br/pdf/nh/v6n1/v6n1a03.pdf).

 A cotidianidade do Dasein, Renata F. S. Araújo (


http://www.eticaefilosofia.ufjf.br/10_2_renata.pdf).