Вы находитесь на странице: 1из 32

TEORIA

NEOCLÁSSICA
FORTIUM – Grupo Educacional
Docente: Prof. Iran Nunes
TEORIA NEOCLÁSSICA

 A teoria Neoclássica é a redenção da teoria


clássica devidamente atualizada e
redimensionada aos problemas administrativos
atuais e ao tamanho das organizações de hoje.
 Os princípios de Administração, a
departamentalização, a racionalização do
trabalho, a estruturação linear ou funcional,
enfim, a abordagem clássica, nunca foi
substituída por outra abordagem, sem que
alguma coisa fosse mantida.
Principais Nomes

 Peter Drucker
 Koontz
 O’Donnell
Outras denominações

 Escola operacional
 Escola de Processo Administrativo
 Abordagem Universalista da Administração.
Principais Características
1. Ênfase na prática da Administração

 A teoria Neoclássica se caracteriza por uma


forte ênfase nos aspectos práticos da
administração, pelo pragmatismos e pela
busca de resultados concretos e palpáveis,
sem se descuidar dos conceitos teóricos. A
praticidade embasada nos conceitos visa
principalmente a ação administrativa. A teoria
só tem valor quando operacionalizada na
prática.
2. A reafirmação Relativa dos
Postulados Clássicos
 A Teoria Neoclásica é quase uma reação à enorme
influência das ciências do comportamento no campo
da administração em detrimento dos aspectos
econômicos e concretos que envolvem o
comportamento das organizações.
 A estrutura de organização tipo linear, funcional, e
linha-”staff”, as relações de linha e assessoria, o
problema da autoridade e responsabilidade, a
departamentalização, e toda uma avalanche de
conceitos clássicos são realinhados dentro da nova
abordagem neoclássica.
3. Ênfase nos Princípios Gerais
da Administração
 Os neoclássicos se preocuparam em estabelecer
normas do comportamento administrativo. Se
baseia na apresentação e discussão de princípios
gerais de como planejar, como organizar, como
dirigir, como controlar.
 Como quase todos os autores da teoria Clássica, os
neoclássicos também se preocupam em
estabelecer os princípios gerais da administração.
3.1 Os onze princípios
Neoclássicos da Administração

 Objetivos
 1. Os objetivos da empresa e de seus elementos
componentes devem ser claramente definidos e
estabelecidos por escrito. A organização deve ser
simples e flexível.
Atividades e agrupamento de
atividades
 2. As responsabilidades designadas para uma
posição devem ser confinadas tanto quanto
possível ao desempenho de uma simples função.
 3. As funções devem ser designadas para as
unidades orgânicas na base da homogeneidade
no sentido de alcançar a operação mais eficiente
e econômica.
Autoridade

 4. Deve haver linhas claras de autoridade


descendo do topo até a base da organização e
responsabilidade da base ao topo.
 5. A responsabilidade e autoridade de cada
posição devem ser claramente definida por
escrito.
Autoridade

 6. A responsabilidade deve ser sempre


acompanhada de correspondente autoridade.
 7. Autoridade para tomar ou iniciar ação deve ser
delegada o mais próximo possível da cena da
ação.
 8. O número de níveis de autoridade deve ser
tomado ao mínimo.
Relações

 9. Há um limite quanto ao número de posições


que pode ser eficientemente supervisionado por
um único indivíduo.
 10. Cada indivíduo na organização deve se
reportar-se a apenas um único supervisor.
 11. A responsabilidade da autoridade mais
elevada para com os atos de seus subordinados
é absoluta.
Princípios

 Os princípios não devem ser abordados de uma


forma rígida e absoluta, mas relativa e flexível,
porquanto devem ser aplicados a situação
extremamente diversas. O aspecto mais vantajoso
ou mesmo o bom senso deverá ser o critério na
escolha do princípio mais adequado a uma
situação.
4. Ênfase nos objetivos e nos
resultados
 Toda organização existe para alcançar objetivos e
produzir resultados. É em função dos objetivos e
resultados que ela deve ser dimensionada,
estruturada e orientada.
 Daí a ênfase nos objetivos organizacionais e nos
resultados pretendidos.
5. O ecletismo da Teoria
Neoclássica
 A) Teoria Relações Humanas- Os conceitos
de organização informal, de dinâmica de
grupos, de comunicações, de liderança, bem
como a abertura democrática iniciada por
esta teoria administrativa.
 B) Teoria Burocrática- ênfase nos princípios
e normas formais da organização, a
organização hierárquica e os aspectos
relativos a autoridade e responsabilidade.
5. O ecletismo da Teoria
Neoclássica
 C) Teoria Estruturalista- perspectiva da
organização dentro de uma sociedade de
organizações, o relacionamento entre a
organização e o ambiente externo, o estudo
comparativo das organizações através da sua
estrutura, adoção paralela e simultânea de
conceitos relativos a organização formal e os
conceitos relativos a organização informal.
Estudo dos objetivos organizacionais e os
objetivos individuais, seus conflitos e
possibilidades de integração.
5. O ecletismo da Teoria
Neoclássica
 D) Teoria Behaviorista- Conceitos sobre motivação
humana, estilos de administração, teoria das
decisões, o comportamento humano nas
organizações, conflitos organizacionais, equilíbrio
organizacional, sistemas de recompensas.
5. O ecletismo da Teoria
Neoclássica
 E) Teoria Matemática- Como tentativa de aplicação
da Pesquisa Operacional e seus métodos de
quantificação, mensuração dos resultados
 F) Teoria dos Sistemas- Abordagem da organização
como sistema composto de múltiplos subsistemas ,
ciclo de eventos
Administração como técnica
social.
 Para os autores Neoclássicos, a “Administração
consiste em orientar, dirigir e controlar os
esforços de um grupo de indivíduos para um
esforço comum. E o bom administrador é
naturalmente, aquele que possibilita ao grupo
alcançar seus objetivos com o mínimo dispêndio
de recursos e de esforço e com menos atritos
com outras atividades úteis”.
Aspectos comuns às
Organizações

 Quanto aos objetivos: não vivem para si próprias,


mas são meios, são órgãos sociais que visam à
realização de uma tarefa social.
 Quanto à Administração:Todas as organizações são
diferentes em seus objetivos, mas são
essencialmente semelhantes na área
administrativa.
Aspectos comuns às
Organizações

 Quanto ao desempenho individual: É o campo onde


há a menor diferença entre as organizações. O
desempenho individual é a eficácia do pessoal que
trabalha dentro das organizações. A eficácia está
ligada as pessoas e a eficiência a administração
organizacional.
Aspectos comuns às
Organizações

 Cada empresa deve ser considerada sob o ponto


de vista de eficácia e eficiência, simultaneamente.
 Eficácia é um medida normativa do alcance de
resultados, enquanto Eficiência é uma medida
normativa da utilização dos recursos nesse
processo.
EFICIÊNCIA X EFICÁCIA

 EFICIÊNCIA  EFICÁCIA
 Ênfase nos meios  Ênfase nos resultados
 Faz corretamente as  Fazer as coisas corretas
coisas  Atingir objetivos
 Resolver os problemas  Obter resultados
 Cumprir tarefas  Proporcionar eficácia aos
 Treinar subordinados subordinados
 Manter as máquinas  Máquina disponível
Centralização x Descentralização

 Enquanto a Teoria Clássica de Fadou defendia


a organização linear caracterizada pela ênfase
dada à centralização da autoridade, a
Administração Científica de Taylor defendia a
organização funcional, caracterizada pela
excessiva descentralização da autoridade.
 Este assunto é plenamente defendida pela
Teoria Neoclássica.
Característica da
Descentralização
 O grau de Descentralização administrativa depende dos
seguintes fatores:
 Tamanho da organização
 Tipo de negócio
 Tendência econômicas e políticas do país
 Filosofia da alta administração e e personalidades
envolvidas
 Competência dos subordinados e confiança dos superiores
nessa competência
 facilidade de informações que permitam a tomada de
decisões
Característica da
Descentralização
 O Grau da descentralização leva em conta
alguns fatores.
 Quanto maior o nível de decisões tomadas nas
escalas mais baixas da hierarquias
administrativa.
 Quanto mais importantes forem as decisões.
 Quanto maior for o número de funções afetadas
pelas decisões nas escalas mais baixas.
 Quanto menor for a supervisão da decisão.
Característica da
Descentralização
 Elementos para acelerar a descentralização.

 Complexidade dos problemas empresariais:


avanço tecnológico, inovações, intensificação das
comunicações, a diversificação da linha de
produção e os mercados em desenvolvimento.
 Delegação da autoridade: Para não atrofiar o
crescimento, com sobrecarga de trabalho e
estagnação, a delegação de autoridade parece
ser a resposta correta para o esforço total da
expansão.
Vantagens da Descentralização

 Os chefes ficam mais próximos do ponto onde


se devem tomar as decisões.
 Permite aumentar a eficiência aproveitando
melhor o tempo e aptidão dos funcionários.
 Permite melhorar a qualidade das decisões à
medida que seu volume e complexidade se
reduzem, aliviando os chefes principais do
excesso de trabalho decisório.
Vantagens da Descentralização

 Redução do papelório do pessoal nos escritórios


centrais, além disto ganha-se tempo.
 Gastos com coordenação, porém, isto requer o
estabelecimento de uma estrutura
organizacional bem definida.
 Permite a formação de executivos locais ou
regionais mais motivados e mais conscientes
dos seus resultados operacionais.
Desvantagens da
Descentralização

 Falta de uniformidade nas decisões.


 Insuficiente aproveitamento dos
especialistas.
 Falta de equipe apropriada ou de
funcionários no campo de atividades.
Decorrências da Teoria
Neoclássica.
 Organização Formal
 Especialização
 Hierarquia
 Autoridade e Responsabilidade
 Racionalismo da Organização Formal
Tipos de Organização Formal

 Organização Funcional
 Organização Linha-Staff
 Comissões

Похожие интересы